A Orkutização do Natal

Jingle Bells, Povo Católicoooo!!!!

Acabamos de passar o último domingo do Advento.  O que para o nosso cotidiano quer dizer que… lá se foi a última chance de passar no shopping para comprar presentes!

Uepa!  Tem coisa errada aí, não tem?  Claro!  Você esqueceu também o amigo oculto e a roupa arrasadora que ia comprar para a festa de final de ano!  Ai, caramba! Ainda tem o reveillón na praia com a galera!  Muitas coisas!!!! Acho que só rezando pra conseguir.  Ah… talvez rezar fosse a única coisa a ser feita.  Mas aos poucos, transformamos (ou permitimos transformar) a “encarnação do Verbo” em “festas de fim de ano”.

bolo de Jesus

Parabéns pelos seus 2000 anos!

Pra começar, o que é o Natal?  Pensa aí… 1, 2, 3… seu tempo acabou.  Você provavelmente deu aquela simplificada e mandou: “é o aniversário de Cristo!”.  Muito bem.  Você acertou o que 80% dos católicos pensam ser o Natal.  Tem até padre que puxa parabéns na missa.  Essa, na verdade, foi a primeira fase da orkutização do Natal.

Aniversário é contagem de anos.  É a comemoração de uma data! Mas, não é isso que estamos lembrando no Natal.  Nem tampouco estamos celebrando o simples nascimento de uma criança.  É muito mais do que isso!!!

O que comemoramos verdadeiramente é a encarnação do Verbo. É que Deus se fez homem e habitou entre nós (lembra da oração do Angelus?).  É algo incrívelmente extraordinário que Deus nos ame tanto que se dê ao trabalho de se tornar um de nós.  Mais do que isso: abraçou com tanto amor a nossa miséria que mesmo o seu nascimento ocorreu como o de qualquer outro ser humano, ou seja, por meio de uma mulher.  Tudo começa ali.  A Nova Aliança, a nossa salvação, começa a tormar suas formas definitivas ali,  naquela noite em Belém.

Entender esse significado coloca por terra a famosa encheção de saco dos ateus, sobre a verdadeira data do Natal: pouco importa se Cristo nasceu ou não no dia 25 de dezembro.  O que estamos comemorando é o fato em si, não a data. Mas é fácil esquecer disso, porque abstraímos com muita facilidade o fato de que Jesus Cristo é o próprio Deus.

Mas, não há nada que não possa piorar.

Qual é a coisa mais importante em um aniversário?  O aniversariante?  Nada disso!  É a festa!!!  Claro!  Quando você é convidado para uma festa de aniversário, espera com ansiedade e se arruma horrores pra ocasião.  Mas quantas vezes se lembrou de caprichar no presente do aniversariante?  Quase sempre seu presente é apenas um abraço desejando muitas felicidades (isso se você souber quem é o aniversariante)!

Então, como no Natal estamos simplesmente comemorando o aniversário de Cristo, nada mais natural do que… esquecer Cristo e focar na festa!  Olha aí a segunda fase da orkutização!  Agora temos um monte de tradições vindas de não-sei-onde, mas que certamente não são da Igreja:  Chester, peru, bacalhau, rabanada, presentes, Papai Noel by Coca-cola…  nos preocupamos mais em botar nossos filhos no colo de um cara de barba postiça, do que ensiná-los a grandeza do que realmente aconteceu.

Garanto que São Nicolau era mais simpático...

Importamos um monte de baboseiras que jamais existiram na cena original (como bonecos de neve), ou fazemos loucuras como comer sementes oleaginosas (maravilhosas no rigoroso inverno europeu), suando feito porcos a 40 graus.  Enquanto isso… símbolos oriundos da tradição católica, como a Árvore de Natal, a guirlanda e São Nicolau (o Papai Noel de verdade), se tornam simplesmente adornos sem sentido algum.

Como arte é legal. Mas como presépio...

Do Presépio então nem se fala.  Não existe símbolo católico mais avacalhado.  Já teve Cristo nascendo em cidade medieval, favela, campo de futebol, MARTE!!!!  Enfim… virou expressão artística, mas perdeu sua função de fazer meditar sobre a encarnação de Deus.

Vai aqui um desafio: quantas vezes você foi à Missa do Galo ou ao menos fez uma contemplação do nascimento de Cristo na noite de Natal? Provavelmente não dava pra fazer isso no meio da festa.  Pois é.  Esse é o Natal de 80% dos católicos.

Mas, não há nada que não possa piorar.

fim de ano

É importante dizer que esta foto não é minha!!!

Orkutização final: quem tem mais ou menos 30 anos, já recebeu cartão de natal da empresa (em papel) desejando um “Feliz Natal e um próspero ano novo”.  Mas quem tem pouco mais de 20 só recebeu “Boas Festas”.  Pois é.  Não é politicamente correto deixar tão evidente uma festa relacionada a uma religião. Então, a galera agora bota tudo no mesmo bolo e deseja apenas que as festas (repare bem no termo: FESTAS) de fim de ano sejam boas.  Isso inclui aquele mega-rega-bofe da empresa que sempre termina em bebedeira e silêncio no dia seguinte (ou em demissão).

Olhe em volta.  Repare nos out doors, nos cartazes, nos comerciais de TV.  Além da Leader Magazine (“já é natal…”),  ninguém está diferenciando a celebração pela encarnação de Deus, dos festejos pelo incremento de um número ao ano corrente. E quando lembram (como é o caso da referida loja) é só pra lembrar você de fazer compras.  É Papai Noel pra tudo que é lado.  Cristo que é bom…

Mas, não há nada que não possa piorar.

Calma… ainda não piorou.  Mas acho que não falta muito para os feriados religiosos deixarem de existir, por não serem “politicamente corretos”.

Agora, povo católico, depois de tudo isso, não se sintam culpados pelos presentes comprados e nem saiam por aí puxando a barba dos papais noéis (tem plural isso?).  Aproveitem a festa em família.  Mas saibam colocar em primeiro lugar o real motivo da comemoração: “O Verbo se fez carne e habitou entre nós”.

E na verdade, ainda habita.  Lembre-se disso.

Abraços!

36 comments to A Orkutização do Natal

  • Grande Alê! Muito verdadeiro o post de hj. A Encarnação de Deus, é a 2ª maior alegria que a humanidade já viveu, e todo o ano esquecemos de contemplar a humildade de Deus.

    Santo Tomás de Aquino dizia que a humilhação de Deus, ao se encarnar e se fazer todo homem e todo Deus, foi maior do que as cusparadas e as bofetadas que o Menino, já com 33 anos, sofreria no Caminho do Calvário.

    Como é bondosa a Palavra de Deus… A Palavra de Deus é o Verbo que se fez carne, que, fiel ao Pai, decidiu se humilhar ao ponto de sair de seu Trono só por amor…

    “E o Anjo do Senhor anunciou a Maria, e ela concebeu do Espírito Santo.”
    Ave-Maria, cheia de graça o Senhor é convosco…
    “Eis aqui a escrava do Senhor, faça-se em mim segundo a vossa palavra.”
    Ave-Maria, cheia de graça o Senhor é convosco…
    “E o Verbo de Deus se fez carne, e habitou entre nós.”
    Ave-Maria, cheia de graça o Senhor é convosco…
    “Rogai por nós Santa Mãe de Deus para que sejamos dignos das promessas de Cristo, Amém!”

  • Paulo Ricardo

    E piora muito mais quando você descobre as origens do papai noel. Ai parece que vira pastiche mesmo, um desrespeito.

  • Verdade Paulo, desrespeito total!

  • Ricardo (designer de O CATEQUISTA)

    Isso não é apenas um post do CATEQUISTA! Isso é o que eu chamo de um Verdadeiro Cartão de Natal, ou melhor, de uma verdadeira mensagem de Natal, ou melhor ainda, de um sacode: – “ACORDA, POVO CATÓLICO!!!”. Obrigado, Catequistas, e a vocês também Paulo Ricardo e Cadu.

  • Grande Ricardo! Sem vc caro amigo, o site nao vai pra frente, seu trabalho é impressionante!

  • Pior são os pais loucos que não ensinam seus filhos desde pequenos. Crianças sabem quem é o Papai Noel. Agora, pergunte quem é Jesus Cristo para elas.
    Poucas sabem responder…

  • Otimo post, estava pensando nisso estes dias… muitos amigos dizem que não gostam de natal…vou refletir muito sobre isso…

  • Novamente, este blog transcreve as palavras de Deus uma forma muito simples e muito bem compreensível. Novamente, vocês foram capazes de produzir um texto excelente! Agora, analisando tudo o que é falado aqui, coloco as palavras do padre José Luiz Gonzaga do Prado, da Diocese de Guaxupé – MG(estas palavras dele estavam no boletim da Santa Missa de Ontem), que são as seguintes: “‘Por causa da crise, este natal não será tão bom como o dos anos anteriores’. É o que diz a televisão.” … “A ternura do presépio fez do natal uma grande festa. Uma grande festa é oportunidade de consumo. Quem quer vender, usa a festa. Mas o menino do presépio é muito pobre, não consome nem ajuda a consumir. Por isso ele é aposentado e dá lugar ao papai noel.”. Li estas palavras no boletim da Santa Missa de ontem e achei muito bom o que o padre fala neste texto e ao ler este texto do blog, resolvi transcrever as palavras aqui também. Por fim, quero falar a vocês que ontem foi o Sacramento de Crisma da minha primeira turma de crismandos. Estou exorbitantemente feliz, pois tudo foi lindo, fantástico, maravilhoso! E aviso que ano que vem, se Deus me permitir, continuarei na minha missão e usarei bastante este blog em meus estudos. Que Deus continue abençoando sempre todos vocês. Parabéns e muito obrigado!

  • Herberth Silva Acioli

    Diante do Natal e da Páscoa, eu fico totalmente de boca aberta, sem palavra alguma, totalmente impressionado com a loucura de Deus. Não há limites para Ele demonstrar Seu Amor por nós. Que Jesus Cristo nos conceda a Graça de mergulhar completamente nesses Mistérios a ponto de vivê-los com o máximo de santidade.

  • Uma das lembranças que tenho de bem pequeno é de meu pai me levando para pegar sapé (tipo de capim) para cobrir o telhado da casinha que “construímos juntos” (eu de fato só atrapalhava) para o presépio.

    Quando meu filho tinha uns 4 anos fiz o mesmo com ele. Agora tem 7 anos e já quis montar o presépio sozinho. Durante o Advento acendemos uma velinha e rezamos ajoelhados diante da Sagrada Família.

    Será que meu avô fez o mesmo quando meu pai era criança? Já não são vivos, para que eu possa perguntar.

    Será que meu filho vai fazer o mesmo com o filho dele?

    Espero que Deus me conceda chegar ao céu… lá todas minhas dúvidas serão esclarecidas!

    Fidelis

  • Paulo Ricardo

    Estou preparando um post sobre São Nicolau e as lendas que originaram o papai noel, eu mesmo estou ficando arrepiado com as coisas que vou descobrindo na pesquisa (principalmente a questão acadêmica) com a graça de Nosso Senhor Jesus Cristo pretendo terminá-lo hoje, com sorte e se não atrapalhar a programação do Alexandre e da Viviane, sai antes do Natal.

  • Mas esse post vem antes dos papas do seculo VIII Paulao? Bom de qualquer forma, temos dois assuntos interessantes.

  • Também escrevi alguma coisa sobre o verdadeiro sentido no Natal no meu blog e está fazendo o maior sucesso no Facebook. Acho que o apostolado via Internet pode ser muito eficiente, não é

    Deixo aqui o meu link http://vida-em-sociedade.blogspot.com/search/label/Natal

  • Você com este post acaba de contribui mais um pouco para que o “espirito” natalino desapareça ainda mais. Com essa abordagem sem seriedade, sem sacralidade. Você deveria mostrar o que é o verdadeiro espirito do Natal. É essa a mentalidade dos católicos hoje em dia, infelizmente na sua maioria. Padres que cantam parabéns na missa, que fala do jogo do corinthians e outras aberrações liturgicas combatidas pelo papa Bento XVI que não atendido.

  • Paulo Ricardo

    Já estão no prelo os papas do séculos VIII, IX, e quatro posts sobre os papas do século X – em virtude da necessidade que eu vi de esmiuçar em detalhes o chamado “saeculum obscurum”, ainda tem um post especial sobre o último dos papas magnos – São Nicolau I. O catequista está a toda! Falta preparar o post que falei e depois mergulharemos na “média” Idade Média aí teremos séculos XI, XII e no XIII daremos uma especial atenção a meus mestres São Domingos e São Francisco. Ah! Entre os séculos XI e XII um stop para falar das cruzadas, mas só no que tange o papel dos papas

  • Paulo Ricardo "O Historiador"

    Só uma coisa Alê,

    Esse negócio politicamente correto só vale para esse mundinho ocidental corruptível. Fala para um árabe que ele não pode comemorar suas festas litúrgicas… impensável. Mas somente para o mundo laico diga-se. Houve épocas piores e o demônio não prevaleceu, não irá prevalecer agora.
    E você aí seu Carlos Laia, com esse dedão apontado, cheio de sentimentos morais elevados de “alminha pura”? Qualé a tua? Montfort, TFP ou Opus Dei? Vai procurar tua turma! Não queremos justamente o que você parece adorar: uma igreja de moralistas chatos, Igreja é para pecadores, ô santo, alminha pura JÁ ESTÁ NO CÉU!

  • Carlos Laia, sinto muito por estragar o seu Natal com um post justamente sobre como a sociedade estraga o Natal. Espero que você não precise de muitas sessões de análise para superar esse problema.

    De resto, concordo com quase tudo o que você disse! Também acho um absurdo padres que cantam parabéns na missa ou que se dedicam a falar de futebol em vez de falar de Cristo.

    Mas tem duas coisas que não concordo.

    A primeira é que faltou seriedade. O que é seriedade pra você? É falar empolado? Então talvez você seja daqueles que engolem qualquer mentira bem escrita na imprensa. Será? Seriedade pra mim é informação correta tratada corretamente.

    Desafio você: APONTE QUALQUER INCORREÇÃO NO POST ACIMA e vamos começar a falar de seriedade.

    Segunda coisa. Você disse que faltou sacralidade. Também acho. Procurei no seu blog e também não achei nenhum post SACRO. O que seria isso? Temo que a internet não seja lugar para sacralidades, mas para falar do sagrado e aí sim, procurar a sacralidade onde ela realmente deve estar: no mundo real.

    Um grande abraço pra você! Tomara que Papai Noel releve seu mau-humor e lhe traga muitos presentes no Natal!

    • Concordo com sua resposta ao Carlos Laia em alguns palavras. Mas, quanto a alguma homenagem no final da missa, não acho errado, pois o povo tem uma oportunidade de saber e juntos homenagearem alguém, ou algum dizimista. Na minha Paróquia fazemos sorteio de Bíblias p/as pessoas se motivarem a usar a palavra de DEUS. Mas, são feitas após oração pós comunhão, antes da benção final. E, mais dentro da homilia, acho necessário ser feita dentro de uma simpatia, pois lá tem pessoas que vão pela 1ª vez á missa e, não motivados acabam não voltando; principalmente os jovens!
      No mais acho que este blog é maravilhoso, os textos estão dentro dos contextos atuais e acabei de postar alguns minutos atrás um comentário sobre a MISSA INCUlTURADA.
      Cadastrei o meu email para que eu saiba em primeira mão das postagens.
      Feliz Natal com JESUS, Maria e José!
      #Família de Nazaré, m/ família vossa é!
      Grande abraço

  • Olhei o site dele, nosso amiguinho mal humorado é TFP… Minha quase seita preferida. Próximo passo: dizer que somos hereges e desconhecemos a obra magnífica da TFP por Maria e pelo Cristo. Típico.

  • Falei já no post da TL q já q falamos da loucura da esquerda, vale a pena falar da barra pesada da extrema-direita.

    Eu já li metade do livro do Prof. Plínio, o fundador da TFP, e achei interessante a mentalidade e a linha de raciocínio empregada por eles, mas nao sou nenhum pouquinho fã deles.

    Eu concordo com o Padre Paulo Ricardo, que o pluralismo na Igreja é bom (entenda-se pluralismo por fiéis mais e menos tradicionais, nao liberais , esquerdistas, hereges ou nao fieis ao Santo Padre).

    Os que gostam mais das tradiçoes antigas, e alguns que busquem a Nova Evangelizaçao, fazem a Igreja dar frutos de maneiras boas e saudaveis, mas exagerar e começar com anatemizaçoes e teorias de conspiraçao não é algo q eu julge bom nao.

    Alê fica aqui mais um tema bom aqui:a Tradiçao Familia e Propriedade.

  • Olha aí o Cadu querendo sangue! Muito bom tema, mas exige cuidados e vamos ter que ver como abordá-lo…

  • Nao nao quero sangue Ale kkk, quero apenas acolher e unir forças com aqueles q sao nossos irmaos e q me parecem, posso estar errado, um pouco distantes do tempo em q a Igreja vive hj.

    Tava vendo um video do programa do Prof. Aquino na CN, em q o Pe Paulo Ricardo, q estava la de convidado, disse q um dos grandes esforços do Santo Padre hj, é mostrar q nao existem duas igrejas (uma pré e uma pós Vaticano II), mas q a Igreja é e a mesma, mas eu acho q os caras da TFP, nao creem mto nisso nao.

    Um tema complexo sem duvida.

  • Paulo Ricardo "O Historiador"

    E aí meus amigos,

    Eu hoje passei o dia pesquisando por aí. Cheguei a uma conclusão terrível. Como brigamos entre nós! Eu sou muito a favor de uma boa briga, aliás sinto-me, pra minha vergonha espiritual em alguns casos, até inspirado. Mas pelo jeito das coisas está demais! Sou um razoável especialista em história antiga e medieval mas não sou bom em entender a atualidade talvez como deveria. É muito horrendo ver mentes desperdiçadas em brigas que só fortalecem o inimigo.
    Só para ter um exemplo, a Montfort mete o pau na TFP, e a RC tenta de toda forma desancar a Montfort (não dá para eles é claro). Por merecer, o professor Olavo de Carvalho desancou o Orlando Fedeli, que foi reduzido a um mero idiota quando quis polemizar com ele. Mortos Fedeli e Plínio Correia, parece nascer um culto dentro das organizações para canonizá-los. Tá demais!
    Tanto TFP como Montfort tem coisas boas, da mesma forma que a RC, embora eu não seja o seu maior simpatizante, aliás estou longe disso. Não apoio o Concílio do Vaticano II, mas se João XXIII quis, estamos aí, prefiro Missa Tridentina mesmo, mas eu sou antiquado. Só no mídia sem máscara eu pude pescar um pouco de sensatez não só para católicos mas para todos os tipos de cristãos. Lá cristão não pode falar nada contra cristão com a seguinte justificativa – com tantos inimigos rondando não é hora de ficar atacando os seus semelhantes (depois a gente se acerta) – o parêntese é meu.
    Bom, não tenho a pretensão de unir todos os cristãos, mas posso apenas fazer a minha própria contribuição. Peço perdão sinceramente a qualquer um que venha a se sentir ofendido com minhas palavras e espero que possamos estar unidos sob a luz de Cristo, como seus filhos diletos hoje e para sempre. Poso não concordar com muitas idéias, mas aguardo seu questionamento para minha manifestação. Essa sim é hora de amar.

    • Daniel Pires

      Fico pensando onde nós, católicos trads (não rad trads) com elementos de modernidade (prefiro a missa tridentina mas uso brinco, por exemplo) estamos. Acredito que sejamos coleguinhas de banco em posicionamento dentro da igreja de Chesterton, Kreeft, entre outros católicos meramente católicos.

  • Sábias e belas palavras Paulao! A Igreja tem sim um pluralismo saudavel em si, é importante sempre promover um debate q nos faça crescer.

    Sigo seu exemplo e faço minhas as suas palavras, se de alguma forma fui grosseiro ou maldoso com alguem, peço de todo o coraçao perdao, nao vale a pena fazer contendas no Corpo Mistico de Cristo.

  • Meeeeeu Deus! O Paulão deu uma contemporizada no assunto, disse aceitar o Vaticano II (mesmo não gostando) e, de quebra, quase elogiou a RC! Estou assustado… Rs…

    Concordo com tudo em gênero, número e grau.

  • Pensei q vc ia ate fala q a Tia Maricota ia ta orgulhosa do Paulo kkkkkk Brincadeira Alê.

  • Hahahahahahahahaha!!! Cara… A Tia Maricota com certeza está ORGULHOSÍSSIMA do nosso Paulinho Paz e Amor!!!!

  • Paulo Ricardo

    É o Natal…

    Estou trocando minha fase “zen… zen paciência” por uma mais do tipo “dê tiros de aviso na coluna antes de finalizar o indivíduo”. E no final das contas quem tem razão é Jesus, que nunca erra.

    E não, não assisti “Hair” 25 vezes essa semana para ficar “flower power”, ahahahahahahahahah, só cacei blogs de TFP´s, RC´s, Montfortianos, como aquele nosso amigo que entrou aqui com dedo em riste. Com certeza a Tia Maricota não ia gostar da atitude dos garotinhos, ai, ai, ai. Mas eu ainda continuo sem assistir a Rede Canção Nova!!!!

  • Eu li mais uma vez o post e devo dizer que o compreendi melhor. Devo dizer também que não entrei aqui com o “dedo em riste” só vejo que ha um tom de brincadeira em alguns dos seus posts, seriedade não é carranca é objetivo e o fim pelo qual lutamos ou seja, a salvação de nossas almas e de nossos irmãos. Quando falo de sacralidade faço referência a demostrarmos o amor a Santa Igreja no que Ela tem de santo, belo e sacral,pois vejo que até mesmo nos altos escalões da Igreja esse amor esvasneceue e os católicos aceitam tudo e todos somente se preocupam em se sentirem “bem” afinal toda religião salva não é?

  • Oi, povo!

    Voltei ressucitando mais um post “antigo”! Se bem que é oportuno falar de Natal de novo agora, né?

    Mas o que me chamou atenção e me deu vontade de falar mesmo foi esse finalzinho aqui, ó: “Calma… ainda não piorou. Mas acho que não falta muito para os feriados religiosos deixarem de existir, por não serem “politicamente corretos”.

    Crucifixos sendo removidos das repartições públicas e das salas de aula… implicância com o “Deus seja louvado” nas nossas notinhas de reáu… vejo esse quadro cada vez mais próximo.

    Mas me lembrei de uma trollada que meu pai, na época gerente na firma onde trabalhava, deu em 2 protestantes que estavam felizes da vida com a chegada do 12 de Outubro… “Ei, os senhores vão trabalhar no feriado, ok? É dia de Nossa Senhora Aparecida, por que acham que vão aproveitar isso sem acreditar nela?”

    Foi legal. 8D

    Abraços!

  • André

    “pouco importa se Cristo nasceu ou não no dia 25 de dezembro”. Com certeza, o aniversariante é mais importante que a data, porém estudiosos reforçam a data de 25 de dezembro como é mostrado aqui:http://thyselfolord.blogspot.com.br/2012/12/cristo-nasceu-dia-25-sim-ha-otimas.html
    Os estudiosos são Jimmy Akin e Taylor Marshall, os dois são ex-protestantes convertidos ao catolicismo. Penso que isso é muito importante para nossa fé nessa data tão santa.

  • Isabela Simão

    O Catequista!
    Eu gostaria de saber quando devemos montar o presépio pro Natal. Sei que devemos desmontá-lo ao dia de Reis, 6 de janeiro. Mas não sei quando montar.
    Tenho procurado nos posts do site, mas não encontrei.

  • Jonathan Baliellas

    Bom dia,

    Conheci o blog há algumas semanas e passei a “devorar” as postagens aqui. São realmente muito boas e cheias de conteúdo. Parabéns!

    Não entendam isso como uma crítica, é apenas uma observação. É indicada como “orkutização final” do Natal o fato de empresas recentemente desejarem “boas FESTAS”, considerando o Natal como uma mera festa, assim como seria a virada do ano.

    Três anos depois desta postagem, há uma outra que usa exatamente esse termo para se referir ao Natal e ano novo (neste link: http://ocatequista.com.br/archives/14590 – “Passe as festas de Fim de Ano com O Catequista!”).

    Por coerência, para o blog também não orkutizar o Natal, seria possível alterar o título da postagem, que é um convite para sintonizar o rádio, e algumas partes do conteúdo, como “curtir a festa ouvindo O Catequista!!!!”?

    Não precisa nem aprovar este comentário, é só uma observação mesmo. Sei bem que palavras se tornam tão difundidas que muitas vezes as utilizamos sem ao menos perceber.

    Mais uma vez: Parabéns pelo blog.

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>