Publicidade
Sábado, 09 Julho 2016 02:31

O pedido vem de Roma: rezem a missa voltados para o Oriente!

Postado por

cardeal_sarah

Não é uma lei, não é uma imposição, é um convite informal do chefe da liturgia no Vaticano: que os padres rezem a missa como ela sempre foi rezada, ou seja, voltados para o Oriente ou para a abside (Ad Orientem ou versus abside). Não se trata da missa Tridentina, mas sim da nova missa, mesmo! O cardeal Robert Sarah propõe que a mudança seja implantada a partir do primeiro domingo do Advento deste ano.

“Assim, queridos sacerdotes, peço-lhes para que implementem essa prática sempre que possível, com prudência e com a catequese necessária, certamente, mas também com a confiança pastoral de que isso é algo bom para a Igreja, algo bom para o nosso povo”, disse o cardeal (Fonte: ACI).

“Ué, mas isso não contraria o Concílio Vaticano II?” – muitos devem questionar. Não, isso é mito! A pedido do Papa Francisco, o cardeal Sarah iniciou um estudo para enriquecer as mudanças litúrgicas do CVII. Ele explicou que o CVII abriu a possibilidade de que se celebrasse a missa de frente para o povo, mas jamais definiu isso como obrigação. O próprio Papa rezou uma missa Ad Orientem em 2014, na Capela Sistina (vídeo abaixo).

Durante a Liturgia da Palavra, faz todo o sentido que leitores e assembleia fiquem de frente um para o outro. Mas a partir do momento em que começa o ofertório – oferta do sacrifício de Jesus Cristo a Deus Pai, pela remissão dos nossos pecados – todos devem estar “voltados na mesma direção: para o Senhor que vem”.

E de onde vem o Senhor? O Senhor foi crucificado e ressuscitou em Jerusalém, portanto, é de lá que Ele vem: do Oriente, do leste – que é também onde o sol nasce. Se, no momento da oração, sacerdote e fiéis estão voltados para o Oriente, essa é uma ação simbólica muito forte, que indica que estão à espera da Segunda Vinda de Cristo.

No momento da consagração, com os olhos fixados no rosto do padre, os fiéis facilmente se distraem e são tentados a julgar a expressão do celebrante: se está elevando os olhos aos Céus de forma devota, se parece frio ou distante, se está bonito ou feio... E Aquele que realmente importa – o Cordeiro de Deus, imolado por nós no altar – fica obscurecido por essas impressões mundanas. Assim, a adoração fica prejudicada.

bode_missa

Como os sacerdotes cristãos primitivos rezavam a missa, a partir do momento do ofertório? Voltados para o Oriente! Como os cristãos continuaram a rezar a missa, nos 20 séculos seguintes? Voltados para o Oriente!

“Do oriente nos vem a propiciação. É de lá que vem aquele homem cujo nome é Oriente e que foi constituído mediador entre Deus e os homens. Por esse motivo és convidado a olhar sempre para o oriente, de onde nasce para ti o Sol da justiça...”

Orígenes, ano 230

Infelizmente, nem toda igreja possui o altar-mor orientado para o leste. Nesse caso, não tem como rezar a missa voltados para o Oriente, mas ao menos é possível que todos se voltem para a abside.

Como esse pedido do Prefeito da Congregação para o Culto Divino será acolhido em nossas paróquias? Teremos algumas adesões humildes e entusiasmadas, certamente! Mas, de modo geral, prevejo que a orientação vai entrar num ouvido e sair pelo outro... Ok, mas vale lembrar: Deus tá vendo quem faz ouvido de mercador para as orientações de Roma!

mestre_magos

*****

Será que, no embalo do enriquecimento litúrgico e da detonação dos mitos criados em torno do CVII, o Cardeal Sarah chegará um dia a aconselhar o uso do véu litúrgico para as mulheres? Seria ma-ra-vi-lin-do! Afinal, o Concílio nunca disse que o uso do véu era desnecessário. Confira essa treta no vídeo abaixo!

469 Quarta, 21 Dezembro 2016 19:50

Comentários   

0 # Maria 24-07-2016 20:35
A Santa Missa Católica foi protestantizada no Concílio Vaticano II com uma "reforma" litúrgica que na verdade foi uma estratégia para destruir a Missa Católica e seu poder salvífico bem como destruir o Padre Católico que consagra para que deixe de acreditar na transubstanciação e perca seu sacerdócio salvífico e por tabela destruindo a fé de toda Igreja na sua dimensão sobrenatural ficando só aparência de Catolicismo como um todo. Mas nós católicos podemos ainda dizer "NÃO" à protestantização do Catolicismo que acontece também com desculpa de promover "ecumenismo"...um falso "ecumenismo" isto sim. Não é preciso o Catolicismo se desfazer para "agradar os irmãos separados" (tudo milongas do inimigo chifrudo que quer levar todo mundo para o inferno e não está nem aí para ecumenismo e nem para a impossível nova ordem mundial, ele só quer é encher o inferno, e os bobocas acreditando...)Cada um guarde suas tradições se quiser mas todos devem respeitar-se assim mutuamente e se unir em torno de um só altar celebrando a mesma Eucaristia que é verdadeiramente Corpo e Sangue, Alma e Divindade de Nosso único Salvador, Jesus Cristo, o filho de Deus, nascido da Sempre Virgem Maria, que sofreu a Paixão e Morte de Cruz e Ressuscitou ao terceiro dia... e além disso todos os Cristãos devem se unir sob a autoridade do Papa de Roma, conforme Jesus Cristo determinou segundo as Escrituras.A Liturgia é sim importante em todos os gestos e posturas porque desse modo também está afirmando as verdades reveladas, tanto quanto as palavras; as tradições contém fórmulas que desencadeiam graças e ações divinas invisíveis correspondendo a tudo que é realizado na Liturgia.A Santa Missa é Sacrificio e não "Ceia" e não se pode ficar fazendo festa aos pés do Calvário e Crucificação atualizada de Cristo. O comportamento na Santa Missa deve ser de sumo respeito. E a recepção da sagrada Comunhão deve ser em estado de graça, na boca e de joelhos. Há poucos dias faleceu um Padre muito piedoso Padre Peter Carota vejam os artigos dele sobre o assunto http://adelantelafe.com/author/petercarota/ Esse Padre explica que os católicos vão para o inferno por não ajoelhar e não receber a Comunhão Eucarística na boca e de joelhos. Há tempos li um depoimento de um santo que revelou ter ido para o Purgatório por não ajoelhar diante do Sacrário. O "modernismo" fez as pessoas tomarem excessivas liberdades com Deus e Sua Presença na Eucarístia...Deus quer que sejamos íntimos com Ele mas ao mesmo tempo que o respeitemos nunca esquecendo que Ele é Santo e nosso Deus.Tudo que estou dizendo não sou eu por mim mesma que digo mas Deus em Suas Revelações Proféticas que acontecem até hoje ao longo da história. Deus nunca deixa de agir em favor de SUA Igreja. O que acham?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Pequetita Johannpeter 12-07-2016 13:52
São Pio X, rogai por nós!! A Santa Igreja, a mais não poder, está entregue aos apóstatas!!!! Missa de sempre, amém!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Laércio de Sousa 12-07-2016 11:40
"O rito 'Ad Orientem' não é norma, não é obrigatório." OK, tudo bem, mas por acaso o rito "Versus Populum" é norma? O citado número 299 da IGMR, por si só, não me convence de que a posição "Versus Populum" seja a norma vigente para a celebração do Santo Sacrifício (a única norma presente naquele número é que se construam altares afastados da parede nas novas igrejas). Há algum outro documento que trate do assunto?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Leniéverson 14-07-2016 01:55
Esse é o problema, caro Laércio, de instrumentais referenciais sobre a questão, que na ausência, gera confusão e tumulto.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Pedro Pelogia 12-07-2016 11:39
Infelizmente não foi pedido de Roma, mas vontade unilateral do Cardeal Sarah, já devida e oficialmente contrariado pelo porta-voz do Vaticano: https://fratresinunum.com/2016/07/11/reforma-de-um-minimo-suspiro-de-tentativa-de-reforma-da-reforma/ É... Não sairemos tão facilmente dessa incrível CAVERNA DO DRAGÃO (e bota dragão nisso) que é a Igreja conciliar...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # JB 12-07-2016 08:41
Melou bem melado. "Cardinal Vincent Nichols has written to priests in Westminster diocese discouraging them from celebrating Mass facing east." http://www.catholicherald.co.uk/news/2016/07/11/cardinal-nichols-discourages-priests-from-celebrating-mass-ad-orientem/ É cardeal contra cardeal. E o onipresente Pe. Spadaro S.J., amigo próximo de Francisco, e palpiteiro-mor do Vaticano, também já atacou a ideia. Toda tradição será castigada até que não sobre rubrica sobre rubrica.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natanael B. 11-07-2016 23:09
http://www.acidigital.com/noticias/vaticano-esclarece-afirmacoes-do-cardeal-sarah-sobre-a-celebracao-da-missa-96632/ Parece que já melou.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Luciana Dias Barros 12-07-2016 15:54
Acho que melou mesmo. Tem um monte de gente que já está agradecendo a atitude do Papa. Rezemos!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 11-07-2016 23:42
Não melou. O esclarecimento da Santa Sé quis apenas deixar claro que a norma litúrgica não vai mudar por ocasião do Advento. É exatamente o que já havíamos explicado aqui: o rito "Ad Orientem" não é norma, não é obrigatório. É uma sugestão do cardeal para o Advento, e diferente do que muita gente pensa, não contraria o Concílio Vaticano II e não precisa de autorização especial para ser realizado. Então,O CONVITE INFORMAL DO CARDEAL SARAH PERMANECE DE PÉ.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natanael B. 12-07-2016 11:40
Sem querer ser do contra, Catequista, mas não consigo ver como não melou http://br.radiovaticana.va/news/2016/07/12/esclarecimentos_do_pe_lombardi_sobre_a_celebra%C3%A7%C3%A3o_da_missa/1243607
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 12-07-2016 12:14
O convite do Cardeal Sarah perdeu força moral, mas permanece de pé. Ao menos, serviu para dar um pontapé na discussão, divulgar o rito Ad Orientem (que muito católico nunca tinha ouvido nem falar) e esclarecer a muitos padres que NÃO É NECESSÁRIO TER UMA AUTORIZAÇÃO ESPECIAL PARA CELEBRAR AD ORIENTEM. Treta is planted!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # catequista Alexandre 11-07-2016 22:19
Cara, durante uma celebração da Palavra, como catequista, eu orientei ao povo como se deve respeitar este augustíssimo sacramento e o uso do véu, deixei bem claro que é respeitoso e digno mas tive o cuidado de falar que não era obrigatório, resultado: fui crucificado e no outro domingo o padre nem fez a homilia só se falava isso o tempo todo (tempo da homilia).
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 11-07-2016 21:32
Vou tentar dar um toque para meu pároco, mas...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # J. Everton 11-07-2016 02:31
Isso me lembra dos judeus rezarem voltado para Jerusalém, mais especificamente em direção ao Templo. Parece uma imitação.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natanael B. 11-07-2016 20:14
Só não vai sair falando "ICAR", Everton, que aí fica muito na cara.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # JB 11-07-2016 16:32
E é mesmo. Por que será?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Lucas Farias 10-07-2016 22:41
Acho que vocês conversaram com o meu pároco antes de fazerem a última imagem do post. A do Mestre dos Magos. kkkkkkkkkkkkkkk
Responder | Responder com citação | Citar
0 # josemar 10-07-2016 17:21
a missa nova tem muitos equivocos como por exemplo e numa mesa dando ideia de refeiçao o missal precisa de reforma nao basta pedir tem que ordenar
Responder | Responder com citação | Citar
0 # alessandro 09-07-2016 19:11
a proposta do cardeal sarah, e o que queria sacrosactum concilium, ele so esta fazendo o que pede o documento.eu mesmo ja participei de algumas santas missas, e gosto muito mais, muito mais mesmo, desta forma.seria uma grande graca se pegasse,no meu ver seria um novo despertar do culto eucaristico, os fieis iriam adquirir uma conciencia mais profunda do dogma da presenca real de cristo neste divino sacramento.alias essa forma que propoe o cardeal, e cheia de sacralidade, e a celebracao se torna muito mais centrada em cristo, enquanto a forma atual e muito centrada no homem.para os sacerdotes entao seria mais vantajozo ainda,porque se concentraria mais naquilo que esta fazendo. SAO JOAO MARIA VIANEY DISSE QUE O PADRE VIVE MAL SEU MINISTERIO PORQUE REZA A MISSA DISTRAIDAMENTE com pouca devocao.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Guilherme 09-07-2016 18:54
Enquanto não houver um documento e a orientação tiver força de lei, infelizmente será visto só as palavras de um cardeal Africano"Romanizado"... Esperemos o advento.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Leniéverson 10-07-2016 00:24
Exatamente, para que se tenha força, tem de ser uma lei, não um convite. O Papa Francisco deveria criar uma a partir dessa questão.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 09-07-2016 18:05
Um leitor comentou na nossa fanpage: "Algo que não fora observado é que na maioria das Igrejas modernas o sacrário (Símbolo máximo do Cristo presente na Celebração) não se encontra no centro do Oriente, mas sim em capelas laterais ou locais pequenos e mais reservados (em algumas Igrejas não possui sequer alguma imagem de Cristo atras do altar central). Nesse caso, não teria lógica o celebrante virar-se para o Oriente para celebrar contemplando Cristo. Estou certo?" RESPOSTA: Está certo. Acontece que é muito fácil adaptar o altar afastado da parede do presbitério, para se tornar um altar apropriado para o rito "ad abside". É simples colocar um tabernáculo móvel sobre o altar-mesa. Veja esse vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=8JkyiErLho8
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 10-07-2016 12:18
Que lindo, uma altar frio par a uma altar descente para tornar presente o único e mesmíssimo sacrifício de Cristo no Calvário. Há Igreja que ainda conservam aos altares antigos encostados na parede, como nas igrejas barrocas, por exemplo, bem que estes altares poderiam vir a ser utilizados novamente. Só uma pergunta, no vídeo como em outros que já vi, e até me fotos mais antigas, há 12 velas no altar, estas 12 velas representam os 12 Apóstolos?.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Mons. Sérgio Costa Couto 09-07-2016 15:22
Quem tiver o _Introdução ao Espírito da Liturgia_ de J. RATZINGER, pode ver toda a discussão histórica e teológica no capítulo 3 Tem em português (Paulinas e Loyola publicaram), mas a minha edições pdf e livro é italiana. Capitolo terzo L'ALTARE E L'ORIENTAMENTO DELLA PREGHIERA NELLA LITURGIA Acabei de achar em espanhol: http://www.traditio-op.org/Liturgica%20Rito%20Latino/El_Espiritu_de_La_Liturgia_Ratzinger.pdf Começa na p. 96 do livro ou 52 do pdf. Interessante também, do então Cardeal Ratzinger, é um prefácio a outra obra que encomendarei. http://www.30giorni.it/articoli_id_3510_l6.htm Versus Deum per Iesum Christum “A direção última da ação litúrgica, nunca totalmente expressa nas formas exteriores, é a mesma para o sacerdote e para o povo: voltados para o Senhor”. A introdução do decano do Sacro Colégio ao livro de Uwe Michael Lang do cardeal Joseph Ratzinger
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 09-07-2016 12:47
É bom que os padres que sigam a orientação trabalhem, caso seja possível, para trazer os sacrários para trás do altar quando rezarem versus Dei. Isso ajuda na catequese da coisa.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Mons. Sérgio Costa Couto 09-07-2016 12:37
É uma proposta, não uma ordem. O povo já sofre demais com a situação "cada padre, uma Missa diversa". Há igrejas em que isso pode ser feito com muita facilidade; em outras é difícil ou praticamente impossível. Nesses casos não vale a pena mudar, já bastam os desastres arquitetônicos, com mudanças que nunca foram obrigatórias. Na liturgia atual a posição sacerdote e povo na mesma direção se limita à Oração Eucarística e Pai Nosso. É assim na maioria dos ritos católicos e ortodoxos. Nunca se deixou de celebrar assim: inclusive na Basílica de São Pedro, nos vários altares , mas sobretudo na Missa de hora em hora no altar de São José. O Cardeal recomenda tranquilidade e prudência. Durante todo período de festa (5—15 agosto), já que tempos, novena, Bênção do Santíssimo e apresentação de concertos num presbitério muito pequeno, sempre celebrei assim sem provocar maiores problemas. O mesmo sempre fiz em casamentos com Missa pois meu espaço só dá para os noivos se tirar o altar móvel. Não se celebra exatamente como na "forma extraordinária " há indicações precisas , pois se vira para as saudações. Tranquilidade. O mais importante é a mensagem: Deus ao centro, não o celebrante ou a comunidade. Como dizia o Cardeal Biffi: _Gesù non ha mica detto "fatte questo in memoria di *voi*"..._ PS. _Pessoalmente não gosto de revoluções nem a meu favor._
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 09-07-2016 12:52
Monsenhor, sua visão sobre esse tema é muito relevante. Ficamos honrados com seu comentário, aqui. Obrigada!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Melo 09-07-2016 11:28
A notícia não nos vem de Roma.Entenda porque a fala do Cardeal Sarah não tem força de orientação universal para a Igreja http://joaomelo10.blogspot.com.br/2016/07/sugestao-do-cardeal-sarah-prefeito-da.html?m=1
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 09-07-2016 12:28
"...a fala do Cardeal Sarah não tem força de orientação universal para a Igreja". Isso nós deixamos claro na primeira frase do post. Quanto à conferência ter ocorrido em Londres, isso não muda o fato de que Sarah é prefeito da Congregação para o Culto Divino - que é sediada em Roma, e que seu convite não se restringiu ao clero local londrino, mas se estendeu aos sacerdotes de todo o mundo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Geraldo 09-07-2016 23:41
Não tem força universal, mais ou menos...Pois à medida que Sarah repete apenas a Sacrossanctum Concilium do Vaticano II que jamais mandou fazer uma boa parte das mudanças litúrgicas que vimos depois, ele retoma o que sempre foi oficial e que foi se perdendo aqui e ali, por desobediência. Certamente, dada a situação já criada agora, Roma não quererá levar a coisa a ferro e fogo, nem é o estilo do atual papa e nem amadurece a igreja que precisa ir compreendendo a motivação profunda das escolhas feitas. Mudar sem a devida formação litúrgica para entender porque se "muda" (na verdade se volta ao real Concílio Vaticano II e se evita a sua distorção) e vejo a iniciativa do Cardeal Sarah como um empenho para promover a formação e o aprofundamento. E os porquês teológicos e litúrgicos estão muito bem dados e fundamentados. Com efeito é muito estranho que uma liturgia que alimentou a fé de inúmeros santos e gerações cristãs se veja marginalizada quase como herege da noite para o dia e formas absolutamente bizarras de celebrar ganhem imediata cidadania na igreja, como vimos inúmeras vezes. A única coisa com a qual se deve tomar cuidado, contudo, e sobre a qual Bento 16 alertou naquele documento onde ele autorizava o uso do latim (Summorum Pontificum) é não ideologizar a missa antiga, como sendo a única missa verdadeira. Motivo pelo qual o papa Francisco andou proibindo um ou outro grupo de celebra-la sem autorização episcopal (ou todos? não me lembro.). Mas creio que com o tempo, a celebração católica tenderá a recuperar algumas de suas características seculares. E é curioso como alguns grupos defendem a identidade do rito budista, do candomblé, etc., mas quando se trata da nossa identidade ritual, fazem o maior pouco caso. É uma característica do nosso tempo: pluralidade cultural para defender todas as identidades culturais, menos a católica.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Geraldo 09-07-2016 23:49
Deixei uma frase incompleta acima:'Mudar sem a devida formação litúrgica para entender porque se “muda” (na verdade se volta ao real Concílio Vaticano II e se evita a sua distorção) ... COMPLETANDO:... pode não promover aquela participação consciente que o Vaticano II quis. Essas reflexões sobre a Sagrada Liturgia sempre me trazem à lembrança a bela e lúcida fala da poeta Adélia Prado: https://pt.zenit.org/articles/missa-e-como-um-poema-nao-suporta-enfeite-nenhum-diz-adelia-prado/ E de BELEZA (que é algo essencial na liturgia) Adélia entende!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Iuri 09-07-2016 03:19
Culto Tradicional na igreja luterana: https://www.youtube.com/watch?v=aScEafplQ4w
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Iuri 09-07-2016 03:10
Outra coisa, parece tão óbvio a direção da missa (renovação do sacrifício de Jesus oferecido a Deus) ser voltada para o altar, a partir do ofertório. Pasme-se, mas assim, ate hoje, rezam os luteranos! https://www.youtube.com/watch?v=S65ZDd4YIBM
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Iuri 09-07-2016 03:03
Gente, pelo menos aqui em Salvador, no geral, o clero não tá rezando o Gloria integral nas missas dominicais e solenes, nem usando casula, nas missas feriais, que é OBRIGATÓRIO, enquanto prescrições da IGMR: que dirá de se aderir a uma sugestão...! Sinceramente, viu! É fogo se ouvir missa em algumas igrejas de Salvador. Não bastasse a pobreza em matéria de letra e canção de música litúrgica (violão mal tocado, voz melosa e versos que aludem ao comunismo, não se segue à risca a IGMR, coisa que considero fundamental, essencial (não pra validade da missa, mas para sua liceidade, pra sua "suportabilidade", por assim dizer, esteticamente). Será que se o Vaticano punisse certas omissões, como a do Gloria, que em não poucas paróquias há, e que me parece absurdíssima, pois sua omissão é expressamente proibida, e ordenasse a missa voltada para o altar-mor, sob pena de pecado mortal, as coisas não mudariam??? Olhe... Deixe-me parar por aqui. Sou apenas um leigo. O clero sabe o que faz e é incumbência dele decidir essas questões...
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade