Publicidade
Segunda, 30 Junho 2014 03:01

Provável parente do Barrichello se surpreende com ligação entre Igreja e Ciência

Postado por

Este post é dedicado a um leitor especial. Não revelaremos seu nome, mas o chamaremos de Zé Barrichello, pois temos quase certeza de que ele é parente do Rubens, o mais veloz... zzzzzz... zzzzzzz... piloto brasileiro de F1 de todos os tempos. Afinal, o Zé só descobriu agora - com quase mil anos de atraso - que a Igreja incentiva e patrocina pesquisas científicas!!! Ele é ou não é um cara super em dia com os acontecimentos?

O post que publicamos sobre a técnica de manipulação de células-tronco desenvolvida pelos pesquisadores do hospital infantil do Vaticano (veja aqui) provocou reações diversas em nossos leitores: a maioria exultou de alegria; outros foram chorar na cama, que é lugar quentinho (esses são os que viviam esculhambando a Igreja pela condenação do uso de células-tronco embrionárias); e outros, ainda, se mostraram surpresos e desconfiados.

Zé Barrichello pertence a esse último grupo; ele pediu fontes não católicas para verificar se não estávamos espalhando um caô (como se já não tivéssemos inserido em nosso texto o link da notícia no site do jornal “La Reppublica”). E zombou: “A Igreja promovendo experiências científicas, como assim, gente? Que novidade é essa?”.

georges_lemaitre A Tia Teteca, que deu aula pro Zé Barrichello na escolinha, certamente não falou para ele que a Igreja Católica patrocina experimentos científicos DESDE A IDADE MÉDIA!

Aliás, o método científico que é aplicado até hoje foi inventado no século XIII por Roger Bacon, um frade franciscano. Além disso, os estudos desse religioso no campo da Ótica possibilitaram a posterior invenção dos óculos, do telescópio e do microscópio. Pelo tom das perguntas irônicas, desconfiamos que o Zé também não ficou sabendo que:

  • a Igreja Católica inventou o sistema universitário;
  • o Pai da Genética é Gregor Mendel, um monge agostiniano;
  • o Pai da Teoria do Big Bang é o Padre Lemaître;
  • a prática do uso de antisséptico básico e de anestésicos em cirurgias foi introduzida por Teodorico de'Borgognoni, um frade dominicano e um dos cirurgiões mais importantes do período medieval;
  • o Pai da Teoria Atômica moderna é um sacerdote jesuíta chamado Ruggiero Giuseppe Boscovich;
  • o Pai da Citologia é o padre Jean-Baptiste Carnoy;
  • o entendimento inicial da Lua se deu graças aos estudos de Albert Curtz, um sacerdote jesuíta (aliás, 35 crateras da Lua levam o nome de astrônomos jesuítas);
  • o Pai da Geologia é o Beato Nicolau Steno;
  • o primeiro motor elétrico foi construído pelo monge beneditino Andrew Gordon;
  • o Pai da Egiptologia é o Padre Athanasius Kircher. Ele também é inventor da Lanterna Mágica, dispositivo criado para projetar imagens na parede por meio de um sistema de lentes e luz, considerada a invenção que inspirou o Cinema e a Animação;
  • o Padre Roberto Landell é o pioneiro do Rádio no Brasil, tendo inventado também o telefone sem fio e o telégrafo sem fio;
  • o Pai da contabilidade moderna é o monge franciscano Luca Bartolomeo de Pacioli...

Haveria muito mais religiosos católicos para listar, mas acho que já deu uma boa ideia. Não vamos dar informações demais pro parente do Rubinho, se não o cara pode dar uma surtada. É muita novidade para um dia só!

Por fim, Zé Barrichello, vendo que não dava mais para negar o óbvio, se saiu com mais essa pérola: "Certo, reconheço que essa descoberta feita pela equipe do Hospital do Vaticano é muito boa para a humanidade, mas não vamos esquecer que a Igreja matou milhares de cientistas na Idade Média". Hã??? Milhares?

Mas a inquisição inteira não chegou nos milhares! E se formos contar os cientistas que foram condenados à morte por suas teorias científicas teremos... ZERO!  É isso mesmo, Zé... não há NENHUM! Depois disso tudo, só tenho uma coisa pra dizer aos que acham que a Igreja é contrária à ciência...

ygritte

 

3942 Sábado, 01 Abril 2017 13:41

Comentários   

+1 # Ana Paula 07-06-2016 19:23
Vale lembrar do nosso padroeiro: São José de Anchieta foi um notável estudioso de línguas. É dele a primeira gramática de Tupi.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Renan 09-09-2014 11:13
Excelente publicação, assim como são todas! Sou fã de vocês e vcs sempre estão nos meus encontros de catequese! Vale lembrar da Pontifícia Academia de Ciências, que possui grandes cientistas ganhadores de premios Nobel! seria muito interessante um artigo sobre isso! Sou prof de quimica de SP, e ao longo da graduação e dos conhecimentos cientificos aprendidos pude ver a grandiosidade e sabedoria de Deus na natureza e na criaçao! Paz e Bem!
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # fernando 23-08-2014 08:47
ainda falta citar o Pierre Varignon!! que foi ordenado sacerdote e esteve envolvido na publicação tanto do Newton quanto do Leibniz e ainda fez contribuições para melhorar a mecânica newtoniana!!!
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Thales 07-08-2014 10:45
Alô, pessoal d'O Catequista! Depois, se puderem, divulguem no facebook ou por aqui mesmo esta notícia que saiu na Radio Vaticano e que tem tudo a ver com o tema, mostrando que essa relação entre fé e ciência não é apenas uma coisa do passado, mas ainda (e sempre será) muito atual. Segue o link http://pt.radiovaticana.va/news/2014/08/06/jesu%C3%ADta_astr%C3%B4nomo_premiado_nos_eua/bra-817796 Grande abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rubens 02-07-2014 19:03
Legal esse tema que desmente que a igreja católica é contrária à ciência, apesar de sê-lo um pouco tendencioso. O método científico foi discutido em meu Trabalho de Conclusão de Curso, tema "A aplicabilidade da Sociologia Jurídica à elaboração das leis". Atualmente o método aplicado é o do Descartes, embora o primeiro DEFENSOR e IDEALIZADOR tenha sido Roger Bacon. http://www.infoescola.com/ciencias/surgimento-do-metodo-cientifico/
Responder | Responder com citação | Citar
-1 # Flavio 02-07-2014 14:14
Todos foram rechaçados pela igreja assim que fizeram suas descobertas. E naquela época era impossível estudar se você não pertencesse à igreja ou ligado a ela, eles tinham monopólio sobre os livros.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 02-07-2014 21:34
Mais um que quer tornar uma virtude da Igreja, em uma prova contra ela. Patético. Se a Igreja no passado preservou escritos antigos, através de monges copistas, levou conhecimento ao povo erguendo escolas e universidades e apoiou os estudos científicos, era poque era monopolista com relação a isto tudo, agora, se ela não fez nada disto, era porque queria ver o povo na ignorância. Ignorantes são estes que não querem enxergar nada e vivem atacando a Igreja, não importa mostrar o que a Igreja fez e ainda faz nos dias de hoje, eles sempre vão arrumar uma desculpa nojenta para denigri-la. Eu não vejo em atitudes assim ignorância, falta de conhecimento, eu vejo é maldade mesmo, é má fé, haja paciência com gente assim.
Responder | Responder com citação | Citar
+4 # A Catequista 02-07-2014 14:36
"Todos foram rechaçados pela igreja assim que fizeram suas descobertas." PROVE. Indique fontes para embasar isso, Flávio. Você teria ao menos algum exemplo para citar, além do caso Galileu (que não descobriu nem conseguiu provar nada, apenas defendia de forma desastrada a Teoria heliocêntrica do Padre Copérnico, que, curiosamente, JAMAIS foi censurado por suas teorias). "E naquela época era impossível estudar se você não pertencesse à igreja ou ligado a ela..." O fato é que, após a queda do Império Romano, o civilização ocidental entrou em colapso. Bibliotecas havia sido queimadas, cidades inteiras foram saqueadas a arrasadas. Quem juntou os cacos desse mundo caído foi a Igreja Católica. Os monges foram aqueles que preservaram e reproduziram os poucos escritos dos sábios gregos que os bárbaros não destruíram; copiavam os escritos anos a fio, à mão, palavra por palavra, e enviavam as cópias outros monastérios. Por isso eles eram privilegiados no acesso ao conhecimento, porque foram defensores desses escritos. O resto da população estava mais preocupada em não morrer de fome. Letras e cultura não era prioridade para quem tinha filhos a alimentar, em um mundo destruído. E os monges não guardaram só para si o conhecimento que preservaram heroicamente: eles abriram escolas nos mosteiros, onde estudavam filhos de nobres e filhos de camponeses. Também meninas estudavam. Depois, a Igreja investiu pesado para erguer e sustentar as universidades. Não havia outra instituição preocupada em fazer isso. "...eles tinham monopólio sobre os livros". Livro era uma coisa caríssima e de difícil fabricação na Idade Média. E isso não era culpa da Igreja, era culpa do Guttemberg, que só nasceu no século XV... Afinal, antes da invenção da prensa móvel, alguns levavam mais de dois anos para ficarem prontos, copiados à mão. Mas muitas pessoas - especialmente as mais ricas - os tinham em casa. Então, que monopólio é esse? Você tem alguma fonte indicando que a Igreja proibisse os cidadãos comuns de terem livros? O fato é que acusam a Igreja de ser contra a toda evolução científica. Mostramos aqui que isso é impossível, já que a Igreja abrigava em seu seio numerosos cientistas. Como esse argumento não cola mais, aí vem vocês com essa historinha pra boi dormir: ah, mas a Igreja monopolizava o conhecimento! Rapaz, a Igreja era a ÚNICA instituição na Idade Média que dava alguma importância para o conhecimento! O resto tava mais preocupado em garantir a segurança de seus territórios, após o trauma das invasões bárbaras.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Michele 02-04-2017 19:10
Rindo até 2099!!! A culpa é do Gutenberg mesmo! Kkkkk
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Clarice 01-04-2017 14:37
Sua resposta a esse indivíduo foi ainda melhor que o texto inteiro!!! Deus os abençoe!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Victor Pildervasser 02-07-2014 01:56
Olá, Esse foi o primeiro texto que li do blog e fiquei impressionado com a qualidade da escrita e com a maneira que o assunto é abordado. Realmente é um trabalho primoroso. No entanto fiquei com algumas dúvidas em relação ao assunto abordado no texto e gostaria se possível, de uma resposta. Primeiramente, em seu texto anterior que deu origem a este, você diz que o Vaticano investiu milhões em pesquisa com células-tronco. Particularmente confesso que fiquei surpreso em saber disso, e por curiosidade resolvi procurar as fontes de financiamento descritas pelos próprios autores em seu artigo científico (na sessão Research grants). Pelo relatado pelos mesmos, dentre as 5 instituições envolvidas com o apoio financeiro deste projeto, apenas uma é o IRCCS Ospedale Pediatrico Bambino Gesù e esta fornece um auxílio diretamente ao primeiro autor do estudo, Franco Locatelli. Pelo que me informei no site das outras instituições, estas ou são privadas ou governamentais. Pode parecer certa picuinha da minha parte, mas sua escrita deixa a impressão que a Igreja Católica, como instituição, foi a fomentadora desta pesquisa, o que não é verdade. Posso ter me enganado, pois todos os sites estão em italiano, mas existe mais alguma instituição envolvida com a Igreja Católica financiando a pesquisa que eu não observei? Em segundo lugar, é inegável a contribuição de homens pertencentes à Igreja Católica e suas contribuições para a ciência, como foi muito bem descrito no seu texto. Porém, seria inocência demais da nossa parte fechar os olhos para o outro lado da história, quando homens pertencentes à Igreja Católica interferiram com o desenvolvimento e promoção da ciência. O caso mais famoso e pouco notório é a briga entre representantes da Igreja Católica e Nicolau Copérnico, a cerca de sua teoria do heliocentrismo e os desdobramentos da mesma. Briga essa que foi posteriormente assumida por Galileu Galilei ao defender a teoria de Copérnico. Em uma de suas cartas transcritas no livro Ciência e Fé, Galileu relata ao seu amigo Monsenhor Piero Dini relatando o caso em que o frade domicano Tommaso Caccini dirigiu-se a ele e a seus seguidores ridicularizando-os por seus resultados comprovando a teoria do heliocentrismo. Acho importante dizer que, da mesma maneira que existem indivíduos que fazem uso erroneamente da ciência como artifício para embasar suas crenças anti-religiosas (como relatado em alguns comentários); há também casos de indivíduos que fazem uso da religião como artifício contra a ciência e dessa maneira prejudicam o desenvolvimento da mesma. Esta questão leva ao meu segundo questionamento. Notei tanto na sua escrita quanto nos comentários deste e do texto anterior muitas demonstrações de que a comunidade científica estava errada ao “apostar” nas células embrionárias e que estas não resultaram em benefício algum. Uma breve pesquisa em um banco de dados de artigos médico-científicos deixa claro que isso não é verdade. Deixo aqui o link para dois trabalhos demonstrando a eficácia de células-tronco embrionárias para o tratamento de doenças como Parkinsom e Esclerose Lateral Amiotrófica (http://journal.frontiersin.org/Journal/10.3389/fnins.2014.00109/full) e para imunoterapia no tratamento de câncer (http://journal.frontiersin.org/Journal/10.3389/fimmu.2014.00176/full). Sendo assim meu questionamento é o seguinte: seus argumentos anti-comunidade científica, e consequentemente anti-científicos, são baseados em evidências inegáveis da falta de aplicabilidade e ineficácia das células-tronco embrionárias ou apenas em um sentimento de revanche alimentado por uma rivalidade secular? Muito obrigado
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # A Catequista 07-07-2014 03:19
João, Agradecemos muito seus elogios ao blog! Sobre as suas dúvidas, vamos lá... Primeira dúvida. Sim, definitivamente, a Igreja Católica, como instituição, foi a fomentadora da pesquisa que resultou na revolucionária descoberta que noticiamos. O Banbino Gesù pertence ao Vaticano e, em 2010, a Igreja anunciou que faria investimentos em pesquisas com células-tronco adultas justamente por meio deste hospital. Inicialmente, estava previsto que seriam investidos, no mínimo, 2,7 milhões de euros; as pesquisas seriam focadas na cura de doenças intestinais, podendo posteriormente envolver outras doenças (o que de fato veio a ocorrer). O anúncio de tais investimentos foi noticiado pelo Estadão e também pela NBC: http://ciencia.estadao.com.br/noticias/geral,vaticano-vai-financiar-pesquisas-de-celulas-tronco-adultas,542140 http://www.nbcnews.com/id/36742557/ns/health-cloning_and_stem_cells/t/vatican-finance-adult-stem-cell-research/#.U7od5JRdVNY Então, como você pode notar, os investimentos financeiros da Igreja foram consistentes na realização deste projeto. Além do mais, sobre as outras entidades envolvidas no financiamento, é bastante provável que seus investimentos tenham sido fruto dos esforços de membros da Igreja para a captação de outros parceiros investidores (isso eu não tenho como comprovar, mas é bastante provável). Segunda dúvida. Sobre Copérnico, ele não só jamais sofreu qualquer repressão por causa de sua teoria heliocêntrica, como foi incentivado por membros do alto clero para publicar seus estudos. Então, não houve briga. Com Galileu, incialmente, tudo também eram flores. Sua defesa da tese de Copérnico foi bem recebida pelos jesuítas, por numerosos cardeais e até mesmo pelo Papa. E a coisa foi bem recebida tal qual como era: como teoria não comprovada. Galileu foi inclusive festejado em Roma por causa das observações que fez, que davam mais força à tese de Copérnico, e foi autorizado pela Igreja a ensinar suas conclusões na condição de TESE. A coisa melou quando Galileu, imprudente e vaidoso, queria porque queria que sua tese fosse aceita como verdade científica, sendo que ele não tinha meios de comprová-la. Pra piorar, ainda começou a dar piti, dizendo que sua teoria não era aceita porque os clérigos fanáticos estavam interpretando errado a Bíblia (desconsiderando o fato de que ele simplesmente não conseguia comprovar sua teoria). Aí ferrou. Galileu estava certo em sua teoria, mas estava errado ao tagarelar aos quatro ventos que a Igreja deveria aceitar como verdade científica uma tese que nem ao menos havia sido cientificamente comprovada. Isso é muito bem explicado neste vídeo do professor Thomas Whoods: http://www.youtube.com/watch?v=kCMyB3qhKhY Terceira dúvida. Os dois resultados práticos que você citou são claramente inferiores aos obtidos com células-tronco adultas e, ademais não estão à altura do entusiasmo que a maioria dos cientistas depositou nas células-tronco embrionárias. Tanto isso é verdade que boa parte das instituições que investiam em pesquisas com células-tronco embrionárias foram abandonando esses projetos aos longo dos anos, devido aos maus resultados. Para nos dar uma base de comparação, Robin Smith, CEO presidente da Stem for Life Foundation, afirma que há cerca de 4.300 tratamentos baseados em células-tronco adultas que estão agora em ensaios clínicos, e apenas 26 tratamentos a partir de células-tronco embrionárias. Quando a liberação das pesquisas com células-tronco foi obtida aqui no Brasil, a impressão era de que, em poucos anos, todos os paralíticos iriam andar (aliás, causava forte impressão a imagem de pessoas em cadeiras de rodas no congresso, pressionando para a liberação dessas pesquisas). Como vemos, quem estava na cadeira de rodas continua lá. Ademais, nós católicos entendemos que essas pesquisas são sempre desastrosas, a despeito de qualquer resultado prático. Nada de bom, em última instância, pode advir da relativização do valor da vida humana, em qualquer fase de desenvolvimento que ela esteja.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Eduardo Araújo 08-07-2014 03:14
Vivi, a respeito de Copérnico e Galileu gostaria de acrescentar alguns pontos: 1 - Primeiro quanto ao heliocentrismo: ele já era objeto de debates nas universidades desde a Idade Média. O problema é que até então hão havia um modelo matemático que rivalizasse com o de Ptolomeu, o que só veio a ocorrer com a publicação do livro de Copérnico; 2 - esse livro (De Revolutionibus ...) foi publicado (1543), dedicado ao Papa Paulo III (em pleno Concílio de Trento), acolhido pelo Sumo Pontífice e teve sua teoria admitida como "hipótese atuante". Cai por terra a alegação de um imbróglio da Igreja com os defensores do heliocentrismo. O que não era possível, então, era assumir o modelo copernicano como verdadeiro, sem a devida comprovação, e o seu uso precipitado na interpretação da Bíblia, isso em negros tempos de "livre interpretação" protestante; 3 - o nosso historiador Paulo Ricardo pode nos dar uma luz sobre o seguinte: conta que o Papa Gregório XIII autorizou o uso dos dois modelos - ptolemaico e copernicano - na correção do calendário, em 1582; 4 - bom que se diga, aliás, que não só o modelo geocêntrico, mas também o heliocentrismo copernicano são absolutamente errados; 5 - mas o interessante é que Galileu defendia um sistema que não era, a rigor, o de Copérnico, conquanto também fosse equivocado, mantendo, por exemplo, a circularidade das órbitas planetárias; 6 - Galileu foi um exímio cientista, teórico e prático, principalmente na física hidráulica e na cinemática. Foi, também, um notável observador astronômico. Mas ele não se deu bem no campo da mecânica celeste nem na descrição de outros fenômenos, caso dos cometas (para ele, emanações gasosas na alta atmosfera) e das marés (tentou explicar somente com o movimento da Terra, desconhecendo por completo a gravidade); 7 - inclusive, foi nas discussões envolvendo essas questões - com os jesuítas do Colégio Romano, em particular - que ele granjeou vários inimigos, pessoas que o detestavam pela sua arrogância e teimosia. Isso seria decisivo mais tarde, na acusação de ridicularizar o Papa no livro em que deveria apresentar - imparcialmente - os dois "sistemas do mundo"; do mesmo modo que o livro de Copérnico, o de Galileu (Discussão sobre os Dois Sistemas do Mundo), após a chancela papal, foi publicado e circulou, de início, livremente, sem o menor incômodo da Igreja por tratar a hipótese heliocêntrica; 8 - enquanto isso, o cientista que deveria por justiça ser lembrado e festejado como o verdadeiro pilar do heliocentrismo mantem-se à margem, posto que não foi processado pelo Santo Ofício. Não podendo usar-se sua biografia na manutenção da estorinha da "Igreja malvada contra a ciência", relega-se a ele - Kepler - um papel inferior a Galileu no campo da mecânica celeste. Absurdo só explicado pela idiotia anticatólica, de raízes iluministas.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 08-07-2014 12:08
Obrigada pelo comentário, Eduardo!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Eduardo Araújo 21-07-2014 19:45
Caro João, conte sempre! Apenas umas considerações adicionais sobre sua resposta: a) Galileu não foi encarcerado pelo Santo Ofício. Na verdade, durante todo o processo ele ficou hospedado, primeiro em casa de um clérigo amigo seu; depois, nos aposentos do próprio oficial do Tribunal! b) é preciso ater-se, numa correta perspectiva histórica, que todo o processo inquisitorial do cientista desenrolou-se na observância de que ele já estava bastante desgastado pela velhice e, ainda, pelo avanço da cegueira; c) dito isto, é questionável afirmar que o resultado do julgamento representou uma perda significativa de produção científica de Galileu, que, aliás, em sua vila, cego e cheio dos dias, ditou uma última obra (Discussão sobre Duas Novas Ciências); d) a propósito desta, quer a "inteligentsia" anticatólica que esse trabalho foi feito às escondidas. É estranho, para dizer o mínimo, que um senhor de idade consiga ditar (não foi uma coisa breve) todo um livro, supostamente driblando uma também suposta fiscalização obstinada da Inquisição. Livro este que saiu de sua residência e teve cópias distribuídas Europa afora (e o Santo Ofício não soube!?!?); e) é preciso esclarecer que a condenação de Galileu não teve, exatamente, motivação política e - NEM DE LONGE - científica. O problema não era a ciência, mas, sim, a reinterpretação das Escrituras, sugerida pelo próprio cientista, mais de uma vez e publicamente. Ora, vivam-se tempos de contra-reforma e não se pode alegar que o cientista não fora alertado sobre isso. Sobre o assunto, recomendo vivamente o livro de Pietro Redondi: "Galileu Herético" (hoje só disponível em sebos). Só para concluir: os iluministas forjaram a figura do "mártir da ciência". Para tanto, era indispensável fazer algo que eles faziam muito bem: MENTIR! Foi da lavra dessa turminha a estória absurda do "Eppur si muove" (Mas ela se move), que teria dito o cientista, ANTE os juízes do Santo Ofício!! Afora a ausência de fontes históricas desse absurdo, a completa falta de plausibilidade (Galileu estava velhinho, quase cego, mas não tava doido não). A questão é que sempre incomodou aos arautos berrantes da "Igreja malvada contra a ciência" o fato puro e simples que o cientista renegou o que tinha dito e escrito a favor do heliocentrismo. Convenhamos: grande pesquisador da natureza que era, algo me diz que no fundo Galileu tinha consciência da fragilidade de suas convicções (ele, um notável experimentador e observador, de nada serviram essas qualidades na defesa do seu modelo heliocêntrico).
Responder | Responder com citação | Citar
0 # João Victor Pildervasser 21-07-2014 17:19
Caros Viviane e Eduardo, Muito obrigado pela resposta de vocês aos meus questionamentos. Primeiramente gostaria de falar que quanto ao caso de Galileu não tenho argumentos que se oponham aos seus. Meu conhecimento do assunto foi, até o presente momento, enviesado e, portanto cometi alguns erros ao defender Galileu como vítima da Igreja. Acho que um ponto crítico dessa questão é a avaliação do contexto social na época deste conflito, que vale para uma reflexão. Apesar da arrogância de Galileu ser um ponto bem criticado, acredito que seu maior equívoco, como um cientista, foi defender uma teoria com um fervor que suas evidências não permitiam. Algo errado, porém nada incomum, inclusive até hoje. Pelo outro lado, no contexto histórico, dado o poder detido pela Igreja Católica, ela tinha o direito de dizer o que era certo e errado, e condenar aqueles que de alguma maneira iam contra sua ideologia. Por conta deste poder, a Igreja interferiu na ciência ao ponto de privar Galileu de dar continuidade aos seus experimentos e escritos, além de encarcera-lo pela Inquisição. Isso não acontece mais, pois a Igreja não detém mais esse poder político. Viviane, discordo de você em relação as sua suposição de que os membros da Igreja tiveram alguma influência na captação de recursos para a pesquisa (fora o que foi providenciado pelo Bambino Gesú). Na comunidade científica, para você obter o recurso financeiro das instituições de fomento, deve-se submeter o chamado projeto de pesquisa. Este projeto pode ser desde um simples projeto de iniciação científica (desenvolvido por um aluno de graduação em um laboratório) ou um projeto temático (projetos colaborativos de grupos de pesquisa nacionais e internacionais). Independente de qual seja, em cada instituição de fomento, existem comissões internas e externas de julgamento da qualidade do projeto, e posterior decisão de financiá-lo ou não. Sendo assim, o fato do projeto ser desenvolvido numa instituição religiosa ou ter apoio religioso não interfere no seu aceite. O projeto é julgado pela sua qualidade. Sendo assim, continuo com minha posição de que apenas 1/5 das instituições de apoio da pesquisa é religiosa e que este achado não é graças à Igreja Católica. Concordo em parte com o que você diz da grandeza deste estudo com células-tronco adultas em comparação aos que usei para exemplificar o uso das células embrionárias. De fato, a aplicabilidade clínica é um aspecto importante para parte da pesquisa que é desenvolvida em laboratórios, mas não é só o que há. Grande parte do furor causado pela descoberta e liberação para pesquisa das células-tronco, embrionárias e adultas, foi alimentado pela mídia, que muitas vezes não detém o conhecimento científico necessário para avaliar criticamente este evento. Dessa maneira, informações equivocadas ou confusas foram passadas para a comunidade leiga que enxergou nas células-tronco a solução para vários problemas. O que aconteceu foi bem diferente, e as pessoas se decepcionaram. Mas os resultados negativos ou às vezes inconclusivos das pesquisas não são culpa das células-tronco, e nem culpa dos cientistas. No entanto, a população por ter depositado suas esperanças em uma mídia desinformada, culpa os pesquisadores e critica a metodologia aplicada. Porém, é esquecido que juntamente com os achados que deixam o mundo de boca aberta, resultados negativos também pavimentam a descoberta científica. Execrá-los e condená-los sempre foi a prática adotada ao longo do tempo, porém muito do que temos hoje foi obtido graças a eles. Viviane, nós dois deixamos passar uma coisa muito interessante sobre esta pesquisa e que vale muito atenção. Recentemente descobri que um dos pesquisadores principais dessa pesquisa é brasileiro. O Dr. Vanderson Rocha, que trabalha no hospital Sírio-Libanês, foi um dos pesquisadores-senior deste trabalho e que contribuiu para sua execução e publicação. Ponto para o Brasil! Um abraço
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 08-07-2014 09:09
Eduardo, se não me engano parece que Kepler era protestante da Igreja Luterana, se alguém puder confirmar isto, agradeço. Talvez o Paulo Ricardo poderá nos dizer se Kepler era ou não luterano.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Eduardo Araújo 10-07-2014 16:10
Era, sim, Sidnei.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Roberto Gustmann Gomes 01-07-2014 23:26
Prezados, Deixo meu agradecimento pela iniciativa em ajudar a esclarecer a falsa contradição entre fé e ciência. Tenho uma filha de 14 anos e procuro ficar atento para que nesta fase importante do seu desenvolvimento intelectual e de sua personalidade, idéias falsas que eventualmente são semeadas por professores mal preparados ou preconceituosos não ganhem espaço para enraizar na intimidade e atividade intelectual dos nossos filhos. Procuro deixar-lhe claro que esse tipo de conflito é invenção do próprio homem, já que a fé apenas transcende os conhecimentos estritamente científicos. Digo-lhe que não dê créditos ou desconfie de argumentos que promovam este falso conflito, independente de onde se originam, seja para "defender" a ciência ou para "defender" a fé. Achei o site por que buscava (pesquisava) para recordar o nome do Pe.Lemaître, que teve papel crucial para que, em encontro pessoal com Einstein, este pudesse reconhecer o que então tentava corrigir em sua teoria ou modelo, acerca do "inconveniente" do Universo poder expandir-se ou contair-se, não sendo estático. Apenas a título de sugestão, acredito que haveria espaço para um tópico com nomes importantes para a Ciência, não sendo padres ou monges, tinham fé, como Pascal, Pasteur, dentre tantos. Abraços!
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Marcio Monteiro 01-07-2014 15:52
E só para não me alongar, pois a Igreja que Cristo fundou é a Igreja das luzes e não das trevas, ao contrário do que dizem os "rubinhos" da vida, ainda temos o famoso jesuíta Pe. Mateo Ricci, o único ocidental a receber o título de Mandarim na China Imperial! Padre missionário na China, um homem extraordinário, astrônomo, matemática e o introdutor da memória menemônica na China. Tá bom, ou querem mais???
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 30-06-2014 21:41
Além da cerveja, que não foi inventada mas foi muito melhorada, aliás, nossos monges trapistas são os melhores, e tem gente que fica fula porque eles não estão nem aí pra história de produzir em escala industrial ("nego bom não se mistura, meu direito eu solicito prefiro ficar solito, nego bom não se mistura", só pra constar, eles não estão nem aí para a galera que quer uma ambev no monsteiro), os primeiros melhoramentos genéticos do gado, cruzando os melhores animais para o leite e carne, além do auxílio a marinheiros colocando faróis onde nenhum machão arriscava a cútis(hehehe), padre Bartolomeu de Gusmão, Pai da Navegação Aérea. Este padre nascido na cidade de Santos, São Paulo, surpreendeu Mundo, no princípio do século XVIII, com uma concepção de navegação aérea tão precisa que jamais fora modificada em sua essência, Padre brasileiro, gaúcho, cientista Roberto Landell de Moura que é considerado o pioneiro das telecomunicações, é tem Padre brasileiro na lista. O Jornal do Commércio do Rio de Janeiro, no dia 10 de junho, na página 2, noticiou:“No domingo próximo passado, no Alto de Sant´Ana, cidade de São Paulo, o padre Roberto Landell fez uma experiência particular com vários aparelhos de sua invenção, no intuito de demonstrar algumas leis por ele descobertas no estudo da propagação do som, da luz e da eletricidade, através do espaço, da terra e do elemento aquoso, as quais foram coroadas de brilhante êxito. E como diz o menininho num vídeo que saiu no iutchubs, que mora aqui na minha região: "da-lhe pau Marco véio".
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 30-06-2014 22:56
Ales, uma pergunta pessoal você é de SC?, pois aqui na minha cidade, Brusque, há vários Hoffmanns , mas a maioria luteranos, e você é da onde?, e parece que você é católico, o que eu ajo estranho, pelo motivo exposto acima, de que aqui na minha cidade e região os Hoffmanns são na sua maioria Luteranos e não católicos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 01-07-2014 21:48
Só pra terminar, veio um navio com um carregamento de Hoffmanns da Alemanha e espalhou alguns pelo Rio de Janeiro, outros em Santos, outros em Paranaguá, mais alguns em São Francisco e ainda sobrou pra despachar no Rio Grande do Sul, vê se pode isso. Tá certo que teve um tempo que os alemães aqui no Brasil tiveram que tomar uns goles de óleo. Talvez por isto que eu gosto muito do cheirinho de um cano de descarga de caminhão, pra mim é perfume kkk, ficou no dna, sujeito movido a diesel. Contudo o que falastes sobre o Padre Roberto, já não sabia não, mas provavelmente quantos outros padres inventores existiram, e ninguém sabe. E depois vem um bando de ateuzinho chulé achando serem os inventores da roda, mas estes nem são os piores. Católico metido a teólogo da libertação, ou aspirante a isto, são piores, como diz um pessoal aqui, na catequese, fé se aprende com o coração...como eu sou novato, este ano é que decidi-me por ser catequista, ainda fico quieto, mas chega a soar ingenuidade, pois os cabra durante a Missa, no momento que o padre vai ler o Evangelho, faz três sinais da Cruz, um na testa pra ver se entende, neste o padre deveria ter um porretinho, tem alguns que precisam levar umas na idéia (só pela razão, não tem nada de coração ali), outro na boca pra proclamar, outro no coração, pra guardar e fazer crescer por causa da razão.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 01-07-2014 21:24
Caro Sidnei, sim, sou de SC, cidade de Taió, alto vale do Itajaí, aliás, altblublubluo valblublue do Iblutablujablui, pelo menos não sentirei sede por uns 10 anos kkk. Sidnei, minha mãe andou fazendo umas pesquisas para saber mais sobre a história da família Hoffmann, ela descobriu que Hoffmann e rato se assemelham em muito, procria pra cacete, e não tem o lugar que esta desgraça não infesta aqui no Brasil, tem até no Paraguay essa racinha, uma irmã de meu pai mora lá, kkkk. Quanto a estes aí de Brusque, fazer o que, nem todos são perfeitos, kkk. Agora não me pergunte quando é que a família converteu-se, se desde a Alemanha, ou aqui no Brasil, ou se foram estes aí os cospe prato, pois este sobrenome já é encontrado por aqui desde o ano de 1860, mas os tios de meu pai são todos católicos. Abraço, e que Deus lhe abençoe.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 02-07-2014 00:25
Legal Alex, você é de Taio, tenho alguns parentes, na verdade, parentes de minha mãe, primos dela, que moram em Taio, são da família Tamanini, e um primo meu que mora na cidade vizinha Pouso Redondo, se algum dia vier a visitar Pouso Redondo e der uma esticada até Taio, talvez se esbarramos por aí.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 30-06-2014 22:53
Alex, estive vendo a algum tempo atrás um documentário sobre o Pe. Roberto Landel de Moura, e sua ajuda a invenção do rádio, um pouco antes de Marconi, porém, ao contrário de Marconi, o Pe. Roberto Landel de Moura não teve ajuda alguma para que seu invento fosse divulgado e recebesse mais auxilio ainda para que fosse levando ao conhecimento de todo o mundo. Ninguém, mas ninguém mesmo auxilio neste quesito, até o bispo dele parece que o colocou para o escanteio, e o povo ignorante na época, acreditava que ele falava com espíritos e o taxaram de bruxo e que invocava o diabo. E como não poderia deixar de ser, neste país aonde nunca os inventores e cientistas foram levados a sério pelo governo, haja vista que alguém que joga uma bola é mais famosos e tem mais peso para o povo e o governo do que um cientista que com seus estudos pode descobrir a cura para doenças que hoje são incuráveis, naquela época era pior ainda, nem o governo se interessou pelos estudos e invenção do Pe. Roberto Leone de Moura, e os representantes da Igreja aqui no Brasil, ao contrário dos representantes da Igreja na Europa que incentivavam os padres e outros membros do clero e do laicato aos estudos da ciência, por aqui eles desencorajava e foi isto que aconteceu com o Pe. Roberto Leonel de Moura que não recebeu apoio nem de seu Bispo. Foi um pecado dos superiores do Pe. Roberto Leonel de Moura, foi um pecado do governo da época, foi um pecado do povo (se bem que nisto o povo pecou mais por ignorância) não ter auxiliado o Pe. Roberto Leonel de Moura em divulgar e apoiar os seus estudos e trabalhos científicos que culminaram na invenção do rádio, se Padre Roberto Leonel de Moura tivesse recebido auxilio de todos, desde seu bispo até do governo, garanto que quem seria lembrado de quem inventou o rádio não teria sido Marconi, mas um brasileiro, um padre da Santa Igreja Católica, Apostólica, Romana, mas como não foi reconhecido por isto, nós povo católico e o governo brasileiro temos que nos penitenciar até hoje pelos nossos antepassados não ter dado crédito a este grande homem, inventor e sobre tudo Padre, Roberto Leonel de Moura.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Vinícius 30-06-2014 20:48
Volto a citar neste blog a velha frase proferida por Roger Bacon, onde ele alerta o mau uso do conhecimento contra a Igreja e o próprio Cristo: “Não escrevo essas coisas somente por consideração científica, mas por causa dos perigos que ameaçam e ameaçarão os cristãos e a Igreja de Deus por parte dos infiéis e mais que tudo por obra do Anticristo, já que ele fará uso do poder do conhecimento e transformará todas as em coisas em coisas más. Com palavras desta espécie e atos deste tipo, induzidos pelas estrelas, compostas pelo desejo de causar prejuízo e com um bem definido objetivo e forte confiança, atrairá o infortúnio e seduzirá não só indivíduos mas cidades e regiões inteiras. Desta forma admirável fará aquilo que quiser sem recorrer á guerra, e os homens lhe obedecerão como se fossem animais; ele fará reinos e estados guerrear uns contra os outros pra o seu proveito, de forma que amigos destroem os seus amigos, e desta forma atingirá os seus desejos a respeito do mundo.” (Roger Bacon, “Opus Maius”, p.415)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Diego Gonzalez 30-06-2014 19:12
Excelente o texto! É impressionante como tem gente que hoje em dia ainda acredita nessa besteira de que a Igreja atrapalha a ciência. Um ponto que vale a pena ressaltar é que profissionais sérios (e por isso menos influenciáveis) costumam ser mais justos. Há alguns anos fiz um curso a distância pelo Observatório Nacional sobre Cosmologia. Foi lá que conheci o trabalho de George Lemaître, que não só recebeu os devidos créditos como teve seu trabalho bem elogiado. Um fato interessante é que na época Lemaître chegou a ser acusado de "forçar a barra" para suas ideias não serem contraditórias aos princípios cristãos. Na época havia a teoria do "universo estacionário", defendendo que o universo sempre havia existido, enquanto o Big Bang apresentava a necessidade de um momento inicial. Outra coisa que vale a pena mencionar é a Academia Pontifícia das Ciências. Apoiada pela Santa Sé, é a associação científica que possui mais membros com premio Nobel. Incentiva varias linhas de pesquisa científica e seus membros são escolhidos independente da religião (Stephen Hawking, por exemplo, é membro da Academia).
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Lucas Lourenço 29-09-2014 05:23
Um professor meu do seminário (eu sou seminarista na Bélgica) é um dos maiores defensores de Monsenhor Georges Lemaître do mundo, e um terço do nosso curso de filosofia da natureza foi sobre a cosmologia de Georges Lemaître. Seus trabalhos revolucionaram a cosmologia, ele ousou bater de frente com Einstein, cuja teoria apontava para o universo estacionário (conforme a sua filosofia Spinozista, onde Deus e o cosmos se confundem), e por quem teria sido insultado ("Seu cálculo é correto, mas sua física é um abominável"). Vivia de batina (exceto na Inglaterra, mas enfim...), celebrava a santa Missa todos os dias com muita piedade e permanecia pelo menos uma hora em ação de graças depois desta. Agora forçar a barra para seus princípios não contradizerem os cristãos, isso é novidade. Pelo contrário, eu soube que ele se esforçou para provar que sua teoria não era um fruto da sua fé católica - porque na época, dizer que o universo teve um princípio era equivalente a ser criacionista. Ou seja, por defender o Big Bang, ele foi duramente acusado de criacionismo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Junior 30-06-2014 19:00
Paulo Ricardo, aproveitando que citaram João Calvino, seria interessante sugerir alguns livros que falem da Reforma como ela realmente foi. No 1º ano do Ensino Médio, nos ensinaram que a "tchurma" da Reforma era formada por homens íntegros, que estavam cansados da "opressão romana" e, claro, queriam que a "briba" estivesse ao alcance de todos. E aí veio todo aquele discurso manjado do "clero ostentação" e da feira de indulgências. Chego a acreditar que o filme "Luther" foi a fonte utilizada pelos historiadores que elaboraram o conteúdo do livro: bastou comparar o Lutero histórico com a versão mitológica romantizada do filme, exaustivamente exibido nas salas de vídeo. Pergunto porque nunca encontrei nenhuma fonte segura e imparcial em língua portuguesa. Enfim, se puder dar algumas dicas... E parabéns à equipe pelo post.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # jaspion 30-06-2014 16:00
Dessa vez o blog catequista humilhou. Mas cá entre nós, o Barrichello era razoável, a Ferrari foi que favoreceu mais o Schumacher do que a ele. Pra mim, o Rubinho é muito bom e merece mais o nosso respeito. Mas voltando ao assunto sobre ciência, mande o "rubinho leitor" ler alguns livros para poder descobrir a verdade sobre a Igreja no que tange à ciência: http://biblioteca-reacionaria.blogspot.com.br/2014/05/ciencia-e-religiao.html http://biblioteca-reacionaria.blogspot.com.br/2014/04/progresso-e-religiao.html http://biblioteca-reacionaria.blogspot.com.br/2014/05/como-igreja-catolica-construiu.html http://biblioteca-reacionaria.blogspot.com.br/2014/02/livros-sobre-idade-media.html Eu adoro debater com os ateístas, pois nesses grupos de debates, eles sempre passam vergonha diante dos nossos argumentos. Os ateus sempre perdem os debates quando encontram um cristão bem informado.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Fabão 01-07-2014 16:46
Acho que Rubinho era melhor que o Massa é hoje. O problema é que o Rubinho foi o primeiro brasileiro de mais expressão na F1 depois do Sena, aí o povo queria um Sena e não teve. Isso vale para os outros países também. Grandes pilotos (como Sena, Piquet, Prost, Mansell, Emerson Fittipaldi, Mario e Michael Andretti...) não surgem facilmente se o campeonato é decidido mais na montagem do carro do que na habilidade do piloto...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Bruno Cruz 30-06-2014 15:52
"não vamos esquecer que a Igreja matou milhares de cientistas na Idade Média" Devo admitir que... não consegui segurar uma gargalhada quando li isto xD
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Higor Robetti 30-06-2014 15:40
Fugindo um pouco do assunto, vi a imagem e outras citações em posts relacionados ao "Game of Thrones" então vou aproveitar a brecha. Comecei a ver essa série depois de ler sobre ela e ter despertado o interesse, vi os três primeiros episódios e confesso que já estou viciado, gosto de histórias deste tipo. Porém há um excesso de cenas digo "impróprias", de conteúdo sexual, erótico e etc. Fiquei com uma pulga atrás da orelha: É lícito um católico ver esta série devido a este tipo de conteúdo? Desde já agradeço a resposta e mais uma vez, parabéns pelo site, todos os dias entro para ver se tem alguma postagem nova. Deus nos abençoe!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 30-06-2014 15:48
Oi, Higor! Realmente, na série de TV há um excesso de cenas impróprias de conteúdo sexual. O livro contém algumas descrições eróticas, mas nada que justifique esse mau gosto da HBO. Sobre a licitude de assistir à série, eu creio que é uma questão muito pessoal. Esse tipo de cenas pode levar alguns a pecar, e para outros pode não fazer a menor diferença, sendo cenas simplesmente incômodas, mas não fonte de motivação para qualquer pecado. Então, o correto é que cada um examine a si mesmo com sinceridade e busque a ajuda de um bom diretor espiritual para decidir se deve ou não ver a série. Deus te abençoe tb!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Higor Robetti 30-06-2014 17:00
Muito obrigado pela resposta! :D
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Augusto 01-07-2014 04:29
faz que nem eu: hora vc avança as cenas, hora vc olha para o canto da tela, etc.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 30-06-2014 14:05
Muitas vezes em programas sobre ciências, como aqueles de Carl Sagan, que adorava assistir quando eu era criança, embora nem soubesse que o dito cujo era ateu, mas, revendo nos dias de hoje, não só dele, como os similares, todas as vezes que se toca em assuntos como a teoria do Big Bang e de genética, são sempre omitidos os responsáveis destas descobertas como no caso do Padre Lemaître sobre a teoria do Big Bang, e de Gregor Mendel pai da genética moderna. Ou seja, eles colocam para de baixo dos tapetes os nomes deles apenas por puro preconceito, para não legitimar que a Igreja jamais foi contra a ciência, muito pelo contrário, estão aí o nome de dois religiosos, estudiosos que descobriram ou desenvolveram grandes fatos científicos que muito ajudaram no desenvolvimento na ciência nos dias de hoje. Mas dizer, não somente eles, mas outras descobertas cientificas fora realizados por pessoas ligadas a Igreja, não somente religiosos, mas leigos também, muitos religiosos, seria um tiro no pé para esta cambada, por isto eles nunca citam o nome deles nas matérias apresentadas e quando citam, nunc dizem que foram pessoas religiosas, ligadas ou não ao clero, tudo para esconder o fato que a Igreja jamais fora contra a ciência e desdizer as mentiras que eles mesmos contam. Outro fato que me deixa puto da vida é quando vem um dito cujo dizer que a Igreja atrasou em vários anos o desenvolvimento cientifico, as vezes gostaria de pegar pelos colarinhos destes ditos cujos que falam estas m… e perguntar o porque então aonde a Igreja nunca exerceu sua influência a ciência não esta anos luz de nós, como por exemplo, porque na India aonde quem manda lá é a religião hindu e não a Igreja católica eles ainda não descobriram a cura do câncer?, ou na China que quem mandava lá era a religião budista e hoje quem impera é o comunismos eles ainda não descobriram a cura para o mau de Alzaimer?, porque os árabes muçulmanos que no passado foram pródigos na matemática, mas hoje só pensam em dominar o mundo para glória de Alá e de Maomé o seu profeta, porque eles ainda não descobriram a cura para o mau de Parkinson?. Enfim, chega-se a conclusão que pessoas que dizem que a Igreja atrasou a ciência em anos são ou pessoas muito burras ou mau intencionadas mesmo. Se são burras, permanecerão burras porque querem mesmo, porque informação existem aos montes que desmente esta quartelada toda, se são mau intencionadas, (o que acredito que seja o caso da maioria que falam estas m…), aí só o desprezo e a indiferença para estas pessoas, ou, muita oração para que DEUS vença o preconceito delas e abram os olhos para que vejam o que elas dizem só parte da ignorância e ruindade existentes dentro delas mesmo, ou seja, elas são pessoas ruins porque optaram para isto, e somente DEUS para fazer elas saírem deste buraco em que se encontram.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Marcelo Lopes 30-06-2014 13:23
Antecipando-me ao Paulo, O mais famoso personagem da ciência que Calvino mandou pra vala, ou melhor, pra fogueira foi o descobridor da circulação sanguínea Miguel Servet em 1553. Os motivos que algumas fontes citam teriam sido a negação que Servet fazia da Santíssima Trindade, a simpatia pelos Anabatistas e a própria descoberta da circulação sanguínea.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo Costa 30-06-2014 13:52
Grato Marcelo, não tinha visto seu post e respondi algo similar acima. Mas a principal divergência de Calvino com Servet foi mesmo mexer com a menina dos olhos do maluco de barba fina: a doutrina de pré-destinação. Já imaginou, sem ela os Bispos e bispas e os quatro milhões de igrejolas que pululam só no bananistão não poderiam arrancar dinheiro dos trouxas.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Janes 30-06-2014 12:49
Muita gente confunde a oposição da igreja a certas ideologias pseudocientíficas (Darwinismo, por ex.) ou a certas posturas (bebê de proveta, abortismo, células embrionárias, libertinagem sexual etc) anti-humanistas supostamente amparadas em ciência, chamando isso de postura anticientífica da igreja. Ou ainda confunde o conflito da igreja com certas escolhas éticas de parte dos cientistas com oposição à ciência em si, como se a comunidade cientifica fosse um todo monolítico, ou uma entidade supra ideológica e neutra. A ciência é como qualquer criação humana, passível de manipulação e uso para objetivos diversos. Quantos crimes cometidos em nome da ciência, na Alemanha Nazista e na Rússia Comunista? Quem opõe igreja e ciência (ou fé e razão) sequer sabe o significado de ambos os termos e por isso não tem a mínima condição de estabelecer relações entre palavras cujo significado desconhece, como aliás já alertava o grande Luigi Giussani.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Lucas Casagrande 30-06-2014 12:41
Pouca ciência afasta de Deus Muita ciência aproxima de Deus A ciência enquanto método é limitada em escopo (obviamente fenômenos sobrenaturais estão foram desse escopo) e encontra-se subordinada a lógica e a dois axiomas, o de que existem leis que regem os fenômenos naturais e o de que estas leis são constantes no espaço e no tempo. Esses axiomas são coerentes com a cosmovisão cristã de universo. O mesmo não pode ser dito em relação a uma cosmovisão ateísta e materialista onde tudo é fruto do acaso.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo Costa 30-06-2014 13:49
Concordo Lucas, O problema não é a ciência, que é inócua em si. O problema é essa cambada de moleques desocupados, de imbecis ateus e comunistas, que leram uma orelha de livro de Richard Dawkins e saem por aí dizendo que Deus é uma ilusão. Ilusão, de fato, é a inteligência que eles acham que tem.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Gabriel Cruz 30-06-2014 12:09
o Padre Athanasius Kircher também é inventor da Lanterna Mágica. Dispositivo criado para projetar imagens na parede através de um sistema de lentes e luz, considerada a invenção que inspirou o Cinema e a Animação :D
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 30-06-2014 12:26
Boa lembrança, Gabriel! Vou inserir no post, assim como as sugestões do Thiago.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Gabriel Cruz 30-06-2014 13:14
Precisando tamos aí :D
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Miguel 30-06-2014 12:03
Se for analisar em profundidade, a Teoria da Relatividade de Einstein só funciona plenamente apoiada na Teoria do Big Bang, do padre Lemaitre, no que concerne à gravitação dos astros. Li num dos livros de Steffen Hawkins – O Universo numa Casca de Noz – que Einstein tinha dificuldade em explicar as órbitas do planetas, uma vez que a a matéria atrai a matéria e a atração gravitacional faria, por exemplo, com que a Lua caísse sobre a Terra e esta sobre o Sol. Para contornar o problema, o físico criou a Constante Cosmológica, um artifício teórico para explicar porque as quedas não ocorriam e os sistemas solares possuíam órbitas estáveis. Trataria-se de uma propriedade repulsiva que afastava os astros em contraposição à gravidade que os atraía, criando um equilíbrio entre as forças. A Constante Cosmológica estava errada e o próprio Einstein admitiu-o. A explicação para a energia que mantém os planetas em suas trajetórias veio do "Átomo Primordial", o nome original dado pelo Padre Lemaitre à proposta que depois ficou conhecida como BigBang. Nós vivemos ainda hoje o impulso original da expansão do BigBang. A energia lá do início, que "empurra" os corpos celestes e o Universo em expansão, é que mantém as órbitas, como as pedaladas mantém a bicicleta em equilíbrio dinâmico. Einstein e Lemaitre foram contemporâneos. Há fotos de ambos juntos. É preciso acabar com este mito de que a Igreja é contra a ciência. E, pensando bem, vocês deveriam fazer um post sobre o "Ônus da Prova". Os néo-ateus sempre surgem com o argumento de que a ciência explicará tudo, que não há prova empírica da existência de Deus e que, portanto, à Igreja cabe o ônus da prova. Ora, a ciência é algo de origem profundamente religiosa e desde o início investiga a explicação natural dos fenômenos sem descartar seu componente sobrenatural. A idéia, ou a hipótese, como quiserem os céticos, de Deus, jamais impediu o progresso científico, ao contrário, o promoveu. Foi o neo-ateísmo que surgiu anteontem com a afirmação – sem comprovação empírica – de que Deus não existe. Considerando os oito séculos desde Roger Bacon, que sempre contemplou e contempla a exigência do Ser Supremo na origem de tudo, como pode demandar provas o neo-ateísmo presunçoso com suas parcas décadas? Abraço
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Victor 08-01-2015 14:36
Vale lembrar também que muitos cientistas e matemáticos renomados eram cristãos: - Max Plank, fundador da física quântica, Prêmio Nobel 1918: "Nada nos impede disso, e o impulso do nosso conhecimento o exige... relacionar mutuamente a ordem do universo e o Deus da religião. Deus está para o crente no início dos seus discursos; para o físico, no término deles." "Ambas, a religião e a ciência da natureza, envolvem, em seu exercício a afirmação de Deus" - Charles Townes, físico, Prêmio Nobel de física 1964 por descobrir os princípios do laser: "Como religioso, sinto a presença e intervenção de um ser Criador que vai além de mim mesmo, mas que está sempre perto. A inteligência teve algo a ver com a criação das leis do universo." Aqui está um video dele falando sobre religião https://www.youtube.com/watch?v=wddTIwAc3f0 - Newton, fundador da física teórica clássica: “O que sabemos é uma gota, o que ignoramos é um vasto oceano. O arranjo maravilhoso e a harmonia do universo não poderiam senão sair de um ser onisciente e onipotente.” - Alessandro Volta, descobriu as noções básicas da eletricidade: “Eu confesso a minha fé santa, católica, apostólica,romana. Agradeço a Deus que me deu esta fé e tenho toda a intenção de viver e morrer nela.” - Ampere, descobriu a lei fundamental da corrente elétrica: “Quão grande é Deus,e quão pequena é a nossa ciência que parece uma nano-pequenez!” - Cauchy, insigne matemático: “Eu sou cristão, ou seja, acredito na divindade de Cristo, como todos os grandes astrônomos e todos os grandes matemáticos do passado.” - Gauss, um dos maiores matemáticos e cientistas alemães: “Finalmente, quando chegar a nossa última hora, será grande e inefável a nossa alegria ao vermos que em todo o nosso trabalho,apenas vislumbramos a infinitude do Criador.” - Liebig, célebre químico: “A grandeza e sabedoria infinita do Criador só se irão realmente revelar a quem fizer esforços para tirar as suas ideias do grande livro da natureza.” - Darwin, Teoria da evolução: “Eu nunca neguei a existência de Deus. Acho que a teoria da evolução é perfeitamente compatível com a crença em Deus. O argumento máximo da existência de Deus parece-me que é a impossibilidade de demonstrar e compreender a imensidão do universo, sublime em todas as medidas, e que os homens tenham sido fruto do acaso.”
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Victor 08-01-2015 14:39
Existe muitos outros exemplos que eu poderia citar como Marconi, Michael Millikan, Eddingtong (que dizia algo muito interessante: "Nenhum dos inventores do ateísmo foi naturalista. Todos eles foram filósofos muito medíocres") só que ai vou prolongar demais
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo Costa 30-06-2014 11:46
Só para constar: o recorde absoluto de mortes por heresia/bruxaria é de Benedict Carpzov - que apesar do nome russo era alemão - um famoso luterano, considerado um dos país do direito moderno. Esse aí mandou 20.000 (isso mesmo, vinte mil) pra vala. Combinação perniciosa essa "protesta" e "adevogado" ao mesmo tempo. Salve-se quem puder.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 30-06-2014 11:52
Paulo, uma vez você me contou que o Calvino mandou matar uns cientistas, foi isso mesmo? Não lembro bem a história.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo Costa 30-06-2014 13:45
Sim, ele odiava cientistas. O caso mais conhecido é o de Miguel Servet, um brilhante cientista que descreveu o processo de circulação pulmonar. E ainda por cima, um aderente à Reforma calvinista! Adivinha o crime dele? Discordou de Calvino. Servet negou a doutrina de pré-destinação calvinista o que seria o equivalente hoje a mandar aqueles bispos eletrônicos a receber num lugar que não serve para receber. Calvino era intransigente, intolerante, montou uma milícia de párias defensores da fé que são o exemplo e o orgulho da milícia de brucutus truculentos de Fidel Castro.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 30-06-2014 13:52
Paulo, me tire uma dúvida, sempre que ouvi falar da condenação a morte de Miguel Cervent por Calvino sempre foi o fato de Miguel negar o dogma da SANTISSIMA TRINDADE, e agora você diz que foi por ele negar a doutrina da predestinação. Então o fato é que ele foi condenado por negar a doutrina da predestinação?, ou por negar o dogma da SANTÍSSIMA TRINDADE?.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo Costa 30-06-2014 15:55
Na verdade, as duas coisas.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Juliano A.R.P 30-06-2014 10:11
Vale lembrar ainda que o Observatório do Vaticano coordenado por padres Jesuítas é o mais respeitado do mundo, inclusive por astrônomos ateus. Além dos "Zé Barrichelos" da vida, vale lembrar daqueles que gostam de gritar aos quatros cantos que a Igreja está usando o dízimo dos fiéis para manter "pompas" e vida "boa" ao clero (João Boffes e afins), mas quando escutam uma notícia destas, ficam sem argumento restando apenas acusar a Igreja com falsos fundamentos (Inquisição, Cruzadas, perseguições e etc).
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Thiago 30-06-2014 08:16
OUTROS: Abade Nicolau Copérnico, astrônomo e matemático; Padre Bartolomeu de Gusmão, uma das maiores figuras da história da aeronáutica mundial; Papa Gregório XIII, nos deu o Calendário Gregoriano; Monge Luca Bartolomeo de Pacioli, pai da contabilidade moderna Padre Francisco de Vitória, pai do Direito Internacional; Padre Landell, inventor pioneiro do rádio, do telefone sem fio, do telégrafo sem fio, da televisão e do teletipo usado pela imprensa.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Thiago 30-06-2014 08:11
Erro de concordância, podem corrigir? "foram criadas pelo Padre Lemaître;"
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 30-06-2014 11:24
Obrigada, corrigi!
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade