Publicidade
Terça, 16 Janeiro 2018 21:51

Devoção à Divina Misericórdia: a Igreja aprova, sim!

Postado por

Há um grupo de católicos espalhando por aí que não se deve rezar o Terço da Misericórdia e que as visões de Santa Faustina estão condenadas pela Igreja. Mentira!

Santa Faustina Kowalska foi uma freira polonesa que nasceu em 1905, e morreu com apenas 33 anos de idade. Ela teve uma intensa experiência mística, por meio da qual Jesus lhe fez revelações. O conteúdo dessas visões sobrenaturais foi registrado em seu famoso Diário.

Essas revelações privadas deram origem à Devoção à Divina Misericórdia, cujo maior símbolo é a pintura de Jesus Misericordioso. A primeira pintura, feita de acordo com as indicações da santa (imagem 1, abaixo), foi feita por Eugênio Kazimirowski. Dez anos depois, surgiu outra pintura, que se tornou ainda mais popular (imagem 2). 

No ano 2000, São João Paulo II canonizou Santa Faustina, e instituiu a Festa da Divina Misericórdia, no segundo domingo do Tempo de Páscoa.

A CONDENAÇÃO PROVISÓRIA DOS ESCRITOS DE SANTA FAUSTINA

A Igreja é uma mãe muito zelosa, e faz o máximo para impedir que seus filhos caiam no papo de videntes malucos ou mal-intencionados. Por isso, algumas vezes, os escritos de santos – especialmente aqueles que relatam visões místicas – foram condenados pelo Santo Ofício, como forma de precaução. Após anos de uma cuidadosa investigação, esses mesmos escritos foram aprovados. Isso aconteceu, por exemplo, com os escritos de Santa Teresa D’Ávila.

Bem diferente de muitas seitas protestantes, a Igreja não sai fazendo promoção e sensacionalismo em cima de supostos milagres e visões sobrenaturais. Ela sempre fica com um pé atrás com essas coisas, e só aprova depois de apurar bem. Esse foi o caso dos escritos de Santa Faustina.

Em 1959, sob o pontificado de São João XXIII, os escritos da santa foram condenados pela Sagrada Congregação para Doutrina da Fé. Em 1978, porém, a mesma Sagrada Congregação revogou a condenação e permitiu que os fiéis praticassem a Devoção à Divina Misericórdia.

Essa notificação de 1978 está na Acta Apostolica Sedis volume LXX (AAS 70, 350), sob o pontificado do beato Paulo VI. E também pode ser conferida em português, no site do Vaticano:

Notificação sobre a devoção à Divina Misericórdia*

De diversos lugares, especialmente da Polônia, inclusive de fontes autorizadas, têm-nos perguntado se as proibições contidas na “Notificação” da S. Congregação do S. Ofício, publicada em AAS, no ano 1959, 271, referentes à devoção à Divina Misericórdia na forma proposta por Ir. Faustina Kowalska, estão ainda em vigor.

Esta S. Congregação, tendo em vista os muitos documentos originais, desconhecidos em 1959; considerando que as circunstâncias variaram profundamente e contando com o parecer de muitos Ordinários poloneses, declara que as proibições contidas na citada “Notificação” não obrigam doravante.

Na Sede da S. Congregação, 15 de abril de 1978.

*****

Com o valor de 1/2 Big Mac por mês, você pode ajudar a Missão de O Catequista a chegar ainda mais longe. Faça isso agora! Acesse http://catarse.me/ocatequista e apoie nosso trabalho!

764 Quarta, 17 Janeiro 2018 13:21

Comentários   

# Flavio 23-01-2018 01:07
E o caso de Nossa Senhora da Rosa Mística? Ainda é proibida a devoção?
Responder | Responder com citação | Citar
# Jhon 22-01-2018 00:19
Citando Francisco Bruno:
Lembrando que Pio XII era bastante favorável a esta devoção.


Papa PioXII também proibiu.
Responder | Responder com citação | Citar
-1 # Daniel 20-01-2018 16:56
Não precisa de muito pra por essas aparições em dúvida. A Bíblia diz sobre a aparência de Jesus em Isaías 53:2 "Cresceu diante dele como um pobre rebento enraizado numa terra árida; não tinha graça nem beleza para atrair nossos olhares, e seu aspecto não podia seduzir-nos". Já Faustina afirma em seu diário "Quando fui à casa daquele pintor que estava pintando a imagem e vi que ELA NÃO ERA TÃO BELA COMO É JESUS, fiquei muito triste com isso, mas escondi essa mágoa no fundo do meu coração”. Uma contradição ao evangelho, logo tudo indica ser falsa.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # José 31-01-2018 13:25
Bom dia.

Senhor Daniel, quando o Profeta fala que nele não haveria graça, nem beleza estamos falando de Jesus Cristo, como homem até sua morte na Cruz. Lembre que como está escrito no evangelho de hoje, o povo não sabia ainda quem ele era e por isso, o menosprezava. Porém, na glória! Ela é a suma beleza, sendo ele um com Pai que é sumamente belo. Segundo Santo Tomás: Para algo ser belo, ele tem que ser perfeito, ou integro (Suma Teológica I, q. 39, a. 8). Logo, se levarmos em conta Deus, nos seus atos que íntegros e perfeitíssimos, ou ainda Ele na glória, não mais velado sobre o Véu da carne, logo é justo afirmar que ele é nem belo, mas sumamente belo.
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # A Catequista 22-01-2018 17:22
Daniel, em primeiro lugar, Cristo apareceu a santa Faustina em seu corpo glorioso, revestido de aparência de divindade. É diferente de Cristo antes de sua ressurreição. Em segundo lugar, esse capítulo de Isaías está profetizando sobre o Cristo sofredor, ou seja, o Cristo deformado pelos socos, tapas e varetas que levou após ser preso. Claro que estava muito feio e deformado.

Portanto, não há contradição alguma entre as visões de Santa Faustina e o Evangelho. O que há é uma interpretação equivocada da Bíblia, de sua parte.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Victor Viana 20-01-2018 14:36
"Em 1959, sob o pontificado de São João XXIII, os escritos da santa foram condenados pela Sagrada Congregação para Doutrina da Fé." Pergunto se tratou-se mesmo de uma condenação ou a palavra correta seria proibição, pois a condenação sugere a percepção de um erro, e a proibição mais alinhada a mera cautela.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # José 31-01-2018 13:40
Senhor Victor, nem sempre quando a Igreja proibi algo é porque a algo de herético, veja por exemplo: O processo da inquisição contra Santa Teresa de Á vila. Ela é herege? Obvio que não! A igreja que é mãe, que primeiro olha e depois libera, nada muito afoito. Link:http://www.abc.es/toledo/ciudad/20150301/abci-santa-teresa-inquisicion-mariano-201503012236.html

E como diz a própria Congregação:"Esta S. Congregação, tendo em vista os muitos documentos originais, desconhecidos em 1959; considerando que as circunstâncias variaram profundamente e contando com o parecer de muitos Ordinários poloneses, declara que as proibições contidas na citada “Notificação” não obrigam doravante."
Link: http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/cfaith/documents/rc_con_cfaith_doc_19780415_kowalska_po.html
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Yan Rafael 19-01-2018 21:03
Olá O Catequista!
Muitas pessoas dizem que as apariçoes e a devoção são falsas , pois segundo eles Jesus promete o perdão sem exigir arrependimento e penitência , eles falam que é falso porque ''esse Jesus'' promete perdoar sem que o pecador se arrepende e considere o peso do pecado.

Esses argumentos são bons , são válidos? Alguns dizem que essa devoção é modernista.

Obrigado pela resposta , fico no aguardo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 20-01-2018 12:19
Oi, Yan!
Isso é mais uma das dezenas de mentiras e delírios desses sites de gente louca sedevacantista. Veja esse trecho do Diário de Santa Faustina:

"Sou três vezes Santo e abomino o menor pecado... quando a alma se arrepende, não há limites para a Minha generosidade com ela." (D. 1728)

E em vários outros pontos do Diário para da necessidade de verdadeira conversão.

Yan, pare de ler esses sites demoníacos, que querem colocar os católicos contra a Mãe Igreja. São pior do que sites protestantes, pois se fazem de católicos, mas querem afastar todos da Igreja para uma seita herética. Só contam mentiras!
Responder | Responder com citação | Citar
# Francisco Bruno 19-01-2018 15:35
Lembrando que Pio XII era bastante favorável a esta devoção.
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Ulisses 17-01-2018 16:56
Aproveitando o gancho, fala sobre Medjugorge.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Ana Cássia 17-01-2018 01:20
Quando as pessoas saem divulgando essas histórias que levantam dúvidas sobre a veracidade do se tem como aceito, eu fico pensando se elas realmente querem alertar os outros de um possível erro ou se só estão preocupadas em serem mais inteligentes, mais espertas, mais iluminadas que os outros.
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade