Publicidade
Quarta, 09 Março 2016 02:29

É católica e quer parar de transar com o namorado? Veja essas dicas!

Postado por

Ela é uma jovem católica, e sempre desejou pertencer na vida a um homem só: o futuro pai de seus filhos. Mas não foi capaz de perseverar nessa intenção, e está transando com o namorado. Ela está contente? Não! Ela quer viver um namoro casto, só não sabe como conseguir isso. O Catequista vai lhe dar uma mãozinha!

O perfil descrito acima é abundante em nossa Igreja. E o mais triste é que essas meninas vão se afastando gradualmente da prática religiosa. Se por um lado há a responsabilidade pessoal do pecado, também é verdade que, em grande parte, elas são vítimas da cultura dominante de uma época. No nosso mundo, namoro é tipo: ou dá ou desce.

Graças a Deus, muitos casais católicos dão testemunho de castidade – ainda que tenham caído um dia. Portanto, não acredite na mentira do demônio: viver um namoro casto e feliz é possível!

ABRA O JOGO COM SEU NAMORADO

Veja o testemunho da nossa leitora Kenia:

"Quando estávamos com um ano de namoro eu acabei perdendo a virgindade com meu namorado. Cada dia estava me sentindo muito triste, então eu disse pra meu namorado que a partir daquele dia não ia acontecer mais nada entre a gente e sim só depois do nosso casamento, e disse tbm que não queria obrigar ele me esperar. E foi quando ele me disse que não ia ser fácil, mas que ele ia me esperar o tempo que fosse preciso. E pra honra e glória de Deus já estamos a mais de um ano sem ter relações!

"Gente não e fácil, não posso mentir a falar isso pra vcs, mas posso garantir a todos que quando a gente coloca Deus em primeiro lugar em nossas vidas tudo dá certo.”

Veja também esse conselho do Padre Orlando Henriques, da Diocese de Coimbra:

“EXIJA-LHE UMA PROVA DE AMOR: ‘se me amas, então vamos parar com isso; se me amas vamos viver um namoro casto’. Está na hora de deixar de ser à maneira dele. Basta de violência!

“Vale mais por logo tudo ‘em pratos limpos’ e dizer-lhe que não se sente bem a fazer isso e que nunca mais quer fazê-lo. É preciso que ele saiba a verdade, é preciso que ele saiba que a está a fazer sofrer! Por que há-de você andar a aguentar uma situação imunda e que lhe repugna? E por quanto tempo mais? E se um dia se casarem vai continuar a sofrer violências a vida inteira só para não desagradar? E se não se casarem, já viu?

“Tenha coragem! Siga o caminho da pureza que Deus não a vai deixar desamparada!”

“E SE ELE NÃO ACEITAR? TENHO MEDO DE PERDÊ-LO!”

Você está mesmo decidida a voltar a comungar e a participar da vida da Igreja com o coração mais leve e feliz? Quer mesmo se reconciliar com Cristo e consigo mesma? Esse é o ponto central. Porque se você estiver decidida, não deixará que nada nem ninguém lhe faça retroceder ou desanimar de seu objetivo!

Mas e se seu namorado se colocar como obstáculo?... O que você vai fazer? Você ama a sua paz acima de todas as coisas? Ou ama o seu namorado acima da sua paz? Qual é o PONTO INEGOCIÁVEL, o que você não pode arriscar: a sua fé e sua amizade com Deus, ou o seu namoro?

Se você decidir pela fé, é possível que seu namorado resolva respeitar a sua escolha e fazer um sacrifício para continuar a seu lado. Mas também é possível que ele não queira mais ficar com você. Então… veja o que na sua vida é mais importante.

Só lembrando: namorado você pode arrumar outro, porque a fila anda. Mas Deus... Deus é um só! Não há outro! Seu namorado é pó, e mais cedo ou mais tarde, ao pó ele vai retornar. Mas a decisão é sua. É sempre sua.

“TENHO VERGONHA DE ME CONFESSAR”

Uma das coisas que Deus mais aprecia é um coração arrependido. “O médico veio para os doentes”, disse Jesus. Se você está com o coração contrito, isso é bom! Muitos são os que andam pelo mundo anestesiados, e nem sentem remorsos pelos seus erros. Confie em Jesus! Ele está de braços abertos para te receber, te purificar e te devolver a paz. Lembre-se da parábola do filho pródigo!

Não tenha medo de se confessar: todo padre já ouviu a confissão desse tipo de pecado mais de mil vezes (e sua penitência certamente será bem mais branda do que o walk of shame da Cersei Lannister!). Depois de um minuto de vergonha, você vai desfrutar horas incontáveis de alegria, e o alívio imenso por ter confessado suas faltas.

Confissão te dá asaaaaaas!

“SINTO TANTA CULPA QUE ATÉ PAREI DE REZAR”

A culpa é um sentimento positivo se nos impulsiona a tomar atitudes concretas para nos libertar do erro. Porém, não pode ser um sentimento quenos paralisa e nos afasta cada vez mais do caminho do bem. Veja o que diz o Padre Orlando Henriques:

“Esse sentir-se ‘indigna de conversar com Deus’ é uma armadilha perigosíssima que o diabo lhe está a colocar. Não pense assim, pois é EXACTAMENTE AGORA QUE VOCÊ MAIS PRECISA DE REZAR!!! Se deixar de rezar por se sentir indigna, então é a sua desgraça! Esse sentimento de indignidade não vem de Deus, mas do demónio.

“Mesmo que ao erguer as mãos ao Céu sinta o amor de Deus a queimá-la interiormente por se sentir indigna, DEIXE QUEIMAR! Isso só nos PURIFICA, e torna-nos HUMILDES! E Deus exalta os humildes! Agora, deixar de rezar isso é que nunca!”

“AMBOS QUEREMOS SER CASTOS, MAS SEMPRE PECAMOS”

O fundamental é que vocês jamais se acomodem no pecado, e sempre mantenham firme o propósito de se emendarem. Jesus jamais te abandonará, desde que você não abandone Jesus. E abandonamos Jesus de muitas e variadas formas, e a mais sutil delas é dizer a nós mesmos que não queremos mais pecar (e às vezes não queremos mesmo, por experimentamos que isso nos deixa tristes), mas fazemos um jogo duplo, ao não evitarmos as ocasiões de pecado.

Para não voltar a pecar, não basta a vontade. Somos fracos e temos que ter consciência disso. Se vocês perceberem que não estão segurando a onda, estabeleçam para si mesmos a norma de somente se encontrarem em locais públicos.

Seria muito bom também que vocês participassem de alguma comunidade em que pudessem apertar os laços com amigos católicos, aprofundar o conhecimento da doutrina e se envolver em ações de caridade. Amizades santas inspiram uma vida santa! Mas fuja dos grupos com espiritualidade capenga, como certas pastorais da juventude que vemos por aí (não todas, mas muitas), que são verdadeiros antros marxistas!

11373 Quarta, 17 Maio 2017 13:53

Comentários   

0 # Fabiane 17-05-2017 17:23
Gostei do post, é preciso falar sobre sexualidade de acordo com o plano de Deus, e não jogar o assunto embaixo do tapete e dizer que todo mundo sabe que não pode​ e ponto. É preciso falar dos desafios, é que eles sintam que não estão sozinhos.

A única ressalva que eu faço é o fato de estar diretamente falando com as moças, sendo que os rapazes passam pelas mesmas dificuldades inclusive de ser pressionado por amigos e namorada. Quando diz que a menina tem que se posicionar e que o menino vai fazer o sacrifício de esperar só reforça a ideia de que o homem tem um desejo incontrolável e a responsabilidade é da mulher de manter a castidade do casal.
Responder | Responder com citação | Citar
+6 # Cristiane Oliveira 18-10-2016 17:28
Estava em um relacionamento de 2 anos, e q terminou por essa minha vontade de viver um namoro santo. Ele não quis ficar comigo e até riu de mim pois na época já tinha meus 31 anos hj estou com 33. Estou a 2 anos solteira pois todos com quem me envolvi não aceitaram essa situação. Não vou ser hipócrita de dizer q aguentei firme esse tempo todo, caí em tentações. Mas me levanto e sigo firme no meu propósito de encontrar alguém q queira o mesmo q eu . Orem por mim por favor.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Stelio 09-04-2017 14:25
Olá, sou os meus parabéns pela escola cara irmã. O caminho de Deus não é para muitos. Pois como bem sabes muitos são chamados, mas poucos escolhidos.

Nesse momento o.Senhor esta te moldando para ver o que é primordial na tua vida: Ele ou os prazeres carnais. Se escolheres à Ele, a tua vida será uma alegria e sempre que estiveres em alguma situação Ele mandará o seu exército para te socorrer. Caso escolhas os prazeres, aí vai começar o inverno.

Continue assim que Ele vai providenciar o melhor parceiro para ti. Confie irmã. Mesmo eu só me formei com a minha noiva já com trinta anos. Leia Eclesiástico 2. E firme na tua caminhada.
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Eudes 18-10-2016 17:18
Essa situação é complicada pra meninas e meninos tb! Infelizmente a sorte de pretendentes está péssima não só pras moças, mas pros rapazes tbm... Vivemos numa sociedade tremendamente erotizada. Na minha Paróquia, ñ conheci nenhuma menina q levasse tais valores realmente a sério. E olha q somos uma bela Paróquia, sem desvios de conduta e com um pároco maravilhosamente bom e zeloso... Na mão q vamos, o rapaz ou a moça q encontre alguém verdadeiramente católico (DE VERDADE), estará encontrando uma jóia raríssima! Aos demais, coitados/as... Tvz fiquem pra titios/as por falta de oferta de alguém consciente
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Rodrigo 18-10-2016 14:01
Adorei o texto, porém, acho que por se tratar de um assunto referente à uma questão religiosa, destacando a questão da castidade, de vida em santidade no namoro, o título deveria ser mais propício. Achei muito baixo as palavras usadas no título do texto, mas de qualquer forma, excelente conteúdo. Apenas destaco esse pequeno equívoco...
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # mateus francisco antunes 20-04-2016 20:21
vida de oração cotidiana, e evitar namorar escondido! até os sacerdotes tem seus momentos de oração diária, se ele relaxar neste fundamento sua vocação vai embora. nós casados, namorados, postulantes a uma vida feliz precisamos ter uma vida de oração!
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Vinicius 21-03-2016 20:42
Alô, alô pessoal d'O catequista! Quero ver se dessa vez alguém me responde. Quando se fala em "evitar ocasiões de pecado", significa evitar conteúdos pornográficos ou qualquer coisa que possa nos excitar, exemplo no meu caso, ver meninas atletas?
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # A Catequista 21-03-2016 23:19
Não, estamos falando especificamente de namorados. Esses devem evitar as ocasiões em que sabem que terão grande chance de pecar - por exemplo, fechar a porta do quarto, ficar sozinhos em uma casa, viajar sozinhos etc. Quanto a ver conteúdos pornográficos, isso não é ocasião de pecado: é um pecado em si, e grave. Em relação às meninas atletas, não entendi bem qual é o seu problema. Se simplesmente acha meninas atletas muito atraentes, não há mal algum nisso. Apenas evite alimentar maus pensamentos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # José Raimundo 11-03-2016 11:06
CARÍSSIMOS IRMÃOS ESTES TESTEMUNHOS QUE LI AQUI, ENCHERAM DE PROFUNDA ALEGRIA MEU CORAÇÃO, SEI QUE O CORAÇÃO DE DEUS TAMBÉM ESTÁ TRANSBORDANDO DE ALEGRIA POR VER SEUS FILHOS VIVEREM O SEU BEATÍSSIMO MISTÉRIO DE AMOR, QUE O PECADO JAMAIS SEJA MAIOR EM NOSSA VIDA QUE A GRAÇA E A MISERICÓRDIA DO PAI QUE É DERRAMADA CONSTANTEMENTE SOBRE NÓS. JUNTOS SOMOS MAIS FORTES QUE ESSA CORRENTE MUNDANA QUE QUER DOMINAR NOSSA VIDA...DEUS É MAIOR QUE TODO MAL SEMPRE.
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Paulo 10-03-2016 19:39
Excelente tópico, como de costume. Parabéns!!! Tenho 45 anos e sou casado há 13 anos e, quando éramos namorados, fizemos esse compromisso de castidade... Antes de conhecer minha querida e amada esposa, em todos os namoros que tive, somente investia em relacionamentos em que as garotas fossem católicas praticantes, que levassem os sacramentos a sério. Nunca trocaria uma noitada por uma missa sem comunhão... A castidade também está presente na vida matrimonial...Estar fora de casa no trabalho, fazendo compras, que seus olhos e seu coração não desejem senão seu/sua companheira...Vire o rosto, olhe para o chão, para o céu, mas não olhe com desejo para o corpo de outra pessoa... Nada como o terço em família para você amar e desejar cada vez mais sua esposa ou seu esposo, amar mais a cada dia seus filhos...
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Aline 10-03-2016 18:17
Meu noivo já teve outras namoradas que eles tiveram relações sexuais. Ele estranhou muito quando começamos a namorar e eu já de cars disse que queria mamter a castidade. Estamos juntos há nove anos, e ele respeitou minha escolha e fez a dele. Vamos casar daqui a pouco tempo e com muita alegria e consciência limpa poderei dizer que tive um namoro santo. É muito difícil, as pessoas de fora não compreendem essa escolha e tem muitas mulheres que jogaram na minha cara que ele procura fora o que não tem cmg. Eu confio nele, pois sei que ele compreendeu minha escolha e escolheu respeitar me. Às meninas que têm medo de ficar sem namorado, encalhada eu posso afirmar que SE O RAPAZ TE AMAR DE VERDADE ELE VAI RESPEITAR E PEGAR PRA vida dELE A CASTIDADE.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # alessandro 10-03-2016 17:28
discordo de vc catequista em colocar os pecados em igualdade.o pecado contra a castidade e um dos piores, e causa grave consequencias para a alma,nao se pode po-lo em igualdade com outros.inclusive bem pior que o pecado de sao pedro, que foi de covardia, NOSSA SENHORA MESMO FALOU PARA A BEATA JACINTA, QUE ESTE TIPO DE PECADO E O QUE LEVA MAIS ALMAS PARA O INFERNO.eu ja cometi muito esse pecado, ja fui vicidao em pornografia, mas com a graca de nosso senhor ha uns quase 20 anos que nao peco nesta area, e vivo em castidade. os meios mais eficazes que me ajudaram bastante foi a ADORACAO EUCARISTICA,SANTA MISSA E SANTO ROSARIO, EM ESPECIAL A ADORACAO EUCARISTICA.esse pecado e terrivel,ele nos priva da vida com deus, e nos inclina totalmente para as coisas do mundo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Samara 10-03-2016 14:58
Para honra e glória do senhor, vamos começar tentando hj. Quem estiver lendo orem por nós para conseguimos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Gêneto Eugenio 11-03-2016 17:05
Hoje colocarei sua angústia em minha oração...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Adriana 11-03-2016 14:54
Conte com minha oração também.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 10-03-2016 18:13
Conte hoje com a minha oração! :)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Augusto 09-03-2016 23:42
Como recebo os comentários?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 09-03-2016 20:41
Bem, se as minhas palavras são de utilidade para alguém, então louvado seja Deus! Sinto-me como o salmista: «Não a nós, Senhor, não a nós, mas ao Vosso Nome dai glória». Obrigado por me incluírem no vosso projecto de evangelização! Que seja «para glória de Deus, salvação das almas» e ainda «para confusão do diabo», que é a parte mais divertida :) Parabéns pela forma directa com que apresentam as coisas: «parar de dar pro namorado»... Vocês "partem da loiça toda", não têm receio de usar uma linguagem ousada para chamar a atenção e para ficar bem claro: muito bom!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Marcelo José dos Anjos 09-03-2016 17:50
Realmente este texto é muito bom. =D
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Daniel 09-03-2016 17:45
Posts assim me lembram porque vocês são o melhor blog católico. Deus abençoe!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Carol 09-03-2016 16:37
O assunto não é limitado apenas aos jovens namorados. Quando alguém católico de meia idade tem um segundo relacionamento, ou um solteiro se relaciona com outro que ja se relacionou com outras pessoas sexualmente, a abstinência é ainda mais difícil, pois já vivenciaram uma vida sexualmente ativa. Sei que pessoas de segunda união são restritas a confissão, sacramentos, eucaristia e muitas vezes preferem permanecerem sozinhas e infelizes. Mesmo comungando da palavra, a pessoa em segunda união se enfraquece de fé por conta de tantos julgamentos e restrições. Vejo sempre situações assim e isso me incomoda.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Emerson Atanazio 09-03-2016 15:57
Eu gosto do site O catequista por isso! O recado é na lata! Sem palavrinhas doces kkkkk João Kleber então foi sensacional kkkkk
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Carlos 09-03-2016 15:12
O problema é muito mais amplo. O namoro, hoje, está completamente desvirtuado. Os jovens entendem que sua finalidade é se divertir passar o tempo, não ficar só e quejandos. Todavia, um santo e verdadeiro namoro católico não é nada disso. O fato é que adolescentes que se exponham a ocasiões de pecado irão, mais dia ou menos, cair. Recomendo aos jovens vivamente que leiam o sermão do Pe. Daniel Pinheiro da Capela Nossa Senhora das Dores: http://missatridentinaembrasilia.org/2016/01/19/sermao-conselhos-aos-jovens-que-pensam-em-casar/
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Pedro 09-03-2016 13:33
Eu namoro com a minha namorada atual à 1 ano e meio, a gente nunca transou, ela é virgem, porém eu perdi a virgindade com uma namorada anterior. Quando transamos aconteceu de atrasar a menstruação dela e aquele medo infinito apareceu. Eu sempre fui ''da Igreja'', tanto que conheci a menina em um encontro, eu até era uma espécie de monitor dela e passava ensinamentos. Porém mesmo eu sempre sabendo sobre castidade, sempre tive uma libido fora do comum. Com a primeira namorada nunca teve nada, nem abraçar eu abraçava direito quando nos beijávamos, pois eu tinha medo de ser errado eu encostar (ele) nela estando, ''aceso''. Porém com essa segunda namorada, em um assunto logo no começo do namoro ocorreu de ter uma brecha nessa meu medo e daí foi por água abaixo. A gente sempre fazia tudo, menos o ato da penetração, até o dia que fu*** tudo. Quando o medo surgiu creio que foi O Cara me ensinando, pois eu comecei imaginar como seria por um filho no mundo sem condições alguma de cuidar bem dele, eu com 18 e minha namorada com 17 e naquele momento creio que Deus me deixou experimentar o amor de pai, e ter consciência de como a vida é especial. Então prometi pra mim primeiramente e pra aquela namorada que jamais faríamos de novo até casarmos, porém tirando o ato em si, continuávamos fazendo toda aquelas coisinhas mais. Terminamos com 8 meses de namoro. Agora eu namoro minha atual, nós eramos amigos antes de namorarmos. Desde o começo eu contei toda essa história pra ela, e disse que ela podia implorar, mas jamais a gente transaria e isso procede até hoje. Ela não tinha experiência alguma, apenas tinha ficado algumas vezes, mas só uns beijinhos e pronto. Eu estou com 21 e ela 19. Infelizmente, no começo do namoro, ocorreu a brecha, e por conta da experiência que eu tive anteriormente eu consegui (não me orgulho e me arrependo) começar a fazer todas as coisas que tinha no outro namoro, tudo menos penetração. Porém existe o seguinte: Desde que me entendo por gente, sempre tive a libido estouradíssima (mesmo!) e sempre me estimulei sexualmente, mesmo antes de ter as ''sementinhas'', e com 11 anos que é quando as sementinhas aparecem, aprendi numa conversa de muleque o que era a masturbação, a partir daí que o problema real aparece. Me masturbo todos os dias várias vezes desde aquela época (reforço que tenho 21), e dos meus 11 aos 14 sempre tive a mão muito boba no colégio, então era a masturbação e esse costume todos os dias. Com 13 +/- eu entrei no grupo de jovens e comecei a me policiar mais sobre meus atos, parei com a mão boba, porém com a masturbação nunca consegui parar, e já tentei de infinitas maneiras, e percebo que isso virou um vício, desde lá eu luto contra isso. Isso afeta o psicológico, o social, os relacionamentos afetivos e várias coisas na minha vida. Já tentei ajuda psiquiátrica e remédios a pouco tempo atrás (quando virei ''de maior'' pois meus pais não sabem sobre isso e assim pude buscar tratamento por conta própria), porém não teve resultado algum e foi mais de um ano com remédios). Agora eu me encontro namorando, e muitas vezes por mais que ela goste do que apresentei pra ela ela não tem a necessidade que tenho, por conta do vício, e muitas vezes deixo ela triste. Por mais prazer que eu tenha, o que eu mais queria é conseguir parar com tudo isso, isso me destrói, acaba comigo e não é de uma maneira boa, meu corpo sente prazer mas eu não, eu virei escravo disso. Eu rezo, não sei se o suficiente, mas eu realmente queria parar e não vejo como mais, pois já tentei quase tudo que me é possível. Desculpa o textão, mas expor isso ajuda meu psicológico.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Luana 19-10-2016 12:52
Querido! Sou psicóloga. Não te vi falando de terapia mas sim de tratamento medicamentoso. Você sofre com uma conpulsão, é comum mas tem jeito. Sugiro que você faça um acompanhamento psicológico que com certeza irá lhe ajudar. SQue o Senhor te conduza à um profissional que possa te ajudar. Deus o AAbençoe!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # SOPMod 16-03-2016 14:31
PEDRO, Eu não sei se vc vai chegar a ler até aqui, mas tudo bem. Eu passei pelo mesmo problema ( vc não sabe a alegria que eu sinto agora ao dizer "passei" ) dos 14 aos 22 anos. Oito anos da minha vida contaminados pelo vício do falso amor! Eu fui criado em família bem religiosa (evangélica), e nunca tivemos brecha para cair nesse tipo de vício. Internet e TV eram conscientemente utilizados em casa, e na escola eu era da turma "da primeira fila". Muito tímido, especialmente com as meninas. Um belo dia, numa dessas conversas de meninos, ouvi falar da tal masturbação. De bobeira em casa resolvi ver como era e....adeus. Tudo começou aí, e foi ladeira abaixo. Homem precisa de estímulo visual, então daí fui para os vídeos. E como era (e é) fácil encontrá-los! Terminei escola, fui pra faculdade e continuava nessa. Uma noite eu estava em meu quarto, fazendo isso, quando meu pai repentinamente abre a porta para falar algo. Foi quando eles descobriram. Que vergonha! Foi um dos dias mais tristes da minha vida. Enganei eles dizendo que pararia. Comecei a namorar e levava o vício em paralelo. Começamos a ter relações também. Tudo isso eu ia levando, pq como era evangélico, bastava "contar pra Deus" e tava tudo certo. Quando descobri a Igreja Católica e me converti, vi que nesta Igreja estava minha tábua de salvação: os sacramentos, em especial o Santíssimo Sacramento. Era minha última cartada. Em 28/07/2015 eu me confessei pela 1ª vez. Procurei uma paróquia na cidade vizinha só para não passar tanta vergonha. Até hoje eu tenho calafrios de lembrar meus pecados, mas meu coração se enche de alegria ao lembrar que todos eles foram perdoados! Comecei a participar pra valer dos sacramentos. Comunhão O MÁXIMO POSSÍVEL (como morava em cidade pequena, não tinha Missa todo dia, mas sempre que tinha eu ia) e CONFISSÃO assim que pecava. Como falaram antes de mim, confessava sempre com o mesmo padre (até pq só tinha 1, a cidade era pequena). A vergonha de confessar uma queda repetida foi se acumulando, acumulando....até que fortaleceu a minha VONTADE. 26/11/2015 foi a última vez que caí nesse vício. Desde então o Senhor tem me sustentado, apesar de tantas vezes tê-lO rejeitado! Minha dica - por experiência própria - é: busque os sacramentos e a oração. SEMPRE (mesmo logo depois de pecar, viu, demônio?). SEMPRE SEMPRE. O demônio vai dizer muitas vezes que você tem libido demais (eu tbm achava que tinha), que você não tem salvação, que você não pode se aproximar da Igreja e de Deus enquanto não estiver puro, e todas as mentiras. Quando você se comprometer - jurar diante de Deus - que vai ficar X dias sem esse vício, ele vai falar: "Ah, então faz uma só pra despedir, afinal, é muito tempo...". NÃO NEGOCIE. Depois de tentar usar bloqueadores (eu burlava todos), eu tirei a internet de casa (moro sozinho). Desde outubro/2015. Só coloquei internet na sexta passada. Assim, eu ELIMINEI A OCASIÃO. Outra coisa: OCUPE SUA MENTE E SEU CORPO. Pratique algum esporte intenso, academia, algo que deixe seu corpo cansado. Assim que chegar em casa, de noite, tome um banho rápido e vai dormir. Nas noites de insônia por causa do desejo, reze, ou então converse (ou ligue) para alguém que você gosta de conversar (e que não vá falar coisas que te excitem). Enfim, isso é tudo que eu tenho pra te ajudar. Desculpe o textão. Jesus vai te ajudar. Ele me salvou.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Adriana 10-03-2016 19:39
Pedro, Tome a decisão de viver castamente com a sua namorada. De nada adianta só não ter a penetração, mas fazer tudo de todo o resto. Converse com ela e peça que ela te ajude neste propósito. Sentindo vontade de se masturbar, caia de joelhos e clame ao Senhor Jesus. Chame-O, peça que Ele te ajude. Diga a Ele o que seu corpo está te propondo. Não chame "o cara", esse nome não tem poder nenhum, essa expressão não diz nada. Chame o Senhor pelo nome, Jesus Cristo, o Deus que se fez homem para te salvar, o Deus que padeceu por amor a você. Jesus Cristo, Aquele perante o qual todo joelho se dobrará Não conseguiu resistir, também se coloque de joelhos e chame Jesus Cristo, diga a Ele o que você fez, peça que Ele te restaure e te fortaleça para que não caia em nova tentação. Como já falaram em outros comentários, se tiver o costume de ver pornografia, é importantíssimo que abandone. Cuide seus olhos !!!!!! É vício, se livrar disso não será fácil, não será sem sacrifício, você desde muito novo foi colocado nesta prática. Mas é possível, com Jesus Cristo você pode vencer todas as coisas. Paz de Cristo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Pedro Strabelli 10-03-2016 16:43
Não pense em um elefante! Tarde demais, já pensou. Essa brincadeira velha serve para provar como funciona o nosso cérebro. Mandou não pensar em uma coisa, já pensou nela. Aí, se você juntar os fatos que cérebro nasceu para pensar e o corpo anaboliza ele com hormônios, a coisa complica. Será que não é um pouco isso? Ficar pensando “Não vou fazer. Não vou fazer. Não vou fazer?” é, indiretamente, pensar no que não quer fazer. Talvez funcione bem achar outra coisa para pensar. Conheço umas turmas que futebol, games, rock ocupam tanto espaço na cabeça que não sobra muito para outras coisas.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Natanael B. 10-03-2016 14:53
Pedro, provavelmente a sua libido não é uma coisa fora do normal. A sua relação com o prazer é o exato retrato da maioria dos meninos por aí. Essa situação é a mesma dos homossexuais que se dizem terem nascido assim, por isso não praticar atos homossexuais seria quase que contra a sua "natureza". Sugiro que você pare de tratar a si mesmo como um "dodói". Isso pode estar atrapalhando a formação da sua convicção quanto a mudança dos seus hábitos. Você consegue. E a resposta já está dada aí pelos colegas: Jejum, oração, sacramentos. Você não chegou a mencionar pornografia no seu texto, mas se você vê isso, pare de maneira absoluta. Só pra acrescentar no que o pessoal disse de evitar situações: evite sites de celebridades, fofocas e alguns sites de notícias mais "descolados" que sempre têm mulher com pouca ou nenhuma roupa. Pedro, tudo que um ser humano faz, é imaginado por ele antes com um grau maior ou menor de detalhes. Por isso, evite "secar" as moças na rua ou na faculdade, assim você estaria povoando seu imaginário com muito sexo. Concorda comigo que é mais fácil praticar o que você já imagina fortemente ? Fique com Deus.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Carol 10-03-2016 10:05
Pedro, tudo que colocaram aí é muito bom. Agora te darei uma experiência pessoal de um conhecido que tinha o mesmo problema. Sabe como ele conseguiu parar: CONFISSÃO. Mas não era confissão uma vez por mês não, era IMEDIATAMENTE depois de pecar, sempre com o MESMO PADRE. As vezes se confessava várias vezes na semana, mas isso ajudava muito, porque sempre que ele pensava em pecar, já sabia que teria que ir ao padre e sentia vergonha. Uma dica prática. Coragem. Caiu, levanta. Caiu, levanta. E não fique achando que a sua libido é fora do normal. Isso já é um engano do demônio para justificar o seu pecado. TODOS tem muita libido e sem Cristo estaríamos cometendo as maiores atrocidades por aí.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # adriano 09-03-2016 18:27
Olá Pedro, Seu problema é o mesmo que de muitos jovens, certamente. Mas existem muitas coisas que você pode fazer pra controlar sua "libido excessiva". 1° As paixões - ou impulsos - devem ser, em primeiro lugar, ordenadas. Santo Agostinho ensina que as virtudes são feitas da mesma matéria que os vícios, ou seja, as paixões são as mesmas, cabe a você ordená-las para fins bons ou maus. Se você ordená-las para fins maus vai cair em pecados graves, que viram maus hábitos (vícios), e aí é ladeira abaixo... Agora, se você ordená-los para fins bons, vai obter crescimento moral, intelectual e espiritual. Isso passa por algumas "estratégias", por exemplo: ter uma rotina de vida e de oração (sobre a rotina de vida: você pode ter um horário mais ou menos determinado pra acordar e dormir, pra estudar, pode também fazer alguma atividade manual em casa, desde lavar roupas até pintar paredes, etc. Sobre a vida de oração, você pode rezar a liturgia das horas, ter horário pra rezar o terço, ter horário pra ir na missa todos os dias, ter horário pra fazer leituras espirituais, etc.). O ponto de partida INDISPENSÁVEL é esse. A partir desse ponto de partida devem-se pensar as estratégias seguintes. 2°- Oração, Jejum (toda forma de penitência) e Esmola (todo tipo de obra de caridade). Os benefícios da oração são evidentes. A respeito do jejum (penitência), trata-se de domar suas paixões. Se você tem vontade de comer um doce, por exemplo, e faz o sacrifício de não comer, oferecendo tal sacrifício a Deus, você está fortalecendo sua vontade, e se construir o hábito de fazer esses pequenos sacrifícios, provavelmente vai ganhar força pra evitar pecados contra a castidade. Em terceiro lugar, as obras de caridade, que servem para despreender o espírito do egoísmo da carne, além de inflamarem o amor a Deus, o que automaticamente o afasta do apego ao pecado. 3° Fugir das ocasiões de pecado, sem respeito humano, sem medo de desagradar, usando da santa intransigência. Não olhar para mulheres com malícia, evitar companhias que te levem ao pecado, sem pensar duas vezes. Seja intransigente nisso. Duas observações finais: Não ache que isso te faz menos "homem", pelo contrário. Essa mentalidade que leva alguns a pensar que "ser homem é comer todas as minas" é uma estupidez, uma fraqueza de caráter. Ser homem é ser nobre, é sacrificar-se por Deus e pelo outro. Para você se sacrificar pela sua esposa e pelos seus filhos no futuro, tem que aprender a fazê-lo sozinho, agora. Segundo, não ache que sua vida vai se tornar chata. Você vai descobrir um tipo novo de alegria. Nós cristãos, temos a verdadeira alegria, a Esperança do Céu. Nós temos a difícil missão de ensinar ao mundo o que é a verdade alegria! Um abraço, fique com Deus!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Malu 09-03-2016 14:35
Bom dia, irmão! A paz do Senhor e o amor da Virgem Maria. Li seu testemunho e vi que ele parece muito com o meu e gostaria de te ajudar! Vivi uma situação extremamente parecida com a sua; acabei por perder minha virgindade aos 14 anos com um namorado, por ele sempre ter vivido dessa forma com outras namoradas. Também vivi a masturbação, e hoje digo que sou livre. Confesso que quando praticava os atos contra a castidade, me vinha bastante na minha cabeça que satanás havia vencido o Deus que habitava em mim, e dessa maneira, Ele ia embora, pois eu estava a ofendê-Lo. No fim, aprendi que Deus nunca me abandonou em momento algum, mas que eram constantes tentações as quais eu caía sempre e que satanás agia por mim quando isso acontecia; vi que era fruto da minha fraqueza e que eu estava escrava do pecado, já na morte, pois o salário do pecado é a própria morte. Decidi que me libertaria disso, e Cristo havia morrido por mim, precisava fazer valer a pena o sacrifício de Amor. Conheci a Verdade e a Verdade me libertou. Hoje tenho uma vida de oração firme, namoro há 3 meses (um namoro confirmado, desejado e guiado por Deus e pela Virgem Santíssima) e vivemos a castidade de forma radical, pois o pecado é o abismo e quanto mais perto estamos dele, mais chance temos de cair. Espero que tenha te ajudado! Deus abençoe.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Mendes 09-03-2016 14:35
Poxa Pedro, será que você não teria como conseguir um diretor espiritual para tratar disso pessoalmente com ele? Um sacerdote ou então um leigo não experiente da Igreja? Pode até ser um senhor casado, alguém com mais experiência, com quem você possa compartilhar essas angústias. Fora isso...insista na confissão + eucaristia + jejum + Rosário. Procure os materiais do Jason Evert e testemunhos de homens que venceram esse dilema, na Canção Nova por exemplo existe muito material sobre isso. Se as ajudas psiquiátricas e psicológica não serviram então vc precisa investir na frente de batalha espiritual. O mais importante, ocupe seu tempo para que esses pensamentos não dominem sua mente. E tenha uma conversa franca com sua namorada, ela precisa te ajudar tb. Sê forte e corajoso! Faça o propósito do PHN. .. um dia de cada vez!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Arlindo 09-03-2016 13:25
E também, não acredito em homens totalmente castos ao extremo. Ainda que o rapaz seja um catolico fervoroso, ele cairá se tiver ocasião, então, é necessario uma serie de atitutes visando manter a castidade
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Arlindo 09-03-2016 13:16
Acredito que uma boa forma de evitar cair é estabelecer uma hierarquia entre namoro , noivado e casamento. Hoje em dia ,vivemos em uma sociedade que não faz diferença entre as três coisas. Porém , é necessário,pois tais estados demonstram o aprofundamento da relação. Não se deve fazer com namorado o que se faz com noivo ou com marido. Com o noivo não se faz o que se faz com marido. Nada de viagens, gestos de carinho excessivo com o noivo e namorado. As roupas também são importantes, pois a mulher que se veste de forma mundana atrairá pretendentes mundanos.Ou acham que um católico conservador vai levar a serio uma moça imodesta.Também é bom as moças se cercarem de ambientes católicos mais rigorosos, pois assim aumentará suas chances de um pretendente.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Mendes 09-03-2016 14:17
Ótimo comentário Arlindo. Hoje os casais de namorados vivem como marido e mulher e essa questão das viagens e muitos momentos sozinhos.não colaboram em nada para a castidade no namoro. Tem gente que realiza o noivado numa dessas viagens ou numa cama de motel. .. situações muito tristes... mas o que mais me espanta e que a maioria dos casais católicos vivem isso é não se importam simplesmente. Diferente do caso relatado, onde a moça se sente infeliz, casais assim demonstram não se importar muito com esses valores que acham ultrapassados... como encontrar um homem ou mulher de Deus dispostos a viver um namoro e noivado catos?
Responder | Responder com citação | Citar
-1 # Mendes 09-03-2016 14:08
Ótimo comentário Arlindo. Hoje os casais de namorados vivem como marido e mulher e essa questão das viagens e muitos momentos sozinhos não colaboram em nada para a castidade no namoro. Tem gente que realiza o noivado numa dessas viagens ou numa cama de motel. .. situações muito tristes... mas o que mais me espanta e que a maioria dos casais católicos vivem isso é não se importam simplesmente. Diferente do caso relatado, onde a moça se sente infeliz, casais assim demonstram não se importar muito com esses valores que acham ultrapassados... como encontrar um homem ou mulher de Deus dispostos a viver um namoro e noivado castos?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 09-03-2016 14:25
Mendes, Jesus disse que até os maus sabem dar coisas boas a seus filhos. Sendo assim, será que o Pai do Céu dará uma pedra a um filho que pede pão? Devemos ter fé, orar muito e esperar com paciência no Senhor. Também é importante considerarmos sem medo e com generosidade a possibilidade do chamado ao celibato. Todo o mundo dizia que eu ficaria encalhada (até as tias coroas, mães de meus amigos), porque eu ia nas festas e me recusava a entrar na onda da pegação. Tomei a decisão de não me conformar com menos, e decidi que se não fosse para ser como o ideal, eu ficaria sozinha e muito feliz. Taí o exemplo de muitos de nossos santos, que não casaram e tiveram uma vida de invejável beleza. O Senhor, pelo visto, não me destinou ao celibato, pois conheci Alexandre, disposto a me respeitar. Então... Como encontrar um homem ou mulher de Deus dispostos a viver um namoro e noivado castos? Não cedendo à lógica do mundo, que quer nos convencer que, se não fizermos como todos fazem, seremos infelizes; orando sempre e pedindo ao Senhor que, se for da vontade dEle, que encontremos a pessoa certa.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # adriano 09-03-2016 12:40
Belo texto do Pe. Lodi sobre o assunto: http://missatridentinaembrasilia.org/2013/05/08/instrucao-pequeno-catecismo-do-namoro/
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Janaína 09-03-2016 12:35
Eu passei por essa situação e posso testemunhar o quanto é difícil. Namorei por três anos e quando estávamos no segundo ano de namoro, quis viver a castidade. Nos "arrastamos" durante um ano aos trancos e barrancos pra viver isso. Ele não concordava, mas por um tempo até respeitou, mas a situação ficou difícil e até insustentável a ponto de ele terminar o namoro. Hoje eu vejo que foi melhor a fazer, mesmo em meio as lágrimas e a dor da separação. Uma coisa aprendi com essa experiência: um "amor" que é incapaz de abrir mão dos prazeres passageiros não vale a pena, porque não é amor, é atração física e isso passa. O verdadeiro amor tudo espera e tudo suporta. É difícil? MUITO! Muito mesmo. Mas Aquele que nos chama, nos capacita! :) Parabéns pelo texto. Amo esse blog_s2 Deus os abençoe!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Samuel 09-03-2016 12:27
Vou deixar meu testemunho sobre isso. Nasci e cresci, graças a Deus, em casa católica e sempre fui "ratinho" de igreja quando criança, não saía de lá. Hoje acabo não tendo o mesmo tempo, principalmente por causa da faculdade. Minha namorada também nasceu em casa católica, mas não era tão praticante. Começamos a namorar há mais de dois anos. Na verdade, nós já moramos juntos por um período, quando fomos viver fora do Brasil por causa dos estudos. Não digo que me arrependo daquele período, foi importantíssimo pra que tivéssemos certeza que queremos viver juntos pra sempre, nos casar, que temos condições de manter uma família e tudo mais. Voltamos para o Brasil, eu sempre fui ligado à doutrina da Igreja e sabia que vivia em pecado, e continuei por isso por um tempo (nessa época já moramos em casas separadas novamente). Entretanto, depois que voltei pro Brasil eu me interessei mais por estudar o catecismo e a igreja, e comecei a cada dia entrar em mais e mais contradição comigo mesmo, mas não tinha coragem de seguir firme na fé. Até que certo dia já não mais aguentava a contradição e me confessei com o padre da paróquia. Disse tudo o q tinha pra dizer, e posso dizer que nunca senti tanto alívio quanto aquele dia. Decidido, fui conversar com minha namorada, fiquei um pouco apreensivo, mas falei para ela que já não queria mais viver daquela maneira. Ela entendeu tudo o que era pra entender e nem falou nada. Disse que não se importa em não ter sexo, porque me ama com ou sem ele, e não se importa em esperar até quando casarmos para voltarmos a ter relações. O que quero deixar com esse testemunho é que não importa o quão enfiados nós estamos no pecado, com fé, esforço, intercessão de Nossa Senhora e vontade de poder viver pra Cristo, nós conseguimos sair de lá. Estamos há alguns meses sem relações e nosso namoro não enfraqueceu em nada. Tenho 21 anos, ela tem 22 e podemos dizer que é possível ter um namoro feliz e casto. Que Deus abençoe a todos, principalmente aqueles que procuram largar essa tentação.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Kilo1-1 16-03-2016 14:09
Samuel e A Catequista, obrigado pelos seus escritos! Minha situação é pior: eu gosto da Igreja, de estudar a fé, busco praticar, mas essa área é meu espinho na carne. Algumas vezes já prometi à namorada que não faria isso novamente, mas é difícil, principalmente porque não evito as situações perigosas: "E abandonamos Jesus de muitas e variadas formas, e a mais sutil delas é dizer a nós mesmos que não queremos mais pecar (e às vezes não queremos mesmo, por experimentamos que isso nos deixa tristes), mas fazemos um jogo duplo, ao não evitarmos as ocasiões de pecado. -" Ao término da Quaresma eu espero ter coragem para fazer um voto, diante de Deus, de preservar nossa castidade até o matrimônio. Não fiz isso pq sei que ainda não conseguirei manter. Deus me ajude, e que a Virgem, e S. Agostinho e S. Maria do Egito intercedam por mim.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Johnny 10-03-2016 18:03
Amigo, minha experiência é semelhante a tua. Depois de terminar um namoro percebi que o libido tinha me transformado num escravo/zumbi. Era realmente assim que me sentia e um dia, tomado de coragem, fui confessar-me. Ao sair do confessionário, abri a carteira e joguei na lixeira as camisinhas que ainda carregava comigo. Depois de um ano comecei a namorar com uma guria do grupo de jovens e novamente voltei a viver no pecado. Por mais que eu soubesse que era errado continuávamos a pecar até que, pouco a pouco, o sentimento de culpa que crescia em mim gritou tão alto que não pude mais continuar a viver com este sentimento. Já faz quase um ano que falei com minha namorada que não queria mais viver deste modo, que me sentia um hipócrita sendo católico engajado em pastorais da paróquia e vivendo um namoro imoral. Ela aceitou minha proposta e embora no começo tenha sido difícil, hoje nosso namoro está cada vez mais firme, namoro não, já noivado. A lição que ficou para mim é que, uma vez que você tenha o propósito de viver o namoro em santidade você precisa, primeiramente, evitar as situação de "mano-a-mano", depois, também, conversas sobre sexo, material pornográfico (e no meu caso, onde trabalho são pelo menos 5 celulares com vídeos porn a todo volume várias vezes ao dia), etc. Minha noiva e eu trocamos os momentos "mano-a-mano" por aproveitar o tempo para estudar o catecismo e preparar a catequese, já que trabalhamos juntos com uma turminha. Enfim, eu que via o exemplo de muitos casais vivendo namoro santo pensava que seria impossível para mim, mas não o é.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # PEDROPENHA 09-03-2016 12:04
GRAÇA E PAZ DA PARTE DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. ...SOU CATOLICA. COMO ASSIM? ESSE TESTEMUNHO DE ALGUEM QUE SE DIZ CATOLICO.NO BRASIL SAO MILHOES DE PSEUDOCATOLICOS.SE FOSSE VERDADEIRAMENTE CATOLICA. ELA TERIA ORADO, REZADO, FEITO JEJUM E SE AFASTADO DESSE NAMORADO QUE NAO RESPEITOU O TEMPO CERTO DE TRANSAR. ESSA MOÇA DEVERIA PROCUAR O CELIBATO TEMPORARIO. TEM UM MONTE DE JEITO DE NAO FORNICAR. ELA FOI A IGREJA FALAR COM O PADRE. EU SOU FIEL A SANTA IGREJA SO FAÇO O QUE ELA MANDA. VIVA NOSSA SENHORA AUXILIADORA.PADROEIRA DOS SALESIANOS.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 09-03-2016 13:40
Pedro, sua visão do que é ser católico está distorcida, enviesada pelo moralismo. O autêntico cristão não é aquele que não peca - se for assim, nenhum de nós poderá se dizer cristão, pois todos somos pecadores! Uma pessoa pode até não pecar por fornicação, mas certamente possui culpa em outro campo. E, afinal, Jesus mesmo disse que "o médico veio para os doentes". São Pedro, por exemplo, negou Jesus três vezes. Poderíamos então dizer: esse não é cristão! Mas Pedro chorou amargamente seu pecado, e obteve o perdão de Deus. Tanto isso é verdade que Ele, depois disso, foi escolhido para confirmar os demais irmãos nã fé. Nos escandalizamos com isso? O cristão é aquele que, ainda que venha a cair, jamais se conforma em viver no pecado, e volta sempre a pedir a misericórdia de Deus para ser santo e não tornar a pecar. O cristão é aquele que reconhece Jesus Cristo como Deus e Senhor, e conta com sua graça para ser sempre mais capaz de ser fiel a Seus mandamentos. Leia a parábola do Filho Pródigo, Pedro, e reflita sobre ela. Leia também a parábola do fariseu e do publicano.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Anne 09-03-2016 11:43
É sempre bom lembrar. Dentro do casamento também precisamos guardar a castidade, as vezes por longos períodos, quando a mulher tem algum problema na gravidez, ou no pós parto, ou mesmo se algum dos dois cônjuges vier a ter alguma doença em que o tratamento seja necessário a abstinência. Você acha mesmo que se seu namorado não se dispor a manter a castidade agora, ele vai se dispor a manter depois do casamento? Tenho uma amiga que trabalha na maternidade e ela diz como é absurdo o número de mulheres que vão ao hospital no pós-parto com algum problema gerado pela falta de respeito de seus maridos que não "conseguem" esperar os 40 dias de resguardo. Muito triste isso.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 09-03-2016 11:55
Excelente comentário! Nesse caso, o termo mais adequado é "continência". Um marido que não foi educado a segurar a onda no namoro dificilmente vai conseguir segurar o casamento, quando necessário. Quando engravidei dos gêmeos, meu obstetra me pediu que deixássemos o sexo de lado, para prevenir a vinda prematura dos bebês (mais da metade dos gêmeos nascem prematuros). Foram vários meses de continência. E, com a graça de Deus e a intercessão de Frei Galvão, os bebês nasceram com quase nove meses, e não foram para a encubadora!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Janete Santos 09-03-2016 16:27
E há também a questão mesmo da castidade, com esta palavra, dentro do casamento, que é não dar vazão há desejos imorais no ato conjugal. Tem gente que quer manter relações de trocentos jeitos, e a todo momento, contaminando algo que deveria ser prazeroso mas também natural e santo, como se o casal fosse dois atores pornôs. Esse negócio que no casamento entre quatro paredes tudo é permitido é também grande culpado por instilações do inimigo. Basta imaginar um casal de santos no seu convívio se conseguimos visualizar algo pecaminoso, obsceno e até ultrajante. Não tem como relativizar. E quem falar que estou sendo puritana, carola ou sei lá o quê, deve comumente servir-se em prato cheio para as tentações e ocasiões de pecado!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Vinícius de Carvalho 09-03-2016 11:41
Tudo me é permitido, mas nem tudo me convém! Gostei muito do artigo!
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Luiza 09-03-2016 11:34
Nunca falei sobre esse assunto com ninguém, mas vocês me descreveram perfeitamente. Senti muito forte no meu coração que foi para mim, principalmente na parte de sentir tanta culpa e parar de rezar... É realmente assim que me sinto, "indigna de conversar com Deus". EXATAMENTE ASSIM, como vocês conseguiram? Incrível. Obrigada por esse texto.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rudy Veiga 09-03-2016 18:14
Luiza é tempo de Quaresma, é o tempo favorável para a conversão a misericórdia de Deus,corra para uma Igreja, peça confissão e reate seu relacionamento com Deus, te prometo que no instante que você acabar de ouvir da boca do sacerdote a absolvição você estará AUTOMATICAMENTE em oração, decida-se! Deus te abençoe!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Marcos 09-03-2016 11:26
Apesar de todo o texto ser destinado ao público feminino, eu me identifiquei. Já terminei um relacionamento porque queria um namoro casto e a menina não... A situação se tornou bem complicada, por isso resolvi encerrar. Sempre trouxe comigo que minha felicidade vem de Deus, então pq vou desagrada-lo? Virei alvo de piadas dos meu amigos que sabem da história, alguns duvidavam da minha sexualidade. Mas entreguei tudo em oração e sigo feliz e com o coração mais leve.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Vini 09-03-2016 09:25
Sabem, eu tinha mandado uma pergunta sobre se era pecado não evitar ocasiões de pecado. Não sei se foi a Vivi ou o Alê que me respondeu, mas de qualquer forma, eu li que não era pecado, mas que Cristo aconselhou a fugirmos dessas ocasiões. "Quem ama o perigo nele perecerá". Tudo tem a ver com liberdade, mas pelo jeito, evitar as ocasiões de pecado é a maneira mais eficaz...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rafael Peters 18-10-2016 12:22
Existe a virtude da prudência e consequentemente existe o pecado contra a prudência
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Wendel Rodrigues 09-03-2016 16:40
"A batalha contra o pecado é a única batalha na qual vence aquele que foge." São Felipe Neri
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade