Publicidade
Segunda, 25 Fevereiro 2013 08:00

Como me tornar um MAU catequista?

Postado por
chapolin_ironico_catequistaNa época em que o Pe. Paulo Ricardo lançou o vídeo “Como posso me tornar um bom catequista?”, nós estávamos justamente preparando um post com o mesmo título. Mas o padre foi mais rápido...

Então, resolvemos levar adiante a nossa reflexão, porém, partindo do ponto de vista oposto: “Como posso me tornar um MAU catequista?”.

Reconheço que, diversas vezes, cometi alguns dos erros que apontaremos a seguir. Vivendo e aprendendo!

E você, se identifica ou já foi vítima de algum dos tipos de catequista abaixo?

1. Catequista ungido

Ele se acha tão, mas tããão inspirado pelo Espírito Santo – ô grória! – que não se preocupa em estudar os temas com cuidado, antes de cada aula.

2. Catequista PPT

Ao utilizar recursos de mídia, deixa de lado a virtude da temperança. Assim, 85% de suas aulas são realizadas por meio da exposição de slides de Power Point. Haja Redbull pro povo não dormir no escurinho!

3. Catequista Chicotinho di Zizuiz

Ao apresentar a moral cristã, dá ênfase nas proibições e punições da ira divina. Não sabe mostrar o quando a fidelidade à proposta cristã é conveniente para vida cotidiana das pessoas, nem busca apresentar a lógica e a sabedoria de Deus por trás de cada Mandamento.

4. Catequista caótico

Costuma perder o foco do tema inicialmente proposto para o dia (isso quando ele tem algum plano de aula). Começa falando sobre a Eucaristia, emenda com camisinha e termina discorrendo sobre a Inquisição Espanhola.

chapolin_analista_catecumeno5. Catequista no Divã

Não tem grana pra pagar um bom analista, então faz das aulas de catequese o seu divã. Passa quase todo o tempo da aula falando da própria vida, dos seus dramas, tragédias, frustrações, ansiedades – tudo a título de “testemunho”.

6. Catequista Embromation

Faz pose de sabe-tudo. E, quando alguém pergunta algo que ele não sabe, em vez de dizer “não sei, vou me informar e depois te falo”, o sujeito inventa qualquer coisa besta pra dizer.

7. Catequixta Xou da Xoxa

Insiste em tratar os crismandos adolescentes como crianças grandes, e promove muitas dinâmicas imbecilóides para entretê-los. Haja vela, barbante, sabão e bexigas.

É muita diverxão! Ou não...

8. Catequista #NuncaliSãoTomásdeAquino

Quando questionado sobre algum artigo de fé, diante da falta de argumentos, se safa sempre com a sentença: “Isso é dogma!”. Ele ignora que, apesar de todo o mistério o dogma encerra, podemos refletir sobre ele, a partir de bases bíblicas e filosóficas, e reconhecer a sua razoabilidade.

matrix_neo9. Catequista Matrix no seu Quadrado

Foge de temas polêmicos mais do que o Cascão foge da chuva. Passa batido pelos Dez Mandamentos, especialmente por aqueles menos populares entre a galera.

Quando algum catecúmeno lhe faz uma pergunta espinhosa, em vez de encarar a questão e responder objetivamente, dá um "Matrix" e se esquiva.

10. Catequista retrô

Por alguma razão estranha, ele acha que estamos nos anos 1920. Alimenta a doce ilusão de que todos os seus crismandos são católicos convictos.

Na sua cabecinha iludida, todos já creem perfeitamente em Deus, na divindade de Jesus e na Igreja. Então, não precisa discutir as razões desta fé, basta derramar sobre os crismandos as informações sobre a moral e a doutrina católicas (saiba mais no post "Meus crismandos são todos ateus").

11. Catecrente

Em vez de se ater à doutrina da Igreja, incha a catequese com o fermento dos fariseus e prega um monte de regras de comportamento ultra-rígidas, como se fossem mandamentos para todos os católicos.

Ele se esquece que a maioria dos catecúmenos é de cristãos "principiantes", e não de postulantes à vida monástica.

Demoniza a bebida alcoólica, as festas, o jogo de futebol e a depilação do sovaco.

12. Catequista Jorge Ben Jor

Acha o máximo falar uma palavra só pela metade, e fazer a turma completar o restante:

– Jesus Cristo é o Senhor do Uni...

– ...verso!

Só que, bem diferente da canção do cara que mó num pá tropi abencoá por Dê, sua técnica não faz o menor sucesso. Deixa o pessoal com aquela sensação de "Tia Teteca's class Revival".

chapolin_cinico_2

1216 Segunda, 01 Agosto 2016 14:28

Comentários   

0 # João Israel 17-06-2017 17:38
Serve para os Ministros extraordinário também..., Rsrs
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Rafael (SP) 19-03-2016 03:17
O "catequista ungido" costuma se gabar de que não gosta de ler nem de estudar - "não precisa", afinal, ele tem muita "vivência pastoral" e uma "unção forte", rs... Só rindo mesmo! O "catequista Jorge Ben Jor" é o mais comum, e a situação fica mais embaraçosa quando ele, ou ela, faz os encontros de catequese das crianças e dos adultos com a mesma pegada, rs. Ainda que haja um lado cômico, respeito muito os catequistas, porque é preciso muito empenho para levar essa missão a um bom termo, e costumam ser pessoas muito tentadas quando não estão na Igreja... Já viu, né? O diabo gosta menos ainda de catequistas, pois são vocês os responsáveis por legar bons cristãos ao mundo, paroquianos abnegados e gente que nunca desistirá de melhorar, por amor a Jesus Cristo. Lembro de minha catequista de 1ª Eucaristia, em 1994, iniciante, bastante jovem, e atormentada pela mãe, que era contrária à vocação da filha. Em muitos encontros, minha catequista entrava em crises de choro e não conseguia terminar o que tinha preparado, por brigas e coisas desmotivantes que ouvia da mãe ao longo da semana. Era barra pesada, tivemos muitas dificuldades, mas ela persistiu até o fim e formou a turma. Tinha pele clara e cabelos castanhos longos, com ar de princesa. Espero que tenha continuado como catequista, se fortalecido em leituras e devoção, não tive mais notícia dela, mudei-me de bairro e de paróquia... Li também o artigo "Meus Crismandos são Ateus" e achei muita graça na turma de Drs. House - vida longa ao trabalho de vocês, conteúdos valiosos e ao humor também - vocês facilmente me fazem rir mais do que qualquer vídeo do "Porta dos Fundos", ô época ruim esta, em que a comédia profissional é anti-riso!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Pedro Strabelli 14-03-2016 16:59
Gostaria imensamente de não me reconhecer em nenhum deles. Mas, de vez em quando sou obrigado a me dar aquele tapa na testa e falar pausadamente: “Como é que eu consegui falar uma imbecilidade destas?” e vamos consertar.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cleber Agenor Costa 13-03-2016 22:59
Gostei muito, fico feliz que alguns dos erros citados eu já deixei para trás, devo muito do meu crescimento como catequista ao Padre Paulo Barbosa de Araújo (Paroquia Sagrado Coração de Jesus, bairro Itoupavazinha, Blumenau-SC), que entre outras coisas exigiu o estudo do Catecismo da Igreja Católica para os Catequistas da nossa Paróquia, como eu tenho muita sede de conhecimento foi unir o útil ao agradável.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rogerio Nantes 13-03-2016 14:47
Catequista caótico kkkk eu faço muito isso, na ânsia de querer atender os adolescentes de hoje…. querem saber tudo em um encontro de 1 hora no máximo! Obrigado pelas dicas! Vou melhorar com a Graça de Deus! Salve Maria!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Eduardo Sousa 13-03-2016 14:32
Tem também o catequista campanha da fraternidade, passa os 365 dias falando sobre ela.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 13-03-2016 14:35
Ahuahauhuah! É mesmo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # MARCELA 07-10-2015 15:52
Ola...adorei o post... há pouco tempo vi a necessidade de ajudar os jovens e me tornei catequista na marra kkk mas esta sendo ótimo...me fez me dedicar mais...em algum material para catequese de adultos para indicar? obrigada
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Pedro Strabelli 14-03-2016 17:07
(resposta meio atrasada) Voltei a ser catequista a uns dois anos. Numa das reuniões perguntaram no geral como tinha sido o chamado de Deus para isso. Até preferia não dizer ali, mas todo mundo falou, então, lá vai eu: A primeira coisa que eu pensei assim que o padre disse que falta catequista foi: “Larga de ser vagabundo, João!” Não é brincadeira, não, foi exatamente assim. E, quer saber?, foi uma das melhores coisas que já me aconteceu. Vai em frente. Se por acaso quiser algum conselho: nem relaxe demais nem se cobre demais. Eu melhorei muito assim.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 07-10-2015 15:55
Além do livro "A fé explicada", de Leo Trese, indicamos no post abaixo alguns livros muito úteis aos catequistas: http://ocatequista.com.br/archives/12848
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Eurídice Fernandes da Silva 12-01-2015 12:49
Meu pensamento é o seguinte: Somos o que nos tornamos. Trabalho com catequese há algum tempo e vejo a catequese caminhando junto com a Igreja - povo de Deus. Já fizemos em nossa paróquia uma enquete pra saber dos catequisandos - crianças, jovens e adultos - o que eles querem da catequese e se dispõem a fazer com ela. Ponto fundamental que a maioria responde é a MISSA. A maioria vem com a ideia de escola e isto está também no coração de quem trabalha na catequese. Muitas vezes ministramos aulas de catequese pra sacramentos(?!?!) e nos esquecemos que a catequese é o encontro com Jesus. Será que nos encontramos com ELE, para poder falar DELE e TESTEMUNHÁ-LO? Penso que aí começamos a procurar dinâmicas e mais dinâmicas. São úteis, mas na medida certa. Descobrir esta medida é tarefa fácil para o catequista se, e somente se, ele buscá-la na EUCARISTIA e na BÍBLIA. Devemos nos despir de nossas máscaras, que não são feitas com maus objetivos, mas que destroem muito de nosso trabalho, e deixar a estrada para JESUS passar e nos guiar junto com os catequisandos. A catequese é via de mão dupla. Somos ao mesmo tempo Santos e Pecadores. Não devemos ficar com medo de falar de Jesus porque erramos. Ele escolhe gente do meio do povo, gente que vai se formando durante toda a vida. É só deixar JESUS falar. Lembre-se EUCARISTIA E BÍBLIA, com a HUMILDADE e o SERVIÇO testemunhados por MARIA... Acho que é por aí... não desvalorize seu trabalho, querido catequista. Estamos na história da Igreja e nela estaremos até a realização completa do Reino de Deus, que já vivemos na esperança aqui, em nossos dias. Bjão a todos que trabalham, sofrem, aprendem, catequisam e são catequisados diariamente na Igreja.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 15-10-2014 23:20
Prezados catequistas, estou a tomar uma decisão em minha vida, este ano atuei como catequista juntamente com outra catequista, digamos, ela como catequista oficial e eu como estagiário. Ao ler sobre este post, vi minha soberba, meu despreparo e meu desleixo. Alem do mais, vejo-me seriamente como aquele católico ateu, participa da missa, se emociona na missa, crê em Deus Uno e Trino, em Nossa Senhora, na Igreja Católica, mas vivo e tenho um comportamento diário de um ateu, sem nada a tirar nem acrescer. Levo minha vida quotidiana no trabalho e em muitos momentos em casa como se Deus não existisse, e não fizesse parte de minha vida. Minha preguiça espiritual é imensa, rezar o terço é coisa rara, mal e porcamente um Pai Nosso e uma Ave Maria. Ser catequista assim? Estou mais para um traidor de Cristo. Que Deus tenha misericórdia de mim.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 16-10-2014 01:19
Alex, você agora me faz lembrar esta passagem: "Subiram dois homens ao templo para orar. Um era fariseu; o outro, publicano. O fariseu, em pé, orava no seu interior desta forma: Graças te dou, ó Deus, que não sou como os demais homens: ladrões, injustos e adúlteros; nem como o publicano que está ali. Jejuo duas vezes na semana e pago o dízimo de todos os meus lucros. O publicano, porém, mantendo-se à distância, não ousava sequer levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem piedade de mim, que sou pecador! Digo-vos: este voltou para casa justificado, e não o outro. Pois todo o que se exaltar será humilhado, e quem se humilhar será exaltado." (Lucas 18,10-14) Sim, nossos pecados devem ser profundamente lamentados. E, acima de tudo, devemos saber que grande mau é a postura de cinismo, de quem realiza práticas exteriores de forma tão "satisfatória" que jogam para debaixo do tapete as suas mazelas interiores. E, graças a Deus, me parece que esse não é o seu caso! Ser pecador - desde que não seja nenhum grave pecado público - , em princípio, não desqualifica uma pessoa para o serviço da catequese. Creio que você só não deve ser catequista se for cínico. Mas enquanto em seu coração pulsar o desejo sincero de caminhar na amizade com Cristo, enquanto você, com todas as suas chagas, caminhar rumo à santidade (ainda que parando ou retrocedendo certas vezes), Cristo pode te usar como instrumento para a catequese. Você segue alguma espiritualidade, participa de algum grupo católico que lhe ajude a ser mais fiel a Cristo? Possui um bom diretor espiritual? Creio que isso poderia lhe ajudar muito a, com a graça de Deus, vencer a preguiça espiritual e o ateísmo prático. Grande abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 16-10-2014 16:01
Obrigado pelo conselho. Hoje, fui me confessar, e falei isto ao padre. Ele me pôs na parede e me deu uma escolha, ou eu tenho convicção e busco querer estar com Cristo, luto para isto, ou, desisto e digo não posso, para justificar minha vontade de querer conviver abraçado com meus pecados, apegados a eles.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Célio Alves 21-08-2014 13:19
Primeiro, Parabéns! O conteúdo do site é além de sensacional na parte formativa, quanto na zueira!!! Eu venho aqui perdi sua ajuda, foi colocado para coordenar a pastoral do crisma, eu tenho alguns tema que sei que são necessários, porém queria que vc pudesse me indicar alguns temas. Obs. Só tenho 1 ano para terminar o crisma logo não podem ser tantos temas, por isso, eu quero saber o que realmente é importante mesmo para ensinar aos jovens. Obrigado.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rosângela 03-07-2014 13:50
Igreja TL aquela que deixa traumas profundos em catequista que ama a Igreja. No meu caso tive que deixar de ser catequista, pois os freis me achavam muito católica, nas reuniões vinham com aquela história de que não era preciso usar bíblia e catecismo com os catecúmenos, bastava "vivência pastoral"; ainda havia as homilias onde eram desmentidas alguns milagres de Jesus, por exemplo a multiplicação dos pães. As indiretas dizendo que eu não podia ser catequista eram o tempo todo. Mais o que mais me surpreendeu e me deixou estarrecida foi no rito da entrega do credo, o Frei além de acabar com o nosso credo, começou a misturar ensinamentos da cultura maia com cristianismo, tive uma crise de riso dentro da Igreja, pois nunca tinha ouvido tanto absurdo em tanto pouco tempo, creio que ele assistiu muito Discovery Channel, fim do mundo em 2012, essas coisas. Enfim, ñ sou mais catequista, coisa que eu amava, frequento missas em uma Paróquia distante. A pergunta que não sai da minha cabeça é; nos dias de hoje ainda podemos afirmar que a Igreja é una?? Que toda a Igreja tem uma só Fé?? Como podemos afirmar tal coisa se temos muitas ordenados, ensinando coisas como? -A Eucaristia representa o corpo de Cristo e não a presença real de Cristo. -Acreditem, que adoração ao Santíssimo é "besteira". -Que o evangelho é cheio de acréscimos, para dar mais credibilidade, principalmente nos milagres. Esses são apenas alguns, teve alguns que doeram profundamente meu coração; um encontro de aprofundamento para catequista, distribuíram um papel que segundo o frei era de um "grande teólogo", nele dizia que ficar adoração ao santíssimo é o mesmo que ficar admirando uma vitrine de padaria cheia de doces, sai de lá com meu coração muito entristecido.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 03-07-2014 14:50
Rosângela, Lamento profundamente essa desgraça que você está relatando. Mas não me surpreendo, pois já ouvi centenas de relatos similares, além daquilo que testemunhei. Quanto à sua pergunta: sim, a Igreja é Una, porque só há uma Igreja de Cristo, e uma só é a sua doutrina. Infelizmente, desde os tempos da Igreja primitiva, já havia apóstatas e hereges se fingindo de verdadeiros cristãos, e provocando escândalos e confusão na comunidade de fiéis (isso fica claro nas Cartas de São Paulo). Jesus bem havia dito que o joio cresceria no meio do trigo, mas era preciso esperar o tempo certo, para que o joio pudesse ser arrancado e lançado ao fogo. Essas pessoas que pregam um evangelho falso, diferente do Evangelho dos Apóstolos, já não são mais católicas, já não fazem mais parte da Igreja Una. Elas podem até ser padres, mas não estão em comunhão espiritual com Pedro, com Roma, estão separados em espírito do Corpo de Cristo. Trabalham para espalhar, não para ajuntar. Graças sejam dadas a Deus, porque depois de passar por tudo isso, você não abandonou a Igreja. Muitos são aqueles que, desiludidos, se dispersam. Foi assim no tempo da igreja primitiva, continuará sendo até Cristo vir de novo. até lá, vamos continuar rezando, trabalhando pelo Reino e amando, como Cristo nos ensinou. Assim, muitos serão libertos pela Verdade. Abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Aline 03-07-2014 12:38
Esse artigo me fez lembrar de um livro que tem tudo a ver com o blog de vocês por causa do tom zombeteiro e irônico: "Cartas de um Diabo a seu aprendiz" do escritor inglês C. S. Lewis relata, do ponto de vista de um diabo, como deve ser a vida de um homem. É muito interessante e enriquecedora essa ótica de saber o que não se deve ser, para poder ser um bom cristão. No caso do presente artigo: como não se deve ser para ser um bom catequista. O artigo está muito bem escrito, parabéns!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Matutina 10-03-2014 16:39
"nossa fiquei impressionada,com cada um dos depoimentos aqui postados,são todos muitos ricos,sou catequistas e concordo com os que dizem que não importa o nome que damos ao encontro e sim o conteúdo. o que importa mesmo é passar o conteúdo com convicção e ensinar a doutrina da Igreja católica,pois muitos recebem os sacramentos e não sabem nada da nossa doutrina(CIC) por isso muitos catequizando mudam para outras Igrejas logo ao receberem os sacramentos. "pois ninguém ama o que não conhece".
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Pe. Glauco 13-01-2014 09:19
Muito bom texto. Acho que o único "vacilo" é o uso do termo "aula" para se referir aos encontros de catequese. Além de ser ambíguo, como os próprios argumentos do texto demonstraram, também enfraquece a dimensão evangelizadora da ação catequética. Um abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Aninha 11-01-2014 08:29
Ainda continuo com a postura de que evangelizar é diferente de dar aulas, não querendo criticar a forma de catequizar de ninguém, mas existem muitos documentos de catequese que falam sobre o tema. Nossa missão é de discípulos missionários que fazem ecoar a Palavra em, não meros transmissores de saber. É importante que o catequizando se apaixone por Jesus Cristo e siga sua causa, como professora posso afirmar, que se meus Encontros fossem aulas, meus catequizandos não retornariam mais à Igreja após a primeira comunhão. Mas tenho certeza que seus encontros, embora seja intitulado aula, deve ser diferente, caso contrário, não teria frutos... Não foi minha intenção desmerecer o trabalho de ninguém, também não gosto de ser a dona da razão... como citei anteriormente, a matéria acima ficou muito rica!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # sonia maria 10-01-2014 22:15
a matéria é otima, achei interessante por que sou catequista ,amo a catequese e tenho o quesito formação como uma constância em minha vida. Sou catequista as vários anos e vibro a cada formação, a cada encontro de catequese bem preparado e um aprendizado , uma vivência que não tem igual.. Com minha vivência minhas ferramentas bíblia, formação, criatividade e participação dos catequizandos e buscando cada vez mais a humildade do saber persevero na catequese. Sonia
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Anderson 10-01-2014 21:15
Lembro-me de algo que me incomodavam muito, quando comecei a dar catequese havia uma colega que pegava o livrinho e literalmente passava lições no quadro fazendo as crianças copiar e ainda exigia que as crianças a chamassem de professora (por falta de salas de catequese, aconteciam numa escola). Isso me subia as ventas, via uma mulher frustrada, que sonhava em ser professora, como não estudou, descarregava nas crianças. Logo me deram uma turma, eram os "desenquadrados", não tinham idade de catequese de adulto e nem de catequese infantil pois volte e meia criavam "problemas", adotei um estilo nada ortodoxo, primeiro encontro deixei claro. Não sou tio e nem professor, me chamem de catequista ou pelo nome. Isso é uma escola mas não estamos aqui para uma aula e sim para um encontro de catequese.Logo façam um circulo. O livro de catequese para mim era um apoio, não uma obrigação.(Só usava o do catequista e para dar direcionamento no tema) Nos encontros havia um bate papo apoiado na Bíblia e no CIC. Resultado: Nunca tive desistências, meus catequizados participam da comunidade até hoje e muitos são catequistas. Atuo como catequista de adultos com o mesmo modelo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 11-01-2014 12:56
Anderson, Está evidente que o problema não era a colega se ver como professora, e sim a metodologia "porre" que aplicava. Também uso a apostila da catequese só como apoio, pra dar direcionamento ao tema. E a aula rola em clima de bate-papo, com muita troca e reflexões. Os crismandos ficam muito à vontade, e quase sempre rola um testemunho.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # MARCELO RECH 10-01-2014 20:04
Parabéns pela matéria!!!! Acredito que para sermos bons catequistas, temos que fazermos uma formação constante! Já fui catequista e, confesso que, temos que estar bem preparados, porque os adolescentes perguntam tudo e algo mais.......... Acredito também que, os jovens catequizandos devem virem de casa motivados por seus pais, o que vamos combinar, muito pouco acontece!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Leandro 10-01-2014 19:18
Só faço uma ressalva no texto acima descrito. O encontro de catequese NÃO È AULA. E sim momente de anunciar a fé em encontros de evangelização anunciando aos pequeninos os ensinamentos de Deus. A AULA é um simplório conhecimento que não tem por objetivo salvar almas.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 10-01-2014 20:12
Leandro, Dependendo do conteúdo, uma aula pode ter, sim, o objetivo de salvar almas. Não sei de onde sai essa modinha de afirmar que catequese é "encontro", "não é aula". O fato é: há chamados "encontros de evangelização" que não evengelizam" e aulas que evangelizam muito. O importante não é o nome que se dá, mas o conteúdo e o método. Quando meus crismandos me chamam de professora, eu os deixo livres, não os corrijo. De certa forma, o catequista é um professor, e os encontros de catequese são, sim, aulas. Afinal, estamos ali para expor um conteúdo, e ser facilitadores do aprendizado. Eu dou aula de catequese.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Celso 10-01-2014 18:02
Meus irmãos, a paz de Cristo, leio quase todos os artigos de " A CATEQUISTA" e concordo com a maioria deles os temas abordados são bons para nos avaliarmos como catequista, mas devemos ter em mente que encontro de catequese não é aula e catequista não é professor de religião. A catequese deve não termina com o encontro ou com o recebimento dos sacramentos da iniciação Cristã, ela deve ser por toda nossa vida. Na catequese , procuramos critérios para o uso da Bíblia a serviço da educação de uma fé esclarecida e engajada, as circunstâncias locais hão de inspirar adaptações apropriadas a cada realidade. (DNC 108). A catequese como processo de iniciação à vida de fé: é o deslocamento de uma catequese simplesmente doutrinal para um modelo experiencial, e da catequese das crianças para a catequese com adultos. Tanto a dimensão doutrinal como a da experiência estão interligadas no processo de tornar-se discípulos de Jesus. (DNC 13, a) Iniciação à vida de fé em comunidade conforme a pedagogia de Deus. Ele se revela no dia-a-dia de pessoas que vivem em comunidade. A catequese é concebida como uma iniciação à fé em sua dimensão pessoal e comunitária; (DNC 13, b). Nós catequistas temos de adaptar os encontros a realidade local de tal forma a atingirmos o objetivo principal que é iniciarmos nossos catequizando na fé e na comunidade, devemos nos prepararmos antes de cada encontro para não sermos surpreendidos, devemos não só nos apegarmos a Sata escrituras, mas devemos utilizar os demais documentos da igreja para fundamentarmos nossos encontros e termos o senso critico de saber se a metodologia aplicada está surtindo o efeito pretendido.Não podemos liberar o recebimento do sacramento só por que o catequizando/ crismando cumpriu o curso, se ele não está realmente vivendo o compromisso com Jesus. É melhor poucos comprometidos do que muitos católicos do IBGE, ou cristão espíritas como vi em comentário acima, pessoas como essa não absorveu nada durante sua catequese, mas culpa não é dele mas sim nossa como catequista, que não conseguimos passar a verdadeiro sentido e vivencia da fé católica e agimos como professores que aprova o aluno que tirou nota suficiente na prova mas não absorveu o conteúdo, devemos sair da nossa zona de conforto e ir até as pessoas e ver se realmente estão mudando sua forma de viver. Ai sim estaremos fazendo uma catequese viva e iniciando pessoas realmente comprometidas com o Reino de Deus.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Aninha 10-01-2014 14:38
Adorei o texto... retrata bem os diversos tipos de catequistas que talvez nem devessem ser catequistas ... só acho que já está na hora de não falarmos mais em aulas e, sim, encontros de catequese. Sou professora e catequista... há muita diferença entre um e outro... não concordam???... fora isso parabéns!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 10-01-2014 14:49
Aninha, Várias pessoas fazem esse mesmo comentário aqui, mas eu discordo. Quando meus crismandos me chamam de professora, eu os deixo livres, não os corrijo. De certa forma, o catequista é um professor, e os encontros de catequese são, sim, aulas. Afinal, estamos ali para expor um conteúdo, e ser facilitadores do aprendizado. O que importa é: a aula é um porre ou é interessante? Bem, chamem como quiserem. Eu dou aula de catequese.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Luciana Dias 10-01-2014 15:12
Oi Catequista. Concordo com você... eu dou aula mesmo, ensino mesmo! Como sou catequista de primeira comunhão, chegam crianças que não sabem fazer o nome do Pai... e eu tenho que pegar na mãozinha de cada uma para ENSINAR como se faz. Eu já vejo um encontro, algo como: se encontrar para rezar, cantar, dividir experiências... Grande abraço.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # ricardo 10-01-2014 12:15
Aluns itens sitados a canção nova AMA fazer em seus retiros, principalmente aquelas classicas insuportaveis...olhe pro seu amigo do lado...diga ale q Deus te ama...diga a eke q ele é especial...etc etc
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Leonardo 10-01-2014 11:44
A paz! Ja fui catequista por longos anos, desde crianças ate o Crisma, ja cometi varios erros como catequistas, mas ao tempo fui estudando e tudo começava a ficar mais claro. Creio que se o mau catequista estudar um pouco que seja , ja começa ter uma melhora significativa, pq os temas se unem como uma teia, e vc acaba querendo saber o porque do porque rs. No ano passado, quando era catequista de crisma, o que o coordenador solicitou era pegar o Catecismo da Igreja e seguir ele , cada fim de semana um tema, e achava bacana, claro que colocavamos alguns temas da igreja que se adaptavam aos encontros, por exemplo explicar totalmente o missal e por ai vai. Passei a abrir mais os olhos tb lendo os artigos do blog, me ajudaram muito mesmo, hj em dia não sou mais catequista, mas sinto falta. Abraços a todos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Marcos 10-01-2014 11:24
Já sofri com todos, principalmente com o primeiro (que entende sua unção como prolongamento do pronunciamento papal ex cathedra). Tenho uma observação quando ao PPT e a utilização do Data Show. Evidente que o mesmo pode ser usado, mas apenas como mais um recurso para facilitar a compreensão, não como uma muleta. Se o tema estudado para determinada catequese só puder ser dado com o Data Show, então é preciso rever a didática da aula. Por exemplo, quando dei catequese sobre erros litúrgicos mais comuns (já na fim da Crisma), eu precisava usar inúmeros documentos e citações (o pessoal tava preparado pra isso). Pra facilitar o trabalho, separei as citações e grifei o ponto que eu ia comentar, mas, se não houvesse o Data Show, a pregação sairia idêntica, como já fiz em ano anterior. Acredito que a regra vale pra música, teatro, dinâmica e afins: todos são recursos válidos, mas não pode uma pregação depender desses recursos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Lorranny 10-01-2014 11:17
Oh, meu Deus! Sou o número 11! Tentarei mudar!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Fiore 11-11-2013 20:23
O Q VC SUGERE COMO UM BOM MANUAL DE CATEQUESE PARA A CRISMA?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Guimarães 22-11-2014 12:09
Alex, eu costumava me basear no Youcat e Bíblia para preparar a formação. Certo dia eu fui dar uma olhada no catecismo e realmente ele não é só uma escola de doutrina católica mas também de catequese. Recomendo fortemente. É realmente uma catequese. E não se esqueça da Bíblia e documentos da Igreja que você acha no site do vaticano.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Chuck Edw 11-10-2013 18:59
Excelente!! :D
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Maria Helena 06-09-2013 21:42
Concordo com Tex Willer; tem muitas pessoas que querem ser catequistas para "parecerem" importantes na com unidade eclesial que participam; as respostas mais frequentes: formação prá que? já sei tudo. Reunião? Nesse dia não posso, tenho compromisso. Retiro? Ah! rezo em casa. E assim por diante. A verdadeira vocação passou muito longe dessas pessoas. Que pena !
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Tex Willer 08-07-2013 16:04
Geralmente a falha na Catequese vem por falta de interesse da própria pessoa que se dispões a ser catequista.Não estuda, não acompanha a vida daParóquia, fica sempre alegando não ser avisado das reuniões e eventos que não participa. É grave, mas temos muitos Cristãos preguiçosos, essa é que é a verdade.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Carol Zorzi 08-07-2013 13:22
amei e raxei de tanto rir...sou uma catequista com muito amor, porem com muito para aprender também, acho muito importante as atualizações da catequese, afinal crianças e adolescentes de hoje tem tantos atrativos no mundo afora que fica difícil querer catequisar de forma mediocre e desinteressada! grande abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Washington Guedes 08-07-2013 12:04
Sou fã de vocês, porém só uma sugestão, não existe aula ou professor, de acordo com a "catequese renovada". Em lugar de aulas é encontro e de professor(a)ou coordenador(a) é catequista. abraços fraternos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 19-03-2013 21:06
Oi, Fernando! As informações que todos os crismandos devem saber estão expostas Catecismo da Igreja. Além disso, recomendo que você adquira o livro "A Missa parte por parte". Ele explica de forma bem facinha tudo sobre esse rito sacratíssimo. Está à venda nesta loja virtual: https://www.livrarialoyola.com.br/detalhes.asp?secao=livros&CodId=1&ProductId=137530&Menu=1 Abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Fernando Henrique 07-03-2013 10:15
Gostei muito do post, porém um duvida - quais documentos da Sã Doutrina ou vida de Santos seriam de certa forma indispensáveis, nos encontros de crisma? Hoje eu tenho que utilizar um livro nos encontros são 20 encontros já determinados pela minha paroquia, agora os que sobram no decorrem do ano queria uma ajuda para não falar das coisas da quais eu considero importante, e esquecer de dizer as que eu deveria ter falado. Então se possível me digam ai: quais são as informações que todos os crismandos deveriam saber sobre nossa fé, antes de receber o sacramento da confirmação?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 06-03-2013 10:28
Quase dez dias sen novo post #sacanáge ...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 06-03-2013 10:30
Calma, Cadu! Creio que vamos postar um novo já, já.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Tiago Noronha 05-03-2013 15:18
Galera, parabéns pelo site, gostei do tom despojado, pra não dizer "debochado", mas eu prefiro assim, às vezes precisamos tratar de assuntos graves ou sérios, com leveza e simplicidade. Imagino que o site é pra "iniciantes", entendi a proposta? É isso? Já ouvi os Catecasts e são demais, já to divulgando no meu blog tumblr.com.br/escravosdaimaculada , face e twitter. Valeu! Salve Maria!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 07-03-2013 10:49
Oi, Tiago! Agradecemos demais a sua ajuda na divulgação dO Catequista. Você pergunta se o nosso blog é para "iniciantes". Na verdade ele é pra todos, desde os principiantes até os de caminhada. Porém, a nossa missão é tornar nossa doutrina compreensível para qualquer um. Assim, mesmo os temas mais "avançados" podem ser compreendidos por todos. Abraço! Salve Maria!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Danie Armenio 01-03-2013 17:24
Poxa, já revirei esse site de ponta cabeça e não achei o post prometido falando sobre São Gregório I, Magno na série falando sobre os Papas. Foi feito esse post?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 01-03-2013 18:40
Daniel, O post sobre São Gregório Magno foi feito, sim, está aqui: component/k2/item/2217 O Paulo Ricardo também publicou um post sobre canto gregoriano: component/k2/item/4051
Responder | Responder com citação | Citar
0 # JR 28-02-2013 15:18
Se fosse só catequista tudo bem, o problema é aguentar professor mala na escola com essas mesmas características e pagando. AAffffff!!!!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cristiano Estolano 26-02-2013 21:31
Queria aproveitar o espaço daqui e sugerir um site (caso vocês não conheçam) que um grupo de jovens criou para rezar para os cardeais que participarão do conclave: http://www.1conclave.com/ Quanto ao post, realmente show! Tive algumas experiências ruins com a crisma e com a "iniciação cristã de adultos"... Mas bola pra frente! Abs
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Flávia Cabral 25-02-2013 23:42
Compartilhado no meu grupo de catequistas do facebook. Como alguém disse acima, pra ser um mau catequista, é muito fácil. Há quem diga que pra ser catequista de criança: "é só gostar delas". Lamentável!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex 25-02-2013 21:27
Recebi uma excelente formação catequética em minha paróquia, logo após receber o sacramento da confirmação fui convidado a ser catequista de crisma. Aceitei. Contudo o Sr. Bispo exigiu que todos os catequistas em sua diocese passassem por um curso de catequético de seis meses. Quando chegou quase no final do curso um sacerdote aplicava a disciplina de liturgia. No último dia do curso não foi possível que eu participasse da aula pela manhã, pois tinha que prestar um concurso público. Resultado? Não fui aceito pela coordenação diocesana para continuar exercendo a missão de catequista. Estou estacionado, pois não se pode nem fazer círculos bíblicos sem que seja autorizado pelo pároco, liturgia, quem o pároco escolhe, minha função hoje como cristao consciente é todos os meses ir na secretaria paroquial devolver meu dízimo. Meu batismo e os outros sacramentos que recebí ficaram estéreis... Enquanto isso, o pároco recruta para catequese tanto de crisma como de primeira eucaristia, pessoas que fazem parte de seu panegírico. Geralmente coordenadores de núcleos da RCC, pedagogos aposentados, militantes da pastoral do dízimo etc... E a liturgia? Uma verdadeira profanação do sagrado... Nem missal se usa mais, e a bênção final é conforme seus ideais. Eu fui reprovado por uma manhã de aula de liturgia... Que tal?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # André 27-02-2013 22:54
Alex, clicando no link do seu nome eu meio que descobri o motivo dessa "perseguição" a vc... Espirito-cristã?? Seu eu fosse seu pároco, sinceramente mesmo, tbm não gostaria nem um pouco de um catequista que segue o comprovadamente anti-bíblico e anti-católico espiritismo... '-'
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Marcio 28-02-2013 12:55
Agora a p... ficou séria! kkkkk
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 28-02-2013 11:40
Caramba, não tinha reparado nisso, André. Putz, tem leitor premium aqui dO Catequista que merecia ganhar recompensas em dinheiro (se eu pudesse, rsrs). O que seria do blog sem vocês?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # André 28-02-2013 16:01
kkkKkkk Que nada vivi, disponha, somos seus moderadores-detetives voluntários di Zizuz... rsrs Mas seu texto de consolo a ele ficou tão profundo e bem elaborado que espero que sirva pra alguém que realmente esteja sofrendo perseguição injusta ou cerceamento de oportunidades nas paróquias mundo afora (há muito isso, infelizmente, sobretudo de TLs contra conservadores que zelam pela liturgia). O caso do nosso amigo 'espírito-cristão' (???) foi simples e elementar: o pároco e bispo estavam com vergonha de serem "deselegantes" ao dispensar o cara só (só??) por ser espírita (já que muitos não conseguem MESMO compreender a incompatibilidade de sua fé com a católica, e até receberiam uma atitude dessa como intolerante e 'anti-ecumênica' [ecumenismo fora do seu significado original tá na moda =/]), mas o Espírito Santo providencialmente possibilitou que ele faltasse uma única vez (e logo no último dia, foi por pouco!! :)) pros ditos cujos terem um motivo, mais esdrúxulo porem mais 'politicamente correto' (nojo disso --' Mas eh uma Ditadura real nos dias atuais :S), pra dispensar o cara!! Kkkkkk So Deus sabe a tragédia que seria um discípulo do Kardec como catequista de jovens, em sua maioria, necessitados de alimentar bastante uma espiritualidade tipicamente rasa!! Ia passar de rasa pra seca kkkkkk #DeusMeLivre
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Daniel Pires 01-03-2013 13:30
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Mas sério, isso aí serve pra trads que são afugentados de paróquias liberais. Já vi isso acontecer.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 26-02-2013 15:58
Alex, Me imagino no seu lugar, eu ficaria muito chateada. Lamento muito que as coisas tenham acontecido assim. Entretanto, tenho que discordar fortemente quando você diz "minha função hoje como cristao consciente é todos os meses ir na secretaria paroquial devolver meu dízimo. Meu batismo e os outros sacramentos que recebí ficaram estéreis…". Não é verdade! Não é verdade!!!! Lembre-se de que Jesus nos disse para tomar as nossas cruzes e seguí-Lo. Essa frustração é uma das suas cruzes. Tome-a com amor, e ofereça-a a Jesus sem revoltas. Não devemos perder o nosso senso crítico, a nossa capacidade de reconhecer o que é errado e injusto. Porém, os cristãos não podem se conformar com o desânimo. Você não foi derrotado! Isso é só uma aparência mundana de derrota. Assim como Padre Pio não foi derrotado quando foi impedido de ouvir confissões e de rezar a missa publicamente por dez anos - dez anos! - por causa das calúnias que se multiplicavam contra ele. Certamente ele sofreu e chorou por isso, mas se engana imensamente quem pensa que esse afastamento dos fiéis foi infrutífero. Todas estas amarguras o santo ofereceu com generosidade pelo bem das almas; tudo ele colocou aos pés de Jesus. Só Deus sabe o quanto as perseguições a Padre Pio se reverteram em graças para os filhos da Igreja. Tenha paciência e entregue todas estas coisas, em oração, nas mãos de Jesus. Se Ele quiser que um dia você atue como catequista, ninguém impedirá. Tenha fé! E tenha certeza: ainda que te colassem os lábios com super-bonder, você não seria infrutífero. Só quem não ama a Cristo e ao próximo é que é como uma árvore seca. Quem ama sempre dá frutos, conforme a graça de Deus.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Diego Pires 25-02-2013 20:49
Catequese tipo "tia na escolinha" para uns barbados adolescentes não tem condição. Não é à toa que uma colega de trabalho me falou que queria conhecer a Jesus e foi em uma catequese católica, disse que foi tão chato que nunca mais voltou, depois foi para uma Igreja Evangélica e lá ficou. Muito triste! Acredito que uns dos problemas, conforme relata na matéria do Pe Paulo Ricardo com referências ao direito canônico, é que o sacerdote é o primeiro catequista. No entanto pelo que percebo em muitos lugares, o que menos acontece é um sacerdote ser catequista. De qualquer forma todo o Catequista, assim como todo o Cristão convertido, deve ter uma vida de Espiritualidade com estudo, ler livros, obras, história da Igreja. Todo o Catequista deveria fazer algum curso de teologia, pois a responsabilidade que temos diante das almas humanas é muito grande. É uma questão de Eternidade, precisamos mudar essa realidade a partir de nós mesmo, tendo uma vida de acética e mistica, mas também de muito estudo. Chega de dinâmicas imbecis, de história da carochinha, de musiquinha de girassol. Vamos debater a fé com racionalidade aristotélica; incentivar os catecúmenos a sair da preguiça mental e intelectual; incentiva-los a pensar a respeito da fé a partir da análise da própria vida e do mundo; ensinar o catecismo, os documentos da Igreja, as Obras dos Santos Padres e somente após teremos a condição de compreender as Sagradas Escrituras a partir da "Lectio Divina" diária. E outra coisa que acho importante, devemos amar a todos, estar disposto a servir a todos, porém sem preocupação de agradar a ninguém. "E vós quereis ir embora também?"
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Lucas 25-02-2013 16:41
Falta também o catequista que se acha cantor e canta músicas de 1350!!! iueaheiuheauihaeiuaehiaeuhui' Abraços.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Ricardo 25-02-2013 15:57
Vocês são um barato! Ri de todas as descrições! Muito bom mesmo! Concordo com a Natália, o xou da xoxa e o jorge ben jor são geralmente as mesmas pessoas
Responder | Responder com citação | Citar
0 # maria do carmo viana 25-02-2013 15:25
Muito legal, as vezes a gente ta fazendo coisas e acha que ta agradando. Adorei as dicas e vou me policiar pra nao ser nenhum desses. kkk
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rafael Rosa dos Santos Silva 25-02-2013 14:21
kkkkkkkkkk passei mal com esse post!!! Na vdd pra ser um mau catequista num precisa de muito esforço não!!! Quanto as dinâmicas, com discernimento td é válido! Abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Leonardo de Oliveira Bezerra 25-02-2013 12:45
Eu sou catequista e ja fui como alguns itens ai de cima, e hj ja me reorganizei e passei a estudar um bocadinho mais. E por experiencia própria, um encontro com estudos dias antes do encontro ajuda bastante. Vejo que a Igreja, pelo menos aqui em Osasco, tentam fazer cursos para os catequistas, mas sempre lota no primeiro dia e esvazia no segundo dia. Uma grande dificuldade que tenho é sempre o ínicio, pq ao entrar na Crisma por exemplo, muitos estao boiando e nem adianta ja partir p os textos e conteudos. No inicio creio q devo é converter um bocado povo, p entrar no assunto mais focado. Muito boa a matéria.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Ligia 25-02-2013 12:42
Muito bom mesmo! Parabens!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Renato Pinheiro 25-02-2013 12:37
Meu divã me motiva a ser catequista hoje. Depois que fiz o crisma, infectado pela história mentirosa dos colégios e outras doutrinas alienantes, deixei a Igreja. Agora que entendo pq não deveria ter feito isso, quero prevenir que outras pessoas caiam no mesmo engano que eu caí. Muito verdade esse post. E bem pertinentes os tipos de catequistas comentados até agora kkkkk
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Jani 25-02-2013 22:57
A Igreja como uma mãe amorosa, te espera de braços abertos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Luis Fernando Lemos 25-02-2013 12:21
Comprei o livro, tem versao em pdf e sai mais em conta (p quem consegue ler em pdf, nada q impeça de imprimir) gostei bastante.. nao fui vitima de nenhum, mas senti a necessidade de ser catequista la na minha comunidade, e essa materia veio justo na hora, pq estava mesmo precisando de materiais p estudo, p preparar melhor antes de sair por ai falando qlq coisa.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Jackson Leite 25-02-2013 12:16
HAHAHAHAHAHA! Demais esse post. Infelizmente, passei minha vida com catequistas da xuxa que só faziam dinâmicas e nada mais. Acho que é por isso que tenho aversão extrema a dinâmicas. Sempre tem aqueles catequistas também que são anticatólicos (!) que vivem xingando as doutrinas da Igreja e os "milhões" de mortos pela inquisição e cruzadas. Tive muitos exemplos desses na minha vida como catequizando e hoje tento ser o melhor que eu posso como catequista, sempre baseado pelo catecismo e doutrina da Igreja.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natália Oliveira 25-02-2013 11:24
Catequista Jorge Ben Jor e catequista xou da xuxa são brothers inseparáveis, é um porre.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Nina Viana 25-02-2013 11:18
Excelente! Falta também o catequista 'Solus umbigus' aquele que ensina a sua própria doutrina e não as da Santa Madre. =D
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 25-02-2013 10:30
Hahaha, adorei o um último chapolin sincero. Faltaram alguns tipos: o Catequista da Libertação, que só fala de virtudes cidadãs e nunca sobre a fé; o Catequista libera geral que é contra a moral da Igreja e prega isso e o Catequista "Solo Fiasco" que só usa as Escrituras e não sabe nada da Sã Doutrina. Ótimo post Vivi.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # André 25-02-2013 20:29
No meu crisma, fui vítima de um sola fiasco... nem sequer menção aos documentos da Igreja, mas no final do ano já tava sabendo a bíblia de trás pra frente... alô alô, graças a Deus!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 26-02-2013 09:55
Eu fui também "vítima" e aqui na minha paróquia é só a Bíblia, mais nada.
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade