“Ei, católicos, vocês adoram imagens!” “Ah tá. Fale com a minha mão.”

Nem cheirar, nem matar, nem traficar, nem roubar doce de criancinha; o pecado mais atiça a sanha dos nossos irmãos evangélicos é a idolatria. E, nesse ponto, quase todos os católicos vivem sendo “crenticados”.

A estratégia dos nossos acusadores é a da tijolada: pegam uma passagem da Bíblia, tiram ela do seu contexto e a lançam na nossa cabeça, sem dó. Neste caso, o tijolo, isto é, o texto que usam como arma para atacar a nossa fé é o seguinte:

“Não terás outros deuses diante de minha face. Não farás para ti escultura, nem figura alguma do que está em cima, nos céus, ou embaixo, sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra. Não te prostrarás diante delas e não lhes prestarás culto.” (Ex 20,3-5)

De fato, o texto não deixa margem para dúvidas: prestar culto a imagens de santos, como nós católicos fazemos, seria realmente um pecado gravíssimo… na época do Antigo Testamento. A proibição era, então, absolutamente necessária, mas perdeu o seu sentido quando o Velho deu lugar ao Novo Testamento.

Explico: o povo que vivenciou o Êxodo era, em grande parte, idólatra. A crença no Deus de Abraão, Isaac e Jacó não os imunizou da influência religiosa dos demais povos. Assim, o culto aos ídolos – primeiramente o bezerro de ouro, e depois os baals – era uma fonte de frequentes aborrecimentos e decepções para o Senhor.

Por isso, havia o grande risco de os hebreus perceberem o Deus da Aliança como mais um deus, o que deus estava “em alta” no momento, e não como O Deus, Único e Verdadeiro. Javé precisava deixar claro o abismo que havia entre os ídolos e Ele: Ele não é produto da mente humana, nem tampouco a Sua doutrina. Ele é o Deus que se revelou, Ele é Aquele que É (“Eu Sou Aquele que Sou” – Ex,3-14). Os ídolos, por sua vez, eram patéticos e impotentes objetos de pau, metal ou pedra, que representavam esquemas religiosos e doutrinas criadas pela imaginação humana.

Assim, foi preciso tomar uma medida educativa: proibir que o povo fizesse qualquer imagem do Senhor, para deixar claro que Ele não era mais um deus inventado, moldado por mãos humanas. Ademais, ninguém conhecia o Seu rosto, e nenhuma imagem poderia ficar à altura da Sua imensa glória:

“No dia em que o SENHOR vos falou do meio do fogo no Horeb, não vistes figura alguma. Guardai-vos bem de corromper-vos, fazendo figuras de ídolos de qualquer tipo.” (Dt 4, 15-16)

Entendida a razão que originou da proibição do culto às imagens? Então, passemos à segunda parte da história…

“Jingle Bells, jingle Bells!…”. Deus finalmente nos mostrou a Sua face. Todo o poder, o amor, a beleza, a misericórdia e a força Deus sem rosto e sem nome cabiam agora no corpo de um Menino. Os olhos dos homens finalmente podiam contemplar a FIGURA do Criador: “Quem Me vê, vê também Aquele que Me enviou” (Jo 12,45).

Talvez o nariz ou os olhos fossem parecidos com os de Sua Mãe. Talvez. Mas o certo que os traços do rosto de Jesus não seriam jamais esquecidos ou ignorados pelos cristãos da comunidade primitiva. As paredes das catacumbas estão lá, para quem quiser e puder ver: pinturas de santos – inclusive de Maria, ó que pecado! – e personagens bíblicos para todo o lado.

Assim, não podemos compreender a Bíblia sem considerar a Tradição da Igreja, que, desde os primeiros séculos, entendeu que os ícones que representavam o Senhor, Maria e os santos exprimiam de forma legítima a fé e a esperança do nosso povo. Não custa lembrar o óbvio: a proibição do culto às imagens está diretamente relacionada ao combate à adoração de outros deuses. Por isso, o mandamento que condena a idolatria não se aplica no caso das imagens católicas, já que estas nos remetem à glória do próprio Cristo. Os ícones católicos nos testemunham sobre a vida de personagens reais e históricos (e não imaginários, como os ídolos), que dedicaram sua vida ao Senhor.

A relação dos católicos com as imagens de Jesus e dos santos é comparável à que qualquer pessoa tem com a fotografia das pessoas amadas. Quando olhamos a imagem de alguém importante para nós, a afeição se projeta; trazemos as fotos com carinho na carteira, colocamos em um canto de destaque na sala, beijamos o papel inerte quando a saudade aperta… E ninguém, por mais imbecil que seja, faria algum comentário infeliz aludindo a “idolatria”.

Pra encerrar, digo que este post não tem o objetivo de fornecer munição para que você, católico, possa se justificar quando te “crenticarem”. Não vale a pena gastar a saliva (a não ser nos raros casos em que há a possibilidade de um diálogo honesto e objetivo). O papo aqui é mesmo para nos ajudar a compreender as raízes da nossa própria identidade. Assim, sabendo quem nós somos e porque nós somos, nos tornamos mais capazes de viver a nossa fé de forma alegre, livre e consciente.

Por isso, se alguém vier lhe chamar de idólatra, não discuta. Manda o cara falar com a sua mão.

UPDATE:

Os comentários neste post acabaram nos motivando a escrever a parte 2! Confira:

Ainda acha que católicos adoram imagens? Continue falando com a minha mão… 

 

491 comments to “Ei, católicos, vocês adoram imagens!” “Ah tá. Fale com a minha mão.”

  • Wagner

    Há um tempo atrás eu estava em um diálogo amistosíssimo com um Judeu, eu perguntava-lhe algumas coisas sobre a tradição judaica e ele prontamente me respondia. Tirei até algumas dúvidas quanto á fatos que realmente deixamos passar batidos como o azeite das virgens prudentes, a agulha por ande passaria o camelo, o segundo mandamento…enfim, coisas supérfluas.

    Estava até curtindo o diálogo quando ele inesperadamente, sem escrúpulos e num nível intelectualmente baixo, me disse: “vocês católicos adoram imagens!”. Fiquei estático e surpreso com tamanha mediocridade intelectual. Um sujeito que há pouco eu tinha um certo respeito, de repente dá um flato cerebral destes! É realmente um escândalo tal acusação! Vindo de um judeu que não crê em Jesus Cristo como Deus ainda até que passa (pois o coitado parou no tempo há 2000 anos atrás e ainda voa saltitante na ideia da vinda messias libertador prometido), mas de um protestante que berra nas esquinas que Jesus é o Senhor? Tá de brincadeira!

    Ainda tem as passagens claras na própria bíblia que Deus mandou que esculpissem e colocassem as imagens nos lugares mais sagrados como a Arca da Aliança por exemplo. E pra terminar; Como pode um sujeito me dizer que eu sou comedor de camarão se não como e nem gosto de camarão? O tal sujeito se põe na excelsa magnitude de interpretar minhas ações interiores mais devotas com tal presunção que se põe até no lugar de Deus para tal interpretação. E vem me chamanr de idólatra? fala com a minha mão otário!

    • Sidnei

      É Wagener, este judeu merecia falar com sua mão, porém, eu ao contrário de você, gosto muito de comer camarão e se um judeu viesse em tom de ofensa me chamar de comedor de camarão, isto iria entrar em um ouvido e iria sair em outro, pois, desde quando é ofensa comer camarão?, assim como iria entrar em um ouvido e sair no outro, me chamarem de idolatra, desde quando é idolatria em demonstrar: honra, respeito e reverência a alguém, por diversas maneiras, entre elas, a imagens que representam tal pessoa?. Pensei que só protestantes fossem ignorantes neste assunto, não pensava que os judeus ainda tem estes pensamentos contra nós, e depois eles se queixam de antissemitismo quando um cristão católico não concorda com eles, pois para muita destas pessoas (não todas, pois não podemos generalizar), se você discordar o que quer que seja desa gente, você passa a ser um antissemita em potencial.

  • Rodrigo Paiva

    Oi gente! Queria tirar uma dúvida, se só Deus é onisciente, onipresente e onipotente, significa dizer que devemos nos dirigir aos santos em voz alta, já que eles não sendo oniscientes, também não conseguiriam saber de nossos pensamentos? Desde já agradeço a atenção de vocês !!!! PAZ E BEM!

    • Rodrigo,
      Deus dá àqueles que estão unidos a Ele de forma mais perfeita a capacidade de realizar maravilhas, maravilhas estas que só Deus seria capaz de fazer, como grandes milagres, e até ressurreição de mortos, como Pedro fez, na Bíblia. Portanto, nenhum santo, por si mesmo, é capaz de realizar um milagre, mas sendo membro do Corpo de Cristo e estando unido a Ele de forma mais perfeita, os santos são capazes de grandes coisas. Veja, o próprio Jesus disse:

      “Em verdade, em verdade vos digo: aquele que crê em mim fará também as obras que eu faço, e fará ainda maiores do que estas...” (João 14,12)

      Então, os santos não são oniscientes, mas conforme a Sua vontade, Deus permite que eles ouçam o clamor dos fiéis, seja este clamor elevado com a voz ou com o simples pensamento.

      Vamos colocar aqui a resposta a essa questão dada por Santo Agostinho:

      “Convenhamos que os mortos ignoram o que acontece na terra, pelo menos no momento em que ocorrem. Pode vir a conhecer mais tarde, por intermédio daqueles que vão ao seu encontro, uma vez falecidos. Certamente, não ficam sabendo de tudo, mas apenas aquilo que lhe for autorizado saber e que têm necessidade de saber.

      Os anjos, que velam sobre as coisas deste mundo, também podem lhes revelar alguns pontos que julguem convenientes a cada um, por Aquele que tudo governa, pois se os anjos não tivessem o poder de estarem presentes tanto na morada dos vivos quanto na dos mortos, o próprio Senhor Jesus não teria dito: ‘Aconteceu que o pobre [Lázaro] morreu e foi levado pelos anjos ao seio de Abraão’. Eles estão, assim, ora na terra, ora no céu, já que foi da terra que levaram aquele homem que Deus os confiou.

      “As almas dos mortos também podem conhecer alguns acontecimentos aqui da terra por revelação do Espírito Santo, acontecimentos estes cujo conhecimento seja necessário. E isto não se restringe somente a fatos passados ou presentes, mas também futuros. É assim que os homens – não todos, mas apenas os profetas – conheceram durante sua vida mortal, não todas as coisas, mas apenas aquelas que a Providência Divina julgava bom lhes revelar.”

      (Agostinho, em “O cuidado devido aos mortos”)

  • Wagner

    Olá Sidney, não tenho nada contra o camarão, negócio bom de mineiro mesmo é pão de queijo, rs. Mas foi uma forma de tentar mostrar a questão de interpretação interior (usei a gustativa). A argumentação minha ficou um pouco confusa, mas em resumo é que protestantes e judeus se unem neste ataques aos católicos com esta história de idolatria. Totalmente nem nexo em todos os sentidos. Eu vejo os hangouts do catequista e este pessoal aí são todos cariocas? não tem mineiro não? Brincadeiras à parte, parabéns pelo excelente trabalho! Vocês não falam com a minha mão e sim com o meu intelecto.

  • Estou a dias a tentar explicar este tema a um amigo e me faltam sempre argumentos… O facto de Eu não ter em decorro e salteado as passagem bíblicas me deixa ainda mais sem argumentos!!!

    vou reler este vosso Post e os coments muitas e varias vezes!!!

    OBRIGADO!

  • Daniela

    Só uma pergunta:
    Então todos os outros mandamentos do velho testamento foram abolidos ???

  • Deus é o mesmo da Genises ao Apoclipce.
    Não se pode despresar o velho testamento como vocês fazem.
    Oque um pai pensaria se seu filho desprezace os seus ensinamentos, e seu filho dissesse ,meu pai já está velho e acabado, agora é tudo novo, outros tempos tudo normal.

    • Antônio, você está equivocado. A doutrina católica não despreza nenhum ensinamento de Deus, apenas faz a correta interpretação do Antigo Testamento, à luz do Novo Testamento e da Sagrada Tradição. Acaso você come camarão? Raspa a barba do lado? Pois essas coisas eram proibidas no Antigo Testamento, mas caíram por terra com a abolição da lei mosaica. Deus é o mesmo, mas veja que a partir do Novo Testamento ele passou a não mais exigir que os seus fiéis fossem circuncidados. Certo?

      Leia o segundo post sobre este tema, talvez fique mais fácil de você entender:

      http://ocatequista.com.br/archives/13732

    • Jotacê

      Antonio, o que é “Genises” e “Apoclipce”?

  • André Junior

    Simplesmente esclarecedor. Em relação a fotografia, eu como bom fotografo que sou, sempre faço esta analogia também. Tenho conseguido utilizar esta passagem do bezerro de ouro para e.xplicação também. Fico grato por estar clareando mais nossos estudos.Paz de Jesus e amor de Maria para todos

  • marjorie

    Sabe…eh engraçado uma coisa..os protestantes criticam nos.catolicos pq “adoramos”imagens….mas eu pergunto:adorar um artista de tv…um cantor…ou um jogador de futebol também não é uma numa idolatria?????!!!!! Pq eles naum criticam as pessoas que fazem esse essa idolatria??pq não Deixam a gente em paz?!!!

  • Lucas Freitas

    Nossa! estou impressionado, disseram que esse site era modernista, mas pelo que vejo são pessoas responsáveis e que sabem do que falam, estão de parabéns catequistas!

  • jordani nascimento

    queria saber, onde fala na biblia, que os mandamentos de DEUS perdeu sentindo, quando o velho testamento deu lugar ao novo.como voce mencionou, e destacou no seu texto.

    • Em nenhum momento dissemos, neste post, que os mandamentos de Deus perderam o sentido. Isso seria uma grave heresia, pois os Dez Mandamentos vigoram para sempre. E, além do mais, nós católicos entendemos que idolatria sempre foi pecado, e continuará sendo pecado eternamente. O que vocês protestantes têm dificuldade de entender é que o culto a imagens de santos não é mais idolatria. Um dia foi, não é mais. Assim como cortar o cabelo em redondo e a barba dos lados – o que é proibido do Levítico – também já foi idolatria um dia, mas não é mais.

      Portanto, Jordani, apenas afirmamos o que a própria Bíblia diz: “Se Deus fala de uma aliança nova é que ele declara antiquada a precedente. Ora, o que é antiquado e envelhecido está certamente fadado a desaparecer.” (Hebreus 8,13)

      Explicamos isso melhor no segundo post sobre este assunto. Leia:
      http://ocatequista.com.br/archives/13732

  • Eu,tenho pelos santos admiração,mais como católico,nunca me dirigir a eles pedindo nada,por que só Jesus,ressucitou dos mortos e é quem pode nos dá a salvação,acho bobagem ficar discutindo isso.se a biblia diz que culto é só a Deus,não vejo razão para cultoar quem não é Deus.

    • Nilvan, há um grande mal que se alastra no meio católico, e confunde até os mais sinceros na fé: os erros e heresias do protestantismo. Você usa a Bíblia para tentar se fundamentar – com uma interpretação equivocada, pois a Bíblia fala claramente da intercessão dos santos -, e assim, sem saber, fala como protestante, não como católico.

      Os protestantes é que pregam a heresia da Sola Scriptura (toda autoridade vem da Bíblia) e o livre exame e interpretação das Escrituras. Já os católicos, desde o primeiro século do cristianismo, pregam e sabem que a palavra de Deus foi Revelada não só por escrito, mas também pela Sagrada Tradição oral, e que a interpretação correta dessa Palavra infalível depende do Sagrado Magistério da Igreja.

      Bobagem, portanto, é não crer no ensinamento da Igreja Católica. Afinal, sendo católico, em todas as missas você professa: “Creio na Santa Igreja Católica”. Mas você crê, de verdade?

      Recomendo que você leia com atenção os posts abaixo:

      Intercessão dos santos – versão bíblica e versão crente
      http://ocatequista.com.br/archives/11796

      Santos do Céu – intercessores para os católicos, ociosos para os protestantes
      http://ocatequista.com.br/archives/11817

      Relíquias de santos: SIM, eu venero!
      http://ocatequista.com.br/archives/9739

      “Onde está escrito na Bíblia…?” – Eis uma pergunta essencialmente anti-bíblica
      http://ocatequista.com.br/archives/15168

      “A” Tradição e as tradições da Igreja – entenda a diferença
      http://ocatequista.com.br/archives/15194

      Um dia na vida da Igreja Primitiva
      http://ocatequista.com.br/archives/10672

    • Nilvan, mesmo sem querer, no que escrevestes, acabasse dando a entender que católicos são idólatras, uma velha acusação falsa. Para esta sua questão, também recomendo assistir este vídeo do Padre Rodrigo Maia.
      https://www.youtube.com/watch?t=11&v=I9NmKjImzBI

  • Rudy Ribeiro

    Olá, seria possível um artigo explicando os graus de culto? Latria, Hiperdulia e Dulia? Como devemos nos portar, prostrar e venerar diante de cada um?

  • todas as vezes que vejo pessoas que pensa em ser superior a outros, peso a misericórdia do senhor jesus. acho que o sabe tudo não tem imagem mas tem muitas foto do milionário bispo da sua igreja

  • Jonathas

    E o simples ato de se ajoelhar pra uma santa é idoltria?

  • Roger Sola Gratia

    Ola amigos,sou protestante e escrevi um texto sobre o que é idolatria

    http://mestresteologiaedebates.blogspot.com.br/2015/09/derrubando-o-altar-de-baal.html

  • Maurício Pantaneiro

    Excelente explicações sobre adoração às imagens. O grande problema que muito de nós católicos temos é que não conhecemos, ou melhor, não buscamos conhecer nossa igreja, nossa identidade cristã. Alguns anos atrás eu sempre sofria com diversos comentários protestantes sobre minha crença; era atacado, humilhado; não sabia como responder às acusações deles. Cheguei ao ponto de dizer que realmente eles estavam certos em dizer que eu era idólatra. Porém ao decidir conhecer melhor minha igreja, minha crença; vi que realmente eu não a conhecia.

    Busquei nas escrituras sagradas, nas palestras cristãs e em cursos de teologia a verdadeira essência da minha igreja, da minha crença. Tirei todas as minhas dúvidas, confirmei minha fé me crismando. Hoje sou catequista e trabalho com jovens em minha paróquia. Não sou mais atacado por protestantes como era, hoje sei responder quando se faz necessário e já consegui convencer muitos deles sobre minha crença e mostrei na bíblia onde está escrito tudo o que me perguntavam. Perdi amigos, ganhei irmãos; a vida continua. Por isso antes de qualquer coisa católico; antes de se “converter” ao protestantismo ou outra religião; conheça sua igreja, sua crença, sua identidade cristã. Você verá que não sabe nada e aprenderá tudo o necessário para sua vida; não para responder aos ataques dos outros, mas para se sentir bem e saber que segue o verdadeiro Deus. A Paz de Jesus e o amor de Maria. Amém!

    • Carolina Mulller

      Maurício, vou fazer um desabafo. Tenho muitas dúvidas, mas vejo que elas não são bem vindas. Já tentei crismar duas vezes, mas elas me assolam. E não encontro quem me dê respostas. Eu simplesmente não entendo pq não me dão respostas. Desculpe, mas não quero simplesmente seguir. Eu quero tentar entender, pq sempre fui movida pela razão. Sou herética? Sou protestante? Pelo que vejo neste blog, devo ser. Isso me entristece profundamente. Parece que qualquer indagação, discordância ou crítica é tratada como heresia.

      Houve um tempo em que eu queria me engajar e evoluir no serviço ao Senhor em minha Paróquia. Inscrevi-me na Crisma e era muito interessada no Sacramento. Mas percebi um ambiente insípido, pouco aberto a qualquer discussão, regido por ventos polares e falsidade. Mesmo primando pelo silêncio e evitando conversas frívolas, o que me deu a fama de antissocial, as fofocas chegavam com força. Joguei a toalha. Alguém me ligou para saber o que houve? Nada… O Padre me conhecia… Ele me procurou ou ligou? Nada…

      Hj não procuro mais Padres. Sou misseira, como dizem. Mudei de Paróquia e sou chamada de católica de araque pelo novo Padre, pois é assim que são tratados os não engajados. Inscrevi-me novamente na Crisma, mas desisti sem começar. Sou uma ovelha desgarrada, mas que não se juntará à matilha dos lobos.

      • Cara Carolina Muller, primeiro, dispões-te a buscar respostas? Qual sua primeira dúvida?

      • “Eu quero tentar entender, pq sempre fui movida pela razão. Sou herética? Sou protestante? Pelo que vejo neste blog, devo ser”.
        Carolina, você está sendo injusta com nosso blog, talvez por não conhecê-lo o suficiente. Estamos abertos e dispostos a responder com boa vontade as mais diversas dúvidas sobre a doutrina, a liturgia e a história da Igreja, até mesmo de irmãos não-católicos. Só não perdemos tempo com gente que tem por esporte duvidar (creio que não seja esse o seu caso), porque nossa equipe é pequena, e por isso temos que ser focados.

        Se quiser nos enviar suas dúvidas, estamos aí.

        Sobre razão e fé, leia o nosso post:
        Convite: venha conhecer Jesus. Importante: traga seu cérebro!
        http://ocatequista.com.br/archives/8640

  • Juracy Lukasiunas Britto

    TENHO DUVIDAS;QUANTO A GUARDA DOS SABADOS ;POIS TENHO LIDO NA biblia,porque os catolicos guardam o domingo,ao inves de guardar o sabado,como esta na biblia,

  • arthur

    Nós católicos só respeitamos a imagem pois nos lembra da pessoa que se retrata,eu nunca vi o padre pedindo para eu beijar a imagem,do mesmo modo eu respeito a imagem dos meus pais e familiares,penso que as muitas pessoas também respeitam

  • Iara Borges

    Jesus do Céu… A que ponto não chegam esses protestantes!

    Desdenham de tudo quanto fala a Igreja, mas creem em qualquer zé ruela que chegue e diga estar tendo “visões”… :O

    Chocada com tanta sandice… Só se Deus fosse um ignorante pra dizer esse tipo de coisa em uma “revelação”…

    https://www.youtube.com/watch?v=4LxkvyMcjrw

  • santo agostinho falava a respeito de visões,e não de comunicação com os mortos.a discussão era se os santos com a autorização de Deus,poderiam aparecer ou não a algun fiel.

    • Sidnei

      “Portanto, como bem sabem os fiéis, a disciplina eclesiástica prescreve que, quando se mencionam os mártires nesse lugar durante a Celebração Eucarística, não se reza por eles, mas pelos outros defuntos que também aí se comemoram. Não é conveniente orar por um Mártir, pois somos nós que devemos encomendar suas orações.” – Santo Agostinho (391-430 d.C. – Sermão 159, 1)

      “Não deixemos parecer para nós pouca coisa; que sejamos membros do mesmo Corpo que elas [Santa Perpétua e Santa Felicidade] (…). Nós nos maravilhamos com elas, elas sentem compaixão de nós. Nós nos alegramos por elas, elas oram por nós (…). Contudo, nós todos servimos um só Senhor, seguimos um só Mestre, atendemos um só Rei. Estamos unidos a uma Cabeça; nos dirigimos a uma Jerusalém; seguimos após um Amor, envolvendo uma Unidade.” – Santo Agostinho (391-430 dC), Sermão 280,6

      “Um povo cristão celebra unidos em solenidade religiosa o memorial dos mártires, tanto para encorajar e ser imitado quanto para que possamos participar de seus méritos e serem auxiliados pelas suas orações. Mas é tal que os nossos altares estão definidos para qualquer dos mártires – mas apenas em sua memória -, mas ao próprio Deus, o Deus dos mártires.” (Agostinho, Contra Fausto o maniqueísta).

      Na mesa do Senhor nós não comemoramos os mártires da mesma forma que fazemos outros que descansam em paz, a fim de orar por eles, pelo contrário que eles possam orar por nós para que possamos seguir os seus passos.” (Homilias sobre John 84 [AD 416]).

  • miguel

    católico não adora imagem,somos adoradores do senhor Deus todo poderoso,ele estar de prova.
    sobre as imagens sagras,apenas representa os irmãos santificados em cristo,as histórias santas de cada um deles apontam para jesus nosso senhor,são irmãos que admiramos pela fé.eles não são mais do que Deus,são apenas pessoas que viveram como Jesus ensinou,por isso são santificada em nome do senhor,elas estão vivas junto as cordeiro santo de Deus intercedendo por todos,até mesmo pelo que não acreditam,estão todos orando.somos a igreja primitiva apostólica,temos mais de 2 mil anos.

  • miguel

    não cabe a ninguém julgar,pois Deus estar de prova quem estar vivendo uma vida santa ou não,pois só o cordeiro santo de DEUS irá julgar com justiça divina.
    Não devia ter essas questões de divisões criadas por tantas igrejas,pois o desejo de DEUS é um só rebanho para a salvação de toda humanidade.

  • miguel

    sobre o sábado: não guardamos pois jesus ressuscitou no domingo e apareceu aos apóstolos nos domingos e o sábado era da antiga aliança na criação da humanidade,ai eu te pergunto quem é mais importante a lei da criação ou o senhor Jesus?
    eu acredito no senhor JESUS,POIS ELE É O SENHOR DE TUDO E VC?

  • devanildo

    Parabéns, estão nos ajudando muito. Que Deus sempre vos abençoe!!!

  • Daniel Baptista de Medeiros

    Qual a melhor oração para não cair nas tentações da carne?

  • JOSE LISBOA

    Jose Lisboa,

    Vocês, que se dizem protestantes, seguem a palavra que está na bíblia. Pois bem, palavras são símbolos e se vocês adoram as palavras de Deus, vocês também adoram símbolos, ou vocês não sabem o que são símbolos?

  • DIAS

    Pois então está aberto um precedente perigoso,por exemplo,os homossexuais afirmam que a proibição descrita em Levítico caducou e não se aplica mais aos dias de hoje, e agora?a prostituição era pecado no AT e agora, não é mais?

    • Dias, a paz de Cristo!
      Acabei de ver que há três comentários seus aqui no blog (até o momento). Vamos responder um a um. Porém, antes de tudo, de coração aberto, já adianto uma coisa: nosso foco é ajudar os irmãos católicos a conhecerem melhor a doutrina e a história da Igreja Católica. Essa é a nossa dedicação principal, e não nos permitimos fugir muito disso, porque nossa equipe é pequena, o trabalho é muito e o nosso tempo é escasso. Isso não nos impede, eventualmente, de responder com respeito e solicitude aos irmãos não-católicos que venham aqui fazer perguntas.

      Mas atenção: não damos espaço para quem pretende vir aqui atacar a fé católica e fazer proselitismo de outras crenças. Bem, as cartas estão na mesa, ok?

      Vamos à sua pergunta. Não há nenhum precedente perigoso aberto, Dias. O que há é, da parte de muitas pessoas, uma confusão e incapacidade de discernir o que eram aspectos transitórios e circunstanciais da Antiga Aliança, e o que era lei eterna, que seria confirmada e aprofundada na Nova Aliança.

      O cristianismo é uma doutrina REVELADA pelo próprio Deus. Sendo assim, o que é eterno e o que é transitório foi comunicado pelo próprio Cristo a seus Apóstolos. Essa doutrina os Apóstolos transmitiram à Igreja, em parte por escritos (Novo Testamento), em parte por ensinamentos orais (Tradição).

      Algumas revogações estão evidentes na própria Bíblia, quando São Pedro recebe uma visão lhe revelando que o consumo de alimentos antes considerados impuros (como carne de porco, camarão etc.) já não deveria mais ser condenado. E também São Paulo, que ensina que a circuncisão já não era mais necessária, pois foi substituída pelo batismo. Também Jesus revoga a lei do divórcio de Moisés; justifica-a como necessária a seu tempo, mas que, na verdade, o que Deus uniu o homem não deve separar.

      Especificamente sobre as normas do Levítico e a questão das práticas homossexuais, já publicamos um post:
      Livro do Levítico – Aprenda a refutar os trolls
      http://ocatequista.com.br/archives/14615

      • DIAS

        Bom dia. Cheguei ao catequista procurando resposta a questão se o inferno está vazio ou não, portanto a minha intenção não é fazer “proselitismo”pois creio que Deus está acima de qualquer religião e as pessoas precisam nascer de novo e serem salvas, não ataco pessoas mas estou em busca de respostas que precipuamente estejam coadunadas com a Bíblia que considero como regra de fé e prática para todo aquele que deseja fazer a vontade de Deus; acabei de ler o post sobre Levítico e achei excelente!

        Mas estudando a História da Igreja, observei que através dos tempos foram introduzidas na mesma práticas que não existiam na Igreja Primitiva entre elas as imagens dos apóstolos que segundo um professor de História da faculdade, substituíram as imagens dos pagãos que se convertiam ao Cristianismo, se possível gostaria de esclarecimentos sobre esse tema e repito: estou buscando respostas e nada mais.

        • Sidnei

          Dias, este seu professor de história deve ter tecido um comentário segundo a opinião dele, mas não que foi de fato, pois e houve alguma introdução na Igreja de que não havia na Igreja primitiva, pode crer que com relação as imagens, estas não foram, haja vista que já existiam imagens, em forma de pinturas, já nas antigas catacumbas os quais os cristãos se reuniam durante as grandes perseguições promovidas pelo império romano. Portanto, o uso das imagens já existia desde o início da Igreja, e depois passou a ser usada até hoje, em forma de pinturas ou estatuas, mas deve ser frisado, que estas imagens elas são usadas para: ornamentar, instruir e inspirar respeito e reverência, não tanto as imagens, mas quem as imagens representam, pois se temos consideração e estima diante da fotografia de alguém que queremos bem, é evidente que não teremos estes sentimentos pela foto, mas quem a foto representa, e assim temos pelas imagens, cujos atos de honra, reverência e respeito, não são dirigidas as imagens, mas, a quem elas representam. Gosto de ver nestes gestos os primeiros cristãos que se utilizaram de imagens nas catacumbas de Roma, a passagem de São Paulo que diz: Examinais tudo e ficai com o que é bom (1º Tes. 5,21) se estes primeiros cristãos a verificarem nas Sagradas Escrituras, que DEUS permitiu a confecção de imagens para ornamentar e instruir, como na Arca da Aliança, a serpente de bronze e as imagens no templos de Salomão, eles pegaram isto e confeccionaram as imagens para este mesmo fim nas catacumbas, e assim, este costume seguiu adiante na Igreja até nos dias de hoje. Espero ter ajudado.

        • Sendo assim, Dias, seja muito bem-vindo ao blog!

          Sim, é claro que a Bíblia é regra de fé, e toda e qualquer crença deve estar em harmonia com seus ensinamentos, pois a Bíblia é infalível e perfeita. O ponto é: a Bíblia não é suficiente por si mesma, e ela possui uma chave de interpretação que está fora dela, e que historicamente lhe antecede: a Tradição e o Magistério.

          Veja, há milhares denominações cristãs, e a maioria delas apresenta interpretações diferentes da Bíblia. Mas em Deus não há confusão, nem caminhos nebulosos. Portanto, é evidente que a Bíblia não se basta por si mesma, não pode ser a única autoridade nem única fonte de Revelação da Palavra infalível de Deus. Veja, é inegável que o ensinamento oral dos Apóstolos (Magistério Sagrado e Tradição oral), por décadas, precedeu os Evangelhos escritos. Isso prova que Deus revelou Sua Palavra infalivelmente ao povo não só por meio das Escrituras, mas também por meio da autoridade daqueles humanos pecadores que Ele investiu como líderes da Sua Igreja – ou seja, Pedro e os demais Apóstolos.

          Jesus fundou uma Igreja hierárquica. Por isso, na Bíblia está dito que A IGREJA É COLUNA E SUSTENTÁCULO DA VERDADE (I Timóteo 3, 15), e não que as Escrituras são coluna e sustentáculo da verdade. Isso porque as Escrituras precisam da correta chave de interpretação, e precisam ser fonte de orientação precisa (e não vaga) para os homens e os problemas de todo e qualquer tempo. E quem tem AS CHAVES DO CÉU, nós já sabemos: Pedro, que apesar de ser pecador, recebeu de Jesus a tarefa de ser o pastor máximo das ovelhas, e de ensinar com autoridade divina (“Tudo o que ligares na terra, será ligado nos Céus…”).

          Assim, a conclusão cristalina dessa conversa toda é: a tese reformista da “Só a Bíblia como autoridade” não tem sustentação bíblica. Porque a própria Bíblia deixa evidente que os líderes da Igreja foram investidos de autoridade divina (e especialmente Pedro) para julgar as questões da terra, e ensinar o que é certo e errado, infalivelmente. Pedro, mesmo sendo pecador, jamais pregou nada errado em seus escritos. E é por isso que podemos confiar em suas epístolas como Palavra revelada de Deus, apesar de Pedro ser um homem falível.

          Como vemos, para crer que as epístolas de Tiago, Pedro e Paulo são Palavra infalível de Deus, precisamos aceitar, por lógica, que esses homens tinham AUTORIDADE, e seu ensinamento era infalível. Sendo assim, cai por terra a tese da “somente a Bíblia é autoridade”.

          Bem, agora que fizemos esse esclarecimento fundamental, vamos responder às suas demais dúvidas.

        • Dias, o Sidnei já lhe deu uma boa resposta, vamos aqui complementar. Antes, peço que, caso você ainda não tenha lido (acho que já leu), leia a segunda parte deste post sobre as imagens:

          Ainda acha que católicos adoram imagens? Continue falando com a minha mão…

          http://ocatequista.com.br/archives/13732

          Veja, Dias, você que já estudou História da Igreja, certamente tem uma boa noção da terrível perseguição a que os cristãos estavam submetidos nos primeiros séculos. Naquele contexto, era impossível estabelecer um local adequado para a reunião da assembleia e para o culto (templo). As reuniões eram realizadas nas casas uns dos outros, e em catacumbas. Você haverá de concordar que esse cenário não permite o desenvolvimento de uma arte religiosa.

          Ter imagens religiosas cristãs em casa, naqueles tempos, seria se expor a uma denúncia, então ninguém se atreveria a produzir ou adquirir tais imagens, ainda que achasse isso justo e bom. Já nas catacumbas, como o Sidnei já pontuou, desde os primórdios já havia pinturas de personagens bíblicos em grande profusão. Isso é fato histórico, inegável! Esses locais, obviamente, eram tidos como sagrados pelos cristãos primitivos, pois ali eram enterrados os nossos numerosos mártires e ali se partia o Pão da Eucaristia.

          Se tiver mais perguntas sobre esse tema, fique à vontade para expressar.

  • Jane

    E a questão do dízimo?

  • Magdalena

    Amigo, diga-me onde esses “caçadores da idolatria perdida” jogam fora suas moedas e notas de dinheiro, pois moedas e dinheiro tem imagens até de deuses gregos, e esses “sábios”
    não perceberam. Lembre a eles que até o dinheiro eletrônico, tem imagens: números que representam valores, o que eles adoram pra valer

  • Amanda

    Pessoal, sei que essa minha pergunta foge um pouco do tema, mas se puderem se esclarecer agradeço. Uma amiga certo dia chegou a me dizer que um ex-padre (?)disse a ela que o terço é uma oração copiada dos budistas, que o método é o mesmo, e que os católicos copiaram, assim como os ritos da Santa Missa, as vestes do sacerdote, o altar, o cálice e tudo mais seriam versões cristãs de antigas cerimônias de bruxaria. Na hora fiquei p… da vida e discordei, dando a ela aquela clássica reação: “Ué, mas vocês não pregam o amor? Por que tá com raivinha?” O que eu digo diante de uma coisa dessas? De onde esse ex-padre tirou isso?

    • Sidnei

      Diga a esta sua amiga da onça, que venho com estas balelas deste ex padreco, que antes de copiar qualquer coisa do budismo ou paganismo, que vá a Bíblia e verão que cálice JESUS usou na última ceia, que todo o rito da missa foi baseado na última ceia, que as vestimentas do padre durante a celebração da missa foi baseado nas vestimentas sacerdotais dos judeus do A.T. e que a oração do terço foi baseado na recitação dos salmos, sendo que alguns, de repetitivos que são, mais se assemelham a mantras, só faltam dizer que tais salmos também foram baseado em mantras budistas, veja salmo 136, quantas vezes a frase: “o seu amor é para sempre”, repete, ou o outros salmos como: O Salmo 29 repete: “Voz do Senhor”;
      O Salmo 46 repete: “O Senhor dos Exércitos está conosco”;
      O Salmo 80 repete: “Restaura-nos, ó Deus”
      O Salmo 107 repete: “Rendam graças ao Senhor por sua bondade”. Então querer dizer que os ritos da Santa Missa, as vestimentas dos padres durante o culto, o próprio rito da Santa Missa e a oração do terço seja de origem pagã e budistas, é demonstrar ignorância ou má fé mesmo desta gente que não tem outra coisa para fazer, do que aporrinhar a fé alheia, em particular, a nossa fé católica.

  • Eduardo Rezende Arazera

    Boa Noite!
    Tenho uma grande dúvida com relação a adoração às imagens, pois até elas representarem como uma fotografia, uma lembrança de homens e mulheres de Deus e uma homenagem aos heróis da fé eu entendi. O que não entendo são os cultos aos santos, oferendas, procissões, irmãos ajoelhados diante de imagens pedindo curas e milagres, onde a maioria não pede para Deus e sim para a imagem.
    Gostaria de uma explicação fundamentada com relação a esse assunto.
    Obrigado!

    • Eduardo, ando bem atarefada esses dias (as crianças estão de férias). Então, vou demorar alguns dias para responder à sua pergunta. Eu te mandarei um email avisando, assim que eu responder. Abraço!

    • Sidnei

      Eduardo, a Igreja Católica jamais ensinou que se deve adorar imagens ou qualquer outra coisa a não ser DEUS, este é o ponto nº 1.

      O 2º ponto, é, chamais que se ajoelha-se para fazer um pedido ou se faz uma procissão a uma imagem, mas, sim quem a imagem representa.

      O 3º ponto, é cm relação a oferendas, que oferendas são estas?, pois pelo que eu saiba na Igreja Católica ninguém faz oferenda alguma para alguma imagem ou santo o qual a imagem representa, a não ser que você esta confundindo as oferendas que membros de outras religiões de matriz africana como o candomblé, fazem em seus terreiros, mas aí é o problema do sincretismo religioso, que é a mistura que a população que não tendo uma cultura religiosa mais profunda, acaba confundindo os Santos da Igreja com os orixás destas religiões. Ou talvez você esta confundindo com as velas que se ascendem aos pés das imagens de Maria e dos Santos que são apenas símbolos de nos fé, ou quando se colocam flores aos pés das imagens, que também são forma de honrar, de homenagear queles que estão representados nas imagens. Ou ainda, você esteja pensando nas promessas que algum católico faz a algum santo, que se caso tal santo alcançar a graça que o fiel pedir para que o Santo obtenha junto a DEUS, este fiel então cumprirá tal promessa, mas entre fazer uma promessa e fazer oferenda há uma grande diferença.

      O 4º ponto é com relação ao culto, que volto a repetir, não damos as imagens, mas quem os representam, que são sempre: Maria, os Anjos, os Santos e até NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Com relação a Maria e aos Santos damos sempre um culto de dúlia aos Santos, que é a honra, o respeito, reverência em homenagens públicas ou particulares que fazemos a eles, e a Maria damos um culto de hiperdulia que é o mesmo que damos aos Anjos e aos Santos, porém com maior enfase, por Maria ser mãe de JESUS, Verdadeiro DEUS, e Verdadeiro homem.

      O 5º ponto que quero salientar é com relação a palavra culto. Na nossa língua portuguesa, a palavra culto se reveste de alguns significados, vejamos:

      culto

      Significado de Culto
      s.m.
      Homenagem prestada ao que é considerado sagrado ou divino; a maneira através da qual uma divindade é adorada.
      [Religião] A prática religiosa das igrejas protestantes.
      [Religião] Toda religião que possui princípios, regras ou normas específicas e próprias.
      Liturgia. Demonstração religiosa feita exteriormente.
      [Figurado] Excesso de paixão por algo ou alguém: culto ao cantor.
      adj.
      Instruído; que tem muito conhecimento e cultura: professor culto.
      [Linguística] Erudito; que se pauta na variante formal da língua.
      Civilizado; que está num patamar avançado de civilização: morava numa região culta.
      Cultivado; que se conseguiu cultivar: territórtio culto.
      (Etm. do latim: cultus.a.um)

      Sinônimos de Culto
      Culto é sinônimo de: cultivado, homenagem, adoração, sábio, luminar, literato, letrado, ilustrado, instruído, civilizado, erudito, veneração
      https://www.dicio.com.br/culto/

      Veja que entre tantos significados e sinônimos de culto, esta o de homenagem, sendo assim, quando fazemos uma homenagem a alguém, a uma pessoa, ou até mesmo a homenagem que se faz a pátria a bandeira, estamos fazendo um determinado culto. Sendo assim, na Igreja também quando damos um culto a Maria, aos Anjos e aos Santos, estamos dizendo, que estamos homenageando a eles, e não os adorando, ato este que só é devida a DEUS, tanto que na Igreja Católica há um termo para o culto que damos a DEUS, em suas TRÊS PESSOAS DA SANTÍSSIMA TRINDADE, que é o culto de Latria, que é a adoração ao DEUS Único e Verdadeiro, contrário de idolatria, que é a adoração aos ídolos, aos falsos deuses.

      Portanto, estas são as diferenças entre adorar unicamente a DEUS, e a prestar um culto, que são homenagens que fazemos a Maria, aos Anjos e aos Santos.

      Espero que tenha esclarecido sua dúvida, e espere também a Vivi te responder que elas ter poderá esclarecer mais ainda sobre estas questões.

      Fique com DEUS.

  • Eduardo Rezende Arazera

    OK,

    Muito Obrigado!

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>