Publicidade
Segunda, 23 Fevereiro 2015 00:27

Livro do Levítico - Aprenda a refutar os trolls

Postado por

Virou modinha entre os anticatólicos e entre os cristãos relativistas citar certos preceitos do Levítico - que são vistos por eles como leis estúpidas - para zombar da Bíblia e daqueles que nela apoiam a sua fé.

Os defensores da causa gay, em especial, questionam, com ironia: "O Levítico, que condena os atos homossexuais, também proíbe comer camarão e aparar a barba dos lados. Os cristãos não pecam contra essa lei?". Monas militantes, vão interpretar a letra do último hit da Lady Gaga, porque de Bíblia vocês não sacam nada!

O Levítico - livro dos levitas - tinha o objetivo de expor para o povo de Israel quais as normas religiosas e sociais deveriam seguir. Como todos os demais livros da Bíblia, foi totalmente inspirado por Deus. Podemos dizer, a grosso modo, que era para os israelitas o equivalente do que são para nós o Catecismo, o Código de Direito Canônico e a Instrução Geral do Missal Romano, adicionando ainda instruções de higiene, agricultura e bons costumes.

Algumas regras levíticas são perfeitamente compreensíveis para nós, tais como: as condenações à vingança, ao incesto, ao sexo com animais e aos sacrifícios humanos. Porém, vários preceitos do Levítico soam estranhos à maioria das pessoas, entre eles:

  • a proibição de usar um tecido feito com dois tipos de fios;
  • a proibição de cortar o cabelo em redondo e aparar a barba dos lados;
  • a proibição de comer carne de porco, camarão, mariscos, coelho etc.;
  • a proibição de tocar em uma mulher menstruada;
  • a proibição de comer os frutos dos três primeiros anos de colheita.

Apesar de parecerem incompreensíveis à primeira vista, essas normas possuem uma lógica bastante acessível. Elas não são seguidas pelos cristãos, o povo da Nova Aliança, mas tiveram um papel muito importante na Antiga Aliança.

POVO DE ISRAEL, UM POVO SEPARADO

Ao redor do povo de Israel, viviam povos das mais diversas crenças, que poderiam exercer sobre ele uma forte influência. Deus, então, levou os hebreus a cultivarem costumes que evidenciavam a sua diferença dos demais povos, reduzindo assim o perigo de contaminação espiritual.

O Senhor disse a Moisés: “Dize aos israelitas o seguinte: eu sou o Senhor, vosso Deus. Não procedereis conforme os costumes do Egito onde habitastes, ou de Canaã aonde vos conduzi: não seguireis seus costumes. (Lev 18,1-3)

Portanto, se entre os pagãos a moda era a barba aparada dos lados e o cabelo cortado em redondo, os israelitas jamais adotariam um visual parecido. Quem o fizesse, cometia crime de idolatria: é como se, com sua aparência, estivesse indicando que adorava o mesmo falso deus dos idólatras.

Não juntarás animais de espécies diferentes. Não semearás no teu campo grãos de espécies diferentes. Não usarás roupas tecidas de duas espécies de fios. (Lev 19,19)

levitico_tecidoQuanto à proibição de misturar dois fios diferentes (como linho e lã), a intenção é clara: Deus simboliza aqui o seu desejo de separação entre o povo escolhido e os pagãos. Não se deve misturar duas coisas diferentes, pois haverá confusão e contaminação. Tomando o cuidado constante de não misturar os tipos diferentes de animais, grãos e fios de tecido, os israelitas reforçavam em sua consciência a importância de se manterem puros, distintos e separados.

As restrições alimentares (que foram abolidas depois, no Novo Testamento) seguem a mesma lógica. O capítulo 11 do Levítico estabelece a distinção entre os animais "puros" e os "impuros"; não podem ser comidos coelho, porco, camarão, avestruz, cisne e morcego (viu, Ozzy?), entre outros. Isso fez com que o povo fosse mais saudável, e funcionou como uma conveniente barreira para a interação entre os israelitas e os demais povos. Imaginem como era complicado para um israelita comparecer a uma festa ou a um jantar na casa de um pagão: na mesa, muitas vezes, quase tudo lhe era proibitivo.

A IMPUREZA DA MENSTRUAÇÃO

A lei mosaica listava uma série de atos e ocasiões de tornavam uma pessoa "impura": comer sem lavar as mãos, tocar no cadáver de um animal, tocar em um leproso ou tocar em uma mulher menstruada. Colocamos "impura" entre aspas, porque não se tratava de uma impureza interior, mas meramente uma impureza ritual, exterior.

Dom Estêvão Bettencourt explica que essas normas de higiene, seguidas também por vários povos pagãos da Mesopotâmia, foram devidamente revertidas de um significado superior. Elevadas à categoria de lei religiosa, elas eram aceitas e observadas de modo muito mais eficaz pelo povo, e assim se garantia a saúde pública (BETTENCOURT, "Para Entender o Antigo Testamento"). Os israelitas, portanto, deveriam zelar por sua pureza interior e exterior, de igual maneira.

Na tradição dos cananeus, observada antes mesmo da instituição da lei mosaica, era impura mulher por certo número de dias toda mulher que estivesse vertendo sangue, seja por causa da menstruação, do parto ou de uma hemorragia. De certa forma, esse costume contribuiu para o cumprimento da divina promessa: a descendência de Abraão seria mais numerosa do que os grãos de areia e do que as estrelas no Céu. Ora, se um homem fica impedido de tocar em sua mulher enquanto ela está menstruada, certamente isso aumenta as chances de que ele faça isso quando ela estiver fértil.

Alem disso, e acima de tudo, os ritos de purificação exterior na Antiga Aliança eram uma imagem da purificação interior (arrependimento e Confissão) que, na Nova Aliança, os cristãos devem fazer para poderem comungar. O Antigo Testamento, afinal, educa e prepara o povo de Deus para a Revelação da Boa Nova.

OS FRUTOS DA COLHEITA E A PROVIDÊNCIA DIVINA

Tudo é dom de Deus. Se comemos e se temos bens necessários à nossa sobrevivência e bem-estar, é acima de tudo graças à Providência Divina. Sim, os homens trabalham e colhem os frutos de seu empenho e criatividade. Mas, acima de tudo é o Senhor quem os provê. Tudo depende d'Ele.

Para ensinar essa verdade aos hebreus, Deus ordenou que, nos primeiros anos após se estabelecerem na Terra Prometida, eles renunciassem a se beneficiarem dos frutos da terra nascidos de seus esforços; colheriam somente os frutos das árvores já existentes no local. Assim, poderiam atestar que Deus os sustentava, sendo então vacinados da tentação de confiar em si mesmos mais do que no Pai.

Quando entrardes na terra e tiverdes plantado toda sorte de árvores frutíferas considerareis os seus primeiros frutos como incircuncisos; eles o serão durante três anos, e não se comerá deles. No quarto ano todos os seus frutos serão consagrados ao Senhor com ações de graças. No quinto ano comereis de seus frutos para que a árvore continue a produzi-los. Eu sou o Senhor, vosso Deus. (Lev 19, 23-25)

Como vemos, o Levítico apresenta orientações de caráter local e provisório - que faziam sentido somente no tempo da Antiga Aliança - e também preceitos religiosos e morais imutáveis (como a condenação ao roubo, por exemplo). Como distinguir, então, o que deve vigorar eternamente e o que foi abolido com o advento da Nova Aliança? Simples: é só buscar a devida instrução na Tradição da Igreja.

Especificamente em relação aos atos homossexuais, estes não são condenados somente no Levítico, mas também no Novo Testamento e em toda a Tradição. E é sempre importante lembrar que aqueles que sentem atração por pessoas do mesmo sexo não devem ser estigmatizados nem condenados por essa condição. Eles devem ser acolhidos na Igreja com todo o respeito, sendo encorajados a prosseguir com alegria no caminho da santidade.

 

3464 Sábado, 01 Abril 2017 17:18

Comentários   

+2 # Thiago Schiavini 20-12-2016 18:32
Bom post, bem explicativo, Sou protestante, e apesar de concordar apenas com o "Sola Scriptura", não tenho problemas com os irmãos católicos que realmente sejam Cristãos e não como muitos relativistas que pensam que vão encontrar o Senhor mesmo não o seguindo em vida.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 20-12-2016 20:29
Oi, Thiago! Seja bem-vindo ao blog.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Bento Sakuyela 05-08-2016 11:46
seja louvado NSJC. fico grato pelas publicações que se fazem aqui . gostaria que me podessem falar um pouco sobre oassunto de que os jovens ou pessoas que tem filhos ou que se tenham envolvido sexualmente antes do matrimônio podem ou não casar-se na Igreja.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # A Catequista 09-08-2016 13:28
Bento, pessoas que já não são virgens podem, sim, casar na Igreja. Mesmo que tenham filhos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # António Silva 28-06-2016 16:32
Na epístola de Barnabé no capítulo 10, Barnabé explica sobre as proibições de comer certos animais http://www.apologeticacatolica.com.br/agnusdei/barnabe2.htm
Responder | Responder com citação | Citar
-1 # Gabriel 19-01-2016 00:36
O boneco de LEGO está raspando a barba de outro com um revolver?
Responder | Responder com citação | Citar
-1 # claudinho fernandes 09-09-2015 22:40
gostaria de uma explicação sobre LV 19, 28 obrigado desde já, vcs são fantásticos
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 10-09-2015 15:34
Sobre as incisões na carne (tatuagens)? Explicamos isso no final deste post: http://ocatequista.com.br/archives/6909
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Robson Serpa Gomes 02-07-2015 21:11
Acontece que no novo testamento continua a dizer que os gays não entrarão no reino dos céus. I Coríntios 6, 9-10 – Acaso não sabeis que os injustos não terão parte no reino de Deus? Não vos iludais: nem fornicadores, nem idólatras, nem adúlteros, "nem efeminados", nem sodomitas, nem ladrões, nem gananciosos, nem ébrios, nem maldizentes, nem ladrões terão parte no reino de Deus. Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, "nem os efeminados", nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus. Não é questão de está sendo proibido no antigo testamento, foi repetido no novo tmbm!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Carlos Eduardo 28-02-2015 17:37
Magnífico!! Vocês são foda!!!
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Larissa R.G. 27-02-2015 21:41
Sou leitora assídua do blog, mas é a primeira que comento, queria dar os parabéns à equipe, o blog é fantástico, os conteúdos incríveis e em uma linguagem gostosa de ler. O post é perfeito, as pessoas misturam as coisas... outra coisa que percebi é que a condenação ao homossexualismo está em Levítico, mas não ao lado das leis de higiene e cerimoniais, mas ao lado da condenação à zoofilia e incesto! Pax et Bonum
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Naty 26-02-2015 17:48
E só pra não perder o costume, tem gente tentando provar que Deus não existe: http://noticias.terra.com.br/ciencia/pesquisa/nova-teoria-pode-provar-comeco-da-vida-e-descarta-deus,831bc73b9d5cb410VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html Essa galera não cansa?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # brunna 24-02-2015 20:56
Não querendo estimular à vaidade...rsrs Mas agradeço a Deus pela graça que tenho de poder acompanhar o blog e poder aprender mais do meu Amado. Que Deus abençoe e Nossa Mãe Santíssima proteja de todo o mal.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Esteban 24-02-2015 20:04
E manda ele ler a Bíblia também: "Foge do pecado como de uma serpente, porque, se te aproximares, ele te morderá. Os seus dentes são como os do leão capazes de destruir vidas humanas". (Eclo 21,2)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Esteban 24-02-2015 19:38
Juliano, mostre para ele o que o Pe. Paulo Ricardo diz sobre o filme. Está aqui: https://padrepauloricardo.org/blog/cinquenta-tons-de-surras-e-pauladas Abraços.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Juliano A.R.P 24-02-2015 14:25
Gente, Estou apavorado com os pastores da nossa Igreja. Ontem num grupo de Whatsapp da Igreja, uma mulher convidou o Padre para assistir "50 TONS DE CINZA", então, perguntei à ela se era tinha certeza que em plena quaresma assistiria esse filme pornô. O padre que foi convidado então saiu com a seguinte resposta: "As novelas da globo são mais perversas e mesmo assim à assistimos naturalmente, não há nada de errado em ver o filme, mas sim, no que você vai fazer com ele" e ainda agradeceu o convite. Na mesma hora, a moça que o convidou disse que pelo menos ele já sabia que depois do filme ela ia confessar este pecado com ele. Ele sequer a repreendeu. Nossa Igreja está cada vez pior, se um padre fala isso, imagine como serão os seus fiéis.
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Fabão 24-02-2015 17:18
Juliano, Eu estou oferecendo minha penitência quaresmal pelo clero e pelos seminaristas. Te sugiro fazer o mesmo. Nossos sacerdotes e seminaristas precisam muito de oração. Paz e Bem! Fabão
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Marcio 24-02-2015 09:35
"Mas os seus sentidos foram endurecidos; porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do velho testamento, o qual foi por Cristo abolido" 2 Cor 3:14. Lidar com fundamentalistas e/ou pessoas desejosas de criarem polêmicas por elas em si mesmas é muito difícil, sendo do tipo dos bitolados; não são apreciadores da verdade, mas amam as contendas, mais se parecendo ideólogos que, por para eles inexistirem a verdade, vivem do momento, do oportunismo para sempre se justificarem. Não são os procedimentos adotados pelos comunistas, como do PT, para sempre se safarem de seus maus procedimentos, quer acusando os outros ou os negando terem existido? NÃO CABE A ESSES O ABAIXO? "Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que limpais o exterior do copo e do prato, mas o interior está cheio de rapina e de intemperança. Mt 23:25.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 23-02-2015 22:28
Gostei da matéria, estão de parabéns a equipe do Catequista, pois esta é uma das grande objeções dos que são a favor, por exemplo, do homossexualismo, o qual questionam sempre, se a Igreja não aceita o homossexualismo porque esta na Bíblia, em particular, no Levíticos, porque ela (a Igreja) não segue o restante das normas proibitivas do mesmo livro?, esta matéria velho responder a esta dúvida que tando este pessoal nos inculca quando o assunto é homossexualismo x Bíblia, embora, eu sempre parte do Gênesis 2, 24: "Por isso o homem deixa o seu pai e sua mãe para se unir à sua mulher; e já não são mais que uma só carne.", para demonstrar que a união querida por DEUS desde a criação, foi entre um homem e uma mulher, dentro de um casamento monogâmico e fiel. Portanto, cai por terra qualquer união que seja contrária a esta como: as uniões homossexuais; a fornicação; o adultério; a bigamia; a prostituição e o incesto, somente neste versículo, que depois, serão citando por JESUS me Mateus 19, 5 (e depois dizem que JESUS nunca falou nada contra as uniões homossexuais, ta aí, uma passagem, que mesmo não dizendo nada contra a tais uniões, mas, coloca como legitima, apena a união entre um homem e um mulher tal como na criação, como consta em Gênesis 2,24), e também citado por São Paulo em Efésios 5,31 e 1º Cor. 6,16. Porém há um outro grupo que também torce o nariz quando é citado o Livro de Levíticos para não aprovar suas práticas e então eles utilizam da mesma retorica de que se tal pratica é condenável pela Igreja, então deveria ser todas as outras, tal como esta escrita no Levíticos e Deuteronômio, este grupo são os espiritas. o qual nas passagens de Deuteronômio 18; 10-11: "Não se ache no meio de ti quem faça passar pelo fogo seu filho ou sua filha, nem quem se dê à adivinhação, à astrologia, aos agouros, ao feiticismo, à magia, ao espiritismo, à adivinhação ou â invocação dos mortos", e Levíticos 19, 31 e 20, 6. O motivo de tais proibições são bem diversos das restrições sobre: alimentos; puro e impuro; da semeadura da terra; tal como demonstrou a matéria acima, a proibição se devia pelo fato que somente DEUS, é o SENHOR dos Vivos e dos Mortos, somente ELE na oração de Ana mãe do profeta Samuel: "O Senhor dá a morte e a vida, faz descer à habitação dos mortos e de lá voltar." (1º Samuel 2, 6), e anos mais tarde, será o próprio SENHOR que fará a alma de Samuel subir da mansão dos mortos, para ir ter com Saul tal como demonstra a passagem de 1º Samuel 28, o qual a necromante ao ver Samuel deu um grande grito de horror, por dois supostos motivos: 1º) ela era uma charlatã, o qual nunca manteve contato com espirito algum, e daí, ao surgir um espirito o qual DEUS permitiu que aparecesse, ela tremeu e se borrou toda, ou 2º) ou ela matinha, sim, contato com um espirito, mas um espirito demoníaco, o qual estava acostumada a ter contato, mas, neste dia, DEUS querendo fazer uma pegadinha com ela, deu um chega pra lá no tal espirito, e fez que realmente surgisse a alma de Samuel, demonstrando desta forma, que somente DEUS, é quem tem o poder de fazer vir alguém do além para ká antes da ressurreição no final dos tempos, tal como aconteceu com Samuel, ou até mesmo, de alguém ir aos céu, antes da morte física do corpo como aconteceu com vários Santos na Igreja, a começa por São Paulo (1º Cor. 12, 2-4) e também São João Evangelista e Apóstolo o qual, teve as visões do céu e das tribulações futuras o qual resultou no Livro do Apocalipse (Ap. 4,2). Portanto, eis o motivo de tanto no Antigo Testamento quando no Novo Testamento a clausula proibitiva de se evocar os mortos ainda esta de pé, pois que assim o faz, quer chamar alguém do além para ká, passando por cima do poder e da vontade divina, que só compete a DEUS.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Luiz Carlos 23-02-2015 17:58
Muito bom o texto, mas se não me engano, parece que faltou falar da importância que estas leis tinham também quanto aos rituais religiosos. Aquele que estava impuro teria que se purificar antes de atender às cerimônias judaicas, em respeito a Deus. Eis aí um princípio universal seguido até hoje: se o sujeito está em pecado, não pode comungar. Além disso pelo que me lembro as partes do Levítico que falam de práticas de higiene e rituais estão devidamente separadas dos capítulos que falam sobre leis morais universais, de modo que ninguém possa confundir uma coisa pela outra e a única coisa em comum entre estas duas partes seja simplesmente o fato de ambas se tratarem de códigos legais.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # A Catequista 23-02-2015 18:02
Sim, Luiz. A questão da purificação exterior na Antiga Aliança era uma imagem da devida purificação interior (arrependimento e Confissão) que, na Nova Aliança, os cristãos devem fazer para poderem comungar. Vou adicionar isso, obrigada!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Porthos 23-02-2015 17:51
Antes de tudo devo dizer que sou deísta e estudo religiões diversas apenas como hobbie, por isso entendo caso vocês não queiram responder minha pergunta - que será feita à frente. Dito isto, acompanho o blog a alguns meses e embora nunca tenha procurado nele com veemência, uma vez a cada 15 dias - ou quando dá vontade - eu começo a ler posts antigos. Acontece que eu nunca achei um assunto em particular que gostaria de ter as dúvidas limpas. As três grande religiões monoteístas da atualidade - judaísmo, cristianismo e islamismo - têm todas base na tradição de que Moisés salvou o povo do Egito e fez uma promessa com Deus - Ele os daria a Terra Prometida e eles dariam-O sua adoração (circuncisão, obediência a tradições sociais etc). Com isso, pode-se dizer que o judaísmo rege como pedra fundamental na tese teológica das duas ideologias vindouras, tese apoiada pelo fato do Corão e da Bíblia terem o mesmo Antigo Testamento - a Torá. Além disso, alguns historiadores apontam o zoroastrismo como um dos "antecessores espirituais" do catolicismo. Minha pergunta é: tendo as citadas religiões um pouco - ou mais que pouco - dos dogmas que formam a doutrina católica, outras religiões também a podem ter? E se sim, isso indica revelação parciais entregues por Deus para outros povos? Caso ache a pergunta ofensiva, de mal gosto, ou simplesmente má fundamentada peço que ignore-a ou corrija -a. Não sou especialista em catolicismo, religião, história ou teologia. A maioria das informações que coloquei no parágrafo acima se devem a leituras diversas. O motivo de eu ter feito tal pergunta se justifica no fato de todas as citadas religiões considerarem-se as únicas verdadeiras, fadando as outras a marginalidade. Tal fato não acontece entre religiões politeístas por motivos óbvios. Minha curiosidade recai também nos motivos que levaram o islamismo a se tornar uma tradição extremamente violenta. Até o século XVI - corrija-me se eu estiver errado - o povo de Maomé incentivava ciência, matemática, filosofia e até mesmo tolerância - O Império Otomano permitia a estadia de infiéis mediante impostos - entre seus seguidores. Imaginei que algo dessa "ortodoxia" poderia ser explicado nas raízes da religião e, quem sabe, justificado - sob uma lente fiel - como má interpretação de uma revelação divina. De qualquer forma, obrigado e espero não ter sido invasivo.
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # A Catequista 10-03-2015 16:00
Porthos, O cristianismo é a realização da religião judaica. Em Cristo, as profecias judaicas se cumprem, e a lei revelada no Antigo Testamento é levada à perfeição. Então, a relação entre judaísmo e catolicismo é claríssima. Já o zoroatrismo... não entendo como ele pode ser um dos antecessores espirituais do catolicismo. Agora, retomando sua pergunta: "Minha pergunta é: tendo as citadas religiões um pouco – ou mais que pouco – dos dogmas que formam a doutrina católica, outras religiões também a podem ter? E se sim, isso indica revelação parciais entregues por Deus para outros povos?" Para te responder, recorremos a Chesterton: se o sentido da vida humana está em Jesus Cristo, se d’Ele viemos e para Ele haveremos de voltar, é natural e razoável que aqueles que ainda não O conhecem tenham d’Ele uma versão parcial e confusa. A intuição de que há um Messias santo e libertador está presente do inconsciente coletivo, por isso é comum a todos os povos, desde tempos imemoriais. Mesmo aqueles que não conhecem o Messias O intuem “instintivamente”, pois a natureza humana os impulsiona a isso; seu esforço imaginativo é como um instrumento que permite sondar a verdade no escuro, às apalpadelas; nessa tentativa, acertam algumas coisas, e erram em muitas outras. "Tudo isso para que procurem a Deus e se esforcem por encontrá-lo como que às apalpadelas, pois na verdade ele não está longe de cada um de nós. Porque é nele que temos a vida, o movimento e o ser, como até alguns dos vossos poetas disseram: Nós somos também de sua raça..." (Atos 17,27-28) Exemplo: antes no tempo da colonização, os índios brasileiros já difundiam lendas sobre a espera por um Salvador, que viria protegê-los e redimi-los, gerando o bem geral de todos. Ou seja: o coração dos índios pedia para conhecer Jesus, intuía a Sua existência. Também é interessante como os diversos povos cultivam mitos sobre a origem do mal no mundo que possuem uma espantosa semelhança, em diversos pontos. No livro “Mitos e Lendas Karajá”, João Américo Peret apresenta uma lenda contada pelos anciãos dos índios Carajás. Eles viviam felizes no fundo do rio Araguaia, onde a comida jamais acabava, não havia doenças, sofrimento ou morte. Até que um grupo de jovens, desobedecendo ao pai Kanansiuê (uma espécie de deus), decidiu sair para conhecer o mundo fora das águas. O grupo de jovens achou tudo muito bonito e divertido, até que a fome apertou e não havia mais uma panela de comida sempre cheia à sua disposição, como havia no fundo do rio. A fome apertou, e eles tentaram voltar para as águas, mas não conseguiram. Então, o jeito foi aprender a pescar, a caçar e a selecionar os vegetais próprios para a alimentação (quem não lembra de “Comerás o teu pão com o suor do teu rosto…”?). Note como essa lenda dos Carajás é incrivelmente similar ao “mito da caverna”, de Platão. Ao mesmo tempo, assim como o livro do Gênesis, ensina que os homens viviam em um lugar onde tudo era bom e perfeito (na versão indígena, o fundo do rio; na versão hebraica, o Jardim do Éden), um lugar onde não havia sofrimento nem morte. Mas as pessoas desobedeceram a Deus saíram de lá, e agora convivem com o mau e a morte, e pior: são obrigados a trabalhar (oh, nããããão!!!). Considere também o mito tupi “Como a noite nasceu”, traduzido do tupi para o português pelo folclorista brasileiro Couto de Magalhães: no princípio, não havia noite, só dia, e todas as coisas falavam. Até que, por curiosidade e desobediência, um índio abriu um caroço de tucumã e ferrou geral. O olha o fruto proibido, olha a caixa de Pandora aí, gente!!! Seguindo o raciocínio de Dawkins e companhia, teríamos que dizer que os antigos Carajás construíram a lenda de sua origem plagiando os escritos de Platão e da Bíblia. E os tupis, por sua vez, se inspiraram na mitologia grega. FAIZ ÇENTIDO! Recomendo que você leia o artigo completo de Chesterton no link abaixo: http://www.sociedadechestertonbrasil.org/apologetica-crista/cristianismo-e-racionalismo/ Se tiver mais dúvidas, volte a nos escrever.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 25-02-2015 21:41
Porthos, na minha opinião (e é apenas uma opinião), o islamismo é qualquer coisa MUITO À PARTE do judaísmo e do cristianismo. Se deseja rigor de pensamento numa questão como essa, parece-me que não deve colocar o islamismo assim tão ao lado do cristianismo e do judaísmo como nos temos habituado a colocar. Para mim (como cristão, é claro), essa questão resolve-se bem: - a fé cristã (a Nova Aliança, estabelecida por Cristo) é a VERDADEIRA e DEFINITIVA, sim; - a fé judaica NÃO É FALSA, apenas está ultrapassada; foi válida até que a Antiga Aliança desse lugar à Nova Aliança (ou seja, até Cristo); - a fé islâmica é uma maluqueira iniciada por um tipo completamente marado, que veio depois da Antiga e da Nova Aliança apropriar-se dos nossos profetas e até de Jesus e que saiu lá do seu canto na Arábia a espalhar a jihad até aos dias de hoje. Não é por acaso que se fala de uma "tradição judaico-cristã" (nunca ouvi falar de nenhuma tradição "islamico-cristã", nem "judaico-islâmica"... Note que nós, os cristãos, incluímos na nossa Bíblia os livros que também são sagrados para os judeus, isto é, o Antigo Testamento. Já o islamismo, mesmo que fale em Abraão, Moisés e até em Jesus não inclui no Alcorão nada nem do Antigo nem do Novo Testamento… Acho que só isso diz tudo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 25-02-2015 21:58
Por muito que haja muçulmanos pacíficos e por muito que eles tenham dado provas de tolerância em alguns lugares e épocas, para mim é cada vez mais claro que o islamismo é uma religião violenta e opressora. Repare na forma como se fala do terrorismo: “RADICAIS islâmicos”, “FUNDAMENTALISTAS islâmicos”, “FANATISMO religioso”… E diz-se ainda: “ser muçulmano não é mau, o que é mau é ser RADICAL”. Ora, isso denuncia que o islamismo é violento na sua génese, pois AS COISAS BOAS NUNCA SE TORNAM MÁS QUANDO SÃO RADICALIZADAS (pelo contrário). Quando eu digo aos paroquianos que temos que ser cristãos radicais, ou quando se apontam os santos como exemplo de radicalidade, não estamos a incitar ninguém a pegar em armas nem a praticar violência (pelo contrário)… Quanto a um “cristão radical”, pode achar que ele é chato, retrógrado, “beato”, ultrapassado… mas a verdade é que esse “beato”, por muito que lhe cause impressão, não representa uma ameaça para ninguém. Quanto a um “judeu radical” pode achar que é ridículo, que tem um modo de vida que não faz sentido… mas, por muito que lhe cause impressão, não representa uma ameaça para ninguém. Já um “islâmico radical”… cuidado como ele! Por isso, deixe o cristianismo fora desse entrudo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # adriano 24-02-2015 16:17
Olá Porthos, não sou da administração do blog, mas também achei interessantes suas reflexões, por isso estou me intrometendo. Você tem razão ao dizer que o cristianismo nasce a partir do judaísmo. O catecismo diz que Jesus Cristo veio ao mundo para redimir e revelar. Redimir os homens de suas faltas e revelar a vontade de Deus para nós. Ou seja, a vontade de Deus, que era expressa de forma apenas parcial no antigo testamento (pela lei e pelos profetas), vai se revelar em plenitude com Jesus Cristo. Por isso Nosso Senhor disse que não veio abolir a lei antiga, mas levá-la à perfeição. A guarda do depósito de fé entregue aos homens por Jesus Cristo é feita pela Igreja, que para tanto foi fundada pelo próprio Cristo. Você também pergunta se pode ter algo verdadeiro no que as outras religiões ensinam. A resposta é sim. Eu entendi melhor isso quando meditei acerca do conceito teológico de comunhão eclesial. Ou seja, a famosa comunhão com a Igreja. Em primeiro lugar, devemos levar em conta que a comunhão eclesial não é algo binário, mas sim gradual. Quero dizer que existem diversos graus de comunhão com a Igreja, desde a comunhão perfeita (a fé católica íntegra e plena) até níveis inferiores de comunhão. Por exemplo, os ortodoxos estão em comunhão parcial com a Igreja (não aceitam o primado do papa, a procedência do Espírito Santo do Pai e do Filho, etc.), em menor grau estão os protestantes (não aceitam a tradição da Igreja, a complementação da fé pelas obras, etc.), em menor grau os judeus (que não aceitam a revelação do Cristo), etc. O grau de comunhão que essas religiões têm com a Igreja é o grau de comunhão que elas têm com o próprio Cristo e, portanto, com a Verdade. Daí que um não-católico ou mesmo um não-cristão pode se salvar, não por aquilo que sua religião tem de errado, mas sim pelo que ela tem de verdadeiro. O juízo de quem se salva e quem se perde, evidentemente, só cabe a Deus. Cabe a nós dar testemunho da verdade, e atrair as pessoas à Igreja de Cristo, afinal sabemos que um cristão que viva a fé deixada por Nosso Senhor, esse se salva com toda a certeza! Além de tudo isso que eu falei, deve ser levada em conta uma última coisa. Deus, na sua misericórdia, nos deu como guia a lei natural, que é nada mais que a compreensão racional do que é certo e errado. Isso todos os homens têm, mesmo aqueles que nunca ouviram falar de Cristo. A lei natural nos ensina, por exemplo, que matar um inocente é errado. Para saber disso não precisamos de nenhuma revelação, qualquer um sabe, e quem mata um inocente injustamente comete uma falta. Na medida em que seguimos a lei natural seguimos também a Deus, pois foi ele que colocou em nossos corações esse conhecimento. Veja, meu amigo, como é bela a doutrina de Cristo, não levando ninguém ao desespero da salvação. Por isso temos esperança! Tudo o que eu disse aqui está no catecismo. Veja sobre a questão da lei natural: http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/p3s1cap3_1949-2051_po.html Recomendo vivamente que você o compre impresso, é um livro de capa amarela, meio gordinho é verdade, mas vale a pena lê-lo, de preferência bem devagar, pra fixar tudo. Um abraço, meu amigo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 23-02-2015 18:13
Oi, Porthos! Sua reflexão é ótima e interessante. Nossa equipe é pequena, e andamos com nossa rotina bem atolada. Estou com a resposta em mente, mas preciso parar para escrevê-la. Talvez eu demore alguns dias para responder, mas pode deixar que, assim que eu o fizer, te avisarei por email.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Porthos 24-02-2015 12:34
Sem problemas, estarei esperando!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Tiago 24-02-2015 08:48
Dá pra fazer um post com a resposta?
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # aemon targaryan 23-02-2015 17:44
qual o problema num católico q tem dúvidas? essas passagens são muitos estranhas e nao tinha ngm pra explicar pra gente, e nao tenho vergonha de dizer q sou ignorante nesse assunto. graças a este blog posso ser iluminado. pq se dependesse da minha cabeça ia ser estranho pra sempre.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # A Catequista 23-02-2015 18:10
Aemon, só os sábios têm dúvidas. Os orgulhosos e os estúpidos, sem nem mesmo terem estudado o mínimo suficiente, arrotam suas "certezas". Então, não há qualquer problema em ter dúvidas, pois isso nos impulsiona a buscar a verdade com a mente aberta. O que criticamos aqui são aqueles que, sem nada conhecer da teologia cristã e da exegese bíblica, buscam deturpar o sentido de certas passagens bíblicas com o objetivo de defender suas ideologias. É o caso dos fulanos que andam por aí dizendo que cristãos só seguem partes da bíblia que lhes convém (como a condenação ao homossexualismo), mas comem carne de porco, que a Bíblia tb condena. Eles falam isso não em tom de dúvida, mas com a arrogância dos canalhas, que nada sabem, mas querem arrotar conhecimento.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Juliano 24-02-2015 12:31
Com certeza, quem não tem dúvidas sobre as Escrituras? É normal. Minha mãe, por exemplo, leu o AT umas 300 vezes, sempre tentou interpretar por si mesma, e hoje não acredita em nada do que tem no AT. Pra ela vale somente o NT. Enfim. Já eu fiquei com uma dúvida que tem me incomodado, e vou perguntar pra vocês, ou de repente para o Padre Orlando: Na missa de domingo, na leitura de 1ª carta de Pedro, ele disse que o batismo não serve pra limpar a nossa imundície, mas nos dá a chave para a salvação (algo neste sentido). Pois bem, a imundície, nesse caso, não seria o pecado? O Batismo não nos livra, justamente, do pecado (no caso, a criança não se livra do Pecado Original, ou o adulto que era de outra religião)? Ou esta imundície que ele se referia, era sobre os pecados que cometeríamos futuramente?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 25-02-2015 21:15
SIM, o Baptismo limpa-nos do pecado, tanto do original e como do pessoal (para quem o tiver; as crianças bebés não o têm). NÃO, São Pedro não está a falar da imundície que é o pecado: ele está mesmo a falar da imundície do corpo! Ou seja, São Pedro está a dizer que, embora o Baptismo seja um verdadeiro banho, fisicamente falando, não é para limpar a porcaria do corpo mas sim para nos salvar mediante a ressurreição de Cristo (e implicando, ao mesmo tempo, o nosso compromisso de “uma boa consciência”). A leitura (1 Pedro 3, 18-22) diz assim no versículo 21: «Esta água é figura do Baptismo que agora vos salva, que não é a purificação da imundície corporal, mas o compromisso para com Deus de uma boa consciência, pela ressurreição de Jesus Cristo». (esta é a tradução tal como vem no leccionário) A Bíblia da Difusora Bíblica (que nós cá conhecemos como “Bíblia dos Capuchinhos”) traduz assim: «Isto [o dilúvio e a salvação de Noé com a sua família] era uma figura do baptismo, que agora vos salva, não por limpar impurezas do corpo, mas pelo compromisso com Deus de uma consciência honrada, em virtude da ressurreição de Jesus Cristo». Quanto a pecados que sejam cometidos depois do Baptismo, é claro, já sabemos que há que recorrer ao sacramento da Penitência.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # A Catequista 23-02-2015 16:48
O interessante é que, ainda que não tenham mais o peso de lei religiosa, as normas de higiene e saúde do Antigo Testamento são amplamente recomendáveis para os dias de hoje. Lavar as mãos, não precisa nem dizer né... Não deixar o cocô espalhado na rua, também não... Quanto aos alimentos, os frutos do mar em geral (exceto peixes) oferecem maior risco de intoxicação ao serem ingeridos. Tanto isso é verdade que os membros da família real britânica são proibidos de comê-los, até mesmo assinam um contrato se comprometendo a se abster desses alimentos. Imagine, naqueles tempos de Moisés, um sujeito tendo uma reação alérgica por comer camarão? Morria, não tinha antialérgico que desse jeito. E, no caso da carne de porco, era grande o risco de infecção por vermes, e não havia vermífugo para remediar. Lembro também que o vírus ebola esta aí graças aos rituais de feitiçaria, em que as pessoas ingeriram sangue de morcego (coisa proibida pelo Levítico).
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Lucia Araujo 23-02-2015 14:38
Deus abençoe vcs! Sempre trazendo-nos conhecimentos importantes para fortalecer nossa fé.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Bruno Linhares 23-02-2015 14:20
Ontem assisti o documentário "A sede do mundo". Num trecho apresentam o trabalho de uma mulher, num país africano, acho que Sudão do Sul, que cuida de um banheiro público. A população local tem o costume de fazer as necessidades em sacos plásticos e jogá-los nos telhados (!). Fica fácil acreditar na explicação da doutrinação de higiene aplicada por algumas dessas leis. Tribos mais primitivas e incultas atestam essa necessidade ainda hoje.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Antonio Vieira Filho 16-04-2015 12:33
Concordo com você, Bruno em tamanho, gênero e grau, porque, já pensou se o Pai amorável que nós temos não adivertisse os judeus com a mídia existente na época? Muito bem colocado.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 23-02-2015 14:30
Sim, Bruno! Não citei no post, pra não ficar muito longo, mas tem algum trecho do Antigo Testamento (acho que no Deuteronômio) em que Moisés ordena que as pessoas não deixem seus cocôs espalhados pelo acampamento, mas que levem para um lugar longe e mantenham o acampamento limpo. Afinal, o Senhor anda no meio deles, e não se deve desagradá-Lo dessa forma.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo 23-02-2015 13:25
Mais um post excelente, Vivi! Sei que vcs tem inúmeras coisas pra fazer, mas conto os dias para cada post novo... Há dois anos, quando comecei a acompanhar o blog, eu ainda era uma estranha mistura de católico com esquisotérico (por incrível que pareça essas coisas existem...) Devo minha firmeza na fé hoje à graça de Deus e ao apostolado de vcs! Que nosso Pai Celestial derrame inúmeras bençãos sobre vcs!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Érico Raoni 23-02-2015 11:54
Ótimo! Fenomenal! Excelente! Adjetivos que cabem à equipe, ao texto, e, é claro, às figuras sempre divertidas, kkk; a do Will Smith... hilária! (mas parece que sumiu do post??? Repararam que o boneco-barbeiro está segurando uma arma invertida?) Mas colegas, duas correções no texto: + Última frase do primeiro parágrafo: "porque de Bíblia vocêS não sacam nada!" (faltou a letra S que coloquei) + "Como tidos ____ os demais livros da Bíblia" parece que faltou alguma palavra. Para mim, posso estar enganado, parece estar sem sentido, que faltou uma informação. É isso. Ps.: sempre quando os leio, coloco-me na obrigação de rezar por vcs e quando chego em casa esqueço. Vou parar de deixar para depois e rezar no momento. Melhor, né?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 23-02-2015 12:45
Obrigada, já corrigi os erros! Agradecemos demais tb as orações!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Manoel 23-02-2015 11:52
Bom dia galera dO Catequista!A paz; Tem algum estudo ou até mesmo post aqui no site que fala sobre o para que Deus não se revelou a todos os povos? Para que houve apenas um povo escolhido? Continuem com o trabalho maravilhoso que fazem :)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Manuel da Costa 23-02-2015 11:32
Já eu, já sabia, só não saberia explicar tão bem quanto O CATEQUISTA, Adorei a matéria!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # marcos 23-02-2015 11:14
Esse pessoal anticatólico, e os católicos-caóticos tão afim é de encher o saco. O melhor de tudo, na verdade, é mandar eles procurarem algo pra fazer, por que essas "inventivas" deles são pura falta de serviço...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Victor 23-02-2015 10:44
Grande artigo. O único problema em termos de apologética que costumo ver é que muitos cristãos - já vi isso centenas de vezes na vida -, quando solicitados a mostrar na Bíblia a condenação moral à prática homossexual, perfilam os textos de Levítico lado a lado com as passagens neotestamentárias. Ao fazer isso sem fazer qualquer qualificação, dão margem para essas críticas. Ou seja, ao argumentar, talvez fosse mais prudente alistar apenas os trechos do Novo Testamento. Eles bastam por si só. Se incluir os de Levítico, seria importante incluir alguma explicação sobre como a Torah une indistintamente normas cerimoniais (temporárias) e normas baseadas na lei natural (perenes).
Responder | Responder com citação | Citar
0 # MED 23-02-2015 10:28
É a nossa vida, nossa existência. RELATIVISMO.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Tiago Martins 23-02-2015 10:13
Gente, perfeito! Eu não sabia dessa cisma com o Livro de Levítico. Essa lógica de seguir os preceitos do Antigo Testamento cola mais com a "doutrina" protistanti... Tem uma galerinha aí que anda inventando cada prática absurda... E para explicá-lo dizem possuir embasamento bibrico que o justifique.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Flávia Cavalcante 23-02-2015 09:37
Vocês são demais! Amo este blog!Sou Católica Apostólica Romana até o fim. Abençoada por Deus e protegida pela Santíssima Virgem Maria!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # César Augusto Simões 23-02-2015 08:25
Simplesmente fenomenal, eu não sabia de nada disso até descobrir esse site. Dá pra ver como Deus é inteligentíssimo e que tudo já estava planejado desde sempre para a nossa salvação.
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade