Publicidade
Quinta, 04 Julho 2013 02:09

Estudos de Anatomia na Idade Média: chega de caô!

Postado por

Não basta inventar que foram queimadas milhões de “bruxas” na Inquisição; não é suficiente dizer que os medievais acreditavam que a Terra era plana. Não... Os sabichões também gostam de espalhar por aí que a Igreja atrasou em séculos o desenvolvimento da medicina, proibindo a dissecação de cadáveres durante a Idade Média.

Em primeiro lugar, a restrição à dissecação de cadáveres humanos nasceu em entre os pagãos, não entre os cristãos. E o maior difusor dessa restrição foi o romano Galeno de Pérgamo, o mais célebre médico da Antiguidade, ao lado de Hipócrates. Viveu no século II e produziu mais de 200 obras dedicadas à Medicina.

Galeno era um grande cientista e fez importantes descobertas, mas cometeu alguns erros teóricos, justamente porque não fazia autópsia em corpos humanos, mas somente em animais (em especial, em macacos e porcos). Isso era motivado por sua crença religiosa pagã. Galeno influenciou fortemente as práticas médicas dos séculos seguintes, e seus conceitos foram bem absorvidos pela civilização cristã. Por isso, de fato, as autópsias em cadáveres humanos foram deixadas de lado por muito tempo.

Entretanto, com o passar dos anos, os médicos passaram a questionar as restrições de Galeno, e assim a prática da dissecação de corpos humanos foi retornando progressivamente.

Nos artigos e livros que citam o tema do desenvolvimento da Medicina, quase sempre o professor Mondino de Luzzi, da Universidade de Bolonha (uma instituição católica) é citado como aquele que reiniciou as dissecações em cadáveres humanos, após séculos de proibições. Isso teria ocorrido em 1315. Entretanto, essa informação contraria alguns dados históricos e arqueológicos, que apresentamos a seguir.

Há poucos meses, arqueólogos descobriram o mais antigo corpo humano dissecado, e este data de 1200, ou seja, mais de 100 anos antes dos estudos de Mondino. Segundo os cientistas, quem dissecou o cadáver era bem experiente, o que revela indícios de um projeto de educação médica contínua, e não de um fato pontual.

clara_montefalco

O historiador James Hannam diz que a Igreja medieval não só não proibia autópsias, como até mesmo as ORDENAVA. Isso ocorria eventualmente, com a finalidade de procurar sinais de santidade no corpo de uma pessoa. Em 1308, por exemplo, foi dissecado o corpo da abadessa Clara de Montefalco, que seria canonizada em 1881.

Outro dado: em 1286 um médico italiano realizou autópsias a fim de identificar a origem de uma epidemia, o que sugere que não havia proibição. Quem afirma isso é Philippe Charlier, médico e cientista forense do Hospital Universitário R. Poincaré, na França. Assim, é provável que Mondino, tenha feito a primeira dissecação pública de um cadáver humano, em 1315; porém, as dissecações sistemáticas para fins educacionais já aconteciam em Bolonha muito tempo antes.

Ok... E qual a origem, então, desse papo de que a Igreja vetava as autópsias? Segundo Hannam, isso é fruto da propaganda anticatólica iluminista. E aí virou modinha dizer que tudo de bom – ciência, artes, medicina – floresceu somente após o fim da “tenebrosa” Idade Média, dominada pela Igreja opressora.

Hannam afirma que a partir deste sentimento anticatólico surgiu um grande número de mitos, como a ideia de que todos acreditavam que o mundo era plano até Cristóvão Colombo navegar para a América. “Eles não pensavam nada do tipo”, disse.

Da mesma forma, os propagandistas do Renascimento espalharam o boato de que a igreja cristã medieval proibia autópsias e dissecação humana, segurando o progresso da medicina.

Fonte: Site Live Science. Artigo: “Grotesque Mummy Head Reveals Advanced Medieval Science”. Artigo traduzido: Site Hype Science

Como não poderia deixar de ser, tem dedo podre de iluminista nessa parada. A 16ª edição da "Histoire Litteraire de la France" diz que a Igreja retardou por séculos o avanço da Medicina por meio da publicação de uma bula do Papa Bonifácio VIII, "De sepulturis". Lorota!

A "Histoire Litteraire de la France" era produzida e publicada pelos monges beneditinos. Porém, após a Revolução Francesa, coube ao "Institut de France" dar continuidade à publicação. Aí entrou na história o Pinóquio, digo, o historiador Pierre Claude François Daunou, que inseriu no texto da obra o trecho que deturpava completamente o sentido da bula papal.

Mas o que motivou a tal bula? Bem, os cruzados morriam aos montes nos campos de batalha, longe da pátria natal. Seus parentes, naturalmente, desejavam que os corpos fossem enviados para eles. Como a distância era grande, e seria terrível deixar o corpo se decompor no caminho, o pessoal teve a ideia de cortar em pedaços e ferver os corpos. Assim saía toda a carne e ficava só o esqueleto, que era enviado ao país de origem do defunto.

A Igreja considerou essa prática bárbara, desrespeitosa e abusiva. Então, condenou-a severamente, por meio da bula "De sepulturis". A restrição não atingia as autópsias. Quem quiser estudar melhor o assunto, leia o artigo “The Popes and the History of Anatomy”, do graduadíssimo Dr. James J. Walsh (acesse aqui).

daunou_pinoquio

Alguns historiadores levantam a hipótese de que, ainda que a "De sepulturis" não condenasse as autópsias, as autoridades eclesiásticas a interpretaram dessa forma. Bem, a gente sabe que burro é um bicho que marca presença em todas as épocas e lugares. Porém, os dados históricos evidenciam que, caso tenha realmente havido alguma interpretação "jumentosa" da bula, isso foi raro.

Afinal, era uma prática comum embalsamar os corpos dos papas e autoridades civis (e, para embalsamar, era necessário abrir o corpo e retirar diversos órgãos). Outra evidência vai contra essa teoria da “má interpretação”: em 1302, apenas três anos após a promulgação da bula de Bonifácio VIII, uma junta médica de Bolonha decidiu realizar uma autópsia para verificar se o conde Azzolino degli Onesti tinha morrido por envenenamento. O caso mereceu registro, pois só se costumava dissecar corpos de bandidos e indigentes, e não de homens nobres (Fonte: "The Casebook of Forensic Detection", Colin Evans, John Wiley & Sons, 1996).

Pra quem se interessar, o blog "Tu Es Petrus" publicou a tradução de uma artigo de Christopher Howse, um colunista de religião do jornal The Telegraph. Howse conta como abandonou a crença popular de que a Igreja medieval impediu a autópsia em corpos humanos, após ler um livro da professora Katharine Park, de Harvard (leia aqui).

“Cada vez que eu leio algo no New York Times sobre como Leonardo da Vinci teve que esconder o fato que que estava fazendo dissecação, e cada vez que eu escuto um guia turístico na Itália contar essas histórias, isso me mata. Eu não sei mais o que fazer para eliminar esse mito”.

- Katharine Park. Site Harvard Gazette. Tradução de um trecho do artigo "Debunking a myth"

458 Terça, 02 Maio 2017 20:04

Comentários   

0 # João 24-04-2015 05:10
O corpo de Santa Rosa de Viterbo (1233-1252) também foi analisado após sua morte, seu coração retirado até hoje preservado, mas eu não sei a data exata em que fizeram a análise...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Orlandilson 17-04-2015 22:25
É algo pouco divulgado, mas só na segunda metade do século XIX é que se tornou obrigatório lavar as mãos depois de uma autópsia. Muitos médicos adoeceram e transmitiram doenças por não lavar as mãos depois das dissecações que faziam; até a descoberta dos micróbios e das formas de se evitar o contagio havia certo sentido na aversão as autópsias.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # marcos 22-11-2014 11:03
vou pedir licença pra usar mais um trecho do post em outro comentário: "A “Histoire Litteraire de la France” era produzida e publicada pelos monges beneditinos. Porém, após a Revolução Francesa, coube ao “Institut de France” dar continuidade à publicação. Aí entrou na história o Pinóquio, digo, o historiador Pierre Claude François Daunou", e DAUNOU COM TUDO!...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # marcos 22-11-2014 10:58
"isso é fruto da propaganda anticatólica iluminista". Tá. agora diga algo que ainda não sei!...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 25-01-2014 21:59
Deveria ter um post sobre a acusação de que a Igreja proibia as pessoas a tomar banho e fazer sexo por prazer orientando apenas apara procriação, pois uma das acusações que os inimigos da igreja adoram guspir na nossa cara, por mais ridículo que pareça é que a Igreja Católica no passado proibia as pessoas de tomar banho e outra que se fizesse sexo por prazer mesmo entre um casal bem casados seria pecado, ou seja, seria mais ou menos que comer açúcar e fazer um esforço danado em não sentir o doce vindo do açúcar, assim é com o sexo, mesmo que a Igreja proibisse um absurdo deste o qual não acredito, pois a exemplo do açúcar é impossível alguém não sentir prazer em um relação sexual mesmo que seja apenas para procriação, há não ser que alguém tenha algum problema de saúde assim como alguém tria algum problema com o paladar para não sentir a doçura do açúcar. Mas há os que acreditam nisto, até aonde isto seja verdade ou mentira o pessoal aqui do catequista deveriam trazer alguma matéria a respeito disto. Fica aqui a minha sugestão.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Jéssica 25-01-2014 18:09
Gosto mto dos artigos publicados pelo site o catequista, e esse gostei mto mesmo são mto informativos. Gostaria de dar um palpite. Os seus artigos são mto legal mas deveria ser texto tbm para pessoas q não são católicos, pois são mto informativos só q mtas vezes qdo se trata de outras religiões e dos protestantes tem uma fala agressiva. Talvez se não fosse assim tão agressivo ajudaria bastante a católicos q foram seduzidos pelos protestantes e não conhecem a igreja de verdade.Apenas uma ideia ;)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Apolo 24-01-2014 14:14
Muito bom o post, só acho que palavras como "burro", "virou modinha", "jumentosas" e outras ofensas não combinam muito com mandamentos cristãos de amar e respeitar próximo (mesmo nessas situações), e evitar julgar, o que pode evidenciar certa intolerância religiosa... Mesmo assim, parabéns pelo texto! :D
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Janes 13-05-2015 17:25
Rapaz, se você visse então as polêmicas históricas em que se enfiaram grandes santos da igreja, você ia ficar arrepiado, alguns (como São Bernardo de Claraval) falavam até palavrões cabeludos e outros chamavam o adversário (intelectual) de coisas como "boca podre". Sem falar em Nosso Senhor que usou expressões como "raça de víboras" e "sepulcros caiados"! Pessoalmente eu gosto muito do estilo e da postura de cristãos como Chesterton e Giussani, que a despeito da absoluta franqueza eram capazes de serem afáveis e carinhosos, cativando (às vezes por toda a vida) o adversário. Mas jamais deixaria de colher a inteligência e riqueza de uma reflexão de um cara como - por exemplo - Olavo de Carvalho, desbocado ao ponto do exagero por vezes constrangedor. A caridade e o amor ao próximo não passam tanto por aí, uma pessoa pode , numa discussão, mandar o outro tomar no dito cujo, e logo depois não ter a menor dificuldade de socorrer quem foi xingado por ele em alguma precisão. E outra pessoa pode se munir de palavras delicadíssimas e ser incapaz de um gesto solidário com o adversário caso ele necessite. O cuidado maior tem que ser colocado na honestidade intelectual, na atenção completa àquilo que foi exatamente dito pelo outro sem distorcer uma vírgula, na precaução em não trazer dados da vida particular do outro como "provas" a não ser que tenha real relação com a questão posta. Tem muita gente cheia de delicadeza, que guarda uma víbora dentro, apunhalando o outro com um sorriso na boca e palavras gentis (veja nossos políticos!). Por esses dias o Olavão disse umas palavras ao arcebispo de São Paulo, que como católico, me constrangeram. Mas a questão que ele colocou ao bispo- quem apoia uma iniciativa que favorece o comunismo fica excomungado ou não? - está sem resposta até agora. Como sem resposta estão questões a ela anexadas: 1) O PT, embora não se declare, é parte do grande Movimento Comunista Latino Americano? 2) Representa uma fase estratégica desse movimento? 3) E nessa visão estratégica, que lugar ocupa, a reforma politica ora preconizada pelo partido (e em grande parte apoiada por esse e outros bispos)? Ela fortalece a tomada de poder comunista a longo prazo ou não? 4) O comunismo de fato acabou, ou adquire novas faces públicas, mantendo outras ocultas? A igreja paulista perdeu a chance de crescer com essa discussão, exatamente porque ficou na defensiva devido aos palavrões e grosserias do homem (Olavo). Tudo bem, que puxassem a orelha dele , mas que topassem o estudo, a investigação e o debate que a provocação dele, exigem. Sobre isso, nem uma palavra sequer...até agora.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 24-01-2014 15:47
Apolo, Constatar que uma pessoa é burra não tem nada a ver com intolerância religiosa. Jesus mesmo já chamou os Apóstolos de burros, quando perguntou "Falta-vos inteligência?", rs. Quanto ao nosso jeito de nos expressarmos aqui, já nos posicionamos neste post: Católicos brutos também amam http://ocatequista.com.br/archives/3609
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Larissa 07-07-2013 17:34
Ótimo artigo, adoro o blog e só posso dizer que muito obrigada pelo maravilhoso trabalho que vocês fazem! :) Sempre pegam no nosso pé por causa da Idade Média, ou melhor,por causa do que os iluministas pintaram da Idade Média. Queria saber a opinião de vocês sobre esse artigo: http://www.muitointeressante.com.br/pq/perguntas/como-surgiu-a-historia-de-que-gatos-tem-sete-vidas Meu professor de biologia (agora além de ter que brigar com o de história...)culpou descaradamente a Igreja Católica pela peste negra, e citou essa história dos gatos aí. Também disse que a Igreja estimulava rituais de purificação e mortificação nas ruas,para 'aplacar a Ira de Deus' o que só aumentou o número de casos, por causa da mutilação das pessoas e tal. Espero respostas pra poder dar um hadouken de Zizuis nesse professor fanfarrão. xD Parabéns mais uma vez pelo trabalho e fiquem com Deus! :)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Tex Willer 04-07-2013 15:46
Ótimo artigo, esse site é digno de reverência pela defesa sóbria e às vezes engraçada da Igreja. Parabéns!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rosana Both 04-07-2013 15:31
Só pra variar: MUITO BOM! Cada vez que eu leio esses textos de vocês que desmentem as lorotas que aprendemos na escola e na faculdade, me dá uma vontade de reencontrar certos professores... hehehehe Sempre digo, defenda o que quiser, discorde do que quiser, mas sejamos honestos com os fatos! Deus abençoe essa missão de 'O Catequista' =D
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Telmo 04-07-2013 14:02
Tem um livro de um historiador da ciência, Alexandre Koyré, intitulado Do mundo Fechado ao Universo Infinito, onde ele mostra que o surgimento da Ciência Moderna, ao contrário do que muitos acreditam, só foi possível graças a filosofia e crença católica medieval. Só ocorreu devido a religião, e não pela separação entre fé e razão, como muitos afirmavam. Equipe de O Catequista, como sempre, estão de parabéns! Que Deus e a Virgem sua Mãe, os abençoem.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Marcio 04-07-2013 13:29
Ótimo post! O meu blog de ciência e fé, o Tubo de Ensaio, tem mais algumas informações, de um texto que escrevi em 2010: http://www.gazetadopovo.com.br/blogs/tubo-de-ensaio/a-igreja-contra-o-bisturi-mais-uma-lenda-urbana/
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 04-07-2013 13:32
O Tubo de Ensaio é um blog nota mil! Obrigada pelo envio do link, Marcio.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cleber de Souza 04-07-2013 11:40
Bom dia, muito bom o artigo. Queria saber se poderiam me dar dicas de onde pesquisar, já que Wikipedia e Brasil Escola são um poço sem fundo de marxismo cultural. Existe alguma enciclopédia verdadeiramente livre?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Diogo Linhares 04-07-2013 13:11
Cleber de Souza, se você tiver facilidade em ler inglês, existe uma enciclopédia católica excelente no site New Advent (aqui: http://www.newadvent.org/cathen/ ) Infelizmente, ela é meio antiga, e os verbetes tratam de coisas no máximo até o começa do século XX, mas as informações históricas que lá estão, principalmente sobre Idade Média e Idade Antiga, são valiosíssimas. É uma lástima não termos material desta qualidade em língua portuguesa... Pax et bonum
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Cadu Sindona 04-07-2013 10:08
Iluminista = retardado desonesto.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 04-07-2013 09:15
Estas estórias, e não histórias, de que a Igreja atrasou a ciência em séculos é muito engraçada, então porque países aonde o cristianismo não foi tão propagando não estão a nos luz de distância com relação a ciência do que nós?, por a caso os hindus na Índia já povoaram outros planetas?, por acaso os budistas da Tailândia, Camboja e até da China e Japão já descobriram a cura do câncer?, por a caso os animistas da África já fizeram várias descobertas no campo cientifico?, por a caso os árabes muçulmanos já desenvolveram várias pesquisas médicas cientificas para encontrar a cura de várias doenças?, por a caso os europeus quando chegara por aqui encontraram um povo muitíssimo desenvolvido a ponto de não só navegar em mares antes nunca navegados mas viajar até em outros planetas?. Sem desconsiderar os conhecimentos de outros povos não somente da antiguidade, mas como os de hoje também, porém, me da nojo todas as vezes que alguém diz que a Igreja atrasou a ciência mas não enxergam que diferentes de outros povos, naquelas regiões a onde a Igreja mais atuou é que hoje se concentram os maiores avanços da ciência, muitos podem objetar que estas regiões foram influenciados sim pelo cristianismo, mas pelo ramo protestante, porém, deve-se observar que quem deu o ponta pé inicial, quer queiram quer não, foi a Igreja Católica e em plena Idade Média, o resto, morram de inveja.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Petro 24-01-2014 18:11
Calma, Sidnei! O amigo não disse nada demais! :)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Fabão 04-07-2013 16:13
Apenas por uma questão de justiça, os árabes têm contribuições fundamentais à matemática, à literatura, à ótica... Os orientais têm partes importantes nas artes marciais e bélicas... Não dá para ignorar esses povos quando pensamos em História da Ciência.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 05-07-2013 09:39
Fabão, releia o que escrevi, o qual coloquei: "Sem desconsiderar os conhecimentos de outros povos não somente da antiguidade, mas como os de hoje também", não discordo dos avanços e contribuições cientificas dadas por outros povos, porém, nos dias atuais, os que mais avançaram nestes campos foi aonde o cristianismo fez sua história, e além do mais, como volto a dizer, assim como estes povos contribuíram para o avanço da ciência, os cristãos também contribuíram, só não admito ouvir o que muitos falam que a Igreja atrasou a ciência, se ela atrasou, então porque os outros povos não estão a anos luz de distância de nós, no que tange a descobertas cientificas, curas de doenças e até a viajem a outros planetas?.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Fabão 08-07-2013 11:36
Eu li tudinho, e antes de escrever o "sem desconsiderar, vc escreveu: "...por acaso os budistas da Tailândia, Camboja e até da China e Japão já descobriram a cura do câncer(...) ...por a caso os árabes muçulmanos já desenvolveram várias pesquisas médicas cientificas para encontrar a cura de várias doenças? (...)" Quer dizer, você escreve frases que dão a entender que só houve ciência no ocidente para depois escrever que "não desconsidera". Não estou refutando todo o seu argumento, apenas esclarecendo um ponto específico, em que eu acho que você foi incoerente. Relaxa aí. ;-)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Janes 13-05-2015 17:02
Apesar da reação talvez exagerada do Sidney, uma coisa é importante ser dita (embora eu não esteja afirmando que alguém tenha negado isso aqui) : a ciência como tal, a ciência moderna, não teria sido possível sem o o advento da fé cristã. Em que pese a invenção da pólvora, do papel e cia pelos chineses, da matemática pelos árabes, etc., essas contribuições de ordem mais técnica e tecnológica que cientifica, não se comparam à fundação mesma da ciência como compreensão do mundo natural e físico que ocorreu em terreno cultural cristão. Para entender isso melhor, sugiro o vídeo do Thomas Wood (Igreja Católica : Construtora da Civilização) facilmente encontrável no youtube.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 08-07-2013 14:00
Se eu fui incoerente, no entanto, quando é para refutar as incoerências daqueles que atacam a Igreja por ela ter atrasado a Ciência, aí você se cala, Relaxar?, dá para relaxar mesmo vendo alguém me taxando de incoerente e não vê incoerência nenhuma nos inimigos da Igreja que a atacam o tempo inteiro, a não ser que o Sr, também o seja, aí é compreensível em averiguar as minhas incoerências e fecha os olhos pelas incoerências dos outros.
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade