Glória ao Acaso nas Alturas!

Saudações Católicas!!!!  Em todas as minhas turmas de Crisma, sempre aparece a mesma lenga-lenga: “Darwin provou que não existe Deus!”, ou “Darwin provou que a Bíblia estava errada sobre Adão e Eva!”, ou ainda “O Darwinismo exclui Deus da Criação!” e outras besteiras menos cotadas.  O fato é que Darwin intuiu um esquema muito legal, mas não disse como a base dele funciona.

evolucao

Eu sempre digo o seguinte: quem quer sair por aí arrotando ciência tem que estudar.  E muito poucos se deram ao trabalho de ler “A Origem das Espécies” pra saber qual é afinal a abrangência do trabalho feito por este cientista.  É muito mais confortável sair por aí repetindo o que se diz na TV.  Mas, enfim… a ideia deste post não é avacalhar Darwin, que foi um incrível cientista e fez, de fato, um trabalho revolucionário que contribuiu inestimávelmente para a ciência.  O objetivo é dizer porque o Darwinismo NÃO se contrapõe ao que a Bíblia diz.

Darwin explica basicamente a mecânica pela qual as espécies são selecionadas na natureza: a famosa “Seleção Natural”.  E isso parece estar bem correto… ou, pelo menos, faz sentido.  Ele também explicou que os seres acabam se diferenciando devido à mutações, que irão permanecer ou não, dependendo do seu sucesso adaptativo.  O que ele não explicou foi COMO as mutações conseguem ser tão inteligentes!

Imagine-se há 100.000.000 de anos atrás… se você fosse muito evoluído, seria um colóide.  Uma coleção de bactérias (tatatatatatatataravô da água viva).  A partir dessa massinha disforme de bactérias, várias mutações ocorreram.  Em algum momento, elas decidiram que era melhor se juntar, formar organismos maiores e… se especializar em funções!!! Afinal, talvez este fosse o melhor caminho para a sobrevivência.  Será que as bactérias tiveram esse raciocínio?

bacteriaBem, uma vez que as células foram apresentando suas diferentes mutações e foram surgindo os mais diversos organismos, não tenho a menor dúvida de que a Seleção Natural ajudou a separar o joio do trigo.  Só quero saber é: quem teve essas brilhantes ideias adaptativas? Quem inventou o cérebro?  Quem inventou de separar sistema circulatório (para distribuição de nutrientes), sistema digestivo (para processar o abastecimento e gerar os nutrientes) e sistema nervoso (para controlar tudo)?  Quem inventou a anatomia que permitiu o surgimento de todo um sistema integrado mecânico e elétrico, tão complexo, que nem a nossa tecnologia mais avançada consegue sequer se aproximar?

Um ateu com pensamento obtuso disfarçado de “verdade científica” diria: “foi o acaso que criou isso tudo“.  Eu faria mais uma pergunta: “Quem criou um esquema de seleção tão inteligente quanto a Seleção Natural?  Não foi Darwin, não é?  Ele apenas o descreveu…”.  O nosso amigo ateu, teria que responder novamente: “O acaso”.

Com um acaso tão competente e criativo, só posso olhar para as evidências e dizer: “Glória ao Acaso nas alturas“!!! Afinal, o tal acaso conseguiu construir maravilhas.

Quem tem olhos, que veja…

Abraços!

15 comments to Glória ao Acaso nas Alturas!

  • Graças ao acaso estou sem palavras.

    Que o acaso faça maravilhas na vida de todos que pertencem e ouvem a verdade.

  • Daiane

    é meio sem nexo, um organismo tão perfeito como nosso corpo e nossa natureza que está totalmente e incrivelmente interligada, surgir de uma ZONA q foi o big bang e uma TESE de evolução q até hj aprendemos como a única verdade definitiva..
    Mas só ALGUÉM PERFEITO poderia ter feito essa maravilha q somos nós..
    bj* adorei o post’

    • O mais engraçado (qualquer dia faço um post sobre isso) é que desde o Big Bang (que você citou), o universo parece tender sempre a formar as condições necessárias para que estejamos aqui agora. Mas também essa perfeição do universo cai na conta do acaso! Esse acaso é a força mais poderosa e criativa que já existiu!!! Rs… Beijos!

  • Olá Catequista!!! Parabéns pelo blog! Bom texto, leve e no tom equilibrado que o assunto precisa. Indagações pertinentes. Lendo me veio a mente a tal “quinta via” de São Tomás, a “Inteligência Ordenadora” das coisas, a Ordem não aleatória que existe em todos os seres, etc. E assim como disse “São Albert Einstein”: “Deus não joga dados” 🙂

    Acabou me dando uma idéia para um artigo sobre o mesmo assunto!…rs. Assim que a F1 passar, me sentarei e o farei.

    São Albert Einstein, rogai por nós!
    Glória ao Acaso nas Alturas!
    Shalom!!!!

  • Cadu Sindona

    É como eu disse no outro comentário sobre o mundo dos ateus no qual eu falei o que o Prof. Felipe Aquino disse ao seu amigo ateu: “Quem criou o acaso?” De certo o acaso se auto criou né?

  • Francisco Almeida

    O Universo não parece nem de perto ter sido criado para dar condições a nossa vida. Nós somos parte de um planeta, que reside em um sistema que existem mais vários. Por sua vez, esse sistema está em uma galáxia, onde existem mais bilhões desses. E a galáxia, então? Fica em um Universo no qual existem bilhoes delas. Logo, como o Universo foi criado para nós?

    • Oi Francisco! Em primeiro lugar, nos desculpe. Seu comentário foi marcado como spam e fomos procurá-lo após seu último recado. rs.

      Bem, vamos lá. Veja a grandiosidade que você descreveu. Acredita realmente que é tudo mero acaso? Qualquer variação de ordem microscópica em qualquer das leis que regem o universo, inviabilizaria a nossa existência. Isso também é acaso? Difícil de acreditar. Ou, estamos dando o nome errado para uma força tão poderosa capaz de criar tantas coisas. Esse acaso se chama Deus, e ele sabe muito bem o que faz.

      E entendendo que tudo é feito por Deus, que motivo temos para crer que sejamos um mero detalhe, em um universo tão vazio de vida (pode existir em outro lugar, mas convenhamos… vida é algo muitíssimo raro)? A VIDA, a única parte da criação capaz de perceber a grandeza onde está inserida e de contemplar a sua beleza, não pode ser considerada mero acaso. Se estamos aqui, é porque alguém quis. E essa afirmação continua válida se considerarmos a existência de qualquer outra forma de vida inteligente.

      Tudo o que falo aqui, Francisco, já foi objeto do pensamento de diversos cientistas, inclusive ateus! Recomendo fortemente a leitura de dois livros revolucionários sobre a física mais atual que existe: Hiperespaço (de Michio Kaku) e O Universo Elegante (de Brian Greene) – nenhum dos dois é minimamente religioso. Estas obras tratam das teorias mais avançadas já propostas pela humanidade e de tanto contemplar a beleza das leis que regem nosso universo, fazem sinceramente a pergunta: será tudo obra do acaso mesmo, ou isso tudo foi feito para nós?

      Abraços!

  • Victor Picanço

    Houve um papa (não lembro qual) que disse que a teoria da evolução está de acordo com a Bíblia, não? Vocês têm esse texto?

  • Marcio

    Esse texto é bastante claro e com ótimos argumentos sobre a teoria da evolução. Que esta é uma teoria e ainda esta distante se ser ciência de verdade.

    http://www.lepanto.com.br/catolicismo/ciencia-e-fe/evolucionismo-a-farsa-de-charles-darwin/

  • Gamaliel's Spawnling

    Ouvi certa vez uma comparação muito feliz de um professor de estatística da Usp:

    “Imagine que você chega em casa e tem um bolo de chocolate em cima da mesa. Quem o fez?

    H1: Um caminhão de trigo que estava passando em frente à minha casa tombou. Logo em seguida um carregamento de chocolate caiu em cima do anterior. E assim se sucedeu, um de ovos, um de fermento, um de margarina, etc.
    Até que, quando o último dos caminhões tombou, gerou uma grande explosão, que, além de cozinhar todos os ingredientes à temperatura certa, lançou-os pela minha janela e caíram perfeitamente encaixados em uma forma que estava em cima da mesa.
    Como professor de estatística, desafio vocês a estimarem essa probabilidade.

    H2: Minha mãe sabe que eu gosto de bolo de chocolate e fez um para me agradar.

    Alguma semelhança com os papos de evolução?”

  • Ester Letícia

    como sempre, quebrando expectativas com os maravilhosos posts!! parabéens! 😀

  • YagoQS

    Caro o catequista, Salve Maria! Mãe do Redentor.
    Eis que certo dia estava a navegar no Facebook e, graças ao acaso, pasme! Acabei por ser direcionado a este sítio que até então não conhecia. E graças ao acaso, a primeira página que encontro é precisamente esta sobre evolucionismo tema que certamente me interessa pois, por acaso, sou estudante de Biologia sendo também, graças a Deus e não ao acaso, filho indigno da Santa Igreja Católica – fora da qual não há salvação.
    A Santa Igreja já dispõe até de um Magistério um tanto extenso sobre o tema (direta ou indiretamente) como as declarações de Congregações acerca da dignidade da vida humana e mais notadamente a Encíclica do Venerável Papa Pio XII. Contudo, em termos de ciência, cujo o principal aspecto de solidez é a resistência que uma teoria possui à refutabilidade (como já nos ensinava Karl Popper) passo a tecer alguns comentários a partir de um negrito vosso.
    “O que ele não explicou foi COMO as mutações conseguem ser tão inteligentes!”
    E nem o poderia. Darwin nem sequer explicita o mecanismo pelo qual os caracteres derivados (ou na linguagem atual – as apomorfias) surgem. A mutação surgiu como resposta com o Biólogo Hugo de Vries, um dos responsáveis pelo resgate dos trabalhos do Gigante Gregor Mendel, o Pai da Genética de onde Hugo baseou-se para propor o modelo de mutações. Mutações são multidirecionais e multifatoriais, além de frequentes nos organismos. Uma célula bacteriana típica como da bactéria E. coli sofre cerca de 1 erro de replicação (que pode ser potencialmente mutagênico) a cada 10^11 pares de bases adicionados, o que considerando o tamanho do genoma da E. coli e as várias gerações de organismos derivados, eleva exponencialmente o número de mutações herdadas ao longo de gerações. Independentemente de as bactérias terem ou não este raciocínio isto acontece em suas moléculas de DNA, não é acaso, é cinética química.
    Mas como mutação leva à apomorfias complexas? Isto começou a ser evidenciado com o descobrimento e estudo de uma classe de genes específicos, denominados de genes do desenvolvimento (principalmente os hox genes), onde singelas alterações na sua sequência poderiam levar ao surgimento ou desaparecimento de estruturas durante a organogênese do animal, por exemplo o aumento ou diminuição do número de vértebras ou surgimento/desaparecimento de apêndices locomotores como um todo. Enfim a mensagem já vai longa… mas o que eu gostaria de dizer é que mutações ocorrem, levam à formação de estruturas complexas e isto não depende de uma “vontade” dos organismos nem mesmo as estruturas que terão ou não origem estão condicionadas a algum tipo de predisposição à existirem, mas estão passíveis da aleatoriedade da ocorrência ou não de mutações naquela região ou não do genoma.
    Nada disto obviamente anula minha Fé em Deus Pai todo poderoso, que, como lembra o Santo Padre Bento XVI, ainda enquanto Cardeal: Deus não é uma hipótese remota, não é um desconhecido que se retirou depois do «big-bang». Deus mostrou-Se em Jesus Cristo.

    • José Menezes

      YagoQS, achei interessante seu comentário, mas tenho uma dúvida.
      Pelo o que entendi, as mutações são diversas e a natureza (pela seleção natural) seleciona aquelas mais aptas, é isso?
      Nesse caso um ser procarionte sofreu mutação até gerar um ser eucarionte e mais dezenas de milhares de outras coisas “imperfeitas” que não sobreviveram a seleção. Isso implica que se hoje as bactérias (que são procariontes) existem é por que elas também passaram pela seleção natural. Daí uma dúvida pessoal: Qual a garantia que temos que originam das bactérias mutadas as demais espécies? Poderia o ser procarionte ter um ancestral que não sobreviveu a seleção natural? Não sabendo qual foi a espécie Zero nesse caso, como podemos entender a verdadeira origem das espécies? Sabe dizer se há garantia científica que a primeira espécie viva foi uma bactéria?

      Agora deixando a dúvida de lado…

      Se são inúmeras as mutações então a natureza gerou vários intermediários até… digamos, por exemplo, o homem. Isso pode ser observado pelos fósseis. Assim sendo existe uma sucessão de espécies que levariam do 1º ser vivo ao homem. Porém essas espécies ancestrais do homem não sobreviveram a seleção natural, apenas o produto final: o homem. Não existe nenhum ancestral vivo do homem (com exceção das bactérias se estas forem a 1ª espécie). Agora me pergunto o porquê. Se as mutações são numerosas, não é estranho a natureza não ter deixado vivas as espécies intermediárias ou pelo menos algumas milhares delas? Mas não, ela matou todas.
      Além disso, para que esses intermediários pudessem evoluir era necessário sobreviver a seleção natural primeiro e depois, só depois, de evoluir é que o ambiente (natureza) mudaria e resultaria em uma nova seleção natural que implicaria na extinção da espécie original. Nesse caso surge a seguinte sequência: Espécie x gera espécie y, o ambiente muda de forma que x morra. Essa é a sequência que matou nossos ancestrais. Isso me leva a questionar qual a capacidade de uma espécie sobreviver desde o início? É quase remota. É como que o mundo estivesse mudando sempre, mas de forma radical até ponto de não permitir que os ancestrais sobrevivam. Só que o mundo não vive mudando radicalmente inúmeras vezes (digo inúmeras vezes por que são milhares de espécies no mundo, portanto provavelmente houve milhões de ancestrais). É contraditório pra mim. Me pergunto, por que o homo erectus não tá vivo? Seria ele tão apto quanto algum macaco de hoje?
      Acho tudo isso muito preciso.
      Um acaso muito ordenado.

  • YagoQS, me explica então qual o tempo hábil para uma mutação de peixe para lagarto, ou de lagarto para ave ou passarinho, o que existe sim é a adaptação que muda algumas características de um animal, contudo não existe nenhuma prova concreta da macromutação, simplismente ela aparece.

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>