Publicidade
Segunda, 16 Abril 2018 14:05

Os condenados anônimos do Inferno

Postado por

Muitos leitores nos perguntam: "Fulano fez tal coisa... ele está condenado?", ou "Se eu fizer aquilo outro, vou para o inferno?".

Antes de tudo, precisamos entender qual o limite de julgamento da Igreja. Como Mãe e Mestra, a Igreja recebeu de Cristo (especialmente, por meio de Pedro) o poder de julgar qual é a interpretação correta das Escrituras e quais são os atos moralmente bons, maus ou neutros - ou seja, quais atitudes levam à salvação, e quais levam às perdição.. 

O Catecismo (ponto §1861) explica que a Igreja não tem como dizer quem certamente irá/foi para o inferno ou não. A IGREJA JULGA SOMENTE OS ATOS. O julgamento sobre o destino final de cada um de nós cabe somente a Deus:

"Cristo é Senhor da Vida Eterna. O pleno direito de julgar definitivamente as obras e os corações dos homens pertence a Ele enquanto Redentor do mundo" (Catecismo, §679).

Por exemplo... Você não sabe nadar. Aí você vira para mim e diz que vai entrar no mar, em um dia de ressaca. Eu não vou hesitar nenhum segundo e te direi: "Se você fizer isso, você vai morrer!". É 100% certo que você morrerá? Não, mas a probabilidade é enorme. Pode ser que você seja resgatado por um salva-vidas, que uma boia apareça do nada e você se agarre a ela... Enfim, você pode dar uma tremenda sorte e sair vivo. Mas não é prudente contar com tamanha sorte, não é mesmo?

Da mesma forma, podemos dizer de modo geral: quem trair sua esposa/marido vai para o inferno; quem for corrupto vai para o inferno; quem for homicida, vai para o inferno. Mas não podemos dizer que determinado adúltero, corrupto ou homicida vai para o inferno (tipo... o Hitler). Se alguém opta de forma consciente pelo caminho da perdição, é muito provável que se condene, mas o seu destino final, só Deus sabe. 

Só Jesus pode proferir a sentença de condenação eterna de um pecador, porque somente Ele sonda os corações. Só Ele é onisciente e conhece todos os atenuantes e agravantes de cada culpa, e só Ele sabe se houve algum tipo de arrependimento final, ainda que tenha sido nos últimos instantes antes do suspiro final.

Por isso, em março de 2015, o Papa Francisco disse a um grupo de fiéis italianos: “vai ao inferno somente aquele que diz a Deus: ‘Não preciso de você, eu me arranjo sozinho’, assim como fez o diabo que é o único que temos certeza que está no inferno”. Além do demônio, não temos como saber quem são os demais habitantes de inferno. São todos anônimos!

É bem verdade que, segundo uma visão da beata Irmã Maria Serafina Micheli, o herege Martinho Lutero está no Inferno. Porém isso se trata de uma revelação pessoal (que eu creio ser verdadeira), e não de doutrina da Igreja. 

Se o nome dos condenados é completamente desconhecido para a Igreja, por outro lado, ela nos revela o nome de alguns entre os salvos. A grande maioria dos santos falecidos são anônimos, mas há também os santos canonizados, que certamente estão na graça e podem interceder por nós. 

*****

Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do Inferno e levai as almas todas para o Céu!

*****

O nosso SEGUNDO LIVRO acaba de ser lançado! Fique por dentro dos principais fatos sobre a História das Inquisições e das Cruzadas! O livro está está à venda em todas as livrarias. Para comprar pela internet, clique aqui

Se você mora em Portugal, pode comprar pelo site VIA BRASILIS (clique aqui).

1081 Quinta, 19 Abril 2018 17:30

Comentários   

0 # Renan 22-04-2018 12:03
Falando em revelações particulares, algumas por quem não tenho muita simpatia são as de Santa Gemma Galgani. A maneira como ela descreve seus encontros com Jesus, em que Ele "apertava a sua coroa de espinhos na minha cabeça quando eu pedia, para sentir que me amava mais", não é o Jesus que eu conheço e amo, tenho impressão de que ela tinha traços masoquistas. É errado não sentir simpatia por um determinado santo?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Geraldo 20-04-2018 23:51
Naquele livro da longa entrevista que São João Paulo II concedeu a Vitório Messori (Cruzando o Limiar da Esperança) ele diz que os pregadores e catequistas de hoje perdemos a coragem de ameaçar com o fogo do inferno (aliás esse item do FOGO, daria um bom post hein, catequistas?).

Essa realidade tremenda que pode ser também traduzida como O MISTÉRIO DA NOSSA LIBERDADE É DRAMÁTICO devia estar sob os olhos da nossa alma à cada manhã e no nosso exame de consciência noturno. Correr o máximo que se pode para escapar à larva de um vulcão - não me lembro se essa imagem é de Chesterton - resulta em um corpo forte e resistente. A fuga do inferno - tomado como realidade concreta que ele é - precisa ser um exercício diário.

E mais ainda deve sê-lo, o desejo cada vez mais ardente do céu, o anseio de uma amizade profunda com Jesus: "Minha alma anseia pelo Deus Vivo!" Salmo 41
Responder | Responder com citação | Citar
# Tiago 17-04-2018 13:09
Quando a Igreja canoniza alguém, e diz que portanto está no céu junto de Deus, essa afirmação é infalível? Ou ela pode num futuro retirar o título de santo de alguém? E quanto ao título de bem-aventurado, é a mesma coisa?
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade