O Bispo de Branco

Alegria, Povo Católico!

Raio vaticanoVivemos dias históricos.  Em plena segunda-feira de carnaval acordamos vendo algo que não acontecia há 600 anos: um rei renuncia ao seu trono. Diz estar cansado e não conseguir acompanhar as exigências de um mundo cada vez mais rápido, mais instável.

Um mundo perigoso. Um lugar em que as pessoas acusam a Igreja de ser decrépita, retrógrada, de estar fadada a definhar até fracassar. Um mundo onde todos querem mudar a Igreja, porque se acham melhores do que ela.

Nesse dia, naquela segunda-feira de carnaval, eles comemoraram. Fizeram piadas, invadiram igrejas e cantaram vitória.

femem_igreja3

Naquela segunda-feira, um povo agradecido rezava pelo seu pontífice e pedia a Deus que enviasse um novo rei.

Durante semanas, surgiram incontáveis especialistas em Vaticano. Todos tinham opiniões, sabiam apontar problemas, sabiam quem seria o novo eleito. Sabiam até que reformas teriam que ser feitas para adequar a Igreja de Cristo às vontades do mundo. Durante semanas, um povo rezava e aguardava por um novo rei.

Oracoes pelo ConclaveOs Cardeais, príncipes da Igreja, foram chegando aos poucos. Alguns não foram notados e outros foram coroados antes de qualquer votação. O mundo, curioso e cheio de expectativas, voltou suas atenções para o que aconteceria nos próximos dias: o Conclave.  Mas falavam de política, de corrupção, de escândalos… pediam reformas, bradavam por um eleito.

O povo rezava e esperava. Em suas orações, pedia por um milagre.  Sabia que o momento chegaria e confiava na condução do Espírito Santo.

Começou o Conclave.  Na Missa de abertura, o mundo escutava atentamente.  Esperava alguma pista de quem seria eleito, de quem seria o indicado político.  Mas só ouviu um pedido de caridade, unidade e humildade.  Ao ver os cardeais entrarem na Capela Sistina, se falava em acordos políticos, mas o que se viu foram homens em oração.

Os cardeais se trancaram. O mundo olhava para uma chaminé. O povo olhava para o céu.

conclave

No primeiro dia, fumaça preta. O mundo noticiava. E o povo, ainda rezando, se aglomerava.

Segundo dia. Pela manhã, nada de novo. O Conclave seguia sem uma decisão. O mundo contava os votos e fazia apostas. O povo rezava e esperava.

Fumaca BrancaCaiu a tarde. Dentro do conclave, um homem foi chamado.  Um homem que não tinha sido previsto pelos especialistas. Perguntaram a ele se queria ser rei. Se queria fazer parte da história. Se aceitava virar o homem mais amado por um povo e mais odiado pelo mundo.

Ele aceitou.

Agora tinham um rei. Faltava um nome. Um nome para a história. Para uma missão extraordinária.

Francisco.

Aí estava a resposta ao pedido de caridade, unidade e humildade, feito dois dias antes.

Fumaça branca. Todos pararam. O mundo parou. Os telefones tocaram, os grandes sites caíram e as grandes redes de TV interromperam a sua programação.  Todos olhavam para Roma.

Enquanto isso, Francisco era conduzido ao aposento onde iria vestir os novos paramentos: a Sala das Lágrimas. Onde reis choram diante da verdadeira Majestade.

Durante 40 minutos, a Igreja tida como decrépita, retrógrada e fadada ao fracasso, tomou o mundo. Nada acontecia. O mundo esperava para saber o que tinha ocorrido no Vaticano. O povo comemorava, não sabia de nada, mas tinha certeza de tudo.

Emocao PapaEle veio. Acompanhado do mesmo ritual que é feito há centenas de anos.  Que emociona há mil anos.  O mundo calou para ouvi-lo. E ele, rei de um povo com quase dois bilhões de súditos, foi o mais simples dos homens: agradeceu seu antecessor e pediu orações pela sua missão.

O mundo convoca os especialistas e tenta entender.  O povo já entendeu e, em oração, se comove. Chora.

Temos um Papa.

Não importa se ele é mais ou menos popular, mais ou menos tradicionalista… importa que novamente vimos o Espírito Santo atuar na nossa história e Francisco é fruto desse milagre.

apresentacao do papa

Católicos, tenham orgulho de serem os rostos de Cristo no mundo e de serem um Povo investido do Espírito Santo.  Somos chamados a, todos os dias, apoiar nosso novo Pontífice com nossas atitudes e, principalmente, com nossas orações.

Que Deus abençoe o Santo Padre.

Eleicao Papa Francisco

38 comments to O Bispo de Branco

  • Daniel

    Eu rezarei. Todos os dias.

    Deus abençoe o Papa Francisco 🙂

  • Bruno Cruz

    Gente, deu até um arrepio lendo esse texto! É maravilhoso fazer parte desse povo! Deus abençoe o Papa Francisco!

  • Rezarei! Lindo esse texto, pela primeira vez sem humor ou sarcasmo, tocou também o nosso coração!!! Bem-Vindo Francisco! Benedictus qui venit in nomine Domini!

  • Regimário

    Deus abençoe o nosso Papa e o ilumine em sua missão. Os homens vêem as aparências, Deus porém vê o coração!

  • Ligia Cassia

    Sensacional o texto, fui as lágrimas! Tenho visto tanta gente “pixar” o Papa Francisco, falar absurdos de doer o coração, ( inclusive o Caia a Farsa, do qual nao acompanho mais )que ler o que vcs escreveram foi um refrigério! “O mundo olhava para uma chaminé, o povo para o céu” Só um coração pleno de amor pela Igreja poderia escrever isto, porque é o que sentimos.
    Combinadíssimo! E estou divulgando!

  • Danielsa

    Também fui as lágrimas! Rezarei!

  • Plinio

    Quando li o título do texto –que ficou lindo — pensei que seria algo sobre o 3º segredo de Fátima onde é mencionado um Bispo (Bispo mesmo, não Papa) de Branco…
    Mas o texto ficou fenomenal! Parabéns

  • Weber Feu

    Muito bom o texto. Mas posso só dar uma sugestão? Que tal colocar umas tarjas pretas nessas mulheres da foto? Já não bastar ter que ficar desviando os olhos nos jornais, num site católico deveria ser desnecessário. No mais, vocês estão de parabéns.

  • Queridos, que texto maravilhoso! Deus abençoe o Papa Francisco.Rezarei também.

  • Neilon

    Sempre acompanho O Catequista mas hoje como nunca me emocionei profundamente com esta cronica. Acho que estava observando esta eleição através dos olhos da mídia, e nesse momento caindo as travas de meus olhos enxergo com os olhos do Espírito Santo. Bendito seja papa Francisco.

  • Patricia Anielly

    Li, chorei, irei rezar.

  • Belo texto com sucinta retrospectiva a partir da renúncia!
    Rezemos o terço todos os dias pelo Papa, pela Igreja e por aqueles que infelizmente estão fora, e aqueles que parecem estarem dentro mas estão fora em sua essência.
    Parabéns! Texto escrito com o coração e intelecto afiados. A teologia que Deus quer e só se faz através da oração!

  • claudia lucindo

    eu rezarei…não importa o Homem em si, mas a sua fé!
    Eu creio em Deus e no poder do divino Espirito Santo!
    Que estejam todos os anjos com ele: Francisco…

  • Luís Fernando Nascimento

    Tem um forte “q” poético aí! Meu Deus! Belíssimo! Bravíssimo! Estarei em oração também! 🙂
    Deus os abençoe! †M

  • Flávia Cabral

    Que texto poético! Bravíssimo! Sou feliz porque faço parte desse povo!

  • Fernando Henrique

    Quais são os nomes que um papa pode escolher?tem que ser santo? existe alguma regra? ontem um pessoa me disse que existiu um papa Mércurio em homenagem a um Deus grego.
    Claro que não acreditei mais me despertou o interesse de como funciona.
    Vivi não tive resposta do meu e-mail e nem da minha ultima mensagem fiquei to triste 🙁
    rsrsrs, abraços e que Deus abençoe a todos do blog.

    • Oi, Fernando, desculpe a demora! Vou te responder o email até amanhã. Abraço!

    • Ela entendeu TUDO ERRADO amigo, é o oposto!

      Não há regras pré-estabelecidas, simplesmente o eleito escolhe um nome que lhe apareça bom.

      A história das mudanças de nome começou com um cara chamado realmente de Mercúrio (era seu nome de batismo) e foi justamente pelo fato de o Papa não poder ter o nome de um deus romano que esse Mercúrio, mudou seu nome para João (João II na cronologia).

      Aos poucos a Igreja percebeu que seria bom que os Papas tivessem essa liberdade pois Pedro era Simão, e foi ao mudar seu nome que Cristo deu-lhe essa missão singular de “confirmar os irmãos”.

      • Fernando Henrique

        Ok Cadu muito obrigado pela explicação deu para entender bem.
        Só mais uma duvida ele se chamava Mercúrio pelo nome de batismo, então que deu o nome foram os pais ?
        Se sim sei que isso é mais difícil ainda de saber mais porque escolheram o nome simplesmente acharam bonito ou teve realmente alguma coisa a ver com o Deus romano pagão?

  • Sidnei

    Tendo em vista o que se entende por rei e majestade, essas palavras não definem a missão do Papa. Aliás, pensar no Papa como um Rei leva a uma série interminável de equívocos. O Papa é Bispo de Roma, Servo dos Servos, alguém que está a serviço de Deus, da Igreja e dos irmãos, como Pedro e o próprio Cristo. A santa escolha de Francisco vai ajudar nesse processo. Oremos!

    • Bruno

      Concordo com vc! A própria mídia brasileira esta enaltecendo esse lado humilde e humano do nosso Papa. Se renderam a Francisco. Conheço ateus que estão “contentes” e admirados com a postura que ele vem tendo.
      E eh isso mesmo, esta quebrando um pouco essa pomposidade toda e amostra de “poder” que a Igreja vinha demonstrando ao mundo (o que fazia muitos se afastarem e criticarem nossa Igreja). Ele esta aqui para servir ;]

      Tenho muita admiração por ele, me emociona.
      Ele pede pelos pobres.
      “Como eu queria uma igreja pobre, para os pobres.”

      E olha essa atitude linda dele hj:
      http://www.wscom.com.br/index.php/noticia/internacional/PAPA+DESCE+DE+JIPE+PARA+BEIJA+DEFICIENTE-145851

      Realmente o Espirito agiu nessa Igreja.

  • Nathan Xavier

    Obrigado por mais um grande post!!!

  • Klaus von Helig

    Gostei do texto, mas tudo o que o papa quis evitar com sua postura foi ser chamado de “rei”. O reino a que ele serve não é deste mundo.

  • Sidnei e Klaus.

    A função de um Rei é guiar, proteger e fazer justiça para seu povo. E essas são também algumas das atribuições de um Papa. Ele é rei do nosso povo católico. Além disso, tecnicamente ele é o chefe de um estado monárquico, que é o Vaticano.

    Logo o Papa é, de fato e de direito, um rei. E isso não é pejorativo! Muitos reis fizeram besteira com o seu poder, mas não eram revestidos do Espirito Santo, como é o Papa.

    Se a palavra rei não fosse digna, certamente a Igreja não teria instituído o dia de Cristo-Rei!

    Abs!

  • Wagner

    O Papa é rei, de fato e de direito, como bem dispõe a Lei Fundamental da Cidade do Vaticano:
    Art. 1

    1. O Sumo Pontífice, Soberano do Estado da Cidade do Vaticano, tem a plenitude dos poderes legislativo, executivo e judicial.
    2. Durante o período de Sede vacante, os mesmos poderes pertencem ao Colégio dos Cardeais, o qual todavia poderá emanar disposições legislativas só em caso de urgência e com eficácia limitada ao período de vacância, a não ser que elas sejas confirmadas pelo Sumo Pontífice sucessivamente eleito segundo a norma da lei canónica.
    Logo, não há mal algum em se afirmar o que se é de fato: rei ou , na linguagem jurídica, Soberano.
    http://www.vatican.va/holy_father/john_paul_ii/motu_proprio/documents/hf_jp-ii_motu-proprio_20001126_legge-fondamentale-scv_po.html

  • Graziela

    Como sempre Ótimo Texto, Parabéns pelas postagens 🙂
    Rezaremos muiito pelo Nosso Papa Francisco 🙂

  • Christiane

    Até hoje esta lembrança me emociona! Somente hoje eu li esse texto e… nossa! Vocês estão de parabéns!

    Me recordo que no dia da eleição do papa Francisco eu estava no trabalho e o chefe não estava, então liguei a tv da sala dele para acompanhar. Quando já tinha saído a fumaça branca o chefe chegou e eu imediatamente ia saindo quando ele disse:” Não, fica, também quero saber quem será o novo papa!” Aí ficamos acompanhando, era palpável a nossa expectativa! Quando anunciaram “Francisco”, nossa, me emocionei, aplaudi e me segurei para não chorar ali mesmo. Quando olho para o chefe, ele estava muito emocionado também, porque o nome dele é… Francisco!

    Um momento muito feliz, que vai ficar na minha memória para sempre!

  • Sara Almeida

    Emocionante. Eu amo a Igreja de Cristo.

  • […] (talvez o único argentino amado pelo Brasil), calçou as sandálias de Pedro e tornou-se o nosso Bispo de Branco. Nesses 365 dias de pontificado, uma coisa é marcante: a distorção de sua figura pela mídia e […]

  • […] (talvez o único argentino amado pelo Brasil), calçou as sandálias de Pedro e tornou-se o nosso Bispo de Branco. Nesses 365 dias de pontificado, uma coisa é marcante: a distorção de sua figura pela mídia e […]

  • […] (talvez o único argentino amado pelo Brasil), calçou as sandálias de Pedro e tornou-se o nosso Bispo de Branco. Nesses 365 dias de pontificado, uma coisa é marcante: a distorção de sua figura pela mídia e […]

  • Luan Tavares

    Mesmo depois de 2 anos ainda choro lendo esse texto de tão lindo que é

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>