Publicidade
Terça, 14 Abril 2015 11:04

Casamento gay civil – Por que o Padre Fábio de Melo está equivocado

Postado por

Vocês certamente devem saber que é graças à influência da bancada evangélica e católica que o assassinato de bebês em gestação, financiado com dinheiro público, ainda não foi totalmente liberado no Brasil. Agora imagine um cristão que, ao receber essa informação, diga: “Ora, os religiosos não devem se meter nesses assuntos políticos, pois o Estado é laico!”. Convenhamos: essa pessoa precisa de ajuda para raciocinar melhor!

patrick_bob

O Estado é laico, mas A SOCIEDADE BRASILEIRA NÃO É LAICA, e os cidadãos de fé cristã têm todo o direito de atuar politicamente, de forma democrática, dentro das regras. Nós cristãos devemos nos anular politicamente, e deixar que outros decidam o destino da nação? Por que? Acaso o fato de uma pessoa ser religiosa a torna uma espécie de cidadão de segunda classe? Nós cristãos acaso não pagamos impostos?

Recentemente, a respeito do reconhecimento legal das uniões homossexuais, o Padre Fábio de Melo foi imprudente na forma que se manifestou sobre a relação Igreja-Estado, em seu Twitter. Suas palavras contariam a lógica, e também o posicionamento da Igreja Católica.

padre_fabio

Claro que essas situações competem aos cristãos! O Estado Laico não é Estado ateu. Hoje ele está sendo usado para abraçar apenas valores ateus, porém, deve abraçar as religiões e seus valores, desde que dentro das regras da democracia.

Vejam o que diz a Igreja a respeito do reconhecimento legal das uniões homossexuais:

"A Igreja ensina que o respeito para com as pessoas homossexuais não pode levar, de modo nenhum, à aprovação do comportamento homossexual ou ao reconhecimento legal das uniões homossexuais. (...) Reconhecer legalmente as uniões homossexuais ou equipará-las ao matrimônio, significaria, não só aprovar um comportamento errado, com a consequência de convertê-lo num modelo para a sociedade atual, mas também ofuscar valores fundamentais que fazem parte do patrimônio comum da humanidade. A Igreja não pode abdicar de defender tais valores, para o bem dos homens e de toda a sociedade."

- Consideração sobre os projetos de reconhecimento legal das uniões entre pessoas homossexuais, Congregação para a Doutrina da Fé, Junho de 2003. Fonte: Site do Vaticano

As pessoas de fé cristã – sejam elas religiosas ou leigas – não podem IMPOR seus valores e crenças aos demais, mas eles, sendo cidadãos, têm todo o direito de utilizar os meios democráticos para defender seus valores. E o valor mais importante para o cristão é a FAMÍLIA. Portanto, os cristãos podem e deve se opor à equiparação civil das uniões homossexuais ao casamento tradicional, pois isso altera de modo drástico as estruturas da sociedade e impõe os valores de uma minoria a uma maioria.

fabio_twitter

Reparem: o Padre Fábio usou o termo "união civil" e não "casamento"; mas deveria ter dito também que tal reconhecimento legal é injusto e imoral se equipara as duplas gays a casais tradicionais. Afinal, não cabe ao Estado definir o conceito de “matrimônio”. O Estado deve SERVIR a sociedade e proteger os seus valores, e não impor sua ideologia à sociedade. Sendo assim, o Estado deve apoiar o conceito de matrimônio que brota da sociedade, e não reinventar esse conceito para agradar a uma minoria, lesando o direito da maioria.

A sociedade brasileira, em sua esmagadora maioria, como bem reconhece o deputado Jean Wyllys é contra o “casamento” gay (saiba mais aqui). Então, tal reconhecimento foi empurrado goela abaixo do povo pelo tal Estado laico, de modo totalmente arbitrário.

Não, a Igreja não deve e não quer controlar a vida privada de ninguém. A Igreja ensina que o sexo fora do casamento fere os planos de Deus, mas do ponto de vista da liberdade civil, cada um, sendo adulto, que viva com quem quiser, beije quem quiser, durma com quem quiser.

E se as duplas gays precisam de regularização legal, o certo é que o fizessem por meio de um contrato, que lhes desse proteção sobre o patrimônio formado em comum, direito de herança etc. Não há qualquer necessidade de chamar tal contrato de “casamento” (o Padre Fábio, inclusive, falou mais ou menos isso em um dos seus twits, pois usou o termo "parceria" para "proteger seus direitos". Porém, "esqueceu" de dizer que uma dupla gay jamais pode ser equiparada civilmente a um casal tradicional).

É totalmente absurdo, em nome de uma falsa e injusta igualdade, impor na base da canetada um novo modelo de “casamento” à sociedade. Dois machos juntos e duas fêmeas juntas não geram uma família (ao menos não de modo natural). Ora, se não são iguais a um casal hétero, não têm direito de exigir ter os mesmos direitos legais de um casal hétero.

No fim, quem mais sofre com toda essa confusão são as crianças. Já existem crianças no Brasil registradas como filhas de três mães, duas mães e um pai, e outras combinações “multiparentais”. Trata-se de um capricho, uma imposição ideológica que contraria a natureza humana nos aspectos psicológico, biológico e antropológico. Mas, nos dias de hoje, a ideologia está acima da verdade.

Deixo vocês com o depoimento desses pais de família americanos (foto abaixo). Talvez assim fique mais fácil entender o que queremos dizer quando falamos que uma minoria está impondo seu modelo de vida a uma maioria, sem qualquer tolerância. David Parker foi preso em abril de 2005, quando se recusou a deixar o edifício da escola até que os funcionários se comprometessem a lhe avisar com antecedência quando os  livros que incluem personagens homossexuais seriam lidos em sala de aula.

“No começo de 2005, nosso filho Jacob entrou no Jardim de Infância. E chegou em casa com uma bolsa de livros sobre diversidade (...), que introduzia ás crianças o tema de ‘famílias’ com ‘pais’ do mesmo sexo. Quando fomos à escola, pedindo que avisassem aos pais quando esses temas fossem ser tratados, com a opção de excluir nossos filhos desse tipo de doutrinação (...), eles disseram que este é um tema sobre o qual não há aviso para os pais. E que qualquer adulto, a qualquer hora, poderia discutir sobre homossexualidade e famílias homossexuais com as crianças. E dizem que uma das razões disso é porque o ‘casamento’ gay é legal em Massachusetts. E quando promovem legalmente isso como ‘igual’ dizem que também é algo moralmente igual.”

- David e Tônia Parker (veja o vídeo aqui e veja a reportagem no "Sidney Morning Herald")

casal_americano

UPDATE:

Acabamos de conhecer este vídeo do Padre Reginaldo Manzotti falando sobre as uniões homossexuais no programa do Faustão. Que coragem e clareza! Colocou todos os pingos nos "is", sem deixar margem para dúvidas e interpretações equivocadas. "Todos os direitos devem ser valorizados. A minoria tem o seu direito, mas você não pode equiparar esta união homoafetiva com a mesma qualidade de família", disse ele. Vejam, a partir de 2:10.

2096 Sexta, 02 Junho 2017 13:26

Comentários   

0 # Maria 01-03-2017 11:39
Vindo do padre que disse que no Oriente tem excesso de Deus, nada mais me espanta. Esse padre tem algumas boas reflexões, poderia ter sido um ótimo psicólogo mas contenta-se em ser um padre mediócre.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Ceci 11-03-2016 17:54
Concordo que a laicidade do Estado não deve ser argumento para a não representação de católicos e cristãos no âmbito político. Estado laico é o que não adota uma religião oficial, é muito diferente do Estado ateu, em que se impõe o ateísmo e difere diametralmente da laicidade. O Brasil é laico e tem garantida proteção toda e qualquer forma de crença, inclusive a descrença, desde que não atente contra direitos e garantias previstos na Constituição Federal. O texto ia muito bem, mas aí disseram que um novo modelo de família estava sendo imposto (?) e que uma minoria quer obliterar a vontade da maioria. Discordo, heim! Não concordamos com a prática, não a temos dentro da Igreja, mas, ao contrário do aborto (por exemplo), a união civil homossexual não atenta contra os direitos e garantias previstos na Constituição Federal. Não podemos obrigar alguém a ser católico (ou podemos?), tampouco a adotar suas práticas. Podemos nos fazer ouvir por meio do Legislativo? Claro que sim! Mas sem subverter a lógica. Não nos é imposto unir a alguém do mesmo sexo. Também não nos obrigam, e nem podem fazer isso, a adotar esse tipo de união dentro da Igreja. Discordo que isso lese o direito da maioria, pois não nos impede de realizar e viver o matrimônio nos moldes da Igreja.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Pedro Strabelli 11-03-2016 23:04
A questão não é se vai existir gay; eles sempre existiram e sempre existirão e o problema não é exatamente este. O que estão tentando fazer é que a união entre dois gays tenha o mesmo peso e valor que o casamento. Não existe nenhuma prova que o casamento entre homem e mulher seja construção social, como querem os defensores desta ideia, e a prova é que toda e qualquer sociedade que sobreviveu ou que, pelo menos, durou muito tempo, era baseada na família. E isso é fato. Existindo gays ou não, sendo escondido ou não, enquanto a família é a base, a sociedade tem mais possibilidades de durar. É que a família de verdade tem uma forma diferente de se proteger e se conservar, por ter valores diferentes. Ela, por si própria, dura mais. Família gera um filho mais por missão e dom divino. Casais gays ou frutos de produção independente, o filho é mais para realização pessoal. E todos educamos em princípios mais duradouros, e menos relativistas, aquilo que consideramos missão.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Pedro Strabelli 05-03-2016 19:10
Há algum tempo venho pensando e postar algo aqui, mas demorei por tinha dúvidas se teria algo a acrescentar ou se era só vontade de postar. Pesquisei os argumentos e raciocínios que tinha e não achei em lugar nenhum, pelo menos não da forma que pensei. Depois pensei na questão e calculei que é uma luta longa e que, para dar certo, é preciso achar algumas estratégias complementares. Mais algum tempo meditando nisso. Bom, decidi tentar contribuir. Se servir para algo, fico feliz. Vou explicar por tópicos pois acha mais fácil de visualizar e entender. • Casamento tradicional é construção civil É um dos mais usados pela causa gay e o menos provado deles. O curioso motivo de não se provar isso é que não é verdade. Já o tal casamento tradicional tem provas suficientes a seu favor. A mais séria: nem todas as sociedades e culturas sobreviveram, mas em toda que sobreviveu ou durou muito a causa comum era uma só: a família era prioridade. Duas provas rápidas: enquanto a Grécia, berço da civilização ocidental, era centrada na família, ninguém bateu de frente com eles e saiu ileso. Quando a família foi se desagregando, Roma foi lá e tomou conta do pedaço. Curioso que os romanos parecem não ter aprendido, pois foi só irem esquecendo a família que os bárbaros fizeram a festa. Também tem provas bastante prosaicas. Na Revolução Francesa acharam que a semana tradicional de sete dias era uma imposição (leia-se: construção social) dos padres. Criaram a semana de 10 dias que só durou e muito na marra, enquanto os malucos durou a revolução, porque os revolucionários não queriam dar o braço a torcer. Se até a semana tradicional é a única viável, imagine o casamento! • Se família funciona sem pai, funciona com duas mães É quase a mesma coisa que dizer que as vinte e quatro horas do dia funcionariam igualzinho se houvesse dois sois ou duas luas. Quando falta um dos pais, ou ambos, a criança entende uma presença implícita deles, que não está ali por uma fatalidade ou uma eventualidade. Por isso é tão comum fantasiar o que falta. Além disso, um pai e uma mãe, presentes ou implícitos, são complementares. Essa complementaridade é tão cara para a criança que grande parte dos casos de problemas de comportamento de jovens acontecem quando uma grave desagregação familiar faz o jovem perder um destes referenciais. Aliás, algumas comparações curiosas: a complementaridade é base de quase tudo por aqui: dia e noite, bem e mal, noite e dia… homem e mulher. • A família só é assim por preconceito Dizer que Roma e Grécia eram intolerantes com o homossexualismo é o mesmo que dizer que a Europa e os EUA são intolerantes com a maconha. Nestes dois impérios isso era muito comum e muito conhecido. E não por coincidência, mesmo com isso, enquanto a família, aquela apelidada de tradicional, foi a base, ninguém de fora veio mandar. Claro que tinha problemas, corrupção, bandalheira, mas a família sendo a base real, a sociedade se mantém. Só para comparar, a islamização da Europa equivale exatamente à despriorização da família. Ah, mas só agora o casamento gay foi aprovado. Correto, mas família está sendo abandonada faz tempo e quanto mais a família deixa de ser prioridade, mais outra sociedade bem ou mal baseada nela vem ocupar o espaço.
Responder | Responder com citação | Citar
-1 # arthur 31-01-2016 13:30
Uma familia (homem,mulher) que forma um filho ou filha não uma casal de homens e casal de mulheres,se quiser formar uma familia decente é só o homem casar com a mulher para ter filhos
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 11-01-2016 17:16
No Brasil, desde 2011, através do STF no julgamento conjunto da ADPF 132 e da ADI 4277, é reconhecida como entidade familiar a união estável gay, e depois o CNJ baixou uma resolução obrigando todos os cartórios do país a fazer certidões de reconhecimento de união estável para os pares homossexuais que as queiram. É curioso como o Supremo precisou julgar contra o texto expresso da Constituição (art. 226, § 3º, CF), coisa diversa do recentíssimo julgamento Obergefell v. Hodges em que a Suprema Corte Americana, com mais uma muito doida interpretação da 14ª Emenda, que originalmente foi promulgada para garantir a igualdade entre negros e brancos. As interpretações malucas da Corte sobre essa Emenda já foram tantas que não é preciso ir muito longe: a política sulista dos (iguais mas separados) nos anos 40/50 foi validada por uma interpretação maluca em um julgamento do tribunal. Os maus juízes são os maiores ladrões que existem: roubam a esperança do ovo de conseguir justiça.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # credulo 13-01-2016 23:37
Isso tem um nome: ATIVISMO JUDICIAL. É quando o Judiciário toma para si funções de outras partes, com Por exemplo, ao permitir aborto em caso de anencefalia, o Judiciário está basicamente dizendo que "X não é crime", quando somente projeto do Legislativo pode dizer o que é ou não crime (nem mesmo o Presidente, mediante medida provisória, pode fazer isso). Mas minha opinião pessoal é ainda mais radical: não deve existir nenhuma forma de casamento civil na Constituição, e nem mesmo em lei infra.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 15-01-2016 06:48
O julgamento da ADI 4277 é um exemplo claro de julgamento contra legem, mas não o de Obegerfell v. Hogdes. O problema é que quando foi inventado o controle de constitucionalidade, o Judiciário reservou-se no direito de dizer quando uma lei é ou não é uma lei vigente, e portanto através do caminho inescapável da interpretação, ele se dá no direito de extrair normas que tecnicamente não estão propriamente escritas em regras mas sim em princípios.
Responder | Responder com citação | Citar
-1 # danielle 14-12-2015 17:57
o padre tem toda a razao do que fala sobre casamento gay isso e pecado onde Deus deixou pra se unir homem com homem eu sei que as vezes nao e porque eles talvez nao querem e nao entende porque sao assim e assim mesmo no mundo em que vivemos apareçe cada coisa...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sol 22-10-2015 13:07
Vivi, mandei um email pedindo ajuda sobre esse assunto e até agora nada.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 22-10-2015 13:20
Sol, desculpe a demora, estou na fase final da minha gestação, e resolvendo mil problemas em casa. Ainda não tive tempo de responder.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # lia coradine 09-10-2015 00:22
Eu concordo com padre Fabio de melo, A IGREJA MINISTRA SACRAMENTO, ELA SE OCUPA COM MATRIMONIO E NÃO COM UNIÃO ESTAVEL, e com certeza nenhum homossexual NÃO vai chegar na sacristia pedir o matrimonio,foi isso que o padre quis dizer, e todos nós cristão precisamos amar e respeitar, e fazer como o samaritano que não era judeu nem religioso mais acolheu o ferido sem importar qual era sua crença e seus conceitos, precisamos olhar mais com os olhos de cristo para entender as fraquezas humanas, pois somos rapidos para condenar e tão lentos para amar, para acolher vamos amar mais e deixar, que Deus que é manso e misericordioso julgar....
Responder | Responder com citação | Citar
0 # José Inácio dos Santos Souza 07-10-2015 00:11
O Pe. Reginaldo Manzotti está de parabéns. Diferentemente de alguns padres calças frouxas, que ficam ruborizados com medo de contrariar seus entrevistadores em programas de televisão, ele teve a coragem de dizer no programa do Faustão, especificamente para seu apresentador, o que a Igreja Católica Apostólica Romana pensa a respeito da união de homossexuais. Um bom padre deve ser sempre o porta-voz da Verdade, que é Cristo. Dizer a verdade sem temer, doa a quem doer, porque, afinal, o que nos poderá fazer um homem. A "perresía" deve estar no cerne da alma de um bom pastor, e deve ser manifestada, sempre que necessária. Já o irenismo, que além de ofender a Deus, por omissão à verdade, denota a fragilidade da fé de um padre que ainda não se definiu: por vezes, acende uma vela para Deus, outras vezes para o diabo. É o chamado politicamente correto. Parabéns Pe. Reginaldo Manzotti pela sua coragem, e que, Espírito Santo de Deus seja a luz do seu sacerdócio, para que você possa iluminar cada vez mais pessoas, nesta sociedade mergulha nas trevas do pecado. Um fraternal abraço.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cida Camargo Macri 22-09-2015 11:22
Minha opiniao simples, como mae educadora, usei a forma melhor de se educar meus filhos;Deus...casa...escola.sendo assim; eles tem hje; Educacao moral, religiosa, cultural. Com Deus temos Tudo, SABEDORIA.Esta somente pra quem o Teme. Observar os dez mandamentos refletir em cima das normas de Deus, nos faz entender que nosso compromisso e com Ele em primeiro lugar, nao com os homens. Falar das ideias e culturas de cada um, a ponto de ate julga-los, nao e a forma de chegarmos ao denominador comum, Resumindo; Sou familia, lutarei para prevalecer os principios morais.Cada um de Nos temos os ensinamentos de Deus, liberdade para escolhas, Livro arbitrio, respeito as pessoas fato de respeita-las, nao quer dizer que aceito as ideias delas, Cada um de nos, vamos responder frente a Deus, nosso tempo, comportamento, salvacao e individual. As ideias do Papa sou a favor, do Pe Fabio como pregador tambem, Eles apenas repassam as informacoes e pregacoes, segue e aceita Jesus quem quiser, debatar ideias sobre casamentos gays e outros comportamentos, que nao respeita a sociedade familia, a igreja vai sim... dar continuidades, e o dever dela, como crista repassar a realidade fatos. Ser humano precisa ser educado, existem pais que nao desistem de proteger guardar seus filhos,filhos estao desgovernados perderam as regias os filhos por causa da desobediencia!!! Imaginam se os pais desistissem como educadores, A questao, que muitos nao queirem respeitar leis e nem normas, Modernidade atual, Confundiram Liberdade com LIBERTINAGEM, esta e fato, que jamais vamos ficar de bracos cruzados, Doem a quem doer, a palavra os ensinamentos de Jesus vao ser levados a todos os continentes, e todo joelho ira se dobrar diante de Deus, Amem. Fica na conciencia de cada um procurar viver e repassar compotamentos decentes e nao ideias indecentes para que nao venham ha acontecer como aconteceu com Soma e Gomorra, Le a Biblia e vcs veram, A desobdiencia as leis do Senhor. Bom dia a Todos. Que os filhos conhecam a forca que brota do Amor, Deus. Amem!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Pedro Strabelli 04-09-2015 15:55
Li agora a pouco que uma tabelião americana foi presa por se recusar a realizar um casamento (civil) gay. Alegou motivos religiosos e foi lhe dada três opções: realizar o casamento, deixar que outro realizasse ou ser presa. Preferiu ser presa. Que a questão gay é tremendamente ideologizada nem precisa dizer. Talvez precise lembrar que o casamento gay só existe por causa da opinião pública. Mas tem algo que mudou. Os “mártires” antes existiam só de um lado. “Mártires” entre aspas por ser algo atribuído pelas pessoas ou mídias a quem queria algo e não conseguia e se fazia de vítima. Agora, perante todos, há “mártires” e vítimas dos dois. Num mundo extremamente midiático…
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 22-07-2015 20:02
Pessoal, aqui em Santa Catarina uma proposta curricular da educação do estado foi mandada para a assembléia legislativa do estado para aprovação. E, em seu texto trata exatamente do ensino nas escolas da ideologia de gênero. Caso algum leitor do site do catequista queira, pode mandar e-mail escrevendo aos deputados que retirem esta maldição do texto, agradeço em me ajudar nesta tarefa.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Luiz 23-07-2015 11:09
A Secretaria de Estado da Educação já havia manifestado que mesmo que sejam obrigados a tirar o termo "gênero", vão obedecer a lei, porém, vão continuar educando as crianças para isso, sem que esteja escrito no papel. É uma afronta! Acho que devemos recorrer a uma instância maior e punitiva, que caso incorram naquilo que já foi reprovado anteriormente por lei, sejam responsabilizados e processados judicialmente.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 22-07-2015 23:58
Eis os e-mails dos deputados líderes de bancada: Líder da Bancada do PMDB: Líder da bancada do PSD: Líder da bancada do PT (se bem que esta apoia esta maluquice): Líder da bancada do PP: Líder da bancada do PSDB: Líder da bancada do PR: Líder da bancada do PSB: Líder da bancada do Democratas: Líder da bancada do PCdoB (vichhe): O cara não tem contato. Líder da bancada do PDT: Líder da bancada do PPS: O endereço da AL com o nome de todos os deputados: http://www.alesc.sc.gov.br/portal_alesc/bancadas-partidarias
Responder | Responder com citação | Citar
0 # alexandre 09-06-2015 14:44
porque a igreja catolica permite esse pastor fabio de melo que se diz padre, falar em nome da igreja catolica,,,,fala tudo contra a igreja, até falou contra maria santissima,,,,onde estao os superiores da igreja catolica,,,,,será que estao concordando com isso,,,,vao acordar quando os catolicos sairem todos,,,,ai esse pastor pode alugar o santuario de aparecida para pregar as suas crenças,,,,,horrivel isso,,,,tira esse cara que só fala bobagens contra a igreja,,,,,acorda bispo
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Marisa 06-06-2015 22:20
Infeliz este faustão. Mais um a colocar hipocrisia e "maior país católico do mundo" na mesma frase. SENSO COMUM infeliz.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Silas 07-05-2015 10:47
Olá Amigos! Vejo como importante e necessário alertarmos e formarmos as pessoas dentro dos ensinamentos cristãos e dos valores familiares. Vejo porém que muitos agem como fariseus... ou seja, tem as leis, normas e regras da Igreja na ponta da língua (ou do teclado), mas não tem o principal: o acolhimento fraterno e a misericórdia. Não amam ao próximo como a si mesmos! Deus ama o pecador e repudia o pecado. Portanto, devemos acolher os pecadores, nos posicionar como católicos sim na política, mas acima de tudo, a exemplo de Jesus, denunciar os erros, mas, acolher, entrar no coração dos que cometem tais erros, pois só assim vão aprender a amar a Deus e naturalmente, vão viver de acordo com os preceitos cristãos católicos. Deus nos abençoe!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # gilmar francisco gomes 05-05-2015 16:44
Bem-aventurada é a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo ao qual escolheu para sua herança. Salmos 33:12 - NAO EXISTE ESTADO LAICO, EXISTE UM ESTADO INCREDULO E REBELDE AOS PRINCIPIOS DE VIDA, CONTIDOS NAS SAGRADAS ESCRITURAS. SE REALMENTE TODOS NOS CUMPRISSEMOS E SEGUISSSEMOS OS PRINCIPIOS BIBLICOS, NAO PRECISARIAMOS DE UM ESTADO GUARDA, NOS BASTARIAM OS PASTORES E PROFETAS!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Reginaldo Pereira 30-04-2015 12:49
Como todos esses "Padres de Mídia", esse é mais um que só fala oque o interlocutor quer ouvir! Estão sempre a relativizar tudo, em nome de uma fé e uma caridade inexistentes, pois se forem anunciar realmente a fé e a Doutrina da Igreja como elas realmente devem ser anunciadas, vão perder seu público,(Sim! Padres(?) assim conquistam público e não fiéis), caem suas aparições na mídia, caem suas vendas (tanto de CD's quanto DVD's), não mais receberão convites para a Ana Maria Braga, Domingão do Faustão, Fátima Bernardes, Luciana Gimenez (ARGHHHHH!!!!).... E assim, com suas vaidades feridas entrarão em depressão. E antes que seus "fãs" já venham com crucifixos e água benta querendo me exorcizar, digo que tenho argumentos para ter postado oque postei aqui!!!
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Marcio Monteiro 26-04-2015 17:49
Muito boa a resposta do Pe. Reginaldo Manzotti. Aliás, recentemente, no programa do Jô Soares, que entrevistava justamente o Pe. Reginaldo, o Jô aproveitou para, ao lhe fazer um determinada pergunta, tirar um "sarro" da igreja, dizendo que o Papa Pio X, teria proibido, na época, o famoso médico Louis Pasteur de aplicar vacinas nas pessoas. Ou seja, querendo dizer claramente para o Padre, que a Igreja em que ele é sacerdote, é retrograda. O padre, por sua vez, contemporizou e não soube dar uma resposta convincente sobre tal tema, talvez por não saber deste fato, historicamente falando. Eu, como católico, fiquei incomodado com esta pergunta do Jô, pois eu já ando de saco cheio de ouvir tanta gente por aí, como o próprio Jô, dizendo que a nossa Igreja é contra a ciência, etc. Afinal, caros amigos de "O CATEQUISTA", este fato envolvendo o Papa e Louis Pasteur, aconteceu mesmo?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 29-04-2015 00:44
Marcio Monteiro, tem uma coisa errada nesta história toda, Louis Pasteur viveu entre 1822 a 1895, e o Papa Pio X reinou entre 1903 a 1914, portanto, como o Papa Pio X iria proibir a Louis de Pasteur de aplicar vacinas em pessoas sem nem ao mesmo na época do falecimento de Louis de Pasteur o Papa Pio X nem era Papa ainda?. Só se fora o Papa Pio IX, mas não há nenhum registro de que isto tenha acontecido, se até a acusação contra o Papa Leão XII de que este Papa também proibiu a vacinação contra a variola não passa de lorotas como bem demonstrou o Marcio Antonio Campos em seu blog tubo de ensaio como apontou a Vivi no link acima, qualquer acusação quer seja contra Pio IX ou Pio X passará também de mera lorota. No momento que o Jô Soares soltou esta lorota para cima do Pe. Reginaldo Mazotti, o Padre deveria ter dado uma de mais esperto e pedido fontes seguras sobre isto, ou corrigido o Jô de que seria impossível ao Papa São Pio X ter proibido a Louis de Pasteur de aplicar a vacina, haja vista que quando o Papa São Pio X subiu a cátedra de Pedro Louis de Pasteur já havia falecido a uns 8 anos. E é assim que se desmascaram os embusteiros e caluniadores da Igreja.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 28-04-2015 18:45
Isso é pura lorota. Pedi ajuda ao Paulo Ricardo, historiador do nosso blog, e ele me enviou este excelente artigo do blog "Tubo de Ensaio": http://www.gazetadopovo.com.br/blogs/tubo-de-ensaio/lorota-da-semana-o-papa-que-proibiu-a-vacinacao/
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Agatha 21-04-2015 15:04
A Igreja não aceita a união gay equiparado a casamento e isso está muito claro nos ensinamentos. Mas se a Igreja é contra a equiparação civil quais os mecanismos que os cidadãos católicos possuem de impedir os avanços dos direitos que podem afetar a moralidade social ? Como dialogar com outros cidadãos que não são católicos, possuem outros valores e não concordam com a posição cristã ? Quais argumentos da esfera social, política e econômica, além de queda da natalidade, influência sobre o comportamento das crianças ?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 22-04-2015 14:43
Agatha, os mecanismos que os católicos possuem são aqueles que qualquer cidadão possui, em uma democracia: o voto; a discussão política, o debate nas ruas, nas redes sociais, nas diversas mídias; o ingresso em partidos e em cargos políticos, visando colaborar politicamente com a sociedade, a partir de uma visão cristã; passeatas etc. O que deve ficar claro é que não estamos querendo impor nada a ninguém: os militantes gays, amplamente apoiados pelo poder - o governo e a mídia - é que está impondo à sociedade brasileira a agenda de uma minoria, que alega ter "direitos" que, na verdade, são naturalmente alheios à sua condição. Então, estamos assistindo como bocós a um espetáculo de imposição cultural, totalmente antidemocrático. Os argumentos são a vontade soberana do povo - os valores de uma maioria conservadora não poderiam ser simplesmente ignorados dessa forma -, o direito natural e a antropologia.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Agatha 22-04-2015 21:22
Entendo, mas no meio católico especificamente, dentro da própria hierarquia da Igreja Católica não há algum meio formal de se reportar aos governantes ? Claro que todas os mecanismos que você citou são importantes, mas você não acha que um certo lobby positivo em favor dos ideais defendidos pelos cristãos seria interessante ?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 23-04-2015 11:09
Isso tb é feito, Agatha. Há muitos ativistas pró-vida, por exemplo, que gastam seu tempo e dinheiro indo regularmente a Brasília para impedir a total descriminalização do aborto no Brasil.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Clara França 19-04-2015 19:43
Olá, Catequistas. Eu sempre fui á favor do "casamento"homosexualismo por entender como uma mera união civil de compartilhamento de bens. Há casamentos de diversas formas, em várias religiões como o casamento indiano, budista, evangélico e por aí vai. Nunca vi como um Matrimônio, este sim é um termo designado para o casamento Católico. Mas aí vocês falaram o termo CONTRATO. Puxa, tudo ficou mais claro em minha mente. É isso! Não é casamento civil, é contrato! Só que essa alegria diminuiu e eu pensei então, que não é só um outro termo pra designar a mesma coisa? Me ajudem, Catequistas.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 20-04-2015 11:26
Clara, a união civil de pessoas do mesmo sexo, como ela é hoje no Brasil, infelizmente não é uma mera união de que garante compartilhamento de bens. É, na prática, uma medida legal que EQUIPARA A UNIÃO DE DUPLAS GAYS AO CASAMENTO TRADICIONAL. Isso é uma afronta contra lei natural e contra a sociedade brasileira, que em sua esmagadora maioria não aceita a reformulação do conceito de família, que, em suas diversas formas, é uma instituição que tem como base o pai e a mãe. Então, o problema disso é que, sendo legalmente equiparadas a casamentos tradicionais, essas relações passam a ser inseridas no conteúdo educacional das escolas, nas novelas, nos comerciais (vide comerciais da Natura, que já mostram duplas gays no maior chamego), e tudo isso deturpa na mente das crianças e jovens o conceito de família. Não sei se respondi à sua dúvida...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Izidoro 19-04-2015 18:06
Mauda Reis, que história é essa de "igreja carismática"? Não existe essa igreja que a senhora mencionou. A Igreja é uma só e seu nome é Católica Apostólica Romana. A RCC é apenas e tão somente um movimento dentro da Igreja Católica. Quanto ao Pe. Fábio ter lhe ajudado isso é bom, porém as declarações dele sobre o "casamento" gay foram absurdamente infelizes e contrariam o ensinamento da Santa Igreja. Daí o porquê de muitos de nós estarmos escandalizados com as infelizes afirmações desse sacerdote.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Luciano Perim Almeida 19-04-2015 01:29
Gostaria de parabenizar o autor pela contribuição a Fé e a Verdade. Muito oportuno seu artigo. Padre Fábio de Melo prestou um desserviço ao Evangelho ao se posicionar dessa forma. Pena que não tenha sido desautorizado pelo seu Bispo, e que esse não o tenha obrigado ainda a se retratar. A fama desse padre eleva exponencialmente os danos das suas afirmações. Espero que ele caia em si e reconheça o mal que fez.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # mauda reis 19-04-2015 00:33
O Pe.Fábio de Melo é um sacerdote Culto e digno representante da Igreja Carismática,ele é corajoso e expressa bem sua opinião.Èum ser iluminado e inspirado pelo Espírito Santo,vejo o seu programa na Canção Nova e muito tenho sido ajudada desde que perdi meu esposo e passei por grande sofrimento.Obrigado Senhor ,por sacerdotes corajosos e sinceros como Pe. Fábio.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Izidoro 17-04-2015 19:55
É preciso pedir que o padre Fábio se retrate. O que ele disse é um absurdo. Vamos mandar e-mails para ele afim de que ele se retrate. Que situação estamos passando. Como esse padre é ruim. Aliás, ruim é pouco; ele é péssimo. E o pior que esses padres midiáticos são todos uma lástima. Tem aquele padre Pedro Cunha que apresenta o programa "Em Frente" na TV Aparecida que nem dá para comentar; tem o padre Alessandro Campos que se veste como um cowbóy( eu me pergunto: de que serve o ministério de um sacerdote que gasta seu tempo cantando músicas caipiras na TV e em shows?)> Mas isso tudo é culpa dos covardões que usam báculo e mitra aqui no Brasil. Está havendo a Assembléia da CNBB, podem ter certeza que nada de útil sairá de lá, mas somente aqueles discursos chatos, esquerdistas, que ninguém(nem os padres!) lê. Que situação horrível estamos vivendo! Que episcopado covarde, frouxo, omisso! Que padres mal formados, hereges, incultos, fracos, temos no Brasil!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # adriano 17-04-2015 12:57
O direito de família se tornou, nos dias de hoje, campo de guerra cultural. Os princípios naturais da família estão sendo rapidamente tirados de cena em detrimento da ideologia de gênero. O "princípio da afetividade", por exemplo, considerado válido por quase todos os estudiosos do direito de família, legitima qualquer tipo de união, baseando-se unica e simplesmente no "afeto" que os une. É evidente que isso lança por terra o principal fundamento do direito de família tradicional, que é a complementaridade sexual (entre homem e mulher), e a monogamia daí decorrente. Se só existem dois sexos (masculino e feminino) é natural que o núcleo familiar seja representado por um elemento de cada sexo, portanto um homem e uma mulher. Aí sim a complementaridade sexual será realizada. Agora, uma vez que as uniões sejam fundamentadas no afeto, não é mais necessário que haja a complementaridade sexual, ou seja, passa a ser legítima a união entre homem e homem ou mulher e mulher. Uma consequência disso: se não é mais preciso que o núcleo familiar seja composto por um representante de cada sexo, o que impede que a união se dê entre diversos representantes do mesmo sexo, ou de qualquer sexo? Ou seja, a destruição dos princípios naturais do direito de família legitimará a poligamia, isso é uma decorrência lógica, e basta aguardarmos para assistirmos os resultados. Daí poderá ser considerada família uma união, por exemplo, entre três homens. Ou entre duas mulheres e um homem, ou, porque não, entre vinte homens? Essa discussão é sobre a instituição família. A Igreja tem o dever de intervir no debate, não para impor dogmas religiosos, mas para apresentar sua posição a respeito dessa instituição social, que tem fundamentos naturais, e os riscos decorrentes de uma alteração nesse campo. A Igreja nesse caso está relembrando aos homens o fundamento natural da família! As forças globalistas estão muito empenhadas em fazer com que as pessoas acreditem que as instituições NATURAIS na verdade são convenções sociais, que podem ser modificadas a qualquer momento. VAMOS FICAR ATENTOS! Isso também acontece na questão do aborto, é um modus operandi constante deles. O ponto é: devemos defender os fundamentos naturais da existência humana e, consequentemente, da família. Nosso papa emérito Bento XVI nos ensinou como fazer isso, leiam esse texto: http://w2.vatican.va/content/benedict-xvi/pt/speeches/2011/september/documents/hf_ben-xvi_spe_20110922_reichstag-berlin.html Em certo ponto, ele diz: "A importância da ecologia é agora indiscutível. Devemos ouvir a linguagem da natureza e responder-lhe coerentemente. Mas quero insistir num ponto que - a meu ver –, hoje como ontem, é descurado: existe também uma ecologia do homem. Também o homem possui uma natureza, que deve respeitar e não pode manipular como lhe apetece. O homem não é apenas uma liberdade que se cria por si própria. O homem não se cria a si mesmo. Ele é espírito e vontade, mas é também natureza, e a sua vontade é justa quando respeita a natureza e a escuta e quando se aceita a si mesmo por aquilo que é e que não se criou por si mesmo. Assim mesmo, e só assim, é que se realiza a verdadeira liberdade humana". Quem aqui for aluno de direito ou advogado, preste atenção nesse ponto e escrevam sobre isso, entrem no campo de batalha que é o direito de família e defendam sem medo os fundamentos naturais da família, nas faculdades façam Iniciações Científicas, mestrados, doutorados, escrevam artigos, pois estamos desguarnecidos nesse aspecto!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Graça de Deus 17-04-2015 02:29
O padre Fábio de Melo não quis dizer o que está sendo afirmado nesse site. De uma olhada no programa de ontem, é bem esclarecedor: http://www.youtube.com/watch?v=lhBs_ErwSII&feature=youtu.be&t=1
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 17-04-2015 14:27
Graça, que tal você enviar este vídeo pro Deputado Jean Wyllys, ativista gayzista que está felicíssimo com as declarações do padre Fábio? De qualquer forma, acho que não servirá muito para diminuir a alegria do Jean. Afinal, o padre Fábio continua a manter uma posição equivocada quanto à posição que os católicos devem ter em relação à união civil de pessoas do mesmo sexo, em especial quando essas relações equiparam, na prática, duplas gays a casais tradicionais. Repito, Graça: a Igreja, conforme o documento do site do Vaticano que linkamos no post, afirma o contrário do Padre Fábio. Isso é algo que nos compete SIM, e não algo que não nos compete, como diz o padre. Se não nos competisse, o Papa Francisco não teria feito forte e declarada campanha contra a legalização civil do casamento gay na Argentina (ele fez isso quando era cardeal de Buenos Aires). (Para os leitores que tiverem curiosidade de ver o vídeo, o padre Fábio começa a se justificar sobre a questão das uniões civis de duplas gays a partir dos 31 minutos).
Responder | Responder com citação | Citar
0 # André Brandalise 16-04-2015 23:51
O Padre Fábio de Melo falou besteiras no twitter nestes dias (um sacerdote não pode falar contra algo que a Igreja já tem posicionamento oficial). Recentemente o Padre Reginaldo Manzotti fez o mesmo no programa Raul Gil (um sacerdote não pode dizer que um homem que nega dogmas da Igreja e fala que o papa é a besta do Apocalipse, é cheio do Espírito Santo). Infelizmente vemos que os sacerdotes que se colocam na grande mídia acaba relativizando seu discurso para agradar os fãs. Isso é lamentável e muito triste. Nunca fui fã do Padre Fábio, mas do Padre Reginaldo, a quem tive a oportunidade de assistir algumas missas durante a semana (eu trabalhava em um local ao lado de sua paróquia, então pude ir às missas das 12h), acabou me decepcionando. Vi várias de suas homilias e em nenhuma que presenciei ele falou besteira, pelo contrário, de forma educada defendia a fé católica e apontava erros como aborto, etc.. Seus comentários no Raul Gil foram um balde de água fria para mim (mesmo que eu não seja fã do mesmo). Não gosto de padre cantor. Padre tem que ser PADRE, não estrela. Palco não combina com sacerdócio, pois ao sacerdote cabe o confessionário, altar, etc.. Sim, ele também é gente e tem suas necessidades e anseios como qualquer pessoa (conheço sacerdotes que gostam muito de literatura, cinema, culinária, etc.), mas sua vocação não pode ser prejudicada por estrelismos. Não nego o papel fundamental que o Padre Marcelo teve no meu início de caminhada, sendo que foi um grande chamariz para mim, mas, muito embora mantenha o carinho por ele, vejo seus equívocos em alguns aspectos. Rezo por ele assim como rezo pelos outros dois, pois são nomes católicos influentes dentro de um mundo tão esquecido de Deus e podem exercer um papel importante para a verdadeira evangelização, que é levar a Cristo antes de tudo e mostra a Verdade que se encontra no instrumento de salvação que Nosso Senhor Jesus Cristo nos deu, a Igreja Católica Apostólica Romana. Creio nas palavras de São João Maria Vianney sobre os sacerdotes, sei que sobre eles reside uma graça especial. No entanto, sei também que, assim como viver a vocação matrimonial, a vivência da vocação sacerdotal é uma decisão diária, uma decisão de antes de tudo agir e pensar por amor ao Amado. Infelizmente os padres estrelas não fazem isso e acabam relativizando tudo: sua vocação e a fé que representam. Talvez seja uma voz solitária (tenho esperanças de que não), mas peço a todos que antes de tudo rezemos pelos sacerdotes, os exemplares e os vacilantes. Todos precisam de nossas orações, nosso apoio e ajuda para que não se percam nas atrações deste mundo. Aos sacerdotes, em especial aos amigos, lembrem-se das palavras de São João Maria Vianney: "O sacerdote deve estar tão constantemente envolvido no Espírito Santo como está na sua batina". Que Deus abençoe os sacerdotes, que os sacerdotes acolham sua vocação com afinco, que nós possamos entender e auxiliar os sacerdotes e não sermos pedra de tropeço.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Duddu Pontes 21-04-2015 11:34
André, bom dia, tudo bem? Sigo o trabalho pastoral do Pe. Reginaldo desde 2011, quando, ao passar por um sério momento de dificuldade pessoal, fui introduzido por minha mãe ao seu programa de rádio diário, o Experiência de Deus, que ocorre todas as manhãs e é retransmitido por mas de 1200 rádios de todo o Brasil! Desde então muita coisa mudou na minha vida, me reaproximei da Igreja(mesmo que nunca tivesse saído), fui aprofundado na fé através da catequese e leitura orante diária realizada pelo padre, acompanho a hora da misericórdia que o mesmo celebra também pela rádio, todos os dias, as 15 horas, enfim, o que quero dizer é que acompanho com muito zelo e gratidão o trabalho desse sacerdote, visto que sua pregação me aproximou de Cristo e da Igreja, e me fez experimentar um até então desconhecido ardor pela palavra. Confesso que foi com profundo pesar e estranheza que tomei conhecimento do tal trecho proferido pelo padre no programa do Raul Gil, ainda que ele tenha em seguida reafirmado a doutrina da Igreja. Estranheza sim, porque pra quem o acompanha diariamente como eu, sabe de sua ortodoxia quanto à doutrina e da firmeza com que defende as posições da Igreja quanto a esses temas espinhosos de nossos dias(tal qual visto no Faustão). Pesar por ver pela internet, em portais católicos, na blogosfera e no Facebook, condenações coletivas e palavras levianas de acusação proferidas contra o padre e muitas vezes recheadas de mentiras. Mas, fazer o que, afinal, o padre realmente emitiu essas equivocadas sentenças sobre o Chico Xavier...e aqui no catequista aprendi a não ser um católico jujuba, hehehe. Entretanto, o que quero dizer é que, muito injustamente, tem sido dito coisas e proferidas opiniões sobre o padre Reginaldo que não condizem minimamente com a verdade em relação ao seu ministério. É um padre dedicado, que com muitas custas(e a ajuda dos seus sócios ouvintes) mantém uma associação que, além de evangelizar por rádio e TV, mantem uma equipe de ação social desenvolvendo um belíssimo trabalho de assistência aos desvalidos, um padre que viaja incessantemente pelo Brasil promovendo retiros, catequeses e momentos de oração e evangelização através da música e que tem trazido de volta ao seio da Igreja inúmeras almas atribuladas, como eu, por exemplo! =) Um forte abraco, que Deus te proteja e Nossa Senhora te envolva em seu manto! PS - Discordo de ti quanto ao fato de que padres não combinem com palcos, afinal, como costuma falar o padre Reginaldo, esses são os novos areópagos de nossos dias e contribuem para levar a mensagem do Evangelho onde só impera o secularismo! A questão é adotar o cuidado com o que se fala, afinal, o público para o qual se fala numa TV, por exemplo, é bem maior e deslizes como esse cometidos no programa do Raul Gil ganham enorme significado(as pessoas só esperam um erro pra apontar o dedo) enquanto o que é dito de bom e correto com relação à doutrina fica apenas na categoria do "só fez o que tinha de fazer!"
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Ricardo Villas 15-04-2015 19:15
Como católico praticante, confesso que foi com profunda tristeza que vi a reprodução de um vídeo do Pe. Reginaldo Manzotti tecendo elogios ao espírita Chico Xavier e à rede do Edir Macedo ao se apresentar em um programa de auditório de TV. Querer se expor em televisões é um risco para quem não tem coragem de contradizer o mundo, afirmando as verdades eternas contidas na Santa Igreja, mesmo que sejam impopulares. Gostaria de humildemente pedir ao padre que se retratasse.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 16-04-2015 00:06
De fato, foi uma declaração muito equivocada. Mas veja, o Padre Reginaldo, por seu histórico, tem muitos méritos por suas declarações corajosas a respeito da doutrina da Igreja. Ele não faz média com ninguém para agradar o mundo. Fala tudo claro, preto no branco. Esse foi um erro isolado, parece que ele não tem essa questão muito clara, e não teve acesso às informações que já divulgamos em nosso blog sobre o Chico Xavier. Certamente, foi influenciado pela propaganda massiva, feita por décadas na TV brasileira, mostrando Chico Xavier como um "santo". Enfim, acho que o padre Manzotti merece um crédito, pois seu histórico é de ortodoxia e coragem. Não é como certos sacerdotes, que vivem afagando o mundo, vivem propagando mensagens dúbias e flertam frequentemente com a heresia.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Juliano A.R.P 16-04-2015 14:36
Confirmo isso Vivi. Na verdade fiquei triste por esta afirmação dele, mas isto não deve retirar totalmente os seus méritos. Vou sempre às missas dele aqui no Santuário de Guadalupe e ele é um dos poucos padres que possuem sabedoria para denunciar certas coisas. Participei do retiro Nacional organizado pela sua associação, e sem dúvida ele não poupou palavras contra as novelas da rede globo e contra esse governo Comunista. Vale lembrar que ele é Pró-vida e já fez baixo assinados e campanha contra a legalização do aborto no Brasil. Infelizmente ele deu uma declaração errônea, mas creio que como você disse, foi pelo fato de não conhecer os pormenores da vida e das doutrinas de Chico Xavier. Sem falar que o Diretor diretor do nosso movimento Pró-vida que é um Padre, vai apresentar um programa chamado “Sim à Vida” na rede evangelizar que é da Associação do Padre Reginaldo. Tendo em vista que é possível assistir a rede evangelizar através das parabólicas, peço que vocês acompanhem esse programa. Já temos 2 entrevistas com a Elba Ramalho, inclusive, ela visitou a casa em que fazemos o trabalho pró-vida com as mães que querem abortar.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Hanna Basil 15-04-2015 14:04
O padre Fábio de Mello pode dizer o que quiser, onde e quando mesmo que contrarie a Doutrina da Igreja e nada vai acontecer com ele. Pois na Igreja nunca acontece nada com que dá lucro as Congregações, Dioceses, etc e tal... Mas vai um padre que trabalha numa paróquia proferir algo contra a doutrina que logo é silenciado, a hierarquia tem medo de ter prejuízo. Falo assim porque também sou padre e sei que se fosse eu dizer algo que nem passaria de longe do ele tem dito, já estaria suspenso.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # marcos 16-04-2015 13:34
Sorte sua! aqui na minha diocese tem padre que é perseguido por querer ser fiel "demais" à doutrina...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Jotacê 15-04-2015 13:04
Dá-lhe, Frei Rojão!!! "Vocês já ouviram protestante criticar os seus pastores??? Por que vocês falam do clero? Temos apenas que orar pelo clero!" - Sim várias vezes vi eles reclamando do pastor!!! E os protestantes tem uma vantagem que os católicos não têm, eles ainda trocam de igreja se estiverem insatisfeitos!!! Como nós não podemos trocar de Igreja, porque ela é única, temos de agir para melhorar o clero. Ah, e não venham com "temos de rezar pelo clero" como desculpa para ficar com a bunda no sofá e não fazer nada. Ficar só com "temos de rezar", "temos de rezar" enquanto os canalhas destroem a vinha do Senhor é uma forma sofisticada de omissão.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Márcio 15-04-2015 20:52
Já vi sim e muito, pois trabalhei numa empresa protestante e alguns diziam que os pastores não estava de acordo em varias coisas. A começar, que nas seitas há o livre arbítrio e até a homilia do pastor é admitida ou não, dependendo das ideias de cada pessoa. Há muitas críticas a pastores a começar de acusações recíprocas deles de acusações de hereges e maçons! As querelas entre Valdomiro e Edir etc?...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Jotacê 17-04-2015 13:14
Márcio, você entendeu alguma coisa do trecho do artigo do Frei Rojão que eu postei? É claro que os crentelhos criticam seus pastores! A fala toda é direcionada aos católicos "jujuba", que acham pecado "julgar". Segue o link do texto: http://www.freirojao.com.br/2015/04/ora-e-labora.html
Responder | Responder com citação | Citar
0 # marcos 15-04-2015 11:02
Alguns comentários tiveram como foco criticar duramente o Pe. Fábio. Tenho a impressão que o objetivo do post não foi esse, mas sim alertar para o fato de que o comentário dele no twitter não está em sintonia com a Igreja. Concordo com o fato de que ele deveria tomar mais cuidado com o que fala, mas o objetivo principal do post - pra mim isso fica claro da simples leitura do texto - é mostrar que o comentário dele está errado. Isso deve ser corrigido, é verdade, mas acho que seria mais construtivo se os comentários seguissem na linha do post, e não mudassem de foco. Acima de tudo, rezemos pelo Pe. Fabio. Sabe por que? Ele vai continuar sendo padre, e o que ele diz vai continuar influenciando muita gente. Tem coisas muito piores sendo feitas por clérigos Brasil afora (citando um nome: Frei Beto - perto dele, Pe. Fábio é um santo e um sábio), e nada acontece com esses cidadãos. Na minha diocese, a gente ouve cada coisa nas homilias das missas, e tá tudo certo. Eu não conheço o Pe. Fabio, mas me parece um sacerdote bem intencionado. Então, eu acho mais produtivo rezar por ele, e se alguem realmente puder fazer algo de concreto para alertá-lo acerca do erro, sim , ERRO cometido por ele, e mesmo de outros erros anteriores, seria mais produtivo do que critica-lo aqui nos comentários.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Luiz Antônio Pereira 15-04-2015 19:38
Concordo com você, Marcos! Também percebi que a matéria foi mais na intenção de mostrar o erro no comentário do padre Fábio, advertindo incautos, e não de promover uma jihadzinha contra ele. Com efeito as orações, creio eu, sejam mais eficazes, mesmo, até porque padre Fábio já disse várias vezes que não se importa com comentários agressivos direcionados a ele. No fundo, acho que ele se importa e para pra pensar, mas como humano que é, talvez às vezes tenha mais instinto em se proteger do que consentir que errou. Eu lamento muito por muitas coisas que ele disse, mas rezo por ele sempre, e pelo clero, afinal, eu não sou sacerdote, então o mínimo que posso fazer é rezar, esperando que Deus guie seus corações para o bem da Igreja. Quando a coisa é muito absurda, o melhor a fazer, além das orações, é reportar ao bispo, mas de maneira cristã, não como pelotão de ataque. Somos leigos! Em I Samuel, Davi tendo diante de si, Saul, não o tocou porque Saul era o ungido do Senhor, ainda que em situação deplorável como estava.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Wilson Suzano 15-04-2015 10:27
Meus caros amiguinhos, gostaria de saber, se o Pe Fábio de Melo não tem um Bispo, ao qual ele deva obediência, porque não é possível que ele faça tantos estragos com tantas declarações imprudentes e ninguém lhe dê um puxão de orelha; e não é de hoje que isso está acontecendo, e ele continua com programa na TV Canção Nova, e continua na mídia, e ninguém aparece pra dar um "porque não te calas?" nele.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 15-04-2015 09:17
E esta frase do Papa Francisco do "Quem sou eu para julgar", esta sendo tão deturpada, que virou até slogan de parada gay: https://pt-br.facebook.com/acordacnbb/posts/623547911114296
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Geraldo 15-04-2015 09:12
ESTADO LAICO é um disfarce para ESTADO ATEU MILITANTE, apologizado pelos partidos comunistas, como o corrupto e chantagista PT, subsidiário da maçonaria, bem inserido no POLITICAMENTE CORRETO e, que no fundo, não deixa de ser o disseminador e implantador do MARXISMO CULTURAL. E note-se que o ESTADO LAICO é entronizado e incensado por pseudos sacerdotes, comportando-se como relativistas, caso Pe Fabio de Melo, péssimo exemplo comportamental como sacerdote, ainda prestigiado com "direções espirituais na Canção Nova - não sei como aceita esse sujeito, ela seria a cara dele - levando-se em conta ser simpático ao PT, e que seria até infiltrado na Igreja; não passa de uma paródia de S João Vianney, exemplo de sacerdote católico para todas as gerações. O POLITICAMENTE CORRETO é uma viseira como no focinhos dos animais, sendo admitido apenas o que contempla as ideias das ideologias, como as marxistas e Pe Fabio de Melo tem relevante papel nesse caso, ao apoiar a farsa do ESTADO LAICO. Lamentável que a TL seja também sua linha auxiliar, infiltrada na CNBB, a qual também faz direitinho o jogo ideológico, apoiando ou nunca combatendo comunistas defensores dessas ideia, cujas mentes contêm estrume marxista, mais de parecendo inserir no ... são cães mudos que não podem ladrar, que vêem coisas vãs, e que amam os sonhos; esses cães tão sem-vergonha... Is 56, 10-11.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 15-04-2015 09:11
Tudo bem, o padre Fabio de Mello está equivocado quanto ao apoio ao casamento gay, no âmbito civil, pois a Igreja diz par não apoiar tal casamento, porém, se há bispos e padres como este aqui: http://www.padremarcelotenorio.com/2015/03/igreja-vai-batizar-filhos-de-casais-homossexuais/, que estão liberando o batismo de filhos gays, não estaria indiretamente também promovendo tais uniões?. Muitos podem dizer que a criança não tem culpa de nada e portanto, podem e devem ser batizada, porém, o que a Igreja nos diz que se uma criança que se sabe que não terá uma educação religiosa descente por parte dos pais e padrinho, então será melhor adiar o batismo desta criança até a idade da razão para depois ela se decidir se ela irá querer ser batizada na Igreja Católica ou não, então, não sejamos ingênuos, estes filhos de pais gays, jamais receberam uma educação na fé católica que o valha, ou vocês acreditam por exemplo, que estes pais gays e lésbicos vão ensinar a eles que a união perfeita e querida por DEUS, é somente entre um homem e uma mulher?. Então é confuso criticar o padre Fabio de Mello pela sua opinião a respeito do casamento gay, civil, e ao mesmo tempo apoiar iniciativas de batizar filhos de pares gays e lésbicos, parece contraditório, não dá para tampar o sol com a peneira, não dá para dizer que não apoia tais uniões e depois dizer que apoia o batizado de crianças criadas por pais homossexuais, isto não tem liga, não tem cabimento e nem coerência, devemos pensar bem antes de desdizer o padre Fabio de Mello porque contradições a parte, seremos tão contraditório quanto o padre Fabio de Mello ao apoiar o batismo destas crianças, o qual, realmente não tem culpa de nada, mas não adianta conferir um sacramento a elas, se sabemos, que elas jamais usufruíram das graças deste batismo, justamente por os pais homossexuais delas, não garantiram nenhuma educação cristã católica em suas vida. Podem objetar que sendo assim, então a Igreja deveria proibir o batismo de crianças de mães e pais solteiros, ou de casais em segunda união, pois não são casados na Igreja, porém, nestes casos, não há nada que impeça que uma mãe solteira ou um casal solteiro, venham a casar na Igreja e um casal em segunda união venham resolver sua pendência junto ao um tribunal o qual poderá considerar nulo a primeira união e vierem a casar de fato na Igreja, assim como poderá vir a ser resolvido, infelizmente, pela viuvez de um dos dois ou de ambos, ou mesmo assim, um casal em segunda união, serão héteros, mas estarão em melhor situação que dois homens ou duas mulheres que vivem como um casal, em dar um educação cristã católica aos seus filhos, dizendo, que mesmo que eles esteja me débitos perante a Igreja no fato da união dos dois esta irregular, porém, a união perfeita querida por DEUS, é entre um homem e uma mulher, coisa que se torna impossível de dois homens ou duas mulheres que criam seus filhos adotivos, vierem a ensinar.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Fabão 15-04-2015 19:56
Pessoal, não é só uma questão de lógica, mas de seguir o Código de Direito Canônico, que diz que, para que uma criança seja licitamente batizada, é necessário: (Cân.868 §1) · os pais, ou ao menos um deles ou quem legitimamente faz as suas vezes, consintam; · haja fundada esperança de que será educada na religião católica; se essa esperança faltar de todo, o batismo seja adiado segundo as prescrições do direito particular, avisando-se aos pais sobre o motivo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 15-04-2015 20:48
"· haja fundada esperança de que será educada na religião católica; se essa esperança faltar de todo, o batismo seja adiado segundo as prescrições do direito particular, avisando-se aos pais sobre o motivo." Pois se o próprio direito canônico atesta que se não há esperança de que um criança não venha receber a fé católica na integra, deve então adiar este batismo, e aí eu pergunto, qual a probabilidade de uma criança que vem a ser criada por dois homens ou duas mulheres como se fosse um casal, venha receber a fé católica na integra?. Tem que ser muito ingenuo em acreditar que estas crianças aprenderão tudo o que a Igreja ensina, inclusive na questão da homossexualidade, do casamento e do sexo, elas aprenderão tudo o contrário que a Igreja ensina e aí como que fica?. Estas questões parecem não serem muito importante para alguns bispos e padres por este mundo afora, parece que não tem relevância nenhuma, deve-se batizar a todos, tudo em nome da caridade, e que exploda a Verdade. Esta tudo sendo muito relativizado dentro da Igreja, e a passos largos, espero que isto não cause um estrago enorme para um futuro não muito distante.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Raul 15-04-2015 14:23
Olá, Sidnei. Após ler seu comentário, fiquei pensando. Por que uma dupla homossexual quereria batizar seu filho? Acredito que pelos mesmos motivos – certos ou errados – de um casal heterossexual: ou convenção social, ou superstição, ou até mesmo por verdadeira religião. Por querer o bem para quem se ama. O contratestemunho de vida invalida o batismo? Lembremos que o sacramento é sinal sensível e EFICAZ da Graça. Independe da fé da criança – que ainda não tem razão – e independe da fé de quem o administra. Sabemos que quando há risco de morte, qualquer pessoa (de qualquer crença ou sem crença nenhuma) pode batizar outra, desde que o faça de maneira correta (com intenção; com água; e, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo). Existe uma orientação para ADIAR o batismo, quando se tem motivos fundados para pensar que não haverá educação católica. Porém, mesmo para o filho de um casal verdadeiro – homem e mulher – não há garantia de que haverá educação para Deus. Minha dúvida é: será justo privar uma criança da Graça de Deus por falta de Esperança na Sua Providência?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 15-04-2015 17:57
Raul, faço minha as palavras do Alex, ele já te respondeu o que eu iria responder. Pois se um casal hetero não é garantia de uma criança vir a receber uma boa educação cristã católica, muito menos é imaginar que uma dupla gay ou lésbico vai fazer o contrário, aí sim, não haverá garantia nenhuma, enquanto que um casal homem e mulher se ao menos não há garantia mas os padrinhos e o restante da família poderá garantir a educação a esta criança, porém, crianças que são criadas por duplas de homossexuais, se esta dupla não garantir tal educação, e vier alguém de fora querendo dar tal educação, que fatalmente irá, de uma hora pela outra, confrontar com o ensino da moral e dentro desde ensino, a posição da Igreja a respeito deste assunto, podem crer, vai haver confusão, a não ser, que não se dia nenhuma A, contra tais uniões, e deixe passar tudo em brancas nuvens, e aí eu pergunto: podemos sacrificar a Verdade em nome da caridade?.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 15-04-2015 17:07
Tudo bem, mas e onde entra a educação CATÓLICA da criança que deve ser oferecida pelos pais num caso onde os papais e ou as mamães estão em união sodômica e sem sinal algum de arrependimento? Se de uma dupla assim o que vai reinar é a educação laica onde a IGREJA CATÓLICA será atacada sem piedade. Então é eu que me pergunto, não é legítimo negar? Respondo, em nosso século não só é legítimo negar o batismo como deve ser orientado para tal. Quer dar a cara a tapa? Seja a sua, mas não a face da Igreja de Deus, Esposa de Cristo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Matheus Cajaía 15-04-2015 03:21
Ótimo post. Só faltou citarem o já lendário documento CONSIDERAÇÕES SOBRE OS PROJETOS DE RECONHECIMENTO LEGAL DAS UNIÕES ENTRE PESSOAS HOMOSSEXUAIS, assinado pelo então cardeal Joseph Ratzinger. http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/cfaith/documents/rc_con_cfaith_doc_20030731_homosexual-unions_po.html?hc_location=ufi
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 15-04-2015 10:58
Matheus, amigo fofo, nós citamos esse documento! rsrs
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Augusto Paiva 15-04-2015 01:42
Laicistas que papagueiam laicidade: lascívia. A subversão gramsciana feita pela mídia não teve muito êxito em formar no senso comum a desqualificação da religião. Consta na Constituição a garantia da liberdade de pensamento e o respaldo à livre manifestação religiosa, punindo quem a discriminar. Mas sabemos que quando gayzistas invadem cultos e profanam em procissões, nada sério acontecerá com eles. Os papagaios do laicismo querem um ateísmo de Estado, pois vivem tripudiando as religiões, principalmente a cristã, como se não tivessem direitos e não pudessem ser representados. É o bullying politicamente correto. O establishment teve muito êxito em fazer cristalizar esse ''zeitgeist'' anti-religioso e em perpetuar mitos contra a religião, de que ciência e religião são dicotomias (o que é inteiramente falso) e que a religião é a causa de todos os males da humanidade, sendo pois temerosa a união de política e religião. Mas agora os cristais estão quebrando. O Estado é laico, mas o povo não. Mas a esquerda de hoje, que sempre se mostrou anti-religiosa, teve o apoio de muitas denominações e seguimentos adeptos da Teologia da Libertação, havendo, aliás, muitos sacripantas que favoreceram a ascensão do PT e de outros partidos socialistas. Hoje todos sumiram. Segundo alguns esquerdistas radicais, os religiosos, que são maioria nesse país, não merecem representação política. Cada um vota segundo os seus preceitos morais ou não. E os religiosos são obrigados a votar e votam segundo os seus preceitos morais. Como pode, então, um líder cristão cooptar seus fiéis a votarem em comunistas? É sempre o discurso falso de comunhão (que nunca foi comunismo) e de ajudar os pobres. O PT enganou todos os cristãos, que são firmemente contrários ao aborto, pseudo-casamento homoerótico e legalização das drogas. E quanto desmando de alguns padres! Quanta oscilação! O próprio S. Pedro, que Cristo designou como primeira pedra da Igreja, foi oscilante, pois negou Cristo 3 vezes, com medo de que o matassem (mas tinha fé ardente; foi crucificado em Roma, de cabeça para baixo, pois assim o quis, ''para que a glória de ser crucificado de cabeá para cima coubesse só a Cristo). S. Pedro, oscilante, foi o símbolo da humanidade, sempre oscilante - sempre caindo e sempre se levantando. O que tem de sacerdotes frouxos e sem vocação infiltrados na Igreja, subversores e vaidosos, narcisistas! (S. Tiago 1, 23-14), padres que já abandonaram a batina há muito tempo, pois sequer honraram-na. Têm vergonha de ser padres. Quiçá tenham vergonha do próprio Cristo - e Cristo se envergonha daqueles que têm vergonha d’Ele (S. Lucas 9, 26). Preferem servir ao mundano, traindo o Santo Evangelho para não desagradar o mundo com a verdade (II Coríntios 13, 8). Andam pelo caminho largo. Preferem se entregar ao hedonismo, aconselhando-o também aos fiéis, desviando-os da senda verdadeira. Mas, se alguém fizer cair em pecado um destes pequenos que crêem em mim, melhor fora que lhe atassem ao pescoço a mó de um moinho e o lançassem no fundo do mar (S. Mateus 18, 6). Sun Tzu já mostrava à milênios como subverter uma religião. Inclusive Yuri Bezmenov, que citando Sun Tzu, mostrou sobre a tática dos comunistas de se infiltrarem em tudo. A Teologia da Libertação é um desses engodos, pois ela foi introjetada na Igreja com a tenção de esvaziar a fé, o Espírito Santo, colocar os pobres no lugar de Cristo e fazer da Igreja um instrumento do partido, que, pelo que parece, vem tentando instrumentalizá-la, tal como fez Stálin com a Igreja Ortodoxa Russa. Tudo pelo tal paraíso na terra, o que é impossível. O Concílio Vaticano II é, como bem disse o Mons. Marcel Lefebvre, o 1789 na Igreja. Quando herege excomungado, o ex-padre Beto de Baru disse que a Igreja tem que mudar, e que tais frases (sic) que estão na Bíblia são fruto da cultura da época, ele está traindo o Santo Evangelho. É um apóstata demoníaco que quer empurrar toda a Igreja para o buraco ao qual ele está. Esse lobos, como esse Beto, tem de ser desmascarados. E nada de poupá-los! ______________________________________ _____________ ''O que perdemos... E o caminha pra Restauração'': https://www.youtube.com/watch?v=gUHNlqrmVwQ ''Carta aos católicos perplexos'': http://farfalline.blogspot.com.br/p/blog-page_21.html ''A origem do espírito mundano na Santa Igreja Católica": https://www.youtube.com/watch?v=IDCJiOiz8IU
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Augusto Paiva 15-04-2015 20:15
Correção do versículo: (S. Tiago 1, 23-25): ''Aquele que escuta a palavra sem a realizar assemelha-se a alguém QUE CONTEMPLA NUM ESPELHO A FISIONOMIA QUE A NATUREZA LHE DEU: contempla-se e, mal sai dali, esquece-se de como era. Mas aquele que procura meditar com atenção a lei perfeita da liberdade e nela persevera - não como ouvinte que facilmente se esquece, mas como cumpridor fiel do preceito -, este será feliz no seu proceder.'' Ah, vaidade de vaidades! Nos remete também à parábola do semeador. (S. Mateus 13, 18-23): ''Ouvi, pois, o sentido da parábola do semeador: quando um homem ouve a palavra do Reino e não a entende, o maligno vem e arranca o que foi semeado no seu coração. Este é aquele que recebeu a semente à beira do caminho. O solo pedregoso em que ela caiu é aquele que acolhe com alegria a palavra ouvida, mas não tem raízes, é inconstante: sobrevindo uma tribulação ou uma perseguição por causa da palavra, logo encontra uma ocasião de queda. O terreno que recebeu a semente entre os espinhos representa aquele que ouviu bem a palavra, mas nele os cuidados do mundo e a sedução das riquezas a sufocam e a tornam infrutuosa. A terra boa semeada é aquele que ouve a palavra e a compreende, e produz fruto: cem por um, sessenta por um, trinta por um.'' ''Em verdade, em verdade vos digo: se o grão de trigo, caído na terra, não morrer, fica só; se morrer, produz muito fruto.'' (S. João 12, 24) Um sacerdote vaidoso e hedonista, que não morreu para o mundão, que vai assistir o desfile de Carnaval, com abadá e tudo, simplesmente NÃO DÁ! Se um pastor anda claudicante, o que será de suas ovelhas? Apascenta as minhas ovelhas (S João 21, 17). É lamentável. Hoje os jovens só conhecem esses sacerdotes popstars, e querem que a Igreja se adeque a suas concupiscências. Eu encontrei na Igreja refúgio para o corpo e para a alma, mas quando chego lá, o que encontro? Gente que vive servindo a dois senhores (S. Mateus 6, 24).
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Jorge Felippe 15-04-2015 01:31
Lamentável esse post. Comparando um padre com o outro. E colocando as pessoas contra o padre Fábio. Eles são sacerdotes, merecem o nosso respeito. Ele tem os motivos dele de falar aquilo. Porque não conversam com o padre antes de colocar lenha na fogueira. Duvido que o padre Reginaldo, Paulo Ricardo farão posts criticando o Pe. Fábio. Duvido mesmo. Entendi perfeitamente o post do Pe. Fábio.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # carlos 19-12-2015 06:39
Nenhuma comparação pessoal foi feita e também nenhuma desqualificação pessoal de qualquer padre. Baseado UNICAMENTE na postura dos dois padres frente à Doutrina Cristã (que é clara e inequívoca) o post apenas ressaltou (E PROVOU COM DADOS CONCRETOS!) que uma deles obedeceu a orientação da igreja e o outro nem tanto. Apenas a postura frente à orientação da igreja, e apenas sobre um tópico bem preciso , foi avaliada. Nem uma vírgula além disso. O post foi "técnico" e objetivo, discerniu e avaliou com precisão cirúrgica, posicionamentos teóricos de dois padres, mostrando que um se atem a doutrina católica e outro não ou nem tanto, e ainda assim não no todo, mas apenas sobre o tema em tela. A franqueza cristã, nunca deve ser tida como algo prejudicial pois o seu foco não é colocar holofotes sobre pessoas, mas sobre Cristo e seu ensinamento. Levar esse assunto para o lado da pessoalidade é que tira o foco daquilo que importa de fato. Milhões de pessoas ouvem o Pe.Fábio e podem ficar confusas: "será que a igreja pensa como ele?" O serviço a que se propõe este blog é ajudar as pessoas a entenderem o que de fato pensa a igreja. E foi simplesmente isso que o post fez, ao dizer: "Não, a igreja não pensa e não ensina do modo como o Pe.Fábio se expressou, aquilo é opinião privada dele contra o ensino da igreja. Ponto. "
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cristão 15-04-2015 16:59
Jorge Fellipe: Lutero era o que mesmo quando decidiu iniciar a "Reforma"? Ah, e não só você, mas todos nós entendemos o que Pe. Fábio de Melo quis dizer: "Cabe ao Estado dar a correta definição da estrutura familiar. Os cristãos têm que se calar e dizer amém". Não se trata de estar contra o Pe. Fábio de Melo, mas sim contra uma declaração infeliz do Pe. Fábio de Melo. Se até São Paulo corrigiu São Pedro (o primeiro papa!) quando necessário, imagine o Pe. Fábio de Melo então...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Jotacê 15-04-2015 12:52
Putz, esses "Fabetes"... Indagação: por qual motivo não largam a Igreja de uma vez e formam um fã-clube oficial do "padre"? O blog foi é gentil e caridoso com o sr. Fábio de Melo. Esse sujeito está merecendo há tempos um esporro do seu superior que, pelo visto, é um omisso.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex 15-04-2015 00:57
Ás vezes tratam o Pe. Fábio de Mello como se ele fosse uma pessoa ignorante, um pobre coitado que ainda não acordou para a vida. Ou ainda, um tipo de padre que teve a pior formação, e, que desse modo, todos nós devemos ter paciência, pois, algum dia, essa árvore poderá render bons frutos! [ironic mode on]
Responder | Responder com citação | Citar
0 # José Alves 15-04-2015 00:15
Estou do lado do padre. A César, o que é de César.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 15-04-2015 14:43
“Dê a Deus o que é de Deus e a Cesar o que é de Cesar” é uma passagem bíblica que está sendo usada de forma leviana. Não pode ser interpretada como um mandato de Jesus para que os cristãos se alienem dos assuntos políticos. Quem afirma isso está muito equivocado, e está contrariando a doutrina da Santa Igreja, que diz: “(…) os leigos não podem abdicar de participar na política, na múltiplice e variada ação econômica, social, legislativa e cultural, destinada a promover de forma orgânica e institucional o bem comum.” (n. 1c). - Congregação para a Doutrina da Fé. “Nota Doutrinal sobre Algumas Questões relativas à Participação e Comportamento dos Católicos na Vida Política”, 2002 E veja também o que diz o Papa Francisco: “Para o cristão, é uma obrigação envolver-se na política. Nós, cristãos, não podemos ‘jogar a fazer o Pilatos’, lavar as mãos. Não podemos! Devemos envolver-nos na política, pois a política é uma das formas mais altas da caridade, porque busca o bem comum. E os leigos cristãos devem trabalhar na política. (…). Não é fácil; a política está muito suja; e ponho-me a pergunta: Mas está suja, porquê? Não será porque os cristãos se envolveram na política sem espírito evangélico?” (Aula Paulo VI, 7 de Junho de 2013)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cristão 14-04-2015 23:29
Apesar da vasta coletânea de declarações infelizes e ambíguas do Pe. Fábio de Melo, não é tanto o que ele diz ou faz que me preocupa: me preocupa a ausência de um bispo zeloso (se bem que a correção de um padre indisciplinado não denota zelo algum, apenas é um dever inerente à autoridade episcopal) que o corrija, de alguém que o censure abertamente, sem medo do murmurinho dos católicos mais "jujubas" (que defendem todo mundo, exceto os que discordam deles, claro). Não sei o que se passa na cabeça deste sacerdote, e não cabe a mim julgar sem um conhecimento prévio da "fonte" de seus erros. O que o motiva a agir de maneira tão irresponsável (sim, esta é a palavra menos "ofensiva"), não interessa. Interessa sim que ele tem errado bastante, e isto tem feito muito mal, muito mal mesmo. Menos "shandarai" e mais firmeza e fidelidade, é o que esperamos, desde sempre, de nossos sacerdotes. Pax Domini.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Luciana Dias Barros 14-04-2015 23:11
O texto está perfeito. Mas esperar o que de um padre que afirma que na eucaristia não está presente carne e sangue de Jesus? Vejam o link: http://www.montfort.org.br/old/index.php?secao=veritas&subsecao=igreja&artigo=fabio-de-melo-montfort&lang=bra
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Janes 18-04-2015 01:29
Tanto o Padre Joãozinho, quanto o Fábio de Melo e outros, querendo prevenir o povo de uma visão equivocada sobre Jesus Eucarístico ("não somos canibais, para nos alimentar de carne humana" é basicamente o que querem dizer e com razão) acabam se esquecendo de enfatizar o que deveriam: De fato não são o "mero" corpo e sangue do Jesus "histórico" que se acham presentes na Santa Eucaristia, mas efetivamente o CORPO GLORIOSO E RESSUSCITADO do Senhor! E isso nem de longe diminui a fisicidade e concretude dessa presença real, antes a aumenta enormemente! E inclui a realidade corporal do filho de Deus encarnado, só que é uma realidade corporal gloriosa e ressuscitada e por isso dizemos que a Eucaristia é penhor (garantia) da nossa futura ressurreição! A presença do Senhor Ressuscitado em toda a realidade e especialmente à direita do Pai, no seu corpo que é a igreja, nos sacramentos e em especial no Santíssimo Sacramento, não elimina a fisicidade , a concretude corporal de Jesus ("ponha teu dedo nas minhas mãos perfuradas Tomé" disse o Cristo Ressuscitado!) só que não é mais apenas e meramente aquela sua realidade corporal limitada de antes da ressurreição e sim a sua nova realidade de Ressuscitado e Glorioso e por isso Ele pode estar em vários lugares ao mesmo tempo , nos sacrários do mundo todo. Isso nem de longe torna essa presença menos real e concreta, mas muitíssimo pelo contrário a torna mais real que nunca! E mais ainda: Nos alimentando do seu corpo glorioso, nós passamos a viver da sua vida de ressuscitado, que vai preparando nosso inteiro ser (corpo e alma) para a Ressurreição Final. Um verso de um antigo e belíssimo hino de adoração eucarística exprime bem essa realidade : "No calvário se escondia a tua divindade , mas aqui também se esconde tua humanidade, CREIO EM AMBAS e peço, como o bom ladrão, no teu reino eternamente a tua salvação!" Os discípulos de Emaús estavam sentados à mesa com um forasteiro sem saber que ele era o Senhor, mas o reconheceram ao partir do pão. Essa singela e misteriosa cena deixa claro a natureza da presença real de Cristo na Eucaristia: trata-se do mesmo corpo que caminhou entre eles antes da morte de cruz, mas inteiramente transformado pelo milagre da Ressurreição que não anulou a realidade física daquele corpo (Tomé toca as chagas) mas que não é de modo algum apenas aquela realidade física de antes da morte de cruz, e si, uma realidade gloriosa, e por isso, capaz de estar à direita do Pai (no cerne mesmo do real) e aqui no meio de nós, em toda hóstia consagrada. Uma presença que se acha em todo lugar, quis ser encontrável de modo denso no sacramento que Ele genialmente criou, exatamente como "penhor" , antecipação privilegiada, daquela era vindoura em que Cristo será tudo em todos!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Adilson 15-04-2015 14:36
Luciana Dias, o Padre Joaozinho que disse o que está no devido link, e a questão é sobre o milagre Eucaristico. A frase solta dizia sobre o milagre que ali já não era 'eucaristia' o que é de fato dito pela IGREJA, não é. É MILAGRE. para ser Eucaristia precisa do Pão e do Vinho, uma vez que o Vinho não é mais vinho deixa de ser. Uma vez que se deixa de ser pão, deixa de ser eucaristia. *** sei que não era o caso do texto acima, mas s´ø pra não sairmos condenando as coisas sem entender direito. Quanto ao texto. É uma situação complicada, frase mau colocada pelo Pe. Fábio. E muito bem respondido pelo Pe. Manzoti.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Luan Neves 14-04-2015 22:04
Grande fala do Padre Reginaldo, corajosa e firme. Parabéns ! Muito bom post.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Emerson Rodrigues 14-04-2015 22:01
Assim como o próprio Papa tem suas palavras mau entendidas, mesmo ele sendo claro, para quem quer entende-lo, e muitos "católicos" o chamam de relativista, quanto mais a um padre. Ora, eu entendi que o pe Fábio (e por isso ele não é excomungado), não é favor do casamento civil de gays, e nem nos disse para calar. Ele disse que a Igreja tem todo o direito de ser contra a união civil gay, mas, que uma vez aprovada (e já é), a Igreja nem católico algum pode chegar num cartório e impedir um casamento gay. Bem como não cabe a Igreja interferir sobre que bens estão em jogo. Repito, uma vez que a lei já está aprovada... Enfim, a Igreja pode sim opinar, pode ensinar contra a união civil gay, mas, não tem autoridade no Brasil, para interferir na realização de casamentos gays. Quem pode interferir e anular ou não, é a Justiça. Nenhum padre ou bispo tem tal autoridade judicial para isso. Foi isso que ele disse...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # carlos 19-12-2015 06:18
Só que leis aprovadas podem ser legitimamente revogadas. Portanto a aprovação da lei não quer dizer fim de linha e fim de papo. Nos EUA várias leis abortistas tem sido paulatinamente revogadas e não é improvável que o aborto venha a ser proibido por lá dada a imensa modificação da opinião pública, fruto do trabalho pró-vida de muitos americanos, que nos fazem corar de vergonha por causa de nossa pouca cidadania e participação política. O problema do Padre Fábio (embora seja muito piedoso e bem intencionado) é a dificuldade de falar de modo franco e sem ambiguidades, como se quisesse ficar bem com a mídia. Olha, quando você é fisgado pela mídia, tem que estar consciente da cova de hienas onde caiu. Não se pode ter ilusão alguma quanto a isso. A mídia glorifica e arrebenta a pessoa em pouco tempo, dependendo do quanto essa pessoa - consciente ou não disso - favorece as ideologias que ela abraça.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Janes 16-04-2015 10:14
Leis já aprovadas (havendo pressão popular) podem ser revogadas sim. Tem ocorrido isso no mundo todo: nos EUA (em alguns estados) na EUROPA (sobretudo na Espanha, França e Itália) onde grande movimentação civil (com apoio decisivo dos bispos) tem ajudado a revogar leis contra a vida e a família. Vamos falar claro a respeito do Pe.Fábio de Melo: é altamente despreparado, culturalmente analfabeto e teologicamente muito ignorante. Ele foi paparicado pela perigosíssima mídia “progressista” brasileira e não quer ficar mal na fita, com quem já fez dele um “queridinho”. Mas ele tem que se decidir entre ficar bem com o mundo ( e os poderes do mundo) e ficar bem com Deus. O que queremos mais de um padre que diz: “socialismo e cristianismo são a mesma coisa?? Afinal Jesus era socialista, né???” Por um tempo, eu dava um desconto ao Pe.Fábio, por causa da “boa intenção” e pelo grande respeito aos sacerdotes, figuras de Cristo. Mas já deu, pô! O cara teve tempo de sobra para estudar, para se alinhar com o pensamento da igreja. Depois de tantas reações (umas sensatas, outras mais fanáticas) diante de suas falas (e já faz tempo que ele pisa no tomate, acerca de vários temas) o mínimo que ele deveria ter feito é estudar mais profundamente a posição do magistério da igreja e dos bons teólogos que buscam fundamentar essa posição. Não há um assunto sequer, onde se possa proibir a opinião e a expressão pública da igreja. De onde o padre tirou essa sandice? A igreja continua a se pronunciar claramente contra o divórcio, embora a lei mais que aprovou e petrificou essa prática. Já não chegam os inimigos de fora querendo calar a igreja? Agora um membro de dentro, vem propor a censura do verbo cristão no mundo? A crítica politica e cultural feita pela igreja, é parte integrante da evangelização, como Paulo VI deixou claro. A igreja é parte do corpo social (a bem da verdade é seu alicerce, historicamente falando, como deixa claro um historiador anti-católico, no próximo e excelente post) e tem o direito de questionar qualquer lei, aprovada ou por ser aprovada. Os cristãos são cidadãos que pagam impostos e elegem políticos, e podem e devem buscar influenciar os rumos das leis, com pleno direito, seja em nome da sua fé, seja em nome da razão pública, usando uma linguagem civil, partilhável por quem não tem fé (e isso não é nada difícil, já que o próprio conceito de razão – e sua defesa intransigente – nasce a partir da ação da igreja no mundo, como o mesmo historiador anti-católico – do próximo post – deixa claro. Padre Fábio, por favor, dê uma parada na sua intensa atividade (bela e meritória a muitos títulos) e faça um retiro espiritual de pelo menos dois meses, para fazer uma revisão – tipo pente fino mesmo – de tudo o que você tem dito publicamente, para estudar a fundo a Doutrina Cristã, re-mergulhar na sua experiência de Deus, voltar ao primeiro amor e alinhar suas posições com a voz da igreja e suas razões.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Jotacê 17-04-2015 13:16
Vamos falar claro a respeito do Pe.Fábio de Melo: é altamente despreparado, culturalmente analfabeto e teologicamente muito ignorante. Ele foi paparicado pela perigosíssima mídia “progressista” brasileira e não quer ficar mal na fita, com quem já fez dele um “queridinho”. Janes, melhor definição do sr. Fábio de Melo, eu nunca li. BEM NO ALVO! Parabéns!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo 15-04-2015 13:15
Entendo de maneira diversa. Até porque não há aprovação de lei nesse sentido, e sim decisão do STF que autoriza. Nesse sentido estaria sim correta a fala do padre, de maneira bem óbvia. Apesar de que, veja, não haveria tal liberdade de quem realiza o casamento (juiz de paz e oficiais cartoriais) de não realizar o mesmo, posto que contrário ao Direito Natural.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Carlos Eduardo Pauluk 14-04-2015 21:57
Sobre o vídeo do Pe Reinaldo Manzotti, só faço a ressalva de que ser a "nota oficial da CNBB" não significa absolutamente nada, visto que de forma alguma essa entidade substitui ou representa a Santa Sé. É muito importante frisamos isto sempre, visto os rumos um tanto quanto obscuros que muitos dos bispos brasileiros têm tomado.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # José Erno Taglieber 18-11-2016 18:26
EstÁS MUITO EQUIVOCADO!!!!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # 14-04-2015 21:38
Catequistas, não sei se vocês conhecem esse vídeo curto de uma militante do movimento gay, Masha Gessem, no qual ela sobre o REAL motivo do movimento. Acho esse vídeo muito relevante. Assistam! https://www.youtube.com/watch?t=105&v=UjnEz2ZiWdw É importante lembrar que o homossexual é diferente do movimento militante gay, aliás, nem todos os gays são a favor dos objetivos propostos por ele. Um exemplo famoso é o Clodovil, pesquisem sobre o que ele falava a esse respeito. Nesse vídeo abaixo o pe Paulo Ricardo explica a diferença entre o indivíduo homossexual e o movimento militante: https://www.youtube.com/watch?v=sOAABXZNQtk Sobre o deputado Jean Wyllys, no final do vídeo abaixo, ele deixa claro que segue a linha de pensamento do filósofo MARXISTA Antonio Gramisci, que diz que é preciso travar uma guerra cultural contra os valores judaico-cristãos e que não podem ser derrubados até que as raízes não sejam cortadas.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # carlos 06-12-2015 01:28
E é estranho falar em "casamento" gay (e muito me admira um cara aparentemente inteligente e sensato como Fabio de Melo não perceber essa contradição) e de "casamento" entre gays, sendo que o grande objeto de desejo da maioria absoluta dos gays (consciente ou não) homens por exemplo, é um outro homem viril , másculo, ou seja: "Heterossexual" (se bem que essa palavra é tão ambígua e fraca como a palavra "homossexual" diante da riqueza da sexualidade humana. Um gay se relaciona com o outro, porque quem não tem cão caça com gato. Mas é óbvio que todo homem com atração pelo mesmo sexo (prefiro essa expressão do que a ambígua palavra homossexual tomada como identidade, uma vez que a identidade humana é rica demais para ser definida apenas por uma dimensão da vida que é o sexo) sente maior atração pelo homem que sente atração pela mulher. Pois é exatamente uma masculinidade desejada que ele busca nesse homem, algo que ele não encontra em si e vivencia como falta. Sei que essa é uma leitura politicamente incorreta e censurada pela ideologia dominante e pelo pensamento único imposto autoritariamente. Mas em respeito à diversidade , essa deveria ser pelo menos uma leitura admissível entre outras. E tem sido a interpretação de renomados psicólogos, psicanalistas e outros pesquisadores do comportamento humano. O fato de ser uma interpretação perseguida, censurada, proibida até mesmo de ser debatida , revela até que ponto chegamos em termos da uniformização ideológica forçada da sociedade e em termos de fragilidade e superficialidade em termos de conhecimento da condição humana. As diferenças e especificidades não admitem nomes e explicações diferentes. Existe um igualitarismo forçado e artificial e um temor (quase um tabu) neurótico em admitir que por mais inteligente, sensata e bondosa que possa ser uma pessoa, ela pode sim carregar uma incompletude sexual-afetiva. E mais paz de espírito e serenidade essa pessoa teria se aceitasse sua circunstância. Pois diante da imensa complexidade da vida, é mais sensato e lúcido assumir impasses, situações difíceis de serem explicadas , do que recorrendo a uma camisa de força, à uma imposição ideológica (até pela força das leis) uniforme, criar um igualitarismo forçado, com o qual todos até podem fingir concordar (sem estarem convencidos de fato) por medo de punição legal e intimidação. Lá no fundo da própria convicção muita gente tem vontade de ter a simplicidade e a lucidez de dizer que o rei está nu, ou seja que nem de longe pode se comparar e igualar , um relação sexual completa com penetração do pênis na vagina , potencialmente aberta à geração da vida, com uma mera esfregação de vagina com vagina ou de seios com seios, sem nenhuma possibilidade de gerar a vida. A própria configuração anatômica envolvida nos dois tipos de contato corporal GRITA por si mesma aos quatro ventos, que a segunda é incompleta em relação à primeira, por mais sincero bem querer e afeto que possa haver no coração (e há em vários casos!) entre as duas mulheres que a praticam. É uma realidade que salta aos olhos de tão óbvia. Mas, mais cômodo que afirmar aquilo que os próprios olhos veem é criar uma explicação idealizada e forçada , chamando a realidade de HETERONORMATIVIDADE. E a truculência, a gritaria muitas vezes histérica e autoritária promovida por muitas dessas pessoas mostra quão fracamente elas estão convencidas dessa explicação. Quem realmente está convencido de uma "identidade" não precisa andar de pires na mão implorando ser aceito e muito menos tentar impor uma aceitação (não da condição homossexual ,mas de uma das tantas leituras/interpretações existentes e possíveis sobre ela) com a violência da lei que abafa, controla, censura a legítima diversidade de pensamentos e explicações sobre essa condição, simplesmente com o uso de um termo esdrúxulo - "homofobia" - dentro qual cabe tudo o que elas quiserem. No fim das contas ser homofóbico é meramente discordar de uma única interpretação (imposta na marra) acerca do complexo e amplo fenômeno da homossexualidade. Nem o próprio homossexual pode ter esta liberdade interpretativa acerca de uma situação que ele próprio vive na pele -e portanto só ele pode dizer de si - mas tem que rezar pela cartilha única e pelo dogma único imposto por aqueles que usurparam sua representatividade sem sequer lhe consultar. Para completar o cenário da estupidez , todo esse movimento que achata, persegue e pune a diversidade interpretativa (dos próprios homossexuais inclusive ) é promovido e financiado por organismos internacionais que nem de longe se preocupam com o bem estar e os Direitos Humanos dos gays, e sim com o próprio lucro. E esse mega-capitalismo oportunista que capitaliza a frustração de muitos gays se une nessa empreitada de manobra-los e usa-los a ideólogos que até ontem condenavam a homossexualidade como perversão burguesa e inimiga da revolução.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # 14-04-2015 21:40
Esqueci de anexar o link para o vídeo do deputado https://www.youtube.com/watch?v=LS72CRET9y8
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cicero Donizeti Rozendo 14-04-2015 21:31
...,os futuros consagrados ao ouvirem o chamado...,se ficassem somente no chamado e servissem a obra como apenas servos e fieis a causa,ajudaria a muitos a servir também...,pena que alguns entram se aproveitam da obra e viram celebridades e depois falam ou fazem coisas que Deus não pediu e confundem a muitos irmãos e se acham acima da lei DIVINA...,olha o iluminismo...,Deus vai julgar a todos nos!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Maria do Carmo 14-04-2015 21:20
Concordo com o Padre em minha opinião " De a Deus o que é de Deus e a Cesar o que é de Cesar" ou como fala o Papa Francisco "quem sou eu para julgar os Gays" faço disso as minhas palavras "Quem sou eu para julgar o Padre Fabio de Melo"
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 15-04-2015 14:33
"Dê a Deus o que é de Deus e a Cesar o que é de Cesar” é uma passagem bíblica que está sendo usada de forma leviana. Não pode ser interpretada como um mandato de Jesus para que os cristãos se alienem dos assuntos políticos. Quem afirma isso está muito equivocado, e está contrariando a doutrina da Santa Igreja, que diz: “(…) os leigos não podem abdicar de participar na política, na múltiplice e variada ação econômica, social, legislativa e cultural, destinada a promover de forma orgânica e institucional o bem comum.” (n. 1c). - Congregação para a Doutrina da Fé. “Nota Doutrinal sobre Algumas Questões relativas à Participação e Comportamento dos Católicos na Vida Política”, 2002 E veja também o que diz o Papa Francisco: "Para o cristão, é uma obrigação envolver-se na política. Nós, cristãos, não podemos ‘jogar a fazer o Pilatos’, lavar as mãos. Não podemos! Devemos envolver-nos na política, pois a política é uma das formas mais altas da caridade, porque busca o bem comum. E os leigos cristãos devem trabalhar na política. (...). Não é fácil; a política está muito suja; e ponho-me a pergunta: Mas está suja, porquê? Não será porque os cristãos se envolveram na política sem espírito evangélico?” (Aula Paulo VI, 7 de Junho de 2013) A Igreja não julga os gays nem qualquer outro pecador (em meus pecados, nunca me senti julgada, mas fui educada). Agora, a Igreja aponta os males da sociedade e os erros com firmeza. Nosso post não julga o padre, mas chamamos a atenção para a sua ação imprudente, que provoca confusão e afronta as orientações da própria Igreja. Não somos nós que julgamos, é a Igreja que julgou essa questão das uniões civis. E o povo precisa saber distinguir o certo do errado. Parece que sua ideia sobre o ensinamento "não julgar" está um tanto equivocada. Recomendo que leia nossos posts: São Paulo ensina: com amor, uma voadora no baço não dói http://ocatequista.com.br/archives/10979 Bonzinhos ou omissos? http://ocatequista.com.br/archives/931
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Lourenço José 14-04-2015 21:10
QUEM ESTÁ EQUIVOCADO COMO SEMPRE E ESTA MÍDIA E PESSOAS QUE NÃO ENTENDERÃO AS PALAVRAS DO PE FABIO DE MELO, O QUE ELE DIZ É O SEGUINTE PODER CIVIL É PODER CIVIL, SE NÃO ESTÁ NO ÂMBITO DA NOSSA IGREJA DEIXE ELES RESOLVEREM ENTRE ELES, CADA UM PROCURA O DIREITO QUE ACHAR QUE TEM...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 15-04-2015 16:50
Então os infernos mandam uma cartilha gay para ser aplicada nas escolas, como as escolas não são Igrejas, que se lasque, e teu filho que aprenda que ... brincar de trem é legal também. E você não se meta neste assunto porque a escola é uma entidade do estado, o estado é laico, na escola se ensina tudo o que a laicidade permite, inclusive que a homossexualidade é virtude. Vai catar cocos Lourenço José.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Jotacê 15-04-2015 15:24
Sim, o sr. Fábio disse exatamente isso. E EXATAMENTE POR ISSO, ele está COMPLETAMENTE ERRADO.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Izidoro 14-04-2015 21:07
Me desculpem o que vou dizer. Mas não é possível que um sujeito como essa padre Fábio saia por aí vomitando sua ignorância e modernismo! Já temos que tolerar a vaidade e as vestimentas de galã de música sertaneja universitária que ele usa. Estou farto de ligar a TV e ver aquele padre vestido de cowbói na TV modernista Aparecida, estou farto desse padre fábio cheio de vaidade. Por que foi ser Padre? Por que não se tornou terapeuta simplesmente? Esse homem só vomita modernismo, só diz baboseiras sentimentais. Qual é a utilidade do sacerdócio dele? Prá que ele se tornou padre? Não precisamos desse tipo de sacerdote na Igreja. Precisamos de homens santos, recolhidos, modestos, fiéis a tradição e a doutrina da Igreja. Estou de saco cheio! Mais do isso: estou escandalizado! Agora, o pior é aquele tal de alessandro campos que horror que tragédia! Já estamos cheios de bispos covardes e traidores. A nossa Liturgia foi banalizada pelas ideias lunáticas de tantos e tantos sacerdotes que não servem para o sacerdócio. E agora aparecem esses tipos de padres que nos envergonham por seus comportamento mundano, moderno. Estou farto, muito farto e revoltado! Novamente me desculpem, mas tá na hora desse padre ser calado por seus superiores.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 14-04-2015 20:41
Já que estão todos falando do Padre mais querido do braziu, padre Favo de Mel, trago-lhes este colírio, singelo show que ele fez em Brusque, aqui em Santa Catarina, pena que eu não pude ir, mas alguém trouxe esta apresentação sensacional para a gente, divirtam-se: Mas antes, o autor da apresentação com Frei Clemente Rojão http://www.freirojao.com.br/2015/04/nao-vomite-se-puder-fabio-de-melo-no.html os vídeos https://www.youtube.com/watch?v=yNU19hHxpm0 https://www.youtube.com/watch?v=EGB_YAEbsyE É muito interessante, inspirador e afável tudo isto. Garanto que suas opiniões irão mudar muito viu pessoal do catequista. Vivi, você foi muito injusta com ele.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 15-04-2015 09:23
Poxa Alex, este cara esteve aqui na minha cidade, terra natal de Dom Murilo Krieger, fazendo este show, na inauguração de casas populares construídas pelo prefeito petista, que foi colocado para fora, algumas semanas atrás, da prefeitura daqui. Sabia de sua presença aqui na cidade naquela época, mas não me deu vontade alguma de ira vê-lo pois não concordo com estes padres que gostam mais de fazer shows do que rezar missa, pelas posturas dele diante de diversos temas que destoam na doutrina oficial da Igreja e por final, por se tratar de um evento patrocinado por um governo petista. Eu dar apoio a esta gente, já fiz burrada o suficiente em ter votado neles no passado, quando não tinha juízo na cabeça, hoje não voto nem por decreto e nem se tiver uma arma apontada na minha cabeça.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 14-04-2015 20:57
Turma, calma, Vivi, calma, meu comentário foi uma ironia para não blasfemar contra este padre que para mim está se mostrando o anti Cr...no nosso meio. Paro por aqui para não blasfemar ainda mais e com mais veemência...fui vomitar, daqui um pouco eu volto.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cleuza de Oliveira da silva 14-04-2015 20:26
Marcelo José dos Anjos,faço minhas as sua palavras!Parabéns!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Marcelo José dos Anjos 15-04-2015 12:58
Obrigado, Cleuza. =)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Jair victor 14-04-2015 20:14
Sinceramente, se tratando de pe. Fabio de Melo eu prefiro ficar calado, pois, nas outras vezes que ele andou falando besteira,quase fui apedrejado só por comentar a respeito. Se os bispos responsáveis e que estão acima na hierarquia da Igreja nao fazem nada então não há o que ser feito. A propósito há algum tempo atrás estava assistindo o programa dele onde ele falava da diferença entre cristianismo e catolicismo, onde se referiu a este como simplesmente aparência... bom é isto.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # antonio silva 14-04-2015 20:00
A minha conclusão como cristão é esta. Deus quando criou o mundo. Fez tudo bem feito. Criou o homem e a mulher. Dois seres distintos.diferentes.E disse-lhes..! Multiplicai-vos .Homem e mulher duas fisionomias diferentes e distintas...!Porque não criou dois homens..! Ou duas mulheres??.Porque não seria possível a Constituição de família.Porque havia a Igreja de aprovar o casamento de homossexuais,que é uma experiência e uma fantasia do homem.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # J. Everton 14-04-2015 19:35
Na boa, eu achei o padre Fábio de Melo, por suas palavras, mais consciente e coerente e o padre Reginaldo Manzotti, meio apaixonado. "Eu amo a minha igreja e prefiro acertar ou ERRAR com ela..." Cada um que cuide de si, e quem aceita ser cuidado pelos outros, que seja, pois cada um prestará contas a Deus por suas escolhas. O "mundo" que faça o que quiser, o que não pode é quererem que a igreja se submeta a isso. O que não parece ser o caso. Deixe as pessoas serem o que são e o que querem ser. Ore por elas, seja um exemplo e influência para elas, mas deixem serem e fazerem o que quiserem. Que Deus julgue. Se a pessoa não está tirando a minha liberdade de ser o que sou (ou o que quero ser), por que deveria eu tirar a liberdade do outro? Deus não criou todos iguais? Não deu o mesmo livre-arbítrio? Não julgará a todos? Então, deixa as coisas acontecerem.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 17-04-2015 20:46
Maz oque? Cumé qui é? Tu tá igual a uma fefessora da escola que trabalho, ela é bióluga, cintista, que numa reunião ontem a tarde, disse que ela é católica, mas ao por os pés dentro da escola ela tem que deixar o seu credo, seu pensar e suas idéias lá na rua. Não deu tempo, mas, meu grupo vai apresentar o que estudou no próximo encontro e ai ela vai escutar umas cositas. Tu tá de sacanagem não é mesmo: "Se a pessoa não está tirando a minha liberdade de ser o que sou (ou o que quero ser), por que deveria eu tirar a liberdade do outro?" Humm, é mesmo? Então devo eu ver meu irmão ir para o brejo, sentar e ver o cara se lascar? As vezes é irônico, rende até piada, mas no fim, você é culpado de não avisar e o outro se torna culpado de ter se atolado, além do exemplo que vai levar outros para o lamaçal. "Deus não criou todos iguais? Não deu o mesmo livre-arbítrio? Não julgará a todos? Então, deixa as coisas acontecerem." Deus não criou todos iguais, cada um é diferente, a igualdade está na pessoa humana perante Deus, mas nem os santos possuem santidade igual, cada um é único, assim como eu não sou igual a ninguém. E que tem o livre arbítrio com a omissão? Sim Deus julgará tudo e a todos, até a mim que não ajudei o pecador a abrir a baga. Deixar as coisas acontecerem uma ova, meu filho vai ser educado de acordo com a fé católica, e se ele tiver 40 anos e pisar feio na jaca, vai apanhar igual criança pequena, nem que eu tenha que calçar o menininho com revolver (se eu estiver vivo até lá, hehehe).
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 14-04-2015 20:10
"...deixa as coisas acontecerem". E o aborto, deixa acontecer também? Dizem que a mulher tem direito sobre o seu corpo, não é mesmo? Quando você tiver filhos (imagino que não os tenha), terá a graça de ver as coisas com outros olhos. Não, não somos obrigados a assistir calados nossos filhos sendo doutrinados com uma ideologia imunda nas escolas. Não! Deixa porque? Temos a obrigação, como cristãos, de influenciar politicamente e culturalmente a sociedade. Veja o que disse em 2002 a Congregação para a Doutrina da Fé exarou uma “Nota Doutrinal sobre Algumas Questões relativas à Participação e Comportamento dos Católicos na Vida Política”: “(...) os leigos não podem abdicar de participar na política, na múltiplice e variada ação econômica, social, legislativa e cultural, destinada a promover de forma orgânica e institucional o bem comum.” (n. 1c).
Responder | Responder com citação | Citar
0 # J. Everton 14-04-2015 22:36
Cada um faça o que achar que deva ser feito, com boa consciência. Minha postura é a da aceitação. Mas aceitar não é concordar, necessariamente. E que Deus julgue. Não há mais nada o que fazer. E o direito que eu tiver, expressarei.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Daniel 15-04-2015 12:43
Cara, tu sabe que é caridade e obra de misericórdia corrigir os erros e ensinar os ignorantes? "Cada um faz o que quer desde que não tire minha liberdade": QUANTA INDIFERENÇA! Eu quero a salvação do meu próximo e se tiver que me meter na vida dele e ser chato, serei. A nível social - se tiver que me posicionar publicamente contra leis RUINS que afetam milhões de vidas e contribui pra confusão e perda de muitas almas IREI ME POSICIONAR. Por amor ao próximo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex C. Vasconcelos 16-04-2015 14:49
Padre Orlando, a sua bênção... Não posso deixar de lhe parabenizar pelas sábias palavras, e ao blog, pelo excelente conteúdo do post. Que Deus os abençoe!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 15-04-2015 23:16
A minha alma está parva e o meu espírito taralhouco com essas comparações etimológicas. É que não faz sentido! O que você faz é tirar o texto do contexto para servir de pretexto. Não é assim que se usa a etimologia! Agora “casal” é toda a rebanhada que vive em “casa”, só porque “casal” vem de “casa”? Como assim? Então, toda a gente que vive debaixo do mesmo tecto é “casal”, quer sejam pais, filhos, primos… ISSO NÃO É UMA CASA, ISSO É UM CURRAL DE CABRAS! Esse conceito alargado de família, com os servos incluídos, assenta, porém, numa base, que é o casal heterossexual (DESCULPEM A REDUNDÂNCIA (casal=heterossexual)), à volta do qual tudo gira: desse casal nascem os filhos, é esse casal que é patrão dos servos… A família pode ter muita gente e ser muito alargada, mas tem a fonte da sua autoridade no pai de família (pater familias) e na mãe de família (mater familias). A palavra “família” até pode vir de “famulus” (servo), mas a verdade é que a cabeça da família é sempre o “pater familias”, ao qual corresponde uma “mater familias”, e não outro “pater”. E mesmo quando não há um casal a liderar a família, o casal (heterossexual, que não há outro) continua a ser a REFERÊNCIA: ou a família passa a ser liderada pela viúva, se o marido morrer; ou por um irmão mais velho, se os pais morrerem ou estiverem ausentes… CONCEITO ALARGADO DE “FAMÍLIA” COM OS SERVOS INCLUÍDOS É UM CONCEITO PATRIARCAL, E, PORTANTO, CONTRÁRIO POR NATUREZA AO EMPARELHAMENTO GAY. Se mesmo assim está difícil de entender, a equipa aqui do blogue explica muito bem explicadinho com porcas e parafusos, ora veja a imagem deste post: http://ocatequista.com.br/archives/9694
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Luiz Antônio Pereira 15-04-2015 22:02
Entre etimologia e Doutrina, fico com a Igreja. Agora a balela de casa/casal... sem comentários!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # J. Everton 15-04-2015 21:45
Catequista, eu entendo que nesse caso vale. Conceito de família... bem, o que é "família"? L., FAMILIA, “família, grupo doméstico”, que inicialmente incluía os servos da casa, os FAMULI. (http://origemdapalavra.com.br/site/palavras/familia/) Comecei a procurar pela raiz etimológica das palavras, pra entender realmente certos conceitos, e assim fui me desfazendo de muitos preconceitos. Dizer que para ser "família" tem que ser um casal de homem e mulher e filhos é, diria, desumanizar as pessoas, independente de qualquer coisa. E parece que também negar a origem de "família", que, como é dito acima, conforme a raiz etimológica da palavra, incluía os servos da casa (ou seja, está além de pai, mãe, filhos, irmãos etc.). Aproveitando, podemos falar também da questão de "casal", que está relacionada a família. Muitos dizem que não existe "casal gay", que é errado denominar dois parceiros (ou duas parceiras) homossexuais como "casal", pois casal estaria indicando a união entre um homem e uma mulher tão somente. Este é outro argumento ignorante, quando não maldoso. Casal vem de casa, portando se dividem a mesma casa então estão casados, ou seja, são um casal. Com isso não estou defendendo práticas homossexuais, mas entendo que são pessoas que merecem a dignidade humana, independente de ter uma inclinação homossexual. E que cabe as elas entenderam por si mesma se devem lutar contra suas inclinações ou abster-se de suas práticas.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # J. Everton 15-04-2015 15:05
Corrigir e ensinar, sim, mas impor, entendo que não. Eu me posiciono contra leis ruins, se eu tiver esse direito (por isso que eu disse: "o direito que eu tiver, expressarei"), mas hoje sou bem tranquilo quanto ao que tiver que vir. Meu posicionamento não é de "não me afeta, não vou me mexer", pelo contrário. Mas, como disse, isso tem que ser na tranquilidade, no exemplo e no argumento, não no grito ou na imposição. Você ensina o Caminho (com exemplo e argumento), se realmente conhece e anda nele, e quem quiser aceitar, que aceite. E ao mais, que Deus julgue.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 15-04-2015 15:22
"Você ensina o Caminho (com exemplo e argumento), se realmente conhece e anda nele, e quem quiser aceitar, que aceite." Isso vale para comportamentos e escolhas PRIVADAS, que ninguém tem o direito de se meter na vida alheia. Agora, para questões de interesse público - como o conceito de família, base da sociedade -, não.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Jotacê 15-04-2015 13:32
É engraçado esses posicionamento do tipo "se não me afeta, não vou me mexer". Os alemães adotaram essa postura em relação aos judeus nos anos 30/40. E deu em quê, mesmo?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Valdir 14-04-2015 19:34
Podemos ver também no Livro do GÊNESIS Capitulo-2 Versículos 24 ao 25 Por isso o HOMEM deixa seu pai e sua mãe,e se une à Sua MULHER,e eles dois se tornam uma só carne.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Valdir 14-04-2015 19:25
Conforme Esta Escrito Em Levítico Capitulo-20 Versículo-13 O Homem Que Se Deita Com Outro Homem,Como Se Fosse Mulher,está Cometendo uma Abominação!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Vanessa Farias 14-04-2015 19:24
Queridos, sou homossexual e frequento a igreja! Qual a condenação? Eu sinto em ter lido tantos comentários com tantos argumentos que só "olham pro seu próprio umbigo". Exceto UM, que dizia para olhar pro pecador e não pro pecado! Se amar for pecado, sou pecadora e com a graça de Deus (não com a condenação dos homens) serei ensinada a fazer o certo! É inadímissivel fazer esta leitura e ficar quieta, há tantas palavras de Estado laico, sociedade cristã e onde está o direcionamento de Deus pra tudo isso? O que JESUS faria no seu lugar?! Há pessoas dizendo que Deus está sentindo dor em ler tudo isso, tenha misericórdia de cogitar qualquer sentimento em nosso Pai!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 15-04-2015 14:37
Vanessa, em relação ao nosso post, não há nenhuma condenação aos homossexuais. Há sim, divulgação da Palavra de Deus que condena os atos homossexuais, e denúncia do ativismo gayzista, que quer impor sua agenda demoníaca por meio da Revolução Cultural, tão bem ensinada por Gramsci. Onde está o direcionamento de Deus pra tudo isso? Está na orientação da Igreja, que apresentamos com link para o site do Vaticano. "O que JESUS faria no seu lugar?!". Jesus deixou a Sua Igreja justamente para que ela pastoreie Seu rebanho aqui na Terra enquanto Ele está nos Céus. E sobre a orientação da Igreja nós já falamos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Albari 14-04-2015 18:58
Muitos Cristãos e principalmente nós Católicos deveríamos aprender mais sobre a doutrina e tradição da Igreja. E não dar ouvidos a essa ou aquela figura Eclesiástica que nem sempre estão de acordo com a doutrina.Santo Irineu foi discípulo pessoal de São Policarpo, que por sua vez foi discípulo pessoal de São João Apóstolo e Evangelista. Santo Irineu recebeu de São Policarpo o Depósito da Fé que lhe fora confiado por São João Apóstolo. Como os Padres Apostólicos combatiam as doutrinas heréticas? Combatiam-nas mostrando o Depósito da Fé que a eles foi confiado pelos próprios Apóstolos. Mostravam que o Evangelho que foi espalhado por todo o mundo era diverso daquela doutrina pregada pelos os hereges. Boa parte dos cristãos – ainda não entenderam o que há de tão grave na redefinição do conceito de família e de casamento. Os ativistas gays e seus aliados querem perseguir e destruir a família tradicional. Quando a união civil ou o casamento gay são aprovados, é o início do caos jurídico e moral. Isso está evidente no Estatuto da Diversidade Sexual elaborado pela OAB e entregue ao Senado em 2011. Afinal, o reconhecimento civil das uniões homossexuais tem, naturalmente, reflexos no que as crianças aprendem na escola. Se algo é aprovado pela lei, as escolas automaticamente passarão a ensinar que tais uniões são saudáveis e normais, contrariando a crença e os valores da família.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Silvia Carvalho 14-04-2015 18:46
Jesus não discriminava ninguém, já imaginou se ele olhasse para Paulo e dissesse, vc é um assassino, não pode ser reconhecido pela Igreja e e nem tão pouco trabalhar por ela. Jesus ensinou Paulo a amá-lo, não ficou preso ao que estava escrito nas leis daquele tempo, veio e nos ensinou a lei do amor. Vejo tudo isso como um desafio para os cristãos aprenderem a amar de verdade, basta a gente fazer crescer o número daqueles que estão fazendo as leis. A Igreja perdeu muito tempo, agora precisamos correr atrás do prejuízo, vejam como se apresenta a humanidade, em estado lastimável. O que eu mais ouvi na minha vida era que fé e política não se discute, deu nisso que estamos vendo aí, um estado laico, onde na sua maioria são pessoas batizadas, mas que na realidade nem conhecem a sua fé. O Padre Fábio está nos mostrando que precisamos viver o Novo Testamento. Quero deixar um agradecimento também ao Papa Francisco por mostrar aos cristãos o quanto é importante participar da política de um país, se não fosse ele os cristãos, inclusive grande parte do clero ainda estariam dizendo, eu detesto política, Fé e Política não se discute, daí veio o Estado Laico. Vamos construir lideranças que nos ajude agora a mudar tudo isso, principalmente no Congresso Nacional, de lá partem as Leis que regem o nosso país e parem de crucificar o Padre Fábio de Melo, tornem ele uma das lideranças que precisamos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 15-04-2015 14:20
Silvia, no primeiro encontro de Jesus com Paulo, a primeira coisa que o Senhor fez foi comunicar Sua tristeza com os pecados dele: "Saulo, Saulo, porque me persegues?". Portanto, se não ajudamos nossos irmãos a enxergar o maus caminho pelo qual estão indo, não os ajudamos em sua conversão.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # joseane santos 14-04-2015 18:07
O padre não defende o casamento gay ele apenas diz que já que o nossos governantes aprovaram então que seja anparados pelo estado o seu direito e vcs ao e vez de ficar debatendo um assunto que já foi bem esclarecido deveria se enformar melhor do caso pois o padre e muito sábio e já mais falaria algo que prejudicasse a igreja pois o que ele diz e de total confiança e ainda ele é bem claro quando ele usa o versículo bíblico da a César o que é de cesar e a Deus o que é de Deus
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Eduardo Araújo 14-04-2015 17:41
Vivi, a respeito da primeira citação do Pe. Fábio de Melo: não se pense que a militância gay se satisfaz com a "solução civil" para as duplas homossexuais. Não estou em condições de fazer agora, mas uma pesquisa na internet vai mostrar casos e mais casos mundo afora em que esses grupos, já tendo conseguido o amparo estatal, partem contra as igrejas, no intuito de forçá-las a celebrar "casamentos homossexuais". Aqui mesmo no nosso pais, começam a aparecer pessoas ensaiando essa cobrança. É mais ou menos o que ocorre no caso do aborto: no início, a conversa de que haverá objeção de consciência, faz quem quer ... No fim das contas, faz quem quer porém com dinheiro público e ai do médico que se recusar a praticar o horrível procedimento (vide Portugal e Espanha). A fala do padre, nesse sentido, assemelha-se à fábula do bandido que se aproxima da casa aos poucos, enquanto o dono permanece despreocupado; primeiro, só na calçada, depois no jardim e apenas ao entrar na casa é que o dono se apercebe do perigo. A tirania gayzista já está no jardim.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Luiz Antônio Pereira 14-04-2015 16:50
Matéria clara como água cristalina. Na universidade quase fui hostilizado por dizer "não existe casal gay, e sim dupla de gays". Casal é um termo hétero, em se tratando de relações. Não há como casar coisas iguais, sapatos e luvas formam par com direito/esquerdo. Se não se encaixa, não casa. Em um projeto mencionei a edificação de um hotel com público alvo constituído por famílias tradicionais e no corpo do texto fiz o desenho (entenda-se como um pai homem, uma mãe mulher e sua prole), e claro, que veio a canetada dos orientadores (????), daí que tive que redesenhar em nota de rodapé o porquê disso. É triste ter que adjetivar termos como "família", em um mundo cada vez mais relativista. Havia motivo para colocar a palavrinha "tradicional" não em alusão a existência daqueles outros tipos de junções como sendo uma forma de família, mas porque o senso comum naquele lugar já deturpava totalmente o sentido de família por esse motivo. Padre Reginaldo Manzotti foi estupendo, serve de modelo como responder essas coisas pelo trato respeitoso com o interlocutor, porém, coeso com a doutrina, assim, não precisa passar a mão na cabeça dizendo que está tudo bem, mas também não solta os cachorros em cima.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Celia Lucena 14-04-2015 16:41
Infelizmente, essas ideologias marxistas/socialistas têm confundido a cabeça de muita gente,inclusive de padres como o Pe.Fábio,acredito que ele foi infeliz ao afirmar que as situações homossexuais não compete a Igreja discutir,senão num âmbito religioso.Ora, se isto cai justamente no âmbito Família-Sociedade-Estado? Onde será que está a Igreja neste contexto? Não estaria inserida na sociedade e no Estado? Então, é mais do que claro, que a Igreja tem que se meter sim,e defender com os valores universais que prega,a família que é o bem maior de Deus. E eles não sabem disso? Por que este recuo? Alguma coisa de muito diabólica está acontecendo no meio da Igreja e esses padres estão sendo testados na sua fé.Mas, como diz no livro do Apocalipse,metade das estrelas do céu,cairão,(Apocalipse 6:13) Será que isso não seria uma simbologia premeditando que metade do clero cairão na apostasia da fé? Tem tudo haver,não é?!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 14-04-2015 16:20
Um leitor nos fez uma pergunta importante: "Tenho uma dúvida, amigos: li o texto na íntegra, mas ainda assim não ficou claro para mim porque os casais gays não devem ter os mesmos direitos civis que os casais heterossexuais. Vocês poderiam me explicar melhor, por favor?" RESPOSTA: Direitos iguais devem ser exigidos por pessoas em condições iguais. Do contrário, o "direito" exigido é uma injustiça, que prejudica a sociedade. Por exemplo, pessoas deficientes têm direito a vagas especiais em estacionamentos; se esse direito for exigido por pessoas não deficientes, óbvio que é uma solicitação de um "direito" injusto, que não está de acordo com sua condição. Então, pessoas em condições diferentes têm direitos diferenciados. Não há como exigir "igualdade" para situações completamente diversas. O casamento civil tem o objetivo de proteger a família, em especial, a prole. Duplas gays não formam família (sim, eles até alugam barrigas de aluguel ou compram sêmen em clínicas, mas naturalmente não formam família). Sendo que duplas gays não são a mesma coisa que um casal - tanto do ponto de vista biológico quanto antropológico - não têm direito de exigir direitos iguais.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # vanilda nogueira 14-04-2015 16:19
Todos nós católicos sabemos o que está escrito, que aquele que a muito se dá, muito será cobrado. Deixemos o julgamento para Deus. Faremos a nossa parte, ensinamos as nossas crianças na Igreja doméstica e sejamos o espelho delas.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rodrigo 14-04-2015 16:14
Essa formação em psicologia moderna unida ao sacerdócio católico dá nisso. É como tentar misturar água com óleo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rogério Nantes 14-04-2015 16:11
Santo Agostinho já ensinava há 1600 anos que “Não se pode impor a verdade sem caridade, mas jamais sacrificar a verdade em nome da caridade” A doutrina é clara... é só ler o catecismo. Eu acredito que essas questões são levantadas apenas para ataques a moral da Igreja ou tirar o foco de outras questões políticas do noticiário (Mensalão, Petrobras, Corrupção nos Governos, Falta de Educação e Saúde de qualidade, etc). O deputado Jean Wyllys é um desses gerados de polêmicas... Funciona como um "para-raios" do governo atual, propondo projetos que não ajudam ninguém, nem mesmo próprio eleitorado. Incoerência Ambulante. A quem realmente interessa atacar a doutrina de Jesus Cristo?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # maria de fatima 14-04-2015 15:34
Ele, com todo respeito, deveria tomar aulas com o Padre Paulo Ricardo! Que Santa teresinha interceda a Deus pelos nossos Sacerdotes!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Lucas Farias 14-04-2015 15:17
Parabéns pelo texto! Totalmente esclarecedor. É lastimável que o Pe. Fábio pense dessa forma e use sua influência midiática para levar pessoas ao mesmo erro.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Lucas Farias 14-04-2015 16:43
Armaria , como é que eu comentei e não me lembro ?? Mas concordo com o Lucas Farias aí de cima... rsrs
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Gêneto Eugenio 14-04-2015 17:42
"E assim foste o contrário, o avesso do avesso E por mais que eu me esforce Não sei bem se te conheço..."(Rimas de Favo de Mel) Padre Paulo Ricardo em um dos seus podcast nos alerta sobre quem os cristãos precisam se inspirar para viver o exemplo e ensinamento da Igreja.Ele diz pra ser nos GRANDES SANTOS da Igreja, nos que deram certo. Outro dia no Ratinho tava ele lá sentado, zapiei tv e o vi...Não sei o que falou, o que comentou.Pensei por um breve momento:_espero que não esteja nos avacalhando na tv aberta rsrsrsrs...Não fiquei pra conferir. Triste. "E assim foste o contrário, o avesso do avesso E por mais que eu me esforce Não sei bem se te conheço..."(Rimas de Favo de Mel)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Gilberto Brito Passos 14-04-2015 15:16
O que dizer do Padre Fábio de Melo? Não se veste como padre, não fala como padre, não se comporta como padre e no programa de Marília Gabriela pediu para ser chamado apenas de "Fábio de Melo". Infelizmente boa parte dos bispos do Brasil são mornos e por receio de se opor a este mundo deixam passar até o dia em que a coisa se agravar. "Não ameis o mundo nem as coisas do mundo. Se alguém ama o mundo, não está nele o amor do Pai". (I São João 2,15).
Responder | Responder com citação | Citar
0 # ELIANA 14-04-2015 15:11
https://www.facebook.com/padrerogerluis/photos/a.241701569261635.48713.123313604433766/743433722421748/?type=1&theater
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 14-04-2015 15:39
Oi, Eliana! Você já leu a carta do Papa Francisco - na época, Cardeal Bergoglio - condenando duramente o casamento gay? Leia: http://noticias.terra.com.br/mundo/europa/renuncia-do-papa/leia-a-carta-do-papa-francisco-sobre-o-casamento-homossexual-na-argentina,91f7d6030566d310VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html?hc_location=ufi
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Ivonelio Ferreira de Santana 14-04-2015 15:09
Rezemos pelo padre Fabio de Mello porque apesar de falar essas coisas que vão contra a igreja ele é um consagrado ao Senhor e tem um dom muito bonito que é evangelizar através da voz. Misericórdia Divina! Eu confio em vos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Heloisa Araujo 14-04-2015 15:08
Olá pessoa do Catequista, como sempre, um excelente post e muito esclarecedor. Eu já tive alguns embates com pessoas da minha própria família acerca da possibilidade de gays se casarem, um dos argumentos foi: qual é a relevância de chamar de casamento ou de contrato? Não daria no mesmo? Da mesma forma que as crianças não conseguiriam diferenciar famílias de uniões gays, como seria possível que elas diferenciassem o fato de um casal gay viver em casamento ou em contrato? Já que na visão delas seria dois homens/duas mulheres x homem e mulher!Pergunto isso pq uma das minhas maiores preocupações com esse estado tão liberal é o futuro de nossas crianças! Agradeço desde já a resposta! bjs
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Gilberto dos Santos 14-04-2015 14:37
"Ave Maria Cheia de Graça o Senhor é convosco, Bendita sois Vós entre as mulheres e Bendito é o fruto do Vosso ventre Jesus. Santa Maria Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém. Essa é para vocês do site. Parabéns pelos bons serviços prestados aos Cristãos. Esse Padre vai se mostrando morno e está escrito, seja frio ou quente, os mornos eu os vomitarei. Peço a todos que orem pelo Pe Fabio de Melo, pois como bons cristãos, sabemos que devemos orar uns pelos outros, pois que maquiar a sã doutrina é obra do capeta. Oremos pelos pastores que o Senhor nos deu. Quando formos orar pelo Pe Paulo Ricardo, lembremo nos dessas infelicidades deste outro e Oremos também por ele. Paz e Bem.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Aires Elon Proietti e Silva 14-04-2015 13:56
Sendo o pe.Fabio um sacerdote de Deus,sabemos entao,que satanàs o quer peneirar a arruinar seja ele que a Igreja ,através dele. Nao devemos ser contra o pe.Fabio de Melo e sim,contra o que ele disser de errado colocando-o numa posição de inimigo declarado da Igreja de Cristo. A mulherada que o acompanha e muitas o admiram fisicamente,nao adianta tentar esconder isto,invés de ouvi-lo como sacerdote que é,deveria rezar por ele e nao defender seu comportamento sem entender a Igreja na qual foram batizadas! Tomem cuidado para nao misturar as coisas! O pe.Fabio tem digo bobagens sim que vao diretamente contra a fé crista. A desobediencia à autoridade legitima que vem do Vaticano se manifesta em varios modos. UM SACERDOTE é ALVO PREFERIDO DE SATANàS E SEUS DEMONIOS. DEVEMOS REZAR POR ELES E NAO APONTA-LOS. Que Deus tenha misericordia de todos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # ROSELY 14-04-2015 13:52
Sabe acho engraçado isto,o padre fala muitos criticam,nao sou a favor o casamneto ente sexos igual,mas paramos e pensamos devemos respeitar a decisao de cada um,se existe o direito da uniao e pq lutaram por isso,e quanto as crianças logico que nao é uma coisa que nos maes queremos para nossos filhos,mas parem e pensem quanto casal que formam familia e as mesmas as destroi abandonando as criaças,matando as, explorando as vendendo as etc....quanto casal guay que adotam crianças e as educam totalmente diferente....conheço criança que e filho de casal guey e que tem a cabeça super abertas....Ele nao escolheram esta vida creio eu que ja nasce com este estimulo gay,vamos respeitar pq temos familias...Quanto ao padre ele e um ser humano e tem o direito de se expressar como achar q ta certo,nao é so pq ele e um padre que nao pode falar o que pensa. É A MINHA OPINIAO RESPEITO A TDS.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Stephane 14-04-2015 13:39
Quando um cristão está em algum país e é impedido de cultuar a sua religião vocês acham ruim. Um homossexual impedido de casar está sendo prejudicado também, ele vai construir casa, bens materiais com seu parceiro e quando um morrer, a herança vai toda pra família. Eu sou hétero, e eu posso ver mil gays que não vou me tornar uma também. Nós temos que pensar no direito dos nossos irmãos. Nós combatemos o pecado, não o pecador.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Eduardo Araújo 14-04-2015 17:29
A propósito, Vivi, minha esposa é professora infantil e disse-me que na escola onde ensina já aparecem casos de garotinhas "atacando" outras garotinhas. Outra, criada por um "casal" de lésbicas, revelou, na sua inocência, que dorme com suas "duas mamães", todas nuas na mesma cama. Não acredito - aliás, tenho certeza - que vai sair algo bom dessa "descontração familiar". Essa garota, inclusive, é uma das que abordam outras crianças para dar bejinhos na boca.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 14-04-2015 13:51
Stephane, ninguém tem o direito de reivindicar supostos direitos alheios à sua condição e natureza. A legalização das uniões homossexuais faz com que essa prática seja equiparada ao casamento tradicional, e esse conceito reformulado de "família" é obrigatoriamente repassado às crianças, pelo sistema escolar. Duplas gays não formam família, e isso não é um conceito religioso, mas sim biológico e antropológico. Milhares de anos antes de o cristianismo existir, já se entendia que família só se formava a partir da junção de homem e mulher. É questão de direito natural, não é questão religiosa nem pertinente ao "Estado laico". O homossexual não é prejudicado por não ter acesso a um suposto direito que não lhe cabe. Ele pode se unir a outra pessoa do mesmo sexo, e o Estado (o certo seria assim) poderia lhe fornecer o direito a algum mecanismo legal que registrasse uma parceria civil, com previsão de divisão de bens em caso de fim da parceria e herança em caso de morte de um dos parceiros. Ponto. "e eu posso ver mil gays que não vou me tornar uma também". Sim, mas o mesmo não ocorre com as crianças. Elas não têm ainda capacidade de compreender certas coisas, e são muito impressionáveis com o que veem. Tanto é assim que há mil e um casos de crianças que pularam da janela (inclusive um primo meu, que por pouco não morreu), pensando poder voar como os super heróis. Há inclusive uma certa idade em que é comum as meninas só andarem com meninas e se irritarem com a presença de meninos, e vice-versa. Nessa fase, imagine a confusão que será se colocarem na cabeça de crianças tão pequenas (como já está sendo feito em muitas escolas) que o romance entre pessoas do mesmo sexo é uma possibilidade saudável. Recomendo que você leia o nosso post: Casamento gay: um impacto devastador sobre as crianças http://ocatequista.com.br/archives/8240 A Igreja já se pronunciou. Enfim... Quem tiver ouvidos, ouça.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Itiara 14-04-2015 13:36
Leonilda, Não sei que grupo de pessoas você conhece para vir com essa de "todas as moças que se casam...." A igreja tem o dever de informar. Busque conhecer mais pessoas de Deus (realmente) e conhecer melhor a igreja.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Itiara 14-04-2015 13:31
Caros leitores.. fico feliz em ver que todos só lamentam e não atacam o padre Fábio de Melo. Peço que REZEMOS por ele pois isso só me mostra o quanto está precisando de oração. Elaine, acredito que é o melhor que podemos fazer! E como católicos precisamos rezar pelas vocações. Acredito que o inimigo não tramará mais sobre nossos padre se rezarmos mais por eles. Me preocupo também sobre a influência do padre. Dona Maria Arminda, o padre é muito usado por Deus, mas esse discurso não é de acordo com os ensinamentos bíblicos. Se a senhora continua concordando com ele peço, por favor, como os irmãos indicaram... busque mais conhecer a fé pois isso só deixará sua fé mais firme. Quem decide é o estado. .. mas a bíblia nos pede "ide e anunciai o evangelho à toda criatura". Não precisamos brigar com ninguém, mas calar também não é uma atitude cristã. Indico também conhecer a TEOLOGIA DO CORPO nos 120 catecismos do papa João Paulo II. Deus abençoe e ilumine à todos!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 14-04-2015 20:15
Sim, é isso mesmo, só lamentamos e não atacamos! É que nem há por onde atacar, só há mesmo por onde lamentar, porque é exactamente como disse, acima, o Daniel: no fundo, ele não fez por mal, mas apenas por ignorância. Ele não é mau rapaz, ele SÓ NÃO ESTÁ É A VER TODA A DIMENSÃO DO PROBLEMA, é só isso. Claro que, no caso dele, isso é pior do que no caso de outra pessoa qualquer, porque ele é um padre muito ouvido por muita gente, pelo que pode passar a muitas pessoas essa ideia PERIGOSAMENTE incompleta dessa realidade.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Pedro 14-04-2015 13:30
Essa parte é perfeita e leio pouco disso sendo escrito. Parabéns! "se as duplas gays precisam de regularização legal, o certo é que o fizessem por meio de um contrato, que lhes desse proteção sobre o patrimônio formado em comum, direito de herança etc. Não há qualquer necessidade de chamar tal contrato de “casamento”."
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Leonilda Lucianelli 14-04-2015 13:03
o que ele quis e a parceria de duas pessoas que trabalham e fazem juntas um patrimonio ..tem que ter alguma segurança de que sera respeitada esta parceria ..que com o contrato civil o sserà ....agora vamos deixar de hipocrisia ...todas as moças que se casam hoje ...ja mora junto com o noivo ha anos e fazem aquela cerimonia ...adulterio que è tão pecaminoso quanto esta em todas as religiões ....segundo ...terceiro ...quantos casamentos assim o quiser esta tambem nas religiões ...tanto que crimes hediomdos estão acontecendo por isso ....então vamos começar tudo de novo e aceitar sò o que esta escrito ....e não vale ter filhos fora do casamento tambem......
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Daniel 14-04-2015 12:57
Sabe o que é pior? Eu não acredito de fato que o padre Fábio faça isso por vaidade, mas por ignorância mesmo. PORÉM eu acredito piamente que se ele tirasse um período da vida pra se dedicar a formação séria e quando a corda apertasse ele batesse de frente com o mundo e se posicionasse pela Igreja... acho que isso ia se refletir positivamente pra ele. Sabe por que? O povo tem sede de PADRES. Que chamem o "ruim" de "ruim" e o "bom" de "bom". Não iria perder os fãs que tem (ainda ia catequizá-los) e ia ganhar mais provavelmente...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Maria Arminda 14-04-2015 12:53
Mendes Agradeço pela matéria apresentada. Como disse Santo Antonio Maria Vianney "Entre o último suspiro e a eternidade há um Mar de Misericórdia". Deus está no âmago de todos nós e vê o coração.É nesse Deus que creio. DEUS É AMOR.Mais uma vez obrigada. Fique com Deus e que nossa Mãe Maria lhe cubra com seu manto maternal.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Leniéverson 16-04-2015 01:16
Comentários como o seu, Maria Arminda, mostra que a idolatria ao Padre se torna mais importante e maior que o Magistério da Igreja, o que é claro uma heresia.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Maria Arminda 17-04-2015 12:58
Tenho comentado e recebido resposta de modo respeitoso, o que é próprio de nós cristãos "Vejam como eles se amam",porém já fui rotulada de idolatra por alguns irmãos evangélicos por ser católica, mas por irmão nosso é a primeira vez. Sou uma senhora de 72 anos e tenho admiração pelo Padre Fábio pelo bem que ele faz a tantas pessoas, inclusive para mim,levando mais e mais a comunhão com Deus. Desculpe,se minhas afirmações lhe soou como idolatria. Não, admiração,respeito que tenho pelo sacerdote Padre Fábio de Melo não é idolatria. Fique com Deus.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Victor 14-04-2015 12:42
Fosse na época da escravidão, ele diria: 'não é uma questão religiosa, cabe ao Estado decidir".
Responder | Responder com citação | Citar
0 # sebastian 14-04-2015 21:12
Realmente, era assim que os padres agiam durante a escravidão. Porque a igreja apoiava o Estado. Exceto alguns padres que contrariaram as leis da Igreja. A escravidão era apoiada pela igreja pois de onde vinha a crença de que eles eram inferiores e que sequer tinham alma? Essa era uma das justificativas da escravidão, você sabia?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 15-04-2015 14:24
Sebastian, você anda acreditando nessas lendas que contam por aí, que a Igreja dizia que os homens não tinham alma? Leia o nosso post: A Igreja e a escravidão dos negros – Cinco passos para detonar um professor mentiroso http://ocatequista.com.br/archives/6379
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Pacceli 14-04-2015 12:27
http://www.theblaze.com/stories/2013/04/29/lesbian-activists-surprisingly-candid-speech-gay-marriage-fight-is-a-lie-to-destroy-marriage/
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Maria Arminda 14-04-2015 12:19
Respeito a opinião de todos, porém entendi perfeitamente o que o Padre Fábio quis se expressar.Em nenhum momento ele disse que a Igreja era a favor da homossexualidade.Esse sacerdote só tem feito bem a muitos, inclusive levando a retornarem a Igreja quem já tinha se afastado dela. Portanto, "quem sou eu para condenar alguém" - Papa Francisco.Precisamos mais de sacerdotes com Padre Fábio de Melo, que Deus o guarde e proteja.Não sou nenhuma "fã" tenho 72 anos e retornei a Igreja, pela graça de Deus que usou o Padre Fábio como instrumento.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cristão 14-04-2015 23:15
Deus pode nos atrair através dos meios mais improváveis, sra. Maria Arminda. Meu processo de conversão se deu de modo gradual, e hoje estou ciente de que muitos daqueles que me inspiraram não são tão "católicos" quanto eu pensava. Percebi que não foram as palavras, a personalidade "carismática" ou a pretensa humildade de "x" ou "y" que fizeram de mim um católico. Pessoas vêm e vão. Acertam e erram. Foi a Verdade contida nas palavras daquelas pessoas que me atraíram para Cristo e Sua Igreja. Ainda que o Pe. Fábio de Melo tenha feito um bem tremendo para a sra., isto não o coloca numa "bolha de infalibilidade". Se as palavras deste sacerdote causarão confusão e escândalo entre os católicos, bem faz quem o corrige! Tenha certeza de que a proposta d'A Catequista não é faltar com o respeito devido aos sacerdotes da Igreja, mas elucidar que existem verdades inegociáveis, e que o discurso do referido sacerdote dá margem para a fragilização das mesmas, bem como para a sua relativização. Com o devido respeito, quando um filho seu erra, o que a sra. faz? Permite que ele permaneça no erro, mesmo sabendo que o seu dever materno é corrigi-lo e educá-lo na verdade (o que a tornaria uma mãe negligente), ou tenta lhe apontar o caminho correto? A Verdade nem sempre é agradável. Principalmente quando estamos no erro. Se o Pe. Fábio de Melo se sentir "ofendido" com as muitas (e justas) reclamações referentes às suas infelizes declarações, isto é bom: significa que a Verdade o incomoda, e talvez o conduza a uma legítima conversão. Pax Domini.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Maria do Carmo 14-04-2015 21:07
concordo com a Senhora em tudo
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 14-04-2015 20:00
Dª Maria Arminda, demos graças a Deus por o Padre Fábio de Melo ter sido instrumento de que Ele Se serviu para fazer a Srª voltar à Igreja. Ainda bem que assim foi! Ailás, certamente que o Padre Fábio faz e diz muitas coisas boas; simplesmente por vezes também pode errar, como toda a gente, e foi aqui o caso. Certo, ele nunca disse que a Igreja aprova a homossexualidade, MAS O PROBLEMA, AQUI, NÃO É ESSE. O problema é ele ter dito que os cristãos não se devem pronunciar contra esse assunto do “casamento” gay APENAS civil. Basicamente, ele acha que está tudo bem haver “casamento” gay no registo civil desde que não o haja na Igreja; ele acha que o Estado pode aprovar à vontade essa lei absurda e prejudicial à sociedade desde que ninguém a imponha à Igreja. Isto é o que ele pensa, mas nós temos o DEVER nos opormos a este atentado à família (e às crianças), para mais em sociedade democrática, num ambiente de igualdade e participação. Afinal, a liberdade de expressão existe para nos pronunciarmos. Certamente que Deus Se pode servir dele para fazer muito bem, simplesmente naquele dia ele teve um deslize.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Mendes 14-04-2015 12:28
Deixo para a senhora a seguinte reflexão: https://padrepauloricardo.org/episodios/a-armadilha-da-misericordia Paz e bem!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # zenaide melo 14-04-2015 12:14
é muito triste ver que os valores família e cristã estão se afundando em um verdadeiro mar de lamas e com o aval de muitos católicos e religiosos ! jesus deve de estar se contorcendo em dor novamente ao ver tudo isso ,e pior ,com as coinivências da sociedade e pior ,ás pessoas a quem deveriam estar pregando e ajudando a conservar a verdadeira família é quem estão auxiliando direta ou indiretamente para com mais esse fracasso determinante para o fim exterminante da sagrada família deixada por ele,Déus !!! tipo: eu não vejo,eu não ouço eu não tomo partido ,e assim caminha a humanidade para a destruição final . misericórdia senhor !!!!!!!! volta logo e leva os seus amém !
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Pacceli 14-04-2015 12:11
O pior é que pe.Fábio de Melo é visto como um modelo admirável para muitos católicos desinformados.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Ronaldo Ribeiro 14-04-2015 12:00
Nada me surpreende vindo desse Padre.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Pedro 14-04-2015 11:55
Exato, o estado é laico mas a sociedade não é laica, logo, o mesmo direito ao culto que católicos e evangélicos têm, também o tem os ubandistas, espiritas, cientologistas, islâmicos, e qualquer um que se identifique com uma religião. O principio da laicidade visa garantir a isonomia do Estado perante seus cidadãos, logo, mesmo que 99.9% da sociedade fosse cristã, este 0.1% teria o mesmo direito que a maioria. Para o Estado um casal homossexual é igual a um casal heterossexual, deixando de lado suas crenças, todos têm seu papel social e pagam impostos, e isso, associado à isonomia, garante os mesmos direitos para todos. Socialmente falando, a assinatura de um "contrato, que lhes desse proteção sobre o patrimônio formado em comum, direito de herança, etc" é chamado de casamento e assim o será enquanto este processo existir, é uma relação direta entre Estado-Cidadão, a nada compete a religião sobre isso, para isso existe o 'casamento religioso' no qual este aspecto é abordado apenas para aqueles que querem. Enquanto a liberdade de um não interferir na liberdade de outrem, o primeiro é livre para fazer o que quiser, e o casamento homossexual é uma ação que diz respeito apenas aos dois seres que irão passar pelo processo, afetando um total de 0 (zero) pessoas além deles.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Daniel 14-04-2015 13:01
E isso tudo o que eu falei não tem NADA a ver com crença religiosa. Isso não é matéria de fé católica - é uso da razão e há pesquisas que reforçam o que eu falei.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Daniel 14-04-2015 13:01
Pedro, o "casamento" gay afeta sim a sociedade: - A união deles não gera vida - Impacta psicologicamente as crianças (que não tem claramente uma figura masculina ou feminina) - A prática homossexual, seguindo o "curso natural", só gera danos físicos - doença. - E se o Estado pode tutelar o que é ou não família, meu amigo, dá uma marge pra totalitarismo absurdo, pois o Estado pode mandar e desmandar na célula mãe da sociedade.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Fernando CArvalho 14-04-2015 11:48
Lamentável isso!! Ao invés de nossos Padres defenderem os valores das famílias, estão se permitindo levar por essa nova era, onde cada vez mais a sociedade se destrói. Parece que o tempo de estudo nos seminários não lhe valeram de nada, ou então os estudos nos seminários estão precisando serem revistos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Mendes 14-04-2015 11:44
Exatamente, é lamentável a involução do Padre Fábio. Quanto mais famoso ele foi ficando, mais avesso à Igreja que ele prometeu servir e obedecer ele vai ficando. Em breve vocês verão notas dele e declarações no seu "Direção Espiritual" tentando desfazer o mal entendido. Acontece que depois que o Jean Wyllys publicou que o Padre apoiava a causa, fica difícil desfazer o estrago né...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Marcelo José dos Anjos 14-04-2015 11:40
Poxa, mas o Padre está querendo agradar todo mundo, é? Ao invés de falar bobagem pra tentar isso, deveria ensinar o que a Igreja diz. E não o que ele aprende conversando com gente que contraria a Igreja. 'São outros tempos'. Sim, verdade, mas os tempos sempre mudam. O que não pode mudar é o que a Igreja ensina de correto, guiada pelo Espírito Santo, e os padres deveriam transmitir isso. Especialmente estes que tem espaço na tv, ainda mais na aberta. E não tem algum Bispo que possa dar uma segurada na língua e nas twittadas do Padre Fábio? Ele tem que responder a algum, não é? Então, cadê ele? E essas uniões homo afetivas só vão confundindo a cabeça das crianças e dos jovens que vão pensando que essas coisas são bonitas e devem ser defendidas com mais força do que as 'velhas tradições ultrapassadas'.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Amanda 14-04-2015 12:06
Marcelo, Foi exatamente o que eu pensei: está mais do que na hora de algum bispo dar uma travada nele. Sempre soltando uma besteir... Que tristeza para um sacerdote. E que tristeza para nós. Todas as vezes que algum membro "influente" da nossa família fala uma coisa dessas para a mídia, somos automaticamente penalizados como retrógrados, homofóbicos, e tudo o mais.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Kaio Fernando de Souza Lima 14-04-2015 11:34
Infelizmente, sacerdotes como esse midiático "padre" Fábio de Melo, são os que mais tem espaço nos meios de comunicação. A Igreja precisa de padres de verdade, como Pe. Paulo Ricardo, que defendam vigorosamente os valores do cristianismo e o que prega a sã doutrina da Igreja. Não precisamos de padres como esse aí, superficiais, que por medo de desagradarem ao mundo, abandonam os ensinamentos da Igreja. Não são os ativistas gays que nós devemos temer, mas sim o julgamento que Deus fará sobre nossas ações. Mais uma vez, vocês que fazem o blog O Catequista estão de parabéns! Que Deus vos abençoe e lhes dê energia e inspiração para nos esclarecer e defender sempre a verdade.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Elaine 14-04-2015 11:30
Cada o bispo deste padre? O que nós como leigos podemos fazer? Ele está indo totalmente contrário ao que ensina a Igreja Católica (vejam, em especial o capítulo III: http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/cfaith/documents/rc_con_cfaith_doc_20030731_homosexual-unions_po.html). Parece que ele é um intocável dentro da Igreja. Fala o que quiser e não é advertido. Em contra partida, pessoas que lutam por uma maior ortodoxia na Igreja são consideradas cismáticas, antipapa. Será a profecia de La Salette já se cumprimendo: "- "Mélanie, o que eu te vou dizer agora não será um segredo para sempre. Tu podes publicá-lo em 1858". 1- Os sacerdotes, ministros de meu Filho, os sacerdotes, por causa da sua vida má, pelas suas irreverências e pela sua impiedade ao celebrar os santos mistérios, pelo amor ao dinheiro, o amor às honras e aos prazeres, os sacerdotes converteram-se em cloacas de impureza. Sim, os sacerdotes provocam a vingança e a vingança pende sobre suas cabeças."
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Márcio 14-04-2015 11:29
Muito Bom o texto, Esse falso Laicismo precisa ser derrubado, e Padre Fábio precisa de umas duras lições, tem falado demais, e o pior é que tem muitos católicos que quase o idolatra, ou seja seguem como verdade tudo o que ele diz, que pena. Ps. Na terceira linda do artigo tem um erro de digitação, quiseram dizer "Liberado", mais está escrito "librado".
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Arlindo Filho 14-04-2015 11:15
Mais um pronunciamento impensado desse clérigo.Melhor deveria ele guardar silencio do que dar opiniões que vão de encontro ao Magistério da Igreja.Já basta um certo padre que fala que possessões demoníacas não existem baseado em pseudociência da parapsicologia.Lamentável
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade