Publicidade
Sábado, 27 Maio 2017 15:52

O Atentado de Manchester e a Sociedade sem Deus

Postado por

Oi Povo Católico,

Dom Luigi Negri, Arcebispo da arquidiocese italiana de Ferrara-Comacchio fez uma belíssima reflexão sobre a sociedade europeia (e serve para a nossa também) a partir do terrível atentado de Manchester, que deixou mais de 20 mortos na última semana.

Veja abaixo o texto completo. Vale a pena ler e refletir. Para onde estamos indo e como podemos fazer para reverter esse quadro?

 

“Pobres filhos de uma sociedade que não reconhece o Mal”

por Dom Luigi Negri, Arcebispo de Ferrara-Comacchio

Texto publicado no jornal italiano La Nuova Bussola Quotidiana, no dia 23 de maio de 2017, a respeito do ato terrorista ocorrido na véspera, em Manchester.

 

Caríssimos filhos,

Sinto que posso chamá-los assim, ainda que não os conheça. Mas, nas longas horas de insônia que sucederam o anúncio deste atentado terrível, no qual muitos de vocês perderam a vida e muitos ficaram feridos, senti-me ligado a vocês de maneira especial.

Vocês vieram ao mundo, muitas vezes sem ser desejados, e ninguém lhes deu “razões adequadas para viver”, como pedia o grande Bernanos à geração de seus adultos. Puseram vocês na sociedade com dois grandes princípios: que podiam fazer o que quisessem, porque todo e qualquer desejo é um direito; e a importância de ter o maior número de bens de consumo.

Vocês cresceram assim, considerando óbvio que tinham tudo. E quando tinham algum problema existencial – antigamente se dizia assim – e o comunicavam aos seus pais, aos seus adultos, já estava pronta a sessão de psicanálise para resolver esse problema. Esqueceram-se apenas de lhes dizer que há o Mal. E o Mal é uma pessoa, não é uma série de forças ou de energias. É uma pessoa. Essa pessoa estava lá à espreita, durante o espetáculo. E a terrível asa da morte, que ela trazia consigo, os capturou.

Meus filhos, vocês morreram assim, quase sem razões, da mesma forma como tinham vivido. Não se preocupem, não os ajudaram a viver, mas lhes farão um “ótimo” funeral, no qual se expressará essa bolsa retórica laicista com todas as autoridades presentes – infelizmente também as religiosas – em pé, silenciosas. Naturalmente o funeral será feito ao ar livre, também para os que creem, porque a esta altura o único templo é a natureza.

Robespierre riria, porque nem ele chegou a tal fantasia. De resto, nas igrejas já não se fazem funerais, pois – como diz sabiamente o Cardeal Sarah – nas igrejas católicas já se celebra o funeral de Deus. Não se esquecerão de colocar nas calçadas os seus bichos de pelúcia, as lembranças da sua infância, da sua primeira juventude. E depois tudo será arquivado na retórica de quem não tem nada a dizer perante as tragédias, porque não tem nada a dizer perante a vida.

Eu espero que ao menos algum desses gurus – culturais, políticos e religiosos – nesta situação contenha as próprias palavras e não dispare os discursos de sempre para dizer que “não é uma guerra de religião”, que “a religião, por sua própria natureza, é aberta ao diálogo e à compreensão”. Pois bem, desejo que haja um momento de respeito silencioso. Primeiramente pelas suas vidas ceifadas pelo ódio do demônio, mas também pela verdade. Porque os adultos deveriam, antes de tudo, ter respeito pela verdade. Podem não servi-la, mas devem ter respeito por ela.

De todo modo, eu, que sou um velho bispo que ainda acredita em Deus, em Cristo e na Igreja, vou celebrar a missa por todos vocês no dia do seu enterro, para que do outro lado – qualquer que tenham sido as suas práticas religiosas – encontrem o rosto tão querido de Nossa Senhora, que, envolvendo-os em seu abraço, os consolará desta vida desperdiçada, não por culpa de vocês, mas por culpa dos seus adultos.

 

TRADUÇÃO: Claudio Cruz

5040 Domingo, 28 Maio 2017 04:13

Comentários   

0 # Everto Caiçara PB 30-05-2017 13:06
Bom dia pessoal! Perdão por sair do assunto relacionado ao artigo acima, mas vocês viram essa notícia?
http://publico.uol.com.br/mundo/noticia/trudeau-solicitou-ao-papa-francisco-pedido-de-desculpas-em-nome-da-igreja-catolica-1773894

O que eram essas chamadas escolas residenciais no Canadá? Querem que o Santo Padre peça desculpas pelo, como o governo canadense classifica, "genocídio cultural" contra os indígenas daquele país.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 01-06-2017 02:28
Pois é, mais essa bomba para o lado da Igreja Católica.

Continuar assim, não vai sobrar nenhuma católico para contar a história, pois o que mais se ouve por aí é de padres e freiras perturbados da cabeça que dirigiam orfanatos, colégios internos e até asilos para idosos que só sabiam era infernizar a vida de todo mundo, mas, levar CRISTO aos corações de toda esta gente, nada, e agora fica para nós, tontos católicos, ter que defender a Igreja das cagadas que estes padrecos e freiras cretinas fizeram no passado e ainda fazem nos dias de hoje.

Da vontade de desistir, mas antes disto, dá vontade mesmo é de dar uma surra em algum padreco ou freira imunda que fazem um barbaridade desta, para aprende a ser gente neste mundo.

cambada de prostitutas depravadas disfarçadas de freiras e de pederastas disfarçados de padres.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Fábio Ribeiro 29-05-2017 12:35
O que acredito que isso acontece é por não ter levado a sério os aviso de Fátima/La Sallete/Das Graças em Pesqueira-Pe.

O que o texto retrata foi minha primeira conclusão sobre o tema. Mas agora com todo desequilibro, leva consequência, acredito que também o aumento de infiltrações do EI na imigração. O que haveria se não houvesse necessitados neste mundo? Ou mal? Chego a conclusão que o mal é permitido por Deus para manter a ordem dos caos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Andre Bohn 29-05-2017 10:24
"O diabo existe e tem suas filiais. A minha maior preocupação é quando identifico o que é diabólico em mim e é alimentado pela minha rotina – explicou. – Sobre exorcismo, eu digo não. Cada um que expulse o diabo que criou. O diabo é seu, somente você tem autoridade de tirá-lo da ação. Se eu fico pensando no diabo como uma instância, eu perco a responsabilidade de reconhecer em mim o que é diabólico. Eu tenho atitudes diabólicas, você tem também". Pe Fabio de Melo.

Cada vez mais, satanás se agiganta em um mundo que ignora a Deus, e os que deveriam estar vigilantes, estão dormindo ou ajudando a este encardido. Padres negando o exorcismo, mostra como as almas que não conhecem o caminho da salvação, estão num mato sem cachorro. Foi assim também na madrugada do dia da crucificação de Nosso Senhor Jesus Cristo, onde os apóstolos dormiram na vigia. Resta-nos perseverar na fé de que as portas do inferno não prevalecerão. Nossa Senhora de Fátima, rogai por nós !
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Maria José de Meneze 28-05-2017 14:18
O demônio anda mais furioso que nunca e infelizmente encontra terreno fértil nas pessoas que minimizam o mal e se esquecem da pratica do amor, tornando-se instrumento deste mal. Com Jesus veio a plenitude dos tempos e a revelação total da Sabedoria de Deus, a internet um dos mais valiosos espaços de divulgação desta Sabedoria. Abram os ouvidos, os olhos e o coração e procurem a posse de Deus, assim o mal não terá lugar em nossas vidas.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Pedro Strabelli 28-05-2017 14:17
Há uma coincidência, vamos chamar de coincidência para ver se os laicos entendem, muito curiosa e muito constante: quanto mais ateu o povo, mais ataques deste tipo. Para provar a coincidência: na época das cruzadas o povo estava bem afastado da religião; pelo menos o povo da Europa (ao contrário do que o imaginário diz). Obviamente os não-laicos dirão que quanto mais se reza e mais se pede proteção, Deus mais protege. Estou curioso é com outra coisa: como eles explicarão está coincidência.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # João Batista Isnard 28-05-2017 14:05
Muito oportuno,retrata bem a situação do mundo..A vida está sendo desperdiçada e as pessoas nem percebem.
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade