Publicidade
Terça, 28 Abril 2015 01:16

Batismo de pimpolhos – fundamentos na Bíblia e na Tradição

Postado por

Na Antiga Aliança, para selar o pacto com Deus, o que deveria fazer um homem ou menino? Cortar a pele do prepúcio – ou seja, fazer a circuncisão. Essa pequena cirurgia no bilau – que deveria causar arrepios nos escolhidos do Senhor – era o rito de iniciação na fé judaica.

Com o estabelecimento da Nova Aliança, a circuncisão foi abolida, sendo substituída pelo Batismo, como explicou São Paulo:

"Nele também fostes circuncidados com a circuncisão não feita por mãos no despojar do corpo da carne, a saber, a circuncisão de Cristo, tendo sido sepultados com ele no batismo, nele também ressurgistes pela fé no poder de Deus, que o ressuscitou dentre os mortos." (Col 2,11-12)

Ora, se na Antiga Aliança os filhos de judeus eram batizados ainda bebês, apenas oito dias após seu nascimento, é natural que na Nova Aliança o rito de iniciação na fé seja também realizado com os pequeninos de Deus. Os bebês não possuem pecados pessoais, mas nasceram com a mancha do PECADO ORIGINAL, da qual são lavados no batismo.

circuncisao_batismo

CURIOSIDADE – BATISMO POR IMERSÃO

Nas igrejas católicas de Rito Latino, o a batismo de adultos ou crianças, em geral, é feito por aspersão (ou seja, basta lançar água sobre a cabeça). Já nas igrejas católicas de Rito Oriental – e também nas Ortodoxas – o batismo é feito por imersão (precisa mergulhar o corpo inteiro na água).

O batismo de crianças por imersão é uma tradição belíssima que produz cenas comoventes, como a do topo deste artigo. E muitas cenas hilárias também!

batismo_hilario

O costume de batizar bebês e crianças é praticado na Igreja DESDE SEMPRE. Isso é conteúdo da Sagrada Tradição (para saber o que é Sagrada Tradição, clique aqui), ou seja, algo que foi ensinado pelos próprios Apóstolos. A prova disso é que os Padres da Igreja primitiva atestavam isso em seus escritos. Vejam:

"Onde não há escassez de água, a água corrente deve passar pela fonte batismal ou ser derramada por cima; mas se a água é escassa, seja em situação constante, seja em determinadas ocasiões, então se use qualquer água disponível. Dispa-se-lhes de suas roupas, batize-se primeiro as crianças, e se elas podem falar, deixe-as falar. Se não, que seus pais ou outros parentes falem por elas." (Hipólito, ano 215 - Tradição Apostólica 21,16).

"A Igreja recebeu dos apóstolos a tradição de dar Batismo mesmo às crianças. Os apóstolos, aos quais foi dado os segredos dos divinos sacramentos sabiam que havia em cada pessoa inclinações inatas do pecado (original), que deviam ser lavadas pela água e pelo Espírito." (Orígenes, ano 248 - Comentários sobre a Epístola aos Romanos 5,9)

Além dessas evidências incontestáveis – a iniciação ritual de crianças no Antigo Testamento e o testemunho dos escritores da Igreja primitiva – podemos notar que nenhuma passagem bíblica restringe o batismo apenas aos adultos. Pelo contrário, os Atos dos Apóstolos garantem que fazendo questão de abençoar as crianças, Jesus disse:

"Deixai vir a mim as criancinhas e não as impeçais, porque o Reino de Deus é daqueles que se parecem com elas." (Lc 18,15-16)

Certamente, bebês e crianças muito pequenas não têm consciência de seus pecados e não têm capacidade de professar a fé cristã. Mas seus pais têm autoridade para consagrá-los a Deus, assim como os pais hebreus, no Antigo Testamento, que consagravam seus filhos no Templo, ainda que esses pequeninos não tivessem capacidade de compreender a Lei do Senhor. Se o batismo substitui a circuncisão, é lógico que as crianças devem continuar a ser iniciadas na fé, com seus pais e padrinhos assumindo as promessas envolvidas nesse rito, até que os filhos cheguem à idade adulta.

Partilhando dessa mesma crença, luteranos, calvinistas e anglicanos também ensinam que ninguém tem direito de negar o batismo às crianças, a quem pertence o Reino dos Céus.

5789 Quarta, 09 Agosto 2017 18:16

Comentários   

0 # Jéssica 22-10-2015 23:27
Fui questionada por um adventista que são batizados já adultos: "por que batiza-se as crianças alegando que elas já nascem com o pecado original se os país já são batizados? Quer dizer que o fato deles terem tido uma relação sexual tornou o filho fruto de um pecado e os tornou pecadores?" Me expliquem isso!!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Matheus 11-08-2017 02:18
Olá Jéssica boa noite, vamos lá, primeiramente não é o ato sexual entre os pais que constituem o pecado original, uma vez que a consumação da carne após o casamento não se trata de fornicação, mesmo porque o principal objetivo do casamento é a multiplicação, como nosso próprio Deus nos estabelece nas escrituras ok?

Esclarecido este ponto é importante esclarecer um outro equívoco: o pecado original nada tem a ver com o ato sexual dos pais, mas sim na traição vinda ao mundo através do fruto proibido!!!! "...plantarei inimizade entre ti e a mulher (pecado)" e é esse pecado que todos nós, mortais, exceto Jesus e maria herdamos e por isso somos batizados quando pequenos e nos lavamos do pecado com a instituição de nosso primeiro sacramento: o batismo.

Espero ter te ajudado
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 23-10-2015 11:09
Jéssica, a relação sexual entre os esposos - pessoas casadas - é conforme a vontade de Deus, não tem nada de pecaminosa. Todo ser humano herda a mancha do pecado original, e isso nada tem a ver com o sexo praticado por seus pais (ainda que tenha sido uma relação adúltera). Para saber mais sobre o pecado original, acesse esse vídeo do professor Felipe Aquino (depois que terminar, acesse a parte 2 do vídeo): https://www.youtube.com/watch?v=ET65B437Tds
Responder | Responder com citação | Citar
-2 # Ricardo 02-10-2015 23:13
O batismo deixa uma marca indelével, nunca se apaga, ele nos dá a graça santificante , restaura a amizade com Deus manchada pelo pecado original, logo vc tendo consciência ou não, recebemos os dons do Espírito Santo, as virtudes teologais e a filiação divina. Mas Deus em seu amor nos dá o livre arbítrio em querer o Céu ou não, logo muitos o renunciam pois ele não nos obriga. Mas é função dos pais querer o melhor para seus filhos por isso os batizamos. Muitos dizem que é melhor crescer pra decidir não impor, mas quando se fala em coisas mundanas aí se impõe, nenhuma criança pede pra ir pra escola mais os pais as colocam lá ... Não pedem vacina e nem remédio mas damos aos nossos filhos. Jo 3,5 "Quem não nascer da água e do Espírito não entrará no Reino de Deus"
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Dione Piza 02-10-2015 18:22
Belíssimo artigo! Gosto muito deste site! Contudo, apenas uma contribuição: o batismo nunca é por aspersão, mas infusão ou imersão (CDC cân. 854) . Parece uma observação inválida, mas para a simbólica sacramental é muito mais profundo o rito de infundir (derramar, verter), diferido do aspergir (espalhar, jogar aqui e ali).
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Adriano Carvalho de Lucena Baraúna 17-08-2015 16:22
Olá... Preciso tirar uma dúvida com vocês. Minha irmã me chamou para ser padrinho do namorado dela. (Ele tbm me escolheu) Acontece que sei da responsabilidade de ser padrinho de alguém e não me consigo apto para exercer isso e nem tenho afinidade o suficiente com o namorado dela. Acontece que ela me disse que batismo não se recusa e praticamente está me obrigando. Isso é verdade o que ela disse?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 17-08-2015 19:48
Adriano, pelo Código de Direito Canônico (can 874), a sua irmã está errada. Você deve ser sentir apto à missão de um padrinho, e deve aceitar o convite sem imposições.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Carlos Corrêa 13-05-2015 20:26
Olá.... Em minha paróquia, São José, na cidade de Itu/SP é muito comum batizados por imersão, a do meu filho mesmo foi por imersão, é tão lindo xD
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Crente em Jesus 13-05-2015 11:56
minha avó era estremamente religiosa, servia a Religião católica. Com todo seu amor e fé , batizou todos seus 10 filhos ! Hoje, dos 10 apenas 1 declara a fé em Jesus. Os outros 9 negam a Igreja Católica, alguns negam a Cristo e outros se declaram ateus . Eu pergunto, esse batismo valeu?
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # A Catequista 13-05-2015 12:27
Crente, o Saul foi escolhido a dedo por Deus para ser o primeiro rei de Israel. Foi ungido de forma sagrada pelo profeta, e assim recebeu o Espírito Santo e toda a capacidade sobrenatural para ser um bom rei. Como sabemos, ele foi uma decepção. Eu lhe pergunto, a unção dele foi válida ou não?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Heloisa Araujo 04-05-2015 15:31
Gente, lendo sobre batismo me surgiu uma dúvida, dei uma lida no CIG mas não achei especificamente sobre esse tema, o Papa ou qualquer outro sacerdote pode batizar crianças de mãe solteira? Ou de casal que não é casado na Igreja? Se sim, a justificativa seria que o batismo é para a criança e não os pais? Ou teria outra justificativa? Agradeço a atenção, Heloísa
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Heloisa Araujo 04-05-2015 17:29
Já achei a resposta! :)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Antonio Gabriel Cerqueira Gonçalves 30-04-2015 17:22
Muito obrigado pela redação de um artigo sobre o Batismo, amigos, muito válidas e proveitosas as considerações, grande abraço, Gabriel.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Augusto Paiva 29-04-2015 20:44
Muito bom! Mas àqueles que ainda fazem objeções ao ''pedobatismo'', como preferem dizer: ''Jesus, no Evangelho de Marcos no capítulo 16 afirma que é necessário crer para ser batizado; com efeito lá está escrito: ''(…) quem CRER e for BATIZADO será salvo(…)''. O que Jesus dá aí, nessa passagem, são as condições para a salvação, e não para o Batismo. Paulo diz em Atos 16,31: ''CRÊ no Senhor Jesus e será Salvo tu e tua casa.'' E nos Atos dos Apóstolos nunca se disse que os Apóstolos excluíam os bebês do Batismo, quando batizavam toda uma família de um convertido. Assim, o carcereiro que se converteu foi batizado por São Paulo, ''com toda a sua família'' (Atos 16, 33). Onde está dito que o carcereiro não tinha filhos pequenos, ou que São Paulo excluiu os bebês do Batismo? Não está escrito nada disso. Também de Lidia, está escrito que ela, tendo se convertido ''foi batizada ela e a sua família'' (Atos 16, 15). Será que também essa mulher só tinha adultos em sua família? E na primeira epístola aos Coríntios, São Paulo dizia que ''batizei também a família de Estéfanes'' (I Cor. 1, 16). Vai ver que, dessa família de Estéfanes, você [o objetor - grifo meu] arranjou as certidões de nascimento de todos os filhos dele, e sabe que nenhum deles era criança.'' (...) ''O Batismo foi instituído por Cristo para perdoar o pecado original e fazer-nos filhos de Deus por adoção. Cristo não tinha pecado original, pois era Deus. E Cristo não precisava tornar-se filho adotivo de Deus porque Ele era o Filho Unigênito de Deus Pai. Logo, Jesus não precisava ser batizado. Ele se fez batizar por São João Batista para nos dar exemplo de humildade, e para instituir o Batismo. Diz São Tomás de Aquino, ao tratar dessa questão, que Cristo não precisava ser lavado pela água do Batismo, porque Ele não tinha pecado original, mas que Ele se fez batizar para comunicar à água o poder de lavar o pecado original. Mais que ser batizado, Ele "batizou" a água. E Ele só foi batizado aos 30 anos, porque foi [com] essa idade que Ele começou a ensinar e instituir os sete sacramentos.'' (Excertos de Orlando Fedeli; Montfort, Associação Cultural) Tão transparente como água. Paz e Bem. E Viva Cristo Rei!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # N. Lopes 29-04-2015 20:18
Oi gente, Achei muito bacana as explicações sobre o batismo e adorei a foto do bebê Van Damme. Será que vou chatear vcs se pedir que escrevam sobre um assunto? Há uma jovem na minha família sofrendo influência de um rapaz da umbanda.Ele fala da seita de forma atrativa, "piedosa", reforça que a presença de santos católicos entre os orixás, e ainda posa de paciente e piedoso com os católicos fanáticos, intolerantes e preconceituosos, como eu. Eu tenho estudado este texto para me municiar http://www.apologistascatolicos.com.br/index.php/apologetica/espiritismo/753-posicao-catolica-perante-a-umbanda O texto me elucidou muito, mas não consegui que ela lesse. É longo e tem um linguajar mais técnico. Vcs escrevem tão bem, são espirituosos, conseguem usar uma linguagem que os jovenzinhos conseguem entender melhor. Será que poderiam explicar historicamente como a umbanda se apropriou das imagens dos nossos santos para enganar e iludir, afastando as pessoas da Graça e levando-os para a magia? Me desculpem o pedido e o desabafo. Mas agradeço de coração qualquer ajuda que puder obter, mesmo que seja apenas uma oração. Abço,
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # A Catequista 29-04-2015 22:42
Lopes, você não chateia de modo algum estamos aqui para isso! Você pergunta como a umbanda se apropriou das imagens dos nossos santos. Isso, num primeiro momento, ocorreu porque os negros eram impedidos pelos senhores de escravos de cultuar os orixás (ainda não existia a umbanda nesse tempo, era puramente o Candomblé). Sendo assim, começaram a "disfarçar" seu culto, usando imagens de santos católicos, mas chamando-as secretamente pelo nome de seus orixás. Assim, começaram a cultuar a imagem de Jesus, quando na verdade cultuavam "Oxálá", e por aí vai. Em um segundo momento, surgiu a umbanda, que mistura candomblé, kardecismo, catolicismo, magia cigana, magia indígena e esoterismos em geral. Do kardecismo, a umbanda absorveu a estratégia de se vender aos católicos como uma religião autenticamente cristã, que em tese não teria conflito algum com o catolicismo. Assim, os católicos incautos e menos instruídos na fé são mais facilmente atraídos. Os kardecistas vivem dizendo que o santo X ou Y encarnou num médium famoso e escreveu textos psicografados. Ou seja, querem a todo o custo trazer os santos católicos para a sua banda. Sendo também influenciados pelo kardecismo, os umbandistas adotam a mesma estratégia, dizendo, por exemplo, que esse ou aquele santo católico - tipo Santo Antônio - é guia dos espíritos de determinado terreiro. Não temos nenhum post específico sobre Umbanda, mas temos muitos posts sobre espiritismo, que é uma das bases principais da Umbanda. Veja nesta seção: http://ocatequista.com.br/archives/category/fantasminha Espero ter ajudado em algo. Qualquer coisa, volte a nos escrever. Abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Nilza 30-04-2015 01:07
Obrigada
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Gilberto 29-04-2015 17:04
Olá, sei que não tem a ver com o texto, que por sinal é muito elucidativo e também exortativo. Mas, permita-me: Em Hebreus 12.23 está escrito: À universal assembléia e igreja dos primogênitos, que estão inscritos nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados; Essa UNIVERSAL ASSEMBLÉIA significa: Igreja Católica? Universal = Católica Assembléia = Igreja
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 29-04-2015 17:22
Não sou especialista nisso, mas me parece que não. No original em grego, não vi a palavra "universal". Vi falando à assembleia (ou igreja) dos primogênitos "em todos os lugares", o que pode ser traduzido como "universal" (católica). Mas me parece que São Paulo não citou "igreja universal" (igreja católica).
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 29-04-2015 16:43
"No final permanece a questão — apenas uma breve palavra — do Baptismo das crianças. É justo fazê-lo, ou seria mais necessário percorrer primeiro o caminho catecumenal para alcançar um Baptismo autenticamente realizado? E outra pergunta que se apresenta sempre é a seguinte: «Mas podemos impor a uma criança qual religião ela quer viver ou não? Não devemos deixar àquela criança a escolha?»." Texto de Bento XVI sobre o batismo de crianças, leiam: http://w2.vatican.va/content/benedict-xvi/pt/speeches/2012/june/documents/hf_ben-xvi_spe_20120611_convegno-ecclesiale.html
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rudy Ribeiro 29-04-2015 16:28
Olá pessoal, mas eu estou com uma dúvida quanto ao entedimento de Lucas 18:15-16. Pois em minha bíblia pessoal as palavras são outras e levam a um entendimento, enquanto ao descrito no site leva a outro. Vejam, sou Católico e independente da interpretação isso não muda a tradição ou o dógma quanto ao batismo de pimpolhos, mas permitam-me questionar afim de chegar a real interpretação desta passagem. “Deixai vir a mim as criancinhas e não as impeçais, porque o Reino de Deus é daqueles que se parecem com elas.” (Lc 18,15-16) Olha, nesta descrição eu interpreto que Ele quis dizer que o Reino de Deus é daqueles que parecem puros, alegres, sem maldade no coração e etc. “Deixai vir a mim os meninos, e não os impeçais, porque dos tais é o Reino de Deus“. Vejam, já nesta tradução da minha Bíblia certamente aplica-se este entendimento passado pelo site. Porém somente se descrito desta maneira. Como disse, sou Católico e independente da interpretação correta, não muda nada, porém é importante saber a real interpretação que se deve ter.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 29-04-2015 16:57
Rudy, entendo o seu questionamento. Na tradução por você apresentada, a citação parece bem mais apropriada. De qualquer forma, a real interpretação é mesmo esta que apresentamos. Veja esse trecho do Catecismo: §1244 A primeira comunhão eucarística. Uma vez feito filho de Deus, revestido da veste nupcial, o neófito é admitido "ao festim das bodas do Cordeiro" e recebe o alimento da vida nova, o Corpo e o Sangue de Cristo. As Igrejas orientais mantêm uma consciência viva da unidade da iniciação cristã dando a Santa comunhão a todos os novos batizados e confirmados, mesmo às crianças, lembrando-se da palavra do Senhor: "Deixai vir a mim as crianças, não as impeçais" (Mc 10,14). A Igreja latina, que reserva a Santa comunhão aos que atingiram a idade da razão, exprime a abertura do Batismo para a Eucaristia aproximando do altar a criança recém-batizada para a oração do Pai-Nosso. Ou seja, o Catecismo está explicando que as igrejas católicas de rito oriental, diferente das igrejas católicas de rito latino, dão a comunhão até mesmo a bebês, justamente usando essa passagem do Evangelho. Se a Igreja reconhece que dar comunhão eu carística a bebês é algo legítimo no rito oriental, com base nessa passagem, certamente reconhece que tal passagem justifica a concessão do Sacramento anterior (o Batismo) aos bebês.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Adilio 29-04-2015 06:42
A Catequista, para os meninos se fazia a circuncisão e para as meninas? o que se fazia como sinal de consagração do AT? Eu sou católico, com muito gosto, graças a Deus. Poderia me ajudar?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Aline Viani 28-10-2015 04:41
Adilio, para os hebreus as mulheres não tinham bem o que chamamos de "vida e identidade própria", elas eram vistas como extensões dos homens e tudo quanto cabia a eles cabia igualmente a elas, por extensão... Assim, entendia-se que a mulher judia respondia conjuntamente pela fé de seu pai, marido ou outro parente responsável, no caso da inexistência desses. Além disso, a dignidade da mulher não era vista como exatamente igual à do homem, havia questões de impureza ligadas à menstruação e ao pós-parto e um monte de outras crenças que faziam com que na cultura antiga a mulher não fosse vista como capaz de ser consagrada diretamente a Deus, a não ser por meio do seu "superior", que era o homem ao qual ela devia ser submissa, como citei acima... Também quanto a isso, como vemos, Jesus veio trazer mudanças importantíssimas a partir da Nova e Eterna Aliança no seu sangue... :)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 29-04-2015 12:26
Não existia nenhum rito específico para a consagração de mulheres.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Dier 28-04-2015 20:15
Que lindo artigo......queria perguntar.......na igreja católica podemos também optar à batizar a criança por imersão.?/
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 28-04-2015 21:02
Mais ou menos... Isso vai depender, na verdade, do costume adotado na paróquia em que você for batizar seu filho. A maioria das paróquias do Ocidente realiza o batismo somente por aspersão. Mas se você procurar uma paróquia em que o Rito não seja Latino, mas sim Bizantino, provavelmente lá o batismo será por imersão.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Fabio Guilherme Sousa Fajardo 28-04-2015 18:59
Concordo com o texto. Me tirem uma dúvida quanto as crianças mulheres elas eram circuncidadas? como era o processo "ritual" para elas serem inseridas no pacto de selo com Deus ou iniciarem a fé na religião judaica ? ou como desconfio a religião judaica é uma religião machista?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Aline Viani 28-10-2015 04:42
Fábio, veja a resposta à pergunta do Adilio, logo abaixo... Creio que pode responder à sua também... :)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo 28-04-2015 18:39
Sobre a dúvida imersão x aspersão do batismo, a própria Didaqué, chamada Instrução dos Apóstolos, primeiro catecismo cristão utilizado em toda a Igreja, e escrita entre o final do século I e início do II, afirma: "Quanto ao batismo, faça assim: depois de ditas todas essas coisas, batize em água corrente, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Se você não tiver água corrente, batize em outra água. Se não puder batizar com água fria, faça com água quente. Na falta de uma ou outra, derrame água três vezes sobre a cabeça, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo." (Didaqué, Capítulo VII, 1 a 3)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 28-04-2015 19:00
Eu não lembrava desse texto tão antigo, da Didaqué! Obrigada.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Padre Orlando Henriques 28-04-2015 14:27
O Baptismo, seja em que idade for, é uma questão de VOCAÇÃO, e vocação significa “chamamento”; ora, se é chamamento, então Quem toma a INICIATIVA é Aquele que chama, e não aquele que responde. «NÃO FOSTES VÓS QUE ME ESCOLHESTES, FUI EU QUE VOS ESCOLHI». Não sou eu que “faço” e “aconteço” (isso é voluntarismo, é despir o cristianismo do poder da graça), é Deus que faz maravilhas em mim, ainda antes de eu poder corresponder. Esta iniciativa do chamamento de Deus (vocação) nota-se de uma forma muito clara no Baptismo das crianças: ainda antes de eu ter sequer consciência das coisas, Deus tomou a iniciativa, serviu-Se dos meus pais, que me levaram ao Baptismo. Por isso, eu cá pergunto-me se essas pessoas que dizem que são contra o Baptismo das crianças acreditam, sequer, na existência de Deus. Se acreditamos que Deus existe e nos chama, e que primeiro vem o chamamento e depois é que vem a resposta, qual é a dificuldade de aceitar o Baptismo das crianças? Eles não crêem na acção da graça, para eles só vale a parte humana das coisas (a parte divina eles devem achar que é mito…). Se também não fomos nós que pedimos para nascer segundo a carne, porque é que havia de ser preciso para nascermos segundo o Espírito?
Responder | Responder com citação | Citar
-1 # Aline Viani 28-10-2015 04:32
Lembrando que, como o padre disse, primeiro vem o chamamento e depois vem a resposta. Ora, é por isso que, ao ficarmos mais velhos, já dentro de toda a nossa capacidade de escolha, abraçamos a Igreja e recebemos o Sacramento da Confirmação, que é o Crisma... A ordem, portanto, é clara: assim como era na Antiga Aliança, Deus primeiramente nos chama e, por entender essa realidade, a Igreja a sacramenta por meio do Batismo. Então segue-se a ordem natural das coisas (ou ao menos deveria seguir-se): somos educados na fé como catecúmenos e, após, damos o nosso sim consciente como resposta ao chamado de Deus, por meio do Crisma, que é o Sacramento de Confirmação (do Batismo)... Só mesmo com muita falta de vontade pra não entender a lógica e a beleza da doutrina e dos ritos da Igreja...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # HelioGuim 28-04-2015 12:47
Parabéns pela abordagem do tema. Confesso que ainda não havia escutado sobre essa belíssima associação do Batismo da Nova Aliança com a circuncisão da Antiga Aliança, o que dá todo um sentido especial a este Sacramento. Obrigado por partilharem os textos da Igreja dos Primeiros Séculos sobre o batismo de crianças. Esses dias tive que dizer a um grupo de "pastores", dada a impossibilidade de dialogar - já que a maioria não entende nada de Interpretação da Sagrada Escritura e de Tradição -, que eles estão de parabéns se, realmente, segundo eles, "a Igreja fez errado durante dois mil anos"... então Jesus cumpriu muito por baixo sua missão, já que os apóstolos a continuaram da forma errada, as primeiras comunidades também e, só agora, há menos de cem anos, a "igreja" deles encontrou a verdade e a salvação... [tem horas que a gente perde a paciência] Quanto ao batismo da criança na fé dos pais e dos padrinhos, em nome da Igreja, Dáltoni mitou com a resposta do Padre Léo. É bem por aí... Uma única coisa que nos dificulta é não ser nosso costume batizarmos por imersão, facilitaria muito para visualizar o sentido de morte ao pecado e vida nova em Cristo e de incorporação (mergulho) total de vida em Cristo e consequentemente no seu corpo, que é a Igreja. Enfim, acho o Batismo um dos ritos mais belos de nossa fé, cujo significado deve ser renovado a cada dia em nosso coração de Filhos de Deus.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alexandre 28-04-2015 11:58
Mais um texto claro e certeiro. Parabéns, O Catequista! http://excerptos.blogspot.com.br/
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Victor Martinetti 28-04-2015 11:41
"...Os apóstolos anunciavam o Cristo, e aqueles que aderiam a Ele eram batizados. “Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado” (Mc 16,16). Quando Pedro anunciou Jesus para a família de Cornélio, este e toda sua família foram batizados. Ora, será que só havia adultos na família? Quando o carcereiro fez uma experiência de Deus, o que Paulo disse a ele? “Crê no Senhor Jesus e serás salvo, como também todos os de tua casa”; depois, completou o autor dos Atos dos Apóstolos: “E, imediatamente, foi batizado, junto com todos os seus familiares (cf. Atos 16,31-33). Será que as crianças não faziam parte da família?" (do Site da canção nova)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # N. 28-04-2015 11:18
E o que poderia ser dito àqueles que dizem que "é um absurdo impor uma religião à alguém que nem ao menos saber falar. As pessoas tem de ter duas próprias escolhas. É desumano impor esse tipo de coisa à uma criança"? Confesso que também já pensei assim, mas sinceramente, percebi como eu estava errada. Mas mesmo assim, não sei como explicar esse tipo de coisa para quem acha o batismo desnecessário ou absurdo. Abraços
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Dáltoni 28-04-2015 12:15
Paz e bem! Deixo aqui um episódio narrado pelo saudoso Pe Léo, fundador da Comunidade Bethânia. "Um dia, uma certa senhora disse ao Padre Léo que ela não achava certo batizar criança, pois não sabemos se é isso que a criança quer. Então o padre respondeu: eu também acho errado, acho errado colocar nome, dar comida, dar banho, trocar fralda, você não sabe se a criança quer. Daí a mulher disse, ao padre que isso são coisas essenciais. E o padre respondeu, e fazer seu filho templo do Espírito Santo não é essencial?"
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 28-04-2015 14:13
É isso mesmo, Daltoni, uma grande parte das coisas mais importantes da nossa vida, a começar pelo nome que temos, não foi escolhida por nós, e ninguém considera isso um atentado á liberdade da pessoa. Portanto, os pais só têm é que providenciar à criança aquilo que SABEM que é importante, a começar pelo dom da Vida Divina
Responder | Responder com citação | Citar
0 # N. 28-04-2015 12:31
Agradeço, Alex e Dáltoni! Aliás, esse episódio, Dáltoni, me deu algumas esperanças rs! Abraços
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 28-04-2015 12:07
N. é simples, sabemos do dia de nossa morte? Não. Um recém nascido pode morrer sem receber dos inúmeros benefícios da morte de Nosso Senhor Jesus? Pode. Vamos negar isto a ele?...Alem do mais, após alcançar a idade da razão, todo homem é responsável e culpável pelos seus pecados cometidos, se um cidadão destes morre aos 10 anos, além da falta do batismo, não remissão do pecado original, conta junto os pecados que cometeu, terá ele salvação? Contudo, mais culpa e maior castigo eterno terão aqueles que negaram o batismo ao nascituro e este ao crescer condenou-se. A lembrar que, após o Juízo Final, os corpos estarão ressuscitados, e os réprobos estarão em castigo eterno de corpo e alma, e procurando a morte não a encontrarão.
Responder | Responder com citação | Citar
-1 # Fabio Nascimento 28-04-2015 10:53
Foi uma coisa que eu sempre falei ... O "batismo" de Jesus, que não era Cristão e sim Judeu, ocorreu com 8 dias. O "batismo" judeu era feito nas crianças ... pq no cristianismo não ?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 28-04-2015 09:37
O batismo já era feito para os menores desde sempre, visto que, se numa casa fossem todos batizados, significa que crianças também o eram. Pois numa casa moravam todos de uma família, pais, filhos, netos, bisnetos, tataranetos. Então, não é difícil supor que em alguma casa se encontrasse algum recém nascido. Só mesmo louco achar que dentro de uma casa todos eram adultos, não tinha criança nenhuma. Aliás, se é sadio afirmar que não tinha criança, não tinha idoso, e quem morasse lá tinha tudo 30 anos. Quanto as imagens de batismos, se um é o batismo do Van Dame, o de baixo só pode ser o batismo do filho do Cascão.
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade