Publicidade
Quinta, 07 Julho 2016 01:49

Anticoncepcionais transformam peixe-espada em sereia Ariel

Postado por

peixe_afeminado

Os cientistas atestam: os resíduos de anticoncepcionais nas águas dos rios estão fazendo com que peixes macho adquiram características femininas. O tratamento do esgoto não remove o hormônio sintético feminino eliminado na urina das mulheres que tomam pílulas contraceptivas, e o resultado é esse.

O problema foi descoberto na década de 90. Mais recentemente, um estudo liderado pela canadense Karen Kidd indicou que os peixes macho afetados apresentaram menor quantidade de esperma fértil, e alguns deles chegaram a produzir óvulos em seus testículos. Que babado!

O United States Geological Survey (USGS) publicou uma nota dizendo que se essa tendência continuar, pode-se esperar nas futuras gerações um potencial de decréscimo nos números globais da população de peixes.

Se a poluição hormonal está gerando redução da fertilidade e inversão sexual em populações inteiras de peixes... será que os seres humanos também não estão sendo atingidos de modo similar? Afinal, consumimos peixes de água doce, e a água que bebemos também vem dos rios. A resposta é: provavelmente SIM!

cuspe

Cientistas da Universidade de Brunel e da Universidade de Exeter vincularam a presença de hormônios femininos sintéticos na água potável ao aumento de problemas na fertilidade masculina. Sendo assim, podemos também desconfiar que que, além de menos férteis, alguns homens podem se tornar também afeminados, especialmente as crianças (e isso explicaria, em parte, o aumento do número de casos de meninos que alegam ser "meninas presas em um corpo de menino"). Os cientistas não afirmaram nada a esse respeito, mas convenhamos: tem lógica, não tem?

PAULO VI TINHA RAZÃO

Quanto mais o tempo passa, mais fica evidente que o Papa Paulo VI sempre esteve certo. Esse homem foi contestado, esculachado e tomou pedrada de todos os lados – até mesmo de grande parte do clero – quando, em 1968, publicou a encíclica Humanae Vitae, condenando uso de meios artificiais para evitar a vinda de filhos, inclusive o uso da pílula anticoncepcional.

É triste reconhecer que o povo católico, em sua maioria, se rebelou contra o ensinamento do sucessor de Pedro e aderiu à mentalidade de que fazer sexo sem ter filhos é um direito. Hoje, quase cinco décadas depois da publicação daquela profética encíclica, o número de cristãos no Ocidente é cada vez menor, não só pela secularização crescente, mas também pelo baixo número de nascimentos.

Sim, as mulheres que usam pílulas anticoncepcionais e seus parceiros – que cobram delas sexo sem risco de gravidez – são culpados por essa situação. Um mundo com homens afetados em sua masculinidade, um mundo com cada vez menos bebês: eis que o capeta contempla sua obra e sorri.

Vale lembrar que o uso terapêutico da pílula anticoncepcional é permitido pela Igreja. Nesse caso, a mulher toma pílula não porque deseja evitar filhos, mas para tratar uma doença – então não é pecado, pois sua intenção é pura. Entretanto, mesmo nesses casos, vale pesquisar se não há um tratamento alternativo (mesmo se a mulher for solteira e não tenha vida sexual ativa). Síndrome de Ovários Policísticos, por exemplo, muitas vezes se resolve com dieta e exercícios específicos.

Fontes em português: BBC, G1 e Notifan

Fontes em inglês: Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), Universidade de Brunel e USGS Columbia Environmental Research Center.

6720 Quarta, 21 Dezembro 2016 19:50

Comentários   

0 # Maristela Dos Reis G 27-05-2017 22:22
Boa Noite . Gostaria de partilhar uma experiência.
Minha mãe sempre tomou anticoncepcional, só parou para engravidar isso há 23 anos. Depois que nasci minha mãe continuou a usar o medicamento. No ano de 2011 minha mãe sofreu dores fortes e foi diagnostica com um tumor no figado, motivo o uso de anticoncepcional. Foi encaminhada para Barretos, o tumor era do tamanho do figado, o medico retirou o uso do anticoncepcional se o tumor não regredisse de tamanha seria necessário uma cirurgia. O tumor regrediu drasticamente. Hoje ela passa bem. Os médicos geralmente receitam o uso de anticoncepcional para mulheres, e adolescentes (no caso de amigas por causa das espinhas), porém ninguém dele informa a consequência do uso. E principalmente quantos abortos ocorrem por causa deles. #Emdefesadavida#
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Israel 15-01-2017 01:43
Existe algum estudo sobre a mãe que usa contraceptivos enquanto amamenta? Será que nossos bebês já não recebem uma carga alta de esteogênio ou progesterona dessa forma?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Renato Losa 26-12-2016 10:12
O Catequista,É uma afirmação injusta dizer que os anticoncepcionais podem matar?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Elton 09-07-2016 14:44
E OS ABORTOS OCULTOS, NEM SE FALE! Eis abaixo a max contraindicação! A mulher que usa anticoncepcionais, em cada relação, tem 50% de conceber ou não, ou seja, o óvulo é fecundado, sendo que a pílula não permite a nidação desse óvulo fecundado no útero - JÁ É UMA VIDA, APESAR DE SEU TAMANHO MICROSCÓPICO - e disso ocorrem os chamados ABORTOS OCULTOS! As mulheres que usarem esse e mais métodos de expulsão do óvulo de uma ou outra forma nessa situação, no JUÍZO FINAL terá de responder, além dos pecados pessoais e de não sei mais quantos abortos, dos quais nem imaginaria ter praticado em vida! Não compensa jamais esse grave e iminente risco!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sávio Breno 09-07-2016 14:17
No caso do uso de anticoncepcionais para tratamentos de saúde, é aconselhável que a mulher mantenha a abstinência com seu marido enquanto durar o tratamento, pois a pílula pode ter efeito abortivo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # LUIZ 08-07-2016 18:37
Prezado João, agradeço a resposta e a dica de leitura. De fato já havia estudado esta parte do catecismo e entendido a questão. O difícil, entretanto, é passar isso às pessoas e fazê-las compreender a doutrina, uma vez que normalmente dizem que o que importa é respeitarem o sexto mandamento, independentemente do método contraceptivo que utilizem.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Eduarda R Silva 08-07-2016 12:16
Eu curso pós graduação na área de gestão ambiental e na matéria de química o professor nos apresentou um artigo sobre esse tema na sala de aula (a contaminação da água por resíduos de usuárias do anticoncepcional). E ele fez a pergunta para as alunas, quem usava anticoncepcional entre elas e infelizmente a maioria levantou a mão. É triste ver que o Senhor nos deu um lar para vivermos e cuidarmos e o homem só "olha para o seu próprio umbigo"! Não sabendo que suas más ações, ele mesmo será o maior prejudicado!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Leonardo Alvares 08-07-2016 07:34
oi eu li uma passagem no catecismo que me deixou confuso pelo que entendi ela afirma que os muçulmanos podem ser salvos sem se converterem: 841. Relações da Igreja com os muçulmanos. «O desígnio de salvação envolve igualmente os que reconhecem o Criador, entre os quais, em primeiro lugar, os muçulmanos que declarando guardar a fé de Abraão, connosco adoram o Deus único e misericordioso que há-de julgar os homens no último dia» (334).
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Izabel Soraia 07-07-2016 17:44
Li uma pesquisa a aproximadamente dois anos que apontava para a possibilidade de, sim, os homens também estarem sendo afetados. Me lembro claramente de um trecho que afirmava, que descobriram um percentual elevado de meninos nascidos com um distancia menor do anus para a genitália, que seria uma característica feminina, e uma leve acentuação mamaria. Vou tentar encontrar esse texto e coloco aqui. Também a muitos anos vi o episódio de uma série que levantava esta questão. Um adolescente homem que tinha algumas características femininas, como seios (naturais) que sofria buling (é assim que se escreve?) na série a família processava o estado por não alertar a população de que as águas poderiam estar contaminadas com resíduos de anticoncepcional. SOCORRO!!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João 07-07-2016 17:33
A CATEQUISTA, O estudo da Nature que vc citou só afirma que o EE2 está contaminando as águas, mas não conclui que a pílula é a principal fonte de EE2 nas águas. Como os estudos mostram, EE2 pode ser encontrado até em fertilizante, ração de gado e produtos industriais. Não há nenhuma prova que a pílula é a fonte principal (ou uma das principais) do estrogênio (EE2 é estrogênio sintético) na água.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Felipe Torres da Silva 09-07-2016 01:34
Oi João, a paz!Talvez eu possa ajudar com alguns esclarecimentos. Sou estudante de Engenharia Ambiental e meu projeto de pesquisa foi exatamente este tema: a feminização de peixes-macho devido a ação de desreguladores endócrinos. Bom, primeiramente, de fato vc está certo em dizer que não são somente as pílulas que contaminam as águas com essas substâncias estrogênicas. A principal fonte de contaminação das águas dos rios com desreguladores endócrinos não são nem a indústria, nem a agricultura (carga difusa), mas o esgoto doméstico, no qual encontramos hormônios naturais como o 17b-estradiol, a estrona e o estriol, e sintéticos, como alquifenóis (de detergentes) e 17a-etinilestradiol (EE2). O EE2 se refere ao 17a-etinilestradiol, e não à outras substâncias sintéticas estrogênicas, logo, a fonte de EE2 são somente as pílulas anticoncepcionais ou remédios de reposição hormonal, pois é para isso que são desenvolvidas em laboratório. Por serem sintéticos, com estruturas muito maiores que os hormônios naturais, o EE2 é mais resistente à degradação natural que os hormônios naturais, o que já é uma preocupação a mais. Entretanto, gostaria de puxar a discussão para outro foco, pois a questão aqui não é qual substância tem em maior quantidade ou não. Todos esses desreguladores endócrinos estrogênicos chamam a atenção da comunidade científica pois pertencem a uma classe de poluentes chamada micropoluentes. Isso significa que em concentrações baixíssimas eles já produzem efeitos catastróficos, na ordem dos nanogramas por litro ou microgramas por litro. Elas sempre serão encontradas em quantidades baixas, mas já causando grande impacto. Apesar de haver muito mais 17b-estradiol (E1) nos rios, muito mais E1 é necessário para se conseguir o efeito do EE2. Portanto, não é bem a comparação entre as quantidades que deve ser parâmetro. Outra coisa, por serem micropoluentes, as quantidades sempre vão ser muito baixas em relação aos poluentes comuns.Mas isso não altera a gravidade da situação. Aqui no site não foi apontado que apenas existe o EE2 nos rios, mas se frisou que o EE2 causa feminização. Isso é fato. Todos os desreguladores endócrinos estrogênicos causam, entre eles o EE2. Mas precisamos ir além do pensamento: já que ele não é o único que causa, deixemos como está. Como não tem como deixarmos de produzir hormônios naturais, pois eles são sintetizados e excretados pelo nosso organismo, temos que aperfeiçoar os sistemas de tratamento de esgoto com tratamento avançados que visem a retirada de micropoluentes. Entretanto, é possível deixar de produzir o EE2. É o princípio da Não Geração visando a qualidade ambiental. A maneira correta de pensar não deve ser: "CONTINUEMOS PRODUZINDO QUE DEPOIS VEMOS COMO FAREMOS PARA TRATAR". Isso é pensar no corretivo, mas na área ambiental, é muito mais eficaz trabalhar no preventivo. Então, se é possível a utilização de medidas alternativas que não utilizem o EE2, ou pelo menos diminuam seu uso, optemos por elas. E aqui quero insistir na castidade, que faz com que nem seja consumida tal substância, e tbm no uso de outros medicamentos para tratamento que não a pílula, que não trata de vdd apenas mascara os sinais do seu corpo em relação ao seu ciclo. Esse princípio da não geração vale tbm para as outras classes de desreguladores endócrinos sintéticos Assim, podemos focar nas tecnologias para remoção dos hormônios naturais apenas (por vezes mais baratas que as que removem os sintéticos). Assim, pensamos nos três pilares da sustentabilidade: o beneficio ecologico, o beneficio economico e o beneficio ambiental. Se caso te interessar, posso te passar o relatório do meu estudo, onde verifiquei claramente a feminização de peixes-macho expostos ao E1. Se interessar, só passar-me seu email que te encaminho. Abração.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 09-07-2016 18:10
João, agradecemos muito a sua explicação! Em suma, é o que dissemos: o tal artigo que coloca a colaboração das pílulas anticoncepcionais na poluição hormonal das águas como "mito" é apenas um panfleto ideológico, que contraria as evidências científicas.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Eslaine 07-07-2016 15:41
Na época que cursava técnico em química, um tcc foi feito sobre este tema, as empresas que fazem o tratamento da água não removem os hormônios presentes na água pois encarece o tratamento e o que chega às nossas torneiras é uma água com hormônios e neste msm estudo é comprovado que afeta a fertilidade dos homens. Eu já tomei pílulas mas foi para tratamento de acnes, sempre tive muitas e a causa era desregulação hormonal, tomei para este fim apenas, as acnes diminuíram bastante então depois parei, sou solteira e vivo em castidade, a questão é a finalidade, dependendo do tratamento é necessário mas o objetivo nem sempre é evitar filhos ou ocasionar infertilidade em homens, animais, etc, Deus sonda nosso coração!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Luana 07-07-2016 15:40
Não pratico sexo e usava até ontem anticoncepcionais para regularizar a menstruação que atrasa muito e me deixa toda inchada, não fazia ideia do mal que causava e acreditava que era proibido por provocar abortos ocultos em mulheres que mantém a prática sexual. #pilulaanticoncepcionalnuncamais
Responder | Responder com citação | Citar
0 # LUIZ 07-07-2016 13:06
Boa tarde Catequista! Primeiramente gostaria de parabenizar o trabalho de vocês pois acompanho o site há tempos e é de grande utilidade este instrumento para levar a Sã doutrina para todos nós leigos católitos que amam a Igreja, mas que necessitam cada vez mais conhecimento para seguir os passos da Esposa de Cristo aqui na Terra. Tenho uma dúvida relacionada ao tema: minha esposa e eu utilizamos o método billings há alguns anos com sucesso exatamente pelos malefícios dos anticoncepcionais no corpo da mulher. Entretanto, apesar de já ler muito sobre o tema, inclusive os documentos da Igreja, não consigo chegar à conclusão, do ponto de vista moral, a respeito da questão da imoralidade dos métodos artificiais em relação aos métodos naturais, desde que ambos sejam para o espaçamento por tempo indeterminado no nascimento dos filhos. Sei que o fundamento é o Sexto Mandamento, Dogma da Castidade, mas até que ponto o método em si é fundamental para obedecermos ao aludido dogma? A dupla função do matrimônio - unitivo e procriativo - devem estar presente em cada ato sexual ou ao longo da própria vivência do sacramento? Desculpe-me por alongar nas perguntas, mas é que são dúvidas que me acompanham há muito tempo e não encontrei ou não compreendi uma resposta satisfatória até então. Quero viver a fé e os mandamentos da Igreja e estar sempre pronto para dar a razão da nossa fé àqueles que porventura me indagarem também. Muito obrigado!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João 07-07-2016 15:14
LUIZ, Talvez este texto, em inglês, esclareça a questão: http://www.patheos.com/blogs/davearmstrong/2006/05/dialogue-on-contraception-natural.html
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João 07-07-2016 15:05
LUIZ, Permita-me responder. Sua dúvida é: Qual a diferença moral entre os métodos naturais e os artificiais? Talvez os pontos 2368 e 2370 do Catecismo o ajudem. O grande X é que apenas os métodos naturais "respeitam o corpo dos esposos, estimulam a ternura entre eles e favorecem a educação duma liberdade autêntica". Traduzindo: apenas nos métodos naturais que os esposos aprendem a "se doar", doar seu desejo, dominar sua vontade por amor. Os métodos artificiais não demandam nenhuma virtude moral para funcionar: basta tomar a pílula (por ex.) e pronto. Ou seja, a meu ver, os métodos naturais também fazem esse papel de "catequese moral": ensinam os esposos a se respeitarem e dominarem sua vontade. Eles aprendem a viver conforme a vontade de Deus, expressa nos ciclos de fertilidade da mulher.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Pamela 14-07-2016 13:07
Olá Luiz! se eu puder contribuir um pouco... Na minha cidade, Brasília, nós temos um trabalho incrível do grupo de metodos naturais (http://www.metodosnaturais.com.br nesse site há várias informações legais!) e na última formação que eu participei trataram justamente sobre o uso de pílula anticoncepcional. Gostaria de dividir um pouco :) A pilula tem 4 frentes de atuação: 1. Atua mudando o ph do canal vaginal da mulher, funcionando como um espermicida, mas de longe não é suficiente e muitos espermatozoides passam ilesos. 2. Atua impedindo a ovulação. Se fosse 100% garantido, até aqui poderíamos falar apenas do aspecto moral dessa discussão, porém em pelo menos 1 ciclo em cada ano, mesmo com o uso desse remédio, a mulher irá ovular. 3. Então para evitar que óvulos fecundados consigam chegar ao útero para nidar, a pílula atrofia os cílios que ajudam a empurrar a nova vida ao útero. Assim não é possível a nidação (aborto oculto) ou acontecem os casos de gravidez nas tubas (que causa uma gestação de risco). 4. Se ainda assim o embriaozinho conseguir chegar ao útero, a pílula age de forma a deixar fina o endométrio, não sendo forte o suficiente pra sustentar o embrião quando tentar nidar, causando aborto oculto. Conclusão: a pílula é moralmente questionável e isso é super importante na nossa vida espiritual, mas ela é também abortiva. Os métodos naturais são um sinal do amor de Deus!! A perfeição do ciclo reprodutivo da mulher :)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Israel 15-01-2017 01:48
Lembrando que os métodos naturais também são IMORAIS quando não há um motivo grave para se evitar novos filhos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João 07-07-2016 12:27
Coincidência ou não, pesquisava esse assunto no dia 20/06/2016. O que percebi é que estes estudos demonstram que a contaminação por ESTROGÊNIO leva à feminização dos peixes. A grande questão é: de onde vem a maior parte do estrogênio que chega aos rios? Este artigo de 2011 (http://www.arhp.org/publications-and-resources/contraception-journal/august-2011) mostra que as pílulas têm baixíssima participação no total de estrogênio que contamina a água, de forma que as principais fontes de contaminação são: fertilizantes agrícolas (como a Atrazina), estrogênio sintético ou natural do gado, e um número desconhecido de produtos químicos, como o aditivo plástico Bisfenol-A (BPA). Ou seja: não temos certeza se os anticoncepcionais são os vilões da contaminação ambiental.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 07-07-2016 13:20
Traduzo aqui um trecho do artigo que está nesse link: Algumas das coisas que o corpo humano consome não são absorvidas e são excretadas, incluindo o estrógeno sintético encontrados em contraceptivos hormonais, etinil-estradiol (EE2). Cientistas de todo o mundo estão testando águas residuais para efeitos de EE2 sobre a vida selvagem aquática. Claro EE2 não é a única sustância química à qual os peixes (ou pessoas) são expostos, mas foi identificado como o estrogênio sintético mais potente nas águas residuais e é considerado um "disruptor endócrino" (disruptor hormonal) e contaminante de crescente preocupação. O EE2 é muito mais resistente ao tratamento de águas residuais do que o estrogênio natural e acaba em rios e lagos. Estudos documentam os efeitos deste produto químico sobre a fauna aquática, mesmo em partes por trilhão. Cientistas observaram mudanças em órgãos sexuais de peixes de água doce do sexo masculino expostos a EE2. Os machos pareciam fêmeas. Tecidos dos ovários apareceram em peixes machos. Comportamento de acoplamento alterado. Alguns machos produzidos óvulos, mas não esperma. As fêmeas produzidos ovos, como sempre, mas as taxas de sobrevivência diminuiram. Em diferentes graus de exposição, as mudanças levaram à falha reprodutiva. Em algumas espécies, a população de estudo caiu. Essas observações vieram de um estudo da Universidade de Vermont, mas muitos outros têm documentado os mesmos efeitos desde o final dos anos 1970. Em novembro de 2012, o Parlamento Europeu considerou mesmo uma proposta para regular EE2 que abruptamente corte os níveis de poluição. Sob pressão política, industrial e econômica, votaram não. ' Nós observamos as intervenções dos defensores de contracepção hormonal e não ficamos surpresos. "Hormônios do controle da natalidade em água: Separando o mito do fato", é um editorial do Contraceptive Journal, que observa que o estrogênio sintético não é o único desregulador endócrino, nem mesmo o único composto de estrogênio em nossa água. Isso nunca esteve em disputa. Mas os escritores subestimam a evidência porque questionam a contracepção: "Porque contracepção ajuda as mulheres a protegerem a sua saúde e a determinarem o número e espaçamento de seus filhos, o uso de qualquer método contraceptivo seguro e eficaz é, em última análise, bom para as mulheres, para suas famílias e para o ambiente." Assim, um produto químico que causa danos para a vida selvagem recebe um "passe" (validação), com a justificativa de que impede um maior suposto perigo para o meio ambiente - as crianças? A ideia de que os seres humanos são "o verme na maçã" do ecossistema não é nova também. À margem, alguns chamam para a extinção voluntária de seres humanos. Mas, apesar do impacto demonstrado do EE2 sobre o meio ambiente, os ambientalistas ainda rotineiramente promovem a pílula para resolver o que consideram o maior problema do planeta: muitas pessoas. A abordagem é "os fins justificam os meios".
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 07-07-2016 13:03
Provavelmente, isso não passa de distorção ideológica. O artigo abaixo responde a essa objeção: http://www.lifeissues.org/2014/10/environmental-hypocrisy/
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João 07-07-2016 13:24
A CATEQUISTA, O artigo que você apresentou CONCORDA com aquele apresentado por mim, sobre o fato da contaminação da água por estrogênio vir de outras fontes além da pílula. A crítica do seu artigo é apenas à apologia dos contraceptivos feita no meu artigo. Veja só: "We looked for input from advocates of hormonal contraception and were not surprised. Birth Control Hormones In Water: Separating Myth From Fact, an editorial in Contraceptive Journal, notes that synthetic estrogen isn’t the only endocrine disrupter or even the only estrogen compound in our water. That’s never been in dispute." Ou seja, dentre tantos malefícios, ainda não podemos acusar a pílula de ser a maior responsável pela contaminação da água.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 07-07-2016 13:34
Não concorda. Porque o seu artigo diz que as pílulas têm contribuição pouco relevante para esse desequilíbrio ambiental. Já o artigo que apresentei apenas pontua que a pílula, de fato, não é a única fonte dessa poluição, mas discorda totalmente que seu impacto seja pequeno.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João 07-07-2016 18:05
A CATEQUISTA, O estudo da Nature (ao menos o trecho que vc citou) não prova que a pílula é a principal fonte de EE2 na água, ele só diz que existe contaminação por EE2. Mas de onde vem esse EE2? É o que venho dizendo desde o primeiro comentário. Existem outras fontes de estrogênio (seja o natural, E2, ou sintético, EE2) que contaminam a água. Essas fontes respondem pela maior parte da contaminação, enquanto a participação da pílula é ínfima. O primeiro estudo que eu citei comprova isso. Eu até baixei a referência que foi utilizada como base desse estudo, a saber, Are Oral Contraceptives a Significant Contributor to the Estrogenicity of Drinking Water?, de Wise e O'Brien para ter certeza do que escrevo. Então, existem outras fontes de estrogênio que poluem as águas. A pílula responde por uma parcela muito pequena dessa contaminação. Assim, se é pra falar da contaminação por estrogênio, melhor criticar o uso de fertilizantes, hormônios em rações e produtos químicos. São eles os responsáveis pela maior parte do estrogênio na água.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João 07-07-2016 14:38
A CATEQUISTA, Ainda assim, não foi comprovado que a pílula é a maior responsável pela contaminação por estrogênio. Aliás, os estudos citados como referência no meu artigo, especialmente o n. 8: Wise A, O'Brien K, Woodruff T. Critical review: are oral contraceptives a significant contributor to the estrogenicity of drinking water?. Environ Sci Tech. 2011;1:51–60 O seu artigo critica a hipocrisia dos ambientalistas e cientistas: são cheios de defender a natureza mas não dão um pio sobre a contaminação por estrogênio, em nome de uma agenda (a agenda contraceptiva). Nada disso muda o fato de que a pílula tem participação pequena na contaminação da água por estrogênio. Sendo assim, não faz sentido culpar a pílula pela contaminação. Ela causa muitos males, não esse mal específico. Ou como disse o Maluf ao ser questionado sobre o Petrolão: "Nesse (esquema) eu não participei!"
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 07-07-2016 16:44
Trecho de um estudo publicado na revista Nature (uma importante referência no meio científico), que desmente a ideia de que a pílula (com estrogênio EE2) tem participação pequena na contaminação da água por estrogênio. "O 17α-etinilestradiol (EE2) é um componente de contraceptivos orais combinados concebidos para as mulheres, dos quais aproximadamente 16-68% da dose é excretada na urina ou fezes. Uma quantidade substancial de EE2 tem sido encontrada em ambientes aquáticos a jusante das estações de tratamento de águas residuais. EE2 é fortemente estrogênicas, ao passo que o BPA tem mais fraca atividade estrogênica através de receptores de estrogênio nucleares. Em contraste, a atividade de BPA mediada por receptores de estrogênio associada com a membrana celular é igual ao do estradiol. Ambos os compostos estão presentes em água em concentrações que sejam suficientes para afetar o desenvolvimento, regulação osmótica e reprodução em organismos aquáticos. http://www.nature.com/articles/srep09303
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Karen Medeiros 07-07-2016 11:59
Se os catequistas permitirem, segue o link do estudo completo, para quem se interessar. ;) Deus os abençoe catequistas! http://m.pnas.org/content/104/21/8897.full
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 07-07-2016 12:06
Obrigada, Deus te abençoe também!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # J 07-07-2016 11:52
Fora isso, um segredinho: a pilula não trata NADA. Apenas desliga o mecanismo feminino, varre pra debaixo do tapete, mascara sintomas apenas por desligar a máquina cíclica que somos. Então por mais q médicos digam isso, não. Não existe uso terapêutico da pilula. Flw vlw
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 07-07-2016 12:05
"Então por mais q médicos digam isso". Difícil, porque a indústria dos anticoncepcionais é trilhardária, e com certeza deve sobrar algum pixuleco para alguns médicos que receitam esses medicamentos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Samara 26-07-2016 11:51
Infelizmente, fui convencida, aos 19 anos, a tomar anticoncepcionais. Eu me lembro de ter perguntado várias vezes à ginecologista se era mesmo necessário, enquanto ela, com uma expressão que fez com que eu me sentisse profundamente constrangida por questionar, dizia apenas: "eu não quero que você engravide, entendeu? Só isso". Não me deu maiores explicações, apenas disse que eu TINHA que tomar. E assim o fiz. Ela era a médica, eu uma pessoa no fim da adolescência. Não frequentava mais sequer as missas de domingo e meus pais, então, nem se fale! Eu me sentia sozinha, era sozinha, e embora eu tenha permanecido virgem até ali, um namoradinho qualquer, que se dizia católico, me convenceu de que não havia nada de errado em fazer sexo sem ser casada (e até mesmo ficou bravo quando me recusei a ceder aos pedidos dele). Acontece que eu cedi. Imbecilmente, eu cedi. E eu me arrependo profundamente, todos os dias, por isso. E por ter tomado anticoncepcionais. Venderam-me a ideia de que era o normal, o certo, e eu comprei a ideia. Relutantemente, mas cadê a orientação correta? Sabia que sexo naquelas circunstâncias era errado e me arrependi logo depois, mas o mundo me disse que estava tudo bem e eu queria que estivesse. Acreditei. Boba! Mas quanto ao anticoncepcional, eu não fazia ideia! E acho que muitas meninas se encontram naquela mesma situação em que eu estava. Sinto, agora, uma necessidade enorme de informar corretamente essas garotas (e garotos também, por que não?). Mas especialmente elas, diuturnamente induzidas a ingerir anticoncepcionais como se fossem balinhas. Não quero que ninguém mais passe por isso. Eu tomei por pouquíssimo tempo, tive reações terríveis aos anticoncepcionais e outro ginecologista preferiu suspender o uso (ainda bem!). Nunca mais tomei aquilo. E não tomarei. Ah, se eu soubesse... Aos meus filhos, todo o ensinamento católico, se Deus quiser, para que jamais se sintam perdidos ou cedam a esse tipo de tentação!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 26-07-2016 13:48
Meninas ainda muito mais jovens são convencidas por ginecologistas a tomar anticoncepcionais. Já li o relato de uma mulher que disse que, quando ela tinha 10 anos - 10 anos!!! - uma ginecologista deu uma palestra na escola dela, e recomendou às meninas que começassem já a tomar anticoncepcionais, para ganharem "corpo de mocinha" mais rapidamente. Agora me diz, qual o objetivo de uma mula dessas? O que ela pretende? A quem interessa que meninas tão novinhas ganhem mais rapidamente corpo de mulher? Acaso não seria isso um estímulo à sexualização precoce?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Samara 26-07-2016 15:27
Eu me pergunto as mesmas coisas!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Felippe 07-07-2016 11:50
Vocês possuem as referências desses estudos da Universidade de Brunel e da Universidade de Exete, citados no texto?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 07-07-2016 12:02
Sim, aqui está o artigo resumido no site da Brunel University London: http://www.brunel.ac.uk/news-and-events/news/news-items/press/ne_24968
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Samara 07-07-2016 12:00
Há esta reportagem de 2007: http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL40396-5603,00-HORMONIOS+FEMININOS+AMEACAM+PEIXES.html
Responder | Responder com citação | Citar
0 # César 07-07-2016 11:22
Se teve um homem que foi detonado por todos os lados, tanto pela mídia anti católica e tanto quanto pelos comunistas e pelos Rad Trads, esse homem foi Paulo VI.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Amanda G. 07-07-2016 11:18
Eu ouvi isso da fundadora da Comunidade Oásis, do Sul do país, Maria Francisca,num retiro sobre sexualidade e afetividade em Niteroi, no ano passado. Ela falava da grande possibilidade já indicada pela ciência de muitos homens estarem afeminados por causa dos resíduos de anticoncepcional nas águas. Me impactou quando ela disse que até o suor feminino pode exalar esses resíduos. Tenho endometriose e fazia uso do anticoncepcional para regular os sintomas, que são brabos! Naquele mesmo mês eu parei. Sofro mensalmente, mas prefiro assim. Imaginem o que pode acontecer quando a pílula masculina for lançada, como prevê a ciência... Misericórdia.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Nayara 14-07-2016 10:12
Amanda, dá ma lida nesses vários artigos... mudança na alimentação pode ser um alívio sim. http://www.paleodiario.com/2015/05/mulheres-e-dieta-paleo-tudo-num-lugar-so.html
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 07-07-2016 14:52
"Sofro mensalmente, mas prefiro assim". Deus seja louvado pelo seu espírito de sacrifício, por amor a um bem maior. De qualquer forma, pesquise se há tratamentos alternativos que possam te ajudar, como homeopatia, acupuntura ou outra coisa. Abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Afonso 07-07-2016 16:15
Olá. Sigo o blogue e gosto muito. No entanto, gostaria de pedir algum cuidado com as referências à medicina alternativa. A menção da homeopatia é especialmente perigosa, uma vez que é mais uma manifestação do efeito placebo do que propriamente uma medicina. Eu sei que vocês são pessoas bem informadas, e por isso tenho a certeza que isto foi apenas um infeliz lapso.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Janderson 07-07-2016 21:35
Sou leigo neste assunto, na verdade ouvi recentemente sobre tratamentos homeopáticos, vi um rapaz que faz o tratamento homeopático (segundo ele), e ele diz ser uma pessoa fiel a Deus, ele crê em Deus, o que o tratamento dele tem de errado? O que é a homeopatia em si? Este rapaz faz um remédio com uma substância da graviola.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Janderson 09-07-2016 23:40
Eita, ninguém pra me dar um feedback?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # marcos 07-07-2016 10:14
Sua conta está errada: São quase cinco décadas: 1968 a 2016 são 48 anos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 07-07-2016 11:47
Isso mesmo, obrigada!
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade