Publicidade
Sábado, 07 Março 2015 01:32

Catecast 10 - Queimando as Lendas da Inquisição!

Postado por

Oi Povo Católicoooooo!!!!! E o Catecast VOLTOOOOOU! O mais fantástico, aclamado, lindo, cheiroso e gostoso podcast católico está novamente no ar!!!! E desta vez nossa equipe de caçadores de mitos vão derrubar todas as baboseiras que vocês já ouviram sobre inquisição! Ah... e fique atento aos Avisos Paroquiais. Tem mais uma surpresa pra você!!!! Neste Catecast: Alexandre (O Catequista), Viviane (A Catequista), Paulo Ricardo (O Historiador), Bruno Linhares (O Andarilho) e Robby Santos batem um papo muito louco sobre a maior controvérsia da Igreja: a INQUISIÇÃO!  Saiba a verdade por trás das lendas, entenda como e porque tantas acusações foram inventadas sobre esse período, aprenda o qual foi a participação dos "leleks" nessa história toda e fique muito atento ao perigo representado pelas bicicletas infantis!!!  

  FEED PARA iTUNES (e outros leitores de Podcast): Para assinar o CATECAST no iTunes, utilize o seguinte endereço: http://ocatequista.com.br/feed/catecast   CITAÇÕES E AGRADECIMENTOS:

  • Flávia e Cristina da Canção Nova FM de Brasília, que tornaram possível a nossa nova vinheta de abertura;
  • O Legado do Andarilho.
1008

Comentários   

0 # Vitória Cristiane 05-04-2017 16:01
Catequistas, como faço o download dos catecast's?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Robison 12-08-2016 16:49
Excelente trabalho de vocês, estou gostando muito do site. Mas não estou conseguindo reproduzir nenhum Catecast. Um Abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # -Giovanny 14-12-2015 18:30
preciso do email de vcs !!! por favor !!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 17-12-2015 11:49
Responder | Responder com citação | Citar
0 # vicente kerne 24-05-2015 23:20
Gostei muito da formação dada por vocês. Deus abençoe.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Yasmin Gomes 15-04-2015 09:13
Amooo o blog, um verdadeiro instrumento de Deus. E esse Catecast será de grande valia para reunião de crisma que estou preparando com esse tema. Que Deus continue os abençoando.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Victor Martinetti 24-03-2015 16:39
Bom demais esse catecast, aprendi um monte. O único problema e que nao consigo tirar o AH LELEK LEK LEK da cabeza...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Gustavo 23-03-2015 00:50
Olá Catequistas, ansioso pela continuação! Bem, estava eu navegando quando topei com esse post "mucho louco" http://divagacoesligeiras.blogs.sapo.pt/281318.html Aí, autor diz que Santo Optato e Santo Agostinho, queimaram na cidade de Verena, cerca de sessenta homens em um mês. Diz ainda que: "De acordo com uma lei estabelecida pelo Papa Inocêncio IV, o Estado era obrigado a queimar, dentro de um período de cinco dias, todos os prisioneiros condenados que a Igreja lhe confiasse. Todos aqueles príncipes que se recusassem a matar os condenados hereges eram prontamente excomungados pela Igreja." "Mas a mancha mais negra da Inquisição era o tratamento bárbaro dos filhos dos condenados. Quando queimava um homem, a Igreja confiscava suas propriedades. Não permitia aos filhos herdar um único vintém. A esta regra, contudo, far-se-ia uma exceção importante. E esta exceção era ainda mais desumana do que a regra. Os filhos de pais hereges podiam herdar uma parte de suas propriedades, desde que espionassem e denunciassem seus progenitores à Inquisição. Esta lei incrível, estabelecida por Frederico II, foi reforçada no texto da carta por muitos inquisidores e particularmente por Torquemada. De fato, os pais da Igreja não só acreditavam nesta lei, como também se orgulhavam dela. O Papa Gregório IX dizia que fazia bem a seu coração ver como as crianças se voltavam contra seus pais, por amor a Deus. " Acredito que deva se tratar de baboseira protestante, porém, decidi perguntar pois fontes católicas, no caso o Vacandard. Tem algo nesse texto que é verdade?
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Sidnei 23-03-2015 09:04
Gustavo, quando vem uma estória muito louca como esta, em primeiro lugar, verifique se há fonte nestas estória, digo estória, porque isto para mim é pura invencionice, e portanto, não tem nada de história aí no meio. De pois verifique na internet outras fontes, se comprova ou não esta estória, como por exemplo, Santo Optato e Santo Agostinho que mandaram queimar 70 pessoas na cidade de Verena, para começar, estes dois santos nunca pertenceram a Inquisição e a Inquisição ira surgir muito tempo depois, quase 700 anos depois que eles existiram, e esta cidade de Verena fica aonde?, que procurei na interne e não encontrei esta dita cidade. Então não dá para acreditar em tudo que aparece na Internet contra a Inquisição e a Igreja Católica, isto já está virando até loucura por parte desta gente, e assim vai se alimentando o ódio e o preconceito contra a Igreja Católica, muitos vão acreditar e todo sabem como esta história toda pode acabar.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Gustavo 23-03-2015 18:02
Sidnei, muito obrigado pelo esclarecimento. Estou fazendo um artigo para o meu curso de Direito, em defesa da Igreja Católica, sobre a relidade da Inquisição e o Sistema Inquisitório, então é bem comum eu topar com essas mentiras bárbaras, então lá vai eu recorrer ao blog e aos livros. Daí, quando topei com esse citando Santo Agostinho, eu tinha acabado de ver um filme sobre a vida dele, fiquei de nariz torcido, "rapaz, isto não está cheirando bem, não condiz com a visão das coisas que Santo Agostinho transparece ter", sequer me liguei na data! Rapaz, é verdade, Santo Agostinho não viveu nem nos anos 500, imagina chegar aos anos 1000. Essa baboseira vai no mesmo rumo da que fala dos 1000 anos de Inquisição que terminariam em 2125 mais ou menos hahaha.... Obrigado Sidnei! Paz e bem.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 23-03-2015 20:38
De nada Gustavo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Gustavo 23-03-2015 01:13
correção: decidi perguntar pois ele afirma usar fontes católicas*
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Adriano Vilar Oliveira 19-03-2015 16:47
Amados amigos e irmãos em Cristo. Sou membro fundador da Missão Dai-me Almas e gostei bastante do trabalho de vocês e gostaria de propor algumas coisas e eventos. gostaria do contato de vocês para assim podermos nos comunicar melhor. grande abraço e fico no aguardo. Adriano Vilar Missão Dai-me Almas
Responder | Responder com citação | Citar
0 # O Catequista 23-03-2015 13:18
Oi Adriano! Muito prazer. Pode me mandar um e-mail através do Abs! Alexandre Varela
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Junior Almeida 11-03-2015 14:51
Aeeeee. Muito bom. Conheci vocês anos atrás com os primeiros poadcasts sobre conversão, apocalipse... Até que enfim vocês voltaram com o poadcast. Que Deus abençoe e mantenha esse trabalho.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Tiago Sousa 11-03-2015 12:31
Bom dia. Primeiramente gostaria que elogiar e dizer que foquei muito feliz de descobrir que voltou. Descobri o Catecast quando ele já tinha parado e fiquei muito triste por isso, comecei até um projeto com um amigo de fazer um podcast católico, mas agora não precisa :D Mas estou aqui para avisar que deve ter algum problema no feed de vocês. Uso dois aplicativos para Android de podcast. Um reconheceu que tem um novo podcast, mas não consigo baixar, dá pra ouvir, mas gostaria de ouvir em situações que não tenho internet. O outro nem reconheceu a existência de vocês, mas fui lá e adicionei, o problema é que ele reconhece a última atualização em 27/07/2013. Nem o podcast de ressaca da jornada ele reconhece. VIDA LONGA AO CATECAST!!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # O Catequista 23-03-2015 16:46
Oi Tiago e Dáltoni. Peço que tenham paciência porque realmente estamos tendo problemas com o feed. Esperamos que para o próximo lançamento já esteja tudo ok. Obrigado!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Dáltoni 16-03-2015 09:32
Paz e bem povo católico! Tiago, tive o mesmo problema... Acabei baixando pelo notebook... Pelo Android não rolou... PAX
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Lucas Freitas 10-03-2015 11:53
Olá povo do catequest, venho parabenizá-los por esse programa muito esclarecedor, pois sou recém convertido ao catolicismo, e seus programas apenas fazem crer que minha escolha foi a mais correta possível! Obrigado por prestarem esse serviço a todo o povo católico!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Christiane 10-03-2015 12:50
Bem-vindo, Lucas! :)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 09-03-2015 22:39
Agora, eu tenho que dar meus parabéns ao grupo do Catequista: o Alexandre, a Viviane e o Paulo Ricardo e tantos outros que colaboram diretamente, mas que não me vem o nome de imediato. Sabem por que? Porque eu estava dando uma bisbilhotada em muitos artigos, mas principalmente nos comentários, e o blog é tão bom que tem gente que comenta até de madrugada, tem gente que lê até de madrugada, sinal de que o negócio de vocês e vocês são guapos (significado de guapo: destemido, arrojado, valente, valoroso, forte, corajoso, resistente, enérgico, expansivo, perito em algum assunto, que está sempre disposto a tudo). Deus os abençoe e os guarde para poderem continuar sendo a ponta da lança de Deus nesta batalha, porque eu usarei muito daqui, com as devidas referências, para as aulas da minha catequese Pax et bonum. Obrigado!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 10-03-2015 16:47
É verdade, Alex. Eu também me “perco” por aqui… É, de facto um blogue que vale a pena. O que me apaixona neste blogue é que aqui sinto-me em casa, apesar das diferenças ortográficas e culturais, pois encontro-me aqui com pessoas que vivem a mesma paixão por Cristo e pela Igreja que eu sinto, e isso é suficiente para me sentir como em casa. Mas não é só a paixão por Cristo e pela Igreja, é também a forma bem dispota de expressar essa paixão, que me leva a dizer: "estes são cá dos nossos". É que os dinamizadores do blogue sabem ser originais, são rigorosos e fidelíssimos em termos de fé e doutrina mas sabem sê-lo com sabedoria e de forma criativa e bem disposta. Fé, fidelidade à Igreja, humor e boa disposição! Muita categoria! É isso que me leva a visitar o blogue e a comentar, pois quando eu vi um trabalho como este eu disse: “que maravilha! Que obra de divina! Também quero fazer parte desta história!” E depois também os comentadores (quase sempre leigos, ao que me parece) têm aqui contributos muito bons. Não só os blogueiros são excepcionais como também há aqui pessoas a comentar com muita categoria. Isso é "a cereja no topo do bolo": é que são LEIGOS! É fantástico haver um blogue feito por leigos com esta qualidade (bem merecedores do prémio “top blog” que receberam) e que depois tem comentários de leigos que sabem o que estão a dizer, ao mesmo tempo que me alegro pelos comentadores que expõem as suas dúvidas e as vêem respondidas. Leigos a fazer um blogue e como este e leigos que comentam como aqui se vê são uma bênção do Céu. Como seria bom termos cada vez mais leigos assim formados, tanto na sabedoria como na fé.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 12-03-2015 00:32
Padre Orlando, vossa benção. Padre Orlando, pegando uma carona aqui com o Alex, gostaria de tirar duas dúvidas com o senhor, na medida do possível se puder responder, serei grato. São duas dúvidas com respeito a duas passagens das Sagradas Escrituras, a saber: 1º) Provérbios 8, 22-23 que diz: “22.O Senhor me criou, como primícia de suas obras, desde o princípio, antes do começo da terra.23.Desde a eternidade fui formada, antes de suas obras dos tempos antigos.” Minha dúvida com respeito a esta passagem, o qual fala da Sabedoria, é se esta passagem pode ser aplicada a Nosso Senhor Jesus Cristo, na sua geração eterna com o Pai?. Também nesta mesma passagem, parece contraditório a Sabedoria ter sido criada, no versículo 22 e no versículo seguinte, dizer que foi formada desde a eternidade. Se uma coisa foi criada, isto deduz que ela não existia antes, e passou a existir no tempo e no espaço em um determinado momento, porém, se algo foi formado desde a eternidade, então este algo sempre existiu, como Deus, que sempre existiu desde a eternidade como seu Verbo o qual identificamos com Jesus. Mas parece contraditório nestes dois versículos que em um dado momento se diz que a Sabedoria foi criada e no outro que foi formada desde a eternidade, e é nisto que reside minha dúvida principal com respeito a esta passagem. 2º) Lucas 20, 34-35: “34.Jesus respondeu: Os filhos deste mundo casam-se e dão-se em casamento,35.mas os que serão julgados dignos do século futuro e da ressurreição dos mortos não terão mulher nem marido.” Minha dúvida com respeito a esta passagem é o que Jesus queria dizer com relação ao termo “século futuro”, pois este termo não encontro nos paralelos desta passagem nos evangelhos de São Mateus 22, 23-33 e de São Marcos 12, 18-27, e portanto, porque só aparece no evangelho de São Lucas?, e o que ele significa?. Além do Padre Orlando, outros que quiserem me ajudar respondendo estas minha dúvidas, serei grato desde já, assim como sou grato desde já ao Padre Orlando.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 15-03-2015 10:37
Padre Orlando, mais uma vez, muitíssimo obrigado pela sua resposta, e para constar, além dos Testemunhas de Jeová que são mortalistas, há os Adventistas do Sétimo Dia que também negam a imortalidade da alma, assim como mais algumas igrejolas protestantes que há por aí, embora as mais notáveis são os mencionados acima. Que JESUS o abençoe Padre Orlando e que o amor de Maria sob os títulos de Nossa Senhora de Aparecida e de Nossa Senhor de Fátima esteja sempre com o senhor. Amém.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 12-03-2015 23:09
Sim, esse texto refere-se, de forma profética, ao Filho gerado pelo Pai desde toda a eternidade. Note-se a correspondência com Jo 1, 1-3: “No princípio existia o Verbo; o Verbo estava em Deus; e o Verbo era Deus. No princípio Ele estava em Deus. Por Ele é que tudo começou a existir; e sem Ele nada veio à existência”. O autor sagrado que escreveu esse texto não o sabia, pois a Santíssima Trindade ainda não fora revelada, mas porque escreveu inspirado por Deus, escreveu algo cujo sentido oculto (inclusivamente a ele próprio) haveria de ser plenamente revelado com a vinda de Cristo. A personificação da Sabedoria nos livros sapienciais do Antigo Testamento começou por ser um simples artifício literário, pelo menos na intenção dos autores humanos que escreveram o texto. Mas porque eles foram instrumento de que Deus Se serviu para escrever, veio a revelar-se que não foi por acaso que Deus permitiu que os autores usassem esse artifício, pois veio a confirmar-se que essa Sabedoria personificada era, na verdade, uma Pessoa: o Filho de Deus. Mas o que, APARENTEMENTE, baralha tudo é, de facto, o termo “criar”… Aliás, esta passagem era uma das grandes referências dos arianos para “fundamentarem” a sua heresia. Lembro-me de ter aprendido, na filosofia, a distinção entre: - fabricar: dar origem a partir de uma matéria já existente (como o carpinteiro, que faz mesa a partir da madeira); - gerar: dar origem a partir de si mesmo (como os pais que geram o filho, a partir de si mesmos, portanto); - criar: dar origem a partir do nada (só Deus foi capaz disso, ao criar o tudo o que existe). Já não sei que autor formulou esta distinção nem sei se todos os termos que utilizei são rigorosos, mas creio que dá para entender… Também é provável que você já saiba muita coisa do que vou aqui escrever, por isso, naquilo que assim for, desculpe a maçada… É claro que estas palavras têm, por vezes, no nosso dia-a-dia, significados diferentes destes, sobretudo a palavra “criar”: criar um filho, criar uma obra de arte, criar um projecto, criar uma capoeira de pintos… :) Mas aqui falamos destes conceitos rigorosos, em que “criar” significa fazer algo a partir do nada. Ora, como sabe, é a partir daqui que se deve entender a expressão do Credo “gerado, não criado, consubstancial ao Pai”: Cristo foi, portanto, gerado, isto é, o Pai dá origem ao Filho a partir de Si Mesmo, sendo, assim, o Filho “consubstancial ao Pai”, da mesma “substância” que o Pai; e, portanto, “não criado”, pois se fosse criado tinha sido feito a partir do nada, e não a partir do Pai, e assim já não seria da mesma “substância” que o Pai. Seria uma criatura (ou seja, um ser CRIADO), como nós somos, e já não seria Deus com o Pai na unidade do Espírito Santo, asneira em que consiste a heresia ariana. PORÉM, se o termo “criar” coexiste com “desde a eternidade fui formada”, então isso denuncia que não estamos a falar, verdadeiramente, de uma criação no sentido do rigor filosófico do termo. Porque, como o Sidnei bem observou, para haver criação exige-se que aquilo que é criado (a criatura) não tenha existido até determinado momento, momento a partir do qual passou a existir. Também me parece que ser criatura é qualquer coisa de incompatível com uma existência desde toda a eternidade… Ser formado “desde toda a eternidade” corresponde mas é à geração, e não à criação: porque o Pai é eterno e porque é a partir de Si Mesmo que o Pai gera o Filho, é por isso que o Filho é gerado desde sempre, uma vez que o Pai só é Pai porque gera, do mesmo modo que o Filho só é Filho porque é gerado. O Pai não é anterior ao Filho, pois o que define o Pai é, precisamente, ter um Filho, e por isso o Pai não poderia existir desde sempre se não houvesse também Filho desde sempre. Mesmo um pai humano não é anterior ao seu filho, pois embora o homem que se torna pai já existisse antes do filho, a verdade é que não existia ENQUANTO PAI; um pai só começa a existir enquanto pai a partir do momento em que há filho. Ora, se falamos de duas Pessoas (Deus-Pai e Deus-Filho) que Se “definem” (“definir” é uma maneira de dizer, pois Deus é inabarcável…) precisamente por serem Pai e Filho, por serem, na Sua Essência, “Gerador” e “Gerado”, então têm que ser ambos eternos, sem que nenhum d’Eles tenha começado a existir antes do Outro. Neste caso, “gerar” significa uma acção sem princípio, que acontece desde sempre; é algo que “está a ser” porque “é” desde sempre!... Faz sentido interpretar este “criou-me” de Prov 8, 22 como um “gerar”, mais do que “criar” no sentido rigoroso e filosófico, porque estamos perante um texto hebraico, escrito segundo a mentalidade e os conceitos semitas, orientais, e não segundo os conceitos da filosofia grega e ocidental. Não tenho, aqui na paróquia, textos originais à mão, mas a literatura que cá tenho disponível (nomeadamente, a “Bíblia de Jerusalém”) diz que o verbo que é traduzido por “criou-me” é o verbo qânânî, e foi traduzido assim (“criou-me”) pela versão GREGA do Antigo Testamento, os LXX; também diz que houve autores, como Áquila, Símaco e Teodocião, que traduziram qânânî por “POSSUIU-ME”, ou “ADQUIRIU-ME”, tradução que seria também preferida por São Jerónimo, “certamente para combater o erro de Ário”. Por coincidência (não sei se é coincidência ou não), esta tradução “possuiu-me”, ou “adquiriu-me”, completamente diferente de “criou-me”, na nossa língua, faz-nos lembrar a geração: “TER um filho”; "quando eu TIVE o meu mais velho..." Enfim, neste contexto não podemos interpretar a palavra “criou-me”, do versículo 22, no sentido ocidental rigoroso que lhe damos. Estou convencido de que é um “criar” que, na verdade, significa “gerar”. Se calhar escrevi muito e não esclareci nada… O Sidnei me dirá. Em Lc 20, 34-35, o “século futuro” é o mundo futuro, a eternidade, “os novos e céus e a nova” de que fala o Apocalipse. A palavra que encontramos no original (grego) é a palavra “aiôn”, que pode ter todas estas traduções: tempo, duração da vida, vida, eternidade, idade, geração e século. Deus o abençoe!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 14-03-2015 19:03
Não sei, pois qualquer dos sinónimos “aiôn” vai linha de uma ideia de TEMPO, contrapondo “este tempo” e um “tempo futuro”, mas não diz se esse tempo futuro é antes ou depois da ressurreição final. Diz “aqueles que forem julgados dignos da vida futura e da ressurreição dos mortos não se casam”, mas não se especifica se a “vida futura” começa antes da “ressurreição dos mortos” ou ao mesmo tempo; aliás, parece até sugerir que são duas coisas a acontecer ao mesmo tempo, como uma só. Por isso, para rebater esse argumento dos que negam a imortalidade da alma talvez outras passagens, como a do bom ladrão, sejam mais claras. Logo a do bom ladrão não deixa margem para dúvidas: se Jesus diz “HOJE” então é mesmo HOJE e não há volta a dar! A propósito da palavra “aiôn”, todos esses sinónimos (que vêm no dicionário de Isidoro Pereira S. J.) têm um sentido de tempo, e “aiôn” foi traduzido para o latim, por São Jerónimo, como “saeculum”, mas é curioso notar como a palavra latina “saeculum” (ou “saeclum”), para além de ter esse significado de tempo, como “aiôn”, pode também significar espaço (o mundo físico em que vivemos) e até sócio-religioso (a sociedade em geral ou, em alguns casos, a cultura que se opõe à fé cristã; aliás, é daí que vem a palavra “secularização”). De qualquer forma, isto é apenas umas achegas que podem ser interessantes mas sem relação directa com o texto, que é grego. O texto, traduzindo “aiôn” por “século”, ou “tempo” ou qualquer dos outros significados, vai sempre numa linha temporal: este tempo; e o tempo futuro. Mas deixe-me dizer-lhe que estou curioso: protestantes mortalistas? Nunca tinha ouvido falar! A única seita que eu conhecia a negar a imortalidade da alma apesar de dizer seguir a Bíblia eram as Testemunhas de Jeová (eles dizem que seguem a Bíblia, mas na verdade seguem uma tradução torcida em que desfiguram a Palavra). Mas, enfim, depois de ter descoberto que até há “franciscanos” anglicanos e luteranos, que podem ser casados e que incensam imagens de santos, já acredito em tudo… De qualquer forma, O QUE IMPORTA SÃO LUCAS SER DE CULTURA HELÉNICA? Nem por isso os seus textos deixam de ser inspirados nem deixam de ser norma de fé e de vida. Além disso, São Paulo também estava profundamente imbuído de cultura helénica, e o Evangelho segundo S. Lucas consiste muito na recolha da pregação de São Paulo, que São Lucas acompanhou em algumas viagens. Além disso, muitos escritos tardios do Antigo Testamento também são influenciados pela cultura helénica. Talvez até possamos dizer isso de todo o Novo Testamento, logo a começar pelo facto de ter sido escrito em grego… É isso retira inspiração divina, quer a São Lucas? Ou a São Paulo? Ou até, por hipótese, ao resto o Novo Testamento? Ou vamos deitar fora o Novo Testamento e vamos ser judeus-saduceus? Eu pergunto-me, então, se esses tais mortalistas, que se dizem protestantes, também seleccionam partes da Bíblia e seguem só o que lhes interessa, pretendendo fazer um novo cânon só com aquilo que eles acham que é inspirado… Sobre a passagem do bom ladrão, as Testemunhas de Jeová apresentam um argumento tosco: mudam a pontuação do texto! Em vez de ser: “em verdade te digo, hoje estarás comigo no paraíso” (que é o correcto); eles dizem “em verdade te digo hoje, estarás comigo no paraíso”. A expressão “em verdade te digo hoje” nunca aparece no Evangelho: aparece sempre “em verdade te digo” ou “em verdade vos digo”, por vezes repetido mas NUNCA com o “hoje”. Só a imaginação fértil das Testemunhas de Jeová para inventar uma dessas… De qualquer maneira, conte com esse argumento tosco, pois eles podem muito bem fazer uso dele...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 13-03-2015 00:38
Muito obrigado Padre Orlando. De fato para mim a passagem de Provérbios 8, 22-23 é para mim uma das passagens mais confusas das Sagradas Escrituras, pois hora se diz que a sabedoria foi criada, hora que ela foi formada desde a eternidade, parece que há uma contradição nisto, mas a explicação do senhor deu para iluminar um pouco mais esta minha dificuldade. Quanto a passagem de Lucas 20, 34-35, para mim não é tão complicada quanto a Provérbios 8, 22-23, mas sempre tive curiosidade de saber o que se trata este século futuro dito por JESUS. Nos diversos debates que li na internet com protestantes, principalmente os protestantes mortalista, que não creem na imortalidade da alma. é cita esta passagem de Lucas 20, 27-38, como seus paralelos de São Mateus 22, 23-33 e de São Marcos 12, 18-27, porém, somente no evangelho de São Lucas é que se encontra este pormenor, desta expressão de século futuro. Os protestantes mortalistas, contra argumentam que esta passagem não comprova a imortalidade da alma, pois diz que DEUS é DEUS dos vivos e não dos mortos, porém, depois que todos ressuscitarem, mas aí que entre este pormenor do Evangelho de São Lucas, pois São Lucas por ter sido grego, e os gregos acreditavam na imortalidade da alma, é justamente no evangelho escrito por ele, que aparecem situações que comprovam tal crenças, como parábola do rico e do pobre Lazaro (Lucas 16, 19-31) do bom ladrão que JESUS prometera que naquele mesmo dia em que eles iriam morrer na cruz, o bom ladrão iria estar com o SENHOR no paraíso (Lucas 23; 39-43), passagens estas que não se encontra em nenhum paralelo com outros evangelhos. E neste aspecto é que me chama a tenção de Lucas 20, 34-35, o qual JESUS coloca este século futuro, antes da ressurreição, como a dizer: "que os que são dignos de receber a vida eterna, espiritualmente, somente com sua alma imortal nos céus, e depois uma ressurreição gloriosa no final dos tempos, não terão mais mulher e nem marido, como também não poderão mais morrer pois serão iguais aos anjos do céu". Não sei se minha colocação esta correta, mas como os senhor Padre Orlando, colou em sua resposta, o termo em grego nesta passagem é a palavra “aiôn”, que pode ter todas estas traduções: tempo, duração da vida, vida, eternidade, idade, geração e século, então parece que minhas respostas, quando a dou a um protestante mortalista, não esta tão incorreta assim. Se não for abusar de seu tempo e paciência, senhor Padre Orlando, minha colocação esta correta?. Mais uma vez, obrigado pela atenção senhor Padre Orlando, que as bençãos de JESUS e ao amor de Maria esteja sempre com o senhor. Amém.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 11-03-2015 21:21
Sua Bênção Padre Orlando Henriques! É isto mesmo Padre Orlando Henriques, tanto as matérias o blogue quanto os comentaristas são de primeira classe. É claro que existe raramente um que outro como eu que ficam urubucervando pra ver se aprende alguma coisa. Mas é como na idade média se dizia: existem os ricos para com seus exército nos defenderem, existem os sábios e os que estudam para nos darem informações a cerca das coisas e existem os Padres para nos falar de Deus e nos santificar e existe a gente, que somos desprovidos de grandes capacidades faremos nosso trabalho de servir a eles com nossa simples capacidade (me inclui ai na turma dos que tem que usar os braço e as perna héhéhé).
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 12-03-2015 22:33
Não, Alex, nem diga essas coisas uns comentarem e outros ficarem observando! Bem haja pela consideração, mas não tenha essa atitude, pois a verdade é que NINGUÉM DEVE SER PASSIVO na Igreja, nem ninguém dever estar na Igreja como mero observador. No seu lugar sim, mas observador passivo não. Por muito luminosa que a Idade Média seja (concordo), não estamos aqui em nenhum feudalismo, mas num blogue, que é “espaço” onde as pessoas partilham ideias (e só das boas, ou não estivéssemos n’O Catequista!), num blogue CATÓLICO: na Igreja Católica não há simples “consumidores”, pois evangelizar é uma OBRIGAÇÃO de todo e qualquer cristão (“ai de mim se não evangelizar!”); todos têm algo a dar, pois aprofundar a fé e transmiti-la aos outros é OBRIGAÇÃO DE TODOS. E um blog como este é liberdade de expressão ao serviço da fé (finalmente, a tão badalada liberdade de expressão a ser usada para uma coisa de jeito! Viva!!!) Eu sei que, na verdade, você não está aí passivamente, e a prova disso é que passa aqui a comentar. Sim, é verdade que os padres são pastores, e ninguém nos tira essa função; sim, é verdade que os catequistas têm a missão de ensinar; sim, é verdade que há cristãos que sabem mais qualquer coisa do que outros; mas isso não é motivo para achar que alguém “estuda” por nós: VOCÊ MESMO está convidado a fazer também esse caminho de descoberta das riquezas da nossa fé! Deixe-se surpreender! Quando eu disse que era maravilhoso aparecerem aqui leigos a comentar com muita categoria não estava a fazer a exaltação de uma elite, mas sim a apreciar o facto de os leigos que aqui comentam serem o que TODO o leigo deveria ser, isto é, pessoas interessadas em conhecer sempre mais Cristo e a Igreja, conhecer com o objectivo de amar e de evangelizar. É bom quando alguém sabe alguma coisa e a partilha, mas não é preciso toda a gente dizer coisas “geniais”, até porque QUALQUER CRISTÃO, MESMO QUE TENHA POUCA CAPACIDADE INTELECTUAL OU LITERÁRIA, TEM SEMPRE UMA EXPERIÊNCIA DE VIDA E DE FÉ QUE PODE (E DEVE) SER UM TESTEMUNHO RIQUÍSSIMO PARA PARTILHAR.´ O mais importante é querer sempre aprender. Não é para isso que as pessoas procuram este blogue? Eu também já aqui aprendi muitas coisas. É verdade! Além disso, não é o muito saber que nos salva: é certo que para ter fé e amar é preciso conhecer Aquele que amamos, mas também é possível saber muito sobre Ele e não O amar (terrível!) … Suponho que o diabo deve ter bem mais conhecimentos do que você e eu acerca de Deus, mas… Continue a comentar, como tem feito até aqui. SINTA-SE PARTICIPANTE, E NÃO MERO OBSERVADOR, pois estamos todos a aprender. Deus o abençoe sempre!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 14-03-2015 19:08
Pois é, Alex, às vezes Deus surpreende-nos! Deixe-se surpreender…
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 13-03-2015 23:08
Sua Bênção Padre Orlando Henriques! Exato, claro que não me ponho tão a baixo assim, o negócio é que eu tenho que pedalar um pouco mais minha bicicleta da vida pra aprender mais e mais rápido pra poder chegar mais perto um pouco do conhecimento desta gente. É ai onde eu entro observando muito, lendo muito, e claro, comento alguma coisa sim. O negócio de eu usar meus braços e minhas pernas é uma alusão em ter que ler muito. Como diz meu pai, ainda tem que comer muito arroz e feijão pra ficar forte. Ou seja, ainda vou ter que ler muita coisa pra ser um bom catequista. O negócio, Padre Orlando Henriques, é que estou espantado com o que ocorreu e ocorre na minha vida: até uns poucos anos atrás eu era um atoa (ateu não, atoa mesmo), fui sendo chamado por Deus até que, ano passado fizeram um convite na comunidade para quem quisesse ser catequista, e o metido foi (sabe aquelas pessoas que são convidadas para alguma coisa, não tem a menor idéia do que seja e ainda assim se enfia achando-se o maioral? Depois leva uma surra fenomenal e se acha o cara? E acaba por aprender alguma coisa e fica porque gostou?). Este ano peguei uma turma de iniciação à Eucaristia, mal me preparei e a comunidade já está querendo me tirar dali, querem que eu seja ministro extraordinário da Eucaristia. Aí, estou meio espantado e perdido com a rapidez do negócio e agora não sei o que faço, se continuo na catequese, se largo a turma e aceito a missão de ministro extraordinário, se faço os dois. Imagina se isto é possível. Só Deus mesmo pra fazer estas coisas. Não sei bem certo o que aceitar a fazer, estou mais perdido que cego em tiroteio. Parece que no meu coração a catequese me atrai mais, já a função de ministro por enquanto não.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 09-03-2015 23:24
Obrigada, Alex! Deus te abençoe tb!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # César Augusto Simões 09-03-2015 17:42
Quase escutei um lambda, lambda, lambda. Da hora :)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Vitor Quintes 10-03-2015 16:02
Isso é abstrair o que é de bom do mundo para a maior glória de Deus!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo Costa 13-03-2015 11:22
Ah César, o do "lambda (x3)" foi divertido enquanto durou. Parei de escutar quando colocaram lá o tal de Pirulla. O Nerdcast, por conta disso, morreu pra mim. Mas sinto falta do Spohr e do Sr. K.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Wagner Souza 08-03-2015 00:52
Muito bom! Sou catequista e blogueiro também. Sem palavras, vocês são ótimos!! Deus abençoe a todos vocês.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Diogo Duarte 08-03-2015 00:34
Muito bom! Que venha a 2° parte. Seria legal se postasse as fontes. Deus os abençoe!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Diogo Duarte 08-03-2015 00:36
Desculpe! Não tinha visto que vocês já tinham postado as fontes. Obrigadú!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # wesley de maria 07-03-2015 20:45
irmãos porque vocês não fazem videos? ficaria mais legal
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo Costa 08-03-2015 00:12
Fazemos. É a liga dos blogueiros católicos, é só procurar aqui no blog. Um abraço.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Anselmo 07-03-2015 20:40
Algumas coisas que vocês falaram eu já sabia, porém é inegável que a educação recebida desde criança incutiu fortemente a imagem da inquisição ser sinônimo de Igreja, Idade Média, fogueira, tortura e morte. Quando e como começou esse processo de propagação da mentira a respeito da Inquisição?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo Costa 08-03-2015 00:11
Começou com o Iluminismo na França. Um dos principais fomentadores dessa lenda foi um safado conhecido como Michelet, historiador insençado pelos comunistas. Um orgulho para a mamãe dele no mafuá em que ela trabalhava.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Adriano Vilela 07-03-2015 20:24
Parabéns pelo conteúdo do site!!! Tenho uma sugestão a fazer, acho que seria muito interessante criar conteúdo sobre como os mitos da Inquisição surgiram como, por exemplo, com o movimento dos enciclopedistas e as feiras de livros na época da Revolução Francesa.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Bruno Cesar 07-03-2015 20:03
Olá pessoal do Catequista, fiquei muito feliz ver que o podcast voltou, acompanho sempre as novidades do catequista, parabéns pelo trabalho, sobre o tema do podcast achei muito bom, e quebrou muitos mitos criados, lembro que em minhas aulas de história se fosse contar quantas pessoas meu professor disse que foram para a fogueira, não existiria mais uma pessoa viva na Europa. Mais uma vez parabéns pelo trabalho e por lançar a luz da verdade sobre nós, fiquem com Deus.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Uemerson Alves 07-03-2015 14:32
Parabéns pelo trabalho, ótimo conteúdo. Gostaria que vocês produzissem conteúdo também sobre a importância da Igreja criação das universidades, hospitais, etc., instituições contemporâneas que possuem suas raízes edificadas na Igreja Romana e muita gente não sabe disso. Abraços.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 07-03-2015 18:15
Sobre o protagonismo da Igreja da criação do sistema universitário, já publicamos dois posts: Sistema Universitário: Bota na Conta do Papa http://ocatequista.com.br/archives/680 Estudantes universitários medievais gozavam de benefícios do clero http://ocatequista.com.br/archives/736
Responder | Responder com citação | Citar
0 # ana Carolina Rozendo 07-03-2015 14:09
Vivi e Alexandre.Amigos,Saudades! Estive hoje pela manhã com padre Paulo que foi visitar minha paróquia e ele comentou deste blog. Amei! Vou indicar as catequistas e crismados da basílica de Santa Teresina. Já virei fã. Adorei as risadas inconfundíveis do ale e o Lelek que a vivi mandou ... kkkkkmuito bom
Responder | Responder com citação | Citar
0 # O Catequista 07-03-2015 18:44
Como assim você ainda não conhecia?! Kkkkkkkk... precisamos nos ver mais. Deus te abençoe!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 07-03-2015 18:12
Oi, Ana! Saudades tb! bjos
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Gêneto Eugenio 07-03-2015 13:32
ALEXANDRE que coincidência.Estava eu esvaziando arquivos hoje no meu PC e vi lá Catecast(todos)Joguei tudo pro DRIVE afinal não poderia eu perder tantas pérolas e eis que abro blog e vocês me dão mais esse presente. Muita Saúde e Paz meus amigos. Sempre com um pensamento e Oração por todos vocês. ABRAÇO!!!! Obs: E o Catekid's um dia sai???...rsrsrsrsrsrsrsrs....
Responder | Responder com citação | Citar
0 # O Catequista 07-03-2015 18:43
Faaaaala Gêneto! Nada é realmente coincidência, né? rs... que bom que você gostou. Agora o CateKids... ai ai... ainda vai demorar. Mas tem outras coisas maneiríssimas vindo por aí. Abraços!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Fernando Henrique 07-03-2015 13:00
opa o catequese voltou que legal vou poder ouvi-lo em minhas viagem tava com saudades, parabéns a todos pelo ótimo projeto Viviane gostaria de falar com vc mais não to conseguindo tem como? Me passar seu e-mail obrigado.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Pedro 07-03-2015 12:45
Haha finalmente eim! #Catecast10
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Mateus Nóbrega 07-03-2015 12:42
Aeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeew, voltou! Uma das coisas que mais gosto n'O Catequista são as zoeiras no catecast! Parabéns, O Catequista! Que Deus abençoe vocês e continuem a trazer-nos mais catecasts com mais temas maravilhosos!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Danilo 07-03-2015 12:11
Uowwwwww, o tema que eu esperava!!!!! Seria legal tratarem desse assunto na Liga dos Blogueiros. O que acham?????
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 07-03-2015 12:27
A Liga é mais voltada para os assuntos da atualidade, notícias que aparecem na mídia etc.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Joana 07-03-2015 11:14
Podem colocar as fontes aqui? Obrigada.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 07-03-2015 18:40
Sim! Bibliografia: L’INQUISIZIONE: Atti Del Simposio Internazionale, Città dei Vaticano 29 a 31 ottobre 2000, a cura de Agostino Borromeo. - Cole­ção "Studi e Te st i" n° 417, edição da Biblioteca Apostólica Vaticana 2003. AQUINO, Felipe. Para Entender a Inquisição. Ed. Cleófas, 5ª ed., 2011. WOODS Jr., Thomas. A Igreja Católica: Construtora da Civilização Ocidental. Ed. Quadrante, 1ª ed., 2010. PEÑA, Alessandro Rodriguez de la. Lendas Negras de Ontem, hoje e amanhã. Disponível em http://www.bibliacatolica.com.br/blog/historia-da-igreja/lendas-negras-de-ontem-hoje-e-amanha/ MARCOS, Alexandre. Inquisição: Como se Mente a Respeito. Disponível em http://meublogsemcensura.blogspot.com.br/2011/01/inquisicao-como-se-mente-respeito.html MADDEN, Thomas F. Investigando o Mito Popular. Disponível em component/k2/item/207 (parte I) e component/k2/item/227 (parte II) DUVIVER, Padre W. Curso de Apologética Cristã. Disponível em http://www.veritatis.com.br/antigo/8976-a-historia-da-inquisicao NABETO, Carlos Martins. A Inquisição Protestante: do Século XV aos Tempos Atuais! Disponível em http://www.veritatis.com.br/apologetica/familia-sociedade/8063-ainda-as-inquisicoes-protestantes A Inquisição Evangélica. Disponível em http://deusfilho.blogspot.com.br/2009/03/inquisicao-evangelica.html KONIK, Roman. A Inquisição: Mito e realidade Histórica. Disponível em: http://www.catolicismo.com.br/materia/materia.cfm?IDmat=6113500D-3048-560B-1C9A57FBCEBD780D&mes=Setembro2006 OLIVEIRA. Vinicius. A Inquisição Espanhola Para Leigos. Disponível em http://www.caosdinamico.com/2012/04/inquisicao-espanhola-para-leigos.html
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Marcus Renato 17-01-2016 17:49
Onde encontro o L’INQUISIZIONE?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 17-01-2016 17:52
Aqui: http://www.ibs.it/code/9788821007613/inquisizione-atti-del.html
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade