Tempo de Quaresma. Picanha e Nutella? Isso não te pertence mais!

salada_triste

Mentalize: “É POR TI JESUS, SÓ POR TI JESUS!”

Jejuuuuua, Povo Católico!

Na Quarta-Feira de Cinzas tem início a Quaresma, período que nos remete os 40 dias em que Jesus se retirou para jejuar. Neste tempo, a Igreja nos convida a fazer companhia ao Senhor no deserto: unidos a Ele em sacrifício, compartilhamos as Suas angústias, a Sua fome, a Sua sede. Como nos explicou São João Paulo II, “O jejum no tempo da Quaresma é a expressão da nossa solidariedade com Cristo” (1).

Muitos católicos, entretanto, não dão importância ao jejum e à penitência quaresmal. Acham que isso é “coisa do passado” e vivem este tempo sem alterar suas rotinas em nada. Mas pense: se você reconhece o Cristo como o Deus Vivo, como um amigo real e presente, faz sentido procurar prazer e divertimento em um período de luto pelas Suas dores?

A Tradição da Igreja ensina que, durante a Quaresma, é indispensável assumir atitudes de sacrifício, que nos preparam para celebrarmos dignamente a Páscoa. Em relação ao jejum, muitos se enganam ao pensar que se trata apenas de evitar ingerir carne ou reduzir a quantidade de alimentos. Na verdade, jejuar significa renunciar a alguma coisa que nos dá prazer.

faquir

PENITÊNCIA: VOCÊ ESTÁ FAZENDO ISSO ERRADO!

Quando nos privamos de algo de que gostamos, podemos ver que somos capazes, com a graça de Deus, de controlar nossos apetites e dizer “não” a nós mesmos, sempre for preciso. Por meio do jejum, “treinamos” o nosso espírito ao desprendimento das coisas materiais: são coisas boas, que nos alegram, mas não somos dependentes delas; não são elas que dão sentido à nossa vida. Só Deus pode nos saciar!

O jejum também torna a nossa oração mais eficaz, pois nos ajuda a perceber melhor a nossa “fome de Deus”.

No Evangelho de Mateus, há um episódio que deixa isso muito claro: os discípulos, sem sucesso, tentaram curar um menino doente. Jesus, então, lhes dá a maior bronca, e cura Ele mesmo o menino. Intrigados, os discípulos perguntaram-Lhe a razão de terem falhado. O Senhor explicou que eles tinham pouca fé e, além do mais, “esta espécie de demônio, só se pode expulsar à força de oração e de jejum” (Mt 17,20).

Vale lembrar que de pouco ou nada adianta fazer um jejum farisaico, formalista, sem desejar de fato colocar em prática os ensinamentos do Evangelho. O profeta Isaías abre os nossos olhos para isso:

“Passais vosso jejum em disputas e altercações, ferindo com o punho o pobre. Não é jejuando assim que fareis chegar lá em cima vossa voz.

“O jejum que me agrada porventura consiste em o homem mortificar-se por um dia? (…)

“Sabeis qual é o jejum que eu aprecio? – diz o Senhor Deus: É romper as cadeias injustas (…), mandar embora livres os oprimidos (…). É repartir seu alimento com o esfaimado, dar abrigo aos infelizes sem asilo, vestir os maltrapilhos, em lugar de desviar-se de seu semelhante.(Is 58,3-7)

Apresentamos a seguir algumas sugestões de atos de penitência para esses 40 dias:

  • procure amenizar o sofrimento dos pobres e dos doentes (faça isso durante todo o ano, e tenha especial atenção agora);
  • não coma nem beba nada que lhe agrade muito, ou ao menos reduza o consumo de alguma comida ou bebida favorita;
  • evite ir a festas, eventos ou ambientes destinados à diversão;
  • renuncie a um hábito que lhe satisfaça diariamente – exemplos: ver TV, ouvir música, jogar videogame etc;
  • evite fazer compras só por vaidade.
BEBE_MORDE_GATO

Não exagere na sua penitência. Senão depois vai ficar matando cachorro (?) a grito!

Viva cada dia da Quaresma como quem contempla o Senhor mortificado. Pratique o jejum com seriedade e boa-vontade e convide os seus amigos e familiares a fazer o mesmo.

Você verá que os frutos colhidos destes dias de penitência lhe trarão graças durante todo o ano, e a maior delas é amar ao Senhor de forma mais profunda; a segunda grande graça é viver todas as coisas – especialmente aquelas que nos satisfazem carnalmente – com mais sabedoria, liberdade e equilíbrio.

Para quem deseja saber mais sobre o significado do jejum, propomos um ESTUDO BÍBLICO (clique aqui para baixar) e um texto do saudoso JP II (veja o link abaixo).

Nota:

(1) Site do Vaticano. João Paulo II – Audiência Geral. 21/03/1979

45 comments to Tempo de Quaresma. Picanha e Nutella? Isso não te pertence mais!

  • Muito bom Ale! Quaresma é tempo de amar o Senhor pelo jejum, pela oraçao e pela penitencia. Fazer isso ajuda-nos a perceber que devemos ser nós que controlamos as atividades que nos agradam, e nao o contrario.

    Mas tbm sem nunca perder a alegria! Quaresma nao é tempo de tristeza de jeito nenhum. No Evangelho de hj Jesus nos dá tdas as dicas de como jejuar e de como se penitenciar. Nao podemos usar a prepotencia nesta hora de sacrificio. Devemos perfumar-mos e sorrir pra viver esse tempo com alegria. Valeu Alê! 10 o post!

  • JOÃO

    Post muito bom, caríssima. Se me permite uma pequena sugestão para os leitores do “O Catequista”, tem um link no site da Canção Nova que mostra passo a passo os tipos de jejum. Aí vai – http://migre.me/80SHy

  • Lore

    Vale lembrar sempre a importancia da quaresma e do jejum aliado à oraçao.
    Lendo o post eu decidi o que vou fazer 🙂
    Obrigada pessoal
    bjao

  • Vivi, muito bom, excelente este post! Hoje mesmo, quando acordei, me perguntei: “Hoje começa a Quaresma, tenho de fazer meu jejum, mas como o farei?”. Este post veio diretamente a mim, me mostrar e me explicar melhor este tempo, esta passagem. Agradeço demais por isso, Vivi, o post está ótimo e sanou várias dúvidas minhas! O guia passo-a-passo da Canção Nova, postado pelo João também é excelente!
    Começamos hoje um período, um tempo litúrgico que é praticamente o meu preferido do ano todo. Gosto desse tempo, pois muitos exageros que são cometidos na Santa Missa, são deixados de lado, algumas pessoas deixam de fazê-lo e isso me deixa felicíssimo! Vivencio um Santa Missa bem feita, sem esses escândalos, sem palmas, sem rebolados (???) que sempre fazem diante do Cristo Eucarístico. Enfim, novamente, muito obrigado pelo post, Vivi! Parabéns e que Deus continue a abençoar todos do blog, com a intercessão da Virgem Santíssima, Mãe de Deus.

  • O Padre que celebrou a missa da Quarta-Feira de Cinzas, no Retiro de Carnaval que eu participei falou algumas coisas bem interessantes:
    -Que o Jejum só pode ser feito por pessoas com idade entre 14 e 60 (sexo feminino) e 14 e 65 (se for do sexo masculino);
    -Jejum é uma abdicação que não envolve só alimentos, mas sim, deixar de assistir novelas, outros programas de TV, deixar de ver certos filmes, etc;
    – Quando se tratar de alimentos, deixar de comer alguma refeição dia (por exemplo, deixar de jantar);
    – Se quebrar o Jejum por esquecimento, tudo bem, mas se for pela tentação do tipo “ah, é só uma vez e, não faz mal”, aí sim é pecado e
    – Se for fazer tal Jejum, terá que ser comunicado ao seu pároco, para que ele te ajude no processo, evitando as tentações.

    • Oi, Leniéverson!

      Quanto ao padre que você citou, só acho que a última orientação é inviável. Em uma paróquia, nem todos os fiéis têm acesso fácil ao pároco.
      Na minha paróquia, que eu nem sei dizer quantos mil fiéis frequentam, se todo o mundo for comunicar ao pároco o seu jejum… O homem vai ter que ficar o dia inteiro disponível só para isso.

      O jejum é algo simples, não precisa complicar para ser algo bom e frutífero.

  • Parabéns Catequista, a clareza é a marca registrada desse blog

  • Thiago

    Acho que devemos definir bem a diferença entre jejum e mortificação. A palavra jejum é aplicada somente à privação de alimentos e a mortificação a qualquer outro tipo de sacrifício que não seja a abstinência de alimentos. Não sei se estou correto, mas é o que li no livrinho ‘Práticas de Jejum’ do pe. Jonas Abib 😀

    • Oi, Thiago,
      Na verdade, nas Escrituras e nos documentos da Igreja o termo “jejum” é por vezes usado no sentido estrito – privação de alimentos – e outras vezes em seu significado mais amplo e profundo, que remete aos diversos tipos de abstinência. Então, neste sentido mais amplo, os termos jejum e mortificação coincidem.

      Se você ler o texto de João Paulo II sobre o jejum, que citamos neste post, poderá ver isso mais claramente. Veja alguns trechos do que ele diz:

      “Não se trata aqui unicamente do alimento e das bebidas.(…) O homem contemporâneo deve jejuar, isto é, abster-se não só do alimento ou das bebidas, mas de muitos outros meios de consumo, como de estimular e satisfazer os sentidos. Jejuar significa abster-se, renunciar a alguma coisa.”

  • Vladimir

    muito bom post!

  • Gustavo Lovatto

    Só estou pensando que o jejum que estou fazendo pode acabar virando definitivo… kkkkk

  • Felipe

    Ex: Eu não tomo Café da manhã (como alguma besteira coisa pouca, em dias sem aula se tiver aula como por la) e como pouco no jantar, só como bem no almoço, por que geralmente não sinto necessidade de alimentação, meu biotipo é magro, e emagreço com uma facilidade incrivel, tou bem abaixo do peso, dai penso assim, não controlo meu apetite pois tudo que entrar é lucro, dai te pergunto: Há necessidade de um jejum de comida? E ao comer o que der vontade tou sendo guloso?
    2º pergunta: Sexta-feiras normais é necessário jejum?

    • Felipe, a paz!

      Seguinte irmão, o jejum pode ser de qualquer coisa que te dê prazer (desde que seja uma atividade legítima), ex: videogame, doce, refrigerante, ou qualquer coisa que te dê um sentimento bom legítimo.

      No caso de comer pouco comumente, acho legal por exemplo, você, no almoço que diz comer bem, fazer um jejum de um prato que você goste, pode até ser arroz ué, o que vale é essa mortificação santa de compreender que nem tudo o que eu quero e gosto estará sempre disponível.

      Sobre jejum nas demais sextas-feiras, é verdade: a sexta de e ser um dia de alguma penitência diferente dos demais dias; a Santa Sé delega às Conferências Episcopais de cada país a forma de jejum pra cada cultura, no Brasil, a CNBB definiu que o preceito da sexta pode ser cumprido, dentre outras formas, pelo jejum ou de carne, ou de uma refeição (café, almoço ou janta).

      Recomendo o Resposta Católica de Pe Paulo Ricardo n• 117 sobre o caso, o link tá aqui em baixo:

      http://padrepauloricardo.org/episodios/qual-e-o-ensinamento-da-igreja-em-relacao-a-jejuar-e-abster-se-de-carne

      Espero ter ajudado.
      Pax et ignis!

    • Felipe,
      Como você, tenho um biotipo magro e perco peso com facilidade. Ainda assim, cumpro o jejum obrigatório da Quarta-Feira de Cinzas e da Quarta-Feira Santa.
      Ou seja, me abstenho de carne e de uma das refeições (geralmente o jantar). Só dois dias no ano não farão tanta diferença no meu peso!

      E, quanto à penitência dos demais dias da Quaresma (menos aos domingos, quando não é obrigatório fazer jejum), você não precisa ser necessariamente fazer jejum de alimentos. Você pode sacrificar algum hábito, e, especialmente, intensificar o tempo dedicado à oração e à meditação. No texto que indicamos do Beato João Paulo II (tem o link neste post) isso fica bem claro.

      Quanto à sua 2a pergunta: o Código de Direito Canônico (CDC) determina que TODAS AS SEXTAS-FEIRAS DO ANO são penitenciais. Nestes dias, todos os católicos são chamados a fazer memória da Paixão de Cristo. Segundo o mesmo código, nestes dias o católico deve se abster de comer carne ou outro alimento (exceto nas solenidades). O CDC prevê ainda que a conferência de bispos de cada país pode autorizar a substituição do jejum alimentar por práticas de oração ou caridade.

      Sendo assim, com a devida autorização do CDC, no Brasil, a CNBB determina que a penitência de todas as sextas-feiras do ano NÃO precisa ser cumprida, necessariamente, por meio de jejum alimentar.

  • Maria Helena

    É um período de limpeza espiritual muito interessante. Ano passado, pela primeira vez, abdiquei de chocolate. Passei dias como louca, noiada da cabeça, não pensava direito, não me concentrava em nada, eu não sabia o quanto eu era dependente (comia um pouquinho todo dia).

    Foi quando eu vi como estava doente e pedi “livra-me Senhor, que isso é vício”. Comecei a entender que vicio é tudo o que faz vc pensar que não pode viver sem. Porque na verdade vc só não pode viver sem Deus.

    Esse ano tenho planos maiores, que incluem internet, então a partir da quarta de cinzas não acompanharei este blog. Então desejo a todos uma quaresma santa e uma Páscoa de amor….

  • Karina

    A orientação da CNBB está errada. Jejum é jejum. A CNBB é marxista e tem essas ideias tolas. Jesus fazia jejum, JEJUM, Maria recomenda em todas as aparições o jejum, JEJUM. Cuidado com a CNBB.

    PS Esse site é muito bom, uma bênção.

  • Hélio Zukanolhjvisck

    Olá gente!!! Eu sempre almoço e janto com alguma “mistura” (carne, ovos, peixe), então, eu gostaria de saber se eu posso fazer jejum de mistura e comer por exemplo, duas vezes por semana na janta e no almoço somente arroz e feijão… Será que consigo??/ Outra coisa é o seguinte: eu gosto muito de tomar café inclusive no meu trabalho tomo durante o dia em alguns copinhos até gostaria de fazer jejum de café mas se eu não tomar uma xícara de manhã passo o dia inteiro com dor de cabeça. Será que estou pecando em fazer jejum de carne mas não de café.. Posso fazer esse jejum de não comer mistura?? abraços

    • Sua ideia de jejum, de não comer mistura duas vezes por semana, me parece boa, acho que você consegue sim. Uma ideia: em vez de não comer mistura na janta e no almoço duas vezes por semana, que tal não comer a mistura somente na janta OU no almoço (comendo a mistura somente em uma das refeições do dia), de segunda a sexta? Enfim, é só uma ideia, mas você é quem tem que definir isso livremente.

      Se você fica com dor de cabeça se não tomar uma xícara de manhã, isso pode prejudicar seu rendimento no trabalho. Então, acho que não é muito prudente.

      Se eu puder lhe fazer uma outra sugestão… reze o terço todos os dias, caso já não faça isso. Abraço!

  • Vinícius de Aguiar

    Se jejuar é abrir mão de atividades prazerosas, qual a diferença entre jejum e abstinência? A abstinência também tem de ser feita nos domingos?

    • Marcos

      Acho que há um problema de interpretação entre jejum e abstinência. Que eu saiba o jejum é privar-se de alimentos, exceto água e pão puro. Abstinência pode ser reduzir a quantidade de alimentos e/ou privar-se de algo que você gosta como foi citado. Videogame, internet, etc.

      Na canção nova tem uma explicação sobre os tipos de jejuns
      http://www.cancaonova.com/cnova/dicas_fe/jejum.html

  • Vinícius

    Meu padre deu uma sugestão muito boa para o jejum: em vez de apenas renunciar a uma refeição, ir mais longe e fazê-la chegar à boca de quem tem fome.

  • roberto

    Gostei muito, mas tenho uma curiosidade que não tem nada a ver com a matéria.
    Os livros apócrifos quais são os livros que relata a historia da igreja sem distorcer os ensinamentos de nosso senhor Jesus.

    • Roberto, eu não estudei muito esse tema dos apócrifos, então, não tenho muitas informações para te dar. Mas, pelo que sei, o proto-Evangelho de Tiago não contém nenhuma distorção dos ensinamentos de Jesus.

  • Taíse Maciel Pereira

    Olá! Há um tempinho que leio vocês e gosto muito dos posts, mas hoje é a primeira vez que comento. Ano passado incentivada por vocês fiz um jejum por toda a Quaresma. Não tomei café da manhã e só comia a partir do almoço. Na Sexta-feira Santa fiz jejum de dia inteiro, como por muitos anos, vi meu pai fazer. Meu ano foi de intensa graça. Casei na Igreja depois de 6 anos vivendo com meu esposo, depois meu esposo fez o Cursilho e por fim engravidei do nosso segundo filho. E é por isso, que escrevo. Grávida eu sinto muita fome e ficar sem comer pela manhã será complicado. Gostaria de sugestões e como faço na Sexta-feira Santa? Beijos…

    • Taíse, obrigada pelo seu testemunho!
      Agora, grávida fazer jejum alimentar é até maldade, rsrs. Mortifique-se abrindo mão de alguma coisa que vc gosta de fazer, como ver certo programa de TV. Eu já fiquei uma Quaresma inteira sem ver TV. É ótimo.

  • marcel

    Meu aniversário cai na quaresma. Posso comemorá-lo, fazendo uma festa para amigos e parentes?

  • Amanda

    Caramba! Vocês são muito show de bola!

    Texto maravilhoso!

  • Lucas

    Olá,A Catequista!Uma dúvida:A penitência de que se fez intenção na Quaresma pode ir só até à Missa na Ceia do Senhor ,ou deve ir até à Vigília Pascal?E os dias em que se desobedeceu à penitência,devem ser ignorados,compensados,ou confessados e comutados por um sacerdote??Obrigado.

  • Francine

    A penitência pode ser, por exemplo, reduzir algum alimento (por exemplo, coisas de chocolate) e comê-lo só em uma das refeições? No Domingo pode voltar tudo “ao normal”?

    • Francine

      Ou também, sou acostumada a “beliscar” sempre que tenho vontade: vou na cozinha e pego um pedaço de bolo, um iogurte… Vale como jejum de quaresma abrir mão deste hâbito, comendo as 3 refeiçoes principais + apenas UM lanche entre elas? Tinha decidido pelo chocolate, mas prefiro essa ideia… acho que dá pra trocar agora né? Hahah

      • Padre Orlando Henriques

        Francine, todos esses propósitos são bons se, de facto, ajudarem a aproximar-se mais de Deus e dos irmãos, treinando-se contra as tentações e crucificando o egoísmo. Aquilo de que nos privamos na Quaresma há-de ser algo à nossa medida: nem fácil de mais, nem impossível de cumprir.
        É verdade que os Domingos não são dias de penitência, mas ninguém nos impede de continuar a penitência… Tudo depende do que cada um se propõe fazer.
        Imaginemos que alguém se propõe não comer doces, por exemplo: pode decidir não comer doces nenhuns durante toda a Quaresma; ou pode limitar-se a comer apenas um doce ao Domingo e privar-se o resto da semana…

        Não sei como é no Brasil a questão do jejum e da abstinência, mas não deve ser muito diferente de Portugal. A Conferência Episcopal Portuguesa emitiu um documento que nos pode servir de referência.
        Há que distinguir jejum de abstinência.

        O Jejum, tradicionalmente, «fazia-se limitando a alimentação diária a uma refeição, embora não se excluísse que se pudesse tomar alimentos ligeiros às horas das outras refeições». Diz a CEP que é conveniente «manter-se esta forma tradicional de jejuar, contudo os fiéis poderão cumprir o preceito do jejum privando-se de uma quantidade ou qualidade de alimentos ou bebidas que constituam verdadeira privação ou penitência».

        A abstinência, que «consiste na escolha de uma alimentação simples e pobre», concretiza-se, de forma tradicional, na «abstenção de carne», prática que a CEP aconselha a manter, mas determinando que «poderá ser substituída pela privação de outros alimentos e bebidas, sobretudo mais requintados e dispendiosos ou da especial preferência de cada um», até porque a vida actual é diferente da de antigamente (em que a carne era mais cara do que o peixe), e por isso, abster-se de carne «pode não bastar para praticar a abstinência como acto penitencial»: o importante é que a abstinência seja «a escolha de uma alimentação simples e pobre e a renúncia ao luxo e ao esbanjamento», porque «Só assim a abstinência será privação e se revestirá de carácter penitencial».
        Cf.: http://www.liturgia.pt/documentos/jejum.php

  • Jorge Diego

    Muito bom! Louvado seja Deus pelo portal…somente uma dúvida: sei que a igreja recomenda a abstinência de carne vermelha, mas e o frango? É permitido? Li em algum site que é devemos evitar o consumo de carnes vermelhas e animas de sangue quente (incluindo o frango)
    , procede?

  • Daniel

    Ola. A Paz de Jesus. excelente texto…
    eu procurei em vários sites e livros se jejuar aos domingos não é permitido ou é só uma orientação da igreja. Alguém poderia me ajudar?

  • Joao

    Olha, este artigo me ajudou! Eu não sabia que existem vários tipos de jejum. Aqui vai o link atualizado sobre os tipos de jejum: http://formacao.cancaonova.com/liturgia/tempo-liturgico/quaresma/saiba-quais-sao-os-tipos-de-jejum/

    PS: os catequistas poderiam colocar este link no artigo, pra ficar mais fácil de encontrar.

  • Juliana P.

    Olá!
    O que fazer quando o jejum ou a abstinência for quebrada involuntariamente ou acidentalmente? Se na sexta-feira, por exemplo, eu me esquecer e comer do alimento que me propus evitar, como devo proceder?

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>