Jovens católicas, valorizem suas curvas!

varorize_curvas_cerebro

Como todos sabem, o hábito não faz o monge… mas ajuda muito a santificá-lo e a identificá-lo. E isso não se aplica só a padres e religiosos: serve para os leigos também. O nosso modo de vestir deve refletir para o mundo aquilo que somos e pensamos.

Querem um exemplo? Digamos que a Emma Watson, que encarnou a Hermione nos cinemas, fosse uma católica devota. Assim, ela desejaria encontrar um rapaz para viver um namoro santo. Certo, agora me digam: qual dos looks abaixo comunica esse estado interior? emma_watson_vestidos O primeiro look da Emma é perfeitamente recatado. O segundo tá bem legal para uma festa (não para a missa). Já o terceiro… se ela aparecer assim à noite no calçadão da praia de Copacabana, vai ser expulsa a pontapés pelas quengas, que verão nela uma concorrente.

Alguém pode argumentar que uma menina de visual recatado pode, no fundo, ser uma devassa, enquanto outra que vive de micro-shortinho atochado pode viver um namoro casto, exemplar. Sim, é possível. Mas isso não anula nada do fato de que a garota dos shortinhos colantes, ainda que seja uma “santa”, está enviando um sinal errado para todos que a veem. Com o seu visual, ela não faz lembrar nada daquilo que a Igreja ensina sobre o pudor e a castidade.

E, então, como a Igreja diz que devo me vestir?

A doutrina da Igreja não especifica o tipo de roupa que as mulheres devem usar no dia a dia. O Sagrado Magistério diz apenas que devemos nos vestir com pudor, modéstia e feminilidade, em toda e qualquer situação, e confia o resto ao bom senso dos fiéis e à orientação das igrejas locais. Precisamos, então, saber o que significam as palavras pudor, modéstia e feminilidade.

Pudor

homem_olhando_mulher_pirigueteO pudor é a consciência de que devemos cuidar da dignidade do nosso corpo, evitando tudo o que é indecente. No caso de nós mulheres, isso nos leva a cobrir as partes do corpo que, em geral, provocam a excitação nos homens. Uma jovem solteira pode se produzir para ficar atraente, mas de uma forma discreta, sem excessos (ou seja, sem vulgaridade).

No mundo de hoje, a castidade é dificíl de ser vivida, em grande parte devido aos estímulos visuais a que os homens são expostos, quando as mulheres mostram mais do que devem. O cuidado para se vestir com pudor, além de expressar e fortalecer a virtude da castidade, é também uma grande caridade, pois revela a preocupação de não levar os outros a cair em tentação.

Muitos pecados não seriam cometidos se, antes, não tivessem sido alimentados na imaginação, em nossos pensamentos. Por isso, Jesus ensinou:

“Eu, porém, vos digo: todo aquele que lançar um olhar de cobiça para uma mulher, já adulterou com ela em seu coração.”

(Mateus 5,28)

Tá certo que existe sujeito que é capaz de ficar assanhado até diante de uma mulher de burca. Porém, se um cara reage assim diante de uma mulher decentemente vestida, o problema é só dele; mas se uma mulher o atiçou com roupas provocantes, então a culpa do pecado incorrerá também sobre ela.

O critério de quais partes a mulher deve cobrir varia conforme cada tempo, lugar, cultura e situação. Veja alguns exemplos:

  • se você mostrar a batata da perna em um país onde as mulheres costumam andar sempre com as pernas inteiramente cobertas, estará sendo despudorada. Mas, aqui no Brasil as panturrilhas não causam o mesmo impacto, então, é possível mostrá-las sem pecar contra o pudor;
  • se ficar nua diante de um homem que não é seu marido, estará sendo despudorada; mas se esse homem for o seu médico, realizando um exame ou cirurgia, sem problemas.
Modéstia
melancia_cabeca

Esta queria tanto aparecer que botou uma melancia na cabeça…

Aplicada à questão dos trajes, é uma virtude que se expressa no cuidado para se vestir com recato e sem exageros. A modéstia tem muito a ver com a virtude da temperança, ou seja, com a capacidade de agir com moderação, de forma equilibrada.

Podemos ter prazer em nos produzir e em nos sentir bonitas, mas isso não pode tomar uma proporção exagerada. O centro dos nossos interesses e da nossa afeição só pode ser um: Jesus Cristo. Por isso, uma mulher “aparecida”, que tem o costume de se vestir para se destacar mais do que os outros, demonstra um desequilíbrio interior.

Também é imodesto ter o hábito de se vestir com roupas e adereços bizarros, com a intenção de chocar as pessoas. Então, se o espírito da pombagira Lady Gaga baixar em você, olhe no espelho e diga, com firmeza: “Saia deste corpo que não te pertence!”.

Feminilidade

Homens e mulheres não devem parecer andróginos (como aqueles que passam na rua e nego se pergunta: “Isso é homem ou mulher?”). O conjunto de elementos que formam o seu visual – corte de cabelo, roupas, acessórios – deve comunicar, de forma clara e sem engano, o sexo ao qual a você pertence. Assim, as mulheres devem evitar a aparência de mulher-macho.

Símbolos são muito poderosos. Quem desobedece ou é desatento a este ponto da feminilidade, ainda que inconscientemente, faz propaganda da ideologia de que a diferenciação entre os sexos não é algo natural do ser humano, mas sim uma mera imposição social e cultural (homens e mulheres são iguais em dignidade diante de Deus, e devem ter direitos iguais perante a lei dos homens; porém, devemos sempre ter clara a noção de que os dois sexos são fisicamente e psicologicamente diferentes).

Deus criou o homem e a mulher com formação física e psicológica diversas e complementares. Se, com a nossa aparência, contrariamos isso, estamos fazendo uma afronta ao plano de Deus para nós.

*****

Este é um início de resposta a uma série de dúvidas colocadas por uma de nossas leitoras:

“Oi, queria solicitar uma postagem sobre um assunto que tenho muita dúvida e está me incomodando. Preciso saber mais sobre o assunto. É sobre a modéstia, o pudor, se pode ou não usar biquíni em praia, sobre o uso do véu, e a questão de mulher usar calça. Se puderem me ajudar. Agradeço.”

– Mariele

Hoje, apresentamos alguns conceitos importantes, que vão basear a nossa abordagem nos próximos posts (em que buscaremos esclarecer as demais dúvidas da Mariele). Mas não esperem achar aqui nenhum ditame de regras fixas sobre vestimentas. Com base na nossa experiência de vida cristã e na doutrina da Igreja, podemos partilhar algumas sugestões e, assim, ajudar cada um a refletir e ser capaz de concluir o que é mais adequado para si.

47 comments to Jovens católicas, valorizem suas curvas!

  • Muito bom o post. Eu particularmente me sinto muito incomodado em por exemplo ir na festa e ter que rezar pra não cair em tentação. O fato é que eu particularmente acho muito mais bonito simplicidade e pureza do que exagero e falsa beleza.

    Quando queremos namorar o mais legal é se interessar pela outra pessoa no seu ser, não porque ela te causa, ou poderá causar prazer somente. Nós rapazes queremos moças que sejam elas mesmas em todos os lugares, e que tenham como grande amor o próprio Jesus, que também deve ser o verdadeiro amor de todo homem.

    Como é difícil encontrar hoje pessoas que percebam e queiram viver nessa simplicidade tão bela e que o mundo tanto precisa hoje…

  • Guilherme

    hahahah, verdade nua, crua e cômica.
    Ótimo post!

  • Gostei bastante do texto.
    No entanto, é preciso ter muito cuidado quando se relaciona “gênero” ao sexo. No magistério da Igreja, o gênero não se aplica à sexualidade. Fala-se em “gênero humano”, não em gênero relacionado ao sexo. Este tempo indica um conceito totalmente equivocado, que tem sido disseminado e colocado no vocabulário das pessoas e afirma que o ser humano tem a opção de escolher e identificar se pertence ao “gênero feminino” ou do “gênero masculino”. Ou seja, como bem foi falado, Deus criou homem e mulher. Sexo feminino e sexo masculino. Gênero, não.
    Deus abençoe!

  • Ana Flávia

    Como sempre o blog ARRASOU!!!
    Muito bom o post, super esclarecedor e em sintonia com a Mãe Igreja!!!
    Parabéns!!!

  • Kátila

    Nossa, muito bom, gostei… Muito obrigado por esclarecer algumas coisas… Espero ansiosa por outros post. =D

  • Alfredo Paulo

    Ótimo post! Muitas mulheres precisam ler e se conscientizar!

  • leonardo Moreira

    Parabéns, muito bom!
    Aqui em Lajinha Mg, na paróquia e grupo nos quais participo, as meninas quando vão à Santa Missa bem femininas, dignas e belas, especialmente quando de saias longas, dessas que estão na moda agora, vêm direto até mim, porque sabem que vão receber um elogio sincero e os parabéns por seu exemplo e dignidade.
    Eu nem sabia que o elogio era uma arma tão poderosa para incentivar o bom exemplo das pessoas. Pensava que a consciência já bastava. Infelizmente não, é preciso além da consciência da dignidade do local e tudo mais, um pouco de incentivo, um elogio que seja. Mas que bom que custa tão pouco, aliás, nada. Porque eu nunca falei pensando somente em incentivar a forma de vestir delas, mas que funciona, ah, isso funciona. Paz e Bem!

  • Gente, como estamos no Ano da Fé, não seria lícito fazer uma campanha em escolas e universidades tidas como católicas e promover palestras, debates e discussões tanto sobre a doutrina como a história da Igreja? Para mim, há muita mais muita gente que deixa de “ser católico” – nunca foi – por causa da famosa palavra “inquisiçãocruzadariquezaescravidãonegrosnazismoconstantinoidolatriaindex” e outras semelhantes.
    São pessoas que possuem pouca fé. E todos já tiveram esse mesmo nível de fé, mesmo que quando criança. Conhecendo a verdadeira história da Igreja, ficariam curiosos em saber sobre a doutrina e quem sabe, muitos se apaixonariam. Não sei se tô viajando geral, se é uma utopia ou até desproposito, mas realmente amaria ver um movimento surgir assim! Tô cansada de ouvir as mesmas baboseiras na escola.

    • Paulo Ricardo

      Lara,

      Particularmente, acho que a Igreja deveria secularizar todas as PUCs, assim como vez com a Universidade Católica de Lima e começar de novo, pequena e humilde.
      Essas que estão aí não dá mais. Poucos se salvam dos seus quadros, na teologia só tem TLs, nas humanas só marxistas e nas exatas ateus. Não digo para que elas fechem as as portas. Fiquem à vontade! Só digo que o dinheiro dos fiéis, fruto de labuta e suor, depositado pela honra e Glória do Espírito Santo, não deve ser gastos em faculdades que comparam o sacrifício do Cordeiro com um baseado de maconha.
      Se me dissesse, hoje, para palestrar na PUC-Rio eu não iria, se me convidassem para assistir a uma palestra, idem.

      • Leandro

        Discordo. Vai secularizar mais do que já tá? Este é um dos grandes problemas dos católicos tradicionalistas, denunciam o relativismo moral, mas não fazem quase nada para mudar esta situação, nem para zelar por suas tradições em seus patrimônios. A Igreja deveria zelar por suas tradições, estabelecendo regras de conduta e disciplinando os alunos. Por exemplo: por que as universidades católicas não estabelecem discplinas e regras de conduta, como por exemplo, as estudantes andarem mais recatadas? Por que não fazer isso? Aliás, nem vou falar muito sobre universidades, as missas parecem baladas ou prostíbulos.

        • Leandro,
          Você não entendeu o que o Paulo Ricardo disse. Você conhece o caso da Universidade de Lima? Se sim, você discorda que a Igreja, por decisão do Vaticano, tenha se desvinculado totalmente daquela instituição?
          Por anos a fio, a Igreja insistiu para que a Universidade do Chile andasse na linha, mas os desvios eram recorrentes. Então a Igreja chutou o balde e saiu fora, e agora a Universidade do Chile é secular. Ao menos não desperdiça mais com os recursos da Igreja. Não foi por falta de zelo da Igreja que isso ocorreu, mas pela desobediência insistente da direção acadêmica.

          A Igreja tem critérios claros para as universidades católicas. O problema é que muitos reitores e diretores destas instituições se recusam a ser fiéis a estes critérios. Mais do que disciplinar os alunos, antes, é preciso garantir uma direção acadêmica autenticamente católica, e não um bando de frouxos ou traidores. Se isso não for possível, é justo que a Igreja saia de campo, tire as sandálias e as sacuda para não levar dessas porcarias de universidades nem o pó.

          • Muito difícil acredito eu que as PUCs venham a tornar-se católicas hoje em dia, lá se encontram os piores marxistas, traficantes, ateus, anarquistas e anti-teístas, principalmente anti-católicos, que são o lixo, o escremento da classe intelectual.

            Para que as coisas mudem é preciso a conversão dos corações e isso é quase impossível pra quem vive uma cegueira assim, não digo que isso é desculpa ou que não existem exceções, mas que a situação ta preta tá.

            Por isso sempre peço à Santíssima Virgem pela juventude, Ela que é a Porta do Céu e a destruição das heresias e apostasias. Que Ela nos ajude, e ajude os jovens para que encontrem seu Divino Filho.

          • Claudia

            Eu acredito que seja a Universidade do Peru e não do Chile (como citado acima) que teve o título de “Pontifícia” retirado pelo Vaticano.

  • Thiago Thomaz

    Olá pessoal!

    Venho acompanhando o trabalho de vocês e só tenho que parabenizar por tudo o que estão fazendo.

    Quanto a esse texto, eu achei ótimo!

    Só sinto que às vezes eles acabam repentinamente deixando água na boca do leitor. rss…

    Por favor, se possível, aprofundem mais neste assunto!
    Ele é de extrema importância para a juventude.

    Peço licença a equipe O catequista para divulgar mais informações sobre o assunto através de um blog: http://coracoessarados.blogspot.com.br/

    Deus os abençoe!

    Abs!

    • Oi, Thiago! Obrigada pelo apoio. Quanto aos nossos posts deixarem com “água na boca”, rs, apesar de isso revelar uma limitação, ao mesmo tempo, é uma coisa muito boa, é essa exatamente a nossa intenção.

      Nós dO Catequista acreditamos que a internet pode, sim, ajudar na Evangelização, desde que não tenha a intenção de formar integralmente as pessoas no mundo virtual. O legal é despertar nos cristãos o desejo de aprofundar essas coisas ainda mais no mundo real, com evangelizadores e amigos católicos de verdade, ou seja, nas paróquias, movimentos e comunidades de fé.

      Tem gente que fica na Internet o dia inteiro fuçando blogs católicos, mas quando tem uma dúvida ou uma dificuldade em sua vida não tem nenhum amigo católico mais maduro na fé ou um diretor espiritual a quem recorrer. Isso não é cristianismo! O cristianismo é feito de encontros humanos. Queremos aqui, então, incentivar no mundo virtual o interesse pela comunidade “real” da Igreja.

      Além disso, procuramos fazer posts curtos, pois sabemos que muita gente lê no trabalho ou em meio aos estudos.

      Deus te abençoe tb! Abraço!

  • Ludimila

    Muito boa a postagem, especialmente por que está livre do puritanismo presente na maioria das postagens que vejo nos blogs católicos que falam sobre a modéstia feminina 😀

  • Thiago Thomaz

    Exatamente, A catequista, boa colocação: “queremos aqui, então, incentivar no mundo virtual o interesse pela comunidade “real” da Igreja”.
    Digna de minha lembrança, aliás, pois só com o tempo aprendi sobre isso de encontro como você citou.

    (…)

    Acho extremamente válida a questão dos posts curtos, justamente porque é bem mais eficiente para absorver conteúdo.
    Eu leio no trabalho toda manhã! rs…

    Estamos juntos nessa!

  • Gizelle Aparecida Galvão

    Amei o post, aliás sempre isso acontece, né? Rsrrs…
    Domingo passado fui a Santa Missa às 19:30 na minha paróquia e quase infartei qdo a missa acabou! Estava eu feliz por ver minha amiga X com sua mãe na missa novamente (elas não frequentam assiduamente e ela foi no dominho anterior) e via sua irmã Y que não vai quase nunca!! Era aniversário da Y dia 12 e ela foi agradecer a Deus domingo na Santa Missa. O padre ainda brincou dizendo que ela teria de se chamar Aparecida e a intenção dessa Santa Missa foi tb pra ela. Qdo acabou eu saio da igreja e vejo a Y de short curto (não mto, mas pra missa de short?) e chinelo como se estivesse andando na praia…simples tranquila e sorridente. Eu pensei meu Deus, que vergonha!!!! Eu senti vergonha por ela, ainda mais pq a era uma Missa em intenção dela e ir a Igreja vestida como se estivesse na praia ou um clube andando normal? Eu tô até hj pensando nisso e pedi perdão a Deus por ela.
    Por isso a importância de fazer uma boa catequese e de um pároco que não aceite esse tipo de vestimenta dentro da Igreja.
    Paz e Fogo!!

  • […] biquíni em praia“. Antes de partir pra resposta, recomendo que, quem não leu, leia o post “Jovens católicas, valorizem suas curvas!“, que explica a doutrina da Igreja, ou seja, os critérios que devemos usar na hora de comprar […]

  • Olá querida Catequista,

    por saber que cada cabeça é uma sentença e que o senso comum não é tão comum assim, a Igreja, como Mãe que é e não quer suas filhas desorientadas, nos deu sim critérios objetivos para saber como nos vestir. Falar “feminilidade” não significa que entendemos o que significa, justamente porque a moda feminina foi totalmente deturpada em 100 anos. Indico os Documentos e artigos do nosso site para quem quiser saber o que a Igreja ensina sobre este tema tão fundamental que é a modéstia! http://modaemodestia.com.br/moda-e-igreja/igreja_modestia

    • Oi, Julie Marie!

      Além deste, temos aqui no blog mais três posts que falam especificamente sobre modéstia feminina:

      Piriguetes de família
      http://ocatequista.com.br/?p=3486

      Nossa Senhora não usava calça… Eu também não devo usar?
      http://ocatequista.com.br/?p=7346

      Católicas na praia e na piscina, com recato, sem vacilação
      http://ocatequista.com.br/?p=7398

      Bem, certamente você notou que a nossa abordagem diverge bastante da sua.

      Seus textos me passam uma grande honestidade, um desejo sincero pela salvação do próximo, uma real dedicação em fazer a vontade de Deus. Entretanto, não concordo quando, ao defender determinadas especificações para a roupa feminina – saia até os pés, manga até os pulsos, calça jamais – você coloca isso com o peso de “doutrina da Igreja”. Não, não é.

      Pelo que entendi, essa sua afirmação se baseia em dois pilares: 1) a Instrução sobre a modéstia de 1928 do Cardeal Basilio Pompili; 2) a notificação do Cardeal Siri condenando a calça feminina, de 1960.

      Veja, estes documentos não são de forma alguma artigo de fé. É claro, um católico segue a Igreja com simplicidade, mesmo em questões que não sejam de fé. Entretanto, em relação à notificação do Cardeal Siri, esta questão já foi bem explicada por D. Estêvão Bettencourt, um teólogo sério e respeitado (mostramos isso no post sobre a calça feminina). Então… essa já não cola pra condenar a calça feminina.

      Quanto à Instrução do Cardeal Pompili: depois de mais de 80 anos (!!!), as especificações divulgadas ali (a roupa da mulher deve ser assim e assado, ter comprimento X e Y) jamais foram reafirmadas pelo Vaticano. Veja, a Igreja tem a missão fundamental de sempre reverberar a mensagem cristã, de modo que todas as gerações sejam iluminadas pela Verdade. Ora, por quê a nossa geração não recebeu qualquer orientação específica a este respeito, de nenhum Cardeal ou Papa? Por que os jovens católicos, até os mais devotos, desconhecem por completo tais especificações de modéstia, a ponto de jamais terem ouvido falar delas?

      Se as especificações de modéstia do Cardeal Pompili tivessem a relevância que você diz para as católicas de hoje, seria a Igreja tão irresponsável e incompetente a ponto de não reafirmá-las ou atualizá-las, ao longo de 80 anos?

      Você mesma disse muito bem que a Igreja é Mãe e não quer suas filhas desorientadas. Ora, se as orientações de Pompili fossem realmente válidas para a geração atual, certamente os papas e cardeais teriam feito com que chegassem aos ouvidos das gerações seguintes, coisa que não ocorreu.

      • Karen Medeiros

        Olá Catequista! Já li este post há tempos, mas voltei e precisei comentar. No site do Padre Paulo Ricardo, a partir de abril, foram abordados vários temas bem pertinentes à realidade das mulheres. Muitos já tinham sido abordados também aqui no site, como a questão da roupa da mulher cristã.

        Existem pessoas sem a menor noção de modéstia (fato que eu vi, na cerimônia de Sexta-Feira da Paixão, uma mulher de vestido com as costas nuas até a cintura e uma de vestido transparente). Até meu noivo achou ruim… Os meninos comentaram aqui, isso desconcentra! Até porque Cristo fica no altar por um motivo: Ele é o único que pode chamar atenção!

        Mas descobri que existe um movimento contrário, que quer as católicas de burca (só que disfarçada de saia e blusa compridas). Fiquei me perguntando se é normal alguém achar que no Brasil, no calor do verão 40°C do RJ, o cotovelo pode ser “sensual”… Não sei, mas isso me remeteu a pessoas que acham pecado em tudo, embora o objetivo seja exaltar a pureza… E acho que o objetivo da modéstia em se vestir é, antes de mais nada, respeitar o próprio corpo, templo do Espírito Santo.

        Comecei a investigar se existia um bom motivo (embasado na doutrina da IC) para essa exigência de “cobertura total”, e lembrei que havia lido algo aqui, nas respostas.

        Sua resposta foi muitíssimo esclarecedora! O post sobre calça jeans também, excelente. Queria saber se já saiu esse sobre roupa na missa. Procurei mas não encontrei… Obrigada! Fique com Deus!

      • Francine

        Julie Marie,
        a moda não foi “deturpada” nos últimos 100 anos. A moda se chama “moda” justamente por ser passageira. Se fosse sempre a mesma, não seria moda.

        Teu blog é interessante, porém, eu o vejo mais como um “diário” do que como um blog católico, pois descreve suas aspirações pessoais de salvação. Isso não é doutrina obrigatória para todos os católicos! Se fosse, certamente estaria no Catecismo ou em encíclicas de papas.

        A única verdade incontestável é aquela proclamada pelo Papa em ex-cathedra, pois é tida como inspirada pelo Espírito Santo. Textos de padres, bispos ou cardeais são opiniões pessoais, e não dogmas de fé. As declarações de um Papa em ex-cathedra também não devem ser confundidas com ensinamentos que são falíveis, como uma bula.

  • Parabéns pelo poste! que nos ensina um comportamento que infelizmente etá se perdendo na sociedade de hoje.
    Termino com uma frase de João PauloII:
    “A dignidade da mulher é medida pela categoria do amor.”

  • Navegando na internet, encontrei esse site.

    Sou católico e desde que deixei o protestantismo eu me dedico no estudo da Fé Católica.

    Algo que me chamou a atenção no que você escreveu foi o seguinte: “A doutrina da Igreja não especifica o tipo de roupa que as mulheres devem usar no dia a dia. O Sagrado Magistério diz apenas que devemos nos vestir com pudor, modéstia e feminilidade, em toda e qualquer situação, e confia o resto ao bom senso dos fiéis e à orientação das igrejas locais. Precisamos, então, saber o que significam as palavras pudor, modéstia e feminilidade.

    Tem certeza disso? Poderia me passar uma referência? Se me permite, posso trazer algumas referências onde a Doutrina Moral da Igreja ensina como a mulher deve se vestir.

    Aguardo resposta.

    Em Jesus, Maria e José,
    Pedro.

    • Pedro Henrique,
      Eu já respondi essa questão à Julie Marie, em algum dos comentários aí acima.
      Se a Igreja tivesse especificações para a roupa femininina, uma informação tão relevante certamente estaria expressa no Catecismo.

  • Tem algo errado! Que eu saiba, a Igreja ensina que vestes de mulher são saias e vestidos abaixo do joelho! E só com estas vestes poderá se ter uma santa modéstia! Mulher com calças, não é mulher católica!

  • Carlos Roberto Pereira

    Aqui uma reportagem interessante do Jornal Nacional de 2002 sobre a praia de Busan. Lá as pessoas ficam na areia e até entram na água vestidos: http://www.youtube.com/watch?v=IMgAp2A3SCY Já imaginou se a moda pega nas nossas praias?

  • Vinícius de Aguiar

    Oi Catequista!

    Sabe, gosto muito de ler seus artigos, me desculpe por perguntar isso aqui, mas não achei outro lugar melhor… E os homens? Também tem alguma regra pra modéstia? O(A)s fisiculturistas devem estar pecando ao expor o corpo não é?

  • GONÇALINHA SOARES CAPISTRANO

    NOSSA SENHORA NÃO USAVA CAUSA PORQUE NAQUELA ÉPOCA SO SE USAVA VESTIDOS, AMO!

  • José

    Além de tudo gostaria que a moças católicas se perguntassem; para qual dessas mulheres valeria a pena o homem católico guardar sua castidade e depois a fidelidade? E saberão quem ele vai escolher! Todo José deseja Sua Maria!!!

  • Agostinha Lass de Araujo

    Esta certissimo a pessoa se corrigir no modo de se vestir ,pois nosso corpo é templo do Espirito Santo e se Deus não se agrada não devemos andar assim ,tenho uma pregação do Anderson que diz que quem anda semi nua anda de mãos dadas com o diabo .ORAI E VIGIAI pois Deus vomita os mornos .

  • Júlia

    Oi!!
    Refletindo sobre a modéstia… o que dizer sobre os saltos altos?
    Eu amoooo salto desde bem criança… Se uma menina usar um vestido larguinho e mais compridinho (tipo aquele ali da Emma, o bege, na foto do meio) e um saltão, não acho que fique vulgar ou imodesto. O problema é quando usam aquelas roupas apertadas, curtas e decotadas. O que vc acha sobre isso, Vivi? Já li na internet que o salto máximo deve ser 5 cm. Será?

  • Matheus

    Gostaria que comentasse sobre o uso de adereços como brincos e piercings tanto em mulheres quanto em homens.

  • Roberto

    Olá pessoal tudo bem?

    Paz de Cristo a todos!

    Gostaria se saber se há alguma opinião por parte da Igreja ou ainda algum tipo de orientação sobre a profissão de modelo fotográfico. Pergunto porque a pouco tempo assinei contrato com uma agência de modelos. Acho a profissão interessante e as atividades são diversas. Algumas pessoas da Igreja para quem falei não viram com bons olhos. Entendo que elas pensem que é por pura vaidade e devem associar ao fato de alguns modelos masculinos ou femininos fazem fotos sensuais com pouca, mas não existe somente esta opção nesta profissão. Modelo são chamados para a propaganda de produtos, de marcas, etc.
    Peço a orientação de vocês sobre o assunto.

    Um abraço!

    • Oi, Roberto! Tudo bem! A Paz de Cristo.

      Não conheço nenhum documento da Igreja citando essa profissão. A princípio, um fiel católico (moça ou rapaz) pode sim atuar como modelo de passarela ou fotográfico. Sim, é possível atuar em trabalhos dignos nessa área.

      Mas olha… é preciso muita maturidade para não cair nas ciladas do demônio! Por que, nos dias de hoje, essa profissão não é fácil para um filho de Cristo.

      Para as moças, as dificuldades são maiores. Nos bastidores dos desfiles, é comum que as modelos sejam obrigadas a trocar de roupa diante de toda a equipe – e isso inclui também os homens. Também é muito comum ter que desfilar com roupas muito imodestas, que mostram os seios de forma total ou parcial.

      Então, um modelo católico deve estabelecer, muito claramente, as suas condições antes de de topar um trabalho. Alguém pode pensar: “ah, mas assim fica impossível!”. Ora, quem pensa assim tem a fé pequena. Para Deus, nada é impossível! E Jesus disse que devemos buscar primeiro o Reino de Deus e a sua justiça; tudo o mais nos será dado por acréscimo. Acaso Deus vai descumprir suas promessas?

      Veja o caso da bem-sucedida modelo canadense Coco Rocha: ela sempre estabelece, por contrato, que não aceita fazer fotos com nudez parcial ou total. E nem por isso lhe falta trabalho. Saiba mais:
      http://ffw.com.br/noticias/moda/coco-rocha-elle-brasil-os-dois-lados-da-historia/

      Abraço!

  • Devo confessar que para mim tem sido bastante desafiante. Apenas ha um ano resolvi mudar a minha forma de trajar na praia (e sim o vosso post teve algo a ver), de bikinis para fatos de banho, mas volta e meia vem aquela tentação… Agora estou a reformar completamente o meu guarda-roupa de modo a enviar cada vez mais claramente a mensagem de que eu pertenço a Cristo, pois em alguns momentos de fraqueza cativei a atenção de quem não devia e paguei o preço (pois é meninas, o namorado foca abaixo do pescoço e viver a castidade vira guerra e o namoro tem de acabar). Enfim, raparigas, não é e não sera fácil com tanta campanha contra, mas a verdade e que o Cristianismo não tem nada de fácil! Ja dizia Jesus se o teu vestido te escandaliza, deita fora! Coragem, com Jesus e por Jesus podemos tudo!

  • Para aquelas que, aderindo à modéstia, desejam usar o véu na Santa Missa, adquiram o teu véu em nosso site

    http://www.iesusdominus.com.br/p/veus-modelos-disponiveis.html

  • Simone

    A publicação é ótima, mas nada como a mágica dos comentários ! Obrigada e bom trabalho.

  • Rebecca Mendes

    Boa noite,
    Adorei a publicação, ando buscando o caminho do Senhor. Lutei por muitos tempo (e continuo lutando) contra a depressão, e desde quando recebi diversos chamados de Deus para voltar a Igreja quero fazer minha parte e comportar-me como uma verdadeira esposa de Deus.

    Possuo muitas dúvidas sobre a Igreja, mas há algumas que muitas vezes perco coragem de perguntar, pois não sei de onde sai questionamentos tão bobos e que podem ser ridículos. Trabalho em um colégio de Freiras e fui convidada a conhecer sua casa. Chegando lá passei por um quintal estreito onde algumas roupas encontravam-se respostas ao sol no varal. Não observei suas roupas, mas uma moça que trabalhava comigo reparou, e “julgou’ a vestimenta íntima das Irmãs dizendo que eram “grandes demais” e que era calçola; ali admito que me encontrei em duúvida se isso é algo que nós mulheres deveríamos nos preocupar, tal como roupas externas. Espero que tenha entendido minha pergunta.

    • Oi, Rebecca!
      Essa moça que trabalha contigo se mostrou muito superficial, para se preocupar com o tamanho da roupa íntima das freiras.
      Quanto às moças que não são freiras, tanto faz o tamanho da roupa íntima que usam. A única preocupação deve ser usar roupas de tecidos que não deixem a calcinha marcando, pois isso é meio vulgar, especialmente se a calcinha for pequena.

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>