Papa Francisco: “se ofender a minha mãe, pode esperar um murro”

papa_soco

Nesta quinta-feira (15), a bordo do avião que o levava às Filipinas, o Papa Francisco afirmou exatamente o que defendemos aqui, em nosso último post: não, não há justificativa para matar em nome de Deus, e sim, há limites para a liberdade de expressão. O Papa se referia especialmente a piadas infames envolvendo religiões.

Primeiro, o pontífice reafirmou o que já havia declarado na ocasião do atentado em Paris: “Não se pode ofender, ou fazer guerra, ou assassinar em nome da própria religião ou em nome de Deus”. Depois, o Papa ergueu os punhos cerrados e deu um exemplo bem claro do que seria um razoável limite para a liberdade de expressão:

“É verdade que não se pode reagir violentamente, mas se Gasbarri [um de seus colaboradores, que está junto com ele no avião], grande amigo, se ofender a minha mãe, pode esperar um murro. É normal!”.

Continuando, o Papa disse: “Não se pode provocar, não se pode insultar a fé das outras pessoas, não se pode tirar sarro de fé”. Segundo, ele “Há um limite”, e “Cada religião tem a sua dignidade”. Assim, condenou os dois extremos: os que matam por se dizerem ofendidos em sua fé, e os que não veem limites para escarnecer da fé alheia (veja aqui o vídeo da entrevista).

O Papa Francisco afirmou que não toleraria um insulto gratuito à sua mãe; o problema é que muitos católicos não veem a Igreja como Mãe, e assim são insensíveis às zombarias infames que fazem contra ela. São os caóticos…ops, católicos que acham lindo aderir à modinha do “Je suis Charlie”. Mas aqueles amam Jesus de fato não têm como não sentir grande dor e indignação ao ver a charge nojenta dos infelizes cartunistas franceses sobre a Santíssima Trindade.

papa_bifaQuando nós falamos isso, muita gente vem nos xingar de intolerantes, dizem que estamos “julgando o irmão” etc. Quem sabe agora que o Papa Francisco falou, os católicos tomem vergonha na cara e parem de dar audiência para vídeos de gente que ganha a vida cuspindo na cara de Jesus Cristo, da Virgem Maria e dos santos, como a equipe do Porta dos Fundos.

Que fique bem claro: ninguém aqui está defendendo a censura prévia (não somos da turma do Fidel), nem tampouco estamos dizendo que se deva proibir piadas e sátiras com as religiões. Todas as religiões – inclusive o catolicismo – possuem aspectos passíveis de serem criticados e ironizados. O que estamos alertando é que o ABUSO da liberdade de expressão deturpa esse direito, e acaba servindo como justificativa para a ofensa gratuita e o ódio religioso.

Como bem disse o colunista Felipe Moura Brasil: “Só humoristas muito mal resolvidos sexualmente (o que não quer dizer gays) precisam fazer humor com as relações sexuais entre personagens bíblicos”.

Fontes: Catholic News Service, KXNews (Associated Press), The Independent e Canção Nova

85 comments to Papa Francisco: “se ofender a minha mãe, pode esperar um murro”

  • Vagner L. Glicério

    Dá-lhe Papitcho…

    • janes

      PAPA CONTRA GAYZISMO E CIA?? Tudo indica que a lua de mel da mídia com o Papa Francisco está para acabar. Dentro dos adequados contextos (caridade pastoral, denúncia dos poderes mundanos que chantageiam os povos pobres) que ele diz serem necessários, para que a novidade de Jesus que nos traz a alegria apareça em primeiro plano, ele tem cutucado as onças ideológicas com varas cada vez mais curtas. Em sua mais recente homilia nas Filipinas ele – segundo a mídia – criticou a ideologia de gênero, o dito “casamento gay”, dizendo que essas ideias vem de FORÇAS PODEROSAS ( O PAPA SABE DAS COISAS!). Eu preferiria que ele fosse mais direto dando nomes aos bois (ONU, UNICEF, UNIÃO EUROPEIA, GRANDES PODERES META E MEGA CAPITALISTAS, COMUNISMO DISFARÇADO DE MORTO, ETC.) até para não ficarem dúvidas no ar. Mas ele sabe o que faz e deve achar que o Espírito de Deus pede esse modo de falar. Expresso minha discordância (quanto à linguagem) em espírito de grande fidelidade ao papa e consciencia da minha maior ignorancia e menor experiencia. De todo modo, ele não citou na tal homilia, as palavras contracepção, aborto e casamento gay. São deduções da mídia, e me parecem que são corretas e lógicas. Não dá para entender outra coisa (abaixo as palavras do papa e também a versão da mídia):
      ESTE É O TRECHO DA HOMILIA DO PAPA, TAL QUAL ELE DISSE: “Proclamai a beleza e a verdade do matrimónio cristão a uma sociedade que é tentada por apresentações confusas da sexualidade, do matrimónio e da família. Como sabeis, estas realidades estão cada vez mais sob ataque de FORÇAS PODEROSAS que ameaçam desfigurar o plano criador de Deus e trair os verdadeiros valores que inspiraram e moldaram quanto de belo existe na vossa cultura.”
      ESTA É A INTERPRETAÇÃO QUE TEM SIDO FEITA PELA IMPRENSA “Essas realidades são sempre mais atacadas pelas forças poderosas que ameaçam desfigurar o plano de Deus sobre a criação”, disse o papa em alusão ao divórcio, à contracepção, ao aborto e ao casamento gay.”FONTE: http://www.portugues.rfi.fr/mundo/20150116-papa-pede-nas-filipinas-luta-contra-pobreza-e-desvio-de-valores-cristaos
      SÓ QUERO VER SE OS IDEÓLOGOS-MILITANTES DE PLANTÃO QUE COSTUMAM MANIPULAR AS PALAVRAS PAPAIS EM FAVOR DE SUAS AGENDAS PODRES (BOFF, BETTO, ETC) CONTINUARÃO COM ESSE JOGUINHO SUJO E LEVIANO!

  • Thiago

    Só um detalhe:
    NADA é justificativa para a ofensa gratuita ou o ódio religioso (ou qualquer tipo de ódio, para ser justo).

    • janes

      Eu creio que o papa – ao contrário do que diz Reinaldo Azevedo (http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/prontofalei-a-consideracao-cretina-do-papa-francisco-sobre-os-atentados-terroristas-na-franca/)- não quis dizer que alguém está autorizado a esmurrar quem fala mal da mãe dele. Mas quis dizer (para mim isso é claro) que não devemos ser moralistas diante de reações enfezadas de quem foi ofendido. Reinaldo faz uma leitura preciosista da fala do Papa Francisco.É óbvio que o papa acha a reação muçulmana mega desproporcional. Apenas enfatizou com seu exemplo repentino e espontâneo que, por outro lado, não é justo provocar e ofender algo de sagrado para o outro: a mãe, a fé, etc. E que se o outro reage, não é apenas a sua reação que deve ser criticada, mas também a ofensa feita. Eu não vi nada demais na fala do papa. E até mostra que ele é humano, que pode dizer as coisas de sopetão sem pesar bem as palavras, como qualquer um de nós, ora p..ra!!!!

      • janes

        E é claro: o papa também fala à luz de uma intuição e experiência longa: ele sabe que a guerra da mídia ocidental europeia, não é contra o Islã somente, e sim contra o fato religioso como tal. É preciso ler a fala dele também nesse contexto. Se a fala dele não pode ser usada para justificar o ódio islão, é certo também que ele não pode nem por um segundo dar a entender que não sabe (e sabe) que a revista é parte de algo maior: o ódio anti religioso. Portanto, ele também fala em nome do sentimento religioso em geral (e não só do Islã).

  • Lucas

    Ao meu ver, esses abusos antirreligiosos só serão corrigidos eficazmente quando nós, cristãos católicos, reocuparmos os postos culturais e intelectuais que nos foram tirados ao longo do tempo. Precisamos de cartunistas também, que estejam dispostos a ferir as “sensibilidades democráticas e intelectuais”, que não passam de ateísmo barato, de pessoas assim, numa espécie de marxismo cultural às avessas.

  • Carlos Augusto

    Nosso querido Papa Francisco deve ter calado a boca de muita gente com esta declaração. Principalmente aqueles que achavam que ele só iria criticar a violência.

    Apesar disto fiz um procura nos principais portais de noticias e não há um grande destaque para isto como houve quando fizeram aquela marcha.No máximo uma notinha, no final das páginas, onde ninguém vai querer ver.

    É incrível como mídia, em sua maioria, “seleciona” o que as pessoas devem saber e acabando escondendo a verdade.

    Je suis Papa Francisco!

  • Mayara Affonso

    Se falar mal da mãe do Papa até eu vou ir querer dar um murro no Gasbarri.
    HAHAHAH

    Brincadeiras a parte é bom que o Papa alerte a comunidade jornalística para que não confundam liberdade com libertinagem.

  • Natália

    Papa Francisco, junto de Cristo <3

  • Pois é meus irmãos, a gente aguenta até o lombo cansar, depois derruba a carga. Não sou a favor da violência, mas tem gente mal intencionada tirando vantagem sobre muita coisa. O Papa está certo, não temos que retrucar, mais levar desaforo para casa todas as vezes que “nos tiram um saro”, ai é brincadeira. Vamos boicotar essa mídia que é ofensiva, a nós, a outras religiões, meu limite termina quando começa o limite do próximo.

  • Tiago

    Vai já ter gente dizendo que o Papa Francisco apóia e acha normal o ataque à revista por causa dessa frase do murro.

  • Fran

    Exatamente! Como jovem, convivo diariamente com esse tipo de coisa. E NÃO, não se trata de brincadeiras inofensivas. Pelo menos a maior parte delas. São piadinhas de mau gosto, claramente feitas com a intenção de ofender a fé do outro.
    Como diz o Monsenhor Leomar Brustolin, ex-pároco da minha paróquia que agora é Bispo Auxiliar (peço orações por ele nessa nova etapa): “Existe algo que ninguém pode tirar do ser humano: sua transcendência.”

    Mas claro, nada disso justifica a violência. Neste caso, a tentativa foi de solucionar um erro com outro erro. Deveriam, ao menos, saber que tapar o sol com a peneira não funciona.

  • Luiz Antônio Pereira

    Está é na hora de levantar novamente a Ordem do Templo!

  • Naty

    Acontece que muita gente não entende o que a religião é para nós e sim entendem como algo subjetivo, ilusório e por conta disso acham que “não há nada demais” em insultar algo que “não existe”. Para muitos é mais importante respeitar “a carne” do que a crença ou cultura de um povo, sendo que um não se sobressai ao outro, andam juntos e devem ser respeitados igualmente.

  • Kelly

    Gozado que há pessoas até católicas mesmo que não ligam se insultar em sua religião. Mas saem no tapa se falarem mal do seu time de futebol. Concordo que nada justifica a violência. Porém não se deve confundir liberdade com falta de respeito.

  • gecyclan Fernandes lima

    falo tudo papa

  • Zé da Paraíba

    Amai os vossos inimigos, fazei o bem aos que vos odeiam…

  • Sidnei

    Estive vendo algumas charges destes franceses, e verifiquei que eles até pegaram leve com o islamismo, pesado eles pegaram mesmo foi com o cristianismo. Aquelas charges mostrando a SANTÍSSIMA TRINDADE, que nem tenho coragem de colocar aqui, se nós fossemos como os islamitas, este pessoal já tinha sido fuzilado a muito tempo, mas mesmo pegando de leve os radicais muçulmanos não perdoaram e mandaram bala neles, e ainda tem idiotas que vem falar da Igreja Católica sobre as cruzadas e a inquisição, da vontade de mandar este pessoas a m*… e a p*.. que pariu (antes que alguém se ofenda só estou usando minha liberdade de expressão).

    “Todas as religiões – inclusive o catolicismo – possuem aspectos passíveis de serem criticados e ironizados.”

    Engraçado, a primeira vez que entrei neste blog foi sobre um assunto que não me recordo, mas me recordo que havia uma charge engraçada de JESUS vindo sobre as nuvens e ELE vendo o pau quebrar aqui em baixo, este é o tipo de humor, de charge que não ofende, como na ultima postagem sobre este assunto em que o pessoal do Catequista lembrou tão bem do Chico Anysio e do Leandro Hassun, que exercitavam o humor sobre assuntos religiosos, mas sem nunca perder o respeito, ao contrário destes chargistas franceses como a do porta dos fundos, que não perdem a oportunidade de zombar dos cristãos com piadas e charges ofensivas, mas eles sabem que não terão retaliação, mas eles que não vão brincando muito não, que de DEUS não se zomba, a paga por suas loucuras travestidas de humor, não poderá vir neste mundo, mas no outro, a justiça divina os aguardam, então eles que se convertam enquanto é tempo, pois o dia que chegar diante do divino juiz, não vai ser alguma charge ou piadinha engraçada que vai salvar o coro deles não.

    • Luiz Antônio Pereira

      O brabo é que em se tratando de porta dos fundos e charlie, a comédia e humor é apenas cortina de fumaça, pois creio serem veículos ideológicos, em verdade. daí eles vem com esse papinho de que não podem colocar limite no humor e tals, para terem onde se escorar e continuarem vomitando m…a.

    • João Pires

      Heh, o Reinaldo é bom comentarista de política, mas quando abre a boca pra falar de religião só sai asneira… Vide as opiniões dele sobre celibato sacerdotal ou veneração dos santos.

    • Jotacê

      Na verdade, nem em termos de política o ex-Reinaldão anda se saindo bem, abandonando o verniz conservador para atacar Bolsonaro em defesa da “dama ofendida” Maria do Ossário. Meu desconfiômetro, que andava mais do que ligado com esse cara, disparou alto. Depois desse artigo de b*** sobre o Papa, não leio mais nada desse cara. Tucanou de vez. Ele que vá buscar apoio em seus amiguinhos do PSDB.

      • Leniéverson

        Ser Tucano, para mim, não é problema. O problema é, quando, alguém que se diz tucano, não consegue, como fazem os militantes do PT, enxergar seus erros e ver as pessoas como heróis. Aliás, alguém viu a decisão do Governador de São Paulo, que promulgou regime de cotas para negros em concursos públicos do estado? Pois é. Quanto ao meu comentário anterior, quero deixar claro, que coloquei o link do Reinaldo Azevedo, não porque concordo, mas para colocar um contraponto a questão. Aliás, há outro blogueiro famoso, dito de direita, que seguiu a mesma linha do Reinaldo. http://lucianoayan.com/2015/01/15/papa-fala-bobagem-sobre-o-atentado-ao-charlie-hebdo-voce-nao-pode-provocar-voce-nao-pode-insultar-a-fe-dos-outros-voce-nao-pode-zombar-da-fe/.

        Obs: Viviane, Alexandre e Paulo Ricardo, perdoem-me se os links sejam, de algum modo, inconvenientes.

        • Jotacê

          Então não discordamos, Leniéverson. Para mim, o PSDB é o PT com uma roupagem “soft”. E o Luciano Ayan, apesar de ser um analista político dos mais competentes, é ateu e libertário confesso. Me pergunto: a análise dele não está afetada pela visão particular de mundo que ele tem?

  • jose ednaldo dos santos

    Apesar das fraquezas dos seres humanos, Jesus nos ensina a praticar diferente, ou seja, reivindicar de outra forma.”Ao que ferir numa face,oferece-lhe também a outra”.É assim que a Bíblia ensina aqueles que quer seguir os passos dEle. E não dando murro em ninguém. Lucas 6.29. Por isso que a Bíblia ensina olharmos apenas pra Ele,Hebreus 12.1c, que diz:”Com o olhar fixo no autor e consumador da nossa fé, Jesus”. Não é preciso dá murro em ninguém por maior que seja o fato.

    • O mesmo Jesus que ensina a dar a outra face – no caso de ofensas pessoais – ensina também a reagir com maior vigor, no caso de ofensas a Deus. Espero que vc lembre de que o bom e manso Jesus expulsou os vendilhões do Templo a bofetões e chicotadas.

      Não sei se vc tem namorada ou é casado, mas caso sim, responda: se você está na rua e um homem começa a chamar sua mulher de vagabunda e piranha, você vai reagir como? Vai chorar? Vai “dar a outra face”, deixando ele continuar com as ofensas?

      • Jotacê

        Até eu, QUE SOU UMA BESTA, sei que a passagem sobre “dar a outra face” se refere à específica situação em que o Cristão está encarcerado, preso, subjugado, sem ter para onde ir, e se vê totalmente indefeso diante do inimigo.

        Então, nesse momento, ele dá mostras de sua Fé, de sua fibra, de galhardia, entregando-se ao martírio com total foco em Cristo, unindo-se a Ele em sua Paixão.

        Caso contrário, se tiver meios de modos de brigar, lutar e resistir, faça isso, pô! Caso contrário, estará cometendo apenas um suicídio covardemente “enfeitado” de Cristianismo.

        “Agora, porém, quem tem bolsa, tome-a, como também o alforje; e o que não tem espada, venda a sua capa e compre uma.”

        Traduzindo: homens Católicos, honrem suas bolas! Defendam-se, defendam os indefesos e DEFENDAM A IGREJA!

      • Douglas

        A Catequista? Que valores são esses que você defende? Isso que você diz é inconcebível! Se alguém xingar minha mulher, é lógico que eu não devo reagir com violência. Eu devo procurar os meios legais, nunca a força, nunca a justiça pelas próprias mãos. Isso que você diz não funciona, é a lei do mais forte. Ou melhor é um mundo sem leis. Isso não se sustenta! Não tem como dar certo. Veja: se o ofensor for mais fraco, eu posso partir para a agressão porque levarei a melhor. Caso o ofensor seja mais forte, o que eu faço? Choro? Compro um revólver?

        • Não confunda violência com firmeza. Se alguém xingar sua mulher na rua não há nem como procurar os meios legais. Estou falando de situação real, não dessa coisa fantasiosa de que tudo o que nos ofende tem que ir pra justiça. Na real, você vai pedir pra ele parar. Pode até ser com educação, mas vai ser firme. Vai colocar limite na situação. E isso não é violência. Do jeito que você coloca as coisas, ou a pessoa é bunda mole ou é um selvagem. Não é assim que as coisas funcionam.

          • Douglas

            Há meios legais sim. Basta ter testemunhas ou gravar a cena. Sobre confundir firmeza com violência. Você pode não ter escrito claramente que o homem deve partir para as vias de fato com o ofensor, porém como no primeiro parágrafo você cita bofetões e chicotadas induz a entender assim. Sobre ser bunda mole ou selvagem. Note que eu coloco como a mesma fazendo os 2 papéis, isso acontece porque o que move a ação da pessoa não é o seu valor moral mas sim a ocasião: eu brigo com o mais fraco e fujo do mais forte. Ou seja seu valor moral dessa pessoa é fraco e falho.

        • Jotacê

          Meu Deus, que mundo de fantasia é esse em que os católicos caóticos vivem?

  • Padre Orlando Henriques

    Já repararam no sub-título do Charlie Hebdo?

    Lá diz no cabeçalho “JORNAL IRRESPONSÁVEL”…
    Alguém me dirá que é um pormenor apenas humorístico. Pois eu digo que esse sub-título diz tudo sobre a dificuldade que eles sempre tiveram em conjugar liberdade com responsabilidade. Como é que eles querem ser livres sem serem responsáveis? Não há liberdade sem responsabilidade.

    Non, je NE suis PAS Charlie!
    Je suis Pape Francois!

    • Sidnei

      Padre Orlando vossa benção.

      Padre, hoje em dia não me surpreendo por mais nada, tudo que no passado era tido como: honroso; decoroso; sábio; prudente; casto; honesto, esta tudo ultrapassado e fora de moda, agora o que vale é tudo ao contrario disto, inclusive em ser responsável. Ser responsável esta fora de moda, o que vale é ser irresponsável, é você colocar sua vida em risco para ser mostrar ao mundo que você é mais, quando no passado não passaria de um enorme idiota. Não sei para aonde o mundo vai, mas do jeito que esta, não irá muito longe, pois a loucura já esta tomando conta de todo mundo. Devemos ter muita fé em DEUS em JESUS CRISTO e pedir para que ELE volte logo, por a medida da loucura humana parece esta passando dos limites.

    • marcos

      Sim, padre, Je suis Pape Francois!
      e em respeito aos cristãos perseguidos do Iraque, eu sou Nazareno.
      Aliás, #somos_todos_nazarenos, não?

  • Lucas Casagrande

    A meu ver é uma questão de consciência

    Uma coisa é a possibilidade, uma verdadeira liberdade de expressão deve abranger tudo mesmo o inoportuno e o inapropriado.

    Outra coisa é a consciência no exercício dessas possibilidades. Isso vale tanto para os geradores de conteúdo como para os consumidores. Vamos exemplificar

    A possibilidade de se fazer charges tendo como tema os grandes genocídios como o Nazismo (sob a ótica dos genocidas) existe. No entanto na prática é senso comum que tal prática é imoral e merece total rejeição, além de enquadrar o autor de tal absurdo como delinquente, psicopata, indigno de ser levado a sério.

    Aí esta o ponto. Não existe resposta fácil. A única solução viável para manter a liberdade de expressão e evitar os abusos é a criação de uma consciência coletiva que rejeite tudo aquilo que é indigno e grosseiro não importando se isso esta alinhado ou não com seu ponto de vista

    Graças a revolução cultural vivemos na era do relativismo moral onde bom é tudo aquilo que me ajuda e mal o que atrapalha. Quebrar o relativismo moral é o primeiro passo sem o qual nada mais pode ser alcançado

  • Colunista Reinaldo Azevedo , título ” Papa Francisco por quê não se cala” Li dia desses o que, parece-me, ambicionava ser um norte moral: deve-se rir do opressor, não do oprimido. Isso é política, não humor. Essa suposta bondade em favor dos fracos é parente da lógica do terror. Ou não é verdade que o terrorista reivindica o lugar do humilhado e diz reagir à agressão do mais forte? Foi a justificativa dada por Amedy Coulibaly, que invadiu um supermercado kosher em Paris e matou quatro pessoas.

    O poder das vítimas, um perigoso oximoro, é uma ameaça constante às conquistas da civilização. Os vários fascismos do século passado manipularam com muita habilidade sentimentos coletivos de frustração e de humilhação. As democracias ocidentais se defrontam hoje com o fascismo islâmico –que conta quase sempre com a simpatia das esquerdas.

    A melhor cena de humor que conheço está no filme “A Vida de Brian”, de Monty Python (is.gd/X3YJkD). Ironiza a resistência da Frente Popular da Judeia (oprimidos) aos romanos (opressores). Deveria ser condenada pelo Tribunal das Causas Politicamente Corretas? O humor de boa qualidade desconstrói a “doxa” e não tem programa de governo. Se tem, o humorista deve disputar eleições. É outro seu picadeiro.

    Não gosto do “Charlie Hebdo”. Não vejo graça numa charge em que Hitler aparece saltitante, dando um alô pra “judeuzada”. Ou em que o papa Bento 16 troca carícias com um soldado da Guarda Suíça. Ou em que um árabe lambe o traseiro de um judeu. Não aprecio a disposição de “épater le bourgeois”. É o homem médio que faz a grandeza das nações, não o obscurantismo iluminado das vanguardas. O escândalo pelo escândalo é expressão de narcisismo ignorante disfarçado de superioridade intelectual.

    Nota à margem: a onda do humor como ofensa gratuita chegou com tudo ao Brasil. A molecada adora. Falta de repertório e prontidão hormonal para o insulto formam um enorme mercado consumidor, e essa parceria é habilmente explorada por expertos (com “x”) e espertalhões. Aqui e alhures, o que fazer? Rir do que tem graça e não rir do que não tem. Na hipótese de um humorista cometer um crime, que arque com as consequências legais definidas pelo Estado democrático. Isso vale para açougueiros, jornalistas e empreiteiros. Sendo engraçado, os limites do humor devem ser os que valem para toda gente. E desenhar a imagem do Profeta não é crime em nenhuma democracia do mundo.

    Na quarta, a polícia francesa deteve um delinquente disfarçado de humorista chamado Dieudonné. Seu lugar é a cadeia. E não porque recite discursos de um antissemitismo tarado, mas porque faz a apologia da violência. Qual é o limite? Ele resolveu acrescentar uma palavrinha à frase que virou símbolo de resistência ao terror: “Je suis Charlie Coulibaly”. Como se vê, homenageava o terrorista. Segundo os seus critérios, os judeus são os opressores da fábula…

    Para encerrar: Francisco tem cabeça e postura de cura de aldeia, não de papa. Suas entrevistas ambíguas são detestáveis. O jesuíta leu mal São Paulo e não sabe que cítara e flauta têm de soar de modo distinto. Suas opiniões sobre o atentado e a liberdade de expressão são covardes, imprecisas e politiqueiras. Deveria se esconder debaixo da cama com Barack Obama para conversar sobre o nada. Ainda bem que nenhum católico vai tentar me dar mil chicotadas por isso.

    • As opiniões do Papa sobre o atentado são imprecisas? Mas Felipe, ele já repetiu mais de mil vezes que o atentado contra os cartunistas foi uma abominação! Que palavra mais forte e clara ele poderia usar para condenar? Nessa mesma entrevista do avião ele repetiu isso.

      Agora, condenar de modo veemente os atentados não deve impedir de criticar a postura abjeta da revista blasfema. Só porque morreram de modo brutal, as vítimas não têm o direito de ficar imunes a críticas e questionamentos. O que eles faziam a maior merda, aquela revista era um lixo, e os jovens precisam saber disso pela boca do Papa, para que não os idolatrem e não sigam seu exemplo imundo.

      E convenhamos: dar uma bifa é uma violência de nível infinitamente inferior a um assassinato. Creio que você (e o Reinaldo Azevedo) estão subestimando a inteligência dos muçulmanos radicais: de burros eles não têm nada.

      Ademais, o que poderia ter de politiqueiro nas declarações do Papa? Ele foi na contramão de tudo aquilo que os líderes mundiais mais poderosos estão dizendo. Nunca vi alguém fazer politicagem contrariando o discurso dos mais fortes, em vez de reforçá-lo.

      Já fizemos aqui no blog algumas críticas à postura do Papa quando dá entrevistas, mas desta vez ele foi notal mil. Valeu, Francisco!

    • adriano

      Amigo, tente ler mais o que o próprio Papa diz, em suas homilias, audiências, etc., vai ver que os seus pronunciamentos são menos confusos do que parecem.

      Se somente ler o que sai na mídia não vai entender nunca o que diz e pensa o Santo Padre.

      Imagina se você tentasse ter uma formação doutrinal católica se informando tão somente através da grande mídia. Acha que seria uma boa formação? Claro que não.

      Pois para entender o que pensa e diz nosso Papa é a mesma coisa. Se se informar somente pela grande mídia nunca vai entender nada.

      Quando nos unimos em espírito ao Santo Padre podemos de forma mais plena caminhar e sentir com a Igreja.

      Para facilitar o trabalho colei o link do site do Vaticano com todos os discursos, pronunciamentos, homilias, etc., do nosso querido Papa Francisco. Bom proveito.

      http://w2.vatican.va/content/francesco/pt.html

      • Leniéverson

        O problema, se é que isso é um problema, é que o Reinaldo Azevedo se diz católico, mas sempre me perguntei que catolicismo é esse, que apoia uma coisa ou outra contrária ao que diz a teologia moral da Igreja? Sou muito curioso a esse respeito.

  • Arlindo Filho

    Temos que dar “muros jurídicos” com processos contra ofensores.”dAR MURROS Politicos” com divulgação dos ofensores e seus apoiadores,para ver se tem coragem de admitir suas posições antirreligiosas.”Murros culturais” para desconstruir as ideologias antirreligiosas.Acredito na assertividade e estrategia,mas não violencia ou mesmo mal humor.Critiquemos nossos inimigos com um sorriso no rosto e utilizemos sua ira contra nós contra eles mesmos

  • Arlindo Filho

    Não me importo tanto com “liberdade de expressão” e com os “valores ocidentais”.Que os mortos enterrem seus mortos.Só defendo o Ocidente enquanto isso for favoravel a prosperidade do catolicismo .Se for para um lider catolico conservador implantar censura,e acabar com os valores ocidentais e isso não contradizer as verdades catolicos não me oponho.Democracia e valores ocidentais para mim tem uma função meramente instrumental:manter a salvo a religião catolica e os catolicos ,adotando a coexistencia pacifica com outras formas de expressões filosoficas e religiosas.Fora issso,tudo é relativo ,exceto o catolicismo,e depende das circunstancias do momento

  • ALÉM DE SER O MEU PASTOR, o PAPA FRANCISCO É MEU ÍDOLO, QUE HUMANIDADE, QUE INTELIGÊNCIA, QUE CARIDADE, QUE DECÊNCIA QUE Humildade, que santidade….

  • Ouvi dizer – não tenho certeza – que os sinos de Notre Dame tocaram em homenagem aos blasfemos cartunistas mortos. Tem muito católico insano e sem vergonha na cara mesmo!

    • Sidnei

      É, depois não reclamem que vagabundas como o pessoal do femen, invadam nuas as igrejas para fazer “protestos”, pois através de exemplos como estes é que vemos que de caóticos não são só os brasileiros, franceses e europeus também dão seu contra testemunhos. Aposto 1000 contra 1 que se fossem católicos não se desdobraria sino algum, ou por acaso oi desdobrado algum sino em Paris para homenagear nossos irmãos que estão sendo perseguidos e mortos no Iraque e na Síria pelo ISIS?.

    • Luiz Antônio Pereira

      A síndrome do holofote, muita gente querendo um lugarzinho à “luz” para dizer:”oi, tô dentro”!

  • Julio Bacelar

    Venho acompanhando as postagens desse blog a 1 ano. Motivado pela curiosidade e na busca do conhecimento a respeito de Cristo e a Igreja, creio que já li QUASE TODOS os artigos do blog e não me dou por satisfeito enquanto não leio a maioria dos respectivos comentários (pra saber o que a galera pensa e pra complementar minhas ideias a respeito dos temas também).
    Sempre participei de forma expectadora, mas finalmente hoje resolvi opinar a respeito desse acontecimento de tamanha magnitude.

    De fato é INCONTESTÁVEL o fato de que AMBOS lados estão errados, O TERRORISMO DOENTIO (que não precisa chegar a “ser atingido” de alguma forma para fazer vítimas) e o ABUSO A LIBERDADE DE EXPRESSÃO (que também é doentio, e gera muito mais adeptos e defensores no mundo do que o próprio terrorismo).

    Nesse tipo de situação creio que NÃO HÁ O LADO MAIS OU MENOS CULPADO. Sob o uma ótica cristã, os dois lados atentam contra o 5º Mandamento “Não Matar”. Pois quem TEM a intenção de ofender o próximo com suas palavras (e desenhos nesse caso) tem SIM o desejo de mata-lo MORALMENTE.

  • Julio Bacelar

    Gostaria também de atentar para um fato interessante que ocorreu ontem.
    O único telejornal que tenho tempo de assistir é o Jornal da Globo, sempre gostei de assisti-lo porém, ontem confirmei a minha decepção a respeito da emissora.

    No dia do acontecimento do atentado, o Jornal deixou bem claro em suas matérias a sua indignação com relação aos terroristas e a crueldade cometida pelos mesmos (pois naturalmente a Imprensa defende a “imprensa”)

    Por outro lado, na edição de ontem, o Jornal NEM SEQUER informou sobre a declaração do Papa no avião a respeito do ABUSO A LIBERDADE DE EXPRESSÃO. Pelo contrário, reservou um bom tempo da sua programação informando que todo indivíduo tem o direito por lei de expressar e publicar o que bem entender.
    E terminaram a matéria com a seguinte citação
    “Não existe Liberdade de Expressão PARCIAL, não existe MEIA liberdade. Ou se pode dizer o que pensa ou não pode”

    Pude concluir que NÃO É INTERESSE DA EMISSORA que seus expectadores tenham o conhecimento a respeito das charges de conteúdo totalmente OFENSIVO e DESMORALIZADOR por parte da Charlie Hebdo.

    Será que eu estaria sendo equivocado?

    Deixo aqui minhas orações a “Catequista” (Viviane, estou certo?) e um forte abraço a equipe do Blog.
    Peço que mande um abraço em especial ao Alexandre.
    Sou de Brasília, e sempre o acompanho na participação que ele faz no programa Geração PHN da Rádio Canção Nova daqui.

  • Daniel

    Francisco: Como não amá-lo? ^^

  • cristiano medeiros

    Tendes ouvido que foi dito: Olho por olho, e dente por dente.
    Eu, porém, vos digo: Não resistais ao homem mau; mas a qualquer que te dá na face direita, volta-lhe também a outra.
    Jesus está falando sobre a lei antiga de hamurabi , não está claro que é pra dá outra face só quando tiver numa situação de martírio.

    Jesus entrou no templo, expulsou todos os que ali vendiam e compravam, derrubou as mesas dos cambistas, e as cadeiras dos que vendiam as pombas.

    Parece que Jesus aqui não usou a lei “da outra face ” mais praticou uma certa violência(talves um murro como falou Francisco ) em relação as ofensas no templo.

    Muito dificil de entender ,somente com a ajudas dos santos para saber as interpretações verdadeiras desse texto feito a quase 2 mil anos atras

    Os textos feitos na era da informação a interpretação não era pra ser complicada , basta perguntar pra Francisco o que quer dizer o murro , se ele compreende a o massacre ou que devemos agir também quando ofendem a nossa igreja de maneira mais bandra é claro .

  • cristiano medeiros

    As pessoas brigam pela liberdade de expressão , mais estamos esquecendo que estamos vivendo na era da interpretação relativa , cada uma interpreta o texto ou fala da maneira coviniente , Reinaldo de azevedo pega uma fala ambígua do Papa como ele próprio diz e acha que o esclarecimento do vaticano é um absurdo . porque ele acha que cada um vai interpretar a Fala do Papa como quer? ou seja da pior maneira possível . Se o povo não entendeu , o vaticano tem mais que esclarecer mesmo .

  • hudson

    a unica coisa que os religiosos querem é respeito somente

  • Edvaldo José Ferreira

    O posicionamento de Sua Santidade é de uma clareza insuperável, ao contrário do que afirmam alguns meios de comunicação anticlericais, pois de um único golpe condena todo e qualquer tipo de ataque à liberdade de expressão (terroristas, regulação da média, censura prévia, etc) ao mesmo tempo em que deixa claro que a crença religiosa, independente de qual seja, não deve ser alvo de zombaria. Os muçulmanos reagem com bala às ofensas contra o Profeta Maomé, e nós católicos o que fazemos quando nossos símbolos religiosos são alvo de zombarias?

  • Yara

    Fiquei com feliz em ver esse texto aqui no catequista. Realmente a fala do Papa está dando o que falar. Alguém que já comentou aqui disse que a lua de mel do papa com a imprensa acabou. Concordo. Mas sabe do que mais? Senti uma felicidade imensa em ver o papa tendo a coragem de ir na contramão e dizer com todas as letras tudo aquilo que muitas pessoas pensam e não tem voz pra dizer ou tem medo de dizer. É isso ai. Um seguidor de Cristo não pode se acovardar e se omitir,tem que ter coragem de dizer o contrário da maioria.Muita gente mal intencionada está dizendo que Francisco está a favor do terrorismo,da ditadura,etc. Claro que é um jogo sujo. Por isso peço aqui: vamos defender o nosso papa sem medo de ser feliz.
    O Reinaldo às vezes até que escreve algo interessante sobre política. Não sabia que sobre religião ele era tão lamentável. Acaba de perder uma leitora. Um cara que fala assim do papa não merece o meu tempo.Aliás,essa revista não lerei mais. Desculpem mas não consigo ter estômago de ver alguém desrespeitando o papa.
    Orgulho imenso do Papa Francisco.

  • Paulo

    “O Papa Francisco afirmou que não toleraria um insulto gratuito à sua mãe; o problema é que muitos católicos não veem a Igreja como Mãe, e assim são insensíveis às zombarias infames que fazem contra ela. São os caóticos…ops, católicos que acham lindo aderir à modinha do “Je suis Charlie”. Mas aqueles amam Jesus de fato não têm como não sentir grande dor e indignação ao ver a charge nojenta dos infelizes cartunistas franceses sobre a Santíssima Trindade”…
    Que ele continue assim; de fato, o CHebdo não passa de um papel higiênico sob forma de noticiário; lamentável é que o mal cresça com “católicos” comprando mehdas desse naipe, assim como revistas pornôs, ou doutrinando-se diariamente nos cultos das ESCOLINHAS DE SATÃ como nas novelas da Globo e BBBs etc. e ainda prestigiando com sua audiência, podendo levarem a maus pensamentos durante as cenas de bordel e a pecados graves, maus pensamentos e posteriores ações, já que a pessoa de propósito vai assistir a cenas eróticas, sabendo dos riscos de frequentar uma boemia…
    Conto uma: quando surgiram os casos de sacerdotes alguns anos atrás diariamente na mídia de forma generalizada, poucos católicos atacaram a mídia para mostrarem o casos em maior quantidade de pastores protestantes na mídia, pais, tios, padrastos etc., em maior número, casados, sexo à vontade, muitos enfiados em rolos gerais com mulheres, mas SELETIVAMENTE atacaram apenas a Igreja católica, a maior das injustiças incriminar unicamente uma instituição e olhe que os sacerdotes são celibatários e deveriam serem mais incidentes, não é?
    Pela lógica, sacerdote celibatário católico deveria ser sinônimo de tarado, pedófilo; ao inverso, os protestantes vencem em media de 3 x 1!
    E os relativistas protestantes na maior cara-de-pau ainda recomendam acabar com o celibato para “amainarem as paixões do padres”…
    Ótimos exemplares e conselheiros os filhos do CANGACEIRO DA FÉ “Seu” LUTERO, comparados ao REI DO CANGAÇO, LAMPIÃO, né?

  • Marta

    Ouço gente falando dos cartoons como causa do atentado ao Charlie Hebdo (CH), mas quantos cartunistas existem na Síria, na Nigéria e no Egito que justifiquem o massacre (não de uma dúzia de ateus blasfemos) de milhares de cristãos?

    Por que nenhum jujubinha do “dai a outra face” entrou na justiça ou protestou quando o CH publicou aquelas charges de extremo mau-gosto? A Virgem Maria não é nossa Mãe? Deus não é nosso Pai e Criador? Por que essa comoção por uma dúzia de ateus balsfemos enquanto milhares de cristãos são mortos todos os dias?

    A crítica às religiões só merece protesto quando é feita a uma religião repleta de intolerância e contradições?

  • Marcio Monteiro

    Saudações a todos!

    Independentemente da FORMA como o Reinaldo Azevedo escreveu sua crítica sobre a fala do Papa, que em muitos aspectos, realmente o Reinaldo não foi feliz, o fato, é que o problema é justamente de FORMA.
    Não é que o Papa não tenha razão em suas colocações; o problema foi de argumentação, a FORMA de se expressar.
    Realmente, murro ou bofetada, não combina com um Papa, especialmente no contexto em que ele falava.
    E falo isto, não por ser de minha vontade, ou seja, por mera questão volitiva.
    Ele realmente se expressou mal, o que me lembra de uma velha história:
    Um poderoso rei sonhou que havia perdido todos os seus dentes, e acordou apavorado com este sonho, no meio da noite.
    No dia seguinte, chamou um “intérprete de sonhos” ao seu palácio, e contou-lhe sobre este sonho, pedindo-lhe um “veredito” sobre o significado daquele sonho, que para ele, foi um pesadelo. Então o homem disse ao Rei:
    Majestade, este sonho que o senhor teve foi terrível!!
    Todos os dentes que o senhor perdeu, significam que em breve todos os seus familiares vão morrer, e só vai ficar o senhor no final, sozinho.
    Ao ouvir aquilo, o rei ficou desesperado e ao mesmo tempo, muito irritado com o intérprete do seu sonho.
    Mandou despedi-lo do palácio, e ainda pediu aos seus soldados que açoitassem o pobre homem com 100 chibatadas, sem pagar-lhe nada pelo “serviço de interpretação de sonhos”.
    Não satisfeito com tudo isso, o rei não se deu por vencido, e preocupado, mandou chamar outro “interpretador de sonhos” que também era famoso naquele reino distante.
    Ao chegar ao palácio real, o rei foi logo lhe contando o sonho que tivera, e ao final, ficou esperando a opinião do “intérprete de sonhos”.
    Foi aí que o homem, virando-se calmamente para o rei, e com um largo sorriso lhe disse: “Majestade, que maravilhoso sonho tivestes!! A perda de todos os seus dentes, significa que tu serás a pessoa que terá a vida mais longa entre todos os de tua família, pois és um homem de saúde de ferro!”
    Imediatamente o rosto preocupado do rei, deu lugar a um sorriso alegre e iluminado, e ele logo mandou chamar o seu ministro do tesouro real e lhe disse:
    “Dê a este homem um pote de ouro como pagamento pelos seu serviços de interpretação de sonhos, e leve-o para casa na minha própria carruagem real”.
    Ao fim de tudo isso, quando ia saindo do palácio, alegre e satisfeito por mais uma interpretação de sonhos bem sucedida, aquele homem foi parado pelo 1º ministro do rei, seu fiel escudeiro, que a tudo assistiu desde o princípio e chamou-lhe discretamente no canto da sala e lhe perguntou:
    “Francamente meu senhor, eu não entendi nada, pois na realidade, você e seu infeliz colega, que aqui esteve antes de você, interpretaram o sonho da mesma forma, mas com conclusões distintas.”
    Ao que o interpretador de sonhos disse ao 1º ministro: “Tu tens toda razão senhor 1º ministro! Mas, na vida, às vezes, a diferença de ser bem recebido ou não, está na FORMA como nos expressamos e nos comunicamos com os outros”.

    Portanto, na minha modesta opinião, como na história que exemplifiquei, o Papa poderia evitar expressões ambíguas em certas falas, pois a imprensa do mundo inteiro, vai sempre tentar pegar o menor deslize, e até quando não há deslize algum, eles vão tentar “fabricá-lo”, que dirá quando o Papa dá margem para interpretações dúbias, mesmo que num contexto correto de condenação, como ele fez, daqueles atos terroristas.
    Prudência Francisco! Tu não ocupas qualquer trono mundano. O teu Trono é o de Pedro!
    Pax!!

    Marcio Monteiro

  • Douglas

    Acredito que o Papa foi infeliz em sua declaração. Para começo de conversa: Será mesmo que o Papa esmurraria quem xingasse sua mãe? Só aí ele já diz uma inverdade. Eu também não aprecio o tipo de humor do Charlie Hebdo, porém minhas armas contra eles são boicote a compra de suas publicações. Ou então, podemos processar-los e pedir reparação moral. Tudo no meio legal. NUNCA ATRAVÉS DE VIOLÊNCIA. O Papa erra porque este não é o momento para se falar sobre os excessos da liberdade de expressão. Fazendo isso, neste momento, ele apenas atenua a culpa dos responsáveis por esse ato terrorista. Afinal de contas, o que efetivamente acabaria com atos terroristas: um mundo sem Charlie Hebdo ou um mundo com muçulmanos tolerantes? Fundamentalistas muçulmanos matam mais de 100.000 cristãos por ano sem motivos ou provocações, simplesmente por serem cristãos. Conclusão, se o Charlie Hebdo parar de provocar muçulmanos, teriamos um ano com “apenas” 99.987 cristãos assassinados.

    • Sidnei

      Douglas só um atento, de 100.000 cristãos assassinados se não provocassem os muçulmanos seriam apena 99.987, se você descontou aí os mortos pelos atentados em Pari, devemos lembrar que os 4 cartunistas era judeus e ateus, e os demais, um guarda era muçulmano e os demais, desconheço que fé ou nenhuma fé eles seguiam, então não dá para descontar dos 100.000 cristãos estes que forma mortos em Paris, porque uma boa parte deles nem cristãos eram.

      • Douglas

        Tudo bem, é uma observação. Porém o mais importante a entender é que por pior que seja o humor do Charlie Hebdo, não podemos culpar os cartunistas pelo atentado terrorista que aconteceu. Nem podemos também atenuar a culpa dos terroristas muçulmanos. Sem provocação aconteceram os atentados: Madrid 2004 (191 mortos), Londres 2005 (92 mortos), Nova Iorque 2001 (2.977 mortos), Indonésia 2002 (202 mortos). O Charlie Hebdo já ofendeu Católicos e Judeus e ninguém morreu por isso. Então o problema não é o Charlie Hebdo mas sim a intolerância muçulmana.
        Noto aqui alguns comentários raivosos contra o Chalie Hebdo, alguns dão a impressão de que os muçulmanos estão certos em defender sua religião. Nós católicos que somos moles. É inversão de valores! Nós católicos estamos certos. Os muçulmanos que devem melhorar seus ensinamentos e pacificar seus adeptos.
        Veja quão errado estão esses muçulmanos. Nós católicos pregamos o boicote a publicações que não respeitam nossa religião. Sem vendas eles perdem força. Agora veja o tiro no pé desses muçulmanos: Tiragem normal do Charlie Hebdo 60 mil exemplares. Depois do atentado: 5 milhões de exemplares.

        • Luiz Antônio Pereira

          Acho que pode-se colocar a culpa nos cartunistas. Se já sabem como é a coisa, e fazem essa troça toda, deviam saber que estavam muito vulneráveis… era só esperar a retaliação. Não importa se houve outros atentados sem que houvesse uma provocação antes. Se houve atentados “sem motivo”, quanto mais fariam diante daquilo.

          O problema não é somente a intolerância muçulmana, mas também veículos como charlie. Os dois estavam errados.

          • Douglas

            Foque na solução do problema. Não importa se você tem bronca ou dó dos cartunista, a solução é uma só. Os fatos mostram: Sem Charlie Hebdo os atentados continuam, com tolerância religiosa os atentados cessam.

        • Sidnei

          Existe um provérbio Bíblico que diz: “Quem ama o perigo nele perecerá.” (Eclesiástico 3, 27b) em outra passagem JESUS nos recomenda: “Sede, pois, prudentes como as serpentes, mas simples como as pombas.” (São Mateus 10, 16). Pelo visto tanto estes cartunistas do Charlie Hebdo amaram tanto o perigo, em provocar os muçulmanos, que pereceram nas mãos de alguns deles, radicais e terroristas, e se fossem cristãos, talvez agiriam prudentes como as serpentes, e não dariam bobeira como fizeram, resultado, estão todos mortos. Se no passado prudência e cuidado com coias perigosas eram tidas como virtudes, hoje, parece que virou fora de moda, a onda agora é ser imprudente e amar o perigo a todo instante, depois, não reclamem por sangue derramado, porque muitos pediram por isto sim senhor. E de fato foi um tiro no pé destes islamitas, como já comentei em outra postagem, até o dia da mortes destes chargista, mais de 99,99% do mundo não sabiam deste jornal e nem destes chargistas blasfemos, mas foram uns islamitas sem cérebros fazer a caca que fizeram, e a tiram que antes era uma merreca de 60 mil agora passou dos 5 milhões, se não tivesse acontecido nada disto, este jornaleco fuleiro ira tirar suas tiragens merrecas até se esgotar, agora como este burros deram fama a estes indecentes, mesmo depois de mortos, agora todos os que seguem um religião serão taxados de: terroristas; assassinos; pessoas perigosas contra a sociedade a liberdade de expressão, ou seja, sobrou para todo mundo, até mesmo para aqueles que nada tem haver com o pato, sobre tudo, a nós católicos.

        • Luiz Antônio Pereira

          Discordo, Douglas! A questão desta matéria não é atentados terroristas, mas sim o atentado em Paris, sim? Os cartunistas provavelmente estariam vivos se nunca tivessem feitos aqueles “trabalhinhos”.

          Agora resolver a questão da intolerância de fundamentalistas islâmicos, é utopia, porque aquilo é loucura. Tente convencer os loucos de que estão errados, se nem mesmo o islã consegue!

          • Douglas

            O Islã não consegue porque o Islã não quer. Digo mais, há até um apoio disfarçado. Várias vezes vimos a Igreja Católica excomungar padres e bispos que cometem erros graves. Quanto aos muçulmanos, qual punição se verifica? Um ou outro de baixo escalão repudia, mas os líderes se silenciam. É necessário evoluir, à 1000 anos atrás houveram as Cruzadas: Católicos matavam pela religião, pela reconquista da Terra Santa – é certo que houveram outros interesses também – hoje não, nenhum Papa da atualidade recruta seus fiéis para esses fins.
            Quanto a matéria ser sobre atentados terroristas ou atentado de Paris, qual a diferença?
            Pensar assim é como dizer: Almocei uma churrascada, 3 pratos feijoada, 6 copos de cerveja, 3 conhaques, 2 taças de sorvete e depois eu tomei um cafezinho. Nossa! Antes não tivesse tomado porque esse cafezinho me causou uma baita de uma indigestão!!
            Moral: É preciso analisar o contexto todo, não apenas um fato isolado.

          • Sidnei

            É necessário evoluir, à 1000 anos atrás houveram as Cruzadas: Católicos matavam pela religião, pela reconquista da Terra Santa – é certo que houveram outros interesses também ”

            Douglas, ajo que você tem que repensar um pouco o seu modo de ver as cruzadas, elas não foram estabelecidas apenas para reconquistar os locais sagrados do cristianismo que haviam caído nas mãos dos muçulmanos e estes não estavam facilitando as peregrinações dos cristãos aos locais sagrados. Houve também a necessidade de se estabelecer as cruzadas para barrar o avanço muçulmano na Europa e defender as nações cristãs do domínio islâmico que já havia tomado todo o oriente médio, o norte da Africa (todos muitos cristãos, até o avanço muçulmano) e chegaram até a península Ibérica e nos bálcãs. Se os europeus não tivessem se organizando em um exercito o qual as diferenças nacionalistas e regionalista devessem ser colocadas de lado e levado em comum apenas a fé, e isto se deu através das cruzadas, a Europa hoje seria de maioria muçulmana e nós ao invés de sermos cristãos, seguidores de JESUS CRISTO, seriamos muçulmanos seguidores de Maomé. Então ao invés de irmos atrás daqueles que horrorizam os cruzados como se fossem e até piores que estes terroristas islâmicos, nós deveríamos agradecer eles, que combateram para que o avanço muçulmano não tivesse exito sobre toda a Europa, e hoje, nós podemos até discutir sobre estes fatos aqui pela internet. E claro que deve ter havido abusos e excessos por parte de alguns cruzados, agora, demonizar todo um movimento que nos garantiu hoje a liberdade que temos, por causa da maldade de alguns, aí é de ser generalista demais

          • Douglas

            Sidnei, muito bom a sua explanação sobre as Cruzadas. É bom mesmo que se mostre esse lado das Cruzadas. Sabemos que a grande mídia (progressista) adora demonizar a Igreja Católica em toda sua história. Basta ver o que falam sobre a Inquisição. Sabemos que houveram excessos, porém nada se compara com a carnificina que revolucionários da Revolução Francesa, Revolução Russa e Revolução Cubana cometeram. E esses últimos são tratados como heróis.

          • Douglas

            Sidnei, ainda sobre a sua resposta. Eu concordo. Mas eu digo que mesmo com a importância que tiveram as Cruzadas, hoje isso seria inimaginável. É certo de que a Igreja evoluiu. Tanto que, veja só, hoje o Islã mata mais de 100.000 cristãos por ano e ninguém fala nada! Pior, são tratados como vítimas! Vítimas da Islamofobia, ou seja, cria-se a ideia de que a culpa é nossa. Por isso que não concordo que no momento que ocorre um atentado terrorista busquemos motivos para atenuar a culpa dos terroristas. Finalizo batendo na mesma tecla: se os muçulmanos fossem tão tolerantes quanto os católicos, não haveria atentados terroristas.

        • Luiz Antônio Pereira

          Que seja o Islã indiferente, isso não importa nessa questão, não adianta papo de tolerância religiosa pra cima dos terroristas pois eles não estão nem aí – são TERRORISTAS – e, se os líderes do Islã recriminassem os terroristas, acha mesmo que eles obedeceriam como bons muçulmanozinhos, que são? Eles não estão nem aí!

          A analogia da “comidalhada” é irrelevante!

          Vou ser claro: Se os chargistas não tivessem feito Maomé de privada, poderiam estar vivos hoje, afinal, que raios os terroristas iriam querer detonar um jornaleco decadente? Mas porque fizeram as charges, deu no que deu. Ou seja, eles foram culpados da própria morte, brincaram com fogo.

          O contexto do fato é somente este! Não tivessem brincado com Maomé como fizeram, muito provavelmente não teria havido este atentado.

          A matéria não está se propondo a analisar o contexto histórico, desde as origens do Islã, passando por todas as evoluções, ramificações e dissidências do Islã até os dias de hoje, e sim, o atentado em Paris. Simples!

          A culpa deste atentado foi dos cartunistas, pois apesar de saberem o que os fundamentalistas muçulmanos (terroristas) fazem com quem toca no seu sagrado com escárnio, mesmo assim assumiram o risco e se f……!

          • Luiz Antônio Pereira

            À comidalhada:

            É crime matar (estou protegido, pois não é lícito matar), então vou dar uma passada com minha BMW, rolex ao pulso, ostentando com o braço suspenso pela janelinha do meu carrinho bem ali ó na frente daquele grupinho de traficantes fortemente armados, e como a BMW é minha, o rolex é meu, não vou entregar se me pedirem, pois são meus. Os trafica respeitam sumamente a lei, então beleza, tô tranquilo!

          • Douglas

            Luiz, lógico que temos que ser prudentes. Mas não podemos inverter os valores ao analisar um fato ocorrido. Vamos pegar o seu exemplo da BMW. Embora ele tivesse direito, é óbvio que o dono da BMW foi imprudente. Mas se você fosse o prefeito dessa cidade, como você resolveria esse problema? Proibiria BMWs de circularem nas ruas ou colocaria o grupinho de traficantes na cadeia?

        • Luiz Antônio Pereira

          Pois é, Douglas! A questão não se resolve facilmente se for levar em conta o contexto amplo da coisa, é uma tarefa um tanto utópica. O prefeito não proibiria, mas informaria o perigo… sem contudo procurar meios de acabar com o grupinho.

          O fundador do jornaleco admitiu a culpa do editor da revista no ocorrido, pela insistente esculhambação com o islã. Se eu sei que fazer piadinha de maomé numa revista que ganhe moderada projeção, chegando aos extremistas, me põe em risco, eu assumo a culpa. Não posso colocar a culpa no prefeito, se eu facilito o perigo, andando imprudentemente; sai trafica, entra outro.

          Os que detêm o poder (no mundo) que devem fazer intervenção, e não a espera por uma autoridade islâmica que eduque os extremistas, pois isso não irá acontecer, mas enquanto isso, ajuda muito quem não cutucar a onça.

          • Douglas

            Respeito a sua opinião Luiz. Concordo em parte. Na minha opinião, penso que o Papa não deveria criticar os Cartunistas neste momento porque ao fazer isto ele atenua a culpa dos terroristas. Acho que o Chalie Hebdo merece críticas e desaprovação, mas em um outro momento. Partindo para mais uma analogia, seria como em uma família: A mãe castiga exageradamente o filho após uma malcriação. Se o pai repreender a mãe na frente do filho, este entenderá: “Eu estou certo, minha mãe está errada”. Então, a atitude mais acertada do pai seria ficar quieto naquele momento para depois conversar em particular com a mãe.
            Voltando ao terrorismo, veja a notícia fresquinha de hoje: “Estado Islâmico mata 13 jovens que assistiam a jogo de futebol no Iraque”.http://www.jb.com.br/internacional/noticias/2015/01/20/estado-islamico-mata-13-jovens-que-assistiam-a-jogo-de-futebol-no-iraque/
            Neste caso a cutucada na onça não foi uma provocação à Maomé, foi assitir uma partida de futebol. Complicado…

        • Luiz Antônio Pereira

          Beleza, mas os terroristas irão continuar terrorizando, não importa o posicionamento do pai em nenhum momento. Com terroristas não há diálogo e vão são os esforços por sensibilizar a tolerância.

          Essa notícia só mostra como essa gente é doida. Pois bem, foi uma correção interna entre eles (correção para os extremistas), muito diferente de uma galera do jornal que jamais tivesse tocado em maomé, os terroristas nem sequer saberiam que existiriam, e estariam vivos hoje.

          • Douglas

            Gente doida? E bota doida nisso!! Uma pitadinha à mais no assunto: Veja só esse caso que voltou à tona na Argentina sobre atentado que matou 86 pessoas em 1994. Quem organizou o atentado foi Mohsen Rabbani, um sheik que pregava em uma Mesquita na Argentina. Quem decidiu atacar a Argentina foi o Aiatolá Ali Khamenei, o maior líder na hierarquia religiosa. Dá para acreditar? Ouvimos muitos muçulmanos dizendo que Alcorão não prega violência, mas de que isso adianta se o “Papa muçulmano” manda atacar um país? Se um “padre” muçulmano organiza um atentado? Por isso não podemos passar a mão na cabeça deles. Não conheço o Alcorão, ele pode até ser pacífico mas se seus líderes religiosos o interpretam de modo à incitar violência, violentos seus fiéis serão.

        • Luiz Antônio Pereira

          Em tempo, talvez a hora não fosse muito apropriada para esse comentário do papa, os extremistas podem sim pensar: olha, até o papa católico tá do nosso lado… se bem que no fundo eles sabem que não foi isso o que o papa quis dizer, mas enfim, ao menos o episódio serviu para dar uma espetada nos empolgadinhos com um papa “progressista” e ‘relativista”.

  • Sim ! SIM! vejo aqui comentàrios muito limdos e cheios de amor pelo proximo mas não vejo vozes contra a atitude dos mussulmanos na perseguição que fazem aos cristãos e excussões no iraque ou na pena de morte na aràbia saudita a quem porte a BIBLIA no pais e ao facto e eles quererem impor as leis deles nos paizes EUROPEUS,e se não pode haver IGREJAS nos paises àrabes não deveriam ser permitidas mesquitas na EUROPA que afinal de contas os INTOLERANTES são eles

    • Luiz Antônio Pereira

      Jorge, é importante discutir isso que você falou, até para trazer à tona a quem não tem acesso aos fatos, mas também importante é fazer como alguns católicos que já fazem: assinando petições por intervenção nesses países; cobrando dos meios de comunicação de massa (globo, por exemplo) a cobertura e noticiamento desses fatos. Lembra-se da parábola da viúva e do juiz? Encher o saco às vezes resolve!

  • Jann pacheco

    Parabéns pelo trabalho de vocês. O conheço a quinze dias e já me sinto bem mais edificado. O blog chega a me impressionar pela qualidade, respeito, altíssimo nível dos posts e comentários e principalmente, fidelidade a sã doutrina. O ‘trem’ é de Deus mesmo. Sou catequista em BH.
    parabéns mesmo!!!

    • Douglas

      Tomem cuidado. O Brasil 247 é a pior mídia para se informar. O dono do site é Leonardo Attuch. Existem documentos que comprovam que ele recebeu verbas desviadas através de Alberto Youssef no escândalo do Lava à Jato. O 247 é uma mídia que defende à ferro e fogo os acusados do mensalão, petrolão e tenta ridicularizar seus adversários: como Joaquim Barbosa. Na verdade, nesta matéria, a intenção do Site é fazer propaganda do programa petista de “regulação de mídia”. Tenta puxar o Papa para governo Petista. Tenta passar a ideia de que o Papa é a favor de limitar a liberdade de expressão. Porém, o que eles querem limitar não é ofensas à religiões. Querem limitar e censurar as críticas e denúncias contra o governo… Como já acontece na Argentina.

  • Estou de pleno acordo com nosso querido papa. Merece um beijo em seus pés.
    Além do mais os ofendidos não tem canal jurídico para se defender. Qualquer ação judicial contra união européia e EUA tem vícios jurídicos. Imaginem os palestinos movendo uma ação de inj´ria ou difamação pedindo justiça; Seria ingênuo e os europeus iam rir da cara deles.

  • vaguinho

    Eles ficaram ofendidinhos porque o papa disse: “se xingar minha mãe, espere um soco” (em tom de zoação, diga-se de passagem). Imagina se eles vivessem no tempo de Jesus e visse nosso Senhor expulsando os vendilhões do templo. Acho que eles teriam uma urticária renal kkkkkkkkkkkkk.
    4 babacas e um santo. Eles são maioria… mas prefiro ficar com o santo.

    https://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/166890/Se-esses-4-s%C3%A3o-contra-o-papa-s%C3%B3-pode-estar-certo.htm#sthash.GbrqbwqQ.dpuf

  • A.S. Pinheiro

    O Papa é o verdadeiro representante de Cristo, Cristo deu o outro lado do rosto para bater, mas, vou lembrar que ele também expulsou os vendilhões do templo fazendo um chicote com cordas, está na Bíblia, Cristo quis respeito a religião e usou a violência para isso naquele momento. Não estou defendendo o massacre que ocorreu, apenas estou querendo demostrar que o Papa não merece ser censurado é a liberdade de expressão que todos querem, deixem ele se expressar, dizer o que pensa também. Ele falou em nome de Cristo.

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>