Franceses fazem biquinho, mas falam grosso!

Protesta, Povo Católico!!!!

Taí pra quem quiser ver, a reação do povo francês contra a imposição do casamento gay!  Neste domingo, 800 mil pessoas lotaram Paris (as autoridades estão tentando fazer crer que eram 350 mil) e caminharam em direção à Torre Eiffel pra exigir democracia e dizer um enorme e sonoro NÃO pra quem tenta impor sua vontade contra os interesses reais do povo!

Pra começar do começo… a legalização da união civil homossexual é uma promessa de campanha do atual presidente da França, François Hollande.  Na época da eleição essa idéia era extremamente popular e foi um dos trunfos para que ele vencesse as eleições.  Normal para um país que se afasta cada vez mais da sua identidade Católica – já foi até sede da Igreja! (já fizemos um post sobre isso… clique aqui)

Mas o mundo dá voltas… e os que eram contrários a idéia conseguiram se mobilizar e viraram o jogo.  Hoje o apoio ao casamento gay está em franco declínio e piora quando entra em jogo a adoção de crianças por casais desse tipo (direito que certamente teria que ser concedido, caso a legalização fosse à frente).  Já falamos também porque somos contrários ao reconhecimento da união civil gay.  Não é pra prejudicar ninguém, mas apenas para impedir as terríveis consequências disso para a sociedade (clique aqui para entender).

Com essa reviravolta, alguns políticos retiraram seu apoio e o que parecia fácil começou a ficar difícil.  O poder legislativo retirou a proposta de permitir que lésbicas pudessem recorrer à inseminação artificial e o referendo que seria feito apenas como formalidade pra aprovar o casamento gay, ficou perigoso demais.  Quer saber o resultado?  Hollande resolveu que não iria mais consultar o povo e iria impor tudo via decreto. Gostou?  Pois é… o povo francês também não gostou e foi dizer isso em alto e bom som.

Esse tipo de tentativa anti-democrática de impor o casamento gay não é nova. Você já leu sobre isso aqui em O Catequista (clique para ler)!  Um certo deputado revelado para o mundo em um reality show tem a mesma opinião do francês Hollande: se consultar o povo não dá certo.  Isso é democracia?

Precisamos aprender com os franceses e dar nossa opinião abertamente.  Por aqui, a palavra homofobia não é usada pra quem agride ou segrega homossexuais.  É usada como “cale a boca” pra quem tem outra opinião que não é a deles.  E o problema é que aceitamos.

Vivemos a Ditadura do STF, que sem consulta ao povo, libera a união civil gay e a manipulação de embriões para pesquisas.  A desculpa é de que eram assuntos que estavam travados no Congresso Nacional.  Sabe por quê?  Porque esta casa, onde estão as pessoas eleitas como representantes do povo, era cenário de uma batalha democrática que ainda não tinha um vencedor.  A democracia tem dessas coisas… às vezes algo pode demorar muito pra ser resolvido.  Mas isso não dá a ninguém o direito de intervir sem ter a devida legitimidade para representar o povo.  No STF ninguém é eleito e tem cargo vitalício…  E sabe qual é o problema disso  tudo?  É que aceitamos…

Pois o povo francês não aceitou e deu mais um passo firme para virar de vez o jogo e impor sua vontade, como manda a verdadeira democracia.  Que sirva de exemplo para nós…

Abraços!

19 comments to Franceses fazem biquinho, mas falam grosso!

  • Também tenho que admitir que eles cresceram na minha moral. Alê, eu vi fontes que falavam mais de 1 milhão de pessoas, qual é a fonte que aponta para 800 mil?

  • Jefferson Teixeira

    E eu que achava que a Europa estava morta na fé, a França (uma das grandes nações cristãs) reage, parabéns aos franceses, pela iniciativa.

    Vive la Françe!!!

  • Ale, vi esta matéria (na realidade uma foto) no uol ontem e também fiquei feliz. Podemos dizer que a França despertou para a besteira que ia fazendo.

    Só acho (pelo que já li e ouvi) que a França hoje em dia é mulçumana, muito pelas ideias de controle de natalidade… E, nestes pontos de defender o que acreditam eles são muito mais radicais (no melhor sentido da palavra) do que nós católicos temos sido ultimamente.

    • Paulo Ricardo Costa

      A França ainda não é muçulmana, está se tornando muçulmana. Em cerca e 30 anos a emigração e o controle de natalidade autoimposto pela população nativa francesa vai fazer com que a população muçulmana seja maioria e mais, em virtude do declínio da curva de natalidade dos franceses nativos a população germânica-latina da França não vai ter mais como se recuperar, irá se tornando aos poucos um minoria cada vez menos significativa até ser absorvida pela nova França muçulmana. A joia da Igreja vai virar a joia do islã. Esse processo já aconteceu em outras ocasiões e cito como exemplo o ocorrido com os espartanos na Grécia, os egípcios no Norte da África (não existe mais a etnia do grande império da antiguidade, apenas descendentes desfigurados) e os Maias na Meso-América. E não se enganem, tinha muito menos católico nessa manifestação do que as manchetes possam parecer supor.

  • Ligia

    Amem! Tem a mão de Nossa Senhora de Lourdes, com certeza. Muito bem escrita a matéria de vocês… eu sei que tô sendo redundante, mas gosto de dizer, vcs são DEZ! Que sirva de exemplo prá essa cambada de católicos mornos que existem no restante do mundo e aqui em nosso país. Coragem!

  • Joao Henrique

    Tem um cartaz ali muito legal “Pró-casamento, não homofóbico” 🙂

  • Eduardo Araújo

    Aliás, essa manifestação também contou com a presença de homossexuais que não afinam com a onda gayzista:

    http://www.acidigital.com/noticia.php?id=24697

    Em contrapartida, comparem a força e a civilidade da manifestação francesa com a estupidez gayzista-feminista:

    http://b-braga.blogspot.com.br/2013/01/a-dimensao-da-inversao.html

    http://www.comshalom.org/blog/carmadelio/32764-multidao-em-paris-contra-casamento-gay

  • Aljasid

    Pessoal, nas minhas navegações pela web, me deparo com essa bizarrice:
    http://g1.globo.com/ceara/noticia/2013/01/grupo-de-travestis-lanca-calendario-com-referencias-religiosas-no-ce.html
    Como se faz para enquadrá-los no artigo 208 do código penal?

  • Vi hoje que no Angelus do dia 13 o grupo ativista femen foi ao vaticano protestar, como sempre tirando a roupa…aff. Vi no G1.

    tinham que prender todas…

    Por que elas não vão protestar em meca, no dia da peregrinação anual?

  • Eduardo Araújo

    Aljasid, isto acontece na minha terra (Fortaleza) e é a segunda investida desse grupo.

    A intenção não é outra que não escandalizar e esculhambar, usando a religião católica como trampolim para a celebridade. Quanto a isto, aliás, dá para entender perfeitamente essa “importantíssima” notícia figurar no portal da globo, um grupo empenhadíssimo em difundir a agenda gayzista.

    Mesmo assim, eles não conseguem maquiar o cinismo e a hipocrisia de quem reclama respeito e desrespeita. A pretensa justificativa é ridícula e das mais cretinas. Dei uma olhada nos comentários e vários mostram a lucidez que se espera em tão óbvia e estúpida agressão.

  • Aljasid

    O pior é que ainda tem um monte de gente nos comentários que apóia ou “acha bonitinho”, ou por fazer parte da bizarrice, ou por ser defensor dos “frascos e comprimidos” ou por não entender nada e achar o assunto muito “mamilos”. É um grande desrespeito. Sem contar a também desrespeitosa reportagem que leva o desatento leitor a pensar que os santos são invenção da cabeça dos cristãos. Vi em outra reportagem o “ex-bbb” (isso lá é título de alguma coisa) metido a deputado dizendo que vai “adotar uma criança e nem o Papa vai impedir”. Aí pensei: a que nível pode chegar alguém para chamar a atenção, ainda que tenha que envolver uma pobre e inocente criança.

  • Leo Moreira

    Mais uma enquete tenta legitimar a imposição do silêncio aos católicos.

    CasamentoIgreja Católica deveria participar do debate sobre união gay?

    http://polls.folha.com.br/poll/1301401/results

    Vote a favor de nosso direito de opinar.
    A folha saberá, assim como agora sabe o Jornal Hoje.

  • Eduardo Araújo

    A simples existência de tal enquete já é um absurdo, porquanto numa sociedade democrática não se veda a participação em debates públicos de assuntos de natureza pública a nenhuma pessoa física ou instituição.

    Aí fica bem estampada a grande hipocrisia dessa imprensa nojenta e engajada, atrelada a essas agendas desconstrucionistas de esquerda. Parece – ressalto: PARECE uma inocente consulta popular, mas tem a mesma inconsequência se a questão levantada fosse o “direito” de um assassino a matar ou se a Folha deveria ser extinta e seu patrimônio invertido ao Erário. Neste último caso, com certeza, os engenheiros sociais da mídia berrariam com todos os pulmões ante o atentado à democracia.

    • Querendo ou não amigo, provamos aos caras que somos maioria absoluta.

    • “A simples existência de tal enquete já é um absurdo, porquanto numa sociedade democrática não se veda a participação em debates públicos de assuntos de natureza pública a nenhuma pessoa física ou instituição.” (2)

      Pois é, Eduardo… É tosco, é surreal este entendimento quase geral de que os ateus e não-religiosos têm opinião isenta e, portanto, mais qualificada do que os não-religiosos. Que loucura… É desoladora esta situação de imbecilidade geral. E parece que só piora.

  • César Guerra

    Cuidado!! O STF não precisa perguntar ao povo sobre suas decisões. O tribunal apenas arbitra sobre como as leis devem ser interpretadas. Se o fazem mal, devemos reagir mas jamais cobrando “consulta popular” ou do Congresso sobre o caso. Outro ponto: devemos excluir do nosso vocabulário palavras como “homofobia”, “heteronormatividade”, “casal homossexual”, etc. São termos inventados pela gaystapo e que nos colocam em desvantagem de início.

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>