Missa da água de coco: um cocô de liturgia

agua_de_coco Quando a gente pensa que a criatividade dos padres joselitos já alcançou o auge do desbunde, eis que surge uma novidade… A missa da água de coco!

Tá tudo registrado do vídeo abaixo, que achamos no blog Adversus Haereses. A procissão de entrada é feita por fiéis que executam uma coreografia lindja, cada qual com o seu coco verde na mão. Mas atenção, é preciso escolher os membros da procissão a dedo: nenhum deles pode ter hemorróidas, artrose ou problema de gases, pois é preciso fazer muitos agachamentos!

Depois, todos apresentam o seu coco diante do altar, onde um diácono posudo, munido de uma peixeira, tem a tarefa sagrada de abrir os cocos, um a um. E é bunitcho demais quando, a um dado momento do vídeo (4:00), uma menina tem que dar um “Matrix no seu quadrado” pro diácono não furar o zôio dela com a peixeira. Enquanto isso, o padre não pára um minuto de se sacolejar e de balançar o seu coco santo. Ô bênça!

Mas o coração bate forte mesmo é quando o sacerdote entrega o seu coco pro diácono, e, como mágica, dali de dentro brota… uma Bíbraaaaa!!! Tcha-nãaaa! Não era um simples coco: eram um Kinder Coco de Jizuiz!

Simpresmente E-MO-ÇO-NAN-TE, gente!

Essa missa aconteceu na Igreja de São Francisco, que pertence à diocese de Nova Iguaçu, no estado do Rio de Janeiro. Mas de onde raios surgiu a ideia de promover essa desgraça na procissão de entrada? Confesso que não sei ao certo, mas tenho uma teoria… Observem a citação abaixo, do Frei Carlos Mesters (célebre exegeta):

“A Bíblia é como coco de casca dura. Esconde e protege uma água que mata a sede do romeiro cansado. Romeiros e peregrinos somos todos! Cansados também! Vamos procurar o facão que nos quebre a casca deste coco!”

Imagino que foi isso que inspirou o pessoal de New Iguáçu. Pegaram a bela comparação entre o coco e a Bíblia e transformaram em um cocô de liturgia. Esta bendita diocese, aliás, parece estar concorrendo ao Oscar da bizarrice litúrgica. Se você tem um bom estômago e não sofre de problemas cardíacos, clique aqui para conferir uma penca de outros abusos litúrgicos ocorridos naquelas bandas. E lembre-se, nada de desânimo: Jesus venceu a morte e o pecado, e vencerá todas estas coisas.

UPDATE (25/04/2012):

Você não conseguiu ver o vídeo porque o pessoal da paróquia em questão retirou o acesso.  Isso quer dizer que conseguimos passar o recado para quem anda desrespeitando a Sagrada Liturgia!  Resta saber que lição vão tirar disso!

Mas só pra você ter um gostinho: veja a imagem abaixo com o momento crucial em que o coco toma a “pexerada” e revela uma linda Bíblia!!!!

78 comments to Missa da água de coco: um cocô de liturgia

  • Anne

    veja o novo vídeo de PE.Paulo Ricardo. Quando pensamos que o “trêm” té ruim, aparece coisa pior. É uma Resposta Católica a um catequista que recebeu um pedido inusitado do pároco: se vestir de palhaço para animar a fest… ops, a missa das crianças.

  • leonardo Moreira

    O carnaval invadiu a liturgia. Já não dá pra suportar essa situação litúrgica da Igreja. Lex orandi lex credendi tantos são os credos quanto são as cabeças, ou os cocos. Se já me parece estranho um rito com duas formas imaginem aberrações como essas o que penso. Melhor nem falar. Será que algum dia voltaremos a ter o Santo Sacrifício da Missa conforme o Missal, celebrado de forma decorosa, com o esplendor da beleza que exprime o Mistério celebrado? A situação não está beirando o insuportável não, já ultrapassou o suportável a muito tempo. Vamos divulgar e zombar, não da Santa Missa, é claro, mas dos promotores dessas manifestações carnavalescas, caricaturas da Sagrada Liturgia. Quem sabe se com a zombaria eles resolvem mudar, ainda que a contra gosto? PAZ E BEM! OBS: Essa coreografia para a coxa e os glúteos deve ser divina, deve fazer milagres. rs

  • Victor Picanço

    Vivi, publique aquela lista de endereços das autoridades eclesiásticas que o Fratres In Unum.com sempre coloca para fazermos denúncias sobre esses abusos.

    Triste mesmo foi ver o quanto o bispo daí não é só complacente, mas incentiva essa balbúrdia.

  • Preocupante demais isso. Escrevi exatamente sobre essa tal missa do côco no meu blog ontem.
    Na Baixada Santista em São Paulo ocorre coisas piores.

  • Embora a situação seja trágica, não tem como não dar umas boas risadas. Isso me cheira a TL.

    1. A músiquinha é um forro misturado com axé. Não dá para entender a litra, mas tem um ôoooooo… e todo mundo se baixa. Haja perna para tanto levanta e agacha.

    2. A dancinha é típica da TL… Aqueles passinhos de axe babá!

    3. O padre dançando também é cômico. Parece que ele manca de uma perna. Ele balança o côco a esmo, parecendo o Michael Jackson com o bebê pra fora da janela.

    4. O diácono como cortador de côco é um serial killer em potencial. Quase acerta a menina. Além disso todos os côcos já estão préviamente cortados.

    5. Aos 5:03 um menino leva o côco. O diácono faz que abre e adivinha! Não sai água! O menino tomou tudo, igual ao Chaves quando Dona Florinda manda ele comprar ovos!

    6. Mas o melhor de todos foi a nova invenção do momento: O Kinder Côco! Vc compra um, abre e de dentro dele sai um côco!

    Agora falando sério, eu acho que escrever pra bispo e pra CNBB não resolve nada. O negócio mesmo é dar uma boa zoada e divulgar as aberrações para que as pessoas vejam e tenham vergonha. Assim a coisa diminui. Se depender dos padres vermelhos, a bíblia ainda vai sair de muitos lugares além do côco.

  • Paulo Ricardo

    Eu nasci em Fortaleza (pra quem não sabe e, acreditem, tem gente que não sabe: capital do Ceará), mas cresci e fui criado em Nova Iguaçu. Bom as dificuldades em tornar-se um ser humano melhor em NI são óbvias. A cidade, para quem não sabe, é coalhada de Igrejas evangélicas, principalmente pentecostais e neopentecostais. Sem querer defender esse padre, o catolicismo local está em cheque. Dessa forma a tendência do lugar é essa aproximação peçonhenta das práticas daqueles fulanos. Mais do que isso, Maxambomba(nome original da cidade – ainda bem que trocaram) cresceu e se tornou o que é graças a Santa Igreja, sendo a pequena Catedral de Santo Antônio do Jacutinga uma das poucas coisas artisticamente apreciáveis da Baixada.
    Só tem uma coisa Viviane, apesar de tudo a Igreja em questão NÃO FICA EM NOVA IGUAÇU. Fica, muito pior, em QUEIMADOS. Digo muito pior, porque Queimados É A MAIOR CIDADE EVANGÉLICA DO BRASIL EM TERMOS RELATIVOS. Cerca de 75% da população local é de pentecostais e neopentecostais com uma substancial minoria presbiteriana. Em Queimados, cidade, que até hoje cresce em torno de uma Igreja Católica apesar da população de protestantes (Igreja de Nossa Senhora da Conceição, em frente a estação de trem, tombada pelo IPHAN), o massacre é incomensurável, é tão dantesco que até os presbiterianos ficam do lado dos católicos.
    Não estou falando de orelhada, conheço essa paróquia aí, é RCC e TL, o catolicismo da cidade, com raras exceções, está entregue em mãos das duas. Como eu sei? Moro na Zona Sul do Rio, legal. Mas presto serviços em Queimados e passo muitos fins de semanas em Nova Iguaçu como, por exemplo, o último, minha mãe e meu irmão mais novo moram lá, eu sou o metido a besta da familia.
    A Baixada Fluminense precisa ser resgatada espiritualmente.

  • Paulo Ricardo

    A Igreja de São Francisco de Queimados é ligada a Diocese de Nova Iguaçu. Queimados é um antigo Distrito iguaçuano que se emancipou em 1992. Vou ver se consigo maiores informações sobre o local. Repasso aqui se conseguir.

  • Paulo Ricardo

    O nome do padre em questão é Matteo Vivalda. Nada como ter contatos.

    Para quem quiser quebrar um coquinho e beber uma água benta de coco nessa missa cocô compareça a Rua Tangará, 431 – Vila Jacinta – Queimados.

  • Olga Lavor

    Já que gostam de aparecer, porque não uma melância em vez de coco.

  • Se abrir o coco de quem teve essa ideia, não sai nada…

    Escondam os chicotes quando Jesus vir o que estão fazendo com o Sacrifício da Nova Aliança, antecipação do céu e sacramento da presença de Deus.

  • James Apolinário

    Caros, Sem dúvida nenhuma esse rito enculturado tem jeito de ser da TL. No entanto temos que levar em consideração alguns aspectos do magistério da Igreja que nos ensina: §1069 “A palavra “liturgia” significa originalmente “obra pública”, “serviço da parte do povo e em favor do povo”. Na tradição cristã. ela quer significar que O povo de Deus toma parte na “obra de Deus”. Pela liturgia, Cristo, nosso redentor e sumo sacerdote, continua em sua Igreja, com ela e por ela, a obra de nossa redenção.” Logo é uma manifestação da Igreja Povo de Deus. Toda via, o Padre esqueceu que §1074 “A liturgia é o ápice para o qual tende a ação da Igreja, e ao mesmo tempo é a fonte donde emana toda a sua força.” Ela é, portanto, o lugar privilegiado da catequese do povo de Deus. “A catequese está intrinsecamente ligada a toda ação litúrgica e sacramental, pois é nos sacramentos, e sobretudo na Eucaristia, que Cristo Jesus age em plenitude para a transformação dos homens.” Que ficou medonho ficou!!!

  • Mais uma vez a Sagrada Liturgia virou papel higiênico. Vamos nesse Ano da Fé, saborear cuidadosamente a Sacrossantum Concilium e pedir a Nosso Senhor muita paciência e força pra corrir esse pessoal que não segue a sublimiaridade da Sagrada Liturgia Catolica.

  • Queria saber quem foi o primeiro “animador de Liturgia”.
    Queria saber quem foi o primeiro a dizer que a Missa é “pra ser alegre, sentida, vivida, experimentada…”

    “Nas palmas” é uma expressão pra se usar em show de sertanejo. Não numa Missa. Nem memso em “Missa Sertaneja”, que na verdade é apenas uma Missa profanada à la “galopeeeeeeeeeeeeeeira”.

  • Não, minha gente, o pior não é isso.Observem isso:
    Durante uma procissão religiosa em Múrcia, na Espanha, enquanto alguns … a imagem de Jesus Cristo, uma banda tocava a canção ‘Ai Se Eu Te Pego’.É recente, bem recente esse fato.
    http://www.youtube.com/watch?v=txxXFAEeoSA

  • Camila

    Essas atrocidades deixam o coração da gente doído demais… Na minha paróquia, no dia de Corpus Christi pegaram um pão redondo e grade e cortaram igual quando a gente vai fazer um misto quente, mas no lugar do queijo, entre as partes do pão fizeram o sacrilégio de colocar a Bíblia Sagrada aberta, um verdadeiro sanduíche de Palavra de Deus, na mesma Missa fizeram uma procissão de ofertas com umas mulheres rodopiando no meio da Igreja como umas pombas giras. Enfim, procurei o Padre e expus, com caridade, o ocorrido, tenho evitado essa igreja em Missas festivas pra não pecar e pra não perder a espiritualidade dessas datas.

  • Artur Haguihara

    Muito “legal” ver Católicos chamando um Sacerdote de “Padreco” só por ai já mostra o nível das pessoas e a falta de respeito . Faço parte dessa paróquia e tenho certeza que isso não foi feito para denigrir a imagem da igreja. e como diz a escritura em MT 18,15 ” se teu irmão pecar,vai corrigi-lo a sós. Se ele te ouvir, ganhaste o teu irmão… Se por acaso erramos foi querendo acertar. nós como igreja deveríamos ser mais unidos, vejo que estes tipos de comentários não edificam nada a igreja. Deus conhece o coração do Homem. Paz e Bem a todos

    • Nossa, eu vi que perdi muita coisa aqui.Arthur, meu caro, vc já ouviu falar de regras?Sim, a Igreja tem regras conduzidas pelo magistério da Igreja, o que seu padre rasgou com essa aberração.Não é raro, fiel de certas capelas ou paróquias, comungarem com erros da Igreja Local, os coniventes com a Teologia da Libertação que o digam.Sim, corrigir é o que está se fazendo aqui, sugerir que pessoas como vc estude, a Igreja tem um farto material sobre a liturgia, desde a sacrossancto concílium, lumem gentium, código de direito canônico, dentre outras coisas.Já ouviu, pelo menos, falar deles, artur?Nenhuma igreja é solta para fazer anarquias e rebeldia doutrinais.Sim, deveríamos ser mais unidos, mas não no erro, me desculpe, não se comunga com quem, por exemplo, está na igreja, mas é a favor do espírito, está na igreja, mas é a favor das práticas homossexuais, está na Igreja, mas é contra as palavras do Papa.Enfim, não dá para aceitar e comungar com pessoas carregadas de teologias relativistas, inclusive Padres.

  • Isayas

    OS CONTRASTES À CELEBRAÇÃO DA SANTA MISSA DE SÃO PIO A EXEMPLO DE ALGUNS LOCAIS
    O mundanismo e o relativismo infiltraram-se na Igreja sob vários disfarces, oriundos de interpretações proposital-fraudulentas do Vaticano II: sincretismos religiosos, tentativa de nivelar o povo a Deus e muitas adaptações e interpretações pessoais secular-sectarizantes; note-se que a Igreja possui sérias infiltrações da Internacional Socialista, um dos subfrutos atuantes e nocivos é a Teologia(Heresia) da Libertação – TL – na Igreja e sociedade. Porém, mais um desses é a dessacralização do Mistério Eucarístico na Santa Missa, transformando-o apenas em ceia fraterna – TL – deixando de lado o respeito, devoção e recolhimentos, tão necessários à sacralidade e sacrificialidade do Memorial da Paixão e Morte incruento de Jesus na cruz; acaso a SS Virgem Maria junto à cruz batia palmas, alegrava-se àquele momento, em tão dolorosa situação?
    Há, por sinal, muitos católicos de comportamentos superficiais e alienados à fé, adeptos das seguintes idéias: gosto de ir a uma missa animada…cheia de situações atraentes… um cantor e orquestra lindos… que “missa boa” do padre fulano, choro de emoção, isso é que é missa!; a do outro padre, nem me falem, monótona demais, cansativa…
    Vejam abaixo o oportuníssimo comentário do S. Padre Bento XVI da Carta Apostólica do S. Padre e Beato João Paulo II – Domenica Coena – datado de 24/02/1980.
    “A liturgia não é um show, um espetáculo que necessite de diretores geniais e de atores de talento. A liturgia não vive de surpresas simpáticas, de invenções cativantes, mas de repetições solenes. Não deve exprimir a atualidade e o seu efêmero, mas o mistério do Sagrado. Muitos pensaram e disseram que a liturgia deve ser feita por toda comunidade para ser realmente sua. É um modo de ver que levou a avaliar o seu sucesso em termos de eficácia espetacular, de entretenimento. Desse modo, porém , terminou por dispersar o propium litúrgico que não deriva daquilo que nós fazemos, mas, do fato que acontece. Algo que nós todos juntos não podemos, de modo algum, fazer. Na liturgia age uma força, um poder que nem mesmo a Igreja inteira pode atribuir-se : o que nela se manifesta é o absolutamente Outro que, através da comunidade chega até nós. Isto é, surgiu a impressão de que só haveria uma participação ativa onde houvesse uma atividade externa verificável : discursos, palavras, cantos, homilias, leituras, apertos de mão… Mas ficou no esquecimento que o Concílio inclui na actuosa participatio também o silêncio, que permite uma participação realmente profunda, pessoal, possibilitando a escuta interior da Palavra do Senhor. Ora desse silêncio, em certos ritos, não sobrou nenhum vestígio.

  • Marcos

    Seria interessante apresentar ao Diácono do Facão, o Diácono do Fuzil, foto no seguinte link:
    http://wdtprs.com/blog/2012/02/who-needs-a-liturgical-beretta-when-you-can-have-one-of-these/
    rs

  • joão marcio

    não consigo ver o video da missa do coco, diz que é privado como posso fazer para ve-lo

  • Artur Haguihara

    Agora vejo o tamanho da maldade das pessoas que controlam esse site, retirando meu comentário. se algum de vocês doutores da igreja querem falar sobre o vídeo meu nome é Artur Haguihara meu e mail [retiramos o email].Sou membro da paróquia e proprietários dos direitos do vídeo.terei um enorme prazer de mostrar que não houve nenhum abuso.retirei o vídeo por causa de tanta idiotice que estão postando. Paz E bem perfeitos e santos.

    • Marcos

      Olá Artur, de certa forma entendo sua revolta, eu por muito tempo participei de movimentos pastorais em minha paróquia, que faziam e fazem coisas que na época eu achava muito lindo e simbólico. Porém, como também sou catequista (não tão veterano como o pessoal deste blog) me ví obrigado a dar uma estudadinha, entre outras coisas na liturgia, e descobri que muita coisa que eu achava o máximo na verdade não era bem assim, por isso até deixei de tocar (tocava gaita) nas missas pois entendi que minha música (blues e rock) não era adequada, razão mudei completamente o estilo e o repertório para as celebrações. Por isso entendo seu lado.
      No entanto, gostaria que vc entendesse o meu lado também. São Paulo em TIM. 1:13 afirma que obteve misericórdia pois agia sem saber.
      No entanto, aqueles que tomaram conhecimento de determinadas verdades são obrigados a se posicionar, pois se não o fizerem incidirão em pecado ainda maior que aquele que praticou o ato desconhecendo sua ilicitude, isso é dito reiteradas vezes pelo mesmo São Paulo.
      Assim, Artur, como vc disse: “terei um enorme prazer de mostrar que não houve nenhum abuso” seria muito construtivo da sua parte explicar o embasamento (segundo o que diz a Igreja e portanto a Santa Sé) da referida celebração, pois nos meus estudos não encontrei respaldo para tal forma de culto.
      Sinceramente, acredito nas suas boas intenções, e creio que todos foram orientados pelo vosso pároco.
      Sem embargo, não podemos aceitar tudo o que o pároco nos fala, pois como é um ser humano pode cometer equívocos.
      Assim, o convido a fazer uma pequena pesquisa do que é a Missa, na internet mesmo, asseguro que vc ficará surpreso.

      Na dúvida seria interessante mandar uma cópia para:

      CONGREGAÇÃO PARA A DOUTRINA DA FÉ

      Eminência Reverendíssima Dom William J. Levada
      Palazzo del Sant’Uffizio, 00120 Città del Vaticano
      E-mail: cdf@cfaith.va – Tel. 06.6988-3438 Fax: 06.6988-5088

      No mais, peço desculpas pela extenção do comentário, e se em algum momento fui rude com meus escritos. É que, de fato, a palavra escrita habitualmente se apresenta mais dura que a falada, mas sinceramente lhe ofender (ou a sua comunidade) não é minha intenção em momento algum.

      Pax et Bonum.

  • Deize

    Vejo aqui uma igreja participativa com muitos jovem, ao contrario da igreja que participo que só tem idosos, as vesses penso como vai ser daqui uns anos,será que nossos jovem da zona sul quando ficarem idosos ele vão acreditar em Deus, vão para as igrejas ou elas vão estar vazia.

    • “igreja participativa com muitos jovens”. Tá de parabéns! Agora me diga: eles estão participando exatamente do quê? De um culto evangélico (dos ruins) ou de uma peça teatral sem muito sentido? Bem, com certeza não estavam participando da Igreja de Cristo.

      Cristo não foi pregado na Cruz para que sua palavra surja dentro de um côco após a “peixerada” de um diácono.

      Fico feliz que a paróquia esteja se manifestando aqui. Quer dizer que o recado chegou onde deveria! Agora a decisão é: crescer com as críticas e aproveitar tudo o que a Sagrada Liturgia tem a oferecer ou continuar inventando números para o circo.

      Abraços!

  • Artur Haguihara

    Cristo veio para juntar as ovelhas perdidas.(Mt15,24). Jesus veio para servir e não para ser servido.(Mt 20,28). E ele continua fazendo isso. Jesus falava em parábolas para que o povo pudesse aprender. Jesus ia ao encontro dos pecadores pregando o evangelho (Mt4,23) veja que evangelho(Boa nova) não é cultura . em (2Sm6,5)Davi e toda casa de Israel Dançavam diante do Senhor ao som de todos os instrumentos de madeira de cipreste, das harpas, dos tamborins, dos pandeiros e dos címbalos. A dança e instrumentos são coisas da cultura dos povos. Paulo já deixa isso bem claro quando diz que veio pregar o evangelho, pois Pedro pregava que os pagãos deveriam ser circuncidados e a circuncisão era da cultura Judaica. Gálatas 2.Cada povo tem sua cultura seus estilos musicais, seus instrumentos próprios e isso deve ser respeitado. Lembro na jornada Mundial da juventude em Sidney,o povo Aborígene durante a Missa, com BentoXVI, levando as ofertas, todos vestidos com suas roupas próprias e tocando seus instrumentos. Na última ceia Jesus diz Fazei isto em minha memória. E oque é a memória de Jesus? Memória é toda vida dele,curar os doentes,juntar os filhos perdidos… e depois celebrar o comunhão. Comunhão sem obras se torna ai sim causa de condenação. A Missa é dividida em 4 partes, e o momento dessa vídeo foi nos ritos iniciais na entrada da Bíblia. foi no ano em que o tema da campanha da fraternidade era fraternidade e vida no planeta(A criação geme em dores de parto) e era Setembro mês da Bíblia. e a letra da música é a seguinte. côco duro de se quebrar água gostosa de se tomar,A palavra de Deus na vida da gente é fruta que nasce como uma semente/A palavra de Deus na vida do povo é fonte que jorra sempre de novo/Ela prega a justiça e a felicidade a coragem na luta e a fraternidade/Caminho pra terra do leite e do mel nosso Deus Jesus Cristo o Emanuel. Em Gen 1.2 Diz que (Deus criou todas as coisas). Deus criou a música e todos os rítmos. se os homens usam para o mal é condenação para eles.um Exemplo, no terreiro se encontra muitas imagens de Santos por causa do sincretismo religioso nem por isso vamos abrir mão das nossas imagens por causa disso. Não julguem o que não conhecem, venham conhecer a realidade de nossa Paróquia e os trabalhos que são realizados para tirar suas conclusões. Os inimigos são outros,como já disse:se perceber algum abuso entre em contato com a igreja, não ficar expondo e julgando nesses sites, pelo que vejo só estão interessados em polêmicas e julgar.Sonho com uma igreja de irmãos, mais fraterna, e unida,muitos comentários só servem para trazer discórdia. Paz e bem

    • Artur,
      Não me consta que, ao contar suas parábolas, Cristo, para atrair e favorecer o entendimento do povo, mandasse seus apóstolos fazer um corpo de baile ao seu redor.
      Apesar disso, acredito que a dança pode até ser válida para pregar o Evangelho, mas NÃO DENTRO DA MISSA.
      Cada povo tem sua cultura e seus instrumentos musicais, é claro, mas não devem produzir na missa nenhum ritmo que faça as pessoas se requebrarem, se agacharem, enfim, se empolgarem como se estivessem em um baile. Quer remexer o esqueleto, vai pro forró, pra quadra de samba, pro churrasco da Tina Nena… Mas poupe a missa! Quem diz isso não sou eu, a minha opinião é irrelevante neste caso, não interessa em nada: quem diz isso é a Igreja.

      Você citou Davi diante da Arca. Estretanto, note que ele não estava em uma missa. A Nova Lei nem se compara à Antiga.

      A sua paróquia pode ser a mellhor do Brasil, não a conheço, não posso falar nada sobre isso. Porém, nessa missa específica, os responsáveis pela liturgia erraram feio.
      Bento XVI já deixou várias vezes claro que “A dança não é uma forma de expressão da liturgia cristã“. E outros cardeais responsáveis pela parte do culto divino também já disseram o mesmo. E se a dança for como essa coisa patética do coco, então… Nem se fala!

      O padre poderia ter feito uma bela homilia sobre esta metáfora do coco (que eu creio ter sido inspirada nos escritos do exegeta que citamos no texto), seria bacana, seria digno. Também poderia ter feito esta dancinha do coco em algum outro momento fora da missa. A dança continuaria a ser ridícula, mas ao menos não seria um abuso litúrgico.

      Bem, ficamos então devendo um post sobre “dança e liturgia”, para discutir e documentar melhor o assunto. Porém, o ponto em questão aqui é: somos católicos, ou somos evangélicos? Se somos evangélicos, tudo bem: inventamos as coisas ao nosso gosto, ao nosso modo, e tá tudo certo; mas se somos católicos, devemos obedecer ao Papa, e não devemos nos desviar em nada do que ele estabelece sobre a santa liturgia.

      Muita Paz e Bem pra você também, Artur.

      • Artur Haguihara

        Que nova lei? Mt 15,17 Jesus diz “Não penseis que vim revogar a lei ou os Profetas. Não vim revogá-los, mas dar-lhes pleno cumprimento, porque em verdade vos digo que, até que passem o céu e a terra, não será omitido nem uma só i, uma vírgula da lei, sem que tudo seja realizado. Na época de Davi eles tinham a concepção que Deus castigava, que ele se irava com seu povo e Davi dançava diante de Deus Pai, Depois Jesus vem dizer pra chamarmos de Deus de Abba (Pai de modo carinhoso), Deus que é Pai de amor que perdoa, que ama e dá a vida por seus filhos. Agora a dança virou abominação ?

        • Ok. Já entendi, Artur. Depois de tudo o que foi dito aqui nos comentários, você se fez surdo e nada considerou. Você já virou evangélico e não sabe. Afinal, quem não tá nem aí pro que o Papa diz, e acha que pode realizar o culto divino de forma diversa do que ele determina, o que é? Evangélico!

          “Jesus Cristo realmente deve estar mais preocupado com a dança na missa do que se o evangelho está sendo pregado, a caridade está sendo feita e o amor está sendo vivido na igreja.”
          Partindo desse princípio, podemos dançar até dança do ventre na missa (e já houve casos!), dança da garrafa, cú duro, lambada…
          O que você se recusa a compreender (não sei se por falta de humildade, por limitação intelectual, ou por ambas) é que a forma de pregar o Evangelho na missa é SACRATÍSSIMA. Não é algo com o qual possamos brincar, inventar moda, fazer da nossa cabeça. Não podemos inventar um rito ao nosso gosto para reverenciar a Deus na santa missa. Repito: quem faz isso não está em comunhão com a Igreja de Roma, é evangélico, não é católico, porque tem a pretensão de tocar a sua própria igreja a seu modo.

          Se o seu pároco, você e seus outros camaradas estão peidando pro que o Papa diz, ao menos tenham a dignidade de mudar a plaquinha lá fora da igreja, tirar o nome “católica” e se apresentar como um templo pentecostal. Parem de enganar o povo!

          Sim, a maior preocupação de Jesus é a nossa vivência do amor e da caridade. Mas isso não quer dizer que a forma de adorá-Lo no Santo Sacrifício da Missa seja algum tipo de “frescura” ou coisa secundária com a qual Ele não está nem aí. O amor e a caridade brotam de uma adoração verdadeira e correta de Deus, e esta forma correta nos é ensinada pela Santa Igreja. Quem insiste em ignorar o que o Papa ensina sobre esta questão fundamental – sim, a forma como realizamos a missa não é uma banalidade, é o ápice da nossa fé – responderá por isso diante do Senhor, não tenha dúvidas. Afinal, Ele disse aos apóstolos “quem vos escuta, a mim escuta. Quem vos rejeita, a mim rejeita”. Então, quem insiste em desobedecer o que ensina a Santa Igreja sobre a Liturgia, está afrontando o próprio Cristo, que não deixou Pedro aqui de enfeite.

          Mas tem gente que insiste em se fazer de porta, e Pedro fica lá em Roma, falando pras portas…

          “liturgia perfeita não é sinônimo de Fé . Pode-se fazer uma liturgia perfeita sem Fé alguma.”
          Oh, temos aqui um sofista, que emocionante! Sim, pode-se fazer uma liturgia perfeita sem fé alguma. Mas, partindo deste pensamento, acaso é justo que eu diga: “ah, liturgia é uma bobagem, não importa. Vamos peidar pro que o Papa e os cardeais dizem sobre isso. Vamos fazer a missa de qualquer jeito”? Você acha que isso tem lógica? Pelamor…

          “Que nova lei?”
          Assim o diálogo fica difícil. Bem, vamos lá… A Antiga Aliança também é chamada de “Antiga Lei”. E a Nova Aliança de “Nova Lei”. Ok?

          “Agora a dança virou abominação ?”

          Hoje eu tô com paciência. Já expliquei isso, mas vamos lá…
          O problema não é a dança em si. A dança (desde que não seja indigna) é algo bom.
          Quando eu era adolescente, participava de um grupo de jovens espiritualmente muito rico, e fazíamos muitas danças durante os nossos encontros, passeios, festas… Era muito divertido e engraçado. De alguma forma, aquilo nos ajudava a ficar mais unidos.
          MAS A MISSA, ONDE SE FAZ MEMÓRIA DE QUE CRISTO TOMOU TAPA NA CARA, FOI CHICOTEADO, LEVOU CUSPARADA, FOI PREGADO NUMA CRUZ… A MISSA NÃO É LUGAR DE DANÇAR!!!!! Diante do santo altar onde Cristo derrama seu sangue (de forma incruenta) em cada missa, não é lugar pra fazer dança com agachamento, coreografia com cocos, inventar o rito da peixerada diaconal ou coisas do gênero.

          Repito, quem diz isso não sou eu, são os Papas e os cardeias.
          Se você e seu pároco se acham melhores e com mais autoridade do que eles… Que direi eu?

          • Artur Haguihara

            Nossa ! que linguajar baixo ! Meu amigo já falei que oq houve foi uma coreografia,na entrada da bíblia nos ritos iniciais , ninguem aqui tá fazendo baile dentro da igreja e dançando essas coisas que vc tá dando de exemplo. a oração Eucarística e toda a missa é feito tudo como toda Igreja católica. Se vc não é capaz de entender isso paciência. Venha conhecer pra depois julgar. não posto mais nada aqui pq não vou perder meu tempo pois vendo que o seu nível já ta abaixando. estou argumentanto com passagens Bíblicas e gostaria de respostas no mesmo nível, Se não tá satisfeito mande alguma autoridade competente pois vai ver que a paróquia desenvolve um trabalho sério . Paz e Bem

          • Ui… ele ficou ofendido com o meu liguajar! Ô Modeu…
            O Marcos falou com você como um gentleman, na maior finura, e você o ignorou.

            O rito inicial é parte integrante da missa, Artur. E você tem razão, não foi um baile: foi um exercício para soltar os intestinos! Quantos agachamentos! AHUAHUAHAUHUAHA

            Você argumentou com passagens bíblicas, interpretadas de acordo com a sua cabeça e a sua conveniência, como um bom protestante. Já as demais pessoas que comentaram aqui não têm a vaidade de interpretar a Bíblia por conta própria: como bons filhos da Igreja, ainda que pecadores, se pautaram nos documentos da Igreja e nas declarações dos papas e cardeais, que interpretam a Bíblia melhor do que qualquer um. A eles Jesus deu autoridade.

            Quanto a mandar alguma autoridade competente… quem somos nós, coitados. Não mandamos nada, não somos “ninguém”. O bispo da diocese de Nova Iguaçú é que deveria fazer o trabalho dele… Será que faz? Tomara. Aqui no Brasil, além dele, ninguém pode fazer mais nada. E você acha que vão mandar algum cara do Núncio lá do Vaticano vir aqui olhar a dancinha de vocês? Jamé. Só podemos mesmo rir… ou chorar! Eu prefiro rir, kkkk!

          • Eduardo Araújo

            Caríssima Catequista, sua defesa da Liturgia CATÓLICA foi magistral.

            Inclusive, só faria um pequeno remendo técnico, à sua consideração :)

            Não usaria o termo “evangélico”, mas sim o que considero a verdadeira expressão de pessoas como o Artur: protestantes. Observe, nesse sentido, que de fato é o que ele faz: protesta e protesta CONTRA O CATOLICISMO, porquanto manifestar-se em oposição à LITURGIA CATÓLICA é, sem dúvida alguma, opor-se, por extenso à própria Igreja Católica. Cabe perfeitamente, assim, chámá-lo pelo nome: protestante.

            Claro, isso em nada altera o principal, que é conteúdo de sua réplica ao Artur, que, por seu turno, claramente mostra-se indisposto a pelo menos convidar-se humildemente à reflexão. O que percebo nesses comentários dele é uma inflexível e arrogante defesa de um absurdo litúrgico, inclusive com pretensões a esvaziar o sentido religioso da Liturgia, opondo-a, sem fundamento, à fé pura e à Boa Nova, como se fossem itens espúrios, dissociados, partes de uma hierarquia na qual a Liturgia se localizaria numa base sem a menor expressão.

            Deus lhe abençôe, caríssima, a você e aos demais que fazem este importantíssimo blog.

          • Tem razão sobre o termo, Eduardo! Obrigada, que Deus lhe abençoe tb!

    • Paz e bem Arthur! Meu caro, deixe-me ajudá-lo com essa discussão. Em 1º lugar a Igreja não é simplesmente um lugar onde a comunidade faz festa. A Igreja precisa ser fiel e sempre será a Cristo. A Igreja é a Esposa de Nosso Senhor.

      Não conheço sua paróquia e por isso não posso fazer julgamentos, mas pelo que foi visto sem dúvida existe um sério desacordo com a Esposa de Cristo e com o Sucessor de Pedro o que aconteceu nessa Missa. O Santo Padre deseja uma Liturgia fiel a reforma litúrgica do Vaticano II e assim fazer uma reforma da reforma.

      A Missa não é pra ser a festa da comunidade onde cada um inventa liturgias estranhas. A Missa é o sacríficio do Senhor e por isso precisa ser fiel ao Missal Romano. Se não formos fieis ao Missal então cometemos sacrilégio porque desrespeitamos a Esposa do Cordeiro de Deus. A inculturação é valida? Sim, desde que devidamente autorizada pela Santa Sé, senão não é.

      Peço desde ja que me perdoe caso tenha sido desrespeitoso mas o fato Arthur é que a fidelidade nossa é a Bento XVI, representante do Verbo Encarnado e Senhor do universo.

  • Artur Haguihara

    Jesus Cristo realmente deve estar mais preocupado com a dança na missa do que se o evangelho está sendo pregado, a caridade está sendo feita e o amor está sendo vivido na igreja.

    • Nosso Senhor meu amigo deseja ser anunciado mas também deseja sobretudo fazer morada em nossos corações, e sem dúvida Ele o faz de maineira perfeita na Eucaristia que é o centro da Missa. Ele se entrega por amor a nós totalmente! Olhe e contemple tão belo ato de amor!

      Na Missa estamos diante da Cruz de Cristo e também do sepulcro vazio, e fazemos isso com fidelidade à Santa Sé e ao Vigário de Nosso Senhor aqui na terra. A Liturgia é uma graça, um presente, uma pérola que não pode ser criada do nada mas que vêm desde os Apóstolos!

      Meu amigo, estamos juntos! Devemos corrigir os erros com verdadeira e real caridade e fazemos isso pelo bem do Sacrifício Pascal de Cristo e pela Santa Igreja. Com essa fidelidade vamos vencer o mundo e cumprir a vontade e a missão que Jesus nos outorgou “Ide pois, fazei díscipulos em todas as nações!” Mt 28,19

  • Artur Haguihara

    Jesus se faz presente de maneira igualmente perfeita em 4 partes da missa. Na palavra, na Eucaristia, No Sacerdote, e na assembléia reunida.Leia em Isaías 1,11-18 O culto perfeito a Deus. Deus quer a justiça. liturgia perfeita não é sinônimo de Fé . Pode-se fazer uma liturgia perfeita sem Fé alguma. se for assim a liturgia dos Apóstolos era somente a partilha da palavra e do Pão .tudo além disso deveria ser tirado.

  • Como assim a liturgia dos apóstolos era apenas “a partilha da palavra e do pão”? E, mesmo que se assim fosse, onde entraria o coco nessa liturgia dos apóstolos? Você não disse que tudo além disso deve ser tirado?

    Diz-se que Calvino reduziu a missa a quatro paredes e um sermão. Fez o mesmo que você, excluiu tudo que ia além do que ele achava que era a liturgia. Excluiu tudo o que o próprio Espírito Santo, em sua sabedoria infinita, inspirou no desenvolvimento da liturgia através dos séculos. Para um bom liturgista, antes de tudo, é necessário humildade. Como acreditar que a missa que os santos celebraram com todo o decoro e respeito ia além daquilo que Deus desejava? Ora, se os grandes santos não encontraram erros na missa, como nós podemos encontrar, e reformulá-la a nosso gosto?

    E, voltemos ainda a mais um detalhe. Você ignora a distinção de Antiga e Nova Lei, que proclamamos inclusive do Tão Sublime (Que o Antigo Testamento ceda ao Novo Rito). Mesmo no Antigo Testamento, encontramos que a “liturgia” do Templo era complicada, cheia de rubricas explícitas, ensinadas pelo próprio Deus. Porque a Santa Missa, que é infinitamente superior aos sacrifícios do Templo, deveria ser celebrada de qualquer forma?

    • Artur Haguihara

      Me desculpe mas você entendeu errado ou eu não soube me espressar direito . eu falei que se fosse pra fazer como os Apóstolos deveria tirar todo o resto e ficar só com a partilha da palavra e a partilha do pão. não falei que é pra tirar. Amo a missa do jeito que é. Lei é uma coisa , aliança é outra coisa.

  • Eduardo Araújo

    “estou argumentanto com passagens Bíblicas e gostaria de respostas no mesmo nível” (Artur Haguihara)

    Sola Scriptura?!?!?!?!

    • Ô, Eduardo, eu falei que o cara é crente, não falei? Taí, passou recibo. Deve ter até carteirinha de crente.

      • Ainda mais quando ele sacou o profeta Isaías. Alguns protestantes podem facilmente ser chamados de “Isaiéticos” ao invés de “evangélicos”, hehehehe.

        Artur, veja a sua intransigência, ao “bater o pezinho” e clamar por passagens soltas da “briba” como se o pessoal aqui que está tentando dialogar com vc desse tão pouca importância para a Letra Sagrada como vocês deram para a Liturgia naquela infeliz celebração: em abril 25, 2012 at 2:29 pm o Marcos citou a epístola de S. Paulo a Timóteo. A Catequista usou o gancho da passagem de Samuel que você citou e comentou a respeito em abril 26, 2012 at 8:35 pm.

        Observe como você está se comportando como protestante, e dos brabos. Da mesma forma que você reclamou no começo que o povo aqui se sente “perfeito e santo” e estariam incorrendo em julgamentos precipitados ao comentar a respeito da sua nada ortodoxa celebração praiana, você, Artur, nessa investida insandecida por ler versículos que rebatam os que você escreveu, negando-se a compreender/aceitar a argumentação dos colegas, desrespeita e insulta a inteligência dos autores deste blog, por julgar que eles, já que não concordam com você, devam ser menos gabaritados em fé cristã, a ponto de “serem incapazes de debater no mesmo nível (argh!) que você”.

        E de certa forma, o povo aqui é santo e perfeito. Têm “santa paciência” para admoestar você e seus conterrâneos, digo, convivas, e tiveram a perfeita fidelidade ao Magistério da Igreja em sustentarem a defesa do respeito à sacralidade do rito eucarístico.

      • André

        Que Sacrilégio, Vivi! Moro do lado de uma assembléia (eles ainda não tiraram o acento) de Deus… Ao contrário dos meus outros vizinhos Católicos, sou mto anti-sincretismo e nunca dei uma visitadinha sequer, mas só de olhá-los passando na calçada, desenvolvi uma tese digna de Doutor Honoris Causa: Crente não precisa de carteira! É só aparecer de terno as duas da tarde no sol de verão a bíblia (sem Sagrada, com “b” minúsculo e faltando 7 livros) debaixo do sovaco kkkkkk Por isso que os protestantes não precisam que o Papa nem o Santo Magistério interpretem a Escritura pras eles, toda a Palavra já passa pro corpo por OSMOSE! Agora minha dúvida é se os ensinamentos permanecem inertes nas axilas ou a capilaridade do corpo humano consegue transportá-los ao encéfalo. Mas, peraí, eles tem cérebro?! O.o

  • Artur meu caro vamos esclarecer uma coisa: não estamos aqui para atirar pedras na sua comunidade que vejo ter um cuidado e um carinho pessoal que você a dedica. Isso é bom e perfeito, por isso estamos insistindo nesse assunto, para detectar se a sua comunidade é ou não católica verdadeira ou se é uma católica meia-sola, liberal, neo-protestante.

    Acredito amado que o problema aqui é orgulho. Estamos aqui fiéis a Bento XVI e à Santa Igreja de Cristo. Estamos aqui reunidos para exultar e falar de Nosso Salvador seguindo a risca aquilo que Ele nos dá na sua Igreja, e repare: e se dá por completo, verdadeiro e substancial na Missa!

    A dança e a música podem sim ser grandes instrumentos a Igreja em retiros, grupos de jovens, novas comunidades desde que o ato ali não seja a Santa Missa. A Santa Missa exige respeito e Fé naquilo que nos foi dado pelo Espírito Santo atraves da Igreja.

    Todas as passagens que você apontou não ajudam a entender o porquê da sua teima em não ver e não querer tomar uma posição correta em decorrência desse abuso liturgico mesmo você se dizendo e querendo ser católico. Eu acredito que você, bem lá no fundo, ainda deseja e é católico sim, mas tá havendo uma incoerência: como ser católico e não ligar para a Igreja?

    Amigo desejamos aqui ajudar todos os católicos a de fato renovarem e viverem sua Fé.

  • Julio César

    O Padre lá da minha paróquia sempre fala que existem católicos que na prática são protestantes e eu nunca tinha tido o desprazer de ver um até aparecer esse tal de Artur.
    Meu irmão, se você está a fim de fazer uma igreja do seu jeito, então pega a sua “bela” interpretação da Sagrada Escritura e abre uma igreja nova. Agora, num vem num blog verdadeiramente católico falar um monte de abobrinhas.
    Ou então pelo menos esteja disposto a aprender com Os Catequistas e não fique bancando o pseudointelectual, dono da verdade.

  • Artur Haguihara

    Conheçam as igrejas da Europa, Japão, e Estados Unidos que vocês vão entender o que falo. Se continuar do jeito que está, daqui um tempo vamos estar vendendo nossas igrejas aqui também. O Rito litúrgico de nossa igreja é muito rico, mas precisa ter elementos de nossa cultura para as pessoas se identificarem. volto a dizer. Paulo pregava o evangelho e não a cultura, não se pode evangelizar um povo é fazer eles viverem uma cultura de outro povo que não tem nada haver com eles. O melhor culto que se pode prestar a Deus é fazer seus filhos voltarem para ele. insisto em dizer que não mechemos
    na Oração Eucarística. E estou aqui como teólogo católico expondo o que tenho visto e vivido. não com arrogância, mas com zelo e temor no coração de ser fiel a Cristo e a Igreja, e tenho certeza que estou sendo fiel a Bento XVI, não tenho feito outra coisa na vida desde que me entendo por gente. Paz e Bem

    • Aaaaahhhh… Estão a dança do coco com agachamentos é parte da tradição, da cultura do povo de Nova Iguaçu?
      Ô, Artur, não força a barra, né? Num ofende os seus conterrâneos dessa forma.

      Quanto às igrejas nos países que vc citou, ela não estão passando dificuldades por não terem se inculturado, mas justamente por seus clérigos e fiéis terem cedido demasiadamente à cultura mundana. Com os católicos frouxos, a Europa se descristianizou.

      “O melhor culto que se pode prestar a Deus é fazer seus filhos voltarem para ele.”
      Sim, a missão é fundamental. Mas não podemos fazer as pessoas voltarem a qualquer preço, banalizando a nossa liturgia.
      Quer usar a dança como forma de atrair as pessoas e evangelizar? Maravilha, mas faça fora da missa.
      O melhor culto que se pode prestar a Deus é amá-lo, e quem o ama faz a Sua vontade. E a Sua vontade é comunicada a nós por meio da Santa Igreja (falo pela décima vez), que não autoriza esse tipo de dancinhas nas missas.

      Fico muito contente em saber que vc tem apreço por Bento XVI, de verdade.

    • O que é isso, Arthur:É terrorismo ideológico?É o coro dos revoltados?É a banda dos relativistas?Vivi, eu vou ter que postar, por extenso, aquilo que te mandei pelo Twitter, que se trata do cânon ou parágrafo 837 do catecismo da igreja católica, me permita expor:
      “837. «Estão plenamente incorporados na sociedade que é a Igreja aqueles que, tendo o Espírito de Cristo, aceitam toda a sua organização e todos os meios de salvação nela instituídos, e que, além disso, pelos laços da profissão de fé, dos sacramentos, do governo eclesiástico e da comunhão, estão unidos no todo visível da Igreja, com Cristo que a dirige por meio do Sumo Pontífice e dos bispos. Mas a incorporação não garante a salvação àquele que, por não perseverar na caridade, está no seio da Igreja «de corpo» mas não «de coração»”

      Eu te pergunto, Arthur, vc acha que está dentro desse perfil?Não, eu acho que não, tá mais para protestante, revoltado com o magistério da igreja e mais próximo a Sola Scriptura, só a bíblia isso, só a bíblia aquilo, mas a Igreja Católica tem como regras de fé: a bíblia, a tradição, a patrística, as encíclicas, resultados de concílios, constituições apostólicas, compêndios, etc, ou seja, NUNCA em visões pessoais carregadas de achismos, por isso, sua capela ou até mesmo sua paróquia, precisa ser “enquadrada” pelo bispo para que haja uma readequação, onde a comunidade local para “assinar” um TAC, Termo de Ajustamento de Conduta.Arthur, isso não vai trazer prejuízo a Igreja.Agora, esses “anexos”côcos, devem ser extirpados da missa aí, isso são apelos desnecessários.

    • André

      Paulo? Que Paulo? O Irmão Paulo? Não quer dizer São Paulo? Já tá se referindo aos Apóstolos sem o prefixo de Santidade! #crentedetected kkkkkkkk

    • Sei que é discussão antiga, mas às vezes volto a este post para rir. E não tinha visto essa da missa no Japão, que o Artur deve ter presenciado para falar com tanta certeza dela. Para ele, o Japão já foi majoritariamente cristão e perdeu fiéis do mesmo jeito que a Europa…

      Estive no Japão ano passado por dois meses e fui a missas católicas lá, em japonês, mesmo sem entender patavinas da língua. Tive de ver na internet quais eram as leituras do dia para meditá-las, porque o folheto era uma sopa de kanjis. A homilia foi para mim uma sessão de curiosidade de como soa o japonês. Se não fosse um irmão paroquiano que sabia um pouquinho de inglês, só ia saber que lá não há o costume de se ajoelhar, mesmo na consagração, quando fosse tarde demais pra não pagar mico numa nave sem genuflexório. E preciso dizer: naquelas missas, entendi o que acontecia e participei da liturgia de forma muito melhor do que algumas missas que já fui no Brasil. Infelizmente para nós.

      Quando o espírito litúrgico é preservado, a Santa Missa é a mesma em qualquer parte de mundo. Quem defende essa zona que chamam de missa, dizendo que é inclusiva, faz exatamente o contrário: exclui da celebração todo mundo que não pactua com dancinha do coco e invencionice que saiu da cabeça de um ou outro doido. Como se a Igreja se restringisse à criatividade desses doidos e não fosse verdadeiramente católica, universal. O cara que insiste nessa desculpa de “respeito à diversidade cultural” é um egoísta, mesquinho, que não quer ver cultura nenhuma a não ser a do próprio umbigo na expressão religiosa que devia ser de todos.

      Depois dessa experiência, fico imaginando se o japonês que não sabe português ia identificar uma Missa católica nas bagunças que às vezes encontramos no Brasil…

    • Leonardo

      [b]insisto em dizer que não mechemos na Oração Eucarística.[/b]

      “Mechemos”? Oi?

      Pra ele, se não alterar a Liturgia Eucarística (que ninguém pode garantir estar sendo devidamente celebrada), pode esculhambar o resto do Ofício Divino todinho, que não tem problema.

      Filho… A Missa é toda uma só! E se não é permitido danças, coreografias, palminhas ritmadas e músicas/ritmos profanos, não é só na Liturgia Eucarística: é na Missa toda!

      Compreendeu?

  • Nova Iguaçu já está no Guinness Book?

  • Artur,
    Conforme havíamos prometido, aí vai o post sobre “dança litúrgica”:

    http://ocatequista.com.br/?p=5571

    Você motivou esta postagem, porque queríamos fundamentar melhor esta questão, pra sair desta bobagem de “eu acho” e “gosto/não gosto”. Opiniões, neste caso, sãi irrelevantes. Temos que olhar para o que indica a Tradição da Igreja.

    Fiquei sinceramente animada com o seu último comentário, quando revelou a sua intenção de ser fiel a Bento XVI. Tem muita gente por aí que quer ver o Papa alemão bem longe do trono de Pedro. Então, se seu coração está voltado para a fidelidade ao Papa, já é uma grande coisa.

    Neste post, trazemos o trecho de um livro de Bento XVI (acho que não foi lançado em português, não sei, mas tem em espanhol), “El espíritu de la liturgia – Una introdución”, em que Bento XVI nos ajuda a entender esta questão da dança litúrgica de forma muito clara. No post, só colocamos um trechinho, mas seria muito bom que, sendo teólogo, você adquirisse este livro (se é que já não o possui) e o lesse com atenção.

    Fica com Jesus e com A Virgem Maria.

  • A. Carlos

    Deixe o povo se divertir. Pra que criar tantas polêmicas, acredito que temos que conhecer a realidade onde aconteceu. Uma outra coisa, será que Deus está preocupado com isso? Acredito que não! Nós paramos e prestamos atenção em coisas a vezes desnecessárias e esquecemos o essencial da vida que é acolher bem, Ajudar, amar e evangelizar. Muitos gostam de paramentos litúrgicos com muitos brilhos, muitos enfeites, gostam apenas para se aparecer. Para finalizar o que eu digo é o seguinte, Vamos evangelizar os povos trazer para o nosso meio os que se encontram excluído e fora de nossa realidade. Agora o mais triste é alguém dizer que a liturgia foi um cocô. Meus irmãos não sejamos ignorantes, se vc são verdadeiros católicos, aprendam a amar a perdoar e da avida pelos irmão, é isto que o próprio Cristo nos ensina.

    • A. Carlos,

      Se você acha que Deus nao liga para a dignidade, para a sobriedade, para a beleza da forma como a Santa Missa é celebrada… que direi eu?
      Se você acha que a atenção, o zelo com a Sagrada Lirurgia é uma coisa desnecessária; que isso não tem conexão com a evangelização, com o bem, com o amor… que direi eu?

      Ninguém aqui falou de paramentos luxuosos: queremos apenas fidelidade ao que a Igreja determina. Afinal somos católicos ou não?
      Toda a Tradição da Igreja e os documentos dos Papas afirma o contrário do que você acredita, mas você, como bom aprendiz de protestante (se é que já não é mestre), prefere ignorar e Sagrado Magistério e ficar com a sua visão das coisas. Parabéns! Com certeza você é mais entendido do que o Papa.

      Você parece ignorar que, além de ter nos ensinado “a amar a perdoar e da avida pelos irmão”, Cristo nos ensinou a ser fiéis ao que os apóstolos ensinam. “Quem vos ouve, a mim ouve; e quem vos rejeita, a mim rejeita; e quem me rejeita, rejeita aquele que me enviou.” (São Lucas 10,16). Mas, lamentavelmente, muitos continuam a fazer ouvidos de mercador para as orientações do Papa sobre a Sagrada Liturgia.

    • Eduardo Araújo

      “Deixe o povo se divertir”

      Ué! E quem aqui está impedindo o povo de se divertir??

      A questão para a qual alerta a postagem diz respeito a ONDE/QUANDO pode o povo se divertir e nesse particular o certo é que NA CELEBRAÇÃO

      Caramba! Ô, seu A. Carlos, é tão difícil pro senhor e pra esse pessoal moderninho entenderem que NA CELEBRAÇÃO DA SANTA MISSA é que não é!

      MISSA É MISSA!

      “Uma outra coisa, será que Deus está preocupado com isso? Acredito que não!”

      Então você também não acredita no Mandamento dEle que diz para honrar o Seu Nome. A menos que pense que honrar o Nome de Deus é fazer teatrinho, dança e palhaçada na Santa Missa, onde somos todos convidados para a Ceia do Senhor.

      “o essencial da vida que é acolher bem, Ajudar, amar e evangelizar”

      Para um católico, essencial na vida é amar a Deus sobre todas a coisas, amar o próximo como a si mesmo, fazer o bem, praticar a caridade e evangelizar SEM DESRESPEITAR NEM VULGARIZAR A IGREJA FUNDADA POR CRISTO.

      “Muitos gostam de paramentos litúrgicos com muitos brilhos, muitos enfeites, gostam apenas para se aparecer”

      Engraçado … Tenho uma impressão semelhante de quem gosta de dancinha, teatrinho e outras diversões na Santa Missa. Vai ver gostam apenas para se aparecer, hã.

      “Vamos evangelizar os povos trazer para o nosso meio os que se encontram excluído e fora de nossa realidade”

      Foi o que fizeram São Paulo e outros Apóstolos, mas nenhum deles recorreu a divertimentos para os “excluídos e fora de nossa realidade”. Interessante, não?

      “Agora o mais triste é alguém dizer que a liturgia foi um cocô”

      Olha, impressiona-me muito, isto sim, alguém se “entristecer” com a postagem de um blog (sem desmerecer o ótimo e providencial texto da caríssima Catequista) e não com a deformação da Sagrada Liturgia.

      De fato acho incrível pessoas como o senhor que se enchem de pudores com a linguagem usada pelo pessoal nas postagens, mas despudoradamente admitem estrovengas que muito ao contrário de evangelizar simplesmente descaracterizam a Igreja e o seu autêntico esforço de evangelização.

      No tocante à linguagem das postagens, seu A. Carlos, é que se aplicaria muito bem suas próprias palavras: “prestamos atenção em coisas a vezes desnecessárias e esquecemos o essencial”

      “Meus irmãos não sejamos ignorantes”

      Deturpar a Sagrada Liturgia se faz ou por ignorância ou por má fé mesmo. Em qual das alternativas o senhor se enquadra?

  • Eduardo Araújo

    Caríssima Catequista,

    Desculpe a resposta anterior, que saiu meio longa :)

    E corrijo, ora, o parágrafo que deixei truncado:

    A questão para a qual alerta a postagem diz respeito a ONDE/QUANDO pode o povo se divertir e nesse particular o certo é que NA CELEBRAÇÃO DA SANTA MISSA é que não é!

  • Julio César

    Esse A. Carlos tem que aprender sobre uma coisa chamada gnose.

  • Marcos

    Ola pessoal do site, Salve Maria.
    Quero agradecer sinceramente vcs, pois os posts e os comentários são muito edificantes. É bom saber que tem mais gente que luta pela Igreja.

    Pelo que eu tenho visto, parece que o pessoal se esqueceu (ou não sabe) o que é a Santa Missa, seria legal um post explicando isso, desde já agradeço.

    A propósito:

    São Pio X: “A Santa Missa é o sacrifício do Corpo e do Sangue de Jesus Cristo, oferecido sobre os nossos altares, debaixo das espécies de pão e de vinho, em memória do sacrifício da Cruz”

    Lembremos de Padre Pio de Pietrelcina: devemos assistir a Santa Missa “como assistiram a Santíssima Virgem e as piedosas mulheres. Como assistiu São João Evangelista ao Sacrifício Eucarístico e ao Sacrifício cruento da Cruz”.

    Lex orandi Lex credendi Lex vivendi

    ps.: O post da “dança liturgica” ficou muito bom.

    Pax et Bonvm.

    • Oi, Marcos! Salve Maria!
      Nós é que agradecemos as suas palavras, e a sua sugestão também.
      Estamos devendo posts para várias pessoas, com temas diferentes, mas vamos atender a todos com a alegria, assim que pudermos.
      De fato, um post explicando o que é Missa tem tudo a ver com o nosso objetivo aqui. Abraço!

      • Leilah

        Olá Arthur,

        Independentemente do modo como a catequista e outros debatedores se expressam, gostaria de lhe sugerir vivamente que examinasse a argumentação em si. Não digo que a forma de se expressar e exercer a correção fraterna sejam irrelevantes. Só sugiro que ponha isso à parte por um tempo. “UMA COISA DE CADA VEZ”, creio que isso seja um princípio saudável para qualquer diálogo que pretenda dar frutos. Penso que se você se limitar a dar sua atenção ao centro da questão, isso pode ser mais construtivo. E me parece que o centro da questão é: esse “rito do côco”, ocorrido na sua paróquia é de fato uma liturgia CATÓLICA ou não? E isso gera outras questões: quem define o que é católico ou não? Na igreja do Senhor existe autoridade ou não? E qual o papel dessa autoridade? Acho de extrema importância se deixar levar até o fim, se abrir a uma possível crise que a palavra dos irmãos pode provocar em nós, pois o Espírito do Senhor pode estar falando conosco independentemente da forma de expressão que por vezes não nos agrada. Com certeza você está coberto de razão quanto ao dever da correção fraterna segundo as etapas que o Evangelho indica: primeiro a sós com a pessoa, depois chamando outros para ajudar a convencer o errante e por fim a autoridade da igreja. Mas é preciso ver a finalidade do site que é provocar uma reflexão sobre a ortodoxia da nossa fé e para isso recorre a exemplos concretos do que é e do que não é conforme essa ortodoxia. E me parece extremamente óbvio que aquilo que houve na sua paróquia foge completamente a qualquer orientação da igreja. E aqui penso que deve haver uma honestidade da sua parte, da parte do seu pároco e de todos os envolvidos no rito do côco. E essa honestidade consiste em assumir o que salta aos olhos de tão óbvio, ou seja: vocês são efetivamente dissidentes na igreja, efetivamente tem uma proposta diversa da nossa, tem uma concepção diferente de igreja, de liturgia, de inculturação que de modo algum é a concepção validada pela autoridade vigente na igreja hoje. A discordância que voce expressa em relação ao ponto de vista da catequista é discordância do ponto de vista da Igreja Católica Apostólica Romana. Não digo com isso que a catequista e seus amigos sejam os donos da verdade, mas digo simplesmente o que é óbvio: ela estuda antes de falar, ela se apropria da doutrina da igreja, ela se fundamenta, busca, corre atrás e por isso, distingue com clareza o que é opinião pessoal na igreja e o que é orientação oficial. Infelizmente isso não ocorre com a maioria dos catequistas, agentes de pastoral e demais católicos. O contato dos católicos com a orientação oficial da igreja é escasso. E por isso a grande maioria aceita acriticamente tudo que certos padres propõem, achando que tá tudo bem, tudo normal. E quase nunca há sanções, nem mesmo “puxões de orelha” dos senhores bispos. Mas aqui cada um precisa ser coerente consigo próprio e rever a própria opção pelo catolicismo. Mesmo que na minha paróquia tudo ocorra à revelia da orientação da igreja, eu uma vez convencido, preciso ser coerente. Que todos os demais finjam e brinquem de ser “católico”, isso é problema deles, mas eu não consigo ser tão superficial a ponto de entrar nesse faz de conta. Se eu sei o que é a orientação da igreja e insisto em ser dissidência eu tenho que rever minha opção por permanecer nessa igreja, assumir posição coerente comigo mesmo. Eu pessoalmente, não ficaria nem um pouco em paz com minha consciência sabendo que meu SIM no batismo, na crisma, significa adesão a uma coisa e tudo que afirmo crer é exatamente o contrário do que assumi publicamente de crer. Isso seria fingir e isso faz mal até para a nossa integridade psicológica mesmo. “seja o vosso falar SIM, SIM, e NÃO , NÃO. Pelo batismo e depois pela crisma, eu assumo publicamente de aderir à uma pessoa e sua doutrina (JESUS) tal e qual ela me é apresentada por pessoas que me dizem serem seus representantes e eu creio e assumo isso como fato real. Aqui entra em jogo uma escolha fundamental da qual todo o resto fica dependente. Agora se eu quero aderir a uma visão e versão dissidente eu preciso muito honestamente rever essa opção feita antes e me posicionar diante dela: mantenho ou retiro a primeira adesão? Continuo a crer (como assumi no batismo/crisma) que aquilo que Jesus revelou chega a mim, por meio de homens que creio serem seus representantes ou quero voltar atrás nisso? Se quero voltar atrás, tenho que ter a honestidade de abandonar essa igreja na qual não creio mais. E a igreja tem proposta e ela é clara: a mensagem de Jesus nos vem através de autoridades que ele deixou (até a Bíblia entra nesse critério, pois ela foi escrita/canonizada por essas autoridades) e eu opto ou não por crer e aderir a isso e se opto, todas as outras escolhas que faço, o que afirmo crer tem que ser em coerencia com essa opção primeira. Portanto se já nao creio mais, é hora de assumir posições coerentes com aquilo que creio. Por isso penso que as provocações da catequista e seus amigos, devem ser recebidas até para além da questão liturgica em si, devem ser recebidas como reflexão acerca da nossa opção mesma de continuar ou não sendo católicos, ou de levar adiante um grande faz de conta desonesto e incoerente. HABEMUS PAPA!

  • Maira Cunha

    Uma grande lastima ver esse tipo de heresia. E é por causa dessas pessoas que brincam de ser católico, que os protestantes caem matando com papos de que Maria não era virgem, e de que somos idolatras e tudo que eles usam contra nos!!!
    Infelizmente isso é muito comum!
    “/
    Uma grande lastima.

  • Marlon

    Lamentavel o desrespeitos com Cristo, na Santa Missa, como diz um escrito da Igreja, anatema seja todo aquela que acrescenta algo na Santa Liturgia

  • Jony Queiroz

    Lamentável. Nova Iguaçu como sempre nos surpreendendo de forma ruim.

    Confesso que gargalhei alto na parte do “era um Kinder Coco de Jizuiz!”. Hahaha

    Sigo rezando por essa diocese.

  • Obediência a Santa Igreja ou Santo Papa!

    “O demônio pode até ocultar-se sobre o manto da
    humildade, mas não pode vestir o manto da OBEDIÊNCIA.”

  • Paulo da Silva Freire Sobrinho

    Isso é uma falta de respeito com o sagrado. A Missa não pode ser desprezada desse jeito, esses Padres Joselitos tem que ser chamados à atenção. O Bispo de Nova Iguaçu/RJ tem que ter atitude para esse padre nunca mais fazer isso.

  • REGIMÁRIO

    Interessante é que até o Verbo de Deus Encarnado se dignou a seguir os ritos de seu povo e de sua fé judaica, não os adaptando a si mesmo e a sua condição divina mas, humildemente, tomando parte neles para assim levá-las ao pleno sentido. E olhe que estamos falando do Filho de Deus, que se deixou Batizar por Joâo, que foi purificado e apresentado no Templo, que ofereceu ofertas na pascoa, que participava da sinagoga nos sabados e etc… Aqui, sob o pretexto de realizar uma liturgia mais participativa, promovem todo tipo de abuso que acaba por afastar o coração das pessoas daquilo que é celebrado. Sei por experiência própria o quanto de vaidade há nos bastidores de nossas paróquias, o quanto muitos de nós usamos a desculpa de evangelizar apenas para exibirmos nossos talentos, por puro desejo de aparecer. Não tratem isso como julgamento, é a constatação de uma realidade que eu mesmo já vivenciei e ainda vivencio. O que atrai o povo é Jesus, é a Fé católica sendo anunciada na sua pureza, na sua essência. É disso que o nosso povo sente falta e é justamente isso que tem buscado nas igrejas pentecostais. Sim, acredito que a comunidade de fé pode e deve colocar seus talentos a serviço do reino, só ainda não entendi porque isso é feito somente na hora da missa.

  • Natália Oliveira

    Consegui finalmente encontrar o link :http://fratresinunum.com/2010/07/06/viena-o-banquete-literalmente-na-arquidiocese-do-cardeal-schonborn/
    Definitavamente, a esculhambação está reinando nos dias de hoje.

  • Gêneto eugenio

    Misericórdia Senhor, pois um dia, no passado, já achei que essas desculpas dadas pelo Artur Haguihara tivessem relevância;Obrigado por ter tirado de mim a preguiça de buscar a verdade.Obrigado por ter me encontrado, batido em minha porta e me dado a vontade de abri-la a Ti.

    Mais uma vez(apesar de atrasado)/(muito atrasado)tenho que parabenizá-los por esse Blog, pois só não vê quem não quer ver.

  • Jotacê

    Esse pessoal que se diz católico e fica defendendo “missas” com danças, guitarras, baterias e padres com batina do Super-Homem (procure por “Asperge Me, Superman” no Google) é engraçado, de tão triste. Não levam a sério o que deve ser realmente levado a sério.
    Vá se meter a ser engraçadinho em um ritual pagão (dessas seitas “afro-brasileiras”) para ver o que acontece. Te sacrificam no lugar do bode, para deixar de ser besta.
    Enquanto isso, nós, Católicos, que amamos e adoramos o Deus Vivo, que temos o PRIVILÉGIO de tê-lo presente na Sagrada Eucaristia, temos que aturar esses farsantes defendendo aberrações na liturgia. Argh!

  • Arthur Gomes

    Eu conheço este tipo de teologia. Eles infiltram esta porcaria nas paróquias utilizando os jovens, que infelizmente não possuem conhecimento e fazem eles realizarem estes eventos durante a missa. Eu já fui vitima deste tipo de teologia do povo. Misturam tudo na missa, enxada, foice, colher de pedreiro, danças africanas vira tudo um barulho na igreja, uma missa sem rumo, sem retidão cristã. O verdadeiro Cristo fica esquecido.

  • eu

    sou católico e fui ver o vídeo pra confirmar e apareceu que o video é privado

Deixe uma resposta

  

  

  

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>