Publicidade
Quarta, 05 Agosto 2015 01:00

O filho único faz parte da cultura destrutiva do bem-estar, diz o Papa Francisco

Postado por

Se um casal católico chega ao terceiro filho, é inevitável que ouça repetidamente perguntas indiscretas e sem-noção, até mesmo dos amigos mais carolas da Igreja:

“Vão parar por aí, né?” (Resposta – não dita, mas pensada: “Por que? Tá vendo algum filho meu vendendo chiclete no sinal?”);

 “Vai ligar as trompas?” (Resposta – não dita, mas pensada: “Se você arrancar sua língua, eu ligo as trompas!”);

“Agora vai fechar a fábrica?” (Resposta – não dita, mas pensada: “A fábrica de enxeridos? Quem me dera ter esse poder...”).

Infelizmente, no meio católico está amplamente difundida a cultura do bem-estar: as pessoas querem ter filhos, mas desde que isso não as impeça de viajar muito, alcançar e manter um bom nível de conforto material e não se desgastar demais com o cuidado com crianças (já ouvi uma amiga católica dizer que foi bom ter somente uma filha, pois assim foi possível presentear a menina, aos 18 anos, com um carro zero. Menos um filho, mais um carro! Que lindjo!).

Aqueles que constroem uma família numerosa, por sua vez, ouvem piadas, julgamentos e censuras. Seus filhos podem estar saudáveis, contentes e bem-vestidos, mas nem mesmo isso os poupará dos olhares e palavras de reprovação.

Em uma de suas homilias, falando sobre a passagem do jovem rico, o Papa Francisco alertou sobre a "cultura do bem-estar, que nos deixa pouco corajosos, preguiçosos e também egoístas" (Fonte: Rádio Vaticana). Em seguida, como exemplo dessa cultura, ele cita os casais que optam por ter somente um filho em nome dos bem materiais e da comodidade.

"Não, não, mais de um filho não, porque não poderemos ir de férias, não poderemos ir a tal lugar, não poderemos comprar a casa". Podemos seguir o Senhor, mas até certo ponto. Isto é o que faz o bem-estar: todos sabemos bem como é o bem-estar, mas isto nos destrói, despoja-nos daquele valor, daquela coragem forte que nos aproxima de Jesus. 

- Homilia na Capela de Santa Marta. 27/05/2013

cegonhaEssa mensagem do Papa obteve pouquíssimo alcance em nossas paróquias e comunidades eclesiais. São como palavras jogadas ao vento! Ninguém quer ser o “antipático” que expõe e toca na ferida de milhares de casais católicos.

Isso sinaliza uma coisa: a maioria dos católicos vai continuar a agir exatamente como os pagãos, ou seja, usando meios artificiais e imorais para evitar filhos, gerando no máximo um "casalzinho" e olhe lá.

Poucos são os casais católicos que confiam na Providência Divina. No rito do matrimônio, todos prometem estar abertos a receber os filhos que o Senhor os enviasse. Mentiram pra Deus?

A Igreja renova o apelo para que todos levem fé nas palavras do Nazareno:

Não vos aflijais, nem digais: Que comeremos? Que beberemos? Com que nos vestiremos? São os pagãos que se preocupam com tudo isso. Ora, vosso Pai celeste sabe que necessitais de tudo isso. Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e todas estas coisas vos serão dadas em acréscimo.

 - Mt 6,31-33

A enorme queda na taxa da natalidade foi o que deu início ao processo de decadência do glorioso Império Romano. Se por um lado reinava a prosperidade, por outro cresciam as ocorrências de aborto e infanticídio. O resultado foi um desastre econômico e social: no final do século V, entre trinta e cinquenta por cento dos assentamentos agrícolas foram abandonados nos dois últimos séculos do Império, pois não havia ninguém para cultivar a terra.

Hoje, o Ocidente caminha para esse mesmo fim. Neste ano, o país mais rico da Europa, a Alemanha, desbancou o Japão e passou a ter menor taxa de natalidade do mundo (Fonte: BBC). Os especialistas afirmam que se isso não for revertido, nas próximas décadas o país terá sua economia gravemente prejudicada, pela falta de um mercado de trabalho forte.

taxa_natalidade

Portugal, Itália e Dinamarca também já ligaram o sinal vermelho quanto às taxas de natalidade, que estão muito abaixo do ideal. Em fevereiro, o ministro da Saúde italiano descreveu a Itália como "um país moribundo". No desespero, a Europa está adotando a estratégia de estimular os adolescentes a engravidarem, por meio de uma mudança de enfoque nas aulas de educação sexual (Fonte: Folha).

Para contrabalançar o baixo número de nascimentos, os países europeus se abrem à imigração – isso seria bom, se não fosse o fato de a maioria desses imigrantes serem de muçulmanos, na não raro impregnados de uma cultura intolerante e incompatível com os valores ocidentais. Também nesse ponto a Europa se assemelha ao Império Romano, que se abriu a imigração em massa dos povos germânicos (os chamados “bárbaros”), que não faziam muito esforço para assimilar a cultura romana.

Até aqui, falamos apenas dos problemas econômicos causados pelas baixas taxas de natalidade. Porém, nada é tão ruim quanto as consequências morais e espirituais para cada família que fecha sua sexualidade ao dom da vida. Deixam de obter grandes graças, por falta de fé n’Aquele que os uniu.

*****

Para saber mais, acesse o artigo do site Presbíteros: "Queda de natalidade, taxas, imigração. Eis porque acabaremos como o Império Romano".

 

73717 Sexta, 07 Abril 2017 16:40

Comentários   

+1 # Sarah 09-04-2017 01:47
Gostaria de fazer uma pequena crítica a postagem. Eu compreendo o que o Papa quer dizer e o que a postagem defende, no entanto, é necessário prestar atenção ao contexto social. Como catequista que sou, e economista, sei que é preciso aliar fé e vida.

Sou nordestina também, e como a grande maioria pobre e miserável desse país vive na região Norte-Nordeste, sei que na MAIORIA dos casos aqui, seria necessário diminuir a quantidade de filhos.

Infelizmente não é possível esquecer que a renda familiar é sim relevante, não é por acaso que tem inúmeras crianças sofrendo com abandono, com doenças evitáveis, com a fome, a desnutrição e etc. Não vou me prolongar, mas apenas queria chamar a atenção para o cuidado com as generalizações que não se encaixam em diversas realidades.
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # A Catequista 09-04-2017 14:37
Sarah, certamente devemos relativizar a aplicação desse mandamento - sexo sempre aberto à vida -, mas sempre tendo o cuidado de jamais relativizar o mandamento em si.

Minha família por parte de mãe é de nordestinos, do agreste de Alagoas. Minha avó, uma santa mulher católica, teve oito filhos, e eu realmente não acho que ela deveria ter tido tantos, já que meu avô era um inútil infiel que não ajudava no sustento da casa e só trazia doenças venéreas para dentro de casa.

Então, as crianças enviadas por Deus merecem nascer em uma família minimamente respeitosa e estruturada. Tenho certeza de que, mesmo sendo bem pobres, se meu avô fosse um bom marido e pai, não haveria mal em ter oito filhos, pois as condições materiais da família seriam bem melhores.

A sábia solução, tomada por minha bisavó, foi colocar meu avô para fora de casa, e assim minha avó finalmente parou de ter mais filhos.

O que quero dizer é: em 99% dos casos de miséria aqui no Brasil, o problema, no fundo, não é que o casal teve muitos filhos - essa realidade é apenas o agravante do verdadeiro problema: o pai da família é negligente com o trabalho, ou é alcoólatra; a menina é adolescente, e engravidou de outro adolescente incapaz de assumir uma família; a mulher tem um filho de cada pai; a mulher faz filhos mesmo sem ter intenção de cuidar bem, só para receber benefícios do governo etc.

De modo geral, um casal que é unido no amor e trabalha sem preguiça cria os filhos com dignidade material e afetiva. Deus não abadona os que andam em Seus caminhos: Ele provê. Porque Ele prometeu expressamente, e Deus não mente.

Vejo esse milagre da Providência acontecer até com casais que não são católicos, mas, na sua forma de viver o matrimônio, refletem os ideias católicos.

Então, você tem plena razão ao dizer que é necessário prestar atenção ao contexto social. Por exemplo, se um diretor espiritual vê que uma família é muito pobre, e que o marido é um vagabundo, certamente deve recomendar que a mulher use o método billings para espaçar a vinda de filhos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Roberta Varela 08-04-2017 06:18
Que artigo maravilhoso! Sou casada há 14 anos com 2 filhos "programados" utilizando desde sempre o método billings (João Gabriel 10 e Tiago 5 anos) e a espera do terceiro (Rafael) que nascerá, provavelmente, próxima semana. Este nos pegou de surpresa, mas a fé em Deus e na Sua providência nos encorajou e estamos radiantes com a chegada do novo membro.

Identifiquei-me demais com as frases elencadas no início deste artigo. A se eu vou realizar laqueadura é a campeã. Pior são os questionamentos e reprovação quando (sempre) minha resposta é negativa. Entristeço-me, sinto-me ate mesmo desrespeitada, mas jamais arrependida da escolha e decisão de continuar com os propósitos de Deus.

Jamais negarei a promessa que fiz a Deus e ao meu esposo diante de uma comunidade inteira. Estarei aberta sempre à graça. Deus, em sua infinita misericórdia nos fez cocriadores! Obrigada, galera Catequista, por esse apoio e coragem no artigo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # willian 08-04-2017 04:39
Quanto mais escolarizadas as pessoas são, menos filhos essas pessoas querem ter.
Elas querem aproveitar a vida, viajar conhecer outras culturas e etc.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # A Catequista 09-04-2017 15:05
Verdade. E quando essas pessoas estiverem no Dia do Juízo - que pode chegar daqui a 70 anos, ou ainda hoje - e o Senhor perguntar o que elas fizeram com os talentos que receberam, vamos ver se as viagens, jantares e divertimentos servirão para lhes dar entrada pela porta do Paraíso.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Karina 07-04-2017 21:24
Belo post!
As pessoas tendem a ser extremistas nesse assunto. Uns já acham que um filho é muito, atrapalha o casal e, enfim, têm o filho só pra ter um bibelô dentro de casa. Outros se utilizam da frase "ain, que lindo, quero muiiiitos filhos", mas também não têm a menor ideia do que é criar e, principalmente, educar uma criança.

Paternidade responsável é deixar Deus decidir quantos filhos você terá. Alguns casais terão 10, outros apenas um, e não há que se culpar Deus por isso.

Eu tenho um casal e, ainda que não use nada para impedir uma gravidez, a diferença de idade entre eles é de 6 anos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Victor 17-01-2017 12:41
O Papa tocou na ferida de muitos casais católicos. Ainda bem. Mesmo que poucas paróquias não gostem de tocar nesse assunto, ao menos na internet o povo católico consegue acompanhar as mensagens do Vaticano. Eu agora msm senti o peso na consciência, sendo que tenho 22 anos, e até agora nem namoro kkk. Mas a vida segue. Ótimo site. Abçs.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Thuany 07-04-2017 17:54
Pois é Victor, eu tenho 25 anos e estou solteira tbm. Porém, devemos nos desprender dos nossos limites e acreditar mesmo, com toda fé, na Providência Divina. Tamo junto! rs
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # luiz vieira 07-04-2017 16:41
E eu q tenho 27 e n sinto necessidade de ter filhos xD
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Monise 16-09-2016 14:36
Eu gostaria muito de ter tido mais filhos, 3 nós queríamos, porém tenho sérios problemas de circulação, tive 1 aborto espontâneo na primeira gravidez, e com a benção de Deus conseguimos ter nosso filho, Luiz Henrique, que está com 4 anos. Por esses motivos de saúde tivemos que "fechar a fábrica" (biológica), mas no nosso coração começa a brotar a vontade de adoção. Se for da vontade de Deus, que aconteça!!! Mas infelizmente, o próprio casamento já começa "errado", hoje em dia se casa com tudo pronto, casa comprada, mobilhada, viagens feitas à dois, estudos completos, etc. E depois, quais o sonhos que terão juntos? Quais objetivos?? O ter, o conquistar, e isso, com mais de um filho pode-se tornar impossível aos olhos de quem pensa no material. PS. Adoro o site, a forma como vcs escrevem os assuntos!!! Parabéns!!!
Responder | Responder com citação | Citar
+4 # Celia Gonçalves 15-08-2016 16:08
Entendo que isso se limita a lares cristãos, casais casados onde a criança nascerá dentro de uma unidade familiar e cristã, mas em contra partida temos um problema grave que ocorre qdo muitas mulheres saem por aí dizendo que "foi Deus quem quis", qdo na verdade a gravidez foi fruto de irresponsabilidade e promiscuidade. Trabalho em uma associação que cuida de jovens e adultas grávidas e boa parte delas engravidaram de presidiários, de homens casados na tentativa de fazê-lo largar a esposa, engravidam por vingança com o discurso que queriam ferrar com ele, é uma lástima só. Qual a posição da Igreja qto ao alerta pra estes casos? Qual a posição da Igreja qto ao desencorajamento de se ter filhos sem a menor condição psicológica, financeira (não pro luxo, mas pro básico), moral e as consequências disso?
Responder | Responder com citação | Citar
+4 # A Catequista 15-08-2016 16:41
Celia, certamente estamos falando de lares cristãos. A Igreja ensina que o filho deve ser fruto de uma "paternidade responsável". Naturalmente, paternidade responsável exclui a tentativa de arrumar filho com amante, com bandido etc. Na verdade, o problema dessas mulheres é bem anterior a ter filhos ou não: elas precisam de verdadeira conversão, que passa também pelo zelo com a castidade e sacralidade do próprio corpo.
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Isadora 07-08-2016 09:54
Vamos ser CATÓLICOS, na essência e adotar. Pq já tem muita criança sofrendo em orfanato e nos vamos prestar conta disso
Responder | Responder com citação | Citar
+4 # A Catequista 09-08-2016 13:22
Isadora, fale isso para as pessoas que, em vez de adotar, estão recorrendo a técnicas de fertilização in vitro ou reprodução assistida. Sua crítica não vale para os casais católicos férteis que, sendo fiéis às Escrituras e à Tradição, se abrem à vinda dos filhos que Deus quer enviar.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Isadora 07-08-2016 09:50
Tenho dois filhos e amo ser mãe. Não tenho uma vida abastada mas tbm não quero viver na miséria. Para se ter uma família grande é necessário apoio principalmente da Igreja que torce o nariz e manda meus filhos fazerem silencio durante a celebração litúrgica, mesmo com tada a orientação do Papá os padres são os primeiros a nós olharem com olhar retorcido. Sem contar que para aumentar minha família meu marido teria que ganhar mais para eu poder parar de trabalhar, pq ter filho para os outros cuidarem é muito incoerente
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Veruska 07-04-2017 22:50
Não cabe ao padre ou a qualquer outra pessoa pedir às crianças fazerem silêncio durante a Santa Missa. Isso é um DEVER dos pais educarem seus filhos a se comportarem com respeito durante a celebração. Não é o fato de ser criança que precisa deixar fazer o que quer, cabe aos pais ensinar todo o Rito litúrgico de acordo com a idade da criança e exigir que ela fique sentada ao seu lado e não passeando pela Igreja. E no momento certo colocá-la numa catequese.
Responder | Responder com citação | Citar
+4 # A Catequista 09-08-2016 13:24
Buscai primeiro o Reino de Deus e na sua justiça, e tudo o mais vos será dado por acréscimo, disse Jesus. Você tem fé em Jesus, Isadora? Você crê no Evangelho? Quanto aos padres que não acolhem bem as crianças na missa, é muito cômodo se apagar ao erros alheios para justificar a nossa falta de fé e o nosso coração duro para ouvir e seguir a Palavra de Deus. Tenta dar essa desculpa no dia do teu Juízo, pra ver se cola.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Mopp 07-04-2017 18:08
Além disso essa questão sobre os órfãos e a adoção é mais uma falácia de quem adota o discurso anti natalidade. Tem muitos casais na lista de espera que demoram anos para conseguir a adoção de uma criança. E isso nem sempre se deve à desculpa da espera da criança perfeita, mas à própria morosidade do Judiciário.

Me entristece ver tantos católicos que podem ter filhos e não os tem. Tenho um problema de infertilidade que me fez mudar de vida para receber essa benção. Confio e espero em Deus.

E a adoção é a outra opção que está em aberto no meu coração. Tenho certeza da vocação que escolhi e peço ao Senhor sua misericórdia. Sei que ele ouvirá minhas orações.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # João Pedro Strabelli 22-08-2015 20:09
Duas pequenas observações a fazer. A primeira me custou um tempão de meditação. Não porque o post vai ficar quilométrico, mas porque o assunto é delicado e eu mesmo vivo pensando nisso há muito tempo e pedindo para Deus que se eu tiver errado, me faça mudar de ideia. Acho que, dentro de certas circunstâncias, mais ou menos especiais, um casal pode optar por menos filhos ou até por não ter. Mas isso está mais para raro do que comum. Aliás, bem raro. Conheço casais que participam demais da igreja, fazem muito mais coisas que eu o a maioria das pessoas e devem ter levado um monte de pessoas para o céu, mas não tiveram filhos. Quando eu digo casais, digo dois. Ou melhor, um e meio, já que um dos casais eu conheço indiretamente. Um por questões de idade, outro de saúde. Dentro disso, tomaram a decisão de usar este tempo para ajudar outras pessoas e a Igreja. Como disse, isso é mais para casos raros e excepcionais. Penso isso desde a juventude (lá pelos 19 ou 20), quando li o livro da vida de São João Maria Batista Vianney (que meu pai insistia em chamar pelo apelido Cura d'Ars). Em uma passagem ele pede a uma mulher que não se negue dar a Deus os filhos que Ele pede. Mas aí eu via alguns casos de crianças que tinham muito mais chances de não ir para Deus do que ir e pensava que a gente tem que ter muito discernimento para entender o que é isso de “dar a Deus”, que é bem o oposto de entregar ao diabo. Eu mesmo me odiaria se não conseguisse fazer um filho seguir o caminho correto — falo isso de coração e eu sou um cara que, por natureza, não odeia nada (exceto o jiló). Por isso fiquei dentro do limite que achava que dava conta, mas disse a Deus, não sem um pouquinho de medo mas disse: “Se não for isso, o Senhor sabe o que fazer”. Isso, obviamente, não entra na questão orçamento, que um filho nunca cabe nele, a gente faz ele se adequar ao filho… ou aos filhos, nem na questão da educação de escola, que isso a gente resolve, mas a educação cristã mesmo. Como disse, penso nisso há muito tempo, e se não tenho conclusão fechada é porque tenho dúvidas. E as dúvidas não são por falta de ler, rezar, conversar com padres, meditar, nada disso. É dúvida sincera mesmo — e não é a única. Vai ver é por isso que começo a rezar pedindo para Deus ter paciência comigo. Não pensem que sou contra filhos, muito pelo contrário. Aquela brincadeirinha de que se Deus inventou coisa melhor que mulher guardou para Ele; costumo dizer que se inventou coisa melhor do que filho guardou só para Ele (só que não, já que foi o Filho que fez a maior obra para gente, a salvação). A outra observação é bem mais simples e direta. Ainda acho que até a Igreja deveria fazer uma espécie de campanha na Europa sobre a crise que ela vive, ou melhor, para o fim da crise que ela vive: Minha resposta à crise: mais um filho. Direcionada a casais com até dois filhos, mas principalmente para quem tem só um ou nenhum. Seria uma resposta eficiente e principalmente amorosa. A Europa vive uma onda de imigrantes ilegais e isso não acontece porque a Europa é rica ou considerada o paraíso social na Terra, mas porque há espaço. Ninguém vai imigrar para um lugar superlotado para procurar emprego. Vai para um lugar que sabe que encontrará lugar para trabalhar. Se na Europa tem lugar, é porque falta muito europeu trabalhando lá. Aquele europeu que não nasceu. Ou seja, podem fazer o que quiserem, vai ter imigração até que deem um jeito nisso. Outra. Se enfrenta muito melhor crises quando tem uma responsabilidade maior. Um filho é isso. E, vamos ser sinceros, dinheiro estatal para ajudar casais com filhos é o que não falta por lá. A renda per capita iria cair? Sim. Minimamente. A crise é que ia diminuir, porque mudaria o perfil de gastos. Em vez de férias no mundo inteiro (europeu parece que ama passear pra fora, mais ou menos igual aqui, com a diferença que eles conseguem), ficariam mais por lá mesmo, comprariam mais por lá mesmo, viveriam mais por lá mesmo e com objetivos mais definidos. Ou, até mesmo com mais objetivos de vida, já que um filho te ensina a cuidar do que é mais importante. Esse movimento, mesmo que encabeçado por católicos (não vejo mais ninguém a defender uma bandeira dessas, mas bem que todos os governos gostariam, pois mais gente trabalhando ia desafogar a previdência deles), não deveria focar só nos católicos. Penso assim porque há alguns movimentos que ganham vida própria e acho que este tem chances. Afinal, deve ter uma imensidão de casais entre a juventude e a meia idade vivendo a frustração da solidão sem saber porque. Com a linguagem correta, acho que funcionaria. Enfim, desculpem pelo post infindável.
Responder | Responder com citação | Citar
+5 # Leniéverson 27-08-2015 00:46
Curioso que seu comentário se encaixa exatamente no que Bento XVI chamava de Teologia da Relatividade, onde todo mundo vive segundo os seus achismos. Na Missa de domingo passado, o padre da minha paróquia falou exatamente sobre os católicos que tendem a não seguir o que orienta a Igreja. Ela diz, crescei e multiplicai, mas o ser humano prefere ter um e acabou. E antes que me chame de vivente em uma bolha, eu sei que há casos excepcionais, sim há, mas não se pode usar como trunfo para defender achismos e relativismos.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Elisabeth Rautmann Cesarino Linhares 10-08-2015 09:09
Bom dia! Após ler o conteúdo deste artigo desejo descrever a minha grande insatisfação e até tristeza ao lê-lo. Conseguimos ter uma menina aos meus 38 anos após muito tratamento e cirurgias, com muito amor e apoio da família em especial do marido. Sinto-me imensamente abençoada com ela, pois sou mãe porque realmente no meu caso, Deus assim quis. Lamento ler que católicos devem pensar sempre em ter muitos filhos. Pois eu lhes digo, somos católicos praticantes e temos uma vocação de intensa dedicação e trabalho, somos médicos católicos e assim como melhoramos a qualidade de vida salvamos vidas e considero toda a dificuldade que tivemos em ter apenas um filho, a vontade de Deus para que pudessemos continuar com a nossa vocação. Vou apenas esquecer o que lí aqui.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 10-08-2015 12:19
Bom dia! Entendo que o motivo de sua insatisfação só pode ter sido uma leitura desatenta e atravessada do texto. Você interpretou o post como uma crítica genérica a todo e qualquer a qualquer casal que tenha somente um filho. Ora, tal crítica seria irracional, já que muita gente tem somente um filho não por opção, mas por que essa foi uma condição imposta pela vida. E não há mal algum nisso! "Lamento ler que católicos devem pensar sempre em ter muitos filhos". Não há motivo para lamentar isso, porque essa é a doutrina da Igreja. Ter muitos filhos é muito bom para a própria família e para a sociedade. É claro, nem sempre isso é possível para o casal, mas o desejo original de todo casal católico deve ser, sim, formar uma grande família. Mas cada um forma a família com o número de filhos que Deus lhe permite ter, de acordo com o conceito de paternidade responsável. Repare que o texto foca em fazer uma defesa dos casais que são realmente discriminados em nossa sociedade - que, convenhamos, não são os casais com um filho único, pois estes são a maioria e constituem a "normalidade". Apresentamos a situação de injusta discriminação dos casais com mais de dois filhos, estes sim, alvos de piadas, duras críticas e incompreensões de toda parte. Quanto à questão do filho único, o Papa e o nossos texto deixa bem claro que a advertência é voltada aos casais que têm um filho único por EGOÍSMO e APEGO AO CONFORTO MATERIAL. Então, é uma opção pelo bem-estar, em detrimento da vontade de Deus e do espírito de doação de si e confiança na Providência Divina. Obviamente, aí não cabem os casais que têm um só filho por que não puderam ter mais. Então, ninguém precisa vestir a carapuça indevidamente. Fique com Deus!
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Jessica 08-08-2015 14:53
Conheci o blog agora pelo compartilhamento do artigo por um amigo meu, posso dizer que foi muito inspirado por Deus, pois muita coisa dita aqui eu não tinha conhecimento (eu achava super normal a laqueadura). Li vários comentários e testemunhos, vejo que nem todos estão perdidos nesse mundao do bem estar melhor que ter filhos. Tenho 23 anos e estou gravida, engravidei com pouco menos de 6 meses com meu namorado, um erro, que foi agraciado com uma menina q estou esperando hj. No primeiro momento, mesmo eu sendo católica e contra o aborto, pensei: "Não quero essa criança, não tenho como criar!" Mas graças a Deus eu não fiz nada, fico mto feliz quando vejo a ultra e vejo como minha filhinha está saudável e crescendo bem, mas eu quero o melhor pra ela e eu não sei como vou fazer isso, estou aqui a mercê de depender das pessoas pra ter as coisas pra minha filha e gostaria de falar q nunca desejei passar por tanta necessidade. O que ta me dando força foi exatamente ler "Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e todas estas coisas vos serão dadas em acréscimo". Que o senhor me ajude nesse momento e minha filha não venha a necessitar de nada e seja muito feliz, que eu seja uma boa mãe. Obrigada e desculpem o desabafo
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Nilson 07-08-2015 18:57
Gostaria de deixar registrado também os meus parabéns a vocês. Sou o pai do Miguel (do Parceirinhos da Fé). Que Deus abençoe o projeto e o novo filho que vai chegar. Grande abraço do toda minha família.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Carlos Eduardo 07-08-2015 17:09
Sou testemunho vivo de ser casado ha 23 anos,pai de 9 filhos de;(22,20,18,16 anos de idade,operei para não ter mais filhos,apos 1 ano veio 1 casal gemeos,refiz a cirurgia e minha esposa amarrou as trompas,e mesmo assim,tivemos os trigemos,minha esposa e eu só pedimos perdão á Deus,pois,vcs podem não acreditarem,3 irmãos meus mais novos,infelizmente não podem ter filhos,e eu e esposa mesmo operados,por já estarmos satisfeito com os 4 primeiros meninos,Deus nos provou que tudo é no tempo e forma dele nos provou que em meio a nossa arrogancia,materialismo,achismo,nos enviou passando por cima da medicina e nosso querer,vieram mais 2 meninas e 3 meninos,hoje nossos trigemeos estão com 3 aninhus e os gemeos com 5 aninhos,bem,eu não murmuro,nem questiono mais o querer de Deus á mim e familia,pois,olho nos meus irmãos e algumas pessoas que conhecemos,que enfrentam a depressão,tristeza por não poderem gerar filhos,eu e esposa temos vergonha de sermos tão agraciados e termos pecado com nosso egoismo e materialismo.Amém!!Meus irmão tb já estão na fila de adoção,realmente Celia Valeria,é muito burocratico e demorado para adotar,já há pessoas há anos na fila de espera.Uma pena ser assim!!obs;eu e esposa somos estudados com doutorado,ela parou de trabalhar por causa dos 5 filhos caçulas,mas,graças a Deus,podemos ficar com dificuldades,mas,passar sem o pão de cada dia,falo no geral,nunca,Deus é maravilhoso!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Gêneto Eugenio 07-08-2015 08:54
Parabéns pelos 4 anos do Blog e muitas e muitas bençãos de Deus para essa gravidez. Aqui em casa rolou até uma dispô para termos o nosso 5° filho também rsrsrsrsrs Beijão aí FAMÍLIA.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # A Catequista 07-08-2015 12:36
Você nunca se esquece do niver do blog! Grande beijo pra vc e pra sua família tb!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Isac 06-08-2015 19:33
O papa Francisco tem toda razão: salvas as exceções, de modo geral o homem de hoje é um comodista, alienado à fé, pensando em especial apenas em "aproveitar a vida""! Enquanto isso, as famílias muçulmanas capricham na quantidade de filhos para esses dominarem aos poucos os países onde entram como refugiados ou imigrantes! São terríveis: não se amoldam aos anfitriões e de antemão tencionam dominar quem os acolhe e depois impor neles a SHARIA! CRIAR COBRAS PARA DEPOIS PICAR, caso da França às voltas com eles, dentre mais, sendo infernais! Pensando bem, a "religião" deles é totalitarismo e sempre são aliados dos comunistas e Alah é a deusa da lua, divindade pagã! O resto que virá disso é fácil entender!
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Rodrigo Omena 06-08-2015 16:19
Eu e minha Esposa usamos o Método Billings e damos esse testemunho aos noivos da nossa Paróquia. Nossas duas filhas foram desejadas dentro do planejamento natural e sabemos o quanto Deus foi maravilhoso estando presente no momento da concepção das nossas filhas, o ato sexual vivido aberto para a Vida e o casal sabendo que daquela relação nascerá o seu filho, muda em tudo a forma de ver a geração dos filhos pelo casal. Nos aproximou mais de DEUS. O mais importante do post é despertar em nós católicos o desejo de viver intensamente a doutrina da nossa Igreja e as Graças em abundância do Sacramento do Matrimônio. Estou muito feliz e emocionado em ler esse artigo. Parabéns ao casal pelo Dom da Vida.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Meire 06-08-2015 14:37
Gostaria de saber do metodo Billings...
Responder | Responder com citação | Citar
+3 # Meire 06-08-2015 14:13
Parabens Vivi e Alexandre! E que animador este texto viu?! Minha filha está com 1 e 2 meses e quando falo que quero ter mais (mesmo já com 32 anos) as pessoas arregalam os olhos e dizem um monte de asneiras. Infelizmente na familia os palpites são maiores... Principalmente porque larguei o emprego para me dedicar a ela. Não somos ricos, mas não nos falta nada. Se eu trabalhasse só a veria 3 horas por dia, antes dela dormir. Não me arrependo. Claro, que é meio cansativo pensar em outra criança agora, mas creio que Deus renovará as nossas forças.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Tiago 06-08-2015 09:46
A catequista. Vc poderia falar dessa "onda" que esta espalhando, principalmente por jovens cristãos, de Que Jesus é paz e amor, no estilo zen. Que o importante é amar. E a comunhão do cristianismo com as ideologias da nova era e as seitas orientais. Seria uma boa dar uma esclarecida aos menos esclarecidos sobre este assunto. Obrigado, A paz de Jesus e o amor de Maria
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Silva 06-08-2015 09:18
Concordo com o artigo, porém vejo com certa cautela o fato de Vossa Santidade o Papa Francisco se referir a compra de uma casa da maneira como fez. Penso que há medida para tudo. Acho que o que deve ser radicalmente censurado são os excessos como deixar de ter mais filhos para morar no melhor bairro da cidade, deixar de ter filhos para comprar um Camaro Amarelo ou um Velloster, deixar de ter filhos para comprar uma chácara toda arrumadinha. Penso que, a depender da situação financeira de cada um, nem que seja temporariamente se necessário, talvez seja lícito exercer a paternidade responsável e deixar ou esparsar a chegada de mais crianças para comprar uma casa que seja o mínimo que uma família precisaria, ou um carro nem que seja básico para as necessidades básicas, etc... Afinal até o próprio papa disse para não termos filhos como preás. Logo, seja por um estado constante de muitas privações ou por um estado temporário de desequilíbrio financeiro, penso que seja lícito, pelos meios aprovados pela Igreja, esparsar a geração de filhos. PARABÉNS PELO ÓTIMO TRABALHO!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Esteban 06-08-2015 07:53
Parabéns Alexandre e Viviane!Que essa criança venha abençoar e ser testemunho ainda maior do vosso amor.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Josué Santos 05-08-2015 19:58
Que notícia maravilhosa, meus queridos! Deus seja louvado por esta família e traga toda graça de bênçãos ao novo integrante da família!!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 05-08-2015 19:43
Dominus vobiscum! Parabéns Alexandre e Viviane.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Alex Hoffmann 05-08-2015 19:41
Meus caros, não caiam no golpe e na conversa mole de gente com miolo mole que trabalham pela redução de filhos, sou prova viva do arrependimento. Tive dois filhos, uma faleceu dois dias depois de nascer por parto induzido, devido a complicações na gravidez de minha esposa (eclâmpsia), o outro já tem 3 anos e meio. Durante a gravidez, a pressão da minha esposa oscilava, e, devido à minha antiga vida pagã, entrei na conversa do médico para que minha esposa fizesse laqueadura. Hoje, vejo totalmente diferente, e até mesmo meu filho se vê sozinho, não brinca como deveria, pois não tem sequer um companheiro. E não é por dinheiro não, porque sempre se dá um jeito, e o mais interessante, pelas bandas onde moro, todo mundo tem o costume de ajudar com alguma coisinha os casais que possuem 5 filhos ou mais, nunca se passa necessidade.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Izabel 06-08-2015 10:35
Alex sinto muito pelo que aconteceu na gestação que vc falou. Infelizmente hoje em dia impera a ignorância e cultura do medo. As pessoas e isso inclui os médicos, falam barbaridades sobre gestação e parto, as situações que realmente limitam uma ou mais gestações são muuuito menores que o que se espalha por ai. E é como tristeza que constato, que pessoas esclarecidas e “estudadas” são as que mais caem em qualquer papo da ciência que hoje em dia é incontestável, é o deus deste tempo, assim com d minúsculo mesmo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Andreia de Jesus 08-04-2017 01:17
Penso que atualmente já é possível tentar reverter-se uma laqueadura. Informem-se bem.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 09-04-2017 14:45
Andreia, ao se informar bem, você saberá que a laqueadura não é reversível na grande maioria dos casos.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Maria Yokoyama 05-08-2015 19:19
Oi,Tenho 18 anos de casada e um filho. Quando meu filho tinha por volta dos 9 anos engravidei, mas tive um aborto espontâneo; 3 anos depois engravidei de novo e tive uma menina que nasceu com problemas cardíacos e faleceu 4 dias depois. Logo após o ocorrido o medico me aconselhou a não engravidar de novo, devido à minha idade - na época 38 anos - e a probabilidade do bebe nascer com problemas era grande. Então ficamos muito receosos e paramos em um só. Hoje tenho 42 e me encontro desempregada e com o salário do meu marido não dá mais. assim que as coisas melhorarem queremos adotar pelo menos 2, estamos orando por isso.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Andressa Souza 05-08-2015 18:59
Esse post chegou para mim na hora certa, graças a Deus. Sempre que falo o quanto eu quero ter uma família grande (uns quatro filhos/as) todos me olham torto e dizem com pavor: "Não exagera também, né!". Sinceramente, mal posso esperar para carregar meu primeiro bebê nos braços. Que Deus abençoe a escritora/o escritor desse artigo. Precisava ler essas palavras. (P.S.: Uma dúvida muito boba: qual a posição da Igreja em relação à casais que decidem ter filhos um pouco mais tarde por problemas financeiros, e não por comodismo e bem estar?)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Tamyres 18-08-2015 14:00
Andressa, É sempre bom também consultar um diretor espiritual para contar a situação, para que ele ajude a discernir. Nós mesmos nos "enganamos" as vezes. Salve Maria
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Felipe Martins 06-08-2015 12:20
Oi Andressa, famílias grandes são encantadoras! Lembro sempre da família de Santa Teresinha hehe :) Bom, sobre a posição da Igreja, ela aceita e aconselha a paternidade responsável, ou seja: o casal reconhece que NÃO se encontra em "condições" para receber uma nova vida e por isso tem o direito de recorrer aos famosos Métodos Naturais! Paz e Bem
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Andressa Souza 06-08-2015 16:24
Entendido Felipe! Obrigada por me responder! :)
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Camila 05-08-2015 18:01
Manda o papa pagar minhas contas que tenho mais filhos então... Palhaçada...
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Stéphanie 05-03-2016 17:50
Prefiro ser freira do que casar pra ficar tendo filhos. Me desculpa, mas o que adianta eu ter filhos e mais filhos se não me sinto feliz com essa ideia? Pelo contrário, fico emburrada e dr cara feia . Não é assim que vai funcionar né
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Sidnei 06-03-2016 12:13
Stéphanie, o problema não é em você querer ou não querer ter filhos, se não queres ter filho, tudo bem, desde que você não queria casar também na Igreja com véu e grinalda com as bençãos do padre e tudo mais. Se você quer continuar solteira e sem filhos, foi uma opção de vida que você optou e ninguém tem nada haver com isto, mas, o problema maior que se encontra são com aqueles que casam na Igreja, juram receber os filhos que DEUS enviar, mas dentro de si dizem que não querem ter filhos nem a pau, pois neste caso, o casamento naquele momento nem está ocorrendo, pois já está nulo dede o princípio. É com relação a estas pessoas que casam na Igreja jurando uma coisa e dentro de si tem outras intenções é que pesa tudo isto, pois não faz sentido algum, jurar que vai fazer uma coisa tendo outras intenções, esta pessoa está sendo falsa. Horas, se é assim, então que nem case, muito menos na Igreja, querer se passar de cristã católica sendo no fundo no fundo uma pagã, então que continue pagã e não uma falsa cristã.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Leniéverson 27-08-2015 00:33
Ô Camila, que papo mais marxistamente sem nexo é esse? Algumas pessoas aqui disseram que sua fala foi grosseira, pode ser que sim ou não. Não importa essa resposta. O que importa a mim sobre o seu comentário é que a mesma revela um padrão ideológico insano e desequilibrado. Mas aí alguém poderia me dizer, então, de fato, ela foi grosseira, não, não. O problema da Camila, penso eu, é que a mente dela está estragada ou condicionada desde a infância a pensar e vomitar besteiras. Quem tem podridão na mente e no coração a tendência é pensar e falar podridão. Bom, é isso.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Luciana Dias Barros 06-08-2015 15:42
Que grosseria Camila... vai rezar por caridade!! Belo post Viviane. Amo ser mãe e me realizo com isso. Teria mais se não fosse minha saúde. Parabéns pelo seu bebê. E desde já vou presentear com um mimo direto da Paraíba para o filho da Catequista. Abraços fraternos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 06-08-2015 17:07
Luciana, é muita gentileza sua! Ficaremos bem contentes com esse mimo. Abraço e obrigada!
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Alex Hoffmann 05-08-2015 19:47
Pede pra Dilma e pro Lula que estão mais perto e com os bolsos cheios de grana, palhaçada digo eu. Vai achar uma pedra, sobe em cima dela e defeca lá, não aqui, com estas frasezinhas de comedores de pão com mortadela que o PT fornece pra infernizar a vida de gente honesta e séria.
Responder | Responder com citação | Citar
+3 # A Catequista 05-08-2015 18:06
O Papa não paga as minhas contas, mas Jesus, que é dono de tudo, nunca deixou faltar nada à minha família. Quando Ele disse que a quem busca o Reino de Deus, todas as coisas materiais são dadas em acréscimo, Ele não estava de "palhaçada", afinal...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Daniel 05-08-2015 17:24
Fazia tempos que eu num via um texto tão corajoso desses viu? Vocês são exemplo!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Monik 05-08-2015 17:08
Nossa esse artigo veio como um tapa na minha cara. Tenho um filho tive com 20 anos, sou casada, casei na igreja para que ele pudesse nos abençoar, já estava gravida, e entao ele nasceu e hoje ele com 2,7 meses, me deu vontade de ter mais um filho, mas meu marido disse que nao era o momento, pois moramos numa casa embaixo da minha sogra, e ele quer primeiro comprar um carro e organizar a casa. Achei um egoismo dele, mas fiquei quieta. O padre sempre nos fala que devemos ter mais um filho, a principio achei piada dele, a final estamos no país onde tudo é mais caro, ainda tenho vontade de ter mais bebê, atualmente tomo anticoncepcional injetável, tenho uns efeitos colaterais mas logo passa. Rezo pra ele mude de opinião, e ja mandei este artigo a ele, que passamos abrir nossa mente para sempre fazermos as vontades de Deus....
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Ludmila 05-08-2015 21:36
Oi Munik, para espaçar as gestações eu te sugiro o Método de Ovulação Billings (MOB) que é natural, sem efeitos colaterais e aconselhado pela Santa Igreja, ao contrario dos contraceptivos artificiais. Para mais informações entre no site do CENPLAFAM que é o órgão nacional responsável pelo ensino do método: http://www.cenplafam.com/portal/. No site da Canção Nova também tem bastante material para leitura. Procure se informar sobre os instrutores do MOB na sua cidade. Um abraço e que Deus abençoe a sua família!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Marta 05-08-2015 21:21
Já tive três pacientes que não conseguiram engravidar após o uso prolongado de anticoncepcionais. Ninguém estuda isso porque não é politicamente correto e também porque é o método (juntamente à camisinha) mais distribuído nos postos de saúde.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Izabel 06-08-2015 10:39
Marta eu nunca li ou ouvi sobre isso, exceto de algumas pessoas mais velhas, concluo que é uma crueldade não alertar as mulheres sobre isso.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Maria Zilda Lourenço Moraes 05-08-2015 16:36
Tudo muito perfeito... sou mãe de filho único hoje com 26 anos...sonhei sim em ter mais filhos.,.. mas ai não foi possível não consegui..eu e meu esposo ja sentimos que vamos realizar só com os netos....e acreditamos também na vontade de Deus, se Ele me permitiu só ter um filho e ai?...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sindei 05-08-2015 21:23
E aí? Só DEUS poderá te julgar pelos motivos de puderam ter somente um filho, se foi por egoismo ou necessidade, e mas ninguém. Se ninguém pode julgar os casais que querem e podem ter uma prole numerosa, assim também ninguém pode julgar um casal que por necessidades que somente estes casais sabem, optaram em ter três, dois ou apenas um único filho, embora, seja contraditório, que haja casais, que quando realizaram o casamento religioso, perante a DEUS aceitariam os filhos de DEUS enviaria, mas depois fugiram dos filhos como o diabo foge da cruz, casais estes que poderiam ter três filhos, mas quiseram só dois, que poderiam ter dois filhos, mas que quiseram ter só um, que poderiam ter um único filho e optaram ter gatos e cachorros. Mas mesmo assim, o julgamento destas pessoas cabe a DEUS, e a nós orientar as pessoas para que agem em suas vidas conforme os mandamentos de DEUS e segundo as orientações da Igreja.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Juliana Velôzo 05-08-2015 16:27
Me identifiquei total com esse post! E é assim mesmo: Todos preocupados com nossa "fábrica". Como se eles custeassem cada filho nosso. Rsrs. Mas isso já não nos incomoda. Porque nossa felicidade é, justamente, incomodar. Depois da nossa segunda filha, nós, como tantos outros, pensamos em nos fechar. Mas, hoje sei que por preservação de Deus, nem eu fiz laqueadura e nem meu marido fez vasectomia. Quando a mais nova fez 4 anos, eu já assistia muito aos vídeos de Pe. Paulo Ricardo e alguns deles foram um verdadeiro "tapa na minha cara" pela forma com que vivíamos e pensávamos em relação à sexualidade e filhos. Comecei a me interessar mais pela doutrina da Igreja e pelo CIC. Nossa primeira e difícil conversão foi em relação aos preservativos a que estávamos mais do que acostumados a usar. Conseguimos esse primeiro desapego. A segunda e mais sofrida foi a abertura à vida. Muito mais por parte do meu marido, pois já achava-me seduzida para fazer a vontade de Deus. Comecei a rezar constantemente para que Deus, de alguma forma, o levasse a essa conversão. E levou! Meu marido tornou-se mais estudioso na doutrina do que eu! E, sem muitas palavras, paramos de evitar e colocamos tudo nas mãos de Deus. Não demorou muito até o dia em que eu surpreendi aos três (marido e filhas) com um par de sapatinhos e o exame de gravidez. E a felicidade tomou conta do nosso lar! As meninas ficaram tão envolvidas (5 e 10 anos) que fizeram questão de nos acompanhar na primeira ultrassom! Lá estava toda a família quando Deus veio com uma surpresa muito maior: GÊMEOS! E, nesse momento, os nossos corações se encheram de uma alegria e uma paz tão gratificante... Cá estamos nós esperando BENTO e FRANCISCO para o mês que vem e servindo de testemunho para muitas outras famílias. Que Deus nos ajude a transformar nossa casa numa pequena comunidade de fé e amor! Rezemos sempre por todas as famílias do mundo!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex C. Vasconcelos 06-08-2015 08:35
Lindo testemunho! Inspirador, tocante... Que Deus os abençoe!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Juliana Velôzo 06-08-2015 16:16
Obrigada. Abençoe a todos nós!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 05-08-2015 16:32
Que belo testemunho! Louvado seja Deus.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Ludmila 05-08-2015 15:32
Olá povo católico! Viviane e Alexandre parabéns pelo filho que está a caminho! O poste de vocês trata da mais pura verdade. Sou filha única e posso atestar que toda essa balela de bem-estar é fajuta. A solidão nos acompanha na infância, adolescência e vida adulta de modo implacável. E ninguém entende. Todos dizem que reclamo de barriga cheia pois tive tudo do bom e do melhor, tive "mamãe e papai só pra mim", entre outras coisas. A cultura do material fala mais alto. O "ter" virou mais importante que o "ser". Tenho 21 anos e quando afirmo que meu sonho é ter uma família numerosa todos me tratam de louca. Dizem que vou ficar com o corpo horrível (minha avó teve sete, esta com 75 anos e não é gorda nem barriguda), que não vou ter uma carreira solida, que homem nenhum vai querer casar comigo. Já falaram até que meus filhos vão morrer de fome! Vê se pode!? Não podemos ter uma visão romântica das coisas. Devemos confiar na providência divida. E devo confessar que o testemunho de tantas famílias numerosas me faz acreditar que vale a pena sonhar assim. Que a Sagrada Família os ilumine e abençoe!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # leandro 06-08-2015 15:52
Engraçado você falar que dizem que nenhum homem vai te querer... eu também sonho com uma família numerosa e sempre me pergunto se vou encontar uma mulher que também tenha esse desejo. Não somos a maioria... mas existimos! :) (e Deus tem um plano para cada um de nós, lembremos disso.)
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Ronnan Pimenta 05-08-2015 14:44
Parabéns Vivi e Alexandre! Que benção, que Nossa Senhora guarde toda sua família e a pequena criança que vem vindo também; vocês são um testemunho encorajador pra minha vida, sou catequista e quero me casar e ter uma família numerosa também, obrigado pelo trabalho de vocês, e pela coragem de viver o Evangelho, nos encorajam também, obrigado e que Deus os abençoe! :)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Felipe Martins 05-08-2015 14:32
Um viva as famílias numerosas!! \o/ Post belíssimo, como sempre! Deus abençoe
Responder | Responder com citação | Citar
0 # roberto 05-08-2015 14:31
O que eu acho mais engraçado é que todos reclamam que não tem dinheiro para ter mais filhos mas você chega na casa das pessoas e está cheio de bichos de estimação. Estamos valorizando mais a criação de um Pet do que de um ser humano?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Victor 17-01-2017 12:57
Disse tudo. Mais de 90% dos leigos fazem isto. Pode começar a reparar
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alessandra Batista 05-08-2015 13:52
Sei bem do que está falando. Você esqueceu de citar algumas perguntas; - Você recebe bolsa família? Tem televisão em casa não? e coisas do tipo. Peguei meu exame de gravidez ontem. POSITIVO! Estamos esperando nosso quinto filho. Seu post foi providencial para nós, especialmente para o meu marido, que é muito combatido por isso no meio que trabalha. Ele além de ser execrado pela quantidade de filhos, também é motivo de chacota porque só temos meninas, imaginem a cobrança... Felicidades a vocês, e mais uma vez obrigada P.S.: Não recebo bolsa família, tenho tv, notebook, smartphone e etc, e tenho curso superior e pós-graduação rsrsrsrs
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Marta 05-08-2015 21:26
Que lindo! Parabéns!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Celia 05-08-2015 13:38
Engravidei e casei aos 15 anos, qdo me separei já tava com um casal de filhos, 4 anos depois conheci meu atual marido. Eu sempre quis uma familia grande, cresci numa cheia de dificuldades, mas a alegria, a união entre meus pais e irmãos (18 ao todo), nada pagava ou derrubava a satisfação em ter aquela familia juntinha, e unidos ate hoje, mesmo sem termos nossos pais vivos. Bem,voltando á minha vida,hoje sou casada há 17 anos, eu e marido enfrentamos anos de depressão, por não conseguir engravidar e pior adotar. Meus filhos cresceram, tornando-se independentes, a casa ficou vazia. Nossa como pode pessoas terem saúde, condições basicas financeiras e falarem"não"a procriação. Eu e marido ao recorrermos as clinicas de reprodução, viamos tantos e tantos casais com dificuldades de gerar seus filhos, seus descendentes ,muitos tb já estavam na fila para adoção ha anos, e não conseguiram ate hoje. Quanto a mim e meu marido se pudéssemos escolher, seriamos tb pais de uma familia grande, mesmo no momento em que o pais está, pois hoje fomos agraciados com a adoção de nosso filho Pedro, que é a luz de nossas vida ,de nossa casa. Eu e esposo não rezamos mais para uma gestação interna fisica, mas rezamos por uma gestação externa, pois há tantas crianças que necessitam de amor,pena que é muito demorado e burocratico a adoção, isso ajuda sim a dificulta a adoção de milhares de crianças em nosso pais. Eu e esposo rezamos e esperamos adotar outras crianças, por querermos mais filhos, assim, já vamos fazer tudo para adotar mais crianças. Obs;eu sou dona de casa,meu marido é metalúrgico, meu casal de filhos tb trabalham,e somos muito unidos e ambos esperamos aumentar pela adoção a familia.Amém!?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Naina Lima 05-08-2015 12:57
Aqui em casa somos 6 filhos. Uma bênção. Muitas brigas, brincadeiras e muuuuuuito amor. Já cobramos o sétimo irmão, mas pela idade de meus pais só se for pela adoção, quem sabe... Deus abençoe vocês, sua família e a criança que está a caminho, que o Senhor e santifique pelas mãos virginais da Mãe Imaculada, assim como toda a família. Caso minha vocação seja o matrimônio, tbm terei uma numerosa família. Salve Maria!
Responder | Responder com citação | Citar
-1 # César 05-08-2015 12:03
O católico de um modo geral, é o povo mais anti-estratégico do mundo. Os globalistas vivem traçando estratégias para diminuir o número de nascituros do mundo, e o católico fica nessa de não... mas tem que ver... É preciso se incentivar as moças a namorarem (claro que estou falando de um namoro casto, o namoro de sala como nossos avós rs)a partir dos 14 ou 15 anos. Quanto mais cedo se namora, mais cedo se casa, e quanto mais cedo se casa, mais filhos se pode ter. Uma pessoa que se casa aos 17/18/19 tem mais chances de ter uma família numerosa e saudável do que alguém que resolve se casar aos 30. Só assim lutaremos contra essa ideologia globalista de quanto menos filhos, melhor.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Leniéverson 27-08-2015 00:19
Na minha opinião, não é muito interessante a mim chamar as coisas de estratégia ou anti-estratégia, mas sim do que elas mesmas são. Elas tem nomes: a mídia, a esquerda, partidos de esquerda, ongs financiadas com o dinheiro público - a la Planned Parenthood nos Estados Unidos -, etc. Não é muito adequado lutar contra algo sem dizer as coisas por aquilo que verdadeiramente devem ser chamadas. É como lidar com um inimigo sem forma ou invisível.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Nayara dos Anjos 21-08-2015 14:08
César, preciso urgentemente revisar minhas estratégias. Com a minha idade (25 anos), minha vó já tinha uns 6 de seus lindos 13 filhos. Eu não tenho nem namorado ainda. Vou ter que engravidar de gêmeos umas 3 vezes pelo menos pra dar conta. hehehe
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Rafael 05-08-2015 11:34
Mas e quando vemos uma família paupérrima, com vááários filhos, sem condições de criá-los (materialmente e psicologicamente)? Como dizer para não evitar mais crianças? Essa realidade da família numerosa talvez seja aplicável àquelas que têm um mínimo de estrutura... Não precisa ser rico, mas se os pais tiverem muitas privações, aí complica...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 05-08-2015 11:42
Rafael, a Igreja ensina que o casal deve exercer uma "paternidade responsável", podendo espaçar a vinda dos filhos quando necessário. Esse espaçamento pode ser obtido por meio de métodos naturais - entre os mais eficazes, está o Billings. Aqui estamos falando de outra coisa: de quem tem as condições mínimas, mas se apega às suas metas de conforto e ao bem-estar, e assim se fecha de modo imoral à vinda de filhos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rafael 06-08-2015 12:20
Aaaaannnnnnn bem... Aí faz sentido mesmo! Obrigado pelo esclarecimento.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # André Luiz 05-08-2015 11:17
Quando terminei de ler o post, entendi melhor o tema da matéria. Sei que Vivi está inspirada. Meus parabéns! Mais criatura linda que vai animar o mundo. Que o casal Vivi e Alexandre seja exemplo para casais católicos. Lembro da bela tradição da antiga cultura judaica: quantos mais filhos, mais bençãos de Deus. Hoje infelizmente nós pensamos o contrário: temos a mania de achar que quantos mais filhos, mais castigo, pelo fato que não confiarmos de verdade na divina providência. Acreditamos mais no marxismo cultural do que em Deus. Absurdo!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # André Brandalise 05-08-2015 11:08
Já passei (e passo sempre e de novo e de novo e de novo) pela situação de fazerem cara de espanto com o número de filhos (tenho 4). Poucos sabem a alegria que é ter a casa cheia http://www.alobrandalise.com/2011/09/familia-grande-e-uma-loucura.html
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 05-08-2015 18:02
Belo artigo, André!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 05-08-2015 08:58
Alemanha, o país mais rico do mundo?, eu pensei que fosse os Estados Unidos!, o Japão o 2º e a Alemanha o 3º país mais rico do mundo. Mas deixa para lá, isto é um fato irrelevante diante do que a matéria expôs, a única notícia boa que li aí, foi o 4º filho da Vivi e do Alexandre, parabéns aos dois que darão mais um maninho aos filhos que provavelmente já estão ansiosos para chegada de mais uma irmãozinho ou irmãzinha.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 05-08-2015 11:38
Na, verdade, é o país mais rico da Europa, não do mundo. Já corrigi, obrigada, Sidnei!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Antonio 05-08-2015 08:52
Bom Dia, excelente artigo, para mim veio tarde, pois em minha fase pagã, acabei fazendo tudo errado. Fui morar junto no ano 2000, antes de receber o sacramento do matrimônio. Tivemos 2 filhos, e em seguida cometi o maior erro da minha vida fazendo a vasectomia com 32 anos. Em 2009 após varias crises existenciais, depois de procurar respostas para a felicidade em doutrinas materialistas, no exoterismo e outras religiões e filosofias de vida, voltei a seguir a verdade da Doutrina Católica. Comecei a entender e a praticar o catolicismo com maior sinceridade e percebi todos os erros cometidos. Em 2010 nos casamos na igreja para abençoar nossa união, e partir dai, me esforço para praticar e aprender a palavra do evangelho, e passar as verdades para que meus filhos não cometam os mesmos erros. Sei que minha alma esta em perigo, e não sei ainda como fazer para salva-la, mas talvez com o tempo tenha alguma resposta, pois uma arvore seca não revive, a não ser que eu deixe radicalmente a vida paganizada, reverta minha vasectomia, que segundo os médicos não tenho mais chances, busque firmemente a santidade para talvez no julgamento com Nosso Senhor Jesus Cristo obtenha minha salvação, mas como sou leigo não sei como e nem se é possível isso. Meus esforços estão em falar para nossos amigos, filhos e parentes a não cometerem o mesmo erro, penso até em imprimir esse artigo e fazer panfletagem, se não for ferir os direitos autorais do site. Esse artigo é importantíssimo nos tempos de hoje, o Padre Paulo Ricardo tem um vídeo que destaca isso, que nossa única função é gerar filhos e ajudá-los a buscar o Reino de Deus. No mais é futilidade que nos arrasta para uma vida vazia e sem sentido. Viagens, carro, casa, viraram a prioridade número 1 de todos, e os filhos em último plano. Pior ainda é que tem gente que fala "prefiro ter um cachorro do que um filho; filho tem que pagar escola, plano de saude", ai primeira coisa que faz quando compra um cachorro é um plano de saúde. O mundo foi paganizado e nós por fraqueza, desinformação, e a sede de lucro dos grandes players de produtos industrializados, através do cinema e tv aberta, colocaram no nosso subconsciente a necessidade dos bens materiais para alcançar a felicidade. Tem um seriado "Boa Sorte, Charlie", que a família e de 5 filhos, mas não sei se o sentido que eles passam é de comédia, ridicularizando essa família, ou a intensão dos produtores é incentivar a natalidade, mas prefiro a acreditar que é para incentivar. São poucas produções a incentivar a natalidade. Eu posso estar condenado a morte eterna, mas enquanto estiver vivo neste mundo, vou lutar para convencer a quem for, a não cometer esse erro terrível, a confiar na providência Divina e a amar os filhos e ajudá-los a alcançar a salvação de suas almas. Muito Obrigado Que Deus continue iluminando vocês !! Parabéns. Abraço
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Nilson 07-08-2015 18:47
Salve Maria caro Antonio, Gostaria de compartilhar com você meu testemunho. Eu também infelizmente realizei a 5 anos atrás uma cirurgia de reversão de vasectomia, após o meu terceiro filho. Eu tinha um pensamento egoísta o qual não aceitava ter o número de filhos que Deus quisesse pra mim, eu achava que eu tinha o direito de que ter controle sobre essa situação. Mas com a graça de Deus e as orações de minha esposa e de outras pessoas, Jesus (por intermédio de Maria Santíssima) me tirou a venda da mentira e pude enxergar a verdade. Então há 2 anos fiz minha cirurgia de reversão e agora aguardo a total vontade de Deus na minha vida. Não tenho certeza de que ainda terei mais filhos biológicos, mas assim como você agora tento divulgar essa verdade aos jovens e casais que têm abertura para ouvir. Isso é uma forma de reparação por essa falta. Outra forma, como foi dito em um post acima, é a opção de adoção. Mas o passo mais importante você já deu, que é o sincero arrependimento e confissão de seu pecado. Agora é buscar a reparação. Que Deus o abençoe e traga muitos frutos ainda a você e sua família. Grande abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Osmar 05-08-2015 14:33
https://youtu.be/Eyi9BcrpugI Eis o video de que falei.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Antônio 05-08-2015 17:52
Muito obrigado pelas respostas, me fazem refletir e manter a esperança. Grande abraço a todos
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 05-08-2015 18:02
Antônio, tudo o que o Senhor quer de nós é um coração arrependido e humilde, e isso parece que você tem. Lembre-se do filho pródigo, lembre-se da parábola do fariseu e do publicano no templo (o primeiro se vangloriando de ser bom, o segundo batendo no peito e se acusando como pecador). Siga em frente com paz e alegria.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Felipe Martins 05-08-2015 14:26
Grande Antonio! Embora eu não te conheça, a certeza que tenho é que NADA é maior do que o Amor de Deus por você! O Amor DEle (por nós) não muda! Ontem vendo o filme de São Francisco de Assis, uma frase me chamou atenção: "Se os homens fossem mais perfeitos, precisariam de menos compaixão." Reflita nesse sentimento tão belo que Deus nos permite ter! É fato que sempre iremos cair em erros, mas o que faz a diferença é o nosso LEVANTAR! Não se prenda a o que você fez, e sim a o que você AINDA pode fazer! Acho que uma maneira ótima, de apagar a culpa e trazer mais alegrias ao presente, é fazendo como nosso amado São José: Adotando! Tantas crianças precisando de amor, e talvez esta seja sua tão esperada Missão.. Gerar vida em quem já está vivo! Deus sabe de todas as coisas! Sê Forte! Grande Abraço
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Gabriel 05-08-2015 14:11
Antônio, não se desespere. Todo pecado tem perdão, caso queira ser perdoado e converter-se (é nisso que consistem os pecados contra o Espírito Santo). Não se desespere. Busque a ajuda de um sacerdote. O Pe. Paulo Ricardo tem vídeos sobre vasectomia. Qualquer coisa, escreva para o site dele. Eles respondem. Que Deus o abençoe, e Nossa Senhora o acompanhe.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Osmar 05-08-2015 14:09
Tenha calma quanto a isso, meu caro. Sua alma não está perdida. A vasectomia foi feita em um período no qual não tinhas conhecimento acerca da doutrina da Igreja. Um pecado feito sem pleno conhecimento do erro que se comete não é mortal. Graças a Deus estás arrependido do que fizeste. Padre Paulo Ricardo tem um vídeo falando sobre uma situação semelhante à sua, em que uma mulher havia feito laqueadura e o pergunta o que fazer. Vou tentar encontrá-lo e te passo aqui.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Alex C. Vasconcelos 05-08-2015 08:19
Que notícia maravilhosa, Vivi! Parabéns para este casal abençoado!!! Que esta criança seja luz nas suas vidas, e uma continuidade do amor de Deus no matrimônio de vocês!!! Quanto ao post, mais uma vez, muito bom! Eu e minha esposa só temos uma filha, por enquanto, pois queremos, sim, ter mais filhos, e você acredita que neste último final de semana nos encontramos com uma amiga dela (que também só tem um filho) e ela nos perguntou (meio que já afirmando): "Vocês ainda querem ter mais filhos?" Respondemos que sim, e você precisava ver a cara de espanto que ela fez... Como se fosse um absurdo ter mais de um filho! Às vezes fico me perguntando para onde caminha a humanidade...
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade