São Jerônimo – 99% Anjo… Mas aquele 1% é zoeiro!

jeronimo_ironia

No ano 347, nasceu aquele a quem a Igreja daria o título de “Doutor Máximo” na interpretação das Sagradas Escrituras: São Jerônimo. Membro de uma rica família cristã, viveu algum tempo como um jovem mundano (não era nenhum devasso, apenas imitava o comportamento dos jovens de seu tempo), até o dia em que experimentou uma profunda conversão. Desde então, só viveu para Cristo. Tornou-se eremita e, depois, sacerdote.

Santo Ambrósio havia adoecido, e era preciso que outro assumisse seu posto como secretário do Papa São Dâmaso. O escolhido foi São Jerônimo, que permaneceu como homem de confiança do Papa enquanto ele viveu.

O Papa desejava ter uma tradução da Bíblia em latim, que fosse o mais fiel possível aos textos originais (em hebraico e grego). Ele confiou essa difícil tarefa a São Jerônimo, que produziu o texto da Bíblia conhecido como “Vulgata”. Essa tradução foi tida como a oficial da Igreja por quase quinze séculos – e que só foi substituída mais recentemente.

Após a morte de São Dâmaso, São Jerônimo passou a sofrer forte perseguição, especialmente da parte corrupta do clero romano, cujos vícios ele denunciava de forma ácida e enérgica. Os inimigos de São Jerônimo aproveitaram a ocasião para incitar o povo contra ele, acusando-o de ter um caso com a nobre viúva Santa Paula. E assim ele foi posto pra correr de Roma…

perseguicao

Seu trabalho de combate às heresias (doutrinas que pervertem a fé cristã) tornou-se incansável. Babando de raiva por verem a heresia pelagiana desmascarada, os aliados do herege monge Pelágio invadiram o convento onde São Jerônimo vivia, mataram um diácono e incendiaram parte do edifício.

O sofrimento não o fez recuar, nem tampouco perder o humor. São Jerônimo tinha um espírito satírico, que, unido à sua brilhante capacidade argumentativa, usava como arma para desacreditar os hereges. Em seus textos (suas célebres “polêmicas”) os erros eram refutados e os inimigos da Igreja eram ridicularizados, expondo sem dó a sua estupidez.

JeroMito não podia ver uma heresia sendo divulgada, que tratava logo de escrever uma refutação, muitas vezes iniciando longos duelos intelectuais com seus oponentes. Ele fazia isso por amor à verdade, por amor à Igreja e pelo desejo de que as almas dos fiéis mais incautos não se perdessem ao dar crédito àquelas mentiras.

escrevendo

São Jerônimo perdia o amigo, mas não perdia a piada! No primeiro livro de sua “Apologia”, ele chamou o grupo de hereges origenistas de “esterco do porco Grúnio” (o porco Grúnio era um personagem de uma peça teatral cômica muito popular na época). Detalhe: o monge Rufino, seu antigo amigo, pertencia a esse grupo de joselitos.

Já o herege Vigilâncio de Aquitânia ganhou o apelido de “Dormilâncio”. Esse fulano atacava a virgindade perpétua de Nossa Senhora e dizia que o culto às relíquias dos mártires era “idolatria” (isso lembra a vocês alguma coisa?). São Jerônimo dizia que os textos teológicos de Dormilâncio  era tão ruins que ele só podia estar dormindo enquanto escrevia.

Vigilâncio também desprezava a prática de deixar o mundo e se retirar em monastérios isolados, dizendo que isso seria uma “fuga”. “Pra que se retirar no deserto?”. Resposta do JeroMito: “Pra eu nunca mais precisar olhar pra tua cara, seu malaaaaaaa!!!”. ASHUASHUASHUA!

“Perguntará você (Vigilâncio): por que se retirar para o deserto? A razão é óbvia. Para que eu não possa te escutar, nem te ver! Para que eu não possa ser perturbado pela sua loucura! Para que eu não me ocupe com você!”

coice

Depois de dar essa zoada homérica, o santo continua, desta vez falando sério e defendendo com vigor e lógica o sentido da vida eremítica ou monástica:

“Para que os olhos da prostituta não me tornem um cativo! Para que a beleza não me leve para abraços irregulares! Você replicará: ‘Isto não é uma luta, mas uma fuga. Permaneça na linha de batalha, coloque a sua armadura e resista aos seus inimigos! E então, tendo vencido, receberá a sua coroa’. Pois eu confesso a minha fraqueza. Eu não lutaria na esperança de vencer, para não correr o risco de perder em algum momento a vitória.”

– Contra Vigilâncio – Capítulo XVI

Na obra contra o herege Helvídio, São Jerônimo o compara a um gladiador cego que não consegue ferir ninguém:

“Para defender sua posição, [Helvídio] amontoa textos e mais textos sem qualquer critério, comportando-se como um gladiador cego que fica movimentando sua espada a esmo, dizendo asneiras com sua língua barulhenta e terminando sem ferir ninguém, a não ser a si próprio.”

– Contra Helvidio – cap V

Diversos papas afirmaram que, pelas suas numerosas virtudes, São Jerônimo é um modelo de cristão. Porém, assim como naqueles tempos, também hoje JeroMito seria estigmatizado como intolerante, fundamentalista, grosso, “sem amô no corassaum”… E, pior, teria que aturar dia após dia os católicos-jujuba repetindo, como um samba de uma nota só: “Não julgueis!”.

São Jerônimo, dai-nos sua bênção! A bênção da castidade, da coragem, do espírito de sacrifício, do desapego, do amor às Escrituras, da fidelidade à Igreja Católica… e da santa zoeira!

30 comments to São Jerônimo – 99% Anjo… Mas aquele 1% é zoeiro!

  • Sidnei.

    “Os inimigos de São Jerônimo aproveitaram a ocasião para incitar o povo contra ele, acusando-o de ter um caso com a nobre viúva Santa Paula”

    Nossa, qualquer semelhança não será mera coincidência, pois não é de hoje, que homens santos não podem ter uma amizade com mulheres, sejam elas, casadas, solteiras ou viúvas, que vem gente mexeriqueira dizendo que não se trata somente de amizade, mas de algo a mais: http://pt.aleteia.org/2016/02/16/a-correspondencia-secreta-entre-sao-joao-paulo-ii-e-uma-mulher-casada-escandalo-para-um-mundo-doente/

    Realmente o coração fala daquilo que está cheio, e tem gente que só pensa naquilo.

  • Daniel

    Muito bom o texto. Deus os abençoe
    Paz e Bem

  • marcos

    Quanto a essa questão da fuga, isso me lembra uma certa conversa a respeito de os padres deverem ser “homens do povo, estarem com o povo, no meio do povo”…

    • Em seu livro “O Evangelho Segundo os Fantasminhas Toscos”, ops, “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, Kardec papagueia essa mesma tese de que se retirar do mundo para viver como monge é covardia, que não há mérito nisso, que é fuga etc.

  • Padre Orlando Henriques

    Gostei, e fartei-me de rir, principalmente com a piada do Dormilâncio. Realmente, S. Jerónimo era mesmo cheio de espírito e humor!

    Uma correcção: se não me engano (posso até estar confundido), os textos originais da Bíblia são em grego e hebraico, e não grego e aramaico.

    Bem hajam pela vossa pastoral sempre oportuna e cheia de humor!

  • André Alves de araujo

    Como diria Santo Hilário:Hahahhahaah
    Bom post.

  • Fernando

    Gostaria de saber o nome dos livros escritos por Sao Jerônimo e se há algum site onde possa adquirir.
    Obrigado.

  • São Jerônimo, ajudai-me, pois muito preciso de tua intercessão.

  • Gabriel

    Olá, tudo bem?
    Gosto muito da página, mas toda vez que abro o meu antivírus fica louco, dizendo que é uma página maliciosa e bloqueando vários links.
    Vocês sabem por que isso acontece?

  • Paulo

    Excelente post, como de costume. Parabéns!!!

    Se não me engano, Santo Ambrósio seria o secretário do Papa Dâmaso no famoso Sínodo de Roma de 382, quando, pela primeira vez, a Igreja pronunciou-se oficialmente quanto à lista dos cânones da Bíblia.

    Aproveitando o gancho, podemos ver a submissão do grande Santo Ambrósio, bispo de Milão, ao Papa Dâmaso, sucessor de Pedro na cátedra de Roma…

  • Daniella Maria

    Acho que faltou um equivalente ao São Jeronimo na época dos iluministas. As falácias desses caras perduram até hoje, mesmo se provando o contrário.

  • São Josemaria Escrivá também foi sarcástico. Quando ele escreveu a obra CAMINHO, ela continha 999 pontos de meditação. Alguns jujubões da época dele falaram que o 999 era o 666 invertido, pois fazia alusão a besta do Apocalipse.

    Quando escreveu FORJA, ele deu uma voadora no ponto 1.000! Só verificar a treta de São Josemaria! kkkkkk

  • Núbia

    JeroMito foi excelente!
    Outro dia citei São Jerônimo para um protestinha ele ficou ofendidinho. Achava que a Bíblia tinha caído do céu com zíper e tudo, como diz PadrePaauloRicardo#Mito. hahahah.

    Obrigada pelo post =)

  • João Pedro Strabelli

    E o que faço eu que sou 1% sério? Sem brincadeira… ou melhor, com brincadeira. Quase sempre que vejo um assunto sério a primeira coisa que me vem à cabeça é a piadinha. Por exemplo, outro dia li um artigo sobre comida vegana e já me apareceu na mente a sequência:

    Fulano 1 – Minha cerveja é orgânica. Comigo tudo é natural.
    Fulano 2 – Minha alimentação é toda vegana. Comigo tudo é natural.
    Cristão – Eu também. Optei pelo planejamento familiar natural…
    Fulano 1 e 2 – Fundamentalista! Bárbaro!…

    Ou, sobre o aborto:

    Homem – O cérebro é meu eu tenho o direito de ter minha opinião.
    Mulher – O corpo é meu eu tenho direito de fazer o que quiser.
    Feto – Eu…
    Ambos – Cala a boca! Aqui você não tem o direito de falar nada.

    (E, como teria um gênio defendendo que isso é uma falsa premissa já que o feto não tem capacidade de escolha):

    Alguém – O feto não tem capacidade de escolha por isso é a mulher quem deve escolher.
    Feto – Se vocês reparassem o tanto que eu fico grudadinho aqui iam entender minha resposta.

    Pena que sou ruim que só nisso de desenho.

  • César Augusto Simões

    Não tem nada a ver com a matéria, mas é uma dúvida minha que até pode render um artigo, gostaria que alguém me ajudasse a compreender.

    É possível se arrepender de um pecado, mas sem se arrepender dos benefícios que ele trouxe?

    Deixe-me explicar pra deixar bem claro, não falo de benefícios ilícitos, por exemplo, um casal faz sexo antes do casamento e a mulher engravida. Depois de tudo certinho com relação a igreja pode a mulher se arrepender deste pecado, mas sem se arrepender de seu filho? É claro que em sã consciência uma mãe nunca irá se arrepender de seu filho. Entendem mais ou menos o ponto que quero chegar?

    Muitas vezes Deus tira um aprendizado positivo de um erro que cometemos, com este aprendizado não cometeremos o mesmo erro, mas ao se arrepender, arrependeremos também deste aprendizado pela lógica. Ou talvez minha lógica está sendo falsa.

    Não estou defendendo, pecado é errado devemos nos arrepender e ponto.

    • César Augusto Simões

      Pra complementar e tentar deixar mais claro ainda. Os benefícios do erro que falo são somente aqueles que o próprio Deus misericordioso traz, outros descarto tudo.

    • João Pedro Strabelli

      Isso que vou falar talvez não se aplique a todos os casos, mas lembra de Pedro, que só disse três vezes que amava Jesus por ter feito a barbaridade de negá-Lo três vezes antes? E depois foi escolhido pelo próprio Cristo para ser o primeiro papa.

      Às vezes tiramos coisas boas de coisas ruins. Aliás, se não fizéssemos isso ninguém iria para o céu, já que nenhum de nós é perfeito.

      Eu mesmo já fiz um monte de burradas e tem horas que quero achar que isso serviu para alguma coisa, senão a única coisa que fiz foi errar.

      • César Augusto Simões

        Valew pela resposta. Eu pensando aqui, talvez Deus tenha tirado um bem de nosso pecado justamente por já termos nos arrependido do pecado. Por exemplo, cometemos um pecado, nos arrependemos, daí Deus com sua infinita misericórdia vem e tira um bem disso.

  • Ceci

    Tenho achado bem engraçados alguns textos que vejo por aqui. Muito úteis também. Mas, confesso: não gosto de agressividade. Se quiserem me rotular de jujuba, tudo bem. O que sei da doutrina católica é muito pouco ainda, embora eu seja católica. Desejo, de todo o coração, seguir o que o Senhor espera de mim. E quero a salvação para mim e meus irmãos. Estudo, estudo e estudo, tanto quanto possível, e peço para que Deus me ilumine permita que eu seja instrumento Dele. Entendo que alguns santos podem até ter se utilizado de ironia, enfim. Mas eu não tenho o conhecimento deles e não me permito cuspir marimbondos. Há práticas e falas que evidentemente vão de encontro ao Evangelho, e isso procuro corrigir fraternalmente. A utilização de ironias, para mim, neste momento, poderia levar a distorções e tentar à raiva, ao desprezo, coisas que prefiro evitar. Tenho conseguido bons resultados sendo serena. É um doce saudável, nutritivo, não cheio de calorias vazias como as jujubas.

    • “Tenho conseguido bons resultados sendo serena”. Louvado seja Deus! Creio plenamente nisso, e São Pedro mesmo diz que, sempre que possível é melhor ser sereno. Jesus mesmo diz que é “manso e humilde”. Grande parte dos santos foram pessoas sempre serenas.

      O que quisemos demonstrar aqui é que nem sempre ironia e certa rispidez são contrários ao espírito do Evangelho. Mas certamente nem todo cristão precisa ou deve agir assim.

  • joao

    Tenho grande simpatia por S. Jerônimo. Ainda não escolhi meu “patrono”, vocês não poderiam me ajudar escrevendo mais sobre os santos? Em especial por aqueles que, antes da conversão, eram grandes pecadores.

    O livro “Saints Behaving Badly” reúne uns 50 santos que eram grandes pecadores antes da conversão. Pode ajudá-los.

  • Amém! Sempre bom conhecer a história de verdadeiros heróis, que defenderam a nossa fé e fizeram com ela chegasse a te nós, hoje!

  • Emerson

    Como lidar com os supostos erros de tradução feitos por São Jerônimo? (busca rápida no Google)
    Lembro que sempre tive dificuldade ao tratar desse assunto em debate contra os protestas…

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>