No Céu só haverá católicos?

homer_simpson_paraiso

Em uma homilia recente, o Papa Francisco disse:

“…não é possível encontrar Jesus fora da Igreja. O grande Paulo VI dizia: é uma dicotomia absurda querer viver com Jesus sem a Igreja, seguir Jesus fora da Igreja, amar Jesus sem a Igreja”.

E Francisco deixou bem claro que estava falando da Igreja “hierárquica e católica”. Bem, se não é possível encontrar Jesus fora da Igreja Católica, não é possível salvar-se fora dela. Afinal, ninguém chega ao Pai senão por meio dEle.

Certo… E como ficam os evangélicos – existem muitos que dão um testemunho belo e sincero de fé – e as pessoas de outras religiões que nunca tiveram a oportunidade de receber uma boa catequese?

Em primeiro lugar, é preciso que tenhamos claro uma coisa: Deus não é um legislador frio e inflexível. Ele sabe que há pessoas que não têm culpa de não crerem em Seu Filho e na Sua Igreja (ou que têm sua culpabilidade atenuada). E isso pode ocorrer por diversas razões:

  • porque ainda não ouviram as palavras do Evangelho;
  • porque tiveram uma experiência negativa com os católicos ou porque receberam uma catequese ruim, e assim formaram uma má impressão;
  • porque estão submetidos a fortes condicionamentos culturais.

“Ignorância invencível”: é assim que a Igreja nomeia essas condições extremamente desfavoráveis para o conhecimento e o acolhimento da verdadeira fé. É como um forte bloqueio, que impede a pessoa de dizer sim a Cristo e à Sua Igreja. Por isso, Deus não vê como culpados aqueles que ignoram a verdadeira religião, quando sua ignorância é invencível.

Então, sobre a salvação dos não-católicos, duas coisas devem ficar claras:

1. fora da Igreja não há salvação. Isso é dogma, ou seja, é uma verdade de fé que deve ser aceita por todo católico;

2. aqueles que, sem culpa, desconhecem Cristo e a Sua Igreja, mas buscam a Deus sinceramente e tentam cumprir a Sua vontade não estão fora da Igreja. Eles fazem parte da alma da Igreja e, assim, podem conseguir a salvação.

Como serão julgados os não-católicos?

São Paulo, em uma de suas cartas, fala que a noção básica do que é bom e do que é mau está inscrita nos corações das pessoas, inclusive daquelas que jamais ouviram falar de Jesus. Isso se chama “lei natural”.

“Os pagãos não têm a Lei. Mas, embora não a tenham, se fazem espontaneamente o que a Lei manda, eles próprios são Lei para si mesmos.

“Assim mostram que os preceitos da Lei estão escritos nos seus corações; a sua consciência também testemunha isso, assim como os julgamentos interiores, que ora os condenam, ora os aprovam.”

– Romanos 2, 14-15

Diante de Deus, então, os não-católicos serão julgados conforme a sua fidelidade àquilo que aprenderam que é certo ou errado. Certamente, seus conhecimentos sobre o bem e o mal são muito limitados, pois não puderam conhecer a plenitude da verdade na Igreja Católica. E Deus levará essa desvantagem em conta.

É justo que os menos favorecidos sejam menos cobrados. Afinal, Deus julga não somente as ações, mas as intenções e a condição que cada um tem para compreender se o que faz é bom ou mau. Na parábola do mau administrador, Cristo diz:

“Todavia aquele empregado que, mesmo conhecendo a vontade do seu senhor, não ficou preparado, nem agiu conforme a vontade dele, será chicoteado muitas vezes.

“Mas o empregado que não sabia e fez coisas que merecem castigo, será chicoteado poucas vezes. A quem muito foi dado, muito será pedido…”

– Lucas 12, 47-48

Isso quer dizer que nós católicos seremos julgados com muito mais rigor do que aqueles que ignoram a palavra de Deus, ou aqueles que a conhecem de modo parcial. Somos privilegiados: tivemos a oportunidade de receber muito mais amor, muito mais graças, muito mais consolações e muito mais sabedoria do que os demais.

UM EXEMPLO:

indiozinho

Foto: Agência Brasil

Em muitas tribos indígenas brasileiras, são enterrados vivos bebês e crianças com deficiência, filhos de mães solteiras e gêmeos.

Notem que tal crueldade é feita com base nas crenças arraigadas da tribo, que julgam estar realizando algo bom para o grupo.

Agora, imaginem um casal católico, que recebeu a catequese de modo adequado, que frequenta as missas… A esposa, grávida, descobre que o bebê tem Síndrome de Down ou anencefalia e, então, o casal resolve fazer um aborto.

Será que no dia do Juízo a mão de Deus recairá sobre esses índios não-catequizados com o mesmo peso que sobre o casal católico?

Lembremos que o princípio da ignorância invencível não se aplica a todos os casos de descrença na fé da Igreja. Por isso, não terão salvação aqueles que, voluntariamente, fazem-se cegos e surdos para o Evangelho. “Quem não crer, será condenado” (Marcos 16,16).

Rezemos pela conversão dos pecadores. Rezemos também para que sejamos capazes de dar testemunho de Cristo com nossas palavras e ações, já que muitos não creem por nossa culpa, quando encandalizamos os demais com a nossa falta de amor e incoerência.

Que todos sejamos um!

54 comments to No Céu só haverá católicos?

  • É vero amados, é vero… Já coloquei nos comentários dos posts inúmeras vezes os parágrafos do CIC que explicam toda essa situação, mas vamos de novo pois relembrar é viver né?

    “‘FORA DA IGREJA NÃO HÁ SALVAÇÃO’
    846. Como deve entender-se esta afirmação, tantas vezes repetida pelos Padres da Igreja? Formulada de modo positivo, significa que toda a salvação vem de Cristo-Cabeça pela Igreja que é o seu Corpo:
    O santo Concílio «ensina, apoiado na Sagrada Escritura e na Tradição, que esta Igreja, peregrina na terra, é necessária à salvação. De facto, só Cristo é mediador e caminho de salvação. Ora, Ele torna-Se-nos presente no seu Corpo, que é a Igreja. Ao afirmar-nos expressamente a necessidade da fé e do Baptismo, Cristo confirma-nos, ao mesmo tempo, a necessidade da própria Igreja, na qual os homens entram pela porta do Baptismo. É por isso que não se podem salvar aqueles que, não ignorando que Deus, por Jesus Cristo, fundou a Igreja Católica como necessária, se recusam a entrar nela ou a nela perseverar.
    847. Esta afirmação não visa aqueles que, sem culpa da sua parte, ignoram Cristo e a sua igreja:
    Com efeito, também podem conseguir a salvação eterna aqueles que, ignorando sem culpa o Evangelho de Cristo e a sua Igreja, no entanto procuram Deus com um coração sincero e se esforçam, sob o influxo da graça, por cumprir a sua vontade conhecida através do que a consciência lhes dita.
    848. Muito embora Deus possa, por caminhos só d’Ele conhecidos, trazer à fé, ‘sem a qual é impossível agradar a Deus’, homens que, sem culpa sua, ignoram o Evangelho, a Igreja tem o dever e, ao mesmo tempo, o direito sagrado, de evangelizar todos os homens.”

    Além disso, é importante dizer uma outra verdade de fé que é esta aqui: os santos (aqueles que estão salvos) são todos católicos! Não há no paraíso membros de outra coisa a não ser os membros de Cristo. Portanto todos aqueles que foram salvos pela ignorância invensível primeiro precisam se converter à verdade para entrar na eterna alegria. Lembremos que só há uma Igreja, um Corpo, um Cristo e um Deus.

  • adriano

    Conheci hoje o blog (cheguei até aqui acessando um link do deuslovult), e na verdade não tenho nada a comentar a respeito do texto propriamente dito. Só queria mesmo prestar reconhecimento à dona do blog pelos textos bem escritos, fiéis ao magistério da Igreja, acessíveis, etc.
    Passarei a acompanhar aqui sempre que possível.
    Deus a abençoe.

  • Fizeram uma pergunta semelhante em meu site:

    Tenho sempre anunciado aos meus crismandos, para que eles perseverem na doutrina Católica (Igreja Católica Apostólica Romana) caso se desviem pelo caminho após o Sacramento da Crisma, e como muitos jovens são atraídos pelas seitas (protestantes) não terão salvação…etc!

    Já me perguntaram:

    “Mas lá (protestante) também fazem o bem ao próximo, louvam à Deus, será que eles não terão salvação”?

    Desejo receber sua resposta sobre a frase acima, e se possível com citação bíblica.

    Resposta:

    http://www.iesusdominus.com.br/2011/08/duvidas-sobre-fe-pergunta-sobre.html

    • Resposta excelente, Everton!

      Não quis me alongar mais no artigo, que já estava meio grandinho, mas esse trecho da sua resposta complementa bem o que dissemos aqui:

      “Quanto à frase em si, os protestantes (em sua maioria) fazem o bem ao próximo e de certa forma ‘louvam a Deus’, mas se assim o fazem, o fazem porque aprenderam com a Igreja Católica, a única fundada por Cristo. Se ainda resta algo de bom nas denominações protestantes, isso que resta de positivo não é mérito delas, nem do pastor, mas sim da Igreja de Cristo.

      “O documento Dominus Iesus ensina que, vivendo em uma comunhão imperfeita, o Espírito Santo ainda se serve delas como instrumento de salvação mas, SEU VALOR DERIVA DA IGREJA CATÓLICA, ou seja, se um protestante for salvo, será salvo pelo pouco que ainda tem de ‘católico’ na denominação a que segue (o amor a Cristo, o amor aos irmãos, o batismo, etc).”

  • Matheus

    Bom dia.

    Mas, no céu, seremos todos católicos.
    Mesmo que aqui na terra, tenha sido muçulmano, budista, protestante e etc, para entrar no céu, se, pela misericórdia de Deus tivermos o perdão, e aceitarmos Cristo e sua Verdade, todos seremos católicos no Céu, não é?

  • Thiago Puccini

    Obrigado por esclarecer melhor minha dúvida sobre o assunto. =D

  • Tamyres

    Só não gostei muito do exemplo do índio, porque o “não matar” é um dos mais fortes exemplo da lei natural, principalmente quando se trata de um filho.

    • Oi, Tamyres!
      Eu não disse que os índios são inocentes nesse ato. Apenas me parece que, levando em conta os condicionamentos culturais e o fato deles não terem recebido a catequese, que sua culpabilidade é menor em relação a uma pessoa catequizada.

  • Luis Fernando Lemos

    e quanto a palavra: Joao 3, 3-7
    “Jesus replicou-lhe: Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer de novo não poderá ver o Reino de Deus. Nicodemos perguntou-lhe: Como pode um homem renascer, sendo velho? Porventura pode tornar a entrar no seio de sua mãe e nascer pela segunda vez? Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo: quem não renascer da água e do Espírito não poderá entrar no Reino de Deus. O que nasceu da carne é carne, e o que nasceu do Espírito é espírito. Não te maravilhes de que eu te tenha dito: Necessário vos é nascer de novo.”

    Então não é necessário o batismo tanto em água quanto no espírito? Creio que seja esse um dos maiores motivos de batizarem as crianças o mais rapido possível…

    • Luis,
      Te respondo com outro exemplo.
      Imagine uma pessoa que é católica sincera. Ela está indo se confessar de um pecado grave quando, por causa de um acidente, morre no meio do caminho.
      Todos nós sabemos que os pecados graves só são perdoados mediante a Confissão (com arrepedimento) e o perdão sacerdotal.
      Certo… Você acha, então, que Jesus agirá como um burocrata, e não levará em conta que esse pobre homem DESEJOU se confessar e só não o fez porque não pôde?

      É claro que ele recebeu o perdão por causa de sua intenção, de seu DESEJO. Ainda que não tenha chegado a tempo ao sacerdote.

      Da mesma forma, evidentemente, o batismo é indispensável para nos abrir as portas da salvação. Mas Deus sabe que há muitas pessoas que, implicitamente, desejam o batismo, e só não o fazem devido à sua ignorância invencível. Essas pessoas recebem o chamado “batismo de desejo”, se a sua alma estiver em boa disposição.

      Falo isso baseada no Concílio de Trento, e também no trecho de uma carta que foi redigida pelo Santo Ofício:

      “Daqueles meios para a salvação que só por instituição divina, e não por necessidade intrínseca, estão dirigidos para o fim último, Deus, na sua infinita misericórdia, quis que, em certas circunstâncias, seus efeitos, necessários para a salvação, pudessem ser obtidos também quando estes meios sejam ativados apenas pelo anseio ou pelo desejo. Isso vemos claramente enunciado no sagrado Concílio de Trento, quer em relação ao sacramento da regeneração, quer a respeito do sacramento da penitência.

      “Nas devidas proporções, o mesmo deve ser dito com relação à Igreja, já que esta é um meio geral de salvação. Pois, para se obter a salvação, não se exige a incorporação real (reapse), como membro, à Igreja, mas é exigido, pelo menos, a adesão a esta pelo voto e o desejo (voto et desiderio). Não é necessário que este voto seja sempre explícito, como se exige dos catecúmenos. Se o homem sofre de ignorância invencível, Deus aceita um voto implícito, assim chamado porque contido naquela boa disposição da alma com a qual o homem quer a sua vontade conforme à vontade de Deus.” (Carta do Santo Ofício ao Arcebispo de Boston, 1949. Denzinger, 3866 -3872).

      • Luis Fernando Lemos

        pois bem, chegamos a um ponto q nunca ninguem soube me responder e vou lançar essa bomba p vcs… rsrs

        é claro que a Igreja ensina sobre batismo de sangue e batismo de desejo, tanto q podemos ver pelos ensinos do catecismo (1258 e 1259) e pela suma teologica (Livro IV, Questao 66, artigos 11 e 12), porém, não podemos nos esquecer da infalibilidade papal e dos pronunciamentos excathedra, e dai apresento 3 deles..

        1- Papa Paulo III, Concílio de Trento, Sessão 7, 1547, ex cathedra: “Cân. 2. “Se alguém disser que para o Batismo não é necessário [o uso de] água verdadeira e natural, e por este motivo torcer em uma metáfora aquelas palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo: Se alguém não renascer da água e do Espirito Santo (Jo 3, 5) — seja excomungado.”

        2-Papa Clemente V, Concílio de Viena, 1311-1312, ex cathedra: “É também necessário que todos professem fielmente um único batismo, que regenera todos os que são batizados em Cristo, como se deve confessar que há um só Deus e uma única fé [cf. Ef. 4, 5]; e que, celebrado com a água em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, é remédio de salvação perfeito e comum tanto para os adultos como para as crianças.”

        3- Papa Eugênio IV, “Cantate Domino”, Concílio de Florença, ex cathedra: “Nenhum, por mais esmolas que tenha dado, e mesmo que tenha derramado o sangue pelo nome de Cristo, poderá ser salvo se não permanecer no seio e na unidade da Igreja Católica”.

        (completo em espanhol) Papa Eugenio IV, Concilio de Florencia, “Cantate Domino”, 1441, ex cathedra:
        “[La Santa Iglesia romana] firmemente cree, profesa y predica que nadie que no esté dentro de la Iglesia católica, no sólo los paganos, sino también judíos o herejes y cismáticos, puede hacerse partícipe de la vida eterna, sino que irá al fuego eterno que está aparejado para el diablo y sus ángeles (Mat. 25, 41), a no ser que antes de su muerte se uniere con ella; y que es de tanto precio la unidad en el cuerpo de la Iglesia (ecclesiastici corporis) que sólo a quienes en él permanecen les aprovechan para su salvación los sacramentos y producen premiso eternos los ayunos, limosnas y demás oficios de piedad y ejercicios de la milicia cristiana. Y que nadie, por más limosnas que hiciere, aun cuando derramare su sangre por el nombre de Cristo, puede salvarse, si no permaneciere en el seno y unidad de la Iglesia católica”

        Eu ainda não sei o que dizer disso, creio que tenha algo que se encaixe.. pois em um excathedra diz que só há um batismo, o que é feito pela agua em nome do Pai Filho e Espirito Santo.
        Já nos outros documentos da doutrina afirma que há o de desejo (por ignorancia invencivel, que vive as leis e etc) e o de Sangue ao qual estariam caracterizados os mártires..
        Eu gostaria de saber se vcs conseguem me ajudar nisso.. já estou a 1 ano pesquisando e não consigo achar um ponto em comum. Pq se um excluir o outro teriamos q excomungar o Bento XVI pq ele que chefiou a criação desse catecismo… Sinceramente, parei de falar sobre isso, pq não sei o que pensar.

        • Luis, KEEP CALM e viaja na doutrinaaaaa! rsrs

          A doutrina do “batismo de sangue” ganhou evidência especialmente para dar suporte à esperança daqueles que se convertiam às vésperas ou mesmo a poucas horas de sua morte violenta, e NÃO tiveram a oportunidade de serem batizados. Podemos dizer até que seu batismo, antes de ser “de sangue”, é de desejo, porque antes de derramarem sangue desejaram ser batizados.

          Ok… Pra resumir a sua pergunta, vc quer saber como podemos aceitar isso diante das palavras abaixo:

          “Cân. 2. “Se alguém disser que para o Batismo não é necessário [o uso de] água verdadeira e natural, e por este motivo torcer em uma metáfora aquelas palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo: Se alguém não renascer da água e do Espirito Santo (Jo 3, 5) — seja excomungado.”

          É simples: esse pronunciamento vale para todos os que têm a oportunidade de realizar o batismo corretamente, mas não o fazem por displiscência ou por acharem que “basta amar Jesus”, “basta fazer o bem” etc. É como um casal que, não tendo nenhum impedimento para se casar na Igreja, continua vivendo em concubinato, dizendo que “basta o amor”… Não, não basta!

          É óbvio que precisa SIM da água e da fórmula certinha do batismo. Mas isso só vale para aqueles que têm acesso a isso. Deus jamais iria punir os pobres coitados que, desejando de todo o coração receber o batismo, não o receberam da forma “clássica”.

          Então, afirmar que o batismo com água é SIM necessário não exclui nem se choca com a doutrina do batismo de sangue e do batismo do desejo.

          Aliás, o Papa falou que não adiantava derramar o sangue em nome de Cristo sem ser batizado, que não seria salvo a tals, com a intenção de advertir os malandros que, em outras épocas, se recusavam a abraçar a fé da Igreja e seguir os Mandamentos (queriam viver na gandaia). Aí se enfiavam numa cruzada e achavam que, se morressem ali, iriam ser perdoados pelos seus pecados, ainda que não tivessem se arrependido e que jamais tivessem buscado o batismo. Tipo: o sujeito se deita com uma prostituta a cada dia, mas acha que, se morrer na Cruzada, vai pro Céu com certeza, pelo batismo de sangue. Aí num rolaaaa!

          Essas doutrinas, portanto, estão em plena harmonia com o dogma de que o batismo com água é indispensável.

          Ajudei?

  • Mariangela

    Que maravilha Vivi!

    Eu tinha algumas dúvidas sobre isso e você, como excelente catequista, conseguiu me explicar bem direitinho!
    Obrigada querida. A paz de Jesus e o amor de Maria!

    Bjos

  • Luiz Moura

    Até que enfim, um pouco de sobriedade e coerência. Parabéns pelo texto, ele é bem informativo e coerente. Eu, que não sou religioso em instância alguma, gostaria muito de deixar registrado o prazer que tive na leitura, que nos cria uma ponte para o diálogo. Pelo que li nas outras matérias, seu trabalho tem sido primoroso e eu acredito que, se todos pensassem exatamente da forma como vocês pensam e fossem tão esclarecidos como vocês são, certamente pessoas como eu teriam menos problemas com religiões. Ao contrário dos panfletos nazistas que recebo de outras denominações, que pregam o fanatismo cego ao invés do amor ao próximo, da caridade, do desapego material e da capacidade de simplesmente se fazer o bem sem olhar a quem, seu discurso foi bem coesivo. Mais uma vez, meus parabens. Continuem com o seu belo trabalho.

  • Gustavo

    Só queria enfatizar o detalhe de que quem é Batizado na Igreja, e depois se torna protestante, caso seja BATIZADO NOVAMENTE comete gravíssimo pecado.
    Nunca comento nada, mas gostei tanto que me senti culpado de não elogiar, Deus abençoe vc!!

  • João

    Eu acho que o Homer é luterano. haha
    Só pra descontrair. Ótimo post!

    • É verdade, João! Os Simpsons frequentam a Primeira Igreja de Presbiteriana de Springfield… Mas tem um episódio engraçadíssimo em que Bart e Homer se convertem para o catolicismo, para desespero de Margie.
      Acho que eles só são católicos nesse único episódio, mas ficou tão hilário que valeu por uma temporada inteira!

      http://redecanais.tv/musicvideo.php?vid=f51ad8dbb

      • Gustavo

        Me lembro do jornal do Vaticano falando bem do Homer Simpson, e dizendo que ele era católico sim.

        • Na verdade, a mensagem positiva que fica da matéria do Osservatore Romano é que os Simpsons são um dos poucos desenhos que trazem reflexões interessantes e positivas, do ponto de vista católico, sobre família e fé.
          Mas não levemos tão a sério essa história do Homer ser católico, afinal, o próprio produtor da série negou isso. Houve apenas um episódio em que mostrava ele se convertendo ao catolicismo (mto bom, coloquei o link em um comentáiro anterior), mas só isso.
          Bem, católico ou presbiteriano, o fato é que o Homer é fiel, hétero, monogâmico, ama os filhos (lá do jeito dele) e a série discute as questões religiosas de uma forma muito inteligente (apesar de não ser possível concordarmos com tudo).

          • augusto

            Se me permitem, caríssimos em Cristo, os Simpsons já foram mais honestos.
            Deixa eu explicar: não me lembro aonde eu li, mas os simpsons não tem apenas um autor de episódios: na verdade, Matt Groenning chama uma pessoa diferente pra fazer cada episódio, aí entra jornalistas, professores, empresários, e até mesmo químicos.
            O problema é que, com o crescente neo-ateismo nos EUA, cada vez mais autores de episódios no Simpsons terá uma tendência anti-clerical, antiteista e anticristã.
            É apenas pra frizar, amigos: quem aprecia o humor da séria (como eu) que continue assistindo. Mas cada vez mais se faz necessária prudência na análise de seus episódios.

          • Daniele

            Eu ja acho que Os Simpsons é uma mega afrontaa Deus. Eu ate assistia, mas parei, estava cada vez pior. rs

      • Edilson

        Nesse episódio é bem legal o fato de Jesus estar presente no “céu dos católicos”. Rsrsrs.

  • Romenick

    Show o post, sempre acompanhando!!!

  • J. Everton

    Não sei aonde perguntar, então aproveito este que é o último post até agora, e gostaria de saber como a Igreja permite este tipo de “figura” (me refiro a pessoa, suas crenças e forma de viver a vida):

    http://www.proceso.com.mx/?p=336919

    Se possível, gostaria que houvesse algum post tratando sobre a permanência de padres do tipo, que medidas são tomadas, e se são, e por que permanecem essas “figuras”, explicitamente vivendo contrárias aos princípios da Igreja.

    Obrigado.

  • Jonathan

    Estão confundindo organização com organismo. Quem vai dizer no final bem vindo benditos de meu Pai, é Cristo. No céu não haverá católicos, budistas, muçulmanos, Batistas, etc, de denominação nenhuma, só haverá novas criaturas, salvos e regenerados pelo Cordeiro, devemos crer Nele.

    • Jonathan,
      Após o Juízo Final, talvez não exista mais a denominação “católicos”. Entretanto, no Céu, ainda que a pessoa em vida tenha sido espírita, ou qualquer outra coisa, ela será, sim, católica. Isso porque, tendo sido tiradas as vendas de seus olhos pela misericórdia divina, ela crerá exatamente no que os católicos creem. Se tiver sido protestante, dobrará os joelhos diante da Santa Eucarista e venerará Nossa Senhora; se tiver sido hindu, não levará mais seus antigos deuses em conta, mas adorará somente a Cristo; se tiver sido muçulmano, saberá agora que Jesus é Deus, e não um mero profeta.

      Em suma, todas as almas no Céu, necessariamente, creem naquilo que os católicos professam no credo. Ainda que, em vida, por causa da ignorância invencível, não tiverem professado tais crenças.

  • Bia

    post excelente! eu gostaria de pedir algumas sugestoes de mais posts, mesmo não tendo relação com o tema desse.
    Façam depois algum sobre o FICAR da juventude hoje, se é pecado ficar com alguém, em quais circunstâncias não é.
    O blog tem email?
    Abraço!! 😉

  • Marcelo

    Como entender o significado do que foi dito acima com o que foi dito pelo Papa Francisco na homilia da Missa de 22/05?

    O papa Francisco disse em seu sermão:

    “Eles reclamam”, disse o papa em sua homilia, porque dizem: “Se ele não é um de nós, não pode fazer o bem. Se não é do nosso grupo, não pode fazer o bem.” E Jesus os corrige: “Não o proíbam, deixem-no fazer o bem”. Os discípulos, explica o papa, “eram um pouco intolerantes”, ensimesmados na ideia de possuírem a verdade, convictos de que “aqueles que não têm a verdade não podem fazer o bem”. Isso estava errado… Jesus amplia o horizonte. Segundo o papa, “a raiz da possibilidade de fazer o bem – que todos nós temos – é a criação”.

    E continuou dizendo:

    “O Senhor nos criou a sua imagem e semelhança, e todos somos imagem do Senhor, e ele faz o bem e nos deu a todos esse mandamento em nossos corações: façam o bem e não o mal. Todos”. “Mas, padre, isso não é católico! Ele não pode fazer o bem.” Sim, ele pode. O Senhor redimiu a nós todos, a todos, pelo sangue de Cristo: todos nós, não apenas católicos. Todos! “Padre… os ateus também? Mesmo os ateus?” Todos! Devemos encontrar-nos fazendo o bem uns aos outros. “Mas eu sou um ateu, padre. Eu não acredito…” “Faça o bem: nos encontraremos lá.”

    Abraços! (Y)

    • Marcelo,
      O que o Papa disse não tem nada a ver com “não tem problema se você é ateu, tanto faz crer em Deus ou não, todos vão se salvar se fizerem o bem”. Não foi isso. O que ele disse foi que todos são chamados a fazer o bem, todos têm esse ímpeto, sendo católicos, cristãos ou não. Isso coaduna com o que São Paulo disse sobre a lei inscrita nos corações dos homens (a lei natural), que leva até aqueles que nunca ouviram falar de Jesus a fazerem o bem.

      “Se nós, cada um de nós, fizer o bem aos outros, pouco a pouco, lentamente, realizamos aquela cultura do encontro: aquela cultura de que tanto precisamos. Encontrar-se fazendo o bem.” (Papa Francisco, homilia do dia 22 de maio).

      Então, o desejo de fazer o bem pode ser um ponto de encontro, um ponto forte de diálogo entre católicos e ateus, ou entre católicos e pessoas de outras religiões. Foi isso que o Papa disse. E ponto.

      O Papa não disse nem sugeriu que tanto faz ser católico ou não pra se salvar. As palavras de Cristo são claríssimas: quem crer e for batizado será salvo, quem não crer será condenado. É claro, temos que considerar os casos de ignorância invencível, aqueles que não podem ser culpados de sua descrença, como já explicamos antes aqui.

      Jesus morreu na cruz para que todos fossem redimidos, também disse o Papa. O que não quer dizer que todos aceitarão essa redenção. Muitos a rejeitam e se condenam ao Inferno.

      Sabemos que ninguém chega ao Pai senão por Cristo. E como o Cadu bem observou em seu comentário, o Papa Francisco já deixou claro que só se chega a Cristo por meio da Santa Igreja Católica:

      “…não é possível encontrar Jesus fora da Igreja. O grande Paulo VI dizia: é uma dicotomia absurda querer viver com Jesus sem a Igreja, seguir Jesus fora da Igreja, amar Jesus sem a Igreja” (Papa Francisco).

  • Marcelo

    Obrigado irmã!

    Acredito ser este um tema muito importante para todos nós católicos.

    Aqui no Rio de Janeiro, foi absurdo ontem a realização da Marcha para Jesus dos evangélicos liderados pelo Pr. Silas Malafaia, com um ícone semelhante ao da JMJ.

    Com certeza acabam confundindo o povo mais desinformado e consequentemente se aproveitando divulgação da JMJ. Temos que ter enorme atenção com isso.

    Um grande abraço

  • Muito bem colocado a questão acerca do assunto…

    Bendito seja Deus por este apostolado que muito nos auxilia nas questões de fé, trazendo sempre à tona e à luz da Verdade, Doutrina e Tradição os mais diversos assuntos.

    Deus os abençoe!

    Estamos unidos nesta caminhada!

    Fabiano, Marta e Tobias
    Administradores do Blog FabianoMartaTobias

  • Marco Gavarron

    Esse apostolado, esse carisma de vocés é magnifico! Para os jovens e não tão jovens como eu…
    Este post me fez comentar pq sempre há algum questionamento sobre a salvação de quem não professa o catolicismo, ou dos suicidas. O exemplo do pecador indo confessar é muito bom! Eu costumo usar o do “bom ladrão” na cruz, São Dimas, ou uma passagem de um livro que não recordo o nome, mas um dos personagens falava que o suicida, ao pular de uma ponte, tem bastante tempo entre o salto e o bater na água de arrepender-se e pedir perdão.
    Parabéns novamente! Deaculpe a brevidade mas digitar em um smartfone não é mole! Onde moro o acesso a internet é dureza!!!
    Paz e Bem!

  • Felipe dos Anjos

    Faaaala pessoal, faz um tempinho que não comento nada por aqui mas não deixo de ler nenhum post. Tenho uma ideia pra vocês, não sei se cai bem, maaass.. Vocês já pensaram em fazer esses post’s em video? Mas da mesma forma que é o post mesmo, com humor e descontração. Tenho certeza que seria uma ferramenta muita forte de evangelização/catequização, e seria muito divertido também. Não conheço nada parecido na net nem na tv, vocês se sairiam muito bem nisso. De qualquer forma, o trabalho de vocês já é muito bom, estão de parabéns!

    Minha namorada é evangélica e sua família toda também é… No começo, isso me abalou um pouco na minha fé católica, mas graças a um post de vocês falando sobre São Pedro, e de muuitos outros até aqui, não tenho mais dúvida nenhuma sobre minha fé e A Igreja de Cristo. Valeew rapaziada!

  • Marcelo

    Ótimo artigo! Esplêndido! Maravilhoso! Tenho muita vontade de ser catequista, mas ainda não me sinto preparado. Quem sabe no futuro, não é verdade?
    Cada vez mais só tenho a ganhar acessando o site de vocês. Obrigado! Deus os abençoe por meio de sua santa Mãe.

  • Para acrescentar ainda :

    Tenho sempre anunciado aos meus crismandos, para que eles perseverem na doutrina Católica (Igreja Católica Apostólica Romana) caso se desviem pelo caminho após o Sacramento da Crisma, e como muitos jovens são atraídos pelas seitas (protestantes) não terão salvação…etc!

    Já me perguntaram:

    “Mas lá (protestante) também fazem o bem ao próximo, louvam à Deus, será que eles não terão salvação”?

    Minha resposta nesse link: http://www.iesusdominus.com.br/2011/08/duvidas-sobre-fe-pergunta-sobre.html

  • Uma evangélica..

    Me perdoem todos que acham que o papa salvara vocês, mas não se esqueçam que foi Jesus quem morreu por vc e por mim. E sabe por que ele morreu? PARA NOS SALVAR! Portanto, não ha religião que levara a salvação e sim o nosso relacionamento com Jesus. RELIGIÃO NÃO SALVA! JESUS É O UNICO CAMINHO.

    • “Me perdoem todos que acham que o papa salvara vocês…” Você está falando com quem? Pode dizer? Quem aqui coloca sua esperança de salvação no Papa?

      Você é daquele tipo de evangélico que quer atacar a Igreja Católica, mas não conhecem minimamente os nossos pontos centrais de fé.

      Religião nenhuma leva à salvação? E a Igreja que Cristo fundou sobre Pedro? Não me diga que Igreja não tem nada a ver com religião? Aff…

      Jesus é o único Caminho, e Ele deixou aqui na Terra a Sua Igreja, fundada sobre a autoridade de Pedro, fora da qual não existe Salvação.

      Você repete pobre ideia protestante de que “religião não traz salvação”. Realmente, essas biroscas (ou mesmos os faraônicos templos de “Salomão”) que vocês abrem em cada esquina, cada qual interpretando a Bíblia de modo diferente, não trazem salvação a ninguém mesmo. Agora, como se poderá dizer que a Igreja que Jesus fundou sobre Pedro não comunica de modo eficaz a Sua mensagem e os meio de Salvação? Então o ponto é: qual Igreja permanece em comunhão com Pedro? Só esta pode ser realmente de Cristo. Leia:

      Placa de igreja não traz salvação – será?
      http://ocatequista.com.br/archives/9630

      Para que você possa entender melhor a questão da primazia de Pedro e da sucessão apostólica, leia:

      Pedro é o maior dos Apóstolos. Sabichão Irônico discorda.
      http://ocatequista.com.br/archives/10495

      Fora da Sucessão Apostólica, pastor e bispo é tudo made in Paraguay
      http://ocatequista.com.br/archives/10517

      A Igreja primitiva já era chamada de “Católica”. Durmam com essa!
      http://ocatequista.com.br/archives/10535

  • bom só uma correção fora isso muito bom as tribos do Brasil não são “indígenas” e sim nativos esse erro foi cometido quando o povo de Portugal pensou que o Brasil era a Índia como todo mundo sabe;então eles chamaram eles de indígenas = Índia.

  • Jailson Mendes

    Apenas católicos vão para o céu, pronto, disse.

  • Sónia C.

    Obrigada Catequista, é com enorme gosto que leio estes ensinamentos tão bons para o crescimento da nossa fé.
    Tenho uma dúvida a lhe colocar. Tenho visto muitos católicos com ideias completamente erradas acerca da sua fé. Agora com o facebook é muito frequente ver pessoas católicas (e algumas catequistas…) colocando posts com mensagens de espiritismo, macumba, umbanda… Sofro imenso com isso e muitas vezes fico sem saber o que fazer… não sei até onde devo ir, para nunca faltar à caridade, mas sinto uma motivação interior para não ficar calada. Em algumas vezes que o fiz, as pessoas ficaram zangadas comigo.

  • Breno Menezes

    Sou evangélico afastado e quero fazer crisma, só que pessoas evangélicas dizem que os católicos são diretamente condenado ao inferno, mas na Bíblia não fala de religião e pelo oq eu sei Jesus quando veio a terra ele pregou religião?
    Eu disse sobre a salvação e é quem acreditasse e pegassem as leis de Deus seu pai ( eu acho não sei). EU QUERO que vcs esclareçam a minha dúvida. Minha dúvida é a seguinte só os católicos irão para o céu, ou aquele que é a Igreja em corpo e que crê e procura Deus como evangélicos e católicos irão ao céu?

    • Sidnei

      Breno, JESUS pregou sim uma religião, a ELE mesmo, ELE é nossa religião, pois ELE mesmo disse, que é o Caminho a Verdade e a Vida, e que ninguém vai ao PAI a não ser por ELE, portanto, JESUS não é mais um caminho (religião) que há por aí, não é mais uma caminho alternativo, ELE é o único caminho que poderemos chegar ao PAI e nada mais. A Igreja por ser uma única realidade com ELE, é a forma visível que ELE deixou neste mundo, para o anunciar e colocar todos neste único caminho que é ELE mesmo, portanto, assim como há um único caminho, que é o próprio CRISTO JESUS, também haverá uma única Igreja e não várias como alguns supõe crer que há por aí, pois seria um grande cotra censo, haja vista, que se DEUS é um só, a Verdade também deverá ser uma só, e ela deverá estas em uma única Igreja. Quanto a salvação dos não católicos, a matéria acima já deu uma boa explicação, só tenho para mim, que quem não é católico, DEUS julgara estas pessoas conforme sua justiça, pois somente ELE é quem conhece a mente e os corações de cada um, a ponto de saber as agravantes e atenuantes de uma pessoa que viveu a vida inteira fora da verdadeira Igreja, mas, que mesmo assim, viveu uma vida de fé e santidade, portanto, não me desespero com relação a salvação dos não católicos, pois ao contrário de muitos evangélicos, que como você colocou, dizem que os católicos vão todos diretos para o inferno, eu, por outro lado, creio que ninguém que seja católico já esteja no inferno, este juízo só compete a DEUS e NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, e somente ELE é quem sabe e dirá quem estará no céu ou no inferno no juízo particular, logo após a partida deste mundo, pois ser católico não é garantia de já estarmos todos no céu (quem pudera que fosse) e nem quem não é católico é garantia de que já estão no inferno, somente DEUS é quem conhece quem vai ou não para o céu ou inferno, quem diz além disto, é um presunçoso que quer tomar o lugar de DEUS, e se fazer como ELE, e o único que conheço que queria se fazer como DEUS, foi o diabo e nós conhecemo qual foi o fim dele.

  • Ricardo

    E os seguidores de Lutero piram!

  • Francisco Henriques Alves Xavier

    estou visitando o blog, e gostaria de saber como fica a situação de Martinho Lutero, uma vez que a igreja católica e a luterana fazem muitos trabalhos em conjunto.
    Agradeço muito pela atenção.
    Paz e Bem!

    • Oi, Francisco!
      Não sei se entendi bem a sua pergunta. Mas Martinho Lutero foi excomungado no século XVI, e assim permanece até hoje. Isso não impede que a Igreja Católica e as comunidades luteranas atuem juntas em projetos de interesse comum.

  • Eu posso afirmar que a igreja católica apostólica romana é a única verdadeira?

    • Sim, com toda a segurança. É a única verdadeira porque é a única que Cristo fundou. Cristo fundou Sua Igreja sobre Pedro, e a Igreja Católica é a única chefiada pelo sucessor de Pedro, o bispo de Roma. Portanto, ela é a única que guarda integralmente o depósito da fé e da graça.

      As demais comunidades cristãs podem carregar – conforme seu grau maior ou menor de afastamento da doutrina católica – parcelas da verdade e da graça salvífica. Isso, é claro, com muita deficiência! Então, tudo que há de verdadeiro nas comunidades protestantes é o que elas efetivamente ainda preservam da Tradição católica. Quanto mais uma comunidade protestante se aproxima da fé católica em seus ensinamentos, mais capacidade ela tem tem comunicar a Boa Nova. Porém, ainda assim, não se pode dizer que elas sejam verdadeiras igrejas de Cristo, porque, em menor ou maior grau, sempre há graves desvios e heresias em sua doutrina.

      Ademais, a Bíblia diz que a Igreja é Esposa de Cristo. Ora, Cristo não é adúltero, pra ter várias esposas. Sua Esposa é uma só. Portanto, só uma Igreja pode ser verdadeira.

      • É porque hoje eu tive uma discussão sobre o dogma da Imaculada Conceição,na qual a pessoa não concorda que Maria tenha sido concebida sem pecados e eu refutava com argumentos com suporte bíblico,como o que está em LC 1,28 e durante a discussão acabei dizendo que a Igreja Católica Apostólica Romana era a única verdadeira!! E ELE REFUTOU dizendo que eu dizendo isso era como se afirmasse que pessoas as de outras religiões não estão em comunhão com Deus, mas não significava isso! E que dizer isso poderia manchar a imagem da minha igreja! E se eu dissesse isso para um protestante por exemplo ficaria ainda mais feio para mim! Eu tenho liberdade de crença e de expressar minha opinião,e quem vai contra à Igreja Católica existe chance de ser salvo,mas é herege

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>