Publicidade
Segunda, 19 Setembro 2016 01:10

Desculpe o transtorno, preciso falar da garota pejoteira comuna

Postado por

Conheci ela em um encontro da Pastoral da Juventude. Essa frase pode parecer bisonha se você imaginar em grupo católico que é um verdadeiro criatório de militantes socialistas. E era isso mesmo! Há muitos grupos da PJ maravilhosos, fiéis à doutrina da Igreja. Mas aquela era uma PJ comunista.

Ela era pejoteira. Minha prima era pejoteira. Eu não era pejoteiro, mas ia buscar minha prima no encontro da PJ. Ela estava lá. Dançando como pomba-gira. Nunca vou me esquecer: a música era a Nego Nagô.

Quando as meninas jogavam as mãos para o alto, ela rodopiava e trombava com todos ao redor. Os olhos, sempre vermelhos (ela dizia que era alergia, mas eu não sei não...), deixavam claro que ela não fazia ideia do que estava fazendo. Foi paixão à primeira vista. Só pra mim, acho.

comunismo_pj

Passamos algumas madrugadas conversando no telefone fixo ao som das músicas do Gonzaguinha (eu achava um porre, mas o que a gente não faz quando está a fim de uma garota, não é mesmo?). De lá, migramos pro MSN. Do MSN pro olho no olho.

Começamos a namorar quando ela tinha 20 e eu 23. Viajamos para os acampamentos da PJ dividindo o fone de ouvido. Escolhemos herois incensados pela esquerda para idolatrar, sem pesquisar sobre a biografia deles (se a gente tivesse estudado um pouco, saberíamos que eles não passavam de loucos e psicopatas). Escrevemos juntos textões em homenagem a Antônio Conselheiro, Che Guevara e Zumbi dos Palmares.

pj_sacrilegios

Dos dez livros mais heréticos que conheço, sete foi ela que me mostrou. Os outros três foi o Leonardo Bode quem escreveu. Aprendi o que eram CEBs e também o que era feminicídio, convivência sororal, awerê e outras palavras que o Word tá sublinhando de vermelho porque o Word não puxa uma erva nem toma chá de cogumelo.

Um dia, terminamos. E não foi fácil. Chorei quando ela ameaçou botar meu nome na macumba, fiquei boladão (na PJ eles sempre cantam “Eu vivi mamãe Oxum na cachoeira”, eu pensava que era só uma homenagem bonita ao “povo negro”, mas na verdade é só parte da estratégia de levar os jovens ao nefasto sincretismo).

sincretismo_pj

Até hoje, não tem um evento católico que eu vá em que alguém não diga, em algum momento: “cadê ela? Já foi pra Cuba?”. Como já dizia a Samsa, the North remembers, e a zoeira never ends!

Se ao menos a gente tivesse tido um projeto social em comum, eu penso. Mas tudo o que fizemos foi brincar de índio (todo pejoteiro comuna se acha mega conectado com o povo indígena, mas é tudo pajé-modinha) e servir de massa de manobra para o MST, a CUT, o MTST (todos grupos pró-aborto), o movimento LGBT e os partidos de esquerda.

dnj_comunista

Essa semana, pela primeira vez, revi as fotos dos eventos da PJ em que participamos juntos — e só não estrebuchei e morri de tanta vergonha porque pensei que tem gente com um passado pior do que o meu (confessem suas esquerdices dos tempos idos nos comentários, me ajuda aí gente...). Achei que fosse chorar tudo de novo. E o que me deu foi uma felicidade muito profunda de ter sido liberto de uma grande besteira que fiz na vida. O ruim é ter esse merdelê documentado em fotos. Era só o que me faltava.

*****

Esse texto é uma paródia do artigo de Gregório Duvivier: Desculpe o transtorno, preciso falar de Clarice. E não, eu nunca namorei uma pejoteira comuna (ufa!), essa parte é ficção. Mas tudo o mais sobre o espírito de rebelião, os sacrilégios corriqueiros e heresia da facção comunista da PJ é a mais triste verdade.

A formação da consciência política dos jovens é fundamental, e também o estímulo para o seu engajamento social e político. A aberração da PJ comunista, no entanto, está no fato de grupo que diz ser católico ser alinhado ideologicamente com movimentos e partidos inimigos dos valores cristãos.

 

1430 Sexta, 24 Fevereiro 2017 17:27

Comentários   

0 # Agenor Neto 22-09-2016 12:31
Nunca fui pjoteiro mas convivi por anos em meio a eles por um relacionamento, aliás nunca vi uma função real a PJ, a não ser bagunça, dança e sua prepotência em dizer que lutam por um mundo melhor, porém não fazem nada para que isso aconteça. Tenho grandes amigos que defendem esta bandeira, varias vezes entrei em discussões por dizer que fazer ciranda e cantar não muda nada, o que muda são atitudes, cobranças, criar, recolher assinaturas e propor um projeto de lei. Enfim, PJ pra mim só serve para ajudar em quermesse e encher o saco. Eles vivem em um mundo utópico que é só deles.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Rosemary 21-09-2016 09:15
Creio que O Catequista dará melhores explicações do que eu, mas só para que entenda como o socialismo é nefasto a ponto de ser combatido por Papas anteriores, procure ler o Livro Negro do Comunismo , O Zero e o Infinito – George Koestler ; 1984 / A Revolução dos Bichos (ambos de George Orwell), é estarrecedor. Se o socialismo fosse tão bom e despretensioso Nossa Senhora em Fátima pediria que a Rússia fosse consagrada ao seu Imaculado Coração para que seus erros não se espalhassem pelo mundo? Você pensa que os cubanos e venezuelanos estão satisfeitos com os regimes que estão sujeitos? Os partidos de esquerda estão todos comprometidos com a implantação da ideologia de gênero nas escolas, com o aborto e com a eutanásia. Acompanhe as votações municipais e veja quem aprova estes projetos. Católico que vota nestes candidatos, está indiretamente aprovando todas estas coisas.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # geraldo 25-09-2016 21:34
Papas anteriores e o papa atual também: http://ocatequista.com.br/archives/14281 Em suma, todos os papas, desde que esse negócio existe.
Responder | Responder com citação | Citar
-4 # Marcelo Mohammad Rech 20-09-2016 21:40
Sejam autênticos! Mostrem que vocês são católicos! Eu não tenho vergonha de defender minha fé e minha religião! Sou católico, sim, no meu trabalho( trabalho em 03 escolas) e nas rodas de amigos. /sempre defenderei minha fé! Vou confessar que sou simpático ao Socialismo, ao MST e aos movimentos sociais. Também sou um defensor da causa palestina. No entanto, em primeiro lugar, está Jesus Cristo, o centro da minha fé e vida!!! Não tenham medo de lutar pelos seus ideais. Faça valer a sua opinião nesses grupos. Discuta, mostre o pensamento da Igreja! Católico, não seja omisso, vamos dar testemunhos! Trabalhei 30 anos em rádio e eu era tachado de repórter católico e sofria muitas gozações dos meus colegas! Deus acima de tudo!!!! Uma pergunta: o que é pior, o Socialismo ou o capitalismo?
Responder | Responder com citação | Citar
+4 # Francisco Citelli 06-03-2017 01:27
Lógico que é o socialismo! Que matou muito, mas muito mais que o capitalismo! Quanto a defesa da causa Palestina. Não seria muito mais interessante você que se diz católico defender os cristãos perseguidos e martirizados pelo Islã?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 21-09-2016 01:20
Acrescento mais uma coisa, Marcelo: a Doutrina Social da Igreja (DSI) não defende nenhum sistema econômico específico, mas o modelo que mais se aproxima daquilo que a DSI prega é o Distributismo. Esse sistema é defendido pelos autores católicos Chesterton e Belloc. Na sua juventude, inconformado com as injustiças promovidas por grandes capitalistas, Chesterton abraçou o socialismo. Depois, viu que essa doutrina era incompatível com o cristianismo. Até que desenvolveu e passou a defender o distributismo. Vale a pena você ler mais sobre isso.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # geraldo 25-09-2016 09:42
Caros Marcelo e Viviane. Gostei muito da longa explicação (que precisa mesmo ser longa dada à complexidade do assunto) de Viviane. Só gostaria de acrescentar algo e me corrijam se eu estiver errado: Embora capitalismo e comunismo não sejam opostos entre si como duas ideologias adversárias,embora não exista economia capitalista x economia comunista, mas simplesmente economia, penso que pode haver e tem havido, uma defesa ideológica do capitalismo. E penso que ao dizer isso, estou repetindo, com outras palavras, a mesma coisa que a igreja diz quando afirma o que Viviane escreveu mais acima: " se por capitalismo se entende isso e aquilo (ai lista-se todas aquelas concepções e práticas) então a igreja é contra..." E essa defesa ideológica do capitalismo, chama-se liberalismo e mais recentemente, libertarianismo. Quando o santo padre afirma "essa economia mata", creio que ele está se referindo a todas aquelas características do capitalismo que a igreja lista como incompatíveis com a moral e a fé, ou seja, está se referindo àquele capitalismo que foi citado mais acima. O capitalismo é algo puramente técnico em si mesmo, é um modo de organizar a produção, a criação da riqueza, as finanças e nesse sentido, penso que ele é sinônimo mesmo de economia. O que não quer dizer que seus agentes possam alegar neutralidade ética, pois como qualquer realidade técnica, ele pode ser bem ou mal usado do ponto de vista ético-moral. Pode ser inclusive manipulado em função de objetivos maus, como a manutenção da ditadura comunista na China e ou na Venezuela, a poluição de uma nascente que abastece o povo de uma cidade, ou a exploração de um trabalhador mediante um salário que está muito aquém de seu empenho. Como ilustração desse último exemplo que cito (do emprego e do salário) creio que é muito instrutivo o testemunho daquele empresário argentino, em cuja beatificação o atual papa anda empenhado, o Henrique Shaw. Ele era, em todo o sentido técnico da palavra, um capitalista, um homem da iniciativa privada. Mas para ele, o lucro nunca esteve acima dos valores humanos e cristãos. "Então ele não era capitalista!" Dirão alguns, revelando assim esse entendimento equivocado de que capitalismo é sinônimo de ambição desmedida, acima de quaisquer valores e imperativos morais. Houve um tempo em que, por influência da Doutrina Social da Igreja, se falava no lucro justo e ele chegou a ser praticado em muitos lugares. Indo para a JMJ em Madri, Bento 16 voltou a condenar a prioridade dada por muitos ao lucro máximo a qualquer preço. Pois bem, esse Henrique Shaw, esteve por várias vezes diante da possibilidade de aumentar muito os seus lucros, só que o preço a pagar para obtê-lo seria colocar na rua, vários pais de família com muitos filhos pequenos para criar. Ele não hesitou em fazer sua clara escolha: preferiu ter menos lucro e manter seus empregados. Empregados que ele fazia questão de visitar no hospital, quando doentes, providenciando tudo o que lhes fosse necessário. São João Paulo II, dizia, na Centesimus Annus, que em sua banca de trabalho, o operário deveria se sentir sócio e co-gestor do empreendimento, incentivando assim os patrões a promoverem a sua participação nos lucros e na gestão da empresa e a fazerem da mesma uma segunda casa, onde todos pudessem ser como membros de uma família. Isso em nada faz com que o capitalismo deixe de existir. Mas com certeza nos lembra que há modos e modos de se gerir uma empresa. Acerca do falso dilema entre capitalismo e comunismo (do ponto de vista econômico), acredito que a reflexão do Pe.Paulo Ricardo (vídeo abaixo) é muito ilustrativa da posição cristã e daquilo que disse Jesus: "Onde estiver seu tesouro, aí estará o teu coração!" https://padrepauloricardo.org/episodios/e-o-capitalismo Sempre gosto de acrescentar à sugestão deste vídeo acima, este outro (abaixo), pois ele traz testemunhos vividos e casos acontecidos, que mostram como aquilo que o padre ( e a doutrina da igreja) propõe acima, é tão viável que tem sido efetivamente posto em prática: https://www.youtube.com/watch?v=yMbQd12_U2c
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # geraldo 25-09-2016 21:31
Digo "pode haver", não como possibilidade moralmente permitida e lícita. Muito pelo contrário. Só quis dizer que muita gente aborda o capitalismo ideologicamente, exalta o lucro a qualquer custo, custo ético inclusive. E busca racionalizar isso, para fugir de sua responsabilidade moral.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 20-09-2016 23:59
Marcelo, você nos perguntou: "o que é pior, o Socialismo ou o capitalismo?". Na verdade, essa é uma pergunta impossível de ser respondida, porque capitalismo e socialismo NÃO SÃO ELEMENTOS DA MESMA CATEGORIA e, portanto, não podem ser comparados e nem mesmo postos em oposição. Contrapor socialismo a capitalismo é como contrapor colchão de molas a... sei lá... máquina de café expresso. É como se você me perguntasse: "o que é pior, colchão de molas ou máquina de café expresso?". Explico: o capitalismo nada mais é do que um sistema econômico. Só isso. Já o socialismo não é um mero sistema econômico; é uma FILOSOFIA, é um CONJUNTO DE CRENÇAS E VALORES, que inclui, entre outras mil coisas, a proposta de um sistema econômico. Tanto é verdade que o socialismo e o capitalismo não são opostos, que ambos convivem em vários países. A Suécia, por exemplo, é um país socialista democrata. Há uma grande regulação do Estado sobre a economia, mas também há certa liberdade de mercado - e é essa liberdade que gera os lucros que financiam o well fare state. A despeito da existência de considerável atividade capitalista naquele país (ainda que com alguns limites impostos pelo Estado), o país é socialista, porque toda a sua cultura é socialista. Resultado: a Suécia é um dos países com maior número de ateus do mundo. Leia o que Gramsci diz sobre a Revolução Cultural e você vai entender o que estou dizendo. Leia também sobre socialismo fabiano. Também na China capitalismo e socialismo convivem. Nesse caso, o governo não é uma social democracia, como nos países europeus. Trata-se de uma ditadura socialista. Mas a economia é capitalista, e são os lucros do capitalismo que mantém o Estado socialista ainda mais forte e bem aparelhado. Uma característica essencial dos países socialistas - ditaduras ou democracias - é o Estado forte. O socialismo seria uma etapa intermediária, um caminho para o comunismo (utopia que nunca se realiza). O estado precisa ser forte para poder obrigar a sociedade a caminhar rumo ao comunismo. Então, é preciso fazer as pessoas dependerem do Estado para tudo: para serem cuidadas na doença, na velhice; para receberem educação, saúde; para formarem seus valores do que é certo ou errado. O Estado, portanto, precisa tomar o lugar da família e da religião. Assim, os governos socialistas buscam enfraquecer (até eliminar) a autoridade dos pais sobre os filhos. Marx, no Manifesto Comunista, debocha da fidelidade conjugal e defende a abolição da família monogâmica – que seria nada mais do que uma estrutura alienante burguesa. A monogamia seria mais uma expressão do conceito de “propriedade privada”, nesse caso, de dominação do homem sobre a mulher (sobre isso, ver o Manifesto Comunista e os escritos de Engels, Gramsci e Lukacs). No socialismo, portanto, deve-se promover uma cultura de promiscuidade, a começar pelas crianças e jovens. Para isso, é fundamental enfraquecer a influência da religião e da família sobre o indivíduo, para que cada vez mais as pessoas dependam e confiem, acima de tudo, no Estado. É preciso enfraquecer a família para fortalecer o Estado socialista (o livro “1984”, de George Orwell, mostra bem essa realidade). Você, como católico, deve saber que a instituição que mais defende a família no mundo é a Igreja Católica. Por isso, em todos os países socialistas (democracias ou ditaduras) a Igreja é perseguida. Sei que o assunto é amplo, é complexo, e não se esgota aqui. Espero ter ajudado a esclarecer alguma coisa. Estamos à disposição, caso tenha mais dúvidas.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 20-09-2016 22:38
Marcelo, veja que o Catecismo condena o capitalismo selvagem, mas não o capitalismo em si: §2423 A doutrina social da Igreja propõe princípios de reflexão apresenta critérios de juízo, orienta para a ação. Todo sistema segundo o qual as relações sociais seriam inteiramente determinadas pelos fatores econômicos é contrário à natureza da pessoa humana e de seus atos. §2424 Uma teoria que faz do lucro a regra exclusiva e o fim último da atividade econômica é moralmente inaceitável. O apetite desordenado pelo dinheiro não deixa de produzir seus efeitos perversos. Ele é uma das causas dos numerosos conflitos que perturbam a ordem social. Note também, Marcelo, que o Catecismo condena o socialismo, que é essencialmente ateísta (ainda que tnha muitos simpatizantes religiosos, que são iludidos e usados como massa de manobra): §2425 A Igreja tem rejeitado as ideologias totalitárias e atéias associadas, nos tempos modernos, ao "comunismo" ou ao "socialismo". Além disso, na prática do "capitalismo", ela recusou o individualismo e o primado absoluto da lei do mercado sobre o trabalho humano. A regulamentação da economia exclusivamente por meio planejamento centralizado perverte na base os vínculos sociais; sua regulamentação unicamente pela lei do mercado vai contra a justiça social, "pois há muitas necessidades humanas que não podem atendidas pelo mercado". É preciso preconizar uma regulamentação racional do mercado e das iniciativas econômicas, de acordo com uma justa hierarquia de valores e em vista do bem comum. Vou te dar, a seguir, um resumo do que está escrito no Compêndio da Doutrina Social da Igreja (CDSI). Sobre o CAPITALISMO, nós católicos devemos saber, basicamente, que: - a Igreja considera o capitalismo algo positivo, “Se por ‘capitalismo’ se indica um sistema econômico que reconhece o papel fundamental e positivo da empresa, do mercado, da propriedade privada e da conseqüente responsabilidade pelos meios de produção, da livre criatividade humana no sector da economia” (CDSI, §347); - a Igreja é a favor do livre mercado, e entende que este deve promover “Um verdadeiro mercado concorrencial”, que modere “os excessos de lucros das empresas singulares” e permita que os consumidores confrontem e adquiram os produtos “em um contexto de saudável concorrência” (CDSI, §335); - a Igreja considera o capitalismo algo negativo, “se por ‘capitalismo’ se entende um sistema onde a liberdade no setor da economia não está enquadrada num sólido contexto jurídico que a coloque ao serviço da liberdade humana integral e a considere como uma particular dimensão desta liberdade, cujo centro seja ético e religioso” (CDSI, §335); - ainda que seja a favor do livre mercado, a Igreja adverte que este “não pode encontrar em si mesmo o princípio da própria legitimação”. Afinal, se o livre mercado perde de vista a utilidade social, visando unicamente o benefício individual do operador econômico, então pode se “degenerar em uma instituição desumana e alienante, com repercussões incontroláveis” (CDSI, §348). Então, note que a Igreja não tem problema algum com o capitalismo, desde que, dentro deste sistema, procure-se garantir a dignidade e a liberdade de todos os cidadãos, seja no acesso à informação quanto aos bens básicos. A Doutrina Social da Igreja, não diz que não pode haver pessoas mais ricas do que as outras; afinal, há diversidade de talentos e de iniciativas pessoais. A Igreja condena, sim, os grandes extremos de desigualdade, as situações em que muitos não têm o básico para viver bem, e poucos têm bens em excesso. Sobre a sua última pergunta (o que é pior, o Socialismo ou o capitalismo?), responderemos em breve.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 20-09-2016 22:33
Marcelo, Deus seja louvado pelo seu fervor e disposição em defender a fé católica. Mesmo sendo estigmatizado em seu trabalho na rádio por ser católico, você se manteve firme em sua crença. Você pediu para que lhe mostremos o pensamento da Igreja. É um pedido muito justo, e estamos aqui para isso. Sobre o socialismo, é importante que você saiba que ele já foi condenado de forma veemente por 10 papas. Não vamos colocar todos os textos aqui, mas selecionamos alguns bem ilustrativos. Papa Leão XIII (1878-1903): “[…] suprimi o temor de Deus e o respeito devido às suas leis; deixai cair em descrédito a autoridade dos príncipes; dai livre curso e incentivo à mania das revoluções; dai asas às paixões populares, quebrai todo freio, salvo o dos castigos, e pela força das coisas ireis ter a uma subversão universal e à ruína de todas as instituições: tal é, em verdade, o escopo provado, explícito, que demandam com seus esforços muitas associações comunistas e socialistas” (Encíclica Humanum Genus, de 20 de abril de 1884). “...trabalheis para que os filhos da Igreja Católica não ousem, seja debaixo de que pretexto for, filiar-se na seita abominável (do socialismo), nem favorecê-la” (Encíclica Quod Apostolici Muneris) “… ainda que os socialistas, abusando do próprio Evangelho, a fim de enganarem mais facilmente os espíritos incautos, tenham adotado o costume de o torcerem em proveito da sua opinião, entretanto a divergência entre as suas doutrinas depravadas e a puríssima doutrina de Cristo é tamanha, que maior não podia ser. Pois ’que pode haver de comum entre a justiça e a iniquidade? Ou que união entre a luz e as trevas?’ (2 Cor. 6, 14)” (Encíclica Quod Apostolici Muneris) “… era o nosso dever advertir publicamente os católicos dos graves erros que se ocultam sob as teorias do socialismo, e do grande perigo que daí resulta, não somente para os bens exteriores da vida, mas também para a integridade dos costumes e para a Religião” (Encíclica Graves de Communi) Papa Pio XI (1922-1939) “E se o socialismo estiver tão moderado no tocante à luta de classes e à propriedade particular, que já não mereça nisto a mínima censura? Terá renunciado por isso à sua natureza essencialmente anticristã? Eis uma dúvida, que a muitos traz suspensos. Muitíssimos católicos, convencidos de que os princípios cristãos não podem jamais abandonar-se nem obliterar-se, volvem os olhos para esta Santa Sé e suplicam instantemente que definamos se este socialismo repudiou de tal maneira as suas falsas doutrinas, que já se possa abraçar e quase batizar, sem prejuízo de nenhum princípio cristão. Para lhes respondermos, como pede a Nossa paterna solicitude, declaramos: O socialismo, quer se considere como doutrina, quer como fato histórico, ou como “ação”, se é verdadeiro socialismo, mesmo depois de se aproximar da verdade e da j ustiça nos pontos sobreditos, não pode conciliar-se com a doutrina católica, pois concebe a sociedade de modo completamente avesso à verdade cristã” (Encíclica Quadragesimo Anno) Repare, Marcelo, que este Papa reconhece que o socialismo ensina certa verdade. Afinal, Marx fez muitas críticas pertinentes sobre a burguesia e a exploração injusta sofrida pela classe operária. Diante dos males produzidos pelo capitalismo, o socialismo se apresenta como solução, e acaba seduzindo as pessoas de bom coração. Mas, na verdade, essa doutrina é um engodo! Confira: “E se este erro, como todos os mais, encerra algo de verdade, o que os Sumos Pontífices nunca negaram, funda-se contudo numa concepção da sociedade humana diametralmente oposta à verdadeira doutrina católica. Socialismo religioso, socialismo católico são termos contraditórios: ninguém pode ser ao mesmo tempo bom católico e verdadeiro socialista” (Pio XI, Encíclica Quadragesimo Anno) São João XXIII (1958-1963): “Nenhum católico pode aprovar sequer o socialismo moderado. (...) A razão está em que o socialismo funda-se em uma doutrina a respeito da sociedade humana que é ligada ao tempo e não toma em conta nenhum outro objetivo que o bem-estar material. Desde que ele propõe uma forma de organização social que tem em vista unicamente a produção, ele coloca uma muito severa restrição á liberdade humana, ao mesmo tempo que viola a verdadeira noção de autoridade social”. (Encíclica Mater et Magistra)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Carlos 20-09-2016 15:41
Não se trata do perdão em si mas misericórdia. Por exemplo se um homem fica doente, ele pede que Deus o ajude com o tratamento para que ele se cure. Deus ajudará esse homem mesmo se ele não for uma boa pessoa (desconsiderando que essa doença seja para fazer o homem converter-se)? E obrigado por responderem tão rápido.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # geraldo 25-09-2016 21:24
Em suma, Carlos:aquilo que você propõe excetuar é exatamente a "regra" e não a exceção, é o habitual modo de Nosso Senhor agir conosco, buscando um lugar de honra para nós em seu banquete e não se contentando em nos deixar debaixo da mesa, comendo as migalhas que caem dali. Ele nos encorajou: "pedi e recebereis, quem é o pai que tendo o filho lhe pedido o pão, vai lhe dar pedra?" Mas um dos quatro evangelhos, aprofunda ainda mais o sentido disso: "se vocês que são maus,dão coisas boas aos filhos que lhes pedem, com muito maior razão o vosso Pai Celestial dará a vocês O ESPÍRITO SANTO!" Ora, quem tem o Espírito de Deus consigo, está plenamente reconciliado, está na graça de Jesus, não tem nada de grave a lhe pesar na consciência. Agora, receber o favor divino mesmo sem estar reconciliado com Deus, é que me parece a exceção, e uma exceção movida pelo mesmo motivo que temos apontado para o não atendimento da prece: a nossa conversão. Penso que Jesus sempre deixou muito claro o que Ele mais deseja nos dar, por exemplo quando, dias depois da multiplicação dos pães, ele disse ao povo, alguma coisa como isso: "Vocês estão atrás de mim por causa do pão, mas este é passageiro. Eu tenho o alimento (e sou ele!) que dura eternamente!" Então em todos os casos o que o Senhor busca é habitar conosco, e em nós.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # geraldo 25-09-2016 08:31
A Misericórdia é essencialmente o perdão e a passagem evangélica que você cita se refere justamente a ele. Mas também são misericórdia, as boas obras corporais e espirituais (justamente chamadas pela igreja, de obras de misericórdia): dar de comer aos famintos, visitar os presos, aconselhar o ignorante, etc. O exemplo que você traz clarificou melhor sua pergunta e me fez lembrar um trecho daquele catecismo mais antigo (o de São Pio X, das perguntas e respostas, lembra?). Eu não sei se o catecismo atual mantém o que se dizia ali, mas eu gostava e achava razoável um ensinamento do velho catecismo, que me parece vir a calhar com o que você pergunta, e ser de fato parte da doutrina católica de sempre, ou de pelo menos, corresponder bem ao espírito dessa doutrina. Basicamente (me corrijam os leitores que tenham o texto), salvo engano meu, ali se dizia que o estado de graça era condição indispensável para se alcançar os favores divinos, na oração. Portanto, era necessário estar sem pecados graves diante de Deus, ou por outra: ter se confessado. E me lembro perfeitamente da confusão (eu era um meninote) que essa afirmação causou em mim: "_ Caramba! Mas que coisa vingativa. Eu próprio, por mais que tenha sido ofendido por alguém ( ou ficado sem o seu socorro quando mais precisei, para ficar no seu exemplo) ou tenha visto este alguém ofender outra pessoa, sou incapaz de negar um favor a ele, se o vir em necessidade. Será que Deus é pior que eu?" Certamente, eu não cheguei a verbalizar as coisas desse modo, mas me lembro de que a sensação meio difusa em mim, era mais ou menos essa, e a coisa deu voltas na minha cabeça por muito tempo, até ao fim da adolescência. Você sabe que todos somos um pouco teólogos, né? Cremos para ver e compreender, mas também buscamos uma melhor compreensão, para crer mais inteiramente, de coração e mente. Eu poderia também ter exposto minha confusão interior a algum padre, catequista ou irmão na fé. Teria sido sensato. Mas não o fiz na época (o que não impede que algum leitor, padre ou não, dê aí seu pitaco para ajudar a clarear essa importante questão). Mas "teologizando" um pouco em cima disso, ao longo dos anos, eu fui concluindo algumas coisas: 1) Muitas vezes, se uma pessoa me ofendeu, e tempos depois vem me pedir um favor, no próprio ato de me pedir o favor, ela está fazendo as pazes comigo, está de algum modo se reconciliando (ainda que não verbalize isso) e restabelecendo a relação que foi rompida com a anterior ofensa. A não ser que tal pessoa seja uma cínica consumada, oportunista e calculista, e esteja se aproximando de mim só para obter o favor (sem nunca assumir que me fez um mal e sem se arrepender). Nesse caso, se eu nada sei de seus reais sentimentos e intenções, posso perfeitamente continuar a lhe fazer o bem. Mas se, por algum meio, eu fico sabendo do seu cinismo, do seu não arrependimento e continuo mantendo a farsa de que existe uma autêntica amizade entre nós, é óbvio que não estou lhe fazendo bem algum, mas um grande mal, ao ser conivente com sua farsa. Jesus apelou à consciência de Judas até o último momento: “com um beijo você está traindo o filho do homem!” E essa foi a maior ajuda, a maior misericórdia demonstrada por Cristo a ele, muito maior que se lhe concedesse um favor qualquer que ele lhe implorasse. Toda vez que imploro um favor de Deus, sem estar reconciliado com ele, estou desprezando a graça maior que ele pode me dar (que é o relacionamento com ele) e priorizando algo muito inferior que é aquilo que estou lhe pedindo. A minha misericórdia com a pessoa que me ofendeu, deve ser algo muito maior , deve buscar para ela , um bem muito maior do que o favor que ela me pede, que é o bem da amizade sincera entre nós, com plena lealdade de ambas as partes. Pois uma “amizade” que da parte dela, seja apenas deslealdade e fingimento, é uma verdadeira desgraça para ela. E se a quero bem não devo aceitar isso, se tenho como impedir. E se, não obstante essa triste farsa, lhe dou o que ela me pede (pensando estar sendo misericordioso e generoso com ela) é claro que estou me conformando com a desgraça que ela está escolhendo para a sua vida. Se eu, contudo, estiver profundamente interessado em que ela mude sua atitude e tenha uma amizade sincera comigo, vou investir todas as energias do meu coração para alcançar esse meu objetivo. E se ainda, numa hipótese absurda, eu fosse onisciente quanto ao futuro, e pudesse, pois, saber antecipadamente que aquele e outros favores dados a ela, iriam contribuir ainda mais para reforçar o seu cinismo calculista (colaborando assim para sua perversão e condenação eterna) é óbvio que a minha atitude mais misericordiosa, seria não lhe conceder o que ela me pede. Principalmente se eu pudesse prever que, não lhe concedendo aquilo, eu estaria lhe dando a oportunidade (que ela então aproveitaria) de rever a sua postura cínica e de se arrepender, buscando então uma amizade autêntica e sincera comigo. Não é exatamente essa a Parábola do Filho Pródigo? “-Livra-me meu pai, dessa tragédia de ter que comer o alimento dado aos porcos!” Suponhamos que o pai (o da parábola) pudesse ouvir essa sua súplica e soubesse perfeitamente que se ele lhe procurasse até encontrar e lhe levasse mais dinheiro, ele voltaria a torrar o dinheiro e cair naquela vida desgraçada de novo. E suponhamos também, que o pai soubesse que justamente aquela experiência sofrida de ter como salário a comida dada aos porcos, era o que levaria o rapaz de volta ao lar, à liberdade e alegria plena de filho. Não deveríamos assim, concluir que esse pai foi mil vezes mais misericordioso ao permitir que o rapaz sofresse, comendo a comida dos porcos, do que se corresse para socorrê-lo no seu primeiro grito? O amor da mulher amada é mais bonito quando tive que me sacrificar por ele, o banho é mais gostoso e reconfortante quando estou sujo e suado, a comida é mil vezes mais saborosa, quando estou com fome! Ou, como diz São Paulo, onde abundou o pecado, superabundou a graça! E como canta a nossa bela liturgia pascal: “Oh feliz culpa de Adão que nos mereceu a graça de tão grande salvador!” 2) Mais que a recusa voluntária do Senhor em me conceder o que preciso, é meu coração que está fechado ao relacionamento com ele. Pois só faz sentido pedir ao Senhor algo, no contexto de um relacionamento filial com ele. Porque o valor do pedido não é a coisa pedida em si, mas é justamente o fato de o pedido ser o sintoma de um relacionamento, sendo este relacionamento a graça mil vezes maior. Se não fosse assim, bastaria que eu comprasse a bicicleta que minha filha tanto quer e mecanicamente entregasse a ela. Mas se esse presente é permeado por todo um rito afetuoso, embrulho bonito, canto dos parabéns, sopro da velinha, abraços e depois, a paciência amorosa para ensinar a menina a andar na bicicleta, as risadas por causa dos tombos e tudo o mais, está claro que a bicicleta vale muito menos que todo um âmbito de vida que se desenrola em torno dela. Então, qual é a graça maior, a misericórdia maior? A bicicleta em si, ou todo um relacionamento rico entre eu e minha filha, que existiria mesmo sem a bicicleta? Às vezes Nosso Senhor nos tira a “bicicleta” para que voltemos nosso olhar para o essencial. “Buscai primeiro o reino de Deus!” Pois Ele não é aquele pai que para compensar a ausência de um relacionamento bonito com o filho, compra e lhe entrega mecânica e friamente, alguns presentes, sendo que o filho precisa da PRESENÇA. E nem é o gênio da lâmpada pronto a me servir, como um escravo submisso (isso é lá com certos neo-pentecostais) toda vez que eu lhe convocar. É como filho que peço e não como dono e manipulador de Deus e sua misteriosa e suprema liberdade. ______________________________________ Ou seja, pedir é mais que só pedir, é entrar num relacionamento com meu pai e amigo querido. Só que, carregando no coração uma ofensa não confessada (por exemplo, uma falta de misericórdia e caridade com aquele irmão que deixei de socorrer), que relacionamento eu estou buscando com ele? É um fingimento, pois não? Um cinismo, um relacionamento meramente interesseiro. Quase todas as pessoas que conheço, quando pedem a Deus algo de que necessitam muito, costumam se confessar antes, se reconciliar com Ele. (Não deixa de haver ai o risco de certo oportunismo malandro e calculista nosso. Sobretudo quando não nos confessamos com regular frequência, mas só quando precisamos dos favores divinos. Por isso a gente deve implorar sempre ao Senhor, a graça da contrição perfeita, do arrependimento por amor dEle. E claro, nos habituarmos à confissão mais frequente, mensal, por exemplo.) Ou seja, ao buscar o arrependimento e a confissão, estão abrindo o coração que antes estava fechado, portanto, que estava impedindo a si mesmo, de receber aquilo que Deus certamente quer dar (ainda que sua resposta venha não na forma e no tempo esperados, mas isto é outro assunto). Em suma, se Nosso Senhor fosse como um caixa eletrônico mágico que liberasse o dinheiro que eu preciso na hora em que eu aperto o botão, ou fosse como o gênio-escravo que aparece assim que eu esfrego a lâmpada, pronto para satisfazer minha vontade, teria todo sentido ele nem ligar para a minha ofensa anterior e dar logo o que eu preciso, sem mais “burocracias”. Portanto, conclui na época, é o contrário do que eu pensava ou sentia. Não é que ele é ainda menos misericordioso do que eu, que apesar de ser um miserável pecador, sou capaz de acudir quem me ofendeu antes, sem guardar mágoas. Ele é infinitamente (claro!) mais misericordioso do que eu, pois não se limita a me dar o que preciso como quem concorda mecânica e friamente: "pega aí o dinheiro que você precisa e cai fora". Ele não é o caixa eletrônico, automático, frio e insensível. Lembro-me até hoje das lágrimas comovidas que derramei ao meditar (e então contemplar) sobre isso: Deus tem sentimentos! (sei que a minha linguagem é demasiado pobre, é sombra pálida que nem de longe alcança o mistério divino). Ele quer fazer desse favor que deseja me conceder, uma porta aberta para que ele entre em minha casa e se sente comigo à mesa! Era muito mais cômodo se ele se comportasse como quem dissesse assim: "Ah. Você precisa disso, pega aí então, uai..." Ele quer me estender um grande abraço e um sorriso aberto dizendo: “Você está de volta?! Esperei tanto por esse dia!”. Mas como ele vai me dizer isso se eu não estou de volta coisa nenhuma?? Se quero só pegar o objeto que lhe pedi e dar no pé? Quantas vezes eu já optei pelo atalho mais cômodo? Pessoas que me ofenderam profundamente, precisaram de mim tempos depois. E eu respondi: "pois não, é deste objeto que você precisa? Pode levar. E nem precisa devolver, fica com ele." Atendi assim, sem mágoa, é verdade, mas sem o menor entusiasmo em refazer o relacionamento (às vezes até torcendo, lá no fundo: "leve o objeto de que precisa, mas não precisa ficar muito colado comigo )." Mas estamos falando de um Deus apaixonado por nós, ansioso por ocupar o centro do nosso coração (e isso, certamente, é uma graça mil vezes maior do que a cura da doença ou o favor que lhe pedimos)! Ele quer, pois, que este coração esteja aberto, disponível, reconciliado. Quer que a nossa oração, pedindo sua ajuda, não se limite ao favor de que precisamos, pois ele pode e quer nos dar muito mais! Quer que a nossa oração seja a expressão dessa sincera busca por este “muito mais” que ele tem para nós. Busca essa, que fez um certo baixinho subir no alto de uma árvore para vê-lo melhor e, por isso, ouvir: “Zaqueu, desce depressa, porque hoje me hospedarei em tua casa.” Isso é tudo o que Senhor quer, habitar conosco! Nada a ver, pois, com a atitude de quem diz friamente: “você não ajudou seu irmão, portanto, não lhe ajudo também. Você pecou contra mim? Então , agora se vire com esse seu sofrimento!” É óbvio que há aí também a dimensão da justiça sobre a qual o Evangelho contínua e gravemente nos alerta. Pois uma amizade só é verdadeira quando há LEALDADE de ambas as partes (por isso, aliás, a igreja tem em grande apreço a questão do mérito). Dizer que Deus não castiga seus filhos é uma tolice melosa, que tenta reduzir seu mistério e encaixá-lo nos limites estreitos da nossa pobre compreensão. Ocorre que a justiça do Senhor não é como uma virtude justaposta à da sua misericórdia, como se fossem duas coisas lado a lado. Ele é justo na sua misericórdia e misericordioso na sua justiça, o que é essencialmente um mistério. Mistério, não no sentido de uma realidade opaca e totalmente impenetrável, mas de convite a um conhecimento – no amor e por amor – que sempre avança rumo ao desconhecido, e se surpreende cada vez mais. Assim como – nos ensina aquela bela oração das Pegadas na Areia – o bom Deus, justamente quando parecia ausente e insensível é que estava mais presente do que nunca em nossa vida, também quando ele nos castigava – pedagogicamente! – é que nos demonstrava seu infinito amor e bondade e seu empenho apaixonado em nos buscar para junto do seu coração. Basta que cada um de nós recorde a história da sua caminhada com Cristo, para constatar o quanto isso é verdadeiro! E bonito! Deus permitiu que o filho pródigo comesse a comida dos porcos e sofresse como um condenado. (e isso é exatamente a mesma coisa que dizer que ele o castigou ensinando-lhe algo, pois a onisciência de Deus quanto ao presente e ao futuro, sua vontade pessoal em relação a cada um de nós, sua providência atuante, tudo isso e muito mais, são dimensões de um mesmo e único mistério que tão logo começamos a vislumbrar por um ângulo, nos surpreende por outro, e por isso nos atrai cada vez mais) Talvez ele até tenha pedido, em seu desespero: “porque meu pai não se lembra de mim e não vem até aqui me livrar dessa situação?” Mas ele sabia perfeitamente, que da parte do seu pai (que na parábola é a imagem de Deus), a disponibilidade em socorrê-lo e agraciá-lo era plena. Disponibilidade para fazer muito mais do que apenas livrá-lo da humilhação de ter que comer a lavagem podre, dada aos animais. Mas só pôde experimentar a alegria do banquete farto, da roupa bonita e cheirosa, da sandália nova e do fino anel de honra (a graça, pois, de um relacionamento afetuoso e pleno) quando ele mesmo tomou a iniciativa de se abrir a esse “muito mais” (o cêntuplo, diz Jesus) que o Pai ansiava em lhe dar. Uma coisa é certa e ela se verifica em toda a história do cristianismo, especialmente na vida dos santos: o belo mistério da Providência Divina, experimentada como um cuidado pessoal e amoroso de Deus por nós (ele que sabe de cada fio de cabelo nosso!), tem sido uma realidade muito mais concreta e cotidiana na vida daqueles que levaram a sério o convite de Jesus: “Buscai primeiro o reino de Deus e tudo o mais vos será acrescentado.” https://www.youtube.com/watch?v=TTIzApEAcYw
Responder | Responder com citação | Citar
0 # geraldo 25-09-2016 20:01
Se queremos uma expressão estética de tudo isso que tentei expressar acima, penso que esta aqui serve muito bem: https://www.youtube.com/watch?v=lB_TADcNI_8
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Carlos 20-09-2016 13:45
Olha, eu sei que não tem nada a ver com o post mas essa pergunta eu preciso fazer a alguém. Quando Jesus diz "Felizes os misericordiosos porque alcançarão misericórdia", ele quer dizer que apenas será misericordioso com quem for misericordioso?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 20-09-2016 14:45
Sim. Nossos pecados serão perdoados na mesma medida em que perdoamos os pecados alheios. Isso está claro no Pai-Nosso.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Carlos 20-09-2016 15:43
Não se trata do perdão em si mas misericórdia. Por exemplo se um homem fica doente, ele pede que Deus o ajude com o tratamento para que ele se cure. Deus ajudará esse homem mesmo se ele não for uma boa pessoa (desconsiderando que essa doença seja para fazer o homem converter-se)? E obrigado por responderem tão rápido.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Geraldo 20-09-2016 13:56
"Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido." "Quem não ama a seu irmão, ao qual viu, não pode amar a Deus, a quem não viu." (1 João 4:20)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natália 20-09-2016 10:17
A repercussão dessa matéria, pelo menos no FB, foi grande. Acompanhei através de uma outra conta porque não tenho FB (tô quase criando só pra ir lá comentar, rs). Percebi que a carapuça serviu para muita gente. Mas muita gente sem um pingo de humildade pra falar "é verdade, existe PJ assim". É como se, se falasse isso, a vida delas acabariam. Foi deixado bem claro que NEM TODAS são assim, mas as que são, levam os jovens para um mundo que não é da Igreja. Aprendi que temos de levar a Igreja para o mundo e não o mundo para dentro da Igreja. Também, em nenhum momento foi falado que odiamos os pobres, não queremos saber de minorias e tudo o mais. Se assim fosse, não existia nenhuma pastoral, gente! Não entendo qual a dificuldade em entender que uma pastoral da Igreja PRECISA seguir a doutrina da Igreja. O Papa está falando de ecumenismo: sim, então ESTUDE para ENTENDER como funciona as outras religiões. Não foi falado que para viver o ecumenismo é necessário que introduza os ritos de outras religiões dentro da Igreja, isso se chama sincretismo, e já foi condenado trocentas vezes!!! Aprender e respeitar, isso é o importante. E isso não quer dizer conivência! Para mim, ficou muito na "caruda" as ações de ALGUMAS - A L G U M A S - PJ's. Devido a nossa situação política atual, começaram a fazer passeatas e tudo o mais. Falando de minoria e dos pobres. Beleza. Mas andar no meio da rua não vai adiantar nada - é o mesmo que as feministas fazem, com os seios de fora. Passeatas pedindo um mundo melhor poderiam ser seguidas de entrega de alimentos, vestuários e afins. E não só colocar uma bandeira da PJ nas costas e sair andando. Mas eu também já fui adolescente (pois a maioria da PJ é de adolescente). Não fui de PJ, mas por ter sido adolescente sei que nenhum gosta de ser criticado. O sentimento de super-herói é muito forte nessa etapa. O sentimento de querer salvar todos. Mas é necessário saberem que não é defendendo partido político e nem ideologia política que isso vai acontecer. Se essas PJ's que costumam agir da forma como foi mostrado no post (e não só aqui, sejamos francos) ao invés de focarem em bandeiras partidárias e se dirigissem para o estudo da Doutrina Social da Igreja, os documentos Papais, a Palavra em si, e tudo o mais; perceberiam que também pode-se ajudar os pobres e os marginalizados. Não precisa de CUT, de MTST, não precisa de PCdoB, não precisa de nada disso. Não precisa levantar bandeira arco-íris, não precisa levantar bandeira feminista. A "bandeira da Igreja" já tem tudo o que a gente precisa. Eu gostaria de uma PJ assim: estudo da DSI, os documentos, estudo bíblico, momentos de orações (sem Legião Urbana)... Tópicos importantes para a espiritualidade, para edificar o jovem. Mostrar para ele que o que o mundo lá fora pinta da Igreja não é verdade, e aprofundar ele para que o jovem não se afaste. Mas parece que a forma como "encontraram" de trazer o jovem para Igreja, é levando o mundo junto. Então, acredito que é necessário uma reformulação, não a extinção, como vi muitos comentários lá no FB. As pessoas e principalmente os jovens, precisam entender que nenhum político aqui na terra salvará os pobres, nenhum deles é perfeito. E se eles querem um político assim, seja ele mesmo um político que tenha como base a DSI e não o "movimento revolucionário". Não é só pq o objetivo da PJ(de verdade) é louvável que qualquer meio de se conseguir isso deva ser aplaudido. Ninguém está julgando nem sendo fariseu, como muitos disseram. A problemática é o desvio da doutrina. Já fiquei chocada em saber que os ministros da eucaristia deveriam o ser somente em casos específicos e não da forma como é hoje, imagina ver que jovens sem formação litúrgica alguma distribuindo a eucaristia e a abençoando!!! Sério, quando eu vi a cena da consagração, achei que era alguma encenação de teatro... E só para terminar o textão, nunca fui com a cara do "altar" que fazem nos encontros, no chão; mesmo quando eu via aquilo e nem participava da Igreja. Acho que no fundo, sempre achei que Ele sempre mereceu o melhor. Também não estou menosprezando as comunidades afastadas que não têm condições de comprar o melhor, estou me referindo a galera que pode muito bem pegar uma mesa de plástico mesmo, colocar um tecido bonito, as imagens, a bíblia e a vela e ter um encontro frutuoso, sem querer pagar de pobretão (mas tem um IPhone que o pai tá se matando pra pagar). Muito se falou de ter caridade para com os irmãos: ok, mas acham que realmente nunca foi falado isso pra ninguém? Nunca foi informado a nenhum sacerdote ou algo do tipo? É claro que foi, o problema é que ninguém mais aceita crítica, ninguém mais aceita falar "eu errei". Se tivessem tido caridade com si próprios, esse post nunca existiria!
Responder | Responder com citação | Citar
-1 # Thays Holanda Silva Costa 20-09-2016 01:54
Não sei se tenho pena ou peço a Deus discernimento, para não sair do sério com este Post. CadÊ o olhar de misericódia com o irmão? hein? Somos igreja e devemos medir nossas Palavras quando nos referirmos às pastorais. Tenho muito orgulho de ser da PJ, pois muitas mães já me agradeceram por seus filhos serem de Deus. E por favor, não generalizem, a Nossa PJ daqui é amor puro com o próximo, e com Jesus. Se há pastorais com problemas de Identidade cabe aos párocos e pessoas assim como vocês irem ajudar a melhorar. criticar é bom, mas ajudar é melhor.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Luiz 20-09-2016 01:33
Infelizmente hoje em dia, muitos grupos acabam confundindo as coisas, e misturam tudo. Mas isso não acontece só em PJ, acontece no RCC, MJ, pastoral da catequese e demais... Infelizmente isso acontece devido a "líderes" que não sabem separar as coisas, porém ainda assim tem influência, confundindo pessoas despreparadas, e levando pro bolo...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 20-09-2016 01:09
Pelo menos tenho que dizer, não fui lapidado nem pela pj nem pj comuna, tampouco tive namorada pjoteira, pois o grupo de jovens da minha comunidade funcionou por alguns anos e morreu quando eu tinha meus dez anos de idade. Na verdade deixei-me ser "lapidado" pelo mundão mesmo, hehehe, meu lugar era no meio do...melhor não dizer. Ateu atoa, indiferença religiosa, nem aí para a Igreja. Fui me tornar comuna de quinta categoria depois de alguns anos como professor. Mas como professor de educação física geralmente é meio idiota e pensa pouco, não foi difícil para Jesus Cristo limpar esta nhaca de mim. Mas o negócio mesmo era @#$%#. Pornografia era normal, e estas coisas sim são um calvário para mim.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 19-09-2016 21:41
UM LEITOR NOS PERGUNTOU NO FB QUAL É O PROBLEMA EM USAR CÁLICE DE VIDRO NA MISSA. Todos sabemos a força educativa que os símbolos têm. O cálice de vidro é muito comum, muita gente tem ao menos um em casa. Mas o cálice que porta o Sangue de Cristo não pode ser vulgar, comum. Precisa ser especial, por causa da força visual, do simbolismo. Veja o que diz a instrução da Igreja, Redemptoris Sacramentum: “[117.] Os vasos sagrados, que estão destinados a receber o Corpo e a Sangue do Senhor, devem-se ser fabricados, estritamente, conforme as normas da tradição e dos livros litúrgicos.[205] (…). Sem dúvida, requer-se estritamente que este material, de acordo com a comum valorização de cada região, seja verdadeiramente nobre,[206] de maneira que, com seu uso, tribute-se honra ao Senhor e se evite absolutamente o perigo de enfraquecer, aos olhos dos fiéis, a doutrina da presença real de Cristo nas espécies eucarísticas. Portanto, reprove-se qualquer uso, para a celebração da Missa, de vasos comuns ou de escasso valor, no que se refere à qualidade, ou carentes de todo valor artístico, ou simples recipientes, ou outros vasos de cristal, argila, porcelana e outros materiais que se quebram facilmente. Isto vale também para os metais e outros materiais, que se corroem (oxidam) facilmente.”
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Ana Paula 19-09-2016 19:08
Boa parte do clero, infelizmente, é formada na Teologia da Libertação. Então, esses movimentos vermelhos sempre tiveram espaço no Santuário de Aparecida. Sou de lá e cresci vendo bandeiras do MST, sem teto, sindicatos, partidos (PT, PC do B, PSTU, etc) dentro da igreja. O próprio Lula ia lá direto, antes de ser eleito. Depois que subiu ao Planalto, nunca mais voltou, nem na visita do Papa Bento XVI. A PJ em Aparecida não é muito forte devido à influência da RCC através de suas comunidades: Canção Nova e Shalom. Se você for ao Santuário de Aparecida e não quiser ver essas coisas, não vá em 1o.de maio nem em 7 de setembro.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Thiago 19-09-2016 18:44
Pj é sempre um tema polêmico. Sou de Fortaleza e "luto" em uma paróquia - uma de várias - dominadas pelas ideias de esquerda. Até "convidado a sair" já fui por me opor as ideias apresentadas por esse movimento. Parece que nossa juventude perdeu o rumo. Falta um referencial. Isso me deixa bastante triste, afinal Cristo, que é a luz do mundo, está sendo trocado pelas trevas. Todas as religiões, movimentos e causas são defendidas. Tudo menos o que a Igreja Católica pede e aconselha. Culpa da nossa omissão como leigos e do nosso Clero desobediente...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 19-09-2016 18:26
UM LEITOR NOS PERGUNTOU NO FB O QUE É PAUPERISMO LITÚRGICO. Pauperismo litúrgico é quando se confunde a simplicidade evangélica com pobreza estética e falta de zelo em relação aos vasos e panos usados na Sagrada Liturgia (em especial, na missa). Por exemplo, se uma comunidade é muito pobre, ou se está em meio à guerra, certamente Jesus não se ofenderá se os vasos sagrados (o cálice do Vinho, por exemplo) forem de material ruim e forem feios. Mas há pessoas que propositalmente objetos vasos de material feio e vagabundo para a Sagrada Liturgia, para tirar onda de "simples". Ora, isso contraria o que a Igreja pede, pois os vasos sagrados devem ser ricamente adornados (dentro das possibilidades da comunidade). Algumas comunidades são realmente muito pobres e não dispõem de recursos para adquirir objetos litúrgicos ricamente adornados. Nesse caso, Jesus fica honrado em ver nos ritos sagrados os objetos simples, conforme o que a comunidade REALMENTE pôde dar de melhor. Mas o que mais vemos é algo bem diferente: uma PROPOSITAL OPÇÃO POR VASOS SAGRADOS DE MATERIAL VAGABUNDO, uma opção pela pobrice estética, para fazer apologia à ideologias durante a missa. Isso é ridículo, é infame.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # José Abdias 19-09-2016 18:18
Uma pergunta. Porque heresias como estas já que vão contra o Magistério não são extirpadas definitivamente??? Jpa ouviram falar em Romaria da Pastoral da Terra? Recentemente houve uma aqui de Curitiba para Aparecida e lá levaram bandeiras do MST, CUT e todas mais. Porque a Igreja não faz nada diante dessas afrontas?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rosemary 20-09-2016 15:23
Porque infelizmente há muitos religiosos (as), padres e até bispos que apóiam estes movimentos. Na CNBB há vários deles. Já vi freiras de uma Congregação religiosa que no final da missa ficava na porta da igreja pra distribuir panfletos de candidatos da esquerda, e disseram que estavam lutando por uma sociedade mais justa e fraterna. Estudei na faculdade Claretiana e no curso de Pedagogia só se falava de pensadores e educadores socialistas; que na idade média a igreja oprimia todo mundo, etc. Um verdadeiro absurdo. O que passa é que nós cristãos conscientes temos que alertar nossos irmãos, principalmente agora na época das eleições.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # JR 19-09-2016 17:26
Esse mundo está perdido! É festa na missa, PJ comunista. Como Jesus vai encontrar sua igreja quando voltar?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # joao lopes 19-09-2016 17:00
infelizmente essa É a verdade pura em nossa sociedade que dizem evoluida, pessoas ultilizam de vitimização pra querer impor ideias em nosso pais. Hoje o cristao perdeu sua liberdade, por exemplo, em faculdades se voce cita Deus e é criticado, pois dizem que o estado é laico. Por isso mesmo sendo assim devemos lutar pela nossa religiao com palavras, nos opondo a esta ideia escrota chamada comunismo, que quer destruir familias com movimentos como esses citados, e deputados metidos a homem falando que uma criança escolher se e homem ou mulher com idade onde a criança nem sabe o que esta fazendo. Deve em ano eleitoral levantar pessoas boas e de carater pra defender nossos interesses
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cibele 19-09-2016 16:19
De todas as PJs que vi nada de bom me chamou atençao, inclusive algo tenebroso me chamou atenção, ho grupinho para ter mulher que dá em cima de padre.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # isabel 19-09-2016 15:38
olá boa tarde muita gente aqui com experiencias ruim na da pj nossa da até vergonha de dizer que 90% da católica que sou hoje devo a pj e não não sou abortista não tenho chê como heroi e sim já dancei muito nego nago, pra falar a verdade nunca parei pra presta atenção na letra mais eu tinha 16 anos né. A grande questão é que a pj me ensinou a ser um cristão pé no chão de olho nos que estão a minha volta e principalmente me ensinou que os jovens são o hoje da igreja, hoje pra mudar, hoje pra servir a deus a minha musica de pj favorita pasmem não é negro nago é se calarem a voz dos profetas as pedras falaram, é pra missão que fui preparada. ta ja vi muita coisa errada lá admito mais já vi muita heresia entre jovens da rcc que acham que estão cheios do espirito santo e veem demonios e etc.há axageros em tudo o que é humano só deus é perfeito.a paz de cristo a todos
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Mauro 19-09-2016 15:24
Não conhecia esse movimento é estou impressionado! Como combater?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Nos cs 19-09-2016 15:03
Nem católico sou, mais tenho certeza de algo: estes que comungam do pensamento comunista e já estão excomungados da igreja uma vez que decisão papal não revogada já determinou isso. Como podem sacerdotes permitirem até realizar em missa e Outros Atos litúrgicos para uma massa de esquerda que venera cheguevara e outros assassinos comunistas?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Julio Cesar Dias Chaves 19-09-2016 16:16
O problema não está em realizar Missas e atos litúrgicos visando essas pessoas, mesmo porque, Jesus veio pelos doentes, e não pelos sãos. O objetivo da Igreja é zelar pelas almas e buscar a conversão de todos, inclusive dos comunistas. A Igreja deve sempre estar de portas abertas a todos. E deve se preoucupar em particular com a conversão daqueles que estão mais afastados. O problema está na maneira como essas Missas e esses atos litúrgicos são realizados. Como o post mostra muito bem, são realizados de maneira sacrílega, sem respeito, e envoltas de um espírito político que contradiz os ensinamentos de Jesus.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Julio Cesar Dias Chaves 19-09-2016 16:27
Ou melhor dizendo, no lugar de "contradiz", seria mais adequado dizer "que vai de encontro ao"
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Emanuel 19-09-2016 14:11
Triste...muito triste. Católico comunista = judeu nazista.Fim. Todo mundo sabe o que Marx pensava sobre religião,todo mundo sabe o que os ditadores comunistas faziam com o povo católico , e todo mundo sabe o que sempre se fazia durante as ''revoluções''. Em toda grande revolução , o povo matou padre , matou bispo , espancou freira , queimou Bíblia etc. Assim , católico e comunista é algo tão contraditório quanto judeu nazista.Fim. Agora,desviando-me completamente do assunto do post...é verdade que o Papa Francisco vai viajar até a Suécia para comemorar os 500 anos da Reforma ?Ou isso é só um hoax querendo me matar do coração ? Pois , ao meu ver, não ha NADA a se comemorar. Comemorar a Reforma é comemorar a rebeldia contra a nossa Igreja , comemorar a blasfemia e comemorar o rompimento do mundo ocidental com Deus. Se isso for verdade , continuarei sendo católico e fiel ao Papa ...mas que será algo EXTREMAMENTE desconfortavel de se ver e EXTREMAMENTE dificil de se engolir, isso será. Se for verdade , rezarei todos os dias para que alguma boa-alma do Vaticano impeça o Papa de fazer essa loucura.(''impedir'' no sentido ''convençe-lo''). REPITO: não me rebelarei contra o Papa.Mas ficarei muito decepcionado.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 19-09-2016 21:45
Com relação a esta visita do Papa Francisco a Suécia para a comemoração dos 500 anos da reforma protestante, eu vou esperar esta visita ocorrer, depois eu vou ver e ouvir a tudo que o Papa fará e falará, e depois eu vou ver o que eu tirarei disto tudo, no momento, só orarei ao Papa para que guarde a sã doutrina e não relativize tudo por abaixo, colocando a Igreja Católica no mesmo nível das demais igrejas protestantes, pois se isto ele fizer, lá vamos nós de novo tentar apagar o incêndio, mas podem acreditar, aconteça o que acontecer, o que o Papa venha a dizer, o que vai ter de gente manipulando o que ele disser para favorecer o enfraquecimento da Igreja Católica, isto vai. Aguardem, só resta menos de um mês, intensificamos nossas orações ao Papa.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Pedro Strabelli 19-09-2016 17:52
Emanuel Não sei se o papa Francisco vai ou não. Mas sei de uma coisa, se for, há dedo do Espírito Santo aí. Essa separação entre os cristãos já está demorando demais e alguém vai ter que buscar as ovelhas. Quem teria mais autoridade para isso? A Europa só tem uma saída que é, primeiro, a união de todos os cristãos em segundo, a re-conversão do continente. Sem isso, a Europa está com os dias contados. Sei que isso fica difícil pra gente explicar depois. Aquela pessoa que você fala sobre a religião vai ver uma nota de quinze segundos no Jornal Nacional e dizer que até o papa vai em outras igrejas. Mas, sinceramente, com esses eu não me preocupo tanto não. A maioria está procurando uma desculpa para não pisar na Igreja e, se não for esta, vai ser outra. E, se vier, acha uma desculpa para sair. E tenho ainda mais um motivo para pensar que Francisco está fazendo algo certo. Você já viu algum papa receber ameaça explícita? Satanás não ia se preocupar à toa. Como aconteceu com São João Maria Vianey, sempre que ele ia conseguir uma grande conversão o diabo o atormentava mais. Tem mais uma coisa que eu penso, se nenhum dos dois papa atuais for assassinado, é que a gente rezou o suficiente para Deus nos livrar de algum grande mal. Enfim, não sei mesmo se ele vai ou não. Se por algum acaso for, sei que o Espírito Santo está agindo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Emanuel 19-09-2016 19:27
1-Bem...sim ,pensando bem, acho que você pode estar certo.Talvez eu tenha sim sido precipitado .Talvez seja melhor apenas confiar no bom senso do Papa.E,sim...tenho pensado desde de que comentei isso , e talvez esteja agindo como com pouca fé. Apenas peço que comprenda meu choque inicial .Eu vi o titulo da noticia e a primeira coisa que me ocorreu foi um enorme "O QUE ?!!!''.Terminei de ler e admito que me deixei tomar pelo medo . E,sim,refletindo mais um pouco, realmente preciso confiar mais no Papa. Mas,como um católico,sei que vai conseguir entender o por que do meu susto. 2-Eu achei essa mesma notícia nos site da Radio Vaticana,então ,sim ,está confirmado que ele realmente pretende ir. Seja o que Deus quiser. 3-Bem , ao mesmo tempo que prevejo muito radtrad batendo o pezinho...tambem vejo conversoes em massa por virtude dessa visita. 4-Como você mesmo disse , o complicado vai ser é pra gente explicar isso depois.Protestantes ,comunistas ,relativistas ,ateus e CIA LTDA vão entender essa visita como um ''LIBEROU GERAL!!!!!!!''. E do jeito que essa gente é teimosa ,tirar isso da cabeça deles vai ser TENSO. La vamos nos de novo... 5- Bem , quero uma unica Igreja Cristã como qualquer outro católico. Mas temos que deixar BEM claro que NÃO estamos dispostos a mudar a Santa Doutrina.Querem entrar? Então nada de inventar moda. Vão ter que nos engolir desse jeito mesmo. 6-Sobre a Europa . As vezes eu penso que já tá tudo dominado ali.Mas novamente...acho que as vezes eu penso de pouca fé.Talvez aquele lugar ainda tenha salvaçao. Mas das duas uma: .Ou a Europa se cristianiza novamente. .Ou diga ''adeus'' a Suécia e diga ''olá'' ao SUÉCISTÃO. De qualquer forma , obrigado pela resposta. Me fez pensar e me acalmou um pouco.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Pedro Strabelli 23-09-2016 20:08
Oi, Emanuel Ó eu de volta. Achei agora na internet algo muito interessante sobre papa Francisco: https://padrepauloricardo.org/blog/milagre-de-sao-januario-acontece-nas-maos-do-papa-francisco Vamos pensar bem: o sangue de São Genaro só se liquefez na mão de dois papas, o primeiro foi Pio XI e segundo foi Francisco. E olha que Bento XVI e São João Paulo II passaram por lá também! Posso estar enganado, mas para mim isso é um sinal que Deus mandou. E, prova que Deus escolhe a gente pelo que a gente é, o bom humor que é próprio do papa estava lá.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rosemary 19-09-2016 13:07
Catequista, mais uma vez parabéns. Este assunto é muito sério e os católicos precisam ser conscientizados. Tá cheio de comunas infiltrados nas paróquias fazendo, inclusive com ajuda de religiosos. Nesta época de eleições, nem me fale. Um candidato "X" ocupou um momento do TLC com os discursos que já conhecemos. Já foram apresentados na missa, etc. e as pessoas dão crédito porque supostamente estão se apresentando com o aval do padre.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João 19-09-2016 13:02
A pergunta chata é: A quem denunciar?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natália 19-09-2016 13:18
Vi num post de outro site, também falando da PJ, o seguinte: Qualquer fiel católico tem a liberdade e até a obrigação de se manifestar nesses casos, como atesta o Código de Direito Canônico (CDC): "De acordo com a ciência, a competência e o prestígio de que gozam, (os fiéis leigos) têm o direito e, às vezes, até o dever de manifestar aos Pastores sagrados a própria opinião sobre o que afeta o bem da Igreja e, ressalvado a integridade da fé e dos costumes e a reverência para com os Pastores, e levando em conta a utilidade comum e a dignidade das pessoas, deem a conhecer essa sua opinião também aos outros fiéis." (Lv II, I parte, Título I, 'Dos direitos dos fiéis cristãos em geral' Cânon 212 § 3) Como fazer? Você pode enviar uma carta pelo correio, escrevendo no face frontal (destinatário) do envelope: • Sua Santidade o Papa Francisco Palácio Apostólico 00120 Cidade do Vaticano Existem outras maneiras de escrever o mesmo endereço, conforme demonstro abaixo: • Sua Santidade o Papa Francisco PP. 00120 Via del Pellegrino Citta del Vaticano • Sua Santidade o Papa Francisco Palácio Apostólico Cidade do Vaticano • Sua Santidade o Papa Francisco Cidade do Vaticano, 00120 [Não escreva "Itália" no envelope – o Vaticano é uma nação independente] Se você preferir enviar a carta por e-mail ou fax, é preciso passar pelo Escritório de Imprensa do Vaticano. O Papa não tem um endereço de e-mail nem número de fax público pessoal. O endereço de e-mail é: O número do fax é: +390669885373 * Nenhuma destas formas de contato chegará diretamente ao Papa, mas a correspondência selecionada chegará a ele quando enviada através de um desses meios. O Papa Francisco, especialmente, vive surpreendendo muita gente pela maneira como retorna as cartas que recebe, muitas vezes até por telefone. Lembre-se, então, de acrescentar todos os seus próprios meios de contato à sua mensagem. Uma observação final: refira-se ao Papa como "Vossa Santidade" ou "Santo Padre" e evite um tom excessivamente coloquial.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Victor Viana 19-09-2016 19:00
Gostei... não tinha pensado nisto. Cartinha pro vaticano. Ainda bem que não tenho precisado. Só um dia aqui vi um padre da minha paróquia citar Marx ("religião é o ópio do povo") na homilia, mas de forma fora de contexto com o que Marx cretinamente queria dizer. Mas vá lá, este sacerdote é o que mais gosto de ver celebrar e pregar exatamente pelo zero com o sagrado ministério. Mas se preciso for sinto um alívio em ter a opção, se toda a Hierarquia abaixo não der ouvidos. Catequistas: por favor, conseguem explicar os termos convivência sororal, awerê... perdidaço. Não que valha a pena, mas já que mexeram com minha curiosidade...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natália 19-09-2016 19:38
Do jeito como anda as coisas, acho que em breve o Vaticano receberá muitas cartas. Na minha visão, vivemos uma crise na Igreja aqui no Brasil. Pra ser sincera, se não fosse os posts d'O Catequista (e outros sites) e as pessoas de dentro (principalmente leigos) me orientando sempre quando pergunto (ou melhor, encho o saco, rs); eu teria desisto e ainda soltado o discurso: "só tem coisa errada lá, só tem divisão" e teria ido embora. Meu sentimento agora é tipo o do Sidnei... rs
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natália 20-09-2016 09:30
Rosemary <3!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rosemary 19-09-2016 22:17
Natália, não devemos desistir, somos a Igreja de Cristo, que aqui na terra é chamada de Igreja militante, ou seja, que está constantemente em batalha (não confundir com "luta" no sentido marxista) contra o pecado e o mal que há no mundo. Por isto devemos orar muito uns pelos outros para permanecermos firmes e fiéis (Jesus já havia predito perseguições e tribulações). Entendo que é muito difícil quando enxergamos estes equívocos principalmente nos que deveriam nos conduzir na fé, mas estes desafios só servem para nos fazer crescer na opção por Jesus e por Sua Igreja. Veja os cristãos perseguidos e mortos no Oriente. Aqui a perseguição a nossa fé se dá de outra forma e por isso a necessidade da oração e vigilância. A Igreja é santa e linda. Tenhamos a coragem de lutar por ela.Coragem e sigamos em frente!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Carol 19-09-2016 12:57
Eu me envergonho de haver um movimento como este dentro da Igreja Católica e, mtas vezes, já me questionei sobre o porque Deus permite que eles manchem assim a Esposa do Cordeiro, mas então o Senhor me recorda que Ele permite que o joio e o trigo cresçam juntos e que, no tempo certo, ele vai ceifar.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Marijane 19-09-2016 12:44
Minha Nossa Senhora do Céu todo azul, geeeeeeeeeete... É a primeira vez que vejo alguém falar disso na viiiiiida. São Bento, rogai por nós para que essas heresias acabem
Responder | Responder com citação | Citar
0 # marcos 19-09-2016 15:23
Desculpa pelo choque de realidade, e bem vinda ao mundo...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Wanderson Santos de Almeida 19-09-2016 12:40
Eu era da infância missionária aqui na arquidiocese de vitória no espírito santo. Negro Nagô, irá chegar um novo dia e outras aberrações eram cantadas em todos os encontros. As palestras consistiam em falar de negros, índios, não a ALCA, falar mal da RCC porque na prova deles os carismáticos só tinham oração, mas não tinham ação. Graças a Deus a RCC me alcançou, embora rejeite rótulos como carismático. Ah, também era normal os padres missionários nos oferecerem para beber o sangue do senhor diretamente do cálice. Pasmem: o cálice andava de mãos em mãos numa roda onde cada um limpava a borda com a toalhinha, bebia e passava para o próximo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Glauber 19-09-2016 22:14
Infelizmente esse grupo que você menciona deve ter sido conduzido por uma pessoa que tinha uma tendência muito comunista, porque há uma metodologia específica para o grupo que se define Infância e Adolescência Missionária. Tem tanto a parte de oração como de ação. O que pode ocorrer é o despreparo dos assessores e coordenadores. Aliás, o método que vem indicado é o "ver-iluminar-agir-celebrar", presente em Documentos da CNBB como o Catequese Renovada e o Diretório Nacional de Catequese, que troca o termo julgar por iluminar. Um grande problema é que esses grupos, como parte de conhecer outras realidades de missão, como a África, os países em guerra, ou a situação de crianças e adolescentes ao redor do mundo, pode confundir a luta pela dignidade dos povos e da pessoa humana com os ideais de esquerda. Isso não deve acontecer!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # fabiano 19-09-2016 12:26
caminho há 16 anos na igreja, infelizmente no começo, lá no ano 2000, frequentei essa porcaria de PJ que não deveria existir, é uma chaga na igreja que não leva jovens pra Deus...ah se o papa tivesse dimensão dessas coisas que acontecessem... hoje sou da comunidade Shalom.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # roberta fernanda 19-09-2016 12:01
Durante minha adolescência uma freira dominicana tentou montar uma PJ na minha cidade. Não foi pra frente pq o pároco da época impediu. Lembro q houveram alguns encontros dessa PJ que eu fui,eu não entendia nada e até houve um encontro desse em um bairro distante,que eu e meu irmão fugimos de onibus...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # marcos 19-09-2016 15:21
Que inveja de vc ter um pároco assim. Os daqui da minha paróquia costumam incentivar essa merda... e perseguir a RCC...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # roberta fernanda 20-09-2016 10:47
O pároco da época impediu a PJ e liberou a Oficina de oração do Frei Inacio larranaga, mas depois depois nao deixou a oficina tbm...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Stéphanie 24-09-2016 23:54
Roberta, vc sabe pq ele proibiu a oficina? Eu fiz uma, foi tão bom pra mim. Não me lembro de ouvir nada demais nas meditações do frei. Mas agora fiquei curiosa.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # roberta fernanda 26-09-2016 15:44
Falta de público... E eu estava doida pra fazer... xatiada..
Responder | Responder com citação | Citar
0 # roberta fernanda 20-09-2016 10:41
Fiquei sabendo de um padre na década de 80 na minha cidade, que era detestado pelo povo da época por ser arrogante que declarou guerra a juventude da época por impedir com todas as forças de ser criada uma CEB e uma PJ aqui. hoje ele tem quase 80 anos de idade e está em BELO Horizonte. Agradeço a Deus por ele.. A mulher q me contou esse fato eh petista roxa e quando ela me contou isso,eu ri na cara dela e falei q o padre,que se chama Antonio Scarpa, estava certíssimo...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # José Abdias 19-09-2016 18:16
Somos dois Marcos
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 19-09-2016 12:22
Freira dominicana? Certamente era discípula do comunista Frei Bé.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # roberta fernanda 20-09-2016 10:43
Não tenho dúvidas.. A congregação dela eh dominicana da Beata Imela Lmbertini... Congregação digamos que "nova".
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo 19-09-2016 11:50
Eu era comuna, filiado ao PSTU. Aí, virei gente. Já namorei esquerdona. Conheci muitas que não socializavam um tostão, mas a periquita era mais conhecida que o Michael Jackson na época do Thriller. Eram os loucos anos 90...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Leonardo 19-09-2016 11:49
Poxa, quando vi a postagem, percebi que não estava sozinho nessa história. Em meados de 2000, estava iniciando minha vida na Igreja Católica, e como catequista novato, não entendo muito bem e achava que tudo era comum dentro da Igreja Católica. Em 2001 estava indo aos encontros, onde existia apenas a Pj, como linha de frente, na região de Osasco-Sp. Meu primeiro retiro de 2 dias, foi algo bizarro, tinha maconheiro, socialistas e gente nao querendo nada com a Igreja. No primeiro dia, fizeram a gente nos enrolar nos lençóis, como se fosse roupas, e segundo eles, para lembrar as vestes de antigamente. Meu lençol era do Mickey, e não ficou parecendo trajes antigos kkkk. Uns faziam turbantes na cabeça com toalhas. Era só o inicio da noite, e fizeram uma mesa grande e fizeram um jantar, com cordeiro e ervas amargas, para passarmos pouco a pouco para cada jovem ao lado. Nas palestras, lembro ate hj que um professor perguntou, quais líderes que achávamos inteligentes, e um coordenador disse Hitler. Pode ter liderado muita gente, mas a liderança levando a que era inteligente da parte dele, e por ai vai. No dia seguinte, na parte das dinâmicas e musicas, a famosa musica Nego Nagô, era tocada bastante e varias outras musicas com palavras que lembravam musicas da Umbanda. Eu ficava no meio junto, achando que era normal, ja que não tinha tanta informação de internet como hoje em dia. E no final do encontro, não lembro de ter orado o Pai Nosso e Ave Maria, como faz muitos anos, lembro que oravam no inicio e só. Não tinha retiro Católico, era um retiro de sincretismo. E encontros após encontros, a mesma história e o hit dos encontros Nego Nagô. Ate que vi, que em certo momento, eu ja estava passando anos na igreja, e enraizou na minha memória, o sincretismo, favorável ao aborto, frequentar outras religiões e achando que era normal ter mais que uma religião. Graças a Deus, em meados de 2009, por indicação de uma amiga, disse p ir junto na missa Tridentina no Mosteiro São Bento em SP. Vi a Igreja de um modo diferente e conversando com ela, eu vi que eu estava totalmente fora da Igreja Católica. A partir daí comecei a estudar muito mais, a entender melhor as coisas, comprei o catecismo e passei a ver vídeos do Padre Paulo Ricardo. Fui catequista de meados de 2001 até 2007 e parei, depois voltei quando passei a estudar, e o que eu vejo? Um pessoal ainda enraizado ainda, achando tudo normal, ensinando crianças a comungar da forma que achavam melhor ( no caso comungar e ficar em pé, ao invés de ficar ajoelhado e fazer suas preces . Sei que não é obrigado a se ajoelhar, pois cada um tem sua necessidade, mas sempre expliquei a espiritualidade de se prostrar, depois de receber o Corpo e Sangue de Cristo), não querer ensinar mais orações. Alguns tinham plena consciência do correto, e fico feliz, que hj em dia os leigos conseguem ter acesso a mais informações, mas fico triste que muitos estão com os pensamentos enraizados, com o politicamente correto e dizer que segue uma doutrina, é algo vergonhoso. Escrevi um texto, mas essa artigo caiu como uma nostalgia ruim.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Elvis Cedro 19-09-2016 11:49
Tenho por este blog um profundo respeito... Mas me entristece ver a forma como foi tratada uma pastoral da nossa igreja... Esse incentivo a uma rivalidade que a própria CNBB tenta por fim...... Como cristão não nos cabe julgar e sim anunciar o evangelho do amor... Em um ano que se celebra a Misericórdia tal artigo faz justamente o contrário!!!! Me faz lembrar também tantas aberrações que acontecem no meio da RCC como: Adulteração de várias partes do Rito da Missa (basta ver a Missa do Padre Marcelo Rossi), Missa de Cura e Libertação (Toda a missa deve levar a cura e libertação), Cerco de Jericó (Cristo é a Nova Aliança, sai da arca para fazer de nós arcas vivas), Transformar o Santíssimo Sacramento em Amuleto.... E por aí poderíamos citar tantos outros..... É claro que para cada item que citei existe uma explicação... como para cada item postado há uma explicação..... Vale dizer que a PJ é acompanhada e assessorada por BISPOS (Autoridades da Igreja nomeados pelo Santo Padre e indicados pelo Núncio Apóstólico) Dessa forma qualquer abus com certeza já teria sido retalhado pela própria Igreja.... Respeitar o diferente é sinal de amor e MISERICÓRDIA....
Responder | Responder com citação | Citar
0 # ana carolina zabisky 19-09-2016 11:49
já fui PJteira... por pura ignorância... pelo unico grupo de jovens de minha paróquia assim o ser... E eu já coloquei música do Raul Seixas para os jovens "meditarem" e rezarem diante do Santíssimo Sacramento!!!! Ai que tristeza... Graças a Deus a mão de Deus me levou à Verdade e à verdadeira Igreja de Cristo :(
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Ana Paula 19-09-2016 18:28
Não fui da PJ, por ter sido criada na RCC, mas meu catequista do Crisma era o coordenador da PJ. Era meditação das músicas do Legião Urbana todos os encontros! Até gosto de algumas canções deles, mas pra rezar??? Um dia o dito catequista foi a minha casa e me convidou pro grupo da PJ com a camisa e tudo... Não fui... Não dá pra brincar com Deus.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo 20-09-2016 10:13
Como se reza ouvindo "Faroeste Caboclo"? Esses pejoteiros são uma piada, só não rio porque a doença maldita que eles espalham não tem graça nenhuma.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Daniel 19-09-2016 11:35
HAHAHAHAHAHAHA
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natalia 19-09-2016 11:34
Estava ansiosa por esse post, desde o último dia de agosto!!!! (Entendedores, entenderão).
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Pedro Strabelli 19-09-2016 10:51
Taí, essa burrada eu não fiz… ela não era pejoteira. Mas já namorei uma meio esquerdopata e outra meio diretínora. Depois disso procurei uma mulher normal.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # marcos 19-09-2016 10:15
Pô, que sacanagem vcs contarem minha história nesse post... Quem deixou?!? De fato, tive uma namorada pejoteira. Algumas diferenças: quando começamos a namorar, ela ainda não era oficialmente pejoteira, pq não tinha grupo da PJ na minha paróquia. Mas uma amiga dela que era bem canhota achou de criar um grupo da malfadada, e adivinhem quem ela convidou pra ajudar? Aí começou o meu "inferno astral" (eita expressãozinha porca!!!). Outra diferença era que ela era moralista demais pra dançar parecendo uma pomba gira; no mais a história é bastante parecida, da parte dela... Eu, por outro lado, era da RCC. Vcs podem não gostar, mas quem me "vacinou" contra toda essa prostituição espiritual de sacrilégios e sincretismo foi a RCC, até por que, antes da RCC eu era muito ignorante da doutrina católica, e mesmo durante e depois continuei por um bom tempo sendo ignorante acerca das questões ideológicas; mas até aí, teve gente ligada à RCC que me deu um pontapé inicial, mais precisamente FELIPE AQUINO. Imaginem o pé de guerra... Mas, o mas interessante foi o MOTIVO pelo qual ela terminou comigo: Ela dizia que eu não tinha futuro ($). Quanta pobreza evangélica!!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 19-09-2016 11:09
Eu gosto da RCC. Mas essa sua ex hein... A famosa esquerda caviar.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # marcos 19-09-2016 14:19
Vivi, eu rolava de rir enquanto lia o post. Me identifiquei muito qdo lia. Vc deve ter percebido quando leu comentário...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Jonathan Baliellas 19-09-2016 10:02
Aqui em Guarulhos tem um grupo da PJ que é comunista também. Apoiam candidatos abortistas e tudo o mais. E vai falar para eles qual o ensinamento da Santa Igreja, para ver. Eles realmente acreditam que Jesus era socialista e que o socialismo é o que Cristo quer que sigamos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natalia 19-09-2016 11:31
Não estou sozinha em Guarulhos!!! Graças a Deus!!! Qual a sua paróquia, Jonathan?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Carlito Lopes 19-09-2016 11:47
Opa, também não estou perdido em Guarulhos. Aliás, até então não vi nada de assombroso na minha paróquia. Sou da Paróquia São João Batista, Jd Adriana - Guarulhos
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natália 19-09-2016 13:27
Também sou/era de lá, Carlito! Sério que você nunca viu? :O
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natália 19-09-2016 18:56
Carlito! Me mudei a pouco tempo, estou em outro bairro, mais distante do Adriana. O Pe. Gildarte é um ótimo padre. Saudades dele, rs! No começo eu tinha medinho, mas depois passou hahaha. Não posso falar muita coisa porque não fiquei muito tempo frequentando a Igreja, é recente, mas tive muitas orientações, e no caso da PJ, nunca me identifiquei, mas não porque me induziram a isso, é uma opinião pessoal mesmo, pois conheço pessoas que são a favor. Quando eu for lá, prometo que vou tentar te achar, rs!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Carlito Lopes 19-09-2016 18:38
possamos*
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Carlito Lopes 19-09-2016 18:19
Sou novo na paróquia, conheço ninguém ainda hahah Venho da Diocese de Petrópolis, do Rio de Janeiro. Conheço somente o Pe. Gildarte e um rapaz chamado Victor. Espero que nós nos conhecemos lá, é meio chato não conhecer os irmãos da comunidade. :D
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 19-09-2016 09:33
Crux Sacra Sit Mihi Lux Non Draco Sit Mihi Dux Vade Retro Satana Nunquam Suade Mihi Vana Sunt Mala Quae Libas Ipse Venena Bibas! Rogai por nós bem aventurado São Bento, Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # geraldo 23-09-2016 14:17
Oi Alex. Essa palavra "Bibas" aí no final da prece que você escreveu, existe mesmo ou é gozação malandrinha e politicamente incorreta,sua?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Lucas Farias 23-09-2016 15:43
Está certo mesmo Geraldo. A palavra existe. Essa é a oração de São Bento, em latim.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo 19-09-2016 09:33
Quando se é adolescente, nós migramos da vida pueril sem preocupação com nosso redor para uma vida pré-adulta onde o mundo se descortina a nossa frente..E quando a cortina se abre, vemos um mundo cão, cheio de mentiras, falsidades e violências...Ou seja, prato cheio para quem propaga a ideologia comuna... Minha adolescência se iniciou com essa situação...Porém, ao meu lado, estava minha querida mãe, que rezava o terço todos os dias e ia à missa diariamente...Quando criança, a segui nesses momentos...Ao me tornar adolescente, comecei a me vergar para o esquerdismo... Porém, chegou um momento de encruzilhada: ou virava ateu, ou deixava toda essa ideologia de morte para trás...Escolhi essa segunda opção... Vejo nisso, muito o poder das orações de minha querida mãe, que me fez trilhar o caminho do filho pródigo e voltar para a casa da Igreja. Acima de ser esquerda ou ser direita, está o ser católico, ser Igreja e, isso, nunca irei abandonar...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Emilio 19-09-2016 13:46
O problema meu caro Paulo, é a pessoa se tornar adulta, mostrar aos outro que tem uma vida segundo os preceitos religiosos, mas no seu íntimo ou em grupos fechados mantêm a ideia de pertencer ao mundo cão, como se isso fosse motivo de orgulho. recebem o Santíssimo Corpo de Cristo, mas esbravejam sua defensiva ao aborto. Lamentável.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 19-09-2016 09:08
As vezes eu penso e não me canso de pensar: soltem as rédeas, o diabo já tomou conta de tudo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 19-09-2016 11:07
Fala assim não, Sidnei! Essa é a Igreja do Deus que disse: as portas do Inferno não prevalecerão contra ela. Graças a Deus, tenho a alegria de ver testemunhos de vida de padres e leigos realmente caminhando para a santidade, algumas tropeçando mais, outras menos, mas todos amando Jesus.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 19-09-2016 01:16
Mais uma foto emblemática... Sacerdote pejoteiro confundindo pobreza evangélica com pauperismo litúrgico. Não consideraram que o Corpo e o Sangue de Cristo merecesse nem mesmo uma mesinha improvisada como altar. O Santo Sacrifício de Cristo no Calvário se torna presente sobre uma bandeira jogada no chão mesmo. Para conter o sacratíssimo Sangue do Senhor, não houve a menor preocupação de oferecer ao Rei vasos sagrados ricamente adornados, como pede a Igreja. Qualquer cálice de vidro serve, né? missa
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 19-09-2016 09:47
É interessante como São Francisco de Assis, na proverbial "pobreza franciscana" em que vivia, não poupava esforços para que a igreja (especialmente o sacrário) estivesse ricamente adornada: eles e os seus frades a viver a maior pobreza e austeridade; mas a Nosso Senhor toda a honra, riqueza majestade e glória!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Geraldo 19-09-2016 15:20
Idem São João Maria Vianney, Pe.Orlando! Um dos padres mais humildes e simples da nossa história. Como gosta de dizer o Papa Francisco, há grupos que alugam cômodos na igreja de Deus em função de suas opções ideológicas prévias. Jesus e seu reino, são meramente instrumentalizados e usados como pretextos para objetivos já escolhidos. Nessa pobre perspectiva, não é Ele, o Cristo, que gera os valores novos no coração de quem é encontrado e surpreendido por ele. As escolhas já estão feitas e fossilizadas antes e, o nome de Jesus servirá apenas para dar uma roupagem religiosa a elas. Isso chama-se idolatria. Sempre achei graça da obsessão dessas vertentes pelo tal "Jesus histórico" oposto ao "Cristo da fé". O sujeito faz tanta "arqueologia" para, no fim das contas, topar consigo mesmo e seus preconceitos e estereótipos tão enferrujados e mofados. Pois toda ideologia é natimorta e caduca, embora haja quem se disponha a manter, artificialmente (e não raro, desonestamente) sua frágil respiração. É uma grande pena, que se dê um alimento tão mofado e uma perspectiva tão caduca e aborrecida da vida, justamente aos jovens que, cheios de vitalidade, entusiasmo, interesse e curiosidade diante da vida, estariam naturalmente abertos à novidade de Jesus. E igualmente lamentável é que se use o nome e a dor dos mais pobres e marginalizados, para se vender uma ideologia que, histórica e concretamente, foi a que mais contribuiu - e tem contribuído - para a sua miséria e opressão. Como nos alertou o Senhor,"se alguém escandalizar um desses meus pequeninos, melhor seria que fosse atirado ao mar com uma pedra de moinho amarrada ao pescoço!"
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 23-09-2016 20:31
Geraldo, essa oposição, por vezes especialmente artificial, entre o "Jesus histórico" e o "Cristo da fé", frequentemente é apresentada como se fossem duas pessoas completamente diferentes, quiçá inimigos!... No seguimento desse pauperismo litúrgico, parece que aqui está em causa um outro pauperismo: a pobreza de sinais que dispensa, e muitas vezes até rejeita mesmo, quaisquer milagres ou manifestações extraordinárias de Deus. É certo que Deus não está sempre a suspender as leis da natureza, são, certamente, fenómenos raros; mas, para certos biblistas e afins, nunca houve quaisquer milagres, nem anjos, nem visões, nem sinais extraordinários... reduzem tudo a metáforas, ou explicam com base na psicologia, etc. Até se conta aquela anedota: "Segundo certos biblistas, no episódio da Anunciação, o Anjo, ao aparecer a Maria, teria dito: Não temas, Maria, pois eu sou apenas uma figura de estilo...". Parece-me que esta recusa total de qualquer manifestação extraordinária de Deus também é uma forma de pauperismo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # geraldo 25-09-2016 00:02
Nem me fale, meu padre. Um pauperismo que não só reduz a grandeza divina, mas a própria grandeza da razão e inteligência humanas. Coitada de uma inteligência que reduz seu campo de consciência acerca do real, somente àquilo que ela pode mensurar e provar. Estaríamos até hoje na idade da pedra, se dependêssemos de "inteligências" tão raquíticas como essa. "-Será que minha mãe realmente me ama? Mas como ter uma prova realmente empírica, cientificamente irrefutável, disso?" Um coitado que vivesse assim, sempre à cata daquilo que ele julga serem provas "racionais" (que "razão" mais anêmica, estreita!), estaria tragicamente fechado às experiências mais significativas e decisivas da vida humana, que muitas vezes são indizíveis. E só pode experimentar a graça do milagre (seja ele a cura de um cego, o pôr do sol à cada dia, o sorriso sincero de uma criança ou a transubstanciação do pão no corpo ressuscitado do Senhor) quem está aberto a se relacionar com a realidade como dom extraordinário e inusitado que ela é. O que me faz lembrar essa belíssima reflexão de Chesterton: "Uma criança de sete anos ficará excitada se lhe disserem que Tom abriu a porta e viu um dragão. Mas uma criança de três anos ficará excitada se lhe disserem que Tom abriu a porta." Não é à toa que o Senhor nos disse que só quem for como criança entrará no seu reino. Ser criança como um São Pio de Pietrelcina, que viu o poder divino de Cristo (vindo em socorro de sua prece) curar de cegueira, a uma menina cujos olhos não tinham pupilas. Para que o seu evangelho não fosse assim reduzido e tratado com tão pobre e estúpido racionalismo, Nosso Senhor continuou agraciando seu povo (sobretudo os mais humildes e simples) com inúmeros milagres, ao longo da história. Entre tantos dons e carismas, para mim, os milagres - tão recentes, tão próximos de nós - ocorridos na vida do Padre Pio em quantidade tão impressionante e de modo tão extraordinário e patente, foram especialmente providenciais justamente para o século XX, durante o qual a crença racionalista atingiu seu apogeu e contaminou a própria teologia, com sua estreiteza racional. Fico, às vezes, pensando na imensa e estúpida contradição que é, colocar em dúvida os milagres de Jesus, a sua concepção virginal no ventre de Maria, a sua ressurreição, a transubstanciação do pão no seu corpo e ao mesmo afirmar que se crê na criação do mundo, pelo bom Deus. Pois as mesmas objeções buscadas para não se crer nesses milagres todos, podem ser perfeitamente alegadas para não se acreditar na criação do mundo, por um ser pessoal, inteligente e bondoso e até mesmo para duvidar da própria existência desse Deus, pois não? Mas, como citei Chesterton, acho que vale muitíssimo à pena, conhecer o texto todo de onde extrai a frase mais acima. O padre conhece? Partilho o mesmo aqui: http://www.grupotempo.com.br/tex_fadas.html Belíssimo, memorável, necessário.
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade