Castidade não é sinônimo de virgindade

challenge_accepted_castidade_2

Temos recebido mensagens de alguns leitores falando da dificuldade de viver a castidade no namoro. Apesar do desejo de serem fiéis nesse sentido, estão frequentemente vacilando.

Conversando com amigos católicos e crismandos, percebo também que os que já não são mais virgens se sentem um tanto mais pessimistas. É como se tivessem entrado em um ciclo, do qual não conseguem mais sair. É como se Deus não fosse poderoso o suficiente para libertá-los da condição de pecado.

Em tese, para um casal que nunca transou, viver a castidade seria mais viável. Porém, quando a virgindade de ambos já foi pro espaço, é comum que sintam como se já não tivessem mais nada para resguardar, para preservar. No fundo, pensam: “Se já pecamos contra a castidade uma vez, que diferença faz a gente transar de novo?”.

Seria muito bom que pudéssemos fazer essa pergunta a Santo Agostinho (teve um filho fora do casamento), Santa Pelágia (foi prostituta), Santa Margarida de Cortona (morou nove anos com o namorado) e tantos outros santos que foram exemplo de castidade, a despeito de suas faltas antes da conversão. Não ser virgem não é empecilho para que alguém passe a viver de forma casta.

Melhor ainda é ver o testemunho de jovens católicos contemporâneos a nós. Seguindo a dica de uma crismanda minha, busquei no YouTube os vídeos de um casal chamado Jason e Crystalina Evert. Amei!

Jason e Crystalina integram o trabalho de evangelização do site Catholic Answers. Eles ministram palestras nas escolas dos EUA sobre o relacionamento amoroso cristão, e cativam o público com sua linguagem simples, espontânea e franca.

Deem só uma olhada neste breve testemunho da Crystalina. Diferente de seu noivo (hoje, seu marido), ela teve várias experiências sexuais fora do casamento:

Na boa… esse romance lindo faz a gente ficar até com peninha de Romeu e Julieta, aqueles dois coitados grudentos e desesperados!

Apesar de saber que sua noiva não é mais virgem, Jason não tem aquela mentalidade de “pô, ela deu pros outros, vai ter que dar pra mim também!”. Ele a vê como uma moça pura, o que efetivamente ela se tornou, pela graça de Deus.

Vale a pena conferir este outro vídeo curtinho, em que Jason diz que “não importa o que aconteceu no passado, todos podem recomeçar”:

Se você ainda não se casou e já teve experiências sexuais, ore e reflita sobre o que disse São Paulo:

“Se alguém está em Cristo, é nova criatura. As coisas antigas passaram; eis que uma realidade nova apareceu.”

– II Coríntios 5, 17

Desconfiem de si mesmos, amigos, sejam realistas em relação à própria fraqueza. Mas tenham fé em Cristo, confiem nEle! É uma grande ofensa – e uma grande burrice – duvidar que Jesus pode fazer de nós criaturas novas, capazes de cumprir o Seu plano para as nossas vidas. Se foi justamente para isso que Ele derramou Seu sangue na cruz!

Você transou antes do casamento? Sim, carregará marcas e lembranças, o que aconteceu não pode ser desfeito. Mas o que interessa mesmo é daqui pra frente. O que interessa é se você crê que, em Cristo, você pode – e deve! – nascer de novo. E esta pessoa que nascerá de novo é casta, é pura aos olhos de Deus.

“Garanto-te: se alguém não nascer de novo, não poderá ver o Reino de Deus”.

Nicodemos disse: “Como é que um homem pode nascer de novo, se já é velho? Poderá entrar outra vez no ventre de sua mãe e renascer?”

Jesus respondeu: “Eu te garanto: ninguém pode entrar no Reino de Deus se não nasce da água e do Espírito. Quem nasce da carne é carne, quem nasce do Espírito é espírito. Não te admires de Eu dizer que é preciso nascerdes de novo.”

– João 3, 3-7

157 comments to Castidade não é sinônimo de virgindade

  • William G.

    [Não tão off-topic assim]

    A Catequista, há um tempo me perguntaram se ainda podia ser padre depois que se perde a virgindade. Eu não soube responder. Você poderia me dar essa resposta?

  • Ana Caroline

    no meu namoro houve sexo oral ambos somos da igreja e a mãe dele é mto adepta da castidade. será que perdemos a virgindade por inteiro?

    • Sim, vocês não são mais virgens. Vocês praticaram um ato de grande intimidade sexual, apesar de não ter havido penetração. Confesse-se e siga adiante firme na castidade, com a graça de Nosso Senhor Jesus Cristo!

      • Amanda

        Estou arrasadíssima. Não tinha consciência disso. Fiz uma, duas vezes antes de realmente me tornar católica. Meu Deus do céu, que tristeza horrível, eu tenho me esforçado tanto pra proteger a minha castidade. Essa informação destruiu o meu dia. Incrível as coisas que a gente faz por ignorância, né. Mas obrigada por nos ensinar.

        • Anon

          Siga em frente, Amanda! Respira fundo e lê tudo de novo nesse artigo. Corra atrás de sua castidade e pureza, Deus tem o dom de transformar.

  • Maria

    gostaria de saber se a castidade envolve todo e qualquer tipo de apetite sexual?Devemos evitar eses tipos de desejos carnais ou apenas ter relacoes sexuais com namorado,noivo antes do casamento?

    • Não sei se entendi bem a sua pergunta, mas vou tentar responder conforme o que entendi: é comum que as pessoas tenham desejos sexuais, que lhe venham pensamentos à mente. Isso não é pecado. Pecado é consentir nos pensamentos luxuriosos, e ficar os alimentando. Tanto maior o pecado quanto mais for o lícito o desejo alimentado (por exemplo, ficar alimentando maus pensamentos com um homem casado).

      O cristianismo é a religião do coração. Importa a Cristo, acima de tudo, a pureza do nosso coração, das nossas intenções. Pois é essa pureza que guia as nossas ações de modo autêntico.

    • Não sou modelo nenhum de nada, mas as vezes o exemplo, a história de vida pode ajudar-nos na caminhada, falo isto por experiência.
      Primeira pergunta sua, a castidade envolve sim abster-se de todo e qualquer tipo de vontade de fazer sexo (se tiver vontade lascou, porque será feito, eu sei disto, a gente não consegue se desvencilhar disso), e de todo e qualquer ato libidinoso, contudo como A Catequista lhe respondeu, o simples ato de pensar em si não diz nada, é uma tentação, o negócio é, dar crédito a ela, conversar com ela, alimentar ela, pois a luxúria é a única que um fio de imaginação a mais te vence. Ha, mas eu sou forte e resistente, mesmo é? Duvido, eu mesmo tenho a experiência disto, graças a Deus e somente a Ele é que me mantenho livre de qualquer ato imoral relacionado a luxúria, correndo, virando as costas e dando no pé e pedindo ajuda a Virgem Maria pra não deixar eu olhar nem de canto de zóio, porque, quando penso sou forte, aguento, podes se insinuar pra mim que não cedo, lasca, hoje pode ser, mas amanhã ou depois vai o boi pro brejo, resultado, confessionário, com cara de trouxa, cheio de vergonha, e isto é Deus me dizendo, vistes? Tu acha que pode alguma coisa sem mim? Pode nada manganão. Castidade significa manter-se sem ato libidinoso.
      Evitar ter pensamentos carnais é humanamente impossível, mas por graça e dom de Deus, imerecido por nós, é possível nunca mais nem os ter, veja a vida de São Tomás de Aquino. Agora, desejo já passou do pensamento, já virou algo que eu quero, não deixa chegar no desejo não, corre antes que é melhor pra ti, e reza, porque isto é algo que não se vence sem ajuda de Deus, as demais tentações a outros tipos de pecados também, mas a luxúria em expecial. E antes do casamento, banho gelado, água fria e muita Ave Maria pra não fazer isto, transar antes de casar é sim pecado, grave, mortal, fere muitíssimo a Deus.
      Um pecado venial (dizer que você é o melhor do melhor do melhor do mundo em assoviar, ou seja, gabar-se de algo que sabes fazer) é um cravo transpassando o coração de Jesus, um pecado mortal (cinco contra um), são 200 cravos de uma só vez.

  • Maria

    Eu e meu namorado já nos masturbamos… Por insistência dele. Só que depois eu me sinto suja, imunda, uma prostituta, e faço mais por ele que por prazer próprio… Mas minto para não chateá-lo… Um vez eu disse que só tinha feito por ele, e ele ficou arrasado… Mas quando ele tentou me fazer sexo oral, não deixei de jeito nenhum… E no meio em que vivo, sou uma “atrasada”, mas não consigo me entregar para meu primeiro namorado, e não consigo fazer qualquer oração por vergonha de encarar Deus pela imundície que fiz… O que faço?

    • Maria, Jesus veio para salvar os pecadores, Ele morreu na cruz justamente para que você encontre a Paz e a felicidade. Portanto, JAMAIS deixe de fazer suas orações! Jesus te ama muito, não se afaste dele por nada! Lembre-se do publicano que, na parábola de Jesus, entra no templo e, se humilhando, bate o mão no peito, e se diz pecador. Jesus disse que Ele saiu do templo justificado.

      Maria, você tem algum diretor espiritual? Há algum bom padre a quem você possa abrir o coração? Seria maravilhoso que você contasse com a amizade e os conselhos de um bom sacerdote. Reze continuamente para que Jesus te dê um bom diretor espiritual, caso você ainda não o tenha.

      Você me pergunta o que fazer. Eu te peço para você perguntar a si mesma. A resposta está gritando no seu coração. Está evidente que você está sabotando a sua própria felicidade ao ceder a certos apelos do seu namorado.

      Que bom que você não se entregou a seu namorado! Assim, fica muito mais fácil retomar sua caminhada em uma vida pura. Maria, você sabe, você sente que está se violentando. Pare com isso! Pense em agradar a sua verdade acima de tudo, não se pise mais! Não deixe ninguém pisar na sua dignidade. Imagino que seu namorado esteja cobrando essas coisas de você não por maldade, mas porque “todo o mundo” faz e ele acha isso normal. Porém, você sabe que isso não tem a ver com o desejo mais profundo do teu coração, e Seu Pai, que está nos Céus, deseja um caminho de amor muito mais puro e belo para a sua vida.

      Quanto a ser “atrasada”, deixa eu te contar uma coisa: graças a Deus, sempre fui uma jovem muito “atrasada”. E hoje, enquanto sou casada com um homem maravilhoso, algumas de minhas amigas “avançadas” da adolescência estão encalhadas, outras casaram e já separaram, outras pulam de namoro em namoro e não conseguem ficar com ninguém por muito tempo, outras engravidaram de qualquer um e vivem penando para conseguir o pagamento da pensão dos filhos, outras fizeram aborto… Agradeço à Virgem Maria por ter me ajudado a ser fiel ao meu coração, que sempre desejou um namoro casto.

      Se seu namorado terminar o namoro com vc por vc se recusar definitivamente a fazer essas coisas, não se preocupe: confie em Jesus! Tenha fé em Deus! Ele proverá tudo o que vc precisa, e não deixará faltar nada a uma filha amada. Você nunca ficará só.

      Grande abraço!

    • Padre Orlando Henriques

      Maria, se deixar de rezar por causa disso, tornar-se-á como um doente que não se cura por causa de não tomar o medicamento, que era precisamente aquilo que o curaria: a oração é o primeiro passo para se curar; se não rezar não achará luz para sair do túnel.

      Por isso, encare Deus, mesmo que isso lhe faça sofrer; melhor ainda, encare um confessor, que a acolha e absolva, que é a solução mais eficaz, o único meio de se sentir verdadeiramente limpa: o amor de Deus é maior do que qualquer pecado que possamos cometer e vai sentir-se aliviada. Todo o pecado será um episódio do passado e pode começar de novo, sentindo-se totalmente limpa.

      A violência sexual não é só quando se consuma a penetração: no campo sexual, qualquer coisa que seja obrigada a fazer ou que faça por favor, só para não desagradar, já é uma forma de violência. ISSO NÃO É AMOR!

      EXIJA-LHE UMA PROVA DE AMOR: “se me amas, então vamos parar com isso; se me amas vamos viver um namoro casto”. Está na hora de deixar de ser à maneira dele. Basta de violência!

      Vale mais por logo tudo “em pratos limpos” e dizer-lhe que não se sente bem a fazer isso e que nunca mais quer fazê-lo. Ele ficou arrasado quando lhe disse que só tinha feito por causa dele? Pois é preciso que ele fique arrasado mesmo, é preciso que ele saiba a verdade, é preciso que ele saiba que a está a fazer sofrer! Por que há-de você andar a aguentar uma situação imunda e que lhe repugna? E por quanto tempo mais? E se um dia se casarem vai continuar a sofrer violências a vida inteira só para não desagradar? E se não se casarem, já viu?
      Tenha coragem! Siga o caminho da pureza que Deus não a vai deixar desamparada!
      Nós rezamos por si.

  • Priscila

    Eu preciso muito de ajuda, eu não sou virgem, mais o meu namorado é, e a gente quer seguir a castidade, mas o maior obstáculo é esse desejo de fazer sexo, a gente as vezes não consegue se controlar, a gente só quer fazer isso depois do casamento, mas nós dois nos amamos muito, não é só desejo sexualidade é amor junto, então eu gostaria de saber se caso nós dois acabar fazendo sexo se estamos cometendo um erro? Se quando duas pessoas que se amam de verdade vai ser castigado por isso? E se puder me ajudar eu agradeço muito.

    • Luís

      Priscila, se é amor de verdade faça o seguinte, proteja seu namorado de você mesma. Sei que parece duro, mas é a realidade. A Igreja não coloca que o sexo tem que ser vivido apenas com o amor, mas sim após o matrimonio, dentro da vida conjugal. Reze minha irmã , e evite os momentos que lhe proporcionem que o ato aconteça. Você terá a recompensa quando estiver caminhando no altar. Deus lhe abençoe e coragem.

  • Natália

    Boa noite, a mais ou menos 4 meses perdi minha virgindade com meu ex namorado (já havíamos praticados outros atos sexuais, porem não de fato a penetração), ele foi o meu primeiro relacionamento serio, apesar de acreditar que não teríamos de fato um futuro juntos decidi me entregar pelos desejos e talvez a pressão de ser diferente de todo o resto.
    Sempre tive dentro de meu coração esta necessidade da castidade, mas sempre achei algo muito distante de mim, e a alguns dias estive pensando mais nisso e estou lendo um livro “Respostas para o jovem PHN” da canção nova que me ajudou muito a tomar a decisão de buscar a castidade…
    Porém me vieram as duvidas, eu posso ser casto mesmo sem ser virgem? Será que tenho força pra vencer este pecado? E meu namorado, o que vai achar? (ainda não tivemos nenhuma relação, a não ser verbal… Porém ele também não é mais virgem).
    Fiquei muito aflita e resolvi buscar informações, foi quando achei a matéria de vocês e ela sem duvidas me deu forças para prosseguir neste ideal, inclusive já conversei com meu namorado, acho que ele ainda não entende bem o porque faço isso, mas diz que me apoia e que estamos juntos nisso, isso também me fortaleceu muito…

    Ainda preciso me confessar para continuar a caminhada, mas estou decidida apesar do medo e de todas as dificuldades.

    Agradeço a vocês por me apresentar um novo lado da castidade e me fazer compreender que ainda tenho salvação e que não devo desistir.

  • zanny

    Olá, quando alguém perde a virgindade e se arrepende, se confessa e decide seguir a castidade, ainda pode comungar ?

  • Janayna

    Acho que um dos piores sentimentos do mundo é se sentir sujo, repugnante, e é exatamente assim que eu me sinto. Eu tento e quero seguir de mãos dadas com Deus, fazendo tudo certo, mas parece que “algo” me prende. Parece não, realmente prende.

    Namoro há 3 anos com um rapaz que conheci ainda no tempo da escola. Hoje nós fazemos faculdades distintas e também muitos planos para nos casar, tanto que noivamos há mais de 1 ano, graças a Deus.

    Antes dele eu tive 1 namorado, mas sexo propriamente dito nunca aconteceu, apesar de já termos passado dos limites algumas vezes. Como naquele tempo eu não me sentia “pronta”, não aconteceu nada. Hoje agradeço a Deus por isso.

    Porém, com o meu noivo foi diferente. Perdi a virgindade com ele. Nós nos amamos muito, mas eu sei que foi errado, que é errado. Fui criada e educada na Igreja Católica, mas não consegui resistir. O pior é que hoje eu tento “puxar” o meu noivo para o caminho de Deus, falo coisas, converso com ele, mas ele parece muito perdido… é como se não conhecesse Deus, embora acredite nEle.

    Isso é muito difícil para mim. Eu queria parar de fazer sexo e viver a castidade, mas ele pede. E eu também sinto muito a falta dele. Uma solução seria o casamento, mas se ainda estamos estudando, como vamos nos casar? Pois para isso, precisamos trabalhar e sermos independentes dos nossos pais.

    Outra coisa que me deixa triste é o fato de não poder conversar com a minha mãe, isso porque ela já me disse que, no dia em que ela souber que eu perdi a virgindade antes de me casar, ela vai lamentar pelo resto da vida.

    Já pensei em ir me confessar junto com o meu noivo, mas tenho vergonha. Sem falar que, neste momento, ele não aceitaria, porque acha sexo fora do casamento “normal”, tanto que perdeu a virgindade muito antes de mim.

    Queria encontrar uma forma de abrir os olhos dele, pois está sendo muito difícil. Me arrependi, não de ter me entregado a ele, mas de ter infringido um mandamento tão puro e bonito que é o da castidade. Quero ser uma jovem diferente nesse mundo comum, mas quero que me noivo me acompanhe.

    Se vocês puderem me ajudar com alguns conselhos, agradeceria muito, pois o meu coração está atormentado demais. Eu sinto Jesus me chamando, mas o pecado me prende. Enquanto escrevia esse texto, chorei e senti o meu coração apertado. Não sei o que faço.

    • Oi, Janayna! Desejamos estar unidos ao seu sofrimento nesse momento e ajudarmos no que pudermos. Uma dúvida: quanto tempo falta para vocês se casarem?
      Não sei se entendi certo, mas me parece que vocês noivaram sem perspectiva de data para o casamento. É isso? Afinal, é complicado estudantes saberem quando realmente terão dinheiro para saírem de casa e se sustentarem.

      • Janayna

        Exatamente. Noivamos porque queríamos estabelecer um compromisso maior do que o do namoro. Nós falamos sobre casamento, mas apenas nós dois. Ainda não conversamos nada com a família e, enquanto estudamos, não podemos fazer tal coisa, embora não falte “muito” para concluirmos nossas faculdades. Está nos meus planos casar com ele daqui a uns 4 anos mais ou menos, que é quando teremos concluído nossos estudos e estaremos com condições para nos manter. Pelo menos se assim Deus permitir.

    • Janayna, vamos lá…

      Você dá graças a Deus por estar noiva, mas deixa eu te dizer uma coisa sobre isso: hoje em dia, estar noiva sem dia marcado pro casamento não significa absolutamente nada. Na verdade, é só uma forma de dizer que o namoro é sério. Mas é um compromisso fragilíssimo, tanto que o que mais tem é noivado se desfazendo. Não é como antigamente, em que a promessa do noivado era um compromisso dificílimo de ser quebrado.

      Em suma, as garantias que você tem de que realmente irá casar com esse rapaz são bem frágeis.

      Seu noivo e você estão adiantando, no namoro, um aspecto que é exclusivo do casamento. Se vocês vierem a se casar, a vida matrimonial cobrará o preço por esse adiantamento indevido. Imagino que você use métodos contraceptivos para evitar filhos. Duvi-de-o-dó que, depois de casada, consiga convencer a si mesma e a seu marido a se libertar dessa rotina de contracepção. Se seu namorado não consegue ser casto agora, como conseguirá se conter nos seus dias férteis, caso vocês precisam usar o método natural (como o Billings) para espaçar a vinda de filhos? Ele não vai querer abrir mão do prazer sexual em certos dias, e vai exigir que você use contraceptivos, muito provavelmente.

      Então você, que vive um namoro em pecado grave, também viverá um casamento em pecado grave, imagino eu. Hoje, vocês estão construindo o casal que serão amanhã. E pelo visto essa construção não vai bem, como seu coração mesmo sinaliza.

      “Quero ser uma jovem diferente nesse mundo comum, mas quero que me noivo me acompanhe”. Entendo, eu no seu lugar desejaria o mesmo. Mas eu queria entender melhor a sua frase. Ela pode significar:

      1) Quero ser uma jovem diferente nesse mundo comum, E quero que me noivo me acompanhe. Mas se ele não me acompanhar, não vou desistir de ser fiel ao meu coração. Eu vou seguir Jesus com ou sem ele.

      2) Quero ser uma jovem diferente nesse mundo comum, MAS A CONDIÇÃO INDISPENSÁVEL É QUE me noivo me acompanhe. Se ele não em acompanhar, vou ficar nessa mundanidade mesmo, vivendo como todos vivem. Meu namorado é o sentido da minha vida.

      Então, Janayna, qual das suas frases acima explica melhor o seu estado de espírito? Essa resposta, que você precisa dar a si mesma, é a chave da questão.

      Veja, são duas vertentes puxando pra lados diferentes da corda: Jesus, que te chama à santidade (que inclui, entre muitas outras coisas, a castidade); e seu namorado, que não se interessa por Deus e coloca toda a sua esperança de felicidade em coisas materiais (transar com a namorada – isso ele não pdoe abrir mão – e correr atrás dos estudos e carreira. Deus pra ele não é nada muito relevante).

      Seu namorado pode mudar? Claro que pode! Mas do jeito que as coisas vão, com você tornando a vida dele fácil e dando tudo o que ele quer, você acha que ele vai mudar? Procurar Deus pra que? Não interessa se essa jovem está triste e em conflito consigo mesma: o importante é que ele está bem tranquilo com seus planos de vida, e sexualmente satisfeito.

      A solução do dilema, Janayna, portanto, não depende de seu namorado: está em suas mãos. Você precisa fazer uma escolha, precisa decidir qual é o PONTO INEGOCIÁVEL, o que você não pode arriscar: a sua fé e sua amizade com Deus, ou a possibilidade de se casar com seu noivo? O que você acha que não pode viver sem? Onde está tua felicidade? Qual dessas duas coisas é imprescindível pra você?

      Chegou o momento da escolha. Com as duas coisas, do jeito que está, você sabe que não dá pra ficar. Se você decidir pela fé, é possível que seu namorado resolva respeitar a sua escolha e fazer um sacrifício para continuar a seu lado. Mas também é possível que ele não queira mais ficar com você. Então… veja o que não sua vida é mais importante.

      Só deixo aqui uma dica: seu namorado é pó, e mais cedo ou mais tarde, ao pó ele vai retornar. Mas a decisão é sua. É sempre sua.

      Grande abraço! Se precisar, nos escreva novamente.

  • Tais

    Oi Catequista,
    Achei incrível os comentários e a maneira sincera, e fime que você responde. Também me encantou as palavras do padre.

    Em minha cidade não tenho um padre que possa me acompanhar em direção espiritual, mas sou serva em um grupo onde me ajudam muito a seguir com a caminhada. Também em minhas confissões sempre peço, com a permissão do padre, uma direção.

    Sofri como a menina acima, pois também já tive o pensamento como ela, e sofri por terminar meu namoro, mas foi preciso, não sei como o fiz, mas Deus me deu a força e fiz.
    Nesse tempo Deus me mostrava muitas religiosas, e eu via ali a pureza, o brilho da castidade, e isso me incomodava mas ao mesmo tempo foi o ponto crucial para o término, aliás, que até hoje é…no sentido de presevar-me, pois depois de um tempo Deus me presenteou com um homem lindo por dentro e por fora, um homem que ama a Deus e as coisas do Senhor…que me ajuda na caminhada e serve comigo.

    Por diversas falhas humanas, pecamos, mas nos arrependemos e agora posso dizer que vivemos um namoro que em meio as dificuldades busca a santidade em sua radicalidade!! A única coisa que me incomoda é que nessas experiencias passadas, acabei sentindo alguns medos relacionado ao sexo. E me coloco a questionar por muitas vezes se o considerarei puro ao me casar. Tenho esse medo, me entende?

    Não sei se você passou por dúvidas vocacionais antes de seu casamento, mas tenho medo de fazer uma escolha errada. Não quero magoá-lo e pensar que depois de casada posso não me entregar e ser feliz, ou fazê-lo feliz. E principalmente agradar a Deus.

    É tão complexo. Não desejo ser freira, tenho até um certo medo de encontrá-las e pensar ser um sinal, fico cismada com isso.
    O amo, amo a vida matrimonial e acredito que a viveria muito bem, e vejo que não posso me pertubar, e também deixar de ter uma decisão firme.

    Mas como fazer isso tendo a certeza que serei feliz e agradarei a Deus?

    • “Por diversas falhas humanas, pecamos, mas nos arrependemos e agora posso dizer que vivemos um namoro que em meio as dificuldades busca a santidade em sua radicalidade!!”. LOUVADO SEJA DEUS! Fico muito contente em saber que você teve forças para se libertar do namoro anterior, que te escravizava no pecado. O cristão caminha em Cristo não somente quando não peca nunca, mas quando, mesmo caindo eventualmente, não perde a esperança de prosseguir em santidade; não se acomoda no pecado, pede perdão e segue adiante, confiante em Sua misericórdia e auxílio.

      “A única coisa que me incomoda é que nessas experiencias passadas, acabei sentindo alguns medos relacionado ao sexo. E me coloco a questionar por muitas vezes se o considerarei puro ao me casar. Tenho esse medo, me entende?”. Não sei se entendi bem, acho que sim. O que você está querendo dizer é que, por causa de suas experiências anteriores, talvez o sexo tenha se tornado, em sua mente, uma coisa “suja”, e isso pode vir a prejudicar sua vida matrimonial. É isso?

      Você tem medo de fazer uma escolha errada. Bem, vou te repetir uma coisa que aprendi na Igreja (não lembro quem é o autor desse pensamento): podemos errar em tudo nessa vida, podemos errar até na escolha da nossa vocação. Só numa coisa não podemos errar: na opção de permanecer sempre ao lado de Cristo! Entende?

      Você quer a certeza de que será feliz? Persevere dia a dia em suas práticas de meditação, oração, penitência e caridade (e estudo da doutrina também, é claro). Todo caminho – seja religioso ou matrimonial – é cheio de espinhos, frustrações, dúvidas… A alegria em si, nós encontramos em Jesus Cristo.

      Sim, a questão é complexa. Mas vá rezando, vá pedindo a Deus sinais, se é pra você se casar com esse rapaz ou não. Sobretudo, jamais se deixe dominar pelo medo. Jesus te chama para um caminho de liberdade, não de medo. Ademais, problemas sexuais no casamento (se realmente vierem a acontecer) podem se resolver com o tempo, com amor e paciência.

      Se precisar escrever mais, eis o meu email: viviane@ocatequista.com.br

      Abraço!

  • Tais

    Viviane muito obrigada! É por isso mesmo.Te mandei um email.

    Deus abençoe.

  • Bruno

    Boa tarde !

    A dois meses eu e minha namorada depois de uma pregação do Tony allysson, fomos muito tocados pelo espirito santo e resolvemos não mais ter relações sexuais antes do casamento, porém temos um filho de 1 aninho, porém durmo no mesmo quarto que ela para ajudar a olhar ele, ainda sim estou em pecado grave ?

  • francielle

    É possível viver um namoro em santidade quando o namorado não é da igreja?

  • francielle

    Ele falou ontem comigo e disse que ele quer viver um namoro em santidade e eu fiquei mto feliz

  • Maxhado

    Saudações!! Gostaria de saber se é possível ser catequista ou lider religioso tendo um filho e não ser casado e nem viver maritalmente. O que a bíblia nos fala sobre isso??

    • Oi, Max! Sim, ainda que um homem tenha um filho fora do casamento, ele pode ser catequista. É claro, desde que esteja buscando viver de forma casta. A Bíblia não entra nesses meandros, mas a Tradição da Igreja nos ensina de modo claro e seguro. Santo Agostinho, um gigante da cristandade, teve um filho com uma concubina, antes de sua conversão e consagração sacerdotal.

  • Carmo

    Gostaria de saber quais são os mecanismos para unir uma comunidade cristã. Faço parte de uma que vai perdendo a união a cada ano que passa. Gostaria de obter umas ideas, soluções e tbm algumas atividades juvenis.

  • Saudações Catequista. Eu sou uma jovem daqui da África em Moçambique e infelizmente pequei contra a castidade. Comecei a namorar muito cedo com 12 anos e perdi a virgindade com essa idade. Hoje eu me arrependo disso e me sinto mal perante isso, mas eu tenho fé no nosso Deus e eu quero fazer o meu voto de castidade. A única coisa que me aflige o facto de a minha igreja não conceder que as pessoas se confessem e sigam o caminho de Deus livres da culpa.
    1. Mesmo sem ser virgem posso fazer o voto de castidade?
    2. o que é necessário para eu me tornar casta e seguir o caminho de Deus?
    3. E esse sentimento de culpa que eu sinto pode acabar? por favor me ajude.

    • Oi, Tânia!
      1. Claro que você pode fazer voto de castidade. O Senhor acolheria seu voto com grande alegria, e os anjos fariam festa. Veja, entre os santos que figuram em nossos altares, muitos perderam a virgindade, antes de abraçarem a fé em Jesus. Foi o caso, por exemplo, de Santo Agostinho, que até mesmo teve um filho com uma concubina. Também Santa Margarina viveu uma vida de ilusões, pois foi concubina de um homem rico, por nove anos; quando se converteu, fez voto de castidade.

      2. Eu recomendo que você procure um bom diretor espiritual, que possa lhe orientar nessa caminhada. Peça a Deus que lhe dê um bom diretor espiritual, caso ainda não tenha um.

      3. Sim, seu sentimento de culpa pode e deve acabar. Tenha a certeza de que Jesus está muito feliz com sua decisão de mudar de vida. Você alegra o coração de Jesus, tenha fé! Jesus veio para os pecadores, não para quem se acha todo puro e todo santo. Jesus veio para você! Jesus quer que você viva O PRESENTE, e não que fique rastejando sua alma nos pecados do passado. Ele quer aliviar teu fardo, para que você caminhe livremente.

      Reze para Santo Agostinho todos os dias, entregando a Ele o seu sentimento de culpa. Tenho certeza de que ele vai te compreender e interceder por você. É para a liberdade que Cristo nos libertou, não para uma vida de ressentimentos.

      Grande abraço! Sempre que desejar, volte a nos escrever.

  • Jack

    Oi, estou conversando com um rapaz já fazem mais de dois meses. Gosto muito dele e o meu desejo é de que um dia a gente possa namorar… Mas depois que contei a ele que eu não era mais virgem (sendo que ele também não é mais virgem) ele ficou indiferente… pois pensava que eu ainda fosse e queria que se fosse pra acontecer, que acontecesse com ele… estou muito triste. O que posso dizer a ele? Como devo agir.

  • Maria Alessandra

    Olá, estou muito feliz de ter encontrado esse site, me tirou muitas duvidas! Eu sou católica e minha melhor amiga também, porém ela perdeu sua virgindade e sente que pulou uma parte da sua vida, e está angustiada. Eu sei que o que está feito não se pode mudar, mas eu quero aconselha-lá mas nao sei o que dizer, quero dar forças para ela seguir o caminho da castidade, mas não sei que palavras dizer! Senhor ilumina minha mente, amém!

  • Laís

    Olá! Enquanto procurava sobre castidade, que é um assunto que tem me atormentado muito ultimamente, encontrei este site, e queria esclarecer algumas dúvidas.

    Tenho 15 anos, perdi minha virgindade no ano passado. Não tinha consciência do ato terrível que estava cometendo, e hoje, me arrependo muito, e não há um dia que eu não pense no erro que cometi. Estava afastada da Igreja, e não tinha muito conhecimento sobre esse assunto. Mas agora, tenho total consciência do que fiz, e me sinto tão mal com tudo isso… Mas tenho medo, vergonha de me confessar com um padre. Às vezes me pergunto: será que Deus me perdoará? Ainda posso viver a castidade mesmo não sendo virgem?

    Estou começando um namoro agora, e meu namorado sabe, mas diz que isso não muda nada, “passado é passado “, e que isso não muda nada entre a gente. Mas fico pensando: será que realmente não? Tenho medo do que ele pense de mim, ainda mais que ele já teve um relacionamento de 2 anos, e que nunca aconteceu nada entre eles.

    Tenho medo de me confessar, do que pensarão de mim. Será que ainda posso recomeçar? Fazer tudo diferente? Deus me perdoará?
    E eu estou comungando, mesmo sem me confessar. Devo parar?

    • Laís,
      Vou te dizer o nome de alguns santos que foram elevados aos altares pela Igreja: Santo Agostinho e Santa Margarida de Cortona. Ambos, antes de sua conversão, pecaram contra a castidade (Agostinho até mesmo teve um filho). Isso não os impediu de viver, depois, uma vida pura, em castidade.

      Então, a resposta é SIM: claro que você pode viver a castidade, ainda que não seja mais virgem! Tenha certeza de que Jesus se alegra com esse desejo do seu coração e está de braços abertos para andar ao seu lado nessa caminhada. Você certamente pode recomeçar com o coração cheio de paz!

      Sobre o seu namorado, eu não sei. Só Deus conhece o coração dele. Mas é possível que ele esteja sendo sincero. Veja o testemunho de Jason Evert: ele se casou com a Crystalina, mesmo sabendo que ela dormiu com vários rapazes antes. E eles são hoje um casal muito feliz, já têm um filho!

      Não tenha medo de se confessar, e o que o padre vai pensar de você não interessa. Ele deve guardar segredo, por obrigação sagrada, então… O que há a temer? Ademais, fique certa: todo padre já ouviu a confissão desse tipo de pecado mais de mil vezes. O mundo de hoje realmente está longe de promover uma cultura de valorização da castidade, então os jovens são os primeiros a cair na arapuca infeliz do sexo livre.

      Quanto à Comunhão, com certeza você deve parar. E deve confessar também que estava comungando, mesmo estando em pecado grave. Isso é sacrilégio! Confesse-se o quanto antes. Quem em dera ser sua amiga, eu te acompanharia amanhã mesmo a um confessionário.

      Receba de longe o meu abraço. Vá com fé, seja feliz, siga em paz! Você vai ver o quanto se sentirá leve e aliviada.

  • Hiago

    Olá.. Depois q a mulher faz a laqueadura, dps q tem dois filhos! Aí ela pode tranzar com seu marido normalmente? N pode tranzar antes do casamento, mas qnd casar, só pode tranzar qnd for fazer filho? E dps da laqueadura pode tranzar??

  • Perdi minha virgindade a uns 8 meses atrás..
    Me confessei, mais não consigo me perdoa pelo que fiz. Pois eu sonhava em casar virgem, pura, “” sem pecado “”, mais hoje quando paro e penso que não vou mais casar do jeito que sempre sonhei isso me machuca mt.
    Muitas das vezes me sinto indigna de conversar com DEUS. Sempre tive um sonho de se casar na igreja, mas quando eu lembro que não sou virgem.. sempre falo que sou indigna de entrar na casa de DEUS…..
    O que eu faço para eu me perdoa.. Quando ouço pregações sob castidade, nossa isso me mata é como se estivessem colocando uma faca em meu peito !! Pois me machuca mt…

    • Padre Orlando Henriques

      Esse sentir-se “indigna de conversar com Deus” é uma armadilha perigosíssima que o diabo lhe está a colocar. Não pense assim, pois é EXACTAMENTE AGORA QUE VOCÊ MAIS PRECISA DE REZAR!!!
      Se deixar de rezar por se sentir indigna, então é a sua desgraça! Esse sentimento de indignidade não vem de Deus, mas do demónio.

      É muito compreensível que se sinta magoada por ter perdido algo que já não pode recuperar, mas, Maria, você precisa de acreditar no perdão de Deus. Sim, esse também é um acto de fé que precisamos de fazer, crer na misericórdia INFINITA de Deus, mesmo que nos custe acreditar que Deus nos perdoa.
      Se sente que o seu pecado foi grande, então aproveite para meditar o quanto o amor de Deus e maior ainda; a partir da grandeza do pecado, maravilhe-se com a grandeza infinitamente maior do amor de Deus. Não estou a inventar, é Palavra de Deus:
      «…são perdoados os seus muitos pecados, porque muito amou; mas àquele a quem pouco se perdoa pouco ama.» (Lucas 7, 47)
      Deus já a perdoou; só falta que você se perdoe a si mesma. Felizmente, Deus não é cruel como nós, que, por vezes, nem a nós mesmos conseguimos perdoar…

      Releia este post d’O Catequista, e veja o vídeo do testemunho de Crystalina Evert: castidade NÃO É sinónimo de virgindade: é possível ser casto mesmo que já não se seja virgem; se interiorizar isto, as pregações sobre castidade já não lhe causarão essa aflição.
      Tantos Santos que, no seu passado, tiveram a vida mais imunda, sexualmente falando, mas que viveram a castidade depois da sua conversão! Santo Agostinho, que já foi citado várias vezes aqui nos comentários…

      Mesmo que ao erguer as mãos ao Céu sinta o amor de Deus a queimá-la interiormente por se sentir indigna, DEIXE QUEIMAR! Isso só nos PURIFICA, e torna-nos HUMILDES! E Deus exalta os humildes!
      Agora, deixar de rezar isso é que nunca!

  • B.F

    Ola! Namoro a 2 anos e alguns meses, e agora eu e meu namorado decidimos ter um namoro santo. Nunca chegamos a fazer sexo propriamente, mas já fizemos sexo oral e passamos dos limites algumas vezes. Recentemente me confessei com um padre e ele disse que eu era muito nova não tinha idade pra namorar (vou fazer 16 anos) e deveria aproveitar minha adolescência, mas que isso não era normas, era apenas uma orientação. Amo muito o meu namorado, e sinto que ele também me ama, estávamos afastados da igreja e só agora eu comecei a ser realmente católica. O que devo fazer? Eu amo muito ele, e não vejo nenhum problema em namorar, já que agora decidimos seguir o caminho de Deus. Queria muito uma opinião! Obrigada

    • Padre Orlando Henriques

      Caríssima B. F., não tenha medo de confiar em Deus, pois a castidade é um tesouro precioso, e descobre-o quem a vive.

      Um namoro casto é sempre possível ser vivido, mesmo aos 16 anos (pois se até casar é possível aos 16 anos), por isso, PODEM NAMORAR, SIM, MAS DESDE QUE SEJA UM NAMORO CASTO.

      Sim, estão a ERRAR o caminho, mas NÃO É por namorarem: é pela forma como namoram. Erram quando passam “dos limites”, como você diz. Na verdade, namorar não implica sexo de qualidade nenhuma, nem sequer sexo oral.

      Experimentem renunciar ao sexo oral e ao “passar dos limites” e descobrirão que o vosso amor crescerá. O que devem fazer os dois é aceitar o desafio da castidade (de que fala este post) e deixar de fazer sexo oral e de passar outros limites.
      Experimente, e não tenha medo!
      Ganharão em amor autêntico!

      E, principalmente, não tenha medo de perder o seu namorado: se ele ficar consigo mesmo assim, é a prova de que ele a ama mesmo; se ele for embora, é a prova de que, afinal, esse amor era falso.
      Se o namoro não for purificado do sexo, há sempre a probabilidade de não ser amor verdadeiro, mas de alguém estar apenas interessado naquilo que o outro lhe pode dar.
      O verdadeiro amor sabe esperar.

      • B.F

        Obrigada padre! Desde que paramos de fazer essas coisas o nosso namoro tem melhorado muito, estamos mais amigos e deixamos de brigar por coisas pequenas. Ele disse que iria achar estranho e as vezes sente saudades, mas que me respeitava, que amor não é desejo vai muito além disso e valia a pena esperar. Estava pensando que por ser nova não seria certo namorar, até porque comecei a namorar com ele faz tempo, tava muito mal pensando nisso. Obrigada pela ajuda, que Deus lhe abençoe e a Virgem Maria esteja sempre a lhe proteger. Muito obrigada mesmo!

        • Padre Orlando Henriques

          Alegro-me imenso por saber desses bons frutos na vossa relação desde que optaram pela castidade!
          Esqueci-me de dizer (embora nem seja preciso, pois é evidente) que se devem confessar, caso ainda o não tenham feito.
          Que Deus vos abençoe!

          • Bianca

            Padre Orlando, como faço pra conversar com o senhor? Preciso de orientação. alguma rede social,whatsapp, email?

  • PAULA

    Boa tarde, acabo de ler quase tudo isso e tô morrendo de tanto chorar, eu namoro há quase 4 meses e há quase 2 mantemos relações sexuais. No início eu cogitei o fato de não me entregar, mas por questões mundanas e comuns hoje em dia, me entreguei. Pois bem, desde então eu não comungo, minha família é católica, fui criada dentro dos princípios e desde que minha irmã me disse que eu não poderia pois ela falou (Quem comunga sabendo que está em pecado, comunga sua própria destruição), eu antes, ignorava que eu não pudesse comungar, pois pra mim, já que éramos namorados, era permitido. Bem depois do que ela me disse e depois de ler a respeito, descobri meu pecado e abstive de comungar. Bem, eu frequento a igreja quase todos os domingos e terças, participo de grupo de oração e rezo o terço de segunda a sexta (sábado e domingo eu tenho esquecido, mas vou passar a rezar, amém) e isso, de não comungar passou a afligir o meu coração, sobretudo agora, lendo isso.

    Para piorar, meu namorado não é cristão, ele é um homem bom, trabalhador, honesto, tem caráter e sua família inclusive é evangélica, mas ele não acredita que temos Um Salvador (por ele ter descendência árabe e tbm se referir sempre aos sofrimentos dos judeus qdo tocamos nesse assunto, ele diz: Paula, “se Deus existisse, eles não teriam morrido”, vem com uns argumentos tipo: Pq sofremos então?, a ultima foi:Se sabemos que Deus é maior q tudo, pq o inimigo perderia tempo tentando, pq esse jogo de gato e rato se sempre no final o bem vence?”. Sabe, quanto à família dele, nos damos bem, a mãe me acolheu bem e nenhum deles nunca me impuseram nenhuma restrição, apesar de eu sempre estar com meu terço enrolado nos braços e ter tatuado o tau no meu braço, sinto que gostam de mim e acham que eu o faço feliz.

    Mas, voltando ao nosso namoro em pecado, o fato de eu optar agora, neste instante, em me confessar e buscar renunciar ao sexo mas ele não, como por exemplo, caso ele aceite mas se masturbe sozinho por exemplo. Isso não me afetaria né? Como alguém já me disse, a salvação é individual, o ideal seria se ele também renunciasse, mas considerando que por eqto nem cristão ele é acho difícil. Gente, quero que vejam que de fato ele é um homem bom, até agora não acredito como alguém não pode acreditar no óbvio, isso quase foi um empecilho para topar o namoro, mas pensei que eu talvez pudesse plantar Jesus em seu coração ou ao menos tentar (já que nem sua própria família consegue), o fato é que agora, com essa decisão impactante e verdadeira, de repente ele enxergue que a minha fé, Jesus, Deus, tudo isso é primordial para mim e que se eu for realmente importante para ele, irá me compreender ou ficarei apenas com Deus e sem ele.

    Desculpe o tamanho do texto, fique a vontade para me orientar não só quanto a salvação ser individual, mas quanto à existência e prosseguimento desse namoro, que só não me faz tão bem, pq ele não acredita e por isso não me acompanha na igreja. Obrigada e aguardo retorno ansiosa.

    • Paula,
      O fato de você se afligir por estar afastada da Santa Comunhão é algo muito bom. Porque muitos estão a tal ponto com o coração endurecido pelo pecado, que ficam indiferentes a essa realidade.

      Se, com a graça de Deus e o auxílio da Virgem Maria, você tiver a liberdade, a fortaleza e a sabedoria de optar pelo namoro casto, e por isso seu namorado começar a se masturbar, isso será problema só dele. Aliás, é bom que você saiba: muitos homens com vida sexual pra lá de ativa se masturbam ainda assim, pois são viciados em pornografia. De vez em quando vaza um vídeo de algum homem famoso – daqueles que vivem cercados de mulheres – tocando uma pra alguma criatura na internet. Ou seja, quem não vive a graça da castidade, vira escravo do sexo de qualquer jeito.

      Sim, você pode ter a esperança de plantar Jesus no coração de seu namorado. Mas cuidado, porque na maioria das vezes o que se dá é o contrário: o namorado incrédulo afasta a namorada cristã da vida na fé (é o que vem acontecendo com você, não é mesmo?). Seja honesta consigo mesma, seja esperta, e observe bem que é que está influenciando quem. Se ver que está conseguindo viver a castidade em paz, ok. Se ver que seu namorado continua a lhe enredar em uma vida de pecado, caia fora. Jesus lhe proverá coisa bem melhor, não tenha medo!

      Volte a nos escrever sempre que quiser. Grande abraço!

  • PAULA

    Obrigada pela orientação, ontem mesmo me confessei :)

  • Raiane Oliveira

    Boa noite.
    Não sou mais virgem. Perdi com 16 anos, quando ainda não “conhecia” Deus, a fé. Era uma pessoa totalmente do mundo, não orava, não pensava em Deus, não tinha a fé que tenho hoje. Passei por um tempo de muito sofrimento e nesse tempo descobri que Deus é tudo na minha vida, Ele é tudo que eu preciso, foi o único que esteve ao meu lado quando mais precisei. E desde então tenho tentado viver da maneira correta pra Ele. E gostaria de saber como faço voto de castidade ? Tenho que me confessar antes ?

  • Guilherme Gomes

    Olá Boa noite, estou acabei de ler o conteúdo sobre tema castidade, e confesso que tenho dificuldade de vive-lá, o problema é o ato da masturbação que começou muito cedo ao 13 anos, e hoje tenho 22 anos, mas devido ao passar do tempo eu comecei a me controlar e mesmo depois de convertido, infelizmente eu não consigo conversar com ninguém sobre sexualidade, castidade.. pois não tenho controle dos meus desejos, quando começo a tocar no assunto com amigos que também são da igreja e procurar viver e alguns tem dificuldades maiores que a minha, começa dia a dia as tentações e não consigo, pois sou fraco nessas feridas. Eu rezo a Deus pedindo a misericórdia e me confesso pois não quero essa vida de pecado , viver em transgressão e iniquidade… quero uma vida de santidade, felicidade. me ajudem por favor !

    • Guilherme, sei bem como é isso.

      O que posso dizer é:

      1) Não tenha medo! Outras pessoas venceram batalhas muito mais difíceis. Você também conseguirá.

      2) O terço é seu melhor aliado nessa batalha.

      3) Procure um diretor espiritual. Um padre piedoso e que possa lhe ajudar e lhe orientar.

      4) Não menos importante, procure um psicólogo. Nâo para “curar sua loucura”, mas para te ajudar a se entender e se aceitar. Pode parecer esquisito, mas aceitar-se é o primeiro passo para a mudança, porque você começa a entender que você não é o seu comportamento, e que você pode e deve cuidar melhor de si e deixar de lado o que não lhe faz crescer. 😉

      Paz e Bem!
      Fabão

  • Tais

    Oi…
    Eu e meu namorado tentamos viver um namoro santo, mas ultimamente esta muito difícil, eu sou virgem e ele já perdeu, mas faz muito tempo que ele não pratica. Mas mesmo com desejo de santidade não conseguimos controlar, ele me respeita muito, mais quando estou em meus dias férteis ” eu do corda” já aconteceu dele passar a mão em meus seios. E depois nos ficamos muitos chateados por isso. O que podemos fazer? Alguém me aconselhe pelo amor de Deus???obg.

    • Oi Tais!
      Talvez a questão principal você já tenha: o arrependimento sincero e o desejo de não pecar mais. Isso é muito importante. A primeira coisa é reconciliar-se com Cristo através da confissão. Só que para não voltar a pecar, não basta a vontade. Somos fracos e temos que ter consciência disso. Os dois precisam se ajudar, quando um estiver tentado, o outro precisa ser forte e recusar. Mas se vocês perceberem que não vão conseguir se segurar, deem preferência a encontros em locais públicos, principalmente nos dias do período fértil em que é natural “dar mais corda”.

      Além disso, procurem o acompanhamento (ao menos semanal) de um padre e sempre se lembrem de rezar pela santidade e pela vocação de vocês.

      Fiquem com Deus!

  • Ana

    Oi. Eu moro com meu namorado faz quase um ano e têm 4 anos que namoramos. Temos vida sexual ativa e estamos afastados da igreja. Nós brigamos muito e todos os dias eu prevejo que o término esteja próximo. Eu não tenho como morar em outra casa por causa da minha faculdade que não é na cidade em que meus pais moram. Mas começou a arder um desejo de me libertar desse pecado. Tem como me livrar disso mesmo morando com ele? Sinto que sou muito dependente emocionalmente dele, isso é por culpa do sexo? Também tenho tido crises depressivas, aí cada vez me agarro a isso como uma forma de esquecer as mágoas. Me ajude por favor.

    • Ana, que bom que nos escreveu!
      Em primeiro lugar, tenha a certeza de que Deus está olhando com ternura para o seu desejo de libertação. O primeiro passo, e mais importante, é esse desejo. Porque seguir as leis de Deus como resposta a um desejo que reconhecemos profundamente em nós é muito mais bonito do que seguir por moralismo, por “obrigação”. Então, o desejo nasce dessa consciência clara que você tem, de que a vida do jeito que está não te realiza, não te dá paz. Apenas alivia de de forma precária às suas carências. Ora, Jesus pode te dar muito mais do que essas migalhas!

      O fato de você ser dependente emocionalmente dele não necessariamente tem relação com o sexo. Todos nós temos necessidade de nos sentir protegidos, amados. Então, se lhe faltam alternativas à atenção que seu namorado te dá, é normal que você fique dependente dele. Solução: em primeiro lugar, reconhecer que você é profundamente amada por Deus. Segundo: poder “sentir” esse amor por meio de uma companhia de amigos que caminham na fé.

      Seria muito bom que você procurasse uma comunidade em sua paróquia ou em outro lugar, em que pudesse apertar os laços com amigos católicos e também fortalecer sua espiritualidade. Mas fuja dos grupos com espiritualidade capenga, como certas pastorais da juventude que vemos por aí (não todas, mas muitas), que são verdadeiros antros marxistas!

      Se tem como você se livrar disso morando com ele? Em tese, tem sim. Mas só você pode saber de seus limites. De qualquer forma, é fundamental que você coloque esses problemas aos pés de Jesus e de Nossa Senhora, em devota oração. Como bem disse Jesus, o pai não vai dar pedra a um filho que pede pão. A quem bate, a porta se abre. Se você abrir seu coração com sinceridade, Jesus vai responder de modo concreto ao seu problema. Não sei como, mas esse problema da moradia vai se resolver. Deus é Pai!

      Outra coisa: um bom grupo católico, além de oferecer um bom conteúdo de catequese, sempre propõe ações de caridade contínua. Quando nos doamos gratuitamente ao próximo, fica mais difícil que a depressão tenha lugar em nós.

      Escreva-nos sempre que precisar. Meu email é: viviane@ocatequista.com.br

      Abraço!

  • Maria Helena

    Tive relações com meu namorado, mas não me sinto muito feliz, pois foi antes do casamento. Tenho muita vergonha de Deus, sempre tive o sonho de fazer sexo antes do casamento, pois achava lindo duas pessoas se guardarem uma para outra. Comecei a namorar com 19 anos, eu era virgem, meu namorado não tivemos relação após 7 meses de namoro. Tenho desejo de servir a Deus, gostaria de saber se posso mesmo tendo pecado contra a castidade. Me ajudem por favor, pois ficarei muito grata.

  • Ana

    Oi. Meu namorado se afastou de mim após termos relação e agora ele diz que quer viver a castidade. Eu estou vendo isso como rejeição. Mas ele diz que é pra viver de maneira correta. Como posso sentir que ele optou por isso pela fé e não como desculpa para não estar comigo?

    • Ana, só há um modo de você saber isso: orar e dar tempo ao tempo. Jesus nos esclarece todas as coisas que nos parecem confusas, com o tempo. Então, é preciso que você peça a Deus o dom da paciência. Aguarde, reze, e tudo ficará claro.

      Especialmente para os homens, é muito difícil viver a castidade no namoro, ainda mais depois que o casal já teve relações sexuais. Talvez seu namorado esteja mesmo consciente dos limites dele, e não se ache capaz de viver a castidade ao seu lado, neste momento. Se ele gostar mesmo de você, quem sabe ele não se interesse futuramente em reatar o namoro, se perceber que você está mais fortalecida na fé e mais capaz de ajudá-lo a viver castamente?

      Mas, Ana, há algo bem mais importante do que saber se seu namorado usou a questão da castidade como desculpa ou não. A pergunta é: no futuro, você vai continuar se expondo ao risco de que essa situação se repita?

      Sempre se pode aprender algo útil de nossas frustrações na vida, então, é bom que você guarde isso em seu coração: quando iniciar um novo namoro, peça a graça de Deus para ser perseverante na castidade. Entre outros motivos para desejar isso, está esse que você está sentindo na pele; é muito dolorido se separar de alguém a quem você se uniu com tanta intimidade. Terminar um namoro casto pode ser sofrido, mas terminar um namoro em que havia sexo, obviamente, deixa marcas muito mais profundas. O sentimento de rejeição é bem maior.

      Veja, ainda que você tenha sido rejeitada (não sabemos se esse foi mesmo o caso), saiba que isso vai passar. Tudo passa! E Jesus pode renovar tudo, se você confiar e permitir que Ele faça isso. O importante é que você não caia nesse ciclo infeliz em que tantas meninas e mulheres caem nos dias de hoje: não conseguem viver um namoro casto, porque temem ficar sem namorado se se recusarem a fazer sexo; mas, paradoxalmente, mesmo cedendo aos desejos do namorado, acabam sendo rejeitadas mais cedo ou mais tarde, de qualquer modo. E depois engatam outro namoro, e outro, e a história se repete indefinidamente. Para fugir da solidão, acabam casando com o primeiro que lhes proponha casamento, ainda que ele não seja lá um grande homem…

      Da minha parte, o testemunho que posso lhe dar é que fui rejeitada diversas vezes por meninos, antes mesmo de começar a namorar. Quando sacavam que eu não era do tipo que estaria disposta a transar, meus pretendentes simplesmente sumiam. Eu ficava um tanto chateada na época, mas hoje digo: bendita rejeição! Minha postura espantou aqueles que não gostavam de mim de verdade, que não estavam dispostos a assumir um verdadeiro compromisso. Até o dia em que Deus colocou na minha vida um namorado disposto à castidade – hoje, meu atual marido.

      Jesus quer um destino muito mais belo e rico para você! Entregue seu coração e seus desejos a Ele, confie nEle!

      Abraço!

  • Andressa Rosariana

    Olá Boa Tarde.
    Eu tenho 17 anos, e namoro a um mês, meu namorado não é mais virgem e até tem um filho.
    Eu disse a ele que queria viver a castidade, mais infelizmente eu não consegui, perdi minha virgindade e isso pra mim foi horrível, pois sempre foi meu sonho viver a casta.
    Não mim sinto digna d chamar Deus de meu Pai, pois nao sou mais pura. Mim sinto a pior pessoa do mundo.
    O que devo fazer pra acalmar meu coração.

    • Querida Andressa, se me permite dar uma sugestão para acalmar seu coração, eu a aconselharia a se confessar com um padre, contando o que houve entre vc e seu namorado e que se arrependeu, que isso lhe trouxe o desassossego espiritual. Deus nos perdoa desde que estejamos abertos a receber o Seu perdão e viver de acordo com a palavra. Um abraço.

    • Andressa, uma das coisas que Deus mais aprecia é um coração arrependido. “O médico veio para os doentes”, disse Jesus. Você está com o coração contrito, e isso é muito bom! Confie em Jesus, Ele está de braços abertos para te receber, te purificar e te devolver a paz.

      Lembra-se da parábola do publicano e do fariseu? O fariseu entra no templo e se vangloria de ser “certinho”. O publicano nem tem coragem de levantar os olhos, apenas bate no peito e diz ao Senhor que é pecador, pedindo misericórdia. Jesus diz que o publicano humilde foi justificado, mas o fariseu soberbo, não.

      Chame, sim, a Deus de Pai, porque Ele te ama e enviou Seu Filho Unigênito ao mundo para te salvar, para dar sentido profundo à tua vida.

      A Flávia disse bem: você deve procurar um sacerdote para se confessar. Peça também a Deus que te ajude a encontrar um bom diretor espiritual ou um bom grupo de amigos católicos, que te ajudem a amadurecer na caminhada da fé.

      Volte a nos escrever sempre que desejar. Abraço!

  • Oi

    Boa noite
    Gostaria de saber se quem fez sexo antes do casamento pode se consagrar a Jesus por meio de Maria???

    • Sim, pode! Alguns dos grandes santos que estão hoje em nossos altares – como Santo Agostinho – pecaram contra a castidade antes de se convertem. Porém, ao se entregarem a Cristo, foram purificados e deixaram o pecado para trás. Jesus veio justamente para resgatar e santificar para os pecadores.

  • olá

    Olá!
    Sou solteira, e mãe de um menino de 2 anos. Namorei por um tempo e confesso que por carência, e falta de conhecimento do Amor Maior (Jesus), sempre me entreguei nos namoros que tive. Hoje, solteira, espero encontrar um pessoa e viver a castidade, hj não quero ninguém na minha vida, mas sonho e ter minha família por completo, e que a base seja Deus. Mas já ouvi pessoas dizendo que agora não adianta mais. Será uma luta inútil esta que estou querendo percorrer?

    • Oi! Veja, sou testemunha, na minha paróquia, de um namoro casto entre uma moça que já tinha uma filha, e um rapaz da comunidade. Hoje eles estão casados há mais de 12 anos, e bem felizes.

      Tenha fé, menina! Deus provê. Essas pessoas que disseram que não tem mais jeito, coitadas, elas não têm fé. Se for da vontade de Deus que você forme uma família com um rapaz disposto a viver um namoro casto, assim será! No nosso mundo, isso é muito difícil, mas para Deus NADA É IMPOSSÍVEL!!!

      Tenha fé. Jesus pede que você, em primeiro lugar, encontre alegria nEle, em fazer companhia a Ele, na oração, caridade e meditação da Sua Palavra. Depois, como filha, você pode e deve colocar nas mãos dele seus desejos, suas necessidades, seus sonhos. Confie. Como disse Jesus, um pai não dá pedra a um filho que pede pão.

      Abraço!

  • Sou um adolescente, já fiz e recebi sexo oral com meu primo, meu irmão e um amigo quando criança. Ano passado tentei desonrar uma menina. Me confessei dizendo que havia pecado contra a castidade, incluindo todas essas coisas que eu disse… Ou devo confessar-me novamente dizendo o que eu fiz por detalhes?

    • Olá! Pelo visto, sua confissão foi correta, não precisa ser refeita. Quando confessamos, precisamos dizer o que fizemos e quantas vezes fizemos aquilo. Também falar dos agravantes, caso existam (por exemplo: “roubei duas vezes”; mas se roubou a mãe, o pecado é pior ainda, então é preciso declarar isso… “roubei minha mãe duas vezes”.

  • Daniel Medeiros

    Como a masturbação se enquadra nessa questão da castidade? É considerada um pecado grave também? Se for, qual a melhor maneira de se livrar dessa hábito?

    • Respondendo a tuas perguntas, vamos lá:
      1-Como a masturbação se enquadra nessa questão da castidade?
      Por ser um ato desordenado, provocado pela luxúria, onde a pessoa usufrui de um prazer egoísta, que para ser executado, existem estímulos. Para tais estímulos, são usados imagens mentais de qualquer mulher, exemplo: a vizinha, a filha da vizinha, as duas junto, a colega de trabalho, e assim por diante, como imaginação não tem limite. Problema que, com o tempo, não ficará só na imaginação, a pessoa começa a procurar a vizinha, a filha da vizinha, e se conseguir, a colega de trabalho e assim por diante, até em alguns casos o cara usar aro de carro, cabo de carrinho de mão e assim por diante, deu pra entender então. Não é que a masturbação seja um ato que inicie um monte de outros pecados, ela já é a consumação daquilo que primeiro foi uma tentação consentida. Além do mais, a masturbação é um ato que não tem caráter de entrega a outra pessoa, um ato que não é reprodutivo, tampouco unitivo.
      É considerada um pecado grave também?
      Sim, é um pecado grave, igual o adultério e ou sexo antes do casamento.
      Se for, qual a melhor maneira de se livrar desse hábito?
      Vichhhhheeeeee, já virou hábito, lascou (hehehe, digo isto porque já fui assim). Então um conselho de quem já foi habituado com esta nhaca e achava normal, aliás, mais que normal, salutar e necessário para a vida, como é a água e o arroz e feijão: mmmuuuuiiiiiiitaaaa vontade de mudar, de parar com isso, mas mmmuuuuuuuuuiiiiiiiiittttttttooooooo mais do que muita vontade, rezar, rezar, rezar, procurar um padre e acusar-se a ele confessando de cara como primeiro pecado, mas não só, acusar também as concupiscências, as imaginações, tentar fujir das ocasiões de pecado (isto significa quase ter que andar pelas ruas olhando só para o chão, nada de pornografia, videozinho malicioso, fotografia de uma mulher com um decote um pouquinho maior, e assim por diante, e quando começa a pensar na irmã do amigo, para tudo, corre pra geladeira, pega 10 gelos, enfia nas calças, volta correndo, pega o rosário e reza), pedir em oração ajuda a Nossa Senhora e confiar muito muito muito nela.
      Tenha certeza, Nossa Senhora dá um jeito na vida da gente e melhor, Ela conserta um monte de outras coisas que estão bagunçadas no coração da gente.
      Dominus vobiscum.

      • Daniel Medeiros

        Ok. Entendido. Mais duas perguntas: Como a masturbação prejudica a minha relação com Deus? Deus pode deixar de ouvir minhas orações pelo fato de eu estar praticando masturbação? (me refiro a orações que tratem de outros assuntos, tipo alguma oração pedindo alguma coisa)

  • Padre Orlando Henriques

    Bom dia, Daniel.
    Qualquer pecado nos afasta de Deus, principalmente os graves, como é o caso da masturbação. E a masturbação, em concreto, tem esse particularidade de nos fechar em nós mesmos, pois é uma vivência particularmente egoísta e individualista, pelo que contribui de forma especial para nos distanciar, tanto de Deus como do próximo (ao contrário da relação sexual entre pessoas casadas, que é a confirmação, de forma sexual, da entrega total que fizeram de si mesmos um ao outro para sempre).

    Quanto a saber se Deus deixa de nos atender por causa da masturbação, eu diria que deixa sim, mas não de forma absoluta, pois Deus, que sabe melhor do que nós o que é melhor para nós, é senhor de nos dar ou não os bens que Lhe pedimos, conforme julgar oportuno. Mesmo que nos guardemos de pecar, por muito que desejemos algo, há que dizer sempre “seja feita a Vossa vontade”. Se bem que, segundo me parece, será mais fácil sermos atendidos se nos esforçarmos por levar vida santa. Mas não vale a pena fazê-lo de forma interesseira, para obter bens, pois isso não é amor. Mas não é por acaso que a confissão bem feita e a Comunhão estão sempre na lista das condições necessárias para receber indulgências, ou de devoções como as primeiras sextas-feiras, ou os primeiros sábados: é que, como diz o Salmo, «sacrifício agradável a Deus é o espírito arrependido».

Deixe uma resposta

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>