Convite: venha conhecer Jesus. Importante: traga seu cérebro!

Uma reflexão sobre Fé e Razão
reliquia_cabeca_joao_batista

A "Cabeça de S. João Batista". Relíquia guardada em uma igreja em Amiens

Faz uns dias, o blog Apostolado Tradição em Foco com Roma (curto muito!) publicou em sua fanpage a foto de um crânio humano, identificado na legenda como a cabeça de São João Batista. Nos comentários, um rapaz perguntou sobre as provas da sua autenticidade. Não havia qualquer acento de deboche ou cinismo em seu questionamento, mas o bonde dos carolinhas não perdoou: desceu o malho no “São Tomé”.

– Como ele pode ser católico e pedir provas para acreditar em uma relica de santo? Que abeçurdoooo!!! Fé de verdade dispensa provas!

Os carolinhas ignoram que há em nossa fé elementos centrais – como a crença nos dogmas e a obediência ao Papa – e outros periféricos – como a crença em revelações pessoais e relíquias. Apesar de muito importantes, estas últimas devoções não são obrigatórias.

Pensem no caso Santo Sudário, uma relíquia esplêndida, amplamente apoiada em evidências históricas e científicas que afastam a possibilidade de fraude. Nem ele conta com o reconhecimento oficial da Igreja! O Beato João Paulo II e Bento XVI já o veneraram publicamente, mas o fizeram como devoção pessoal, jamais obrigando toda a Igreja a afirmar a autenticidade do tecido.

Voltando à tal foto da relíquia de São João: surgiram comentários fazendo contraponto aos carolinhas escandalizados. Um rapaz observou que pedir provas não é censurável, já que, para canonizar uma pessoa, a Igreja exige a comprovação de dois milagres, considerando até o parecer de cientistas. Outro notou que há pelo menos três igrejas na Europa alegando a posse da mesma cabeça. E um cônego afirmou que um questionamento sério que nasce da busca sincera de Deus é melhor do que uma fé cega.

cerebro

O crédulo manda o cérebro passear quando o assunto é religião.

Esse episódio é só uma amostra de como muitos católicos ainda estão longe de entender a relação vital entre Fé e Razão. Acaso, ao chegar na porta de alguma igreja, você já viu uma plaquinha pedindo: “DEIXE SEU CÉREBRO AQUI FORA”? Não, nunca viu? Nem eu. Mas tem gente que age como se essa plaquinha estivesse sempre lá.

Muitos nutrem a estranha convicção de que Jesus fica ofendidíssimo se a pessoa se põe a questionar sobre determinados elementos da religião. E se obrigam a crer sem pestanejar em qualquer ritual, narrativa ou objeto envolto em uma aura (ainda que duvidosa) de religiosidade. Eles não se dão conta de que o questionamento que nasce da busca sincera da verdade é bem diferente da dúvida irracional, orgulhosa e emperdernida.

Querem ver um exemplo na Bíblia? O primeiro capítulo do Evangelho de João conta que Filipe garantiu pra Natanael que tinha encontrado o Messias, e seu nome era Jesus de Nazaré. Natanael torceu o nariz e deu uma zoada:

– De Nazaré pode sair coisa boa?

Filipe então convidou o amigo a ver com seus próprios olhos. Bem, Natanael topou. Quando Jesus o viu, disse:

– Eis um israelita verdadeiro, sem falsidade.

Em vez de sentir-se lisongeado, Natanael mandou na lata: “Tu me conhece de onde, rapá?”. Um raio cruzou o céu e partiu o insolente ao meio? Que nada… Jesus respondeu, com doçura e naturalidade:

– Antes que Filipe te chamasse, Eu vi-te quando estavas debaixo da figueira.

Para Natanael, tudo então ficou claro: o Nazareno não era ThunderCat, mas tinha “visão além do alcance”; pra completar, ainda podia ler o que se passava na mente das pessoas. E foi então que ele professou a sua fé.

Viram? Jesus não se aborreceu com aquele homem por sua descrença inicial. Ele condenava sim, a falta de fé daqueles que, já tendo recebido mil sinais e razões para crer, ainda titubeavam ou duvidavam. Por isso, muitas vezes repreendeu seus próprios Apóstolos (Tomé não foi o único a levar puxão de orelha), e mais ainda os fariseus e incrédulos de mente tapada e coração endurecido.

A fé sólida nasce do discernimento, da reflexão sobre o sentido das coisas. É uma decisão lúcida, não um passo cego. Sim, a aventura de crer, assim como os esportes radicais, envolve assumir riscos (já falamos disso aqui), mas são riscos calculados, e não saltos no escuro.

Se saltamos no abismo, não é porque sejamos loucos imaginando que vamos flutuar; mas sim porque checamos mil vezes o nosso equipamento e nos certificamos do histórico e da confiabilidade dos nossos treinadores. Além disso, antes, fomos animados pelo testemunho de muita gente que saltou e se deu bem. Em suma: se somos católicos e cremos no que cremos, é porque temos boas razões para isso.

mente_abertaQuando falamos de RAZÃO, falamos da abertura da mente ao real, levando em conta todos os seus fatores. Não estamos falando, de modo nenhum, em acreditar somente no que é cientificamente comprovado (isso também é ser mentalmente estreito), mas em estar a atentos a toda a riqueza de sinais e evidências que a realidade oferece.

Crença religiosa despida de razão não é fé, é credulidade. O crédulo, no fundo, tem receio de que o que ele crê não seja verdade, e assim reprime seus questionamentos e toma uma postura hostil à reflexão, por medo de que seu mundinho desmorone.

Mas quem joga tudo de si no relacionamento com Jesus, nada teme. A Fé e a Razão nos conduzem à verdade, à certeza de que Ele é, de que Ele vive, de que Ele é tudo em todas as coisas. Isso é liberdade!

20 comments to Convite: venha conhecer Jesus. Importante: traga seu cérebro!

  • André

    Falou tudo! Outro ponto em que vejo diversos exemplos de fé cega e muita simples credulidade é, infelizmente, na Eucaristia e no caráter de sacrifício da missa. Apesar de haver um mistério da fé, há muito embasamento bíblico e teológico para crermos na transubstanciação, na presença real de Cristo, na necessidade de atualizarmos de modo incruento o calvário doloroso, porém salvífico…acontece que poucos católicos se submetem à pesquisa, reflexão e leitura de meditações de papas e santos sobre tais pontos estruturantes da fé e, por isso, sao postos por protestantes em saia justa sacrílega (é só um cavaco chinês blábláblá Jizuz tá vivo e quer que a gente festeje blábláblá) ou — pior! Muito pior! — nem essas pessoas mesmas acreditam e acabam incorporando socialmente uma mentira dominical (famigerados católicos de IBGE) de fé superficial ao ponto de ser rompida pelo primeiro assédio protestante!

    Então tais indivíduos podem estar nesse exato momento num fundo de “garágê” improvisado, dando seus “tistimunhu” de “cunvirtidus” que, por preguiça de uma fé sólida e atrelada à razão, preferiram sair da Igreja de Cristo para supostamente encontrar Cristo…catequese sobre o santíssimo sacramento faltou MUITO para essas pessoas, que, de modo lastimável, NÃO sao nem de longe poucas! !

  • O Bem-Aventurado João Paulo II, na Encíclica “Fides et Ratio” disse com toda a sabedoria: “A Fé e a Razão são como duas asas que nos levam juntas no voo até Deus.”

  • Parabéns pela Matéria!!

    Adoro seus posts. Acompanho há muito tempo.

    Um forte Abraço.

  • Fernando

    E hoje é o dia de Santo Tomás de Aquino, né?
    Nada mais justo que um post com este tema!

  • Tiago Martins

    Como são ricos os posts d´O Catequista!
    Se um dia eu tornar-me catequista, pela graça e vontade de Deus (algo que cogito a muito tempo rss), espero repassar todos os ensinamentos que tive através desse maravilhoso blog aos meus catequizandos.
    Abraço fraterno.
    Paz e bem!

  • Tiago Martins

    Ahh… com a licença de vocês gostaria de deixar uma pequena sugestão: vocês bem que poderiam criar um vlog, pensa que manêro seria? Evangelização e “catequização” (verbo por mim criado, eu acho rss) através de vídeos e além de que nós iriamos ver seus rostinhos vez em quando kkkkkkkk
    Bom, foi só uma dica mesmo. Não sei se é coerente mas enfim, acho que a resposta ou feedback seria bem interessante da nossa parte, assíduos seguidores hehehe

    Bração!

    Que Deus lhes abençoe.

    • Oi, Tiago!
      Obrigada mesmo pelas suas palavras.
      Na verdade, temos mil projetos em mente, em diversas mídias diferentes… Mas cadê tempo pra botar as ideias em prática? Só Deus sabe como o blog ainda continua, rsrs.
      Temos o Catecast (nosso podcast), mas também estamos há um tempão sem publicar um episódio novo.
      Enfim, vamos caminhando conforme as possibilidades.

      Grande abraço, que Deus te abençoe tb!

  • Tiago Martins

    Nossa, Viviane, imagino como seja!
    Então, que Deus dê forças cada dia mais, pra que vocês deem continuidade à esse lindo trabalho e também às outras demais atividades vossas que não são poucas rss
    E obrigado pelo retorno.

    São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate!

  • Bruno

    olá “O Catequista”. Eu estou aqui pra pedir ajuda! estava dialogando com um colega meu sobre “as riquezas do vaticano” e ele me trouxe a seguinte notícia:
    http://www1.folha.uol.com.br/mundo/1218976-vaticano-e-dono-oculto-de-imoveis-caros-em-londres.shtml fiquei sem argumentos e não encontrei uma réplica em nenhum site católico! gostaria de saber se vocês sabem algo sobre o assunto… desde já agradeço e peço a Deus e a Virgem que continue abençoando o belo trabalho que vcs fazem.

  • Janine

    Olá , percebi que existe um historiador na equipe de vocês.. Pois bem eu curso História em universidade onde a maioria dos alunos e professores são seguidores de Marx ¬¬ , mas essa semana um professor passou dos limites, dizendo que Mussolini doou as terras do vaticano em troca de apoio ao regime fascista, que o Papa apoiou o nazismo e bento XVI era Nazista… ! eu sei que essa “história ” está distorcida, já olhei algo na internet mais nao é suficiente, peço ao meu colega historiador que me dê referências para quando aqele professor marxista falar bobagem, eu poder respondê-lo com fontes, e referências historiográficas.

    Obrigada 🙂

  • Janine

    Muito Obrigada Paulo Ricardo… Já estou estudando cada documento! … Só sinto muito pelo curso de História está transmitindo inverdades quando deveria ser o contrário. Também né com essa ideologia Marxista infestando os universitários não poderia sair outra coisa. Engraçado que lá na universidade eles só trabalham com autores e filósofos “racionalistas “. Dificilmente falam dos estudiosos da fé como São Tomás de Aquino, Santo Agostinho etc…e quando falam dizem em tom de ironia e sarcasmo, ¬¬” Sinceramente como Padre Paulo Ricardo diz isso é emburrecimento, ou melhor uma ditadura marxista pelo qual estamos submetidos.. Triste Realidade :/

    Obrigada Mesmo. Deus Abençoe essa equipe… !

  • Daniel Medeiros

    Boa tarde pessoal. Teria algum material aqui que falasse sobre o sudário?

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>