Publicidade
Quinta, 28 Maio 2015 01:20

É um pássaro? É um avião? Não! É o Padre Pio de Pietrelcina!

Postado por

levitacao_padre_pio

Ilustração: direitos reservados da ARNSG.

A Bíblia e a história da vida dos santos nos mostram que muitos santos e profetas receberam de Deus a capacidade de manifestar dons extraordinários. Os dons mais conhecidos são: o dom de cura, o dom de discernimento dos espíritos (saber o que se passa no coração de uma pessoa) e o dom de profecia. Mas e voar? Nunca ouvi falar de santo voador, até conhecer um episódio da vida de Padre Pio de Pietrelcina que é digno dos heróis da Marvel!

O local em que Padre Pio vivia – o convento San Giovani Rotondo – estava em região dominada pelos nazistas, durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Naturalmente, toda essa região era alvo dos bombardeios das tropas americanas.

A população local se apegava à esperança de que, apesar do quadro desfavorável, Deus os pouparia do pior, em consideração à santidade do capuchinho estigmatizado. Muitos andavam com fotos de Padre Pio no bolso, com a fé de que, assim, ficariam imunes aos bombardeios. E a fé do povo simples, pelo visto, não foi em vão.

Diversos pilotos americanos e ingleses relataram que, ao sobrevoar Gargano, tiveram seus bombardeios frustrados por um misterioso frade, que lhes aparecia flutuando no céu, com as mãos erguidas, como se quisesse detê-los. Voltando às suas bases em Foggia e Bari, alguns o descreviam como “um anjo de barba, sem asas”, e outros achavam que era um fantasma.

padre_pio_soldados

Logo, os soldados souberam que ali próximo vivia Padre Pio, um frei com grande fama de santidade. Quatro oficiais americanos, protestantes, foram então visitá-lo, e o reconheceram como o homem que lhes apareceu nos ares. Outro milagre aconteceu: Padre Pio falou com eles em dialeto local, mas os homens juravam que ele havia conversado com eles em inglês. Eis o verdadeiro dom de línguas!

Depois desse fato, grande foi o número de soldados das tropas aliadas que vieram a San Giovani Rotondo. Muitos deles, sendo protestantes, se converteram ao catolicismo.

Convenhamos, um frade voador? Essa história seria um grande caô, um conto inverossímil, se não se tratasse de Padre Pio, o São Francisco de Assis do século XX.

Fontes: ALEGRI, Renzo. A tu per tu con Padre Pio. Mondadori Editore

NAVILLE, Pe Hamilton José (Coordenação). Padre Pio – Um anjo sem asas. ARNSG

*****

A Associação Cultural e Artística Nossa Senhora das Graças – ARNSG – possui diversas campanhas de apoio à catequese, com a oferta de livrinhos sobre a doutrina da Igreja e sobre a vida dos santos (entre eles, Padre Pio, Santa Faustina, Santa Teresinha do Menino Jesus, São Bento etc.). Também há livrinhos especificamente voltados para a catequese infantil. Para saber como adquirir este material, clique aqui.

*****

Olhaí o nosso mais novo parceiro! Éfeta Camisas! Clique no banner e confira as estampas maneiríssimas dessa galera.

efeta

410 Terça, 27 Dezembro 2016 19:10

Comentários   

0 # Leonor Bossolan Quagliato 28-09-2015 23:03
Santo Padre Pio é uma bênção na nossa igreja amo demais. Ele como amo todos, os Santos, que com seu testemunho de vida nos mostra o seus grande amor a Deus ti amo Santo Pio rogai por nós Amém Aleluia Gloria Deus!!!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Matheus Alves Pereira 23-09-2015 22:16
Quais livros sobre São Padre Pio vocês recomendam para aprender sobre a vida dele?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Thaise 23-09-2015 19:34
Não que isso seja relevante (só uma observação), mas na Itália foram os fascistas, os nazistas eram da Alemanha.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Janes 30-05-2015 14:03
Eu creio que o Espírito de Deus suscita pessoas certas para o tempos e lugares certos, mostrando como o Senhor busca manter um diálogo contínuo com o mundo. Foi exatamente no século XX onde uma leitura panteísta e imanentista da revelação (começando como as heresias modernistas e culminando nas diversas teologias libertadoras e do dito "pluralismo" religioso) colocou apertados espartilhos sobre a razão humana, tentando humilhar sua maior dignidade e capacidade que é capacidade do transcendente, que Nosso Senhor fez surgir a extraordinária figura de Pio de Pietrelcina. Quando os teólogos católicos faziam mil malabarismos artificiosos, para mostrar os milagres de Jesus como algo meramente simbólico e sinal de uma mensagem apenas moral do Jesus "histórico", Jesus Cristo que tem a história e o mundo nas mãos suscita a pessoa de Pio, e por meio dele, opera prodígios inexplicáveis. Presentifica sua paixão expiatória nos estigmas do frade que acentuam-se exatamente durante o sacrifício eucarístico , enquanto tantos teólogos e pastoralistas divulgam uma ideia tacanha da missa como festa e janta. É como se Jesus continuasse a dizer-nos: "Quem tem ouvidos para ouvir e olhos para ver que ouça e veja!" Ele passeia entre nós aqui e agora e nós teimamos em buscar um suposto "Jesus Histórico" mais "autêntico" que outra coisa não é que ajuste e manipulação dos evangelhos à ideologias previamente escolhidas por nós. A paixão redentora com valor expiatório e a ressurreição física real (o corpo glorioso do Senhor) foram duas realidades dogmáticas do mistério cristão que se tornaram palpáveis na pessoa de Pio, com sinais perturbadores para a nossa tacanha lógica. Exatamente as realidades que muitas teologias procuraram espezinhar, julgando fazer alta "ciência" e pretextando servir os pobres de Cristo com essa manipulação grosseira. Pois são justamente os pobres do Senhor os nossos mestres em venerar a paixão do Cristo e os primeiros a nos ensinar o dom do maravilhamento ante as manifestações do poder amoroso de Deus.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # christopher 29-05-2015 16:33
belo post são pio de pietrelcina é um grande santo. Gostaria de pedir a o catequista que fizesse um post sobre o protestante william schoebelen ele afirma ter sido um ex satanista e faz graves acusações contra a igreja católica dizendo que a igreja é satanica ele diz ter sido um padre catolico e ao mesmo tempo satanista. Escreveu um livro chamado lucifer destronado em que ele narra sua vida. São as mais graves acusações contra a igreja que ja ouvi e isso me deixou realmente abalado. Ficaria grato se voces publicassem algo a respeito.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Juliano A.R.P 29-05-2015 14:09
São Padre Pio, sem dúvidas um exemplo para muitos sacerdotes modernistas dos dias de hoje.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Renato Pinheiro 29-05-2015 11:05
Muito impressionante tudo isso! Me lembro também de um outro auxílio divino q aconteceu numa guerra: Nossa Senhora na batalha de Lepanto, que assustou navios dos Muçulmanos. kkkk Eu observei uma alfinetada nesse post: "Eis o verdadeiro dom de línguas!" Não, esse não é o verdadeiro dom de línguas. Isso aí é o dom da tradução, que aconteceu em Pentecostes. Tem outro dom relacionado a linguagem em que a pessoa começa a falar uma língua que ela não estudou. E ainda um terceiro dom relacionado à linguagem que é o dom de falar "novas" línguas. Novas = não existem no mundo. Nenhum dos três é falso, e dois - tradução e dom de falar línguas que ninguém entende - estão claramente nas Sagradas Escrituras, o segundo ainda mais bem descrito que o primeiro. A Palavra de Deus fala claramente do dom de línguas (glossolalia) que é outra coisa: uma língua que ninguém entende, além de Deus. "Aquele que fala em línguas não fala aos homens, senão a Deus: ninguém o entende, pois fala coisas misteriosas, sob a ação do Espírito."(1 Cor 14,2). Por favor, cuidado para não postarem erros. O dom de línguas, assim como esse dom da tradução, estão ambos na Palavra e muito bem descritos, então saibam diferenciá-los e aceitá-los, considerando ambos verdadeiros. Um serve para o entendimento de todos, mas o outro, misteriosamente, não é para o entendimento e sim para falar com Deus coisas que ninguém entende. Você poderia até questionar "para que falar coisas que ninguém entende? Não tá bom o português?" Bom, pergunta pro Espírito Santo, foi Ele quem inventou esse negocio de dizer coisas incompreensíveis. O dom que São Pio manifestou é o dom da "tradução simultânea". Quanto à velha dúvida sobre o dom de línguas na renovação carismática... até eu tenho dúvidas pra saber quando é uma verdadeira ou uma falsa oração em línguas. Mas não há dúvidas de que existe um verdadeiro dom de línguas, que não é voltado para o entendimento, é misterioso. Isso faz parte da nossa fé e não deve ser ridicularizado nem desacreditado.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Fabão 29-05-2015 14:05
Renato, não é bem assim não. Não há um único documento do Magistério que condene a "oração em línguas" praticada na RCC, mas também não há um só que diga que aquilo ali é inspirado. Ou seja, se a Igreja não se pronunciou, eu não sou obrigado a concordar nem acreditar, nem sou culpado se duvidar. Discordo sua alegação de que as três modalidades de dons estão "claramente" na Bíblia. Se fosse assim tão claro, não haveria dúvidas e nem debates, para começo de conversa. E mais, que tal ler o capítulo 14 inteiro, em vez de pegar só um versículo fora de contexto? Isso é coisa de protestante, cara. Sai dessa! No restante do capítulo 14 da I Carta aos Coríntios, São Paulo senta o malho em quem ora em línguas sem que haja intérprete e deixa claro que, na reunião dos fiéis, não se deve falar em línguas se não houver quem interprete essa fala para a edificação de todos. "Aquele que fala em línguas edifica-se a si mesmo; mas o que profetiza, edifica a assembléia. Ora, desejo que todos faleis em línguas, porém muito mais desejo que profetizeis. Maior é quem profetiza do que quem fala em línguas, a não ser que este as interprete, para que a assembléia receba edificação." (versículos 4 e 5) "...se vossa língua só profere palavras ininteligíveis, como se compreenderá o que dizeis? Sereis como quem fala ao vento."(versículo 9) "Se eu oro em virtude do dom das línguas, o meu espírito ora, mas o meu entendimento fica sem fruto. Então que fazer? Orarei com o espírito, mas orarei também com o entendimento; cantarei com o espírito, mas cantarei também com o entendimento."(versículos 14 e 15) "Mas prefiro falar na assembléia cinco palavras que compreendo, para instruir também os outros, a falar dez mil palavras em línguas."(versículo 19) "Em suma, que dizer, irmãos? Quando vos reunis, quem dentre vós tem um cântico, um ensinamento, uma revelação, um discurso em línguas, uma interpretação a fazer - que isto se faça de modo a edificar. Se há quem fala em línguas, não falem senão dois ou três, quando muito, e cada um por sua vez, e haja alguém que interprete. Se não houver intérprete, fiquem calados na reunião, e falem consigo mesmos e com Deus." (versículos 26 a 28) Ou seja, se há algum suporte bíblico para a prática da "oração em línguas" que vemos hoje na RCC, não está neste capítulo da I Carta aos Coríntios. Veja que isso não põe em cheque a boa fé de quem faz partes de tais grupos e pratica essas "orações", e nem é demérito para a RCC como movimento. Mas temos que buscar a Verdade, para que a Verdade nos ilumine. Paz e Bem! Fabão
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Renato Pinheiro 02-06-2015 16:27
Eu considerei tudo que você disse. Sei que pela minha exposição, deu pra pensar que eu tirei o versículo de contexto. Mas não é verdade. Eu li todo o capítulo 14, vi todas as orientações de São Paulo e repito: o dom das línguas existe, tanto é que São Paulo o cerca de cuidados e deseja abertamente "Ora, desejo que todos faleis em línguas, porém muito mais desejo que profetizeis." (v.5) Quanto ao dom de línguas da forma que se apresenta na RCC, é no mínimo suspeito (sim, eu disse no mínimo). E não foi isso que coloquei em debate. Eu coloquei em debate que a Bíblia atesta que a oração em línguas existe, eu não disse que tudo que se vê na RCC é oração em línguas. E São Paulo deixa claro que a caracterísitca do dom de línguas é falar diretamente a Deus palavras que ninguém mais entende. E ele deseja que todos falemos em línguas, embora deixe claro que nem todos falam em línguas, mais adiante. Por isso reafirmo: não confundam essas 3 manifestações do Espírito Santo. A Bíblia fala da tradução em Pentecostes, em que todos entenderam, e fala do dom de línguas, que ninguém entende além de Deus. Isso é bíblico e portanto verídico. O Padre Pio atualizou o dom da tradução. Mas o dom de falar uma língua estrangeira, que observamos em alguns santos, nem bíblico é, e no entanto cremos nele, pela história da vida dos santos. Eu critiquei somente a afirmação "Esse é o verdadeiro dom de línguas". Não é. E se ajuda, critico também o que vc critica: o modo de orar em línguas na RCC, que é questionável. Mas eu nem por isso vou sair por aí desacreditando que existe o dom de falar línguas novas, diferentes, inéditas, que só Deus entende, porque isso a própria Bíblia afirma. E eu sei pelo que li que o autor do post não acredita nisso. Mas nem por isso tem o direito de passar falsas informações, dizendo que o verdadeiro dom de línguas é o que todo mundo entende. Isso é a opinião dele indo contra uma verdade bíblica de que a oração em línguas existe da forma que ela é descrita: "que ninguém entende".
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Gilberto 09-06-2015 11:16
Parece que o dom de línguas no início da igreja, nada tem a ver com o de hoje. Me parece que verdadeiramente o dom de línguas era igual ao do padre Pio. O evangelho deveria ser pregado a todo o mundo, então, foi dado o dom de falar qualquer idioma de qualquer nação da Terra. Veja este link: http://catolicosribeiraopreto.com/o-dom-de-linguas-os-padres-da-igreja-e-os-santos/ PS.: Ouçam o Magistério da Igreja.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Tiago 29-05-2015 11:31
Boa Renato, nós temos a mania feia de querer compreender as coisas de Deus, e aquilo que não entendemos costumamos não acreditar. Dom de oração em línguas: FATO!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 29-05-2015 07:44
Este artigo fez-me lembrar uma discussão que tive, uma vez, com um outro padre, que diz que não acredita no “tempo em que os animais falavam”. Ele acha, por exemplo, que o facto de o mar se ter aberto para que o povo de Israel atravessasse a pé enxuto não foi um acontecimento real mas apenas um género literário... Eu disse que não, porque a fé de Israel baseia-se num acontecimento histórico, no acontecimento VIVIDO e sempre recordado e celebrado que foi a libertação da escravidão do Egipto (não faria sentido recordar e celebrar algo que nunca aconteceu). Acrescentei que a fé de Israel, ao contrário da de outras religiões, não se fundamenta em mitos intemporais mas sim na memória de um acontecimento que (pelo menos do que conheço da cultura hebraica) não faria sentido para um israelita se não fosse memória de um acontecimento real. Também disse eu que a parte das explicações “mitológicas” no Pentateuco termina nos 11 primeiros capítulos do Génesis: tudo o que vem depois disso é, de facto, apresentado como histórico. E como ele respondesse que tudo isso estava muito bem mas “não acredito no tempo em que os animais falavam”, a minha resposta final foi: “Se o sol bailou ao meio dia em Fátima [o que é confirmado por todos os que lá estiveram e está documentado até por um jornalista descrente] porque é que o mar não se havia de ter aberto para o povo de Israel atravessar?” Ao ler este artigo sobre o Padre Pio, fico a perguntar-me o que acharão tantos cristãos que julgam que nós acreditamos no “tempo em que os animais falavam”…
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Stephanie 10-06-2015 11:56
Olá, Padre. Peço desculpas, não fui criada na Igreja Católica, e o conhecimento bíblico que possuo não me permite entender essa história do "tempo em que os animais falavam". Gostaria de ser esclarecida. Obrigada.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 10-06-2015 17:51
Fique tranquila, Stephanie, essa coisa de “o tempo em que os animais falavam” não tem nada a ver com conhecimentos bíblicos. O que esse meu colega quis dizer com essas palavras foi que, NA OPINIÃO DELE, a passagem do mar vermelho não passa de uma ficção, uma fábula, um mito… um relato simbólico, talvez, mas não histórico… A expressão “No tempo em que os animais falavam…” é uma forma de começar histórias (contos), uma forma comum de contar as fábulas, mais especificamente aquelas fábulas cujos personagens são animais (que dizem coisas…), fábulas como as de Esopo ou de La Fontaine. Muitas vezes, quem conta essas histórias a crianças costuma começar por dizer: “No tempo em que os animais falavam…”. Portanto, “o tempo em que os animais falavam” é um passado que nunca existiu a não ser na imaginação, no cenário fictício dessas histórias. Por isso é que eu contra-argumentei com o milagre do sol, em Fátima, um acontecimento que não tem nada a ver com fábulas e ficção, mas que foi testemunhado por uma multidão de cerca de 70 mil pessoas (crentes e não crentes) e foi registado pelo jornalista anti-clerical Avelino de Almeida no jornal anti-clerical “O Século” (o nome do jornal diz tudo…) e na revista “Ilustração Portugueza”. Os artigos de Avelino de Almeida sobre o assunto foram tão imparciais que lhe valeram o despedimento!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 29-05-2015 01:29
http://www.padrepio.catholicwebservices.com/PORTUGUES/PORTUGUES_index.htm Aqui tem mais detalhes para quem quiser ler. E depois como é que tem gente, inclusive padres que não creem em milagres, acham que é tudo obra de uma suposta sugestão psicológica fortíssima. Como no filme o Padre Pio responde a um bispo que lhe diz isto: "então senta e fica pensando que és um boi, quem sabe lhe nascem chifres".
Responder | Responder com citação | Citar
0 # william 28-05-2015 19:02
Santa Teresa de Jesus levitava na ação de graças na Missa.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Lucas Farias 28-05-2015 17:24
São Pio de Pietrelcina , São José de Cupertino, Santo Antonio de Santana Galvão, São Martinho de Lima ... Com essa equipe da ICAR os Vingadores da S.H.I.E.L.D são totalmente desnecessários ! kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Carlos André Cunha de Almeida 28-05-2015 17:12
Umas vez, assistindo uma palestra do Pe Paulo Ricardo, ele explicou que os dons do Espírito Santos sempre se manifestam para o bem da comunidade, nunca para proveito próprio, por isso, não acho que o dom de levitar de Pe Pio seja inverosímel, ele levitou para ajudar sua comunidade que estava sendo bombardeada!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alexandre Fernandes 28-05-2015 16:31
Ave, Maria puríssima! Prezado Melquiel, Concordo com você. Porém, não podemos deixar de declarar que as seitas que se denominam cristãs não o são nem nunca o foram. São seitas cismáticas e heréticas, filhas do demônio. Portanto, destas árvores podres não se pode esperar bons frutos. Vale a leitura da infalível encíclica “Mortalium Animos” de Pio XI, publicada em 1928, onde este grande Papa condena veementemente a designação de comunidades cristãs para as seitas pseudo-cristãs, como se fossem comunidades distintas, porém, todas verdadeiramente cristãs. Abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Melquiel Luiz de França Júnior 28-05-2015 14:12
Neste tempo nem passava a Noviça Voadora kkkk. Sempre me surpreendo quando leio sobre a vida de algum santo.Mas importante do que os dons extraordinários são o exemplos de vida e as mensagens que os santos nos deixaram. Eles são como setas a nos indicar o caminho que devemos seguir. Infelizmente as outras denominações cristãs não compartilham deste pensamento. Pior pra elas.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo Costa 28-05-2015 14:00
São Martinho de Lima também levitava. E fazia bilocação transcontinental. Viram ele na África. São Martinho rules!!!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Fabão 28-05-2015 13:15
Vivi, No segundo parágrafo do texto está escrito: "O local em que Padre Pio vivia – o convento San Giovani Rotondo – estava em região uma dominada pelos nazistas", e no fim do terceiro prágrafo tem "E a fé do povo simples, pelo viso, não foi em vão." Finda a sessão "cata-piolhos", vamos ao texto. São Pio sempre surpreende. Parece que mesmo lencod algo da vida dele sempre tem um fato desconhecido que chama a atenção. Além dele, tem o já citado São José de Cupertino, que chegou a levantar pelos cabelos um frade que não acreditava nisso de "frade voador". Ele voava tanto que chegou a ser proibido de sair do convento, por causa do efeito que isso causava nas pessoas. O também franciscano São Benedito tem um caso de levitação interessante. Ainda que não acontecesse com recorrência, mas certa vez ele levitou carregando o crucifixo que ia à frente de uma procissão. Mas a lembrança do Alexandre é importantíssima! Independente dos dons extraordinários, que nos saltam à mente e nos afetam grandemente, esses santos todos foram pessoas de muita oração e de dedicação aos outros. E a medida de sua santidade reside no amor a Deus, a Maria Santíssima e aos irmãos, pois esse amor os levava à oração e à ação, e os mantinha na fidelidade à sua vocação e à Igreja. Tais dons extraordinários são consequências, e nem sempre ocorrem, independente da santidade da pessoa.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Danilo 28-05-2015 12:57
Quem já assistiu o filme "Eu prefiro o Paraíso" de São Felipe Neri??? Tem uma parte lá do filme que ele levita também, mas não sei se foi um fato verdadeiro, pois o padre Paulo Ricardo disse que esse filme não é uma biografia precisa da vida desse Santo. https://padrepauloricardo.org/episodios/sao-felipe-neri-prefiro-o-paraiso
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alexandre Fernandes 28-05-2015 12:08
Ave, Maria puríssima! Queridos amigos em Cristo e Maria, Em que pese os dons extraordinários do padre Pio, não nos podemos esquecer também que este venerável franciscano teve uma enorme preocupação com o clero romano, no que tange às infiltrações e ingerências da maçonaria no Vaticano. Recomendou viva e corajosamente que se estudasse sobre a maçonaria e que se alertasse sobre este grande mal que assola a Cidade Eterna. A pedido do padre Pio, o sacerdote dr. Luigi Villa, nomeado pelo Papa Pio XII como agente secreto do Vaticano, foi encarregado de defender a Igreja contra a maçonaria eclesiástica. Seus escritos podem ser conseguidos em Chiesa Viva.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Adriana 28-05-2015 11:43
Santo Antonio de Santana Galvão também tinha suas levitações e voos.Tinha tb o dom de "parar" as pessoas no ar,tipo o Professor Xavier do X-men..rsrsrs!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Lucas Borges de Almeida 29-05-2015 03:56
Uma pequena correção "levemente" nerd; na verdade, nos X-Men, quem faz isso é a Jean Grey! O professor Xavier apenas lê e controla as mentes alheias! Desculpa, não pude evitar... HAUIUAAAHAIHAIHIAHAHAU
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Maicon Ronald 28-05-2015 12:34
Q massaaa!! Gostaria de saber mais sobre isso *------*
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Danilo 28-05-2015 11:08
Pietralcina???? Não seria correto Pietrelcina? :o
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 28-05-2015 11:13
Sim, obrigada, vou corrigir!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Marcelo Jose dos Anjos 28-05-2015 09:54
Que legal. =D E não adianta a gente querer esse dom de Deus só pra sair voando por aí. Acredito que Deus só permita que isso aconteça quando for por uma boa causa. Que no caso citado, serviu para a conversão de vários soldados. Não é mesmo? (Mas que seria legal voar por aí assim, seria. Hehehe)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Tiago 28-05-2015 12:59
Além de voar, ele tinha o dom de bilocação, e há quem diga trilocaçao. Dom de estar em mais de um lugar ao mesmo tempo. Confessava o povo que ia na igreja por até 20 horas. E suas missas costumavam demorar cerca de três horas, tamanha era sua devoção por Jesus Eucarístico.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 28-05-2015 10:40
Além disso, serviu para impedir que muita gente inocente morresse em San Giovani Rotondo, pelos bombardeios.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Maicon Ronald 28-05-2015 09:40
Além de São Pio existe outro santo voador capuchinho: São José de Cupertino. Vale a pena conhecer a história desse santo q, além de autista, vivia voando toda vez q ele ouvia os nomes de Jesus e Maria. Voava tanto q a população da cidade até tratava como algo rotineiro kkkk
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade