Periquita: se eu não der, vou encalhar?

baleia_encalhada_praia

Em um artigo que publicamos – “A castidade é a menos popular das virtudes cristãs” – recebemos um comentário da leitora Aline. Em suas palavras, podemos reconhecer o dilema sofrido por muitas jovens católicas:

“Ótimo texto! Mas confesso que sou das que acha impossível a castidade.

“Até meus 22/23 anos eu sonhava em casar virgem. Hoje, aos 25, acho difícil achar um cara que aceite essa situação (aceitar de fato, não de fachada. Não fazer comigo, mas me trair ou coisas assim). Ainda sou virgem, mas isso é mais questão por eu não ter namorado. E quanto mais velha eu fico, menos chances de manter virgem. (…)

“Abraços! Adoro o blog =)”

Quem não conhece um cara que terminou o namoro porque a menina não consentia em transar? Eu conheço vários. Por outro lado, também já vi meninas que têm uma vida sexual ativa com seus namorados tomarem um pé na bunda pelos motivos mais banais. Tem tanta perereca solta no mercado, que transar não ajuda mais a “segurar” ninguém.

Pode reparar: o que mais tem por aí é mulher rodada e encalhada. Ô dó.

Mas em parte, Aline, você tem razão. Achar um cara legal para namorar sério tá difícil até para as meninas que não fazem questão alguma de ser castas… Imagina então para aquelas que escolheram esperar! Para estas, o número de parceiros possíveis reduz drasticamente. Por outro lado, preciso lhe dar um alerta: ceder à lógica do mundo não lhe dará a felicidade; ao contrário, te levará para bem longe dela.

FOREVER_ALONE_MENINA_2Aos 15 anos, eu me senti tentada a pensar como você, Aline. Estava cursando a catequese para realizar a Primeira Comunhão e, apesar de estar sinceramente afeiçoada a Jesus, eu não tinha muita consciência da importância que Ele tinha em minha vida. Pensava: “Sim, seria muito bom me casar virgem, mas, se eu insistir com isso, ninguém vai querer me namorar!”. Recém-convertida, ainda me iludia pensando que a minha felicidade dependia das coisas materiais: quando eu arrumasse um namorado bacana, quando eu me realizasse na carreira, quando eu morasse na casa dos meus sonhos etc., aí sim eu seria feliz.

Um dia, como num estalo, me dei conta que a minha realidade não havia mudado, que estava tudo na mesma; porém, eu estava estranhamente feliz! Então, como um escravo que dormiu à noite com os pés acorrentados e, na manhã seguinte, acorda confuso e alegre ao se ver livre, eu descobri que a minha felicidade não dependia de mais nada: só de estar perto de Jesus. Eu continuava, e continuo, correndo atrás das coisas “mundanas” – amor, sucesso nos estudos, carreira, diversão etc. –, mas busco submeter todas essas coisas a Cristo. Sem Ele, tudo perde o sentido e o sabor.

O problema aqui não é casar virgem ou não; o problema é: onde está a tua felicidade? Quem tem nas mãos o poder de dar sentido à tua vida, de te proteger, de te realizar? Um namorado – e um marido – podem sim fazer parte da nossa felicidade, podem sim nos alegrar. Mas, como seres humanos limitados, falíveis e finitos, eles não são capazes de preencher o nosso desejo de felicidade. E é por não entender isso que a maior parte dos casamentos, mais cedo ou mais tarde, fracassa (ainda que não haja divórcio, toca-se com a barriga relacionamentos frios e vazios).

Dá uma olhada neste clipe do Frejat:

Percebeu? As pessoas pulam de namoro em namoro, de casamento em casamento, buscando encontrar em pobres seres humanos a razão de viver, a felicidade que só podem encontrar em Deus. Constroem castelos de areia idealizando as coisas do mundo e só acumulam decepções, uma atrás da outra.

Aline, TENHA FÉ. Jesus te realiza, Ele te faz feliz de uma forma ou de outra, com ou sem namorado. E essa é a principal razão pela qual devemos nos sentir atraídos por Jesus: porque só Ele – só Ele! – pode nos dar uma vida verdadeira, cheia de beleza e de esperança.

“Eu vim para que as ovelhas tenham vida e para que a tenham em abundância.”

(São João 10,10)

Quando eu era adolescente e me recusava a ficar com os caras que chegavam em mim nas festas (me limitava a conversar e passar o telefone), vinha até mãe de amigo me passar sermão, dizendo que daquele jeito eu ia ficar pra titia. Por meio do Espírito Santo, percebi que ter um namorado poderia ser muito bom, mas que a satisfação que isso me daria jamais poderia superar a alegria da amizade fiel e apaixonada com Cristo.

Bem, o fato é que, contra todas as estatísticas, apareceu para mim alguém disposto a viver um namoro casto. O Catequista (Alexandre, que agora só aparece nos Catecasts) foi o meu primeiro namorado, com ele me casei e hoje temos três filhos.

Aline, tudo o que posso lhe dizer é que se questione quem é Jesus, e pense sobre as razões pelas quais te interessa segui-Lo. O cristianismo não é um monte de regras – como transar ou não transar – mas é o fato de que Deus se fez homem, se fez nosso companheiro, nosso amigo. A fé é crer nisso, e é também compreender que, vivendo as coisas conforme os Seus ensinamentos (entre estas coisas, o namoro), podemos ser cem vezes mais felizes nesta vida. Ele sabe de tudo o que precisamos, e não nos deixa faltar coisa alguma. Ele é Pai.

Então, quem perde um namorado porque ama mais a Cristo do que ao fulaninho, na verdade, não está perdendo nada. Porque as coisas, sem Cristo, não são mais nada além de , que o vento leva e espalha mais cedo ou mais tarde.

Pedro começou a dizer-lhe: “Eis que deixamos tudo e te seguimos.”

Respondeu-lhe Jesus. “Em verdade vos digo: ninguém há que tenha deixado casa ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou filhos, ou terras por causa de mim e por causa do Evangelho que não receba, já neste século, cem vezes mais casas, irmãos, irmãs, mães, filhos e terras, com perseguições e no século vindouro a vida eterna.” (Marcos 10, 28-30)

71 comments to Periquita: se eu não der, vou encalhar?

  • Anne

    Ótimo! 🙂
    Isso me lembra uma coisa que minha catequista me falava muito, e que depois eu ainda vi em um vídeo do Padre Paulo Ricardo: Acha que sua vocação é o casamento? Então peça a Deus um namoro Santo. E mais, reze para seu anjo da guarda ir atrás do anjo da guarda do seu digníssimo futuro esposo, para eles combinarem um jeito de fazerem vocês se encontrarem logo. 🙂
    E como a Viviane falou (muito bem falado), não é casamento, carro, faculdade, etc, que dá a felicidade, pois no “coração do homem tem um vazio e esse vazio tem o tamanho de Deus(St.Agostinho)”. Por isso, acredito, antes celibatária que mal acompanhada.
    Isso me lembra de outra coisa que um catequista meu falava: Marido é uma (das poucas) cruzes que se pode escolher.
    o comentário ficou muito grande kkkkk

  • Tato Diego

    Esse é um dos assuntos mais falados e comentados dentro de grupos jovens e crismandos em minha paroquia.
    Sempre vem uma dizer: ” segurar isso aqui ta dificil”. E sempre digo: ” mulher de pouca fé”.

    O foco das pessoas está em outro lugar. Como diria o evengelho de hoje: “Pois onde estiverem as suas riquezas, aí estará o coração de vocês”.
    Mateus 6,19-23

    Jesus é muito sábio quando disse isso. Eu como prova viva já tive um namoro desrregrado no sexo e quando acabou o desejo o que aconteceu?
    – ACABOU O RELACIONAMENTO em todos os sentidos!!

    Hoje Cristo me concede um namoro santo (difícil pra caramba) mas DEUS é mais, e vejo que quando fiz essa escolha com minha namorada o relacionamento é diferente pois CRISTO está no centro dele e esse fardo que é tão pesado e que o mundo todo clama dizendo que IMPOSSÌVEL, fica leve como vento.

    Outro ponto que sempre falo é que não são todas as pessoas que têm vocação para o casamento, aqui a questão é achar qual a tua vocação.

    A paz contigo!

  • Maravilha!! (só pra variar, o texto está ótimo! hehe) 🙂
    Lembrou o evangelho de hoje: “onde está teu tesouro aí também estará teu coração”…

  • Eu não tive essa felicidade. Na verdade sou o outro lado da moeda.
    Minha adolescência foi no melhor estilo Keith Richards: “Nunca tive problemas com drogas, mas sim com a polícia”. Era muito pé na porta, soco na cara. Arrependo-me muito hoje, principalmente das calhordices que aprontei com a mulherada. Macho latino, rules. Foi um período em que soltei o Headbanger que existe em mim e dei uma porretada na cabeça do meu nerd interior.
    O que quero dizer é que isso traz consequências muito mais sérias e muito piores do que ficar levando a pecha de encalhado, biba, esquisito, assexuado, éfebo. Minha vida sentimental, emocional levou anos para entrar nos eixos, tive relacionamentos horríveis, só encontrei paz e realização, amor de verdade, somente quando minha esposa entrou na minha vida. Olhando em retrospectiva, caso eu tivesse anos antes a atitude correta, não teria passado pelo que passei.
    Fica o alerta: se o mundo diz que você tem que fazer algo, faça justamente o contrário, pois com certeza é ali que mora a felicidade.

  • Aline

    Obrigada pelo post, Catequista.
    Na verdade, por um segundo até me perguntei se não tinha sido eu mesma que escrevi o que minha xará escreveu, pois, aos 25 anos, escreveria exatamente a mesma coisa. Infelizmente, queria eu voltar aos 25 (hoje tenho 27), pois foi justamente nessa idade que perdi a virgindade. E perdi por um simples motivo: eu desisti. Motivada justamente pelas mesmas dúvidas da Aline, que geraram a falta de fé, eu desisti. E sabe o que ganhei? As marcas que o pecado deixa, apenas. Mas, apesar de hoje estar bem mais madura em relação à minha fé e à certeza que tenho de que hoje vivo e quero continuar vivendo a minha castidade, não tenho namorado, e é mais fácil viver a castidade sem ele. É unicamente pela minha fé – contrariando o mais provável de NÃO achar um homem que queira viver a castidade especialmente já na minha idade -, que creio que encontrarei essa pessoa; não porque essa é a única forma de eu ser feliz, mas porque formar uma família é um dos sonhos do meu coração. E são justamente posts como esses que nos ajudam, nos encorajam e aumentam a nossa fé.
    Obrigada pelo blog, leio sempre!
    Deus abençoe vcs. =)

  • David A. Conceição

    Algo que não pode ser deixado em branco:

    A virgindade não deve ser também um tributo virtuoso da mulher, mas sim dos homens.

    Assim como não devemos nos envergonhar de Cristo, nós homens podemos muito bem ostentar nosso olhar e dizer: Sou virgem / casto SIM. É pelo meu corpo que o Senhor é glorificado.

    E se caírmos, nos levantemos em direção ao confessionário e reerguemos na graça de Deus!

    Em off: Fiquei muito feliz em saber que Os Catequistas são do Rio de Janeiro, os blogueiros cariocas são os pioneiros no apostolado virtual, modéstia a parte. hehehe

    Espero encontrâ-los um dia! Grande abraço!

    • Sim, David, homens e mulheres são chamados a dar este testemunho.

      Esperamos também ter o prazer de encontrar muitos amigos que conhecemos na Internet, e se Deus quiser isso acontecerá na JMJ do Rio.
      Abração!

    • Mayara Alves

      David, seu comentário me chamou atenção por eu ouvir muito dos jovens que acompanhei e acompanho hoje. Infelizmente a sociedade impõe que homem que é homem “tem que pegar geral” e isso destrói totalmente o caráter e uma vida de virtude que um homem possa ter. Infelizmente é mais duro ouvir dos nossos jovens dentro da Igreja. Continue firme e fiel e leve seu testemunho a muitos outros irmãos!

  • Bravo! Belíssimo! Eu, nos meus tao curtos 16 anos de vida, descobri logo cedo o sentido da vida que Deus. Esse Deus veio até a minha miseria e me ama totalmente, pessoalmente, infinitamente. Por ele aceitei desafiar o mundo! Aceitei meu chamado a santidade e hj sou muito mais que feliz: tenho um tesouro em meu coraçao.

    Nunca namorei e acho q o motivo seria essa minha escolha tao radical. Se o meu Senhor me disse que ainda nesta vida eu receberei o centuplo é pq Ele guarda o melhor pra mim.

    Aline minha cara saiba que o mundo nao ama; ele nao ama porque nao conhece a Deus e Deus é amor. Somos conhecidos por esse amor. No Evangelho de S.Joao 17 Jesus, no Getsamani antes de ser preso, pede ao Pai que guarde seus discipulos pq eles conhecem a Verdade o mundo os odiará por isso.

    Nao temo dizer: sou casto sim! Meu amor nao se perde na pornografia e na masturbaçao. Nao sou do mundo. Eu ja morri pro mundo. Eu sou dAquele que é. Sou imagem do seu amor. Nao temo a perseguiçao. Se eu temesse os desafios e as perseguiçoes, melhor seria nao ser católico. Escolhi. E descobri o amor perfeito. Amor que jamais esgota e q me mostra a vida!

    Praedica Verbum!

  • Não há maior motivação do que o imenso amor de Deus!

    “A paciência, por fim, tudo alcança. Quem a Deus tem, NADA lhe falta, pois só Deus basta.”

  • ana paula lemos

    Vivi, adorei este post-testemunho! Lindo e corajoso!

  • Viviane,

    Esse título está de matar. Huahuahuahuahuahuahua. 😛
    Ah, e, a propósito, belíssimo seu testemunho. 😉

    Graça e paz.
    Salve Maria Santíssima!

  • Dênis Costa

    Não tem nada a ver com o post, mas o título me lembrou um fato muuuuito bizarro e irônico que aconteceu no veraneio passado… Nas praias do litoral do meu estado tem várias capelinhas que os padres vão celebrar nos domingos de janeiro, mesma época que aqueles lindjos paredões de sons transitam triunfates com os “ais se eu te pego” e os “tchutchatcha” da vida… Ainda, num pelo domingo, em plena homilia, passa um dito-cujo em frente à capela tocando em volume máximo a música símbolo da MPB cult: “Quem vai querer, A minha Piriquita?A minha piriquita? A minha piriquita? http://letras.mus.br/banda-lapada/1794509/” O padre ousou fingir ter uma surdez celibatária para sons profanos e continuou falando, mas como ninguém tava ouvindo, jogou a toalha, parou de falar e esperou o carro se distanciar… Nem precisa dizer que demorou muuuuuuitos segundos vergonhos para o barulho periquitoso ser atenuado, enquanto isso a assembleia se entreolha e o povo do grupo de jovens soltava risinhos hormonais. Enfim, passado o sufoco, antes do padre retomar o sermão, surge uma fiel da última fileira e grita: “padre, só pra deixar claro, eu trabalho na justiça e sei que isso pode ser denunciado pelo número taltaltal”… O sacerdote, só para não dizer que se mostrou apático a situação tresloucada, solta um modalizador: “é um desrespeito”!

  • Dênis Costa

    Só pra não perder a piada: “OCatequista anda MEIO sumido aqui do blog”??? Que isso! Ele já tá necrosando, em estado de putrefação, o último post dele é da época que Maria era judia!! #voltacatequista

    • Ah, que maldade! Tô aqui todo bonito! Só que meu trabalho resolveu acabar com todo meu tempo livre. Então não tenho mesmo como voltar ao blog ou editar os catecasts que já estão gravados… por enquanto, me limito a dar pitacos nos posts da Vivi!

      Mas não se preocupe, I’ll be back!

  • Aline

    Só para ter outra Aline comentando a dúvida de Aline: este foi dos posts mais engraçados e mais sérios do blog. A castidade é uma luta das mais importantes hoje em dia pois estão instrumentalizando a sexualidade (principalmente dos jovens) para fins da política satanista-nova-era. Por esta porta larga (sexo) entra de tudo (homossexualismo, aborto e o que mais possa dar prazer imediato e condenação eterna). Parabéns por abordar o tema de uma forma leve e profunda ao mesmo tempo. Espero que voltem mais vezes ao assunto. Beijos.

    • Oi, Aline!
      Tamos uma sessão de posts chamada SÉKISSO & PEGAÇÃO:
      http://ocatequista.com.br/?cat=272

      Beijo, e obrigada pelo comentário!

      • Leilah

        Meus lindos O e A catequista, muito grata pelo testemunho natural e sem teatro e pieguice, de vocês. A pessoa humana não é coisa que se possui para prazeres passageiros, mas é uma riqueza tremenda com quem se vive o enorme prazer do amor mútuo, que incluindo o sexo é bem maior, gostoso e prazeroso que apenas ele. Para que possamos gozar o banquete todo e não apenas as sobras, é que o judaísmo e o cristianismo têm a sábia e bela tradição do namoro, onde a riqueza do outro se descobre (e se saboreia!!) devagar, por etapas graduais, até que o fruto esteja maduro. Quanta riqueza humana (antropológica, psicológica, pedagógica etc.) existe no namoro casto. Até mesmo as autoridades e especialistas norte-americanas da área da saúde, contra todo preconceito, tem prestado atenção na eficácia da castidade na prevenção à AIDS nos Estados Unidos e incorporado essa perspectiva nos programas de prevenção. Se em termos meramente humanos já é bonito, sensato e sábio cultivar o fruto e colhê-lo no tempo certo, imagine em termos cristãos, já que a graça aperfeiçoa a natureza! Conheço muitos casais de namorados e casais casados que tem vivido essa experiência, contra tudo o que a propaganda e o poder dizem. Bem como conheço até padres (iludidos pelas aparências da propaganda e da visão e perfil único, massificado, de jovem que ela tenta impor) dizendo que a igreja tem que rever sua posição sobre a castidade. Sem saber, esses padres são mais moralistas do que imaginam não ser, pois encaram o cristianismo sob a limitada e medíocre ótica da moral (do permitido ou não permitido) e se esquecem da beleza da fé que você trouxe tão bem em seu testemunho: toda moralidade (na experiência cristã) é fruto e consequência da amizade com Cristo que nos preenche por inteiro! Não é obrigação (apenas) e muito menos é medo, angústia, repressão ou castração. Toda a moralidade cristã é profundamente libertadora e realizadora das mais ricas potencialidades e energias humanas (e como isso é belo, quando descoberto em plena juventude!) e não castradora. Renuncia-se temporariamente ao menor, para se conseguir o maior e melhor (que inclui de novo o menor, mas numa perspectiva humanamente e espiritualmente muitíssimo mais rica e realizadora). Numa visão pagã da sexualidade, perde-se tudo, o menor e o maior. Na rica visão (e vivência) cristã da sexualidade, ficamos com o MELHOR DA FESTA, O MELHOR DO BANQUETE, A COISA COMPLETA, A BELEZA TODA, seja no casamento ou no celibato, pois a beleza toda da energia sexual humana, é o afeto e a doação, sem os quais o ato sexual é preenchimento passageiro e egoísta de um vazio que só se amplia (masturbação a dois!) e o celibato é um peso angustiante, já que não se alimenta da intimidade com Cristo e do ardor missionário. Novamente parabéns e obrigada por viverem e testemunharem isso, precisamos dessa profecia alegre na igreja e no mundo. Deixo também aqui aos leitores, o bonito testemunho da Isabel Cristina: http://vdomini.blogspot.com.br/2009/09/serva-de-deus-isabel-cristina.html

  • Luciene de Araujo Costa

    Adorei. Me casei virgem, mas por obediência a meus pais, medo da sociedade não foi porque procurei Cristo apesar de ter nascido de uma família muito católica. Eu acredito que devemos passar para nossos filhos esse entendimento da procura da felicidade, primeiramente em Cristo porque vivenciando esse amor maravilhoso em Cristo e na Virgem Maria um namoro e possivelmente um casamento será com certeza muito mais sólido. Se deixar de ser virgem viesse a certeza de um casamento ninguém estaria sozinho, o que acontece com a maioria dos jovens que nunca se saciam, pelo contrário estão sempre procurando, procurando… Salve Maria!

  • Samuel

    Bem,como solteiro convicto,a minha opinião é meio parcial,mas vá lá: Eu acredito que as pessoas precisam urgentemente de um maior encontro com Deus.Porque,vai por mim,não existe mulher/homem no mundo que vai te preencher/completar.Isso é Deus quem faz.Não existe ser humano no planeta capaz disso.O namoro é quando Deus poe uma pessoa para te ajudar nos problemas da vida.Mas não é função de ninguém fazer o outro feliz.De novo,isso é Deus quem faz.E por isso que é possível que certas pessoas sejam celibatárias.Porque,apesar de não terem um marido/esposa,eles são felizes porque Deus os faz felizes.Mas como a nossa sociedade não tem Deus,eles transformam o amor de casal num ídolo,o qual todos teriam que possuir para a realização pessoal.Por favor,não usem o casamento como ídolo.Não é porque você casa ou deixa de casar que você é mais ou menos feliz.Você é mais feliz quando está perto de Deus,não importando o estado civil.

  • Aline

    Sou a Aline responsável pelo comentário =)

    Fiquei sem entrar na net por uns dias e foi com mta alegria ver que o comentário que fiz tornou-se um post.
    Li ontem e confesso que chorei mto. Esperei para hoje, um pouco mais calma, para responder. Até porque estou em uma fase em q a carência e as cobranças para que eu ‘me ajeite’ com alguém estão grandes e ter essa consciência cristã da importância do namoro não tem me ajudado.
    Gostei mta da resposta, e é algo que eu preciso refletir mais sobre Jesus na minha vida e o que eu quero e espero, então ainda nem sei muito o que escrever….rsrs
    Só agradecer de coração por esse texto e que, com certeza, vai me ajudar a tomar decisões sobre o que é importante para minha vida.
    Que Deus continue abençoando esse lindo dom que vc, Viviane, e seu marido, tem de escrever de uma maneira tão esclarecedora.

    Grande bjo!

  • Oi, Aline! Que bom que vc voltou e viu o post.
    Seja fiel à oração. A quem bate, a porta se abre. Jesus vai te mostrar tudo o que vc precisa.

    Abração!

  • samuel

    Cara Viviane,existe um ramo novo no campo da psicologia chamado ‘psicologia positiva’,que investiga o que faz o homem feliz,em oposição a psicologia ‘negativa’,que procura curar doenças.Uma das coisas mais legais que eles chegaram a conclusão que nós somos PÉSSIMOS EM PREVER O QUE NOS FARÁ FELIZES.Ou seja,que aquilo que acreditamos que nos fará felizes,como carros,um emprego com maior salário,relacionamentos(eis o tema do tópico) não nos deixa NECESSARIAMENTE mais felizes.Engraçado,a minha vida inteira eu corri atras de um monte de coisa que não me fez bem,enquanto as coisas que eu realmente gosto eu praticamente as encontrei sem tanto esforço.Enfim,as vezes,nos pedimos a Deus namoros,faculdade,dinheiro,enfim um monte de coisa e não nos questionamos se isso realmente vai nos fazer felizes apos o periodo de euforia,sem fantasias.Mais tragico é que Deus nega algo que é ruim tanto emocionalmente como espiritualmente,e ainda reclamamos com Ele hahahha.Ele tem uma paciencia prodigiosa msm.

    Existe um artigo do New York Times que fala sobre isso(link:http://www.nytimes.com/2003/09/07/magazine/the-futile-pursuit-of-happiness.html?pagewanted=all&src=pm)com o interessante título:’ A fútil perseguição da felicidade’ na qual pesquisadores de Harvard dizem isso: O dificil não é ter para ser feliz,mas SABER o que nos faz feliz.Aqui tem o trecho mais legal do artigo:

    A pessoa média diz, ‘Eu sei que vou ser mais feliz com um Porsche do que um Chevy’,explica Gilbert.’Ou com Linda em vez de Rosalyn. Ou, como um médico ao invés de um encanador. Isso parece muito claro para as pessoas. O problema é que eu não posso chegar na faculdade de medicina ou arcar com o Porsche. Assim, para a pessoa média, o obstáculo entre eles e felicidade está realmente em conseguir os futuros que eles desejam. Mas o que mostra nossa investigação – não apenas nossa, mas de Loewenstein e Kahneman – é que o verdadeiro problema é descobrir qual destes futuros, vai ter o maior retorno emocional e realmente vai fazer você feliz.

    ‘Você sabe, os Stones disse: ‘Você não pode sempre fazer o que quiser’,” Gilbert acrescenta. ” Eu não acho que esse é o problema. O problema é que você não pode sempre saber o que você quer.”

    • Samuel meu irmão, o ser humano só será VERDADEIRAMENTE FELIZ no momento que encontrar o seu príncipio que também é seu fim que é Deus no céu. Essa é a única verdadeira felicidade indestrutível que durará eternamente.

      A busca pela felicidade do homem, geralmente, está em coisas estragadas que não saciam a sede de ser feliz. Geralmente elas são: o sexo desregrado, a bebida, as drogas, a fofoca, coisas que não preenchem o vazio sem fim que habita no coração do homem; esse vazio tão grande e tão pequeno só pode ser preenchido por Aquele que nos fez, ama e remiu: o Deus Uno e Trino.

      • Cadu,
        Não acho que seja bem assim. Creio que, na maior parte das vezes, as pessoas buscam a felicidade em coisas, a princípio, boas: amor (alguém para namorar/casar), amizade, carreira, boas condições financeiras, saúde… O grande problema é que, muitas vezes, nos esquecemos de contruir a nossa CASA – ou seja, a nossa vida, com todos os nossos interesses – sobre a ROCHA, que é a Palavra de Deus. E, então, essas coisas, por melhor que sejam, acabam ficando sem fundamento, e com as dificuldades da vida, as preocupações, as tribulações, tudo se corrompe, perde o sabor e o sentido.

        • Cadu, eu tô falando uma coisa e vc tá falando outra. Não disse que as pessoas NUNCA buscam a felicidade em coisas ruins, como a droga. Eu disse sim, que, na maior parte das vezes, eles buscam a felicidade em coisas boas, mas ainda assim se dão mal, quando o relacionamento com essas coisas não é pautado por um apego, por um amor maior do que o que elas têm a essas coisas: a afeição a Cristo e o seguimento da Sua Palavra.

        • Vivi é sim. Um drogado procura no vício algo que nunca encontrará: um conforto consolo e abrigo. Essas três coisas são exatamente o que eles chamam de felicidade. Porém a felicidade verdadeira é o encontro maior de amor com Deus.

  • samuel

    Deus é o tempero da vida.Você pode experimentar de tudo,mas se estiver longe de Deus,tudo vai parecer inhame:Insosso e sem sabor.Em Deus,por mais que suas experiências sejam limitadas,cada uma vai ter um gosto peculiar e diferente.Engraçado,a vida sem Deus parece a vida de um zumbi hehehe

  • Karoline

    Pessoal. Comecei a ler o blog a pouco tempo, mas estou surpresa com o impacto que ele tem a cada post que leio. Parabéns, assuntos divertidos e sérios a respeito do catolicismo que pelo mundo está cada vez mais criticado. Sabemos que não são verdades o que dizem, pois existem CASTIDADE, SANTIDADE, AMOR, FÉ emuitas outras coisas sim. Basta a cada dia nos levantarmos e perguntar a Jesus o que Ele quer de nós. Levantar da cama repetindo as palavras: Hoje vou estar cheia do espiríto santo.

    Um beijo a todos! ;D

  • Danilo

    Parabéns A CATEQUISTA por este espaço! Estou aos poucos lendo os post’s do blog. Vou indicar a outros jovens para que leiam e reflitam.

    Eu sou coordenador de liturgia na minha Igreja. Toco e Canto todos os domingos na missa e percebo que muitos jovens abandonaram o nosso grupo por causa dos namorados não cristãos. E outra comunidade da nossa Paróquia, duas moças de 16 anos estão grávidas. Sei o quanto é difícil viver uma vida de castidade nesse mundo!

    Deus abençoe o trabalho de vcs!!!

  • Eis um assunto que eu acho muito importante: a castidade. Sempre penso nisso e essa semana eu mesmo estava refletindo uma coisa: como o mundo seria muito melhor, se as pessoas fossem castas, se vivessem a castidade. Já refleti e concluí que a castidade é liberdade, enquanto o sexo descontrolado é uma escravidão. Vejo isso em muitos jovens.
    Eu tive muitas oportunidades para que minha castidade fosse destruída, mas hoje, após certo tempo, constato que foi pela graça de Deus que isso não aconteceu e até hoje me mantenho casto e vivo a castidade.
    Namoro há pouco mais de um ano e eu e minha amada temos a mesma opinião sobre castidade. É algo incrível, fantástico! Viver uma relação com uma pessoa, vivendo a fé, a pureza e a beleza do amor. Sou mais que feliz e agradeço sempre a Deus pelo namoro que tenho. Além disso, peço por outros jovens, para que eles entendam e saibam verdadeiramente o que é castidade e abraçá-la. Enfim, texto muito bom, meus amigos.
    Paz e bem.

  • paula braz

    Parabéns pelo site ! Sou catequista e esse tema me ajudou bastante, abordei esse assunto com meus alunos e foi muito bom..

  • Roberta

    Estamos aqui em 2014, e eu ressuscitei o post, rsrs.
    Eu sempre fui católica e caí no conto do “se nós nos amamos, não há pecado” no meu noivado, embora tivemos várias ocasiões de pecado durante o namoro… É única e exclusivamente pela graça de Deus que estamos juntos até hoje – quase 15 anos ao todo – mas o pecado contra a castidade deixou várias feridas abertas em mim. Estava pensando em divórcio até a pouco… mas agora, graças a interseção de Nossa Senhora, minha Mãe querida, a cura está aos poucos entrando no nosso leito nupcial.
    Eu me arrependo amargamente de ter perdido a minha virgindade, e de ter sido pedra de tropeço para o meu namorado, agora marido. Mas Deus é misericordioso, e uniu nossos caminhos para que possamos nos salvar juntos.
    Irmãos, rezemos muito, e peçamos ajuda à Virgem Santíssima sempre!

  • Michelle Guimarães

    Muitos amigos que não vivenciam a castidade sempre me falaram que hoje em dia isso é loucura, ninguém mais pensa assim, que será difícil me relacionar pensando dessa forma. Quando comecei a considerar essas afirmações, em um assunto completamente diferente Deus me falou através de uma amiga uma mensagem da Madre Teresa de Calcutá que termina com a seguinte afirmação:

    “Veja você que, no final das contas é
    Entre Você e Deus e não entre você e os homens.”

    Depois dessa frase quando penso que me entregar é mais fácil e cômodo em uma relação diante de tantas afirmações e colocações que o mundo joga sobre nós, essa frase me norteia para o que Deus pede a nós.

  • Isa Mello

    Viviane! Vc compartilhou esse texto hoje (03/06/2014), e me encheu de um fôlego que eu havia perdido. Sou virgem e até então não tenho nenhum namorado, e compartilhava essa visão de castidade com apenas uma amiga fora da igreja, e ela é protestante… Pois bem, hj descobri q na verdade ela faz sexo com alguma freqüência com o namorado, e fiquei morrendo de medo de não manter minha castidade… Obrigada mais uma vez pelo post, que a Virgem Maria interceda pela nossa castidade!

    • Isa,
      O que eu posso lhe testemunhar é que vale a pena dar crédito a Jesus, vale a pena confiar nEle, não só nesse ponto da castidade no namoro, mas em todos os sentidos. Não é possível que Deus Pai nos peça algo que, no fim, nos levará a ser pessoas frustradas. Ele nos prometeu vida, e vida em abundância! Quase todos à nossa volta estão transado quando bem entendem, e não vemos as pessoas em geral serem mais felizes por causa disso. Muito ao contrário: o mundo está uma grande porcaria, cheio de gente vazia e deprimida.

      Persevere! Poucas alegrias nessa vida são tão intensas quanto aquela de chegar ao altar vestida de branco, virgens, da forma como Jesus nos pediu! E, no futuro, poder dizer com orgulho aos nossos filhos: “seu pai foi o único homem que tive na vida”.

    • Roberta

      Peço licença para te dizer: se entregue à Mãe de Deus e persevere! Não vale a pena cair no “canto da sereia” que o mundo te apresenta – vai por mim! Que a Virgem Santíssima te acompanhe!

  • Simoneide Correia

    Gente que maravilha esse post! Sinceramente só não gostei do titulo. pois esses termos não são corretos, lembro de uma palestra do padre Léo q ele fala sobre isso e ele diz que foi o inimigo que criou esses apelides, por que “mão”, “pé” “orelha” não têm apelido? Somente nossos órgãos genitais têm? Criou-se uma cultura de que é feio, mas não é! Através deles que geramos vida. Ele e dizia ensine a vossos filhos os nomes corretos. Mas olha muito bom o post e os comentários li quase todos, sou uma jovem solteira e busco também viver a castidade, e esses post são como uma injeção de animo, força. Obrigada a todos pelos testemunhos.

  • Paulo Lima

    Sou cristão evangélico desde o nascimento, 45 anos, adoro mulher e sexo, mas por amor ao Senhor posso me orgulhar de dizer que me mantive virgem sim! Nunca falei um palavrão, nunca bebi uma gota de álcool, li a bíblia inteira 5X. Até hoje ainda espero por encontrar minha Rebeca, com muita fé em Jesus, pois Ele é fiel pra cumprir o que prometeu. Mas observem que não basta apenas o querer se casar virgem, se não houver as atitudes corretas no namoro. Se os casais ficam se beijando de língua, se agarrando, sentando no colo, ficando sozinhos com muita pegação, não há castidade que resista.

  • Jamila

    Boa noiteee!
    Bom, tenho uma dúvida: tenho 17 anos (não falta muito para os 18) e nunca beijei ninguém. Vou, às vezes, a festas e faço como A Catequista: me limito a conversar. Porém, nunca admiti às minhas amigas que nunca beijei ninguém. Digo, normalmente, que já tive alguns “namoricos”, mas que nunca namorei sério. Além de vergonha de virar motivo de piadas, tenho medo de que algum menino se aproxime de mim com o intuito única e exclusivamente de “tirar o meu BV”, como dizem por aí. Por isso digo que já beijei alguns meninos (POUCOS), pois também não quero passar imagem de “atirada”.

    Será que estou pecando contra a castidade ao afirmar isso? Será que preciso deixar de comungar? :/

    • Luiz Antônio Pereira

      Jamila, parece que você tem é a doença dos escrúpulos. Fale com seu diretor espiritual e tudo ficará em paz na sua vida. Isso não é pecado contra a castidade.Não se afaste da Eucaristia por causa de escrúpulos.

    • Oi, Jamila!
      Creio que você não peca nem mesmo venialmente ao dizer essas coisas. Afinal, você toma o cuidado de dizer que beijou poucos meninos (ou seja, passa a mensagem de que não é adepta de sair beijando a torto e a direito), o que é bastante razoável. Você só pecaria se saísse por aí dizendo que é adepta dessa pegação geral (meninas que não sabem ir a uma festa sem beijar um, dois ou mais).

      Entendo perfeitamente a sua necessidade de não virar motivo de piada entre seus amigos mundanos. Eu, sinceramente, faria o mesmo. Aliás, eu fiz isso também! rsrs. Fui beijar pela primeira vez aos 15 anos (um grande arrependimento meu, não foi nada romântico e o cara era uma toupeira). Mas antes disso, para não ficar ouvindo piada das amigas, eu dizia que havia beijado uma única vez um menino do meu prédio.

      Além de evitar ser motivo de piadas (o que, uma hora ou outra, é bom dizer, será inevitável, pois suas amigas provavelmente vão começar a transar, e você obviamente não poderá mentir dizendo que faz o mesmo), você adia um pouco a pressão das amigas para que o tal beijo aconteça. Ao menos assim te deixam algum tempo em paz.

      Continue comungando! Jesus certamente está muito contente por você ser uma moça casta e recatada. Que a Virgem Maria e São José guardem seu coração.

      • Jamila

        Sim, mas o Catecismo diz que a mentira, por si só, é pecado venial. E também diz que ela é mortal quando lesa gravemente a caridade e a justiça. E o Padre Paulo Ricardo diz que ela não é justificável em nenhuma hipótese.

        Sei que não podemos ter “descaso” com pecados veniais, mas, como A Catequista bem disse, um dia ou outro eu iria sofrer por causa dessa pressão (maldita revolução sexual!!!) e acabaria cometendo algum outro pecado – como sentir raiva das pessoas que me pressionam. Então, dos males, o mal menor 😀

        • Luiz Antônio Pereira

          Depois de sua resposta, na verdade acho que você precisa mesmo é assimilar a parábola das dez virgens… e de coração sincero é preciso resignação em aceitar sua condição.

        • Marcelo

          Jamila, tenho mais ou menos a mesma idade que você e estou à procura de uma namorada cristã e conservadora, como eu, mas está difícil. Também sou completamente inexperiente em termos de relacionamentos. Você mora em São Paulo? Se sim, posso mandar meu e-mail e entramos em contato para nos conhecermos melhor.

          Sei que é meio estranho fazer uma abordagem assim, mas, considerando-se que no meio católico não é permitido as tradicionais “ficadas” antes de se iniciar um namoro (pois o “ficar” é pecado), a única forma de iniciar um relacionamento é pedindo de forma escancarada mesmo… abraços!

          • Marcelo, mandei email pra Jamila avisando que vc escreveu. Vamos ver se ela volta ao blog e responde a sua mensagem. Abraço!

          • Marcelo

            Bem… a Jamila deve ser tímida, ou trocou de e-mail, ou então não checa com muita frequência! Hehehehe…

            Enfim, valeu a tentativa! E obrigado, A Catequista, pelo auxílio!

            Até!

      • Marcelo

        Gente, não é possível, será que daria pra enviar outro e-mail pra ela, uma segunda e última vez, pra ver se ela responde aqui?

        Eu não tô achando nenhuma menina que aceite um namoro sem beijo nem no meio cristão, lá o povo acha que só não pode transar, se eu não achar uma moça assim, que nem a Jamila, fico sozinho, pois desobedecer a Deus voluntariamente pra satisfazer aos caprichos de uma menina não dá…

  • Gabriela A.

    Pra quem tá com medo de ficar encalhada… não se desespere: Deus fez um homem pra você: Deus fez tudo direitinho… e fez esse moço apaixonado aí abaixo, se declarando…huahuahuahuahuhauahua pra quem cansou de esperar ele tá aí s2

    http://www.youtube.com/watch?v=kVGIIvnG1_E

  • Daniel

    Só comentando que essa é uma das melhores chamadas de todos os seus posts hehehehehe

  • Jonatan Raizer

    Mais uma vez se fizeram Mito! É muito mais que regras, é a fidelidade de um ideal. Parabéns por incomodar tanto a internet com a verdade.

  • wailson

    Muito bom. Valeu amigos pelos post e comentários que com certeza não esclareceu só a Aline mas muitos que por ventura entrou neste site. Abraços

  • Jeis de Melo

    Perfeito o texto e lindo o testemunho. Sou Catequista e uso meu próprio testemunho em encontros com este Tema, que inclusive é muito parecido com o seu. Só tive 03 namorados, sendo que o último é meu esposo hoje e temos 01 filha linda Maria Clara. Ele me esperou por 04 anos de namoro e 07 meses de noivado, sempre respeitou minha escolha, casei aos 25 anos virgem, e não me arrependo.
    A conclusão de seu testemunho foi maravilhoso, é isso mesmo:
    ” Então, quem perde um namorado porque ama mais a Cristo do que ao fulaninho, na verdade, não está perdendo nada. Porque as coisas, sem Cristo, não são mais nada além de pó, que o vento leva e espalha mais cedo ou mais tarde.”

  • Rodolfo

    Tenho 31 anos, minha esposa tem 32. Temos um ano de casados e 10 anos juntos, entre namoro e noivado… Ela casou virgem e casamos vivendo a castidade. Posso dizer que foi a melhor decisão que tive na minha vida afetiva e sexual.

    Nada melhor do que se guardar para a pessoa que se ama, e depois poder se dar por completo pra ela.

    Digo de todo o coração: Vale a pena!!!

    DEUS é mais.

  • Maria Gabriela

    Olá! Meu nome é Maria Gabriela, estou com 30 anos e não acredito mais que eu possa encontrar alguém que queira casar comigo. Ainda muito machucada com o término do meu ultimo relacionamento o qual apostei todas as minhas fichas e deram errado eu decidi que não quero mais e que vou viver sozinha.
    Já tive experiência com católico que dizia querer namoro santo mas que não me respeitava e inclusive o meu ex – namorado também se dizia católico praticante mas dizia ser impossível viver namoro santo. Ele dizia que carícias não era pecado, que sexo sem consumar o ato também não era pecado, pois não dizia na Bíblia nada contra isso. Complicado demais! Devido a tudo isso desisti e não quero mais tentar com ninguém, até porque não tenho mais idade pra isso.

    • “…que sexo sem consumar o ato também não era pecado, pois não dizia na Bíblia nada contra isso”; esse fulano aí se dizia católico, mas na prática era um filho de Lutero, protestante! Quem acha que tudo tem que estar explícito na Bíblia é crente, não católico. Católicos seguem a Bíblia, a Sagrada Tradição e o Magistério da Igreja.

      Infelizmente, muitas pessoas que frequentam a Igreja não são convertidas de fato. Estão dentro das estruturas da Igreja, mas seu coração e sua mente são pagãos. Impossível viver namoro santo? Deus não nos pede nada impossível. Impossível é Deus conquistar e agir em um coração duro como o desse rapaz, que não quer se converter e usa a mentira para justificar seu pecado, e levar outros a pecar.

      Não quero te dizer para ter esperança de encontrar alguém, nem quero te dizer que está certa em desistir. Esse não é o ponto. Quero apenas me solidarizar suas decepções, e lamentar muito o fato que pessoas frequentadoras da Igreja tenham sido tão hipócritas, e te feito tanto mal. Também peço que você siga com alegria, sem amarguras, colocando todas as suas frustrações aos pés de Jesus, e que possa refletir sobre o que te levou a deixar essas pessoas agirem com você dessa forma.

      Se possível, procure a amizade e orientação de um bom diretor espiritual, peça isso a Deus. Um bom grupo católico também lhe faria bem, um grupo que lhe ajude a fortalecer sua espiritualidade.

    • Dcmoreira

      Fica tranquila, 30 anos não é “velha demais”.
      Vai nos lugares certos que tu encontra tua alma gêmea.

    • Letícia

      Olá, participo de muitos grupos católicos inclusive na internet e lhe asseguro que há muitos homens verdadeiramente católicos para você encontrar um!
      Me mande um email para eu lhe adicionar 🙂

  • Arlindo Filho

    O que tais homens dão para exigir tanto?Apenas eles mesmos,decaídos,paganizados.Eram os católicos que deveriam fazer exigências,pois possuem a religião superior.Devemos ser pacientes com os paganizados,pois eles merecem as felicidades carnais,é justo,pois lutam por elas.Mas as celestes não,pois as desprezam.Logo a solução para o problema proposto é simples:destrua o pagão que está em vc .Relativize toda fidelidade a família,sociedade.Devemos tratar nossa religião como um bem e bom em si mesmo.

    Devemos nos cegar pra o mundo,supera-lo com a Igreja Catolica.Não a hierarquia que é fraca e não merece muita consideração em relação a Cristo,mas o catolicismo deve ser pra nós um modo total de vida e devemos destruir em nosso ser todas as outras alternativas,se não ficaremos sempre apreciando ilusões.

  • Cláudio Nunes

    Li uma vez que dizia mais ou menos assim…Vejo uma realidade no mundo lá fora, mas meu coraçao arde de desejo em querer te conhecer cada vez mais Senhor Jesus Cristo…Louvado sejas para sempre. Amor da minha vida.

  • Sílvio Mocelin

    Excelentes comentários. Parabéns pela sabedoria dos testemunhos de que viver a virtude da castidade traz realização e felicidade. Bela forma de evangelizar a juventude, desfazendo as mentiras e sofismas do mundão. Isto é crer na Palavra de Deus.

  • Amanda

    Por isso que eu me entreguei a castidade conformada(se tiver que ficar sozinha que fique) Tenho 29 anos me converti faz um ano, e só agora decidi com paz no coração. Não tenho medo de ficar só, pra quem foi juntada e teve outros relacionamentos fracassados não é tão difícil perceber que ter alguém não é sinal de felicidade e que msm assim podemos nos sentir muito Soft. Mas solteira, sozinha e com Jesus sou mãos feliz. De verdade!

  • kAT

    Esse Blog é excelente e tem grande missão não somente com Católicos, mas tb com aqueles Não-Católicos que desconhecem sobre quão rica é a Santa Igreja. Tive educação católica – adquirida em casa – mesmo com um longo período ateísta dos meus 17 aos 24 anos, no entanto eu nunca esqueci dos valores cristãos que eu adquiri. Não bebo, não fumo, não frequento bares, baladas e mesmo sendo ateísta naquela época, sempre defendi a minha Santa Igreja das acusações falsas de ateístas e protestantes. Por isso que para mim nunca colou aquela ideia de “Evangélico Convertido”, que foi católico e teve uma vida desregrada, chegando inclusive a cometer crimes e fazer mal aos outros. Nunca considerei correto o que eu vi por aí, homens e mulheres se tratando como meros objetos sexuais. A mulher principalmente ao longo da vida garante traumas com relacionamentos, por ser sentir usada, mas se negando a dizer que foi usada, é ainda usada e infeliz. Preferindo muitas vzs viver com um “amigado” ruim, do que ficar só. Pelo jeito a liberdade sexual causou mais danos, do que benefícios. Estou com 25 anos e eu prefiro ter sexo somente após o casamento. Parei de me importar com essa ideia fixa de ter um amor. Um dia ele aparece. Infelizmente é quase certeza que num namoro, alias, no fato de ficar com alguém, a outra pessoa já começa a exigir sexo.

  • vanessa

    Nossa,o primeiro comentário ali onde fala que se você quer se casar e tal, você deve orar rezar e pedir a Deus, para lhe trazer a pessoa certa, a pessoa que você tanto espera.. Em minhas orações sempre pedia ao senhor: DEUS GUARDAI MEU CORAÇÃO PARA A PESSOA CERTA, e até hoje agradeço a ele por ter colocado meu noivo em minha vida.

    Posso dizer que o que aconteceu comigo, é algo que você ficaria surpresa e até diria, não parece verdade, mas é RS, eu sei que é de Deus, a gente sente, oque eu sinto por ele hoje, eu nunca senti por ninguém, foi a primeira pessoa que eu consegui dizer que eu conseguir dizer eu te amo, antes dele tive um namoro de 6 meses, mas acabou não dando certo. Ele era muito na dele, em 6 meses de namoro não apresentou família nem nada, por isso decidi terminar. Vi que não estava a fim de nada mais a sério.

    Hoje estou noiva e graças ao senhor que me presenteou com a pessoa que eu tinha pedido a ele. Por isso eu sempre pedia SENHOR GUARDAI MEU CORAÇÃO PARA A PESSOA CERTA, E QUANDO É A PESSOA CERTA VOCE SENTE, É MARAVILHOSO..

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>