Publicidade
Terça, 07 Fevereiro 2017 01:18

Dízimo: partilha de amor ou negociata com Deus?

Postado por

Quando eu era criança, um tio meu me levou para participar de um culto em sua comunidade evangélica. Logo após a exibição de um filme medonho sobre o Apocalipse (tinha mais sangue do que no “Casamento Vermelho” de Game of Thrones), o pastô (que merecia mesmo era pastar) ameaçou o pessoal:

– Vocês viram o que aconteceu com os infiéis no Apocalipse? Vocês querem escapar desse fim horrível?

De olhos esbugalhados, todos acenavam que sim com a cabeça, ou gritavam angustiados. O pastô continuou:

– Então, prove sua fé e oferte agora aqui no altar o valor X em dinheiro (eu não lembro qual era a moeda na época, se era Cruzeiro, Cruzado... Mas era um valor alto, algo equivalente a uns R$ 50,00). Quem vai fazer a oferta, fique de pé! Quem não vai fazer, fique sentado!

E assim o pastô dava um jeito de constranger e humilhar publicamente os coitados que não tinham tanto dinheiro para dar. Além desta, outra técnica ainda mais eficaz para arrancar gordas doações dos fiéis é pregar que Deus vai lhe dar muita prosperidade e bênçãos materiais, em troca de sua generosidade no dízimo. Esse é o modo de agir de muitas das seitas que pregam a demoníaca Teologia da Prosperidade. As pessoas mesquinhas, gananciosas ou simplesmente desesperados por causa de suas dívidas caem nessa história como patinhos!

siriguejo_dinheiro

Na Igreja Católica, não é assim. Porém, justamente por ser um chamado à liberdade de cada fiel, muitos católicos não estão nem aí para o dízimo. Em quase todas as paróquias, a proporção de dizimistas em relação ao número de fiéis que frequentam a paróquia é ridiculamente baixa.

A maioria das pessoas gosta mesmo é que lhe ponham um cabresto, gostam de uma religião que lhes faça passar vergonha diante dos outros “irmãos”, caso não ande na linha, em troca da promessa de evitar a cruz e viver o Céu aqui na Terra. É por isso que ouvimos tanto protestante dizer: “Eu era católico, mas naquele tempo eu bebia, eu vivia na farra, eu traía, eu fazia tudo errado”. E desde quando a Igreja Católica aprova tais pecados, criatura joselita? O fato é que no meio evangélico é comum que um fique tomando conta da vida do outro, então todos se esforçam para ter uma aparência externa de santidade.

Mas o cristianismo é a religião que reina no mais profundo da consciência, no coração. Cristo mostrou que muitos daqueles que tinham aparência de santidade – os fariseus – eram podres por dentro. Então, mais do que simplesmente falar em fidelidade ao dízimo, vamos falar das intenções do coração.

É bem verdade que, na Bíblia, Deus promete prover as necessidades materiais de quem paga o dízimo. Isso se chama fé na Providência divina. Mesmo que esteja meio dura, a pessoa faz um sacrifício para ajudar os pobres e sustentar a Igreja (lembram da oferta da viúva?). A pessoa é fiel ao dízimo, confiando que o Senhor lhe ajudará.

"Pagai integralmente os dízimos ao tesouro do templo, para que haja alimento em minha casa. Fazei a experiência – diz o Senhor dos exércitos – e vereis se não vos abro os reservatórios do céu e se não derramo a minha bênção sobre vós muito além do necessário.” (Mal 3,8-9)

"Já por duas vezes mandastes para Tessalônica o que me era necessário. (...) Estou bem provido, depois que recebi de Epafrodito a vossa oferta: foi um suave perfume, um sacrifício que Deus aceita com agrado. Em recompensa, o meu Deus há de prover magnificamente a todas as vossas necessidades, segundo a sua glória, em Jesus Cristo." (Fil 4,16-19)

Bem diferente da fé na Providência é o investimento no FIJ – Fundo de Investimentos de Jesus. A pessoa paga o dízimo com a intenção de que o senhor multiplique o seu patrimônio. Como se Jesus vindo ao mundo, tomado bofetão no rosto e sido crucificado para nego poder ficar rico!

Então, devemos ser fiéis ao dízimo por uma consciência prática e por amor, não porque estamos caçando bênçãos.

A consciência prática nos fazer perceber que o padre, exclusivamente dedicado aos fiéis (foi para isso que ele deixou de casar, não é mesmo?), não vive de vento, e precisa de seu salário. Da mesma forma, é preciso cobrir as despesas com luz, água, funcionários, obras de manutenção do templo e ações evangelizadoras da paróquia, entre outras despesas.

O amor nos leva a ter verdadeiro prazer em DEVOLVER parte do dinheiro que Deus nos deu para o próprio Deus.

E qual porcentagem dos meus ganhos mensais devo doar ao templo? Você é quem decide. Não há obrigação de pagar 10%. Até nisso a Igreja nos deixa livres! Mas lembre-se: Deus sabe se estamos sendo generosos em nossa oferta ou não.

MENORES DE IDADE DEVEM PAGAR O DÍZIMO?

O dízimo é uma contribuição de quem tem renda própria, fruto de seu trabalho. Se um menor de idade trabalha (alguns, com 14 anos, já trabalham e têm renda mensal), então é justo que pague o dízimo, ainda que seus pais paguem também.

Mas se não trabalha, não precisa pagar o dízimo. Pode fazer uma contribuição livre na cestinha ou nos cofres do templo de sua paróquia, se puder. 

 

17561 Quarta, 08 Fevereiro 2017 15:33

Comentários   

0 # Fernando 22-02-2017 21:38
A igreja católica assim como Cristo nos dá o livre arbítrio para procedermos como acharmos melhor. Mas entendo que dízimo é 10%, a palavra já é explicativa. Ofertas é o valor que quisermos. Mas claro seja dízimo ou oferta temos que praticar por amor e não por obrigação.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Carlos 11-02-2017 22:33
Boa noite. Tenho a duvida se Deus tem alguma origem, pois eu me lembro quando jovem (uns 10-12 anoa) ter ouvido um padre dizendo que depois do juizo final saberiamos da origem de Deus ou alguma coisa assim, mas o catecismo diz que Deus não tem origem nem fim .Então eu queria saber se esse padre falou besteira ou se Deus não ter origem é algo recente.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # A Catequista 13-02-2017 14:05
Deus existe desde sempre. Deus é O SER, é Aquele que é. Ele em nenhum momento começou a existir.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Mário 10-02-2017 15:12
Sobre para onde vai o dízimo, a igreja católica (igreja de Cristo sobre os apóstolos) assim ensina:

O dízimo é direcionado a três dimensões:

DIMENSÃO RELIGIOSA

O dízimo deve suprir com recursos, todas as necessidades, direta ou indiretamente, ligadas ao culto e a seus ministros.

DIMENSÃO SOCIAL

O dízimo deve suprir as necessidades dos irmãos mais necessitados da comunidade, atendidos pelas pastorais sociais.

DIMENSÃO MISSIONÁRIA

O dízimo deve sustentar financeiramente, as ações de evangelização da comunidade exercidas fora do território da paróquia. Ajuda a cúria, ao seminário e as missões de um modo geral.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # PABLO DOS SANTOS 10-02-2017 14:37
sou de outra paroquia há algum problema de dar dizimo na paroquia aonde fui batizado?
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Mário 10-02-2017 15:20
Não há, mais é mais justo e prudente contribuir com a paróquia que você frequenta, onde você moro ou faz parte. Não é errado, claro,o importante é ser dizimista, mas use de sensatez.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rodrigo Leite 09-02-2017 18:16
Cadê os comentários para que eu possa lê-los?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Ana Cássia 09-02-2017 17:34
A experiência do dízimo faz parte do saber ordenar todas as coisas para o seus devidos fins. Acho bem legal começar a fazer essa reflexão desde cedo, pois muitas vezes, dízimo parece "conversa de tiozinho da igreja" e os mais jovens não se envolvem no assunto.
Responder | Responder com citação | Citar
+3 # Sidnei 08-02-2017 22:25
"A maioria das pessoas gosta mesmo é que lhe ponham um cabresto, gostam de uma religião que lhes faça passar vergonha diante dos outros “irmãos”, caso não ande na linha, em troca da promessa de evitar a cruz e viver o Céu aqui na Terra. "

Sabem que esta também a impressão que eu tenho destes "ex católicos", que quando eram católicos pareciam que podiam tudo, agora que são evangélicos, agora que não podem nada, agora se sentem bem e confortáveis, mas vão ver se quando eram católicos, quando nas raríssimas vezes que algum dia foram a alguma missa, e o padre falou em dízimo para ver se este turma toda não torciam o nariz, mas agora os o paxtô e diferente, ele pode dizer para deixar até o carro co a igreja e irem a pé que garanto que todos farão com o maior agrado. Eta gente com cabecinha fraca e bem lada por estes paxtô, eles merecem não só ter cabresto mas usar também um ferradura.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Tiago 08-02-2017 17:14
Onde está escrito que a igreja católica liberou os 10% bíblicos?
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Mário 10-02-2017 15:42
Tiago,

você se refere onde está escrito na bíblia que a igreja católica liberou os 10% de dízimo? É essa a pergunta?

Amigo, há 49 passagens bíblicas no antigo testamento falando sobre o dízimo, e somente 2 no novo testamento. A nova aliança que Jesus fez com a humanidade subrepõe sobre a Lei de Moisés, lei essa que fala sobre os 10% de dízimo, em que o protestantismo se apóia para angariar fundos em suas "igrejas".

Na nova aliança, Jesus fez nova todas as coisas, São Paulo nos ensina: "Cada um doe conforme o impulso do seu coração", e é isso que a igreja católica ensina, não obrigando o cristão a contribuir com 10% de dízimo.

Essa é a igreja de Cristo, essa é a igreja que se compadece com os mais necessitados e oprimidos.

O Dízimo ofertado de coração não é mais digno do que o obrigatório 10%?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Fran 08-02-2017 16:16
Eu fui estagiária por 6 meses. Quando lembrei, deixei um dinheirinho na caixinha da missa, mas fiquei vários meses sem dar pq pensava que não era obrigatório... será que eu deveria pagar os "atrasados" agora que não trabalho mais?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 08-02-2017 16:03
Então lá vai a pregunta: pago o dízimo, este é estipulado pela centésima parte que se ganha. Esta centésima parte seria em cima do rendimento bruto, ganho 7mil, com desconto de imposto de renda, plano de saúde, previdência, etc..., sobra 5500 limpo. Então serão a centésima parte dos 7 mil, certo?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Mário 10-02-2017 15:09
Sobre para onde vai o dízimo, a igreja católica (igreja de Cristo sobre os apóstolos) assim ensina:

O dízimo é direcionado a três dimensões:

DIMENSÃO RELIGIOSA

O dízimo deve suprir com recursos, todas as necessidades, direta ou indiretamente, ligadas ao culto e a seus ministros.

DIMENSÃO SOCIAL

O dízimo deve suprir as necessidades dos irmãos mais necessitados da comunidade, atendidos pelas pastorais sociais.

DIMENSÃO MISSIONÁRIA

O dízimo deve sustentar financeiramente, as ações de evangelização da comunidade exercidas fora do território da paróquia. Ajuda a cúria, ao seminário e as missões de um modo geral.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Atanágoras 08-02-2017 15:29
Ofertar o Dízimo é sinônimo de amor aos irmãos. Façamos isso com frequência. A Igreja Católica, é a maior instituição de caridade no mundo. O mundo é grande, vamos ajudar a aumentar nossa caridade para que chegue a outros irmãos.

1° Coríntios 16.1-2
Quanto à coleta em benefício dos santos, segui também vós as diretrizes que eu tracei às igrejas da Galácia.

No primeiro dia da semana, cada um de vós ponha de parte o que tiver podido poupar, para que não esperem a minha chegada para fazer as coletas.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Valter 08-02-2017 13:46
Qual a diferença entre dízimo e oferta??
Qual a função e destinação de cada um??
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Mário 10-02-2017 10:51
Amigo Walter,

O dízimo é um compromisso de Cristão com a igreja de Cristo, ofertando o dízimo, estamos agradecendo a Deus por essa renda que ele nos proporciona no nosso trabalho, na nossa vida. São Paulo nos diz que: "Cada um oferte conforme o impulso do seu coração", a igreja católica não obriga ninguém a pagar o dízimo de 10%, porque na nova aliança de Cristo, Jesus fez nova todas as coisas, manifestada nas palavras de Paulo, com relação ao dizimo.

A oferta, como o próprio nome diz, é realizada durante as missas, mas, preste atenção, a oferta em dinheiro não é um compromisso, sabe porque? Porque o ofertório na hora da missa não se refere apenas a ofertar em dinheiro, as pessoas aproveitam esse momento para fazer isso, como fez a viúva na palavra de Deus, mas devemos ofertar também a nossa vida, os nossos filhos, etc...
Responder | Responder com citação | Citar
-2 # André Luiz 08-02-2017 13:24
Com novo formato da página web, não vejo rapidamente os comentários do pessoal sobre o post do momento.
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # João Pedro Strabelli 07-02-2017 18:27
Quando tinha mais tempo, pesquisei as profissões que arrumam pra Jesus Cristo nestes lugares aí. Vai a amostra:

• guarda costas (“O Senhor tem que me proteger”)
• consultor profissional (“Tô precisando de emprego”)
• médico (“Não acredito! Paguei o dízimo e ainda tô doente!”)
• consultor sentimental (“O casamento que Te pedi? Vai sair quando?”)
• banqueiro (“Preciso comprar um carro. Me abençoa aí com o dinheiro”)
• corretor imobiliário (“Aumentei o dízimo, e a minha casa?”)
• muro de lamentações (“Como eu sofro…”)
• indireta no mesmo muro (“…e ninguém me ajuda. Ninguém viu? Nin-guém!”)
• empregado (“Não acredito que o Senhor não me guardou a vaga…”)
• empresário (“Por que minha banda não faz sucesso?”)

Curioso que:

• companheiro (“Dá um pedacinho da cruz aí que vou tentar carregar”)

…é difícil que só de ver alguém pedindo.
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade