A Bíblia diz que Deus não habita em templos feitos por homens. Entenda o significado disso

viajando_maionese_biblia

São Paulo ensina que “O Deus, que fez o mundo e tudo o que nele há, é o Senhor do céu e da terra, e não habita em templos feitos por mãos humanas” (At 17,24). Diante dessa passagem, muitas pessoas viajam na maionese e concluem que os cristãos não precisam construir nem frequentar templos de igrejas. Errado!

Se bem que em certos templos por aí, Deus não habita mesmo! Especialmente naqueles templos de seitas afundadas em puritanismo, em que os pastores vomitam heresias e fazem de tudo para arrancar dinheiro do povo, com encenações bizonhas e técnicas de hipnose para simular possessões e induzir desmaios.

possessao

E TOME SURRA DE TERNO, MIZERÁVI!

surra_terno

Mas voltando ao citado trecho da Bíblia… São Paulo estava explicando aos pagãos de Atenas a diferença entre o paganismo e o cristianismo. O primeiro é uma religião inventada pelos homens, construída pela mente humana, com ídolos que nada mais são do que imagens de deuses inexistentes, enquanto o segundo é uma religião revelada pelo próprio Deus vivo.

Com a Ressurreição de Cristo, inaugurou-se a era da adoração “em espírito e verdade”, um culto que não se restringe a rituais e templos (inclui os rituais e templos, mas vai além disso). Cada cristão é chamado a ser morada de Deus, a ser templo do Espírito Santo. Deus quer habitar em nós!

O Senhor do Universo não precisa que homens lhe construam uma habitação. Mas os cristãos precisam de um espaço físico público e comum para se reunirem – e esse local é o templo. E ali Deus também se faz presente, porque seu povo (a Igreja) ali está reunido, e Jesus prometeu que estaria presente onde dois ou três se reunissem em seu nome.

Nos tempos de Paulo, de fato, não havia templos cristãos. Afinal, o cristianismo era perseguido duramente tanto por judeus quanto por pagãos. Por isso, os fiéis se reuniam aos domingos na casa uns dos outros, para fazer a leitura das Escrituras e para comungar o Corpo e o Sangue de Cristo (Atos 20,7).

Mais tarde, os cristãos viram a necessidade de construir templos para que pudessem se reunir. Com o crescimento do número de fiéis, ficaria impossível utilizar somente espaços residenciais. Era preciso um templo para acolher a Igreja, ou seja, o povo de Deus.

HAVIA TEMPLOS CRISTÃOS NA IGREJA PRIMITIVA?

Os documentos da Igreja primitiva comprovam que os cristãos frequentavam semanalmente o templo, chamado de “igreja”. No cânon 52 do Concílio de Elvira, realizado entre os anos 303 e 324, está dito: “Qualquer um que escreve frases escandalosas em uma igreja deve ser condenado”.

Mais interessante ainda é um dos textos de Pedro I de Alexandria, Arcebispo que faleceu em 311 d.C. (ou seja, ainda no tempo da perseguição, antes da proteção concedida por Constantino). Ele conta a história de as relíquias sagradas de certo mártir foram colocadas em uma igreja dedicada à Virgem Maria:

“…e de repente apoderaram-se das relíquias sagradas (…) eles vieram para a igreja da Santíssima mãe de Deus e sempre Virgem Maria, que, como se começou a dizer, ele tinha construído no quartel oeste, em um subúrbio, para um cemitério dos mártires.” 

– Atos de Pedro de Alexandria (texto completo em inglês no site New Advent)

Fica evidente, então, que o ensinamento de que “Deus não habita em templos feitos pelos homens” deve ser compreendido dentro dos limites estritos da situação a que Paulo se referia. De modo algum pode ser usado por preguiçosos ou “desigrejados” para justificar a sua decisão de não frequentar templos.

Muitos desses que se dizem desigrejados estão, com bastante razão, desiludidos com as experiências infelizes que tiveram certas comunidades protestantes. A esses, dizemos: se vocês amam as Escrituras, não fechem os olhos para as passagens que indicam a reunião semanal dos cristãos. Está na Bíblia: não existe cristão sem Igreja, pois Cristo mesmo disse que fundaria a Sua Igreja sobre Pedro.

Venham se congregar na única Igreja que possui sucessão apostólica, que guarda a integralidade do depósito da fé e dos sacramentos, e cujo chefe possui as chaves do Céu que Cristo entregou a Pedro.

Irmãos, sejam bem-vindos à Igreja Católica!

*****

A Amazon e a Saraiva começaram a venda do nosso livro em eBook!

18 comments to A Bíblia diz que Deus não habita em templos feitos por homens. Entenda o significado disso

  • Rafael Loregian da silva

    Quais são as situações a que São Paulo se refere quanto a passagem de Atos 17, 24?

  • Pequetita Johannpeter

    “Venham se congregar na única Igreja que possui sucessão apostólica, que guarda a integralidade do depósito da fé e dos sacramentos, e cujo chefe possui as chaves do Céu que Cristo entregou a Pedro.
    Irmãos, sejam bem-vindos à Igreja Católica!”
    O excerto parece anúncio das Casas Bahia, mas serve lindamente ao seu propósito!! #sóliverdades

    Adeste, fideles,
    Venite, adoremus Dominum!!

    Ut Ecclesiam tuam sanctam regere et conservare digneris,
    Te rogamus, audi nos!
    Ut inimicos sanctae Ecclesiae humiliare digneris,
    Te rogamus, audi nos!
    Ut omnes errantes ad unitatem Ecclesiae revocare, et infideles universos ad Evangelii lumen perducere digneris,
    Te rogamus, audi nos!

  • Manoel Deusdedit

    Jesus viajou para Nazaré, onde havia sido criado e conforme seu costume, num dia de sábado, entrou na sinagoga.

  • Natália

    “Por isso, os fiéis se reuniam aos domingos na casa uns dos outros, para fazer a leitura das Escrituras e para comungar o Corpo e o Sangue de Cristo (Atos 20,7).”

    Desculpem se parece meio boba a pergunta, mas aqui nesse trecho, quais Escrituras eles liam? Seria o Antigo Testamento? Nesse época, já existiam as cartas apostólicas?
    Sobre a Eucaristia, existem documentos dessa época ou algo do tipo, onde fala da comunhão?

    Obrigada!

    • rick

      Se você ler o texto em questão vai ver que ele fala apenas de partir o pão,o sacerdote fazia uma pregação baseada na doutrina recebida dos apostolos(se a comunidade tivesse recebido alguma carta de um deles era lida,mas isso era raro).Demorou muito para de ter algo para ler,os padres começaram a fazer cópias dos escritos dos apóstolos e distribuir entre si somente após o segundo século quando a perseguição diminui.

    • A pergunta é boa. Sim, Natália, eles liam principalmente o Antigo Testamento, mas também as cartas apostólicas (ao menos as que já existiam então). Conforme os comentários dos apóstolos iam sendo entregues nas comunidades, eles passavam a fazer parte da Sagrada Tradição.

      Sim, existem vários escritos dos Padres primitivos que falam da Eucaristia. Veja o que diz Santo Inácio de Antioquia, que morreu martirizado por volta do ano 107 d.C.:

      “… para obedecermos ao bispo e ao presbitério numa concórdia indivisível, partindo um mesmo pão, que é o remédio da imortalidade, antídoto contra a morte, mas vida em Jesus Cristo para sempre.” (Epístola aos Efésios IX, 20)

      “Sede solícitos em tomar parte numa só Eucaristia, porquanto uma é a carne de Nosso Senhor Jesus Cristo, um o cálice para a união com Seu sangue; um o altar, assim como também um é o Bispo, junto com seu presbitério e diáconos, aliás meus colegas de serviço. E isso, para fazerdes segundo Deus o que fizerdes.” (Epístola aos Filadelfios III)

      “Não me agradam comida passageira, nem prazeres desta vida. Quero pão de Deus que é carne de Jesus Cristo, da descendência de Davi, e como bebida quero o sangue d’Ele, que é Amor in­corruptível.” (Epístola aos Romanos VI )

      “Abstêm-se eles da Eucaristia e da oração, por­que não reconhecem que a Eucaristia é a carne de nosso Salvador Jesus Cristo, carne que padeceu por nos­sos pecados e que o Pai, em Sua bondade, ressuscitou. Os que recusam o dom de Deus, morrem disputando. Ser-lhes-ia bem mais útil praticarem a caridade, para também ressuscitarem.” (Epístola aos Esmirniotas VII)

      Na Didaqué, catecismo católico escrito entre os anos 60 e 85, está dito: “Que ninguém coma nem beba da Eucaristia sem antes ter sido batizado em nome do Senhor, pois sobre isso o Senhor disse: ‘Não deem as coisas santas aos cães’.” (Didaqué IX, 5)

      São Justino, mártir no ao 165, diz em sua Primeira Apologia:

      “66. Este alimento se chama entre nós, Εὐχαριστία[Eucaristia], da qual a nenhum outro é lícito participar, senão ao que crer que nossa doutrina é verdadeira, e que foi purificado com o batismo para o perdão dos pecados e para a regeneração, e que vive como Cristo ensinou. Por que estas coisas não as tomamos como pão comum nem bebida comum, mas ao contrário assim como o Verbo de Deus, havendo de encarnado em Jesus Cristo nosso Salvador, se tornou carne e sangue para a nossa Salvação, assim também nos é ensinado que o alimento eucaristizado, mediante a palavra (verbo) de nosso oração precedente d’Ele – O alimento de que nossa carne e nosso sangue, se nutrem com arranjo para nossa transformação – é a carne e o sangue daquele que Jesus que se encarnou.

      67. Nós, portanto, após isso recordamos agora e para sempre destas coisas entre nós; e o que temos, socorremos a todos os abandonados, e sempre estamos unidos uns aos outros. E por todas as coisas das quais nos alimentamos e bendizemos ao criador de tudo, por meio de seu filho Jesus Cristo e do Espírito Santo. E no dia chamado do sol se reúnem em um mesmo lugar todos os que habitam nas cidades e nos campos, e leem os comentários dos apóstolos ou as escrituras dos profetas, enquanto o tempo permite. Depois, quando o leitor acaba, o que preside exorta e ínsita a imitação dessas coisas excelsas. Depois nos levantamos todos e recitamos orações; e, como antes dissemos, quando terminamos de orar, se apresenta o pão, vinho e água, e o que preside eleva, segundo o poder que nele há, orações e igualmente ações de graças, e o povo aclama dizendo, amém. E se se dá e fazem participantes cada um das coisas eucaristizadas, e aos ausentes se envia por meio dos diáconos. Os ricos que querem, cada um segundo a sua vontade, dão o que lhes convém, e o que reunem poem a disposição do que preside e ele socorre os órfãos e as viúvas e os que por motivo de doença ou qualquer outra causa estão abandonados, e aos presos, aos peregrinos, e em uma palavra, ele cuida daqueles que estão em necessidade. E nós encontramos todos os dias do sol, uma vez que é o primeiro dia em que Deus, mudando trevas e a matéria, fez o mundo, e Jesus Cristo, nosso Salvador, no mesmo dia ressuscitou dos mortos. Bem, um dia antes do sábado o crucificaram, e um dia depois do sábado, que é o dia o sol apareceu aos apóstolos e discípulos e ensinou-lhes estas coisas que propus para sua consideração.”

      Eu poderia citar muitos outros, porque os escritos patrísticos são muito amplos. Clemente de Alexandria, Tertuliano, Ireneu, Orígenes, Hipólito, Novaciano…

  • Santor

    Tem coerência algumas coisas e outras não. Os cristãos não tinham templos porque eram perseguidos. Para a igreja das origens, o templo de Deus único era o corpo místico e nada mais. Construir algo para congregar era fora de cogitação. Os templos vieram com Constantino, e só uma casta passa a decidir os rumos da fé. São Paulo realmente se refere ao paganismo, o fato é que ele deixa claro que os Cristãos não devem fazer o mesmo porque é um pensamento totalmente terreno achar que o novo de Deus estaria disponível dentro de construções. Ter espaço físico para se organizar é uma coisa, mas isso só gerou poder, guerra, imoralidades, riqueza que abafaram a boa notícia e seu primeiro amor. Falar a verdade é obrigação, se não é permanecer na mentira.

    • Santor, citamos documentos históricos da Igreja primitiva, bem anteriores a Constantino, evidenciando que os cristãos tinham sim templos. Você, sem apresentar qualquer dado histórico em contrário, simplesmente chega e diz: “Os templos vieram com Constantino”. What? Com base em que você afirmar isso? Que evidências históricas você tem para citar que sejam mais dignas de crédito do que os escritos da Patrística?

      Fala sério…

      opiniao

  • Um pouquinho de arqueologia:
    http://extra.globo.com/noticias/saude-e-ciencia/arqueologos-dizem-ter-encontrado-1-igreja-crista-do-mundo-524695.html
    http://cienciaconfirmaigreja.blogspot.com.br/2012/07/o-local-do-mais-antigo-templo-catolico.html
    Deus não habita em prédios construídos por mãos humanas né!!
    Na minha Igreja habita. Mas nas igrejas protestantes nunca habitou, não habita e jamais habitará.

  • Ane

    “Todavia, se eu tardar, quero que saibas como deves portar-te na casa de Deus, que é a Igreja de Deus vivo, coluna e sustentáculo da verdade”
    – Essa passagem nao demostra que havia templos? O que seria a casa de Deus?

    • Não, nessa passagem, São Paulo se refere à Igreja que é “coluna e sustentáculo da verdade”, ou seja, não se trata da Igreja-templo, mas sim da Igreja Católica como Corpo de Cristo.

      • Victor Viana

        Olá,
        Não havia prestado atenção até hoje em 1Tm 3,15 na expressão que vem antes de “coluna e sustentáculo”: casa de Deus e que introduz uma oração subordinada adjetiva explicativa “que é coluna…”.
        O Magistério exclui mesmo a possibilidade de “casa” não ser literal também?
        Entendo, claro, que a interpretação de que Igreja=Corpo Místico é um significado real.
        Um abraço!

  • Sidnei

    Esta história de “desigrejados” é mais um produto made in protestantismo. Mas convenhamos, eles são os protestantes mais coerentes que apareceram até hoje, haja vista, que como eles dizem, que ninguém precisa de: igreja, pastor, catequistas, para ensinar as coisas de DEUS, que o crente inspirado pelo ESPÍTRITO SANTO, compreendera infalivelmente o que esta nas Sagradas Escrituras, então não precisa pertencer a nenhuma denominação mesmo, nem pagar 10% de dízimo para uma palhaço vir dizer o que devo crer ou não. Dar dízimo a DEUS, dou 10% a quem esta passando necessidade, e não para um pastô gastar o dizimo que pago a Igreja com carrões do ano e com toda espécie luxo para sua família.

    • Leniéverson

      Sidnei, a questão a respeito dos desigrejados é muito mais ampla. Na verdade, esse movimento se originou do desapreço da estrutura tradicional, formal e doutrinal das igrejas, que, na visão dos desigrejados ficam “cagando” regras morais. É claro que isso, cheira a desonestidade e soa até um mau caratismo, de quem defendem. Por outro, os protestantes “normais”, digamos assim, não podem reclamar dos desigrejados, porque são subprodutos da sola scriptura, ou seja, do livre-exame da Bíblia.

  • Emerson

    E no contexto de Atos 7,48? Ao que Estevão estava se referindo?… tive essa duvida esses dias,cheguei relacionar com a sacrario,já tirei essas duvidas, apenas quero solidificar minha resposta… e já que estou aqui…. quando vocês farão algo falando a respeito dos escrúpulos? e se já fizeram me desculpem a desinformação… desde já, obrigado!

    • Emerson, o sentido dessa passagem é a mesma coisa que explicamos aqui no post. Como está dito nesse capítulo, Salomão construiu para Deus uma casa – o templo de Jerusalém. Não que Ele precisasse, mas porque o povo precisa de um local de referência para o culto. Mas A Presença do Deus Vivo transcende o templo, pois Ele é Senhor do Universo.

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>