Publicidade
Sexta, 11 Novembro 2011 08:00

“As mina” do Rei Salomão

Postado por

Entra ano, sai ano, e nada muda nas comunidades católicas: meninos e meninas, homens e mulheres, ao arrumar um namorado(a), simplesmente somem da Igreja. A sua presença vai rareando, rareando, até que a vítima do Cupido evapora de vez, especialmente quando o xodó não partilha da sua fé.

Acho que o Pai já nem se surpreende mais. Afinal, esse problema ocorre não é de hoje. O Antigo Testamento traz relatos semelhantes, ocorridos há milênios.

Salomão é um dos personagens mais falados da Bíblia, célebre pelas duas coisas que tinha em abundância: dim-dim e sabedoria. Sendo um homem cheio de lábia e $impatia, sacomé... fazia mais sucesso com a mulherada do que o Brad Pitt antes de arrumar 12 filhos. Teve 700 esposas e 300 concubinas.

O problema é que boa parte desse harém não era composto por israelitas, mas por estrangeiras. E aí, entre um cafuné e outro, as mulheres acabaram convencendo-o a cultuar outras divindades. Para agradá-las, ele não poupou recursos: construiu diversos templos, para que “as mina” pudessem prestar culto aos seus deuses.

Antes de trair a sua fé, o rei gozava de grande paz, pois o Senhor o favorecia. A partir de então, profundamente decepcionado e ofendido, o Deus de Israel permitiu que Salomão fosse acossado por seus inimigos, que lhe deram muita dor de cabeça. Em consideração ao seu pai, Davi, o Senhor não tirou Salomão do trono de Israel; mas, após a sua morte, diminuiu drasticamente o poder de seu filho, Roboão, que passou a reinar somente sobre duas tribos, em vez de doze (I Reis 11).

Essa história é extremamente didática para nós. A sabedoria excepcional de Salomão de nada lhe valeu diante do encanto de suas mulheres idólatras, que o arrastaram para o nada. Da mesma forma, muitos são os católicos que trocam o Senhor pelas doces bitocas da(o) namoradinha(o).

flechada_do_cupidoEm geral, o que ocorre é o seguinte: a outra metade da laranja começa a implicar porque o namorado(a) vive na igreja e não lhe dá a atenção suficiente. E o(a) católico(a), por sua vez, cede às chantagens, convive cada vez menos com seus irmãos na fé e renuncia a se dedicar às coisas de Deus.

Convenhamos, é raríssimo encontrar alguém fora da Igreja que esteja disposto a viver um namoro casto. Diante deste quadro, muitos católicos cedem à pressão do mundo, talvez por medo de ficar sozinhos, e acabam virando as costas para os mandamentos do Senhor. E assim, tal como Salomão, desprezam os dons e os ensinamentos do Pai e se deixam corromper pela pessoa a quem estão apegados. Já não são mais inteiramente de Deus: seu coração cedeu lugar à idolatria.

Falando sobre o amor ao dinheiro, Jesus advertiu aos seus discípulos:

Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou odiará a um e amará o outro, ou dedicar-se-á a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e à riqueza. (Mt 6,24)

Podemos aplicar a mesma sentença à relação afetiva entre homens e mulheres. Não se iluda! Não podemos ao mesmo tempo servir a Deus e agradar ao namoradinho(a) sem fé.

Quem você quer que seja o Senhor da sua vida? Quem pode te dar a felicidade? Em quem você coloca sua esperança de realização? Quem pode encher a sua vida de sentido?

A resposta a essas questões será decisiva para o rumo da sua vida. Agora e na eternidade.

Pense bem: se quem você namora te ama verdadeiramente, será capaz de respeitar a sua identidade e não te afastará do seu Deus!

3269 Quinta, 23 Março 2017 22:23

Comentários   

+7 # Juliano A.R.P 22-11-2013 09:00
GENTE!!! ACHO JUSTO EU FAZER ALGO AQUI E DAR MEU TESTEMUNHO PORQUE VALE À PENA... E NADA MAIS JUSTO DO QUE PROCLAMAR O QUANTO JESUS É BOM E SEMPRE NOS AMPARA!! Fiquei durante muito tempo me envolvendo com algumas garotas que não praticavam qualquer religião e inclusive uma delas participava de centro espírita, mas cada uma sempre se revelava e acabavam por me sacanear e não havia como levar o relacionamento para frente... nessa época fui largando mão da Igreja e me afastando de Deus nem na missa eu ia. Depois de muito sofrer a coisa ficou ainda pior, comecei à culpar Deus pelos meus insucessos nos relacionamentos, foi aí que a coisa piorou, ia para as baladas, enchia a cara e pegava todas!!!Era assim.. eu ia pra balada, no outro dia me sentia só e pedia pra Deus me mandar alguém que me fizesse feliz e finalmente o dia chegou... Conheci minha atual companheira e ela é muito católica, sua mãe era coordenadora da equipe de cantos e eu comecei à tocar na Igreja, foi aí que reiniciei minha vida... Vou às missas todos os domingos com ela, fazemos novena e já estamos à três anos juntos e a amo, o único problema é que ela já foi casada na Igreja e por isso não podemos comungar mas sempre fazemos a oração da comunhão espiritual juntos enquanto aguardamos o resultado do processo de nulidade do casamento dela, devo ressaltar que eu a conheci quando ela já estava há mais de um ano separada do ex dela, hoje estamos à três anos juntos..Não vou dar detalhes de como eu a conheci senão o texto vai ficar ainda mais longo mas se eu contar à vocês todos concordarão comigo que SÓ PODE SER MILAGRE MESMO... Abraços
Responder | Responder com citação | Citar
+3 # Juan Diego 21-11-2013 19:54
Muito interessante este texto. PARABÉNS! QUE DEUS CONTINUE TE ABENÇOANDO COM ESTA SANTA SABEDORIA. É uma realidade que vejo, também, por aqui. E o engraçado é que, quando alguém termina o namoro, volta "com o rabo entre as pernas", envergonhado(a). No entanto, acolhemos com amor e "bola pra frente". Em algumas reuniões no grupos de jovens, abordamos isso. No entanto, além do namoro afastar jovens, homens e mulheres da Igreja, eles se afastam dos amigos(as), só retornando a amizade quando o relacionamento termina. Eu pergunto: é possível chamar estas pessoas de amigos, ou não?
Responder | Responder com citação | Citar
+5 # Elaine Magalhães 21-11-2013 16:20
Oi...olha pode parecer estranho o que vou dizer mas eu nunca namorei. Já gostei de alguém e até me declarei... mas a pessoa disse que eu era muito legal e que pelo fato de eu ser discreta demais, talvez não desse certo... pasmem... Hoje gosto de uma pessoa que não é da igreja, ele se diz cristão... mas é cristão naquelas.. .Eu sinto muita falta de uma companhia, mas eu tenho fé em Deus e sei que ele está preparando alguém pra mim. Continuo firme na minha paróquia na liturgia, grupo de jovens e como acólita também. Engraçado que nos grupos a maioria do pessoal ou namora ou é casado... mas não fico chateada por isso. O que me assusta é que a maioria do pessoal tem 13 pra 15 anos e já falam em noivado e casamento. Apenas acho que é muito cedo pra isso. Mas que sejam felizes. Bjs....
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cleiton Lopes 24-03-2017 14:21
É tenso, eu já namorei uma vez e a desculpa para o término foi justamente "vc não me dá atenção, sempre está na igreja" e olha que eu tentava de tudo mas mesmo assim não me reconhecia...

Mas Deus sabe o que faz, tudo vira experiência. Eu tbm sou acólito e catequista de crisma, e imagino seu susto quanto a idade dos jovens se casando e até mesmo engravidando.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # amanda 21-11-2013 15:54
Tenho um relacionamento estável com uma pessoa não-cristã, mas que respeita muito minha fé. Quando eu o conheci, não me ligava muito das coisas, mas depois que me crismei, passei a desejar muito a conversão dele. Porém, fazia abordagens erradas, criticando, obrigando-o a ir à missa comigo.. brigávamos muito e ele até chegou a me dizer que nunca se converteria, pois não acreditava que isso fosse bom, uma vez que em mim não surtiu efeito bom, apenas me tornou chata... Hoje tento mudar, não falo tanto nisso, apenas rezo e peço por ele, para que como eu mudei, ele também mude e se volte para Deus, receba os sacramentos... Queria umas sugestões... Abraços!
Responder | Responder com citação | Citar
-1 # Renato 21-11-2013 12:04
Olá catequista, primeiro comentário que faço aqui, só pra dizer que gosto muito das postagens que fazem aqui. Já vivi uma vida bem afastado da igreja, vivia de maneira hedonista e mundana. Voltei, e encontrei uma pessoa que tinha uma espiritualidade e era muito próxima a igreja. Namoramos um tempo, rezávamos juntos, mantínhamos a espiritualidade, e por razões que só Deus conhece, não foi pra frente. Não me arrependo de nada, ela me deixou mais perto de Deus e acho que a reciproca é verdadeira, somos bons amigos e não ter dado passos mais largos com ela foi ótimo. Tenho dificuldades, sim, existe a tal da carência, não ter a coragem de se saber sozinho e que nada nem ninguém além de Deus irá nos preencher, ainda mais pra quem criou certo vício, mas a castidade não é um caminho impossível, tanto pra quem já está quanto pra quem espera. Com relação a ter alguém fora da igreja, é complicado. Hoje posso ter esse desejo, mas na verdade, quando penso em um namoro real, santo, já começo a ver que me relacionar com determinadas pessoas, por mais que haja paixão, só tende a ficar no desiderativo e não contribuir para o crescimento espiritual mútuo. A não ser que haja uma força muito grande pra evangelização e seja uma pessoa que entenda as coisas de Deus e não fique apenas obstinada com os meros prazeres humanos, podemos ser aquela pessoa que aproxima e ensinar como pode se viver uma namoro sem possuir e vivendo santamente. Mas esse cabo de guerra é um tanto quanto perigoso, porque tendemos à carne, mesmo quem já tem uma caminhada espiritual um pouco longa pode ser traído por isso. Por isso eu, pessoalmente tomo muito cuidado e tento discernir as coisas. Não dá pra viver pra Deus e um falso Deus ao mesmo, e hoje em dia é o que mais acontece, e infelizmente o falso Deus acaba conseguindo ser mais idolatrado, por isso temos que botar as pessoas no lugar delas e viver junto a eles para o Verdadeiro Deus. Uma palestra que ouvi do Padre Paulo sobre esse amor/amizade que nos aproxima e não compete com Deus foi muito boa nesse sentido pra mim.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 21-11-2013 12:09
Renato, obrigada pelo seu testemunho!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Renato 21-11-2013 16:29
Eu que agradeço, Vivi. Espero poder comentar um pouco mais por aqui.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cynthia 21-11-2013 11:49
Isso é muito certo, passa e muito. Eu acho que o importante é ter claro quais são nossas prioridades e valores e não se deixar influenciar por outras pessoas, ser firme no que acreditamos. Nesse sentido eu me sinto muito abençoada, meu marido sempre foi muito Católico mas eu ñ... e ele me mostrou a verdadeira Igreja, aprendi muitas coisas, por ele conheci este blog e o site do P. Paulo Ricardo e agora casados vejo como Deus abençoou nossa união.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Luciana 21-11-2013 11:28
Vejo que o que falta é não ter medo de falar sobre sua fé! Antes de começar a namorar meu atual namorado foi conversado que só aceitaria namorar com ele se fosse um namoro casto, e mesmo ele não sendo da igreja aceitou, fui ensinando aos poucos sobre minha fé e hoje graças a Deus ele tem participado cada vez mais da igreja!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Guilherme 21-11-2013 11:17
Eu penso que, na verdade, muitas destas pessoas que acabam arrumando namorados e namoradas fora da igreja o fazem porque, dentro do próprio grupo, não conseguem encontrar pessoas abertas para eles ou há grupinhos e panelas. Digo isso por experiência própria, tenho 29 anos e apenas ano passado voltei a buscar a Cristo e fiz minha Crisma. Tentei buscar uma menina para namorar, mas as que conheci eram muito metidas e fechadas. Achei que fossem ser mais abertas e que buscassem uma pessoa de Deus ou que estava vivendo a palavra, mas não identifiquei muitas diferenças com relação a algumas meninas de fora da igreja. Não quero julgar ninguém, mas foi essa a impressão. Fora isso, o mundo hoje está formado e constituído para que nos tornemos cada vez mais egoístas, erotizados e individualistas. Desta forma, eu penso que uma pessoa muito nova precisa de muita orientação e apoio, pois é muito fácil cair na tentação da libertinagem e da facilidade.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Nathália 14-12-2014 23:29
Concordo com você, Guilherme. Eu também parei de tentar participar dos grupos jovens da Igreja porque só vejo grupinhos... Quando eles vêm alguém diferente ou fora do grupo ai que se fecham mesmo, infelizmente. Creio que a fé consiste em fazer o que podemos (estarmos abertos) que Deus faz tudo conforme o que ele planeja... Não sejamos ansiosos... "Há tempo para tudo debaixo dos céus...". O que tiver que acontecer, acontecerá se vc deixar sua vida nas mãos Dele. Paz e bem!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natalycio 11-05-2013 13:00
Essa questão é muito problemática. Todos sabemos que os de fora da Igreja não querem um namoro casto. Por exemplo, pra mim que sou um jovem, é ainda mais complicado. É fato sabido que as mulheres/moças, especialmente as que não têm a cabeça formada dentro dos princípios do Evangelho, não prezam por um namorado cristão; praticamente fogem de "homem de Igreja". Além disso, elas não querem homens que sejam HOMENS no sentido de valores, princípios, firmeza etc... querem homens que façam as "sutilezas" da carne, que tenham um mínimo de "safadeza", se é que me entendem. E isso vai de encontro à moral cristã, que não admite meio-termo. Sabemos também que quando o homem não corresponde aos desejos e impulsos da mulher - e no contexto atual, isso também se estendem aos que forem apenas namorados - sempre termina sendo traído ou, na melhor das hipóteses, largado. Isso é ainda a ponta do iceberg, porque a relação homemXmulher ainda tem muitas sutilezas e caprichos que regem a convivência, derivados quase sempre dos instintos "animais" que o ser humano ainda guarda e que muitas vezes são prevalentes aos valores. Então o que vcs têm a dizer a esse jovem de 16 anos?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 11-05-2013 14:01
"Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e todas estas coisas vos serão dadas em acréscimo." (São Mateus 6, 33) Permanecei na verdade meu irmão, não ouça a perfídia do demônio e suas mentiras. Quem quer te fazer sair da vontade de Deus NÃO TE AMA. Deus unir-te-á com alguém que Ele preparou, não será com uma qualquer. É lindo perceber que após um casal ter um encontro com Cristo e com sua Igreja eles desejam pia e santamente viver a verdade... E ali Deus coloca sua Mão e sua benção. Buscai a santidade acima de tudo! Tudo aquilo que te quer tirar do caminho do céu não vem de Deus! Tudo que te quer tirar do caminho da salvação é pedra de tropeço imposta por satanás! Amai a Deus acima de tudo e Ele cuidará de ti.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Kauana 28-02-2013 12:28
Acho o tema bastante complicado! Mas penso que não podemos nos fechar para quem está fora da igreja, ou apenas afastado dela. É evidente que as dificuldades e as tentações para quem se relaciona com uma pessoa nessas condições são reais e fortes, mas não podemos nos fechar em nosso "mundinho". É fácil ser cristão com quem é cristão e compartilha das mesmas ideias. Talvez devamos analisar se o relacionamento não é um proposito de Deus para trazer a pessoa afastada para perto dele, as vezes nós podemos ser esse instrumento divino para resgatar aquele filho que estava perdido. Claro que para isso acontecer, temos que nos apoiar na oração e na força dos sacramentos. Olhe o testemunho da Lavínia (acima) e se o marido dela simplesmente desistisse?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 28-02-2013 12:56
Kauana, Desejar encontrar um bom católico (ou boa católica) para namorar não é se fechar em nosso mundinho, mas é ser sábio e prudente. Precisamos estar atentos ao que a Bíblia nos ensina. E, na Bíblia, há diversas histórias de homens israelitas que se envolveram com não-israelitas e se deram mal. Estão histórias não estão lá à toa. Quem tiver ouvidos, ouça. Ao mesmo tempo, não é proibido que um católico namore com uma pessoa não-católica. Mas deverá estar muito atento para que ele não seja mais um Salomão (ou uma Salomoa, rsrs). Você tem razão quando diz que o namoro de uma pessoa católica com uma não-católica pode ser um propósito de Deus para trazer a pessoa afastada para perto dele. Entretanto, não sejamos ingênuos: na grande maioria das vezes, o que vemos é o não-católico arrastar o católico para o seu modo de vida. Entretanto, a mensagem deste post não é "não namore uma pessoa não-católica", mas sim: não faça do seu namorado um ídolo. Ame a Deus acima de todas as coisas!
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Maite 15-05-2012 20:24
Uma reflexão: Muitas vezes na Igreja não mostramos o que realmente somos... usamos uma máscara de bonzinhos... e acaba que onde somos autênticos: trabalho, escola, faculdade, curso, é que acabamos atraindo pretendentes...ademais, ao namorar alguém da Igreja jogamos as expectativas lá para cima, não? E quando as pessoas nos decepcionam... a revolta toma conta... "namorar gente da Igreja, nunca mais!"... já viram casos assim?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 16-05-2012 03:40
Oi, Maitê! Não há nenhuma proibição de se namorar pessoas não-católicas - um namoro desses pode ser santo e dar certo, sim -, mas temos que ser bem realistas em relação às possíveis dificuldades que um cristão enfrentará neste caso. Não se trata de jamais namorar não-católicos, mas de não fechar os olhos para os obstáculos prováveis, para as possíveis ameaças à vivência da nossa fé. Quanto a colocar expectativas surreais em pretendentes da Igreja, já fizemos um post alertando sobre o problema. Não é porque a criatura vai à missa e frequenta grupos de espiritualidade na Igreja que a qualidade da aura de santo tá automaticamente aprovada pelo InMetro. De olho aberto, fica mais difícil a gente quebrar a cara: component/k2/item/2614
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Lavínia 22-12-2011 21:08
Aaah, pois o meu marido na época que namorávamos eu era revoltada. Dizia que era "atéia" e quem disse que ele virou as costas para o Senhor? Ao contrário me carregou pra Igreja, isso sim. kkkkk Ele me mostrou o caminho da verdade e hoje eu e ele somos casados e muito abençoados!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 23-12-2011 13:44
Que testemunho maravilhoso, Lavínia! Que Jesus abençoe todos os jovens apaixonados, para que tenham a fé do seu marido (e hj sua fé tb).
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 28-11-2011 18:33
Elen ja existe algumas redes q fazem isso, o problema é a falta de interesse... Mas tenha ctza q Deus une as pessoas q Ele deseja para formar uma família. =) Ele sabe o que faz!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Elen 28-11-2011 14:36
Alexandre, já sei!! Que tal criar um site/blog de relacionamento para formar casais católicos? Você criou o blog e está fazendo o maior sucesso. Será que não dá pra "acoplar" essa idéia? Eu vejo essa dificuldade, inclusive com pessoas do Movimento Comunhão e Libertação do qual participo. É difícil encontrar no mundo de hoje pessoas comprometidas com a fé católica. E é como você falou: pra não ficarem sozinhas as pessoas acabam cedendo... Acaba que nos restam 2 opções: tentar trazer a "ovelha desgarrada" para a Igreja ou namorar outro católico. Bem, fica a idéia ou, pelo menos, a sementinha de uma. Beijos em todos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Ednei Fernando 15-11-2011 07:40
Parabéns isso é uma grande realidade nas nossas paróquias...Infelizmente!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 13-11-2011 08:12
Estou nos ultimos capitulos dele Paulao. É exelente a didatica dele! Eu ja havia lido um outro livro dele q se chama "Por que sou católico?" e confesso q ali passei por uma escola fortíssima de História e de Doutrina da Igreja. Simplismente fantásticos ambos!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo 12-11-2011 15:52
Professor Aquino, legal, Foi o professor Aquino que me apresentou o trabalho do professor Woods, Jr. Confesso que sou relapso quanto a sua obra, mas considero ele um herói, um homem como poucos existentes aqui o Brasil. Vou procurar.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 11-11-2011 15:28
Pessoal aki vai uma sugestao, para esse tema do namoro... O livro do Prof. Felipe Aquino: "jovem, levanta-te!" tem um capitulo de umas 4 ou 5 pgs, sobre esse assunto, onde ele ensina td bem detalhadamente q a Igreja ensina, e conta pq q é importante essa fase, para quem quer ter uma familia solida sobre a rocha.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo 11-11-2011 13:49
Vivemos um mundo imediatista meus queridos, esse é o problema. Não há mais paciência, nem entrega, nem amor de verdade. As pessoas estão sempre com medo. Medo de se perder, medo de sofrer. Isso advém da falta de Deus. Vejam, homens de pouca fé que em muito pouco ou em nada creem só tem para acreditar em si mesmos. Isso leva a um senso de autopreservação que beira o doentio e ao medo. o que leva a duas situações, ou o indivíduo se fecha como uma ostra ou então ele pega a crença perdida em Deus e deposita nalgum objeto de observação. Pode ser qualquer coisa mas geralmente acaba sendo em outro ser humano objeto de seu desejo hedonista. Transforma isso numa quase dependência ou mesmo numa dependência, sacrifica sua saúde e sua mente. Deus não é uma questão de fé, esse é um erro que vem sendo propagado por protestantes de ateus desde o século XVI, a certeza da existência de Deus é uma questão científica; uma percepção filosófica que está se perdendo e levando a humanidade para um buraco. É a unidade da percepção divina ciência-filosofia é o presente supremo do filosofema de Jesus Cristo, se o perdermos, o anticristo vence. Os muçulmanos mantém a consciência filosófica, estão nos suplantando rapidamente. É preciso conversar com o parceiro e dar-lhe seu exemplo de vida. Eu, por exemplo, não prego, não converto, não aponto o dedo pra ninguém na rua, não afirmo que a fé de ninguém é errônea (embora eu saiba que é errônea), pelo simples fato de que se eu fizer isso colocarei a pessoa na defensiva, serei taxado de fanático, não por mim, mas porque posso estar jogando fora, no futuro, ajudar um filho perdido de Jesus. Eu sigo apenas e sou feliz amando a Cristo. Pergunte-me e eu te falo como. Fora isso, você é ateu, macubeiro, sprita? Não deixarei de ser teu amigo, apenas vamos falar sobre o mengão e se a Skol é melhor que a Brahma ou sobre o último episódio de "The Big Bang Theory". A plasticidade humana hoje realmente é preocupante, a falta de fé e a deposição das esperanças humanas em outro indivíduo é um sinal claro de que as plantações estão se deteriorando. Eu termino com uma pergunta - Todo mundo quer ser feliz, certo? Mas quantas vezes, ou quantas pessoas vocês conhecem que querem fazer alguém feliz?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 11-11-2011 10:46
Mas da mesma forma q pode ser uma porta para extraviar o caminho Marcio, pode ser um caminho maior ainda q leva ao céu! Um casal q quer viver o namoro pautado em Deus, na castidade e no respeito, tem 100% de chance de dar certo, caso eles vierem a consagrá-lo a Cristo. JPII dizia q a Igreja precisa de santos jovens, jovens q possam e queiram namorar na pureza e castidade. Um namoro é motivo de alegria e esperança, mesmo nos grupos de oraçao, mas é preciso querer e se decidir a viver a vontade dAquele q é!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Marcio 11-11-2011 09:49
No meu grupo de oração isso é uma constante. Quando alguém arruma namorado(a) já praticamente escrevo uma carta de recomendação, pois dificilmente o jovem continuará no grupo, e se continua é uma inconstância tremenda. Tento advertir, incentivar namoros com pessoas do meio católico, mas as armadilhas estão armadas. Os demônios sabem que namoros são armas poderosas para levar ao afastamento de Deus. O que nos cabe é orar pelos nossos jovens e fazer o que este blog faz, catequizar para formar uma mentalidade cristã.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 11-11-2011 09:30
Impressionante como as coisas casam aki. Estava eu ontem em mais um passeio maravilhoso na Palavra. mais precisamente o AT, qndo me deparei com exatamente essa leitura. Nunca a tinha lido, e pensei akele "bem feito" nd cristao e logo me arrependi. Aqui fica tbm o post q Deus nao é gentileza, Deus é justo e amoroso, e em respeito ao amor e dedicaçao de Davi, Ele nao aniquilou o reino de Salomao msmo esse desviando-se totalmente da graça do Pai.
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade