Publicidade
Quarta, 15 Junho 2016 02:56

Camisinha e pílula? Que nada! Conheça o Método Billings

Postado por

cegonha_destaque

O pecado, como nasce? Geralmente, nasce do desvirtuamento das coisas boas que Deus criou. Deus criou o alimento; o demônio incita à gula. Deus criou a santa ira; o demônio promove o ódio cego. Deus ensinou suas Leis; o demônio espalha o legalismo, o farisaísmo. Deus criou o sexo; o demônio planta nos corações a ideia de que o sexo pode ser pura diversão, barrando por meios artificiais qualquer abertura à vida.

Basicamente, um casal católico precisa saber que:

  • É dever de todo casal católico estar a aberto a receber os filhos que Deus quiser lhes enviar (essa promessa é feita no rito do matrimônio);
  • É PECADO GRAVE usar meios artificiais (cirurgia, medicamentos ou DIU) para evitar a gravidez;
  • Quem usa meios artificiais para evitar filhos não pode receber a Sagrada Comunhão e coloca a alma em risco de ir parar no Inferno;
  • A Igreja permite o uso de meios naturais muito eficazes para espaçar a vinda de filhos, se o casal possui MOTIVOS JUSTOS para isso.

"Ah, então os católicos têm que fazer filho sem parar, mesmo sem ter condições de criar?!". Não, irmão. Respira fundo, keep calm, coma uma torrada com Nutella pra relaxar e senta aqui pra entender melhor.

senta_aqui

Vou repetir: a Igreja permite o uso de meios naturais para espaçar a vinda de filhos, se o casal possui MOTIVOS JUSTOS para isso. Eu poderia citar vários desses métodos (como o uso do monitor de fertilidade digital Persona), mas vou me concentrar no mais popular e acessível de todos, o Método Billings. Para saber mais, confira abaixo o ótimo vídeo do casal Déia e Tiba!

 

"E A IGREJA VAI AJUDAR A SUSTENTAR MEUS FILHOS?"

Essa é a pergunta debochada que sai da boca daqueles que zombam da moral católica. Não é à toa que Jesus perguntou: "haverá fé quando o Filho do Homem voltar à Terra?". Afinal, até mesmo muitos dos que se dizem católicos endurecem o coração e renegam a doutrina da Igreja.

mais_filho

Vamos esclarecer algumas coisas...

A Igreja não está dizendo que é pra colocar filho no mundo a torto e a direito, mesmo que você esteja debaixo da ponte. O que a Igreja ensina é que devemos ter fé em Deus (vocês ainda lembram o que é isso... FÉ?) e confiar na Providência Divina. Ou acaso as palavras de Jesus sobre a Providência não merecem a nossa confiança?

"Não vos inquieteis com o que haveis de comer ou beber; e não andeis com vãs preocupações. Porque os homens do mundo é que se preocupam com todas estas coisas. Mas vosso Pai bem sabe que precisais de tudo isso. Buscai antes o Reino de Deus e a sua justiça e todas estas coisas vos serão dadas por acréscimo." (Lc 12,27-31)

A Igreja também ensina que homem e mulher podem usar os meios naturais para espaçar a vinda de filhos, caso necessário (eu sei, já é a décima vez que repito isso aqui, mas acreditem, é preciso).

MAS O MÉTODO NATURAL TAMBÉM NÃO FERE O FATOR PROCRIATIVO?

Não, não fere - desde que o casal o esteja utilizando por motivos justos. Com os métodos naturais, o casal pode identificar e fazer uso daqueles dias que a própria natureza permite que se unam sexualmente, sem procriar.

Se fosse pecado fazer sexo nos dias inférteis, mulheres grávidas ou que já entraram na menopausa não poderiam se unir sexualmente com seus maridos. Mas elas podem, obviamente!

Já os métodos artificiais de contracepção deseducam o casal a estar aberto à vida, pois o casal se acomoda à facilidade de produzir artificialmente o estado de infertilidade. E assim o fator unitivo é desvinculado do fator procriativo, por meio de um mecanismo que a natureza não doou. Ou seja, usa-se algo que está fora do plano de Deus para a sexualidade humana.

Usando a imagem da cegonha... Usar anticoncepcional é como fazer sexo e enxotar a cegonha a paulada. Usar os métodos naturais é como fazer sexo enquanto a cegonha está descansando ou dormindo.

cegonha_enxotar

"FIZ LAQUEADURA E NÃO CONSIGO REVERTER. E AGORA?"

Faça um exame de consciência. Se você pudesse reverter a laqueadura com sucesso, você o faria? Se seu arrependimento for sincero e se a sua resposta for sim, procure um sacerdote, se confesse e siga em paz. Deus perdoa e apaga os pecados bem confessados.

Ainda que uma laqueadura não possa ser revertida, acima de tudo, o que conta para Deus é um coração contrito e reto na intenção.

"O PADRE DA MINHA PARÓQUIA DISSE QUE POSSO USAR CAMISINHA E PÍLULA"

Nenhum padre tem autoridade para ensinar algo diverso do que está dito no Catecismo e na encíclica Humanae Vitae. Se o faz, terá que responder diante de Jesus, no Dia do Juízo Final, pelas almas que conduziu ao erro e à perdição.

"MAS HOJE NÃO É FÁCIL CRIAR UM FILHO..."

E quem disse que a vida tem que ser fácil? Jesus disse: quem quiser me seguir, tome a sua cruz e me siga. Rélôoooou... Não há cristianismo sem cruz!

O filho único faz parte da cultura destrutiva do bem-estar, diz o Papa Francisco, e a família numerosa é a célula mais rica da sociedade (saiba mais aqui). As pessoas querem ter só um ou dois filhos para satisfazer a si mesmas e ter o mínimo de sacrifício possível, como se a felicidade estivesse numa vida confortável, e não na doação de si, seguindo a vontade de Deus.

Ademais, do ponto de vista material, hoje é muito mais fácil criar filhos do que antigamente. Em outros tempos não havia antibióticos, vacinas, máquina de lavar roupa, fogão elétrico e a gás, geladeira, leite em pó, DVD da Galinha Pintadinha e mil e uma facilidades da vida moderna.

3136 Quarta, 21 Dezembro 2016 20:23

Comentários   

0 # Thiago 14-08-2017 18:14
Mas e uma mulher que já está na casa dos 50 anos e não quer mais engravidar, ainda assim é pecado usar preservativo? Afinal, não está usando pq simplesmente quer evitar filho pra seu próprio bel-prazer da vida, mas pq já fez algumas cesáreas, não se sente segura com uma gravidez de risco... ou seja, depois dos 50 tem que deixar a coisa fluir e arriscar? isso não seria tentar a Deus? Não estou perguntando de má-fé, mas pq gostaria de mais esclarecimentos msm...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 14-08-2017 18:38
Thiago, gravidez de risco é algo muito relativo. Na grande maioria dos casos, está longe de significar que a pessoa corre grande risco de morrer de engravidar. Especialmente se a última cesárea de sua esposa foi feita há muitos anos, é bem possível que ela possa engravidar novamente sem problemas.

De qualquer forma, isso deve ser avaliado por vários médicos. Aos 50 aos, é dificílimo uma mulher engravidar. Então, caso haja realmente grave motivo, vocês podem usar algum método natural para evitar a gravidez. Se continuarem a usar preservativo, estarão pecando gravemente.

Quantas cesáreas sua esposa já fez?

Veja essa matéria do Fantástico sobre gestações de alto risco. É bom ver tudo. Mas especialmente a partir de 8:45 mostra o sexta cesariana de uma mulher católica:

https://www.youtube.com/watch?v=BOiZwjSkw4U
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Moisés 01-02-2017 03:27
Gostaria de tirar algumas dúvidas em relação à prática do método billings. Pôde-se considerar como uma continência periódica? Vi alguns sites defenderem a continência relacionada a abstenção do sexo, já que não querem ter filhos. Resumidamente, de acordo com o que li, esse método bateria de frente com o fim primário do matrimônio, que é a procriação e educação da prole. Mas tenho dúvidas sobre isso. Pq então o sexo só seria feito corretamente com o objetivo do fim primário (procriação)? Segue alguns dos sites que vi falando sobre isso http://www.igrejacatolica.org/planeamento-familiar-natural/#.WJFwc-s4-rX http://stdominic3order.blogspot.com.br/2009/05/planejamento-familiar-e-o-dito-natural.html Me desculpe caso eu esteja confundindo as coisas e falando besteira.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 01-02-2017 13:24
Moisés, só seu de uma coisa, se você tiver uma penca de filhos e não puder sustentar estas crianças, e for bater a portas destes caras que você citou nos links acima, garanto que nenhum deles te ajudarão, vão te bater a porta na sua cara. Se a Igreja hoje aceita os métodos naturais, que por motivos graves, os casais que querem ter uma paternidade e maternidade responsável, tendo o número de filhos que eles puderem sustentar, lançam mão deste método, não vejo para que criar tanta celeuma, agora me responda, o que este pessoal indicado por estes links que você passou querem?. Primeiro, não vejo que sejam católicos de verdade, ou na verdade, eles querem ser super católicos, acima dos católicos comuns, me lembram até os fariseus nos tempos de JESUS, porém, eles tem desprezo pelos papas pós concílio Vaticano II, tanto que em um dos links, chama o Papa Paulo VI de anti papa, portanto tá na cara que são sedevacantistas. Por outro lado, parece que essa gente vivi no mundo da ilha da fantasia, eles acham que o mundo de hoje era como a de cem anos atrás, será que eles não se tocam que se muitos não andam como muitos querem, você esta fadado a desaparecer, ou seja, nos dias de hoje é: se correr o bicho pega se ficar o bicho come. Sendo assim, quem quiser ter uma penca de filhos, pode ter a vontade, desde que assuma a responsabilidade de dar o mínimo necessário a eles todos, e não deixarem jogados na sarjeta, agora, como um casal que mora em uma favela, que ganha um salário mínimo vai poder ter uma penca de filhos?, como um casal que mora em apartamentos feitos pelo governo, que são verdadeiros apertamentos, poderão ter uma penca de filhos?, será que este pessoal que defendem que os métodos naturais são tão pecaminosos que os artificiais, recolherão alguns filhos de casais que moram em apartamento populares em suas casas?, darão de comer, de vestir, a educação e a saúde aqueles casais que só recebem um salário mínimo?. E desde quando um casal que se une para fazer sexo é pecado?, é tido como uma luxúria um homem e uma mulher, casados dentro do sacramento do matrimônio?. Se for desta forma, então o céu está vazio, apenas com alguns gatos pingados e o inferno está cheio, se for assim, então casais cuja a natureza para procriar sessou, então eles não poderão mais fazer sexo, ou casais que tem algum problema de fertilização, idem. Ou seja, para mim é muita bobagem o que este pessoal apregoa, garanto que são que nem os fariseus nos tempos de JESUS, fazem o povo carregar pesados fardos nas costas de todo mundo, mas eles mesmos não movem nem um dedo para carregar alguma coisa, são hipócritas, isto sim, eles que vão ter suas pencas de filhos se puderem criar, mas não julguem aqueles que não podem, e também não julguem o casal que se une para ter prazer sexual, se fosse assim, mesmo os que se unem para somente fazer filho, teriam que fazer um esforço enorme em não ter prazer algum no momento da relação sexual, seria como comer açúcar e tentar não sentir o gosto doce que vem do açúcar, teria lógica isto?.
Responder | Responder com citação | Citar
-1 # Moisés 01-02-2017 21:34
Agradeço pela resposta, mas suas respostas foram fundadas em "não vejo" ou "para mim". Diante da busca da verdade, eu me convenço em respostas baseadas no que a igreja fala. Por isso eu tenho essa dúvida. Porque há um lado que fala que é permitido o uso do método billings e há outro lado que diz que não. Já li muito sobre o lado que diz que é a favor, mas ainda não consegui encontrar uma resposta convincente que derrube o argumento dado pelo lado que diz que essa prática é pecaminosa. Porque eles se baseiam na enciclica casto connubi de Pio XI de 1930. E aí eles argumentam do fim primário do matrimônio que é procriação e educação da prole. A parte unitiva estaria, pelo que entendi, em fim segundanistas. Ou seja, o fim secundário é subordinado do fim primário. Portanto ter relação é, períodos inférteis seria uma inversão desses fins, por isso, estaria errado. Só que entrando na minha humilde opinião, matrimônio é uma coisa é sexo outra. Fazer sexo nesse período ao meu ver não significaria inverter os fins do matrimônio. Mas eu ainda não encontrei uma resposta mais convicta é embasada pela igreja que tenha já estudado esses dois lados. Sobre o concílio Vaticano II, eu ainda não tenho conhecimento suficiente pra entender a polêmica que envolve tal concílio.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 01-02-2017 22:58
Então faça o seguinte Moisés, tenha uma penca de filhos e se não conseguires criar todos, mande para este pessoal que acredita que sexo é só para ter filhos, que não se deve ter prazer algum com sexo, para eles criarem alguns de teus filhos, e se eles não quiserem cria-los ou te ajudar a criar, então meu amigo, arque com toda as consequências sozinho, porque neste momento, aqueles que mais colocaram a lenha na fogueira para todos saírem por aí procriando como coelhos, serão os primeiros a bater a porta na sua cara.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Anonima 06-01-2017 01:51
Conheci uma lógica assim: - usar o MOB para não ter nenhum filho no casamento é pecado grave; -usar o MOB para ter menos filhos do que poderia pode ser pecado venial (ex.: casal de juízes que tem 2 filhos porque não teria tempo de educar bem um numero maior de crianças). Ha algum doc da Igreja que comprove as premissas ou que as invalide?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Concurseira 02-12-2016 20:32
Ter filhos não é pra qualquer um.. Nem estou falando que precisam ser ricos, mas ter tempo. O tempo é o maior investimento que uma criança demanda. Não tenho filhos, levo a vida numa boa. A vida é feita de escolhas: se trabalho em tempo integral, não tenho tempo de me dedicar como uma criança precisa e merece. Simples assim ! E claro estou com alguém que pensa como eu. Jamais estaria com alguém que desejasse ser pai..!! O dia que pensar diferente e ter tempo, dinheiro e independência financeira que me permita posso adotar, contribuir para alguma instituição filantrópica. Você pode não ter filhos e ser uma pessoa de bem, generosa, ajudar os outros. Sinceramente é minha modesta opinião (não sou adepta de religião alguma).
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 03-12-2016 14:40
Concurseira, se você não é adepta de religião alguma, então sua opinião é somente sua e ponto final, pior seria se você fosse católica e viesse com esta sua opinião aí a coisa seria complicada, pois não bastaria somente não ter filhos e ser uma pessoa de bem, generosa, ajudar os outros, pois o problema iria residir em dizer que é uma coisa e fazer totalmente diferente do que se diz ser. A Igreja Católica sempre ensinou que a união querida por DEUS é somente entre um homem e uma mulher e abertos a vida, aos filhos, se alguém casa na Igreja Católica com a intenção de não querer ter filhos, este casamento, por si, já é nulo. Poder haver problemas de saúde que impeçam o casal de ter filhos, aí já é outra história, ou que o casal queiram espaçar o nascimentos dos filhos, aí já outra história ainda, mas querer negar a ter filhos, quando no altar, durante a cerimonia do casamento o casal jurou em receber os filhos que DEUS enviaria, isto já é um pecador mortal, pois disseram aquilo apenas com a boca, enquanto que no íntimo a vontade era outra. Portanto não é porque não querem ter filhos que um casal católico poderá ser uma pessoa do bem, generosa, ajudar os outros, isto pode funcionar para pessoas como você, mas para um casal católico que pensa assim, está totalmente fora dos ensinamentos da Igreja, daquilo que DEUS quer. Se casou na Igreja, deve seguir aquilo que juraram na cerimonia de casamento, caso contrário, nem adianta vir com este papo que não querem ter filhos pois são pessoas do bem, generosas e ajudam os outros, pois se nem cumprir o que eles prometeram quando casaram não querem, duvido muito que eles serão pessoas do bem, generosas e que ajudam os outros.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Thallía B. Rosa 11-11-2016 20:30
Bom post, acho ótimo poder ler artigos sobre isso em português, mas ainda tenho minhas dúvidas em relação ao método.. A questão da necessidade REAL varia, e não sei, mas acho que tem muito casal cristão por aí que se acha no direito de evitar filhos por motivos tão banais.. O MOB pode ser tão eficaz quanto a pílula, então porque poderíamos usá-lo assim, em caso de qualquer "necessidadezinha"? Novamente, o que é essa necessidade? Não entendo como necessário o fato de um dos futuros pais não terem terminado a faculdade, o casal não possuir casa própria ou salários altos.. Acho vago demais, e ainda não consigo aceitar a ideia, a não ser, claro, em caso de um motivo GRAVE (doença, extrema pobreza, etc)..
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Gustavo Fernando 06-10-2016 23:52
Salve Maria! Parece haver uma confusão aqui, pois os motivos justos na questão da prole e natalidade excluem a intenção do ato sexual que sempre deve estar aberto a geração da vida. Na enciclica Casti Connubi isto está mais claro. Se há motivo justo o casal deve recorrer a continência e não realizar um ato previamente planejado afim que seu fim não se cumpra.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Clara França 17-09-2016 17:04
Quero dar meu testemunho como filha de casal que faz uso do Método Billings á 30 anos. Sou a filha mais nova de um espaçamento de 3 anos para minha irmâ mais velha. Meus pais sempre me contam que nós duas fomos planejadas com muito carinho. O método realmente funciona, ajuda na cumplicidade do casal e evita em muito a taxa de divórcio. Já que muitos destes é motivado pela "distância", o método aproxima, os faz sempre a estarem em constante diálogo. E não acho certo ter apenas motivos GRAVES para espaçar os filhos. Viva o prazer sexual no casamento! Viva o orgasmo! É como a prória Viviane disse: No método Billings, o casal faz sexo e a cegonha está dormindo. Quem disse que o casal está fechado á vida por causa disso? A cegonha pode muito bem acordar! Já que se sabe que mesmo nos períodos inférteis ainda é possível uma fecundação.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Clara França 17-09-2016 17:20
Outra coisa, uso o app OvuView, a partir dos dados que você coloca (aspecto do muco, cor, sensação, umidade, ele é bem específico, ele mostra estatísticas de períodos férteis e inférteis.Mesmo solteira, ele é m,uito bom para conhecer meu próprio corpo e quando casar eu estar mais experiente.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Everton 12-09-2016 18:31
Srª Catequista. Poderia falar um pouco mais a respeito do monitor digital, caso saiba de algo mais específico? Att, Everton.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Stéphanie 04-08-2016 23:40
Qual é o problema de ter dois ou três filhos? Qual é o problema de passar férias na disney todo ano? Não quero ser obrigada a ter filhos. Qual é o problema de um casal sair para um passeio e pagar uma babá de 2 mil para cada filho em vez de pegar esse dinheiro para criar outros filhos? E quando a mulher trabalha fora? Como vai pagar creche para vários filhos? Não acho justo a mulher ter que cuidar dos filhos em casa em vez de trabalhar.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Clara França 17-09-2016 17:28
Viajar á Disney todo ano e pagar uma babá de 2 mil é realmente algo distante para a maioria das pessoas. Não há problema nenhum em viajar com a família. Para isso é que se faz planejamento, economiza-se. Outra coisa é gastar todo o salário nisso, sacrificando gastos necessários á vida, ou que poderiam ser empregados para planejar mais um filho. Entendeu? É justamente isso que o Papa quer alertar: que em nome do "bem-estar" as pessoas, por comodidade querem ter somente um filho.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 09-08-2016 13:03
"Não quero ser obrigada a ter filhos". Ninguém é obrigado a ter filhos. Aliás, ninguém é obrigado a seguir nenhum dos mandamentos de Deus - tudo que vem da Sua Palavra é um convite à nossa liberdade. Assim como Maria recebeu do anjo o convite de ser Mãe do Messias, e deu seu "sim" livremente. "Não acho justo a mulher ter que cuidar dos filhos em casa em vez de trabalhar". E ficar em casa cuidando dos filhos é ruim? Servir ao patrão é mais interessante do que servir aos filhos que vêm do seu próprio ventre? Pobres crianças de nossos tempos, cujas mães acham um suplício permanecer muito tempo em sua presença... Stéphanie, sugiro que você procure um com grupo católico para aprofundar o conhecimento sobre Jesus e sobre a doutrina da Igreja. Abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Vinicius 02-07-2016 09:10
Muito útil o post. Nós católicos, em especial nós catequistas, temos a MISSÃO de divulgar esse tipo de informação, que guia as pessoas pela vontade da Igreja.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Pedro Strabelli 28-06-2016 18:34
Quase toda vez que vejo discutir a assunto de planejamento familiar, os aspectos mais analisados são o método usado e, dentre os motivos, o campeão é a falta de dinheiro. Eu acrescento uma outra preocupação que deve ser analisada com muitíssimo cuidado; é “quantos filhos eu posso educar para Deus”. Escrevi “mutíssimo” porque considero uma questão de muita importância mesmo. Não é questão de para quantos filhos eu consigo pagar escola particular. Orçamento a gente dá um jeito, trabalha em dobro e consegue, mas educar de forma cristã é muito difícil e requer tempo. Não é só matricular na catequese, levar na Igreja, mandar pro grupo de jovens e perguntar se ele rezou antes de dormir. Isso é muito fácil de fazer e não é aí que está o problema. É fora disso que as tentações esperam e é aí que precisamos acompanhar os filhos mais de perto, ainda mais quando a adolescência chegar. Penso que os casais deveriam analisar este ponto com muita seriedade. Muita seriedade também porque este é um tipo de argumento que pode servir de escora para se fugir da paternidade ou maternidade. É simples dizer “Ah, eu não ia dar conta” e isso servir de justificativa para fugir da paternidade. Como também é muito simples pensar que vou por no mundo porque Deus cuida. A responsabilidade pelos filhos é grande perante Deus e por isso mesmo os casais devem pensar muito.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Vagner 27-06-2016 12:54
Fica aqui um testemunho... Eu e minha esposa fazemos o método billings. É uma grande bênção, pois ela passou a se conhecer melhor, eu passei a conhecê-la melhor e nós dois, como esposos, nos conhecemos muito, mas muito melhor. Isso nos deu cumplicidade sexual e afetiva. Ela está com um pequeno problema de saúde e não podemos ter filhos agora (um dos motivos justos descritos no post) e decidimos esperar que ela fique 100% para termos um filho. Se utilizássemos métodos contraceptivos iria ferrar ainda mais com a saúde dela, sem contar que, diferente do que se fala por aí, esses métodos não são totalmente eficazes. Uma vez falei isso com uma colega e ela veio com essa resposta cretina: "A igreja não vai cuidar dos meus filhos. Quem vai cuidar sou eu". Digo "resposta cretina" porque é uma ingratidão e falta de reconhecimento imensa para com a Igreja. Tive uma boa educação dos meus pais e os amo de todo meu coração, mas com a adolescência vem tambem a rebeldia. E mesmo tendo uma boa educação e ótimas referencias em casa senti essa rebeldia na adolescência. Foi a Igreja que cuidou para que eu não fosse influenciado por amizades que queriam me levar para as bebedeiras, drogas ou outros tipos de imoralidades. Foi nos encontros, retiros, nas palestras que aprendi que meus pais precisavam ser amados. Então, essa história de que a Igreja não cuida é furada. Em uma determinada fase da vida, os filhos não escutam os pais e é a Igreja que segura as pontas. Quem trabalha com adolescentes e jovens sabe exatamente o que estou falando. O método billings é uma grande graça de Deus e a Igreja ajuda e sempre ajudará os pais nos cuidados de seus filhos, afinal de contas ela é a nossa Santa Mãe Igreja.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Pedro Strabelli 21-06-2016 15:47
A Europa anda numa onda de vegano pra cá, vegano pra lá. Alguém precisa avisar os europeus que o planejamento familiar mais vegano que existe é o natural. Com tudo aquilo de ética, respeito, vida e outras coisas que eles falam do estilo de vida vegano. Ah, de quebra, se nascer um pouco mais de europeus, talvez sobre algum na Europa.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 17-06-2016 10:04
Fica uma sugestão, um próximo post, colocando os risco que os anticoncepcionais trazem para as mulheres, e aqueles que são recomendados, como a mulher é obrigada a usar quando para efeitos medicinais, tal como está na encíclica Humane Vitae, 15. E também, trazer as atenuantes e agravantes, para aqueles casais que usam os métodos proibidos pela Igreja (métodos antinaturais), diante de um mundo que cada vez mais, empurram as famílias a terem cada vez menos filhos, quanto a muitos casais que gostariam ter um número considerado de filho, e não podem, por justamente, por fatores externos, impedir isto.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Fabiana Silva 16-06-2016 21:43
Obrigada "a catequista".. Esclareceu sim! Deus abençoe!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Eduardo Ramirez 16-06-2016 18:28
O livro de teologia moral do padre Antônio royo Marín explica bem no capítulo sobre casamento essas dúvidas. O moral theology do padre heribert jone tb :)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Karoliny Marques 16-06-2016 15:07
Boa tarde. Gostaria de saber como seria no meu caso: Possuo distúrbios hormonais e ovário policístico. Sem o uso do remédio meu ciclo é totalmente desregulado. Neste caso seria praticamente impossível prever os dias em que estou fértil. Como posso proceder?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 17-06-2016 09:59
Karoliny, se o anticoncepcional é para regular seus hormônios, não constitui pecado, pois se esta utilizando ele como um medicamento fitoterápico. A própria encíclica Humane Vitae traz isto: "Liceidade dos meios terapêuticos 15. A Igreja, por outro lado, não considera ilícito o recurso aos meios terapêuticos, verdadeiramente necessários para curar doenças do organismo, ainda que daí venha a resultar um impedimento, mesmo previsto, à procriação, desde que tal impedimento não seja, por motivo nenhum, querido diretamente. [19]"
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Joao 16-06-2016 16:55
KAROLINY, se vc leu sobre o Método Billings, ele funciona mesmo para quem tem o ciclo irregular. É diferente da tabelinha. Pesquise e verás :)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Iara Borges 16-06-2016 13:56
PARA QUEM QUISER SER COLUNISTA CATÓLICO: Ser colunista é muito legal, ainda mais pelo poder de evangelizar e propagar a fé por intermédio da palavra de Deus. Por este motivo estamos em busca de fieis que querem assumir esta missão, gostam de escrever, conhecem o universo católico e têm o objetivo de mudar o mundo. Se você tem o perfil que buscamos, entre em contato com a gente. Envie um e-mail para com os seguintes dados: * Nome * Cidade/Estado * História de vida * Qual é e como é sua atuação com a religião católica * Assunto que pretende abordar em seus textos * Sugestão de um assunto sobre o tema que você quer escrever para o Blog Católicos Se tiver um blog, envie o link para avaliarmos seus textos. Contamos com a sua participação. #CompartilhandoaFéCatólica
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natália 16-06-2016 10:36
Se, no momento, o casal não pensa em ter muuuuitos filhos, mas uns dois mais ou menos (o que pode mudar, tudo muda, rs); ainda assim, é pecar contra a vida?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Joao 16-06-2016 12:57
NATALIA, Leia o que eu comentei acima: Eu meditei muito sobre esses “motivos graves” e penso o seguinte: O casal católico deve ter o máximo de filhos que for POSSÍVEL. Repito: que for POSSÍVEL. Mais uma vez: que for POSSÍVEL. Ou seja: se vai passar fome, não pode. Se o casal está doente ou não tem nenhum tempo pra cuidar do filho (por causa de um trabalho insubstituível, ou pq precisa cuidar dos pais idosos, de algum parente, etc), não pode. É algo que não tem porque tanto medo. O medo é fruto do desconhecimento e da falta de fé. Nossos avós tiveram muitos filhos e eram, em geral, muito mais pobres do que nós. Ninguém morreu para criá-los. Então, medite racionalmente sobre a sua realidade e pronto. O que é errado é quando você não tem motivo sério, que realmente torna impossível criar um filho (como os exemplos citados acima), e mesmo assim se recusa a ter filho. Qual desculpa vc vai dar pra Deus se não tiver motivo que impossibilita a criação?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natália 17-06-2016 09:21
Eita, não tinha visto seu comentário, passei batido, rs.. Obrigada por me responder, me esclareceu mais :D!! Abraços
Responder | Responder com citação | Citar
0 # César Augusto Simões 16-06-2016 09:00
Deveria ter cursos disso em todas as paróquias e ver exemplos de casais que usam o método. A maioria das pessoas recorrem a métodos artificiais justamente por não ter conhecimento pleno sobre o método beelings, e não tem como botar em funcionamento algo que não se conhece direito.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Ana 15-06-2016 23:55
E para quem tem ovário polisisto, pode tomar o anticoncepcional ou é pecado tomar se o médico passar por causa do tratamento??! Quero muito ter filhos, mais não estou ovulando e tenho medo de tomar anticoncepcional... Oq fazer?!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Fabiana Silva 15-06-2016 20:54
Boa noite! Gostaria muitíssimo de uma orientação... Em uma conversa com uma pessoa sobre o método Billings, esta me retrucou dizendo que o MOB só pode ser usado em casos graves de doença e miséria, e que inclusive essa orientação é da própria doutrina da Igreja que consta na encíclica do Papa Paulo VI... Tentei explicar, mas ela disse q é isso q dá não estudar a doutrina.... Por favor vocês poderíam me dizer se isso realmente consta na encíclica... Se assim como explicar o MOB, sob tão fortes argumentos? Obrigada e no aguardo! Fabiana
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João 15-06-2016 23:10
Fabiana, esses motivos exatamente não estão, mas se fala de MOTIVOS SÉRIOS e GRAVES. Ou seja, não é para usar por qualquer motivo. Se usou por qualquer motivo, desculpinha qualquer, então é pecado, pois estaria usando como um contraceptivo como qualquer outro.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Clara França 17-09-2016 16:46
Mas João, no próprio artigo fala:"Se fosse pecado fazer sexo nos dias inférteis, mulheres grávidas ou que já entraram na menopausa não poderiam se unir sexualmente com seus maridos. Mas elas podem, obviamente!" Ou seja, é lícito o casal se unir nos períodos inférteis, e se estão transando nesse período é porque não querem ter filhos agora! Isso é planejamento familiar! Eles não estão pecando pois estão cumprindo a função unitiva do sexo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 15-06-2016 21:57
Fabiana, Jesus manda que tenhamos cuidado com o "fermento dos fariseus". O que é esse fermento? É a mania de pegar a lei de Deus e inchá-la com ideias humanas, deixando-a mais pesada, mais complicada, mais distante do essencial. Coloquei o link da Humanae Vitae neste post, para quem quiser aprofundar o estudo. Nessa encíclica, como qualquer um poderá examinar e comprovar, não há qualquer trecho dizendo que só pode espaçar a vinda dos filhos em caso de miséria ou doença. A Igreja é sábia, e entende que questões sérias para evitar temporariamente a vinda de filhos podem ser muito mais variadas e complexas do que apenas miséria e doença. A Igreja nos dá critérios-chave, sem esmiuçar e regular em excesso, e confia o restante à consciência e à liberdade de cada um. Nesse sentido, para se ter segurança sobre o seguimento de uma reta consciência, é muito importante que o casal conte com a orientação de um bom diretor espiritual, que, em geral, é um sacerdote. Confira alguns trechos que retirei dessa encíclica (grifos meus): Se, portanto, existem motivos sérios para distanciar os nascimentos, que derivem ou das condições físicas ou psicológicas dos cônjuges, ou de circunstâncias exteriores, a Igreja ensina que então é lícito ter em conta os ritmos naturais imanentes às funções geradoras, para usar do matrimônio só nos períodos infecundos e, deste modo, regular a natalidade, sem ofender os princípios morais que acabamos de recordar. (...) Em relação às condições físicas, econômicas, psicológicas e sociais, a paternidade responsável exerce-se tanto com a deliberação ponderada e generosa de fazer crescer uma família numerosa, como com a decisão, tomada por motivos graves e com respeito pela lei moral, de evitar temporariamente, ou mesmo por tempo indeterminado, um novo nascimento.(...) Paternidade responsável comporta ainda, e principalmente, uma relação mais profunda com a ordem moral objetiva, estabelecida por Deus, de que a consciência reta é intérprete fiel. Consegui esclarecer sua dúvida?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # priscilla 15-06-2016 18:09
Olá, Jaque! Sempre leio suas publicacoes mas a matéria me fez pensar em algumas questões... Quais seriam os motivos justos pra fazer o Billings? Como dar atenção e educar criancas com idades tão próximas? Em relação a TV e videos os pediatras não aconselham até o segundo ano de vida do bebê. Um abraço e que Deus abençoe cada dia mais sua missão de catequista.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Silva 15-06-2016 17:55
Dizem que o melhor contraceptivo são as sandálias crocs! kkkk
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natanael B. 15-06-2016 22:02
HAHAHAHAHA!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Anne 15-06-2016 17:10
"DVD da Galinha Pintadinha" Lendo este post enquanto o filho nº 2 vê galinha pintadinha pela enésima vez kkkkkkkkkkk Um site que sigo e recomendo: http://maedeoito.blogspot.com.br/ Sim, eles são ricos do amor de Deus <3
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Joao Paulo 15-06-2016 14:31
Bem legal... So faltou uma coisa... Explicar o método rsrs
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 15-06-2016 14:34
Eles explicaram, de forma bem resumida. Tem mais informações aqui: http://fertilidadeinteligente.blogspot.com/2012/08/aprender-o-metodo-de-ovulacao-billings.html E aqui: http://www.cenplafam.com/portal/
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rubens 15-06-2016 13:16
O DVD da Galinha Pintadinha é realmente importante.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 15-06-2016 13:22
Essencial.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Gabriel Cruz 15-06-2016 13:15
Ainda para facilitar a vida, existem inúmeros aplicativos para celular que ajudam no controle dos dias férteis e não férteis. Se usado junto com o Billings ajuda muito!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 15-06-2016 13:22
É verdade! Ótima dica.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # André 15-06-2016 12:47
O que é a "Santa ira" citada no artigo? Abraços e fiquem com Deus!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 15-06-2016 14:42
André, no mundo hipócrita e jujubesco de hoje, predomina a ideia de que a ira é um sentimento intrinsecamente mau. Não, não é: é neutra. Se for conforme a reta razão, é boa, é santa; se for contra a reta razão, é má. Por exemplo, além da profunda tristeza, qual o primeiro sentimento que nos domina, quando ficamos sabendo de algum caso de violência contra crianças inocentes? A ira! É uma santa ira, que, se for conforme a reta razão, impulsionará a pessoa a buscar a justiça e a detenção do criminoso, para que ele não volte a fazer o mau. Se for uma ira pecaminosa, explodirá em animalesca vingança. Jesus, quando expulsou os vendilhões do templo a chicotadas, agiu conforme a santa ira. Também Paulo, quando se indignou com a hipocrisia de Pedro e o repreendeu publicamente com palavras duras, agiu conforme a santa ira. Padre Pio, quando gritava e fechava a porta do confessionário na cara das pessoas que estavam trajadas imodestamente, aia conforme a santa ira.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # André 21-06-2016 14:14
Obrigado pelo esclarecimento! Abraços e que Deus os abençoe sempre!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # André 15-06-2016 14:26
https://padrepauloricardo.org/blog/a-santa-ira-de-sao-joao-maria-vianney
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Thiago 15-06-2016 11:14
E se a esposa estiver com quase cinquenta anos, com hormônios bagunçados, e o método natural não funcionar pra ela? A ciência diz que depois de certa idade é perigoso pra mulher ter filhos (e até pra própria criança). Não usar de método natural nesse caso é falta de fé ou de prudência?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Gêneto Eugenio 15-06-2016 17:37
Thiago... Sua pergunta é pertinente e me parece sincera, não sei se o caso em questão é com vc ou com alguém próximo. A idade não é empecilho para se utilizar o método seja ela qual for. Busque um grupo que trabalhe ensinado o método (ex: Cemplafan) e verá que não é nada complicado apesar de requerer aplicação. Afinal somos CATÓLICOS, não jujubets!!!! Paz e bem!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # J. 15-06-2016 14:38
os métodos naturais dão conta até mesmo da fase pré-menopausa pois eles seguem o ciclo daquela mulher específica, os sinais dela, dos seus hormônios. sou usuária e dentro dos meus estudos vi essa parte também. o método cobre a fase da amamentação, de uma possível fase pós-pílula, enfim, cobre tudo pois ele é um rastreamento do ciclo de cada mulher, a cada ciclo, ainda q eles estejam super bagunçados por causas naturais, como a idade.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João 15-06-2016 15:02
J., Onde podemos aprender sobre o método? Tem algum site ou curso à distância?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Tato Diego 15-06-2016 18:54
João em minha diocese (Brasília), existe um grupo para métodos naturais e por sinal estou sendo acompanhado por um casal. Seguem o endereço para maiores informações: http://www.metodosnaturais.com.br/
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Silva 15-06-2016 09:20
Bom, só acho que faltou um esclarecimento sobre quais seriam esses motivos justos e graves. Penso que devido às diversas situações as quais passamos ao longo do dia algo que seria grave e justo para um não seria para outro ou mesmo para a mesma pessoa um dia tal e qual coisa não seria grave e justa e uns dias depois seria. Ou seja, há uma certa imprecisão. Acho que se a pessoa realmente estiver sendo sincera consigo mesma e com Deus nestes nuances pode fazer uso de sua sexualidade conjugal despreocupadamente.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Joao 15-06-2016 11:34
Eu meditei muito sobre esses "motivos graves" e penso o seguinte: O casal católico deve ter o máximo de filhos que for POSSÍVEL. Repito: que for POSSÍVEL. Mais uma vez: que for POSSÍVEL. Ou seja: se vai passar fome, não pode. Se o casal está doente ou não tem nenhum tempo pra cuidar do filho (por causa de um trabalho insubstituível, ou pq precisa cuidar dos pais idosos, de algum parente, etc), não pode. É algo que não tem porque tanto medo. O medo é fruto do desconhecimento e da falta de fé. Nossos avós tiveram muitos filhos e eram, em geral, muito mais pobres do que nós. Ninguém morreu para criá-los. Então, medite racionalmente sobre a sua realidade e pronto. O que é errado é quando você não tem motivo sério, que realmente torna impossível criar um filho (como os exemplos citados acima), e mesmo assim se recusa a ter filho. Qual desculpa vc vai dar pra Deus se não tiver motivo que impossibilita a criação?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João 15-06-2016 08:48
O problema é que o método billings virou uma "camisinha católica". Como o artigo frisou é necessário ter motivos justos, e encíclica Humanae Vitae fala de MOTIVOS GRAVES. Muita gente que usa esse método não tem motivo grave coisa nenhum.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 15-06-2016 08:22
Bom artigo para divulgar! Há muita desinformação (e nem sempre inocente) entre católicos sobre este tema, acerca do qual, na verdade, é difícil falar sem ser mal entendido. Divulgar este texto pode ser a oportunidade de contribuir para que este assunto deixe de ser tabu.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Ludmila Ferreira 15-06-2016 03:53
Parabéns por mais esse post! Que Deus continue a abençoe-los!
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade