Publicidade
Segunda, 30 Novembro -0001 00:00

Papas e bispos filhos de servos, sapateiros e pastores: o que você precisa saber sobre o alto clero medieval

Postado por

Quando se fala em clero medieval, a imagem que vem à mente da maioria das pessoas é de um bando de padres vindos das classes dirigentes, que cavaram uma vaguinha de prestígio na Igreja por interesses de poder e influência. A realidade dos dados históricos, entretanto, nos mostra outro cenário: era comum que os cargos mais altos da Igreja fossem alcançados pelos mais humildes membros da sociedade.

O clero católico medieval era recrutado de todas as classes sociais, de modo bastante equilibrado. Alguns sites na internet, sem apresentar qualquer fonte, dizem que os mais pobres formavam o chamado “baixo clero” (sacerdotes e diáconos), enquanto os ricos eram selecionados para o “alto clero” (cardeais, patriarcas, bispos). Mentira!

É claro que existiam famílias poderosas que conseguiam, com sua influência, colocar os filhos, primos tios, gatos e papagaios em postos-chave da Igreja. Já apresentamos aqui no blog os escândalos e danos espirituais provocados por esse tipo de máfia infeliz, especialmente durante o século X (confira o nosso post sobre “Os Papas do Século X – os Piores da História").

Mas esse fato não formava, na Idade Média, a dinâmica predominante na seleção do alto clero – como a Tia Teteca da escolinha e o “fessô da facul” costumam enfiar na cabeça de seus aluninhos. A organização monárquica da Igreja apresentava um recrutamento democrático, em que os príncipes do clero eram escolhidos acima de tudo pela sua inteligência, conhecimento e virtudes.

Esse espírito se traduz nessas palavras do arcebispo de Reims, Adalberão (século X): “A lei divina não admite distinção alguma de natureza entre os membros da Igreja. Ela torna-os a todos de igual condição, por mais desiguais que os tenham feito a posição social e o nascimento; aos seus olhos, o filho do artesão não é inferior ao herdeiro do monarca”.

Entre os incontáveis casos de pessoas humildes que foram eleitas para a classe dirigente da Igreja medieval, podemos citar:

  • Suger, abade de Saint-Denis, era filho de um servo;
  • Maurício de Sully, bispo de Paris (que mandou construir estupenda a catedral de Notre-Dame), era filho de um mendigo;
  • O cardeal São Pedro Damião fora guardador de porcos, assim como Wason, bispo de Liége;
  • O Papa Gregório VII era filho de um carpinteiro;
  • O Papa Bento XII era filho de um açougueiro;
  • O Papa Urbano IV era filho de um sapateiro;
  • O Papa Bento XI era filho de um pastor de cabras.

O fato de os mosteiros oferecerem educação para crianças de todas as classes sociais também impulsionava a ascensão social dos mais pobres. Não, não é verdade que só os filhos dos nobres estudavam – a Tia Teteca também mentiu para você nesse ponto.

“Os monges criaram verdadeiros ‘jardins de infância’ nos mosteiros, recebendo indistintamente todas as crianças entregues, vestindo-as, alimentando-as e educando-as, num sistema integral de formação educacional.”

– Ricardo da Costa. “A Educação Infantil na Idade Média

Ah, Tia Teteca! Mente tanto que vai acabar se elegendo pra alguma coisa…

Para produzir este post, nos embasamos na obra “A Igreja das Cruzadas e das Catedrais”, de Daniel-Rops, membro da Academia Francesa.

427 Terça, 22 Agosto 2017 18:03

Comentários   

0 # Padre Orlando Henriques 14-11-2015 18:23
Ora aí está uma contradição do ensino que nos foi impingido: - por um lado, sempre ouvimos estória de que na Idade Média só os que vinham de famílias ricas e poderosas é que chegavam ao "alto clero"; - mas, por outro lado, também nos disseram que a carreira militar e a carreira eclesiásticas eram as únicas pelas quais alguém do povo podia ascender socialmente! Bem hajam por ajudarem a juntar as peças, esclarecendo as ideias e desfazendo enganos!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Mauro Carvalho 09-11-2015 18:08
Lembremos também de famosos abandonados pelos pais em orfanatos da Igreja como a própria Coco Chanel, a famosíssima estilista francesa que aprendeu a costurar com as irmãs de caridade que a acolheu junto com sua irmã de sangue. Graça e Paz
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Mateus Nunes 08-11-2015 19:14
Nós temos que fazer algo. Não podemos deixar que nossa fé seja zombada e nem que esses idiotas atuem à favor da morte de inocentes e indefesos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Mateus Nunes 08-11-2015 19:12
Vocês viram o vídeo pró-aborto feito por atores da globo, onde, além de defenderem o assassinato de fetos, insinuam que a virgindade de Nossa Senhora é um erro de tradução?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 09-11-2015 10:42
Sim, nojento. E parece que está com um índice de negativação no youtube altíssimo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # José Antonio 07-11-2015 00:26
Olá, Vivi! Gostaria de saber se o E-mail que lhe enviei, há algumas semanas, chegou a seu conhecimento. Desculpe incomoda-la!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 07-11-2015 11:28
José, acabei de responder. Não é incômodo algum! Abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Thiago Colen 06-11-2015 22:38
Excelente a notícia do livro!!! Espero que seja vendido em formatos digitais!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Pedro 06-11-2015 21:08
O Catequista, gostaria de maiores esclarecimentos sobre a Idade Média e como posso defender a Igreja de crimes atribuídos a ela nesse período. Parabéns, gosto muito do blog.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Eduardo Araújo 06-11-2015 19:57
Aliás, essa era a tônica da Idade Média. Quando passamos aos santos, então ... De ontem para hoje, estive lendo sobre duas santas do período: Santa Catarina de Sena, filha de um tintureiro; e Santa Rita de Cássia, filha de campônios. As duas, imensos baluartes do Cristianismo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Lara 06-11-2015 18:50
Amo muito os posts de vcs, que Deus abençoe esse serviço que vcs fazem à Santa Igreja!! Gostaria de sugerir um tema, sobre a cultura geek e nerd e como um católico poderia viver nesse meio. Eu não consigo me conter, sorry kkk
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Thiago 06-11-2015 16:23
Muito bom o post! Leio tudo, aprendi tanto com vocês, é fantástico! Sou muito grato ao pessoal do site, me ajudam na minha formação e a amar maus e servir melhor a Igreja! Um dia vocês poderiam fazer um artigo explicando porque de usar utensílios litúrgicos de ouro, como o cálice, ostensório... Porque de adirnos nos santos, coroas. Tem gente que questiona, mas no fundo eu sei que tudo o de mais precioso nesse mundo é pouco para Deus.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 06-11-2015 16:47
Oi, Thiago! Boa sugestão. Adiantando um pouco o assunto... Veja, no Antigo Testamento Deus ordena a Moisés que todos os objetos de culto fossem confeccionados com materiais nobres, e tudo bem talhado. Também os trajes sacerdotais eram encrustados de pedras preciosas. Para Deus, ouro e palha se equivalem, mas para os seres humanos, não. Portanto, Deus sabe que tudo isso influencia na percepção do sagrado, do majestoso, do que deve ser reverenciado. É a importância do símbolo. Até São Francisco de Assis, o santo mendigo, compreendia bem essas coisas, como já mostramos neste post: http://ocatequista.com.br/archives/9341 Abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Pedro Strabelli 06-11-2015 16:06
Vou sugerir criar algo como uma lista resumindo os grandes caôs da humanidade, um guia de referência rápida para responder a papagaiada que a gente vê repassada por aí. Com o bom humor de sempre e um toque da ironia fina machadiana. Algo como (copiado aqui do post mesmo) Só os ricos eram cardeais – O cardeal São Pedro Damião fora guardador de porcos Incluindo aí outras baboseiras de sempre, que a Igreja autorizou a escravidão, que a Igreja disse que os índios não tinham alma, etc, etc e etc.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 06-11-2015 16:42
João, vou contar pra você uma novidade (não espalha): estamos preparando um livro com essa temática. Aguarde e confie!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 14-11-2015 18:25
Quem bom! Obrigado por partilhar essa novidade tão esperada por todos os leitores do blogue! Fiquem descansados que nós guardamos segredo... :)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natália Vieira 07-11-2015 20:17
Uhuuuu, nem acredito nisso!!! Meu nível de ansiedade bateu na lua, agora hahaha!! Obrigada O Catequista <3
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 06-11-2015 18:26
Olha aí um dos pedido de muitos que acompanham o blog se concretizando, e viva nossos Catequistas, a Viviane, o Alexandre e o Paulo Ricardo. Ansioso por poder ter em mãos uma pequena parte daquilo que aqui é tratado.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 06-11-2015 18:35
Aliás, para contribuir, não posso prometer, mas, assim que puder, quando conseguir tirar um tempo do bolso para adquirir um torno para madeira, farei um terço gigante em madeira para doar a vocês do Catequista. Aí, façam o que melhor prouver (já adianto, é todo feito manualmente, por alguém que está mais para pombo enxadrista que artesão de quinta categoria, eu, portanto não é aquela coisa toda). Posso mandar a foto de um que fiz, para análise mais criteriosa de aprovação ou reprovação da obra.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 10-11-2015 11:25
Obrigada, Alex! é muita gentileza sua. Não, imagina, não precisa mandar a foto. Temos certeza de que é bonito.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Aline de Jesus 06-11-2015 13:18
Ah vcs... sempre saciado minhas curiosidades... Aprendo muito aqui... muito obrigada pela dedicação de vcs.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # André Bohn 06-11-2015 12:02
Gosto muito dos posts da história da igreja, é certo que a propaganda anti-igreja católica, deve ser a mais propagada em todos as mídias e ambientes acadêmicos. Todo católico tem que se tornar especialista na história da igreja, tendo a sabedoria sempre de bem fundamentar o fatos. Os comunistas fazem tabua rasa do passado para criar uma realidade paralela e convencer os idiotas úteis para suas causas materialistas. Obrigado
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade