Publicidade
Quarta, 19 Outubro 2016 01:04

Culto a imagens: ver Cristo se comparar à serpente de bronze pode deixar muito cristão bugado

Postado por

O que mais tem por aí são cristãos que já se consideram salvos e se sentem superiores aos católicos – a quem chamam de idólatras – pelo fato de não prestarem culto a imagens de santos. Mas o que Jesus Cristo disse sobre as imagens?

Como já observamos em outro post, em NENHUM dos quatro Evangelhos Jesus cita de forma negativa as imagens religiosas. Isso é especialmente interessante, se considerarmos que certos cristãos praticamente só falam disso, e colocam tanto foco nessa questão!…

Mesmo quando enumerou os Mandamentos (como em Mt 22,36-38, Mc 12,28-30 e Mt 19,17-19), Jesus não citou a questão das imagens. Será que isso não leva ninguém a desconfiar que a proibição ao uso de imagens não é parte essencial e inalienável dos Dez Mandamentos?

“Se queres entrar na vida, observa os mandamentos. Quais?, perguntou ele. Jesus respondeu: Não matarás, não cometerás adultério, não furtarás, não dirás falso testemunho, honra teu pai e tua mãe, amarás teu próximo como a ti mesmo.” (Mt 19,17-19)

E a única vez – A ÚNICA! – em que a Bíblia relata o Cristo se referindo alguma imagem religiosa, Ele não faz uma condenação, mas sim LIGA A SUA PESSOA AO SIMBOLISMO DESSA IMAGEM:

“Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim deve ser levantado o Filho do Homem, para que todo homem que nele crer tenha a vida eterna” (Jo 3,14-15).

Trata-se da serpente de bronze que Deus mandou Moisés fabricar e fixar sobre um poste. Quando os israelitas, picados por serpentes venenosas, olhavam para a serpente de bronze, se salvavam da morte. Cristo se compara a essa serpente, porque ao adorarem o Deus Crucificado, os homens envenenados pelo pecado se livram da morte eterna da alma.

Jesus se comparou a uma imagem feita por mãos humanas! Tenho certeza de que muitos irmãos não-católicos, mesmo já tendo lido essa passagem mil vezes, jamais tinham parado para ver a realidade sob este ângulo. Prevejo angústia em certos coraçõezinhos...

angustia

Essa Palavra saída da boca de Cristo basta para indicar que o bom uso das imagens religiosas é possivel. Se as imagens fossem más, vocês acham que Jesus teria dito - como disse - que foi bem representado por uma delas, gente?

A PROIBIÇÃO DO USO DE IMAGENS FOI CIRCUNSTANCIAL

“Ain, mas Deus mandou destruir a serpente de bronze, porque os israelitas começaram a idolatrá-la”. Essa objeção é fácil de detonar. Deus conhece o futuro, certo? Obviamente, Ele sabia que, anos depois, o sentido da imagem da serpente seria pervertido e ela seria idolatrada. Ainda assim, ordenou a confecção da imagem e a utilizou como canal para distribuir graças ao povo de Israel.

Tal decisão da parte de Deus só se justifica por uma lógica: a de que o posterior efeito colateral da confusão idólatra era inferior ao bem que a imagem da serpente de bronze faria ao povo (não só com a cura, mas também com sua força simbólica, prefigurando o Messias levantado na cruz).

Isso evidencia que Deus proibiu as imagens de forma CIRCUNSTANCIAL (já explicamos aqui no blog que algumas leis da Antiga Aliança se confirmam na Nova Aliança, são eternas; enquanto outras se tornam obsoletas - pois eram circunstanciais, ou seja, tinham validade somente em dada circunstância). Naquele momento específico da história do povo de Deus, portanto, não convinha a existência de imagens, pois o povo confundia entre a fé no verdadeiro Deus e a fé em deuses criados pela imaginação humana. Era uma realidade cultural desfavorável ao uso de imagens.

Mas se Deus, para determinado momento da História da Salvação, considerou que a imagem religiosa era boa e conveniente para o povo, Ele não poderia, em outro momento da História da Salvação, novamente considerar que tal instrumento deveria ser novamente usado para o bem das almas?

logica

A resposta é: SIM! Pois foi isso que aconteceu, gradualmente, na vida da Igreja primitiva.

AS IMAGENS DE SANTOS NA IGREJA PRIMITIVA

As numerosas imagens de personagens bíblicos nas catacumbas mostram que a comunidade cristã já não levava ao pé da letra a proibição exposta no Êxodo, de não fazer imagens. Esses afrescos (muitos deles datados dos séculos II e III) eram cultuados como os católicos fazem hoje? Não sabemos. Mas a sua existência sinaliza que a interpretação sobre a questão da confecção de imagens estava mudando no coração da Igreja.

No Novo Testamento, permanece a condenação eterna à idolatria. E o que isso significa? Que o cristão não pode participar do culto de outras religiões, nem deve confundir o Deus Todo-Poderoso com o sol, as montanhas, os animais, e adorar essas coisas como se fossem Deus. Por isso, São Paulo diz:

“Mudaram a majestade de Deus incorruptível em representações e figuras de homem corruptível, de aves, quadrúpedes e répteis. (...) Trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram à criatura em vez do Criador, que é bendito pelos séculos. Amém!” (Rom 1,23-25)

chaves_pedroAté o século IV, o cristianismo era proibido pelo Império Romano. Não havia templos em que se pudesse desenvolver a arte religiosa, e seria muito arriscado ter imagens religiosas em casa.

Esse cenário muda radicalmente a partir do momento em que o Imperador Constantino, no ano 313, deu liberdade de culto aos cristãos. Eles puderam, então, erguer os seus primeiros templos, onde começou a se desenvolver a arte religiosa, inclusive por meio de esculturas.

O Papa, com o poder das chaves que Jesus entregou a Pedro, ligou as imagens de santos aos Céus, afirmando a sua utilidade para a edificação das almas. Ao fazer isso, ele não contrariou a verdade que a Bíblia revela (ele não pode fazer isso!), mas sim deu a essa questão a correta interpretação.

8045 Quinta, 25 Maio 2017 00:26

Comentários   

0 # alcindo mazzucco 25-05-2017 01:02
exodo 35,35.(e se deu o don divino ao artista(ex 35,35) nao podia envergonha-lo depois(isaias 45,16) Deus nao muda.e nele nao á sombra de variacao.seu sim sempre será sim e seu nao sempre será nao.(DEUS SÓ PROIBIA FAZER SUA IMAGEM POIS AINDA NAO O TINHAN VISTO(deutr 4,15)E ESTA PROIBICAO TERMINOU POIS JESUS É A IMAGEM DO DEUS INVISIVEL (col 1,15)(hebreus 1,3)
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # alcindo mazzucco 25-05-2017 01:00
sao paulo fala en atos 17,30 que Deus passou por alto os tempos da iIGNORANCIA en que se creiam que as imagens (idolos)eram servidas por maos humanas
daniel 14,6 afirma que avia estes ignorantes e relata a história de um rei que éra engando pelos falsos sacerdotes (ISAIAS 45,16 fabricantes de idolos que seriam envergonhados)eles AFIRMAVAM QUE estatua de bél comia e bebia , COMO NIGUEM CONHECIA DEUS imaginavam que aviam muitos deuses, e poderia ser qualguer coisa,JEREMIAS CAPITULO 36,MANDA BARUKE ESCREVER O LIVRO afirma que nao era para temerlos pois nao tinhan espirito,(isso prova o temor que os israelitas tinhan dos idolos dos inimigos(infelismente todas estas passagens foram arancadas da biblia PROTESTANTES para confundir-los,e tambem foi adulterados alguns versiculos ex:salmos 78.58, para atingir aquilo que DEUS DEU O DON DIVINO PARA FABRICAR
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Claudimar Barbosa 28-02-2017 15:43
Sempre que nos referimos à Maria ou aos santos, o fazemos seguido da evocação "rogai por nós", pois estes sozinhos, nada podem fazer; por terem vivido no amor de Deus, podem interceder por nós junto a Deus.
Creio que é preciso ter muito cuidado ao se referir ao uso de imagens na Igreja; estas devem recordar ao fiel o amor de Deus e não se colocar entre o fiel e Deus.
A discussão sobre a diferença entre latria, dulia ou hiperdulia resulta em palavreado inútil, se o foco da nossa fé não for Deus; o verdadeiro sentido da comunhão dos santos, que não é dissolvida sequer pela morte (pois aquele que crê, ainda que morra, viverá) é a permanente intercessão de cada um por todos os membros do Corpo Místico de Cristo.
No centro da fé católica está a Santíssima Trindade, com seu amor que se derrama sobre todos aqueles que creem, inclusive os santos, que somos todos nós que aceitamos o desafio de Jesus: "Sede santos, assim como vosso Pai celeste é santo". (Mt 5, 48)
Responder | Responder com citação | Citar
+3 # Waldir Cury 12-11-2016 12:27
Eu costumo responder à acusação de "idolatria" em relação às imagens dos santos e de Maria, da seguinte maneira: "Idolatria" significa adoração a "ídolos", ou seja, a "falsos deuses"! Nenhum católico, em nenhuma parte do mundo, se ajoelha diante da imagem de Santo Antônio, pensando que Santo Antônio seja Deus, ou seja um "deus". Todo católico sabe que os Santos têm uma biografia terrena e, quer pela sua vida virtuosa, quer por ter dado a sua vida em martírio pela Fé, hoje está no Céu, junto de Deus.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Sidnei 27-10-2016 22:31
"Que este post chegue a muitos protestantes, para que comecem a valorizar a Verdade, que é católica, e assim partilhem da Fé que Nosso Senhor Jesus Cristo nos concedeu." Caro Filêmon, este post já chegou a alguns protestantes no site Aleteia (http://pt.aleteia.org/2016/10/20/o-que-jesus-cristo-disse-sobre-as-imagens/), sabe o que esta acontecendo?, leia os comentários e verá que os protestantes não dão o braço a torcer, e o pior, como todo bom protestante, que distorce tudo o que esta nas Sagradas Escrituras, tudo que a Igreja ensina, também distorceram esta matéria, ou seja, pode mostrar o que for, eles não se convencem de nada, para eles tudo é idolatria, estão cegos e não conseguem enxergar nada. Só por DEUS mesmo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Pedro Strabelli 29-10-2016 12:39
Sidnei Eu tinha feito um pequeno comentário lá e quase esquecido. Mas vi seu comentário aqui, cliquei nele e fui lá dar mais alguns palpites nos comentários alheios. Valeu pela lembrança!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 31-10-2016 21:49
Eu fui lá ver Sidnei e João, hehehe, não comentarei nada desta vez, pelo menos lá, pois minha cota de impaciência, sarcasmo e mais algumas coisinhas (@#$%¨&) estão acima do limite, portanto, antes de falar alguns palavrões e mandar alguém mergulhar na esterqueira; melhor ficar por aqui. Porém não posso deixar de dar os parabéns a vocês dois, com paciência e maestria deram-lhes nos olhos dos tontos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 01-11-2016 22:29
É Alex, você é alemão ainda tem sangue frio, pior sou eu, que tenho sangue quente, mistura de italianos com portugueses. Quando vejo comentários que atacam a Igreja Católica de forma acintosa e caluniosa, meu sangue ferve, entra em ebulição e minha cabeça vira uma panela de pressão. Não queria, mas a cada comentário de um protestante distorcendo as coisas, seja por lá, no blog do Aleteia, seja aqui no catequista ou em qualquer outro blog ou site católico (nos sites e blogs protestantes eles podem bordar e pintar, não coloco meus pés la mesmo), minha vontade é sempre de dar uma resposta uma atrás da outra, isto quando tenho paciência de sobra, quando não tenho ..., conto até dez para não perder as estribeiras. Que DEUS me perdoe por todas as vezes quando perdi a paciência com esta gente toda.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Alex Hoffmann 12-11-2016 20:40
O engraçado disto é que aquele monte de jujuba e mais a protestaiada, junto com os ateu atoa faz-me lembrar de uma coisa, uma pessoa em particular: EU. Então, é onde eu fico fulo da vida, pois eu vejo o erro deles, eu sei onde estão errando pois seguia os mesmos passos.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # A Catequista 28-10-2016 10:56
Sidnei, sempre é você quem nos dá a notícia, em primeira mão, de que algum post nosso foi reproduzido na Aleteia. Obrigada!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 30-10-2016 00:07
Obrigado Vivi, apesar de também frequentar o blog do Aleteia, porém tenho bronca com o pessoal de lá, pois não se conhece os administradores daquele blog, e por isto, não se tem com quem reclamar quando alguma coisa esta de errado. Você conhece algum coisa sobre os administradores do blog Aleteia?.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 01-11-2016 20:17
Não conheço, Sidnei.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 01-11-2016 22:31
Obrigado Vivi.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Filêmon 27-10-2016 17:30
Bom post, lembrando muito oportunamente o fato de que a proibição das imagens não consta dos Dez Mandamentos. Essa questão é tão tranquila e límpida para nós católicos, ao passo que é aberrante ver os protestantes perderem o sono e o apetite por conta disso... Que eles larguem de sua soberba e de sua autossuficiência mentirosa e aprendam o que há séculos Nosso Senhor espera... Que este post chegue a muitos protestantes, para que comecem a valorizar a Verdade, que é católica, e assim partilhem da Fé que Nosso Senhor Jesus Cristo nos concedeu. A coisa está feia e precisamos nos unir, para que nem os pecados, nem as insídias do demônio nos façam perecer. Valei-nos, Mãe do Céu! Uma outra coisa me suscitou o post, esta relacionada com nossa lição de casa, ante a citação de Rom. 1, 23-25. O que pensar do naturalismo que se espalhou no pensamento católico mais intensamente desde o Vaticano II, confundindo o sobrenatural com o natural, a ponto de termos hoje em dia representações da fauna e da flora brasileira na Basílica Nova de Aparecida do Norte? As "araras sagradas", "miquinhos sagrados", "florestas sagradas" etc. legados pelo recém-finado Cláudio Pastro ao santuário, chocam-se com o que nos ensinou São Paulo Apóstolo na Bíblia... É uma infiltração perigosa, que pouco a pouco se tornará uma ameaça real à fé. De passagem, já é de conhecimento público que o próximo tema da Campanha da Fraternidade de 2017 será "O Bioma", o que faz coro com a impertinência e o escândalo dos "bichos sagrados" na Basílica Nova. Precisamos abrir os olhos e os ouvidos, nós aqui de baixo, os leigos, porque o clero mais influente está preocupado com outras coisas, já que aparenta querer se tornar suplente de secretarias municipais do meio ambiente ou, quiçá, consultor do IBAMA, ou ainda, filósofos modernos benquistos nas universidades, convidados de simpósios nacionais e internacionais... tais membros do clero estão acumulando sobre suas cabeças a Ira de Deus. Que Nossa Senhora possa mudar-lhes as disposições, e passem a crer, com suas vidas, na salvação das almas, nos Novíssimos conforme são ensinados pelo Magistério Petrino de Sempre e, sobretudo, em Jesus Sacramentado. Há muitos que não creem firmemente nessas realidades da Fé Católica. Não coloco a culpa integral dessa situação sobre padres, bispos etc., de vez que muitos tiveram uma formação pífia, muito secularizada, ao que se somou aos exemplos desse mesmo talante entre seus superiores hierárquicos. Porém, enfatizo que estamos sob uma Hora Decisiva, e que o clero naturalista pare de pensar que não tem nada com isso. Oh, Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Joao 21-10-2016 15:03
Fora que o Catecismo ensina, muito sabiamente, que a economia das imagens mudou quando o próprio Deus se fez visível em Jesus Cristo. Na Antiga Aliança Deus era invisível (ver Deuteronômio 4). É nessa passagem de Deuteronômio que está o motivo da proibição das imagens. Na Nova Aliança, Deus se fez carne (João 1). Simples assim. PS: eu acho que o problema do protestante alfabetizado é com a comunhão dos santos. Essa questão das imagens não é problema para protestantes bem formados, como o William Lane Craig.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Mário 21-10-2016 09:56
Os protestas não entendem o que é a eucaristia, imaginem entender a utilização de imagens por parte de nós católicos.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Mário 21-10-2016 09:55
Saindo um pouco do tema e ao mesmo tempo refutando a acusação de adoração aos santos e a Maria, vejamos o que o ex-pastor protestante, doutor em bíblia, SCOTT HAHN (Autor do livro 'Todos os caminhos levam a Roma'), em outras palavras, relata: O protestante nunca vai entender qual a diferença entre Adoração e veneração, pois, a adoração dirigida a Deus por eles, é através de cantos, pregações e louvores. Isso a Deus é muito pouco, ou seja, eles apenas veneram a Deus, porque renegam Jesus eucarístico. Dessa forma, com cantos, pregações e honras a mãe de Jesus, o católico a venera, ou seja, a forma de como o protestante se dirige a Deus para adorá-lo (na verdade, veneram a Deus), é a forma que o católico utiliza-se para venerar Maria. Daí nunca irão entender o que é culto de veneração e de adoração. A adoração a Deus no catolicismo consiste em se prostrar diante de Jesus eucarístico em espírito e em verdade. Aí está a grande diferença do culto de adoração. Resumindo: Não adianta perdermos tempo com quem não quer saber da verdade. NÃO EXISTE IGREJA SEM EUCARISTIA, POR ISSO SÓ EXISTE UMA. A EUCARISTIA É O PRÓPRIO CRISTO RESSUSCITADO. Só se converte ao catolicismo pelo intelecto. Infelizmente, poucos estudam a igreja em seus primórdios. Oremos, pois...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Isac 21-10-2016 05:56
SER PROTESTANTE É DAR ATESTADO DE IGNORANCIA RELIGIOSA E FALTA DE RACIOCINIO! Grande besteira desses sem fé protestantes, filhotes de Lutero, o genocida, que mandou matar só no sul da Alemanha mais de 100 000 anabatistas por odio, simplesmente por não o aceitarem como enviado do Senhor, vejam se pode! São uns hereges, pois na Europa e USA muitas igrejas protestantes das mais tradicionais adotam imagens, e algumas delas até na frente! Depende de cada seita e da mentalidade do dono do pedaço para aceitar ou não, como algumas delas aqui no Brasil têm varios desenhos internos, que são imagens! Ex 25 17-22: O Senhor mandou colocar 2 querubins sobre o Propiciatorio da Arca..Por isso a biblia diz: "O Senhor está sentado sobre os querubins" -1 Sm 4,4; 2 Sm 6,2; 2 Rs 10,15 etc. O mar de bronze colocado à entrada do palacio de Salomão era sustentado por 12 bois de metal. 1 Rs 7 28s Havia entre os ornamentos do palacio de Salomão imagens de leões, touros e querubins. Será que os protestantes ignorantes e de inteligencia obtusa - uns tapados - não sabem que a biblia é o resumo da Tradição da Igreja? Além de ignorantes, dissensos entre si e hereges!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Henrique Padua 20-10-2016 18:52
Alguém me responda uma coisa, quando o camarada "tira uma selfie", ele também não está "produzindo uma imagem"? Por mais que a imagem seja em formato digital, me parece uma lógica simples.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Julio Cesar Dias Chaves 20-10-2016 15:21
Seguindo essa temática, seria bom fazer um post sobre a controvérsia iconoclasta. Pouco conhecida, mas que tem tudo a ver com isso aí e é um dos episódios mais importantes e significativos da história da Igreja. Fica a dica.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Mário 20-10-2016 11:25
É muito importante tecer o seguinte comentário: Com a negação da autoridade da igreja por parte dos protestantes, fica difícil o entendimento por parte deles da utilização de imagens sacras por parte da igreja católica. Como assim? Para entender a utilização de imagens por parte da igreja católica, seria necessário aceitarem essa autoridade dada por Jesus: "O que ligares na terra será ligado no céu e o que desligares na terra será desligado no céu..." Sabemos que uma imagem para ser realmente utilizada como simbologia na igreja, ela precisa estar benta pelas mãos do sacerdote. Muitos não aceitam pela negação a autoridade da santa igreja. Daí a dificuldade de aceitação por parte dos 'Doutores em bíblia" Eu, particularmente, sempre que o momento exige, eu explico a eles, embora fique sendo ignorado.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Gilberto Neves Carvalho 20-10-2016 09:57
Acima da porta, no interior e no exterior do templo, e por toda a parede em redor, por dentro e por fora, tudo estava coberto de figuras: querubins e palmas, uma palma entre dois querubins. Os querubins tinham duas faces: uma figura humana de um lado, voltada para a palmeira, e uma face de leão voltada para a palmeira, do outro lado, esculpidas em relevo em toda a volta do templo. Ezequiel 41.17-19 Acima uma visão que Deus deu a Ezequiel sobre um Templo dedicado a DEUS. Pois, bem... A Bíblia está recheada de pessoas se prostrando diante de profetas, Davi e da Arca da Aliança com seus querubins. Isso indica que não é toda prostração (Seria como dobrar os joelhos e colocar a cabeça próximo ao chão) sinônimo de adoração. Josué rasgou suas vestes e prostrou-se com a face por terra até a tarde diante da arca do Senhor, tanto ele como os anciãos de Israel, e cobriram de pó as suas cabeças. Josué 7.6 Nossa Josué e todos os israelitas cometeram idolatria? Sonoro não a todos! Quero dizer a vocês que fui "convertido" a uma igreja protestante em 13 de Fevereiro do ano 2000. Fiquei convencido de que eles estavam certos e que a Igreja Católica havia se desviado do verdadeiro evangelho no passado. Mas, com o tempo eu mesmo me cansei daquilo tudo e abandonei a tal igreja evangélica. Passei muitos anos afastado e de repente veio um interesse enorme por assuntos ligados à Igreja Católica. Até que um dia e com a ajuda deste site eu pude conhecer respostas referente a doutrina cristã e isso me levou a entender que eu estava errado e a Igreja Católica certa. Voltei para a Barca de Pedro, por intercessão da Santíssima Virgem Maria. Desta barca não saio mais, pois estou mais do que protegido. A paz de Cristo e o amor de Maria
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 20-10-2016 10:36
Gilberto, a paz de Cristo e o amor de Maria! Agradecemos o seu testemunho!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # MARCEL STANGE MONTEIRO DE OLIVEIRA 20-10-2016 00:16
A adoração vem do coração. Não se tá de joelho, cantando, chorando, etc. Se alguém te chama de idólatra, Este está querendo ser como Deus, Pois somente Ele perscruta os corações!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 20-10-2016 08:08
Falou e disse Marcel, este pessoal que julga os católicos de idolatras querem ser mais que DEUS, pois somente DEUS, sabe o que se passa na mente e no coração das pessoas, e sendo assim, ELE saberá quem diante da imagem da Virgem Maria ou de algum Santo ou Santa está adorando eles, ou, se seguirem o que ensina de fato a doutrina da Igreja Católica, os venerando. O resto é puro achismo e julgamento de protestante chupetas, que para mim tais juízos valem mais do que coisa alguma.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Emanuel 19-10-2016 20:43
Uma parte chata de ser católico é ter que se deparar com a questão das imagens de novo , de novo e de novo. Os protestantes simplesmente não cansam de clicar nessa tecla.Eu mesmo tenho dificuldades para defender a Igreja nesse ponto.Eu entendo de História , mas fico boiando em muitas questões teológicas , especialmente das imagens.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 20-10-2016 00:30
Emanuel, nem me atrevo a abrir a boca para dizer que isso é chato. Estamos numa posição até mesmo muito positiva e confortável, se considerarmos que essa questão das imagens já levou até a extensas depredações de obras de arte religiosas e mortes (como a Querela das Imagens, no século VIII). Essa heresia iconoclasta é bem anterior ao protestantismo, inclusive. Você tem alguma dúvida específica sobre as imagens? Qualquer coisa, é só perguntar.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Emanuel 20-10-2016 13:42
Bem dito. Alias , a Igreja Ortodoxa tambem sofreu bastante com isso .E , hoje em dia, de vez em quando tem um desmiolado ou outro que inventa de invadir Igreja e quebrar tudo, mas , no geral , os protestantes sossegaram com o tempo. Minha dificuldade nem é com um tema expecifico mas com 3 fatos : 1-Meu conhecimento de Teologia é muito raso.Eu leio a Bíblia ,mas acho que meu problema é que eu guardo mais á história em si do que as passagens. Não que os protestantes sejam monstros Teológicos , mas eles tem um monte de passagens - chave gravadas.Detalhe : muitos não leram a Bíblia , apenas fizeram questões de guardar umas passagens na memória , você sabe , no caso de ter que converter um herege católico por aí. E , acredite ,onde eu moro , topar com pregador é muito comum. 2-Não adianta citar Teologia da Tradição. Para eles , não tem base bíblica , em tão não vale nada. 3-Bom , refutar protestantes com História é facil , pois eles acreditam em abobrinhas que ou nunca aconteceram , ou que rola um exagero absurdo.Mas quando explico sobre alguns pontos Historicos que envolvem Teologia, como as imagens nas catacumbas.Para eles , é simples : não importa o que faziam no passado. Não tem base biblica.E se não tem base biblica , que se dane o contexto histórico e cultural.Não é dito explicitamente,com todas as letras , na Bíblia? Não vale nada. Enfim , meu principal problema de diálogo , é que esse povo se agarra na Bíblia de um jeito absurdo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # César Augusto Simões 24-10-2016 09:57
Emanuel, dê uma aprofundada na história da formação da bíblia, principalmente do novo testamento. Quando o camarada vier falar que não tem base bíblica, foque nesta questão e não deixe ele sair dela até o camarada admitir que foi a autoridade da Igreja que definiu os livros, que ela mandou queimar os outros, etc. Que portanto ele é obrigado a crer na Igreja católica. Com a base histórica, pergunte se eles creem como os cristão primitivos, se falar que sim, demonstre que eles não tem nada a ver com eles, pois por exemplo as cartas de Santo Inácio de Antioquia já mostrava a hierarquia, que a Igreja já era chamada de católica, já acreditavam na transubstanciação, etc.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natália 19-10-2016 18:39
Por falar em Bíblia, gostaria de tirar uma dúvida: se até em meados de 313 o cristianismo era proibido, como foi feita toda a compilação da Bíblia nesse meio tempo, se ela "ficou pronta" por volta do ano 300 (foi nesse ano mesmo?)? E só mais uma dúvida: acredito que muitos irmãos evangélicos/protestantes confiem mais na Sola Scriptura pois acreditam que o homem pode ter alterado tudo como uma forma de manipulação, e consequentemente, não devem dar os devidos créditos de conhecimento até mesmo aos primeiros padres. Como poderia explicar melhor a eles em relação a essa "desconfiança"? Abraços
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 20-10-2016 08:16
Natália, pelo que eu sei o cânon das Sagradas Escrituras só ficou pronta pelos finais do século IV, pelos anos 380 e 390 através dos concílio regionais de Hipona (393 d.C) e Cartago (397 d.C), ver este artigo do Veritatis (http://www.veritatis.com.br/respostas-catolicas/refutacao-ao-artigo-a-igreja-catolica-definiu-o-canon/), que te dará mais luz sobre o assunto, ou ver também aqui neste link daqui do próprio blog (http://ocatequista.com.br/archives/14431).
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natália 20-10-2016 11:42
Entendi, Sidnei! Eu achava que antes dos concílios já acontecia algum tipo de "estudo" sobre, aí me deu essa confusão sobre as datas! Obrigada!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Emanuel 19-10-2016 20:36
Não sou do site , mas penso assim : de que adianta proclamar aos quatro ventos que a Biblia é infalivel e escrita pelo Espirito Santo (a Biblia é infalivel mesmo , nisso eles não estão errados ) se desconfiam que Deus deixaria a Sua Palavra ser alterada por meros humanos ? Que falta de confiãnça absurda no conteudo das Sagradas Escrituras.Ora, não seria nada estranho crer que Deus tenha guardado e preservado Seu Livro de erros e alteraçoes. Alem disso , Constantino nunca alterou a Bíblia , como muitos dizem. Uma pesquisa rápida e você refuta isso. Lutero ,sim , alterou a Bíblia ,retirando 7 livros. Esses livros estavam presentes nas versões mais antigas da Bíblia , alias , prova de que , antes de Lutero , ninguem sonhou em tira-los. O Livro de Enoque e outros tão falados apócrifos são bem...apócrifos. A Igreja considera que não foram inspirados e que contem erros.Digo isso porque tem muito protestante que jura de pé junto que esse livros foram tirados da Bíblia para ''alienar'' a população.Não.Eles não foram aceitos na Bíblia por conter erros.E se contem erros, logicamente não podem ter sido inspirados por Deus - pois Ele não pode errar. Eu,particularmente , gosto de ler os apócrifos como um passatempo ou literatura...mas só isso.Não leve muito a sério o que está escrito lá. Sobre a formaçao do Canon Bíblico , não entendo muito do assunto , só o básico, como o lance dos apócrifos. Mas acho que tem algum post aqui site sobre isso.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo 25-10-2016 09:27
Leia um pouco do que foi o Código Muratori que se reporta ao século II...Lá ele descreve os livros do Novo Testamento lidos na Igreja da época (os do Antigo Testamento estavam na folha anterior do código que se perdeu)...Livros como Carta aos Coríntios de Clemente Romano, Pastor de Hermas, que não são apócrifos, eram parte das leituras litúrgicas dos primeiros cristão de Roma... No tocante ao cânone católico que temos hoje, o que importa é que a Igreja o estabeleceu desde fins do século IV (Sínodo de Roma em 382, Concílio de Hipona em 393, de Cartago em 397)...Tanto é que o cânone bíblico das igrejas apostólicas (Católica, Ortodoxa, Copta) permanece a mesma base, sendo que os ortodoxos possuem Macabeus III e IV e o cânone copta ainda possui o Livro de Enoque como sagrado... Paz e bem a todos!!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natália 20-10-2016 09:09
No caso desses livros apócrifos, poderia se dizer, então, que seriam já as primeiras tentativas de desmerecer a Igreja e a Tradição?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 20-10-2016 09:42
Digamos assim, possuem escritos que causam dúvidas, geralmente são textos de matriz gnóstica, então sim, já eram as primeiras tentativas de desmerecer a Igreja e a Tradição, assim como as primeiras heresias, as judaizantes e as gnósticas. Tão cedo a Igreja se estabeleceu, o diabo tratou de suscitar o erro para perverter e tentar desmerecer a Igreja nascente. Além do que, toda a literatura patrística trata de limpar os erros que brotavam em meio a comunidade católica. Além da Didaque, o primeiro catecismo que basicamente nasceu das mãos dos apóstolos para guiar as pessoas recém convertidas e mantê-los firmes na fé.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natália 20-10-2016 11:32
Acabei de baixar a Didaque :D Obrigada, Alex!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Augusto 19-10-2016 17:52
"As numerosas imagens de personagens bíblicos nas catacumbas mostram que a comunidade cristã já não levava ao pé da letra a proibição exposta no Êxodo" não dá pra ter certeza disso, eles faziam imagens porque era da cultura deles, eles precisavam de algo fisico pra representar algo que só existia no campo das ideias. Até hoje as pessoas precisam de imagens pra entender conceitos abstratos imagina para as pessoas daquela epoca então.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Geraldo 30-10-2016 11:03
Precisão essa (da imagem e mais genericamente falando, da IMAGINAÇÃO em geral) que, aliás, é uma característica da cognição humana em si: "A imaginação é mais importante que o conhecimento. O conhecimento é limitado, enquanto a imaginação abraça o mundo inteiro, estimulando o progresso, dando à luz à evolução. Ela é, rigorosamente falando, um fator real na pesquisa científica" ALBERT EINSTEIN. A nossa capacidade de abstração intelectual será maior, quanto mais frequente tiver sido o nosso contato com aquilo que estimula a imaginação e a analogia: contos, narrativas, artes visuais. Os ícones e imagens cristãs são, ao longo da história, uma variada e inteligente narração da salvação que Jesus tem operado no mundo, pela história afora: As palmas (símbolos do martírio por amor de Cristo) nas mãos dos ícones de tantos santos dos primeiros séculos são a versão desenhada daquela passagem do Apocalipse: "Vi uma multidão em vestes brancas, levando palmas nas mãos (...), vestes lavadas pelo sangue do cordeiro!" Mais tarde, alguns ícones e imagens contavam como aconteceram alguns desses martírios: flechas no corpo de São Sebastião, os olhos arrancados de Santa Luzia em suas mãos, a lança nas mãos do apóstolo São Judas Tadeu, etc. Outras imagens já trazem o servo de Cristo com a Palavra de Deus escrita nas mãos, no formato do rolo de pergaminho ou na forma moderna do livro bíblico. Outras ainda, trazem uma ilustração viva da caridade de Jesus vivida pelo santo: São Vicente de Paulo com as duas crianças abandonadas, São Marcelino Champagnat idem, São José de Calazans, a mesma coisa, São Luis Orione também. Sem falar no quadro de São Martinho cortando a sua capa em duas para dar um pedaço ao pobre! Como não ler o Evangelho nelas? "Quem acolher o menor desses irmãos em meu nome, é a mim mesmo que está acolhendo", "Quem tiver duas túnicas, dê uma para aquele que não tem" (são Martinho tinha uma só capa, e deu a metade para o irmão necessitado). E aquela tão bela, de Santo Antônio com o Senhor Jesus no colo? Ô gente, dá para pregar o EVANGELHO INTEIRINHO, só com as imagens e ícones que a história da fé nos legou. É um crucifixo ou uma bíblia na mão, um Jesus Cristinho no colo, ou são os olhos arregalados e fixos em Cristo, enfim, toda a iconografia católica, EXATAMENTE como aqueles querubins do êxodo (comento mais abaixo) está nos dizendo o tempo todo a mesmíssima coisa: O SENHOR É O CENTRO DE TUDO! O ÚNICO DIGNO DE SER ADORADO É A RAZÃO DAS NOSSAS VIDAS, desde a vida da humilde mocinha de Nazaré (cuja fé exemplar permitiu a vinda do Senhor na carne e a tornou nossa mãe na fé) até a vida do caçula dos canonizados (São Gabriel Brochero, declarado santo no último 16 de outubro): http://radiomaria.org.ar/contenido/uploads/2015/03/Cura-Brochero1.jpg TODAS as imagens estão nos evangelizando o tempo todo, estão nos conduzindo à adoração e centralidade do único que merece a entrega de toda a nossa vida , como mereceu a doação integral e sem reservas de todos os que elas representam. A educativa intenção do Senhor junto ao seu povo, registrada no livro do Êxodo, cumpriu plenamente seu efeito ao longo da nossa história! Pois ali o Espírito Santo nos conta que, outrora, diante de um povo inclinado à idolatria e cercado de vizinhos idólatras, o Senhor nosso Deus, fez questão de deixar claro (a este povo e a todos nós) que só Ele era e é Deus, como vemos no livro do Êxodo: "Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te curvarás diante delas e nem as servirás!' (Êxodo 20, 4-5). E esse mesmo Espírito inspirou as palavras registradas nesse mesmíssimo livro (do Êxodo) que também nos contam que, pouco tempo depois, este mesmo Deus fez questão de insistir e frisar ainda mais que SÓ ELE e nenhum outro, ERA E É , DEUS E SENHOR! E como ele voltou a insistir nisso? Mandando fazer...imagens! " Farás dois querubins de ouro batido" (Êxodo 25, 18)." E porque exatamente as imagens, que pouco antes foram proibidas por impedirem de ver que há um só Deus que deve ser adorado e servido com exclusividade, agora - pouco depois - são ORDENADAS (não meramente permitidas, mas ordenadas!) para proporcionar que se veja - e se vivencie - que há UM SÓ que deve ser adorado e servido? A Bíblia e a ação divina nela recordada, devem ser compreendidas como um todo. Não apenas as palavras explícitas do Senhor nos ensinam, mas também os gestos, as ações e os seus MODOS de agir e falar, nos revelam muito! A revelação da intenção e da vontade de Nosso Senhor na questão das representações e imagens, está clara como água nessas duas passagens paradoxais do Êxodo. Passagens tão próximas no tempo e no registro que o livro faz delas: apenas cinco capítulos as separam. Uma deve ser lida à luz da outra.E a segunda passagem é a chave de leitura da primeira. Não é necessário que o Êxodo diga isso literalmente como se fôssemos bebezinhos incapazes de captar as coisas. O escritor sagrado, inspirado pelo Espírito Santo, nos dá essa chave de leitura através da DESCRIÇÃO que o próprio Deus faz DO FORMATO E DA POSIÇÃO CORPORAL das imagens dos querubins que ele mandou fazer: " Os querubins terão suas asas estendidas por cima, cobrindo com elas o propiciatório; as faces deles uma defronte da outra; as faces dos querubins estarão VOLTADAS PARA O PROPICIATÓRIO."Êxodo 25:20 Ali já estava prefigurada, profeticamente, a nossa salvação, pois "JESUS é a propiciação pelos nossos pecados e pelos pecados do mundo "(1 João 2, 2). O sangue ali derramado - dos animais sacrificados pelos pecados do povo - era profecia do sangue que o nosso divino salvador um dia verteria na cruz por nós. Os querubins APONTAVAM, pois, para o único que pode MEDIAR entre Deus e a humanidade, salvando-nos. E portanto, para o ÚNICO que pode e deve ser adorado! Toda a posição corporal deles - voltada para o CENTRO, como quê adorando e cobrindo uma invisível e misteriosa presença - apontava para o único que merece a exclusividade do nosso coração. E por isso, quando Samuel (e outros personagens bíblicos) se prostravam venerantes diante da arca da aliança encimada por essas imagens, não havia jamais o perigo de confundir esse ÍCONE que apontava para a divina presença, com aqueles velhos ídolos voltados sempre para si mesmos. E para onde aponta a totalidade das imagens e quadros da iconografia cristã? A QUEM eles remetem? A resposta me parece muito clara.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # geraldo 28-10-2016 21:43
Mas não eram apenas os primeiros cristãos, Augusto, Natália e Viviane (permitam-me o fraterno pitaco) que "já" não levavam ao pé da letra a proibição do êxodo. Era TODO O POVO BÍBLICO - Israel e as comunidades cristãs primitivas - (e disso podemos sim, ter certeza) que efetivamente JAMAIS interpretou as proibições do êxodo "ao pé da letra" (se com essa expressão se quis dizer "ao modo protestante"). Nem o próprio livro do êxodo interpretou a si mesmo desse modo, uma vez que ali registra as palavras do próprio Deus dizendo: "Farás dois querubins de ouro batido" (Gen 25, 18-20). É muito clara a distinção que o próprio êxodo faz - ainda que não o diga literalmente - entre as imagens dos ídolos que eram adoradas pelos pagãos como se deuses fossem, e as imagens permitidas e até ordenadas pelo próprio Deus. E a distinção (e claro critério de diferenciação para os israelitas) salta aos olhos na mera comparação entre as imagens dos ídolos pagãos da época que o Senhor proibiu, e as imagens que Ele, pouco depois, mandou fazer e venerar (sim e venerar! A própria descrição delicada e detalhada da feitura dessas imagens é em si mesma, um sinal de veneração. E a maneira como os israelitas tratavam aquela arca encimada por querubins, o lugar especial a ela reservado na tenda santa, tudo isso é,claramente,veneração). A diferença entre uma coisa e outra é simples e até muito explícita, na própria forma das imagens cuja veneração Nosso Senhor permitiu e desejou e o texto bíblico registra. A começar do seu próprio formato e posição corporal, aquelas imagens jamais passariam pelo risco de serem consideradas deusas tal era sua explícita referência ao Deus único: "Os querubins devem ter suas asas estendidas para cima, cobrindo com elas a tampa" [da arca] Êxodo 25:20, disse o Senhor. Temos aqui uma clara posição de adoração e de quem VELA e ESCONDE, o invisível MISTÉRIO DIVINO. A própria imagem (dos querubins) serviu - muito educativamente! - para mostrar ao povo de Israel (e a todos nós) que o Deus imortal e invisível não se confunde com imagem alguma feita por mãos humanas. E é exatamente esta a mensagem que continuou (e continua) a ser comunicada em TODAS as imagens cristãs, desde o peixe das catacumbas (símbolo de Cristo) até a belíssima e significativa imagem de Santo Expedito. Em todas (assim como acontecia com a imagem daqueles querubins sobre a arca) é mais que explícita - salta aos olhos! - a referência total e absoluta ao Deus único, misterioso e invisível que jamais se confunde com nada que nossas mãos possam criar e nossa mente possa imaginar. Aqui está uma estátua de Baal: http://www.soysanador.com/archivos/img/baal.jpg A que ou a quem ela remete senão a Baal mesmo? Ela é toda autocentrada! Auto referente! Parece estar ali exclusivamente para receber a adoração dos súditos. ÍDOLO! Aqui está uma imagem mostrando o mistério da Imaculada concepção da Mãe de Jesus: http://catolicosribeiraopreto.com/wp-content/uploads/2015/11/imac.jpg Os olhos da virgem aqui imaginados e pintados, não são uma mensagem que salta aos nossos olhos? Este olhar precisa de alguma explicação? Ele não nos evangeliza por si mesmo? Não nos leva ao ÚNICO que deve ser ADORADO? Assim como a posição adorante daqueles querubins do Êxodo (que era totalmente voltada a um OUTRO) esse olhos de Maria não estão nos dizendo claramente algo como "EU ADORO O TOTALMENTE OUTRO, MINHA VIDA PERTENCE EXCLUSIVAMENTE A ELE?" Este não é , de forma alguma, um olhar que diz "ME ADOREM"! Mas muito claramente está dizendo : "ADOREM AO MEU SENHOR!" As asas e a posição adorante dos querubins que ao mesmo tempo ocultavam uma misteriosa PRESENÇA, faziam pressentir imediatamente um OUTRO que era o único motivo da existência deles e nossa, apontavam para essa presença. Era impossível não perceber que toda aquela imagem era referência e sinal apontando para um outro INVISÍVEL E IMORTAL. Por isso, ÍCONE! SINAL! Alguém lembrava isso ai nos comentários mais acima. Como não se perguntar diante da imagem da Imaculada Conceição: PARA QUEM ESSA MULHER ESTÁ OLHANDO TANTO? PORQUE ESTÁ TÃO EXCLUSIVAMENTE - COM TODO O SEU SER! - VOLTADA NESSA DIREÇÃO? Quem é este ÚNICO digno de receber dela a plenitude da adoração, da honra, da glória e do louvor? "Quem tem ouvido, ouça o que o Espírito diz às igrejas!" (Apocalipse 3, 22): https://padrepauloricardo.org/episodios/culto-aos-santos-e-suas-imagens
Responder | Responder com citação | Citar
0 # geraldo 28-10-2016 22:18
Por isso, o Josué ao se prostrar perante a Arca da Aliança (que tinha em cima as imagens dos querubins) não corria o menor risco de ter sua consciência manchada por um suposto e pecaminoso ato de adoração a algo que divino não era. Pois ele sabia perfeitamente - e era pedagogicamente conduzido a isso pela própria forma do objeto e das imagens que o encimavam - que ali estava um ÍCONE que, simbolicamente, o remetia ao Deus misterioso e invisível, que quase "gritava" aos seus ouvidos e mostrava aos seus olhos: ADORE O ÚNICO!. Do mesmo modo, quando todos os dias me ajoelho com minha família diante da imagem da Imaculada Conceição da Mãe de Cristo para rezar o terço (Maria, a Arca da Aliança, como é chamada metaforicamente no seu poético e piedoso ofício, que rezamos aos sábados) , aqueles olhos enamorados de Nosso Senhor que algum artista imaginou e pintou, "gritam" aos meus ouvidos: ADORE O ÚNICO! SEJA TOTAL E EXCLUSIVAMENTE DELE COMO EU MESMA SOU! ..."E bendito é (minha mãe querida) o fruto do vosso ventre: JESUS!"
Responder | Responder com citação | Citar
0 # geraldo 28-10-2016 22:25
Só para não haver confusão ou ambiguidade sobre o que escrevi acima: "aqueles olhos, de MARIA SANTÍSSIMA, enamorados de Nosso Senhor Jesus Cristo". Toda vez que passo pela sala da minha casa e vejo aquela imagem e aqueles olhos é como se eu ouvisse: " FAZEI TUDO O QUE ELE VOS DISSER!" (João 2, 5).
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natália 19-10-2016 18:33
Acredito que a diferença é que vinham diretamente de uma autorização dos apóstolos, Augusto, visto que são muito antigas e se não me engano, algumas datam até da época em que alguns apóstolos eram vivos (alguém me corrija se eu estiver confundindo as bolas, rs), ou de sucessores dos apóstolos. Como não havia Bíblia no formato de hoje, era tudo passado pela Tradição Oral, então as fontes de onde vieram são dignas, pois vieram dos apóstolos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Aline de Jesus 19-10-2016 15:48
O bom que a gente aprende não apenas com os textos do "O Catequista"(diga-se de passagem sempre magníficos ),mas os comentários também!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Ronaldo Ribeiro 19-10-2016 11:40
Isto para não falarmos sobre os detalhes do templo de Salomão, descritos do Livro de Reis.... Querubins com 5 metros de altura e afrescos com flores e leões...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # geraldo 28-10-2016 20:28
E ô Augusto, na verdade, este "sola scriptura" ("sola dura de roer", como brinca o Pe.Orlando) não é praticado por nenhuma denominação protestante. Cada uma delas se insere dentro de determinada tradição interpretativa. E são milhares de tradições diferentes e contraditórias entre si. Muitas vezes , basta haver uma divergência interpretativa qualquer no seio de uma comunidade (às vezes pequena discordância) para que seja fundada uma nova denominação em cima da nova interpretação, que com o tempo, se torna mais uma tradição entre tantas. Eu conheci o "pastor" de uma que era dissidência de outra chamada "O Brasil para Cristo" (se não me engano o ramo novo se denominou "União em Cristo"). Motivo da dissidência? Na antiga não se fazia o lava-pés antes de cada ceia mensal. "Como o Senhor Jesus lavou os pés dos seus antes da última ceia e depois dela disse "fazei o mesmo em minha memória", estamos errados se não fizermos o rito completo", dizia o "pastor". Só que nem ele, nem a antiga comunidade se davam conta de algo mil vezes mais grave: "isto É o meu corpo!" E não apenas simboliza, como afirmam todos os protestantes. E assim, de tradição em tradição eles se afastam da TRADIÇÃO de JESUS, viva na igreja por obra do ESPÍRITO SANTO que nela sempre recorda A VERDADE COMPLETA. (João 16, 13)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Samara 19-10-2016 10:40
Senti falta de abordarem a questão da linguagem, das sucessivas traduções e dos termos utilizados em grego, por exemplo. Parece que ao traduzir para o português, perdeu-se muito da precisão: "eidolon" e "eikon" (ídolo e ícone, que têm acepções diferentes) foram traduzidos numa única palavra, imagem, e se perdeu a sutil diferença. Os ídolos são proibidos, mas os ícones não o são. O ícone é uma representação, uma espécie de janela que veneramos (não adoramos) para chegar a Deus. Já o ídolo é visto como divindade. Ainda, há que se diferenciar as espécies de culto: latria, hiperdulia, protodulia e dulia. Podemos venerar os santos, mas não podemos adorá-los, pois a latria é um culto reservado somente a Deus.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Augusto 19-10-2016 17:53
Acredito que venerar santos não é a a palavra correta, o certo seria apenas uma "grande admiração" pq afinal eles tbms foram humanos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 20-10-2016 00:24
Sim, "venerar" é o termo correto, e o termo que a Igreja aplica. No sentido de "dedicar reverente respeito e deferência" aos santos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Geraldo 22-10-2016 10:25
E é interessante notar que o próprio dicionário bíblico mais usado pelos protestantes (que se dedica justamente a elucidar o significado das palavras da tradução bíblica protestante mais clássica - a Almeida), traz precisamente esta definição da palavra VENERAR, como grande respeito. E por várias vezes a bíblia relata atos explícitos de veneração a seres humanos e a objetos e imagens, sem qualquer apresentação negativa ou condenação dos mesmos, quando eles tão somente queriam dizer isso: DEVOTA VENERAÇÃO, CULTO DE VENERAÇÃO. E do mesmo modo ela também relata atos de veneração à pessoas e objetos, mas claramente reprovando esses atos, quando eles tinham por finalidade divinizar o que divino não era. Seria até muito instrutivo, como estudo, que fizéssemos uma tabela comparativa com duas colunas: Uma coluna teria o título de VENERAÇÃO APROVADA e a outra de VENERAÇÃO REPROVADA. APROVADA: Jacó se prostrando diante de Esaú várias vezes, para demonstrar que respeitava sua posição. A mãe de Salomão, prostrando-se diante do filho em sua condição de rei e ungido do Senhor. A construção do templo, onde o próprio Deus ordena a confecção de imagens. A veneração da Arca da Aliança sobre as quais haviam dois querubins. As relíquias (ossos) do profeta Eliseu provocando curas, o lenço de São Pedro idem. REPROVADA: o pagão Cornélio se curvando perante São Pedro e sendo por este reprovado (sendo pagão, certamente esse seu gesto indicava adoração e não veneração, pois os pagãos daquele tempo divinizavam objetos e pessoas). São João prostrando-se diante do anjo ("para adorá-lo", ele mesmo o diz muito explicitamente) e sendo por ele reprovado, etc. Um único e mesmo gesto, pode ter significados radicalmente diferentes. Bater palmas para aplaudir uma pessoa é radicalmente diferente de bater palmas para acompanhar um canto. "Salve lindo pendão da esperança! Salve símbolo augusto da paz! (...) Receba o afeto do nosso peito, etc." diz o nosso hino à bandeira. Isso é clara, explícita e desbragadamente um CULTO de VENERAÇÃO a um OBJETO. " Ó pátria amada, idolatrada, salve! Salve!", isso é claramente uma veneração à Pátria. Eu jamais vi um único protestante dessa vida, se recusando a cantar o hino nacional, cheio de indignação porque o estariam obrigando a venerar a pátria. "Sangue vivo do herói Tiradentes", diz o hino da república venerando um homem morto. E assim vários hinos de vários países, exaltam e louvam heróis, figuras humanas tidas como importantes na história deles. Obviamente, como o protestante não é nenhum retardado mental, ele canta tranquilamente esses hinos todos, venerando sua pátria, seus símbolos e heróis, porque sabe perfeitamente que não são divinos. Se ele hasteia tranquilamente uma bandeira com uma postura externa venerante (por vezes até inclinando respeitosamente a cabeça) é porque sabe a perfeita diferença entre esse gesto e o gesto de se ajoelhar diante do altar dizendo a Cristo "Meu Senhor e meu Deus". Que por sua vez é diferente da prostração de Jacó que se ajoelhou sete vezes perante Esaú. Bem como é diferente do gesto de Josué, que se prostrou perante a Arca da Aliança. E esses dois gestos são, por seu turno, radicalmente diferentes da prostração do pagão Cornélio frente a Pedro ou da de São João perante o anjo no Apocalipse (essas duas últimas com clara finalidade de adorar e não de venerar, respeitar). O mesmíssimo gesto, mas com significados totalmente diferentes. Qualquer bobão sabe ver a diferença óbvia. E é impressionante que isso gere tanta polêmica vazia.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # César Augusto Simões 24-10-2016 10:18
Interessante notar que eles usam dicionário bíblico e nem percebem que estão desrespeitando o próprio princípio de Sola Scriptura deles.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 19-10-2016 21:52
Augusto, sabias que no passado se dizia que se adorava a Maria aos Anjos e aos Santos, bem como ao Papa, aos pais, aos anciãos e demais pessoas que se deveriam ser honradas e respeitadas, sem ser idolatria. Havia uma diferença entre adoração absoluta - que só se deveria dar a DEUS em suas três pessoas: PAI, FILHO E ESPÍRITO SANTO - e uma adoração relativa, que se dava a Maria aos Anjos e aos Santos bem como aos Papa, aos pais, anciões, e por aí afora. Porém com o passar do tempo, e sobretudo, por critica dos protestantes que viam nesta adoração relativa uma idolatria a Igreja Católica passou então a alcunhar a honra, o respeito e reverência que devemos ter com Maria, com os Anjos e aos Santos de veneração, para não criar confusão na cabeça das pessoas e acharem que tudo era a mesma coisa. Já em termos, digamos, teológicos já se denominava uma separação de culto que para DEUS se designava Latria, para Maria hiperdulia e para o Santos de dulia, mas na linguagem comum dos fieis, seria adoração para DEUS e veneração para Maria, aos Anjos e aos Santos, como para as demais pessoas que devemos honrar, respeitar e reverenciar. Se você for ao dicionário, veras que Veneração também tem como sinônimo de Adoração, mas também é: honra, respeito e reverência que devemos dar a alguém, então nota-se que toda adoração é uma veneração, mas nem toda veneração é uma adoração, portanto, não há nada de errado em dizer que veneramos a Maria, aos Anjos e aos Santos e as pessoas que devemos honra e respeito, ao passo que reservamos a DEUS somente a adoração.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Maria do Socorro Galdino 19-10-2016 10:31
Só quero lembrar que católicos, também são cristãos
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Suris 28-11-2016 08:59
Paz e Bem, sou evangélico e não tenho duvida disso, sempre lembro os de minha congregação que particularmente pode ter algum idólatra tanto na Igreja Católica como nas protestantes (e como têm idólatra de pastores e dinheiro com a falácia doutrina da prosperidade que invadiu o meio evangélico com exceção das protestantes tradicionais), mas a teologia Catolica de maneira nenhuma ensina idolatria.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Filêmon 31-10-2016 21:27
Oh, irmã, pare de refocilar no chiqueiro! Volte à Casa do Pai, o tempo urge! Ao menos assim não se dará à ridicularidade e à inversão revolucionária dessa visão acerca de nós, católicos! O Divino Espírito Santo não sopra sobre a seitinha onde você se encontra!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Geraldo 22-10-2016 09:30
Dona, este "também" aí fica meio esquisito, viu? Dizer que os protestantes também são cristãos, tem muito mais sentido. Sem nenhum espírito de competição e proselitismo, precisamos ser fiéis aos fatos tais quais eles ocorreram, pois nenhum respeito aos irmãos separados e nenhum senso ecumênico, podem prescindir da sinceridade com a gente mesmo e com os outros. É preciso pois que usemos o termo católico na sua real acepção. Ele é, sobretudo, um ADJETIVO, uma nota característica da igreja de Cristo e do cristão. A igreja do Senhor é católica. Ou seja: universal, sob vários aspectos (geográfico, histórico, etc.) Creio que não devemos usar o termo católico como quem usa o termo protestante ou, batista, luterano, presbiteriano, isto é, como se ele fosse o mero nome de uma determinada igreja. O nome do sujeito é Alfredo. E Alfredo - substantivo próprio - é santo, é internacional, é jogador de futebol, é poliglota ou sei lá que mais características... O Senhor não disse a Pedro, "sobre esta pedra, edificarei a igreja católica". Mas disse "edificarei a minha igreja". E os Atos dos Apóstolos e as cartas de Paulo, chamam a igreja simplesmente de igreja. Quando, um pouquinho mais tarde (pouco tempo depois do período apostólico) surgiu o termo católico entre nós, ele surgiu exatamente como característica (da igreja toda) e não como um nome que identifica uma igreja entre outras tantas. Assim como características são os termos UNA, SANTA, APOSTÓLICA e ROMANA. São palavras conotativas, para dizer daquilo que caracteriza a igreja de Cristo. Então, é em relação ao que veio depois (os ortodoxos, os valdenses, os protestantes, etc.) que é apropriado dizer (ou não, a depender daquilo em que creem), "eles TAMBÉM são cristãos". E quem diz se eles são ou não - por mais que isso possa soar autoritário, pretensioso ou anti-ecumênico - é a igreja. E é assim desde o começo. Basta ver o que diz o apóstolo João acerca de alguns gnósticos que continuavam se apresentando como cristãos: " eles saíram dentre nós, mas não eram dos nossos; porque, se fossem dos nossos, teriam permanecido conosco" (1 João 2:19). Um dia desses, este blog postou um tópico chamado "Meu Prostestante Favorito", afirmando - com toda razão - que os protestantes também são cristãos e é a igreja que o diz. E mesmo assim, quando ela diz isso, jamais pretende afirmar que eles o são totalmente. Pelo contrário, afirma muito explicitamente que eles são cristãos, parcialmente, com maior ou menor parte da herança cristã, dependendo do quão próxima da tradição original e revelada, cada comunidade protestante esteja. "ELEMENTOS" da verdadeira igreja de Cristo é o termo usado pela igreja, para se referir ao pedaço cristão que eventualmente uma comunidade protestante possa ter. E aqui é importante distinguir uma coisa óbvia e elementar: não se está falando de conformidade moral com a pregação de Cristo. Não se está tratando de um comportamento moral subjetivamente mais fiel ao evangelho ou não, por mais importante e imprescindível que isso seja. Cristo dotou sua igreja de certos sacramentos, de um ensinamento determinado (ensinamento que é culminância de acontecimentos reais)e de uma liderança visível que lhe representa e se sucede no tempo de modo ininterrupto. É na medida em que, qualquer comunidade que se diga cristã, traga consigo essas características, que ela é de fato cristã. Os seguidores de Jesus foram chamados de cristãos pela primeira vez em Antioquia, ainda no tempo apostólico. Desde aquele começo essas características com as quais Jesus nos dotou (os mesmos sacramentos, a mesma e única doutrina, a mesma autoridade apostólica se sucedendo no tempo e tendo Pedro e seus sucessores à frente) estão presentes entre nós de modo inalterado. Portanto, é acerca dos protestantes que dizemos (e mesmo assim, até certo ponto) : Eles também são cristãos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 19-10-2016 10:39
Claro que sim! E não há nenhum ponto de nosso post que diga o contrário.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Marco Antonio 19-10-2016 10:12
Aqui em Belém, no Círio de Nazaré, os protestantes sempre levantam essa acusação, velha e fajunta. A moda deles agora é participar da procissão como ajudantes da cruz vermelha, doando água, comida e etc. Manobra de MKT. Enganam muita gente por aqui, menos eu.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 19-10-2016 10:52
Eu sempre tive curiosidade sobre isso: então, Marco, as atividades de colaboração dos protestantes no Círio têm fundo proselitista?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Gabriel 19-10-2016 11:54
Geralmente eles realmente ajudam distribuindo água, só que muitas vezes ao ver os promesseiros falam que Deus não quer "sacrifício".
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade