O que anda na cabeça do clero? Entenda os chapéus católicos

mitraO Papa está sempre de solidéu, certo? Errado! Ele deve sempre retirá-lo em alguns momentos específicos da missa – e pouquíssimos católicos sabem o motivo desse gestual. No post de hoje, vamos explicar essas e outras curiosidades sobre os assessórios e paramentos que cobrem a cabeça dos nossos religiosos.

Mitra

Usada por todos os bispos durante a missa – inclusive o bispo de Roma, o Papa – e pelos abades. É colocada sobre o solidéu, e sinaliza a autoridade pastoral.

Reparem que quando um bispo ora a Deus (como nas preces e nos gestos sacramentais), ele retira a mitra. Isso porque vem dos tempos apostólicos o ensinamento de que os homens têm o dever de orar com a cabeça descoberta (enquanto as mulheres, conforme São Paulo mesmo orientou, deveriam orar com a cabeça coberta – mas essa tradição milenar se diluiu nas últimas décadas, sem mais nem menos).

Solidéu

É um barrete de modelo simplificado, semelhante à quipá que os judeus usam. Os bispos o usam durante quase toda a celebração da missa, retirando-o a partir da oração eucarística, em sinal de respeito.

Capelo

É um acessório não-litúrgico, do dia a dia, que ajuda a se proteger do sol. O Papa pode usar o capelo vermelho; o de outros clérigos é preto.

galeroGalero

O vermelho é exclusivo dos cardeais (foto ao lado); os demais clérigos usam o preto. A partir de 1965, o galero cardinalício foi substituído pelo barrete.

Barrete

Tem formato quadrangular, e quase sempre traz um pompom no topo. Indica a autoridade do clérigo, e pode ser usando durante as celebrações (sendo retirado em momentos específicos) ou fora delas.

As cores do barrete variam conforme a hierarquia do clérigo, ou conforme o seu cargo. O Papa, por exemplo, pode usar barrete branco, mas esse costume foi abandonado faz muito tempo.

Camauro

É um gorro bem quentinho, que o Papa tem a opção de usar no inverno. Sim, ele fica parecendo o Papai Noel! E de onde vocês acham que surgiu o gorro do bom velhinho?

Tiara Papal

Era usada somente em cerimônias solenes. Suas três coroas simbolizam o tríplice poder dos papas: pai dos reis, reitor do mundo e Vigário de Cristo (Fonte: site do Vaticano). O último papa a usá-la foi o beato Paulo VI.

paramentosCapirote

Dentre as coberturas de cabeça apresentadas aqui, é a única usada por leigos.

capiroteCapuz usado principalmente por membros das irmandades espanholas durante algumas das celebrações da Semana Santa, em especial, nas procissões. Esse costume também se reflete aqui no Brasil.

A origem do capirote vem da Idade Média, quando os criminosos eram obrigados a desfilar pelas ruas com um chapéu pontudo. Ao vê-los, as pessoas os xingavam e jogavam sujeira neles. Assim, nas procissões, os penitentes que reconheciam suas culpas diante de Deus e desejavam voluntariamente serem humilhados colocavam esses chapéus, mas cobrindo o rosto, para não serem identificados (alguns desses penitentes se auto-flagelavam).

Atenção: o capirote não deve ser confundido com os capuzes usados por membros da Ku Klux Klan, pois sua finalidade era o terror, e não a humilhação e penitência. Ademais, essa organização terrorista pregava o predomínio dos protestantes brancos não só sobre os negros, mas também sobre os demais imigrantes, como judeus e católicos.

Capacete

Certo, esse aqui não faz parte da tradição católica. Mas a gente não podia deixar de fazer esse registro, afinal, sempre que um Papa coloca um desses na cabeça, faz o maior sucesso!

papa_capacete

IGREJAS CATÓLICAS ORIENTAIS SUI JURIS

Como já explicamos antes aqui no blog (confira aqui), as Igrejas Católicas sui juris, de rito oriental, estão em perfeita comunhão com Roma, sendo submissas ao Papa. Essas igrejas se diferenciam da Igreja Católica de Rito Latino em aspectos administrativos, disciplinares e litúrgicos, mas a doutrina é a mesma.

A seguir, mostraremos um pouco da riqueza e da beleza dessa diversidade, especificamente em relação aos paramentos que cobrem a cabeça dos religiosos.

eparcaMitra Bizantina

Utilizada por todos os bispos das igrejas católicas de rito bizantino (como o bispo da foto ao lado), e também pelos Coptas e Etíopes.

Eskimo ou Kalansowa

Capuz negro que cobre a cabeça dos monges e bispos das igrejas Siro-Malancares e Coptas, em todos os momentos. Possui 12 ou 13 cruzes. Entre os coptas é chamado de Kalansowa, entre os siro-malancares, Eskimo.

As 12 cruzes simbolizam os 12 apóstolos. Eles devem proteger o usuário de maus pensamentos, mantendo sua mente limpa (fonte: Orientale Lumen).

Masnaphto

A mitra foi introduzida na liturgia da Igreja somente após o século X (alguns dizem que foi após o século VII). Por isso, a Igreja Católica Siro-Malancar não incorporou seu uso aos paramentos dos bispos.

Em vez da mitra, os bispos católicos de tradição siríaca usam o Masnaphto, um véu da cor dos outros paramentos, que geralmente traz o desenho de uma pomba, em alusão ao Espirito Santo. Ele simboliza o pano que cobriu a cabeça de Nosso Senhor quando ele foi conduzido para ser sepultado (fonte: Orientale Lumen).

O Masnaphto é usado sobre o eskimo, da mesma forma que a mitra é usada sobre o solidéu.

Allousi

Usado pelos clérigos da Igreja Maronita. É semelhante ao solidéu, e tem um pequeno pompom no topo. Raramente é utilizado na liturgia.

Preto para os monges (o clero diocesano não usa), violáceo para os bispos e vermelho para o Patriarca. (fonte: Orientale Lumen).

Tabieh
Parece um turbante, e sua função é similar à do barrete. Não é utilizado por padres (a não ser que sejam corepíscopos). É preto para os bispos, sendo que o patriarca pode usar um vermelho, se quiser.

Klobuk

Chapéu achatado no topo, com um véu que cai sobre os ombros e costas. É usado por monges e bispos de algumas igrejas de rito oriental.

Qob

Barrete utilizado pelo clero da Etiópia.

catolicos_orientais

28 comments to O que anda na cabeça do clero? Entenda os chapéus católicos

  • Sidnei

    Se não me engano o Papa não usa mais a tiara papal, o ultimo papa a usá-lo foi o Papa Paulo IV. Nunca via os papas: São João Paulo II, Bento XVI e agora o Papa Francisco usarem isto, que na minha opinião, deveria ser muito desconfortável em usá-lo, parecendo ser muito pesado. Como a veia humorística já faz parte do blog, adorei a citação dos capacetes, foi hilário.

    • Rodrigo

      Vi em um filme que a Tiara Papal era anexada ao trono petrino na Basílica de São Pedro durante audiências solenes. A Tiara ficava como que “pairando” sobre a cabeça do papa. No filme sobre o Concílio Vaticano II, o diretor fez uma cena em que Paulo VI fala sobre o simbolismo da Tiara e para haver uma maior aproximação com mundo, a Igreja não precisava de tamanho símbolo de opulência e ostentação. Acho que foi isso.

  • É verdade, Paulo VI foi o último. Essa informação estava no texto que eu produzi, mas na hora da edição eu devo ter cortado sem perceber. Agora inseri de novo. Obrigada!

  • Michel

    Sidnei,o uso da Tiara não era desconfortável,e embora pareça,não é pesada,e difere pouco de uma mitra na questão conforto,o corpo da tiara é de materiais leves,mas com 3 anéis em metais preciosas e pedraria,se comparar a algumas mitras que possuem muita pedraria,verá que não é muito diferente.

  • Ana Claudia

    Muito interessante o post! Seria legal vocês explicarem mais alguns detalhes sobre a história e a composição dos paramentos. Aproveitando o gancho, bem que vocês podiam fazer um post sobre o piedoso uso do véu, hein… 🙂

  • Sérgio

    Esqueceram o capacete de Paulo VI! Mas acho que ele ainda era “só” bispo!

  • Jose Luiz da Silva

    excelente matéria!

  • Gustavo JV

    Matéria massa! Há tempos em que queria saber mais sobre as Igrejas que estão em comunhão conosco?

    Rapaz, pensei que a odisséia do padre excomunBeto tinha acabado, mas não, topei com isso “https://culturaemcasa.catracalivre.com.br/online/documentario-conta-historia-de-padre-brasileiro-excomungado-pelo-papa-francisco/”

    “Padre” brasileiro excomungado ganha documentário – O Excomungado: punido por pregar o amor”

    “Beto foi o primeiro padre expulso da Igreja por pregar ideias humanistas desde Giordano Bruno, em 1600.”

    é muita covardia intelectual hahaha….

  • Eu sei que está bem pequeno, mas só a título de curiosidade, visto que a senhora catequista não encontrou a foto do Papa Paulo VI:

    http://www.30giorni.it/upload/articoli_immagini_interne/1245146592698.jpg

  • Rafael

    Muito interessante! Fiquei surpreso ao ver o Monsenhor Jonas Abib de barrete. Essa peça da indumentária litúrgica é usada sempre pelos padres que celebram a Missa Tridentina. Já o véu, pelo que tenho notado, está lentamente voltando entre as católicas, que bom!

  • Olá pessoal louco de O Catequista, no qual também me identifico com essa loucura santa kkk’

    Tenho uma dúvida já a muito tempo, já pesquisei mas não encontrei resposta direta só fiquei mais confuso. É a seguinte:

    O Sangue que corria nas veias de Jesus e que foi derramado na Cruz, é o mesmo sangue de Maria?

    To esperando a resposta naquele estilo que só vocês sabem kkk’

    Deus nos abençoe!

    • Sidnei

      Luciano, não sei o que o pessoal do Catequista vai responder, mas vou dar minha opinião, que é a seguinte: o sangue que corre nas suas veias é de você ou de seus pais?. É claro que é seu, pois o sangue de seus pais correm nas veias deles, pode ser que teu sangue derivou da de seus pais, mas é seu sangue, cada um tem seu sangue. Assim foi com JESUS e a Vigem Maria, JESUS tinha o sangue DELE e Maria a sua, embora o sangue de JESUS tenha derivado totalmente de Maria, mas foi o sangue de JESUS e não o de Maria que nos salvou de nossos pecados. Foi o sangue de JESUS derramado na cruz, que nos livrou da condenação eterna, pois mesmo que Maria tivesse ter sido ela pregada na cruz, seu sangue, mesmo que puríssimo, não nos salvaria de nossos pecados, pois ela era somente criatura, enquanto JESUS era homem e DEUS. Somente alguém tendo as duas naturezas é que poderia nos salvar, haja vista, que quando os primeiros seres humanos, representados em Adão e Eva pecaram, e todos nós com nossos pecados pessoais, é a DEUS ser infinito e perfeito que pecamos, quanto nós criaturas, seres finitos e imperfeitos, somente alguém que tivesse na mesma altura de DEUS e dos homens, sendo verdadeiro DEUS e verdadeiro homem, poderia nos reconciliar com o PAI. E foi isto que aconteceu com CRISTO JESUS, quando se entregou por nó no madeiro da cruz. Espero ter te tirado esta dúvida, qualquer coisa, o pessoal do catequista te poderá esclarecer melhor esta questão.

      • Padre Orlando Henriques

        Caríssimos!
        É um prazer voltar aqui depois de tanto tempo!
        Por aqui é Verão e o mês de Agosto não perdoa cá nas paróquias com festas religiosas aos montes, procissões, a população que quadriplica, enfim, nem tem dado grande tempo para passar por cá nem para comentar, mas fiquem descansados: EU AINDA SOU VIVO!

        Sidnei, eu penso que você respondeu bem. Já tenho ouvido alguns pregadores a fazer esse comentário, dizendo que, na Eucaristia, ao receber o Sangue de Cristo estamos a receber “também o de Maria”, numa tentativa piedosa de exaltar Nossa Senhora, mas sempre achei essa afirmação muito estranha e nada digna de crédito. Por muito que o Corpo (e o Sangue) de Cristo seja geneticamente igual ao de Maria, é o de Cristo que recebemos na Eucaristia, e não o de Maria.
        Além disso, era preciso que o Salvador fosse homem, para poder padecer por nós, mas também Deus, para que esse sacrifício pudesse ter o poder de perdoar os pecados, como lembrou o Sidnei. Aliás, se Maria é puríssima (desda a sua Imaculada Conceição) é graças aos méritos futuros de Cristo.

        • Sidnei

          Obrigado Pe. Orlando. Também acredito que quem dizem estas coisas, não dizem por maldade, mas por ignorância e uma tentativa piedosa de exaltar a Maria, mas, corre o risco que querer colocar Maria no mesmo patamar de seu filho JESUS. Para mim, tenho que Maria foi igual a CRISTO no que tange ela ser cheia de graça, e por isto, isenta do pecado original e pessoais, porém, graças aos méritos de seu filho alcançado na cruz e aplicados nela de forma antecipada, desde sua concepção. Mas não podemos ficar comparando a Maria com JESUS o tempo todo, Maria tem sua grande importância como nossa mãe, Rainha, co-redentora, intercessora, o qual está sempre orando por nós, porém, como salvadora não, pois o único salvador é JESUS NOSSO SENHOR, o qual Maria sempre nos indica, nos aponta e nos aconselha , como nas bodas de Caná: “Fazei tudo o que ELE voz disser”, de resto, acredito que qualquer exagero, mais atrapalha que ajuda na nossa devoção a Virgem Maria.

        • Muita alegria ver seus comentários por aqui de novo, Padre!

      • Padre Orlando Henriques

        Não me lembro de ler essa teoria em nenhum Santo, nem doutor da Igreja, por mais mariano que seja. No entanto, se me mostrarem, eu rendo-me, é claro.

  • Elias

    Olá, meu amado catequista

    Os teus ensinamentos são de ouro. continue a nos inspirar com esses dons que tem. Eu adoro ver a nossa mãe Igreja Católica continuar a ter homens isnpirados como você, ó meu caro catequista. Ninguem duvida que o Espirito Santo age na nossa mãe santa IGREJA Católica.

  • César Augusto Simões

    O feed rss de vocês não está funcionando mais 🙁

  • Júnior Frutuoso

    Uma dúvida: o chapéu saturno é a mesma coisa do capelo?

  • José Silva

    Se cappello (italiano) significa chapéu, porque chamam o barrete preto que o graduando usa com a beca de capelo? Já pequisei muito sobre isso e ainda não encontrei uma resposta objetiva e correta. Vocês poderiam me ajudar?

  • Filippus

    Eu gostei que também mencionaram os ritos do Oriente. Meus parabéns

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>