Quem tem medo de macumba?

pombagira

Quando a “pomba” gira, muita gente sente um frio na espinha. Uma dúvida apresentada por muitos cristãos é em relação aos trabalhos de magia, com o objetivo de causar prejuízo a outras pessoas. Essas coisas funcionam? Macumba “pega”?

A doutrina da Igreja nada diz sobre a eficácia dos chamados “feitiços”. O Catecismo da Igreja (item 2117) se limita a advertir que recorrer a tais práticas é pecado grave – ainda que seja para buscar obter coisas positivas, como saúde ou emprego. E se a intenção é lascar a vida do próximo, o pecado é ainda mais grave.

Entretanto, alguns teólogos respeitados podem nos dar a resposta que estamos procurando. No Brasil, o maior estudioso da Igreja Católica sobre o espiritismo e a umbanda foi Dom Boaventura Kloppenburg, franciscano, ex-bispo auxiliar de Salvador e ex-bispo de Novo Hamburgo. É em seus escritos que o nosso post de hoje se fundamenta.

Falecido em 2009, Dom Boaventura deixou ao povo católico um legado de cerca de 90 livros preciosos. Polemista, não tinha medo de distribuir voadoras no lombo dos hereges, em especial, dos adeptos da Teologia da Libertação. Também foi o maior combatente contra a confusão religiosa que leva muitos católicos a querer conciliar catolicismo e espiritismo. Salve Dom Boaventura!

exus_frei

Voltando ao nosso papo de hoje: a primeira coisa que deve ficar clara é que UM VERDADEIRO CRISTÃO NÃO DEVE TER MEDO DE FEITIÇO. Afinal, Jesus disse: “Até os cabelos da vossa cabeça estão todos contados. Não temais, pois” (Lc 12,7). Nenhuma ação do capeta pode ser mais forte do que o zelo do Senhor para com Seus amigos.

A Igreja admite a existência do demônio e também sua possível atuação entre os homens. Porém, a liberdade de ação do capeta é relativa e limitada. O demônio nada pode sem a permissão divina.

Deus estabeleceu uma ordem na natureza, e não é pela vontade de todo e qualquer capricho humano que essa ordem se reverterá. Por isso, na grande maioria das vezes, magia não funciona, é pura superstição e charlatanismo. Se feitiço funcionasse, o Haiti estaria entre os países mais prósperos do mundo, e os pai-de-santo não morariam em casebres na favela ou na periferia, mas sim em mansões em Beverly Hills!

galinha_macumba

Porém, eventualmente – não sempre, mas EVENTUALMENTE – Deus pode permitir que o demônio atue por meio da ação de um feitiço, principalmente se a pessoa visada não vive em amizade com Deus. Tudo depende, portanto, de dois fatores:

  • da vontade de Deus, que permite ao demônio uma atuação no caso; e
  • do estado de alma a quem o feitiço se destina (graça santificante ou pecado mortal).

Se a pessoa visada estiver em estado de graça – ou seja, se estiver livre, pelo sacramento da Confissão, de qualquer pecado mortal – o feitiço terá o efeito de um pum. E mesmo nos casos em que o sujeito-alvo do feitiço não é cristão, ainda assim, na maioria das vezes, o efeito é zero. Seria ridículo se a ordem das coisas se alterasse sempre que um sujeito espetasse um boneco com agulhas ou costurasse o nome de alguém na boca de um sapo!

vudu_minion

Sabendo disso, em 1960, Frei Boaventura (que estava muito longe de ser adepto do tal “deboísmo”) desafiou todos os feiticeiros de Belém do Pará a lançarem contra ele todos os males que fossem capazes de fazer. Um pai e uma mãe de santo se prontificaram e o convocaram a comparecer em seu terreiro. Tudo foi coberto pela imprensa local (Fonte: site Veritatis Splendor). Resultado: naquele dia e por décadas a fio, Frei Boaventura continuou a levar sua vida em paz.

TEM DESPACHO NA PORTA DA MINHA CASA. O QUE FAÇO?

Botaram um despacho bem diante da sua casa? Keep Calm e remova tudo, sem nada temer.

Perante os despachos, a atitude do católico é de soberano desdém. (…) Conservando-se, porém, na amizade de Deus e na graça santificante, o católico não teme nem malefícios nem despachos ou outros feitiços ou práticas parecidas. Quando se encontra com despachos, mesmo diante da porta de sua casa, o católico mune-se com o sinal da Cruz (pois está diante dum objeto ‘consagrado’ ao Inimigo) e remove-o tranquilamente, podendo mesmo servir-se sem escrúpulos das coisas úteis que porventura aí encontrar (alguidar, prato, dinheiro, charutos, fósforos, cerveja, galinhas etc.).”

– Frei Boaventura. “A Umbanda no Brasil”

MEIOS SUPERSTICIOSOS CONTRA FEITIÇOS E “MAU-OLHADO”

Muitos, até mesmo entre os cristãos, recorrem a meios supersticiosos na busca de se defenderem contra feitiços e “mau-olhado”. Na sua ignorância, não percebem que, deste modo, ofendem a Deus e se afastam de Sua amizade. Basta-nos a graça de Cristo!

“Perante os demais meios supersticiosos de defesa contra a atuação dos maus espíritos, os amuletos, os figuinhos, o ferradura, o pemba, a arruda, o guiné, a espada de S. Jorge, etc, atitude do católico é de simples e formal desprezo. (…) Ao católico verdadeiro e praticante basta Deus e os meios que Cristo, por sua Igreja, lhe oferece.”

–  Frei Boaventura. “Posição Católica Perante a Umbanda”

Acima de tudo, vamos lembrar do que Nosso Senhor prometeu: “Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permance em mim e eu nele…” (Jo 6,56).

Pra colocar de vez uma pedra nesse assunto: uma galinha morta (ou sapo, ou bode, ou urso panda…), umas cachaças, uma velas, um charuto e um prato de farofa podem ter mais poder na vida de uma pessoa do que a Santa Eucaristia?

boaventura_kloppenburg

59 comments to Quem tem medo de macumba?

  • Sidnei

    O que mais me entristece nesta história toda, é que são os católicos em sua maioria, que dão mais o mau exemplo, correndo atrás de superstições estúpidas, que não tem nada haver com a fé católica. E nem precisa crer em macumba e mau olhada, que já cansei de dizer a um monte de gente que se diz católica, que quem tem fé em DEUS, estas coisas não pegam, ou DEUS é infinitamente maior que isto tudo, ou então ELE é fraco e não tem poder algum, mas vejo também superstições idiotas até mesmo nas práticas católicas, como por exemplo, colocar a imagem de Santo Antônio de cabeça para baixo até que Santo Antônio arrume um marido a mulher encalhada, ou batizar os filhos, não para que eles revestido de CRISTO se tornem filhos de DEUS PAI, e membros da Igreja, mas, para aquelas crianças que não dormem, que choram a noite toda, fiquem calmas, e não venham mais perturbar os pais a noite, ou seja, não sei por ignorância ou má fé, mas deturpam totalmente as verdades cristãs, trocando por superstições estúpidas e idiotas. E quanto ao Frei Boaventura, me lembra um pouco o Padre Quevedo, e o Frei é odiado por espíritas e seguidores de outras religiões da matriz africanas, tanto que algum tempo atrás, no Aleteia apareceu um texto deste frei colocando o porque um católico não pode ser espirita, o que apareceu de espirita, e até de católico bobalhão, ofendendo o frei, não foi brincadeira, (http://pt.aleteia.org/2015/07/10/por-que-o-catolico-nao-pode-ser-espirita/). E para finalizar, como não poderia deixar, mais uma vez, a veia cônica deste blog veio a tona, nos mostrando no inicio da matéria a verdadeira pomba gira, desta, ninguém deve temer, e só achar graça e rir bastante.

    • Juliana

      Conheço pessoas exatamente assim como vc descreveu. Superstição faz muito mal para quem acredita nessas práticas. É um caminho certo para quem quer desenvolver transtornos psiquiátricos. O Brasil precisa de mais Padre Quevedo e menos pai de santo. Um amigo meu costuma contar uma anedota. O avô dele, quando desembarcou aqui, fugindo da guerra, estava faminto e rogou a Deus que lhe desse de comer. Mais adiante, caminhando pelas ruas, ele se deparou com um verdadeiro banquete, com direito a sobremesa. Abençoou os alimentos e deu graças a Deus porque Ele lhe deu muito mais do que havia pedido: além de frango e farofa, havia cachaça e um charuto.

      • Sidnei

        Gostei da anedota, Juliana. É isto mesmo, tanta gente passando fome e vão deixar um banquete em um encruzilhada, respeito todas as religiões, até estas que fazem isto, mas se tiver fome, e não tenho dinheiro para comer, e ver uma coisa desta em um encruzilhada, não titubearei, pegarei o frango e comerei com toda certeza, e o resto, não me importo, pois não creio nestas coisas mesmo.

      • Padre Orlando Henriques

        Sim, também me parece que esse caminho, para além de tudo o que tem de mau, também é mesmo ideal para desenvolver transtornos psiquiátricos. Digo isto por me lembrar de uma bruxa que havia na minha terra que fazia bruxarias de várias espécies (tanto “lia” o futuro nas cartas do tarot, como cozia bocas de sapo ou acendia velas em cruzamentos) e a verdade é que a mulher acabou os dias dela num lar de 3ª idade xéxé de todo…

        • Padre Orlando, uma coisa que realmente me intriga é o fato de que as pessoas que recorrem a bruxas e outros tipos de feiticeiros quase nunca atentam para uma questão elementar: os feiticeiros muitas vezes são pessoas que em nada aparentam estar bem de vida. Aqui no Brasil, com algumas exceções (de fato, há alguns “médiuns” que atendem em zonas nobres das cidades), a grande maioria dos feiticeiros é muito pobre. E as pessoas tantas vezes procuram esses coitados para obter… prosperidade! kkkkkkkkkkk! Mas como? Se o sujeito não ajuda nem a si mesmo!

          • Padre Orlando Henriques

            É verdade!
            Pois, e essa senhora lá da minha terra também recorriam a ela para resolver problemas no casamento, quando com ela própria e com a sua famíla próxima as coisas não corriam nada bem. Os clientes dela eram, maioritariamente, pessoas de fora, mas também houve, ao início, pessoas lá da aldeia que, ingenuamente, recorriam a ela nas suas aflições; só que, mais para o fim, deixaram de recorrer, dizendo: “se ela não resolve os problemas que tem em casa, vais resolver os das outras pessoas?”.
            Pois…

          • De 0 aos 15 anos, vivi em um lar profundamente esotérico e supersticioso. Na minha casa tinha olho-de-boi, espada de São Jorge, Buda com potinhos cheios de arroz, galhos de arruda, elefante virado com a bunda pra porta… ufa! E como era a nossa vida financeira? No limite da fome!

            Também uma pombagira, certa vez, banhou uns dados para nós com champanhe, soprou e jogou, até formar uma combinação de números com a qual iríamos ganhar na loteria federal. Nem preciso dizer se deu certo, não é mesmo?

          • valeria

            Olá para falar a verdade a acho o seguinte católico em procura de uma vida fácil procura o espiritismo.
            Protestante procura Valdomiro e outros da mesma linha.

            Mas uma coisa eu digo, o demônio existe e aproveita desses desavisados que quer um vida mole sem sacrifício para dominar em suas opressão aí sim a macumba pega e faz o estrago. Infelizmente dentro de nossa igreja tem muitos católicos que não vive a fé verdadeira sem fidelidade ao sacramento não procura Deus em um aprofundamento na oração e não recorre a nossa mãe Maria santíssima como se deve. Esse sim corre sério riscos de pegar os malefícios que a macumba oferece sim…

            Não podemos esquecer que o mal existe e ele tem as suas artimanhas mesmo já bem conhecida para tirá o céu dos filhos de Deus por isso temos que rezar por essas pobres almas perdidas que possa reconhecer a verdade

          • Juliana

            Uma das coisas que mais me irritam no espiritismo, principalmente em sua versão “limpinha&cheirosa”, kardecista/mesa branca, é que esses centros costumam ter a pachorra de usar nomes de santos católicos, a quem chamam carinhosamente de “entidades”: Francisco de Assis, Inácio de Loyola, Teresa de Ávila, Padre Pio… Eles gostam de dizer que fazem muita caridade,”evangelização” (oi?), mas ao mesmo tempo são capazes de chegar para os parentes das vítimas da Boate Kiss e dizer “seus filhos morreram porque foram nazistas na encarnação passada”. Quer coisa mais descaritativa? Convivo com alguns “sensitivos iluminados” adeptos dessa pseudociência positivista nefasta e, vira e mexe, sou obrigada a escutar seus “conselhos”, que eles me dão – sem que eu peça, frise-se – e sempre fico impressionada como essas pessoas não conseguem estabelecer uma relação minimamente racional de causa-efeito.

      • Carlos

        Acho tão estranho que este site não fale sobre os dez vídeos aterradores denunciando a multinacional (de passado nazista e eugenista) PLANNED PARENTHOOD, que mostram um infame tráfico de órgãos de bebes assassinados por ela praticado. A opinião publica americana esta chocada e mesmo após esses crimes hediondos a Hilary Clintom ainda defende a PP!!! A imprensa de lá ou silencia ou minimiza, mas o povão não fala de outra coisa. São 10 vídeos, posto aqui apenas a noticia sobre o ultimo, mas é fácil encontrar os nove anteriores: http://www.religionenlibertad.com/demoledor-10-video-de-planned-parenthood-nuevos-dirigentes-sueltan-las-frases-44909.htm

    • Augusto Paiva

      Respondendo ao amigo Sidnei setembro 18, 2015 at 9:07 am.

      ”Santo ”Casamenteiro”: Uma Teoria Invulgar: https://drive.google.com/file/d/0B2whOrIHE4EYZ1ZURjJzeHRPSVE/view

      ”Assim, pois, quanto ao comer das carnes imoladas aos ídolos, sabemos que não existem realmente ídolos no mundo e que NÃO HÁ OUTRO DEUS, SENÃO UM SÓ. Pretende-se, é verdade, que existam outros deuses, quer no céu quer na terra (e há um bom número desses deuses e senhores). Mas, para nós, HÁ UM SÓ DEUS, o Pai, do qual procedem todas as coisas e para o qual existimos, E UM SÓ SENHOR, JESUS CRISTO, por quem todas as coisas existem e nós também.” (1 Coríntios 8,4-6)

      Se Deus é por nós, quem será contra nós (Rm 8,31)? Nada poderá nos separar do amor de Cristo (Rm 8,38-39)! Então, para que temer feitiçaria, se este Deus é por nós e até os demônios crêem n’Ele, e tremem (Tg 2,19)? Como diz o Pe. Quevedo, isso non ecziste! E o próprio Pe. Quevedo peitou esses ídolos: ”Venham todos os demônios contra mim! Mandem todos contra mim: demônios, feitiçarias, macumbas, exús, orixás.” E nada de ruim lhe aconteceu.

      Outrora um cara me escreveu um arremedo adventista, comparando o Catolicismo com o Espiritismo, dizendo que nós católicos evocamos os mortos (fazendo por ignorância por ou maldade uma confusão com a intercessão dos santos), e citando um punhado de versículos (Hb 9,27/ Dt 18,11-12/ 1 Sm 28) que condenam a doutrina da reencarnação, necromancia e o Espiritismo em geral; e nos acusando de ”idólatras”, no que eu respondi que não somos idólatras, pois professamos em nosso credo a crença EM UM SÓ DEUS, Criador dos Céus e da Terra, e em seu único filho, Jesus Cristo. As imagens de Jesus, Maria e dos santos não são ídolos (falsos deuses), mas meramente imagens. Jesus disse na Oração do Pai-Nosso que ”seja feita a vossa vontade, assim na terra COMO NO CÉU” (Mt 6,10), e os santos são como anjos no céu (Mt 22,30-32), eles que JULGARÃO O MUNDO (Mt 19,27-28/ 1 Cor 6,2/ Ap 20,4).

      Jesus disse que pela fé dos santos far-se-iam coisas AINDA MAIORES QUE ELE FEZ (Jo 14,12). Essa de misturar Catolicismo com Espiritismo é MUITA DESONESTIDADE INTELECTUAL. Católico NENHUM acredita e nem pratica consulta aos mortos, quanto lá psicografia [ou mediunidade]. Isso é prática decorrente do Espiritismo, o qual a Igreja condena. E eu cutuquei: Pentecostal é que gosta de macumba gospel e cair no espírito! Eu já vi muitos pastores que tiveram visões e foram até para o céu e inferno e voltaram. Tem até entrevista com os espíritos demoníacos. Os espíritos demoníacos dão expediente nestas seitas. Sem falar de Ellen White com suas profetadas (adivinhações). Pois então, quem é que pratica espiritismo e adivinhação aqui, heim? E os protestantes é que são responsáveis pela difusão da astrologia.

      P.S.: E não nos esqueçamos que Chico Xavier e Alziro Zarur já insultaram a Igreja Católica, tal como fazem todas as seitas. Então deixemos de jujubice.

      † A Paz do Nosso Senhor Jesus Cristo (Jo 14,27) †

  • Disse tudo e mais um pouco Sidnei os cristaos teem o privilegio de ter Nossa Senhora e seu filho Jesus Cristo o Redentor do mundo, mas vao atras de cultos animistas que dao medo.

  • Thiago

    Bom dia… excelente post, porém eu vou usar esse espaço para fazer uma pergunta fora de contexto com o texto acima.

    Há uma questão que me foi colocada que não soube responder, e não encontrei nenhuma fonte confiável com essa resposta. A questão foi:

    CRISTO CARREGOU A CRUZ TODA COMO CONHECEMOS, OU APENAS A TRAVE HORIZONTAL?

    Eu gostaria muito de saber se a igreja diz alguma coisa com relação a isso.

    Muito obrigado.

    • Padre Orlando Henriques

      Ao que parece terá sido só a trave horizontal, mas também não sei de fontes fiáveis para justificar esta hipótese.

    • Felipe Martins

      Bom dia Thiago!

      Acredito eu, que Cristo carregou a Cruz! Por dois motivos:

      1º No momento em que Ele caminha ao Monte Calvário para ser Crucificado, mandam Simeão ajudá-lo a carregar a Cruz. Não teria lógica pedirem tal ajuda para carregar apenas uma Trave Horizontal.

      2º O 4º Mistério Doloroso, do Rosário, tem como titulo “Jesus carregando a Cruz”.

      E, por diversas vezes na Sagrada Escritura Ele diz “…Tome sua cruz e siga-me”.

      OBS. Catequistas me corrijam se estou errado.

      Paz e Bem

      • Olá, Thiago e Felipe!
        Creio que não haja uma resposta categórica para essa dúvida. Essa questão não é definida pela Igreja, e nem há necessidade disso. É um detalhe secundário. Que Jesus carregou a cruz ao longo da Via Sacra, isso é certo. Porém, carregar a cruz, não necessariamente, implica em carregar a cruz inteira. Pode ser apenas uma expressão para indicar que Jesus carregou o lenho horizontal, o braço horizontal da cruz (patíbulum) onde Ele teve suas mãos pregadas.

        Thiago, o que você chama de “apenas uma trave horizontal” era um pedaço de madeira de uns 50 quilos. Para alguém se esvaindo em sangue, faminto, e que já apanhou como os piores bandidos, faz todo o sentido que tal peso seja quase insuportável – daí as quedas de Jesus e a necessidade da ajuda de Simeão.

        O fato é que os estudiosos afirmam que os supliciados não carregavam a cruz inteira, mas apenas o patíbulo. Sendo assim, não é nenhum absurdo a teoria de que Jesus carregou somente o patíbulo, como era o costume. A despeito disso, nas representações artísticas e ilustrações em geral, é sempre mais interessante e catequético ilustrar Jesus carregando a cruz inteira, conforme a imagem mais tradicional que nos foi comunicada ao longo dos séculos. Acho que provocaria certa confusão desnecessária ilustrar tal cena de modo diferente.

        Se quiser estudar mais o assunto, lhe indico um livro bem sério e interessante, de um médico francês: “Um Médico Descreve a Crucificação de Cristo”, de Pierre Barbet.

        Paz e Bem!

        • Patrick

          A LEGENDA ÁUREA de JACOPO DE VARAZZE (1229-1298) me deu uma ideia de fosse uma cruz completa.

          Pelo que eu entendi ficava uma base fixa ao solo, onde a cruz era fixada, ou seja, Jesus carregou uma cruz completa, que foi fixada na base que ficava enterrada no solo. Segue:

          “Empregaram na Cruz, quatro madeiras, De palmeira, de cedro, de cipreste, de oliveira.

          A Cruz foi feita de quatro diferentes madeiras porque era constituída de quatro partes, a vertical, a horizontal, a superior e a base fixada no solo. Ou, segundo GREGÓRIO DE TOURS, a última era uma tábua que servia de apoio para os pés de Cristo. Cada uma dessas peças podia ser de uma daquelas espécies de madeira de que acabamos de falar.

          O apóstolo parece pensar nessas diferentes variedades de madeira quando diz: ‘Para que possam compreender, com todos os santos, qual a largura, o comprimento, a altura e a profundidade’ (Epístola aos Efésios 3, 18).

          Essas palavras são assim explicadas pelo Doutor Egrégio (Santo Agostinho): ‘A largura da cruz do Senhor é a madeira transversal, na qual estenderam seus braços; o comprimento, a que vai da terra até a transversal, na qual foi preso todo o corpo, menos os braços; a altura, a que vai da transversal até o ponto superior, onde estava a cabeça; a profundidade, a parte enfiada na terra e, portanto, oculta’.

          A forma da Cruz descreve todas as ações humanas e cristãs, que são fazer boas obras em Cristo, ser perseverantemente fiel a Ele, esperar os bens celestes, não profanar os sacramentos.”

          Apesar que relendo vi que não descreve quais partes foram carregadas, apenas como era composta a cruz.

          Mas de fato isso não muda nada na história, é apenas um detalhe que, creio eu, desperta a curiosidade de algumas pessoas.

  • Ney César Silva Souza

    Sempre pensei o seguinte: “Se Deus é todo poderoso, como pode alguém acreditar que o demônio ou que forças sejam pode realizar qualquer coisa sem seu consentimento?” Pois muitos acreditam que existe um tipo de luta cósmica entre Deus e o demônio. Mas não é assim que a banda toca, pois se Deus quisesse o demônio nem existiria mais! Basta Deus dizer: “Cala-te” e o demônio foge com o rabo entre as pernas. A ação deste só existe porque Deus permite a liberdade de escolha dos anjos, tal qual a dos humanos, e porque Ele pode tirar e tira um bem maior ainda dessa ação. Ele humilha o demônio na sua própria ação maligna. Mas sábio mesmo era meu pai, que dizia: “Praga de urubu não pega em beija-flor!” Não preciso dizer mais nada.

  • Heloisa Araújo

    Oi pessoal!
    Adorei os esclarecimentos do texto!! Com relação às superstições o mesmo pensamento vale para aquelas que dizem: “não deve deixar a bolsa no chão” “não deve-se passar embaixo de escada”? Muitas vezes por ingenuidade e falta de conhecimento algumas pessoas acreditam nisso!Então pergunto se essas coisas também são bobeiras e até pecado acreditar nelas!
    Agradeço desde já a resposta!

    • Sim. Todas essas crenças, por mais ingênuas e inofensivas que pareçam ser, nada mais são do que puro paganismo. O pior é que é difícil até mesmo para os bons católicos se livrar dessas pequenas superstições, porque se trata de um fator cultural muito forte em nosso país. Agora, convenhamos, é algo tão sem lógica que chega ao extremo do ridículo.

      Imagine só: uma pessoa, ainda que tenha muitos defeitos, é cristã sincera. Busca se purificar sempre de seus pecados, busca a contínua conversão, ora com fé todos os dias, pratica a caridade. Porém, ela deixa a bolsa no chão. Só por isso, Jesus vai deixar ela na merda financeira, porque a “energia negativa’ que vem do chão e impregna a bolsa certamente é mais forte que o Deus Vivo, não é mesmo? Oh, my…

    • Padre Orlando Henriques

      Há um padre qualquer cá em Portugal (já não me lembro quem nem onde) que organizava uns jantares (os “portugas” resolvem tudo com um bom almoço ou jantar. 🙂 ) que tinham mesmo o objectivo de enfrentar e desmascarar essas supertições, mostrando às pessoas que essas coisas não passam de parvoíces. Era um jantar em que os talheres estava cruzados, havia sal entornado, os participantes entravam passando por baixo de umas escadas, enfim, fazia-se todas essas coisas que as pessoas dizem que dão azar, com o objectcivo de desmistificar essas coisas e provar que dão azar nenhum.

  • KKKKKKK, a pomba girando foi boa.
    Na minha vida, já desmanchei dois despachos, o mais incrível é que, nos dois que presenciei, a galinha era muito magra, a vela de marca ruim, cachaça uma porcaria e pra terminar, o vasilhame que era colocado estas tranqueiras geralmente estava furado.
    Resultado, até hoje nunca recebi notificação alguma do procom por ter destruido com os produtos, quebrado a gamela e arruinado o frete.
    Sempre achei engraçado, como é que pode, ter gente que leva isso a sério, se é pagão, ainda vá lá, pior é católico acreditar nisso.

  • Eduardo

    Oi pessoal!
    Venho lendo os artigos de vocês há alguns dias, gosto muito do conteúdo e da forma como se expressam.
    Sou do interior de SP, minha família é toda católica, fui criado na Santa Igreja, porém no ápice de minha juventude me desviei e tive breve contato com a macumba, em seguida passei pela igreja universal (rsrsrs) e enfim tive um período de neutralidade se é que possamos assim dizer. Há quatro anos voltei para o seio da Igreja de Cristo, recebi o sacramento da reconciliação e estou firme na caminhada em busca da santidade. Sites como o de vocês e do padre Paulo Ricardo são de extrema importância para quem quer conhecer melhor a fé que professa. Que o Senhor seja louvado pela dedicação de vocês!
    Bem, apresentações a parte a verdade é que existe muito católico supersticioso que desvira o chinelo para a mãe não morrer, leva a criança chorona à “benzedeira” etc.
    Creio firmemente que nenhum mal ocorre a quem está na amizade de Deus e ponto final! As dificuldades da vida são permissão do Senhor, pelas quais devemos glorificá-lo pois em sua sabedoria infinita sabe o que nos é melhor.
    Mais uma vez parabéns a vocês pelo grande serviço prestado a Igreja de Cristo.

  • Carlos

    Olha. Vocês falam sobre mudar a ordem natural das coisas.Isso também serve para algum mau espiritual ou as coisas só mudam na matéria?

  • Patrick

    Eu não acredito em nenhuma superstição, na minha infância, embora lar católico, tinha um buda e mais algumas coisas do tipo.

    Como ainda criança, com a graça de Deus, eu não acreditava nestas coisas, ficava lustrando a cabeça do buda, pois um namorado de minha tia era budista e falava que não podia tocar na cabeça do buda…. rsrsrs…

    Travessuras a parte, eu tenho um caso curioso, e gostaria de fazer uma pergunta: Certa vez, dei um mal jeito, que parecia ter enrolado meus músculos da barriga, as pessoas falavam em rasgadura ou algo assim. Fato é que sentia muita dor, e ficava arcado, pois não conseguia esticar a musculatura da barriga.

    Minha mãe me levou em uma senhora bem idosa, que ela chamava de benzedeira, sei que esta senhora era católica. Ela pegou um pequeno pedaço de tecido, começou a fazer orações e costurar aquele pedaço de tecido. Na mesma hora fiquei bom, passou a dor e consegui ficar reto normalmente. Nunca entendi isso, e até pouco tempo nunca havia me questionado o que de fato ocorreu. Será que esta senhora tinha o dom de cura? Ou será que foi minha fé (que naquela época nem sei se tinha)?

    De uns tempos pra, me aproximei de verdade da Igreja, estudando, lendo, comecei a me perguntar o que poderia ter acontecido.

    • Patrick,
      Isso que aconteceu com você em relação à benzedeira eu também experimentei, de forma muito similar. Eu tinha uns 13 ou 14 anos. Tive uma torção muscular no pé. Estava numa cidade pequena, no interior de Minas Gerais. Uma benzedeira, senhora católica, pegou um pequeno pedaço de tecido, foi costurando sobre o meu pé e rezando. Em poucas horas, meu pé ficou perfeito.

      Não creio que fui curada pela minha fé, porque eu não estava dando o menor crédito àquele ritual. Creio que a tal senhora tinha o dom da cura, sim. As benzedeiras, se não se aliam a crenças pagãs, são uma expressão autêntica e positiva da devoção popular cristã.

      O problema é quando essas benzedeiras começam a recomendar amuletos e a mesclar as rezas com elementos pagãos, como banho de ervas. A força delas deve estar simplesmente na oração católica. No caso do pano em que se costura (espero não estar enganada), não se trata de um elemento pagão, mas apenas de um apoio material, sensível, para a oração. Com aquele gesto de costura, é como se pedisse para Jesus consertar o que está doente.

      • Patrick

        Interessante, experiencias semelhantes. Eu também não creio que foi minha fé, pois era muito novo, e fui só por que minha me obrigou.

        Agora detalhe importante que me lembrei, aquela senhora não aceitava pagamento / dinheiro, minha mãe quis pagar para ela, mas ela não aceitava.

        Tempos depois minha mãe mandou uma cesta com alguns alimentos para ela, pois ela era bem pobre.

        Ela era famosa no bairro, várias pessoas recorriam a ela.

        Agora entendo, era uma clara manifestação de Deus, exaltantando os humildes, dentro da nossa amada Igreja.

        É algo que, acredito eu, na correia do mundo moderno, na diminuição da fé das pessoas, vai ser cada vez mais raro presenciarmos.

  • Wilson Reis

    Olá. Sou católico. Infelizmente não o fui por toda vida, mas retornei a Santa Igreja após conhecer de fato a sua riqueza cultural, histórica e doutrinária, já faz bastante tempo, até. Tenho um modo de ver a vida, e o mundo, como São Tomás de Aquino quando diz que “a razão provém da fé”, uma vez que a razão necessita da fé para que se acredite nela. Por isso mesmo, dentro de minha linha de raciocínio e observando alguns posts (não apenas aqui, mas em outros lugares, bem poucos, por certo), percebi algumas coisas que me incomodam, de certo modo.

    Só acho engraçado uma coisa: Por que o elemento de uma determinada religião costuma ser demonizado em outra? Em outras palavras, por que muitos católicos tendem a demonizar os orixás africanos, confundi-los ou, de modo imoral e errado, taxá-los como demônios?

    O post começa muito bem. É escrito “Voltando ao nosso papo de hoje: a primeira coisa que deve ficar clara é que UM VERDADEIRO CRISTÃO NÃO DEVE TER MEDO DE FEITIÇO. Afinal, Jesus disse: “Até os cabelos da vossa cabeça estão todos contados. Não temais, pois” (Lc 12,7). Nenhuma ação do capeta pode ser mais forte do que o zelo do Senhor para com Seus amigos.”

    Qualquer pessoa com um senso comum de razão jamais vai acreditar que feitiços, magia, olho gordo, coisas do tipo, existam. São, como explicado, superstição. Entretanto, vejo que a coisa vai começa a ir mal quando sai deste ponto racional e começa-se a falar do elemento externo a nossa religião, demonizando-o.

    Sabe… Posso ter interpretado mal, mas o que vi neste trecho: “Porém, eventualmente – não sempre, mas EVENTUALMENTE – Deus pode permitir que o demônio atue por meio da ação de um feitiço…” sendo identificado, ao meu ver, os orixás e toda a ritualística afro.

    Demonizar não é um ato supersticioso, mas induz, de certo modo, um medo no fiel menos esclarecido. Gostaria de deixar aqui claro que eu não nego a existência do demônio, muito pelo contrário. Só acho injusto a co-relação existente entre ambos os significados.

    O que eu acho que ficou faltando no post, que realmente é importante ser destacado, é a associação errônea que muitos católicos fazem em relação ao Post Mortem, ou seja, que após a morte, a pessoa reencarna, o que nenhum dos Santos Padres, a Escritura Sagrada ou qualquer documento do Magistério Sagrado jamais afirmou, nem afirmará.

    Entretanto, mistificar a parte de feitiços, mal-olhados e coisas do tipo… Ao meu ver, com todo respeito, é algo que realmente poderia ser feito se utilizando de racionabilidade pura e simples, como quando os primeiros evangelizadores das zonas germanófonas, como entre saxões, escandinavos e anglo-bretões fizeram.

    Enfim, desculpem se me estendi demais. Espero que possam compreender o que eu quis dizer.

    • Oi, Wilson! Sim, você interpretou mal. Em nenhum momento o nosso texto demonizou os rituais das religiões afro, de modo geral. Nos referimos muito especificamente aos feitiços ou despachos em que há intenção de causar prejuízo a outra pessoa. Nesses casos, necessariamente, a pessoa que invoca o mau invoca forças demoníacas. Nem sempre dá certo, mas pode dar.

  • Olá povo de Deus!

    E sobre a maldição hereditária? Ela existe?

  • Tayane

    Por isso, Deus disse para sempre nos munirmos da armadura do Cristão e rezar sem cessar.

    Pois vigiar é de Deus e prudência também.

  • Luan Ferraz - Catequista da Confirmação

    Salve Maria! Estamos vivendo numa época que marxismo cultural quer a famosa criação politeísta e Panteísta da nova era em todos os aspectos, para destruir a Igreja Católica. Pensando nisso o Padre Cristovam Lubel fez um excelente trabalho falando sobre o espiritismo http://www.paoevinho.com.br/produtos.php?cod=64&categoria=2

  • Eduardo

    Não acredito em superstição mais alguns fatos da cultura e crenças antigas podem meter medo em muito marmanjo. Principalmente se o cidadão estiver longe da graça de Deus.

  • Renato

    Só uma crítica: malefício pega sim. O mal é poderoso. Mas Deus é infinitamente mais poderoso, o demônio não é páreo para Deus. Porém ele é poderoso e deve ser levado a sério. Sem alarmismo, sem achar que ele está em todo lugar. Mas não devemos subestimar sua ação. Devemos viver conscientes da batalha espiritual que enfrentamos e de que malefícios funcionam, às vezes inclusive contra pessoas muito católicas (se bem que isso é bem mais raro).

    É perigoso levar para casa objetos ou alimentos consagrados a demônios. Ao ouvir as palestras do padre Rufus (exorcista), podemos ver mais concretamente como o demônio age através de malefícios. É muito verdade o que foi dito aqui: quem está na graça de Deus está “blindado”. Quem crê em superstições está pagando um papel ridículo. A mesma coisa para os horoscopos.

    Se os feitiços funcionam ou não? Considerando o atual estado da sociedade, diria que funcionam. Pq para um mundo que esqueceu de Deus e se abriu às mais diversas idolatrias não há proteção contra o mal. As pessoas no geral estão desprotegidas. E para quem se envolve diretamente com as seitas… o feitiço se vira contra o feiticeiro. O que mais chama atenção em relação às pessoas que oram por cura é: a quem elas estão orando? Se é a Jesus, então ótimo. Se é a “santos”… entidades e etc, mas se evita falar o nome de Jesus, então boa coisa não é.

    O mesmo acontece a pessoas que atribuem poderes sobrenaturais a certas práticas esotéricas, que na maioria das vezes tem uma doutrina pagã por trás, que não é conciliável com o cristianismo e que ainda por cima pode chegar a cultuar até o demônio de forma disfarçada. As pessoas acreditam em qualquer solução magica para seus problemas… e porque não esperam em Deus, dão ocasião ao Diabo, que está ansioso por uma brecha para perder as almas em um mundo que desacostumou-se a lutar contra o mal. Afinal a batalha não é contra homens, mas contra os espíritos malignos, como disse São Paulo. Nossa missão não é somente nos defender de Satanás, mas libertar pessoas que já caíram em posse dele. E ele não fica parado só assistindo… temos que ser equilibrados. Não subestimar nem superestimar o mal. Não sermos covardes nem temerários. Apenas ser corajosos e capazes de ver a realidade espiritual por trás da vida.

  • Padre Quevedo recolhia e guardava os despachos que seus inimigos faziam contra ele, guardando-os todos em um museu. Ele conservava em formol OITO sapos, todos com a boca costurada. Dentro da boca, colocaram a foto ou o nome dele escrito em um pedaço de papel.

  • Luis Gustavo

    Estranho o Veritatis condenar com tanta veemência a cura de gerações. Precisamos de mais estudos sim, mas acompanhamos no Brasil o trabalho sério e ungido das visitas do já falecido padre indiano Rufus. Conheço em BH a Terapia de integração pessoal da falecida dra. Renate que fala das frases registros e tbm aborda estas heranças. As constelações familiares, terapia sistêmica, tbm vêem estas relações através do Bert Hellinger, padre que se afastou. Claro, correntes psicológicas que “parecem” ter familiaridade com a doutrina católica por seus fundadores, precisaria de uma avaliação da Igreja. Sempre pensei de forma simples nas heranças espirituais como heranças psíquicas e biologicas. Associo o fato de recebermos gratuitamente bênçãos, tbm experimentamos a força de “maldições” que nao nos determinam mas seriam uma força influente…não havia pensado na relação do Batismo e do que ele lava em nós… Ficamos com a concupiscência, mas teríamos heranças espirituais? O povo hebreu não experimentou isso com o Senhor: consequências nos filhos dos pecados dos país? Não vem de lá o criticado termo “maldição”? Davi perdeu um filho como consequência da infidelidade, não foi? Não temos outros exemplos bíblicos?

  • Esteban

    “Se macumba desse certo, campeonato baiano terminaria sempre empatado”.

  • adriano

    Respeito imensamente o Fr. Boaventura e sua memória, e muito aprendi lendo os seus textos, mas gostaria de fazer uma observação.

    Me parece que os referidos trabalhos e oferendas a “entidades” têm como destinatário via de regra o próprio demônio. Daí decorre que os objetos utilizados em tais rituais são possivelmente infestados, devendo ser queimados, como nos ensinam os padres exorcistas.

    Poderia alguém replicar dizendo que as entidades invocadas pelos espíritas e ocultistas não existem, daí que as suas oferendas e atos de culto são inócuos. Sabemos, contudo, que há grande probabilidade de atuação demoníaca nesses casos…

    Claro que isso não quer dizer que devemos temer o demônio ou algo do tipo; trata-se de prudência, em outras palavras, utilizar-se dos meios espirituais que a Igreja e o ministério dos exorcistas nos recomenda.

    Claro que, se alguém estiver morando na rua, morrendo de fome, e encontrar um prato de comida “oferecida” na encruzilhada, tratando-se de um caso extremo, me parece que seria lícito comer esse alimento, depois de fazer o sinal da cruz e uma breve oração, pelo menos.

    Mas em casos normais não vejo motivo razoável para se utilizar de objetos ou alimentos possivelmente infestados pelo demônio.

    Lembremo-nos que pela nossa própria natureza somos bem menos fortes e inteligentes que os demônios (que têm natureza angélica). É a graça de Deus que nos eleva e nos torna fortes. Se agimos de forma imprudente ou orgulhosa corremos o risco de sermos abandonados às nossas próprias forças, agora se 1) agirmos prudente e humildemente e 2) seguimos os ensinamentos de Cristo (que são os ensinamentos da Igreja), estaremos sempre seguros.

    OBS: “Estar seguro” aqui não significa estar livre de sofrimento ou mesmo de influência demoníaca (que pode atingir mesmo os santos), mas simplesmente estar na amizade de Deus, que é o que mais importa.

  • Marisa

    Muito bom esse texto, mas não entendi a questão do “eventualmente – não sempre” Deus pode permitir que o demônio atue por meio da ação de um feitiço. Como ter certeza disso. Fiquei bem confusa. Não perece algo que um pai amável faria com um filho, mesmo que desgarrado.

    • Rafael Delanhese

      Se como consequência do sofrimento causado por este feitiço a pessoa ‘desgarrada’ voltasse o seu coração para Deus, emendasse sua vida e se arrependesse de seus pecados de que modo isso não se encaixaria no plano de amor que Deus tem para cada um de nós?

      O sofrimento pode e muitas vezes é medicinal. A ideia de um Deus que não castiga criada pela mentalidade dos nossos tempos é que não se encaixa na figura do pai amoroso. Quem ama corrige e corrige com firmeza se preciso for.

      Parabéns ao blog por mais essa excelente postagem!

  • O pombinho girando no teto foi engraçado demais!!!kkkkkkkkk pomba gira brazirêra, gusp!!! (https://www.youtube.com/watch?v=os7ELeekxsc)…. kkkkk!!!

  • Felipe Martins

    Bom Dia!

    Que post mais encorajador!! Confesso que o medo é tanto, que sempre que passo em frente à alguma loja de umbanda.. evito até contato visual! rs

    “Acima de tudo, vamos lembrar do que Nosso Senhor prometeu: “Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e EU nele…” (Jo 6,56).

    Pra colocar de vez uma pedra nesse assunto: uma galinha morta (ou sapo, ou bode, ou urso panda…), umas cachaças, uma velas, um charuto e um prato de farofa podem ter mais poder na vida de uma pessoa do que a SANTA EUCARISTIA?”

    MAS depois deste RECEBAAA (voadora), acordei para a vida! HAHA

    Obrigado por usarem do dom de educar!
    Salve Maria

  • tiago

    Olá, e o que dizer daquela boneca “amaldiçoada” que virou tema no filme “annabelle”. Lembro de ter visto no fantastico, na época do lançamento do filme, um padre norte-americano falando que a tal boneca hj encontra-se reclusa em um porão de uma casa sem que ninguém possa tocá-la. As últimas pessoas que a tocaram morreram bizarramente logo após. O filme conta a história de uma casal americano que viajava por várias cidades para tentar livrar causas mal assombradas dos poderes do maligno, e o referido padre parece que acompanho o casal em muitas dessas aventuras. A boneca foi achada em uma dessas viajens em uma casa, e após tentarem de tudo nela, parece que não conseguiram livrá-la do poder do maligno.
    achei aqui o vídeo…https://www.youtube.com/watch?v=WBTx7r8N0ic
    assitam e por favor digam o que acham

    • Caro Tiago, existem formas de processão demoníaca diferentes, uma delas é a infestação de lugares e ou objetos. Que podem ocorrer por vários motivos conhecidos, mas em todos eles, as pessoas que sofrem ou sofreram estavam envolvidas com tudo quanto é coisa, menos em aprofundarem-se na fé. Claro que, as vezes o envolvido faz parte da família, não que todos estejam praticando bruxaria, ou acreditem nestas cousas.

  • Lucia

    Muito interessante a discussão! Gostaria de saber qual a opinião da Igreja Católica sobre as constelações familiares?

  • Luiz Klelmar

    Oi Catequista admiro demais o seu trabalho, aqui estão as contribuições do Padre Duarte Lara sacerdote exorcista que trata sobre esses causos:
    https://www.youtube.com/watch?v=UKJKIGbxkv4
    https://www.youtube.com/watch?v=pCD38-Y_iZI
    Espero que contribua com algo

  • Letícia

    Infelizmente Exú e Pomba Gira são mal compreendidos. Eu mesma já cometi esse erro. São agentes mágicos de extrema importância para nós(umbandistas). Sobre os trabalhos/despachos/macumbas, infelizmente, como tudo nessa vida, há pessoas que enganam e se deixam enganar. Despacho se faz dentro do terreiro, ou na mata, cachoeira, rio(depende para qual orixá é destinado, e sem sacrifício de animais. Compra-se as coisas no mercado para fazer as oferendas.

  • FERNANDO MILLER

    O maior feito do demônio é justamente colocar na mente e no coração das pessoas que ele não existe,induzindo assim a milhares e milhares de desavisados procurarem tais absurdos e assim podendo agir para o afastamento de Deus e a destruição das almas.Na Europa, onde a bruxaria existe há tempos, as Igrejas estão cada vez mais vazias e os Islâmicos cada vez mais em ascensão, sendo o ateísmo o combustível dessa situação. E por aqui também, os Protestantes que tanto criticam a nós Católicos, nos chamando de idólatras, pagam por lencinhos com suor de pastor, pazinha do progresso, travesseiros dos sonhos, etc, então o que será isso…Hipócritas!

    • Carol

      Fernando,
      a parte da Bruxaria eu ate entendo a sua possicao, mas nao se deve mesclar com o Islao, porque eh uma religiao, nao uma seita, eh uma religiao como a Judia e a Catolica, que segue somente um Deus.

  • João Pedro Strabelli

    De vez em quando, de pura zoeira, digo que só tenho uma superstição: beber e dirigir dá azar. O ruim é que tem uns que acham que é superstição de verdade, aí eu preciso dizer que tenho uma outra: neurônio sozinho não pensa.

  • Ricardo Vasconcelos

    Boa noite! “Catequista”, poderia me explicar melhor e exemplificar, por favor, a respeito dessa proposição, dos fatores de atuação do demônio, elencada: “da vontade de Deus, que permite ao demônio uma atuação no caso”?

  • Carol

    Eu tenho uma parente que é policial. Não é católica e nem acredita muito em superstições. Por isso um dia ela me contou uma coisa em tom de piada, mas que pra mim foi um relato muito impressionante:

    Já fazia algum tempo que a polícia grampeava os telefones de alguns traficantes da região, procurando desmantelar o sistema deles e prender os envolvidos. Nisso descobriram que o Chefão do tráfico era muito supersticioso e não fazia nada sem a benção de sua “mãe de santo”.

    Numa dessas, a polícia acabou interceptando um grande quantidade de droga que seguia num onibus, de uma cidade a outra. Era Semana Santa.
    O traficante ligou angustiado para a mãe de Santo, querendo saber porque as “oferendas” não tinham dado resultado dessa vez. E a mulher com “sabedoria” respondeu: “Eu te falei. Durante a Semana Santa Jesus Cristo não permite que os orixá faça nada”

  • Carlos Eduardo

    Kkkkkkkkkkkk já fiquei imaginando o sujeito tomando a pinga, fumando o charuto e levando a galinha pra fazer uma canja!! Esse tem fé em Cristo!!!!

  • Carlos Gomes

    Olhem só o absurdo de uma dessas crendices (superstições): Hoje minha recém-nascida filha apresentou sonolência, espreguiçamento,cocô verde! O diagnóstico da vizinhança foi imediato: Quebranto (“quebrante” no vulgo).Agora vem a cereja do absurdo: foi eu e minha esposa que “botamos” o tal “quebrante”, acrescentaram!kkkk Caramba, onde há lógica e propósito nisso!? Os próprios genitores que, pela lei natural, são os protetores por excelência da prole, até no reino animal se verifica o sublime comportamento da proteção paternal e maternal! Como é que, ainda que involuntária e inconscientemente, faremos um mal dessa natureza,ao próprio rebento,tão frágil e indefeso e que tanto amamos, usando-se apenas da faculdade da visão (“mau olhado”)???

  • Maria

    Isto não tem a ver com acreditar ou não acreditar. Ha quem faça ioga sem acreditar que as mantras são orações aos demónios e não e por nao acreditarem que as mantras não tem efeito. As mantras do ioga tem efeitos demoníacos mesmo para quem pense que está apenas a fazer exercícios respiratórios. Uma pessoa que vá comungar sem acreditar que vai receber verdadeiramente o corpo de Cristo recebe verdadeiramente o corpo de Jesus, mesmo sem acreditar.cuidado! O demonio anda sempre a robsat w procura quem devorar. Fou São Paulo que disse.

  • Victor Picanço

    Gostaria de mais informações sobre esta passagem do Frei por Belém do Pará. O link está inativo.

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>