Publicidade
Segunda, 06 Julho 2015 12:01

Lutero bipolar - primeiro defende os judeus, depois os amaldiçoa

Postado por

lutero_bipolar

Salve, povo católico!

Vamos falar um pouco agora sobre o Martinho Lutero escritor, aquele que os barões alemães defendiam tão ardorosamente como um sábio sem igual. Quem mais lambia o monge maluco era a baixa nobreza, muito mais por ganância do que por zelo religioso. Essa gente viu ali uma oportunidade de ouro - e COM ouro - de subir na vida cortando a garganta de padres.

Ulrich von Hutten era um dos barõezinhos e líder desse movimento, mas era Frank von Sickingen o cabeça militar. Ambos espalharam o terror luterano em suas voltinhas pelo Sacro Império, pilhando, saqueando e matando. Mas vamos esquecer esse pessoal por hora.

Lançar as sementinhas do mal pelo mundo era a especialidade de Lutero. E uma dessas ideias perniciosas fomentou a potencialização do antissemitismo na Alemanha.

JUDEUS ILUDIDOS

Engana-se quem pensa que os judeus alemães começaram a comer o pão que o diabo amassou somente nos tempos do bigodinho ridículo (Hitler); essa perseguição teve início alguns séculos antes. Para quem não sabia disso, contaremos aqui algumas das histórias que ocorreram na Alemanha durante o século XVI (antes, o aviso: não associem isso aqui com a Inquisição, olha o que eu sempre falo das armadilhas da tia Teteca!). Quem perseguia e matava esses judeus era o próprio povo alemão, utilizando bases religiosas como justificativa.

Obviamente, muitos acreditavam piamente estar, assim, cumprindo a vontade de Deus; outros eram motivados por ganância pura e simples. Não dá para saber exatamente o quanto havia de uma ou de outra em cada caso. Só podemos imaginar e deixar-nos levar pela narrativa do contista ou historiador. Por isso Jesus nos alerta sobre o julgamento, pois o ato de julgar revela muito do nosso próprio caráter. Não imagine esses alemães pelos seus olhos modernistas anacrônicos, para não acabar comparando-os a carrascos nazistas. Apenas sinta o relato. 

Em Berlim, maior cidade alemã desde sempre, no ano de Nosso Senhor de 1510, 38 judeus foram torturados e queimados, acusados de profanar hóstias e matar crianças (como eu disse, todo mal-intencionado coloca essa onde? Na conta da Inquisição, e muitos de nós, trouxas, abaixamos a cabeça e acreditamos). Em Ratisbona, uma cidade milenar que existe desde os tempos romanos, os judeus foram expulsos em 1519, com uma mão na frente e outra atrás. Não bastasse esse humilhação, ainda tiveram que presenciar a destruição de sua sinagoga, das suas "lujinhas" e a depredação dos túmulos do cemitério judaico local.

Portanto, não é de se estranhar que, num primeiro momento, os judeus alemães recebessem com esperança os agentes da "Deforma" Protestante. O Sacro Império Romano-Germânico era uma região pobre, o povo ali sempre viveu ao Deus dará. Era um salve-se quem puder, e, entre os desamparados, os judeus eram os mais desamparados, apanhavam por todos os lados. Os barões só os toleravam porque os judeus eram, para variar, os principais banqueiros da Europa, ocupando o vácuo deixado pelos Templários.

Sempre fazendo a necessária confissão histórica, é mister lembrar que muitos príncipes católicos foram perseguidores de judeus. Mas essa nunca foi regra geral da Santa Igreja, pois é cultivada por nós a esperança de que, no Final dos Tempos, os judeus se converterão em massa. Pela aliança dos Patriarcas, destarte, serão salvos na confirmação da Nova e Eterna Aliança (ver Romanos 11,26-27). É do cristianismo real as características da perseverança e da paciência. Já de Lutero...

"IRMÃOS DE NOSSO SENHOR"

Empolgadão com umas puxadas de saco que recebeu das comunidades judaicas do Império, Lutero escreveu um livreto chamado "Jesus Cristo Nasceu judeu"Como não poderia deixar de ser, vou transcrever literalmente a seguir as palavras do monge maluco:

"Pois os nossos papas dementes, bispos, sofistas e monges, grandes cabeças de asnos, até agora se comportaram de tal forma com os judeus, que quem tem sido bom cristão, gostará de ser judeu. Tratam os judeus como se fossem cães e não homens, roubaram-lhes os seus bens... e no entanto são parentes de sangue, primos e irmãos de Nosso Senhor... pertencem muito mais a Jesus Cristo do que a nós. Portanto, peço a meus caros papistas que me chamem de judeu, quando se cansarem de chamar de herege...  Enquanto usarmos de violência e mentiras, e continuarmos acusando-os de empregar sangue cristão para eliminar os seus fedores, e não sei quantas idiotices mais, enquanto os impedirmos de viver e trabalhar entre nós, em nossas coletividades, e os abrigarmos a praticar a usura, como eles podem se juntar a nós?"

- Lutero. "Jesus Cristo nasceu judeu", 1523

Ah, que coisa linda, não acham? Que idílio poético de paz e cristianismo! Isso atraiu os judeus (e sua grana) para a causa luterana como abelhas são atraídas por mel. Salutar é relembrar que a estratégia dos revolucionários, em geral, deve muito a este senhor perturbado - por exemplo, o costume de dizer uma coisa aqui e agora e desdizer tudo em um momento futuro.

"POVO MALDITO"

Passaram-se vinte anos entre o panfleto "Jesus nasceu judeu" e um outro chamado "Dos judeus e suas mentiras". Neste novo trabalho, Lutero inicia demonstrando todo seu santo e fofo amor pelos judeus:

"Havia me proposto a não escrever mais sobre ou contra os judeus

mas como soube que esses infelizes não param com as tentativas de aliciar a nós, cristãos, para o seu campo

resolvi publicar esse pequeno livro

para figurar como testemunho entre aqueles que resistiram e alertaram os cristãos

contra este venenoso propósito dos judeus, jamais pensei que um cristão pudesse se deixar enganar ao ponto de praticar o que os judeus praticam

mas o demônio é o senhor do mundo que faz o que quer

lá onde não está a palavra de Deus

não só com os fracos

mas também com os fortes

que Deus nos ajude.

Amém."

- Lutero. "Dos judeus e suas mentiras", 1543

E isso é só o começo. O texto continua a associar os judeus um grande número de adjetivos pouco lisonjeiros; se antes Lutero os tratava como "parentes de sangue de Nosso Senhor", agora os chama de "palermas orgulhosos", "povo maldito e obstinado". E ainda incita o povo alemão a incendiar as sinagogas.

O que faz um homem mudar de posição tão radicalmente assim? Baixou o Raul Seixas no sujeito, a síndrome de "metamorfose ambulante"? Realmente, quem considera esse tipo de coisa normal? O nome ideal a ser aplicado aqui para explicar as diferenças entre o primeiro texto e o segundo é a FRUSTRAÇÃO. O monge maluco criou uma expectativa enorme sobre si mesmo (soberba?) e viu-se como o responsável por concluir, vejam só, o trabalho de Jesus e São Paulo: a conversão dos judeus. Não tendo alcançado seus objetivos, chutou o pau da barraca e avacalhou.

Por trás do discurso aparentemente tolerante do primeiro texto, escondia-se já o Lutero antissemita do segundo texto. A conversão dos judeus, enfim, só era importante para ele mesmo se provar como bom pregador e ungido do Senhor. "...vaidade das vaidades! Tudo é vaidade" (Eclesiastes 1,2).

No final das contas, a prosperidade judaica feria de morte o orgulho de Lutero. Uma breve explicação para quem não entendeu: Lutero demonstrou-se preocupado com o fato de cristãos estarem imitando e utilizando-se de aspectos do modo de vida judeu. Por quê? Simples, porque no meio do miserê daquele fim de mundo que era a Alemanha da época, os judeus prosperavam economicamente. A sua inveja se evidencia nestes termos:

"Os judeus, por certo, nada deviam ter, porque é tudo nosso. Como não trabalham, a nada têm direito, muito menos que os paguemos com nosso dinheiro. No entanto, eles têm nosso dinheiro e nossos bens, e apesar de estrangeiros, são donos em nossa terra. "

Essa mesma desculpa foi utilizada pelos nazistas. Esses e muitos outros textos de Lutero - todos de fácil acesso - estão à disposição para o buscador da verdade em Cristo.

No próximo post desta série: o casamento de Lutero. Que a paz do Senhor esteja sempre convosco!

Fontes:

DAVIES, Michael. El Ordo Divino de Cranmer. Ed. Espanhola, 1994.

FITZER, Gottfried. O Que Lutero Realmente Disse. Civilização Brasileira, 1968.

JORGE, Fernando. Lutero e a Igreja do Pecado. Ed. Mercuryo, 1992.

LUTERO, Martinho. Dos Judeus e Suas Mentiras. Ed. Revisão, Porto Alegre. 1990.

3308 Terça, 27 Dezembro 2016 19:51

Comentários   

0 # ERALDO ANTÔNIO SILVA 16-06-2017 11:56
Prezado Sr. Paulo Ricardo, bom dia.
Gostaria que o Sr. me informasse se o que foi publicado no canal do youtube SaoMiguel Arcanjo sob o título "A FACE OCULTA DE LUTERO (O QUE OS PROTESTANTES NÃO DIZEM)" é verdade, e quais as fontes bibliográficas.
Grato pela atenção.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Celso 04-03-2017 22:14
Não sei se alguém comentou acima, pois, vários comentários longos, não me fizeram ficar atentos. Li sobre comemorações da reforma protestante em conjunto, Igreja Católica e Luterana. Há algo para comemorar por parte da Igreja Católica?
Perdão pela ignorância, mas, acho que é forçar a barra para uma união.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Pedro Strabelli 05-03-2017 02:17
Comemoração eu não sei dizer porque não vi nenhuma. O papa participou de um evento na Suécia. Antes que alguém diga que anda inventando essas coisas, a Igreja Católica em conjunto com a Luterana haviam emitido um documento conjunto há muito tempo, bem antes de Francisco, que a separação foi fruto do pecado, tanto de um lado quanto do outro. Isso deve ser visto como um gesto de aproximação. A Europa quase não tem cristãos, e tudo que tanto ateus quanto outras religiões precisam é que os raros cristãos que sobraram é ficar brigando entre si, para o continente mudar de religião mais rápido.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alice Criff 22-08-2016 19:19
como já disse antes, estou amando estes pousts. muito esclarecedor para nós católicos ensinados por professores laicos, que pintam a Igreja Católica como a maior vilã da história. estudei em um colégio católico, mas aprendi muito mais sobre as supostas atrocidades da inquizição, do que qualquer erro de Lutero, e lendo, tanto na wikipédia, quanto neste site, descobri que de todos os seus erros, o anti semitismo foi o que mais refletiu no século Xx, dando ao nazismo as bases necessárias para o olocalsto, que vitimou, não só judeus, mas também siganos, homossexuais, deficientes, maçons, testemunhas de Jeová, e todos aqueles que, nas mentes doentias dos nazistas, não mereciam viver. Só discordei daqueles pousts que compararam Lutero a Lula. que eu saiba, ele promoveu a integração do Brasil inclusive com a África, e o discurso de ódio tem sido sim, sido propagado pela elite, e não por ele. Mas, não vim aqui para discutir política, e sim, para aprender um pouco mais sobre a minha amada religião Católica. Parabéns pelo poust Paz e Bem.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Fernanda Lemos 10-11-2015 19:58
Sinto muito,mas nesse caso vou defender Lutero, os Judeus foram os principais inimigos do cristianismo.Os judeus e a maçonaria estavam ligados pra derrubar a monarquia e destruir papado.Podemos ver isso nos livros de gustavo Barroso, onde ele desmascara todo complô contra a igreja católica. Vou colocar aqui algumas coisas interessantes desse livro: Judeus contrabandistas em Minas Gerais Tiradentes trás instrução da maçonaria judaica para os "patriotas" de Minas para abrir caminho para a Republica e derrubar a monarquia do Brasil. Maçonaria judaica por trás da revolução francesa pra derrubar a monarquia e o papado. Maiores escravagistas de índios x africanos eram judeus (cristãos novos ou judeus mesmo,ou portugueses judaizantes) Marquês de Pombal era iluminista maçom protetor dos judeus e expulsa os jesuítas do Brasil Negócio lucrativo:tráfico negreiro O espirito judaico triunfou com o protestantismo Segundo o espirito judaico x protestante (os bens materiais) é o dom de Deus. Os templários foram culpados por traírem a fé católica e aderir a maçonaria judaica. Protestantismo é Judaísmo OLIVER CROMWELL inimigo do catolicismo era protetor dos judeus. Pirataria protestante insuflada pelo judaísmo contra os reinos católicos (Portugal x Espanha)por isso os Judeus foram expulsos da Europa.(NÃO eram SANTOS) A Revolução russa que massacrou os romanov (imperador da Rússia e sua família) os Bolcheviques eram judeus. Foi um judeu que mandou matar o imperador. Os cátaros era uma seita gnóstica baseada na cabala judaica e deram origem na Franco-maçonaria da França. Os cátaros eram do sul da França. Revolução francesa que o diga! Judeus atacaram os Bandeirantes (Paulistas)por causa de ouro. A inquisição em 1581 condenou 2 padres portugueses (praticantes de judaísmo)Frei Alvaro Rodrigues e Antonio Osório da fonseca. Judeus contrabandistas de ouro e prata com o Peru. Fora outros católicos judaizantes. Conclusão do livro:(Maçonaria judaica=cátaros=reforma=republica=direita x esquerda=comunismo=capitalismo=todos inimigos da fé católica.E claro,o ISLAMISMO também é citado no livro. Eu acho que é por isso que Lutero mudou de ideia sobre os judeus. Os judeus que criaram o museu da inquisição em minas NÃO CONTAM ESSA HISTÓRIA PARA O PÚBLICO,PELO CONTRÁRIO DESCEM A LENHA NA IGREJA. Se vcs quiserem podem ler o livro aqui nesse site: ebrael.info/documentos/...a-historia-secreta-do-br asil-por-gustavo-barro A INGLATERRA desde a época dos TUDOR tinha apoio de judeu pra destruir o catolicismo e reinos católicos. Não é a toa que OLIVER CROMWELL era descendente de TOMAS CROMWELL, o mesmo que dava conselhos pra Henrique VIII LARGAR Catarina de Aragão pra ficar com prostituta Ana Bolena (Protestante
Responder | Responder com citação | Citar
-1 # LENIVAN 23-11-2015 21:35
Querida,cê só postou teoria da conspiração anti-semita. Estude a história e verás que a coisa não é nada disso que cê tá dizendo aí. Nós Judeus nunca que quisermos derrubar o papado ou as monarquias romanas,mas,em momentos da era comum estes quiseram nos destruir,a nossa fé,nossa cultura e a tradição de nosso povo. Estude,e verás também que a maçonaria não tem nada a vê com judaísmo,pois é uma ceita iluminista.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Albari 27-09-2015 23:05
Seria mais uma sugestão para elaborar um post sobre Anti Semitismo, sionistas . . . Estou retornando aos meus estudos no seminário e gostaria de me aprofundar melhor nestas questões, Grato!!!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alisson Celestino 03-09-2015 17:27
Salve Maria! Gostaria de tirar uma dúvida, como se deu a morte de Lutero? Em alguns sites informam que ele se suicidou e em outros que morreu de morte natural como no site veritatis splendor http://www.veritatis.com.br/inicio/espaco-leitor/5453-como-lutero-morreu Agradeço a atenção, Deus os abençoe sempre neste trabalho de evangelização, vocês já me ensinaram muito neste ano em que venho acompanhado o site.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 05-09-2015 15:48
Alisson, o Paulo Ricardo, que é historiador e membro do nosso blog, está se preparando para uma longa viagem, por isso está sem tempo para se dedicar às dúvidas dos leitores. Até onde sei, Lutero se suicidou, sim. Mas isso veremos melhor quando o Paulo publicar aqui no blog o post final da série sobre Lutero. Salve Maria!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Augusto Paiva 21-07-2015 02:14
Andei refletindo sobre a questão da fé e das obras, mais uma vez, e concluo, de novo: o justo viverá pela fé (Rm 1,17). É o que lhe falta, a fé. Bem-aventurado os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos céus (Mt 5,10). Filhinhos, ninguém vos seduza: aquele que pratica a justiça é justo, como também Jesus é justo (1Jo 3,7). A fé é primordial, ela vem pelo ouvir (Rm 10,17), remove montanhas (Mt 17,29/ Mc 11,23) e salva (Mc 5,34/ Lc 17,19). Porque os que ouvem a lei não são justos diante de Deus, mas os que praticam a lei hão de ser justificados (Rm 2,13). Abel foi justo (Hb 11,4/ Mt 23,35). A fé é tudo e a Deus nenhuma coisa é impossível (Lc 137). E Cristo quer que tenhamos o que nos falta, a fé (Mt 8,26; 14,31). Mas mesmo se tivéssemos toda fé, a ponto de transportar montanhas, se não tivermos caridade, não somos nada (1Cor 13,2). Aquele que souber fazer o bem, e não o faz, peca (Tg 4,17). O justo sofre, enquanto que o ímpio prospera em seus pecados e prevaricações. Faz lembrar o ''Ao Desconcerto do Mundo'' camoniano. Mas não invejemos o homem violento, nem adotemos nenhum de seu procedimento, porque o Senhor detesta o que procede mal, mas reserva a sua intimidade para os retos (Pv 3,31-32). As meretrizes e os publicanos creram que o batismo de João Batista vinha do céu (Mt 21,25-46), e na segunda carta de são Pedro, capítulo dois, também vemos que até os anjos respeitam, ao contrários dos audaciosos, arrogantes, [que] não temem falar injuriosamente das glórias, embora os anjos, superiores em força e poder, não pronunciem contra elas, aos olhos do Senhor, o julgamento injurioso. Até os demônios crêem em Deus, e estremecem (Tg 2,19). Mas ai daquele que maldiz o seu Santo nome (Gl 6,7) e os habitantes do céu (Ap 13,6). É claro que não estamos anulando a graça, muito pelo contrário. As misericórdias de Deus suplantam os juízos (Lm 3,22,23), e Deus é amor (1Jo 4,8), mas não podemos abusar da graça divina (Rm 6,15-18), não podemos nos igualarmos à porca lavada que torna ao lamaçal (2Pe 2,22), pois assim é o justo que parte da justiça à injustiça (Sir 26,25-27). Temos que ser fiéis até o fim, perseverando, como manda o Nosso Senhor Jesus Cristo (Mt 10,22/ Mt 24-13/ Mc 13,13), então receberemos a coroa da vida (Ap 2,10). Com efeito, diz o Catecismo da Santa Igreja, no parágrafo 424: ''Movidos pela Graça do Espírito Santo e atraídos pelo Pai, nós cremos e confessamos a respeito de Jeus: ''Tu és o Cristo, o filho do Deus vivo (Mt 16,16). Foi sobre o rochedo desta fé, confessada por Pedro, que Cristo edificou a sua Igreja.'' Creio de todo o meu coração e entendimento. Creio, e temo! Muito é o meu pecar, mas eu espero em vosso amor (1Jo 4,8) de me salvar. Que Deus Pai Todo-Poderoso tenha misericórdia de nós pecadores. Ó meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno. Levai as almas todas para o céu, e socorrei principalmente as que mais precisam. Amém! A Paz do Nosso Senhor Jesus Cristo!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Izabella 10-09-2015 06:41
O ''somente a fé (Sola Fide)'' na Bíblia: ''Vedes como o homem é justificado pelas obras E NÃO SOMENTE PELA FÉ?'' (Tiago 2,24)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei. 16-07-2015 21:15
Como é que é, Lutero escreveu um obra que Hitler serviu dela para dar fim aos judeus, e ainda diz que isto era uma bobagem?. Será que li direito, ou to ficando doido. O pessoal do catequista, ajuda aí meu!. "Fato é que Lutero, inspirado pelo Espírito Santo, defendia a justificação do pecador, pela graça de Deus, mediante a fé em Cristo, revelada no Evangelho; em oposição ao “quando a moeda no cofre tilintar, a alma do purgatório sairá”. E será que pelo mesmo ESPIRITO SANTO, defendeu o massacre dos anabatistas e escreveu o "Contra os judeus", mandando ferro aos judeus, sem dó e nem piedade. Falam que os papas eram algoses e até a besta do apocalipse, pelos erros da inquisição, cuzadas e a fins, mas quando tocam nas feridas do senhor Lutero, é apenas bobagens, porque o que importa, é que ele inspirado pelo Espírito Santos, defendeu a justificação do pecador pela graça de Deus mediante a fé em Cristo, só esqueceu de dizer, que após a justificação pela fé em Cristo, este pecador deve abandonar o pecado, levar uma vida de santidade, e se enriquecer com boas obras, pois as boas obras também fazem parte da nossa salvação, haja vista que uma fé sem obras é morta. E quanto a moeda no cofre tilintar, a alma do purgatório sairá, bem, para quem haja que apoiar o massacre de revoltosos anabatistas, e um obras que colocam o judeus no chinelo é só uma bobagem, imagino que a tal moeda no cofre seria também uma bobagem insignificante que nem renderia comentário algum, mas mesmo assim digo, uma frase idiota de um frei estupido dirigido as pessoas simples, deveria ser corrigida e mereceria uma repressão, mas não fazer disto, um cisma que levou a Igreja a uma ruptura, o qual nos dias de hoje, o cristianismo mais parece uma colcha de retalhos, um espelho estilhaçado, uma verdadeira torre de babel, e só JESUS mesmo para reparar isto tudo na sua volta, porque do jeito que está, tá como o diabo gosta.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Augusto Paiva 16-07-2015 23:06
Eu lá ia responder. Lutero foi inspirado, mas não por Deus. E foi manietado pelos interesses dos príncipes. Lutero, após adulterar as Sagradas Escrituras em Romanos 1,17, onde se diz “o justo viverá pela fé”, diz aos seus seguidores: ''Se um papista lhe questionar sobre a palavra ‘somente’ (''allein'' em alemão, grifo meu), diga-lhe isto: papistas e excrementos são a mesma coisa. Quem não aceitar a minha tradução, que se vá. O demônio agradecerá por esta censura sem minha permissão.” É a heresia do Sola Fide e Sola Gratia (''allein durch Glauben'' em alemão). O Sola Fide é um pretexto para o Sola F*** (perdoem-me por mencionar assim indecorosamente, mas o pretexto dessa heresia é viver indecorosamente), tanto que Lutero, o assassino de camponeses, que não conseguia compreender a caridade católica (Mt 15,34-36), disse para ser pecador e pecar fortemente e crer mais fortemente ainda; e se o diabo desse de beber, que se bebesse, mas em nome de Jesus. Bebe tu mesmo o teu veneno, satanás! Também está escrito: Não tentarás o Senhor teu Deus (Dt 6,16, Mt 4,7/ Lc 4,12)! Mas colocando na balança (Pv 16,11), a Bíblia diz que o justo viverá pela fé, mas ora!, alguém, para ser justo, e protestantes adoram repetir que não há um justo sequer (Rm 13,11-23/ Sl 51,5/ Ecl 7,20/ Rm 5,12/ Hb 9,28) - mas Cristo é justo e nascido sem pecado (Hb 4,15/ 2 Pe 1,18-19) -, não crendo destarte na santidade do homem perante Deus, que nos manda santificar-nos (v 19,2/ Mt 5,48), tem de guardar e seguir os mandamentos, como ordenou Jesus ao jovem rico (Mt 19,17-18/ Mc 10,17-19/ Lc 18,18-20). E também como foi dito: ''Jesus, porém, respondendo, disse-lhe: Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça. Então ele o permitiu. (Mt 3,15)''. Se o justo viverá pela fé, é o que lhe falta, a fé, pois isso significa que ele, para ser justo, deve andar conforme o mandamento, ora. É simples assim! O justo é senão aquele que teme a Deus (Pv 9,10) e cumpre os mandamentos. Há muitos justos na Bíblia, como foi Noé, Jó e tantos mais. Romanos 6,15-18 diz: ''Então? Havemos de pecar, pelo fato de não estarmos sob a lei, mas sob a graça? De modo algum. Não sabeis que, quando vos ofereceis a alguém para lhe obedecer, sois escravos daquele a quem obedeceis, quer seja do pecado para a morte, quer da obediência para a justiça? Graças a Deus, porém, que, depois de terdes sido escravos do pecado, OBEDECESTES DE CORAÇÃO À REGRA DA DOUTRINA NA QUAL TENDES SIDO INSTRUÍDOS. E, libertados do pecado, vos tornastes servos da justiça.'' Mas o protestantismo é tempestade em copo d’água, e quem semeia vento colhe tempestade (Pv 22,8). Com todo o seu racionalismo ainda é irracional. O protestantismo, relativista, foi a ante-sala para a apostasia e ateísmo. E é algo categórico: a fé sem obras é morta (Tg 2,14-17)! Cristo, Nosso Senhor, disse, reverberando contra os fariseus, que até os publicanos e as meretrizes creram que o batismo de João Batista vinha de Deus, e não dos homens, ao contrário dos fariseus que deliberavam para não criar-se confusão entre o povo que cria em João Batista (Mt 21,25-46). E os demônios também crêem em Deus, e estremecem (Tg 2,19). Mas os protestantes, por exemplo, não crêem na Santa Eucaristia (Mt 26,26-29/ Lc 22,17-20/ Jo 6,32-35/ 1 Cor 11,24-34). As penitências e as obras podem abrandar os nossos pecados, como especificam as Sagradas Escrituras, e perdoando-nos uns aos outros é que somos perdoados (Mt 6,12/ Mt 18,21-22/ Ef 4,32/ Cl 3,13/ Tg 5,16), como garantem também as Sagradas Escrituras. A meretriz Raabe foi justificada pelas obras, assim como o pai Abraão (Tg 2,21-26). Portanto, a fé sem obras é morta! A Bíblia diz ‘‘a cada um segundo as suas obras’’ (Rm 2,5-11/ 2 Cor 5,10, Ap 22,12), e não a ‘‘cada um segundo a sua fé’’! A fé é importante, ela vem pelo ouvir (Rm 10,17), e Cristo é a expiação pelos nosso pecados (1 Jo 2,1-7), mas tem que ter obras. Os protestantes protestam (sic) contra os dogmas da Santa Igreja – que estão sim de pleno acordo com a Bíblia –, mas eles são relativistas e usam as Escrituras como um advogado usa o Código Penal, procurando brecha para se dar bem [1]. Eles é que são os anti-bíblicos por negligenciarem essas verdades, os sacramentos da eucaristia, a confissão, a hierarquia eclesiástica etc. O protestantismo é parasita da Santa Igreja Católica. Protestantismo nada mais é que doutrina de homens (Jr 17,5-8), doutrinas da perdição (2 Pe 2,1-22). A Igreja Católica representa a videira de Cristo (Mt 16,18/ Lc 10,16/ Ef 4,4-6/ 1 Tm 3,15/ Jo 15,5-7); o protestantismo os ramos que caem e secam (1 Jo 2,17). Sola Fide, Sola Gratia, Sola Scriptura, não passam de aberrações heréticas. O protestantismo, em querer esvaziar os dogmas, virou uma anarquia: cada um passou a ser o sacerdote de si mesmo e salvação virou algo individual, o que fez nascer tantos ''desigrejados'' - que, em estando fora da fogueira, são brasa que esfria. O malfadado liberalismo teológico nasceu do protestantismo (um abismo chama o outro), cujas ''igrejas’’, para não dizer seitas malditas, já foram prevalecidas pelas portas do inferno, abençoando em nome de não sem quem (só se for do diabo) uniões homossexuais – igrejas protestantes ditas reformadas e tradicionais! M. Scherer, o diretor de uma escola protestante na França, escreveu em 1844, o que observava em sua igreja reformada: “A Igreja Reformada é a ruína de toda verdade, a fraqueza da divisão infinita, a dispersão dos rebanhos, anarquia eclesiástica, Socinianismo envergonhado de si mesmo, Racionalismo revestido como uma pílula, sem doutrina, sem consistência. Essa Igreja, privada tanto do seu caráter coletivo quanto do dogmático, de sua forma e de sua doutrina, privada de tudo que a constituía uma Igreja Cristã, na verdade cessou de existir nas fileiras das comunidades religiosas. Seu nome continua, mas representa apenas um cadáver, um fantasma, ou, se assim o quiserem, a memória de uma esperança. Por falta de autoridade dogmática, a descrença conquistou três quartos de nossos alunos.” [2] Mas a Santa Igreja Católica, que nunca e por nada nesse mundo se desvencilhará de seus dogmas de fé, é que é a igreja apóstata, né?, segundo dizem os protestantes. As portas do inferno não prevalecerão contra a Igreja Católica (Mt 16,18)! As hostes do maligno pelejam, mas não prevalecerão! Não! Viva Cristo Rei! P.S.: “É necessário portanto aceitar o paradoxo, que já Santo Inácio de Loyola formulava nos seguintes termos: ‘Orar como se tudo dependesse de Deus e trabalhar como se tudo dependesse de nós‘. Santo Agostinho remata esta reflexão ao exortar: ‘Que o pecador se condoa do seu pecado, e se alegre por se condoer’. Quem experimenta a dor de ser pecador (grande ou pequeno pecador) já está sendo movido pela graça. Alegre-se, pois, e continue teimando na procura da santidade, pois procurar a perfeição já é perfeição, como diz São Bernardo.” [3] A Paz do Nosso Senhor Jesus Cristo! ____________________ [1] “Onde está escrito na Bíblia…?” – Eis uma pergunta essencialmente anti-bíblica'', O Catequista. [2] M. Scherer, L’ Etat Actual de L’Église Reformée en France. [3] “Quando sou fraco, então é que sou forte” – como assim?'', O Catequista.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Juliana 14-07-2015 13:07
Moça, você está querendo ensinar ao Papa o que ele deve dizer? É isso? Marrapaiz... Muita gente morreu também porque foi taxada injustamente de comunista por essas ditaduras militares maçônicas de direita. O padre americano Stanley Rother, por exemplo, assassinado na Guatemala. Creio que a intenção de Pe. Luis Espinal foi essa. As pessoas reclamam que as novelas são imorais, mas não reparam que o noticiário é a continuação da novela. E nada deixa a desejar em termos de ficção.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Juliana 14-07-2015 12:52
Alguns judeus dizem que se o Papa Paulo IV não tivesse criado o gueto de Roma, é muito provável que a comunidade de lá não tivesse sobrevivido. Acabou virando um refúgio que protegeu a cultura singular dos judeus romanos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Anita 12-07-2015 19:47
Eu gostaria muito que vocês falassem do quiproquó do crucifixo comunista (Cristo pregado sobre a foice e o martelo) que Evo Morales deu ao papa e que tem indignado meio mundo católico. Como cristã sempre defendi bravamente qualquer papa, inclusive Francisco, por óbvias razões: nossa doutrina diz claramente que seu poder é plenipotenciário englobando fé, moral e disciplina canônica. E quem não acolhe o ministério petrino que assuma sua rejeição ao catolicismo como tal, pois o serviço do sucessor de Pedro é parte essencial da fé católica, que não é apenas uma escolha , mas uma escolha diante de um dom cujas feições e conteúdo já vem prontos, revelados (e pelo próprio Deus segundo nossa fé) e não são fabricados por mim. E sei também - isso é claro no direito canônico - que toda discordância deve ser manifesta em tom filial e respeitoso. E a maneira hostil de mostrar discordância se torna particularmente grave em um veículo de comunicação, dado ao risco de se passar a impressão de que se está se rejeitando o ministério papal como tal. Mas não me atreverei a julgar até que ponto o clamor imenso que percorreu o mundo devido a esse caso do crucifixo comunista de Morales foi desrespeitoso. Há estilos de fala variados, e alguns santos (como São Paulo e Santa Catarina de Sena) foram bem duros em suas palavras críticas aos papas de seu tempo. Nenhuma crítica feita a este papa, tinha me convencido até hoje, pois sempre busquei estudar mais a fundo o valor e o sentido dos seus posicionamentos, sobretudo daqueles mais criticados, a meu ver injustamente na maior parte das vezes. A única apreensão que eu tinha era a presença de movimentos marxistas nesses encontros internacionais de movimentos populares com forte presença do Vaticano, de sua comissão justiça e paz e do próprio papa. Certo, se a igreja quer dialogar com e apoiar as , iniciativas populares que visam melhorar a sorte dos mais pobres, buscando mais justiça e solidariedade em relação a eles, ela vai topar com iniciativas populares que carregam menor ou maior influência da ideologia marxista, com maior ou menor, ou nenhuma até, consciência de seus membros acerca dessa influência. E selecionar convidados a esses encontros com base na presença dessa influência é algo quase impossível , pois como por osmose , a maioria de nós de um modo ou outro foi influenciado pela onipresente cultura marxista que tem dominado desde há mais de 50 anos, o ambiente acadêmico, televisivo, artístico, politico, etc., até por causa da estratégia de manipulação psicológica proposta por Gramsci. Minha preocupação é que não haja nessa interlocução uma clara comunicação da igreja que diga o óbvio: o marxismo nada tem a ver com maior justiça e solidariedade ao pobre (pelo menos não onde ele se torna poder) mas tem a ver com seu exato oposto: miséria e opressão dos mais pobres, muito maior do que aquelas que ele se ufanava de combater. E mesmo os eventuais benefícios sociais que ele consegue realizar no caminho rumo ao poder, perdem valor , já que são degraus rumo à uma meta que fatalmente prejudica os mais pobres. E os poderes marxistas latino-americanos atuais, todos eles, visam confessadamente (via Foro de São Paulo e isso eles documentaram com precisão) um etapa final socialista e basta ver a Venezuela, para ver quão adiantado anda isso. Isso é tanto lógica interna do comunismo (como estudos econômicos e filosóficos já mostravam antes do seu fracasso histórico) como história já fartamente documentada. E não tenho a menor dúvida de que o Papa Francisco sabe disso pois isso é um juízo claro da igreja como tal acerca do socialismo e ele próprio já verbalizou várias vezes esse juízo. Creio que deveria verbalizar isso ainda mais claramente na interlocução com os movimentos populares, uma vez que muitos estão encharcados da ilusão marxista. Que não aconteça de o papa e com ele a igreja ,estarem impulsionando o crescimento do marxismo, o que seria altíssima traição aos pobres e suas necessidades. Todavia, rejeitar o marxismo claramente não significa apoiar automática e irrestritamente o capitalismo sem qualquer distância crítica. Isso ninguém deve esperar de nenhum papa e a igreja tem uma já sesquicentenária tradição de Doutrina Social - que por sua vez bebe em milenar ensinamento ético-moral - que sempre foi um aguilhão muito incômodo tanto ao capitalismo como ao comunismo. Por isso há que se ver, com muita honestidade, até que ponto muitas reações às falas do papa, não são defesas diante de reais questões morais que o capitalismo (não em si mesmo, como técnica, como modo de organização econômica) pode concretamente colocar perante nossa consciência. Uma canonização na qual o papa está empenhado, certamente tornará claro para muita gente, o que é essa posição da igreja, anticomunista sempre, mas não essencialmente anticapitalista sem deixar de ser profecia e juízo critico sobre as mazelas que o capitalismo pode oportunizar a depender do modo como o manejamos. Sim, "pobres cada vez mais pobres à custa de ricos cada vez mais ricos" não é apenas uma expressão de Francisco, João Paulo II disse exatamente essas palavras quando visitou o Brasil. E no interior do capitalismo isso pode ocorrer sim: o trabalho escravo ou um salário mísero pode ser sim um meio de se enriquecer às custas da pobreza do outro e até da doença e morte do outro. Quantos perderam a saúde e a vida em trabalhos insalubres e inseguros? Portanto, se não se pode afirmar que o capitalismo essencialmente - em todo tempo e lugar - seja essa exploração de uns que enriquece outros, também não se pode negar que isso concretamente ocorreu dentro dele, em vários casos. Bem como não se pode negar que ele mesmo - o capitalismo - corrigiu e pode corrigir esses males em várias situações. E a canonização na qual tem se empenhado o santo padre vai justamente mostrar isso, pois trata-se da canonização justamente de um capitalista, um homem do mercado , um empreendedor privado (isso deveria - se ele fosse honesto consigo - fazer um Stédile ou um Fachin rasgarem as vestes, indignados), portanto, um empreendedor que não hesitou lucrar menos em certas ocasiões, para que seus funcionários não se vissem da noite para o dia, na rua da amargura e da fome, sem deixar de ser um empresário, um empreendedor capitalista. O papa pode não ser lá muito hábil com as palavras gerando ambiguidades aqui e ali, mas essa canonização ao meu ver, vai dar a exata dimensão do que ele tenta comunicar ao mundo: somos sim anticomunistas, por óbvias razões racionais, lógicas e morais sobretudo (entre elas por uma autêntica solidariedade com o pobre), mas isso não nos coloca imediatamente no colo do capitalismo, assim como a ciência e a tecnologia não podem alegar uma neutralidade moral que historicamente nem sempre tiveram , também o capitalismo que é essencialmente de ordem organizacional, técnica (um jeito de lidar com a economia, ou melhor dizendo: a própria economia em si, pois outra economia jamais existiu- sequer sob o comunismo - senão a economia como tal, ou seja : o capitalismo, que não é uma ideologia como o socialismo, mas que certamente não é moralmente asséptico e neutro, como nenhuma realidade humana o é e a defesa dos seus aspectos negativos pode sim constituir-se em ideologia também. ) Quando um crítico competentíssimo do comunismo, como Olavo de Carvalho, fala abertamente de "aspectos diabólicos do capitalismo" claro está que há muito lugar para juízo moral acerca dele e de profecia e denúncia. Creio que o papa ocupa exatamente este lugar, continuando a tradição da Doutrina Social da Igreja, que aliás é extremamente desconhecida, sobretudo no seu aspecto de dupla crítica e duplo aguilhão na carne do comunismo e do capitalismo. E muitas das reações às falas sociais do papa revelam simplesmente isso: ignorância pura e simples da DOUTRINA SOCIAL DA IGREJA. Daí também o visível desconforto do papa diante do "presente" de grego do patético Evo. E aquilo foi claramente uma armadilha muito bem planejada. Eu não sei se os elogios do papa, um dia antes me parece, ao padre boliviano assassinado por seu empenho com os pobres, basearam-se em opinião própria, ou em dados fornecidos por assessores da visita (e não seria a primeira vez que um papa cairia em armadilhas do tipo, João Paulo II caiu e Bento 16 também caiu em armadilhas de assessores) , mas isso deve ser levado em conta , nesse triste episódio: o papa havia elogiado recentemente o falecido padre, com fama de mártir, que era afinal - ele não o sabia - o autor da macabra escultura, que pouco depois Evo lhe deu, publicamente. Ou seja: como você rejeita uma obra de "arte" feita por um cara que você acabou de engrandecer??? Evidentemente que não vou me colocar no lugar do papa, dizendo o que eu faria no lugar dele, pois ele lá sabe a força do cargo, as questões diplomáticas e tudo o mais que eu sequer posso pesar e medir do meu lugar. Mas com certeza esse foi o pior episódio de todos em seu pontificado e com enorme potencial para faze-lo repensar a sério sua comunicação, em alguns aspectos. Os outros quiproquós ao meu ver são todos explicáveis e plausíveis, se adotamos outros ângulos (mais profundos e justos) de análise. Mas este comprometeu enormemente a mensagem da igreja. Bergóglio tem revelado um carisma de comunicação pública apenas agora como papa. Como arcebispo seu forte sempre foi o contato interpessoal e ele mesmo o admite. Mas em minha modesta opinião ele poderia ter se safado muito bem dessa armadilha maldosa do Evo: Em alguns dos próximos discursos, ele poderia levar o crucifixo da foice e do martelo e dizer claramente: SIM, DE FATO ESTE SÍMBOLO É A MAIS PURA VERDADE, O COMUNISMO EFETIVAMENTE ASSASSINOU NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, TANTO AO PERSEGUIR A FÉ QUE ELE NOS DEIXOU, COMO AO CRUCIFICA-LO NA PESSOA DE DEZENAS DE MILHOES DE PESSOAS QUE FORAM E ESTAO SENDO SACRIFICADAS NO ALTAR DESSA IDEOLOGIA DESUMANA. Ainda há tempo de o papa fazer publicamente essa intepretação da "obra". Se alguém tiver poder de fazer chegar a ele , essa sugestão fico agradecida.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Augusto Paiva 11-07-2015 05:06
Martinho Lutero bipolar. Ele era claramente perturbado. Era um homem inconstante. Eu, assim como muitos católicos e sacerdotes dizem, acho os seus comentários ao Magnificat os mais belos, que nem mesmo até o mais devoto da Santíssima Virgem Maria comporia. São de encher os olhos. São um tanto únicos e incomparáveis, e o que é ainda mais curioso e especial é que Martinho Lutero é um ícone do protestantismo, que hoje despreza tanto a Santíssima Virgem Maria, Mãe do Nosso Senhor (Lc 1,43), tendo-a como uma mulher qualquer. Mas esse mesmo Lutero tão elogioso à Mãe de Jesus, chamando-a Mãe de Deus, escreveu coisas horríveis e blasfemas, até contra Deus, que foi chamado de estúpido. Ele disse também para pecar (o diabo tentador é quem nos propõe pecar). Era uma perturbação deveras demoníaca, tanto que o mesmo dizia dormir mais com o diabo do que com a sua esposa - e vide que esse homem casou-se com uma freira, o que é escandaloso!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Augusto Paiva 10-07-2015 23:54
Julius Streicher argumentou durante sua defesa no julgamento de Nuremberg que nunca havia dito nada sobre os judeus que Martinho Lutero não tivesse dito 400 anos antes. "Eu insisto na certeza de que, mais cedo ou mais tarde — uma vez que nós assumirmos o poder — o Cristianismo será superado e a igreja alemã estará sem um Papa e sem a Bíblia. E LUTERO, se ele pudesse estar conosco, NOS DARIA A SUA BÊNÇÃO." (Adolf Hitler, por N.H. Baynes, Hitler's Speeches, Oxford, 1942, página 369). Frase do pastor protestante nazista Friedrich Wieneke: “A paz só virá quando o último judeu se enforcar no último intestino do último vigário". Fonte: Report from Wieneke, “attacks on Pastors”, dated 9,1941 – (BA Koblens R 43 11/478ª, fiche 1, document 19). O cientista judeu Albert Einstein disse: “Só a Igreja Católica protestou contra o assalto hitlerista à liberdade”. Ver a carta encíclica do Papa Pio XI que condena o nazismo, “Mit Brennender Sorge”. E os luteranos reconheceram culpa com relação a Hitler.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Geraldo 11-07-2015 10:29
PTOTESTANTES = PR0MOTORES DE HITLER! Tão verdade o que disse que 99% dos pastores passaram para o lado de Hitler, muitos se tornaram agentes dele, a votação decisiva para eleição de Hitler se deu apenas nos estados protestantes alemães, mais populosos, e nos estados católicos na base de 23 - 26%, enquanto nos protestantes chegaram até a 68-75%! Ou seja: os "fiotes" relativistas de Lutero foram os eleitores de Hitler e responsaveis diretos por sua ascensão e peste que espalhou mundo afora! Aliás, as três pestes: nazismo, comunismo e fascismo são iguais na ideologia básica, filhos do mesmo pai de mãos e o trio é subsidiario da Alta Maçonaria!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo 10-07-2015 08:10
Faltou ao OCATEQUISTA nos mostrar que Lutero era o Lula-PT àquela época! Evidente que o partidão de Lula ainda não tinha oficialmente nascido - estava nos planos da futura CNBB - mas quando viesse à vida seria a reedição de Lutero! Porquê? Fácil: Como sabe viver tão somente do oportunismo, de conveniências e lutando uns contra os outros tentando tomar-lhe a faixa de mercado (seitas x seitas): um suposto inimigo, se aceitar ser "politicamente correto" passa a ser de imediato cumpañero (de trapaças)! No entanto, cuidado: nessa máfia não se podem cometer erros - que o público venha saber - tem que fazer o que quiser, mas não deixar rastros dos malfeitos; aí sim!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Carlos L 10-07-2015 12:49
Caraca kkk acabei de pensar nisso. Lutero = Lula Ambos posam de santo para a sociedade e seus seguidores compram esta idéia. Entretanto, seus ideais vão muito além daquilo que apregoam. Ideais estes apenas com fins particulares.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # wilson borges da silva 09-07-2015 18:40
O protestantismo, se edificou em terra onde so nasce ervas daninhas. Eis ai o exemplo das mais de 60.000 denominações, uma metástase cancerígena, que cresce em numero e muito longe de um cristianismo pautado, na sã doutrina. Tudo posso e tudo me convém. Coitado de Paulo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Julio Bacelar 09-07-2015 17:33
Pessoal, me perdoe pelo desvio de assunto. Mas queria partilhar com vcs a minha indignação contra esse mal chamado socialismo. O Presidente Evo Morales presenteando o nosso Pontífice com o símbolo do socialismo. Bastante sem noção http://blog.comshalom.org/carmadelio/46582-presidente-da-bolivia-constrange-o-papa-diante-do-mundo-com-presente-de-um-cristo-crucificado-sobre-foice-e-martelo-simbolo-do-comunismo
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 09-07-2015 18:19
Vi este vídeo. Coitado do Santo Padre, ficou até constrangido quando recebeu este presente de grego. Pior é que tem gente que acha que o Papa tinha que fazer o barraco no instante que recebeu o presente, tem gente que não mede as consequências caso o Papa rejeitasse o presente.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 09-07-2015 20:25
Exatamente, Sidnei. Um pai e uma mãe, por exemplo, às vezes podem sofrer humilhações no trabalho por parte de seus superiores, mas não mandam o chefe pra aquele lugar por que pensam no sustento de suas crianças. Da mesma forma, imagino que o Papa Francisco tenha desejado muito enquadrar o Evo, mas engoliu seco - se limitou a dizer "No está bien eso", com uma cara ruim. Mas se fosse mais enfático, talvez isso trouxesse sofrimento e opressão aos católicos na Bolívia. O Papa pensou em seus filhos. Afinal, Evo já declarou sem o menor pudor, em outra ocasião, que a Igreja Católica deveria ser banida da Bolívia.
Responder | Responder com citação | Citar
-1 # Sidnei 10-07-2015 09:10
Por isto mesmo Vivi, tem gente que não passa pela cabeça a situação da Igreja na Bolívia, corre perigo. Enquanto Evo Morales continuar no poder, a Igreja terá que engolir a seco as afrontas deste sujeito para que não aconteça coisa pior. Muitos acham que o Papa por ser Papa tem todo o poder no mundo para dar de frente em quem ele quiser, mas as coisas não são bem assim. Por isto muitos não entendem, ou não querem entender, que em certas ocasiões é bom o Papa ser moderado para não deflagrar algo pior, e assim se entenderá o porque Pio XII não bateu de frente com Hitler, que o Papa João Paulo II não bateu de frente com inúmeros governos comunistas e até islamitas, quando ao invés disto, beijou um alcorão e desta vez este gesto do Papa Francisco em aceitar este presente provocador de Evo Morales e até mesmo não bater de frente com o EI. O Papa Bento XVI só porque escorregou em seu discurso ao citar um imperador bizantino que disse que o islamismo só trouxe guerras e mortes, já foi o maior aué, em que até mortes ocorreram, imaginem se os Papas que fossem bater de frente com loucos feito Hitler, e comunas como Evo, se a coisa iria ficar mais feia ainda. Acusam o Papa de frouxidão, mas se o Papa fosse mais duro, e as consequências fossem terríveis, aí acusariam de insensato e provocador de guerras e contentas, pois enquanto o povo católico morreria nas perseguições ele estaria no Vaticano numa boa. Quem quer criticar o Papa e a Igreja, qualquer pau serve.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alisson Celestino 15-07-2015 14:55
O pior irmãos é ver pessoas que se dizem católicas e propagam no facebook notícias de que o Papa Francisco é o anticristo, baseado em algumas aparições de Nossa Senhora e o nome da página é "Doutrina Social da Igreja" no facebook eu ainda comentei, mas ele acha que estou iludido pela humildade de francisco, pode isso arnaldo? Deus abençoe a todos que podem estar sendo iludidos por essa história, vejam: https://m.facebook.com/DoutrinaSocialIgreja
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 09-07-2015 09:05
Gente, estas piadas, comentários e sarcasmo que fazemos de Lutero e demais "reformadores", na minha opinião, devem ficar entre nós. Não sou a favor de chegar e jogar na cara de luteranos e demais protestantes estas histórias todas, a não ser, indicar estes posts a eles, todas as vezes que vierem encher o saco sobre temas de religião. Mas chegar na cara dura, e despejara para eles todo estes podres de Lutero e Cia, não faço, pois tenho: vizinhos, amigos e até parentes luteranos, haja vista, que uma tia de meu pai, irmã da minha falecida avó, casou no passado com um luteranos e hoje ele, com seus mais de 80 anos de idade e toda sua família são luteranos, e chamais vou colocar para eles estas histórias de Lutero, a não ser, como já coloquei, se vierem encher o saco sobre religião, aí sim, eu vou jogar lama no ventilador, mas enquanto eles não disserem nada, não vai voar lama alguma, e todos viveremos em plena paz.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Carlos L 10-07-2015 12:47
Concordo em não falar a não ser quando vierem se dizer superiores. Conheço muitos protestantes que são pessoas de bem.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 08-07-2015 23:20
Tem um seminarista para o qual sou professor, nesta semana conversamos algumas coisas e mandei a ele o endereço de todos os posts que falam a história dos papas e toda a história de Lutero que está descrita até o momento aqui. Estou a espera para ver os comentários que ele irá fazer-me. O detalhe, ele está ávido para saber disso, ele é um defensor tenaz da Igreja Católica e tem um colega seminarista que também o é, tanto que eles riem dos absurdos que são passados em sala de aula. Mais interessante, os meus colegas jumentfsores são frustrados por verem neles o único interesse de serem Padres, e eu dou risadas da jumentice dos meus colegas de trabalho.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Geraldão o Galão 08-07-2015 14:25
kkkkk, Lutero Seixas é uma das maiores piadas do protestantismo, só perde para o Valdemiro Boiadeiro da "mundial" e para o rabino Didi Macedo da "universal".
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Thiago Perandré 07-07-2015 20:27
Outro excelente post! Cada vez mais está sendo mostrada a personalidade lindja do papis do protestantismo. A maioria das igrejolas evangélicas aqui no Brasil descendem de um teologia pseudo-calvinista (que termo é esse mano?). Estão faltando uns posts revelando o lado negro do Joãozinho Calvino no blog em...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 09-07-2015 10:38
Oi, Thiago! O Paulo Ricardo está tocando essa série em ordem cronológica. Portanto, primeiro trataremos de Lutero, pra depois podermos falar mais apropriadamente de Calvino. Chegaremos lá!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # marcos 07-07-2015 10:44
"No próximo post desta série: o casamento de Lutero." QUE VENHA LOGO! QUE VENHA LOGO!!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Silva 07-07-2015 09:24
Muito bom artigo. Só não entendi o aparente disparate entre os judeus serem os mais desamparados e ao mesmo tempo serem os principais banqueiros da Europa.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo Costa Pinto 09-07-2015 11:19
Simples, faz parte da cultura judaica a habilidade para business. Vemos ainda hoje esse habilidade, basta ver que grandes famílias judaicas controlam o mundo financeiramente, e isso é facilmente verificável. Naquele contexto do Sacro Império, não era diferente, como eu disse, o Sacro Império era um miserê de dar dó, mas os judeus, para variar, era flores cheirosas (odor de dinheiro às pampas) no meio daquele lodaçal. Só que, meu amigo, dinheiro é uma ilusão. Ele desperta nossa ganância, e nós brasileiros, principalmente, temos uma visão dinheirista do mundo. A verdade é que quem manda no mundo não é o dinheiro, mas aquele que tem a capacidade de matar. Os judeus aprenderam isso, o semitismo moderno criou o Estado de Israel, entre outras coisas para transformar o poderio financeiro judaico em poderio militar. Mas isso é uma outra história. Voltando a Lutero, os judeus eram prósperos pela usura, sempre foram sagazes e isso não é crime. Mas isso despertou a ira dos invejosos. E os invejosos - Lutero incluso - podiam ser pobres, mas detinham o poder político, militar e espiritual. Em suma, todo o necessário, se lhe aprouvesse, para matar e assim conseguir por confisco ou roubo, o poder financeiro. Ouro não te dá a capacidade de controle da vida, só se você der com uma barra de três quilos no cabeção dos outros. Fique em paz.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 07-07-2015 10:19
João Silva, o Paulo Ricardo pode te dar esta resposta com mais objetividade, porém, o que eu entendi é que eram os judeus mais pobres, aqueles que viviam nas vilas e nas cidades entre as populações em geral, que sofriam mais com o anti-semitismo, já os judeus mais endinheirados, os mais ricos, que viviam em palácios e castelos, não sofriam com tanta perseguição, mas mesmo assim, também eram objeto de anti-semitismo. Vele lembrar que a maioria dos judeus que morreram na II guerra mundial, nos campos de concentrações nazistas eram judeus menos abastados, mais pobres ou que pertencia a classe média, poucos forma os judeus ricos que morreram nestes campos de extermínios, muitos, dos judeus ricos, fugiram antes de estourar a guerra para os E.U.A, pois tinham dinheiro suficiente para dar no pé antes que a coisa ficasse preta, somente aqueles que acreditaram que a coisa não iria chegar ao estado que chegou e que ficaram, e pagaram com a própria vida juntamente com os demais judeus que foram levados como gados para serem assassinados pelas mãos dos nazistas.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Juliano 07-07-2015 09:04
"O demônio usa das melhores mentes", essa frase é sua, Paulo, e tenho que concordar, pois espalha confusão. Veja como é complicado explicar a história, ainda mais de uma personalidade dúbia com a deste anticristo. Eu assisti um vídeo do Professor Olavo de Carvalho, onde ele explicou sobre o antissemitismo; segundo ele, "Os judeus tinham apenas dois lugares onde era protegidos na Europa, em Roma, pois os Papas sempre os protegeram, e na Holanda,país que já tinha forte tendência de legalidade e democracia. Acontece que, naquele tempo, os Papas não tinham controle sobre o que ocorria na Europa, dado os precários meios de comunicação da época - isso só mudou a partir do Concílio de Trento - portanto, se haviam católicos antissemitas, era por ignorância e influência dos Príncipes, já que os judeus sempre emprestavam dinheiro com juros. As pessoas pegavam dinheiro emprestado e, por não conseguirem pagar, arrumava-se algum pretexto para partirem para a ignorância contra o povo de Israel." Claro que ele falou tudo com alguns palavrões, o que deixou ainda mais fácil de entender. E tem mais, conforme o Professor disse, Lutero nunca quis sair da Igreja, mas os Príncipes alemães viram que sair seria um bom negócio.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 06-07-2015 22:29
Bem, nós católicos também temos que fazer uma mea culpa, haja vista que o anti-semitismo já existia entre os católicos, embora não fosse tão feroz como muitos pintam, haja vista, como bem lembrou o Melquiel, haviam milhões de judeus na Polônia, na época da invasão nazista na Polônia, e também em Roma, debaixo das barbas do Papa, sempre existiu uma prospera comunidade judaica, a qual sempre conviveu em paz com o papado. Mas infelizmente nem tudo foi um mar de rosas, e temos que reconhecer isto, sempre houve sermões inflamados de alguns clérigos que acusavam os judeus de deicídio, e para partir a um ataque de católicos irados contra os judeus, era só uma questão de tempo, era só haver algum acontecimento que envolvesse ou aumentos, suspeitasse que fora cometido por algum judeus, era o estopim para começar a perseguição de católicos a judeus, como no caso do massacre de Lisboa, ocorrido em 1506, por exemplo. Porém, se muitos católicos no passado erraram ao perseguir os judeus, os protestas, a iniciar com seu fundador, Lutero, não ficaram para trás, e esta matéria trouxe a tona, um lado sombrio de os protestantes esquecem de trazer a tona, quando o assunto e defender seu querido fundador. Faltam apenas 2 anos para 2017, quando se relembrará os 500 anos da "reforma" protestante. Será que os protestantes se lembrarão deste lado sombrio de Lutero, ou só vão fazer loas que Lutero tirou a bibra das mãos do Papa e dos padres e entregou ao povo, que ele libertou o povo da igreja corrupta e opressora que é a Igreja Católica, e lá vai pedrada a nós católicos, que vamos ter que escutar até as tampas, tudo que o queridinho Lutero fez, mas o lado podre dele, acredito que nenhum protestante vai levantar tais fatos para não estragar a festa. Ainda bem que para nós católicos será também um ano de jubileu (2017), pois serão comemorados os 300 anos do achado da imagem de Nossa Senhor Aparecida e dos 100 anos das aparições de Fátima.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Augusto Paiva 10-07-2015 23:27
O judeu Dr. Cecil Roth, especialista inglês em “História do Judaísmo”, declarou num Fórum sionista em Bufallo, (USA, 25 de Fev de 1927): “Apenas em Roma existe uma colônia de judeus que continuou a sua existência desde bem antes da era cristã, isto porque, de todas as dinastias da Europa, o Papado não apenas recusou-se a perseguir os judeus de Roma e da Itália, mas também durante todos os períodos, os Papas sempre foram protetores dos judeus. (…) A verdade é que os Papas e a Igreja Católica, desde os primeiros tempos da Santa Igreja, nunca foram responsáveis por perseguições físicas aos judeus, e entre todas as capitais do mundo, Roma é o único lugar isento de ter sido cenário para a tragédia judaica. E, por isso, nós judeus, deveríamos ter gratidão.”
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Melquiel Luiz de França Júnior 06-07-2015 21:59
Se a Igreja Católica fosse anti semita não teriam existindo tantos judeus na Polônia na época da invasão nazista. É uma prova que os católicos poloneses viviam de forma pacifica com os judeus. São João Paulo II tinha amigos hebreus e São João XXIII ajudou vários durante a Segunda Guerra Mundial.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Regina Celi Ceccon 06-07-2015 21:03
Nunca tive dúvidas quanto ao caráter desse homem. Ele não provocou uma reforma e sim uma revolução. Muito me admira que tantos evangélicos, que se dizem cultos, não acordam para as barbáries que esse cidadão provocou. No tempo da rainha Catarina de Médici em que houve a guerra entre protestantes e católicos, morreu tanta gente na França que se via cascatas de sangue pelas ruas de Paris. Quanto ao casamento dele, o que sei é que se casou 7 vezes.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Pedro 06-07-2015 18:26
Preciso mostrar a uma conhecida protestante e a um professor de história da sexta série (era um bom professor em outros assuntos, porém péssimo em idade média: "a Igreja matou milhões...","Lutero era um homem bom e 'inteligente'") Ótimo post! Espero o próximo logo!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo Costa Pinto 09-07-2015 11:09
A provável resposta da sua amiga protestante: "mas o Papa já se arrependeu dos crimes da Igreja Católica". A resposta do seu professor de história (I): "Fascista, homofóbico, elitista" (não importa que você esteja falando de Reforma Protestante. É a resposta padrão de professor de história idiota (quase pleonasmo). A resposta do seu professor de história (II): "arghbleblahbruuuuuuuuunhénhéconhéco.... aaahhhhh lele lek lek lek"
Responder | Responder com citação | Citar
0 # José alves de Silva 06-07-2015 15:20
Quero saber como aconteceu o casamento de lutero
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Larissa R.G. 06-07-2015 12:36
Série excelente! Admiro a disposição que vocês tem em mostrar a verdadeira história, que nós nunca aprendemos na escola. Quanto mais leio sobre Lutero, mais eu fico intrigada em como um homem desses conseguiu fazer tanto estrago se passando por "santo".
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade