Publicidade
Quarta, 14 Maio 2014 10:43

Comparar devoção aos santos com espiritismo é como confundir tomada com focinho de porco

Postado por
Católicos consultam os mortos???

- Sim, consultam a partir do momento que uma pessoa pede a um morto, mesmo que seja um “santo” morto para mediar ou pedir uma “graça”. Pois qual a diferença entre pedir algo a um “espírito qualquer” e um “santo”???

- Alexandre, protestante

Toda a vez que publicamos algum post explicando as razões pelas quais os católicos não devem se envolver com espiritismo, recebemos mensagens como essa de irmãos protestantes que nos acusam de incoerência: na cabecinha deles, a devoção aos santos realizada pelos católicos equivale à evocação aos mortos feita pelos espíritas. Oh, boys...

Pelo visto, vamos precisar explicar agora a diferença entre tomada e focinho de porco, ou melhor, entre consulta aos mortos e pedido de intercessão aos santos. Basta um pouco de honestidade intelectual e raciocínio para entender que os católicos NÃO evocam os santos falecidos para deles receber deles mensagens, conselhos ou previsões; isso sim seria praticar da necromancia (necro = mortos; mancia = adivinhação). Os católicos invocam os santos – vivos ou falecidos – para deles pedir a INTERCESSÃO.

Cristãos pedindo a intercessão dos santos são como os doentes descritos nos Atos dos Apóstolos, que tinham esperança de alcançar a cura ao serem "tocados" pela sombra de São Pedro; ou seja, buscavam a graça mediada pelo santo. E, como a Bíblia nos revela que os santos permanecem ativos e conscientes mesmo depois de mortos - e a Sagrada Tradição confirma isso - faz todo o sentido crermos que eles continuam a ser nossos intercessores nos Céus.

Já espíritas evocando mortos são como Saul buscando se comunicar com Samuel, para dele receber conselhos e previsões... Ou como o Chico Xavier tirando foto com uma "mulher-fantasma" toda trabalhada na gaze (veja aqui)... Ou como a Demi Moore chamegando com o caboclo do Patrick Swayse, em Ghost...

ghost_demi

É bom notar também a intercessão dos santos tem fundamento bíblico, conforme já mostramos nestes três posts:

Intercessão dos santos – versão bíblica e versão crente 

Santos do Céu – intercessores para os católicos, ociosos para os protestantes

Relíquias de santos: SIM, eu venero!

Alguém aí pode argumentar que os católicos dão crédito às mensagens que Nossa Senhora comunicou em suas aparições, como em Lourdes e Fátima. “Viu só!” – diz o sujeito – “eu disse que os católicos evocam os mortos para deles receber mensagens!”. Péééééééééé! Errado! A Santa Virgem está vivinha da Silva, pois foi elevada aos Céus de corpo e alma. Conforme já explicamos no post sobre a assunção de Maria (veja aqui), seria uma calamidade que os vermes roessem o sagrado ventre em que Deus se dignou a habitar. Já pensaram nisso?

Bem, espero que as coisas estejam agora esclarecidas. E quem vier pro meu lado com esse papinho de "católico necromante", cuidado! Eu boto o nome na macumba! (brinks, brinks...)

galinha_preta_macumba

698 Quarta, 30 Agosto 2017 17:30

Comentários   

0 # Gustavo Siqueira Aleixo 17-10-2014 22:30
Tive contato recente com uma pessoa que estuda o espiritismo, a mesma me leu um trecho do "Livro do Espíritos" (se não me engano, rs), onde Santo Agostinho dá algumas orientações. Percebi plágio de algumas obras agostinianas e algumas leves distorções da doutrina cristã. Recentemente, estava dando uma olhada nos textos do santo doutor, onde encontrei o seguinte trecho, que transcrevo: "Os mortos nada sabem sobre os vivos. Por certo são verdadeiras as palavras do salmo: 'Meu pai e minha mãe abandonaram-me, mas o Senhor me recolheu' (Sl 26,10). Ora, se nossos pais nos abandonaram, podem eles se interessar por nossos problemas? E se eles ficam indiferentes, quais os mortos que poderão se inquietar com o que fazemos ou sofremos? Declara o profeta Isaías: 'Porque tu é que és o nosso pai. Abraão não nos conheceu, e Israel não soube de nós' (Is 63,16). Se os grandes patriarcas desconheceram o destino do povo do qual eram a fonte e cuja raça saiu como fruto de sua fé em Deus, como poderiam os mortos intervir, para conhecer e proteger, nos negócios e empreendimentos dos vivos? E como declarar bem-aventurados os santos cuja morte precedeu nossas infelicidades, se eles continuarem sensíveis às desolações da vida humana? Não nos enganaríamos, por acaso, dizendo que eles estão em lugar de absoluta tranqüilidade, caso se inquietassem com a existência atormentada dos vivos? [...] As almas dos mortos estão, pois, em lugar de onde nada vêem do que se passa ou do que acontece aos homens aqui na terra. Como, portanto, poderiam partilhar das misérias dos vivos, já que ou bem estão a suportar as suas próprias penas, caso as tenham merecido, ou bem estão a repousar como foi prometido a Josias, em lugar de paz [2 Rs 22,18-20]? Aí não sofrem nem por si nem pelos outros, libertados que estão de todas as penas que sua dor pessoal e sua compaixão por outrem lhes ocasionavam quando ainda estavam vivos aqui na terra." - Santo Agostinho, O Cuidado devido ao Mortos, Cap. 13, 16. Dominus Vobiscum !!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 18-10-2014 00:35
Ue, Santo Agostinho era contra a doutrina da Comunhão dos Santos e da intercessão que nossos irmãos que estão junto de DEUS nos céus fazem por nós?. Fui isto que entendi neste texto atribuído a Santo Agostinho. Alguém poderia dar mais esclarecimento sobre isto?.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Chico Sant'Anna 15-06-2014 20:21
Por favor: curti as publicações, tenho muitos parentes que ainda são católicos (eu, de minha parte,mantinha a vontade,anteriormente,de ser padre -,mas existe uma diferença grande entre ser espírita e espiritualista. Da mesma forma que respeitamos, gostaríamos de ser respeitados, como imagino que seremos. Felicidades!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alexandre Eymard de Souza 23-05-2014 18:29
Prezados A Teologia de São Thomás de Aquino celou com chave de ouro a doutrina católica sobre os anjos. Alan Kardec, simplesmente colocou bruscamente uma hierarquia no "mundo dos espíritos" através da maior cara de pau usurpando e modificando totalmente a da doutrina de São Thomás. Os reformadores também. No mundo de hoje em que os protestantes apregoam a Bíblia pela Bíblia, quando falam de anjos percebemos uma larga influência da Teologia Tomista. Que interessante; espíritas e protestantes criticam tanto a Igreja Católica, porém, maldosamente ou não, dão uma olhadinha na doutrina católica e cospem no prato em que muitos comeram
Responder | Responder com citação | Citar
0 # JANES ROCHA 20-05-2014 17:46
Sem falar , Alexandre ( o que fez a objeção à invocação dos santos, citado no corpo do post) em uma diferença grande e essencial: A invocação católica dos santos está longe de se dirigir aos santos como se eles fossem poderes divinos ou tivessem algum poder por si próprios. A devoção aos santos e a confiança em sua fraterna intercessão é expressão de algo que é muito central no evangelho: a nossa intimidade com o Senhor Jesus nos faz imediatamente irmãos uns dos outros, gera COMUNHÃO entre nós. A igreja não é nada sem essa nossa comunhão fraterna em Cristo que nos une em um só corpo, uma comunhão que partilha desde os bens materiais (“não havia necessitados entre eles” nos conta São Lucas nos atos dos apóstolos) até os dons espirituais e que nos faz orar uns pelos outros. Essa é a origem muito evangélica e o sentido profundo da devoção aos santos e é sumamente necessário e fundamental que esse sentido evangélico seja explicado aos protestantes no diálogo ecumênico e mais ainda aos próprios católicos, sobretudo àqueles que tendem a vivenciar a devoção aos santos como se esses fossem gênios ou poderes celestiais prontos a satisfazer nossos pedidos num esquema pagão de “reza-acontece”. Isso é PAGANISMO puro e simples e muitas vezes vendo isso, alguns protestantes acham que estão diante de uma prática devocional inspirado pela doutrina católica. Há gente que tem uma devoção supersticiosa aos santos, mas nenhuma intimidade com Jesus, nenhuma centralidade de Jesus na própria vida. Isso é sério, é preciso que essa pessoa ultrapasse o limiar que separa o paganismo do cristianismo e entenda a devoção aos santos na sua correta e católica (e evangélica!!!) perspectiva: NOSSA COMUNHÃO COM CRISTO, EM CRISTO, POR CRISTO. Nesse sentido é missao pastoral e catequética EVANGELIZAR a devoção popular, aprendendo belissimas liçoes que ela nos dá, mas também trazendo-a para a perspectiva do EVANGELHO e da sã doutrina. O véu que nos separava do santo dos santos, foi rasgado e temos, por meio de JESUS, completo acesso ao coração do PAI, no poder do Espírito Santo. A devoção aos santos não é nem pode ser concorrência a isso, e nem etapa rumo a isso, mas enorme reforço fraterno disso. “Já que não posso falar diretamente com o chefe, falo com seus ajudantes ou com sua mãe para facilitar” já vi gente sedizente católica dizendo tamanho absurdo. Isso é paganismo, e a única desculpa para isso, é a ignorancia da doutrina cristã ou a simplicidade de mentalidade, e não me cabe julgar o coração de ninguém. Mas me cabe dizer a esse irmão, que na igreja católica temos e devemos ter PLENA AMIZADE, CONFIANÇA E INTIMIDADE COM O PAI, por meio de Jesus no poder do seu ESPÍRITO. E que a devoção aos santos, ou é reforço disso, ou não é devoção aos santos coisíssima nenhuma, não no sentido católico da palavra.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo 17-05-2014 23:24
Puxa, há pessoas que lêem, lêem e lêem a Sagrada Escritura e parecem que tem venda nos olhos e não enxergam nada além da ladainha que foi impressa na memória ROM deles...Afirmar que os santos estão mortos é aviltar a palavra de Jesus quando ele replicou os saduceus em "Ele é Deus não de mortos, mas de vivos" (Mt 22,32)... Cheguei a ler um artigo de um colega evangélico afirmando que na transfiguração Pedro tivera uma visão, que não era real a presença de Moisés e Elias...kkkkkkk É de morrer de rir a forçada de barra...Lembra muito outra passagem de São Mateus: "porque olhando não enxergam e ouvindo não escutam, nem entendem" (Mt 13,13). Para finalizar, um pouco do do pensamento cristão primitivo: "Deste modo, nossos santos mártires, agora sentados ao lado de Cristo, partícipes do Seu reino, que julgam com Ele e com Ele proferem a sentença, tornaram-se os protetores dos irmãos que caíram em pecado" (São Dionísio de Alexandria - Século III, comentando acerca da proteção dos santos martirizados que protegem principalmente os cristãos que renegaram a fé nas perseguições dos imperadores Décio e Galo, transcrito por Eusébio de Cesareia em História Eclesiástica - Livro Sexto, Capítulo 42, 4). Em outra passagem, Eusébio narra o martírio de Potamiena em Alexandria e a conversão de seu algoz o soldado Basílides, o qual por tentar protegê-la alcançou uma graça após o martírio da jovem: "Três dias após seu martírio, Potamiena lhe aparecera durante a noite, pusera-lhe uma coroa na cabeça e havia pedido uma graça ao Senhor, obtivera o objeto de seu pedido o qual receberia dentro de pequeno prazo" (História Eclesiástica Livro Quinto, Capítulo 5, 6)...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Ana 17-05-2014 21:28
Gostaria de saber qual a opinião de vocês sobre um homem chamado Pedro Siqueira, ele realiza orações do Terço em varias paroquias em diversas capitais do Brasil, com a autorização dos bispos locais, e ele afirma qe vê e recebe mensagens de Nossa Senhora, que vê anjos, inclusive o seu próprio anjo da guarda, que também ja viu demônios e em uma de suas entrevistas para a TV ele também disse qe viu São Francisco de Assis e que ele o tocou!! Ele reúne dezenas ou talvez centenas em cada terço que realiza. Ele ja foi em programas como Mais Você, De frente com Gabi e Tv Xuxa. O que vocês dizem sobre isso?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 18-05-2014 12:40
Ana, Não sei o que os demais membros da equipe do blog pensam, mas eu ainda não cheguei a nenhum parecer sobre o Pedro Siqueira. A princípio, tenho simpatia por ele, ainda que esse negócio de Nossa Senhora dar orientações muito específicas e particulares me pareça bastante estranho e inédito na história das aparições (tipo: "fulana tem que tomar o remédio tal que vai melhorar"). Vamos acompanhando as entrevistas dele e suas obras.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 15-05-2014 13:25
Diz Jesus: "todo aquele que em Mim crer não morrerá jamais".
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Daniel 14-05-2014 18:55
Sidnei, já leu "O banquete do cordeiro"? Do Scott Hann? Ele faz um estudo da Santa MIssa a luz do livro do Ap. É sensacional! Recomendo muito a leitura! Abs!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 15-05-2014 19:40
Obrigado pela dica Daniel, vou ver se encontro este livros nas livras católicas por aí, talvez por um milagre eu ache, porque nos dias de hoje pode se encontra de tudo em livrarias católicas, menos bons livros que possam nos instruir mais e melhor em nossa fé, mas, sempre há exceções.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 14-05-2014 17:58
"O contexto que vocês usam para provar tais práticas de invocação e oração aos santos não condiz e até contradiz. Vocês usam o texto em Apocalipse e se esquecem que outras coisas no capitulo deveriam também acontecer, porém o livro fala de coisas futuras e não do hoje em si. " Meu DEUS, quantas bobagens a gente escuta destes protestantes. O livro do Apocalipse não trata somente de coisas futuras, mas também de coisas passadas, presentes e futuras. Uma passagem da Bíblia que demonstra a Intercessão dos Santos dos Céus pelos santos da terra, foi uma que o Janes Rocha já citou, que diz:"Quando recebeu o livro, os quatro Animais e os vinte e quatro Anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo cada um uma cítara e taças de ouro cheias de perfume (que são as orações dos santos)." Esta passagem é o nítido testemunho de que os Santos dos céus (representados por estes 24 anciãos) intercedem pelos santos da terra, apresentado estas orações a DEUS através do incenso, e não se vê ali algo que acontecerá em um futuro muito distante, mas, que estava acontecendo naquele momento em que se estava dando a visão. Os protestantes com suas múltiplas interpretações, em que dizem que a Bíblia explica a própria Bíblia só não explicam o porque ninguém chega a conclusão alguma já que todos tem o mesmo ESÍRITO SANTO que os iluminam e guardam de qualquer erro, não faz que eles cheguem as mesmas conclusões e interpretações bíblica, isto é um mistério que chamais será esclarecido. Mas como tinha escrito, os protestantes com suas múltiplas interpretações acreditam uns que as passagens do livro do Apocalipse serão realizados todos para o futuro, outros que já esta acontecendo, estes, se aproximam segundo o que nós católicos cremos. Se fizermos uma análise do livro do Apocalipse, e muitos já fizeram, sobre tudo o grande Santo Agostinho, veremos que o livro do Apocalipse trata de eventos do passado, presente e futuro. A passagem citada de Ap. 5,8 deverá ser entendia nestes três tempos, pois estes anciãos antes do cordeiro receber os livros já estavam apresentando as orações dos santos em forma de incenso perante ao SENHOR, o que demonstra que os Santos que a partir de CRISTO no passado, presente e futuro estarão sempre apresentando nossas preces perante a DEUS. Teria que ver como os protestantes interpretam Ap. 5,8, será que eles imaginam que só haverão anciãos no céus apresentando as orações dos santos da terra em forma de incenso somente em um futuro distante?, na grande tribulação?, e porque não antes?, não vivemos em tribulações todos os dias os quais muitos apelam a DEUS e aos Santos por sua intercessão que nos auxilie na luta de todos os dias?.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Daniel 14-05-2014 17:42
Nerli, gostaria de lhe indicar um livro chamado "Todos os caminhos levam a Roma". Ele foi escrito pelo PhD Scott Hann, que foi por mais de 20 anos pastor de uma igreja anglicana nos EUA. Toda a sua família era protestante, além da de sua esposa, e ele dá o seu testemunho de como se converteu ao Catolicismo, o que posso lhe adiantar que foi por meio de muito estudo e doutrinas protestantes que são inexplicáveis e sem fundamento, como a sola scriptura que você teima em se agarrar. Tem que ter coragem pra ler, heim....será que você consegue??? Lembre-se que a IGREJA é "coluna e fundamento da verdade" (1 Tm 3,15) e não a Bíblia. Isso não lhe diminui a grandeza, mas saiba que a IGREJA é, pelo menos, 300 anos mais antiga que a Bíblia. E se hoje você lê Hb e Ap, agradeça a Santo Agostinho, ok?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Janes Rocha 14-05-2014 16:58
Bonito POST. Só discordo do termo EVOCAR (que é chamar os mortos ou os santos à nossa presença). O certo é INVOCAR, que não implica que eles se tornem presentes cá na terra, continuam lá na glória de Cristo. INVOCAMOS sua intercessão (lá onde estão) e jamais EVOCAMOS ou CONVOCAMOS para que cá compareçam como fazem os espíritas. Essa é uma das novidades mais belas da VIDA NOVA em Jesus, é um tesouro típico do NOVO TESTAMENTO (aqui entendido não como apenas o livro escrito, mas a realidade da SALVAÇÃO que entra no mundo, pelo ministério de Jesus e dos apóstolos): os primeiros cristãos perceberam muito cedo, que a comunhão que Jesus realiza entre nós por causa dEle, não termina com a morte mas se fortalece. Um sinal forte dessa convicção da igreja primitiva já aparece no Apocalipse, que diz das orações dos santos que como incenso são ofertadas a Deus. E logo pouquinho tempo depois disso (como a arqueologia dos tempos bíblicos mostra) aparecem inscrições antigas nos locais de culto dos primeiros cristãos, dizendo: PEDRO ORAI POR MIM, PAULO LEMBRE-SE DE MIM DIANTE DO SENHOR ETC. A comunhão, o fato de sermos irmãos na graça de Cristo, é tão preciosa e forte que, naturalmente, nem a morte acaba com ela, ao contrário a fortalece. O sentido da intercessão dos santos surge muitíssimo cedo no Cristianismo como parte importante da nossa identidade, é coisa dos primeiros séculos! Com certeza, com o passar dos anos, pode surgir (e tem surgido) uma contaminação pagã dessa herança autenticamente evangélica. Principalmente quando ocorre o sincretismo com crenças pagãs em espíritos e entidades, como ocorreu tanto no Brasil. E assim o clima cultural de certos lugares (como Salvador-BA e o Haiti, por exemplo) favorece o equívoco da crítica protestante. Mas não é raro, que alguns protestante, afastada essa confusão provocada por devotos supersticiosos ou até sincretistas, compreensão a raiz evangélica da Devoção aos Santos, como recurso precioso para contemplarmos na prática, como se vive a salvação, como se pode propagar a BOA NOVA de Jesus, mostrando as maravilhas que ele tem feito na vida de tanta gente que entregou a vida a Ele, gente que agora junto dEle forma aquela imensa nuvem de testemunhas da qual Paulo fala. Se combatendo cá na terra por Cristo, se pregando o Evangelho por toda parte, morremos e chegamos à presença de Cristo, qual a coisa mais óbvia que faremos, quase que espontaneamente: claro! pedir ao único intercessor que faça a salvação avançar no mundo! Orar ao Cristo Deus que cuide de cada irmão que cá ficou para que cada um avance no caminho da salvação. Ora esse entendimento é facílimo, óbvio, natural, familiar por demais a todo aquele que tem o sentido do Evangelho, que vive na atmosfera da Boa Nova da Salvação. A intercessão dos santos, é coisa mais que conatural ao Evangelho. É mutirão dos irmãos para que mais e mais gente conheça Jesus e viva na sua graça.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 14-05-2014 17:04
Tem razão, Janes! Católicos INVOCAM os santos. Obrigada!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 14-05-2014 16:30
Nerli, acabei de mandar pro lixo a sua resposta engraçadinha. Eu não fico entrando em sites, grupos, fóruns ou blogs protestantes para encher o saco de ninguém. Tenho parentes evangélicos maravilhosos, gente de fé sincera (ainda que gravemente deficitária do ponto de vista e da graça e da doutrina) e, portanto, não tenho o menor interesse em ficar de picuinha com evangélicos. Abri aqui o nosso espaço para você trocar ideias, mas você preferiu fazer como um pombo jogando xadrez: em vez de raciocinar e usar de estratégia, cagou tudo. É seu direito. Mas também é nosso direito dizer que esse espaço é CATÓLICO, e não daremos oportunidade aqui para ninguém esculhambar a única Igreja fundada por Cristo. Quer difamar os católicos? pois que faça isso em um espaço protestante, aqui não. Então, nem perca mais seu tempo nos escrevendo. Vai tudo direto pra lixeira. Fique na Paz de Cristo! p.s.: Uma perguntinha... E louça pra lavar, tu não tem não?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Lucas Farias 14-05-2014 18:53
Eita que me lembrei de um episódio ocorrido comigo. Pra encurtar, um protestante veio questionar o porque eu estava rezando o terço. E começou por um ponto nunca debatido: Imagens. Após a conversa, ele me xingou e mudou de assento. rsrsrsrsrsrsrsrs Boa Catequista !!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Nerli Nunes 14-05-2014 14:55
A meu ver, ainda nao está esclarecida essa questão. Na prática religiosa que vejo há uma semelhança sim com a prática espírita. Basta olharmos no Face as inumeras postagens feitas por católicos. Eu trabalho com católiicos e já vi gente conversando com santo pedindo conselhos, luz para a vida, respostas para os problemas do dia a dia. A disculpa é que os santos estao vivos no céu. Será que há só santos católicos vivos no céu? E se um espírita se comunicar com um fiél ou santo católico que está no céu, seria uma maninfestação verdadeira? Se um santo católico no céu pode curar podemos dizer que a cirurgia espiritual feitas por médiuns não é verdadeira? Porque no catolicismo a intervenção de santos no meio católico pode? O contexto que vocês usam para provar tais práticas de invocação e oração aos santos não condiz e até contradiz. Vocês usam o texto em Apocalipse e se esquecem que outras coisas no capitulo deveriam também acontecer,porém o livro fala de coisas futuras e não do hoje em si. Outra coisa, onde lemos que Maria foi elevada aos Céus de corpo e alma? E se isso de fato ocorreu, porque nao ficou registrado na Bíblia? Poderia, uma pessoa tão pura como Maria não pode ter esse momento tão lindo registrado na Biblia? Porque Paulo, Pedro, João, Tiago não falaram sobre isso já que Maria era venerada, de supremo valor cristão para a Igreja? Seu texto está curto sem as explicações que eu achei que teria. Espero encontrar um dia explicações que me façam voltar a ser um de vocês, pois quanto mais leio seus textos, mais dúvidas tenho. Não lógica bíblica e muito menos raciocinio comum para colocações. A Bíblia interpreta a si mesma. Eu conheço muita coisa nela e vejo muita gente usando partes isoladas, deixando de lado figuras de linguagens e contexto. É preciso comparar as coisas espirituais com as espituais, é necessario discernir bem tudo, e nao usar texto fora do contexto para criar pretexto. E eu nao falo isso só para vocês, é para os protestantes. E eu quero aprender muito com vocês.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Juliano Fleith 15-05-2014 09:10
Nerli, quem utiliza os textos bíblicos fora do contexto são os protestantes. A única coisa que eu posso lhe dizer: volte para a Igreja Católica, e confie na fé professada por ela. Agora, se você encara as respostas da Catequista com ironias, então seja feliz lá no seu espaço, com seus gritos ululantes e as tagarelices típicas de vocês. Fique com Deus. "Virá tempo em que os homens já não suportarão a sã doutrina da salvação. Levados pelas próprias paixões e pelo prurido de escutar novidades, ajustarão mestres para si. Apartarão os ouvidos da verdade e se atirarão às fábulas” (2 Tm 4,3-4)"
Responder | Responder com citação | Citar
0 # adriano 15-05-2014 08:53
Amigo, entendo sua ânsia em conhecer a doutrina católica, mas um dos pontos que você deve considerar para isso é que a autoridade da bíblia não pode ser extraída da própria bíblia. A pergunta é simples: se a bíblia é o fundamento de sua própria autoridade, me diga onde está, na bíblia, a lista dos livros inspirados? Sabemos que houveram muitos livros apócrifos e, sendo assim, alguém teve de dizer quais livros eram inspirados e quais eram apócrifos. Isso depende de uma autoridade externa à bíblia. Por isso, confiar na bíblia implica em confiar numa autoridade. Só podemos confiar na autoridade das sagradas escrituras baseados na autoridade da Igreja Católica.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 15-05-2014 11:46
Perfeito, Adriano! Raciocínio simples e lógico.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 14-05-2014 15:53
Nerli, Nós católicos conversamos com santos, sim. Normal, afinal, cremos que eles ouvem nossas orações. Mas acaso o santo respondeu de forma direta esses seus colegas católicos? O santo mandou alguma mensagem psicografada, baixou em algum médium pra falar ou coisa assim? O santo veio pregar, fazer alguma revelação...? Não? Então, Nerli, não force a barra pra dizer que isso é espiritismo. Se fosse, os espíritas não se esforçariam tanto em denegrir a história e a doutrina católicas, já que, segundo você, somos farinha do mesmo saco. Pedro quis construir uma tenda para Jesus (transfigurado), Elias e Moisés (falecidos). Veja, os tratava como amigos vivos, queria conviver com eles e ser amável. Acaso podemos acusá-lo de praticar espiritismo? Sobre as curas de santos católicos, a lógica é simples: eles faziam milagres quando vivos (veja o exemplo de Pedro e dos demais católicos) e, portanto, podem perfeitamente fazer os mesmos milagres, e até outros maiores, estando nos Céus unidos a Cristo, conversando com Ele intimamente (lembre-se de Moisés e Elias, no maior papo com Jesus, no episódio da transfiguração). Você deve lembrar também da passagem em que um homem ressuscitou depois de seu corpo tocar nos ossos de Eliseu, certo? Então... a cura foi realizada com o poder de Deus, por meio - MEDIAÇÃO - dos ossos do profeta morto. Então, você quer mesmo insistir em comparar a ressurreição do sujeito que tocou nos ossos de Eliseu - poderia ter sido uma cura - com as supostas cirurgias espirituais feitas por médiuns? Bem, você deveria saber que a Bíblia não é a única fonte de autoridade para os cristãos, afinal, nos três primeiros séculos, ela nem ao menos estava organizada, e até a invenção da prensa móvel, lá pelo século XVI, pouca gente tinha acesso à Bíblia. Já explicamos isso no nosso post sobre a igreja primitiva: Um dia na vida da Igreja Primitiva http://ocatequista.com.br/archives/10672 Então, há algo que é anterior à Bíblia, algo que GEROU a própria Bíblia: a Sagrada Tradição. A própria Bíblia ensina que a fé cristã deve estar baseada não só na Bíblia, mas também na Tradição oral: “Assim, pois, irmãos, ficai inabaláveis e guardai firmemente as tradições que vos ensinamos, de viva voz ou por carta” (2 Ts 2,15). E a própria Bíblia também diz que Jesus fez e disse muitas outras coisas maravilhosas, que não caberiam em um livro. Portanto, nem tudo o que Jesus disse ou falou, e nem tudo que os apóstolos vivenciaram está escrito na Bíblia. Acaso a Bíblia fala de clonagem, por exemplo? Então, como hoje um evangélico pode dar um parecer sobre este tema, se não está escrito na Bíblia? Não tem como né? Afinal, não há entre vocês ninguém que Cristo tenha estabelecido como apascentador das ovelhas, ninguém a quem Cristo tenha dado as chaves dos Céus, para ligar e desligar, ou seja, para julgar o que é de Deus (ligado aos Céus) e o que não é de Deus (desligado dos Céus). De fato, vocês renegam os sucessores de Pedro, e assim navegam a esmo pelo oceano das interpretações pessoais. Bem, o artigo sobre a Assunção de Maria está linkado neste post. Se, mesmo depois de lê-lo, você ainda achar razoável que o ventre onde a carne de Deus se formou tenha apodrecido, tenha sido roído pelos vermes, então... Aí é contigo. Só pra notar: Lutero, mesmo depois de ter realizado a "Deforma Protestante", continuava a crer firmemente da virgindade perpétua de Maria e na sua condição de Imaculada. Estamos à disposição para esclarecer qualquer dúvida. Sei que há mais alguns comentários seus pendentes de liberação, mas te avisamos assim que dermos resposta. Abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 14-05-2014 14:21
Creio que não somente Maria pode aparecer e trazer alguma mensagem do céu por ela esta vivinha da silva nos céus, mas nossos santos falecidos assim como nossos irmãos e familiares também podem, desde que estas aparições sejam por iniciativas divinas, ou seja, quando DEUS quer, e não quando nós ou os próprios santos e aqueles que estão junto de DEUS nos céus. Na oração de Ana mãe de Samuel, ela dirá: " O Senhor dá a morte e a vida, faz descer à habitação dos mortos e de lá voltar." (1º Samuel 2, 6), tanto que mais tarde seu próprio após ter falecido aparecerá a Saul para comunicar o que acontecerá ao próprio Saul, como consta em 1º Samuel 28, e pelo contexto desta passagem, mesmo que tenha sido em um tipo de sessão espirita, foi o próprio Samuel quem apareceu, pois assim a própria Bíblia diz, pois se não fosse, a Bíblia diria que seria um demônio disfarçado de Samuel ou a alucinação de Saul que via Samuel que estaria se comunicando com Saul, mas não, a própria Sagradas Escrituras diz claramente que foi Samuel que apareceu, porém, isto foi por iniciativa divina, foi o próprio DEUS que quis que Samuel aparecesse, como disse Ana acima, foi DEUS quem trouxe Samuel do mundo dos mortos para comunicar o que aconteceria a Saul, e longe desta passagem atestar a evocação dos mortos, Samuel dirá a Saul que aquele pecado, de o ter evocado dos mortos custará a Saul a sua derrota no dia seguinte contra os filisteus. O fato de se proibir a evocação dos mortos esta justamente ligado ao fato que somente DEUS pode trazer alguém do além antes da ressurreição ou até mesmo levar alguém daqui para lá antes da morte. É ELE o SENHOR da Vida e da morte, cabe a ELE decidir quem poderá vir de lá para ká antes da ressurreição ou até mesmo de alguém de ir daqui para lá antes da morto como aconteceu com São Paulo: "2. Conheço um homem em Cristo que há catorze anos foi arrebatado até o terceiro céu. Se foi no corpo, não sei. Se fora do corpo, também não sei; Deus o sabe.3. E sei que esse homem - se no corpo ou se fora do corpo, não sei; Deus o sabe - 4. foi arrebatado ao paraíso e lá ouviu palavras inefáveis, que não é permitido a um homem repetir." (2º Cor. 12, 2-4). Portanto, creio sim, que DEUS pode fazer alguém que já esta na glória mas que ainda não ressuscitou vir a esta mundo comunicar alguma mensagem vinda do céu, mas estas aparições serão sempre por iniciativa divina e não por vontade própria de quem quer que seja, quer dos Santos que já se encontram nos céus, que de nós que estamos neste mundo através de evocações ao mortos, a nós só é permitido pedir a intercessão de nossos irmãos que estão nos céus para que roguem junto a nós a DEUS PAI em nome de JESUS, dentro da Comunhão dos Santos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Renata Marinho 14-05-2014 13:49
Sou muito grata por tanto conhecimento.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Geneto Eugenio 14-05-2014 11:27
Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá; E todo aquele que vive, e crê em mim, nunca morrerá. Muito bom o post, veio completar os demais já postados... Abração a todos!!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex 14-05-2014 11:04
Primeiramente, gostaria de lhes informar que esta galinha pretinha me fez rir muito!!! Agora, vamos ao post... Muito bom! Esclarecedor!!! Mas, tenho uma dúvida, como nossos pedidos de intercessão "chegam" aos santos? Como eles "ouvem" as nossas preces? Sei que diz respeito à comunhão dos santos, mas, meu pouco conhecimento só vai até aí...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 14-05-2014 14:24
Pode haver muitas outras explicações de como os Santos podem atender nossas preces no céu mesmo não sendo oniscientes como DEUS, o que importa nas inúmeras explicações é o fato que eles podem sim, ouvir nossas preces e interceder por nós, aqui esta o cerne da doutrina da Comunhão dos Santos, a forma de como eles nos atendem pode ser até discutível, mas o que não podemos negar é o fato de que eles podem, de uma maneira ou outra, ouvir nossas preces e de intercede por nós junto a DEUS PAI, FILHO E ESPRITO SANTO.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Fabão 14-05-2014 12:30
Certa vez li um artigo que falava dos Santos Anjos da Guarda. Como anjo é um mensageiro, dizia-se que parte do "trabalho" deles seria levar as nossas orações a Deus. Uma vez que o Anjo da Guarda é "pessoal e intransferível", acho razoável imaginar que não somente Deus ouve nossas orações e as comunica aos santos, mas que os Anjos da Guarda (os nossos e os dos santos) comunicam-se entre si e junto com os santos intercedem por nós.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 14-05-2014 13:29
De fato, Fabão, Deus é onisciente e não precisa que nenhum anjo ou santo leve nossas orações até ele. Mas o fato é que ELE QUER dar a Seus anjos e santos a honra de serví-Lo, e assim dá a eles a nobre missão de interceder por nós, os vivos. É o que vemos nesse trecho de Tobias, em que o anjo Rafael fala: "Quando tu oravas com lágrimas e enterravas os mortos, quando deixavas a tua refeição e ias ocultar os mortos em tua casa durante o dia, para sepultá-los quando viesse a noite, eu apresentava as tuas orações ao Senhor." (Tobias 12,12) Ah, quase me esqueci de dizer que o livro de Tobias foi decepado da Bíblia pelos protestantes... Pudera, pra manter de pé suas doutrinas falsas, só mutilando a Bíblia mesmo!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Edilson 14-05-2014 11:53
Prezado Alex, pelo que me lembro é o próprio Deus quem comunica aos Santos nossos pedidos, já que eles não são oniscientes. Recomendo a leitura: http://www.veritatis.com.br/inicio/espaco-leitor/5581-leitor-pergunta-sobre-a-oracao-de-intercessao-dos-santos
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex 14-05-2014 12:09
Caríssimo Edilson, muito obrigado mesmo pelo link!!! Tudo isso só me faz louvar ainda mais a Deus e glorificá-Lo nos Seus santos!!!
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade