Publicidade
Quinta, 02 Março 2017 19:25

Os atrasildos da missa podem comungar?

Postado por

Esse é aquele tipo de questão para a qual não podemos dar uma resposta tipo sim ou não. E o pior é que cada teólogo diz uma coisa!

Mas podemos informar vocês sobre os CRITÉRIOS para que cada católico julgue a si mesmo e veja se pode comungar ou não, em determinado dia em que chegou atrasado na missa.

Os católicos não têm obrigação de participar das missas que não são dominicais ou que não são em dias de guarda. Sendo assim, ainda que a pessoa chegue na missa somente na hora da Consagração, poderá comungar.

Porém, nos domingos e dias de guarda, a coisa muda totalmente de figura. O Catecismo (ponto 2042) lembra que o primeiro preceito é “Ouvir missa inteira e abster-se de trabalhos servis nos domingos e festas de guarda”. Missa INTEIRA, certo?

De acordo com a interpretação mais rígida dessa norma, quem chega atrasado na missa dominical e nas missas dos dias de guarda não cumpre o preceito, já que não assistiu à missa inteira. Precisa assistir a outra missa, no mesmo dia, INTEIRA, para poder comungar.

Ouço choro de gente lerda...

Porém, como a questão não fica explícita em nenhum documento da Igreja, outras interpretações mais flexíveis são normalmente aceitas.

E agora, quem poderá nos defender? Como dar uma reposta objetiva a esse problema?

Vamos recorrer a uma análise muito bem ponderada do Padre Edward McNamara, professor de liturgia no Ateneu Pontifício Regina Apostolorum, em Roma (tradução livre nossa). Confira a seguir!

*****

Comunhão para quem chega atrasado na Missa?

(Communion for late arrivals at mass?)

Padre Edward McNamara

Fonte: Site da EWTN

Em que momento da Missa é considerado tarde demais para qualquer pessoa que entre na Missa para receber a Comunhão?

Como a maioria dos sacerdotes, eu não gosto de dar uma resposta direta a esta pergunta, porque, de certa forma, é uma pergunta para a qual não há uma resposta precisa.

É verdade que, antes do Concílio Vaticano II, alguns manuais de teologia moral colocavam a chegada antes do ofertório como linha divisória para decidir se cumpriu ou não a obrigação dominical de assistir à missa. Mas depois da reforma litúrgica, com a ênfase na unidade geral da Massa, teólogos modernos evitam tal exatidão.

A missa começa com a procissão de entrada e termina após a bênção final, e devemos estar lá do começo ao fim. Cada parte da Missa se relaciona e complementa as outras em um único ato de adoração, embora algumas partes, como a Consagração, sejam essenciais, enquanto outras são meramente importantes.

Dizer que há um momento particular antes ou depois do qual estamos "fora" do preceito ou "seguros" em cumprir o preceito, por assim dizer, é dar a mensagem errada e sugerir que algumas partes da Missa não são realmente tão importantes. Também pode dar a algumas almas menos fervorosas a ideia de que não há problema em chegar atrasados, até certo ponto da Missa.

Embora eu prefira não arriscar dar um momento de corte preciso, certamente alguém que chega após a Consagração não assistiu à Missa não deve receber a Comunhão. E se é um domingo, deve ir para outra Missa.

Chegar no tempo não é apenas uma questão de obrigação, mas de amor e respeito por Nosso Senhor que nos reuniu para compartilhar seus dons e que tem alguma graça para nos comunicar em cada parte da Missa. É também um sinal de respeito pela comunidade com quem adoramos e que merece nossa presença e a contribuição de nossas orações em cada momento. (...)

Assim, as pessoas que chegam tarde à missa têm de se perguntar honestamente: por que me atrasei? Se chegarem atrasados ​​devido a algum motivo justificado ou imprevisto, como o tráfego bloqueado devido a um acidente, agiram em boa consciência e não estão estritamente obrigados a assistir a uma Missa posterior (embora eles fariam bem em fazê-lo, se chegaram muito tarde e se for possível).

Da mesma forma, para muitas pessoas idosas, até mesmo chegar à igreja é uma odisseia, e não se deve pesar suas consciências contando os minutos.

Mas se as pessoas chegam tarde devido a negligência culposa, e especialmente se o fazem habitualmente, então elas precisam refletir seriamente sobre suas atitudes, emendar seus caminhos e, se necessário, buscar o Sacramento da Reconciliação.

Dependendo de como chegam tardiamente, elas podem preferir honrar o dia do Senhor participando de alguma outra Missa ou, se isso não for possível, pelo menos permanecer na Igreja depois que a Missa terminar e dedicar algum tempo à oração e reflexão sobre as leituras do dia.

*****

QUER LER AGORA O 1º CAPÍTULO DO NOSSO LIVRO As Grandes Mentiras Sobre a Igreja Católica? A Amazon colocou esse conteúdo acessível online, para "degustação". Aproveite! Basta entrar no link abaixo e clicar sobre a imagem da capa do livro:

Site da AMAZON (clique aqui)

O livro está à venda em quase todas as livrarias, e também no site da Saraiva (clique aqui), da Fnac (clique aqui), da Cultura (clique aqui), da Travessa (clique aqui) e da Folha (clique aqui).

15198 Sexta, 03 Março 2017 00:51

Comentários   

+1 # gibran 28-03-2017 00:10
Costumo dizer que a questão é estar presente no Ato Penitencial...

afinal, uma vez que antes de cada refeição nos lavamos, antes do maior banquete que é a Eucaristia também devemos estar limpos...o Ato Penitencial é o momento deste preparo.

Porém, algumas sujeiras viram "caracas" em nosso corpo e precisamos de um banho maior, precisamos do Sacramento da Reconciliação...não a toa na noite da última ceia antes da Eucaristia, Jesus lavou os pés dos discípulos, e negou o banho completo que São Pedro pediu....

de fato, temos um só banho, mas de vez em quando necessitamos lavar nossos pés após a caminhada do dia...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex 03-03-2017 23:59
Após minha conversão sempre me dirijo para a igreja 30 minutos antes. O único problema é que na minha capela temos missa apenas uma vez ao mês, nos demais domingos a realidade nossa: apenas liturgia dá palavra.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Pedro Strabelli 04-03-2017 18:44
Entendo isso, poisa vilinha que morei por mais de 30 anos era assim. É Missa era no sábado porque no domingo o padre ainda tinha outras duas paróquias. Eu ia todo domingo. Acho que era um pouco empurrado pelos meus pais quando era novo, mas um dia assumi isso para mim e, com Missa ou sem Missa, eu ia. Faça isso e ofereça para Deus. Com certeza Ele vai ver sua dedicação.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Gêneto Eugenio 03-03-2017 18:40
Aqui em casa devido a proximidade da Igreja estávamos meio que "cochilando" rsrsrs e até todos os filhos, eu e Fá nos organizar e sair de casa estávamos com pequenos atrasos, chegando já com início da Missa (com Padre se dirigindo ao altar).
Quase um absurdo devido a proximidade. Graças a Deus vendo isso se repetir mudamos de atitude diante do Senhor e nós todos aqui em casa, cada com sua responsabilidade, estamos chegando bem antes.

Vivi poderia fazer um post sobre a falta de silêncio dentro da Igreja, muito zum zum zum, uma total falta de respeito(ao menos por essas bandas rsrsrsrs) se já tiver feito por favor me envie o link.

Obrigado.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Benedito Maurício Me 03-03-2017 17:03
Paz e bem, esta explicação não foi muito boa. Vocês sabem catequisar melhor do que esta resposta.
Responder | Responder com citação | Citar
+10 # Kauana 03-03-2017 15:44
Aprendi com a minha mãe que se chegassemos após o ato penitencial não deveriamos comungar.
Sempre respeitei isso. Mas sempre penso, que como católicos, devemos nos organizar para chegar pelo menos 10 min antes do horário e nos dedicar ao silêncio e oração como preparação à Santa Missa, é um sinal de amor e respeito ao sacrificio de Jesus.
Logico que imprevistos podem acontecer, mas aí temos a excelente orientação de vcs.
Como dica, sempre deixo todos os horarios de missa da paróquia e capelas à mão, se percebo que vou atrasar vou para o próximo horario. Sei que alguns lugares não permitem essa flexibilidade, pois tem apenas uma celebração, mas ja diz a passagem, quanto mais for dado, mais sera cobrado.
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Daniel 03-03-2017 15:08
Tem como explicar melhor a questão do trabalho no domingo?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natalia 03-03-2017 13:43
Uma coisa que sempre martelou na minha cabeça foi essa questão de trabalhar aos domingos. Diversas vezes trabalhei de domingo, mas não deixei de ir a missa. Direto meu pai trabalha de domingo. Também me pergunto como fica a situação das pessoas que trabalham por escala. Por exemplo, amanhã uma amiga minha folga, mas no domingo precisa trabalhar.
É pecado grave?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Mário 14-03-2017 11:57
Natália,

ser santo é muito mais do que não trabalhar aos domingos, que é um dia que devemos dedicar ao Senhor. Acalme seu coração, o domingo dedicado ao Senhor pode ser entendido também na sua entrega espiritual, em que sua mente e seu coração estejam voltados totalmente para Deus nesse dia, pois fisicamente, você se entrega ao trabalho, não por que quer, mas por imposição e necessidade de sobrevivência. Deus te ama, ele é um Deus de amor, crer nisso? Se sim, ótimo, se não totalmente, você se sentirá sempre vendo pecado em tudo. Pense no que é proposital e o que não é, se não é, não se aflija. Um abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Pedro Strabelli 04-03-2017 18:37
Se a pessoa tem que trabalhar, não. Imagine se no pronto socorro ninguém fosse por ser domingo. Tem coisas que não tem jeito. Aí a dica é a pessoa escolher um outro dia dá semana para Deus. Agora, quando tem a opção de não trabalhar no domingo, aí é.
Responder | Responder com citação | Citar
+4 # Mário 03-03-2017 10:59
A santa missa divide-se em duas partes: A liturgia da Palavra e Liturgia Eucarística, ou seja o Pão da Palavra e o Pão Eucarístico.
Antigamente se valorizava mais a Liturgia Eucarística, pois nela continha a consagração e o banquete do Senhor, ou seja, a distribuição da hóstia consagrada, a Eucaristia. Chegando antes da Liturgia Eucarística não tinha problema, podia comungar, não que a igreja ensinasse isso, mas ela não era tão rígida nesse aspecto.
A liturgia da palavra (O pão da palavra) é uma preparação para o banquete do Senhor, aliás, sempre foi, nós católicos é que tínhamos o hábito de achar que "o importante é chegar antes da comunhão".
Se nós não participarmos da santa missa desde o começo, é melhor e mais prudente não comungarmos, é ter a consciência de que não estaríamos preparados, indignos naquele momento para receber Jesus. Deveríamos participar de uma outra missa.
A Santa Missa é a maior das orações, lembremos disso!
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Pedro 03-03-2017 06:24
Prezados, fiz a promessa de rezar o terço na quaresma. Ontem cheguei do trabalho cansado e cochilei sem querer e sem rezar o terço. Acordei as 2 dá manhã e o rezei.
Estou em pecado grave por isso? Pois eu deixei pra rezar na última hora (fim do dia) mas rezei assim que acordei do cochilo. Abraço.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Dulce 03-03-2017 20:11
Olá ...eu rezo o terço todos os dias de manhã antes de levantar.se deixo para rezar a noite acabo sempre por adormecer.
A noite rezo o terço da misericórdia é mais rápido e acabo sempre antes de adormecer.
Durante a quaresma rezo o terço sempre enquanto vou pro trabalho. E esse a minha penitência.
Responder | Responder com citação | Citar
+4 # A Catequista 03-03-2017 13:41
Não, não está em pecado. Deus não é um juiz formalista. Ele viu o seu amor ao acordar de madrugada para cumprir o plano de oração.

Pessoalmente, se eu deixo para rezar o terço no fim do dia, nunca dá certo, rs. Sempre durmo. Então, faço o máximo para não deixar para depois.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Caio Duarte 03-03-2017 13:16
Em pecado grave com certeza você não está, mas faça um exame de consciência e veja como você pode se doar melhor para o Senhor, doando a Ele a hora mais importante e não a que sobrar, para que assim você não der brecha para o desânimo e persevere na sua promessa. Deus o abençoe sempre. Shalom!
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Pedro 03-03-2017 06:22
Pessoal, mudando um pouco de assunto. Eu fiz algumas promessas na quaresma e uma delas é de rezar o terço td dia. Ontem cheguei do trabalho cansado e acabei cochilando sem perceber e sem rezar o terço do dia. Acordei eram 2 da manhã, lembrei do terço e o rezei. Estou em dúvida se cometi um pecado grave ou não, pois eu podia ter rezado o terço antes e não deixado pra última hora, mas rezei assim que lembrei. Obrigado, fiquem com Deus.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Heitor 09-03-2017 09:49
Cuidado para que esse seu medo de ter pecado não se torne uma estrada para os escrúpulos, já padeci de escrúpulos (ainda acho que tenho resquícios) e é horrível, porque nos aprisiona, salvo melhor juízo, sua dúvida revela indícios de também sofrer disso.
Fica aí a sugestão para algum tema d'O Catequista: A diferença entre o zelo e o escrúpulo.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Benedito Maurício Me 03-03-2017 17:14
Caro, Pedro!
Você parece ainda trazer resquicíos da antiga pedagogia em que oração era dada como castigo.
A oração é, para nós cristãos, um momento único, uma oportunidade maravilhosa de encontro com Deus. Por meio dela, a gente realimenta o ânimo do coração, reabastece nosso interior de energias para que não nos falte combustível nas lutas cotiadianas. Ora, se é assim, não é porque vc deixou de rezar porque estava cansado que isso é pecado. Fica uma dica: procure ir rezando enquanto vai ou vem do trabalho, aliás vc num precisa rezar o terço todo de uma vez divida-o em partes ao longo do dia caso vc perceber que "o tempo está curto". O importante é rezar, pois como diz o bispo emérito dom Angélico "Quem não reza vira bicho".
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade