Publicidade
Terça, 08 Novembro 2011 08:00

São Nunca, o padroeiro das mulheres de batina

Postado por
barbie_batina_pretaTemos uma notícia quentíssima para as feministas, muderninhos e progressistas: a Igreja permitirá que as mulheres se tornem padres! É só uma questão de tempo. Fontes confiáveis do Vaticano dizem que a permissão será em uma data muito especial: no dia de... São Nuncaaaaaa!

A seguir, comentamos alguns dos principais argumentos utilizados por aqueles que defendem a ordenação de mulheres.

“Jesus só escolheu apóstolos homens é verdade, mas fez isso por causa do contexto social da época.”

E desde quando Jesus dava bola pra convenções? Nos Evangelhos, vemos a Sua pouca reverência às normas pseudo-religiosas e sociais: sentava-se à mesa com prostitutas e “impuros” em geral, curava aos sábados e xingava aqueles que se diziam mestres da religião. Não tendo a menor preocupação em ser popular, espantou muitos discípulos, chocados com suas palavras.

Pois bem, Jesus tinha numerosas seguidoras, entre elas, Maria, Sua Mãe de incomparável honra e santidade. Mas não deu a autoridade dos Apóstolos a nenhuma delas!  Se Ele quisesse fazer isso, alguém acha que a opinião da sociedade o impediria?

“Homens e mulheres são iguais diante de Deus. Portanto, não há qualquer motivo razoável que impeça o acesso das mulheres ao sacerdócio.”

Como bem diz São Paulo, “Já não há judeu nem grego, nem escravo nem livre, nem homem nem mulher, pois todos vós sois um em Cristo Jesus” (Gal 3:28). De fato, a dignidade dos homens e mulheres é idêntica. Porém, estes dois sexos não são tão diferentes à toa, tanto na constituição física quanto psicológica.

Homens são de Marte e mulheres são de Vênus! E esta diversidade se reflete na sua relação com os demais, com o trabalho, com a família, com a comunidade cristã e com Deus.

Cristo era homem, e isso não foi por acaso: a sua masculinidade refletia a identidade masculina do Criador, que se revelou como Pai, e não como Mãe. Por isso, tantas vezes o Nazareno referiu-se a si mesmo como o Filho do Homem.

Também os Apóstolos formavam um "Clube do Bolinha", não por acidente. Afinal, o sacerdote, imagem de Cristo, tem a Igreja por sua Esposa (é assim que a Bíblia chama a Igreja: "Esposa de Cristo"). Como uma mulher sacerdotiza poderia ter esta mesma relação "matrimonial" com a Igreja? A masculinidade é, portanto, condição fundamental para que uma pessoa possa representar o Filho de Deus na Terra, exercendo as mesmas funções que Ele exercia.

“...o fato de Maria Santíssima (...) não ter recebido a missão própria dos Apóstolos nem o sacerdócio ministerial, mostra claramente que a não admissão das mulheres à ordenação sacerdotal não pode significar uma sua menor dignidade nem uma discriminação a seu respeito, mas a observância fiel de uma disposição que se deve atribuir à sabedoria do Senhor do universo.”

João Paulo II, Carta Apóstólica Ordinatio Sacerdotalis

“A Igreja exclui as mulheres das posições de maior representatividade. Devemos lutar pelos nossos direitos!" Direitos?!  O sacerdócio não é um direito.  É bom lembrar que um dos principais ensinamentos de Jesus foi o de que devemos estar na Igreja com o desejo de servir, e não de alcançar reconhecimento.

São Francisco de Assis, por exemplo, nunca foi padre, e é uma das personalidades mais relevantes da cristandade. E o que ele foi mesmo? Basicamente, foi um mendigo. E você aí, mulher, toda trabalhada no salto e na chapinha, tá reclamando da vida porque? Quer poder? Vai caçar em outras bandas! Apesar de muita gente praticar o contrário, a Igreja não é lugar pra alpinismo espiritual.

Quem se preocupa com cargos eclesiásticos não está preparado para servir a Cristo. Nós, mulheres, devemos seguir os passos de Madre Teresa de Calcutá (religiosa) e Zilda Arns (médica, esposa e mãe), que queriam somente amar a Cristo e servir aos irmãos. Quem poderá medir o bem que elas fizeram?

“Na Igreja primitiva havia mulheres diaconisas. Então porque não podemos ser diaconisas hoje?”

Em uma de suas cartas, São Paulo se refere com muito respeito à diaconisa Febe (I Rom 16, 1). Mas é um equívoco pensar que as diaconisas exerciam funções equivalentes àquelas que os diáconos exercem hoje. Reparem que São Paulo proíbe as mulheres de tomar a palavra nas assembleias da Igreja; assim, as mulheres não podiam fazer homilias ou pregar nas assembleias:

"Que as mulheres fiquem caladas nas assembleias, como se faz em todas as Igrejas dos cristãos, pois não lhes é permitido tomar a palavra." (1Cor 14: 34s)
O trabalho das diaconisas  era muito próximo ao que as freiras fazem hoje: cuidavam e visitavam os enfermos, socorriam os mais pobres etc. Elas também batizavam outras mulheres, mas esta função foi suprimida com o tempo, já que o batismo de adultos tournou-se mais raro. Porém, as diaconisas jamais exerciam funções sacerdotais ou ligadas ao serviço ao altar, como explica Santo Epifânio (+ 403), em seu célebre Panarion:
“Quanto à categoria das diaconisas, existente na Igreja, não foi destinada a cumprir funções sacerdotais ou outras similares. As diaconisas são chamadas a salvaguardar a decência que se impõem no tocante ao sexo feminino, seja cooperando na administração do sacramento do Batismo, seja examinando as mulheres afetadas por alguma enfermidade ou vítimas de violência, seja intervindo todas as vezes que se trate de descobrir o corpo de outras mulheres a fim de que o desnudamento não seja exposto aos olhares dos homens que executam as santas cerimônias...”

(Panarion LXXIX 3)

“A Igreja Católica proíbe a ordenação de sacerdotal de mulheres porque é uma instituição machista”.

Eu faço um desafio a qualquer mulher: vá viver por um ano em uma nação não-cristã – entre comunistas, islâmicos, hinduístas ou índigenas – e depois eu quero ver se você vai continuar com esta cantilena. Dê graças a Deus, mocinha, por ter nascido em um país fortemente influenciado pela cultura cristã. Ao menos 90% do que você chama de liberdade é fruto dessa influência.

Em 2 mil anos de História da Igreja, jamais uma mulher foi ordenada sacerdote (ao menos não de forma válida). E esta restrição não se dá porque a Igreja acha que somos menos santas, menos inteligentes ou menos capazes do que os homens, mas sim porque é fiel às Escrituras e à Sagrada Tradição herdada dos Apóstolos.

[caption id="attachment_2356" align="aligncenter" width="365"]clube_do_bolinha As Luluzinhas podem chiar à vontade... No seminário, só entra espada![/caption]

Atacar a decisão sobre a impossibilidade da ordenação de mulheres, no fundo, é negar a Tradição e a ação do Espírito na condução da Igreja sobre questões de fé e moral. Quem insiste em atacar esta determinação comete pecado de heresia, pois contraria uma declaração oficial do Papa para a totalidade dos fiéis, que possui caráter infalível e definitivo:

“...declaro que a Igreja não tem absolutamente a faculdade de conferir a ordenação sacerdotal às mulheres, e que esta sentença deve ser considerada como definitiva por todos os fiéis da Igreja.”

- João Paulo II

Em suma: é mais fácil um homem engravidar do que a Igreja aprovar a ordenação sacerdotal da mulheres. Haja vela pra São Nunca!
1122 Segunda, 01 Agosto 2016 14:28

Comentários   

0 # Frederico Lotti 25-08-2015 18:07
Olá, tudo bem? Poderiam me tirar a dúvida? “…declaro que a Igreja não tem absolutamente a faculdade de conferir a ordenação sacerdotal às mulheres, e que esta sentença deve ser considerada como definitiva por todos os fiéis da Igreja.” - Papa João Paulo II Ele pronunciou isso em ex-cathedra?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Luna 01-04-2015 15:34
Sou feminista, sim: defendo que, em se tratando de questões civis, de direitos e garantias perante o Estado, homens e mulheres devem ser tratados de forma isonômica. Estado e Igreja, no Brasil, não se confundem. Ninguém é obrigado a adotar uma religião e o Estado não pode intervir nos dogmas da Igreja. Sinto muito por quem acha que feminismo significa destruição de valores religiosos. Sou católica. Como feminista, busco pela igualdade perante o Estado, tratamento respeitoso perante a sociedade - não quero ter que ouvir, nunca mais, que ganho minhas causas por ser bonita, que fui contratada pela embelezar um escritório. Como cristã, respeito os dogmas da Igreja e não os discuto. Como jurista e cristã, defendo o direito fundamental à vida e digo não ao aborto.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 02-04-2015 13:08
Luna, o movimento feminista foi sequestrado pela esquerda marxista, que é essencialmente anti-cristã. Ser a favor das bandeiras que você levanta não nos obriga a ser feministas. São coisas bem diferentes. Recomendo que vc veja este vídeo: https://www.facebook.com/video.php?v=803724509713106
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Pobretano 07-07-2016 13:01
O feminismo nunca prestou, desde os tempos das ditas Sufragettes - que não se consideravam feministas, mas defendiam muitas das bandeiras. Se você se diz feminista, eu posso apostar (mesmo não sendo católico) que é obrigada a renunciar um monte de dogmas ou do feminismo ou do cristianismo. Ou mesmo ser excomungada! Eu poderia apontar um porrilhão de coisas contra o feminismo, mas vou ser mais direto em sua definição. Feministas dizem ser "a favor da igualdade dos sexos/gêneros/wtf", mas isso é mentira. O fato é que o feminismo diz lutar pela igualdade/equidade, mas com uma qualificadora: a de que as mulheres são as que merecem ter seus problemas de "menos direitos" resolvidos, a de que elas são as protagonistas e que elas são as oprimidas pelo "cis-tema machista misógino patriarcal opressor". Isso se torna óbvio quando se fazem muitas perguntas indiscretas às "feminazis". Um exemplo bem bobo: elas dizem que mulheres ganham menos por serem mulheres (usando uns estudos obscuros e sem fazer uma devida análise dos dados estatísticos) e acreditam que esse é um problema machista que deve ser eliminado. Porém, quando se aponta ou que atrizes pornô ganham mais que atores pornô, ou mesmo que Gisele Bündchen ganha dez vezes mais que os dez homens mais bem-pagos do mundo da moda (sim, é difícil até saber os seus nomes!), elas novamente falam que o machismo implica a objetificação da mulher, e por isso elas ganham mais em troca da humilhação de serem objetos. Ou seja: mesmo quando mulheres se dão bem, a culpa é do "maldito machismo". Que interessante forma de culpar a toda uma "classe" por tudo, não? Os homens são a nova "a burguesia fede" - ou, em razão de certos comentários, vou além: os homens são o novo "rato judeu" ou "crioulo imundo"... Virtualmente nenhuma feminista toca em assuntos que dizem respeito à "inequidades" que afetam os homens - exceto algumas dissidentes como Camile Paglia e Christina Hoff Sommers, as quais são rejeitadas pelo feminismo. Quando tais coisas são comentadas, as respostas sempre giram em torno de: - "o feminismo não é sobre igualdade formal mas igualdade material" ou "não é igualdade, é equidade" - "este é um problema dos homens, logo cabe aos homens lutar por isso" ou alguma versão escrachada, como "lá vem ozome com seus iuzomismo". (Engraçado que as mesmas feministas abordam suas questões pelas quais lutam como sendo culpa dos homens e que os homens devem lutar pelas mulheres... legal esse duplo padrão anexado com culpa-dos-outros!) - "estas coisas são consequência do machismo, logo as feministas indiretamente estão lutando contra isso também" - entre outros Isso, quando não vem acoplado de mais alguma tergiversação do tipo "os homens deveriam auxiliar o feminismo, dado que temos problemas como e isto é culpa dos homens". O feminismo é uma ideologia de ódio a toda a classe masculina, independente de toda essa consideração marxista. Mesmo porque curiosamente um dos maiores antifeministas dos tempos das sufragettes era um marxista - mas estou me alongando demais.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # REINALDO 31-03-2015 18:01
Lembro de um retiro com a Irmã Briege McKenna, que possui um ministério com Bispos e sacerdotes. O erro de muitos que querem o sacerdócio feminino é não considerar a vontade de DEUS e se comparar e se inferiorizar como se só bastasse as mulheres serem capazes de desempenhar os oficios sacros. Não é essa a questão. Não é uma questão de AUTORIDADE mas de SERVIÇO. O sacerdócio não fará maior ou menor no Reino, prova disso é que a Santíssima Virgem na ordem da Graça possui uma condição superior. Nós veremos no céu mendigos acima de bispos e padres... A Briga não quer ver que a questão é a vontade de DEUS manifesta como tal na sagrada Escritura. Assim como o papel de uma Mãe não é inferior a de um Pai, mas é distinta e no serviço se posiciona de uma maneiraque não se busca o maior o menor, ou melhor: MAIOR é aquele que serve:E houve também entre eles contenda, sobre qual deles parecia ser o maior. E ele lhes disse: Os reis dos gentios dominam sobre eles, e os que têm autoridade sobre eles são chamados benfeitores. "Mas não sereis vós assim; antes o maior entre vós seja como o menor; e quem governa como quem serve. Pois qual é maior: quem está à mesa, ou quem serve? Porventura não é quem está à mesa? Eu, porém, entre vós sou como aquele que serve." Lucas 22:24-27
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Camila Lobo 31-03-2015 17:47
E sobre as mulheres Pregadoras, que tomam a palavra diante da assembléia ? É permitido?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 31-03-2015 19:57
As mulheres podem e devem pregar o Evangelho, desde que não seja durante os ritos litúrgicos. Podem ministrar palestras em retiros, cursos de catequese, programas de TV e rádio católicos, grupos jovens etc.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Lindalva Cordeiro Lopes 23-01-2015 01:27
Vejam a preocupação do Santo Padre, o Papa Francisco em relação às mulheres:http://www.dm.com.br/cidades/2015/01/dura nte-encontro-nas-filipinas-papa-condena-machismo-e -pede-mais-espaco-para-mulheres.html Não está se referindo a sacerdócio feminino, mas a uma maior valorização do trabalho e dedicação da mulher à Santa Igreja e à quebra de preconceitos. Bora, gente, acabar com o preconceito, mulher é um ser divinal, que em tudo que faz empresta delicadeza, compromisso, amor. O que seria de nossa Paróquias sem o trabalho amoroso e compromissado de tantas santas mulheres? Pensem nisso!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Lindalva Cordeiro Lopes 23-01-2015 01:21
Uma dúvida, seres humanos, homem e mulher, não são imagem e semelhança de Deus? Ambos não têm alma, ambos não precisam da salvação por intermédio de Jesus. Ambos possuem direito à unção dos enfermos, missa de sétimo dia. Mulheres não são batizadas e consideradas fiéis da Igreja? Por que o texto e os homens que aqui comentam, repassam um ranço de desprezo pela figura da mulher. A Igreja e os seus fiéis precisam lutar para uma maior valorização da mulher, para que no mundo inteiro diminua a violência contra a mulher, os assassinatos por parte dos companheiros, os chamados crimes passionais. É nosso dever valorizar e enaltecer a figura da mulher, esposa, mãe, religiosa, profissional, e não instigar desprezo e ideia de inferioridade quando se fala em mulher nas entrelinhas. Engraçado que não percebo nesse blog nenhuma ironia e comentários depreciativos quando falamos de homens. Bora, minha gente, reconhecer o valor das mulheres e apagar preconceitos contra elas, afinal todos nós ficamos nove meses no ventre de uma. E até Jesus quis nascer do ventre sagrado de uma mulher, a preciosa e sempre Virgem Maria. Pensem no assunto! Quero ler textos de homenagem e enaltecimento da mulher nesse blog.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # André Marques 03-02-2014 13:02
Um belo e esclarecedor trabalho de catequese, nunca desanimem, pois nós católicos não somos de perder o ânimo, para nossa ruína. Se São Pedro estivesse aqui iria falar da sua catequese o mesmo que falou da de São Paulo, que possuem pontos difíceis que alguns interpretam erroneamente, mas quem procura aprender de coração aberto pode se deliciar dos ensinamentos. Parabéns!!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Clarinha França 06-12-2013 13:39
Ainda não me sai da cabeça a questão das diaconisas. Elas fariam um Bem enorme para a Igreja, já que a maioria esmagadora da população católica é de mulheres. NÃO NEGUEMOS ESTATÍSTICAS. A quantidade de padres por habitante de paróquia ainda é BAIXÍSSIMA! A messe é grande e os operários são poucos. Eu entendo perfeitamente de só haver homens como padres, pois eles representam o Cristo na terra, mas se você constatarem, antes do Concílio Vaticano II, quem eram os diáconos? Eram seminaristas em término de curso, que logo que se tornavam padres deixava-se de ter diáconos. Os diáconos permanentes são uma grande mudança na Igreja devido ao Concilio. Os diáconos na maioria são casados, e um diácono só pode o ser com uma autorização expressa da esposa. A esposa do diácono já é chamada informalmente de diaconisa. Quando a esposa falece, o diácono não deverá se casar outra vez, no entanto se o diácono falece antes, quem vai ficar no seu lugar, exercendo suas funções? Meu pai é diácono e minha mãe já expressou de que gostaria de ser diaconisa. Também acho que deveria ter uma ordem religiosa de freiras diaconisas. Cidades do interior, no qual não tem um padre que fique celebrando durante semana, quem dá a comunhão aos fiéis e faz a homilia? São as MINISTRAS. Eu sei, eu vi.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 06-12-2013 13:49
Oi, Clarinha! Conforme mostramos nos escritos de Santo Epifânio, a função de diaconisa na Igreja primitiva não era o equivalente à função de diácono, em nossos dias. Se hoje em dia uma mulher fosse ordenada diaconisa, seria algo muito negativo, pois ela exerceria algumas funções que, por fidelidade à Tradição da Igreja, só cabem aos homens, como, por exemplo, a leitura do Evangelho. O Evangelho é Palavra do Senhor, então é muito importante que um homem empreste a Sua voz para que o Cristo fale à comunidade. A função as diaconisas exerciam na Igreja primitiva é, basicamente, a mesma das freiras.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alessandro 13-11-2013 16:51
Gostei muito do texto. Só achei muito forte a expressão "identidade masculina do criador". Em um comentários foi explicado melhor, inclusive com uma citação o Bento XVI. Acho, que vale uma edição no texto, visto que ele continuará sendo acesso e o conteúdo é muito bom. fraterno abraços
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 13-11-2013 16:59
Oi, Alessandro! Fizemos um post sobre esse assunto, explicando melhor a questão: Javé: Homem ou Mulher? http://ocatequista.com.br/archives/5418 Abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # elio alcantara g. dos santos 22-10-2013 15:33
Se Jesus não convocou as mulheres para apostolo é por que teve ordens do Pai e devemos sim como bons cristãos obedecer a Sagrada Escritura.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Jésli 22-10-2013 15:12
Ameeei a parte que diz: "Quem se preocupa com cargos eclesiásticos não está preparado para servir a Cristo. Nós, mulheres, devemos seguir os passos de Madre Teresa de Calcutá (religiosa) e Zilda Arns (médica, esposa e mãe), que queriam somente amar a Cristo e servir aos irmãos. Quem poderá medir o bem que elas fizeram?" Parabéns!!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # José Davi 22-10-2013 12:16
É muito estranho ver uma mulher dizer "isto é o meu corpo"... Confesso que por muito tempo apoiava a ordenação de mulheres e tals... Tenho até uma amiga que queria que eu fosse o papa para sancionar a lei (vê se pode kkkkk)... Ai entrei no seminário diocesano e ela no convento das Irmãs Missionárias de Ação Paroquial e tomamos consciência
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Pedro Araujo 22-10-2013 10:56
Bom dia, comecei a acompanhá-lhos esse ano e venho lendo diversos posts, sempre com interesse maior. Apenas quero parabenizá-los pelo blog e rogar ao Espírito Santo para que continue iluminando esse trabalho. Quanto ao post acima nada a acrescentar, somente dando muita risada do 1º comentário d'A Catequista (08/11/2011) "tinha que ser um hermano", rsrs. Abraços...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 22-10-2013 11:26
Abraço e obrigada pela força, Pedro!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Papa Francisco dá Hadouken em padre “inclusivo” | O ANUNCIADOR 26-09-2013 18:13
[...] era um padre “inclusivo”: se declarava a favor do casamento gay e do sacerdócio feminino. Também realizava missas dominicais em que homossexuais praticantes eram estimulados a comungar. [...]
Responder | Responder com citação | Citar
0 # monalisa 31-07-2013 11:45
viviane se um dia voce poder voce me explica essas passagens da biblia, sempre tenho uma grande confusao na minha cabeça http://www.testosterona.blog.br/2009/11/05/seria-a-biblia-machista-tambem/
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Diego Araújo 22-02-2013 19:09
Certa vez, diante de algumas amigas que mostraram visível desconforto diante da passagem "as mulheres sejam submissas aos seus maridos" (Ef 5,22), a mãe de uma delas, viúva, percebeu a reação delas e comentou: "porque todas só prestam atenção nessa passagem e esquecem que os maridos devem amar suas esposas como Cristo amou a Igreja? Dando a própria vida!". Era algo que ninguém tinha pensado. Mesmo assim, trata-se de um tema polêmico e frequentemente mal interpretado, gostaria muito de ver um post a respeito. E que Deus abençoe toda a equipe d'O Catequista!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # HENRIQUE DUARTE 22-02-2013 12:26
Acreditem se quiser.. certo bispo em seus escritos afirma que a problemática da admissão das mulheres ao Sacerdócio é uma questão de Metafísica..rsrs Com certeza ele (o bispo) não sabe o que é metafísica...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rayana 12-09-2012 10:40
Passando só para lembrar do post que a catequista me prometeu!!!hehehe Estou esperando!!!hahaha ;)Passo aqui de vez em quando pra ver se já rolou!!!
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Rayana 05-06-2012 15:25
Obrigada!!!E Deus lhe pague!!! PS:Parabéns pelo blog, trata de temas importantes através do humor!Já chorei de rir em alguns!!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rayana 05-06-2012 12:18
Só pra esclarecer, assim como a Aline, também não acho "menos dignas" essas funções, pleo contrário, sinto que, quando tiver filhos vou querer me dedicar integralmente à eles! Mas amo muito a Igreja, me empolgo muito por muitas coisas que estou conhecendo da nossa rica e profunda Doutrina e Tradição e sinto que posso contribuir!Mas por exemplo esse negócio do Salmo, fiquei meio assim pois li um relato de Exorcismo do Pe. Gabrielle Amorth em que os "ditos cujos" foram obrigados por Nossa Senhora a dizer que Deus não quer mulheres servindo na Missa, por isso penso em sair o quanto antes...Estou só dando um tempo pois acabei de entrar e o Padre até nos inscreveu em um curso sobre Salmos dado pelo Puc, etc Mas enfim!Realmente, existem muitas formas de servir à Igreja que não sejam na Missa, lendo os comentários que me dei conta disso...Mas continuo querendo entender como Deus vê a mulher, filosoficamente falando...Estou estudando a Teologia do Corpo e tenho me encantado, é muito bonito esse ensinamento da Igreja sobre a complementaridade dos sexos e de suas funções...mas gostaria de me aprofundar mais!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 05-06-2012 14:23
Pois é, Rayana... Já faz sete meses - sete! - que prometemos um post sobre este tema para Aline, e até agora estamos devendo (vergonha). Sempre que este post me vinha na cabeça eu acabava adiando a sua produção, pois é um tema trabalhoso, que tem muitas raízes históricas e bíblicas. Bem, vou me dedicar mais a isso agora, e assim que ficar pronto aviso a vc e à Aline por email.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rayana 05-06-2012 12:03
Por favor, seria muito importante que vocês apresentassem a visão da Igreja sobre o papel da mulher e, complementarmente, do homem, na Igreja e na sociedade, e as respectivas particularidades da espiritualidade de cada um...Às vezes, quando leio alguns textos que tentam explicar isso sinto como a Aline, como se a mulher fosse inferior aos olhos de Deus, fico me sentindo não tão amada por Ele (embora saiba que isso não é verdade e lute para não me deixar dominar por esses sentimentos...)A impressão que me dá é que aos olhos de Deus a mulher tenha sido realmente planejada para cuidar da casa, dos filhos e do marido sem ter nada à contribuir ao mundo "lá fora"(tem alguns site católicos que defendem claramente isso). É isso mesmo?Me sinto muito perdida em relação à minha vocação como um todo (na sociedade, na Igreja, etc)... Me tornei salmista na minha Paróquia e penso em sair pois questiono se talvez Deus não queira isso para mim...Mas sinto necessidade de entender melhor essas questões antes de dar um rumo à minha vida...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Leniéverson Azeredo 17-02-2012 19:55
Acontece que existe uma espécie de feminismo padrão que tenta transpor do mundo para a igreja um conceito corporativo da mulher, ou seja, a ideia da igualidade entre homem e mulher na Igreja.Depois da questão das "Católicas" pelo direito de decidir, essa é a bobagem, a da ordenação de mulheres, mais sem nexo, que já vi.Dentro da Igreja podem ser Ministras Extraordinárias da Distribuição da Comunhão Eucarística, lideres de Encontro de Casal com Cristo e Equipes de Nossa Senhora, dirigir obras assistenciais católicas, ser legionárias de Maria, ser coordenadoras de pastorais, ser da equipe dos vicentinos, secretárias paroquiais, além de coordenadoras de pastorais.Então, o que as mulheres querem ser mais?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 17-02-2012 18:01
Acho que nem São Nunca ia querer ser padroeiro de uma mentira kkkk
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Karina 10-02-2012 11:41
Gente, esse site é ótimo!! Eu esqueci até de ir almoçar!! Parabéns a toda a equipe d´O Catequista!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 12-12-2011 21:23
Kkkk somos sim Vivi, irmãos em Cristo, irmãos na fé, irmãos na missão.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 12-12-2011 09:04
Calma Paulão... Os erros do protestantismo vão findar. Cegos qguiam cegos caem no buraco. Temos q lembrar q Hanss, Lutero, Calvino, eram teologos q não aceitaram a Verdade. O q foi dito nesse post nao tem a ver com o estudo protestante, mas com o fato de q a ocorrencia de pastoras não tolerável na Igreja. Eles não aceitam a Verdade, cabe a nós fazê-los tentar entender.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo "O Historiador" 12-12-2011 08:54
Eu já vi Aline, Conheço pastores formados em "teologia", até sei de um que é especializado em escatologia. Posso lhe garantir uma coisa, são descaradamente desonestos, digo isso porque há questões absolutamente impossíveis de de se responder sob a ótica protestante, mesmo assim eles perpetuam a mentira, uma vez que já houve desses "teólogos" que afirmou: para que nossa religião sobreviva temos que sufocar a verdade da religião do papa. Meus queridos, correndo o risco de ser chato e repetitivo eu vos digo, não tapem os ouvidos; a coisa é muito, muito pior do que vocês imaginam.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 12-12-2011 08:04
Magina Aline, eu q agradeço por poder ter ajudado um pouquinho, mas mais do q todos eu agradeço ao blog como sempre. Alê, Vivi, Paulo e Ricardo, vcs sao 10!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 12-12-2011 16:07
Vc é suspeito pra falar de nós e do blog, Cadu. O pessoal já deve estar achando que vc é nosso parente! rsrs
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 18-11-2011 11:52
Admiro mto vc Aline por esse espirito questionador. Como disse antes, gosto mto de quem fala aquilo q mtos pensam mas tem medo de perguntar. Vc apontou a existencia de mulheres pastoras, oq de fato existe em mtas igrejas protestantes. Veja: os protestantes não aceitam os Sacramentos de Cristo como um todo. Eles dizem admitir o "batismo" e a "eucaristia", mas na verdade nao aceitam o batismo verdadeiro, nem creem na transformaçao do Pão e do Vinho, no Corpo Sangue Alma e Divindade do Senhor, apenas na dita "presença simbólica" de Cristo, simplismente a MAIOR DAS HERESIAS! Os protestantes não tem nenhum outro Sacramento. Não creem em Confissao, Crisma, Unçao dos Enfermos, Matrimônio ou Ordem. Simplismente aceitam qualquer um q num belo dia quis ser pastô. Com todo o respeito e amor devido a eles, eles precisam com URGÊNCIA voltar a ÚNICA IGREJA FUNDADA POR JESUS: A SANTA IGREJA CATÓLICA, E SE UNIR AOS SACRAMENTOS DO CRISTO RESSUCITADO! Mtos pastores e pastoras, nem estudam Teologia! Na Igreja os Padres são OBRIGADOS a fazer 4 anos de Teologia e a Igreja exorta aos padres q façam tbm Filosofia. A Ordem não é aberta as moças pq assim como a Vivi disse, se fosse o desejo de Jesus q houvessem sacerdotisas, Ele teria feito Apóstola a sua Mãe que desde antes de todos os séculos foi preparada para gerar Deus! Olha q milagre: o Sangue, o Coração, a Carne q sofreu td e q tirou o pecado do mundo, veio de uma Mulher! Ou seja Jesus é carne, coração e sangue de Maria!!! Se Ele quisesse q as mulheres tbm recebem o poder de serem padres, Ele sem dúvida teria escolhido Sua Mãe!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Aline 10-12-2011 22:00
Obrigada, Cadu. Realmente. Nunca conheci nenhum pastor (a) que tenha estudado para tal. Que tenha tido uma preparação como nossos padres e religiosos (frei, freiras,ministros, etc) têm. Me fez lembrar que na faculdade que estudo tem o curso de Filosofia no qual boa parte são religiosos católicos. Não me lembro de ter conhecido um estudante de filosofia evangélico. Muito obrigada pelos esclarecimentos!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rafael Henrique 15-11-2011 06:56
Cuidado... rsrs... existe um dia de todos os santos... kkkk
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 12-11-2011 08:50
Sabe Aline, gosto mto qndo alguem pergunta aquilo q td mundo pensa mas ngm tem coragem de perguntar... A Catequista, q alias "leitor premium" foi grave hein Vivi, rsrsrs, fez um post, como eu ja disse, daqueles q "cutuca a ferida" ao falar da ordenaçao de mulheres. A posiçao da Igreja nao é machista, mas sim REPETITÓRIA. Ou seja, desde sua fundaçao por Cristo, a Igreja confiada aos Apóstolos e sobretudo a Pedro, quis sempre REPETIR, CONTINUAR aquilo q o Senhor fez. O Senhor elegeu os 12 e aos 12 entregou o poder de fazer a consagraçao em memoria deLe. As mulheres nao tem um papel menor na Igreja, apenas um papel diferente, o papel de maes, servas, trabalhadoras, catequistas, chefes de pastorais, Ministras da Eucaristia, ou entao religiosas consagradas q dedicam a vida em nome de Jesus, e para propagar seu reino! Exatamente como os sacerdotes existem moças q consagram a sua vida a Deus, e da mesma forma negam a sua vida propria em amor ao irmao. A grande diferença como ja disse esta na aplicaçao do SACRAMENTO, q foi dado so aos 12 HOMENS Q ELE ESCOLHEU.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Aline 18-11-2011 02:39
Então, Cadu, como disse, acabo sendo questionadora por natureza. Não significa que não tenho fé. Mas acredito que para ser uma boa serva devo entender coisas que não entendo, como foi o caso de não haver mulher como sacertodistas, ainda mais quando se há mulheres pastoras, por exemplo. Precisava entender essa questão de repetição, como vc também cita. Eu precisava entender que não era uma regra imposta mais pelas pessoas do que por Deus.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Aline 11-11-2011 22:37
Adoro o site, como já foi citado, por sua didática e bom humor. Se todas as catequista fossem assim, não haveria tanta desistência no meio do longo caminho. Mas esse post infelizmente não me convenceu. Ainda acho estranho pois, por mais que o post e alguns comentários digam que não, ainda acho machista alguns pontos (e antes q perguntem se sou uma feminista que quer ser madre, não sou kkk, apenas quero entender melhor as coisas). É difícil não questionar, se não há interpretação errônea das pessoas. Assim como o celibato, que é difícil de entender quando se tem diminuido o número de homens que aceitam ser padres, e infelizmente vemos diversos padres caindo na tentação e tendo relações amorosas/sexuais . No próprio post eu achei meio machista,irônico, a impressão que dá é que a mulher é inferior, e ao mesmo tempo diz que a mulher é importante...não entendi. Sabemos que homens e mulheres são diferentes em diversas coisas, mas na própria Bíblia mostra que perante Deus somos iguais. Então, minha pergunta é: Qual é o papel da mulher para a Igreja (além de ter filhos e cuidá-los, porque a vida da mulher não poder ser simplesmente ficar em casa)?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 12-11-2011 00:15
Aline, valeu pelas palavras de apoio! Fico muito contente por você partilhar conosco as coisas que não lhe soaram bem, porque isso nos permite esclarecer melhor o que desejamos comunicar. Então, vamos lá: “Eu achei meio machista, irônico...” Irônico o texto é mesmo, essa é a nossa forma de escrever. Corremos o risco de ser incompreendidos às vezes, mas, no geral, o retorno tem sido muito bom. Neste artigo, brincamos com algumas caricaturas machistas, como a da Luluzinha que fica de fora do Clube do Bolinha, ou a feminista que não reza o Pai-Nosso etc. Como mulher, me permiti usar este tom. Bem, o Cadu, nosso “leitor premium”, já disse até que eu era um tipo de feminista cristã, rs! E, fazendo uma auto-análise, creio que não tenho nada de machista. “...a impressão que dá é que a mulher é inferior, e ao mesmo tempo diz que a mulher é importante... não entendi.” Como você não apontou nenhum trecho específico, fiquei aqui tentando imaginar qual parte do artigo poderia passar a mensagem de que a mulher é inferior. Pra te responder melhor, seria interessante que vc apontasse os trechos que lhe parecem afirmar ou sugerir a inferioridade das mulheres. “É difícil não questionar, se não há interpretação errônea das pessoas.” Aline, é fundamental que todo o cristão tenha a postura que vc está tendo agora: buscar compreender as razões da nossa fé. Entretanto, destaco que a doutrina sobre a impossibilidade da ordenação de mulheres é de caráter INFALÍVEL, ou seja, faz parte do conteúdo da nossa fé. Então, não pode de forma alguma ser fruto da interpretação equivocada de quem quer que seja. Humildemente, como católicos, devemos correr atrás de entender esta decisão, mas já sabendo que se trata de um ensinamento infalível. Jesus disse a Pedro que tudo o que ele ligasse na Terra estaria ligado no Céu, e o que ele desligasse estaria desligado. Pois bem: nenhum dos sucessores de Pedro jamais abençoou a ideia da ordenação de mulheres, e João Paulo II afirmou muito claramente que a Igreja JAMAIS fará isso. Desligou, tá desligado, e o Senhor assina embaixo. É uma questão de fé. “Assim como o celibato, que é difícil de entender quando se tem diminuido o número de homens que aceitam ser padres, e infelizmente vemos diversos padres caindo na tentação e tendo relações amorosas/sexuais.” Aline, vc já reparou que tem diminuído também o número de homens que desejam se casar e ter filhos? Pois é, o problema não é o autorizar o celibato ou não: o problema é que as pessoas têm cada vez mais medo de se doar, de se comprometer. Diante deste quadro, a postura da Igreja não pode ser a de abrir mão de seus valores para conquistar mais adeptos. Ela reafirma o conteúdo da fé, que o próprio Cristo lhe comunicou. Quanto a cair em tentações, olhe para o mundo, Aline! O que mais tem é homem casado traindo a sua esposa! Porém, já estamos fugindo do assunto; esta questão de celibato sacerdotal será tratada em outro post. “Sabemos que homens e mulheres são diferentes em diversas coisas, mas na própria Bíblia mostra que perante Deus somos iguais.” Como já explicamos, somos todos iguais em dignidade. O que nos faz ser melhores ou piores é uma coisa só: o tamanho do nosso amor a Deus e ao próximo. Ponto. Mas esse “somos todos iguais” tem seus limites, convenhamos. Se assim não fosse, nas competições esportivas ambos os sexos deveriam competir de igual para igual. Mas não, nossos corpos são bem diferentes! E a forma de pensar? Cientificamente, já foi comprovado que a estrutura e o funcionamento do cérebro de homens e mulheres é bem diversa. Em termos de dignidade e valor diante de Deus, homens não são melhores do que as mulheres, nem as mulheres são melhores do que os homens. Entretanto, definitivamente, não somos iguais! O Pai se revela nas escrituras com uma personalidade masculina; também o Filho, que revela o rosto do Pai ao mundo, é homem. Da mesma forma, aqueles que devem representar o Filho no mundo e exercer as suas funções (os sacerdotes) também precisam refletir a Sua masculinidade. É simples assim. Por isso, tantos santos, e também o Papa JP II, observaram que, se Jesus quisesse que as mulheres fosse sacerdotisas, teria ordenado a Sua Mãe Santíssima. Afinal, nenhum Apóstolo chegava aos pés dela! Então, é preciso confiar nas decisões do Senhor, ainda que não as compreendamos completamente. “Qual é o papel da mulher para a Igreja (além de ter filhos e cuidá-los, porque a vida da mulher não poder ser simplesmente ficar em casa)?” Aline, isso dá outro post, prometo que farei em breve. Mas repare que em nenhum momento aqui sequer sugerimos que a vida da mulher seja ficar em casa. Veja, citamos o exemplo de Zilda Arns, da Pastoral da Criança, que era médica. Ela não fez o que fez no Brasil (livrou milhares de crianças da desnutrição) ficando em casa. É isso! Confie e aguarde o nosso post sobre o papel da mulher para a Igreja. por enquanto, vai dando uma olhada nestes posts: Mulheres e cristianismo: as nossas viúvas são alegres! component/k2/item/1837 Mulheres sauditas ao volante. Pode, Arnaldo? component/k2/item/1962 Abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Pobretano 08-07-2016 17:02
Pois é, o problema não é o autorizar o celibato ou não: o problema é que as pessoas têm cada vez mais medo de se doar, de se comprometer. Até porque hoje em dia o casamento é um suicídio judicial, com o excesso de leis que favorecem o divórcio e as falsas acusações de violência doméstica contra a mulher.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Aline 18-11-2011 02:29
Ah eu que agradeço! Quero entender melhor minha igreja, mas se depender da catequese da minha cidade, as coisas complicam-se rsrsrrs E eu sou, por natureza, muito questionadora....curiosa, sabe? Gosto de pesquisar e entender (na medida do possível, afinal ninguém sabe tudo de tudo) as coisas. Então foi muito bom encontrar esse site para entender mais. Vamos lá: trechos... Você cita no post sobre a importância de algumas mulheres, como a Madre Teresa, etc, mas ao mesmo tempo fala que uma mulher que fosse 'madre'seria apenas por um status bobo, quando vc fala da questão da batina fashion e afins....como se a mulher só fosse um ser sem 'miolo' para pensar...por isso achei controverso. Realmente, as pessoas tem medo de se comprometer. Mas aproveita que vc fará um post sobre o celibato (vou aguardar, heim?!) e seria interessante abordar como se resolverá o fato. Afinal, daqui a pouco faltará padre. "Então, é preciso confiar nas decisões do Senhor, ainda que não as compreendamos completamente." É....o jeito é aceitar. " Mas repare que em nenhum momento aqui sequer sugerimos que a vida da mulher seja ficar em casa." Realmente, em momento algum. Mas a tendência da maioria das pessoas é pensarem que a mulher só serve para isso, por isso citei. Pensei que, ao responder a pergunta, seria a sua primeira resposta: casar e ter filhos.Por isso coloquei já entre parenteses, para evitar respostas costumeiras. Tanto que em algumas religiões há interpretações que levam a tratar as mulheres assim. Não que não seja digno a mulher q cuida da casa e dos filhos, pelo contrário. Mais um post que vou aguardar! =) Quanto aos links, eu já tinha visto e tinha gostado =D Só questionei esse post porque realmente é algo que nunca entendi direito, que mais parecia uma regra boba do que algo fundamentado. Agora sim, deu para entender bem melhor. ^^ Abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # O Catequista 09-11-2011 23:59
João, muitíssimo obrigado. É um elogio pra se pendurar na parede... rs. E nos sinaliza que estamos indo no caminho certo. Obrigado!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Joãozinho 09-11-2011 17:38
Sou fã de vocês. Sempre prezei por uma catequese que saísse do velho e cansativo decoreba e se baseasse em mostrar a palavra de Deus no dia a dia. Muitas vezes as "coisas de Deus" parecem antiquadas ou mórbidas. Vocês estão demonstrando o contrário disso. Usando de linguagem fácil e divertida, explicam de forma profunda as questões da fé. Rogo ao Senhor que os abençoe copiosamente. E lembro das palavras dEle. "Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda a criatura.." E o mundão da internet precisava de sites como esse. Fiquem com Deus e com Nossa Senhora, João
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 08-11-2011 18:38
Eu reafirmo o quanto de sabedoria e verdade encontrados aqui são fundamentais para poder sarar as "feridas", q tantos "catolicos" infelizmente, adoram cutucar. Amados vamos pensar um pouquinho... Como o Alê em um dos seus fantásticos posts já disse, existem os Sete Sacramentos da Igreja. Cada um mostrando uma etapa da vida de qualquer um q quer seguir a Cristo e a Sua Igreja. A Ordem é o 7º Sacramento, e talvez o q exige mais de quem o quer viver. Em São Lucas 22,19; Jesus diz aos 12, durante a Ceia: "Tomou em seguida o pão e depois de ter dado graças, partiu-o e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim." Vejam bem isso, nosso Senhor estava no momento maior q é a sua entrega pelos pecados, e ali acontece o maior milagre de todos: a transubstanciação do Pão e do Vinho no Corpo no Sangue na Alma e na Divindade de Jesus. Reparem q Ele chamou os 12, com os 12 estava, e a eles disse: "fazei isto em memória de mim." ! Ali além da Eucaristia, Cristo institui q os 12 devem repetir a sua entrega até os confins do mundo! Aos 12! Se houvesse uma mulher ali, apóstola, a quem Jesus tivesse falado isso, sim poderia haver sacerdotisas, mas não foi assim. A Ordem tem 3 graus. Todas as 3 exigem do Diácono, Padre ou Bispo td! Aí vem o espertão e diz: "Mas pq td isso? E o Diácono Nelsinho, ele é casado! Pq essa história de celibato? Pq isso pq aquilo?" Gente, se eu fosse explicar a Ordem seria um post inteiro. Mas eu posso com td certeza dizer: a Ordem é a maior prova de amor! E ela tem regras como qualquer coisa! Regras q nao foram inventadas, mas sim há 2000 anos! A Igreja só imita o q o Seu Senhor foi, e continua o seu Reino!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Diego Freitas 08-11-2011 16:23
Ah! Só cuidado... Acho q já inventaram o dia de "São Nunca" para o dia de Todos os Santos! huahauhauhauhahu!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Diego Freitas 08-11-2011 16:22
Ótima matéria catequista! Esclarecimento nota 10 e implacável! Sem medo. Gostaria de apenas salientar que a realidade em q Deus nos coloca em papéis diferentes (homem-mulher). E essa concepção deixa clara as responsabilidades divergentes. E isso não é só uma questão moralista, ética ou sei lá mais ou q... é uma questão de natureza. E se é olharmos toda a história e o seu contexto: A regra é clara (como diria Arnaldo César Coelho). E como já foi mencionado duas vezes: “a lógica de Deus é totalmente adversa a lógica dos homens”. Pra alguns pode parecer injusto, cruel e machista... Mas não é "A Catequista" nem o Diego quem diz... É Deus que mandou seu Espirito Santo revelar para nós essa verdade. E a nossa fé nessa palavra (juntamente com a compreensão da leitura "Desse Livro") que afirma essa verdade! Parabéns novamente! Sempre q posso levo comigo e divulgo esse presente de Deus - e sim(!!!) revelado pelo Espirito Santo - que é esse blog!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Jorge Martins 08-11-2011 14:15
Enquanto nossas posturas como cristãos serem sempre apologéticas ao invés de exegéticas, divergirem ao invés de convergirem por meio de uma unica fonte e chave hermenêutica, que deveria ser Cristo; Nunca iremos "entender" um ao outro. Fica tranquila, faz parte.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Angela Rocha 08-11-2011 13:25
Viviane, falei das mulheres "de verdade" (como eu e vc por exemplo... rsrsrsr). Aí é que tá! As ditas cujas que querem ser "padre" não o querem na verdadeira concepção do que é SER padre. E o bispo que ordenou as mulheres nem sequer é reconhecido pelo Vaticano. Bom, mas convenhamos... a grande maioria nem entende o sacramento do batismo, que dirá da ordem...ainda tem um caminho bem extenso para que o católico (só ele?) entenda realmente as verdades da fé.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Diego 08-11-2011 13:19
Parabéns pelo texto! Nunca soube o que dizer quando entravam nesse assunto, agora tenho resposta. Ótimo site, ótima iniciativa, continuem assim! :D
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Jorge Martins 08-11-2011 12:49
Caro catequista, boa tarde. Da forma em que vocês estão colocando o status da Mulher no reino de Deus, imaginem se Jesus "soubesse" que em sua descendência consta uma prostituta de nome Raabe? Ou também, de uma possível adultera chamada Tamar? (Mt.1.1-16) Lembrem-se que algumas atitudes em relação a Mulher foram permitidas pelo nosso Senhor Jesus, apenas por "...por causa da dureza dos vossos corações" (Mt.19.8)E não porque estavam corretos! Para encerrar esse breve pensamento, recordo das palavras apostólicas de São Paulo, dizendo aos Gálatas que:"Porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo...Nisto...não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus." (Gl.3.27-28); E depois em relação à edificação da Igreja diz aos irmãos efésios que: "...a graça foi dada a cada um de nós segundo a medida do dom de Cristo." (Ef.4.7) Respeito a argumentação de vocês, conhecendo a fonte basilar que as geraram; No entanto, quero apenas lembrar que a lógica de Deus é totalmente adversa a lógica do homens, contudo, está em perfeita harmonia com sua natureza (atributos) e propósitos. E no que se refere a vocação e serviço, podemos claramente entender que Deus não faz acepção de pessoas. Quem faz isto somo nós, Ele não! Um abraço. Abraços!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 08-11-2011 13:53
Oi, Jorge! Sobre o seu comentário “Da forma em que vocês estão colocando o status da Mulher no reino de Deus...”, eu não entendi. Afirmamos aqui, inclusive citando o mesmo trecho que vc citou de São Paulo, que a dignidade da mulher é a mesma que a do homem. Isso não o exclui o fato de que mulheres e homens têm, em determinados aspectos, papeis e missões diferenciados diante de Deus. Os homens, por exemplo, jamais poderão gerar e parir, por mais que desejem muito! Quanto a Raab e Tamar, não compreendi também o que você quis dizer ao citá-las. Não entendi a relação delas com o tema aqui abordado (aliás, Tamar foi adúltera? Acho que não). Quanto às tais atitudes em relação à mulher que foram permitidas “...por causa da dureza dos vossos corações", elas se referem muito especificamente à questão do divórcio, e estão relacionadas à Lei Mosaica. Isso significa que, bem diferente do que vc diz, essas atitudes não foram permitidas por Jesus, mas foram superadas por Ele, no justo momento em que condenou o divórcio e as segundas ou terceiras uniões. Jesus veio levar a Lei à perfeição (Mt 5,17); sendo assim, Ele jamais compactuaria com qualquer preceito injusto em relação às mulheres. E Ele deu a Seus apóstolos a missão de fazer a Verdade chegar a todas as gerações, dizendo: “Quem vos ouve, a mim ouve; e quem vos rejeita, a mim rejeita; e quem me rejeita, rejeita aquele que me enviou ‘ (Lc 10,16). Ou seja, quem se recusa a ouvir o que o Papa ensina em questões universais de fé e moral (que é o caso da proibição do acesso de mulheres ao sacramento da Ordem) rejeita o próprio Cristo. Você está certíssimo quando diz que “a lógica de Deus é totalmente adversa a lógica dos homens”. É a lógica dos homens que pressiona os cristãos a verem o mundo através das lentes do politicamente correto, e não sob a luz das Escrituras e as Sagrada Tradição. É politicamente correto dizer que homens e mulheres são iguais em tudo, e soa muito antipático dizer o contrário. Mas eu prefiro desagradar o mundo do que ofender a Deus, cuja Palavra chega a nós de forma clara e límpida por meio da Igreja Católica. Obrigada pelo seu comentário! Abraço.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Angela Rocha 08-11-2011 10:23
Pra mim Viviane, esse papo é furado... coisa de feminista de plantão. Que mulher (mulher de verdade) quer ser padre? Eu nunca conheci uma... Você conhece? Pergunta pra quem defende essa idéia se por acaso ela iria pra um seminário e abraçaria o celibato e renunciaria a todas as coisas que os padres renunciam...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 08-11-2011 10:37
Ih, Angela, o pior é que eu conheço mulher que quer ser padre, sim. Detalhe: ela é casada! O que esse povo quer mesmo é bundalelê: fim do celibato sacerdotal, fim da hierarquia, fim do entendimento do casal formado somente por homem e mulher, fim, fim... fim da Igreja! No Brasil, a moda ainda não pegou (e se Deus quiser não vai pegar), mas em diversas partes do mundo há bispos e padres traidores que preparam mulheres e as ordenam - de forma totalmente inválida, óbvio. Nos EUA tem até um movimento chamado "Women Priests", que divulga e promove esse tipo de coisa. Em 2002, o Vaticano excomungou sete mulheres ordenadas padres por um bispo argentino (tinha que ser um hermano! rs). Veja no site da BBC: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2002/020805_padrescs.shtml
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Leilah 02-04-2012 17:34
Ô dona catequista. Eu andei "passeando" belo blog todo de voces e estou muito encantada com a qualidade e ortodoxia do mesmo. Descobri (salvo engano) que voces são um casal. Tudo aqui edifica e ajuda. Mas fiquei grilada com uma coisa que voce disse é é o seguinte: "O Pai se revela nas escrituras com uma personalidade masculina". Me diga uma coisa: isso é sua opinião pessoal ou voce se fundamentou em alguma encíclica papal, em algum teólogo? Deixo claro que sua argumentação em relação à recusa da igreja em ordenar as mulheres é perfeita. Mas apenas este ponto me chamou a atenção. Não teria sido o povo de Deus (que como todos os povos da época) que por ser de cultura patriarcal, tendia a ver Deus nessa ótica masculina e patriarcal. Não quero entrar aqui nas asneiras de certas teologias feministas. Creio que apesar de Deus ter sido comunicado em categorias masculinas, nada do seu caráter e do seu plano de salvação ficou distorcido. Isto é a REVELAÇÃO DIVINA não ficou imcompleta em nada, por causa das caracterísitcas culturais em que ela ocorreu. Mas não creio que isso signifique que Deus em si, tenha características masculinas como Deus. Como não creio que ele tenha de forma alguma qualquer característica humana,antropomórfica. Nós é que temos em nós sua imagem e semelhança. Ou seja não creio que faça parte do plano de Deus revelar-se para ficar conhecido como alguém de traços masculinos, até porque há passagens bíblicas onde ele se revela muito doce e materno, o que levou João Paulo I a exclamar: Deus é pai e mais ainda MÃE! O que me parece condenável e criticável nas reivindicações pro sacerdócio feminino é o terreno suspeito de onde elas brotam. Um terreno minado de ideologias, que encara a Igreja do Senhor a partir de categorias pobres e inadequadas à sua natureza, tais como: DEMOCRACIA, IGUALDADE. A mera origem dessas reinvindicações lhes tira legitimidade e autoridade. Mas daí a fundamentar nossa oposição à ideia dessa gente, com um suposto caráter masculino de Deus, foi algo que me chamou por demais a atenção. Não vou dizer que sim , não vou dizer que não. Apenas fiquei intrigada, pois vejo que voce apesar de não ser teóloga, se destaca pela qualidade da argumentação e pela lucidez do raciocínio. Gostaria que argumentasse mais a favor dessa tese (de que o caráter de Deus seja masculino ou apareça na Bíblia desse modo) que indicasse outras fontes dessa afirmação. Que na bíblia , o caráter de Deus apareça masculinizado na maior parte do texto, isso é claro. Mas jamais concluirei dai que tais traços façam parte do ser de Deus. Antes, penso que quaisquer traduções antropomórficas do carater divino se devem às limitações da humana linguagem quando acolhe e comunica a Revelação Divina. Mas como a Igreja sempre diz, até no catecismo,apesar de nossa linguagem efetivamente comunicar Deus, Deus mesmo se acha muito acima de nossa linguagem que não o abarca. Assim apesar da linguagem masculina e patriarcal estar muito presente nos relatos bíblicos, isso não quer dizer que Deus em si mesmo tenha tais traços. Pois se a bíblia traz traços de Deus 'à imagem e semelhança do homem" (o que dá muniçao aos ateus para nos acusarem de fabricar Deus à nossa imagem), são muitas as passagens bíblicas (AS MAIS REVELADORAS ALIÁS) em que a imagem de Deus aparece como negação radical de nossas imagens acerca Dele: ELE NÃO QUER SACRIFICIO MAS A MISERICORDIA, ELE NÃO EXIGE O SACRIFICIO HUMANO, ELE NÃO SE DEIXA REPRESENTAR EM ÍDOLOS DE PEDRA E MADEIRA, ELA SE RECUSA A SER NOMEADO COMO OS OUTROS "deuses". Ou seja, nos pontos altos da revelação bíblica, Deus exatamente e inusitadamente se revela como totalmente OUTRO e radicalmente diferente das imagens que tentamos dele formar, sejam masculinas ou femininas. Creio que todo o resto da sua argumentação (como lhe é peculiar) segue uma linha racional e lúcida, sempre teologicamente defensável e muito lhe admiro por isso. Mas essa afirmação acerca do caráter masculino de Deus revelado na Bíblia,me deixou meio "embatucada". Repito, não critico, não digo que sim ou não. Quem sou eu para questionar alguém de conhecimento tao vasto e profundo? Apenas gostaria de entender melhor, pois talvez eu é que esteja muito limitada em minha capacidade de compreender. E sobretudo: não vai aqui crítica nem discordancia alguma quanto a este post e a todo o BLOG que é de excelente qualidade e faz enorme bem a todos os seus leitores. Fico muita grata se me ajudar a entender melhor a questão que expus e se possivel se fundamentar isso melhor com alguma bibliografia.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Pobretano 08-07-2016 14:31
Imagino que não vá mais ler depois de eras, mas há algumas razões para Deus se revelar em figura masculina. Primeiro, eu teria lá minhas dúvidas em dizer se os povos daquele tempo eram mesmo "patriarcais", o que quer que isso signifique. A religião judaica é, apesar de semelhanças, radicalmente diferente das suas circunvizinhas. O simples fato de eles não adorarem elementos da natureza e do cosmo, cíclicos e periódicos como o período fértil feminino, já diferencia bastante o judaísmo do resto. Inclua aí o fato que havia deuses ligados ao sacrifício de crianças e bebês, como Molech. Diga-se de passagem, seria perfeitamente o deus das feministas, hahaha! Prosseguindo, penso que há razões mais que meramente culturais ou "não quero ser confundido com as deidades do lado de lá do Jordão". Em qualquer arranjo social que seja, deve haver alguma forma de autoridade final, a instância irrecorrível. E este papel pode ser exercido de diversas formas, mas na família isto fica a cargo do pai, o "homem da casa". E isto ocorre porque é assim que tem que ser: o pai como provedor e a mãe como administradora e cuidadora. E esta é a autoridade que Deus exerce sobre as suas criaturas, bem como foi sobre Israel, assim como hoje em dia Deus se relaciona com a Igreja. Tanto é que sempre falamos da Providência Divina, do papel de Deus como provedor de todas as coisas. Outra coisa é que Deus é Criador - e Ele cria a partir do nada, ex nihilo. Como diriam os judeus, Bereshit bara Elohim et hashamayim ve'et ha'arets.. E uma mulher não cria, ela gesta. Ele cria como um artista, um projetista, e não como uma mãe. Ele tem esse papel um tanto mais "distante", como um pai tem na família. Até mesmo porque colocar Deus como mulher faria que o universo fosse 'criado' como parte dele, uma espécie de panteísmo ou mesmo aquelas religiões malucas wiccanas. E não há espaço na revelação para um Deus feminino. Pelo contrário, o papel de mulher é tomado pela Igreja - A Noiva, as virgens que esperam, os filhos da Santa Madre Igreja - e, em algum grau, pela Virgem Maria. Aliás, o fato de Deus ter milagrosamente engravidado uma jovem com certeza é, pelo menos até ontem, um ato masculino par excellence. Outra coisa importante é o papel de Cristo encarnado. Este é um papel masculino. O papel de guerreiro é masculino, e Jesus foi o Libertador do povo, assim como os juízes na época do livro de Juízes. E Ele foi Libertador com excelência inimaginável: enquanto os juízes arriscavam suas vidas sem nenhuma garantia de sucesso e dando apenas uma salvação terrena contra inimigos que poderiam retornar em breve, Jesus tanto mais foi excelente, a ponto de morrer morte de cruz. E isso não é esperado de uma mulher, mas do homem. É o homem na sociedade que realiza sacrifícios em prol do povo. Tanto que o alistamento militar em muitos locais no mundo é restrito aos homens. Mais uma coisa: enquanto os juízes acima lutavam, e até mesmo morriam, apenas pelo povo de Israel, Jesus o fez a fim de ser confirmado o Salvador de todos os homens, principalmente dos fiéis.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 13-04-2012 16:12
Oi, Leilah! Depois de quase 200 anos, finalmente eu te respondo... Você está certíssima quando diz: "não creio que ele tenha de forma alguma qualquer característica humana,antropomórfica". Não tem mesmo, ou, ao menos, não temos base nenhuma para afirmar que Ele tenha. Como disse Bento XVI no livro "Jesus de Nazaré", "Deus não é homem, nem mulher" (p. 130). Entretanto, é evidente que Ele quis se revelar nas escrituras por meio de uma personalidade masculina. Como você mesma disse, a maioria esmagadora das referências do Antigo Testamento se refere a Ele como um ser masculino, e as citações mais femininas são bem raras, como aquela em que Ele diz que cuidou de Efraim como uma mãe que se inclina para amamentar seu filho. Porém, não devemos creditar esta absoluta predominância do tratamento masculino a Deus nas Escrituras somente à "ótica masculina e patriarcal" do povo de Israel. Pois Cristo se referia ao Criador como Pai, e se dizia "Filho do Homem". E nos ensinou a rezar: "Pai Nosso...". No livro citado, Bento XVI diz que "Deus nunca é designado como mãe" na Bíblia, mas somente como pai. E, "apesar de todas as imagens do amor materno, 'mãe' não é nenhum título divino, não é nenhuma alocução para Deus". A razão disso? Bento XVI explica que isso tem uma importância pedagógica: tem a ver com a Sua total diferenciação das divindades maternas adoradas pelos povos que cercavam os israelitas: "...a imagem do pai era e é adequada para exprimir a alteridade entre Criador e criatura, a soberania do ato criador. Somente por meio da exclusão das divindades maternas podia o Antigo Testamento levar à maturidade a sua imagem de Deus, a pura trascendência de Deus". Então, neste sentido, Bento XVI parece discordar de João Paulo I. Detalhe: Bento XVI observa que essa sua explicação sobre a razão de Deus se revelar de forma masculina não é absoluta nem concludente. Bem, mas já nos ajuda a compreender algo deste mistério. Acho vou fazer um post com base neste comentário!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 04-04-2012 11:19
Oi, Dona Leilah! Perdoe se eu demorar a te responder, é que esses dias temos deixado o blog meio de lado. Dois de meus três filhos estão doentinhos (nada grave, graças a Deus), e estamos dedicando quase todo o nosso tempo para cuidar deles. Te respondo assim que puder.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 08-11-2011 10:06
Vivi, íncrivel!! Adoro essa coragem de vcs de arregaçar as mangas, e tocar na "ferida". Gente q coisa espetacular! Mto mas mto legal!! Mais uma vez estou sem comentários. A mulher é o portal da vida, e se existe honra maior q essa ainda nao me avisaram.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # O Catequista 08-11-2011 08:39
Olha só! Ontem mesmo o Papa Bento XVI falou sobre o assunto e defendeu, mais uma vez, a dignidade da mulher. A notícia é da agência Zenit: http://www.zenit.org/article-29189?l=portuguese
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade