Publicidade
Quinta, 18 Junho 2015 08:21

Louvado seja! Conheça a nova encíclica de Francisco!

Postado por

Laudato si, Povo Católico!!!

"Laudato si" - "Louvado seja" em português - é a primeira encíclica totalmente escrita pelo Papa Francisco (lembremos que a "Lumen Fidei" foi iniciada por Bento XVI) e como todos esperavam, fala sobre ecologia. Mas, se você acha que todo católico vai virar vegano e começar a abraçar árvores, pode aproveitar o tema ecológico e tirar o cavalo da chuva...

"Laudato si" é um dos documentos mais lúcidos e corajosos dos últimos tempos. Vai fundo no problema e propõe uma nova ecologia: a Ecologia Integral. Quer saber o que é isso? Então baixe o texto oficial da encíclica aqui e acompanhe a nossa exploração desse documento fantástico!

Sao Francicso

O o verso da figura acima é retirado do cântico de São Francisco que dá nome à encíclica. E aí já temos uma inovação: a origem do nome não foi o latim, mas o italiano. O santo de Assis foi a grande inspiração do documento (Papa Francisco não escolheu seu nome a toa) e ganhou menção especial com uma seção totalmente dedicada a ele. A outra característica importante da encíclica é que ela não é dedicada somente aos católicos, mas "a cada pessoa que habita neste planeta" (3).

A encíclica começa com citações de outros papas, e já no início, um discurso de Paulo VI tira a esperança dos abraçadores de árvores:

"...os progressos científicos mais extraordinários, as invenções técnicas mais assombrosas, o desenvolvimento econômico mais prodigioso, se não estiverem unidos a um progresso social e moral, voltam-se necessariamente contra o homem" (4)

- Paulo VI em discurso à FAO, em 1970

Essa é a tônica de todo o documento. O centro da encíclica é a nova ecologia proposta por Francisco: a "Ecologia Integral, que inclua claramente as dimensões humanas e sociais" (137). Esse, na verdade, sempre foi o cerne da luta ecológica da Igreja. O centro deve ser o humano e o meio-ambiente deve ser entendido como todo o contexto da realidade, seja ele natural ou produzido pelas mãos do homem. Mas nosso Papa aprofunda bastante a questão nos 6 capítulos do documento.

Aliás... a gente já sabe que um rascunho da encíclica vazou e começaram a falar malucamente em "Mãe Terra", dizer que o Papa ia salvar as baleias, essas coisas... o povo achava que ia ser uma encíclica sobre gnomos. Pra essa galera, deixamos o vídeo abaixo.

 

 

Mas se você nunca viu gnomos e está mais interessando no que nosso argentino mais querido escreveu, vamos lá...

 

CAPÍTULO 1 - O QUE ESTÁ A ACONTECER EM NOSSA CASA (a tradução está meio ao jeitão de Portugal)

Esse capítulo faz um diagnóstico bastante preciso sobre as grandes questões a serem enfrentadas e, repare, sempre ressaltando as questões sociais envolvidas, sem se desviar de polêmicas.

As Mudanças Climáticas: aqui, Francisco afirma que elas são uma realidade global, cujos impactos inevitavelmente serão maiores entre os mais pobres, e faz uma denúncia corajosa: "Muitos daqueles que detêm mais recursos e poder econômico ou político parecem concentrar-se sobretudo em mascarar os problemas ou ocultar os seus sintomas, procurando apenas reduzir alguns impactos negativos de mudanças climáticas." (26);

A Questão da Água: não é só a preocupação com a escassez, mas com a qualidade. Francisco lembra que muitas vidas são perdidas todos os anos por conta da contaminação provocada principalmente por grandes indústrias, e afirma que "o acesso à água potável e segura é um direito humano essencial, fundamental e universal, porque determina a sobrevivência das pessoas e, portanto é condição para o exercício dos outros direitos humanos." (30);

A Preservação da Biodiversidade: coloca a perda da biodiversidade como consequência direta de uma intervenção humana a serviço apenas do dinheiro e consumo. E deixa claro que não se trata apenas de um conceito, ao atentar contra a diversidade, o homem também vai contra a beleza e perfeição da Criação de Deus;

A Dívida Ecológica: um dos grandes momentos da encíclica. O Papa denuncia corajosamente a "fraqueza das reações" falando principalmente dos países desenvolvidos, ávidos consumidores que já cometeram grandes crimes contra seus próprios ecossistemas, e que pressionam os países em desenvolvimento por recursos, enquanto discursam sobre preservação. Francisco sinaliza que "ao mesmo tempo cresce uma ecologia superficial ou aparente que consolida um certo torpor e uma alegre irresponsabilidade." (59);

Laudato Si

 

CAPÍTULO 2 - O EVANGELHO DA CRIAÇÃO

Papa Francisco apresenta as bases bíblicas da visão ecológica da Igreja, lembrando que o fato de sermos feitos à imagem e semelhança de Deus não quer dizer que sejamos donos do universo e possamos avacalhar toda a Criação. E explica a nossa inclinação para isso: "a existência humana se baseia em três relações fundamentais estreitamente coligadas: a relação com Deus, com o próximo e com a terra. Segundo a Bíblia, essas três relações vitais romperam-se não só exteriormente, mas também dentro de nós. Essa ruptura é o pecado" (66).

Mas se engana quem pensa que, falando essas coisas, Francisco está colocando o homem apenas como mais uma parte da Criação. O documento deixa clara a diferença de valor do ser humano e sua missão de "cultivar e guardar o jardim do mundo" (67).

 

CAPÍTULO 3 - A RAIZ HUMANA DA CRISE ECOLÓGICA

Este capítulo é uma crítica ao mundo tecnocrata. A tecnologia avança, e o que o homem faz com isso? Produz mais, consome mais, explora mais... e isso não se traduz em qualidade de vida. Ao contrário, provoca uma cultura do descarte, do imediatismo, que dá origem à muitas das mazelas que vemos hoje, como o abandono de idosos, tráfico e aborto. A aposta da sociedade deve sempre ser nas pessoas: "renunciar a investir nas pessoas para se obter maior receita imediata é um péssimo negócio para a sociedade" (128).

Repare que aqui a crítica é muito mais voltada para o meio social em que as pessoas vivem. Isso faz parte do conceito de "Ecologia Integral", que será aprofundado no próximo capítulo.

 

CAPÍTULO 4 - UMA ECOLOGIA INTEGRAL

Esse é o centro da novidade que o Papa Francisco deseja que a Igreja traga à discussão ecológica. Nesse capítulo a "Ecologia Integral" é definida como uma ecologia "que integre o lugar específico que o ser humano ocupa neste mundo e as suas relações com a realidade que o circunda" (15).  Ou seja, não se trata apenas de natureza, mas do homem, inserido em toda a realidade.

Francisco vai além neste conceito e fala de uma Ecologia das Instituições, chamando atenção para como a sociedade se organiza para garantir que todos tenham condições dignas para viver.

"Se tudo está relacionado, também o estado de saúde das instituições de uma sociedade tem consequencias no ambiente e na qualidade de vida humana: 'toda a lesão da solidariedade e da amizade cívica provoca danos ambientais'" (142).

- Papa Francisco - Laudato si

E, aprofundando mais ainda o conceito, Francisco chega ao nosso cotidiano e à nossa própria relação com a realidade que nos cerca.  Afirma que precisamos entender que nós mesmos somos feitos por Deus para podermos entender a Criação como Dom e não como posse.

"A aceitação do próprio corpo como dom de Deus é necessária para acolher e aceitar o mundo inteiro como dom do Pai e casa comum; pelo contrário, uma lógica de domínio sobre o próprio corpo transforma-se numa lógica, por vezes sutil, de domínio sobre a criação"

- Papa Francisco - Laudato si

 

CAPÍTULO 5 - ALGUMAS LINHAS DE ORIENTAÇÃO E AÇÃO

Esse é o momento "tiro, porrada e bomba" da encíclica! Depois de um grande diagnóstico e aprofundamento das causas do problema ecológico, Francisco propõe ação. E bate muito forte na forma de discussão atual, que gera muito falatório e pouca efetividade.

"As Cimeiras (reuniões) mundiais sobre o meio ambiente dos últimos anos não corresponderam às expectativas, porque não alcançaram, por falta de decisão política, acordos ambientais globais realmente significativos e eficazes" (166)

- Papa Francisco - Laudato si

Mas o capítulo não é apenas uma crítica à "alegre irresponsabilidade" da comunidade internacional. A encíclica deixa claro que estes assuntos não devem ser deixados à mercê dos interesses de mercado e propõe um "acordo sobre os regimes de governança para toda a gama dos chamados bens comuns globais" (174). E apela para a pressão do povo e instituições sobre os governos, já que tantas mudanças precisam de um processo longo e claramente não poderiam ser feitas no tempo de um mandato. Deve ser o objetivo de um povo e não de um político.

Mesmo assim, Francisco chama os políticos à responsabilidade e à sair da lógica da eficiência e do imediatismo. Praticamente um chamado à conversão...

"Para um político, assumir estas responsabilidades com os custos que implicam não corresponde à lógica eficientista e imediatista atual da economia e da política, mas, se ele tiver a coragem de o fazer, poderá novamente reconhecer a dignidade que Deus lhe deu como pessoa e deixará, depois da sua passagem por esta história, um testemunho de generosa responsabilidade."

- Papa Francisco - Laudato si

Mas Francisco não pára! Utilizando todo o seu conhecimento sul-americano, critica duramente os "esquemas" utilizados hoje em dia para "garantir" que os projetos respeitem o meio-ambiente.

"A previsão do impacto ambiental dos empreendimento e projetos requer processos políticos transparentes e sujeitos a diálogo, enquanto a corrupção, que esconde o verdadeiro impacto ambiental dum projeto em troca de favores, frequentemente leva a acordos ambíguos que fogem ao dever de informar e a um debate profundo"

- Papa Francisco - Laudato si

E como se a sapatada não fosse suficiente, lembra que a discussão sobre a ecologia não pode ser pensada apenas como tema científico e ideológico, lembrando a todos que "a realidade é superior à ideia".

 

CAPITULO 6 - EDUCAÇÃO E ESPIRITUALIDADE ECOLÓGICAS

Neste último capítulo, todos são convidados à uma "Conversão Ecológica", que faça com que nos empenhemos na solução não apenas de questões relativas à natureza, mas principalmente às que se relacionam com o homem e sua qualidade de vida. Além disso, deixa claro qual é o caminho a ser seguido: a educação através da "escola, família, meios de comunicação e catequese" (213).

E, por último, chama a cada um de nós a contribuir com a sua parte. Não por uma questão ideológica, mas entendendo que cada pequeno passo faz parte de uma grande conversão, a exemplo do que nos ensinava Santa Teresinha, porque "uma ecologia integral é feita também de simples gestos cotidianos, pelos quais quebramos a lógica da violência, da exploração e do egoísmo" (230).

 

FINALIZANDO...

Ao final, Francisco pede que coloquemos todo esse "mundo ferido" nas mãos de Nossa Senhora e sugere que incluamos esta nova dimensão da "Ecologia Integral" ao nosso exame de consciência. A encíclica, que começa com o Cântico do Irmão Sol,  termina com duas orações. Uma para para os que creem em Deus e outra para os Cristãos, conservando o caráter universal do documento.

Enfim, Povo Católico, o Papa nos pede agora uma nova conversão e tem a inteligência de falar de ecologia envolvendo tudo o que tem a ver com o ser humano e não apenas a questão da natureza, como todos costumam olhar. Tem a coragem de dizer claramente que todos os países continuam enxugando gelo por questões econômicas e de chamar atenção para os impactos que isso traz aos mais pobres.

E mais uma vez, a Igreja se coloca como ponto de lucidez e coragem, em meio a imensa bagunça de interesses e ideologias mundanas.

Laudato Si

715 Terça, 27 Dezembro 2016 19:00

Comentários   

0 # Euclides das Neves 11-09-2015 06:06
Com este resumo, qualquer leitor sente-se como que impulsionado ante esta grandíssima riqueza espiritual e intelectual. Depois de ter lido, sinto-me rejuvenescido, edificado, mormente agradecido a Deus por nunca nos faltar pastores da sua messe que nos fale e ensine como Papa Francisco. Parafraseando Daniel no seu comentário acima "Os documentos do Papa deviam ser estudados nas universidades".
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alexandre 01-09-2015 19:05
VALE A LEITURA: https://moimunnanblog.files.wordpress.com/2015/08/laudato-si-sermocc81n-del-padre-altamira.pdf VIVA CRISTO REI!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Tiago Noronha 15-07-2015 21:49
Demorei a me posicionar, porque amo e respeito a Igreja e o Papa. Mas, pessoal de "O Catequeista" tá chato, tá ficando esquisito vocês virem em toda declaração amalucada do Papa,defendê-lo, quando ele está só dando bola fora. Li o texto da encíclica, e sendo bem sincero, não precisa ser um gênio pra perceber que essa encíclica é mais do mesmo da ONU.. Lamentável... Vamos orar...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 16-07-2015 10:02
A mim parece-me que, pelo contrário, a encíclica vai mas é contra o programa da ONU. Enquanto a ONU está interessada em promover o aborto e a ideologia de género; a encíclica do Papa combate esses problemas, e a partir de uma perspectiva ecológica, que é o que mais surpreende: o respeito pela criação não se refere só a plantas e animais, mas, na perspectiva do Papa, também o aborto e a ideologia de género são uma violência contra a natureza, uma desordem da criação tal como ela foi criada por Deus. É genial! Não estamos habituados a partir da ecologia para refutar a ideologia de género, parece que uma coisa não tem nada a ver com a outra; no entanto, o Papa abre-nos para uma nova visão, bem diferente do esquema em que forças como a ONU nos habituaram a pensar. Esta era a encíclica que nos faltava: no seguimento de S. João Paulo II e de Bento XVI, Francisco convida-nos a ver a ecologia numa perspectiva global e integral, incluindo o problema humano e espiritual, que é tudo o que os ambientalistas não fazem.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 23-06-2015 17:01
Excelente resumo da encíclica! Deixa qualquer um com vontade de ler. Parabéns!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alexandre Fernandes 22-06-2015 15:46
Ave, Maria puríssima! Independentemente da fonte, vale o registro: https://moimunanblog.wordpress.com/2015/06/13/cientificos-advierten-a-francisco-de-su-error/ Forte abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Silva 22-06-2015 15:20
Enquanto isso, numa paróquia em São Miguel Paulista: - E o meio-ambiente? - Ah, ele não vai muito bem não, mas vai melhorar! E as almas? - Ah, essas todas vão arder no mármore do inferno! http://fratresinunum.com/2015/06/22/folheto-escandaloso-atribuido-a-paroquia-da-diocese-de-sao-miguel-paulista-causa-perplexidade-em-redes-sociais/#comments
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 23-06-2015 09:26
Alex, tenho algumas broncas com este blog do frates in unum, pelo seu sede vacantismo e o constante ataque ao Papa Francisco, porém, eles lá trazem matérias bem esclarecedoras que não viríamos em outros blogs e sites católicos, como este escandaloso folheto que foi lido nas missas desta ultimo final de semana (20 e 21/06/2015) nesta paróquia pela matéria citada. Isto é uma amostra da bagunça que esta a Igreja Católica no Brasil o qual os senhores padre e bispos com raríssimas exceções usam de seu múnus para instruir o povo, e não como fazem estes mercenários que ao invés de instruir o povo na fé verdadeira, se compactuam com o mundo e fazem perder a ovelhas. Não basta apenas rezar, tem que também denunciar, e neste sentido, o pessoal do frates, tirando seus excessos estão de parabéns.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Douglas 21-06-2015 15:49
Particularmente não gostei da Encíclica na primeira vez que li. A linguagem do Santo Padre é confusa e complicada. Mas especialmente de ontem para hoje tenho tido um esforço intelectual e espiritual de "colocar-me no meu lugar" e "abaixar a bola" para tentar compreender melhor a Carta Encíclica de Sua Santidade. Neste aspecto, tenho pedido muito a ajuda de todos que puderem para me auxiliarem pois compreender o Santo Padre Francisco é para mim objeto de grande luta e esforço interno. Tenho algumas dúvidas. Do ponto de vista científico o aquecimento global como consequência das ações humanas é algo totalmente questionável. O Papa porém o trata como um fato irrefutável em sua Encíclica ao ponto de exigir de nós uma ação contrária a tal aquecimento. Assim sendo, como conciliar? Cientificiamente estou convicto que o Papa está errado neste aspecto e é algo no qual o Sumo Pontífice pode errar dado que foge ao seu múnus. Como explicar o posicionamento do Papa (bastante incompleto neste aspecto, principalmente por citar o documento da ONU) a respeito deste tema?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rodrigo Leandro 21-06-2015 15:32
A "Laudato Si" não é um documento infalível da Igreja. O próprio Papa Francisco deixa isso claro quando diz: "Sobre muitas questões concretas, a Igreja não tem motivo para propor uma palavra definitiva e entende que deve promover o debate honesto entre os cientistas, respeitando a diversidade de opiniões." Nenhum católico está moralmente obrigado a seguir a "Laudato Si". Pode ou não segui-la, sem colocar em risco a sua alma.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Renan Oliveira 31-03-2016 19:51
Sugiro a leitura dos artigos a seguir: http://domfernandorifan.blogspot.com.br/2015/07/autoridade-da-enciclica_19.html http://domfernandorifan.blogspot.com.br/2015/07/louvado-sejas.html
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Renan Oliveira 31-03-2016 19:45
"Nem se deve crer que os ensinamentos das encíclicas não exijam, por si, assentimento, sob alegação de que os sumos pontífices não exercem nelas o supremo poder de seu magistério. Entretanto, tais ensinamentos provêm do magistério ordinário, para o qual valem também aquelas palavras: "Quem vos ouve a mim ouve" (Lc 10, 16); e, na maioria das vezes, o que é proposto e inculcado nas encíclicas, já por outras razões pertence ao patrimônio da doutrina católica. E, se os romanos pontífices em suas constituições pronunciam de caso pensado uma sentença em matéria controvertida, é evidente que, segundo a intenção e vontade dos mesmos pontífices, essa questão já não pode ser tida como objeto de livre discussão entre os teólogos" (Humani Generis, n. 20). Sejamos prudentes.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 01-04-2016 09:44
Bem respondido, Renan! Por vezes, dizer que o que diz o Papa ou o Concílio Vaticano II é "apenas" pastoral, como se isso não exigisse de nós qualquer assentimento, é uma porta aberta para o sedevacantismo, que acaba por ser, na prática, tão cismático como o protestantismo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Osvaldo delfino 20-06-2015 17:57
O espírito santo está sempre com senhor Papa Francisco Deus abençoe por estás profecias que nós, tomamos conta do que as suas palavra possa agir em nosso coração. E que todos Tomé posse de juntos reverter essa situação com muita oração e trabalho.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 19-06-2015 21:30
Para os cientistas de plantão, tomem esta na idéia, achavam que iria ter algo falando da natureza como sendo ela o centro das atenções, tomaram no zóio. Ao invés disso, escutaram o Papa falando que tudo é criatura, inclusive oz zurço polares. E ainda de quebra, que o homem apesar de criatura é a mais querida por Deus. Mas que tinha muita gente achando que o Papa iria falar que o "marreco azul da patagônia que está em extinção" é mais importante que o homem, a isto teve. Para esta gente fica meu apoio, continuem assim que vocês parecerão cada vez mais como este camarada deste vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=9XMp7G9DYLs
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Mateus 19-06-2015 10:45
Muitos católicos continuam apreensivos em meio a algumas de suas declarações, ambíguas às vezes, e algumas até desconcertantes… … Parece não se incomodar em receber João Pedro Stédile, Jeffrey Sachs, o próprio Gustavo Gutierrez, (aceitar a colaboração de L Boff, declarado esquerdo-panteísta) sem parecer se preocupar com o que significam essas presenças no Vaticano, sabendo das ideologias e forças que representam (de perversas ditaduras comunistas, como a de Fidel Castro…). Foi direto em declarar ao Padre Spadaro, da La Civiltà Cattolica: “nunca fui de direita!” E como afirmou Piqué: “Não é uma pessoa que negocie… … Sanahuja ainda ressalta que “a legítima preocupação com o meio ambiente, que faz parte da doutrina católica – expressa, entre muitos outros documentos, nas Encíclicas Sollicitudo Rei Socialis e Centesimus Annus, nada tem a ver com o paradigma ecologista da nova ética ou religião universal, no qual se entrelaçam o relativismo moral, o sincretismo religioso e o panteísmo”, contidos na Carta da Terra… (seria o que faz parte da NWO…). Os trechos acima, dentre mais, muito preocupantes – principalmente os anteriores condenando os ricos exploradores – JAMAIS se referiram ás FEROZES DITADURAS COMUNISTAS da ex Cortina de Ferro capitaneada pela Russia pisoteando seus satélites – e ZERO contra as atuais, inatacadas, escravagistas e anti pessoais remanescentes, como de Cuba, Coreia do Norte e da China e a FEROCÍSSIMA INQUISIÇÃO COMUNISTA com quase 200 000 000 de mortos só no sec XX; pior ainda, a deformação das mentes para o diabolismo que ainda tem patrocinado! Se esse trio acima e os anteriores vermelhos ficarem de fora, como até agora, continuaríamos em suspense, como diante de uma incógnita!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Elton 20-06-2015 06:59
PRECISAMOS ODIAR. O ODIO É A BASE DO COMUNISMO. AS CRIANÇAS DEVEM SER ENSINADAS A ODIAREM SEUS PAIS SE NÃO FOREM COMUNISTAS - Lênin. Achei interessante o que v escreveu e prefiro que no final, ao invés de dizer que "continuaríamos diante de uma incógnita", preferiria dizer que esperaria "ALGO MAIS", como na questão de condenação dos caóticos regimes comunistas, da bandeira vermelha representando o sangue dos adversários, o martelo da destruição geral e a foice da morte e "iluminados" pela estrela vermelha que é o pentagrama satãnico, pestes virulentas; seriam eles a BESTA curada que voltou à vida do Ap 13,14! Até hoje nenhum país comunista progrediu; onde se instala, estão garantidos perseguição religiosa particularmente à Igreja católica, atraso, miséria, muita violencia, destruição e morte. A China progrediu por abolir o comunismo no mercado: é capitalista nesse setor e aluga seus cidadãos ao Ocidente para manter os marajás do Partido, como Cuba faz com seus enfermeiros/médicos aqui, "livres para fazer o que o deus Fidel Castro quer", tendo só ela e a Coreia do Norte quase 200 000 homens/mulheres "alugados" em mais de 45 países - e salários confiscados e as famílias reféns! Confira a desgraça em que caiu a Venezuela! E os cabeças cheio de esterco marxista, malucos comunistas vivem criticando a Inquisição Católica que em muitos séculos - um mundo completamente dessa zona atual - condenou a morte mil e poucas pessoas, enquanto eles a monstruosa cifra acima e ainda relativiza as pessoas! Veja a favela a ceu aberto que é a "democrática" Cuba, a ideal do PT, com o povo amordaçado na miséria absoluta depois de 55 anos da praga do comunismo, de coleira no pescoço de fecho éclair na boca sob um regime desgradaçamente desnaturado e que tem ódio ao Senhor Deus e à Igreja, não é? Se um governo comunista, caso PT, fosse minimamente cristão e humano, não fosse caótico em si, não incentivaria ou permitiria que as famílias toda noite fossem à ZONA BOEMIA PARA "SE INSTRUIREM" pela novelas, BBBs e semelhantes ou programas afins, vendo cenas de sexo, de como se tornar gay, lésbica, trapaceiro, vigarista, traidor, aborteiro, espírita, anticatólico, diabolista, péssimo cidadão e ainda instigando o ódio entre pessoas pelas infernais Lutas de Classes!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Bruno Alves 19-06-2015 01:09
Hoje, no Jornal da Band, eles disseram que a nova encíclica começou a ser elaborada pelo Papa Emérito Bento XVI. Já comentei o vídeo do site corrigindo esta informação, que a encíclica elaborada e iniciada por Bento XVI foi a primeira do Papa Francisco, a Lumen Fidei.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Larissa R.G. 18-06-2015 15:39
Eu achei a encíclica brilhante. E realmente não entendo porque algumas pessoas estão surtando, falando que o Papa é socialista e blá blá blá... A Igreja tem uma doutrina social, não tem nada a ver com socialismo. Os escritos dos profetas convidam-nos a encontrar força renovada em tempos de julgamento por contemplar o Deus todo-poderoso que criou o universo. No entanto, o poder infinito de Deus não nos leva a fugir de sua ternura paternal, porque nele carinho e força são unidas. Na verdade, toda a espiritualidade som implica simultaneamente acolhedor amor divino e adoração, confiante no Senhor por causa de seu poder infinito. Na Bíblia, o Deus que liberta e salva é o mesmo Deus que criou o universo, e esses dois caminhos divinos de atuação estão intimamente e inseparavelmente ligados: "Ah Senhor Deus! É você quem fez os céus ea terra com o teu grande poder e por seu braço estendido! Nada é demasiado difícil para você ... Você trouxe o teu povo Israel da terra do Egito, com sinais e maravilhas "(Jer 32:17, 21). ... Uma espiritualidade que se esquece de Deus como todo-poderoso e Criador não é aceitável. É assim que acabam adorando poderes terrestres, ou a nós mesmos usurpar o lugar de Deus, até mesmo ao ponto de reivindicar um direito ilimitado de atropelar sua criação sob os pés. A melhor maneira de restaurar a homens e mulheres para o seu lugar, colocando um ponto final na sua pretensão de domínio absoluto sobre a terra, é falar mais uma vez da figura de um pai que cria e que só possui o mundo. Caso contrário, os seres humanos sempre vai tentar impor suas próprias leis e interesses sobre a realidade.” - Papa Francis, Laudato Si, §73, 75 Essa parte, por exemplo, salienta que Deus é pai, mas não devemos nos esquecer que Ele é nosso Criador todo poderoso. Muito diferente dos católicos socialistas, que sempre tentam ignorar que Deus merece nossa adoração reverente.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Marcelo José dos Anjos 18-06-2015 15:31
Fiquei muito feliz porque Dom Anuar Battisti (Arcebispo de Maringá - PR) foi hoje ao vivo na tv hora do almoço e falou longamente sobre esta Encíclica! Isso é muito bom!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Roberto Magno 18-06-2015 15:05
Grande Papa Francisco!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Pedro 18-06-2015 14:53
Infelizmente esse documento será explorado por progressistas para defender a diminuição da população. Solução: aborto etc
Responder | Responder com citação | Citar
0 # O Catequista 18-06-2015 16:07
Oi Pedro! Infelizmente, os idiotas úteis de ambos os lados (esquerda e direita) vão chiar de algumas coisas e tentar se aproveitar de outras. No fundo, nenhum destes dois grupos está interessado na encíclica, mas apenas em provar seu ponto de vista. Não vamos nos preocupar com eles. Sobre a questão da redução da população e aborto, o Papa fala explicitamente dessas práticas como erradas. Está no capítulo 3, dentro do trecho que aborda a cultura do descarte. Abraços!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Janes 18-06-2015 17:42
Eu fiquei com uma dúvida que talvez se esclareça durante a leitura do documento, mas gostaria de conhecer a vossa visão sobre isso. Não sei se ao tratar da questão das mudanças climáticas o papa fala do aquecimento global e usa explicitamente o termo. Me parece óbvio que assim deva ser pois uma coisa está ligada à outra. E esse é um ponto nevrálgico, delicado e polêmico. Não sei se e até que ponto vocês tem acompanhado esse debate. Mas existem muitos cientistas sérios que sustentam (e mostram provas) abertamente que o aquecimento global antropogênico (causado pelo homem) é uma mentira deslavada e ideologicamente viciada e intencionada. E chegam mesmo a afirmar que o oposto é que tem ocorrido, por forças naturais: o esfriamento global. E entre os cientistas que mais ardorosamente sustentam a tese do aquecimento antropogênico, existem alguns que já confessaram que manipularam dados para fazer passar a sua tese. Alguns do grupo que afirma a suposta fraude (da teoria do aquecimento via ação humana) e a manipulação ideológica a que essa causa serve, também afirma vivamente que se trata de uma estratégia de busca por poder e dominação, para estender ainda mais os tentáculos famintos do poder do estado sobre a vida da sociedade e das pessoas, especialmente do poder estatal de cunho globalista. As publicações dessa posição são várias e muito bem documentadas. Eu fiquei com a impressão de que este era o ponto aguardado com maior expectativa ( em relação à encíclica) por ambos os grupos. Sendo que o grupo de cientistas contrários à teoria antropogênica, chegou a mandar uma carta a Francisco, tentando alerta-lo acerca do que eles consideram uma armadilha ideológica que pode causar não só atraso econômico e desemprego, mas sobretudo favorecer o estatismo globalista. Eu confesso que fico confuso com isso, até porque me falta conhecimento técnico para avaliar as duas posições. E de todo modo, a questão ambiental é bem mais ampla que a questão do clima e do aquecimento (só a sujeira de tantos rios é todo um vasto campo de luta ambiental, que exige grande envolvimento nosso). E o próprio Roger Scruton, desde uma perspectiva assumidamente conservadora, fala da urgência da questão ambiental para o nosso tempo, até porque o seu trabalho intelectual voltado para a filosofia do Belo, teria mesmo que coerentemente incluir a proteção da beleza do mundo, da sua natureza. Mas sempre me resta aquela dúvida específica (sobre o aquecimento) pois se de fato, existe mesmo esse uso manipulador da questão do aquecimento , essa é uma questão de extrema gravidade ética para o discernimento do magistério da igreja! No mínimo, o magistério teria que investigar isso exaustivamente até o fundo, ouvindo atentamente todas as posições existentes, pedindo que fundamentem suas afirmações. Agora se isso já foi eventualmente realizado e chegou-se à conclusão de que não é possível saber com certeza qual grupo de cientistas fala a verdade, talvez o caminho seja recomendar um compromisso de cuidado com a natureza que - ao prevenir acerca de uma possibilidade (ainda que não provada) - não se torne com isso, uma armadilha que permita o atraso econômico, a pobreza e o desemprego e que especialmente não torne as sociedades e as pessoas ainda mais escravizadas do que já estão, às grandes ditaduras ideológicas cada vez mais dominantes no mundo de hoje. Minha grande expectativa - além do zelo pela criação do nosso Pai Celeste, para o bem da pessoa humana - era saber como o discernimento do santo padre lidou com essa complexa questão na qual estão em jogo, valores tão cruciais. Vou ler ainda hoje a encíclica , a ver se ela lança alguma luz sobre isso.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Stéphanie 30-06-2015 11:22
Olá, Janes. Aproveitando sua pergunta e resposta dada pelo catequista. De fato há muitas brigas entre os defensores da teoria antropogênica e os que dizem que isso é balela. Mas concordo muito com o catequista, essa briga é mais ideológica, isto é, uma subversão dos fatos para demonstrar e provar um ponto de vista e/ou justificar um ideal. A realidade é que o planeta está aquecendo, e não sabemos ao certo se por culpa da atividade humana ou não. Mas é fato que temos interferido e avacalhado muito com a criação de Deus com forte prejuízo para a vida humana. Citarei um sujeito ateu muito famoso: Carl Sagan. Em seu livro Bilhões e Bilhões ele aborda esta divergência sobre as causas do aquecimento global, e conta a história da Princesa Cassandra de Tróia. Cassandra ela bela, e por isso Apolo se apaixonou por ela, na tentativa de seduzi-la, pensou no que poderia oferecer à princesa. Mas ela era princesa, rica, bela inteligente, já possuía tudo. Ele então ofereceu-lhe o dom da vidência. Mas na noite de amor entre os dois, Cassandra fugiu, e como castigo, Apolo rogou-lhe a praga de que ela teria o dom da vidência, mas ninguém acreditaria em suas palavras. Então quando Cassandra alertou sobre o perigo que Tróia corria, todos zombaram, mas no fim Tróia foi invadida e incendiada. Hoje ocorre o mesmo com a questão do aquecimento global, enquanto cientistas ficam num embate de egos, nada tem sido feito, e se a causado aquecimento for mesmo a atividade humana, o tempo irá passar, nada será feito, e nós colheremos os frutos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Alex Hoffmann 16-07-2015 00:59
Sem querer jogar água fria, mas acrescentando um pouco dela, desconfie um pouquinho deste tal de aquecimento global, pois os oceanos estão em processo de resfriamento. Um dos promotores do alarmismo sobre o aquecimento global, o tal do Al Gore, comprou um casebre de reles 9 milhões de dólares, o detalhe é que a chopana do homem fica a menos de 50 metros da praia. Estranho isto.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Juliano 19-06-2015 11:38
Eu estou lendo a Encíclica ainda, até o momento, achei-a muito atual, sem dúvida. O que entendi, é que o Papa pede respeito a vida acima de todo o egoísmo vigente; afinal de contas, a modernidade, a evolução e a própria natureza devem servir ao homem, mas com a devida moderação e respeito, sem explorar a qualquer custo, pois tudo é obra a graça de Deus. Ele deu ouvidos aos céticos, afinal, escreveu que é um assunto que ainda geram muitas discussões, mas, e aqui vai um pouco a minha crítica, deu muito, mas muito mais ouvidos ao IPCC; mas é minha opinião, pois sou cético com relação ao Aquecimento Global causado pelo homem. Do resto da encíclica, no que diz respeito ao homem e o ambiente, estou achando excelente e progressista.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # janes 20-06-2015 21:03
Permita-me discordar de um pequeno ponto do seu comentário, na frase final onde voce diz estar achando a encíclica "progressista". Em termos cristãos e sobretudo católicos, palavras como PROGRESSISTA, CONSERVADOR, MODERADO, ESQUERDA, DIREITA,CENTRO e coisa do tipo, não tem o menor significado, conteúdo e substância. -"Meu reino não é deste mundo!" - Falou Jesus. E no tempo dele também havia grupos, partidos e tendências de todas as tonalidades, que poderiam ser encaixados nas categorias que temos hoje: progressistas poderiam ser aqueles como os zelotes que radicalmente lutavam contra a dominação romana?...conservadores seriam os que mamavam nas tetas daquela ditadura estrangeira? Alienados seriam os essênios que se recolhiam como monges? Havia os que estavam "em cima do muro" , outra classificação boboca que nossa mania de rotular criou...? As classificações e rótulos podem ser diversas, como ainda hoje...E JESUS? Onde ele se encaixou, com que "ISMO" fechou? (conservadorismo, progressismo, ala moderada?). Com nínguém! Ele era muito diferente daquilo tudo e era apelo de conversão para todos e cada um. E a igreja? Ora , a igreja é a continuação de Jesus na história e no mundo e deve estar onde Jesus está! A igreja não tem nada a ver com progressismo, centrismo ou conservadorismo. Ela tem a ver com FALSO ou VERDADEIRO, tendo como critério a vontade do Pai, o plano da salvação. Isso não quer dizer não ter clara posição diante dos fatos, sobretudo em relação à dimensão ético-moral-espiritual deles. Jesus na questão da ressurreição final concordava com os fariseus (mas não era fariseu) . Diante da questão concreta ele dizia sim ou não e, eventualmente reconhecia nuances onde houvesse. Mas ele não cabia em qualquer gaveta ideológica. A igreja deve seguir seus passos, ela não é esquerda nem direita, nem conservadora, nem moderada ou centrista, nem progressista, mas é profecia para todos, aguilhão à consciencia de todos, Boa Nova para todos, como Jesus seu fundador e Senhor. O cristão avalia caso a caso, e se posiciona sem ambiguidades e tegiversações diante de cada caso concreto, no varejo e no miudinho com discernimento, justiça e verdade, sem uma posiçao por atacado que o aprisione e engavete ideologicamente. Ele é livre e transversal, pronto a abraçar o bem , a beleza e a verdade onde eles estiverem. Como dizer que fecho com o bloco progressista se não sei o que eles vão dizer amanhã diante do fato X ou Y? Como me assumir conservador se não sei qual será a posição desse grupo daqui a um ano diante da questão A ou B? A posição de Jesus e portanto da igreja e de cada cristão, é bem mais qualificada, justa e profunda, pois é precedida de perguntas essenciais que ajudam o discernimento: 1)DO QUE SE TRATA? QUAL A QUESTÃO EM PAUTA? 2) E NESSA QUESTÃO, CONSERVAR O QUE??? A BIO-DIVERSIDADE, A VIDA HUMANA DESDE O VENTRE MATERNO? UM SALÁRIO INJUSTO? A VIOLENCIA CONTRA A MULHER? 3) OU FAZER PROGREDIR O QUE?? A LUTA PELA VIDA HUMANA DESDE A FASE EMBRIONÁRIA?? A PROTEÇAO DAS NASCENTES DE ÁGUA QUE ABASTACEM A CIDADE?? E ainda mais perguntas , detalhadas, lúcidas, adultas: O divórcio,o que estudos e pesquisas com séria metodologia tem apontado acerca das crianças de pais divorciados? Quanto de tentativa e procura de ajuda especializada (civil e religiosa) os casais buscam antes de dar esse passo? Qual o grau de maturidade humana e cristã e de saude psquica do casal no momento do divorcio? O que foi feito para melhorar esse grau de maturidade e saude antes da separação??? Percebe? A facilidade, superficialidade e pressa, com que se rotulam e se encaixam as pessoas e instituiçoes nos feudos ideológicos pré fabricados, faz com que se queimem etapas essenciais, censura perguntas fundamentais e sobretudo impede diálogos profundos e lúcidos. Diz São Tomás de Aquino que a Revelação Divina em Cristo, não apenas traz e faz surgir um fato novo na história e no mundo, na realidade, mas "saneia" o real, traz lucidez de análise e compreensão, por isso a igreja não entra nas gavetas fabricadas pelo mundo e pela obtusidade humana marcada pelo pecado original, mas caminha livre e transversalmente abraçando o bem onde ele estiver e denunciando o mal onde ele estiver, ela tem a ver com o FALSO e o VERDADEIRO.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Janes 18-06-2015 18:14
Para quem quiser estudar as repercussões da encíclica , tem aqui uma entrevista com Leonardo Boff - que andou propagando que seria consultado acerca dela, mas não foi . Parece que ele gostou, embora a gente nunca saiba - dada à sua habitual desonestidade intelectual - se sua fala é sincera ou é tática em vista de estratégias e intenções terceiras a serviço sabe se lá de quem....Gato escaldado teme a água quente.Eis a peça: http://www.ihu.unisinos.br/entrevistas/543662-ecologia-integral-a-grande-novidade-da-laudato-si-qnem-a-onu-produziu-um-texto-desta-natureza-entrevista-especial-com-leonardo-boff Já a posição (mais antiga) de Clodovis Boff, acerca da questão ambiental, é marcada como sempre (nessa sua fase adulta, após 2008) por grande lucidez crítica e fidelidade aos dados e fatos da fé. E até onde sei, sua posição teológica, é bem mais próxima à posição do Papa Francisco. Aqui está ela: http://www.ihu.unisinos.br/noticias/41308-ecologia-na-otica-do-niilismo-por-uma-ecologia-aberta-ao-transcendente De todo modo, é preciso ler e estudar com discernimento e carinho, ponderando todos os fatores. Concordo com um dos comentários aqui colocados, criticando essa gente que já sai metralhando contra o papa, sem sequer estudar o documento. Agressão gratuita e fanática, algumas vezes. Como o papa Francisco costuma dizer, há grupos - autonomeados "progressistas" , "conservadores" ou "moderados"...quanta bobagem... (Em qual desses grupos e partidos mundanos Jesus se encaixaria, hein? Ou Ele seria apelo de conversão a todos eles? Então sigamos seu exemplo, pois o reino dEle que também é o nosso, "NÃO É DESTE MUNDO!") que não sentem a igreja como LAR, mas são INQUILINOS que alugam a igreja do Senhor em função de seus gostos e opções ideológicas prévias. E assim vigiam e selecionam cada gesto e palavra do papa, na expectativa de ver reforçada ou atacada sua posição ideológica e suas agendas militantes. Mas Jesus é muito diferente disso tudo! E nós devemos se-lo também!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # janes 20-06-2015 21:50
Eu já li tudo e de fato parece haver certa tendência a levar em conta a hipótese do aquecimento antropogênico, mas assumindo que o tema não é objeto de pleno consenso. No site Fratres in Unun (http://fratresinunum.com/2015/06/18/carta-da-terra-e-mencionada-em-laudato-si/) o Professor Hermes Nery opina que - por citar a Carta da Terra, repleta de panteísmo pagão - o papa se rendeu totalmente à visão ambientalista ideologizada de Leonardo Boff (um dos autores da tal Carta da Terra, salvo engano, ou pelo menos um grande entusiasta dela e de sua ideologia subjacente). Discordo do grande Prof.Nery (grande lutador pela ecologia humana, defensor da vida desde o ventre materno!) . O papa Francisco, só colhe da Carta Terra , os dados e informações factuais que ela tem. Mas na verdade caro Prof.Nery , toda a carta do papa é uma voadeira certeira e um murro na boca do estomago da ideologia escondida na Carta da Terra e tenho quase certeza (por toda a dura crítica que o papa vem fazendo à cínica chantagem economica e assédio moral dos organismos internacionais sobre os paises pobres que nao aderem à sua agenda "progressista") que ele dá essa voadeira muito propositalmente, ele sabe quem são os inimigos de Cristo no mundo de hoje. Veja como a carta várias vezes condena claramente o abortismo e a ideologia de gênero , bem como a mentalidade contraceptiva e antinatalista, isso é o EXATO OPOSTO do espírito e da ideologia da Carta da Terra e o papa sublinha claramente e denuncia vivamente essa CONTRADIÇÃO de certos AMBIENTALISTAS em quererem salvar animais em extinçao e desprezarem a vida humana indefesa no ventre, ou seja é exatamente essa a posição da maioria dos entusiastas da Carta Terra, inclusive do Sr.Leonardo Bofe, que também endossa a "espiritualidade" panteísta, esotérica e incolor da Carta Terra contrapondo-a aos dados da Tradição Cristã que segundo ele não podem sustentar um compromisso ambiental e sim o oposto disso. O Papa vai radicalmente contra essa cosmovisão GAYA de Bofe e se alinha muitissimo mais com a visao de Clodovis Boff (por sua vez, cada vez mais fiel a tradição cristã e crítico de seu sequestro ideológico pela TDL) que centra em DEUS PAI criador , a tarefa de guardião da terra confiada ao ser humano. Porque Leonardo Bofe , foi um dos primeiros a vir em público apoiando uma enciclica que critica abertamente a visão de mundo que ele desposa e divulga, é algo que dá o que pensar... e não nos cabe julgar. Mas dado ao modus operandi do movimento globalista no mundo...a gente fica sempre com um pé atrás. Agora um ponto da encíclica desafia a postura daqueles que denunciam a ideologia globalista (Sobretudo Olavo de Carvalho e mais ainda o Padre Paulo Ricardo), pois a enciclica , como aliás toda a Doutrina Social da Igreja (e já faz tempo) também fala de alguma forma de governabilidade mundial sobretudo devido à natureza global de certos impasses. Cabe à essa vertente (justa e lúcida sob diversos aspectos) da crítica anti-globalista aprofundar seus estudos de modo a distinguir o globalismo ideológico daquela justa preocupaçao (e proposta) da Doutrina Social da Igreja acerca da necessidade de instancias mundiais devido à internacionalizaçao de uma série de problemas sociais. Bem como cabe aos especialistas da Doutrina Social da Igreja, em dialogo com a luta anti-globalista deixar bem claro que está falando de uma coisa totalmente diferente da estratégia de busca de poder dos grupos globalistas (aliança russo-chinesa, socialismo fabiano e grandes organismos internacionais,e a escalada muçulmana) e até mesmo como contraponto a eles.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # O Catequista 18-06-2015 18:10
Oi Janes! Ao ler a encíclica você vai ver que o Papa foi extremamente cuidadoso ao desenvolver o diagnóstico sobre o qual iria desenvolver seu discurso. Vai reparar também que após o primeiro capítulo, a questão do aquecimento global perde a relevância porque o cerne da encíclica é a visão humana e social da luta ecológica. Portanto, ainda que a questão do aquecimento seja uma grande mentira, toda a encíclica permanece válida. Além disso, essa briga de aquecimento ou não aquecimento é muito mais uma questão ideológica do que de fatos. O que vemos hoje é um meio ambiente degradado e, sem dúvida alguma, em mudança. Podemos ficar anos discutindo porque, mas definitivamente, precisamos dar atenção ao problema que se impõe, mais do que ao grupo que o propaga. E tem um trecho sobre ciência e ideologia em que o Papa se posiciona claramente. Ele diz que não há espaço pra esse tipo de discussão tecnicista porque "a realidade é maior que as idéias". Abraços!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # janes 20-06-2015 21:21
Sobre a polemica do aquecimento e outros debates cientificos , considerei bem lúcida e equilibrada a posição da presidencia da CNBB. Aqui : http://www.acidigital.com/noticias/laudato-si-nao-dogmatiza-dados-cientificos-assegura-presidente-da-cnbb-76462/
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Osvaldo delfino 18-06-2015 13:33
O espírito santo está sempre com senhor Papa Francisco Deus abençoe por estás profecias que nós, tomamos conta do que as suas palavra possa agir em nosso coração. E que todos Tomé posse de juntos reverter essa situação com muita oração e trabalho. Or
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Daniel 18-06-2015 12:42
Os documentos do Papa deviam ser estudados nas universidades
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade