Lutero: uma visão religiosa obcecada pelo demo

lutero_demo

“Esse povo fala mais do diabo do que de Jesus!”: quem já não teve essa impressão, ao assistir um culto protestante, ou mesmo ao conversar com certos membros dessas seitas? A origem dessa fixação com o capeta é o que vamos revelar agora.

Desde a sua infância, Martinho Lutero vivia obcecado pelo demo (já contamos essa história aqui). Os anos se passaram, e a loucura da infância não só não passou, como ficou pior. Lutero não deixava o demo em paz, e vice-versa. As citações ao coisa-ruim não param nunca: a fixação de Lutero no senhor dos infernos se salienta ainda mais a cada escrito. Num livreto contra o Duque de Brunswick, ele cita o diabo 47 vezes (!!!).

OS TEXTOS FUNDAMENTAIS DA PRIMEIRA FASE DA RÉ-FORMA

Corria o ano de 1528 e a Ré-forma (escrito assim mesmo, para mostrar o quanto essa coisa foi um retrocesso) ia de vento em popa na Suíça. Foi lá que surgiu Calvino, uma sementinha do mal como poucas. Os primeiros protestantes era homens extremamente ignorantes e levaram para toda a saxônia essa ignorância. As teses mais malucas começaram a ser formuladas.

Esse estado de coisas motivou o monge maluco a escrever O Grande Catecismo, assim como sua versão para crianças, que atende pelo criativo nome de Pequeno Catecismo; esses são os manuais clássicos dos primeiros tempos dos reformados.

Chegamos ao dia 15 de março de 1529, quando ocorreu a Dieta de Spira (série de reuniões entre políticos e religiosos), para discutir os problemas do Império, já dividido entre protestantes e católicos – muito graças à incompetência do Imperador Carlos V, que se achava bom cristão. Foi em Spira que o nome “protestante” surgiu pela primeira vez para designar os reformistas, e colou.

Doravante, qualquer seita oriunda das ideias originais de Lutero passaria a ter essa designação, que é a mais correta, diga-se. Nosso erro é chamá-los, por exemplo, de evangélicos – evangélicos são os católicos, muito mais do que eles, por sinal. Nem de crentes, porque nós cremos conforme a fé pregada pelos Apóstolos. Eu chamo do que eles são: protestantes, posto que isso é o que eles mais fazem mesmo: protestar, reclamar.

Mas o pior estava por vir. E veio em 1530, quando foi assinado o famigerado texto da Dieta de Augsburgo, conhecido como “A Confissão de Augsburgo”. Todas as igrejas protestantes, de uma forma ou de outra, têm nessa livro sua regra geral. O redator final foi Philipp Melanchthon, colaborador de Lutero. Só para constar: a turma de Lutero cita o diabo em 6 dos 28 artigos que compõem o documento.

Essa dieta foi o derradeiro canto do cisne na tentativa de chamar os cismáticos de volta à Casa do Pai. Como era de se esperar, não deu certo. Selou-se ali em Augsburgo, a separação definitiva entre católicos e protestantes.

A DETURPAÇÃO DO CONCEITO DE SALVAÇÃO PELA FÉ

glutao

É interessante saber o conselho Lutero dava para lidar com as tentações. Segundo ele, Jesus havia vencido todos os pecados na cruz, então não havia problema em ceder ao pecado. Desse modo, qualquer pessoa de espírito devasso adoraria se aconselhar com Lutero, guloso e beberrão. Sua “prescrição” preferida era encher a cara e comer até estourar:

“Quando o demônio te afligir com estes pensamentos, palestra com os amigos, bebe mais largamente, joga, brinca ou ocupa-te em alguma coisa. De vez em vez se deve beber com abundância, jogar, divertir-se e mesmo cometer algum pecado, por ódio e acinte ao diabo, para não lhe darmos a oportunidade de perturbar a consciência com ninharias… Quando o diabo disser ‘não bebas’, responde-lhe: já que me proíbes, hei de beber, em nome de Jesus Cristo, beberei mais copiosamente. (…)

“Todo o Decálogo [os Dez Mandamentos] deve sumir dos nossos olhos e da nossa alma, de nós, tão perseguidos e molestados pelo dia­bo.”

Carta enviada a Jerome Weller, 6 de novembro de 1530

Nessa frase final, ele demonstra toda a sua grotesca capacidade de manipular e desvirtuar a Sagrada Escritura. São Paulo ensina, na carta aos Romanos, que somos salvos pela fé, e não pela observância da lei. Aí Lutero pega isso e diz que a lei de Deus deve ser desconsiderada, e ainda recomenda que o povo peque!

Mas nessa mesma carta, São Paulo diz:

  • “Destruímos então a lei pela fé? De modo algum. Pelo contrário, damos-lhe toda a sua força” (Rom 3,31);
  • “Então que diremos? Permaneceremos no pecado, para que haja abundância da graça? De modo algum. Nós, que já morremos ao pecado, como poderíamos ainda viver nele?” (Rm 6,1-2);
  • “Porque diante de Deus não são justos os que ouvem a lei, mas serão tidos por justos os que praticam a lei.” (Rm 2, 13)

Lutero promoveu uma inversão de valores nojenta. Em tudo isso fica claro que sua teologia era muito mais determinada pela obsessão pela figura do capeta do que pelo amor a Jesus Cristo.

13 comments to Lutero: uma visão religiosa obcecada pelo demo

  • Gêneto Eugenio

    Bravo!!!!!… Bela aula Paulo, quem tem olhos para ler LEIA.

    Doce Coração de Maria, sede nossa proteção…

  • Marlon

    Tem duas de suas teses que so falam do demônio, fala bem, chega ate comparar ele com Deus

  • Rodrigo Boechaat

    Muito bom texto! Realmente eles tocam de mais no nome do “incardido” e infelizmente vemos muitos católicos que fazem o mesmo! Mas aos poucos vamos aprendendo e ajudando aos nossos irmãos que precisam de ajuda.

    Posso ser abusado e fazer uma pequena correção?! Depois da citação da carta de Lutero (trecho em azul) o autor do texto escreveu “Paalo”! 🙂

  • Ta explicado ! Essa doença vem da genética, coisa de família.

    Na boa… esquerdista AMA acusar a Igreja Católica de ser opressora ,destruir a liberdade individual, escravizar as pessoas etc… mas vamos concordar . A Igreja Católica tem mais equilíbrio que as protestantes.
    A Igreja Católica proíbe apenas o pecado, para zelar pelo rebanho e proteger as almas .E desculpe , meu caro ateu. Se isso não importa para você , para mim importa.

    Ja as igrejas protestantes , costumam ser ”liberou geral” ,tipo as Igrejas Estatais europeias ,como a igreja anglicana ou igreja luterana da suiça (depois de rei Henricao , virou moda criar igreja estatal ).Casamento gay , clero abertamente homossexual, NENHUMA regra moral para o fiel , etc.

    OU podem ser que nem Lutero e os evangélicos brasileiros:” LÚCIFER EM TODA PARTE ! TEM LÚCIFER DEBAIXO DA MINHA CAMA ! SAINDO DA MINHA PRIVADA ! NOS DESENHOS , NAS SERIES , NOS FILMES ,EM TUDO ! TUDO UMA CONSPIRAÇÃO ”ILLUMMMINATTI” REPTILIANA ANNUNAKI DA DISNEY ! E COM APOIA DA IGREJA CATOLICA, PROSTITUTA DO APOCALIPSE ! SOCORRO !”

    Serio , a paranoia galopante desse povo da medo.Tenho bons amigos evangélicos , e tento convencê-los que NÃO, a minha igreja não e aliada dos maçons,e que ,alias ,minha igreja e os maçons são inimigos antigos.

    Mas é impossível. O cérebro já foi lavado com sucesso!

    Fui evangélico pelos 15 anos inicias da minha vida (tenho 16 ) e sei o tipo de coisa que ensinam la dentro. Realmente , se fala mais no diabo do que qualquer outra coisa.Teorias de conspiração ao montes.Por anos acreditei que atacar católicos era combater a ”ditadura secreta iluminati,” ou sei-la-o-que.

    Paulo Ricardo , ótimo post.

    Uma dúvida :

    Li em algum lugar que Lutero era devassisimo. Curtia uma festa de arromba , com muita bebida de preferência.
    Existem fontes que comprovem isso? Isso procede?

    • Caro Emanuel,

      Um das obras mais conhecidas de Lutero é fonte indireta de nossas postagens. “Conversas à Mesa”. Lutero gostava de uma cana e uma das teorias a respeito de sua morte diz que foi, como direi, um momento “Jimi Hendrix” (fósseis do rock como eu entenderão a citação). Evito acrescentar leviandade aos meus muitos pecados. Destarte, só sei dizer mesmo que muita coisa nessa área tem natureza especulativa e acusar sem provas é descer ao nível dos detratores.

  • Cesar

    Ótimo e oportuno artigo, porém no mês de agosto o nosso querido Papa Francisco, como nos três anos precedentes, passará todo o mês no Vaticano. Ele anunciou que renunciará até mesmo a um tradicional compromisso pontifício – o Congresso Eucarístico Nacional, que se realizará este ano em Gênova de 15 a 18 de agosto –, mas que no dia 19 viajará a Assis para celebrar o trigésimo aniversário do encontro entre as religiões, organizado pela Comunidade Santo Egídio.

    A comunicação não partiu da Sala de Imprensa do Vaticano, mas do imã de Perúgia, Abdel Qader Moh’d, em entrevista à TV 2000. O Papa Francisco se encontrará depois, de 30 setembro a 2 de outubro, com ortodoxos e muçulmanos na Geórgia e no Azerbaijão, e no dia 31 de outubro em Lund, na Suécia, com luteranos para comemorar o quinto centenário da REFORMA PROTESTANTE.

  • Paulo

    Ao contrário do acontece por aqui na América Latina, a convivência entre católicos e protestantes na Europa é pacífica, sem os ataques histéricos à Igreja que vemos em nosso meio. Lá, o diálogo ecumênico funciona.

    Talvez, por isso, a presença do Papa na Suécia tenha uma importância para católicos e protestantes luteranos europeus que não conseguimos dimensionar por aqui.

    Por outro lado, o cristianismo protestante está em rápido processo de extinção na Europa, isso é fato. Por exemplo, até meados deste século, por exemplo, a Igreja Reformada Holandesa deixará de existir pela falta de pastores e ausência de fiéis.

    Lembro de um amigo meu que era padre alemão em Berlim nos anos 90. Ele dizia que, na Alemanha, apesar de não terem o “obstáculo” da exigência do celibato, o número vocações de pastores luteranos diminuía exponencialmente a olhos vistos frente às vocações de padres católicos.

    Por outro lado, quem diria, a América Latina se transformou numa incubadora para produção em massa de pastores, “missionários” e “crentes” do movimento cristão oriundo dos EUA que se originou dos calvinistas expurgados das pornochanchadas do Big Henry VIII.

  • “Depois de conduzir todas as suas ovelhas para fora, vai adiante delas; e as ovelhas seguem-no, pois lhe conhecem a voz. Mas não seguem o estranho; antes fogem dele, porque não conhecem a voz dos estranhos!” (João 10, 5)

  • o nosso primeiro dever é defender a fé. Dom Prosper Guéranger escreveu: “Quando o pastor se transforma em lobo, o primeiro dever do rebanho é de se defender. (…)

  • Perfeita descrição do protestantismo, feita pelo Monsenhor Louis Gaston de Ségur em sua obra intitulada “Confissão”. Consta que o monsenhor era estimado pelo Papa Pio IX e amigo do Cura D’Ars:
    “O Protestantismo é a religião daqueles que não têm nenhuma. Entre os protestantes, cada um traça seu próprio caminho; é a confusão religiosa universal. Ninguém conhece aquilo em que acredita, e nem por que acredita; cada um faz o que o satisfaz, cada um segue seu próprio capricho.

  • É muito conveniente, mas não é cristão. […] É porque os protestantes não confessam que suas consciências são desleixadas.
    Você já viu terreno abandonado? Por melhor que seja a qualidade do solo ele produz erva daninha e espinhos. E por que isso? Por que o trabalho benéfico do lavrador não foi aplicado nele; porque o arado e o ancinho não foram passados sobre ele. Ele permanece infrutífero; raramente pode uma cabra selvagem encontrar ali meios de abastecer seu escasso pastorear.
    Tal é, a experiência prova, a consciência do pobre protestante; o sólido exercício da confissão nunca a abriu. Não obstante sua maior ou menor retidão natural; não obstante sua boa disposição, sempre muito boa, – eles não são cristãos! Oh SENHOR! Que crime arrebatar de nações inteiras o inestimável benefício do Sacramento da Penitência! Lutero, apóstata e libertino como era, não foi tão longe” – Mons. Louis Gaston de Ségur, – Confissão –

  • Sandro

    “Quando o diabo disser ‘não bebas’, responde-lhe: já que me proíbes, hei de beber, em nome de Jesus Cristo, beberei mais copiosamente.”
    WHAT???
    kkkkkkkk

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>