O Papa Francisco e a salvação dos ateus

papa_francisco_telefone_sem_fio_2

Na semana passada, vários sites e blogs divulgaram que o Papa Francisco, na homilia do dia 22/05, garantiu o Céu aos ateus bonzinhos. O fato é o que o Papa não disse nada disso, suas palavras foram profundamente deturpadas. Sobre a salvação, a mensagem de Cristo é translúcida: quem não crer, será condenado.

Então Jesus disse-lhes: “Ide pelo mundo inteiro e anunciai a Boa Notícia a toda a humanidade. Quem acreditar e for batizado, será salvo. Quem não acreditar, será condenado.”

– Marcos 16,16

Essa condenação, certamente, não atinge as pessoas em estado de ignorância invencível, conforme já explicamos aqui.

O que o Papa disse não tem nada a ver com “não tem problema se você é ateu, tanto faz crer em Deus ou não, todos vão se salvar se fizerem o bem”. Não foi isso. O que ele disse foi que todos são chamados a fazer o bem, todos têm esse ímpeto, sendo católicos, seguidores de outras religiões ou ateus. E esse desejo de bem pode ser um excelente fator de encontro, de entendimento entre católicos e não-católicos.

“Se nós, cada um de nós, fizer o bem aos outros, pouco a pouco, lentamente, realizamos aquela cultura do encontro: aquela cultura de que tanto precisamos. Encontrar-se fazendo o bem.”

Papa Francisco, homilia do dia 22 de maio.

Isso está de acordo com o que São Paulo expôs sobre a lei inscrita nos corações dos homens (a lei natural), que leva até aqueles que nunca ouviram falar de Jesus a fazerem o bem (Romanos 2, 14-15). Ou seja, a afirmação do Papa Francisco não trouxe nenhuma novidade, apenas reafirmou aquilo que já é reconhecido na Bíblia.

Jesus morreu na cruz para que todos fossem redimidos com o Seu sangue, também disse o Papa. O que não quer dizer que todos aceitam essa redenção. Muitos a rejeitam e condenam a si mesmos. Uma pessoa que, até o seu último suspiro, endurece o coração e fecha a inteligência para reconhecer e aceitar a redenção divina, não pode ser salva. Deus oferece a Salvação a todos, mas não obriga ninguém a aceitá-la.

Essa rejeição obstinada da misericórdia divina é o “pecado contra o Espírito Santo” (Mt 12,31), o único pecado para o qual não há perdão:

“A misericórdia de Deus não tem limites, mas quem se recusa deliberadamente a acolher a misericórdia de Deus pelo arrependimento rejeita o perdão de seus pecados e a salvação oferecida pelo Espírito Santo. Semelhante endurecimento pode levar à impenitência final e à perdição eterna.

– Catecismo da Igreja Católica, §1864

Como nos ensinou o Papa Francisco na citada homilia, temos que deixar que Jesus amplie os nossos horizontes, e assim vejamos o bem que está no coração dos não-católicos. Assim, pode crescer entre nós o afeto e o diálogo.

Quem teve a graça de um encontro pessoal com Cristo sabe que o desejo de bem, de amor, de verdade e de justiça que pulsa em cada coração humano – inclusive no coração dos ateus – só se realiza plenamente na amizade com o Senhor. Sem a graça de Deus, até praticamos ocasionalmente boas ações, mas continuamos mergulhados em confusão e em erros. Reparem: quantas vezes metemos os pés pelas mãos e magoamos até quem mais amamos?

Por causa da ferida do pecado original, muitas vezes não somos capazes de fazer o bem que desejamos. Como confessou São Paulo, “O querer o bem está em mim, mas não sou capaz de fazê-lo. Não faço o bem que quero, mas o mal que não quero” (Rom 7,18-19). Só Jesus nos liberta dessa condição, enchendo os nossos corações com um amor e uma esperança antes inimagináveis.

Daí a necessidade urgente de pedirmos que o Espírito Santo nos capacite para a missão. Que, conforme o pedido do Beato João Paulo II, não tenhamos medo de falar de Cristo, e sejamos apóstolos dos que estão à nossa volta (para ver esse discurso, clique aqui).

65 comments to O Papa Francisco e a salvação dos ateus

  • Vivi, poste por favor a homilia completa para que possamos lê-la em sua integridade.

  • Abençoado sejam vocês meus caros por defenderem tão forte e corajosamente a fé e a nossa Igreja! Espero um dia ter conhecimento o suficiente para poder defender melhor o esposo de minha alma, Como diz minha querida santinha Santa Faustina em seu Diário!

  • Tiago

    Pediria que se mudasse uma coisinha numa frase. Antes do trecho da homilia do papa Francisco, onde tem “todos têm esse ímpeto, sendo católicos, cristãos ou ateus”, tá parecendo que a gente (católico) não é cristão.

    Ah, e parabéns pelo trabalho de vocês! Meu blog de acompanhamento diário!

  • Juciara Tomaz

    Todos sabemos que Jesus morreu por TODOS, inclusive pelos que não creem nele. Agora, a salvação tem que ser acolhida por meio fé em Jesus! O povo faz tanta tempestade em copo d’água…

  • J. Everton

    Acredito que o papa disse isso pois alguns ateus podem estar na “ignorância invencível”, conforme as três situações citadas em outro post (No Céu só haverá católicos?) que foi mencionado neste.

    Alguns ateus sinceros podem estar vivendo, de alguma forma, conforme a vontade divina, então são aceitos por Deus (“‘Mas eu não acredito, padre, eu sou ateu!’. Mas faça o bem: vamos nos encontrar lá.”).

  • Mais chocante foi ver um colega meu “caótico” ao ler a noticia falsa, dizer: “Agora sim to gostando desse Papa!”
    Ridiculo isso do Papa ter que apostatar para esse povo gostar dele… #xatiado

  • Muita coincidência, assim que li esse post vi um site com a “falsa homilia”. Caso queria ler o absurdo, aqui está http://literatortura.com/2013/05/27/papa-francisco-diz-que-nao-e-problema-ser-ateista-contanto-que-voce-seja-bom/ Óbvio que recomendei lerem esse post!
    Até parece que o Papa vai falar qualquer coisa nas homilias para agradar a gregos e troianos e ganhar ídolos.

  • Só pra complementar:
    Os esclarecimentos que demos neste post estão de acordo com as explicações do Pe. Thomas Rosica, que é diretor da TV Católica do Canadá.

    Ele, que também é um porta-voz do Vaticano, afirmou que o Papa disse que todos foram remidos por Cristo, o que é bem diferente de dizer que todos serão salvos. Ele disse ainda que quem se rejeitar conscientemente a Igreja Católica será condenado.

    As declarações do Pe. Rosica foram publicadas no site da CNN:

    http://religion.blogs.cnn.com/2013/05/23/heaven-for-atheists-pope-sparks-debate/

  • J. Everton

    É simples de entender o que o papa quis dizer, basta apenas comparar uma situação oposta:

    Assim como alguns ditos católicos, que vivem de modo superficial sua fé, se perderão, o papa quis dizer que alguns ateus, que tem coração sincero, que vivem de alguma forma em conformidade com a vontade de Deus, podem ser aceitos por Deus.

    • Todo ateu, por maior bem que tenha feito, que conscientemente rejeita a verdade da fé católica, será condenado. Isso é dogma de fé. Não só ateus, mas muçulmanos, judeus, protestantes, budistas, xintoístas, brhamistas, ortdoxos também.

      Por mais que façamos o bem ele é por si só incapaz de nos salvar. Essa é a heresia dos tempos modernos: o neopelagianismo.

      • Raphael

        Não concordo que só nós católicos seremos salvos! Muitos dos judeus, islâmicos, budistas, etc.. Não tiveram o privilégio e a sorte de conhecer Jesus Cristo e nossa Igreja. AI por conta disso…serão condenados? Que Deus é esse?

        Deus é infinita misericórdia e bondade! Como A Catequista falou…podemos fazer boas ações, mas a cada boa ação, erramos 10x mais! Então acredito que muitos deles serão salvos, ao contrário de muitos de nós católicos, que mesmo tendo conhecimento desse Deus, o negamos em vários momentos da vida!

        • Oi, Raphael!
          A Igreja é indispensável para a salvação de todos.

          Então, o ensinamento católico é este:

          1. fora da Igreja não há salvação. Isso é dogma, ou seja, é uma verdade de fé que deve ser aceita por todo católico;

          2. aqueles que, sem culpa, desconhecem Cristo e a Sua Igreja, mas buscam a Deus sinceramente e tentam cumprir a Sua vontade não estão fora da Igreja. Eles fazem parte da alma da Igreja e, assim, podem conseguir a salvação.

          Já explicamos isso no post “No Céu só haverá católicos?”:
          http://ocatequista.com.br/archives/9479

          E que fique claro: todo aquele que rejeitar a Cristo e a Sua Igreja de forma consciente será, sim, condenado.

        • Raphael, eu coloquei sim em meu comentário a “claúsula de dispensa” do Catecismo: “Todo ateu, por maior bem que tenha feito, que CONSCIENTEMENTE REJEITA A VERDADE DA FÉ CATÓLICA, será condenado.” Ou seja, desde que a pessoa faça isso conscientemente, ela não pode salvar-se.

      • Alexandre

        Ortodoxos são católicos também, só não são da ramo romano. A igreja católica é composta dum total de 24 ramos independentes. 1 ocidental (romana) e 23 orientais (maronita, copta, ortodoxa grega, bizantina grega, ortodoxa armênia, etc).

        • Não, Alexandre, você está confundindo a Igreja Ortodoxa (cismática, em comunhão apenas parcial do Roma) com as igrejas católicas orientais sui juris (que possuem plena comunhão com Roma.

    • J. Everton,
      O fato é que o Papa não disse que basta uma ateu fazer o bem pra ser bom pra se salvar; isso seria heresia. Isso só vale para as excessões, ou seja, os casos específicos de ignorância invencível. Porém, quem rejeitar conscientemente a Igreja Católica será condenado. Jesus não disse: quem for bom será salvo; Ele disse, quem crer será salvo. Até porque Ele bem sabia que, pra cada boa ação, fazemos 10 maldades. Por isso, ninguém se salva por suas “boas ações”. A conta tá sempre no negativo…

      Somos salvos pelos méritos que Jesus obteve para nós da Cruz.

      • J. Everton

        Eu não disse que basta apenas fazer o bem que pode rejeitar as verdades da Fé e ainda assim ser salvo: eu disse que um ateu pode estar na “ignorância invencível”, conforme as três situações mencionada em outro post (No Céu só haverá católicos?).

        Veja essa situação, por exemplo, descrita no outro post, que citei acima:

        “porque tiveram uma experiência negativa com os católicos ou porque receberam uma catequese ruim, e assim formaram uma má impressão”

        Um ateu pode estar nessa condição, por isso mesmo não confessando as verdades da Fé, mesmo a crença em Deus (por ter uma concepção equivocada, por causa da forma que lhe foi transmitida), esse ateu pode, de alguma forma, estar vivendo em conformidade com a vontade de Deus, e o ato de “fazer o bem” pode ser uma expressão da ação de Deus nesse ateu, interiormente.

        Sendo assim, se deixando levar pela ação de Deus (que tem origem na criação), mesmo não compreendendo exatamente e por isso não confessando, o ateu é aceito por Deus.

  • Flavio

    Excelente post…, aliás esses últimos post estão particularmente acima das expectativas, na minha opinião, só pode ser inspiração do Espírito Santo, parabéns. Eu me pergunto porque tanta resistência em aceitar as verdades da Igreja de Deus? Aquela que realmente possui a assistência do ES… ou o Espírito Santo deixou a Igreja e Cristo “quebrou” a sua promessa? É impressionante notar tanta resistência em aceitar tais ensinamentos, mais ainda pelos católicos leigos e pior até por alguns do clero…que a Graça e Misericórdia de Cristo sejam a nossa luz.

  • Silvia Tavares

    Perfeita a explicação de vocês! Minhas conclusões foram as mesmas. Por mais que os ateus não aceitem, nem acreditem, que se revoltem e blasfemem, Deus ama a TODOS nós e dá a TODOS a escolha livre de segui-lo ou não.

    Lendo as citações da homilia aqui , acredito que a confusão se estabeleceu por causa dessa frase: “‘Mas eu não acredito, padre, eu sou ateu!’. Mas faça o bem: vamos nos encontrar lá”. Retirada de seu contexto, ela parece afirmar o que andam dizendo sobre o Papa. Claro que sabemos que não foi isso que o Papa disse…

  • Claudio

    Meu caro, nao encontrei o link para o texto da homilia que vc disse ter postado. Por favor, por favor, por favor mesmo, se tiver um link com a homilia em qq idioma, disponibiliza para mim?

    att
    Claudio

  • Mateus Calegare

    O incrível é que nem mesmo o católico respeita a crença de outro católico.
    Se enfrentam em debates desnecessários, e não enxergam o que de fato está claro.
    Não sou ateu, não sou católico, nem muçulmano e nem sigo qualquer que seja a cresça, espiritual é claro. Mas respeito qualquer que seja a religião, pois imagino da mesma forma que o Papa, se é em prol do bem trata-se de uma ideologia muito digna, qual seja ela. E pelos olhos de “Deus” este ser é bem visto.

    O Papa disse: ‘But I don’t believe, Father, I am an atheist!’ But do good: we will meet one another there.”

    Text from page http://en.radiovaticana.va/news/2013/05/22/pope_at_mass:_culture_of_encounter_is_the_foundation_of_peace/en1-694445
    of the Vatican Radio website

    E eu penso: Se o céu realmente existir, e se os dignos, dito crentes, se exilarão por lá, inclusive o Santo Homem da Igreja Católica, o Papa, e se o Papa disse (Disse! leiam a matéria acima) que se encontraria também com os ateus por lá. Então os ateus, que atuam de forma bondosa em vida, também possuem um lugar ao céu. E o melhor: Livre de indulgência.

    • Mateus,
      Você diz que respeita todas as religiões, inclusive o catolicismo. É bom notar que o respeito inclui a humildade de só falar daquilo que entendemos sobre as outras religiões. E, pelo visto, você realmente não faz a menor ideia da doutrina católica sobre a salvação. Por isso, não entendeu o que o Papa disse, e interpretou suas palavras de forma deturpada, assim como a mídia.

      O Papa disse “Mas faça o bem: vamos nos encontrar lá” no sentido de vamos nos encontrar, vamos nos aproximar nesta vida na obra de construção do bem. Tanto é que, em seguida, ele diz: “…façam o bem, e que todos nós nos encontremos nesta obra, que é uma obra da criação…”. Ou seja, vamos nos encontrar na obra de fazer o bem. Ponto.

      Então, sendo menos afobados e menos levianos na interpretação da homilia, vemos que o “lá” não é o Céu, mas é o encontro humano neste mundo, em um ponto comum a todos, que é o desejo de fazer o bem. Afinal, todos, ateus ou crentes, foram criados à imagem e semelhança de Deus. O Papa quis mostrar que católicos e ateus podem se encontrar, podem se aproximar por meio deste ponto comum.

      O Papa bem sabe que, se uma pessoa é fiel até o fundo ao seu desejo de fazer o bem, e se põe em ação, em um momento ou outro ela se dará conta do grande vazio que tem no peito, da sua incapacidade de fazer o bem de verdade, até o fundo, e encontrará Jesus Cristo.

      Mateus, imagine um cara que faz caridade pros mendigos na rua – que bonzinho ele é, todos dizem ao vê-lo – mas rejeita a própria mãe que o desejou, o gestou, o pariu, o amamentou e o criou. A mãe sempre foi boa com ele, mas ele, por algum motivo estranho, insiste em renegá-la, e a deixa na solidão. Você acha que esse cara é realmente bom?

      Nessa condição – na verdade, numa condição bem pior – estão os ateus que, contra toda lógica, rejeitam o Criador, que lhes permite respirar a cada minuto. Os únicos ateus desculpáveis são aqueles (certamente, uma minoria) que estão em situação de ignorância invencível, conforme já explicamos aqui:
      http://ocatequista.com.br/archives/9479

      • Mateus Calegare

        Olá,

        Desconheço a crença católica, mas em momento algum faltei com respeito às suas crenças.
        Realmente fiz uma interpretação errada. Num ponto acima o Papa cita o encontro no momento de fazer o bem e em momento algum cita a salvação aos ateus.
        Agora com toda sua experiência e conhecimento, me diz se uma mãe, mesmo sendo renegada, abandonaria um filho?
        Uma mãe, feita a semelhança de Deus.
        Ou me diz se um filho, que embora negue “suas origens”, ajuda tantas outras pessoas que confiam e creem nos dogmas da religião, não deveria realmente possuir um lugar ao céu?
        Eu não vejo “Deus” dessa forma, “Deus” é algo que não podemos compreender, não podemos sequer nomeá-lo.
        Para que você entenda, embora eu não tenha nenhuma religião, há um tempo busquei uma na qual eu me encontrasse. E no final, me encontrei. Minha casa é a melhor das igrejas, meu quarto é o melhor dos altares, e minha mente é o maior dos profetas.

        • Mateus,
          A mãe jamais abandona seu filho, assim como Deus jamais abandona os pecadores. Mas a mãe não pode obrigar um filho a aceitar a sua herança. Assim, Deus oferece aos seus filhos todas as graças possíveis até o último suspiro de suas vidas. E, respeitando a liberdade deles, não os obriga a aceitar seus dons. E alguns desses dons que os ateus negam são o perdão e a redenção.

          Mateus, você ainda não se deu conta que, por melhor que uma pessoa seja, sua vida é toda marcada por erros e confusões. Então, no fim, ninguém é bom de fato, sem a ajuda de Deus. Com suas próprias forças, conseguimos eventualmente fazer uma outra boa ação, mas nunca somos bons de fato.

          É claro que não podemos compreender Deus. Mas, querendo ser nosso Pai e nosso amigo, Ele se tornou homem, e se fez compreensível. Falou de modo que compreendêssemos, e deixou a Sua Igreja para comunicar a Sua Palavra de forma infalível a todas as gerações.

          O nome de Deus Pai não sabemos, nem ao mesmo imaginamos que forma Ele tem. Mas a Deus Filho Ele nos revelou, seu nome é Jesus Cristo, filho de Maria de Nazaré, e quem vê a Ele vê ao Pai.

          • Paulo

            É uma pena, Mateus, que as pessoas vejam o crer como uma obrigação dolorosa, como prestar serviço militar obrigatório… Quando se crê, não se está fazendo nenhum favor a Deus ou à Igreja, é bem ao contrário.
            Deus não precisa de nós, nós é que precisamos Dele!

  • Jamille Michelle

    O Papa fala no finalzinho:”…Devemos conhecer um ao outro fazendo o bem. ‘Mas eu não acredito, Padre, eu sou ateu!’ Mas faça o bem: vamos nos encontrar lá”

    Ele fala para nós ateus que façamos o bem, mesmo sem crermos, que nos reencontraremos. O que ele falou foi de fraternidade, de amor incondicional, como forma de união entre todos nós, não tem nada a ver com essa distorção proselitista que você tenta fazer.

    O Papa Francisco me incluiu em seu meio, pois ele é de inclusão e irmandade. Mas você, assim como a maioria dos católicos, é de exclusão, é de condicionantes. E eu me vi fora de novo, porque os católicos só ouvem o que querem e não o que é necessário, mesmo quando quem fala é o seu guia maior na terra.

    • Jamille,
      Sim, é verdade que o Papa fala de fraternidade. Ele deixa claro que a irmandade, nesta vida, entre católicos e ateus é possível. E vejo que isso é verdade, pois uma de minhas amigas mais amadas é ateia.

      O Papa Francisco não disse que se os ateus fizerem o bem, mesmo sem crer, eles se reencontrarão com os crentes no Céu, como você interpretou. Ele não fala de reencontro, mas de ENCONTRO. Vou e explicar o mesmo que expliquei para o leitor Mateus, num comentário anterior: o Papa disse “Mas faça o bem: vamos nos encontrar lá” no sentido de vamos nos encontrar, vamos nos aproximar nesta vida na obra de construção do bem. Tanto é que, em seguida, ele diz: “…façam o bem, e que todos nós nos encontremos nesta obra, que é uma obra da criação…”. Ou seja, vamos nos encontrar na obra de fazer o bem. Ponto.

      Então, sendo menos afobados e menos levianos na interpretação da homilia, vemos que o “lá” não é o Céu, mas é o encontro humano neste mundo, em um ponto comum a todos, que é o desejo de fazer o bem. Afinal, todos, ateus ou crentes, foram criados à imagem e semelhança de Deus. O Papa quis mostrar que católicos e ateus podem se encontrar, podem se aproximar por meio deste ponto comum.

      O Papa bem sabe que, se uma pessoa é fiel até o fundo ao seu desejo de fazer o bem, e se põe em ação, em um momento ou outro ela se dará conta do grande vazio que tem no peito, da sua incapacidade de fazer o bem de verdade, até o fundo, e encontrará Jesus Cristo.

      Sim, Jamile, o amor de Deus é incondicional, mas ele não obriga ninguém a aceitar esse amor. E quem não o aceita, é impossível que se beneficie dele. Então, certamente há condicionantes!!! Da mesma forma que, para receber rica a herança de um pai, um filho precisa aceitá-la, também precisamos aceitar o amor de Deus para recebê-lo. Ele respeita a nossa liberdade.

      Veja que isso faz todo o sentido. Jamile, imagine um cara que faz caridade pros mendigos na rua – que bonzinho ele é, todos dizem ao vê-lo – mas rejeita a própria mãe que o desejou, o gestou, o pariu, o amamentou e o criou. A mãe sempre foi boa com ele, mas ele, por algum motivo estranho, insiste em renegá-la, e a deixa na solidão. Você acha que esse cara é realmente bom? Nessa condição – na verdade, numa condição bem pior – estão os ateus que, contra toda lógica, rejeitam o Criador, que lhes permite respirar a cada minuto. Os únicos ateus desculpáveis são aqueles (certamente, uma minoria) que estão em situação de ignorância invencível, conforme já explicamos aqui:
      http://ocatequista.com.br/archives/9479

      Você diz que nos católicos só ouvimos o que queremos, mas essa sua interpretação forçosa da fala do Papa Francisco mostra que essa sentença vale muito bem para você. Sim, nós católicos ouvimos o nosso maior guia na Terra, especialmente porque ele não alterou o Catecismo da Igreja, que diz:

      “A misericórdia de Deus não tem limites, mas quem se recusa deliberadamente a acolher a misericórdia de Deus pelo arrependimento rejeita o perdão de seus pecados e a salvação oferecida pelo Espírito Santo. Semelhante endurecimento pode levar à impenitência final e à perdição eterna.” (CIC, §1864)

      Você diz que foi excluída… Mas foi excluída de onde? Do Céu, aquele lugar que não existe? Fala sério! Você está mesmo chateada de ter sido excluída de um lugar fantasioso? Isso te incomoda mesmo? Estranho…

      Mas que fique claro: nenhum católico pode excluir pessoa alguma no Céu (aliás, nenhum católico pode nem mesmo se incluir no Céu…), mas sim cada um que rejeita a amizade com Deus é que se auto-exclui de tamanha graça.

      Só pra complementar:
      Os esclarecimentos que demos neste post estão de acordo com as explicações do Pe. Thomas Rosica, que é diretor da TV Católica do Canadá e porta-voz do Vaticano. Ele afirmou que o Papa disse que todos foram remidos por Cristo, o que é bem diferente de dizer que todos serão salvos. Ele disse ainda que quem se rejeitar conscientemente a Igreja Católica será condenado.
      As declarações do Pe. Rosica foram publicadas no site da CNN:
      http://religion.blogs.cnn.com/2013/05/23/heaven-for-atheists-pope-sparks-debate/

      • Jamille Michelle

        Não, você é que distorce o que o Papa disse para se adequar ao que você quer, transformando a proposta do Papa num encontro no nada sem sentido e inútil.

        O Papa não falou para uma multidão de ateus, falou em particular para cada um de nós ateus, falou só para mim. Naquele instante em que fui tocada pelo que ele falou, eu e ele estávamos num encontro, e me convidou para nos reencontrarmos no bem.

        O Papa não me emocionou por me dá uma possibilidade de ir para o Céu, eu não creio a existência do Céu ou Inferno. O que me comoveu é que ele nos incluiu no que acredita sem o fim melhor, nos incluiu no que acredita ser mais puro. Eu aceitei o convite, e vou tentar como puder, fazer o bem, e quando tiver feito pelo menos um pouco, terei me reencontrado com ele.

        • Jamille…
          Mais uma vez, quem fala em reencontro é você, e não o Papa. E não é um encontro “no nada e sem sentido”: é um encontro neste vida, fazendo o bem.
          Pelo visto, você acredita mesmo no Céu e faz questão de ir pra lá, só não quer admitir, rs.
          Mas veja, que bom que temos algo em comum: queremos estar em comunhão com o Papa e queremos fazer o bem.
          Deus te abençoe e te dê coragem para assumir e levar a sério os desejos mais profundos do teu coração!

  • Mila

    Imagino, ou tento imaginar, o quanto é difícil para alguém que crê em Deus compreender aquele que não crê. Principalmente nesses tempos de um neo ateísmo desenfreado, desrespeitoso e por vezes até criminoso que se espalha por aí. Mas peço, POR FAVOR, que não pensem que todos os ateus são desprezíveis. Li alguns comentários que me entristecem, onde me parece, referem-se a ateus como pessoas sem escrúpulos. Estes existem sim, mas não representam todos.
    Sou ateia e tenho o maior respeito a todas as religiões, em especial a igreja católica, que é a religião de meus familiares e consequentemente a religião na qual fui criada. Eu nunca havia ouvido falar de ateísmo quando descobri que não conseguia acreditar em Deus, em milagres, em santos, em anjos…Eu não escolhi ser ateia, eu simplesmente nasci assim. Imagino o quanto deve ser difícil compreender isto. Mas sei também que o Papa Francisco não me condena ao inferno por isso, sei que Jesus não me condenaria e outras centenas de santos não me condenariam. Vi no Papa Francisco uma esperança e ela aos poucos vai se realizando: a de promover o encontro entre as pessoas.Você diz que todos somos irmãos, pois somos filhos de Deus e eu digo que somos todos irmãos, pois descendemos dos mesmos ancestrais, então não são duas maneiras diferentes de dizer a mesma coisa? Se você acha que eu vou para o inferno, o que poderei fazer? Nem sei se devo ficar chateada, pois não acredito em inferno, em céu ou qualquer coisa assim.
    Eu não posso falar de Deus, mas posso falar de bondade, de carinho, de amor ao próximo, de alegria, de respeito, de tolerância, de paz…Não vamos criar barreiras, vamos destruí-las!

    • Sidnei

      Mila, eu que sou católico não me garanto que estarei no céu, quem dirá dos outros, até de ateus como você, se alguém vai para o céu ou para o inferno, isto só Deus sabe, de resto, temos que trabalhar para o bem das pessoas, com altruísmo sem esperar nada em troca, e para que alguém vai para o céu ou para o inferno, Deus que sabe o que se passa na mente e no coração de cada uma, de tal maneira, que Ele saberá os motivos que alguém se tornou ateu, que alguém foi homossexual, que alguém praticou tal e tal pecados ou virtudes, de tal maneira que dependendo das circunstancias, e o ambiente que todos estão inseridos, haverá maior grau de agravante ou atenuante para cada um no momento de seu juízo final, por isto, não perco as esperanças de salvação a quem quer que seja, mesmo para ateus como você, pois acreditamos sim na justiça divina assim como acreditamos na sua imensa misericórdia.

  • Juliano

    Boa tarde, A Catequista, ou Paulo Ricardo, ou o Cadu poderiam me ajudar? Entendo, por salvação, o Céu. O Paraíso, ao lado de Jesus, Marias, os Apóstolos, Santos e Mártires. Correto? Agora, para os que renegam a Santa Igreja, o mesmo sendo “bom” (coloco entre aspas, já que a proporção de pecados em geral, é maior) o ser vai para o inferno? Ou terá a misericórdia do purgatório, para que lá, com nossas orações (feitas em todas as missas) recebam a salvação? Ou o destino destas almas é o inferno, sem chance? Eu trabalho com pessoas de outras religiões, nunca discutimos ou brigamos por isso, mas, ao mesmo tempo, sinto misericórdia pelo fato de que, ao morrerem, não terão chances à Salvação. Poderiam me esclarecer o que diz a Igreja?

  • Carlos

    Gostaria de saber a opinião de vocês sobre o seguinte comentário de http://www.youtube.com/watch?v=xvaPAQr6rRgLuiz Carlos Prates, jornalista do SBT SC:

  • Carlos

    Gostaria de saber a opinião de vocês sobre o seguinte comentário do jornalista Luiz Carlos Prates, do SBT SC no qual ele exalta a decencia dos ateus e diz que nunca viu um ateu bandido:http://www.youtube.com/watch?v=xvaPAQr6rRg

  • Carlos

    Aqui um outro post desse mesmo jornalista sobre uma declaração do Papa Francisco, na qual o santo padre diz que ‘a crise mundial não está tratando bem os jovens”: http://pratesnosbt.com.br/2013/07/25/bobagens-sacras/

  • Carlos

    E um outro post do site conde Loppeux de la Villanueva sobre um comentário que o mesmo comentarista fez no qual falava mal da Igreja e dizia que ela discriminava as mulheres http://cavaleiroconde.blogspot.com.br/2012/12/luiz-carlos-prates-e-seus-vomitos-de.html

  • Carlos

    Sidnei, o que você acha do Prates e da sua opinião sobre a “odiosa pedagogia do amor” e sua defesa a pedagogia da cinta? Oque você acha dos concorrentes dele lá em SC, como Roberto Salum e Helio Costa?

  • Sidnei

    Carlos, sou aqui de Santa Catarina, e acredite, não conheço estas duas pessoas que você citou o Roberto Salum e o Helio Costa, vou verificar quem são estas duas pessoas, agora, se eles são do mesmo naipe do Prates, nem vou querer ter o prazer de conhece-los, mesmo eles sendo meus conterrâneos, porém, se eles forem iguais ao Prates quero quilômetros de distância deles. Quanto a pedagogia odiosa do amor e a defesa do Prates quanto a pedagogia da cinta, bem, nem eu e ninguém é a favor de educar alguém sob a base da pancada, mas, sou a favor de algumas palmadas no traseiro quando crianças, ajo que todos nós quando crianças, levamos algumas chineladas nas nádegas e ninguém ficou com traumas por causa disto, agora, espancar uma criança e qualquer pessoa é bem diferente, espancar é machucar tanto física quanto psicologicamente, e dar umas palmadas nas nádegas e levar uma surra de cinta também há uma grande diferença, se o Prates é a favor de educar os filhos a base de surra de cinta eu já não sou, mas diante da brutalidade que é uma surra de cinta, logo se vê o quanto é problemática a personalidade do Luiz Carlos Prates, se hoje ele é a favor a educar os filhos a base da surra e do espancamento, logo ele deverá ser a favor então de coibir a base da violência todo e qualquer pensamento que o contrarie, assim, entram no rol dele, até aqueles que seguem uma religião, haja vista que para ele, nenhuma religião presta, a não ser a espirita, para mim este homem esta muito perto dos pensamentos que nortearam os fascistas e nazistas que tinham em mente dirigir a sociedade tudo a base da força bruta, coisa que acontece também com o comunismo, o que se vê que há muito mais coisa em comum com estes dois regimes do que a gente pensa.

  • A salvação não é uma imposição,mas uma proposta de liberdade e de fé….

  • JAIR

    DEUS deu seu FILHO UNIGENITO para MORRER por todos, mas, quem não ACEITAR, SE ARREPENDER, CRER, BATIZAR-SE E CONVERTER-SE A SUA PALAVRA DA VERDADE DE DEUS, PERDERÁ O SEU DIREITO. E, isso é ÓBVIO ATÉ PELA RAZÃO.

    ‘O DIREITO SOCORRE A QUEM ACEITA-O’

    ATOS 3.19
    JOÃO 8.32, 36
    JOÃO 14.6
    JOÃO 17.17

    Etc

  • analice

    então uma pessoa que crer em Deus , mas não frequenta mais a igreja , mas segue ensinamento de cristo, ira para o inferno? olha eu ja conversei com um padre e ele disse que não é assim.

  • Elton

    Eu procurei tanto este discurso para ver quais foram as reais palavras do Papa! Os sites que publicaram a notícia sequer mencionaram que se tratava de uma homilia nem a sua data, que absurdo! Finalmente um site que oferece a fonte da notícia e não fica apenas repassando o que os outros escreveram como um copista! Parabéns.

  • Wandyr

    Então Jesus disse-lhes: “Ide pelo mundo inteiro e anunciai a Boa Notícia a toda a humanidade. Quem acreditar e for batizado, será salvo. Quem não acreditar, será condenado.”

    A alusão aqui é ao mundo, terreno, material. Não é sobre após a morte. A salvação ou condenação é em vida, no mundo terreno.

  • César

    Infelizmente muitos pontos importantes da doutrina católica não são explicados ao povo,nem mesmo nos ambientes católicos. A distinção entre Redenção objetiva e Redenção subjetiva é ponto fundamental no credo católico,mas muito pouco explicado. Ouve-se frequentemente que Cristo morreu pela Salvação de todos,mas quase nunca se explica que a Redenção adquirida na cruz precisa ser aplicadada e aceita por cada um em específico, através da Fé,das boas obras conforme a Fé, e dos Sacramentos. E também pelo desejo explícito ou implícito do Batismo,o que torna possível a Salvação dos que estão em ignorância invencível. Uma catequese mais ampla da doutrina católica diminuiria esses mal entendidos ou pelo menos deixaria os fiéis preparados para refutá-los.

  • César

    “O catequista” colabora muito nesse sentido e faz o que outrora era rotina nas pregações,nas catequeses paroquiais e no dia a dia de uma paróquia católica. Estão de parabéns! Deus os auxilie e recompense!!!

  • adriana

    olá povo de DEUS!!! Estou amando ver os “ateus” fazendo comentários aqui na pagina, pois estão nos mostrando que estão interessados e buscando “algo muito Maior” só por lerem e se darem ao trabalho de comentar… de verdade, fico feliz…sinal que estão em busca…esperança!!! Sinceramente vejo a fome de um DEUS vivo tentando ser disfarçada em interesse apenas no que disse o Papa…MAS A PRINCIPAL MISSÃO DO PAPA É REUNIR O REBANHO…acho que estão se sentido chamados para fazer parte desta grande familia!!! glorias a DEUS!!!

  • Fábio Machado

    Boa tarde! Lindo texto. Muito esclarecedor. Fiquei com uma dúvida. Tem um documento da Igreja (que infelizmente não recordo o nome sei que é do Vaticano II) que fala sobre as “sementes do Verbo” que foram espalhada por toda a criação e todos os seres humanos por causa da redenção de Cristo.

    Dessa forma todos nós temos sementes do Verbo e também podemos assim encontrar com Cristo em todos os seres humanos. A dúvida é, a partir dessa perspectiva, uma vez que há semente do verbo em toda a criação é errado dizer que há salvação em toda criação, inclusive os ateus? #dúvida.
    Opa achei o texto que me referi…é esse aqui : )

    11. A Igreja tem de estar presente a estes agrupamentos humanos por meio dos seus filhos que entre eles vivem ou a. eles são enviados. Com efeito, todos os fiéis cristãos, onde quer que vivam, têm obrigação de manifestar, pelo exemplo da vida e pelo testemunho da palavra, o homem novo de que se revestiram pelo Batismo, e a virtude do Espírito Santo por quem na Confirmação foram robustecidos, de tal modo que os demais homens, ao verem as suas boas obras, glorifiquem o Pai (1) e compreendam, mais plenamente o sentido genuíno da vida humana e o vínculo universal da comunidade humana.
    Para poderem dar frutuosamente este testemunho de Cristo, unam-se a esses homens com estima e caridade, considerem-se a si mesmos como membros dos agrupamentos humanos em que vivem, e participem na vida cultural e social através dos vários intercâmbios e problemas da vida humana; familiarizem-se com as suas tradições nacionais e religiosas; façam assomar à luz, com alegria e respeito, as sementes do Verbo nelas adormecidas; (Concílio Vaticano II, Decreto Ad Gentes, 11

  • Dalas

    gostaria de me cadastrar no vosso blog

  • João Pavani

    Olha, sugiro fazerem uma página especial ou até um blog só para esclarecer as bobagens que espalham sobre o Papa Francisco pela internet rsrsrs. É cada uma que aparece…

  • Rafael

    Olá, boa tarde!

    Primeiramente, gostaria de parabenizar pelo post, e dizer que sempre interpretei dos jeito que vocês explicaram nesse post.

    Agora, me confirmem uma coisa quanto a SALVAÇÃO e o AMOR DE DEUS PARA COM OS HOMENS.

    Quanto à Salvação, é óbvio que ninguém é obrigado a aceitar a salvação dada por Jesus, pois o ser humano é livre, ou seja, é como um presente que Deus dá com carinho, amor, sacrifício, especialmente para aquela pessoa, e a pessoa por ingratidão rejeita. Mas, de fato, Jesus morreu por todos na cruz ? A intenção de Jesus foi universal no sacrifício da cruz ? Ele morreu por todas as pessoas igualmente ? Ele morreu por cada um de nós ? Ou seja, mesmo que tal pessoa rejeite tal salvação, Jesus morreu por essa mesma pessoa na cruz, morreu pensando em cada pessoa, todas as pessoas ?

    Quanto ao amor de Deus para com os homens, mesmo algumas pessoas rejeitando seu amor, já que a pessoa é livre de aceitar ou não, mas mesmo assim, Deus ama todas as pessoas ? Ou seja Ele ama aquela pessoa, o problema é que a pessoa rejeita aquele amor, é isso ?

    Obrigado

    • Caro Rafael, todas as tuas indagações resumem-se a uma única resposta, simples e direta: “Deus ama o pecador, mas odeia com um ódio mortal o pecado.”
      Ou seja, o sacrifício de Jesus Cristo é válido para cada uma das pessoas de todas as épocas, de Adão ao último dos escolhidos, mas quem rejeita será rejeitado.
      Então, enquanto um pecador estiver respirando, existirá sempre a possibilidade de salvação para esta alma, por isto que se reza, pela nossa salvação e pela salvação dos demais pecadores, e rezar um Pai Nosso, uma Ave Maria, recitar o Credo, também é uma obra, uma obra da fé, vestir os nús, dar de comer ao faminto, isto até ateu faz, nós ao fazer algo pelos outros devemos ter em mente que estamos a vestir a Cristo, que estamos a alimentar a Cristo rezando pela salvação da alma desta pessoa, porque para Jesus, a alma dela custou sua vida, seu sangue, custou aguentar tortura.

  • julio cesar

    sem fé é impossível agradar a Deus; portanto, para qualquer pessoa que dele se aproxima é indispensável crer que Ele é real e que recompensa todos quantos se consagram a Ele. Hebreus 11, 6

    Acho que fica dificil desse jeito.

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>