Publicidade
Sexta, 01 Maio 2015 11:02

Que sacrário mais esquisito!

Postado por

O sacrário - local sagrado, indicado por uma luz vermelha, onde se guardam as Hóstias Consagradas - está sendo alvo do "excesso" de criatividade artística, em muitas de nossas igrejas e capelas. É cada coisa que a gente vê por aí... Pelamor...

Será que não dá pra esses artistas sacros deixarem um pouco a vaidade de lado, o desejo de querer imprimir seu próprio estilo e fazer algo "diferente" (ou melhor, ESQUISITO), colocando seu talento de forma mais humilde a serviço da fé? Um fiel entra na casa de Deus, qual a primeira coisa que ele procura? O dono da casa, Jesus. Tal presença precisa estar em local evidente, sem chance para equívocos.

É demais pedir para que um sacrário se pareça com um sacrário, e não com...

...a caixa mágica do Mister M (1).

...o olho de Sauron (2).

...a taça Fifa (3).

...a caixa de correio dos Flintstones (4).

...um "troço" (5).

sacrarios_esquisitos

Depois de admirar tanta belezura, reparem o que o Catecismo diz sobre o sacrário:

1379. "...por isso que o sacrário deve ser colocado num lugar particularmente digno da igreja; deve ser construído de tal modo que sublinhe e manifeste a verdade da presença real de Cristo no Santíssimo Sacramento."

O sacrário deve, com sua estética, manifestar a presença real e divina de Cristo no Santíssimo Sacramento. Ora, o que poderia cumprir melhor essa função do que uma PANELA DE BARRO? É isso mesmo!

Todos os sacrários que apresentamos acima são ma-ra-vi-tos-cos, mas o prêmio Sacrário Mondrongo vai para... A "Panebicha Caipira", da capela dos Jesuítas, no Centro Loyola de Fé e Cultura, em Goiânia. Contemplem:

sacrario_panela

Uma panela de barro fazendo as vezes de sacrário: genial! Como o Vaticano não teve essa ideia antes, colocando, sei lá... um escorredor de macarrão como sacrário (espaguete... Itália... sacaram?)? Por fim, a echarpe de seda dá um toque de sofisticação discreta, um ar de "mona da roça" todo especial. Parabéns!

Na Bíblia, apenas para guardar as pedras da Lei, Deus encomendou a Moisés uma arca ricamente adornada. O que vocês acham que Ele pensa ao ver os homens depositando o Sacratíssimo Corpo de Seu Filho em recipientes tão prosaicos?

E nem venham com papo furado de manjedoura. Deus Pai, e em Sua infinita sabedoria, achou bom fazer nascer o Menino Jesus em um abrigo de animais. Mas se Santa Maria e São José batessem em sua porta, você teria mesmo a cara-de-pau de hospedá-los no quintal, junto com os cachorros? Ou lhes daria ou melhor quarto da casa?

Por falar em pobreza, vejamos o que dizia São Francisco de Assis:

“Consideremos todos nós clérigos o grande pecado e ignorância que alguns manifestam com relação ao santíssimo corpo e sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo e seu santíssimo nome. (…) Onde quer que o santíssimo corpo e sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo for conservado de modo inconveniente ou simplesmente deixado em alguma parte, que o tirem dali para colocá-lo e encerrá-lo num lugar ricamente adornado.” (Carta a todos os clérigos)

“E se em alguma parte o corpo do Senhor estiver sendo conservado muito pobremente, reponham-no em lugar ricamente adornado e ali o guardem cuidadosamente encerrado segundo as determinações da Igreja, levem-no sempre com grande respeito e ministrem-no com muita discrição.” (Carta I – A todos os custódios)

 

Toda religião conhece o poder dos símbolos, mas nas últimas décadas os líderes da Igreja Católica parecem que querem dar um tiro no pé. Estão empobrecendo o simbolismo místico católico de forma assombrosa, e isso atinge de forma drástica a evangelização. Constroem igrejas que parecem prédios comerciais, esvaziam e vulgarizam a liturgia e relativizam a importância do hábito eclesiástico (tirando a visibilidade do sacerdote no mundo).

Quem quiser aprofundar esse tema, recomendamos os artigos:

"A força dos símbolos", do site da Arquidiocese de São Paulo (clicar em "Editorial");

"O esvaziamento da Igreja Católica", do blog do André Brandalise.

8444 Terça, 07 Março 2017 18:28

Comentários   

+1 # Valeria Zanela 07-03-2017 19:33
O assunto é sério, mas não consegui deixa de rir muito pela forma como foi tratado no texto, principalmente no caso da panela :) ;). Mas melhor seria chorar por tamanho abuso :( :( .
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # José Marcel Lança Coimbra 23-01-2017 17:59
Curiosamente noto uma estreita relação entre a vida dos padres e os sacrários das nossas igrejas: quanto mais rústico e tosco é o sacrário ("porque Jesus era simples!") mais rica e luxuosa é a casa do padre!!! Religiosos que se dizem seguidores de santos "pobrezinhos" também gostam demais de madeira (não lixada), barro e estopa... no sacrário - nas suas casas preferem materiais mais confortáveis.
Responder | Responder com citação | Citar
+4 # Pe. Jeferson 26-06-2016 17:01
Eu sou fã do Senhor dos Anéis, mas aquele "Olho de Sauron" como sacrário não dá, né?
Responder | Responder com citação | Citar
-1 # Oswaldo 08-10-2015 12:39
Parece que na igreja ortodoxa não há muito espaço para a criatividade. Não há uma regra para evitar abusos? Não se tem aula de arte sacra nos seminários? Aí se mostra novamente a excessiva liberdade concedida por nossos pastores àqueles que devem ensinar e governar.
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Aline 13-09-2015 01:59
Indico a todos o livro O BANQUETE DO CORDEIRO, de Scott Hahn. Tenho certeza que jamais olharão a Missa da mesma forma, e mais do que nunca ficará claro com que honra deve ser tratado tudo quanto se destina ao uso no culto e na liturgia da Igreja. Aliás, é sempre bom lembrar que, quando o Santíssimo é exposto, ele é colocado num ostensório dourado e todo decorado, de modo a ficar muito claro a todos que ali encontra-se Deus. E note-se que o padre sequer toca no ostensório, pegando-o com as mãos cobertas... Ora, se não é digno tocar no ostensório que porta o Senhor, será digno colocar o próprio Senhor numa panela encostada num canto da sala? Aquilo ali lembra mais um fogão a lenha estilizado, feito nessa atual onda de recuperar antiguidades, do que um sacrário. Vejam como os muçulmanos constroem suas mesquitas, por exemplo... São prédios magníficos, completamente ornamentados, reconhecíveis mesmo à distancia... E o que há lá dentro? Apenas um bando de homens recitando orações. Enquanto isso, nossas igrejas, que possuem o próprio Deus em seus interiores, são muitas vezes confundidas com galpões ou prédios de segunda categoria devido ao "zelo" com sua arquitetura. Cada igreja, por mais simples e singela que seja, deve fazer como que todos se lembrem, ao passar por ela, de que trata-se de um lugar sagrado. Mais ainda, em sacrário que passa despercebido pelos passantes, onde as pessoas ficam até de costas, ignorando a honra de quem ali se encontra, é uma aberração que fala por si mesmo... Ninguém vai à casa de uma pessoa, puxa a cadeira e começa a bater papo com os que ali se encontram, ficando de costas para o/a dono/a da casa, como se ele/a nem estivesse ali. Nem tampouco se oferece uma refeição a um visitante num pote de margarina, a não ser que este seja o melhor recipiente da casa... Minha avó, mesmo pobre e simples (imigrante italiana vinda como refugiada na época da guerra), nunca tendo sido alfabetizada e sem quase nenhum recurso, guardou durante toda a vida seu melhor conjunto de louças "para servir às visitas", enquanto ela mesma usava peças gastas, sobras de diversos jogos, no seu dia-a-dia... Imagina se ela serviria Jesus em um pote de margarina... As pessoas decoram primorosamente suas salas, colocam arranjos elaborados sobre as mesas e seus melhores objetos são usados quando recebem uma visita especial. Mas para Deus qualquer coisa serve porque, afinal, ele nasceu numa manjedoura, era humilde... Como se fosse um mendigo pobre ao qual não nos precisamos esmerar-nos muito em atender, tendo em vista que ele já está acostumado com qualquer coisa... Que se pare com esses discursos marxistas disfarçados de humildade e desapego... Realmente Jesus se agradou foi da fé da mulher que lhe derramou um frasco de perfume na cabeça, e não do perfume em si. Mas foi justamente o fato de derramar-lhe o perfume nos cabelos que provou o tamanho da fé desta mulher, pois não se abre mão daquilo que se tem de mais valioso por qualquer um... Somente uma fé e um amor muito grande são capazes de fazer alguém não se importar em dar tudo o que tem de melhor para agradar alguém que considera digno de tal honra e dedicação... Aliás, se Deus não é digno de receber o que se tem de melhor, a quem se dará essa dignidade, então? Aproveito aqui para sugerir também os livros RAZÕES PARA CRER e TODOS OS CAMINHOS LEVAM A ROMA, igualmente do autor Scott Hahn... Um ex-protestante que descobriu uma doutrina católica que boa parte dos que se dizem católicos passam a vida sem conhecer... Paz!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Guilherme 27-05-2015 14:42
E eu achando pavorosa nossa cruz de malta em aço com tinta epoxi preta e pedrinhas de mosaico como sacrário... Dá até vontade de fazer arquitetura ou design para ajudar a evitar umas bizarrices dessas.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Daniel Abruceis 09-05-2015 13:19
Parabéns, O Catequista! Vocês fazem um belíssimo trabalho defendendo nossa Santa Igreja das abominações mundanas que têm tentado entrar nela. Católicos de verdade vão lamentar, assim como eu, esse desleixo para com o Corpo de Nosso Senhor. A Paz de Cristo esteja com todos!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rodrigo 06-05-2015 15:24
Gostei o sacrário nº 2. rsrs
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 06-05-2015 14:36
O que nós temos que sofrer com as manias de alguns arquitectos e padres, e não é só em termos de sacrários. Uma das minhas igrejas paroquiais é em forma de… tenda. Uma vez cheguei lá de carro com outra pessoa e disse-lhe: - Aqui é a Igreja… - Aqui? “Aqui” onde? - Isto aqui, não estás a ver? - Ah, "aquilo"? Eu estava ver, mas pensava que fosse a sede da Comissão de Melhoramentos cá do sítio. Lá dentro, o sacrário também está lateralmente e não ao centro, mas o mais grave é que está embutido numa espécie de obelisco atarracado, para fazer a tal imitação de tenda. O altar é um bloco de granito assente em dois apoios que a mim me faz lembrar uma máquina de lavar. Esta igreja foi feita nos anos 60, e foi, pelo menos em parte, idealizada por um padre. Eram tempos muito malucos em que o que importava era “fazer diferente”, mesmo que fosse feio.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 06-05-2015 14:59
Esse problema da dificuldade de identificar o prédio como igreja é típico da igreja da minha paróquia. Ela segue o estilão do Le Corbousier, uma desgraça arquitetônica só. Uma caixa de concreto cinza, é o que é. Lembra um pouco as construções de Gotham City, só que com menos estilo. Aquele ar triste, deprimente, aquelas linhas duras, sem afeto nem esperança. Dá uma olhada: http://ocatequista.com.br/archives/7946 Mas é bem verdade que, no interior da igreja, temos um crucifixo maravilhoso, enorme, belíssimo, e o sacrário tb é muito bonito. Isso sem falar na querida imagem de Nossa Senhora de Copacabana!
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Reginaldo Pereira 06-05-2015 09:53
E oque falar do Padre(?)Cowboy Alessandro Campos que pretender construir, ou já está construindo, um templo em forma de chapéu de cowboy? O sacrário deverá ser como? Talvez uma ferradura, para combinar com ele...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # VALDO 05-05-2015 16:48
Este que parece o olho é tipico da era de aquario
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Aubrey Byrne 05-05-2015 00:28
Parace que o desleixo se fez por duas causas : ou tem uma percepcao errada/incompleta do que seja a Eucaristia ou simplesmente nao acreditam no que Ela realmente seja. Fico mais coma ultima.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Afonso 04-05-2015 12:51
Faltou o "R" em Apresentamos. Só isso mesmo. Que Deus abençoe vocês. "Todos os sacrários que apesentamos acima..."
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 04-05-2015 14:15
Obrigada, vamos corrigir!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Juliano A.R.P 04-05-2015 12:47
E é claro, a arte Sacra deve ser equiparada a fé do povo e não essas aberrações que estão tomando conta das nossas igrejas. Mas comentários à parti... Fiquei vermelho de tanto rir das comparações feitas no início, principalmente da caixa de carta dos Flingstones....kkkkk
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Juliano A.R.P 04-05-2015 12:45
Bom dia gente. Fico muito triste com alguns comentários descabidos e carregados de uma ideologia parecida com a da TL. Poxa vida, para Deus devemos dar o melhor de nós e não o resto. O Sacrário é o lugar mais sagrado de uma Igreja e merece ser o primeiro com os melhores adornos. Os Judeus mesmo, investiam muito nos seus templos, porque depois com a palavra de Deus encarnada em nosso meio, deveria ser diferente?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Mendes 04-05-2015 12:09
Gente, não esqueçam que Cristo foi servo e humilde, mas tb não esqueçam que ele é REI e SACERDOTE, o que nos dá o dever sim de tratar o sacrário e os símbolos, como as toalhas do altar, as roupas dos padres, com certa "pompa". E isso não é vaidade. Se fosse apenas por uma questão de beleza, nada disso faria sentido...mas manter o alto nível de estética sobre os símbolos e mistérios católicos é nosso sinal de louvor e respeito a Deus. Vejam só a imagem de NOSSA SENHORA APARECIDA! A humilde imagem encontrada suja e sem cabeça hoje está recoberta de um belíssimo manto de veludo e uma coroa cravejada de pedras preciosas, doada pela Imperatriz Dona Isabel, em sinal de amor e veneração por quem ela declarou ser a Imperatriz do Brasil. Ora, se a Mãe de Deus foi honrada com tanta ornamentação assim, o que não devemos fazer para honrar seu Filho Santíssimo, presente nos sacrários e nos mistérios da Igreja?!
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Pe. Messias 04-05-2015 12:02
para "analogar" Os vasos sagrados “Os vasos sagrados, que estão destinados a receber o Corpo e a Sangue do Senhor, devem-se ser fabricados, estritamente, conforme as normas da tradição e dos livros litúrgicos. As Conferências de Bispos tenham capacidade de decidir, com a aprovação da Sé apostólica, se é oportuno que os vasos sagrados também sejam elaborados com outros materiais sólidos. Sem dúvida, requer-se estritamente que este material, de acordo com a comum valorização de cada região, seja verdadeiramente nobre, DE MANEIRA QUE, COM SEU USO, TRIBUTE-SE HONRA AO SENHOR E SE EVITE ABSOLUTAMENTE O PERIGO DE ENFRAQUECER, AOS OLHOS DOS FIÉIS, A DOUTRINA DA PRESENÇA REAL DE CRISTO NAS ESPÉCIES EUCARÍSTICAS. PORTANTO, REPROVE-SE QUALQUER USO, PARA A CELEBRAÇÃO DA MISSA, DE VASOS COMUNS OU DE ESCASSO VALOR, NO QUE SE REFERE À QUALIDADE, OU CARENTES DE TODO VALOR ARTÍSTICO, ou simples recipientes, ou outros vasos de cristal, argila, porcelana e outros materiais que se quebram facilmente. Isto vale também para os metais e outros materiais, que se corroem (oxidam) facilmente. CONGREGAÇÃO PARA O CULTO DIVINO E A DISCIPLINA DOS SACRAMENTOS INSTRUÇÃO REDEMPTIONIS SACRAMENTUM, 3
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 04-05-2015 12:37
Pe. Messias, agradecemos muito sua contribuição. Sobre esse assunto, pelo visto, é amplo o fundamento na doutrina da Igreja. E tem gente que ainda insiste em dizer que não tem nada a ver.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Pe. Messias 05-05-2015 05:16
Sim, Catequista, há muito fundamento para a beleza liturgica na Doutrina da Igreja. Veja mais esse aqui: Beleza e liturgia 35. A relação entre mistério acreditado e mistério celebrado manifesta-se, de modo peculiar, no valor teológico e litúrgico da beleza. De facto, a liturgia, como aliás a revelação cristã, tem uma ligação intrínseca com a beleza: é esplendor da verdade (veritatis splendor). Na liturgia, brilha o mistério pascal, pelo qual o próprio Cristo nos atrai a Si e chama à comunhão. Em Jesus, como costumava dizer São Boaventura, contemplamos a beleza e o esplendor das origens. Referimo-nos aqui a este atributo da beleza, vista não enquanto mero esteticismo, mas como modalidade com que a verdade do amor de Deus em Cristo nos alcança, fascina e arrebata, fazendo-nos sair de nós mesmos e atraindo-nos assim para a nossa verdadeira vocação: o amor. Já na criação, Deus Se deixa entrever na beleza e harmonia do universo (Sab 13, 5; Rm 1, 19-20). Depois, no Antigo Testamento, encontramos sinais grandiosos do esplendor da força de Deus, que Se manifesta com a sua glória através dos prodígios realizados no meio do povo eleito (Ex 14; 16, 10; 24, 12-18; Nm 14, 20-23). No Novo Testamento, realiza-se definitivamente esta epifania de beleza na revelação de Deus em Jesus Cristo: Ele é a manifestação plena da glória divina. Na glorificação do Filho, resplandece e comunica-se a glória do Pai (Jo 1, 14; 8, 54; 12, 28; 17, 1). Mas, esta beleza não é uma simples harmonia de formas; « o mais belo dos filhos do homem » (Sal 45/44, 3) misteriosamente é também um indivíduo « sem distinção nem beleza que atraia o nosso olhar » (Is 53, 2). Jesus Cristo mostra-nos como a verdade do amor sabe transfigurar inclusive o mistério sombrio da morte na luz radiante da ressurreição. Aqui o esplendor da glória de Deus supera toda a beleza do mundo. A verdadeira beleza é o amor de Deus que nos foi definitivamente revelado no mistério pascal. A beleza da liturgia pertence a este mistério; é expressão excelsa da glória de Deus e, de certa forma, constitui o céu que desce à terra. O memorial do sacrifício redentor traz em si mesmo os traços daquela beleza de Jesus testemunhada por Pedro, Tiago e João, quando o Mestre, a caminho de Jerusalém, quis transfigurar-Se diante deles (Mc 9, 2). Concluindo, a beleza não é um factor decorativo da acção litúrgica, mas seu elemento constitutivo, enquanto atributo do próprio Deus e da sua revelação. Tudo isto nos há-de tornar conscientes da atenção que se deve prestar à acção litúrgica para que brilhe segundo a sua própria natureza. EXORTAÇÃO APOSTÓLICA PÓS-SINODAL SACRAMENTUM CARITATIS, 35
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alexandre 04-05-2015 11:47
Ótimo! Parafraseando o Santo Cura d'Ars: "um péssimo clero gera péssimos fieis." Ademais, um outro fato que tem realidade com o texto é a profecia de São Paulo sobre a apostasia das nações e a aparição do Filho da perdição. Para mim, está claro que somente falta a vinda do anticristo. Saudações em Cristo e Maria!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Lucas Farias 04-05-2015 09:56
Não entendo esse povo que agora está criticando o post. Na ocasião da Jornada Mundial da Juventude, quando o blog ponderou o fato da Sagrada Comunhão ter sido distribuída em copos de plástico, dizendo que embora não fosse " correto ", naquela situação era o mais sensato, inúmeras pessoas chegaram a afirmar até que melhor seria negar a Comunhão do que colocar o Corpo do Senhor num copo de plástico. Agora colocam em panela de barro e falam em ' voto de pobreza '. Ah , vão se ... Panela de barro é para fazer feijoada , dobradinha, buchada não colocar a Sagrada Eucaristia.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex C. Vasconcelos 03-05-2015 20:22
Mais uma vez, um ótimo artigo! E só para complementar, eis o link de ótimo artigo do site "Salvem a Liturgia": http://www.salvemaliturgia.com/2010/07/historia-e-sentido-do-sacrario-na.html?m=1
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 03-05-2015 10:32
Pois é, colocam o Senhor numa panela de barro tosca e depois admiram-se de haver um preconceito contra os jesuitas. É que é estar mesmo a pedi-las!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # josemar wagner da silva 02-05-2015 22:55
Eu gosto muito desse blog, ri muito com as imagens dos sacrários. Como pode as pessoas fazerem isso com o lugar onde Jesus esta guardado. Jesus merece muito mais. O sacrário deve ficar no centro do altar e não atras para as pessoas darem as costas a Jesus, como se Jesus fosse qualquer coisa. Eu tenho uma duvida. Eu vou todos os domingos para a santa missa. Uma mulher estava sentada perto de mim, e na hora da consagração ela repetiu as palavras que somente o padre pode pronunciar. Isso pode invalidar a missa? Algumas pessoas tem o costume de falar as orações que são exclusivas do padre. Isso deveria ser combatido se essas orações fosse em latim. E o padre marcelo rossi que faz coisas absurdas na santa missa. Ele canta musicas protestantes troca o salmo responsorial por outra musica. Fica todo exaltado e faz da santa missa um show. Ele esquece que a santa missa não e show, é sacrifício. Só celebra missa com o bispo. E o bispo aprova o que ele faz.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Lucas Farias 04-05-2015 09:48
Eu acho que conheço essa Missa... Passa todos os domingos, pela manhã, na maior emissora de tv do País... Alguém adivinha quem é ?? kkkkkkkkkkk
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Lucas Farias 04-05-2015 09:57
Acho até que ele cantou " Eu celebrarei, cantando ao Senhor.. " como hino de louvor (Glória) na Missa deste domingo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 03-05-2015 11:40
Não, mesmo sendo inadequada, a oração dessa senhora não pode invalidar a missa.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Marcio Monteiro 02-05-2015 21:26
Incrível o pouco caso daquelas mulheres, de costas para o sacrário!! Isto me lembra uma história: Um jovem Padre, recém ordenado, iniciou seu ministério como pároco de uma cidadezinha do interior, bem distante. As missas celebradas aos domingos, tradicionalmente, eram as mais frequentadas e esperadas por aquele povo, pois naquela cidade a grande maioria da população era católica e muito piedosa. Logo, aquela gente acostumou-se com a chegada daquele jovem padre, bonito, inteligente, fiel a liturgia e com um sermão entusiasmado e cheio de sabedoria, conquistou a todos rapidamente. Entretanto, naquela missa dos domingos, com o passar do tempo, aquele padre começou a observar algo que o deixou curioso... Na primeira fileira dos bancos da igreja, sempre se sentava, no mesmo lugar, um senhor, já de idade um tanto avançada. Ele chegava cedo, acompanhado de vários conhecidos seus, que cantavam no coral nas missas de domingo. Era um coral de gente também idosa, mas muito afinado, sempre eram destaque na missa. No entanto, o jovem Padre observava que aquele senhor, não participava do coral, e para falar a verdade, sua participação no culto era praticamente nenhuma. O Padre observava que ele não cantava, não repetia as ladainhas, e nem sequer fazia o sinal da cruz! Depois da 7ª celebração aos domingos, após sua chegada para se tornar o pároco naquela localidade, ao final da missa, o Padre chamou seu sacristão e lhe perguntou: "Augusto, você conhece um senhor que assiste a missa todos os domingos, sempre sentado na primeira fileira, e trajando a mesma roupa, um terno preto e calça também preta? Ele sempre chega antes, com os outros velhinhos que cantam no nosso coral. Parece ser amigo deles, mas fora isso, eu nunca o vejo aqui na igreja, isto sem contar que a participação dele na missa me intriga..." Antes que pudesse completar a frase, Augusto, seu sacristão, lhe respondeu: "Padre, aquele senhor chama-se Daniel. Sr. Daniel Friedmann, e ele não tem uma participação ativa nas celebrações, nem poderia ter, porque ele não é católico." "Como assim?" perguntou o Padre, agora ainda mais curioso. Augusto respondeu-lhe: "O Sr. Friedmann é judeu. Ele é o único relojoeiro da cidade, por sinal, muito bom. É um homem só, não tem família. Acho que ele vem mais para acompanhar seus amigos do coral...bem, mas não tenho realmente idéia do motivo real dele vir a missa, sendo judeu..." "Relojoeiro? Tenho um relógio de bolso que ganhei do meu avô. É uma preciosidade, mas recentemente ele parou de funcionar. Augusto, você acha que ele pode concertá-lo?" Perguntou o Padre, naturalmente agradecendo aos céus por esta oportunidade. Afinal, poderia conhecer aquele curioso homem, e ainda de quebra, concertar o seu precioso relógio! "Acredito que o Sr. Friedmann vai dar um jeito no seu relógio Padre. O senhor sabe como chegar até a relojoaria dele?" "Acho que sim Augusto. Pode deixar, a cidade é pequena e eu encontro." No dia seguinte, mal podendo conter sua própria curiosidade, lá se foi o Padre na relojoaria do velho judeu. Chegando lá, foi bem recebido pelo senhor, que curioso, olhou para o velho relógio que o Padre lhe trouxera para concertar, dizendo-lhe: "É um belo exemplar. Existem poucos como esse hoje em dia, mas acho que consigo deixá-lo funcionando de novo". Enquanto concertava o relógio com suas mãos desgastadas pelo tempo, mas ainda muito habilidosas, o jovem Padre começou a puxar conversa com ele, até que não resistiu e perguntou-lhe: "Sr. Friedmann, o senhor não tem família?" O velho, sem levantar a cabeça de cima do pequeno relógio, que concertava, respondeu-lhe: "Não senhor. Perdi minha família na guerra, na Europa...Só eu sobrevivi, mas esta é uma experiência que eu não gostaria de falar, se o senhor me entende..." O Padre percebeu que havia tocado em uma ferida profunda na vida daquele homem, e devolveu-lhe:"Queira desculpar-me Sr. Friedmann. Eu sinto muito...mas...mudando de assunto, eu soube que o senhor é judeu, e realmente fiquei curioso em saber porque o senhor vai sempre às missas no domingo. Por favor, não é que eu fique incomodado com isso, afinal, os judeus são nossos irmãos mais velhos na fé..." Antes que pudesse continuar, o velho relojoeiro parou de concertar o relógio, olhou firmemente para aquele jovem padre e lhe disse: "Acho que o seu relógio agora ficou bom, e não precisa me pagar. É 'oferta' da casa...quanto ao fato de eu ser judeu e frequentar um culto cristão católico, agradeço-lhe pelo senhor Padre não se incomodar com isso. Na verdade, só existe um motivo para eu ir às missas aos domingos: são os meus amigos que cantam no coral. É para prestigiá-los no coral, e para ficar na companhia deles, que eu vou a missa. Este é o único motivo, pois como o senhor já sabe, eu vivo só, e eles são tudo que tenho. Mas vou lhe dizer francamente, Padre, mais uma coisa: o motivo pelo qual eu não participo da missa como um fiel católico, o senhor agora sabe. No entanto Padre, se eu como judeu, acreditasse que o sangue e o corpo do meu Adonai estivesse naquela hóstia que o senhor consagra naquele altar, eu como judeu, jamais entraria neste templo como fazem seus fiéis. Eu entraria ali, me arrastando pelo chão e com o meu corpo prostrado por terra!" O jovem Padre pegou o relógio, agradeceu ao Sr. Friedmann, e saiu em silêncio.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Jamilly 02-05-2015 16:44
Eu não entendo muito desse assunto, mas os "desings" realmente impressionam pois parecem tudo menos sacrários... Aproveito o ensejo pra tirar uma dúvida. Faço parte de uma comunidade, na zona rural... porém na nossa igreja tem o sacrário que está no lado direito, mas situado e adornado corretamente, com a luz sempre acesa, flores naturais, resguardado... Seria preciso construir uma sala reservada para colocá-lo? Me incomodo às vezes pois, ensaiamos na Igreja e às vezes até acontecem reuniões.. Quem puder me esclarecer, agradeço
Responder | Responder com citação | Citar
0 # marcos 05-05-2015 12:48
o correto, na verdade, não é construir uma sala (Capela) a parte para o Ssmo. Sacramento, mas sim uma sala - sala mesmo - para reuniões e outras atividades que não sejam litúrgicas ou estritamente de oração. A Igreja deveria ser só para celebrações litúrgicas e momentos de exclusiva oração.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 05-05-2015 12:58
Marcos, se você entrar no site do Centro Loyola de Cultura e Fé de Goiânia, verá que espaço não falta para reuniões. É só conferir a galeria de fotos, tem várias salas lá.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # alessandro 02-05-2015 16:04
São Francisco de Assis exigia que se tivesse a o máximo cuidado com o preciosíssimo corpo e sangue de nosso Senhor, inclusive ele deixou escrito em suas ultimas cartas, e seus paramentos quando ele ajudava no culto eram todo de ouro, e também ele não queria ser sacerdote por causa de tamanha grandeza de celebrar o santíssimo mistério da nossa fé, ONDE JESUS SE FAZ PRESENTE REALMENTE. Tem que se distinguir o Jesus presente na Eucaristia, com as outras presenças de Jesus, alguns comentários são de um relativismo que e irritante. ESTA FALTA DA CONSCIÊNCIA DA PRESENÇA REAL, E DE FE TAMBÉM, é a causa de sacrários tao horríveis. Aqui onde moro e difícil encontrar o silencio nas paroquias para a adoração. É muita conversa, muita irreverencia, que as vezes me caem lagrimas, de ver nosso Senhor tao presente, NOSSO CONTEMPORÂNEO NA SANTÍSSIMA EUCARISTIA ser tratado com tanta indiferença, e o pior ainda são os sacrários de vidro que Ele fica exposto e o povo de Deus naquele zumzum, em rodas em conversa... e para aqueles que acham que a presença de deus em sua casa e igual ao de Jesus Sacramentado, é melhor e rezar mais, e estudar bastante a encíclica MISTERIUM FIDEI (PAULO 6), e eclesiae eucharistia, de sao joao paulo 2. A MAIOR TRISTEZA DA MINHA VIDA É VER NOSSO SENHOR TAO MALTRATADO NO SEU SACRAMENTO DE AMOR.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 02-05-2015 15:22
Esta foi uma das postagens que tive que cair na gargalhada, embora o assunto é seríssimo, porém não tem como rir diante de tamanha desgraça. Entre os sacrários modernosos, e que mais me chamou a atenção foi o nº 5: …um “troço” (5), será que este sacrário fica na Alemanha, e foi feito para homenagear a vitória de um jogo de futebol sobre um time sul americano na copa do mundo (7x1)?.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 02-05-2015 21:04
É, bem que pode ser. E falando nisso, acharam mais dois gols perdidos da Alemanha estes dias, estavam escondidos 1 debaixo da cama da Diuma, e o outro no bolso do Lula.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # marcos 05-05-2015 12:44
o seu comentário é o melhor de todos! parabens pela capacidade investigativa! a PF não consegue encontrar nem o dinheiro que esses dois aí ja desviaram dos cofres públicos...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 06-05-2015 21:23
KKKK, é a piada aqui da região, não se acha o dinheiro que roubaram, mas os gols perdidos que a Alemanha fez no Brasil estão achando aos poucos, e sem precisar de muita investigação. Hehehe.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Helder 02-05-2015 12:47
Quem anda fazendo esses Sacrários anda vendo muito Indiana Jones!!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # lenna albuquerque 02-05-2015 01:25
Jesus é Rei de reis e Senhor de senhores, devemos ter com Ele respeito, consideracao e acima de tudo Amor! Estamos falando do DEUS vivo; trata-se do Verbo que se fez carne para MORRER por cada um de nós. Se os reis magos, sem conhecer a capacidade de amor de Jesus foram capazes de presentear OURO, INCENSO e MIRRA, porque nós nao Lhe damos um lugar de honra em nossas igrejas? Porque nao Lhe damos o MELHOR de nosso coraçao? Estamos falando daquEle que criou tudo o que existe (visivel e invisivel), que criou cada um de nós e que pagou o preço muito alto para resgar-nos! Nao é pouco o que Jesus fez por isso Ele merece o MELHOR que temos e somos. A ti, meu Jesus, TODA Honra, Gloria, Poder e Majestade! Te amo, meu Senhor! ♥
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Luiz 02-05-2015 01:24
Olá A Catequista Bom dia Neste comentário eu gostaria de parabenizá-la pelo excelente site OCatequista que faz com competência e coerência a defesa da Fé Católica Apostólica Romana.O Catolicismo Romano é sim,sem sombra de dúvidas Cristianismo Evangélico. Um abraço Luiz
Responder | Responder com citação | Citar
0 # LuMaria 01-05-2015 22:27
Isso tem nome "MARXISMO CULTURAL" entrando dentro da igreja e o pior, aqueles que defendem a tradição e digo mais o respeito ao corpo de NOSSO SENHOR, ainda tem que aturar "católicos" que acham isso normal. AHHH Faça me o favor!! tenha dó!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rafael Rosa 01-05-2015 19:50
Eu como arquiteto católico só posso dizer: miserere nobis
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Pedro 01-05-2015 18:45
Se pelo menos tivesse um corporal abaixo da panela de barro, flores, velas e uma luz vermelha, não que substituísse o que pede a igreja, mas já dignificaria o receptáculo... Desejo fazer arquitetura e ser um instrumento do Senhor na construção de novos templos e que sejam dignos da presença do Senhor.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # mariana 01-05-2015 18:00
Rsrsrs respeito sua colocação catequista, com certeza fala com muito mais propriedade que eu apenas usei o exemplo do potinho decorado artesanalmente para exemplificar meu humilde pensamento (e sim totalmente pessoal) de que para mim o local (físico e material)não é o mais importante. Não tenho problema algum em me curvar as doutrinas, só não me sinto a vontade para fazer julgamentos, só isso, talvez uma correção fraterna (com amor) para com esses nossos irmãos, fosse necessário então... E quanto a mim sinceramente se jesus adentra-se em minha casa para uma refeição, tendo a oportunidade de conversar com ele no meu sofá com certeza perguntaria a ele o que ele preferiria, e não agiria como agora pela minha frágil interpretação da palavra, refletir sobre a passagem da mulher pecadora em lucas,(diferente da passagem q comentou) que aos meus olhos, Jesus valoriza primeiramente o sentimento que habitava o coração daquela mulher (lagrimas) e por ultimo o perfume caro, novamente concluindo com a fé (sentimento) dela. Me desculpe por qualquer coisa a intensão realmente não é propor discussões ou discórdias todos temos com certeza o mesmo desejo em nossos corações amar o nosso Deus incondicionalmente e se me atrevo a colocar minha opinião aqui é apenas para refletirmos todos juntos como comunidade e com amor e não com ofensas ou discórdias entre nós, fico extremamente triste quando as vezes percebo alguns comentários q atacaram seus irmão tão grosseiramente (o qual não foi a nossa situação) mas apenas para refletirmos Romanos, 12. Abraços e continuem com o excelente trabalho que realizam aqui. A Paz de Jesus !!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo 04-05-2015 08:37
Mas Mariana, Jesus nessa passagem mesmo citada pela Catequista, já disse; não o que "preferia", mas o que era apropriado. Assertiu com o perfume caro em Sua cabeça, pois se O temos conosco, damos a Ele o melhor que temos. Não precisa mais perguntar, nem tentar interpretar o que a Sua Igreja já deixou interpretado.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sávio Breno 01-05-2015 16:36
O sacrário dependurado sobre o altar já foi usado pela Igreja antigamente (tipo, beeem antigamente mesmo) inclusive no formato de pomba, e alguns eram bem bonitos e artisticamente trabalhados. Hoje em dia isso não é mais permitido, já que as normas litúrgicas exigem que o sacrário seja "inamovível". Na verdade isso é muito comum: desde os tempos de Lutero os revolucionários gostam de alegar que estão retornando às praticas "originais" do tempo em que a Igreja ainda era "pura" (aliás, os próprios socialistas têm uma conversa de que o estado de vida original da humanidade era o "socialismo primitivo"). E isso se reflete até na estética, com um arqueologismo litúrgico que inventa mil e uma praticas estranhas com a alegação de que "originalmente" era assim. Não é um olhar para o passado em busca da continuidade e da perenidade daquilo que nunca muda através dos séculos, mas sim com um olhar de ruptura, em que em algum momento a verdadeira Igreja "se perdeu" e precisa ser "resgatada".
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Zoltan Paulinyi 01-05-2015 15:59
Aos arquitetos: A literatura em português é escassa. Melhor começar por livros de Dennis McNamara, como este: Catholic Church Architecture and the Spirit of the Liturgy.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # SAMUEL 01-05-2015 15:53
É ISSO AÍ CATEQUISTA! GOSTEI DE VER!!!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # mariana 01-05-2015 15:13
Sei lá gente aprecio tudo q é postado aqui, tenho total respeito e admiração por todos mas confesso q sou tocada pela simplicidade... Fiquei me questionado c isso seria assim um erro tão grave... O Papa preferiu prata a ouro, sera q ele repreenderia tal situação... nosso senhor Jesus escolheu o estábulo para nascer... Entrou em Jerusalém em um jumento rsrs... penso talvez q o mais importante é o q esta naquela panela representa para os corações dos q ali celebram. Pra mim c estiver num potinho de margarina decorado artesanalmente ou nos mais coerentes dos sacrários dentro de todas as normas sera o mesmo senhor digno de toda honra e adoraração. Mas mais uma vez deixo claro que é apenas minha percepção sem qualquer conhecimento aplicado sobre o assunto. Abraço a todos!
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # marcos 05-05-2015 12:36
desculpa, Mariana, mas a panela de barro - e tudo o mais no ambiente da capela - leva Nosso Senhor Jesus Cristo a ser tratado como uma "coisa", com total irreverência. Simplesmente se esquece que se está diante do Deus todo poderoso. Esse é o problema específico da panela de barro como sacrário. As fotos acima dizem tudo...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 01-05-2015 15:20
Mariana, ser humilde, acima de tudo, não é valorizar pote de margarina; é relativizar nossas percepções e abrir os ouvidos para a Palavra de Deus. Colocamos aqui o fundamento bíblico (a Arca da Aliança, que guardava algo bem inferior ao Corpo de Cristo, era riquíssima), o fundamento na doutrina da Igreja e o testemunho de um santo paupérrimo (creio que ninguém melhor que São Francisco viveu e pregou a pobreza evangélica, não é mesmo?). Então, diante desses dados, não é mais inteligente nos curvarmos, em vez de nos apegarmos a nossas ideias pessoais? Lembro que o Deus Encarnado que nasceu em uma manjedoura se alegrou com a homenagem de luxo feita por uma mulher, que lhe derramou óleo caríssimo sobre a cabeça (os Apóstolos ficaram até mesmo escandalizados, achando que aquilo era desperdício). Jesus disse que aquela mulher seria lembrada pra sempre por aquele ato. Então, fica registrado nos Evangelhos que é assim que devemos homenagear a presença de Jesus: com o melhor que temos, inclusive do ponto de vista material. E fica a pergunta: se Jesus viesse à sua casa, você serviria comida a ele num pote de margarina, ou pegaria o melhor prato que tivesse? Se o melhor que vc tem é um pote de margarina, ok, mas se não... Quanto desleixo!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 01-05-2015 15:06
Pra quem ainda insiste em pensar que tal estética não reflete um espírito de irreverência para com a Presença real e divina de Cristo, observem as fotos abaixo. Imagens falam melhor do que as palavras. Dando uma olhada na página do Centro Loyola de Fé e Cultura de Goiânia, encontrei essas fotos. As mulheres estão simplesmente SENTADAS DE COSTAS PARA O SACRÁRIO. Essa primeira é de um retiro de catequistas. Não dá pra ver se a lâmpada do Santíssimo está acesa, mas suponho que sim, pois... a Na segunda imagem, tirada em outro retiro, podemos ver de forma inequívoca que a lâmpada da panela, ops, do sacrário está acesa. E pior: a irreverência é tamanha que as mulheres apoiam suas bolsas ao lado do sacrário-panela. b
Responder | Responder com citação | Citar
0 # marcos 05-05-2015 12:33
simplesmente ridículo... ou melhor, seria ridículo se não fosse a coisa mais triste do mundo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 02-05-2015 15:25
JESUS, onde estamos?, as mulheres estão diante do SANTÍSSIMO, no lado do Altar, mas parece que estão sentadas ao redor de uma mesa da cozinha, batendo altos papos sobre receita de comida, moda, e tudo o que se trata sobre as mulheres, menos sobre a fé.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Pe. Maurício Inácio 01-05-2015 14:41
O #2 parece o Olho de Sauron... Este mal não está situado somente no Brasil, mas, em outros países, o veneno do modernismo e da falsa pobreza inundou os lugares sagrados. Já estamos vivendo o tempo do qual G. K. Chesterton expressava com espanto, "tempo que teremos que provar a cor verde da grama".
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Giordano Bruno 01-05-2015 14:35
Oi, pessoal do blog! Por dois anos eu morei em Loppiano, na Itália, e vendo as imagens do post lembrei que muitas pessoas que visitam a cidade ali ficam muito surpresas ao ver o altar tão em destaque ao centro do Santuário, é simplesmente impossível nao ver. Quantas pessoas, mesmo sem receberem uma explicação saíam tocadas, e creio que a presença explícita de Jesus era auxiliada da arquitetura. Aqui uma foto http://www.loppiano.it/stealthV3/cmy_thumbs.aspx?Y=600&n=18203680AT2765082052.jpg
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Gustavo Cazaroli 01-05-2015 13:36
É triste ver a liturgia e a simbologia tão próprias e tão ricas da Igreja serem tratadas dessa forma. Aquela citação "O zelo por tua casa me consumirá" parece que foi esquecida. Pena.
Responder | Responder com citação | Citar
-1 # Douglas 01-05-2015 13:13
Péssimo artigo. Muito fraco e elitista. Sem falar que com a sua burrice, você ofende a todos. Lembre-se que os jesuítas fazem voto de pobreza, a estilo de vida deles baseia-se na contemplação do simples. Enfim, é difícil conversar com doentes como vocês..
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Leniéverson 26-06-2016 15:59
Rapaz, eu sou da Área de Humanas, como a Viviane, o que me deixa, um tanto impressionado, é sua pessoa entrar em um blog alheio e destratar a pessoa com um vocabulário chulo, típico de adepto de uma dialética totalitarista e autoritária. Se eu fosse a equipe do Blog, deletaria o seu comentário, mas sei que eles não farão. Que educação é essa, que você aprendeu? Veio do lixo?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 01-05-2015 13:17
Você me acusa de ofender a todos, e me xinga de burra e doente. Gostei da sua coerência! Sim, os jesuítas fazem voto de pobreza, mas essa pobreza é para ser vivida na austeridade de suas vidas e de seus hábitos cotidianos, não para pisar em cima dos símbolos católicos. A Igreja não dá a eles esse direito. Santo Inácio deve estar muito triste com o que esses jesuítas estão fazendo. As igrejas que os jesuítas administravam, nos tempos do fundador da Companhia, estão aí para testemunhar o zelo e riqueza com que os jesuítas originalmente adornavam o sagrado. Por falar em voto de pobreza, acho que São Francisco de Assis viveu isso exemplarmente, não? Você leu o que ele falou sobre o local em que deve ser conservado ou Corpo de Cristo? E aí, vai chamar o santo de burro e doente também?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Renato Losa 12-03-2017 01:29
Aproveitando essa questão do Santo se sentir triste,ouvi num lugar sobre presença de Nossa Senhora lá? Isso é certo?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # marcos 05-05-2015 12:30
Esse papinho de "elitista", logo de cara, denuncia a escola onde esse aí estudou: escola de Frankfurt!... Vivi, não dá bola pra esse aí, não. Doença é "comuna" querendo se esgueirar por entre nós, católicos, e ainda querer se impor...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Silva 01-05-2015 22:48
Marxistas-socialistas-comunistas são especialistas em 'argumentum ad hominem'. Difícil é entender o que comunistas do naipe desse Douglas procuram na Igreja Católica.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Nelson Hugo 01-05-2015 12:07
Que vergonha, essa panela de barro na minha Arquidiocese :'(
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Mateus Rezende Costa 01-05-2015 12:00
Muito interessante ver esse assunto sendo discutido, estou me formando em arquitetura agora e meu trabalho final é um igreja. O intuito, além do projeto, é criticar a maneira como nossas igrejas tem sido feitas porque hoje nossas comunidades vivem a eucaristia em galpões decorados. Gostaria de saber se já tiveram contato com o numero 106 dos estudos da CNBB e o que acham?! Ele traz orientações para projeto e construção de igrejas e disposição dos Espaço Celebrativo. Achei um documento interessante, mas além dele busquei algumas referencias em Cláudio Pastro e nos documentos no concílio... Mas o trabalho é bem mais difícil do que parece.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alexandre 01-05-2015 13:00
O Claudio Pastro escreve muito bem sobre a construção do presbitério, sou um grande admirador de alguns de seus trabalhos, mas... só escreve... Alguns exemplos de Igrejas suas são muito esquisitas, pois confunde-se a nobre simplicidade com pauperismo. Sua mania de fazer altares quadrados (na tradição latina o altar é retangular), de colocar no mesmo nível presbitério e nave (o lugar do povo) não nos pertence, são introduções estranhas à tradição latina, alguns desses abandonos são coisas que respeitosamente, podemos lamentar. Devemos cultivar o belo costume dos três degraus para chegar ao altar, a separação entre presbitério e nave, se possível a mesa de comunhão ao redor do presbitério, as imagens dos santos pela igreja... São costumes tão somente nossos, que às vezes abandonamos em nome de uma falsa interpretação do Vaticano II e deixamos agregar tradições de outras religiões e/ou seitas. Rezemos para que o Senhor suscite bons arquitetos como vocês, preocupados com a verdadeira nobre simplicidade.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 01-05-2015 12:40
Mateus, ainda não li esse documento da CNBB. Recomendo que você adquira o livro citado no artigo abaixo ("Feia como o pecado — Por que transformaram nossas igrejas de lugares sagrados em salas de reunião, e como voltar atrás"), acho que pode te ajudar muito: http://catolicismo.com.br/materia/materia.cfm?IDmat=B1D30CD4-3048-560B-1C40426C34447D00&mes=Agosto2006&pag=1 Acabei de achar este artigo sobre a história do sacrário, parece interessante tb: http://www.30giorni.it/articoli_id_9093_l6.htm Esse atigo do blog Salvem a Liturgia! tb é interessante: http://www.salvemaliturgia.com/2015/01/o-espaco-liturgico-centro-e-foco.html
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Mateus Rezende Costa 01-05-2015 12:56
Muito obrigado pelas referencias! Saindo da graduação quero começar uma Pós ou mestrado na mesma área e é bom continuar lendo sobre. Até achei um mestrado na Universidade Católica Portuguesa que é justamente sobre arquitetura religiosa, mas infelizmente já não é mais ministrado! Postem mais sobre esse assunto, acredito que o caminho mais fácil para valorizar o nosso espaço e conscientizando a comunidade e mostrando que merecem o melhor (Que DEUS merece o melhor)!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Camila Bernardino 01-05-2015 12:30
Mateus, também sinto essa dificuldade. Meu trabalho final é uma igreja e não quero cometer os mesmos erros, tão comuns atualmente. O meu maior medo é de ser acusada de querer voltar ao passado. Se tiver alguma outra referência, poderia, por favor, me indicar? Obrigada!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Higor Evangelista 01-05-2015 16:09
Mateus, eu também estou em meu TCC com um projeto de uma Igreja, desde o inicio senti muita dificuldade, sabemos que na faculdade de arquitetura somos doutrinados com uma ideia de arte comtemporânea, que foge muito do conceito filosofico de Beleza apra a Igreja. É nítida nas igreja hoje seguirem em sua maioria os ensinamentos do C. Pastro como um ideal de beleza, já que como citado sua teoría é muito convicente, porém é recheada de influências do "espirito do CVII", que deturpam o seu verdadeiro significado, e claro uma influência claramente protestante. eu achei nos documentos da Igreja orientações valiosas, como a instrução "Redentoris Sacramentum", ou mesmo na propria instrução geral do Missal Romano. Na minha opinião, não é muito aconselhavel seguir as recomendações da CNBB, já que,o C. Pastro reina entre os Bispos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Mateus Rezende Costa 01-05-2015 12:53
Camila, confesso que sofri muito! Meu orientador era socialista demais, tudo dele era niemeyer. Então fiz o que fiz pra agradar e formar logo... Mas foi horrível, faria tudo de novo =/ Eu tenho algumas coisas que posso passar ou pelo menos o nome dos livros e documentos. E tem esse arquiteto do sul, confesso que não gosto tanto, mas as igrejas parecem igrejas e não galpões! http://arquiteturadosagrado.blogspot.com.br Qualquer coisa mande email e te passo -
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Edymara 01-05-2015 11:49
Esse ano vi um sacrário em forma de tronco de árvore. --' Mas a panelinha de barro realmente supera qualquer um.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alexandre 01-05-2015 11:44
Na verdade Vivi, a pombinha que você viu na verdade é uma antiga forma de sacrário, que remonta ao século XI, lá pelas bandas da França e da Inglaterra, pelo menos aqui no Brasil nunca tive notícias de uma... Chama-se "Pomba Eucarística", e fica suspensa sobre o Altar e possui uma abertura no peito ou no dorso, para ali guardar a teca com as Sagradas Espécies. Veja a foto de uma: http://1.bp.blogspot.com/-qSlaKvw4ZEU/UXQ_jkanbHI/AAAAAAAAI5E/pD4gKIfD078/s640/12343_507739659286207_1075040611_n.jpg
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 01-05-2015 11:57
Agradeço muito a informação! Tiramos a menção à pomba. Sobre isso, achei agora um artigo muito interessante na Revista 30Giorni: http://www.30giorni.it/articoli_id_9093_l6.htm
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Denílson Galvão 01-05-2015 11:36
Venho aqui expressar minha admiração e respeito a essa trabalho da página O catequista e ressaltar que é uma grande valia para nós catequistas. Vejo que as publicações tentam resgatar a ardor de ser católico mais peço que não continue com o espírito de exclusão que acontece com pessoas que tenham ponto de vista e opinião diferentes de algumas publicações, até por que estamos aqui para aprender. Falo isso por que fui bloqueado no FaceBook por ter comentado uma publicação. Peço que revejam a forma de administrar essas situações. Sobre o tema do sacrário sou um defensor ferrenho do mesmo ponto de vista desta publicação, Jesus não deve estar exporto em algo que ofusque sua majestade por ser apenas uma obra de arte.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 01-05-2015 11:41
Denílson, não sei qual comentário levou ao seu banimento, mas desfizemos o ban. Bem-vindo de volta à fanpage.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Janes 02-05-2015 15:51
Agora, tragam fotos de belos sacrários para fazer o contraste, né?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Edvaldo José Ferreira 01-05-2015 11:31
Muitos artistas, com a conivência de paróquias e dioceses, tem feito da arte sacra uma mera divulgação de suas ideias malucas e tresloucadas. Fazem isso com sacrários, altares, presbitérios. Pensam que a Casa de Deus é galeria de artes, onde podem expor suas "obras de arte". Realmente, como disse São Francisco de Assis, "o Amor não é mais amado".
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Vicente de Paula 01-05-2015 11:30
Jesus em segundo plano, detrimento da 'sofisticação' e insensatez mundana da 'arte'. Misericórdia!
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade