Bizarrices do mundo: uma colônia de vampiros e um casal casto

herois_metro

Como tivemos um retorno muito gratificante com o post de ontem (“Castidade não é sinônimo de virgindade”), resolvemos apresentar mais alguns vídeos do Jason Evert.

No vídeo abaixo, Jason explica melhor o conceito de castidade e fala como esta virtude prepara as pessoas para viver o matrimônio de forma mais verdadeira e feliz.

E é impagável a parte em que ele conta que participou, com sua noiva, de um programa da BBC em que a apresentadora girava o mundo atrás de coisas bizarras. Sim, os produtores consideravam o relacionamento casto deles algo especialmente estranho!  E, no final do programa sobre o “casal bizarro”, foi anunciado que o próximo programa seria sobre… uma colônia de vampiros!

Sim, amigos, conformem-se: casais de noivos castos provocam tanto estranhamento quanto uma colônia de vampiros.

Neste mundo onde o autor do amor foi expulso dos relacionamentos amorosos, as pessoas castas são levadas a se sentirem numa posição ridícula, constrangedora, quase insustentável. São tentadas a ver a castidade como um sacrifício extravagante e sem sentido.

Quase todos os casais que conhecemos transam fora do casamento, bem como os personagens nos filmes, seriados e novelas. Dia após dia, ano após ano, recebemos a mensagem de que isso é saudável e normal. Assim, é preciso que tenhamos uma consciência muito clara sobre o sentido da sexualidade para que não sejamos esmagados pelo rolo compressor da opinião da maioria.

Acredito que, muito mais do que expor uma falha moral, o pecado recorrente contra a castidade evidencia um problema de conhecimento. Muitos católicos não compreenderam ainda todo o bem que perdem, NESTA VIDA, ao não se manterem castos, e todas as más consequências que podem atrair para si, NESTA VIDA.

Ao pensar em castidade, devemos notar muito mais as vantagens do que os sacrifícios. Porque, ainda que a nossa cultura diga o contrário, as pessoas castas então em uma situação extremamente vantajosa. Podemos comparar a sua condição a de atleta bem-sucedido.

Quando vemos um atleta de alto nível, em geral, a primeira ideia que nos vem é de vitória e orgulho. Fica em segundo plano os grandes sacrifícios que ele continuamente faz para se manter competitivo. Isso por que sabemos que a alegria e as vantagens que ele obtém superam e compensam, e muito, as dores físicas e todas as renúncias.

Quem renuncia a qualquer coisa – inclusive ao sexo em seu namoro – por amor a Cristo, será recompensando não só na vida eterna, mas ganhará cem vezes mais já nesta vida (Mc 10, 28-31).

“Quem deixa entrar Cristo na sua vida não perde nada, nada, absolutamente nada do que faz a vida livre, bela e grande.”

– Bento XVI

“Se nos amamos, qual é o problema?”

Diante dessa questão, muitos não têm argumentos para rebater, e acabam cedendo à pressão de abandonar a castidade.

Jason Evert dá uma resposta breve e objetiva a essa pergunta, e fala que amar, além de envolver atração sexual, envolve também a responsabilidade com o que é melhor para o outro. E pecar contra a castidade, definitivamente, não traz nada de bom.

11 comments to Bizarrices do mundo: uma colônia de vampiros e um casal casto

  • Thiago Puccini

    O vídeos de Jason Evert bem como seus site e livros são altamente recomendados.
    Recomendo o livro “Brilho da castidade” do Professor Felipe Aquino, “Tratado de castidade” de Santo Afonso Maria Ligório (que citaram no post anterior), o blog Vida e Castidade… enfim, é muita coisa!
    Mas daí dá pra ter uma baita formação sobre o assunto.

    Gosto muito, como já disse, de falar sobre isso com os jovens em geral.
    É muito valoroso buscar dia-a-dia a castidade, mesmo que seja difícil.
    Não podemos nos sentir culpados se cairmos em algum pecado contra o corpo. Mas sentirmo-nos realmente arrependidos e buscar a confissão. Deus é misericordioso.
    Como disse nosso novo e sábio Papa Francisco, Deus não cansa de nos perdoar, nós é que cansamos de buscar o seu perdão.
    Vamos lutar, galera! Vale a pena!

    Breve testemunho:
    Eu vivia uma vida de namoros mornos. Se rolasse, rolou. Mas, pela graça, Deus me conservou.
    Muitas coisas fizeram com que eu mudasse meu foco e o voltasse para Deus.
    Depois de 3 anos esperando em Deus, buscando formações, servindo Ele, buscando intimidade, e – claro – orando por um namoro santo, conheci minha atual namorada. Ficamos um tempo na amizade para nos conhecermos…
    Amanhã fará um mês que começamos nossa história.
    Sei que temos e teremos dificuldades, mas hoje posso dizer que buscamos viver um namoro santo e isso é muito saudável e inesquecível. É realmente entrar em contato não com o corpo, mas com o coração da pessoa, entendem o que eu quero dizer?
    É ter a oportunidade de amar de verdade!!! Isso é muito lindo!
    Pode ser que dê errado, isso é normal, faz parte, namorar é se conhecer…
    Mas hoje estamos lutando por algo grandioso, temos um objetivo, e só Deus nos dá forças a cada dia.
    É entregar nosso namoro nas mãos da Sagrada Família, consagrar no início e no cotidiano. É rezar o terço juntos. Partilhar a palavra de Deus. Ir à missa juntos. Servir juntos. Participar de retiros juntos. E é claro, passear, conversar, se divertir, dividir os momentos também de tristeza…enfim, vocês entenderam!
    O que quero dizer é sempre colocar Deus na frente de tudo.

    Vamos lá jovens!! Deus tem algo muito maior para a vida de vocês!!!! =D

    A Paz!

  • A castidade é mais que uma virtude, a castidade é um serviço ao mundo moderno! É um testemunho ímpar de fidelidade, é um argumento singular na visão do amor salvífi o e sempre terno de Deus.

    A castidade é sem dúvida o maior dos desafios; é uma aventura cujos frutos serão mais que grandiosos: eles serão eternos! Um casal que confia, reza, caminha, parte a Palavra, vai a Missa, se confessa e ama a Deus acima de tudo, está sendo preparado e consagrado pela Trindade Santíssima a ser feliz pois Cristo e sua Igreja jamais se prostituem um contra o outro, e essa é nossa maior esperança na qual “somos salvos” na expressão de São Paulo.

    Exorto a todos a buscarem a Deus através desse caminho reto, difícil e muito especial cuja grandeza e brilho o mundo mais do que nunca vê-se necessitado; buscai primeiro o Reino de Deus e sua justiça e creia: TUDO MAIS VOS SERÁ ACRESCENTADO . Amém.

  • Daniel

    Sério, esse Jason e sua esposa são heróis.

    E aqui eu assino embaixo em tudo oq eles disseram: A castidade é linda e torna o amor ainda mais lindo. Pois eu e minha namorada estamos lutando pra viver isso, e isso é muito muito bom! Quando você e quem você ama lutam juntos e se sacrificam juntos por algo bom isso cria algo maior entre nós.

    É DIFÍCIL, mas é possível. Evitar as ocasiões, orar juntos, participar da missa e mantermos juntos a confissão em dia. Além de falar das coisas d Deus, irmos a grupo jovem juntos, refletirmos sobre a bíblia e falarmos sobre a vida dos santos. Tudo isso parece difícil, mas sério: O amor se torna mais lindo.

    E não é algo q nos escraviza, nos torna menos livres: Nós sabemos q estamos caminhando pra algo maior e mais feliz. Uma entrega a Deus que faremos um dia nos entregando um ao outro. Ao contrário do sexo fora do matrimonio, q escraviza, nos torna espiritualmente, fisicamente e psicologicamente machucados, e transforma o namoro num jugo pesado. A castidade é linda, e estamos colhendo alguns frutos dela. Eu espero q muitos jovens ainda descubram essa beleza, e com a graça d Deus, espero ser testemunho com minha amada de como é possível e lindo viver essa virtude 🙂

  • Zé Caetano

    É caríssimos, esses dias ouvi de uma menina não religiosa (não digo que seja praticante do ateísmo, pois acredita em Deus, na concepção católica) que, no bem da verdade, se todas as pessoas fossem castas e só tivessem relações sexuais dentro do casamento, o mundo nem teria as doenças que tem hoje e muita coisa poderia ser evitada. Ou seja, a castidade é uma questão até mesmo racional. Basta pensar que já se vê que a castidade funciona, e bem. Sem mesmo levar em conta as implicações espirituais.

  • Nathan

    Jason Evert, no começo da minha caminhada, não pretendia seguir de nenhuma forma a castidade, pois não entendia muito bem do que se tratava. Procurei respostas que em esclarece-se melhor o que era de fato a castidade, no começo ligava a castidade muito à virgindade, pensando assim, achava que só poderia ser casto quem fosse virgem. Enfim, as palestras desse cara, juntamente com sua esposa, abriu meus olhos de tal forma que hoje sou casto com muito orgulho. Porém, ser homem casto e ainda virgem se torna de fato algo bizarro pra esse mundo!
    A paz irmãos catequistas, a paz leitores que aqui conseguem abrir seus olhos pra uma verdade que o mundo não conhece, cabe a nós agora propagar essa felicidade de ser casto pelo mundo!

    Pax =)

  • J. Everton

    Olá! Estou sumido daqui, de postar (nem sei se lembram de mim, mas tudo bem, “quem não é visto não é lembrado”, rs), mas estou sempre acompanhando os posts.

    Deixo aqui um link de um blog que o post com a resenha do livro A Verdade Nua e Crua, que trata de relacionamentos e sexualidade. Vale a pena conferir:

    http://projeto-original.blogspot.com.br/2012/09/sexo-verdade-nua-e-crua.html

    Até a próxima.

  • JR

    kkkkkkkkkkkk! Muito engraçado essa foto dos super-herois!! Curti muito!!!

  • Edymara

    Logo após ler o título, eu pensei que vocês fossem falar da saga Twilight. Huahauhauhauhauahuahuahua.
    Mas o assunto foi muuuuuuuuuito melhor. #kib<3n!
    Eu tenho a impressão de que já vi uns vídeos desse casal há alguns anos.
    Qdo estiver com uma internet decente vou assisti-los e conferir. =D

  • Edymara

    Logo após ler o título, eu pensei que vocês fossem falar da saga Twilight. Huahauhauhauhauahuahuahua.
    Mas o assunto foi muuuuuuuuuito melhor. #kib<3n!
    Eu tenho a impressão de que já vi uns vídeos desse casal há alguns anos.
    Qdo estiver com uma internet decente, vou assisti-los e conferir. =D

  • Sharlyton

    Muito proveitoso se falar de castidade e isso sim é estranho e soa como loucura para o mundo, mas ao contrário do que muitos pensam por ai que “católico pode tudo” não verdade, sim poso tudo mas nem tudo me convém.
    Tive um relacionamento longo e por muitos anos conseguimos manter a castidade em nosso namoro até que por cairmos naquela do “se a gente se ama qual o problema”; cedemos ao nossos impulsos, desejos que são perfeitamente normais, afinal de contas estamos vivos só que esses mesmos impulsos devem ser ordenados. o que posso dizer é que se eu pudesse voltar no tempo evitaria a relação sexual durante o namoro que é um tempo de descoberta ou mesmo que uma cedido aos desejos ter em certo momento parado, sei que é difícil mas possível, pois tenho amigos que durante o namoro tiveram uma vida sexual ativa, no entanto por terem tido uma experiencia pessoal com amor de DEUS, resolveram parar, não foi fácil mas esse caminho que resolveram trilhar solidificou ainda mais o relacionamento deles e hoje são um casal que se ama muito e testemunha as maravilhas de DEUS,quando se deixar DEUS tomar o seu lugar de direito. Comigo foi diferente, o que entrou no meu relacionamento foi a desconfiança, brigas, medos e etc… Resultados nos separamos e como alguns amigos me dizem é triste ver um casal formado por pessoas de bom coração, caráter e outros valores terem terminado. Deixemos que o SENHOR esteja sempre à frente ordenando tudo e supliquemos a ELE a sabedoria, o discernimento, humildade e a capacidade de perdoar; como diz Pe. Zezinho “quem não sabe perdoar não deve casar”.

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>