Publicidade
Quinta, 02 Junho 2016 01:46

Os Caçadores de Treta #02 - Dança na Missa, Eucaristia, Birita, Fumo e Gatos Pretos

Postado por

É treeeeetaaaa, Povo Católico! Hoje tem mais um episódio de Os Caçadores de Treta! Cacadoresdetreta E hoje, saiba se podemos dançar nas partes "alegres" da Missa, entre na nossa nova campanha contra a comunhão avacalhada, descubra se a birita é liberada, se o fumo é pecado e se os gatos pretos são a encarnação do coisa ruim! Clique no play e assista tudo aí embaixo!

Assine o nosso canal no Youtube pra ficar sempre informado de tudo o que acontecer por lá! E se você tem treta pra caçar, manda pra gente! Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Comentários   

0 # Marcos Leão Teodosio 07-06-2016 01:06
Olá, gostaria que vcs fizessem uma campanha anti bullying em O Catequista. Algo como Xô bullying, xô preconceito! Os nossos queridos São Jorge e São Cosme e Damião não aguentam mais ser chamados de orixás, é uma difamação muito grande. Grandes Santos como esses não merecem isso, poxa!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natanael B. 07-06-2016 10:33
Boa
Responder | Responder com citação | Citar
0 # adriano 06-06-2016 17:35
Sobre dança na missa, vejam o que diz Prefeito Emérito da Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos, card. Arinze: https://www.youtube.com/watch?v=-qunILnfndY
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 08-06-2016 01:05
E em 2012, essa mesma congregação publicou um documento afirmando que não deve haver dança na missa, salvo algumas raras exceções formalmente autorizadas pela Santa Sé: http://www.alobrandalise.com/2012/10/a-danca-e-missa-sim-de-novo.html
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rodrigo 06-06-2016 14:31
Muito bom o Caçadores de Treta #2. "Como é um gato?" Ri muito!!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natanael B. 06-06-2016 13:08
Quero rir da heresia, mas sinto cheiro de Ocatequista apagando posts...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Samara 08-06-2016 19:03
???????????????????????????????????????????
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo 06-06-2016 07:05
ACASO N SENHORA OS OS CIRCUNSTANTES AO PÉ DA CRUZ ESTAVAM HILARIANTES À MORTE DE JESUS? Bater palmas e mais exteriorismos dispersantes é fazer da S Missa um show: o padre, o apresentador; o povo, a plateia aplaudindo! Dom Roberto Francisco Ferrería Paz, Bispo Auxiliar de Niterói, em seu último artigo publicado no site da Arquidiocese, explica o porquê D. Alano e ele proibiram as palmas dentro das Celebrações Eucarísticas da Arquidiocese: Porque não se adequa a teologia da Missa que conforme a Carta Apostólica Domenica Caena de João Paulo II do 24/02/1980, exige respeito a sacralidade e sacrificialidade do Mistério Eucarístico: “0 Mistério Eucarístico disjunto da própria natureza sacrifical e sacramental deixa simplesmente de ser tal”. Superando as visões secularistas que reduzem a eucaristia a uma ceia fraterna ou uma festa profana. Nossa Senhora e São João ao pé da cruz no Calvário, certamente não estavam batendo palmas. Porque bater palmas é um gesto que dispersa e distrai das finalidades da missa gerando um clima emocional que faz passar a assembléia de povo sacerdotal orante a massa de torcedores, inviabilizando o recolhimento interior. Porque o gesto de bater palmas olvida duas importantes observações do então Cardeal Joseph Ratzinger sobre os desvios da liturgia : “A liturgia não é um show, um espetáculo que necessite de diretores geniais e de atores de talento. A liturgia não vive de surpresas simpáticas, de invenções cativantes, mas de repetições solenes. Não deve exprimir a atualidade e o seu efêmero, mas o mistério do Sagrado. Muitos pensaram e disseram que a liturgia deve ser feita por toda comunidade para ser realmente sua. É um modo de ver que levou a avaliar o seu sucesso em termos de eficácia espetacular, de entretenimento. Desse modo, porém , terminou por dispersar o propium litúrgico que não deriva daquilo que nós fazemos, mas, do fato que acontece. Algo que nós todos juntos não podemos, de modo algum, fazer. Na liturgia age uma força, um poder que nem mesmo a Igreja inteira pode atribuir-se : o que nela se manifesta e o absolutamente Outro que, através da comunidade chega até nós. Isto é, surgiu a impressão de que só haveria uma participação ativa onde houvesse uma atividade externa verificável : discursos, palavras, cantos, homilias, leituras, apertos de mão… Mas ficou no esquecimento que o Concílio inclui na actuosa participatio também o silêncio, que permite uma participação realmente profunda, pessoal, possibilitando a escuta interior da Palavra do Senhor. Ora desse silêncio, em certos ritos, não sobrou nenhum vestígio”. Finalmente porque sendo a liturgia um Bem de todos, temos o direito a encontrarmos a Deus nela, o direito a uma celebração harmoniosa, equilibrada e sóbria que nos revele a beleza eterna do Deus Santo, superando tentativas de reduzi-la à banalidade e à mediocridade de eventos de auditório. + Dom Roberto Francisco Ferrería Paz Bispo Auxiliar de Niterói.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Geraldo 05-06-2016 10:13
Eu fico às vezes pensando, se certo puritanismo que vemos hoje em nossas comunidades (que jamais existiu nem no auge da Idade Média e digo isso não em desprezo àquela idade ou adesão ao estereótipo que dela foi feito) seria fruto de alguma protestantização do catolicismo atual, talvez via certas vertentes da RCC... E é curioso, pois isso nem vem de Lutero que era bem destemperado em vícios. Talvez dos ingleses, sobretudo depois do movimento puritano e do metodismo que por sua vez esteve na base da maior parte do movimento pentecostal americano que é a fonte de quase todo o protestantismo que temos no Brasil, hoje. Já se tornou lugar comum elogiar alguém a partir desses parâmetros: "Ah fulano é boa pessoa, não bebe, não fuma, etc.." Pessoalmente, eu acho o fumo um troço porco e fedorento, mas daí a fazer avaliação moral disso...no máximo, sanitária e olhe lá...pois há controvérsias. Há quem beba ou fume - e eu nem sei porque- com certo espírito de vulgaridade, como se estivesse exibindo um atrevimento transgressor de regras, que quer chocar as pessoas. Além de ser uma postura ridícula e infantil, o erro nesse caso, não está nem no beber ou fumar em si , mas nas motivações patéticas e nesse espírito de achar que é o tal, que faz e acontece e choca todo mundo.Como também existe aquele que por não beber, fumar , jogar e cia, pensa que é um poço de virtudes, grande modelo a ser seguido. Em ambos casos é uma lástima reduzir a grandeza e beleza da moral cristã a isso. É apequenar demais o caminho da virtude humana e cristã. Em nenhum dos casos se vê a centralidade do amor, que marca a moral cristã e sobretudo a centralidade do afeto à pessoa de Jesus Cristo. É por reconhecer e ter grande amor ao Cristo vivo presente entre nós através do mistério da sua igreja, que nossa vida se move: todo prazer é sinal dele e leva a ele, e toda renúncia aos prazeres que podem me distrair dEle, torna-se meio para me tornar mais apegado a Ele! O foco é ele, o Cristo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Angelo 03-06-2016 12:12
Bom dia, acho interessantíssimo o trabalho de vocês, estão de parabéns. Em relação à Missa, não sabia que a Novus Ordo não é toda calvário. Vocês possuem alguma fonte em relação a esta informação? Em relação aos gatos, eu também achava bem em estranha esta estória. Já ouvi dizer, inclusive, que os medievais jogavam gatos de cima de prédios, pois achavam que eram responsáveis por doenças. Imagine a cena ridícula... Aqui na minha paróquia, infelizmente, os ministros extraordinários, antes da Missa, deixam a chave do sacrário NO LADO do sacrário. Eu já reclameu para 2 padres diferentes, já reclamei para um ministro, e nada. A situação continua. Na última vez que reclamei ao meu pároco, ele falou que é complicado porque se fizerem isso complica muito, demora mais etc. O que devo fazer?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Maciel 03-06-2016 09:19
O corpo é templo do Espírito Santo e devemos cuidar dele. Não é o ato de fumar em si mas a consequência de fumar. Se fumar diminuir seus anos de vida e vc sabendo disso continua a fumar está pecando sim. Todo vício é pecado. Cada escolha uma renúncia. Você renúncia ao vício em prol de prolongar os dias aqui para poder mais amar a Deus e durante mais tempo contribuir para o reino ou vc renúncia o sacrifício em detrimento do seu vício.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 03-06-2016 12:34
Maciel, leia o artigo do prof. Ramalhete, que indiquei aqui nos comentários.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Victor Picanço 02-06-2016 21:36
Jejum faz mal ao corpo, as mortificações fazem mal ao corpo etc. e nem por isso são pecados, muito pelo contrário.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Stéphanie 02-06-2016 16:35
Que fofuxo o Papa Bento. Amo gatinhos e fico chateada quando falam que a Igreja fomentou o mal contra eles, pior que até tem gente na Igreja que tem essa crença boba, devem ser os mesmos que não gostam do Papa Emérito, ainda vão dizer que gostar de gatos não é bom sinal...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Raislaine 02-06-2016 16:07
na minha paróquia os ministros dão na mão mas com o "trono" como diz a Viviane, mas já os acólitos e leitores pegam direto da patena, tem alguma diferença para os que estão servindo no altar. obrigado
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Roque Ribeiro 02-06-2016 14:12
Pecado é uma ofensa a Deus. Fumar não é saudável, porém não é pecado. Como consequencia da "moral" protestante e também da onda de culto ao corpo, as pessoas confundem fazer mal a saúde com pecado. Claro que o uso de algo lícito de modo errado pode levar à degradação e ao pecado. A virtude esta no meio. Parabéns pelo trabalho. Esse é o melhor blog!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Samara 02-06-2016 13:12
"Pradre"! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk... Ri bastante com este vídeo!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Vicente Silvestre 02-06-2016 12:25
Eu não entendi como fumar não é pecado. pecado é aquilo que faz mal ao corpo e a alma, então não seria pecado? outra forma o pecado é fumar ou ser viciado em fumar? obg!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 02-06-2016 13:28
Vicente, este artigo do prof Carlos Ramalhete explica bem: http://www.veritatis.com.br/conheca-mais/7139-o-cigarro-e-mau-em-si
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Samara 02-06-2016 13:13
Também não entendi, Vicente. Não entendo como fumar por ser algo inofensivo, mesmo sendo em pequena quantidade.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 02-06-2016 13:32
Fumar não é inofensivo pra saúde, e comer fast food também não é. Nem por isso é pecado, não necessariamente. Leia o artigo do prof. Ramalhete.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Samara 03-06-2016 10:46
Li o artigo. Achei bem confuso, parece que "os fins justificam os meios". A abordagem feita pelo texto é nova para mim, contrária a muita coisa em que eu acredito até então, e parece tratar como equivalentes coisas que não são equivalentes. Mas ainda vou refletir a respeito do assunto. Instintivamente, não bebo, não fumo, pratico exercícios quase diariamente e me alimento de forma considerada saudável, evitando exageros de qualquer espécie (tanto aqueles que caracterizariam gula quanto aqueles que denotariam pura vaidade). O fato é que alguém que provavelmente entende melhor que eu a respeito do catecismo escreveu aquilo (sem ironia). Tenho muito o que estudar e refletir. Até a próxima!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 02-06-2016 13:30
Fumar não é inofensivo pra saude, e comer fast food também na é. Nem por isso é pecado, não necessariamente.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Geraldo 05-06-2016 09:31
Você me fez lembrar de Sâo João 23 com seu indefectível cigarrinho e do Papa Bento 16 com seu canecão de cerveja bávara (humm..dá até água na boca). http://berakash.blogspot.com.br/2015/12/quando-fumar-e-beber-e-pecado-e-quando.html Não tenho dúvidas de que ambos exerciam a virtude da temperança que previne o excesso e a exata visão do tamanho das coisas, como tão bem nos lembra uma das coletas da missa: "usar das coisas que passam para alcançar aquelas que não passam!" Sem querer sem anti-ecumênico, imagino que muitos protestantes/pentecostais ficariam chocados com Jesus se o vissem nas festas, pois ele mesmo notou que falavam mal dele e o chamam de "glutão e bebedor" (Mateus 11, 19). Mas este homem que saboreava o vinho com cara boa é exatamente Aquele que na criação do mundo viu que TUDO era BOM, do que ele havia feito para o nosso sustento, prazer e alegria e é bonito ver como o santo padre na sua recente Amoris Laetitia louva a entrega sexual como um dom de beleza, prazer e comunhão. Mas só um santo, ou seja, quem vive lutando pela santidade, pode efetivamente sentir o sabor dessas coisas. Quem ama as coisas pelas coisas em si, se ensimesma nelas vai perdendo o sabor delas, o sabor das coisas vai ficando insosso, até amargo, até podre como as bolotas que os porcos comiam na história do jovem rico. Mas na casa do pai querido...Ah na casa do pai querido o vinho tem o seu real sabor! Aí as prioridades estão escolhidas e a paisagem com todos os seus componentes e detalhes está harmonizada. Vinho é bom na casa do Pai, longe dela ele vira vinagre podre. Quem vive em intimidade com a realidade , ou seja com Cristo, bebe até uma xícara de café com outra cara: "A DENSIDADE do INSTANTE!", dizia o grande Don Giussani. E mesmo aquela quantidade enorme de santos que se privaram de inúmeros prazeres lícitos(como São João Paulo II que ainda como papa, dormia no chão muitas vezes e usava o cilício) não faziam isso como um não puritano contra as coisas criadas por Deus, mas como um grande SIM ao autor delas, porque sentiam em si o risco de um impulso ruim em parar nas coisas, ficar nelas e se esquecer de quem as fez. Viver a pedagogia do SINAL, tudo é sinal que aponta para Cristo: "Tudo é vosso e VÓS SOIS DE CRISTO!!!" Quando São Paulo (aquele que mandou Timóteo tomar um pouco de vinho) diz isso, fica claro para nós a articulação entre as duas coisas: O senhor fez tudo para vocês (o vinho, a cerveja, o sexo, etc..) mas vocês são do Senhor! É essa pertença ao Senhor que indica o caminho para que aquelas coisas todas tenham seu REAL SABOR, não se apodreçam e amargurem a vida e se, de acordo com o meu temperamento pessoal, eu corro o risco de parar nelas, de não vivê-las como SINAL que aponta para aquele a quem eu pertenço, então dá-me PENITÊNCIA e MORTIFICAÇÃO. A nossa compreensão das coisas de Deus deve ser tal que não nos escandalizemos nem com o cigarro nos lábios de São João 23 e nem com o cilício apertando a cintura de Dom Oscar Romero (sim! Ele o utilizava!) ou São João Paulo II. O mesmo João Paulo II que muitas vezes dormia no chão duro, apreciava esquiar gostosamente nas montanhas. Nós precisamos das duas coisas: a mortificação privando-nos de coisas prazerosas e boas para mais educar nossa disponibilidade ao amor, à oração , à pronta doação de si sem preguiça e apegos (e a mortificação é sempre personalizada, aplicada justamente ali, onde o meu risco de apego destemperado é maior) . E também precisamos não fazer pouco caso das coisas boas que Deus criou ou permitiu ao ser humano criar com a inteligência que Ele lhe dá. Em ambos os casos, não é um puritano não que nos guia, mas um grande SIM ao autor e senhor de tudo. Deixe eu de beber café para melhor alcançar a comunhão com o Senhor (e por ele com os irmãos) ou beba eu este café, com toda gratidão, como sinal de comunhão profunda com ele, é sempre um GRANDE SIM que prevalece, como nos diz o apóstolo: "Quer comamos,quer bebamos ou façamos qualquer outra coisa,façamos para a Glória de Deus!" 1cor.10.31
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Samara 02-06-2016 15:51
Ok, vou ler o artigo indicado. Obrigada!
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade