Publicidade
Quinta, 10 Novembro 2011 08:00

TL – Depredando a Igreja com o martelo e a foice

Postado por
A beleza da fé cristã não pode ficar restrita aos templos e sacristias: sua luz deve irradiar na família, na escola, no trabalho, nas universidades e também no âmbito social. Assim, os católicos devem estar atentos e prontos a socorrer àqueles que sofrem, pois Jesus dirá no Fim dos Tempos:
"Vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do Reino que vos está preparado desde a criação do mundo, porque tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; era peregrino e me acolhestes; nu e me vestistes; enfermo e me visitastes; estava na prisão e viestes a mim."

(Mt 25,34-36)

comida_biblia

Fiel ao Evangelho, há séculos a Igreja Católica brilha entre os homens como a maior instituição benemérita do mundo. Temos um exército incomparável de religiosos e leigos espalhados por toda a parte, realizando os mais diversos tipos de obras em prol dos mais necessitados.

Tendo como ponto de partida a reflexão a situação de pobreza à luz da fé cristã, nos anos 1970, ganhou força na América Latina a Teologia da Libertação – TL. Seus teólogos propõem o engajamento político como fator essencial na defesa dos oprimidos.

Os membros da TL se organizam por meio pastorais chamadas Comunidades Eclesiais de Base – CEBs – que apóiam a formação de redes de solidariedade e a militância política, visando à melhoria das condições de vida dos mais pobres.

Até aí, tava tudo bem, maravilha. Tanto que, em 1986, o Papa João Paulo II dirigiu uma carta aos bispos do Brasil, afirmando estar convencido que a Teologia da Libertação era "não só oportuna, mas útil e necessária” (1). Nesta mesma carta, JP II destacava a responsabilidade dos bispos em zelar para que essa teologia se mantivesse absolutamente fiel aos ensinamentos da Igreja. Mas parece que este trecho a galera não leu:

“Deus os ajude a velar incessantemente para que aquela correta e necessária teologia da libertação se desenvolva no Brasil e na América Latina (...), em plena fidelidade à doutrina da Igreja...” (1)
A esperança do nosso saudoso Papitcho de que a TL andasse de mãos dadas com o Magistério da Igreja não se concretizou. Antes, os mais eminentes teólogos da libertação e boa parte de seus seguidores preferiram se unir a Marx, profanando nossos templos com a divulgação maciça do materialismo ateu. Pregar a doutrina da Igreja, a moral cristã, os sacramentos, tudo isso virou “frescura” diante da necessidade de resolver o problema da pobreza.

Sobre essa ideologia demoníaca nos advertiu o então Cardeal Joseph Ratzinger:

"Sem resposta para a fome da verdade, sem cura das doenças da alma ferida por causa da mentira ou, numa palavra, sem a verdade e sem Deus, o homem não se pode se salvar. Aqui descobrimos a essência da mentira do demônio. Deus aparece na sua visão do mundo como supérfluo, desnecessário à salvação do homem. Deus é um luxo dos ricos. Segundo ele, a única coisa decisiva é o pão, a matéria. O centro do homem seria o estômago." (2)
teologia_da_libertacao_luta_armadaNas missas e atividades de catequese, nada de falar de santidade, de libertação do pecado... Só da libertação social. A meta é alcançar a igualdade a todo o custo, nem que, para isso, seja preciso pegar em armas e apoiar a ação de assassinos e terroristas.

Nos anos 60, muitos religiosos brasileiros cooperaram com os militantes da esquerda na luta armada. Tanto que o guerrilheiro Carlos Marighela foi morto em um encontro marcado com alguns frades franciscanos, quer foram presos na ocasião. Anos depois, na Nicarágua, o sacerdote Gaspar Garcia morreu com o fuzil nas mãos; no Peru, a monja Nelly Evans abandonou o mosteiro e passou a integrar o grupo terrorista Sendero Luminoso.

Por toda a parte onde a TL se espalhou, a Igreja perdeu um grande número de fiéis: não ouvindo mais a mensagem autêntica de Cristo na Santa Igreja, foram buscá-la nas seitas protestantes. O discurso da TL angariou simpatizantes entre os intelectuais, os músicos do Leblon e os estudantes de classe média. Mas, paradoxalmente, espantou os pobres, que ficavam boiando com aquele blá-blá-blá idiota.

[caption id="attachment_2409" align="alignleft" width="207" caption="Papa JP II dando pito no Pe. Cardenal."]papa_reprende_a_ernesto_cardenal[/caption]

Em 1980, a coisa já estava quase fora do controle. Vocês já viram o João Paulo II ser vaiado? Pois na Nicarágua ele foi, a ponto de não poder continuar o seu discurso. Em sua visita ao país, em 1983, o beato foi hostilizado pelo povo por condenar a participação de clérigos na revolução sandinista (governo comunista).

Antes disso, ao botar os pés no aeroporto de Manágua, o Papa deu o maior esporro no padre Ernesto Cardenal, metido até o pescoço com o governo sandinista (veja aqui o vídeo do episódio).

A quase totalidade dos teólogos da libertação – vamos deixar um espaço muito generoso aqui para as raras exceções – chafurdou na lama do marxismo, levando uma multidão a clamar por Jesus pelos motivos errados. Tal qual como no Evangelho, após o milagre da multiplicação dos pães e peixes:

"E, reparando a multidão que nem Jesus nem os seus discípulos estavam ali, entrou nas barcas e foi até Cafarnaum à sua procura. Encontrando-o na outra margem do lago, perguntaram-lhe: Mestre, quando chegaste aqui? Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: buscais-me, não porque vistes os milagres, mas porque comestes dos pães e ficastes fartos."

(João 6,24-26)

E, de forma idêntica àquela multidão, que em seguida abandonou o Cristo, chamando-o de louco, muitos dos partidários da TL passaram a cuspir no Senhor e na Sua Igreja. Coisa banal é ver padres e freiras ligadas a este movimento abandonarem suas vocações e a fé católica. Outros tantos permanecem dentro da Igreja destruindo-a por dentro, levando o povo a duvidar dos milagres e da natureza divina de Jesus, defendendo o aborto e o casamento homossexual, difamando o Papa e atacando o celibato sacerdotal.

No Brasil, os principais representantes da TL de influência marxista são:

  • Leonardo Boff, ex-frade Franciscano que largou a batina;
  • Frei Betto, dominicano;
  • Juan Bautista Libânio, jesuíta. Suas últimas abobrinhas heréticas foram divulgadas pela editora católica (?!) Paulus, na coluna amarela dos folhetos O Domingo, distribuídos nas missas;
  • Pedro Casaldáliga, CFM, bispo espanhol radicado no Brasil.
Além destes, uma penca bispos e padres filhotes de Fidel ainda infestam o país. Seu potencial de dano à Igreja é bem maior do que o dos protestantes; estes ao menos, falam mal de nós e pregam suas doutrinas estranhas fora de nossos muros. Já o clero vermelho é como um câncer: dispersa o rebanho e promove a heresia do alto dos nossos púlpitos, publica livros escandalosos com os recursos das nossas editoras, pisa na fé das crianças e jovens nas salas de aula das universidades e escolas católicas.

[caption id="attachment_2417" align="aligncenter" width="417" caption="Charge retirada do site reporterdecristo.com"]teologia_da_libertacao_homilia[/caption]

Até onde sei – se eu estiver errada, ficarei grata em ser corrigida – a Igreja jamais condenou a Teologia da Libertação como um todo, mas sim as diversas correntes desta teologia que se baseiam nas teses marxistas. Isso foi feito por meio de instruções como a Libertatis nuntius (3). Na prática, só ficam isentos a minha Tia Matilde (que é TL, mas jura que odeia Marx) e mais meia dúzia de membros da TL que milagrosamente não se contaminaram com os desvios pregados pelos teólogos da libertação.

Em 2009, falando aos bispos do Brasil, Bento XVI voltou a chamar a atenção sobre os perigos desta teologia desviada:

“...vale a pena lembrar que em agosto passado, completou 25 anos a Instrução Libertatis nuntius da Congregação da Doutrina da Fé, sobre alguns aspectos da teologia da libertação, nela sublinhando o perigo que comportava a assunção acrítica, feita por alguns teólogos de teses e metodologias provenientes do marxismo. As suas seqüelas mais ou menos visíveis feitas de rebelião, divisão, dissenso, ofensa, anarquia fazem-se sentir ainda, criando nas vossas comunidades diocesanas grande sofrimento e grave perda de forças vivas.” (4)
[caption id="attachment_2427" align="aligncenter" width="431" caption="O presidente da Venezuela, H. Chavez, explorando a imagem do "Cristo Revolucionário". Pai perdoai-os, eles não sabem o que fazem..."]Hugo_Chavez_Cristo_primer_revolucionario[/caption]

Eu não sei quanto a vocês, mas eu já tô muito de saco cheio dos católicos comunistas que insistem em fazer ouvido de mercador aos apelos do Papa. Já foram tantas as súplicas, as exortações, as instruções, as homilias... E esse pessoal segue impenitente, frequentando as missas com a cara do Che estampada na camiseta.

Quer saber? Comunas católicos, peguem a po**a do martelo e da foice e enfiem... Enfiem na lata do lixo, porque isso não leva a nada, irmãozinhos!

*****

Este artigo foi "encomendado" pelo Herberth Silva A. E você, tem alguma sugestão de tema? Manda pra gente!

Fontes:

(1) Site do Vaticano. Carta do Papa João Paulo II aos bispos da Conferência Episcopal dos Bispos do Brasil. 09/04/1986

(2) Cardeal Joseph Ratzinger, O Caminho Pascal - Curso de Exercícios Espirituais realizado no Vaticano na presença de S.S. João Paulo II, Loyola, São Paulo, 1986, p. 14-15

(3) Site do Vaticano. Libertatis nuntius - Instrução sobre alguns aspectos da teologia da libertação. 06/08/1984

(4) Site do Vaticano. Discurso do Papa Bento XVI aos prelados da Conferência Episcopal dos Bispos do Brasil dos Regionais Sul 3 e Sul 4 em visita "Ad Limina Apostolorum". 05/12/2009

4452 Segunda, 01 Agosto 2016 14:28

Comentários   

0 # Lázaro Pacheco 12-04-2018 02:41
Você está muito enganada ao ligar Teologia da Libertação e marxismo. Uma coisa não depende de outra para nascer ou sobreviver, são dois sistemas distintos, coisa que só percebe quem estudou ambas, como é meu caso.

Se houve marxista que usasse a Teologia da Libertação para algo que desconheço, ou se houve teólogo da libertação que usou marxismo para outra coisa, isso é problema deles, e não coisas causadas pelos sistemas que defendem. Basta ler Leonardo Boff e outros "filhotes de Fidel" que qualquer pessoa isenta de paixões verá o mesmo: a Teologia da Libertação dispensa o marxismo e não dispensa o Evangelho, a Tradição da Igreja nos seus inúmeros Padres e Santos, e a Doutrina Social da Igreja.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Kleber Odilon 07-02-2018 17:00
Olá,
Há uma errata, Mariguela não foi morto indo ao encontro de Frades Franciscanos, mais sim, Padres Dominicanos. Gosto muito do Site o Catequista, mais ainda acho que quando vc's falam de TdL e de PJ... Não são imparciais ! No mais o site é util.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Holando 28-12-2016 21:12
O papel da Igreja é o de aliviar a dor dos indivíduos e não de grupos ou causas! Não é a toa que vem perdendo seu rebanho para as evangélicas. [E muito difícil para o ser humano entender as causas existenciais como: por quê nasci pobre ... nesta familia ... neste país ... se tivesse a oportunidade de nascer rico seria melhor que o afortunado ... Essas dores causam indignação e violência.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Sidnei 29-12-2016 13:09
Holando, talvez você esteja mencionado a pesquisa da Folha e São Paulo (http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/12/1845218-luta-por-justica-e-mais-relevante-que-porcentagem-de-catolicos-diz-cnbb.shtml), que anunciou que os católicos no Brasil já está na casa dos 50%. Sinceramente, desconfiou um pouco destas pesquisas, pois não creio que tantos católicos estejam deixando a Igreja Católica em um debandada em massa para as igrejas protestantes. Para mim estas pesquisas soam mais uma tática destes grupos que querem porque querem que a Igreja mude tudo dentro dela, que mude suas doutrinas para se adequar ao que o mundo quer, desde a aceitação do casamento gay a aprovação do aborto, e assim, em pesquisa em pesquisa, mostrando sempre estas quedas acentuadas de fieis na Igreja, eles querem empurrar a Igreja conta a parede dizendo: "ou mudem suas posições e irão se acabar logo". Porém, mesmo assim, não se pode deixar de verificar, que muitos católicos deixaram nossa Igreja para ir a estas igrejas evangélicas pentecostais que prometem o paraíso já para este mundo. O problema que eu vejo aqui, é que a Igreja não se defende dos ataques que as igrejas protestantes pentecostais fazem contra ela. Nós vemos defesa vindos de blogs e sites católicos como este aqui do Catequista, mas aonde está a CNBB que não defende nada, e só se preocupa com problemas de cunha sociais e esquece de esclarecer o povo sobre as inúmeras acusações e mentiras que seus inimigos jogam em cima dela?. Também os padres nas homilias não ajudam muito, pois muitos deles fazem sermões açucarados, que não ensinam o povo católico sobre a doutrina da Igreja, quando nestes poucos encontros dominicais, durantes a missa, é o único contato que um católico tem para maiores esclarecimentos sobre sua fé, embora reconheço também, que muitos católicos são preguiçosos em não procurar saber mais sobre sua fé, através de curso, comprando livros ou vindo em sites como estes. Muitos são os problemas, cada um tem sua parcela de culpa nisto tudo, mas acreditar em tudo que a mídia posta, não creio mais não, mas desacreditar, também não, mas procurar aonde esta o erro, e tenta sana-la e não varrer para debaixo do tapete, este é um dever de cada um de nós católicos, a começar pelos autos dirigentes da Igreja, sobre tudo, dos bispos. Da CNBB esquecem, que se esperar pelo pessoal da CNBB, poderemos esperar sentados, pois não farão nada, e não vai ficar nenhum católico para contar a história.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # JB 30-12-2016 17:19
Eu também achei o número do DataFolha exagerado. Mas vai lá saber. A pesquisa também revelou que 58 % dos ex-católicos deixaram a Igreja por falta de pregação moral. Não vejo como uma pesquisa dessas possa ser usada a favor dos progressistas. Exagerada ou não, ela mostra cabalmente o fracasso da missão evangelizadora da CNBB. Eles, os bispos, não estão nem aí. Francisco também não está nem aí. Ainda vai piorar muito antes de começar a melhorar.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 31-12-2016 11:45
1Jo 2,19 19 Eles saíram do nosso meio, mas não eram dos nossos, pois se fossem realmente dos nossos, teriam permanecido conosco. Mas era necessário ficar claro que nem todos são dos nossos. Qualquer semelhança é mera coincidência.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 31-12-2016 11:00
"A pesquisa também revelou que 58 % dos ex-católicos deixaram a Igreja por falta de pregação moral." Ai não dá para entender, pois tem ex-católicos que dizem que saíram da Igreja porque ela tem uma moral muito rígida, pois ela não permite: sexo antes do casamento; camisinha; pílulas anti-concepcionais; o divórcio; a comunhão de casais em segunda união e assim por diante. Ou seja, para alguns a Igreja católica é relapsa demais sobre a moral para outro ela é rígida demais. Para mim o que vejo é que as pessoas não sabem o que querem, para alguns querem uma Igreja liberou geral e para outro elas querem uma Igreja com rédeas mais curtas, e se não for do meu jeito, vou procurar uma que seja, será que o erro esta com a Igreja ou estão com as pessoas?. É evidente que falta muita orientação por parte da Igreja, sobre tudo através dos padres, nas homílias, a respeito da moral católica, mas vai um padre nos dias de hoje em um sermão a dizer que sexo antes do casamento é pecado, que um casal que usa métodos artificias para não ter filhos ou até métodos naturais que por puro egoismo, também usam para não ter filho, que isto é pecado, para ver se 95% dos fieis que estarão assistindo a missa não vão torcer o nariz. Muitos padres perderam a coragem de fazer isto, mas aí fica o paradoxo, se fazem serão taxados de rígidos demais, se não fazem, serão taxados de relapsos demais, e no fundo no fundo, todos querem escutar o que convém. Conclusão, não dá para agradar a gregos e troianos, sempre haverão aqueles que nunca ficarão contentes com nada, e então saem a caças de igrejolas que mais atendem aquilo que querem ouvir. Moral sim, mas a moral que eu quero, que diz que é pecado cometer adultério, mas que usar camisinha e outros métodos anticoncepcionais não naturais não é pecado, esta é amoral que eu quero, e isto eu vou encontrar em qualquer igrejola protestante evangélica em qualquer esquina por este país afora. Esta é a triste realidade de nossos tempos, teremos saber como conviver com ela, pois o número de católicos cairá ainda mais, pois mais que a Igreja se esforce ou se esforçara para parar de perder fieis, mesmo assim, este fieis não vão querer ser católicos, pelo simples motivo que eles querem um igreja que atenda a vontade deles, e não eles terem que atender a vontade de DEUS.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # JB 02-01-2017 09:13
Concordo. Mas esse relativismo disseminou-se justamente porque o clero desistiu de pregar os valores morais de sempre. Não acho que o paradoxo que você menciona seja relevante. A imensa maioria dos padres faz a opção de não falar sobre moral por motivos ideológico-pastorais e não por receio de desagradar os fiéis. Sei que é impossível agradar gregos e troianos. Mas parece-me que a situação atual desagrada a todos. Sem a retomada dos valores e práticas tradicionais, sem uma estratégia que valorize a identidade católica, teremos o mesmo destino que o disco de vinil. Acabar, não acaba. Mas pouquíssimos ainda se dão ao trabalho de ouvir.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Renato Losa 30-12-2016 20:12
O Papa faz o que é possível
Responder | Responder com citação | Citar
0 # JB 02-01-2017 09:01
Precisamente. Mas Deus proverá.
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Danilo 25-01-2016 11:00
Já podem mudar o título de João Paulo II de BEATO para SANTO. Ótimo texto!!!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # David S. Costa 15-05-2015 17:45
O que fazer então quando Padres aqui da minha cidade, largam a Paróquia para se juntar aos professores e protestar contra o governador que fez mudanças na previdência dos funcionários públicos?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Nicolau 09-03-2015 22:10
Teologia de degenerados Idiota Úteis do comunismo!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Janaína de Maria 20-02-2015 15:48
Um ótimo artigo, muito esclarecedor!! A TL é realmente um câncer e todos os sacerdotes que conheço que são adeptos a ela tem feito muito mal a igreja. Vamos lutar contra essa heresia da libertação até o fim!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Luiz Antônio Pereira 04-01-2015 02:43
Li alguns comentários. Tem gente defendendo uma vertente da tl, ou seja, uma tl cristã. Sinceramente, depois de Bento XVI pedindo que quem ainda se encontra nisso, saia o mais logo possível, não sei como ainda tem gente defendendo essa coisa. Tl cristã seria o mesmo que dizer marxismo cristão. Não existe! Quando os papas falavam em uma tl verdadeira, não estavam aludindo de que realmente aquilo que nasceu no erro teria salvação, mas sim, dando um recado aos que querem trabalhar com o social na Igreja, de que o âmago das pessoas boas que estão nesse movimento são de caridade legítima e tem seu emprego na Igreja, só isso, não estavam dizendo literalmente que existe tl (movimento) boa e cristã. A tl foi condenada e isso foi ratificado pelo então Papa Bento XVI por ocasião da 5ª conferência geral do episcopado latino americano, mandando que "aos que ainda sentem apreço pela tl que se afastassem". O Papa João Paulo II foi levado pelo engano ao dizer aquelas palavras de que a tl era necessária, mas voltou atrás. Ele realmente acreditava nas boas intenções dos "teólogos" da libertação, afinal, os marxistas são exímios impostores, mascarando seus intentos o quanto podem, travestidos de virtudes. Os criadores da tl sabiam o que queriam, então para quê perpetuar esse nome, que nasceu como meio de acabar com a Igreja? Gente boa entrou no movimento, mas não é isso que fará o movimento ser bom. Gente boa foi enganada, assim como João Paulo II. Ora! A tl está eivada pelo marxismo; suas expressões são notadamente marxistas, então porque não abandonar de vez e ficar tentando ressuscitar aquilo que nunca foi cristão? Quem concebeu a tl tinha desejos espúrios, usurpando a caridade cristã como ferramenta de promoção aos ideais revolucionários. Em resposta à tl, Joseph Ratzinger, então Cardeal, Prefeito da Congregação Para a Doutrina da Fé nos deu a belíssima Doutrina Social da Igreja, então basta de tl, pois ela nasceu no erro e jaz no erro, pois que é uma tentativa frustrada dos marxistas infiltrados na Igreja em querer acabar com Ela. Para quê tl se temos uma Doutrina Social da Igreja? Basta colocá-la (Doutrina Social da Igreja) em prática e continuar sendo católico, caso contrário, as portas são a serventia da Casa. Em Libertatis Conscientia, a Igreja termina dando-nos uma alternativa àqueles que foram atraídos pela tl: DOUTRINA SOCIAL DA IGREJA. Ora! Terminando um documento instruindo os fiéis sobre os perigos da tl, apresentando o verdadeiro e valoroso trabalho social para os católicos, a Igreja deixa mais do que claro sobre se condena ou não a tl, senão não teria dado uma alternativa a quem sente desejo de trabalhar o social na Igreja.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Luiz Antônio Pereira 04-01-2015 00:38
Como diz padre Paulo Ricardo, o marxismo cultural é como veneno colocado na água, o peixe não sente e quando percebe já está em vias de morrer. Na minha Paróquia em minha infância fui cruelmente agredido em minha espiritualidade com essa demoníaca teologia da libertação. A catequese para a Eucaristia e Crisma era repleta de ideais dessa "teologia", os catecismos eram cheios de figuras que remetiam à luta social, à luta de classes. Graças a Deus sempre tive catequistas domésticos: meus pais que me ensinavam a real doutrina da Igreja. A teologia da libertação tinha invadido a minha paróquia em tudo: nas Missas (com aqueles folhetos contendo sempre uma coluna sobre a militância do movimento e a deturpação da Palavra anteriormente descrita no rito); na catequese; nos cursos de teologia --> vejam só, havia um tal curso de teologia para leigos que reviravam a cabeça de quem participava, e quem ia, voltava dizendo que tudo que está na Bíblia é mera simbologia, que Jesus não morreu na cruz mas foi anestesiado, etc,(graças a Deus eu nunca fui nesse cursinho). Enfim, é uma lástima, pois tudo parecia normal, que a Igreja era aquilo mesmo, uma caminhada terrena que visa a diminuição da distância social entre os ricos e os pobres. Precisamos ainda alertar muitos irmãos, mas como, não sei, pois se falamos um "a" contra a tl, cebs, pastoral da juventude; só faltam nos crucificar. Deus nos auxilie!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Arthur Gomes 29-01-2014 23:14
A teologia da libertação praticamente não se fala mais nada nela na Igreja, mas infelizmente o método VER, JULGAR E AGIR. Continua existindo no seio da Igreja, este método é pedagogia da TL dentro das nossas comunidades?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cynthia 19-11-2013 14:07
Eu ñ conhecia a TL até que meu marido falou-me dela. Graças a Deus, porque eu ñ sabia e estava dentro dessa teologia, na minha capela lá onde eu morava. Esta capela se tornou o que você diz, há muito poucos fiéis e sabem pouco ou nada da fé católica, ñ se ajoelham na consagração e na Catequese ñ ensinam muita coisa. São muito liberais em muitas coisas... Depois que eu soube sobre a TL tive mais cuidado e pesquisei sobre o assunto. Soube que falam que Jesus ñ está presente na Consagração, que tudo é simbólico, inclusive que os milagres de Cristo ñ ocorreram, que o que importava era a mensagem revolucionária dele. E que o Vaticano não deve comentar muito sobre o que acontece aqui, porque não conhecem a realidade em América Latina. Meu marido fica com muita raiva porque vê como querem destruir a Igreja desde dentro. P.S. Desculpem meu portuñol.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Amanda 01-11-2013 14:55
Realmente discordo desta postura, que quer reduzir Cristo a um "revolucionário" como já ouvi da boca de muitos. Jamais terá coerência juntar cristianismo e marxismo, pois a vida não é só o "material", e muitos outros erros que os marxistas aprovam, e defendem. Somente Cristo é a Verdade, só Nele podemos ter a transformação verdadeira, que dá origem a uma verdadeira e duradoura REVOLUÇÃO: a de dentro pra fora, a revolução do amor, da caridade, da fé. Testemunhar isso é uma luta, meu irmão, pensa o quê?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Mas afinal qual é o problema da Teologia da Libertação? | O Legado d'O Andarilho 06-06-2013 19:05
[...] TL: depredando a Igreja com o martelo e a foice [...]
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo 27-03-2013 11:41
OS VERSOS MAIS QUE EXPRIMEM A DURA REALIDADE... DOS DEPREDADORES DE FOICE E MARTELO! Os comunistas como o PT prosperam apenas via subversão, aqui cantado em verso e prosa, preferindo as regiões carentes, nas periferias para iniciarem seus planos de tomada de poder por serem locais onde o povo é menos informado, com engodos tipo bolsas-familias garantidores de votos, iludindo-o com falsas melhorias e ainda não se esquece das drogas para auxiliar no dopping e alienação, pois "sem apoio das drogas não há comunismo" já antecipava o velho comunista italiano Beria, e pessoas "lúcidas, inteligentes e instruídas" não os aceitam. Que heróis são esses que ergueram massas Pregando o fim de alheias propriedades? Tramando golpes com base em mentiras, Ideologias de falsa igualdade? Que heróis fajutos, que com mil falácias Organizaram hordas de iludidos? Disseminando ódio entre as classes Com seus conceitos falsos e falidos? Que heróis de araque que até hoje guiam Servos que travam inúteis contendas; E assim militam por ruas e becos, E cortam cercas pra invadir fazendas? Que heróis bandidos que pregaram roubo E caridade com dinheiro alheio? Mas cujo bolsos de seus seguidores Não se abstém de os manterem cheios! Legado tosco o destes heróis, que greves tolas vão influenciando! Pelas escolas, poluindo livros; Nas faculdades, mitos se tornando! E os seguidores dos heróis de barro, Que alcançando pleno poder, Confiscam armas do povo que, assim, Nem mais a vida pode defender! Sagaz macabras as destes heróis, Cujos ideais, pátrias degeneram! Destroem jovens, corrompendo mentes Com utopias que nunca prosperam! São cultuados em todas as partes; Cidades, campus e universidades! E assim, aos poucos, seus servis soldados Calam as vozes que falam verdades! Triste destino o dos que lutaram Nas intentonas dos heróis falsários! Fortalecendo o perigo vermelho, Feito de ódio e rancor proletário! Pobre cabeça que acata as ideias De um falso herói mal-intencionado! Pobre do homem, que iludido entrega Sua devoção aos heróis errados!Que heróis são esses que ergueram massas Pregando o fim de alheias propriedades! Tramando golpes com base em mentiras, Ideologias de falsa igualdade! Que heróis fajutos, que com mil falácias Organizaram hordas de iludidos! Disseminando ódio entre as classes Com seus conceitos falsos e falidos! Que heróis de araque que até hoje guiam Servos que travam inúteis contendas; E assim militam por ruas e becos, E cortam cercas pra invadir fazendas! Que heróis bandidos que pregaram roubo E caridade com dinheiro alheio! Mas cujo bolsos de seus seguidores Não se abstém de os manterem cheios! Legado tosco o destes heróis, que greves tolas vão influenciando! Pelas escolas, poluindo livros; Nas faculdades, mitos se tornando! E os seguidores dos heróis de barro, Que alcançando pleno poder, Confiscam armas do povo que, assim, Nem mais a vida pode defender! Sagaz macabras as destes heróis, Cujos ideais, pátrias degeneram! Destroem jovens, corrompendo mentes Com utopias que nunca prosperam! São cultuados em todas as partes; Cidades, campus e universidades! E assim, aos poucos, seus servis soldados Calam as vozes que falam verdades! Triste destino o dos que lutaram Nas intentonas dos heróis falsários! Fortalecendo o perigo vermelho, Feito de ódio e rancor proletário! Pobre cabeça que acata as ideias De um falso herói mal-intencionado! Pobre do homem, que iludido entrega Sua devoção aos heróis errados! Acompanhem os versos acima cantados pelo autor no endereço abaixo: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=aj5KIg61Wjk
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 15-03-2013 23:35
Galera, um pessoal do face está lançando essa campanha e eu convido à todos à assinar a petição. #GenésioAposenteSe http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoAssinar.aspx?pi=P2013N37612
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rafael 05-03-2013 19:55
galera olha o que me aparece postado por um padre da minha paróquia... frei betto da TL falando do conclave... Deus tenha misericórdia de nós e dos hereges que acabam por minar a força da Igreja! e que Viva Cristo Rei! http://www.pvf.com.br/um-conclave-inusitado.html
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 01-03-2013 10:30
Galera, eu queria aqui deixar registrado, um convite para a leitura do melhor mais íntegro manual de desenvolvimento que nossa época nos trouxe: a Encíclica "Caritas in Veritate" do nosso Papa Emérito Bento XVI; se você quer ajudar a desenvolver o mundo, leia esse documento extraordinário.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Eduardo Mateus 28-02-2013 09:37
Ei Ei ta louco?(a) Em que momento falei que o papa esta errado? Falei claramente que a TL é um erro! Mas quem somos nós leigos para falar dos sacerdotes? Não to falando que devemos ficar calados não, mas xingando, não estaremos sendo cristãos! E perdemos a razão!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # JB 30-12-2016 17:31
"Mas quem somos nós leigos para falar dos sacerdotes?" Clericalismo 10 x Catolicismo 0. Não é por ser ovelha que não possamos balir.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo 13-02-2013 11:57
A Teologia da Libertação, ou Ideologia da Tapeação, sócia e companheira do PT. Havia um padre aqui todo bagunçado e era do PT, felizmente saiu, que defendia gente estilo Kadhafi e outros do gênero, das mesmas ideias do Boff e do PT; Suas homilias eram prá falar de pobres oprimidos e outras besteiras de comunistas, e outras coisas como se fosse verdade, pois todos os países onde existia e existe como Cuba e Coreia do Norte o povo não pode praticar o catolicismo, todos andam de coleira no pescoço e fecho éclair na boca, e dentro da prisão sem liberdade de sair e fazer o que querem.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Luciano Martins 06-02-2013 15:45
"Até onde sei – se eu estiver errada, ficarei grata em ser corrigida – a Igreja jamais condenou a Teologia da Libertação como um todo, mas sim as diversas correntes desta teologia que se baseiam nas teses marxistas." Correta. É ponto pacífico, tanto entre os militantes ultraliberais quanto entre os rad-trads que a Igreja condenou a TL, especialmente dado seu viés socialista e nivelador, mas não a anatematizou. . Não obstante quem negue ser socialista, os TLs há muito adotam comportamentos anti-clericais e passaram a militar por tudo o que implode a sociedade. . Muitos pontos presentes na TL (também presentes no Marxismo) foram condenados pela Igreja: *Fazer a dimensão Política principal e exclusiva da leitura da Bíblia , o que leva a uma leitura redutiva da Escritura; *A libertação do pecado estar em segundo plano frente a libertação das misérias materiais; A luta de classes (leiam a Libertatis Conscientia); Uma visão materialista do ser Humano e antropocêntrica do Cristianismo; Enfim trazer a questão política sempre a frente da questão da fé (será que eu me esqueci de algo?). . "Gente, vamos encurtar caminhos: a via socialista, definitivamente, não é solução. Quem é socialista propõe uma via comprovadamente retrógrada. . Dom Aloísio Roque Oppermann, SCJ"
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Eduardo Mateus 01-02-2013 23:44
Bom na minha opinião, existem sim erros na TL, alias creio que seja um erro! Mas não devemos acusar! E SIM REZAR PELAS VOCAÇÕES! ME DIZ AÊ, FALAR DO SACERDOTE É FACIL, MAS ENTREGAR SUA VIDA PARA A IGREJA COMO MUITOS, AI É OUTRA COISA NÉ?! "Ai daquele que falar mau de um sacerdote" Santo Agostinho. TL é errada sim, mas xingar o sacerdote? JAMAIS! Se sera excomungado, ai é ele e Deus, não vou me jogar no inferno porque muitos vão, e é isso que acontece quando julgamos erros! A paz de Jesus e o amor de Maria!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 02-02-2013 18:44
Eduardo, Como é que é? O Papa acusa, e nós não devemos reverberar as palavras do Papa? Você tá dizendo então que o Papa está errado ao condenar a linha marxista da TL e seus seguidores? Se liga... Quem condenou as heresias de Leonardo Boff e c&a não fomos nós, mas sim Roma. E olha, não é porque um sujeito é padre que, necessariamente, ele está entregando a vida pela Igreja. Na verdade, muitos são maus pastores, e fazem muito mais mal do que bem à Igreja. "Quem poupa o lobo, sacrifica a ovelha”... Acho que a frase é de Victor Hugo. Se denunciamos estes hereges aqui, sejam eles sacerdotes ou não, é porque temos zelo pelos nossos irmãos, é porque queremos alertar as pessoas para que não caiam em suas mentiras. Não somos nós que julgamos: foi a Igreja que já julgou e condenou, e nós temos a OBRIGAÇÃO de reverberar isso. Do contrário, pecamos por covardia e omissão, em nome de um conceito deturpado de "não julgar". Me parece que você, Eduardo, compreende muito mal este preceito evangélico. recomendo que você leia o nosso post "Bonzinhos ou omissos?": component/k2/item/931
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Dom Evaristo Arns admite que suas homilias esvaziavam a igreja - Rainha dos Apostolos 27-12-2012 14:19
[...] das igrejas evangélicas se deu, em grande parte, graças ao bla-bla-blá marxista dos padres da Teologia da Libertação. O fiel ia pra paróquia querendo ouvir palavras de vida eterna, e, em vez disso, tinha que aturar [...]
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Felipe 30-11-2012 18:47
Acompanho sempre os textos do blog, sempre concordando e discordando das matérias. Tudo muito bem escrito e claro. Admiro o embasamento filosófico e litúrgico de que vocês se valem. Estão de parabéns. As criticas a TL são bastante pertinentes. Eles colaboraram até chegarem ao ponto dos excessos e esquecendo os fundamentos da Igreja de Cristo. Depois veio a RCC para mudar e concertar as cagadas da TL (ao meu ver, também estão se perdendo com os excessos). Há uma classe de padres e fiéis (a grande parte deles da pastoral operária) que fizeram muito pela Igreja e sociedade nos Anos da Ditadura, e talvez tenham sido jogados desmerecidamente nesse balaio de gato. Os princípios do marxismo são avessos aos da Igreja, mas a lutas realizadas pela "Igreja esquerdista" proporcionaram grandes mudanças ao nosso país. Quando digo "lutas", não falo de lutas braçais e sim de esforços, como por exemplo, padres que lutaram pelos direitos de seus paroquianos e acabaram no DOPS. Vivemos um período negro durante o regime militar, e esses esforços contribuíram para novos dias, mas muitos religiosos, ludibriados por esses ideais, se perderam nesse caminho. Faço esse adendo apenas para não cairmos em uma generalização.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Leilah 24-11-2012 06:12
E Deus abençoe você também meu irmão. E abençoe esse valente blog que vem resgatando o orgulho de sermos católicos. Não uma vanglória triunfalista, mas a gratidão alegre pela vinda do Deus Conosco e por tudo o que Ele tem feito em nossa história, através da fragilidade desses “servos inúteis” que somos. Esse “depredar” a igreja a que se refere o título do post, vem gerando em muita gente certo complexo de inferioridade por pertencer à instituição mais “perversa e demoníaca” da história, por ser súdito da última e única “monarquia absoluta” do mundo e outras baboseiras que tais repetidas “ad nausean” nas mídias e nas universidades (inclusive nas pucs!). E infelizmente alimentadas desde dentro por tantos pseudoteólogos, cuja pertença à igreja é meramente estatística, já que o coração cá nunca esteve. “Jesus pregou o Pai e o Reino, não a si mesmo nem a igreja” gritam aos quatro ventos os senhores John Sobrinho e Leonardo Boff, fazendo uma quebra artificialíssima na unidade da obra de nossa salvação e separando elementos que estão intimamente unidos. E o pior é que não submetem isso como hipótese dentro de um debate. Isso é peremptoriamente dado como fato e verdade definitiva, com palavras tão “dogmáticas” que não resta a menor dúvida de que não fazem necessariamente uma crítica à ortodoxia, mas fazem pior: substituem uma ortodoxia (a da igreja) por outra, a deles. E sem o menor respaldo popular, se auto intitulam os legítimos porta-vozes do povo pobre e de uma inventada “igreja da base”. Eu fico besta de ver como é que pode um grupinho de iluminados se auto declarar porta-voz da base. Sendo que o próprio L. Boff (comentando em entrevista, sobre a popularidade da RCC) admite que a sua TDL não logrou ser popular. Então qual é a representatividade/legitimidade de um discurso que se arvora em ser a voz teológica da igreja popular da base contra a igreja da cúpula (e aqui o uso da ideologia marxista salta aos olhos)? “A igreja mente, é corrupta” berrou L.Boff aos ouvidos da mídia já tendenciosa, sendo logo endeusado/incensado por isso. Num jogo baixo e desonesto, ele se pôs a explorar eventuais erros humanos, que observou ao longo do seu processo em Roma, para fugir da questão que efetivamente importa: “o que você prega é o Evangelho ou é coisa da sua cabeça vendida como sendo o evangelho cristão?” E como falar em honestidade e mentira, se foi exatamente isso que ele praticou o tempo todo em que exercia o ministério eclesial de teólogo? Não quero ser simplista, mas não consigo dar outro nome a isso. É óbvio que os alunos dele, estavam em faculdades católicas preparando-se para serem padres na igreja católica apostólica romana. Agora venho eu, lhes ensino e lhes preparo para serem padres numa direção oposta à orientação católica. Isso não é mentir? Não é ser descaradamente desonesto, cínico e até fingido? Todos esperam ouvir de um padre, a visão católica e não a ideia pessoal dele. Obviamente que o Espírito Santo conduz as comunidades e cada fiel, segundo dons diversos, a redizerem a fé como algo próprio, gerando uma diversidade criativa maravilhosa no meio do povo de Deus. Mas isso é muito diferente de solapar as bases da fé, os alicerces sobre os quais toda a diversidade é construída gerando uma construção harmônica. O que não quer dizer sem eventuais conflitos que quase todas as congregações e movimentos católicos, enfrentaram até mesmo com autoridades eclesiásticas. A diferença esteve no modo como viveram esses conflitos sem trair o dom do Espírito, mas também sem perder de vista que o Espírito Santo não se contradiz. Ainda que São Paulo criticasse, na liberdade cristã, uma atitude incoerente do primeiro papa (assim como fez Santa Catarina de Sena, num tempo em que o papado estava mais centralizado que nunca) ele fez questão de se por em comunhão com a sua autoridade, e a de João e Tiago. E o fez justamente em relação ao conteúdo da mensagem cristã: “olha só irmãos, tenho pregado isso e aquilo. Tenho ensinado que grego convertido a Jesus, não precisa se circuncidar, etc. Isso tá certo ou errado? Vocês validam? Porque sim, porque não?” E sabemos que todo o diálogo do Concilio de Jerusalém foi em torno dessas coisas. Alguns historiadores opinam que no fundo São Paulo não ficou muito satisfeito com a totalidade das decisões ali tomadas, achando que apesar do progresso, ainda havia certo ranço judaizante nelas...Mas ele obedeceu! “Jerusalém locuta causa finita est” poderíamos parafrasear. Obedeceu e divulgou a carta conciliar. Agora tem gente dizendo que no Concílio Vaticano II, ficaram coisas nas entrelinhas, que o espírito do concilio está no muito que ali foi calado, mas sentia-se e comentava-se entre os bispos, embora o texto conciliar não tenha acolhido a totalidade dos anseios dos bispos...Ora bolas! O que vale é o que foi decidido e ficou registrado nos documentos. Paulo pode até ter feito biquinho emburrado, diante da norma do concilio de Jerusalém que pedia para não se comer sangue sufocado (choriço, sarapatel) e carne oferecida aos ídolos, mas ele foi lá e divulgou a carta dos apóstolos que dizia isso, gostando ou não. O temperamento e a mentalidade pessoal de Paulo aparecem com clareza em suas cartas. Assim não é difícil imaginarmos (e ele dá a entender isso) que ele não achava nada demais em se comer a carne dos ídolos, mas é muito bonito vermos como depois, em uma das cartas, ele se esforça em não se apegar ao próprio parecer, mas à decisão conciliar: “para que abusar da minha liberdade em Cristo, e escandalizar meu irmão comendo as carnes dos templos pagãos na frente dele?” Sempre me comove essa delicadeza de São Paulo, em não só passar adiante a decisão da autoridade eclesial, mas também em ajudar as pessoas a vivê-las com convicção. Depois ele pega São Pedro num “flagrante”, comendo com os cristãos gentios de um jeito e com os cristãos judeus de outro, contrariando de algum modo a decisão que tinha sido tomada antes. Mas até mesmo, nessa franca correção fraterna que ele faz ao papa (e eu não consigo ver J.Paulo II nem Bento 16 bravos por alguém lhes ajudou a corrigir alguma atitude e comportamento pessoal. Tanto é que se confessam e assim se submetem ao juízo do Senhor na voz de um irmão) o critério é digamos assim, a “constituição” que o próprio papa ajudou a assembleia conciliar de Jerusalém a construir. Ele não contestou a “constituição”, mas o comportamento contraditório com ela. Assim qualquer um de nós, sabendo que Bento 16, ensina contra a avidez do lucro, poderíamos (num exemplo meio doido, admito) chamar a atenção dele, se ele porventura possuísse uma empresa pessoal que colocasse o lucro à frente do bem estar/dignidade do empregado, como proíbe a DSI. “Santidade, com todo o respeito, mas o senhor mesmo não nos ensinou que as necessidades do trabalhador, são mais importantes que o lucro do empregador? Fiquei confusa com vosso proceder...”. Se eu fosse pessoa próxima dele, não acharia nada demais em dar esse “toque” fraternal, caso ele tivesse esse proceder incoerente. E creio que seu confessor, até fale com maior franqueza, o que precisar ser falado a ele como penitente. Ele é para nós papa, e é conosco, cristão, nosso irmão na fé comum que temos em Jesus. Mas ao contrário do que propaga a mídia que o incensa, não é isso que L.Boff fez. Não foi nenhuma correção fraterna ao papa, com base nas nossas “constituições” comuns, que também o papa é obrigado a obedecer, goste ou não. Ao contrário da “monarquia absoluta” que dizem ser nossa igreja, um papa não pode ir chegando e mudando tudo ao seu bel prazer. Há um antes dele e sobre ele e, é exatamente por isso que Bento 16 vem insistindo no latim por exemplo. Não é invenção caprichosa da cabeça “conservadora/restauracionista” dele como os boatos e fofocas propagam sem conhecer nada. É decisão conciliar! É “espírito do concílio” presente nos textos do concílio. E nisso ele está sendo de algum modo, “democrático” e mais propriamente colegial, no sentido do colégio dos bispos do qual ele também é membro. “Alto lá meus irmãos bispos, o que decidimos juntos, vamos por em prática! E nós decidimos em 1963 que apesar da abertura ao vernáculo, o latim não seria abolido. Agora que palhaçada é essa de decidir uma coisa e fazer outra?” Mas voltando ao bofe, ops...Boff! ( olha que eu tô pegando a mania de ser irreverente desse blog rs..rs..) ele não fez críticas ao santo padre e à estrutura eclesiástica (que é sempre passível de críticas para que ela expresse mais e mais o mistério da igreja. Não é o que Bento 16 está fazendo agora? Seu pontificado não está sendo de algum modo resposta à críticas feitas há tempos? Não é o que fez João Paulo II? O bem-aventurado ouviu muitas críticas do tipo: “mas que vazio doutrinal é esse beatíssimo? Precisamos de um catecismo, pois cada um tá dizendo que o Jesus dele é mais autentico que o do outro...e ainda usando o concilio para justificar...” E veio catecismo! Glória a Deus!). Ele, L.Boff, simplesmente disse: “ A “constituição” tá errada. Eu vou redigir uma nova, para substituir essa velha, obsoleta e “irrelevante”. E vou escafunchar (ou seja: convenientemente e protestantemente vou selecionar) passagens bíblicas que me sirvam de escudo. A minha opção marxista já está feita , ou a minha opção pela Era de Aquário, já está feita. Eu só preciso achar umas passagens bíblicas e uma teologia que se encaixem nesse esqueleto que eu montei, para sustenta-lo e justifica-lo. E vou vender essa minha teoria como uma das muitas teorias existentes no catolicismo. Se os outros redizem a experiência cristã em mil linguagens diferentes. Eu também tenho o Espírito Santo e o “carisma” com igual direito de fazer o mesmo que eles. Ora, isso não é corrupção e desonestidade? Gustavo Gutierrez também teve sua percepção original e própria da fé cristã em consonância com as comunidades eclesiais que ele acompanhava em sintonia com os bispos .O Espirito de Deus faz mesmo isso de suscitar uma enorme diversidade de formas de viver e refletir a fé, como fartamente documenta a história de tantas congregações religiosas e movimentos leigos. Mas Gustavo não quer trocar a “constituição” , perverter o Evangelho do Senhor anunciado pela igreja. E para não correr esse risco, muito honestamente, ele não saiu por ai propagando ideias próprias como sendo católicas {como fazem alguns grupos como “católicas” Pelo Direito de Decidir (matar seus filhos) ou o “Nós também Somos Igreja da Áustria”, Qual igreja? Pergunto eu...}. Sem ter sido solicitado, ele submeteu todos os seus escritos à Congregação para a Doutrina da Fé, seguindo o bom exemplo de São Paulo. “É por aqui mesmo, meus irmãos? Alguma objeção?”... E o cardeal Ratzinger respondeu: “Tá muito bacana essa parte toda daqui, mas tem umas coisas aqui que você está pisando no tomate”. E Gustavo, corrigiu e sendo homem de têmpera franca (mas também de discernimento) não consigo imaginar que ele tenha negado a si mesmo. Só disse melhor o que tinha ficado mal dito, para não deixar equívocos. E mandou tudo de novo para Roma e ele próprio classifica essa experiência como “diálogo” frutuoso para ambas as partes e não como “inquisição sob o santo ofício” como grita histericamente o L.Boff se fazendo de coitadinho e vítima da libertação dos pobres. Uma ova!! Quem não deve não teme. Custava, meu Deus, os outros teólogos deixarem de arrogância metida a besta e ter essa mesma simplicidade do nosso baixinho peruano. Eles gostam de bater palmas para o “pai da teologia da libertação”, mas quase nenhum deles, segue seu bom exemplo. Ao final de cuidadoso exame a CDF liberou sua avaliação sobre a Teologia da Libertação de Gustavo Gutierrez: “SATISFATÓRIO”. Isso os detratores do “Santo Ofício” não divulgam. Não é conveniente divulgar?? Mas não seria mais honesto com o povo de Deus? Com a “igreja da base” a quem se dizem fiéis? Quem é desonesto afinal, quem mente por grave omissão??? A única coisa que não concordo muito com G.Gutierrez é ele ter aceito o convite para falar (via vídeo-conferencia) no último Congresso Continental de Teologia no Rio Grande do Sul, em comemoração aos 40 anos da TDL. Não só porque Roma manifestou apreensão acerca desse evento, mas sobretudo porque lá estavam pessoas propagando ideias totalmente opostas ao Evangelho, outro evangelho. Mas talvez eu esteja errada em pensar assim, pois afinal esses 40 anos, são 40 anos da publicação do livro dele (justamente chamado “Teologia da Libertação”. Ele cunhou o termo pela primeira vez) . E é melhor ele mesmo falar do próprio livro, do que deixar espaço para distorcerem suas ideias pondo em sua boca coisas que ele nunca disse. Pois como ele gosta de comentar: “a distancia cria fantasmas”. O importante é que a palestra dele (não saiu a cópia ainda, mas alguém sério me transmitiu) foi impecável em termos de fidelidade ao Evangelho, tal qual ele é interpretado na igreja “cum e sub Petrum”. Como sempre. Mas o que estou mesmo curiosa para ler, é o livro sobre Teologia da Libertação (a autentica!) que o cardeal prefeito da fé (Gerard Muller) escreveu com Gustavo Gutierrez. Meu compromisso social não precisa dessa leitura (pode se enriquecer com ela, mas a rigor não precisa), basta-me a Doutrina Social dos Papas. Mas é bonito e enriquece minha percepção da catolicidade, ver alguém que sentindo-se vocacionado a um carisma pessoal, ou inserido numa igreja local vocacionada a dar sua contribuição própria e original ao catolicismo todo, faz isso em comunhão com a fé de sempre e não atacando-a. Graça e Paz a todos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Leilah 22-11-2012 14:56
Sabe, queridos Cadu e Catequista. Uma vez eu viajei para Belo Horizonte e conheci um padre lá (justamente o Pigi Bernareghi que cito acima)que me deixou encantada. Ele, muito simples e despojado, vivia no meio dos favelados, numa paróquia muito pobre. E logo viu os desafios que o povo pobre e sofrido enfrentava para sobreviver. A coisa foi apertando, ferindo o coração do padre e ele tinha que fazer algo para ajudar a mudar a situação desses pobres e de preferencia com eles e não apenas para eles. Sabem o que ele fez? Naqueles finais dos anos 70 e inicio dos 80, a TDL estava no seu auge e era divulgada no Brasil nas suas piores versões e vertentes. O padre falou: dessa água podre eu não bebo. Pediu liçenca ao bispo e foi à Roma e lá ficou dois anos. Fazendo o que? Estudando a Doutrina Social da Igreja, os documentos sociais dos papas. Quando esse homem voltou, ele fez um trabalho impressionante em Belo Horizonte com os sem-casa. Hoje são mais de 32 mil familias com casa própria na capital mineira. Eu li o estatuto da associação dos sem casa que ele fundou. Lá diz explicitamente: "nada de idelogias e partidarismos políticos". Esse padre jamais pregou uma tese sequer da TDL no altar e até os próprios TDLs reconhecem sua autentica opção pelos pobres. Uma vez foi até engraçado. Como muitos TDLs gostam de nos impingir as vítimas de quaiquer conflitos sócio-politicos como "mártires" em pé de igualdade com os mártires da fé e da tradição cristã, eles uma vez tomaram o Pe.Bernareghi como "mártir da libertação". Ele tinha sido preso e a turma da TDL de BH organizou uma missa de desagravo ao seu "martírio" pela "libertação dos oprimidos". Ainda na prisão,ele soube da pantomima toda através de um repórter, que lhe perguntou se ele se identificava com a posição de mártir. E ele respondeu rindo: "mas que palhaçada é essa sô? Eu fui preso, porque sou um italiano do sangue quente e sem papas na língua. Um policial ignorante, veio me prender sob a alegação de que eu estava invadindo uma terra (que na verdade, o governo doara à nossa associação, depois de muitas lutas nossas). Diante da ignorância desse calhorda eu o mandei tomar banho na soda e outras coisas mais pesadas. A única coisa que consta do meu processo como crime praticado é desacato à autoridade (o guarda) e de fato eu o desacatei, mais nada. To pagando pelo atrevimento da minha língua. Nenhuma invasão de terra alheia ou pública, nada de ilegal..." Outra vez foi um neoexpoente da TDL mineira chamado Gilvander que encantado com o compromisso do padre com os pobres o entrevistou num programa de TV, perguntando se a favela era a senzala do mundo (pergunta típica e sintomática das falsas TDLs). Ele respondeu:"Não Senhor! A favela no morro, é uma reserva de humanidade calorosa, de onde se derrama sobre a cidade (via ascensorista de elevador, porteiras, empregadas domésticas, lixeiros etc) todas as manhãs, um rio de autenticidade e de valores humanos e comunitários. E assim o é, porque a gente da favela é filha ou descendente do êxodo rural. E foi nesse Brasilzão rural que o povo de Deus soube guardar/cultivar/espalhar a Boa Nova de Jesus trazida por Anchieta, Pe.Antônio Vieira e as tantas irmandades e ordens terceiras da época colonial. Imaginem voces um TDL heterodoxo ouvindo elogios à primeira evangelização das terras de Santa Cruz. O sujeito ficou visivelmente desconcertado, pois para muitos desses bobocas, o cristianismo começa depois de 1964. Acostumados com slogans fáceis e superficiais ficam chocados ante a profundidade, primeiro de testemunho concreto e depois de análise e reflexão teológica, de um padre que não embarca nesses conceitos pobres e bobos. Num primeiro momento, os socialistas e TDls de BH, se entusiasmavam com o Padre Bernareghi e seu compromisso diuturno com a superação da pobreza, mas sempre tinha uma hora em que ele no diálogo explicitava a fonte do seu compromisso social, ou seja, JESUS, não um dos muitos e contraditórios jesuzinhos históricos das arqueologias ditas libertadoras, mas exatamente o JESUS da fé anunciado pelo magisterio e pelo papa, que é o único Jesus histórico que caminhou pela palestina e está caminhando agora entre nós através da igreja e de seus pastores, pois se o nosso hoje não é história, o que ele é???? E se Jesus veio para deixar sua mensagem confinada aos 33 anos passados na Terra Santa, de modo que quem quisesse acessá-la precisasse recorrer a arquelogias e exegeses contraditórias entre si (como pretendem fazer certos "teólogos") , nós então ficaríamos dependentes das cabeças e sentenças de uns poucos iluminados que detem os segredos do tal Jesus histórico. Por isso Pigi explicitava: não conheço outro Jesus, senão o histórico, cuja história e presença não se encerrou no ano 33, mas perdura através de seu corpo que é a igreja, ou seja o Jesus da fé, interpretado pela tradição constante e pelo magistério vivo da igreja. Nessa hora os comunistas/socialistas/falsos TDLs que tinham se empolgado com o "padre libertador" iam saindo de fininho, sem gracinha, com o dito cujo entre as pernas...Sempre foi assim, e eu morria de rir da contradição. O compromisso social tinha que passar por Marx e pela leitura marxista da realidade. Aí aparecia alguém que como Teresa de Calcutá, insistia "é por Jesus! E é o Jesus que continua vivo em sua igreja e nenhum outro!", aí os ideologos de plantão perdiam o entusiasmo. Ter conhecido esse padre e sua obra social me despertou duas coisas: 1) uma grande sensibilidade pela questão social segundo a Doutrina Social da Igreja e eventuais teologias em harmonia com ela e 2) uma distancia critica diante de gente como Leonardo Boff que afirma simplisticamente: "quem critica a TDL é inimigo do pobre...". Essa condenação sumária e burra é uma armadilha na qual não caio, pois conheci pessoas (como o padre citado) que sempre beberam e bebem de fontes opostas à TDL marxista, e não obstante, produziram frutos copiosos de compromisso com os pobres e luta por mudanças estruturais visando mais justiça e solidariedade aos pobres. Aliás, A DSI (Doutrina Social da Igreja) sempre acusada de ingenua e paliativa por vários TDLs anti-católicos, foi na verdade a corrente de pensamento e ação social (até alguns historiadores ateus reconhecem isso!) que mais teve real mordência histórica e incidencia politica real. Basta pensar nos numerosos direitos sociais e trabalhistas que nasceram da atuação direta daquela massa de católicos comprometidos (antes do concilio) sob a Ação Católica, nos sindicatos, nos partidos de inspiração cristã e de muitos outros modos. Esse é o único fruto real , pois é conseguido na luta árdua e não através da covardia que é lhe dar um farto prato de comida, boa roupa e bons médicos e depois lhe botar um revólver na nuca, dizendo: "NEM OUSE DIZER AOS OUTROS, QUE VOCE ESTÁ SENDO FORÇADO A MANTER ESSA APARENCIA DE LIBERDADE DEMOCRÁTICA. SENÃO, VAI PARA O PAREDON!!" E quem ousou foi (e foram milhoes) e isso para mim não é prova, nem fruto válido para dizer da verdade/legitimidade de um caminho social e politico. Dizer "eu vi o Reino de Deus na Rússia Comunista" fechando os olhos para o preço desse "reino" como L.Boff disse é para mim, puro cinismo sem vergonha. Sem qualquer covardia e revolver na nuca, sem qualquer "paredom", os frutos da luta social católica desde Leão XIII estão todos aí, durando na história. Jonh SObrinho e outros TDLs falam muito de uma tal "fidelidade à história", de não perder o compasso com a história. A maneira como a igreja serve ao progresso histórico, não é caindo de boca ávida e gulosa, em cima das ideologias passageiras e mutantes, mas trazendo os valores perenes do Evangelho (sal da terra e luz do mundo e da história). Os TDLS que fizeram isso de confundir a história com seus altos e baixos que vão e vem, há 40/30 anos atrás, é que estão agora totalmente descompassados com a história e sem justificativas filosóficas para tantas sandices, pois as fontes podres de suas efemeras ideologias secaram. Um deles agora inventa (Leo Boff) de beber na fonte também efêmera dos movimentos Nova Era e Aquarianos (a Mãe Terra Gaya e coisa e tal) que também já estão começando a caducar como tudo o que aparece nesse nosso mundo midiático e modista. Só Jesus é o mesmo , ONTEM , HOJE e SEMPRE e ele é assim sempre atual, porque existe no mundo um dom do alto, A igreja do Senhor e dentro dela , um carisma e ministério (o Magistério) a nos garantir que aquele Jesus Histórico e Palestinente (atrás do qual Libanio diz estar a andar...coitadinho vai se cansar, porque os cristos históricos são tantos, quantos são as diversas idelogias que inspiram suas muitas exegeses...) , aquele Jesus VIVE e caminha conosco aqui e agora e como outrora em Emaús, ele parte o pão para nós e nos revela o sentido das escrituras, HOJE!!!E o faz através daqueles sobre os quais disse: QUEM VOS OUVE A MIM OUVE E QUEM VOS REJEITA A MIM REJEITA...e sobretudo através daquele a quem disse: TUDO O QUE VOCE LIGAR NA TERRA FICARÀ LIGADO NO CÉU (...) APASCENTA MEU REBANHO. E é bom lembrar que ele disse "GUARDAI_VOS DOS FALSOS DOUTORES..." que enchem os bolsos de grana vendendo suas ideias nas livrarias católicas ou não. Com certeza entre eles, Cadu, se acha Torres Queiruga. O santo padre e seus auxiliares na CDF estão longe da caricatura que pintam por aí, os colocando como sujeitos que andam de lupa em punho, prontos ao detectar qualquer minima divergencia com o pensamento oficial. Não. A igreja não quer repetidores mecanicos da teologia oficial. Haja vista a enorme criatividade/originalidade de sínteses da experiencia cristã expressa em diferentes reflexões como as de padres e leigos, como Chiara Lubich, Giussani, Kiko Arguelo, Cantalamessa, De lubac, Bathasar, Peguy e tantos outros que estao longe se serem papagaios repetidores de Roma, mas sem ferir em nada a ortodoxia, são recriadores originais e criativos da mesma reflexão cristã, exatamente porque amparados numa experiencia viva de relação com Cristo na igreja, conforme os dons que o Espirito da a cada um na sua igreja. Infelizmente as vertentes mais barulhentas e influentes de TDL cá no Brasil são aquelas que fizeram presença majoritaria no Congresso Continental de Teologia em Outubro último,no Rio Grande do Sul. Estavam lá para marcar o passo com a história e os sinais dos tempos...que já se foram, há muito tempo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Daniel Pires 23-11-2012 15:09
Apreciei seu texto no comentário anterior como se fosse um filé com fritas. Você organizou ideias que eu estava tentando concatenar ontem e abriu espaço para reorganização da solução dessas questões, além de me dar várias informações novas. Muito obrigado! Deus te abençoe!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # André C.A. 26-09-2012 11:52
Gente da TL que não é marxista e que não entrou em oposição com a doutrina da Igreja é igual cabeça de bacalhau, com certeza existe, mas quem foi que já viu? Parabens pelo post!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Leilah 22-11-2012 10:58
Pois eu já vi e o papa Bento 16 também viu pois ele afirma: "“existe uma autêntica teologia da libertação , aquela que lança raízes na Palavra de Deus, devidamente interpretada”. E voce também pode ver quando quiser. Cito apenas alguns autores e livros da TDL não marxista e não oposta à Doutrina Católica: 1) Bento 16: Encíclica "Deus Caritas Est" 2) João Paulo II: Encíclicas "Laborens Exercens" e "Solicitudo Rei Socialis" 3) Gerhard Ludwig Müller “Do lado dos pobres - a Teologia da Libertação”. Este autor é o atual prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, escolhido a dedo por Bento 16 e amigo pessoal dele. Ele escreveu este livro em co-autoria com o assim chamado "pai da Teologia da Libertação", Gustavo Gutierrez que foi seu professor de Teologia da Libertação. Gustavo Gutierrez sempre fez questão absoluta de enviar tudo o que escrevia a Ratzinger e sempre acolheu as observaçoes do mesmo, mudando prontamente as poucas partes de seus livros que não batiam com a doutrina católica. Até porque como bem observa o cardeal Muller, "Gustavo Gutierrez não está preocupado em ensinar novos dogmas e nem em contestar os dogmas da fé, mas sim em motivar os cristãos a se comprometerem com as virtudes da justiça e do amor aos pobres." 4) O próprio Gustavo Gutierrez, sobretudo no livro "BEBER DO PRÓPRIO POÇO" que o atual prefeito da Congregação da Fé, assume como fonte maior de sua formação no assunto. 5) Segundo Galilea : "O Caminho da Espiritualidade" (Ed.Paulinas). Autor impregnado do sentido do magistério da igreja como guia da nossa fé. 6) Pigi Bernareghi e Virgilio Resi (ambos são figuras chave do Movimento Comunhão e Libertação, que inspira a ortodoxia desse blog): "VALORES E CULTURA DO MUNDO FAVELADO" livro maravilhoso onde criticam uma TDL carniceira movida (como urubu)só pelo negativo e pela indignação ética e propõe a autentica TDL que vê nos pobres do Brasil (da favela e da roça) a marca de uma grande evangelização católica que deitou raízes até em nossos sambas (" O Morro Inteiro no Fim do Dia, Reza uma Prece: Ave Maria") 7) Dom Luciano Mendes que sempre afirmava: "que me perdoem os irmãos Boff, mas o meu compromisso com o pobre vem do Evangelho de Jesus e não da análise marxista. Eu mesma o ouvi dizer isso na frente deles. 8) Clodovis Boff (o irmão de Leonardo Boff) que tem feito uma profunda autocrítica do percurso da TDL e por isso foi histericamente excomungado da seita de Leonardo Boff e seus colegas.O Clodovis Boff tem um texto fantástico sobre Meio Ambiente, que em vez de chamar a terra de "mãe" e "gaya" e propor uma quase idolatria do BIOS (como faz Leonardo) funda raízes na tradição franciscana que chama a terra de irmã e a vê como criatura de Deus e não como nossa criadora e deusa.Vale à pena ler. O título é "Ecologia na ótica do niilismo: Por uma ecologia aberta ao Transcendente _______________________________ Es ses acima são os totalmente ortodoxos. Já os que sequer são católicos na sua visão de mundo, são: 1) Leonardo Boff 2) Frei Betto (que sequer é teólogo) 3) José Comblin 4) Pedro Casaldáliga 5) Roberto Munoz 6) Carlos Mesters 7) Oscar Beozzo ________________________ Agora existem outros cuja produção teológica é um tanto ambígua no que se refere a ortodoxia, mas que trazem em suas obras elementos valiosos do ponto de vista da ortodoxia: 1) Pe.João Batista Libanio: é um apaixonado pelo magistério de João Paulo II e um dos que mais divulgaram a encíclica FIDES et RATIO, que ele considera uma obra prima. 2) Luís Carlos Susin: é daqueles que chamam o legítimo ministerio da congregação para a doutrina da fé (de alertar aos cristãos sobre quais os pensamentos divergentes da fé) de "perseguição" (grande bobagem!). Mas se não formos preconceituosos, podemos destacar partes de sua obra que favorecem a posição da igreja. Por exemplo na questão do aborto. Ele fala dos fundamentos ontológicos que nos permitem fazer oposição ao aborto, ou seja valoriza a lei natural e mostra que outros também se referem a ela, por exemplo os ambientalistas. Assim nos dá, além do evangelho, bases filosóficas e racionais para o combate ao aborto. __________________________ Em suma, uma coisa que o cristão adulto deve fazer é usar a peneira e o filtro do discernimento: isso presta, isso não presta, isso daqui tem uma parte podre, mas esse pedaço maduro aqui serve para alguma coisa. Os próprios ensinamentos pontificios aproveitam as partes boas das obras dos próprios hereges e dissidentes. Veja o caso de Tertuliano. Um dissidente da fé católica dos primeiros séculos. Vários papas posteriores valorizam o que havia de válido no seu pensamento. O atual prefeito da fé, o cardeal Muller, fez sua tese de doutorado, elogiada por Ratzinger, sobre um autor protestante. Assim, o que me preocupa não é o zelo pela ortodoxia. O católico deve zelar pela ortodoxia. O que é preocupante, é o uso do nome dos papas em coisas que certamente eles jamais assinariam embaixo. Para sermos fieis ao magisterio papal, é preciso ter intimidade com seu pensamento e não ir recortando frases com pressa para justificar nossas posições. Cada cristão é livre até mesmo para discordar da flexibilidade, abertura e bom senso que existem nas palavras equilibradas dos papas. O que não se pode é afirmar uma fidelidade ao papa e oa memso tempo usar suas palavras como escudo de defesa de nossos gostos e opiniões. Se é para aderir ao papa, vamos fazê-lo direitinho, com uma abertura atenta ao todo do seu ensinamento, a todas as partes, aquelas que nos agradam e aquelas que nos contrariam. Por certo não é o seu caso, nem deste blog, que tenta ser muito reflexivo e favorecer o discernimento e o raciocinio. Mas tem bastante gente que grita 'FIDELIDADE AO MAGISTÉRIO" mas que vive e propaga na verdade fidelidade a si mesmo, às próprias ideias, convenientemente respaldadas em frases soltas do ensino dos papas. É preciso ler, linha por linha dos dois documentos sobre a TDL, disponiveis no site do vaticano e distinguir: essas partes da TDL Roma condena e/ou critica , sobre tais partes ela apenas alerta, já essas outras partes aqui, Roma aprova abertamente e até incentiva vivamente. Ou seja é preciso acolher os documentos com o mesmo espirito com que foram escritos: eles jamais são escritos de modo simplista e irrefletido. No caso dos dois citados (sobre a TDL) não há nenhuma condenação global. Quem quer a condenação global usa Roma (desonestamente é claro). Mas quem não está interessado nem em condenar nem em aprovar sumariamente, se coloca numa atitude simples e honesta e pergunta com o coração aberto: Nesse documento qual é efetivamente a orientação da igreja?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # André C.A. 22-11-2012 17:31
Leilah, Você parece denominar toda ação efetivada por católicos para atender a necessidades sociais (ou mesmo a sobrevivência física dos necessitados) como exemplo de teologia da libertação. Sendo assim, não há dúvida que existiram exemplos que não entraram em confronto com a doutrina da Igreja. No entanto, é uma definição bastante elástica e que não coincide com o que a maioria entende por "teologia da libertação".
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Leilah 23-11-2012 00:28
A Teologia da Libertação não é a ação, mas a reflexão sobre a ação já vivida e sobre as situações sociais que desafiam a nossa fé. Talvez para compreendermos melhor, seja bom conceituar antes o que é TEOLOGIA. Ela é a razão que busca o sentido da fé. É o esforço intelectual de tornar a fé inteligível, coerente com a razão humana. E aqui convém dizer que circulam vários conceitos de razão pelo mundo e pela história afora. O conceito assumido pela igreja é de uma razão escancarada diante do real que não esconde nem censura nenhum aspecto da realidade, incluindo aqueles que não cabem na estreiteza dos métodos da ciência estrita. Por exemplo, a certeza do amor da minha mãe por mim. Não há possibilidades de prova-lo empiricamente, mas a fé total que tenho no amor de mãe é feita de intuições e certezas que são mil vezes mais cruciais e determinantes para a qualidade da minha vida humana do que qualquer certeza empírica vinda de ciências experimentais. Marx se julgava o autor de uma análise “cientifica” da realidade social. Sem mesmo entrar no mérito da pretensa “cientificidade e objetividade” muito discutível do marxismo, essa suposta ciência do pobre Marx não impediu o desastre de suas relações interpessoais e afetivas (abandono de filhos, covardia com mulheres, etc). Para sua realidade humana, para a qualidade humana de sua vida aqui e agora, importava bem mais a certeza que ele pudesse ter do amor dado e recebido das pessoas que o cercavam. Essa era a certeza que movia Pedro, João, Tiago, André, Maria Madalena, Nossa Senhora, Paulo, Francisco de Assis, Teresa Dávila e cia. Ao encontrarem aquele homem às margens do Mar da Galiléia e terem aceito o desafio de conviver com Ele, eles não se puseram a conjecturar sobre se aquele homem era a segunda pessoa da Trindade ou outras questões doutrinárias. Ficaram simplesmente fascinados e envolvidos com a presença daquele homem e com uma certeza no coração: se não posso confiar nesse homem, não posso confiar nem em mim próprio. E o tempo lhes provou que estavam certos de se entregarem aquela presença. Por terem alcançado já nesta vida (mesmo com as perseguições) o cêntuplo prometido por Jesus, nada lhes arrancava do coração a certeza da fé, porque ela era uma experiência viva que os tinha mudado e não há evidencia empírica da biologia, da física ou química, que se compare com essa certeza vital de ter o coração cheio de sentido. E sobretudo não há nada de mais decisivo para que a vida seja vida humana. É esse tipo de certeza ( a certeza de poder confiar!) que faz o mundo caminhar, incluindo a ciência. Como dizia o grande Giussani: “meu conceito de razão e de razoabilidade humana me faz crer que existe o continente americano, mesmo que eu jamais tenha estado lá”. E todas as rodas teriam que ser reinventadas, se cada um exigisse provas empíricas de tudo nessa vida. Assim, a razão é uma grande abertura à totalidade da realidade que nada exclui. E justamente por não terem preconceito “empirista” os primeiros discípulos resolveram CRER para VER (e não ver para crer!) como ocorre em todas as grandes relações humanas (o amor dos enamorados, as grandes e profundas afeições do coração humano). Resolveram CRER naquele homem que dizia “EU e O PAI SOMOS UM”, “EU SOU A VERDADE!” E essa abertura do coração, essa transparência deles foi a porta de entrada do Espírito Santo, a porta do dom da fé. A “porta fidei”. E assim, ainda acontece com cada cristão hoje. Mais que aderir à uma doutrina, estamos envolvidos com uma pessoa, a pessoa de Jesus que nos alcançou no rosto e nas palavras daqueles que o tem experimentado e testemunhado a nós. E aí cada um de nós tem uma história bonita de fé e conversão para contar. Contudo, como o Deus que tem nos chamado em Cristo, é o mesmo que cria a razão humana, é normal que nossa inteligência se ponha a refletir sobre o significado da graça que temos experimentado. E assim nasce a reflexão sobre a experiência da qual a Bíblia é o maior testemunho. E vamos percebendo também que a experiência não é só nossa. Como diz o catecismo “Eu Creio – Nós Cremos”. A experiência que fazemos da salvação do Senhor é histórica. Por isso nosso coração vibra ao ler a Sagrada Escritura, sobretudo os Evangelhos, vibra ao ler a vida dos santos. Reencontramos nesses relatos, a experiência que temos feito de Deus e assim percebemos o caminhar de uma História da Salvação no mundo, da qual somos parte. E julgamos a nossa experiência pessoal de fé à luz dessa história e dessa Tradição do Espírito. E percebemos que esse Espírito é o de Pentecostes e não o de Babel. Ou seja, apesar das inúmeras diferenças entre os cristãos (e por isso tantos movimentos eclesiais, ordens e congregações, espiritualidades, etc.) todos estamos sendo salvos e justificados pelo mesmo Senhor. Por isso contradições gritantes entre nós logo são vistas como sinal de que algo vai mal. Veja São Paulo, apesar da grande singularidade da sua experiência pessoal de Deus, da grande diferença entre o seu caminhar com Cristo e o de Pedro, todo o movimento dele era de convergência na unidade sob uma autoridade comum, reconhecida como dom, carisma e ministério de comunhão na mesma fé. E Paulo tanto expressa isso na atitude humilde de procurar as colunas da igreja (Tiago, João , e Pedro!) para receber a validação de sua missão e carisma pessoal, como na contínua insistência: “um só batismo, uma só fé”. E “anátema seja quem pregar outro evangelho!” Pois o Deus que põe em marcha o caminho da salvação na história, não pode se contradizer e nos confundir com muitas “salvações” contraditórias e opostas entre si. Assim nasce a necessidade da Doutrina Comum, cuja primeira formulação sistematizada vemos na antiga Didaqué. Depois vem os Credos e seu detalhamento nas catequeses, não como substituição da insubstituível experiência da fé que salva, mas como reflexão dessa experiência e como critério de avaliação da minha fé pessoal a fim de ver se ela é uma ilusão (ou tem elementos ilusórios) ou se aquilo que creio é aquilo que NÓS CREMOS. Ou seja, se recebi o DOM da fé, ou se estou inventando uma teoria própria ou expressando um sentimentalismo próprio e chamando isso de fé. Daí que é muitíssimo louvável o propósito desse blog de continuamente checar todas as coisas à luz da fé revelada e “confiada uma vez aos santos” como diz Paulo. Mas o fato de essa fé ser objetiva, ser revelada e interpretada por quem tem esse carisma/ministério na igreja, não quer dizer que o sujeito individual pura e simplesmente seja violentado por uma imposição externa que contrarie sua razão. Ao contrário ele ao receber o dom da fé, vê sua razão de tal modo ampliada que começa a ver nexos e sentidos na realidade que nunca poderia sequer imaginar antes. Por isso é que o dogma ao contrário das bobagens que são ditas dele, não fecha nada, mas abre e impulsiona de modo inédito a razão humana. Toda a história da cultura, da ciência, da arte, da filosofia, nos últimos dois mil anos, atestam com clarividência os avanços da razão humana marcada pelo mistério da fé, bem como os últimos 500 anos demonstram a fragmentação e confusão de barata tonta da razão que foge daquilo que recebeu histórica e culturalmente um dia, cuspindo no prato que comeu. Vários analistas do nosso tempo reclamam essa fragmentação e reivindicam o famoso holismo, esquecendo que a tão mal difamada idade média foi justamente a experiência mais holística (católica!) e unitária que a humanidade já experimentou. Assim a razão humana (claro, pois seu criador é o mesmo doador da fé!) impulsionada pela fé, percebe que a realidade inteira é recapitulada em Cristo Jesus. E assim nasce a teologia. O discurso da razão sobre a fé. Mas não as “razões” pequenas, limitadas e preconceituosas nascidas dos iluminismos liberal e marxista, fontes em que bebem tantos teólogos protestantes e católicos. Mas a grande razão alargada pela fé, onde a realidade aparece mais clara em todos os seus nexos e sentidos. Fazer experiência da fé, é também fazer uma grande experiência de realismo ( é um banho de realidade) como diz o Padre Paulo Ricardo: a fé coloca nossos pés no chão da realidade, da lucidez. Assim tudo cai sob a análise da razão ampliada pela fé. Inclusive as realidades de opressão e injustiça que fazem sofrer tantas criaturas humanas e que foram ultimamente (nos últimos 150 anos) agravadas pelo capitalismo e o comunismo. ________________________________________________ ____________________________ A Teologia da Libertação é exatamente essa reflexão da razão humana iluminada pela fé (já por ser teologia em si) sobre as questões sociais da miséria, da opressão, da injustiça (e aqui o qualificativo de “libertação”, no sentido de emancipação humana de toda servidão. É este o sentido que Roma dá ao termo, embora alertando que não faz sentido algum, em termos cristãos, refletir a libertação social separadamente da libertação do pecado e do demônio, sendo a primeira consequência da segunda. Sem a segunda, a primeira é ilusão como as quedas dos socialismos reais fartamente documentam. Ora se a Doutrina Social da Igreja reflete a interpretação da fé cristã diante dos desafios sociais, ela não deixa de ser uma forma de Teologia da Libertação, enquanto teologia moral prática. Por isso é que Bento 16, dá como critério para a produção teológica da libertação, a consonância com a doutrina social da igreja. E é por isso que o estado do Vaticano, embora a elogie e estimule, se recusou e se recusa a assinar a famosa Declaração Universal dos Direitos Humanos da ONU. Pois essa declaração se recusa a mencionar o nome de Deus. E isso é principio inegociável da DSI: sem Deus, reconhecido e servido, toda libertação humana é ilusória. E bem fez a igreja em não ter assinado, pois agora há forte pressão externa e interna na ONU para a inclusão do direito de matar a criança no ventre da mãe, como direito humano. Já todos os outros nomes que citei, embora possam ter como você diz “ações efetivadas para atender às necessidades sociais”, não é de modo algum por suas ações que os citei como exemplos de boa teologia da libertação. Mas precisamente por sua reflexão racional (iluminada pela fé) acerca das questões sociais, ou seja, por sua teologia. Por exemplo, Dom Luciano não tinha apenas ações voltadas à justiça social, mas refletia sobre sua ação pastoral social e ao refletir concluía: Jesus sim, Marx não. Embora ele não tenha sido teólogo profissional/ministerial, todo bispo ao ser escolhido pelo papa, precisa ter o requisito de ser doutor numa ou mais matérias teológicas. E Dom Luciano o era em várias. Muita gente enfia o Dom Luciano no balaio de gato da heterodoxia (inclusive assim o fez, o bem intencionado Professor Felipe Aquino) . Mas ele era de doutrina segura e ortodoxa. E, sobretudo era um santo como bem disse Bento 16 ao saber da sua morte: “morreu um santo”. E o papa não tem poupado esforços para apressar o processo da sua beatificação. Mas teólogos profissionais mesmo, que exercem o ministério explícito de teólogo na igreja de Deus, dentre os que citei, apenas quatro o são : Gustavo Gutierrez, Segundo Galilea ,Clodovis Boff e o atual prefeito da Congregação da Fé Gerhard Muller, que pelo menos no livro que escreveu com Gustavo, de fato faz uma reflexão teológica que pode ser chamada tranquilamente de Teologia da Libertação. Fora esses quatro (talvez existam outros, mas eu não conheço), você tem toda a razão em observar que ampliei bem o leque e tornei o critério elástico. E assim o fiz, em total consonância com o conceito de Teologia da Libertação (ortodoxa) que os dois documentos do então Cardeal Ratzinger (de 84 e o de 86) assumem. Baseado nesse mesmo conceito e lógica é que o Papa João Paulo II afirmou na Colômbia em 1990: “Eu também sou teólogo da libertação.”
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 22-11-2012 19:42
André, não vi nos comentários da Leilah nada que pudesse sugerir que toda ação em prol do social é um exemplo de ação da TL.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 22-11-2012 12:11
Só faltou querida Leilah, colocar entre os hereges o "padre" Torres Queiruga que simplesmente nega a ressurreição de Cristo. Belíssimo texto.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 22-11-2012 11:52
Perfeito, Leilah! Muito obrigada.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Robby Santos 22-09-2012 18:04
Gente, eu amo os posts de vocês! Muitas vezes morro de rir com vocês! Parabéns! Tenho uma sugestão de tema - lógico, se vocês não tiverem postado sobre isso antes - que possa esclarecer em relação à Igreja Católica e o Nazismo. Vi muitas fotos em que alguns Bispos aparecem com os nazistas e tenho minhas dúvidas de que realmente eles cooperaram, ou então, realmente possa ser montagem. Obrigado, gente!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 22-09-2012 21:04
Robby, Pode deixar, post encomendado! Valeu pelas apalvras de apoio, fica com Deus!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Robby Santos 22-09-2012 21:33
Obrigado! Agradeço demais a atenção de vocês! Aguardo ansiosamente!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Renan 03-07-2012 11:27
Já que pintou aqui assunto ligado à maçonaria... A maçonaria pertence às sociedades secretas de origens antiquíssimas, dos tempos do Egito, Babilônia e da cabalística judaica, particularmente de judeus, de idéias também ocultista, materialista e atéia, portanto arquiinimiga da Igreja. A constituição atual data de 1723, promulgada pelo protestante presbiteriano J Anderson; pretendia derrubar nos tempos da Revolução Francesa a monarquia e a Igreja, instaurando um reino que possui semelhanças com a Nova Era-NWO, em que o homem se ilumina e transcende-se, possuindo condenação formal do S Padre Clemente XII já em 1738, sequencial e unanimente, inclusive pelo S Padre Bento XVI, ratificada em 17/02/81 pela CDF, impondo sobre os católicos exclusão automática da Igreja sob qualquer associação ou participação em suas assembléias e cultos - cânon n° 2335 - por haver incompatibilidades doutrinárias constrastantes. A maçonaria insinua um exacerbado panteísmo, outrossim, um deísmo subjetivista. Trata-se de uma doutrina relativista, ultra racionalista, admitindo apenas proposições admitidas pelo empirismo científico, e historiadores apresentam ainda vários liames com o protestantismo, socialismo-comunismo e Nova Era-NWO - paradoxo com a fé católica transcendente que crê em nova vida, ressurreição da carne, futuro novo aos que morrerem em Cristo, para a eternidade. Inadmite a Verdade Única, Deus, mas um outro - Grande Arquiteto do Universo - G.A.D.U., de modo vago, subjetivo, e há desacertos quanto à cosmologia: a visão do mundo deles não é unitária, idem relativista e subjetivista. Nesses casos, sua doutrina diverge com a Igreja idem por admissão de crenças secretas aproximadas à Nova Era-NWO - supermercado de religiões ocultistas à escolha do cliente - assim como se incluindo algo na diversidade espiritista, umbandista, candomblecista, mediúnica e em suas extensas ramificações esoteristas. Há, por outro lado, correlação com uma gama de seitas e religiões orientais holísticas de meditações transcendentais como a Yoga, Seicho-no-ie etc., em que se configuram panteísmo e deísmo subjetivistas exacerbados que, por meio de práticas transcendentais apropriadas, as pessoas auto realizam-se plenamente, incompatibilizando-as idem. Convém notar que as práticas religiosas dessas denominações admitem que o homem se auto liberta, embora se pautem em itinerários, cultos e doutrinas com suas peculiaridades, desembocam todas ao final num mesmo local: nas extensas ramificações esotéricas em suas diversidades, constituindo-as por isso vinculadas ao satanismo. Quem se agrega a essa denominação definida pela Igreja como "Sinagoga de Satanás", é apenas maçon que se diz católico, o qual por aderir sob qualquer pretexto apostasia-se, antecipando associar-se desde já-se ao corpo místico de Satanás.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 27-06-2012 20:27
Amados!! Encontrei um video extraordinário! Está em inglês mas a legenda está em português. É uma animação bárbara sobre a Doutrina Social da Igreja. O link está aqui: http://www.youtube.com/watch?v=aZxSK0B9uXs&feature=relmfu É espetacular!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Renan 23-06-2012 18:14
Não li nenhum comentário, mas me senti obrigado a alertar que a teologia da libertação não é uma corrente clara, evidente, que salta aos olhos! É uma maneira sutil de pensar que envenena nossa fé com seu relativismo barato e postura desonesta! O teologo da libertação não usa boina e barba, mas fica disfarçado de cordeiro nas comunidades (por que estes não são só os sacerdotes) fazendo atrocidades com ideologias podres que passam dispercebidas em seus discursos, mas ferem tudo em seus efeitos!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Marcos 23-04-2012 23:49
Sem adentrar na "complexidade" que envolve a TL (segundo seus defensores que ainda não sairam formalmente da Igraja dizem), ela nos brinda com pérolas como a seguinte: Um bispo com laços na maçonaria, o mais triste é que não é só essa teratologia que este senhor aprontou, existem outras tantas. E o pior, ele não é o único ¨bispo¨ do time que não se cansa em surpreender os que tentam ser católicos, vai o link. http://www.padremarcelotenorio.com/2012/04/bispo-propoe-aproximacao-entre-igreja-e.html Ps.: parabéns pelo trabalho de vcs.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Dênis Costa 19-05-2012 00:04
O que é eu vou dizer aqui é meio polêmico, mas tive muitos professores de história na adolescência da vida que me afirmaram com categoria isso: A Igreja Católica sempre foi próxima da Maçonaria. Não sou maçom, nem muito menos gosto dela, mas dizem que há uns 700 anos era raro Padres não serem Maçons, porém a influência ficou tão grande que, segundo alguns historiadores, a Igreja "inventou" relações da Maçonaria com o diabo e rituais obscuros para ter pretexto para cortar suas relações com ela, época que causou aquele rebuliço com Dom Pedro II aqui no Brasil. Paulão poderia refutar/ratificar isso que eu disse com maior propriedade!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo 19-05-2012 23:49
A Maçonaria é um balaio de gatos. Eu já fui da AMORC (Antiga e Mística Ordem Rosacruz) que não é maçônica, mas guarda com essa postulados místicos e pseudo-históricos. O que seu professor deve mencionar como sendo "invenção" da Igreja, Dênis, provavelmente diz respeito aos acontecimentos da época do Rei Felipe IV, dito "O Belo", que para financiar seu projeto de poder real surrupiou os bens dos cavaleiros do Templo, mais conhecidos como Templários; para tanto, espalhou pela cristandade que eles eram adoradores do demônio. A repercussão disso culminou com o assassinado do grão-mestre dos templários, Jacques de Molay. Reza a lenda que Jacques amaldiçoou a família real dos Capetos e o Papa. Bom, fatos: em pouco menos de um ano, Felipe e o Papa morreram e a descendência de Felipe, seus três filhos, faleceram em seguida sem deixar herdeiros, caindo a coroa no colo dos Valois. Esse período da história da França é conhecido como "Era dos Reis Malditos" e foi muito marcante na Idade Média francesa. Mas o que tem a ver esse blá, blá, blá? Bom, os maçons consideram-se (algumas ramificações) herdeiros da tradição dos segredos descobertos pelos templários durante sua estadia em Jerusalém. Então, por conta disso, está armado o circo. Olha, de cadeira eu posso dizer que a única forma de alcançar o ouvido de Nosso Senhor é através de nossas orações, que são o que realmente importa. Talvez no futuro eu retorne ao tema, que é muito interessante, em posts, porque só um seria muito pouco. Neles eu poderei esmiuçar com mais detalhes o papel da Igreja nessa infâmia e como essa gente usa esse fato cretino para, como sempre, denegrir a imagem da Nossa amada Igreja.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 21-05-2012 02:24
Tema interessantíssimo, Paulo! Com certeza matará a curiosidade de muita gente. Valeu pelo comentário, Dênis!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Renan 21-04-2012 08:46
QUE SÃO COMUNISMO/SOCIALISMO E NAZISMO Os acima são filhos da mesma mãe; diferem-se apenas no “marketing”; ao fundo, igualam-se às ações. Ambos são fortemente estatizantes, opressores, materialistas e ateus, detestam todas a religiões, devotando ódio particular à Igreja Católica. O SOCIALISMO/COMUNISMO defende a primazia absoluta do Estado, o governo do proletariado, termo hoje considerado obsoleto, substituído por governo de trabalhadores. Também, indispõem-se contra pequenas, médias e grandes empresas, igualmente capital e empresas estrangeiras, por considerarem de o capital se sebrepor ao trabalho, em detrimento do enfraquecimento do Estado, o qual o socialismo considera como um “deus todo poderoso” dirigido por alguns poucos déspotas que se abocanham ferozmente entre si pela liderança, dispondo repressivamente de como lhe aprouver de disciplinamento de todo o aparato governamental e social. Os diversos partidos socialistas são facções em que cada um tenta melhor praticar a chamada “Tese do Partido”, uma espécie de manual do socialismo. Os exemplos atuais de sua performance e linha dura são Cuba, Coréia do Norte, etc. O NAZISMO atribui-se igualmente mesmos itens anteriores, como estatizante, opressor, materialista e ateu; difere no aspecto “raça”; sendo “ariano” é puro, considerado integrado ao sistema automaticamente; todas as mais impuras, exterminadas ou escravizadas, dependerá de conveniência e, na questão propriedade privada, à medida que se enquadrar na aceitação do esquema de governo é permitida. Irmãos gêmeos, mesmos objetivos, apenas itinerários diferentes. O S. Padre Bento XVI em visita à Alemanha, cidade de Erfurt, antiga Alemanha Oriental comunista, classificou o SOCIALISMO/COMUNISMO e NAZISMO de "CHUVAS ÁCIDAS" e a cada um em particular de "PESTE VERMELHA" e "PESTE NEGRA" , respectivamente. O católico que promover, aliar ou votar em candidatos desses partidos ou aliados são automaticamente excluídos da Igreja como apóstatas, como participantes dos efeitos de todas as leis injustas postas em vigor, sempre que alguém se valer dela por algum motivo, ajuntando mais penalidades para o dia do Juízo Final.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Dirceu 24-03-2012 11:28
Tem um livrinho muito bacana sobre esse tema do Gustavo Gutierrez entitulado "Onde dormirão os pobres?". É uma reflexão bem ponderada e serena sobre o tema.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # isayas 22-03-2012 20:36
A Teologia da Libertação é uma reinterpretação sistemática dos evangelhos sob o paradigma socialista. Apreenderam o "Jesus histórico", para ela um revolucionário, solidário e descartou o "Jesus transcendente", Salvador dessa e para a vida eterna a fiéis seguidores; sendo materialista e atéia, a TL doutrina que, seguindo os ditames da cartilha socialista nesse mundo, será implantado o reino do socialismo. O cristianismo é pois instrumentalizado para a consecução desse objetivo, servindo de trampolim, apenas. Nos ensinamentos, a TL usa os mesmos termos eclesiais dogmáticos, exegéticos e místicos da Igreja, porém dando conotações políticas, sociais e econômicas, em linguagem repleta de contorcionismos literários, quase não havendo significativas diferenças, sem confrontação direta, tendo a sutil intenção de ideologizar, enganando facilmente a quem não possuir conhecimento mais acurado das S. Escrituras, dado às semelhanças de sentido. Todos os S Padres penalizam com excomunhão automática a quem se agregue à TL, promova ou mesmo divulgue partidos a ela associados ou vote em candidatos admitentes de suas teorias, tais como aborto, uniões gays, idem glbts e tudo que contradisser à doutrina da Igreja Católica. Há até uma bíblia da Editora Paulus, BÍBLIA. EDIÇÃO PASTORAL dos pes. Ivo Storniolo e Euclides M Balancin traduzida devidamente ideologizada nos conceitos socialistas da TL, irrecomendável, por sinal para fiéis à S. Igreja e ao Papa. À verdade, a TL quer é sublevar as pessoas mutuamente, destruir-lhes as estruturas morais/éticas cristãs e em sociedade dividida pela luta de classes, facilitar a dominação por um Estado totalitário laico e ateu.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Carlos Roberto Pereira 11-02-2014 23:14
Isayas, essa Bíblia mistura os conceitos da TL com os conceitos tradicionais (pelo menos, é o que eu vejo nas notas de rodapé)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 18-02-2012 16:09
Agatha, acho que já teve um sobre feminismo (Vivi, Ale, me corrijam se eu estiver errado).
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Agatha 18-02-2012 15:23
Cara catequista, gostaria de sugerir um post. Sobre o movimento feminista e a sua influência na igreja católica, até por que de certa forma tem ligação com o comunismo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Fabiana 31-01-2012 13:10
Boa tarde! O Padre Paulo Ricardo fez um vídeo falando sobre a excomunhão de comunistas. É bem atual, acho que foi postado semana passada. Segue o link: http://padrepauloricardo.org/audio/67-a-resposta-catolica-ser-comunista-e-motivo-de-excomunhao/ Pelo que vi ser comunista sabendo que é condenado pela Igreja gera excomunhão sim!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 31-01-2012 08:05
O que é mesmo dificil Paulo, é conseguir fazer com que o pessoal do bolsa-familia, MST e os partidos da base aliada do PT caiam na real. A CNBB, é um orgão eclesial de fato. Mtas cartas dos Santos Padres sao endereçadas as Conferências Episcopais, como se fossem um tipo de engarregado da vistoria das dioceses nos paises, o problema é que aqui no Brasil não é bem assim...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo 31-01-2012 07:35
Alessandro Molon, Deputado Estadual do Rio de Janeiro pelo Partido dos Trabalhadores (que não gostam de trabalhar). E quer saber o mais triste, garanto que muita gente, caso fosse obrigada a escolher, preferiria o PT ou outra corja qualquer à Santa Igreja. Como não são obrigados, fingem que não é com eles. Eu conheço um monte assim. Tem até uma senhorinha que vive na Igreja, beata pra caramba, mas se tu falar mal do PT perto dela ela voa no seu pescoço. Acha que o Lula foi o maior presidente da história da humanidade e que ele não tinha pecado. E vou ser repetitivo: a culpa disso é nossa. Nossa por dois motivos. Primeiro, jogamos a nossa direção espiritual em cima de uma ONG que sequer existe na hierarquia da Igreja, a tal da CNBB. Se estiver errado me mostrem onde o referido clubinho se encaixa. Seria entre arcebispo e cardeal? Segundo, por conta própria poderíamos tocar essa corja porta a fora. A casa de Deus não é bagunça, mas somos frouxos demais para isso e os corajosos acabam quase sempre arremessados sozinhos aos leões. Nossos antepassados, que morreram nas bocas dos leões de Nero e Dioclesiano, devem estar morrendo de vergonha da gente.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Carlos Roberto Pereira 11-02-2014 23:05
Corrigindo: (depois de mais dois anos depois !) Alessandro Molon é deputado federal pelo PT e esse ano deve ser candidato a reeleição. E o dep. estadual Marcelo Freixo (PSOL)?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 30-01-2012 17:50
Dep Molon Ale?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # O Catequista 30-01-2012 16:54
Ihhhh... e como fica o Dep. Molon, do PT, aqui no RJ?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 30-01-2012 16:04
Amados preciso aqui agora redimir um erro, que por ignorância cometi, em um dos meus comentarios desse post. Hoje vi mais um Resposta Católica com Pe Paulo Ricardo, em que incisivamente ele doutrinou a verdade que eu por imperícia, não por teima afirmei aqui. Ao dizer que: "Antigamente existiam 72 motivos de excomunhao latae sententiae, como por exemplo o seguimento ao marxismo, maçonaria dentre outros."; eu não soubia que a doutrina marxista em si, é apóstata. Hj fiquei sabendo que a Sagrada Congregaçao para a Doutrina da Fé, ao ser perguntada se era possível um catolico aderir ao partido comunista e favorece-lo de alguma forma, o Santo Oficio (como era chamada na epoca) foi incisivo e disse: NÃO. E que professar a doutrina marxista é necessáriamente APOSTASIA! Portanto isso cai no Direito Canonico atual como excomunhao latea sentientae. Paulo, me perdoe amigo por meu erro. Minha ignorancia não me fez ver a verdade. Quem quiser ver o video e receber essa doutrinaçao do Pe Paulo entre aqui: http://padrepauloricardo.org/audio/67-a-resposta-catolica-ser-comunista-e-motivo-de-excomunhao/
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 01-01-2012 19:13
Anizio meu irmao de caminhada, agradeçamos ao Santo Espirito por nos dar o discernimento dEle q nos mostra o mal q a TL provoca a Santa Igreja. Este 2012 sera de mtas lutas mas com certeza de grandes vitorias! Agradeçamos tbm ao Santo Padre. principio da unidade tanto dos bispos quanto dos fieis, pelos seus ensinamentos tao sabios e bondosos a favor da ortodoxia da Sã Doutrina, ele q é nossa rocha visivel, confiantes acima de tudo na Rocha invisivel q é Cristo!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Anizio Filho 01-01-2012 10:42
Que o Espírito Santo nos ajude a identificar a terrível "Teologia da Libertação(TL)" que engana o povo de Deus com um discurso de uma suposta ajuda aos pobres, que embora pareça bonito é usado para cativar você e inserir aos poucos os conceitos deles. Propagam que não houve milagres realizados por Cristo. Você começará a ver que os membros da Teologia da Libertação chegarão ao ponto de dizer que Jesus não multiplicou os pães e peixes, que Jesus não teria ressuscitado Lázaro entre outros milagres realizados por Cristo. Eles tentarão MATAR a sua fé nos milagres de Cristo e para isso irão mostrar todo tipo de argumento e vão mostrar na Bíblia por eles distorcida em seus fundamentos. Cuidado, pois infelizmente existe esse tipo e gente sem fé dento da Igreja Católica, e existem muitos. E a sua fé acaba incomodando eles. Mas para efetuar a lavagem cerebral em você, os TLs não serão diretos, eles irão lhe cativar aos poucos, para que você não perceba e se torne um ignorante útil nas mãos dos seus militantes: << “Um sapo está dentro de uma panela sobre o fogo. A água aquece lentamente e o animal não percebe o aumento da temperatura até não ser mais capaz de sair da panela e se livrar da morte”. Veja que a Teologia da Libertação, hoje não mostram a cara abertamente, “vão comendo pelas beiradas” até fazer você se tornar massa de manobra, tornando-se financiador/promotor desta heresia que – pasmem – combate a própria Igreja Católica ferozmente! Não permita que matem sua fé nos milagres de Cristo!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Anizio Filho 08-12-2011 17:15
"Eu adoro esse post (...)causa assombro a quem pratica e alegria a quem abomina a TL". [2] Concordo!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 16-11-2011 16:46
Eu adoro esse post... Nao so pela coerencia mas tbm pq, como o assunto vai ao ponto sem rodeios, causa assombro a quem pratica e alegria a quem abomina a TL. Quero mais, e mais, e mais, agradecer a tdos pessoal! Alê, Vivi, Paulo, Ricardo, e é claro tdos q entraram na Onda Católica de "O Catequista", mto obg por sempre me ajudarem a crescer na fé, na humildade e na fraternidade! VALEUU!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 16-11-2011 13:08
Anízio, valeu demais por nos ajudar a divulgar este trabalho de evangelização. Fica com Deus!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Anizio Filho 15-11-2011 01:34
Viviane, Respondeste ao comentário da Glícia Souto de forma precisa e totalmente coerente com o Evangelho e a Santa Igreja. Ponto a Ponto! Não teria feito melhor! Sempre q posso divulgo este Blog entre meus crismandos e tbm com os demais irmãos da paróquia! Paz e bem.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 14-11-2011 15:09
A Catequista em mais uma de suas correçoes d mãe. Aposto Alê q qndo as crianças se cutucam na Missa ela é a 1a a mandar prestar atenção... Kkk. Sério agora, Glícia, ñ há como sabermos quais sao as as condiçoes e as origens de cada um, mas uma coisa é fato: a Teologia da Libertação é uma HERESIA caso ela faça os seus adeptos deixarem os Dogmas e a Doutrina da Igreja. Os religiosos q vc diz admirar são infelizmente homens q se envolveram com uma ideologia q nada tem a ver com a Doutrina da Igreja. Procure ler a "Rerum Novarum" do Papa Leão XIII, e lá fica claro q a doutrina marxista nada tem a ve com o catolicismo. No Catecismo está escrito q para alguem se dizer católico tem que professar a Doutrina da Igreja, ser obediente ao Santo Padre e ao seu Bispo diocesano, observar os Mandamentos de Deus e da Igreja e ser batizado em Nome do Pai do Filho e do Espírito Santo. A TL fere o quesito Doutrina da Igreja, por isso nossos Santos Papas no ensinam q apenas a caridade fraterna do Cristo em cada um de nós é capaz de acabar com as desigualdades sociais e criar uma civilizaçao de paz. Ñ existe uma colcha de retalhos. Cada um é como uma toalha unica q nao admite remendos. Cristo é quem nos tece e faz com q aprendamos a nos amar e respeitar.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Anizio Filho 13-11-2011 13:35
A Igreja é o corpo de Cristo: §521 Tudo o que Cristo viveu foi para que pudéssemos vivê-lo nele e para que Ele o vivesse em nos. "Por sua Encarnação, o Filho de Deus, de certo modo, se uniu a todo homem." Nós somos chamados a ser uma só coisa com Ele; Ele nos faz partilhar (comungar), como membros de seu corpo, de tudo o que (Ele), por nós e como nosso modelo, viveu em sua carne. Devemos continuar e realizar em nós os estados e os mistérios de Jesus, e pedir-lhe muitas vezes que os complete e realize em nós e em toda a sua Igreja... Pois o Filho de Deus deseja conceder uma certa participação, e fazer como que uma extensão e continuação de seus mistérios em nós e em toda a sua Igreja, pelas graças que quer comunicar-nos, e pelos efeitos que quer operar em nós por esses mistérios. Por estes meios quer realizá-los em nós. §738 Assim, a missão da Igreja não é acrescentada à de Cristo e do Espírito Santo, senão que é o Sacramento dela: por todo o seu ser e em todos os seus membros, a Igreja é enviada a anunciar e testemunhar, atualizar e difundir o mistério da comunhão da Santíssima Trindade (a ser tratado no próximo artigo): Nós todos, que recebemos o único e mesmo espírito, a saber, o Espírito Santo, unimo-nos profundamente entre nós e com Deus. Pois embora sejamos numerosos separadamente e embora Cristo faça com que o Espírito do Pai e o dele habite em cada um de nós, este Espírito único e indivisível reconduz por si mesmo à unidade os que são distintos entre si... e faz com que todos apareçam como uma só coisa nele mesmo. E, da mesma forma que o poder da santa humanidade de Cristo faz com que todos aqueles em quem ela se encontra formem um só corpo, penso que da mesma maneira o Espírito de Deus que habita em todos, único e indivisível, os reconduz todos à unidade espiritual. §739 Por ser o Espírito Santo a unção de Cristo, é Cristo, a Cabeça do Corpo, que o difunde em seus membros, para alimentá-los, curá-los, organizá-los em suas funções mútuas, vivificá-los, enviá-los a testemunhar, associá-los, à sua oferta ao Pai e à sua intercessão pelo mundo inteiro. É pelos sacramentos da Igreja que Cristo comunica aos membros de seu Corpo o seu Espírito Santo e Santificador (a ser tratado na segunda parte do Catecismo). §793 Ele nos une a sua Páscoa. Todos os membros devem esforçar-se por se assemelhar a ele "até Cristo ser formado neles" (Gl 4,19). "Por isso somos inseridos nos mistérios de sua vida associamo-nos a suas dores como o corpo à Cabeça, para que padecendo com ele, sejamos com ele também glorificados. §795 Cristo e a Igreja, eis, portanto, o "Cristo total" ("Christus totus"). A Igreja é una com Cristo. Os Santos têm uma consciência bem viva desta unidade: Alegremo-nos, portanto, e demos graças por nos termos tornado não somente cristãos, mas o próprio Cristo. Compreendeis, irmãos, a graça que Deus nos concedeu ao dar-nos Cristo como Cabeça? Admirai e rejubilai, nós nos tornamos Cristo. Com efeito, uma vez que Ele é a Cabeça e nós somos os membros, o homem inteiro é constituído por Ele e por nós. A plenitude de Cristo é, portanto, a Cabeça e os membros. O que significa isto: a Cabeça e os membros? Cristo e a Igreja. Redemptor nos ter unam se personam cum sancta Eccies ia, quam assumpsit, exhibuit - Nosso Redentor mostrou-se como uma só pessoa com a santa Igreja, que ele assumiu. Caput et inembra sunt quasi una persona mystica - Cabeça e membros são como uma só pessoa mística. Uma palavra de Santa Joana d'Arc a seus juizes resume a fé dos santos Doutores e exprime o bom senso do crente: "Quanto a Jesus . §1988 Pelo poder do Espírito Santo, participamos da Paixão de Cristo, morrendo para o pecado, e da ressurreição, nascendo para uma vida nova; somos os membros de seu Corpo, que é a Igreja , os sarmentos enxertados na Videira, que é Ele mesmo: Pelo Espírito, temos parte com Deus. (...) Pela participação Espírito, nós nos tornamos participantes da natureza divina. (...) Por isso, aqueles em quem o Espírito habita são divinizados.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Glícia Souto Pimenta 13-11-2011 10:37
Colcha de retalhos Senhor, Outro dia fiz uma colcha de retalhos. Todos os restinhos de pano que guardei iam servir. Ao pegar cada pedaço, recordava-me de pessoas, acontecimentos... Como se cada um tivesse sua história para contar. Fui costurar. Cores que à primeira vista não combinavam, padrões e desenhos totalmente diferentes, tudo se juntou. A colcha ficou pronta. E como ficou bonita! E fico pensando: Tu criaste todos os seres diferentes. Ninguém é igual ao outro. Nada de repetição, de monotonia. E não são diferentes só fisicamente. Todos pensam diferente, sentem diferente, agem diferente. Um completa o outro. Um apóia o outro. Que maravilha é uma colcha de tantos seres diferentes, formando a humanidade. Por que quero que todos sejam iguais, pensem igual, sintam igual? Eu sou um pedacinho no grande conjunto. Embelezo sua criação de um determinado modo. Outros realçam outras cores, outros padrões. Importante é querer ser costurado aos outros retalhos e não ficar isolado. Todos unidos na procura da união e da fraternidade, cada um do seu modo, formam a grande colcha da unidade da pluriformidade. Obrigado Senhor. Abraço fraterno, Glícia
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 14-11-2011 09:34
Glícia, Imagino que você esteja comparando o povo de Deus, ou a Igreja, ou o Reino de Deus a uma colcha de retalhos. De fato, cada um, com sua personalidade única, contribui de forma importantíssima para a construção do Reino. A diversidade é bela! Mas cuidado, o pensar diferente é saudável e razoável até certo limite lógico. Não posso ser um pedacinho de retalho desta colcha divina, digamos assim, me recusando a crer e a viver conforme o Senhor ensinou. Não posso ser um pedacinho desta colcha se, como os teólogos da libertação, digo que o aborto e a união homossexual podem ser coisas aceitáveis, se não aceito Jesus como Deus mas o vejo como mero homem, se me recuso a aceitar a autoridade do Papa. Enfim, se insisto em ser herege, em permanecer no erro e ensiná-lo como o caminho certo. Os hereges não são maleáveis como o tecido e, por isso, não se deixam penetrar pela agulha de Deus. Na sua vaidade e cegueira, eles são duros como o aço. Assim, não podem ser costurados, não podem entrar em comunhão com o Corpo de Cristo. Veja, Gláucia, São Paulo deixa bem claro que não é qualquer um que entrará no Reino de Deus. A diversidade é boa, mas só enquanto é iluminada pela Verdade do Evagelho, fielmente anunciada pela Igreja Católica há 2 mil anos: Acaso não sabeis que os injustos não hão de possuir o Reino de Deus? Não vos enganeis: nem os impuros, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os devassos, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os difamadores, nem os assaltantes hão de possuir o Reino de Deus. (I Cor 6:9-10)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Glícia Souto Pimenta 13-11-2011 10:23
Todos nós sabemos porque Jesus Cristo morreu, né? Não? Porque ELE queria que o povo tivesse uma vida digna. ELE não queria ver um povo explorado. ELE ensinava e, nos ensina até hoje a lutarmos por nossos direitos. ELE veio para nos trazer a JUSTIÇA, IGUALDADE, LIBERDADE, FRATERNIDADE...Veio para nos mostrar que devemos viver como irmãos. Sem qualquer tipo de preconceito. Difícil, né? Sabemos o quanto ELE sofreu até a morte e morte de cruz ( o que tinha de mais humilhante) defendo os pobres e marginalizados. Ao meu ver, a TL segue essa linha LIBERTADORA. Admiro uma cambada de comunistas: Dom Helder Freire :"Quando dou comida aos pobres, me chamam de santo. Quando pergunto porque eles são pobres, chamam-me de comunista"; Dom Pedro Casaldáliga; Frei Beto; Frei Tito... Vixi! Vou pro inferno por isso? RELIGIÃO LIBERTADORA é a que acredito. Abraço fraterno!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 14-11-2011 00:29
Glícia, vamos refletir sobre o seu comentário: “Todos nós sabemos porque Jesus Cristo morreu, né? Não? Porque ELE queria que o povo tivesse uma vida digna.” Glícia, Jesus morreu para que o povo tivesse uma vida digna? Isso é novidade pra mim. De onde você tirou isso? Dos Evangelhos, certamente, é que não foi. De fato, ser cristão inclui obrigatoriamente, como já dissemos neste post, socorrer os mais necessitados, buscando sim que eles tenham uma vida digna. Isso é uma consequência natural do amor cristão, mas não foi esse o motivo primordial da Sua Paixão. São Pedro explica que Ele morreu na cruz para que pudéssemos ser curados de nossos pecados: Carregou os nossos pecados em seu corpo sobre o madeiro para que, mortos aos nossos pecados, vivamos para a justiça. Por fim, por suas chagas fomos curados (Is 53,5). (I Pedro 2:24) E, curados de nossos pecados, naturalmente, somos mais capazes de amar, de promover a justiça, inclusive buscando reduzir o sofrimento dos mais pobres. Aí entra o grande problema da TL: eles não tão nem aí se você peca ou não. “Você vive uma união gay? Ótimo? Você é ateu? Ok! Você presta culto aos ídolos de outras religiões? Que lindo! Você acha que deve fazer um aborto? Fique à vontade!... A única coisa que interessa é lutar pela pela libertação dos pobres.” Você realmente acha que isso é ser cristão? Não foi essa a justiça que Jesus pregou, Glícia. Não é isso que está nos Evangelhos. Sem remissão dos pecados, sem o verdadeiro amor de Deus, não há justiça possível. Preste MUITA ATENÇÃO no que disse São Paulo: Ainda que distribuísse todos os meus bens em sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, se não tiver caridade, de nada valeria! (I Cor 13:3) “ELE não queria ver um povo explorado. ELE ensinava e, nos ensina até hoje a lutarmos por nossos direitos.” Que Jesus não queria ver o povo sendo explorado, faz sentido, concordo com você, Glícia. Diversas passagens da Bíblia condenam a os poderosos que exploram os mais fracos, e os chamam à conversão. Porém, para lutar pelos nossos direitos, não precisamos nos tornar hereges, certo? Não é preciso ser marxista pra se interessar pelo bem dos pobres e para atuar politicamente em prol do bem comum. Basta-nos conhecer e colocar em prática a Doutrina Social da Igreja. Você conhece? Aliás, historicamente, vemos que, quando os marxistas chegam ao poder, o que fazem de melhor é espalhar o terror, a morte, a repressão, o desespero e o fanatismo partidário. “ELE veio para nos trazer a JUSTIÇA, IGUALDADE...” Glícia, você é católica? Porque um católico não tem nenhuma base nas Escrituras ou nos documentos da Igreja para afirmar que Jesus veio nos trazer igualdade. Deus quer que todos amemos nossos irmãos a ponto de compartilhar nossos dons e bens com quem precisa, mas em nenhum momento fala em igualdade. Ele certamente quer que todos tenham uma vida digna, mas não necessariamente igual. Até porque Ele mesmo nos fez de forma desigual: uns são mais fortes fisicamente, outros mais fracos; uns são mais inteligentes, outros são mais habilidosos e assim por diante. Imagino que você tenha muitas qualidades que eu não tenho, e talvez eu tenha alguns dons que você não tenha. Eu, por exemplo, morro de inveja dos grandes talentos da música, e, por mais que me aplique, nunca poderei cantar como a Whitney Houston em seus bons tempos. Que mega desigualdade! Deus foi injusto comigo? Claro que não! Bom, mas esta questão de igualdade é bem complexa. Vamos desdobrá-la em outro post. “Ao meu ver, a TL segue essa linha LIBERTADORA.” Glícia, o que é liberdade? Você acha que um mundo onde já não houvesse pobres, seria um mundo inteiramente livre? Se a sua resposta for sim, recomendo que você reveja urgentemente o seu conceito de cristianismo. Porque Cristo não veio ao mundo para acabar com os pobres, mas para nos ensinar a amar e a cumprir os mandamentos de Deus. Devemos honrá-lo em primeiro lugar, antes de pensar em lutar pelos pobres. Isso fica claro na passagem em que uma mulher joga sobre a cabeça de Jesus um perfume caríssimo: Estando à mesa, aproximou-se dele uma mulher com um vaso de alabastro, cheio de perfume muito caro, e derramou-o na sua cabeça. Vendo isto, os discípulos disseram indignados: Para que este desperdício? Poder-se-ia vender este perfume por um bom preço e dar o dinheiro aos pobres. Jesus ouviu-os e disse-lhes: Por que molestais esta mulher? É uma ação boa o que ela me fez. Pobres vós tereis sempre convosco. A mim, porém, nem sempre me tereis. (Mt 26:7-11) Mas o pessoal da TL não acha importante que honremos o nosso Deus. Eles tiraram Deus do trono e colocaram Marx (não, não colocaram os pobres). Glícia, você acha que quem vivia na União Soviética era livre? Você já viajou para Cuba para conhecer de perto como o povo vive lá? Você acha que aquilo é liberdade? Você acha que o povo da Coréia do Norte é livre? Você acha que o governo chinês é um exemplo de promoção da liberdade? Glícia, ser livre é fazer a vontade de Deus. E a vontade de Deus é que ouçamos a voz do nosso Pastor, o Papa. E o pessoal da TL só esculhamba o vigário de Cristo dia e noite. Você crê na autoridade do Papa, Glícia? “Admiro uma cambada de comunistas: Dom Helder Freire (...) [acho que você quis dizer Dom Helder Câmara, né?]; Dom Pedro Casaldáliga; Frei Beto; Frei Tito... Vixi! Vou pro inferno por isso?” Glícia, o que é importante aqui é o amor a Cristo e à Verdade, e não o medo do Inferno. Não é isso que determina a nossa Fé Católica. Vamos nos deter no ponto principal: você crê que Jesus faz chegar até nós a Sua Palavra e a Sua Graça de forma integral por meio da Sua Igreja? Não sei se você crê nisso. Mas se você é católica, ou pretender ser, sugiro que você passe a admirar menos os discípulos de Marx e olhe mais para os autênticos servos de Cristo – os santos e santas, que tanto bem fizeram aos pobres ao longo dos séculos – e para o Seu representante na Terra, o Santo Papa. Foram essas pessoas que ao longo de 2.000 anos construíram o povo que mais se espalhou pelo mundo para ajudar os que sofrem. Enquanto os discípulos de Marx só conseguiram produzir ditaduras. Reflita bem escolha de que lado você quer ficar!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # O Catequista 12-11-2011 18:05
Que bonitinho... vou fazer que nem a tia Maricota do jardim de infância e botar os dois pra se abraçar no meio do pátio!!!! Rs... Bom, no final o que importa é que aprendemos e chegamos a verdade.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 12-11-2011 12:47
Sem duvida concordo com vcs dois! Alê com certeza vc esta certo. Como eu disse minha posicao difere um pouco da do Paulao mas ai esta a diferença: dialogo nao é discussao. Temperança. Palavra chave. É dela q podemos saber ate onde a balança esta na obediencia e na cegueira. Tbm fecho esse assunto aki. Mto obg por sempre abrir espaço para q tdos possam opinar, sempre tendo como base o amor de irmao. Paulo se de alguma forma ultrapassei os limites me perdoe. Nao era minha intençao. Ok? Abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo 12-11-2011 12:33
Vou encerrar aqui. Mas só pra ver se me faço entender: eu sou católico porque acredito em Cristo, não acredito em Cristo por ser católico, a Igreja está em Deus, não acima dele. Como o equilíbrio não pode ser quebrado, assim será até o fim dos tempos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # O Catequista 12-11-2011 09:33
Oi Cadu e Paulo!!! Sem radicalismos, hein! Precisamos saber viver com um pouco mais de temperança, senão nos tornamos cegos e preconceituosos (pré-conceito no sentido de julgar sem ver, não no sentido politicamente chato de hoje ok?). Vamos lá... é fato que a CNBB andou perdida a bem pouco tempo atrás, mas tem dado indubutáveis sinais de sobriedade. Vide a fantástica nota sobre a decisão do STJ de reconhecer a união homoafetiva. Não li nada mais lúcido em lugar nenhum! E afinal, como é uma assembléia feita por legítimos sucessores dos apóstolos, temos sempre que ouví-la. Por outro lado, ela não é infalível e temos que estar sempre a postos para chamar atenção do que está errado, ainda que quase nunca sejamos ouvidos (afinal, quem sou eu pra ser ouvido pela CNBB???). E não é só obedecer ao Papa não! Não somos prelados (ligados direto ao Papa)! Devemos obediência aos bispos locais. Até porque, temos que respeitar todos os sacerdotes do Senhor (padres e bispos), com todos os limites e besteiras que eles possam fazer! Porque, por algum motivo, Cristo quis chamá-los ao seu serviço e com toda certeza, Ele sabia destes limites. Se o próprio Cristo não parou nestes defeitos, porque eu deveria parar? Isso não significa que não possamos apontar erros, como já disse antes! Temos que ser críticos sim, mas sempre para a construção do Reino de Deus e nunca por convicções pessoais ou birras de qualquer espécie! Também não podemos ser cegos e sair abaixando a cabeça pra tudo, porque temos o dever de defender a Igreja de Cristo, mesmo que seja daqueles que estão dentro dela. Enfim. Temperança. Essa é a palavra-chave. Pensar antes de agir, levando em conta todos os fatores possíveis e não certezas pré-concebidas. Eis a receita do sucesso que nem sempre conseguimos aplicar. Como exemplo, recomendo fortemente a leitura da Catequese de Bento XVI sobre Santa Catarina de Sena. Que era absolutamente fiel aos ensinamentos dos pastores da Igreja, mas soube corrigí-los quando necessário, sempre com amor e desejo de construir a Igreja de Cristo. E isso inclui o próprio Papa, quando ela insiste para que ele abandone Avignon e vá para Roma. Uma boa tradução deste texto pode ser encontrado no site de notícias da Canção Nova (clique aqui). Abraços!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 11-11-2011 22:12
As vezes me impressiono com a maturidade do blog e de todos os envolvidos, inclusive eu, q contribuimos mais e mais para espalhar a Doutrina da Santa Igreja. Eu agradeço a Deus e a Virgem Santissima q nos unem numa so fé! Q Deus possa msmo encontrar e dar a cura aos homens em relaçao a esse cancer maligno q se chama TL. Eu creio e me entrego aos cuidados da Sã Doutrina e dos santos diáconos, padres, e bispos da Igreja, e acima de todos ao Vigario de Cristo Bento XVI, tdos eles, homens de fé e santidade, q levam a maneira infalivel do Evangelho a tdos os povos, q eles nunca se desvirtuem no caminho e possam seguir os exemplos de tantos santos e santas q dedicaram suas vidas em favor do Evangelho e do Amor fraterno!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 11-11-2011 13:58
Ah amigo, por isso é bom a gente entender q Pedro é a cabeça dos Apostolos, mas os Apostolos, os 12, receberam a autoridade de Cristo como Pedro, a diferença está no primado, q é desde sempre foi do Príncipe dos Apostolos. Está é a visão oficial da Igreja. No Compêndio do Catecismo, no paragrafo 326 e 327 está escrito: "A Ordenação episcopal confere a plenitude do sacramento da Ordem, faz do Bispo o legítimo sucessor dos Apóstolos, insere-o no Colégio episcopal, partilhando com o Papa e os outros Bispos a solicitude por todas as Igrejas, e confere-lhe a missão de ensinar, santificar e governar. O Bispo, ao qual é confiada uma Igreja particular, é o princípio visível e o fundamento da unidade dessa Igreja, a favor da qual exerce, como vigário de Cristo, o ministério pastoral, coadjuvado pelos presbíteros e diáconos." Portanto nao importa se lamentavelmente existem comunas nas cátedras brasileiras, os bispos receberam a ordenaçao episcopal, sendo portanto príncipes da Igreja Militante, sucessores dos Apóstolos, e pastores do Reino de Deus. O Papa é o Sucessor do príncipe dos Apóstolos, o 1º dentre todos os bispos, e portanto ele é o Pastor Supremo da Igreja Militante, mas os bispos o são nas dioceses a ele confiadas por Deus e pelo Santo Padre. Paulo mais uma vez a gente diverge um pouco nas ideias, me perdoe. É q realmente entendo e concordo em parte com seu ponto de vista, mas sou bem ortodoxo em relaçao a Doutrina da Igreja. Ok? :) Abraçao!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo 11-11-2011 13:22
Só para constar, Cadu, não me venha dizer que a CNBB é uma entidade ordenada por Deus, que esses caras são os pastores que Deus quer para nós. Se liga, eles são APENAS HOMENS. Nem vem com essa dizendo que eu tenho que obedecer a CNBB! Eu desconsidero EM SUA INTEGRIDADE, essa súcia. Por São Domingos e São Francisco, que são meus exemplos de vida. Isso aí é no máximo uma ONG, que não me diz absolutamente nada. Sou Católico Apostólico Romano, presto contas a Jesus e a seu vigário, O Papa quando esse está imbuído de sua funções eclesiais. Fora isso como cristão, chuto qualquer um que ofenda Deus, meus que esse um use roupinha roxa ou vermelha.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Anizio Filho 11-11-2011 00:35
É a velha ala TL que vive como um parasita, transformando a Igreja em um hospedeiro. E de forma homeopática conseguem inocular seu veneno em uma massa de "ignorantes úteis" que sempre são manipulados por seus militantes e guiados por seus bastiões. Para eles digo: "Não só de pão vive o homem, mas de toda Palavra que procede da boca de Deus" (Mateus 4,4). Para combater o bom combate acredito que... • A primeira atitude: É desmascarar o papo furado sobre "ecologia e caridade". Mostrar q são pretexto para a TL inocular seu veneno de forma homeopática nas pessoas. Mostrar que o discurso pela sustentabilidade ambiental é válido; A prática da caridade cristã tbm é válido. Mas que a partir de agora, as pessoas passem a identificar a TL incutida nessas práticas e movimentos, para então podermos extirpá-la e finalmente, sem a TL como parasita, esses movimentos deixem de ser hospedeiros dos progressistas e possam ser praticados para o verdadeiro benefício das pessoas. • A Segunda atitude: Creio que um dos antídotos contra a TL seja a prática ortodoxa da Doutrina Social da Igreja, pois os progressistas tentam justamente ocupar o lugar, q de direito é da Doutrina Social Igreja. E fazendo valer a Doutrina Social diminuímos o alcance da TL. *** Parabéns pelo Post equilibrado e paciente como disse o Paulo Ricardo e eu tbm, como ele, pegaria mais pesado com essa catrefa desleal e infiel que deveria se chamar heresia da libertação! Mas a forma como vocês escrevem alcança os corações, sendo assim, são muito sábios em suas postagens. Paz e bem.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Fernando 10-11-2011 23:58
Parabéns! Acredito que as palavras precisam ser ditas de maneira clara e objetiva. Os estragos que a TL provocou e ainda provoca em nossas comunidade são terríveis. Tudo é desviado do seu sentido verdadeiro e se coloca uma visão completamente cética a respeito de Cristo. É uma pena. Precisamos extirpar este câncer, como foi colocado no texto, para que nossa Santa Igreja possa estar cada vez mais sólida nos ensinamentos e na prática do verdadeiro evangelho de Cristo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 10-11-2011 17:09
Ultimo comentario pq a minha cota de 2 estourou... Kkkkk. Já q chegamos a loucura da esquerda se enfilerando nas fileiras da Igreja, vamos ao contraponto tbm extramente radical da direita: pq nao falar da TFP? Eu sou fiel a Igreja Catolica de Nosso Senhor Jesus Cristo, ao Santo Padre Bento XVI, a meu Bispo de Diocesano, D. Simão, e sempre ouço os conselhos e as advertencias da CNBB, q como Paulo mto bem salientou, infelizmente, tem mtoos comunas sentados nas cátedras apostólicas do Brasil. Porém eles sao os pastores q Deus quis dar ao Povo de Santa Cruz, e nem todos compartilham de ideias marxistas e por isso a eles sempre tbm queroobservar e obedecer. Em nota a CNBB ja nos advertiu q TFP nao deve ser seguida, pela falta de comprometimento com os bispos, e por causa do culto estranho e abusivo da Santissima Virgem. Eu ja li bastante sobre eles e posso dizer q realmente os caras exageram msmo. Acho q discutir esse assunto seria legal! Belê belê? Abraçao!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 10-11-2011 17:01
Cara me da ate tic ver o Hugo Chavez ta escarneando a Face de Cristo! Ô cara sem miolagem na cabeça!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 10-11-2011 16:42
Quem achou q hj eu nao ia comentar, foi mal vo sim... rsrsr. Vou por partes pq se nao enrosco. Em 1º lugar eu digo com todas as letras: ODEIO A TL! Pra mim oq a Vivi disse é o mais correto: a TL é um cancro maligno q tem feito a muitos perderem a verdadeira fé de si, mas, mais uma vez reafirmo minha pequenez, preciso dizer ao Paulao uma coisa q ele vai chiar: nao é bem assim msmo. Pq? Pergunte a "Pastor Bonus" do Beato João Paulo II, de 1983, em q nosso saudoso Papitcho pediu um novo Código de Direito Canônico para a Igreja. Segundo a "Pastor Bonus" existem 9, e só 9, motivos q aplicam a Excomunhão "latae sententiae" (em portugues, sem concentimento), são eles: provanação das Hóstias ou do Vinho Consagrados, o aborto, o cisma, a apostasia, a heresia, a violaçao do segrego confessional, atentado contra a pessoa do Papa, consagraçao ilícita de bispos sem o concentimento papal, ou entao absolivição confessional por um padre a outro padre, ou a seu cumplice, do pecado da carne. Atgamente existiam 72 motivos de excomunhao latae sententiae, como por exemplo o seguimento ao marxismo, maçonaria dentre outros. De fato, é mto importante orientar o nosso povo dos malefícios causados pela foice e o martelo, lembro aqui o q N. Senhora disse em Fátima, em 1917, ano da Revoluçao Bolchevique :" Se a Rússia não for consagrada ao Meu Imaculado Coraçao, ela espalhará seus erros pelo mundo." A TL é sim um cancer grande e terrivel, mas só o fato de ser comunista nao significa receber excomunhao automatica mais.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Claudia de Jesus Pinheiro 10-11-2011 13:55
Turminha de Deus! Que alegria ver catequistas felizes e bem humorados! Amei o blog, cheguei aqui através da Angela do catequistaamadora.blogspot.com. Parabéns pela entrevista concedida ao Catequese e Bíblia! Também tenho um blog de catequese e uma Parceria entre blogs de catequese onde temos 64 inscritos... passem por lá e se desejarem unam-se a nós! Paz de Cristo!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 10-11-2011 14:14
Cláudia, seu blog de catequese infantil é muito fofo, parabéns! Mostra o carinho e a dedicação que vc certamente tem com a formação das crianças. Abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Herberth Silva Acioli 10-11-2011 13:19
Quero agradecer pela atenção e por terem tirado essa dúvida que, acredito, não era só minha. Que vcs continuem cada vez mais firmes com esse Dom que Deus deu a vcs!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo 10-11-2011 12:38
É o seguinte, votou em comunista, se associou com marxista, acha o Lula bonitinho TÁ EXCOMUNGADO, PONTO FINAL. Pode chorar, bater pezinho, dizer "que não é bem assim". Quem vcs acham que manda nesse mundo? A CNBB ou o Espírito Santo? Católicos, acordem! Façam jus à herança de Leão, Gregório, Domingos e Francisco!!! São Josemaria Escrivá é que estava certo: o problema é que se respeita demais muitas coisas que não merecem o menor respeito. Marxismo é o primeiro da lista porque é uma ideologia tosca em que qualquer um que tenha lido uma orelha de livro pode se considerar profundo conhecedor e intelectual. Palavra de ex-marxista. Tenho conhecimento de causa. A Escola austríaca me salvou. Mas isso é apenas, parafraseando o falecido Paulo Francis: "Para a minoria feliz". Tenho certeza que não é esse o destino que o Espírito Santo quer para nós, mas como se diz, para o bem e para o mal temos nosso livre arbítrio. O Catequista, ainda bem, tem a Viviane e o Alexandre, que estão mais para Santa Cecília e São José Moscati, eu sou mais do tipo São Thomas Morus e São Josemaria Escrivá... ou ostrogodo ariano convertido... Por isso o site é equilibrado e ainda se pratica a virtude da paciência, porque eu não tenho muito dela não. Mas eu tenho melhorado... um pouco. Para encerrar; os TL´s entre Che e Jesus, em muitos casos, ficariam de joelhos diante do primeiro.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 10-11-2011 11:48
Cecília, muito obrigada pela mensagem carinhosa! Quanto ao tom que usamos aqui, que lhe pareceu desrespeitoso, isso se deve ao ponto crítico em que a situação da TL chegou. Os teólogos citados e o Pe. Cardenal já receberam inúmeros chamados de atenção amorosos, outros mais ríspidos, e nada resolveu. Eles não mudam um milímetro de posição, não renunciam às suas heresias, e, aliás, parece que só pioram com o tempo. Vc viu o que o Bento XVI disse: eles espalham "rebelião, divisão, dissenso, ofensa, anarquia". Quando a coisa chega nesse nível, Cecília, as palavras doces não têm mais razão de ser. Empedernidos em seus erros, eles arrastam sabe-se lá quantas almas para longe de Cristo, ou seja, para o Inferno. A urgência em chamar a atenção das pessoas para esse perigo, para nós, é bem mais importante do que sermos polidos. No nosso post "Porque Jesus não é o Profeta Gentileza" mostramos que nem sempre uma palavra mais enérgica é sinônimo de falta de caridade - muito pelo contrário! O próprio Cristo foi por vezes bastante ríspido, em especial com aqueles que se recusavam à conversão e ensinavam a outros seus erros como se fossem o caminho de Deus: component/k2/item/1937 Preferimos reservar a nossa doçura para pessoas doces, como vc. Agora, herege empedernido é no chicote! Abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 06-03-2012 18:04
Entendi Vivi, talvez fui um pouco aspero. Perdao Leilah mas oq eu quis dizer é que a gradiosa maioria da TL é um saco de heresias que são na verdade um verdadeiro Partido Comunista. Vc não concorda Vivi? Nao posso generalizar. Mtos la nao sabem do tamanho dos erros da TL, mas os que se dizem catolicos nao podem ser condescendentes com as heresias q eles contam.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 08-03-2012 00:22
"oq eu quis dizer é que a gradiosa maioria da TL é um saco de heresias que são na verdade um verdadeiro Partido Comunista. Vc não concorda Vivi?" Sim, Cadu! Concordo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Leilah 07-03-2012 16:40
Como catequistas temos que nos distinguir pela precisão da nossa fala. Em relação à algumas formas de TDL (e não à TDL em si) Roma condenou exatamente o que segue: 1) A igreja não foi fundada por Jesus, ela é invenção posterior dos apóstolos; 2) Jesus pregou o Reino e não a Igreja; 3) Os dogmas de fé só valem para um período histórico; 4) Existem duas igrejas: a igreja hierárquica e a igreja popular da base oprimida pela hierárquica (tese que é resultado direto do uso da análise marxista, por Leonardo Boff) 5) A pertença à igreja não é necessária à salvação. 6) E o uso da análise marxista (mesmo que seja de apenas um ítem dela) na teologia. Foram precisamente essas e nada mais que essas, as teses de ALGUNS teólogos da "libertação" (e ponho aspas porque para mim isso não liberta coisa alguma, mas escraviza!) que Roma contestou e desautorizou. E é com essa precisão que devemos informar as pessoas e não dizer simplesmente que a TDL foi em si "condenada". Pois bem, existem bons teólogos da libertação (Segundo Galilea, por exemplo) que jamais incorreram nos erros acima. CITO AGORA BENTO 16: "Teologia da Libertação é uma expressão perfeitamente válida: designa, neste caso, uma reflexão teológica centrada no tema bíblico da libertação e da liberdade e na urgência de suas incidências práticas." Ora, se Bento 16 faz essa reflexão (e faz!) ele faz Teologia da Libertação! MAIS BENTO 16: "Uma teologia da libertação corretamente entendida constitui, pois, um convite aos teólogos a aprofundarem certos temas bíblicos essenciais, com o espírito atento às graves e urgentes questões que a atual aspiração pela libertação e os movimentos de libertação, eco mais ou menos fiel dessa aspiração, põem à Igreja. Não é possível esquecer, por um só instante, as situações de dramática miséria de onde brota a interpelação assim lançada aos teólogos. " E LÁ VAI MAIS BENTO 16: "Para responder ao desafio lançado à nossa época pela opressão e pela fome, o Magistério da Igreja, com a preocupação de despertar as consciências cristãs para o sentido da justiça, da responsabilidade social e da solidariedade para com os pobres e os oprimidos, relembram repetidamente a atualidade e a urgência da doutrina e dos imperativos contidos na Revelação." Ou seja o magistério da igreja faz Teologia da Libertação, da boa, da melhor!E penso que, com raras exceções, só ele o faz de fato. OUTRA VEZ BENTO 16: "João Paulo II, ao abrir a Terceira Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano, em Puebla, havia recordado que a verdade completa sobre o homem é a base da verdadeira libertação.[15] Este texto constitui um documento de referência direta para a teologia da libertação." VEJA SÓ ISSO, O PAPA NÃO SÓ APROVA A TDL, MAS AINDA LHE DÁ E INDICA "DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA" como ele diz acima, ORIENTA COMO DEVE SER FEITA! Para que o santo padre iria dar um DOCUMENTO DE REFERENCIA para a TDL se ele não quisesse que ela ocorresse na Igreja????? MAIS BENTO 16: "Os trabalhos dos Sínodos de 1971 e de 1974 levaram Paulo VI a esclarecer, na Exortação apostólica Evangelii nuntiandi, a relação que existe entre a evangelização e a libertação ou a promoção humana." Ou seja também Paulo VI fez TDL, da boa, é claro! DE NOVO, BENTO 16: "existe uma autêntica teologia da libertação , aquela que lança raízes na Palavra de Deus, devidamente interpretada". NÃO CONDENA, RECONHECE!!! Agora vejamos o que e quem de fato o santo padre desaprova, quando diz: "No presente documento tratar-se-á SOMENTE das produções daquela corrente de pensamento que, sob o nome de « teologia da libertação », propõem uma interpretação inovadora do conteúdo da fé e da existência cristã, interpretação que se afasta gravemente da fé da Igreja, mais ainda, constitui uma negação prática dessa fé." E daí por diante o papa (na época,cardeal prefeito da CDF) enumera os erros doutrinais de apenas uma corrente de pensamento, dentro do movimento da Teologia da Libertação que ele não condena, jamais condenou! Se voce quiser se aprofundar mais no assunto entre no site do vaticano e consulte os 3 documentos de Roma sobre a TDL: 1) "Instrução sobre ALGUNS Aspectos da TDL" 2) "Libertatis Conscientia" 3) E a nota sobre o livro de Leonardo Boff "Igreja, Carisma e Poder". Os documentos da igreja e as encíclicas papais são de uma precisão rigorosa. Pão, pão! Queijo, queijo! E nisso eles são modelos para nós catequistas. Portanto, depuremos nossa linguagem, sejamos mais precisos e exatos, pois temos a grave responsabilidade de comunicar a DOUTRINA DA IGREJA e não nossas próprias idéias. O que o papa disse, disse! O que não disse, não disse! Para distorcer as coisas, já bastam aqueles que se auto-intitulam "teólogos da libertação" como Frei Betto e Leonardo Boff que vivem da deslealdade de enganar as pessoas. Se voce quer prevenir e alertar seus catequisandos acerca deles, reconheça e identifique onde está a verdadeira e autentica Teologia da Libertação, ou seja: em Paulo VI, J.PAULO II, BENTO 16, SEGUNDO GALILEA, GUSTAVO GUTIERREZ (após este ter acatado as correções de Roma e incorporado em seus livros que então receberam um "NADA CONSTA" de Bento 16). E dê nome aos bois. Aqueles cujas obras mereceram contestação de Roma foram: Leonardo Boff, Juan Luis Segundo, John Sobrino, Jacques Dupuis, etc. Separar meu caro, distinguir, ter uma linguagem precisa! Somos catequistas! Grande Responsabilidade. A doutrina não é nossa, ensinamos a fé da igreja, portanto, pautemo-nos pelo que ela diz e nada mais! Fraternalmente no Senhor!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 07-03-2012 18:03
Leilah vc com ctza tem vasto conhecimento e admiro e admito isso, mas vamos devagar. 1) Se eu fui indelicado pf me perdoe. Sou apenas um rapaz que quer viver e buscar a santidade e a fidelidade com Cristo, com o Santo Padre e a com a Igreja. Nao sou teologo, nem filosofo, sou apenas um estudante do 3º ano do EM, que ama e estuda a Doutrina da Igreja. Sei o meu lugar. Sei q tenho mto a apreender. 2) Caso td isso que vc fala é verdade, entao isso que vc fala nao é a Teologia da Libertaçao. Pelo menos nao a que foi descrita nesse post. A TL é heresia. Pe Paulo Ricardo, um dos maiores teologos e canonistas desse meu tao querido Brasil explica em detalhes td isso em suas aulas, lendo oq os Santos Padres em td historia da Igreja falam sobre o marxismo e suas ramificaçoes. 3) Tdas as declaraçoes que vc coloca nao dizem respeito aos erros q a TL tem. Esses erros sao o motivo de serem heresias graves q nao tem a ver com a fe catolica. Eu ja havia lido as declaraçoes de Bento XVI sobre a TL q vc citou e sem duvida comprovam que estamos lutando contra o msmo inimigo com as mesmas armas e na mesma esperança. 4) Td isso minha cara é prova q a TL não deve ser seguida pq mtos dos q la entram nao saem mais, ja q mtas vezes ensinam essas heresias absurdas para as crianças q vivem com os pais seguidores da TL. 5) Mais uma vez peço q me perdoe caso tenha sido agressivo ou desrespeitoso. Pf nao era minha intençao. Entendi td oq vc disse minha cara tenha ctza. Obg. Paz de Jesus
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 08-03-2012 10:54
É exatamente isso que eu quis dizer minha cara. Estamos lutando contra o mesmo inimigo, com as mesmas armas na mesma esperança. O inimigo? TL herética. As armas? O Catecismo, o ensinamento dos Santos Padres, as Sagradas Escrituras e o Magisterio da Igreja. A esperança? Proporcionar a catequese e a evangelizaçao segundo o ensinamento da Igreja. Simples assim. O que eu quis dizer é que, para que nao haja risco, nao aconselharia a nenhum catolico a entrar na TL. O Bem-Aventurado Joao Paulo II, exorta e diz q é necessaria pq um cuidado para com os pobres é preciso para imputar na sociedade um sentimento de caridade. O fato Leilah é q existem erros na maior parte d quem se auto domina TL e por isso, por preocupaçao nao me sinto nem um pouco interessado a servir a Cristo por esses meios. Opiniao pessoal. Obg minha cara por td isso. Ah! E a proposito nao sou catequista mas sou Ministro da Palavra em minha Comunidade.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Leilah 08-03-2012 08:56
Olá caríssimos Cadu e Vivi, 1) Cadu, não é necessário pedir desculpa alguma, pois em nenhum momento me senti ofendida. Como a Vivi disse, é comum no debate, usarmos expressões fortes. Mas aqui não se trata de uma questão pessoal, mas de uma questão objetiva que é a seguinte: VERIFICAR SE AQUILO QUE VOCE DIZ ACERCA DA TDL É VERDADEIRO OU NÃO, do Ponto de vista da igreja! Essa é a questão. E é séria, se você é catequista, pois fala em nome da igreja como catequista. 2) Louvado seja Deus porque você ama e estuda a doutrina da igreja. Por isso mesmo tem que estar atento ao que diz, sobretudo como catequista. Você diz “isso que você fala não é TDL?” Mas será que não ficou claro em minha exposição, que isso não é de modo algum “o que eu falo”, mas o que falam os papas???? São eles que falam meu irmãozinho! Não sou eu. Eu citei literalmente o santo padre. E não só eu, mas a própria autora do post que citou a seguinte fala de João Paulo II: “ A TDL é necessária!!” 3) Ora se o próprio papa disse que a igreja precisa dela (a igreja somos nós), que ela é útil e necessária, é óbvio que ela tem que ser seguida sim, ao contrário do que você diz. Se algo é necessário, é porque faz falta. Não sou eu que digo, é o bem aventurado João Paulo II. 4) Então não se pode dizer que é uma “heresia”. Então você acha que o papa João Paulo II ia lá dizer que uma heresia é necessária??? Então Bento 16 iria endossar uma heresia??? Os papas não são moleques que ora dizem uma coisa, depois dizem outra se contradizendo. Se você e os catequistas da sua paróquia fizerem um apanhado de todas as declarações dos quatro últimos papas (Paulo VI, João Paulo I , J.Paulo II e Bento 16) acerca da TDL, verão claramente que a TDL como tal não é condenada, não é heresia. E é seu dever como catequista se ater ao que o papa diz. 5) Também acompanho o grande Pe.Paulo Ricardo e fico feliz que você o tenha como referência segura. Por isso mesmo tenho certeza de que ele pode repetir exatamente o que tenho dito. Sei que nas primeiras colocações dele acerca da TDL ele não fez muitas distinções entre uma vertente que foi condenada e a TDL em si que não foi condenada. Mas depois ele foi mais preciso e claro ao dizer: “foi condenada a TDL marxista.” Está no site dele, nas aulas sobre “MARXISMO CULTURAL”, pode conferir. Pe.Paulo Ricardo é um grande especialista em catequese que se distingue pela precisão e exatidão da sua exposição. Se num primeiro momento ele usou a expressão TDL sem se ater a distinções entre dois tipos de TDL, isso se deve à uma preocupação e zelo pastoral. Ou seja, ele sabe que está no Brasil onde a TDL nociva fez mais estragos e apesar de moribunda, ainda tem certos espaços de influência no Brasil. Uma ferida tão profunda no corpo de cristo (a igreja) não se cura da noite para o dia. Há ainda cicatrizes e resquícios, traumas até. A própria fala da autora do post e os comentários que lhe fazem eco (incluindo o seu) são sinais desses traumas que ficaram nas comunidades cristãs do Brasil, por causa da teologia de Leonardo Boff e cia, essa sim desautorizada pela igreja. Esse homem lançou fortes ataques à identidade católica de tal modo que nem se pode dizer que ele é sequer cristão. 6) Contudo isso não nos pode fazer esquecer a recomendação de João Paulo II: “ A TDL é útil e necessária!” E a TDL não são o L.Boff e o “Frei” Beto. Se a boa TDL é maioria ou minoria, isso pouco importa no tocante à recomendação dos papas. É óbvio que eles estão incentivando, reforçando e recomendando a minoria, que afinal é a única válida e verdadeira. É interessante notar que Bento 16, ao censurar a vertente da TDL que ele censura, ele sequer a classifica como Teologia da Libertação. Ele diz literalmente: “uma vertente SOB O NOME de TDL?” Ou seja, se diz TDL, mas o será de fato??? 7) Como cristãos não podemos deixar que essas pessoas se apropriem de algo que pertence profundamente à identidade católica desde os tempos apostólicos. Não que tenhamos monopólio sobre ela, mas é um dom do Senhor que recebemos na alegria e humildade. Qual? O fato de que logo ao nascer a experiência cristã , a novidade de Deus Conosco, lançou luzes profundas sobre as questões da justiça e da solidariedade com os pobres e isso sempre foi notado como característica forte da igreja, pelos observadores externos. Quando um dos últimos imperadores pagãos de Roma quis restaurar o paganismo decadente para fazer frente a crescente hegemonia cristã-católica, uma das coisas que ele planejou foi que os sacerdotes pagãos passassem a acolher os pobres, tentando imitar a opção pelos pobres que marcava os cristãos. Portanto isso é nosso, desde o inicio. O que Leonardo Boff, muito desonestamente tentou espalhar foi que a TDL que ele segue inventou a roda, inventou a opção pelos pobres. Ele chamou Bento 16 de inimigo dos pobres porque o mesmo não aceitou que um MANUAL de TDL que ele ajudou a elaborar fosse livro de ensino nos seminários. Mas acontece que os documentos sociais de Bento 16 (a TDL de Bento 16) faz muito mais bem aos pobres do que ele, que acumula grana e mais grana, como escritor best-seller e palestrante regiamente pago. 8) RESUMINDO: A TDL não é heresia, não foi condenada. Uma vertente da TDL (representada sobretudo por Leonardo Boff, Frei Betto e outros) foi desautorizada pela autoridade da igreja. E essa mesma autoridade autorizou, recomendou e ensinou como deve ser feita uma “AUTENTICA TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO”. Ora pombas, se o papa diz que existe uma AUTENTICA TDL. Não faz sentido dizer : a TDL é uma heresia e não deve ser seguida. O lógico é dizer: existe uma TDL que a igreja não aprova e existe outra TDL que ela aprova. O próprio Padre Paulo Ricardo passou a distinguir isso quando fala: TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO MARXISTA. Sugiro o seguinte: pegue esse comentário meu e o envie na íntegra ao Padre Paulo Ricardo. Tenho certeza que ele dirá o mesmo que tenho dito.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cecilia 10-11-2011 11:31
Olá, queridos! Venho acompanhando O Catequista e admiro cada vez mais o trabalho de vocês. Bem, mas como é difícil a gente ter unanimidade em tudo mesmo, queria dizer que achei que vocês pegaram muito pesado neste artigo. Achei até um pouco desrespeitoso às pessoas mencionadas. De repente, podia ter sido escrito de outra forma. Imagino que instigue ainda muitos comentários inflamados e ofensivos. Tomara que não! Paz e bem!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # O Catequista 10-11-2011 12:04
Oi Cecília! Nós procuramos fazer tudo sempre de uma forma leve e bem humorada, mas desta vez, mesmo com bom humor, era necessário dizer o que deve ser dito sobre a TL. E escrever de outra forma talvez não desse a exata noção de como essa porcaria ideológica estragou a Igreja Católica na América Latina, a começar pelo clero. Temos alguns mosteiros famosos que são praticamente filiais dos partidos comunistas. Infelizmente, dada a contaminação da Igreja pela TL e pela ditadura do politicamente correto, dificilmente encontramos uma critica tão ferrenha sobre o assunto. Por mais esse motivo, precisávamos ser muito claros. Por fim, se você viu o vídeo, deve ter percebido que João Paulo II pegou bem mais pesado. Na ocasião o esporeou foi ao vivo pela TV e sem a menor cerimônia. Se o assunto não fosse extremamente grave, não teria sido assim. De qualquer forma, continue nos enviando a sua opinião! Comentários inflamados também podem nos dar a oportunidade de aprofundar mais alguns aspectos do assunto. Abraços!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Leilah 06-03-2012 15:28
Olha só , ainda que as exceções sejam raras (os poucos que fazem uma "Teologia da Libertaçao Autentica" como o papa pediu, fica claro que pelo simples fato de o papa ter reconhecido que existe uma Teologia da Libertação boa e válida, ela não pode ser chamada em si de "porcaria ideológica". É preciso distinguir a Teologia da Libertação das teologias da libertação. Nesse sentido se voce for olhar bem os documentos e declarações de Bento 16 (onde ele faz a correta articulação entre a fé e sua dimensão politica) acerca da TDL, verá que ele próprio é uma dessas raras exceções. O papa não só pede por autenticos teólogos da libertação, mas ele próprio é um deles, um dos maiores. Portanto para salvar o menino da água suja, não vamos jogar fora a bacia, á água e o menino juntos!Lembre-se que o papa João Paulo II disse : EU TAMBÉM SOU TEÓLOGO DA LIBERTAÇÃO. Assim se condenamos em bloco os teólogos da libertação como um todo, estaremos condenando também o Bem Aventurado João Paulo II. Se for refletir bem, esses caras que voce cita (Frei Beto, L.Boff) é que não são tão teólogos da libertação assim, se é que são mesmo teólogos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 06-03-2012 16:35
Leilah sua interpretaçao ta completamente equivocada. A TL é um cancer sombrio e ridiculo que NADA tem a ver com a Igreja, NADA! Um imbecil como o Hugo Chaves suja o nome de Jesus dizendo q Ele era um revolucionario politico precursor do socialismo... ridiculo. "Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus." Devemos nos submeter as autoridades, sempre as questionando em seus erros e a TL é um saco podre de heresias. O Santo Padre nao é TL. Dizer é isso é provar que de catolico a pessoa nao tem nada. Nada mesmo, nem um fiapozinho de cabelo. O Beato Joao Paulo II, um homem que viver boa parte da vida num regime marxista, sabia extamente o embuste safado do encardido q é a TL. Qndo ele visitou o Brasil nao teve medo de gritar em pleno Maracanã a heresia e a maldade da luta de classes. Como católicos, nao podemos admitir a TL. A TL é uma HERESIA, e como tal passivel de excomunhao. Simples e eficaz. Repense minha cara. Reavalie. Vale a pena seguir uma idologia que não cre no amor? Que nao cre nos milagres e na redençao? Que se finge de religiosa enquanto é na verdade um verdadeiro Partido Comunista? Se vale mais a pena seguir isso q a Igreja de Cristo entao td q se fala no blog é louco e perturbado das ideias. Se vc é catolica Leilah, nao pode ser TL. Se vc for desrespeita a ordem da Doutrina da Fé e portanto se auto excomunga. De td coraçao espero que nao seja seu caso. Abraço! Pax et ignis!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Leilah 07-03-2012 15:40
Leia primeiro os documentos dos dois últimos papas onde está escrito exatamente o que afirmo acima. Outra sugestão: envie seu texto à Congregação para a Doutrina da Fé (organismo que auxilia o magistério papal) tal como ele está e veja se a mesma confirma as coisas que voce está dizendo. Por favor, fale em nome próprio, pois é desonesto usar o nome do santo padre para dizer coisas que ele não disse. Se a TDL autêntica é pensar a dimensão politica e social a partir da fé e não o contrário (definição essa que vem dos dois últimos papas) e o papa faz isso, é óbvio que o papa faz Teologia da Libertação, é questão de lógica! João Paulo II e Bento XVI são os maiores e melhores teólogos da libertação sim senhor. Pois eles, a partir da nossa conversão a Jesus na comunhão católica, refletem sobre o compromisso do cristão com a justiça. Todas as encíclicas sociais de João Paulo II são obras primas de TDL, se voce parte do conceito de TDL que o próprio deu. São inumeras as falas e escritos de João Paulo II e Bento 16, dizendo que existem dois tipos de TDL: a boa e a ruim (pra simplifcar). Voce não pode simplesmente negar que os papas afirmaram isso, porque afirmaram e muitas vezes. O máximo que voce pode fazer é dizer que discorda do papa nesse ponto. E não estaria fazendo nada de mal, pois os papas não disseram isso, investindo a infalibilidade ou proclamando dogma. Mas afirmar que os papas condenaram a TEOLOGIA da LIBERTAÇÂO em si, é falso, é desonesto, porque isso simplesmente não ocorreu. Consulte Roma a respeito, se a leitura dos documentos já publicados acerca do assunto não forem bastante. Sei que muita gente afirma que ela foi sim condenada em si e no todo. Mas isso é simplesmente falso. Isso jamais ocorreu. A condenação de uma vertente teólogica pelo vaticano é algo oficial com BULA de CONDENAÇÃO e tudo. Repito, fale em seu nome pessoal quando discordar de algo. Respeite o santo padre e não use o nome dele, porque isso é leviano. Isso jamais ocorreu. Terceira sugestão: leia Segundo Galilea, um bom teólogo da libertação: voce não vai encontrar uma só página dele que seja contra a fé católica, pois ele faz questão de seguir o Magistério da Igreja. Mais uma vez sugiro que voce consulte Roma diretamente (o cardeal Hugo Levada responde diretamente e com muito carinho à qualquer questão) com uma pergunta bem direta e precisa: OS PAPAS CONDENARAM A TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO COMO TAL OU APENAS AQUELAS FORMAS CONTRÁRIAS À FÉ DA IGREJA? E por favor, tenha a honestidade de publicar a resposta exatamente aqui neste espaço público. O que é mentido em público deve ser desmentido em público. É o mínimo que a honestidade e o bom caráter pedem! Seu em Cristo. Leilah.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Leilah 07-03-2012 15:37
Leia primeiro os documentos dos dois últimos papas onde está escrito exatamente o que afirmo acima. Outra sugestão: envie seu texto à Congregação para a Doutrina da Fé (organismo que auxilia o magistério papal) tal como ele está e veja se a mesma confirma as coisas que voce está dizendo. Por favor, fale em nome próprio, pois é desonesto usar o nome do santo padre para dizer coisas que ele não disse. Se a TDL autêntica é pensar a dimensão politica e social a partir da fé e não o contrário (definição essa que vem dos dois últimos papas) e o papa faz isso, é óbvio que o papa faz Teologia da Libertação, é questão de lógica! João Paulo II e Bento XVI são os maiores e melhores teólogos da libertação sim senhor. Pois eles, a partir da nossa conversão a Jesus na comunhão católica, refletem sobre o compromisso do cristão com a justiça. Todas as encíclicas sociais de João Paulo II são obras primas de TDL, se voce parte do conceito de TDL que o próprio deu. São inumeras as falas e escritos de João Paulo II e Bento 16, dizendo que existem dois tipos de TDL: a boa e a ruim (pra simplifcar). Voce não pode simplesmente negar que os papas afirmaram isso, porque afirmaram e muitas vezes. O máximo que voce pode fazer é dizer que discorda do papa nesse ponto. E não estaria fazendo nada de mal, pois os papas não disseram isso, investindo a infalibilidade ou proclamando dogma. Mas afirmar que os papas condenaram a TEOLOGIA da LIBERTAÇÂO em si, é falso, é desonesto, porque isso simplesmente não ocorreu. Consulte Roma a respeito, se a leitura dos documentos já publicados acerca do assunto não forem bastante. Sei que muita gente afirma que ela foi sim condenada em si e no todo. Mas isso é simplesmente falso. Isso jamais ocorreu. A condenação de uma vertente teólogica pelo vaticano é algo oficial com BULA de CONDENAÇÃO e tudo. Repito, fale em seu nome pessoal quando discordar de algo. Respeite o santo padre e não use o nome dele, porque isso é leviano. Isso jamais ocorreu. Terceira sugestão: leia Segundo Galilea, um bom teólogo da libertação: voce não vai encontrar uma só página dele que seja contra a fé católica, pois ele faz questão de seguir o Magistério da Igreja. Mais uma vez sugiro que voce consulte Roma diretamente (o cardeal Hugo Levada responde diretamente e com muito carinho à qualquer questão) com uma pergunta bem direta e precisa: OS PAPAS CONDENARAM A TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO COMO TAL OU APENAS AQUELAS FORMAS CONTRÁRIAS À FÉ DA IGREJA? E por favor, tenha a honestidade de publicar a resposta exatamente aqui neste espaço público. O que é mentido em público deve desmentido em público. É o mínimo que a honestidade e o bom caráter pedem! Seu em Cristo. Leilah.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 06-03-2012 17:55
Calma, aí, Cadu, não é bem assim. A TL é um fenômeno muito complexo. Confesso que fico com meus dois pés atrás quando alguém diz que é simpatizante da TL, mas a Leilah está correta. Bento XVI, nas muitas vezes em que condenou a TL (mesmo antes de ser papa), sempre deixa claro que está se referindo ao bloco da TL que "compreende apenas aqueles teólogos que, de algum modo, fizeram própria a opção fundamental marxista" (trecho do artigo “Algumas observações preliminares sobre a teologia da libertação”. RATZINGER-MESSORI, A fé em crise: o Cardeal Ratzinger se interroga, EPU, 1985, p. 135-145). Ou seja, como já foi dito no nosso post, nem todas as linhas da TL são de se jogar fora, pois nem todas têm raiz marxista. Alguns membros da chamada TL propõe a responsabilidade do cristão para com os pobres e oprimidos de forma teologicamente muito correta, e o Papa atual reconhece isso. Mas a grande maioria das obras da TL são, de fato, um lixo. E é para isso que chamamos a atenção aqui.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo 10-11-2011 10:23
Só para constar meus amigos: o Decreto Contra o Comunismo ordenado pelo Papa Pio XII e homologado por João XXIII, EXCOMUNGA AUTOMATICAMENTE QUALQUER ASSOCIAÇÃO COM O COMUNISMO. Então, manganão, se vc tá aí com sua bandana do Che, teu pôster do Marx, todo orgulhoso da tua filiação ao PT: Tú tá fora do Reino de Deus. Otário. Por isso que eu xingo padre comunista.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo 10-11-2011 10:14
Ih! Agora o blog vai encher de cachorro louco comunista, votantes na Dilma e outros esquerdões. Atenção povo católico! lá vêm os neuróticos defensores do povo que morrem de medo de pobre! Já viram comunista pobre? Muito bom post, principalmente para alertar esses padrecos que defendem a esquerda escocesa brasileira (adoram um whisky 21 anos). Como membro, eu sugiro: ignorem, marxista não debate, morde.
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade