Publicidade
Sexta, 09 Setembro 2011 09:00

Sistema Universitário: Bota na Conta do Papa

Postado por

chaves_ai_que_burroQuem se dedica a estudar um pouquinho sobre a Idade Média, inevitavelmente sofrerá a angustiante sensação de pane mental. Quando você sai da Matrix, é tamanha a quantidade de informações que contradizem o senso comum, que o cérebro quase funde.

“Uaaai... então a Igreja nunca pregou que a terra era plana?”; “Ôxi! Foram os monges que preservaram os textos gregos?”; “Véi, como é que aqueles medievais bitolados puderam criar o sistema universitário?”... Este é justamente o centro da questão: uma Igreja repressora e inimiga do pensamento poderia ter gerado uma instituição voltada para o cultivo sistemático do saber, em diversas áreas do conhecimento?

Os papas criaram, financiaram e garantiram a autonomia das universidades

As escolas mantidas pela Igreja Católica nas catedrais foram a semente da criação das universidades, por volta de 1150. Grande parte das universidades medievais ainda subsiste na Europa, e continuam a ser das mais famosas do mundo inteiro: Oxford, Cambridge, Paris, Bolonha, Coimbra...

Os papas foram os grandes incentivadores, financiadores e protetores das universidades. Eram eles – pasmem! – que garantiam a sua autonomia em relação à influência dos governantes e bispos, possibilitando que fixassem livremente suas próprias regras, cursos e estudos.

Tem muita gente tolinha (ou mal intencionada mesmo) que diz: “Ah, mas as universidades medievais eram dominadas pelo clero, e os estudiosos não tinham autonomia intelectual em relação à teologia”. Mas a verdade é que as pesquisas relacionadas aos fenômenos da natureza ficavam à margem da teologia. Veja o que diz o respeitado historiador Edward Grant: “exigia-se dos filósofos naturais das faculdades de artes que se abstivessem de introduzir teologia e temas de fé na filosofia natural” (1). Outro historiador renomado, David Lindberg, também concorda:

"...dentro desse sistema de educação medieval havia uma grande quantidade de liberdade. O estereótipo da Idade Média do professor covarde e subserviente, um escravo seguindo Aristóteles e os pais da Igreja (...), com medo de sair de linha que demandavam as autoridades. Haviam limitações teológicas, é claro, mas dentro desses limites os mestres medievais tinham uma notável liberdade de pensamento e expressão". (2)
Uso da lógica caracterizava o método escolástico

Nas universidades medievais, a discussão exaustiva de uma questão, após considerar os argumentos contrários e a opinião dos grandes autores (autoridade), era a forma tida como a mais eficiente para se chegar à verdade. A rotina acadêmica dos estudantes era animada por debates fervorosos entre os graduandos, bem como o enfrentamento de mestres com pontos de vista opostos.

debate_universidade_medievalNo site "Brasil Escola", um artigo afirma que nos debates promovidos nas universidades medievais "ninguém questionava o que os grandes autores diziam. É por isso que, séculos mais tarde, a escolástica foi considerada uma forma de estudo dogmática (bitolada)." Ora, parece que o autor desta pérola confundiu as universidades medievais com as atuais, onde o discurso marxista reina absoluto, e são raras as vozes dissonantes. Reparem na contradição flagrante: se os universitários medievais não questionava nada, como poderiam haver tantos debates?! Vamos imaginar a cena:

- Eu acho que o céu é azul, porque o Aristóteles falou.

- Com todo o respeito, ilustre colega, eu discordo! Na verdade ele é... azulado!

Aff... Dá mesmo pra crer que era possível ser assim? Mi poupi!

O fundador da ilustre faculdade de Sorbonne (Paris), Robert de Sorbon, dizia que o amor ao debate, o apreço pelo espírito crítico e a dúvida metódica que caracterizam a cultura ocidental se devem justamente à sofisticação intelectual das universidades medievais (2). O historiador Edward Grant ratifica esta tese:

O que fez possível para a Civilização Ocidental desenvolver a ciência e os estudos humanos de uma maneira pela qual nenhuma civilização tinha feito antes? A resposta, eu estou convencido, está em um penetrante e profundo espírito de questionamento que foi uma consequência natural na ênfase dada à razão que começou na Idade Média. Com exceção das verdades reveladas, a razão foi entronada como o último árbitro para a maioria das discussões e controvérsias. (1)

(1) Edward Grant, God and Reason in the Middle Ages (2001)

 

(2) David Lindberg , The Beginnings of Western Science (1992)

*****

Se você quer saber mais, recomendamos a leitura do livro Como a Igreja Católica construiu a civilização ocidental, de Thomas Woods Jr. - Editora Quadrante.

675 Terça, 06 Junho 2017 18:58

Comentários   

+1 # gabriel 04-04-2015 18:08
Em relação à criação das universidades, foi realmente a Igreja Católica quem as criou? Pois já ouvi e vi algumas pessoas citarem algumas universidades árabes como sendo as primeiras, tal como Ez-Zitouna, Quaraouiyine e Al-Azhar, tal informação procede?
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # A Catequista 04-04-2015 21:13
A Igreja Católica criou o SISTEMA universitário, tal como ele funciona até hoje: os graus, a hierarquia, a ideia de independência do governo e até mesmo do bispo local, etc. A chamadas "universidades" árabes, que surgiram antes das universidades fundadas pela Igreja, não podem nem de longe ser equiparadas ao que significa o termo "universidade", hoje.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Mateus Nóbrega 20-02-2014 23:49
Quais são as formas de contatar o blog para sugerir ideias de posts além dos comentários? O blog possui um e-mail?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 21-02-2014 14:21
Mateus, você pode nos escrever por meio da nossa fanpage, em mensagem aberta ou inbox: https://www.facebook.com/ocatequista E pode enviar email tb:
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Eduardo Araújo 12-12-2012 15:39
Já deixo duas sugestões para o nosso caro historiador: 1- um livro sobre heresias, abarcando desde as mencionadas no Novo Testamento (nicolaítas, p.ex.). Um capítulo especial poderia ser dedicado ao catarismo e à lenda negra da Igreja malvada perseguindo os bonzinhos que apenas queriam ser "cristãos" como os dos primórdios. 2 - um livro sobre a Igreja no Brasil, destacando o trabalho missionário e as inúmeras obras assistenciais da Igreja, enterrando a asneirada marxista que impera nos autores brasileiros, nesse pormenor em particular.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Pe. Dirceu 11-12-2012 21:28
Paulo Ricardo, Não sei se você já pensou nisso ou se tem algo nesse sentido, mas seria muito bom encontrar um livro seu nas prateleiras das livrarias. Estamos carentes desse tipo de estudo,,,, Grato
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 12-12-2012 00:14
Bem, Pe. Dirceu, na minha cabeça, esse tal "um dia" do Paulo Ricardo surgirá a médio prazo. É claro, vai depender da vontade de Deus também, acima de tudo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo 11-12-2012 22:12
Caro Padre, Não me considero apto ainda para tal empreitada. Não acho que possua ainda informações suficientes. Mas, quem sabe um dia. Agradeço seu apoio e incentivo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Harun Salman 21-02-2014 16:55
Eu acho que você pode produzir algo como uma coletânea de ensaios curtos, sobre falácias históricas. Sem a pretensão de uma demonstração completa, como num livro com tema único. No mundo inteiro, livros com esse formato, mais acessível ao cidadão médio, estão bombando! Acho que agora é a hora do Brasil e você, Paulo Ricardo, é um instrumento certo para retificar a perspectiva histórica do brasileiro.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cleber 11-12-2012 11:34
É engraçado, os caras que se dizem católicos vem aqui, e falam coisas que me faz duvidar seriamente a que catolicismo eles seguem. Não é por falarem que a igreja perseguiu e matou pessoas, mas por acreditarem no que ouvem por ai sem se dar ao trabalho de averiguar a veracidade do que se diz. Eu não sou historiador, e sei muito pouco de história, e no pouco que eu busquei fora do que os professores de ensino médio aqui no Brasil ensinam, percebi por exemplo que em uma cidade francesa de cerca de 13 mil habitantes, se não me engano, foram mortos, segundo os registros, mais de 30 mil pela inquisição... Se acreditarmos nisso, concluímos que ressurreição era prática comum na idade média... O pecado era tão grave que tinha que matar, ressucitar a pessoa e tornar a mata-la mais duas vezes!!! Vamos lá povo, vamos estudar antes de dizer qualquer coisa! É o mínimo que se espera de alguém que diz seguir alguma coisa!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Danilo 26-06-2012 14:53
Agora a caça as bruxas não existiu??? Também sou católico, concordo e acho ótimo que revelem as coisas boas da Igreja, mas fiquei curioso ao você se referir à Idade Média, às fogueiras, Inquisição e Caça às Bruxas como "baboseiras". Aonde você viu que isso são mentiras? Eu sou da opinião do Cadu, isso existiu sim mas nao foi culpa da Igreja, e sim das pessoas corruptas à frente dela.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 26-06-2012 22:04
Danilo a "caça as bruxas" que você está curioso provavelmente veio da charlatanice do Código da Vinci de Dan Brown (aliás a história é boa, mas as mentiras são de matar de rir). A Igreja perseguiu mulheres liberais? Sim, mas nao do jeito que você ta pensando. Toda "bruxa"que se intitulava católica a Igreja ia lá pra tentar resolver o problema. A grande mentira em tudo isso é o que contam nas escolas, uma barbaridade, um cuspe numa história tão complexa e bela da Igreja. Houve sim vários homens da Igreja que nada tinham de cristãos e que usaram o nome do Evangelho como pretexto para suas ambiçoes mas o fato é que a Igreja É SANTA! Nosso Credo nos diz isso. Ela é Santa porque Jesus disse: "Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo." (São Mateus 28,20b) Portanto a fé indefectível da Igreja a faz Santa e ela não adultera contra seu Senhor, nem se quer pode pois Cristo é a sua Cabeça e a Cabeça não se desliga dos membros jamais!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 26-06-2012 19:33
Danilo, A caça às bruxas existiu sim, mas não foi feita por católicos, e sim por protestantes. Quem não aprendeu história só de orelhada e por meio das aulas da Tia Cocota, mas estuda fontes sérias, sabe disso. Dá uma olhada neste pequeno post do blog Adversus Haereses: http://advhaereses.blogspot.com.br/2012/04/repressao-magia-e-bruxaria-pela.html Só uma observação: o autor do livro mostrado no post do link acima é Professor de História e regente da cátedra Charles Boxer no King’s College, Universidade de Londres. Temos aqui no blog também dois posts sobre inquisição, se te interessar, dê uma olhada: Inquisição – onde há fumaça há fogo? (Parte I) component/k2/item/207 Inquisição – onde há fumaça há fogo? (Parte II) component/k2/item/227
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 08-02-2012 17:04
Alê juro que os termos pelos quais me referi a Vivi não sao oq parece... FOI MAU MESMO kkkkkkk Serio falei como falo aos meus amigos nao no sentido erroneo kkk perdao Vivi, perdao Ale, mea culpa! HAHAHA
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 08-02-2012 17:00
Pedro e Vivi, apesar de não ter nada haver com essa história peço por favor que ambos ouçam meu tao indigno e pequeno conselho: vamos acalmar os nervos. Pedro, eu creio sinceramente que sua fé na Igreja seja verdadeira, mas o que você disse é uma heresia. Sim HERESIA. Vc sabe, tem ciência, que a Santa Igreja Romana é Santa? Santa e acima de tudo Imaculada? Isso é um Dogma do Catoliscismo. "Creio na Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica." (Credo Niceno-Constantinoploitano) Isso significa meu caro amigo que para qualquer um ser chamado católico, precisa declarar esta Verdade da Fé: a Igreja não peca nem nunca pecou como Instiuição Divinaem quesito de fé e moral, nem nunca pecará. Quem peca somos nós. A Igreja é pecadora no sentido que seus filhos o são. Quem pecou, matou, torturou, como quer que você chame isso, foram os homens da Igreja, não a Instituição. Caso você não creia nisso, você simplismente não [é católico por escolha, e sim um herege, que com contumácia se auto excomunga. Repense, tenho ctza que vc fai entender tudo isso. Vivi, vc tem sangue muito caliente amada. Vc é uma grd pessoa, sabe disso, alguem que nao aceita o erro, admiro isso em voce Vivi, mas as vezes vale a pena um pouco de calma e correçao simples. Minha cara tenha um pouco mais de paciencia com aqueles que tem a cabeça mais dura, com o tempo ela amolece. Catolicos brutos tbm amam não? Claro que sim, mas é mto importante temperar. Nao critico vc Vivi, mas peço mais calma, vai ser mto bom pra vc praticar isso. Abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Son_pedro 08-02-2012 11:07
acredite. eu NUNCA MUDAREI DE RELIGIÂO ATE POR QUE EU DIGO ESSA FRASE PRA TODOS QUE BATEM A MINHA PORTA. SOU APOSTOLICO ROMANO, AMO A IGREJA FUNDADA POR JESUS POR INTERMEDIO DE PEDRO E PAULO E OS DEMAIS APOSTOLOS. agora não vou omitir a verdade, afinal isso já passou. Maria em uma de suas aparições disse que a maioria dos padres daquele tempo vão pagar caro por isso, se informe querida. Agora jesus perdoa a todos, essa é a nossa esperança.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 08-02-2012 11:50
Pedro, Qual "verdade" estamos omitindo? Não vai me dizer que você é daqueles que ainda acredita naquela baboseira de Idade Média como "idade das trevas", e que a Igreja "matou milhões de pessoas na fogueira"... Me poupe! Você disse no Twitter que é historiador, então, por favor, cite um único historiador renomado e sério (eu disse renomado e sério) que sustente esta besteira. E que aparição foi essa de Nossa Senhora? Cite as fontes!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Pedro Alcino 08-02-2012 09:37
De ante mão quero dizer que não questiono a maioria das coisas que nos foram apresentadas neste artigo. Porém algo foi omitido neste relato. O simples fato de que nem toda ditadura precisa ser explícita! Existe uma certa liberdade em todas elas. Principalmente pra quem concorda com os ditadores. O fato de que a igreja não fez distinção de religião era para difundir idéias para todos. Idéias que eles acreditavam e que quando eram contestadas pagava se caro por isso! Sou católico e pesso a deus que perdoe os pecados da minha igreja. Porém eu nunca vou omitir o sangue derramado por ela. Algo lamentável. Católicos deveriam parar de justificar atos errados e começar a olhar para o futuro e buscar a sua salvação por meio de jesus cristo. Se alguém contestar o que eu disse agora deveria ter visto as fogueiras, as foices os olhos cheios de lágrimas de quem foi lhe tirada a liberdade. Que deus perdoe a igreja católica por isso.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cleber 11-12-2012 11:39
Que sangue?! Não sei se você sabia, mas existiam pelo menos 3 tribunais de inquisição, o católico, o do governo e o protestante, quando as pessoas eram presas elas imploravam pra serem julgadas pelo tribunal católico... era quem menos condenava e o que mais SALVAVA, SIM MEU CARO, SALVAVA as pessoas de serem mortas. Em muitos casos quem eram queimados em praça pública era um boneco da pessoa, que simbolizava que aquela pessoa havia morrido para a vida velha. BONECOS, e não pessoas... vá se informar meu caro, antes de espalhar as mentiras de satanás que é o pai da mentira... cuidado!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # José Menezes 09-01-2015 20:11
Cara, nunca ouvi a história desse jeito. Na verdade eu acompanho o blog e compreendo os esclarecimentos da equipe sobre a Santa Inquisição. Mas esse lance de boneco e tal eu nunca vi. Pode me indicar uma fonte, por favor? No mais, obrigado, só quero esclarecimentos. :-)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo 26-06-2012 23:16
Quero fontes amigos, até de Nossa Senhora, quando se deu? E que história é essa de "a maioria dos padres"? Quantos padres você acha que se dedicavam a inquisição? Quem eram? Pois é, eu sei. Pare de dar orelhada! Você só repete o senso comum, sem rigor científico, sem direcionamento metodológico, assim como fizeram Michellet e Gibbons, mais interessados em defenestrar a Igreja. Por favor, pare de fazer o trabalho sujo de gente como E.White e Dapper. Você nem deve conhecer mas está trabalhando para eles. Não sou um historiador somente pelo diploma, mas pela análise que fiz do outro lado da moeda, pois estive ao lado dessas pestes por mais tempo da minha vida do que gosto de lembrar. Mas tamanhas eram as incosistências e as respostas apresentadas sem critério, baseadas não em fontes primárias, mas na simples opinião dessa gente, romancistas e não historiadores, que, pela Glória de Nosso Senhor Jesus Cristo, pude ver que a verdade estava distante. Acorde em quanto é tempo, os protestantes mataram em 50 anos mais do que católicos em 500 em algumas partes da Europa. Isso são dados estatísticos baseados em processos analisados pela professora Llewellyn, feminista, nada simpática ao cristianismo. Para seu governo, muitas pessoas, principalmente viúvas e suas filhas, foram realmente assassinadas na Europa Central. Só que NÃO PELA INQUISIÇÃO, MAS PELOS POPULARES E PELOS GOVERNANTES SECULARES, que viam essas como entraves para tomarem pose de terras e suseranias. A Inquisição era chamada em muitos casos para dar um fim às barbaridades. Como ela fazia os relatos, muitos desses assassinatos cairam na conta dos inquisidores. Patifes, espúrios e gente mau-caráter tinha, com certeza, e seus feitos estão aí, expostos para todos verem, não são escondidos e como disse Nossa Senhora sim, esses vão pagar muito, muito caro. Só que antes de acreditar nos seus próprios olhos, vc diz para acreditarmos em fatos notoriamente forjados, assumir uma culpa falsa. Seja esperto, pesquise e aprenda. Colabore com essa gente que se esforça para descobrir a verdade.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 08-02-2012 09:59
Pedro, No Twitter, vc me disse que é católico praticante. Fico imaginando o que uma pessoa que se diz tão penalizada com a maldade humana faz dentro de uma igreja com uma história tão lamentável, tão sangrenta, tão tirana. Eu, no seu lugar, saia fora dessa igreja, pra não ser conivente com tamanha barbárie. Convido você a conhecer a nossa Igreja, Católica Apostólica Romana, a quem o Ocidente deve 99% de tudo o que tem de bom, e que o coloca a anos luz à frente das nações não-cristãs, em todos os sentidos: na Ciência, nos direitos humanos, na liberdade do debate, nos direitos das mulheres e crianças, na liberdade de culto etc. Venha para a Igreja Católica (não, não é nem de longe parecida com essa igreja podre que você frequenta), gloriosa, que carrega consigo a herança dos Apóstolos, e contra a qual as portas do Inferno nunca prevalecerão. Se você se recusar a vir... Que Deus lhe perdoe!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 13-09-2011 13:54
Ana, obrigada pelo apoio! bjo!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # ana paula lemos 12-09-2011 21:25
Vivi, parece que escuto vc falando! Muito bons seus artigos, continuem! Bjs
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo 10-09-2011 11:49
Com relação ao assunto, o orangal protestante-marxista, não tendo mais argumentos para usar no que tange as origens da Universidade agora estão saindo com essa aqui: "Ah! Mas o Papa e o Clero controlavam as Universidades com mão de ferro, não havia liberdade." Como diria Paulo Francis: Waaaalllll!!!! Que liberdade orango? Que idéia de jerico é essa? Pois bem, vou citar o professor Rainer Muller, que diz que a autonomia das Universidades era garantida pelos seus próprios privilégios que eram entre outros eleger seu reitor, convocar assembléias gerais, distribuir cargos e, pasmem, tinham a sua justiça independente. Portanto, quando quiserem atacar a "liberdade" mande a turma catar coquinho. Marxista tem a capacidade de raciocínio de um rinoceronte retardado.
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade